Você está na página 1de 8
ABES I N F O R M A 101 12 de novembro de 2008 USP

ABES I N F O R M A

101

ABES I N F O R M A 101 12 de novembro de 2008 USP exibe

12 de novembro de 2008

USP exibe saldo ambiental a favor do Brasil

o brasil e a rússia são os únicos países do mundo que projetam saldos positi- vos resultantes da combina- ção entre o crescimento da economia e a conservação dos recursos naturais para 2050. o dado consta do es- tudo “balanço das nações:

uma reflexão sobre o cená- rio das mudanças climáti- cas”, realizado pela Univer- sidade de São Paulo (USP). no caso brasileiro, investi- mentos em matrizes energé-

ticas mais limpas e a abun- dância de florestas conferem o crédito positivo de US$ 544 bilhões, o que garante ao pa- ís condições melhores para enfrentar as mudanças climá- ticas e mais oportunidades de negócios. o estudo foi apre- sentado durante o evento “Amazônia - dilemas e opor- tunidades”, promovido pela CâmaraAmericana de Comér- cio (Amcham), em São Paulo. “Trata-se do excedente de créditos de carbono em rela-

ção ao que se polui. o valor é positivo graças às florestas brasileiras, especialmente à Amazônia”, afirma José Ro- berto Kassai, professor da Faculdade de economia, Ad- ministração e Contabilidade (FeA/USP) e coordenador da pesquisa. Uma situação pri- vilegiada, segundo o profes- sor, que precisa ser levada em conta pelos brasileiros:

“É dela que dependemos, é nossa maior riqueza”. (Fonte:

Envolverde/Instituto Akatu)

PNqS

PNqS

aBeS entrega em Porto alegre os troféus aos agraciados do PNqS

págs. 5 e 6

reCUrSoS hídriCoS

reCUrSoS hídriCoS

aqüífero Guarani atrai atenção de três países africanos a seu congresso

pág. 8

reunião prepara 25º Congresso

Clarice Arnt

pág. 8 reunião prepara 25º Congresso Clarice Arnt Cassilda preside em recife reunião das seções da

Cassilda preside em recife reunião das seções da AbeS do nordeste

reSídUoS SólidoS

reSídUoS SólidoS

Comitê pede ao Governo urgência na aprovação da lei de resíduos sólidos

pág. 4

Premiação

Premiação

Boranga vai receber Prêmio azevedo Netto dia 27 de novembro

pág. 3

As comissões organizadora e Técnica do 25º Congresso brasileiro de engenharia Sani- tária e Ambiental se reuniram em recife, no dia 6 de novem- bro, para discutir detalhes da preparação do evento, que se- rá realizado de 20 a 25 de se- tembro no Centro de Conven- ções da capital pernambucana. no dia seguinte, a presiden- te da ABES, Cassilda Teixei-

ra de Carvalho, presidiu outra reunião, das seções estaduais da entidade no nordeste. Foi apresentado aos presidentes das seções do Ceará, bahia, rio Grande do norte, Alagoas

e Pernambuco o planejamento

estratégico da diretoria nacional. Também foram apresentados o plano de trabalho do nordeste

e as linhas de atuação do Pla- no de Capacitação da AbeS.

Também foram apresentados o plano de trabalho do nordeste e as linhas de atuação do Pla-

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 2 a Palavra da PreSideNTe PNqS,

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 2 a Palavra da PreSideNTe PNqS,

2

a Palavra da PreSideNTe

a Palavra da PreSideNTe

PNqS, uma ferramenta de gestão

No próximo dia 18, em Porto Alegre, va- mos entregar aos agraciados deste ano

o Prêmio nacional da Qualidade em Sa-

neamento. Criado em 1995, o PnQS tem sido responsável por profundas mudan- ças na gestão do setor, que resultam em excepcionais benefícios para a população brasilei- ra em termos de qualidade na prestação dos serviços.

viagem dos gestores a países que têm experiências mais maduras na gestão dos serviços de saneamento. Assim, esses profissionais que buscam a melhoria do desempenho já conheceram na Alemanha exemplos de perdas baixíssimas de água tratada; já viram na França como se administram pro- cessos de gestão compar- tilhada; no Canadá, um sis- tema nacional que é 100% operado pelo setor público; na Inglaterra, um sistema de regulação muito bem estru- turado. e assim muitos ou- tros aprendizados, tanto na América quanto na europa.

ou- tros aprendizados, tanto na América quanto na europa. Há 12 anos, quando es- se projeto

Há 12 anos, quando es- se projeto foi criado, ainda era incipiente a consciên- cia de boa parte dos admi- nistradores do setor para a necessidade de uma ges- tão focada em resultados.

o índice alarmante de per-

das na distribuição é um bom exemplo. Mas a insistência da ABES foi ajudando a aguçar essa percepção, ali- mentada também por sinais cada vez mais evidentes de que a Terra não tem recur- sos eternos, de que é preciso poupá-los e de que o desperdício diante dos riscos pa- ra a humanidade chega a ser criminoso.

Toda vez que destacamos aqueles que apresentam um desempenho diferen- ciado, ou mesmo os cases de inovação, fazemos como parte da premiação uma

Profissionais que passam por experiências semelhan- tes trazem avanço considerável para o nos- so país. Um deles disse há pouco tempo que o prêmio, para ele, é “uma ferramenta de trabalho”. É esse profissional que, ao voltar para sua empresa, mais maduro, mais experiente, motivado e com visão de futuro, inocula o germe da qualidade nos serviços que gerencia. e esse germe é contagioso, alastra-se sozinho e revolucio- na a máquina por dentro. dá uma saudá- vel sacudida nas estruturas e transforma barro em tijolo para mudar a edificação.

eXPedieNTe

 

aBeS informa é um informativo eletrônico da associação Brasileira de engenharia Sanitária e ambiental - aBeS, atualizado semanalmente e enviado via Internet para todos os sócios da entidade.

direTor reSPoNSável:

ProJeTo GráfiCo:

Cassilda Teixeira de Carvalho Presidente Nacional da ABES

flap design/ Nena Braga

ediToração eleTrôNiCa:

CoordeNadora Geral:

aBeS/ Thiago oliveira lobão e-mail: abes@abes-dn.org.br Clique aqui para ver as edições anteriores

maria isabel Pulcherio Guimarães

ediTor de CoNTeúdo:

romildo Guerrante (mTB 12.669-rJ)

edições anteriores maria isabel Pulcherio Guimarães ediTor de CoNTeúdo: romildo Guerrante (mTB 12.669-rJ)

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101  Premiação Boranga recebe Prêmio azevedo

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101  Premiação Boranga recebe Prêmio azevedo

Premiação

Premiação

Boranga recebe Prêmio azevedo Netto

Chico mendes:

prêmio sai dia 17

o ministério do meio Am-

biente vai divulgar no dia 17

de novembro os nomes dos vencedores da 5º edição do Prêmio Chico mendes de meio Ambiente. o prêmio foi criado em 2002 para valo- rizar e incentivar trabalhos voltados para a proteção do meio ambiente no bio- ma Amazônia. (Fonte: MMA)

eveNToS

eveNToS

Seminário discute ano do Saneamento

Será realizado em brasília, nos dias 4 e 5 de dezembro, o seminário “o brasil no Ano In- ternacional do Saneamento”, promovido pelo Conselho das Cidades e por diferentes insti- tuições federais que atuam na área do saneamento. mais in- formações no site www.cida-

des.gov.br/saneamento2008

PUBliCaçõeS

PUBliCaçõeS

mma lança sua revista interativa

o ministério do meio Am-

biente já tornou disponível na

internet a 3ª edição de sua revista eletrônica bimestral Coleciona. É aberta à co- laboração de seus leitores, no geral pessoas envolvidas com a questão ambiental.

A seção paulista da AbeS

vai conceder o Prêmio Pro-

fessor Azevedo netto 2008 a três personalidades ligadas ao setor de saneamento:

José Aurélio Boranga, ad- ministrador, ex-superinten- dente da Sa-

besp e ex-pre- sidente nacio- nal da AbeS;

A r i o v a l d o Carmignani, administrador, ex-presidente

da Sabesp; e

José Roberto

Campos, en-

genheiro civil

especialista

em tratamen-

águas.

A solenidade

será no dia 27 de novembro, às 19h, no Centro brasi- leiro britâni- co, no bairro de Pinheiros, capital de São Paulo.

do

to

ligados ao setor foram lem- brados pela AbeS/SP em sua premiação. o Prêmio Professor Azevedo netto é realizado a cada dois anos, distinguindo personalidades vivas ou entidades ligadas às áreas de saneamento, saúde e meio a m b i e n t e . o profes- sor José m a r t i n i a n o de Azevedo netto, patro- no do prêmio, foi mestre de inúmeros premiados e

formou cen- tenas de engenhei- ros sanitaristas em todo o país. na- tural de mococa, cidade do interior paulista, cursou a escola Politécnica, da Universidade de São Paulo, que dei- xou para trabalhar no departamento de Águas e esgo- tos de São Pau-

lo, onde atuou por muitos anos. Uma de suas vocações era dar aulas de matemática e estatística. Por isso, foi convidado em 1949 a lecionar na Facul- dade de Higiene e Saúde Pública, no curso de en- genharia Sanitária, da qual foi professor catedrático.

en- genharia Sanitária, da qual foi professor catedrático. José Aurélio Boranga UFCG Professor Azevedo netto de

José Aurélio Boranga

UFCG

qual foi professor catedrático. José Aurélio Boranga UFCG Professor Azevedo netto de A idéia prêmio surgiu

Professor Azevedo netto

de

A

idéia

prêmio surgiu

das conversas dos sócios da AbeS/SP no bar da entidade, há quase 20 anos. A primeira premia- ção foi em 1992, contem- plando os nomes de Arman- do Fonzari Pêra, otacílio Alves Caldeira e Samuel murgel branco. desde en- tão, quase 40 profissionais

nomes de Arman- do Fonzari Pêra, otacílio Alves Caldeira e Samuel murgel branco. desde en- tão,

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101  liXo aBeS pede urgência para

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101  liXo aBeS pede urgência para

liXo

liXo

aBeS pede urgência para resíduos Sólidos

em carta dirigida ao minis-

todos os envolvidos na ge-

sabilidade de cada ente do

tro do meio Ambiente, Carlos minc, o Comitê de resíduos Sólidos da AbeS e os parti- cipantes do IX Seminário na- cional de resíduos Sólidos,

ração dos resíduos sólidos, de forma a que se garanta a indução à sua redução. des- tacam que cidadãos, estado, setores industrial e comercial

processo, evitando detalhes e especificações que pode- rão perder o sentido a cada nova compreensão do pro- blema ou tecnologia criada.

realizado no final de outubro

e

catadores têm diferenças,

Lembrando o longo pro-

na cidade de Palmas, capital

e

que tais diferenças devem

cesso de discussão no Con-

do Tocantins, afirmam que o

ficar expressas na lei. O do-

gresso nacional e as mais

brasil se coloca em situação

cumento afirma, ainda, que

de 100 propostas de lei pro-

de atraso no setor de resíduos

o

país precisa de um projeto

tocoladas, os técnicos so-

sólidos por não ter votado ain- da o Projeto de Lei 1991/07. Para os técnicos reunidos em Tocantins, o país neces- sita de um projeto que aponte para a responsabilização de

enxuto, que crie os princípios e os meios para a sua aplica- ção, que se limite à instituição de princípios, como a logísti- ca reversa, a análise de ciclo de vida e os níveis de respon-

licitam o empenho pessoal do ministro Carlos minc na articulação política e insti- tucional para que a votação na íntegra do projeto se dê o mais rapidamente possível.

meio amBieNTe

 

Procurador quer veto a pneu usado

o procurador-geral da república, Antonio Fer- nando Souza, enviou ao Supremo Tribunal Federal

parecer contrário à impor- tação de pneus usados.

o

documento se refere à

ação em que o presiden-

te

da república, Luiz Iná-

cio Lula da Silva, pede ao STF que declare constitu- cionais todos os atos do Governo Federal que re- gulam as restrições à im- portação de pneus usados e casse decisões judiciais que permitem a prática usada pelos importado- res desse tipo de produto. (Fonte: Agência Brasil).

reCUrSoS hídriCoS

reCUrSoS hídriCoS

Cagece estanca águas perdidas

A Cagece - Companhia de Água e esgoto do Ceará conseguiu, nos últimos doze meses, uma economia de r$ 29,5 milhões com redução de perdas de água. Cerca de 27,5 milhões de metros cúbicos de água deixaram

de ser perdidos após o trata- mento. O volume é suficien- te para abastecer Fortaleza

e região metropolitana por

quase dois meses. Hoje, o índice de água não fatura- da é de 26,1%, abaixo dos números de 2006 (35,3%). entre as ações de com- bate estão sensores de ruí- dos, medidores eletromag- néticos e ultrassônicos de alta precisão para a macro- medição e redução da ida- de média do parque de hi- drômetros para três anos.

BolSa

BolSa

aidis abre inscrição para bolsa

O Instituto de Engenharia da Universidade do México e a Aidis estão lançando a 4º edição da bolsa do Instituto de engenharia da Unam em engenharia Ambiental, destinada a estudantes de en- genharia ambiental e recém-graduados. A data-limite para inscri- ção é 15 de dezembro. mais informações no site www.aidis.org.br

e recém-graduados. A data-limite para inscri- ção é 15 de dezembro. mais informações no site www.aidis.org.br

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 5 12/11/2008 ABES I N F

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 5 12/11/2008 ABES I N F

5

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 5 12/11/2008 ABES I N F

ABES I N F O R M A

101

ABES I N F O R M A 101 5 12/11/2008 ABES I N F O

6

EvENtoS

EvENtoS

ABES entrega prêmios do XII PNQS dia 18

O Comitê de Qualidade da ABES vai

fazer a entrega, no dia 18 de novem- bro, de troféus, medalhas e certifica- dos às empresas e pessoas selecio- nadas para a XII edição do Prêmio Na- cional da Qualidade em Saneamento.

A presidente da ABES, Cassilda Tei-

xeira de Carvalho, que também co- ordena o PNQS, diz no editorial “A palavra da presidente”, desta edição, que a premiação tem sido respon-

sável nos últimos anos por “profun- das mudanças na gestão do setor”.

A Medalha

Quíron, que inspira a medalha do PNQS, era, na mitologia grega, um centauro considerado superior por seus próprios pares. Inteligente, ci- vilizado, bondoso e célebre por seu conhecimento e habilidade. Foi aco- lhido e educado por Apolo (Sol) e Ar- temis (Lua) e recebeu deles os ensi- namentos que o tornaram um grande sábio; estudou uma ampla varieda- de de assuntos desde artes, músi- ca, poesia, filosofia, lógica, ciência, ética, artes marciais, artes divinató- rias e profecias, incluindo astrologia.

A premiação

Acerimônia de premiação será realiza-

da às 20h no Centro de Eventos do Ho-

tel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Durante o dia, no mesmo local, será re- alizado um seminário de benchmark.

Ho- tel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Durante o dia, no mesmo local, será re-
Ho- tel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Durante o dia, no mesmo local, será re-
Ho- tel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Durante o dia, no mesmo local, será re-
Ho- tel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Durante o dia, no mesmo local, será re-

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 7 SaNeameNTo rUral Cassilda participa de

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 7 SaNeameNTo rUral Cassilda participa de

7

SaNeameNTo rUral

SaNeameNTo rUral

Cassilda participa de seminário em Bh

reCUrSoS hídriCoS

reCUrSoS hídriCoS

dmae de P. alegre debate reúso

A Universidade Corporati-

va do dmae de Porto Alegre promoveu na semana passa- da, na capital gaúcha, um se- minário sobre projetos, equi- pamentos e aplicações práti- cas de reúso de água. Pela manhã, falou a engenheira e professora da Unicamp ma- rina Sangoi de oliveira Ilha sobre “Conservação de Água em edifícios”. Para a pro- fessora, ao reutilizar a água, é importante atentar para a responsabilidade quanto à qualidade. “deve haver um sistema de gestão para mo- nitorar a qualidade e impe- dir que apareçam problemas de saúde pública” explica. no início da tarde, o enge- nheiro Paulo Garcia, vice-pre- sidente do Sinduscon - Sindi- cato da Indústria da Constru- ção Civil do rio Grande do Sul, falou sobre utilização da água da chuva. disse que “o uso de fontes alternativas de água é bom quando se tem gestão da operação, área de

captação e custo adequados para que o projeto seja viável”.

A última apresentação foi

do administrador João Car- los Farias, da docol metais Sanitários, que desenvol- veu o tema “Tecnologias para o Consumo racional da Água em Edificações”.

A presidente nacional da ABES, Cassilda Teixeira de

Carvalho, participou em belo Horizonte, na semana pas- sada, do Iv Seminário na- cional de Saneamento rural, promoção conjunta da seção mineira da AbeS e do Comi-

tê Técnico de Saneamento

rural da AbeS nacional. nos três dias do evento foram re- alizadas sete palestras e dez mesas redondas, além da exibição

de pôsteres com

conceitos, tecno- logias e experi- ências de profis-

sionais ou insti- tuições relaciona- dos com o tema. numa das me- sas redondas foi apresentado

o Programa de

desenvolvimento Sustentável do Semi-Árido bra- sileiro, viabiliza- do pela Copasa

e pelo Igam - Instituto minei-

ro de Gestão das Águas. o

programa, que tem um hori- zonte de 30 anos, prevê im- plantação ou melhorias de sistemas de abastecimento

de água, coleta e tratamento

de esgoto doméstico, além da adoção da coleta e des- tinação adequada do lixo.

na avaliação do presidente

da AbeS/mG, márcio Pedro-

sa, o seminário mostrou os trabalhos desenvolvidos no

estado, bem como a neces- sidade de integrar os proces- sos. “mesmo que as soluções sejam regionais, a gestão tem que ser integrada e mais par- ticipativa”, afirmou. Ele ressal- tou que o saneamento rural tem um componente impor- tante, que é o de proporcio- nar mais qualidade de vida para as pessoas que vivem no campo. “Tendo melhores condições para viver nessas comunida- des, elas se fixam nas áreas rurais e não mi- gram para os centros urbanos”, concluiu. Para a coordenado- ra geral do seminário, mônica bicalho, da Copasa, o encontro foi uma oportunidade ímpar para reunir os 13 representantes do Comitê nacional de Saneamento rural da AbeS e disseminar os programas e as tecnologias empre- gadas nas ações desenvolvi- das pelo setor. Para ela, reunir todos esses técnicos com ór- gãos como ministérios da Ci- dade, da Integração nacional, meio Ambiente, desenvolvi- mento Social e banco mundial (bird), entre outros, foi uma forma de mostrar e conscienti- zar sobre a importância desse trabalho e a necessidade de unir forças para solucionar o problema de saneamento nas áreas rurais. (Fonte: Copasa).

trabalho e a necessidade de unir forças para solucionar o problema de saneamento nas áreas rurais.

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 8 reCUrSoS hídriCoS aqüífero atrai atenção

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 8 reCUrSoS hídriCoS aqüífero atrai atenção

8

reCUrSoS hídriCoS

reCUrSoS hídriCoS

aqüífero atrai atenção de países africanos

Além de representantes de oito estados brasileiros e dos três países da América Latina da área de abrangência do Aqüífero Guarani, três países africanos – nigéria, Tunísia e África do Sul – mandaram re- presentantes ao II Congresso

do aqüífero, encerrado na sex- ta-feira (7) em ribeirão Pre-

to (SP). os países africanos

estão interessados na gestão de aqüíferos transfronteiriços.

os organizadores do even-

to vão consolidar, com as contribuições feitas pelos 450 participantes, um documento intitulado “Carta de ribeirão Preto”, a ser encaminhado aos órgãos gestores dos pa- íses de abrangência do aqüí- fero para colaborar na elabo- ração de políticas de utiliza- ção e ações de preservação. entre os temas debatidos estão: o modelo conceitual,

emPreSaS

emPreSaS

Cesan mostra maquete que interage

Todos já ouvimos que se aprende mais com a prática

do que com a teoria. A Cesan levou a sério essa máxima

e apresentou uma maquete

interativa em tamanho real na 19ª Feira do verde, que

água e de esgoto em salas

com projeções de imagens.

o estande tem 200m² e

área, além de tubulações de grandes diâmetros, prédios e ruas. Após passar pelo sub- terrâneo da cidade, o visitan- te conhece um ver- dadeiro canteiro de obras de implanta- ção de redes. Tam- bém pode caminhar pelas ruas de duas cidades simuladas e comparar uma com sistemas de sanea- mento e outra sem.

Com a interativi-

dade, a Cesan bus- cou dar a dimensão da im- portância dos investimentos que realiza na ampliação da oferta dos serviços de água e coleta e tratamento de es- goto, além dos benefícios que trazem para a população.

goto, além dos benefícios que trazem para a população. maquete interativa atraiu multidões na feira abriu

maquete interativa atraiu multidões na feira

abriu na terça-feira (11), na Praça do Papa, em vitória. os visitantes tiveram contato com os sistemas de sanea- mento e com trabalhadores reais, além de conhecer os processos de tratamento de

funcionamento e potenciali- dades do Aqüífero Guarani; a participação indígena na pre- servação do aqüífero; diretri- zes de utilização sustentável e proteção; e planos de ações estratégicas para gestão. o diretor de recursos Hí- dricos do ministério do meio Ambiente, João Bosco Senra, participou do encerramento do congresso, que discutiu

os novos conhecimentos ob-

tidos nos estudos realiza- dos, abrangendo a área de

ocorrência, potencialidades

e condições de utilização

do aqüífero. o I Congresso Aqüífero Guarani ocorreu em 2006 na cidade de Campo Grande (mS). (Fonte: MMA)

NovoS SóCioS

NovoS SóCioS Clarissa Cunha felix (Ba), Cristiana monteiro dos Santos (Go), fabiano Palhares Silva (mG), fernando

Clarissa Cunha felix (Ba), Cristiana monteiro dos Santos (Go), fabiano Palhares Silva (mG), fernando João rodrigues de Barros (Pr), José victor Costa alecrim Neto (rr), luís Carlos Sebalhos marasca (rS), maria de fátima Gomes lawisch (rr), micheli Schiavini (SC), Názara marcela Souza do Nascimento (rr), Nestor alves dias Neto (Go) rogério martins Campos (rr) e Sérgio antonio martini (rS)

12/11/2008

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 9 arTiGo liquidação ambiental Engº Álvaro

ABES I N F O R M A

101

12/11/2008 ABES I N F O R M A 101 9 arTiGo liquidação ambiental Engº Álvaro

9

arTiGo

arTiGo

liquidação ambiental

Engº Álvaro Menezes*

no dia 24 de outubro, os meios de comunicação mos- traram o presidente Lula as-

sinando, com os ministros da Agricultura e meio Ambiente,

o decreto que dispõe sobre

as infrações e sanções ad- ministrativas para quem co-

meter qualquer dano contra a fauna, a flora ou provo- car poluição que resulte em prejuízo para a saúde humana ou que cause a

mortandade de animais. É sempre salutar re- visar as leis brasileiras, não só por serem pouco utilizadas e freqüente- mente desrespeitadas, mas, também, por se- rem elaboradas muitas vezes apenas para pro- paganda de políticos. o que preocupa no caso deste decreto ambiental é que as modificações não foram feitas para fortalecer a proteção,

a conservação e a preser-

vação da fauna e da flo- ra, independentemente de existirem ou não espécimes ameaçadas ou em extinção. Segundo o ministro da Agricultura, o motivo das modificações foi permitir o abrandamento das punições

para beneficiar os pequenos

e médios produtores rurais,

que não teriam condições de cumprir o decreto original e corriam o risco de parar de produzir. Parar de produzir?

Aqui está o ponto chave de uma história mal contada. Ao reduzir excessivamente o va- lor das multas e flexibilizar a aplicação das sanções admi- nistrativas, o que o governo estabeleceu foi a liquidação do meio ambiente no brasil, pois, a preços módicos, será

cultura familiar, os assenta- mentos do InCrA e outras propriedades privadas que se beneficiarão das novas medidas, o meio ambiente foi esquecido e os resultados

já tão visíveis da degradação

ambiental no brasil serão justificados por estatísticas discutíveis de gera- ção de renda para os pobres agricultores, levados ao sabor de incompetências e fal- ta de interesse em se resolver o problema do campo no brasil. não é justo utilizar as reclamações, mui- tas vezes apropria- das, dos pequenos produtores rurais, pa- ra inviabilizar a vida em algumas regiões, intensificando a de- sertificação, o fim das matas e dos rios. na verdade, se os gas- tos públicos do Executivo

e do Legislativo fossem ra-

cionais, seria possível, com certeza, investir em políticas

e ações de agricultura sus- tentável também para pe-

quenos produtores, preser- vando a vida e protegendo

o meio ambiente para o uso

de todos, tanto no campo, quanto nas zonas urbanas.

o uso de todos, tanto no campo, quanto nas zonas urbanas. possível destruir fauna e flo

possível destruir fauna e flo- ra, poluir os recursos hídricos e explorar indevidamente os recursos naturais, pagando as multas com o dinheiro re- sultante da “atividade de des- truição do meio ambiente”. não se pode conside- rar que o presidente Lu- la e seus ministros sejam ingênuos, ou que tenham tratado o caso com o co- ração, em vez da razão. A mensagem que fica é clara: para viabilizar a agri-

(*) É diretor Nordeste da ABES.