Projeto Pedagógico do Curso de Formação Inicial e Continuada ou Qualificação Profissional em

Almoxarife
na modalidade presencial

. de 29/04/2013.Projeto Pedagógico do Curso de Formação Inicial e continuada ou Qualificação Profissional em Almoxarife na modalidade presencial Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Projeto aprovado pela Deliberação nº 38/2013-CONSPEX/IFRN.

Belchior de Oliveira Rocha REITOR José de Ribamar Silva Oliveira PRÓ-REITOR DE ENSINO Régia Lúcia Lopes PRÓ-REITORA DE EXTENSÃO Otávio Augusto de Araújo Tavares COORDENAÇÃO GERAL DO PRONATEC/IFRN COMISSÃO DE ELABORAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO: Marcus Vinicius Dantas de Assunção Renata Lissa Soares da Silva Laíze Fernandes de Asevedo Juarina Ana da Silveira Marcus Vinicius Dantas de Assunção COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA REVISÃO TÉCNICO-PEDAGÓGICA Rejane Bezerra Barros Juarina Ana Silveira REVISÃO LINGUÍSTICO-TEXTUAL COLABORAÇÃO: Iria Caline Saraiva Cosme André Luiz Ferreira de Oliveira Alex Wagner Pereira .

2. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO 110 121 132 13 14 10. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 2. INDICADORES METODOLÓGICOS 7. na modalidade presencial IFRN.1.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. OBJETIVOS REQUISITOS E FORMAS DE ACESSO PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO 6 _____ 6 6 8 8 7 7 8 9 9 6. 8. DIRETRIZES CURRICULARES E PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS 6. CERTIFICADOS E DIPLOMAS REFERÊNCIAS ANEXO I – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO FUNDAMENTAL ANEXO II – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO ARTICULADOR ANEXO III – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO ARTICULADOR 15 17 4 . 4. JUSTIFICATIVA 3. ESTRUTURA CURRICULAR 6. 5. 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 5 1. 9.3. 6.

almeja-se propiciar uma formação humana e integral em que o objetivo profissionalizante não tenha uma finalidade em si. os pressupostos teóricos. competente técnica e eticamente e comprometida com as transformações sociais. O presente documento constitui do projeto pedagógico do curso de formação inicial e continuada (FIC) em Almoxarife. metodológicos e didático-pedagógicos estruturantes da proposta do curso em consonância com o Projeto Político-Pedagógico Institucional. Em todos os elementos estarão explicitados princípios. no Decreto n.513/11. dentro do Eixo Tecnológico de Gestão e Negócios. a ampliação de sua leitura de mundo e a participação efetiva nos processos sociais. Em todos os elementos estarão explicitados princípios. portanto. na modalidade presencial. visando à formação do profissional-cidadão crítico-reflexivo.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. na Lei n.741/08. 2005). metodológicos e didático-pedagógicos estruturantes da proposta do curso em consonância com o Projeto Político-Pedagógico Institucional. os pressupostos teóricos. CIAVATTA e RAMOS. na modalidade presencial IFRN. Estão presentes. como marcos orientadores. Este curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. Este projeto pedagógico de curso se propõe a contextualizar e a definir as diretrizes pedagógicas para o respectivo curso no âmbito do Instituto Federal do Rio Grande do Norte. as decisões institucionais traduzidas nos objetivos da instituição que assume uma compreensão da educação como uma prática social que se materializa na função social do IFRN de promover educação científicotecnológico-humanística. mas se constitui em uma possibilidade para a construção dos projetos de vida dos estudantes (FRIGOTTO. 12. na modalidade presencial aspira “uma formação que permita a mudança de perspectiva de vida por parte do aluno. 2009. 5 . Este documento apresenta.154/04.” (BRASIL. a compreensão das relações que se estabelecem no mundo do qual ele faz parte. Consubstancia-se em uma proposta curricular baseada nos fundamentos filosóficos da prática educativa progressista e transformadora.394/96 e atualizada pela Lei nº 11. categorias e conceitos que materializarão o processo de ensino e de aprendizagem destinados a todos os envolvidos nesta práxis pedagógica. 5). p. nem seja orientado pelos interesses do mercado de trabalho. no Guia PRONATEC de Cursos FIC e demais resoluções que normatizam a Educação Profissional brasileira. 5. explicitadas na LDB nº 9. 2013 APRESENTAÇÃO Este documento apresenta. Dessa forma. mais especificamente a que se refere à formação inicial e continuada ou qualificação profissional. categorias e conceitos que materializarão o processo de ensino e de aprendizagem destinados a todos os envolvidos nesta práxis pedagógica. nas bases legais da educação profissional e tecnológica brasileira. políticas e culturais. portanto. também.

2013 Dessa maneira. traçando metas e definindo atividades que poderão se transformar em propostas comunitárias. busca-se contribuir para a formação de profissionais em condições de atuar no mundo do trabalho. na perspectiva da edificação de uma sociedade mais justa e igualitária. para a elaboração de propostas de projetos sociais para as comunidades onde atuem.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. dentro deste primeiro nível de oferta de educação profissional e tecnológica. conforme estabelece o Decreto supracitado. na modalidade presencial IFRN. A sua principal área de atuação é no setor de estoques na indústria e no Comércio. 6 .

2. que atualmente conta com funcionários de carreira que terminam por ingressarem nesse setor das organizações sem qualificação adequada. faz-se necessária uma formação sólida de mão-de-obra capaz de absorver as demandas iminentes advindas do mercado. na modalidade presencial IFRN. OBJETIVOS O Curso de Formação Inicial e continuada em Almoxarife tem como objetivo geral a formação de profissionais capazes de planejar. através do PRONATEC.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. Os objetivos específicos do curso compreendem:   Habilitar profissionais para trabalharem com planejamento e leitura de leiaute de uma planta de almoxarifado. no estudo de Sondagem Industrial realizado no Rio Grande do Norte. 3. JUSTIFICATIVA No âmbito do estado do Rio Grande do Norte. em situação de vulnerabilidade social. na modalidade presencial. o IFRN. 7 .(2011). ratifica a importância do curso Inicial em Almoxarife como uma possibilidade de preencher lacunas provenientes da falta desse tipo de profissional que o mercado espera e exige. A partir do surgimento de novas tecnologias e das crescentes inovações e. Tendo em vista uma melhoria nos quadros profissionais que habitam os diversos setores da indústria e dos serviços em nosso estado.FIERN. controlar saídas e entradas de mercadorias como também inspecioná-las em ambientes industriais e obras. a oferta do Curso Inicial e Continuada de Almoxarife contribuirá para reduzir a falta de trabalhadores qualificados nessa área. 2013 1 . IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O presente documento constitui o projeto pedagógico do Curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) em Almoxarife. destoando da importância que deveria ser dada às atividades de Gestão desenvolvidas nessa função. principalmente. Aplicar os conhecimentos da Gestão de Operações e Estoques no dia a dia operacional de um almoxarifado. a carência de trabalhadores qualificados nesse Estado ocorre nas mais diferentes áreas e categorias profissionais e acaba reduzindo a competitividade dos produtos potiguares no Brasil e no exterior. Segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte. diante do acirramento competitivo que as empresas enfrentam atualmente.

Criar. socializadas para a comunidade. Contar mercadorias e analisar produtos com defeito que fogem aos critérios de qualidade.1. Endereçar as mercadorias. através do PRONATEC. 5. deve apresentar um perfil que o habilite a ingressar e permanecer no mundo de trabalho de modo a desempenhar as seguintes atividades:       Ser capaz de controlar e classificar os produtos ou mercadorias dentro da planta do almoxarifado. em ocupações que tenham legislação própria. por critérios definidos em conjunto com entidades demandantes. de forma a permitir a acessibilidade ao processo de seleção a todos os que preencherem as condições mínimas legais estabelecidas. REQUISITOS E FORMAS DE ACESSO O acesso ao Curso de Formação Inicial e Continuada de Almoxarife. oferecido pelo IFRN. como também. está organizada por disciplinas em regime modular. quando for o caso.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. totalizando 05 disciplinas distribuídas em três módulos. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO 6. destinado ao público característico do PRONATEC. 2013  Possibilitar a utilização de planilhas para um melhor controle do Almoxarifado. com carga-horária total de 160 horas. tem como forma de acesso por processo seletivo o nível de escolaridade mínima estabelecido no Guia PRONATEC de Cursos FIC. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO O concluinte do Curso de Almoxarife. 6. preencher e consolidar planilhas e/ou fichas de controle. ESTRUTURA CURRICULAR A matriz curricular do curso FIC em Almoxarife. catalogando-as sob registros. Ler leiautes de almoxarifado para implantação destes. Alimentar sistemas e planilhas referentes ao controle de mercadorias. na proporção de um mês para cada módulo. no eixo tecnológico de Gestão e Negócios. Quadro 1 – Matriz curricular do Curso de Formação Inicial e continuada em Almoxarife 8 . na modalidade presencial IFRN. executar pequenos leiautes de almoxarifados de baixa complexidade. na modalidade presencial. 4. O Quadro 1 descreve a matriz curricular do curso e os Anexos I a III apresentam as ementas e os programas das disciplinas.

tecnológicas. Para a organização da hora/aula com 45 min. como expressão coletiva. na modalidade presencial.2. A aprendizagem é um processo de construção de conhecimento. defasagem entre o perfil de conclusão do curso. devendo ser avaliado periódica e sistematicamente pela comunidade escolar. sociais e culturais. DIRETRIZES CURRICULARES E PROCEDIMENTOS PEDAGÓGICOS Este projeto pedagógico de curso deve ser o norteador do currículo no Curso FIC em Almoxarife. 2013 DISCIPLINAS Carga-horária por módulo/período 1º 2º 3º Hora/ aula Hora Núcleo Fundamental Matemática Subtotal de carga-horária do núcleo fundamental Núcleo Articulador Informática Subtotal de carga-horária do núcleo articulador Núcleo Tecnológico Interpretação e planejamento de Leiaute Gestão de Almoxarifado e Operações Gestão de Estoques Subtotal de carga-horária do núcleo tecnológico Total de carga-horária de disciplinas 24 24 24 24 24 24 24 24 24 48 0 48 48 48 40 64 64 24 48 40 112 160 Observação: A hora/aula considerada possui 60 minutos. seus objetivos e sua organização curricular. partindo dos conhecimentos prévios dos alunos. 6.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. deve-se considerar a equivalência de 75% de 60 minutos. portanto. na modalidade presencial IFRN. de acordo com a Resolução n. os professores formatam estratégias de ensino de maneira a articular o conhecimento do senso comum e o conhecimento acadêmico. 2) resultantes das exigências decorrentes das transformações científicas. construindo-se como cidadãos e profissionais responsáveis. As alterações propostas e aprovadas pelos Conselhos competentes. apoiados por uma comissão avaliadora com competência para a referida prática pedagógica. Assim. 023/2012-FNDE.. 9 . que demonstrem a impossibilidade de o Curso atender aos interesses da sociedade. em que. Caracteriza-se. a avaliação da aprendizagem assume dimensões mais amplas. mediante avaliações sistemáticas (anuais). devem ser: 1) implementadas sempre que se verificar. ultrapassando a perspectiva da mera aplicação de provas e testes para assumir uma prática diagnóstica e processual com ênfase nos aspectos qualitativos. permitindo aos alunos desenvolver suas percepções e convicções acerca dos processos sociais e os do trabalho.

 Problematizar o conhecimento. atividades individuais e. que resultem na construção de uma postura técnica e eticamente comprometidas com a melhoria da sociedade.   Elaborar materiais impressos a serem trabalhados em aulas expositivas dialogadas e atividades em grupo. tais como:  Elaborar e executar o planejamento. orientando-os na (re) construção dos conhecimentos escolares. Para tanto. incentivando-o a buscar a confirmação do que estuda em diferentes fontes. da vinculação entre educação e trabalho. faz-se necessária à adoção de procedimentos didático-pedagógicos que auxiliem os alunos nas suas construções intelectuais. 6. os professores. a gestão dos processos pedagógicos deste curso orienta-se pelos seguintes princípios:       da aprendizagem e dos conhecimentos significativos. seus interesses. na modalidade presencial IFRN.  Entender a totalidade como uma síntese das múltiplas relações que o homem estabelece na sociedade. articulando e integrando os conhecimentos de diferentes áreas do conhecimento. sem esquecer de considerar os diferentes ritmos de aprendizagens e a subjetividade do aluno. ministrando-as de forma interativa por meio do desenvolvimento de projetos. e da avaliação como processo. além de observar os seus conhecimentos prévios. seminários. da interdisciplinaridade. condições de vida e de trabalho. sendo recomendável considerar as características específicas dos alunos. 10 . em alguns momentos. INDICADORES METODOLÓGICOS A metodologia é um conjunto de procedimentos empregados para atingir os objetivos propostos. da construção coletiva do conhecimento. registro e análise das aulas realizadas.3.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. O trabalho coletivo entre os professores é fundamental para a construção de práticas didático-pedagógicas integradas. do respeito ao ser e aos saberes dos estudantes. atividades em grupo. debates. 2013 Nesse sentido. assessorados pela equipe técnico-pedagógica. procedimentais e atitudinais. Para tanto. Utilizar recursos tecnológicos para subsidiar as atividades pedagógicas. deverão desenvolver aulas que explicitem a relação entre o mundo do trabalho e a realidade específica do contexto social.

com a inclusão de atividades contextualizadas. DVD player. aos trabalhos escolares. equipamentos específicos e acervo bibliográfico e de multimídia. Quadro 3 – Quantificação e descrição das instalações necessárias ao funcionamento do curso. televisor 29”. Qtde. condicionador de ar. prevalecendo os aspectos qualitativos sobre os quantitativos.394/96.    A manutenção de diálogo permanente com o aluno. 11 . A avaliação do desempenho escolar é feita por disciplinas. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação deve ser um processo que funcione como instrumento colaborador na verificação da aprendizagem. sistema de caixas acústicas e microfones. notebook. instalação e bibliografia necessários ao funcionamento do Curso de Almoxarife. na modalidade presencial IFRN.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. Quanto ao acervo da biblioteca deve ser atualizado com no mínimo cinco referências das bibliografias indicadas nas ementas dos diferentes componentes curriculares do curso. 2013 7. que devem ser integrados aos saberes sistematizados do curso. 01 01 01 Espaço Físico Salas de Aula Sala de Audiovisual Auditório 01 Biblioteca Descrição Com 40 carteiras. disponibilidade para utilização de notebook com projetor multimídia. aos exercícios de aplicação e atividades práticas) e aproveitamento (acompanhamento contínuo dos estudantes e dos resultados por eles obtidos nas atividades avaliativas). Observação das características dos alunos e seus conhecimentos prévios. projetor multimídia. Consenso sobre os critérios de avaliação a serem adotados e cumprimento do estabelecido. Para isso. Com espaço de estudos individual e em grupo. sendo disponibilizado apoio pedagógico para aqueles que têm dificuldades. “Com 60 cadeiras. assumindo feições de uma prática diagnóstica e processual com ênfase nos aspectos qualitativos em vez dos aspectos meramente quantitativos. computador. deve contemplar os seguintes aspectos:  A adoção de procedimentos de avaliação contínua e cumulativa. considerando aspectos de assiduidade (frequência às aulas teóricas. projetor multimídia. Com 160 lugares. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Os quadros 3 a 4 apresentam detalhamentos referentes a equipamentos. sendo os critérios de verificação do desempenho acadêmico dos estudantes tratados pelo Regulamento dos Cursos FIC do IFRN. conforme as diretrizes da LDB Lei nº 9. 8.

ferramentas. switch para conexão de rede. 25 Cadeiras brancas sem braço. Quadro 5 – Pessoal docente necessário ao funcionamento do curso. respectivamente. Monitor LCD de 17 24 polegadas. o pessoal docente e técnicoadministrativo necessários ao funcionamento do Curso.4kW 1 Condicionador de ar Laboratório de informática 9.5 2. correspondente ao Quadro 1. Memória RAM de 3 GB. Especificações Computadores com a seguinte configuração mínima: Processador Core2 Duo de 2. estabilizador de tensão. tela de projeção.0 1. softwares instalados. software e projetor multimídia. PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO Os Quadros 5 e 6 descrevem. Descrição Professor com licenciatura plena em Matemática Professor com graduação na área de Arquitetura Professor com graduação na área de Informática Professor com graduação na área de Engenharia de Produção ou com Tecnólogo em Logística Total de professores necessários Qtde. Teclado Padrão ABNT2. aparelho de ar condicionado e iluminação de emergência. Quadro 4 – Equipamentos para o Laboratório de Informática Área (m2) m2 por estação m2por aluno 50.0 Descrição (materiais. tomando por base o desenvolvimento simultâneo de uma turma para cada período do curso. cadeiras e bancadas individuais para os alunos. Disco rígido de 250GB. 01 01 01 05 08 12 . mesa e cadeira para o professor.0GHz. Drive Gravador de CD/DVD de 52x. quadro branco. e/ou outros dados) Laboratório de uso específico utilizado por alunos a professores para o desenvolvimento das unidades curriculares do curso FIC de auxiliar de Eletricidade. softwares e aplicativos necessários às disciplinas de formação profissional.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. 2013 01 01 Laboratórios de Informática Laboratório de Almoxarifado Com 20 máquinas. Com materiais diversos e estantes para que se possa mostrar na prática como se deve operacionalizar um almoxarifado. projetor multimídia. Equipamentos (hardwares instalados e/ou outros) Qtde. em plástico reforçado 24 Mesa de trabalho retangular com tampo reto para computador 1 Mesa de escritório 1 Quadro branco 1 Projetor multimídia 3000 lúmens 1 Estabilizador: potência de saída de no mínimo 8KVA / 6. na modalidade presencial IFRN. Mouse Óptico. Os computadores devem dispor de sistema(s) operacional(is). Este laboratório deve dispõe de: computadores.

Total de técnicos-administrativos necessários Qtde. 01 01 01 01 02 06 10. organizar e definir demandas dos laboratórios de apoio ao Curso. Descrição Apoio Técnico Profissional de nível superior na área de Pedagogia. para assessoria técnica ao coordenador de curso e professores. será conferido ao egresso o Certificado de Almoxarife. na modalidade presencial.Pessoal técnico-administrativo necessário ao funcionamento do curso. CERTIFICADOS Após a integralização dos componentes curriculares que compõem o Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. organizar e definir demandas dos laboratórios de apoio ao Curso. Profissional técnico de nível médio/intermediário na área de Informática para manter. no que diz respeito às políticas educacionais da instituição. Profissional técnico de nível médio/intermediário na área de Logística para manter. 2013 Quadro 6 . e acompanhamento didático pedagógico do processo de ensino aprendizagem. Profissional de nível médio/intermediário para prover a organização e o apoio administrativo da secretaria do Curso. Apoio Administrativo Profissional de nível superior na área administrativa para apoio as ações educacionais.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. na modalidade presencial IFRN. 13 .

2013 REFERÊNCIAS BRASIL. Científica e Tecnológica. LIPMAN.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. 14 . Institui a Rede Federal de Educação Profissional. que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. cria os Institutos Federais de Educação. de 23 de julho de 2004.513 de 26/10/2011. 2002. Natal: CEFET-RN. Rio de Janeiro: Paz e Terra. Regulamenta o § 2º do art. ZABALA. Ciência e Tecnologia e dá outras providências. n° 1. _________. Natal: CEFET-RN. Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC). Decreto Nº 5. Lei nº 11. Brasília/DF: 2011. Brasília/DF: 1996.394. São Paulo: Sumus Editorial.892 de 29/12/2008..falta de trabalhador qualificado na indústria potiguar. 36 e os arts. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. _________. Sondagem Industrial. Ano 7.154. na modalidade presencial IFRN. Paulo. e dá outras providências. Sondagem Especial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação .394 de 20/12/1996. 39 a 41 da Lei nº 9. Enfoque Globalizador e Pensamento Complexo: uma proposta para o currículo escolar. FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – FIERN. Brasília/DF: 2004. 2005. Lei no. 12. Antoni. CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE. _________. Brasília/DF: 2008. 1999. FREIRE. Lei nº 9. de 20 de dezembro de 1996. abr. Projeto de reestruturação curricular.1994. A Filosofia Vai à Escola. Matthew. Pedagogia do oprimido. _________. Projeto político-pedagógico do CEFET-RN: um documento em construção. 2011. Porto Alegre: Artmed. 1990.

sínteses. 2013 ANEXO I – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO FUNDAMENTAL Curso: Formação Inicial e Continuada em Almoxarife Disciplina: Matemática Básica Carga-Horária: 24 horas EMENTA Números Naturais. 2004. relação com números decimais.  Trabalhos individuais e em grupo. velocidade. FÁVARO. termos. Gelson.Proporção: definição. individuais e em grupo. Bibliografia Básica 1. projetor multimídia. proporção e escala de redução e regra de três. Razão. Osmir. inteiros e fracionários. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) Números Naturais: escrita e leitura . área. SCHWERTL. 15 . IEZZI. . Recursos Didáticos Quadro branco. seminários e avaliações individuais. na modalidade presencial IFRN. Procedimentos Metodológicos  Aula dialogada.Números Inteiros: representação. Noções de lógica e matemática básica. significado e operações . 8ed. São Paulo: Atual.Razão: definição. operações . Volumes PROGRAMA Objetivos Revisar os conceitos fundamentais da matemática a fim de aplicá-los durante o curso. volume. massa e tempo. Unidades de medidas. Fundamentos de matemática elementar.Unidades de Medidas: comprimento. 2005 Bibliografia Complementar 1. capacidade. 2. 2008. razões especiais(escala.  Avaliação escrita.Números Fracionários: representação. Samuel. KMETEUK FILHO. HAZZAN. Avaliação Será contínua considerando os critérios de participação ativa dos alunos no decorrer das aulas expositivas. Rio de Janeiro: Ciência Moderna. Áreas das figuras planas: quadrado. diretamente e inversamente proporcional.1.Regra de três: regra de três simples e composta. Blumenau/SC: Edifurb. termos e propriedades. na produção de trabalhos acadêmicos: trabalhos escritos e orais.  Palestra e debate. círculo. v. laboratório. retângulo. triângulo. Simone Leal. Matemática Básica. Silvio.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. densidade demográfica) . Áreas das figuras planas. .

Operar softwares aplicativos. ISBN 978-85-365-0128-4. Listas. Peter. Introdução à informática. São Paulo: Érica.5.4. 2007.2.8. MANZANO. 5. tabulação. Relacionar e descrever soluções de software para escritório. 3. São Paulo: Érica.5..3. Marcelo.4. São Paulo: Pearson Makron Books.3. despertando para o uso da informática na sociedade. Sistemas operacionais existentes 2. além de navegadores e ferramentas de pesquisa na Web.     1. 2008. Operar soluções de softwares para escritório. Bibliografia Complementar 16 . para uso pessoal e profissional. Fazendo Fórmula e aplicando funções 4.3. tanto para uso pessoal quanto uso profissional. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) Introdução à Informática Sistemas operacionais 2. Recuos. Ligar e desligar o computador 2. Controles de exibição 3.1.7.2.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. Área de trabalho 2. Inserção de quebra de página 3. il. Formatando células 4. marcadores e numeradores 3.3. 2. Informática: conceitos e aplicações. 3.3. Estudo dirigido de informática básica. 2013 ANEXO II – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO ARTICULADOR Curso: Formação Inicial e Continuada em Almoxarife Disciplina: Informática Básica Carga-Horária: 24h EMENTA Identificar componentes lógicos e físicos do computador.2. 2. processamento.9. Nomear. saída e armazenamento. G. Maria Izabel N. espaçamentos e margens 3. gravar e encerrar sessão de trabalho 3. Avaliação Trabalhos individuais e em grupo (listas de exercícios. 250 p.1. Pio Armando. MANZANO.1. Visão geral 4. Interfaces de interação 2. Recursos Didáticos Quadro branco. Gráficos Noções de Internet Procedimentos Metodológicos Aulas teóricas expositivas. il.      1.4.6.3.2.1. Utilização de um sistema operacional 2. 4. Figuras e objetos Software de planilha eletrônica 4.3.3. parágrafos. Gerenciamento de pastas e arquivos Software de edição de texto 3. 619 p. Fundamentos e funções 2. ISBN 978-85-346-05151. Aulas práticas em laboratório. estudos dirigidos. André Luiz N. ed. 2008. Operar softwares utilitários. 7. NORTON. Digitação e movimentação de texto 3. Utilizando formatação condicional 4. 3. computador. il.ed. Identificar os tipos de software. projetor multimídia. na modalidade presencial IFRN. PROGRAMA Objetivos Identificar os componentes básicos de um computador: entrada. G. Correção ortográfica e dicionário 3. Visão geral e formatação básica 3. pesquisas) Bibliografia Básica MARÇULA. 406 p. ISBN 978-85-365-0053-9. BRNINI FILHO.

. L. LibreOffice para Leigos.org/ Apostilas e estudos dirigidos desenvolvidos por professores da área de Informática do IFRN 17 . São Paulo: Cosac Naify. H. 192 p. ed. JOHNSON. 5. 407 p. ed. 4. A. CAPRON. Fernando de Castro. il. 350 p. 3. ISBN 978-8587918-88-8. 2. GLENWRIGHT. Fique por dentro da internet.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. 2001. 2013 1. Disponível em http://www. Rio de Janeiro: Elsevier. 8. ISBN 85-7503-037-X. 7. na modalidade presencial IFRN. Informática: conceitos básicos. il. Jerry. J. ISBN 85-352-1536-0. 2004. São Paulo: Pearson. VELLOSO.brofficeparaleigos. Klaibson Natal Ribeiro. 2004. il. BORGES. Introdução à informática.

Escalas e cotagens. individuais e/ou em grupo. Bibliografia MONTENEGRO. 1. d) Caligrafia técnica. fachadas e elevações. através da análise de trabalhos práticos específicos. Representações do Projeto Arquitetônico a) Plantas b) Cortes c) Fachadas e elevações 1.  Conhecer elementos básicos do desenho arquitetônico. c) Apresentação da folha de desenho técnico. 2001.  Maquetes físicas e protótipos de edificações.  Palestras técnicas e/ou seminários. 2013 ANEXO III – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO TECNOLÓGICO Curso: Formação Inicial e Continuada em Almoxarife Disciplina: Interpretação e planejamento de Leiaute Carga-Horária: 24h EMENTA Normas técnicas. Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos Disciplina com abordagem teórica e prática. 1987. b) Dobraduras das folhas de desenho técnico. Emile. cortes. PRONK.  Conhecer e interpretar as normas de desenho técnico. Desenho Arquitetônico. Dimensionamento em Arquitetura. em que será aferida a compreensão e interpretação de elementos de projeto para o planejamento e desenvolvimento de arranjos físicos. em que é necessário o conhecimento prévio de Desenho Técnico e o entendimento de Matemática Aplicada e Leitura e Produção de textos de caráter técnico.  Retroprojetor ou data-show. e) Linhas e espessuras. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) Introdução ao Desenho Técnico Normas técnicas (ABNT): a) Formatos de papel. Elementos de leiaute.3 Disposição dos elementos 4.2. Elementos do projeto 4. Leitura e interpretação de projetos 1. na modalidade presencial IFRN. Gildo A.1. Elementos do Leiaute 4.  Conhecer e aplicar os elementos de armazenamento e transporte para desenvolver plantas de leiaute.  Utilizar as técnicas em exercícios práticos de desenho à mão com uso de instrumentos técnicos.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. 18 . Universitária – UFPB. João Pessoa: Ed.  Ler e interpretar as representações do projeto arquitetônico: plantas. Escala e Cotagem 2.2.1. Avaliação A avaliação dar-se-á de maneira contínua e progressiva.2 Elementos de transporte 4.1. Contagem a) Métodos de execução e apresentação b) Aplicações 3. Os recursos didáticos utilizados são:  Quadro branco ou negro. Objetivos Conhecer as técnicas de desenho e representação gráfica de projetos de arquitetura.  Execução de trabalhos individuais e/ou em grupo.1 Elementos de armazenamento 4. redução e ampliação b) Aplicações 2. utilizando as normas técnicas e os instrumentos necessários para a aplicação prática em trabalhos a serem desenvolvidos em prancheta. 2. São Paulo: Edgard Blücher. Os procedimentos Metodológicos utilizados são:  Aulas teóricas e expositivas seguidas de exercícios gráficos com manuseio de instrumentos técnicos.4 Planejamento de arranjo físico (leiaute) 1. Escalas a) Tipos de escalas: natural.  Conhecer e aplicar os conceitos de escala e cotagem. Leitura e interpretação de projetos.

J. Rio de Janeiro: LTC. considerando elementos de controle. R.5 Planilhas de controle 2. CHAMBERS. palestras. Administração de Operações – bens e serviços. Sistema de produção. Guarda e Expedição à Distribuição do Estoque. Objetivos  Capacitar o aluno a controlar e coordenar atividades relativas à administração de um almoxarifado. 2004 GONÇALVES. 4. Qualidade.1 A importância estratégica das decisões de layout 4.4 As operações dentro do Almoxarifado Almoxarifado 2. 2.3 Boas práticas de segurança no trabalho Estratégias de arranjo físico 4. 19 .1 Programa 5S 3. multimídia e visita técnica. Administração de Produção e Operações: manufatura e serviços – uma abordagem estratégica. 2ª edição. ANEXO III – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO TECNOLÓGICO Curso: Formação Inicial e Continuada de Almoxarife Disciplina: Gestão de Almoxarifado e Operações Carga-Horária: 48h Ementa Definições de Gestão de operações. 5.4ª edição.  Levar ao aluno conhecimentos relacionados à operacionalização de um almoxarifado. 1. 2008. PAOLECHI.. 2013 Normas da ABNT:NBR 6492 – Representação de projetos de arquitetura.1 Definição de Gestão de Operações 1. 3. na modalidade presencial IFRN. Avaliação Trabalhos individuais e/ou grupos. seminários. segurança e arranjos físicos. H. Bibliografia Complementar 1. Operacionalização do almoxarifado.NBR 10126 – Cotagem em desenho técnico. Bruno.3 Estrutura do almoxarifado (Componentes) 2..1 Definições e Tipos de almoxarifado 2. São Paulo: Atlas. Segurança. S. 3. Tipos de almoxarifado. Estrutura de almoxarifado. 2009.1 Planejamento Agregado 5.2 Tipos de leiaute Planejamento 5.4 Tecnologia da informação 2.Emprego de escalas. NBR 8196 – Desenho técnico . Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) Introdução 1. Arranjo físico. São Paulo: LTR. SLACK. leitura de textos. A. 3. Administração da Produção.2001 CORRÊA. 2008. 3ed. E. 5. Administração da Produção e Operações.2 Planejamento de curto prazo 5. D. manutenção. São Paulo: Cengage Learning.2 O sistema de produção 1.4 Planejamento de Operações Enxutas (JIT) Noções de Planejamento da Manutenção Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos Aulas expositivas. 2. MOREIRA. São Paulo: Érica.3 Particularidades da Gestão de Operações para bens e serviços 1. HEIZER. Manual de Segurança e Saúde no Trabalho. 2. trabalhos em grupo. N.2 Atribuições do almoxarife 2. São Paulo: Atlas. qualidade. 2009. Manutenção.3 Planejamento das necessidades de material (MRP) 5. endereçamento. planejamento.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. 2ed.6 Endereçamento e rastreamento Técnicas de Qualidade e segurança 3. Planejamento.2 Inspeção da Qualidade 3. Bibliografia Básica 1. Almoxarifado e Gestão de Estoques: Do Recebimento. seminários e prova escrita.. JOHNSTON.

Curva ABC. Curva ABC 4.1. Tipos de sistemas 4. 1. análise de estudos de casos. Estoques máximos e mínimos 3.6.5. aula de campo. Previsão para estoques Níveis de estoque 3. Níveis de estoque.3. com ênfase em redução dos custos.   Bibliografia Básica BALLOU. trabalhos escritos. pontualidade. São Paulo: Atlas. Sistemas de informações de estoque. assiduidade.1. Administração de Materiais. Como devemos controlar o estoque 2.1. Definição do ponto de pedido 3. Filosofia Just-in-time. 2005.1. São Paulo: FGV. Vantagens e desvantagens dos estoques Política e Controle 2. vídeos Avaliação Avaliação de caráter contínuo. onde resultados da aprendizagem são aferidos através de provas. 2013 ANEXO III – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO TECNOLÓGICO Curso: Formação Inicial e continuada de Almoxarife Disciplina: Gestão de Estoques Carga-Horária: 40h EMENTA Objetivos do estoque.2. Antonio de P. aumento da performance e do serviço ao cliente. 3. 4.5. S. Introdução aos estoques 1. buscando sempre a escolha da melhor política e o melhor controle . Unitização de carga. LEC Classificação e Sistemas de controle de estoque 4.4.Curso de Formação Inicial e Continuada em Almoxarife. Felipe/Ayres. . Porto Alegre: Bookman. Objetivos Apresentar as técnicas tradicionais e as mais modernas de gestão de estoques.2. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. Sistemas de controle de estoques. 2007 20 .ª edição. destacando: trabalhos individuais e em grupo 2. Cesar. Ronald H. Bibliografia Complementar ACCIOLY. Diferenciação dos itens em estoque 1.2. Lote econômico de reposição.1ª edição./Sucupira. Gestão de estoques.4. 5. Sistema push/pull. atividades em grupo e individuais. Razões para manter estoques. e participação nas aulas.3. Localização dos estoques 1. 2006 DIAS. Sistema push/pull 2.4. resolução de exercícios. Políticas que devem ser adotadas 2. Recursos Didáticos Utilização de projetor multimídia.Gerenciamento da cadeia de suprimentos / logística empresarial. Tipos de estoque 1. NOVAES. Tempo de reposição 3. Estoques virtuais 1.3.3. quadro branco. Intervalo de ressuprimento 3. Aplicações dos sistemas Procedimentos Metodológicos  Aulas expositivas. Marco Aurélio P. Rio de Janeiro: Campus. Gráfico de Pareto 4. 5ª Ed.4. na modalidade presencial IFRN.6. Definição de estoque 1. Curva dente de serra 3. Antonio Galvão. Tipos de estoque.2. 2008.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful