Você está na página 1de 20

Sumário

Introdução
1. ​Viva o idioma ao seu redor
2. ​O tradutor até poderá ser seu amigo
3. ​Podcasts serão seus melhores aliados
4. ​A leitura será extremamente importante
5. ​Utilize a sua melhor memória a seu favor
6. ​Assista filmes e séries de outra forma
7. ​Pense, durma e sonhe em inglês.
8. ​Não tenha medo de errar
9. ​Escreva e interaja em inglês
10. ​Converse o máximo que você puder
Introdução
Aprender um novo idioma ainda é um pesadelo para muitos brasileiros, é
comum a criação de bloqueios, frustação ou o simples conformismo após
anos de aulas ineficazes nas escolas. Inglês é ensinado como uma disciplina,
com aulas contendo exercícios, provas e trabalhos, entretanto, já está mais do
que comprovado que essas dinâmicas não funcionam com a língua inglesa, a
qual não deveria ser considerada com a mesma didática de outras como
matemática, história e etc. Aprender um idioma é muito mais sobre a vivência
e a imersão cultural do que qualquer outra tentativa falha de didática escolar.
Este livro funciona como um guia dos 10 passos utilizados por todo
autodidata para atingir a fluência. São estratégias e ideias seguidas em algum
momento por aqueles que resolveram estudar por conta própria ou ao menos
conciliar o estudo tradicional com um complemento adicional estratégico que
apresenta altos resultados. Os passos citados, vão demonstrar como é possível
estar imerso na cultura inglesa mesmo sem viver em um país do idioma
desejado, onde a internet será o principal recurso para poder reduzir barreiras
e alcançar novos horizontes.
É importante também citar que os passos não precisam ser seguidos
metodicamente, ou até mesmo na ordem sugerida, ou de maneira sequencial.
A avaliação do que funcionará para cada um, precisa surgir de si próprio,
entendendo desta forma quais passos serão fundamentais para o auto
aprendizado. Outro fator a ser considerado é que a eficácia de cada sugestão
também é diretamente ligada com o atual nível de conhecimento de cada
indivíduo.

1. Viva o idioma ao seu redor


A base primordial do aprendizado é a ambientação. Bebês não aprendem a
engatinhar, andar, entender e falar simplesmente por serem exímios
estudantes, eles fazem isso tudo em um espaço de tempo extraordinário por
ter um ambiente que os proporciona acelerar este aprendizado de uma
maneira fantástica.
Viver um ambiente com aquilo que se deseja aprender é o primeiro passo
fundamental para aprender uma nova língua. Mas como fazer isso sem sair do
país? Existem milhares de maneiras. A principal delas é utilizar o inglês em
todo ecossistema ao seu redor.
Existem técnicas que buscam ambientar o mundo para inglês ao redor de
quem busca a proficiência. Algumas técnicas bem simples e outras mais
detalhadas e específicas, tudo depende do nível de conhecimento base e das
necessidades iniciais de cada um. Abaixo serão listadas algumas destas
técnicas:
a. Ecossistemas em inglês
i. Idioma do sistema operacional do computador, seja
Windows, macOS ou Linux
ii. Idioma do smartphone Android ou IOS
iii. Demais softwares, sistemas e aplicativos utilizados
iv. Menu da televisão e demais eletrônicos em inglês

b. Para jogos e aplicativos, sempre use menus e sistemas em


inglês
i. Sistema dos consoles
ii. Idioma dos jogos
iii. Aplicativos baixados

c. Idioma das redes sociais em inglês


i. Twitter
ii. Facebook
iii. Instagram
Outra técnica é a utilização de post it's, adesivo, placas e etc. Utilize-os para
escrever o nome em inglês de tudo o que você não sabe, exemplo: seu
armário, gaveta, colchão, controle remoto, escova de dentes e etc. Esta
técnica consiste em identificar de maneiras variadas os objetos do dia-a-dia
para sempre ter contato com seus respectivos nomes em inglês.
Observa-se que neste momento inicial o objetivo é estar imerso pelo idioma,
ter contato constante com as palavras. Desta forma, é possível criar
aprendizado por associação sem o mínimo esforço, apenas com a utilização
normal de sistemas, aparelho e objetos de maneira natural, porém desta vez
eles estarão sempre associados a um outro idioma.

2. O tradutor até poderá ser seu amigo


Google tradutor virou símbolo da zona de conforto das pessoas que não tem
interesse em aprender ou a utilizar o inglês da maneira correta. De fato a
famigerada ferramenta do Google pode ter este fim e infelizmente é
amplamente utilizada para traduções literais de palavras e frases. Utilizar ele
com este propósito não agrega muito conhecimento e pode gerar muitos
equívocos de tradução, a linguagem não é tão simples para se obter
conversões diretas, é algo muito mais interpretativo. Mas como o tradutor
pode ser o seu melhor aliado no aprendizado do inglês?
Existem diversas técnicas envolvendo os tradutores, a melhor delas é para o
treinamento da pronuncia. Sempre que um novo vocábulo for adquirido é
interessante treinar sua pronuncia com o auxílio do tradutor. Utilize a
tradução de inglês para português- Use a opção de voz para traduzir uma
palavra ou frase.

Agora basta falar a palavra desejada, uma vez que a pronuncia esteja correta,
o tradutor entenderá perfeitamente e realizará a sua tradução para português.
Repita o processo quantas vezes forem precisas até aperfeiçoar a pronuncia
para a palavra ou expressão desejada.
Caso tenha dificuldade, basta escrever a palavra em inglês e clicar no ícone
do autofalante, então irá pronunciar a palavra, basta então ouvir atentamente
e tentar novamente reproduzir o som com a opção do microfone.

O ideal é realizar este treinamento com palavras de maior dificuldade de


pronuncia, principalmente aquelas que possuem sonoridade diferente do
habitual para nativos da língua portuguesa. Como por exemplo aquelas que
contém a combinação "th", "rl" e etc.
Dica: tente se auto desafiar, treine palavras de pronúncia difícil como:

a. Think
b. Thing
c. Thought
d. Trough
e. Though
f. World
g. Emphasize

Dica 2: É interessante também treinar a pronuncia de frases.

3. Podcasts serão seus melhores aliados


Está dica é uma extensão e avanço da primeira, porém merece um capítulo a
parte. Este é um passo crucial para atingir a fluência no inglês. Escutar,
identificar e entender palavras, frases e expressões em inglês é primordial
para as próximas etapas. Podcast por si só é uma mídia incrível que tem
ganhado muito espaço tanto no Brasil quanto também em outros países,
quando utilizado para aprender um novo idioma, se torna uma ferramenta
ainda mais fantástica.
Mas afinal, o que são Podcasts ?
Podcast consiste em uma mídia online de áudio com conteúdo sob demanda
transmitido via RSS. Para acessar um Podcast basta acessar um dos diversos
agregadores como por exemplo:
1. Itunes (Gratuito)

IOS, Windows e MAC OS.


2. Pocket Casts(Pago)

Android, IOS
3. Stitcher(Gratuito)
Android, IOS
4. Podcast Republic(Gratuito)

Android
Os agregadores, são aplicativos que organizam os podcasts, os quais
normalmente podem ser encontrado em endereços próprios, conforme serão
apresentados adiante. Mas a utilização dos organizadores sem dúvida se torna
um grande facilitador, ficando a gosto de cada usuário qual dos aplicativos
utilizar.
Existem diversos conteúdos de Podcasts voltados para estudantes da língua
inglesa, desde os mais básicos até os mais avançados. Existem também os
conteúdos que não são focados em aprendizado, podendo ser de
entretenimento, humor, notícias, ciências, tecnologias e etc. Porém estes que
não são didáticos, são mais recomendados para pessoas com nível mais
avançado, visto que são linguagens muitas vezes coloquiais e faladas de
maneira rápida.
A principal vantagem da utilização dos Podcasts se dá pela facilidade de
acesso, visto que em sua grande maioria são gratuitos e podem ser ouvidos
em qualquer lugar que possua conexão a Internet ou podem ser baixados
previamente para ouvir off-line. Tudo o que se precisa é de algum dispositivo
capaz de reproduzir a mídia, como por exemplo: smartphones, computadores,
ipod's, tablets e etc. A facilidade de acessar o conteúdo é apenas uma das
grandes vantagens, outra de igual importância é a possibilidade de ouvir
episódios combinando com a realização de outras tarefas mecânicas, como
por exemplo: dirigir, limpar a casa ou academia, são também uma excelente
alternativa para locais de espera como: transportes públicos, sala de espera de
um consultório e até mesmo aquela entediante fila de banco.
Em um primeiro momento, é necessário dar ênfase nos Podcasts didáticos
acerca da língua inglesa; existem dezenas deles, em uma experiência pessoal,
testei os mais diversos Podcasts e abaixo citarei aqueles que me trouxeram os
melhores resultados, os que possuem a melhor didática e também aqueles que
são mais interativos e ajudam a prender a atenção dos ouvintes.

a) ESL-POD
www.eslpod.com
Sem dúvida este é o mais didático de todos, ele é feito por uma equipe de
profissionais da língua inglesa americanos e possui uma dinâmica
extremamente interessante de apresentar a cada episódio termos novos e
diferentes, sempre utilizando diálogos, repetindo em diferentes velocidades,
este se tornou o meu Podcast favorito por muito tempo, ele foi responsável
por me tirar do inglês básico em pouquíssimo tempo, ouvi um total de 700
episódios enquanto "apreciava" o trânsito da "cidade maravilhosa" durante
alguns poucos meses.
Pontos positivos:

Episódios curtos
Didática inquestionável
Quantidade imensa de episódios

Pontos negativos:

Existem algumas restrições apenas para assinantes


Diálogo não muito interessante
Falta de uma progressão de dificuldade
Diálogos muito engessados

b) China 232
www.china232.com
Este Podcast também é ótimo para pessoas que desejam atingir fluência em
inglês, foi criado por dois irmãos canadenses que viajaram para china para
aprender chinês e ensinar inglês, os episódios são divertidos, tem diálogos
mais naturais que o anterior, a pronuncia é mais natural com utilização de
termos coloquiais, gírias e etc. Este é sem dúvida um passo natural para
pessoas que começaram pelo ESL Pod.

Pontos positivos:

Episódios mais dinâmicos


Linguagem mais natural
Conteúdo muito extenso

Pontos negativos
Alguns Episódios restritos para assinantes
É necessário pelo menos um inglês intermediário

c) The English We Speak


www.bbc.co.uk/learningenglish/english/features/the-english-we-speak
Esse é um dos diversos podcasts da BBC que ensinam inglês, porém o mais
interessante deste em específico se dá pela utilização de episódios curtos de
cerca de 3 minutos, sempre tratando de algum termo ou expressão
extremamente comum da língua inglesa.
Pontos positivos:

Episódios rápidos
Ênfase em expressões

Pontos negativos

Poucos episódios
Dos Podcasts não didáticos, vão existir de todos os tipos e para todos os
gostos, o que fica a gosto de cada pessoa. Porém, como citado anteriormente,
são exatamente recomendados para usuários com nível mais avançado que já
estão a poucos passos da fluência. Dentre os não didáticos uma
recomendação pessoal fica em torno daqueles que criam espécies de "áudio
dramas", os quais muitas vezes se encontra facilmente a transcrição na
Internet, dentre as sugestões, é possível citar:
d) Serial Podcast
www.serialpodcast.org
São episódios investigativos onde uma jornalista conta uma história real de
um jovem americano Adnan Syed que foi possivelmente condenado
injustamente a prisão perpétua pelo assassinato da ex-namorada. Ao longo
dos episódios a jornalista narra os fatos e também apresenta diversas
gravações de entrevistas reais com as pessoas envolvidas com o caso. Além
de ser um entretenimento fantástico, ajuda a adquirir fluência em inglês.

4. A leitura será extremamente


importante
A leitura já é naturalmente importante para o aprendizado de tudo, para o
inglês, a mesma se torna um componente ainda mais importante, porém
existe formas interessantes de explorar esta ferramenta incrível de
aprendizado de uma maneira extremamente eficaz. É muito comum que as
pessoas rejeitem a ideia de aprender inglês lendo, uma vez que associam a
leitura a tediosos livros de curso, cheios de lacunas para preencher, diálogos
desinteressantes e pouca eficiência na transmissão de conhecimentos.
Existem porém, diversas outras maneiras de aprender inglês lendo, as quais
envolvem principalmente a leitura de assuntos interessantes para quem o faz.
Abaixo serão citadas diferentes sugestões de leituras que podem facilitar
muito o aprendizado.
Livros infantis e infanto-juvenis
Além de serem simples, são perfeitos para os mais iniciantes, principalmente
pelo fato de conterem linguagem extremamente simples, muitas vezes são
ilustrados e com diversas histórias interessantes e divertidas, basta procurar a
categoria desejada.
Quadrinhos
Esta é outra dica interessante, também se enquadram no tipo de leitura
extremamente facilitada pela presença de ilustrações, existem HQ's para
todos os gostos e elas são extremamente ricas em diálogos, se tornando assim
um dos recursos mais interessantes para os amantes da língua inglesa.
Romances, Fantasias e Ficção
Para estes, é recomendável ler livros de fácil narrativa, um recurso que eu
adotei e me ajudou muito, foi reler uma obra com a qual já tinha tido contato,
porém em português. Utilizar a releitura, porém desta vez em sua língua
original, facilitou muito o entendimento, em pouco tempo avancei de forma
consistente tanto na velocidade de leitura, como na prática de entender novos
vocábulos e expressões apenas pelo contexto em que eles estão inseridos.
Meu primeiro contato com uma obra totalmente em inglês foi com o livro
"Anjos e Demônios" do autor Dan Brown.
Científicos
Desde que ligados à área de atuação, são extremamente úteis, o entendimento
se torna simples quando o leitor já tem conhecimento dos termos técnicos
utilizados, também pode ser um recurso interessante, porém é mais restrito
para apenas determinados grupos de leitores.
Técnicas para iniciar as primeiras leituras:
No início será difícil, lento e exaustivo e isso é inevitável. Como pessoas
alfabetizadas estão acostumadas a entender e absorver tudo o que leem, é
preciso prática para aceitar o não entendimento de muitos termos. Desta
forma é preciso reaprender a ler, é preciso parar, pensar e entender o contexto
onde as palavras estão inseridas. É como um jogo de quebra-cabeça onde o
leitor já possui algumas peças, mas precisa encaixar diversas outras.
Algumas dicas:
1) Utilize um marca texto ou marcação virtual em e-books, para destacar os
termos de maior dificuldade que não foram entendidos nem mesmo pelo
contexto, porém não pare de ler até o final do capítulo.
2) depois que terminar o capítulo utilize a busca do Google com elas, uma de
cada vez, o resultado provavelmente retornará a palavra inserida em outras
frases e contextos, tente decifra-las pelo contexto, outro recurso é a utilização
da busca por imagem.
3) Ao final, retorne nos termos e análise novamente para ver se ainda não os
entende de fato, caso a resposta seja negativa, recorra a um tradutor e analise
se a frase fará sentido.

5. Utilize a sua melhor memória a seu


favor
É comprovado cientificamente a existência de diversos tipos de memória.
Cada pessoa terá sua particularidade de qual é a melhor memória, seja ela
visual, auditiva, sensorial e etc. É importante durante o aprendizado de uma
língua, sempre utilizar o seu melhor recurso a seu favor, por exemplo:
Estudantes que possuem ótima memória auditiva, podem gravar áudio
explicando para si próprios aquilo que aprenderam durante um dia de
aquisição de conhecimentos, seja aquilo que foi absorvido pela leitura,
diálogo ou assistindo um filme, basta falar consigo mesmo, preferencialmente
tentando se expressar em inglês, para posteriormente ouvir este progresso e
assim fixar esta evolução de maneira sólida.
Como este passo é extremamente particular de cada pessoa, cada um deve
buscar utilizar sua melhor estratégia. Na minha experiência pessoal, sempre
tive uma excelente memória visual, então utilizei diversos recursos de
anotações, post it’s, “flashcards” em aplicativos de celular, pequenas
anotações em cadernos e tudo o que pudesse me remeter a um progresso
realizado. Toda esta estratégia tem por objetivo convergir uma memória
temporária de curto prazo para ser armazenada nas regiões cerebrais
responsáveis pela memória de longo prazo, este processo é fundamental para
atingir a fluência.
Outro fator importante a ser citado é que a memória é uma habilidade que
precisa ser treinada, um exemplo de como a memória pode ser praticada para
se atingir níveis extraordinários é o brasileiro que atingiu o recorde de
decorar o número de casas decimais da constante matemática PI, Matheus
Norberto de Moraes atingiu a incrível marca de memorizar 16.110 dígitos
sequenciais. Este incrível feito não se trata de uma espécie de “superpoder”, é
apenas uma questão de treinamento.

6. Assista filmes e séries de outra forma


Assistir filmes e séries é algo que todos gostam e raramente uma pessoa dirá
que não gosta do entretenimento mais famoso do século XXI, é inegável a
dominância americana neste setor. Utilizar as suas séries e filmes favoritos
como uma ferramenta de aprendizado pode ser um recurso poderoso quando
utilizado da maneira correta.
Existem diversas técnicas para absorver um idioma consumindo
entretenimento, abaixo serão citadas algumas dicas para realizar esta tarefa de
maneira eficaz.
Assistir três vezes pode ser uma boa ideia
Esta talvez seja a técnica mais difundida, a qual aborda uma progressão de
dificuldade e consiste em assistir ao filme ou episódio de série em três etapas
na seguinte ordem:
a) Idioma em inglês + legenda em português
​ orma habitual de assistir e permite inicialmente entender todo o
F
conteúdo.
b) Idioma em inglês + legenda em inglês
​ orma intermediária, a qual permite associar tudo que se ouve com o que
F
se lê, como o conteúdo já foi absorvido anteriormente, não existe o risco de
não entender as cenas, diálogos e interações.
c) Idioma em inglês sem legenda
​ orma avançada, desta maneira, pode-se treinar a total compreensão do
F
idioma.

Assistir três é demais


Particularmente, nunca consegui usar a técnica de assistir três vezes por
muito tempo, fosse por falta de paciência ou pela falta de tempo, desta forma,
optei apenas por assistir com legendas em inglês por diversos meses até me
sentir confortável e confiante para começar a assistir sem legendas. É
importante citar que a transição precisa ser feita em séries ou filmes de fácil
linguagem, caso contrário existirá uma grande dificuldade de adaptação,
afinal, se habituar com o inglês falado sem nenhum texto de auxilio, pode ser
um pouco complicado nas primeiras tentativas. Um recurso que utilizei
bastante nos primeiros episódios, foi o botão de retroceder 10 ou 30 segundos
(dependendo da plataforma onde assistia meus episódios), até entender bem o
que estava sendo dito.
Para séries, de preferência para episódios curtos de 20 minutos, o qual
permitirá gravar com maior facilidade todo o conteúdo para avançar para
etapa seguinte. Séries com grande foco em interação social são excelentes
opções, uma vez que proporcionam diálogos cotidianos e facilitam a absorção
dos vocabulários mais importantes. Confira algumas séries recomendadas
para treinar inglês:

Friends
How i met your mother
The big bang theory
Modern Family
The Middle

Em relação a filmes, busque aqueles que não contém suspense, terror ou


ação, costumam ser filmes de maior dificuldade de compreensão. Visto que
muitas vezes possuem diversos efeitos, gritos, sussurros, diferentes sotaques
e etc. Uma boa opção são os filmes de animação, os quais tem crianças como
público alvo, desta forma possuem linguagem simples e clara, com muitas
vezes pouco ou até mesmo nenhum sotaque, confira algumas sugestões:

Tangled (Enrolados)
Shrek (Shrek!)
Inside Out (Divertidamente)
How to Train Your Dragon (Como treinar o seu dragão)

É preciso reforçar que as sugestões são apenas de episódios e filmes que


facilitam o aprendizado por questões de facilidade de comunicação, tipos de
diálogos e situações sociais que favorecem o aprendizado dos vocábulos mais
necessários, entretanto é preciso sempre considerar o gosto pessoal de cada
pessoa, afinal aprender utilizando como ferramenta um tipo de
entretenimento desejado, sempre vai ter um peso maior. Desta forma, é
sempre recomendado balancear os gostos pessoais com a vontade de aprender
e utilização das técnicas sugeridas.

7. Pense, durma e sonhe em inglês.


Este passo é um tanto quanto subjetivo, porém não menos importante que os
demais. Pensar em inglês não é algo que acontece de uma hora para outra, é
preciso a prática e a imersão proporcionados pelos passos anteriores. Uma
vez que o inglês já se tornou presente tudo ao seu redor, é necessário utilizar
o pensamento em inglês.
Uma maneira de treinar o idioma em qualquer lugar e a qualquer momento é
com o pensamento, desta maneira, é possível imaginar histórias, descrever
objetos, pessoas e situações, todos em imaginação, utilizando sempre o inglês
como ferramenta linguística. É preciso praticar diversas vezes para se
adquirir esta funcionalidade, a qual permite ao estudante se auto desafiar
constantemente, criando desta forma cenários para os quais o idioma precisa
ser utilizado.

Algumas sugestões de situações hipotéticas para se pensar em inglês:


1. Entrevistas.

​ e imagine em uma entrevista onde é necessário responder


S
questionamentos sobre seu perfil, suas experiências e a sua habilidade.

2. Escolher pratos em restaurante

I​ magine a necessidade de se comunicar com um garçom e precisar realizar


a escolha dos pratos.
3. Após diálogos reais

​ pós ter algum diálogo real com alguma pessoa, imagine como o diálogo
A
seria com a mudança de idioma.

Estas dicas são subjetivas e utilizam o pensamento como forma de


treinamento no idioma, onde a pessoa se coloca em situações onde precisa do
inglês, isso proporciona algo próximo da realidade trás de forma eficaz o
pensamento em inglês para pessoas que não estão habituadas a utiliza-lo.
Com o tempo, este tipo de prática se torna tão comum que não existirá mais
distinção entre pensar em inglês e falar em inglês.

A terceira palavra do título deste capitulo infelizmente não é algo que se


possa controlar, porém todos que por determinado tempo de contato com
outro idioma, inevitavelmente sonham com a respectiva linguagem, com
inglês não é diferente. É extremamente comum pessoas relatarem sonhar em
inglês quando ficam por muito tempo fora do país, às dicas deste livro tem o
objetivo de trazer a mesma imersão sem necessariamente precisar viajar.
8. Não tenha medo de errar
Este passo parece um pouco clichê, porém é fundamental para auxiliar os
passos finais. O medo de errar é um grande empecilho para qualquer área de
conhecimento, não apenas o inglês, porém com idioma, este medo se
manifesta de maneira ainda mais intensa. Este receio comum ocorre
principalmente pelo medo de transparecer ignorância ao tentar se expressar
em um idioma ainda não dominado, porém este medo não se justifica,
principalmente considerando um país onde menos de 3% da população de
fato é fluente no idioma.
Errar não apenas deve ser algo destemido, como também deve ser
considerado como uma etapa fundamental, afinal só está errando quem está
em processo de aprendizado. A oportunidade de errar e ainda ter a
oportunidade de receber um feedback deve ser considerado como uma das
maiores oportunidades de melhoria, principalmente durante o treinamento em
um novo idioma.
Outro aspecto que envolve muito o medo de errar é relacionado a pronuncia,
muitas pessoas tem aquele velho medo de pronunciar uma palavra de maneira
errônea, uma opção para perder este medo é com o próprio treinamento,
utilizar o tradutor do Google como ouvinte para treinar a pronuncia pode ser
uma forma de contornar este tipo de medo, é sempre preciso lembrar que
crianças primeiro aprendem a falar para apenas depois aprenderem as regras
do que está certo ou errado em relação aquilo que elas falam.

9. Escreva e interaja em inglês


Escreva e interaja o máximo que você puder, após o passo anterior, onde foi
possível compreender o quanto não ter medo é fundamental para o aprender
da língua inglesa, é preciso colocar em prática nesta etapa, é preciso interagir
com o idioma e para isso existem inúmeras maneiras, as quais vão desde
redes sociais até sites especializados.

As redes sociais são sem dúvida a maneira mais fácil de interagir com a
língua inglesa, para tanto é necessário participar de grupos onde a língua
inglesa é predominante, se torna necessário fazer amizades com estrangeiros,
adicioná-los para ter contato com suas rotinas e o principal, interagir com
eles. A a Internet hoje é responsável por quebrar barreiras e fazer com que as
distâncias sejam insignificativas, porém poucos usam isso em benefício de
expandir fronteiras e conhecer novas realidades, culturas e pessoas. É preciso
ampliar a sua rede, para tanto basta seguir as dicas abaixo:
1. Escolha um tema de interesse e participe de grupos de discussão
engajados neste assunto.

Por exemplo, uma pessoa que gosta de tecnologia, pode buscar grupos
específicos de determinadas tecnologias e participar ativamente deles.
Quando tiver muita interação com um dos membros deste grupo, pode
solicitar amizade e manter uma conversa. É sempre importante buscar grupos
de alto engajamento e que não tenham um número exagerado de membros,
uma sugestão é buscar participar naqueles que possuem entre 500 até 5.000
membros.
2. Fóruns também são boas pedidas

Mesmo que o auge da Internet atualmente seja redes sociais, fórum também
possuem alto engajamento, buscar discussão sobre assuntos desejados
também pode se tornar uma excelente ferramenta de aprendizado.
3. O Mirc não morreu

Para os que viveram a Internet dos anos 90 e início dos anos 2000
provavelmente se lembrará desta ferramenta com um grande saudosismo,
apesar dela ter desaparecido, ainda existe uma pequena comunidade muito
engajada, participar da mesma pode ser uma excelente escolha
4. Live mocha pode ajudar

Apesar da ferramenta de curso deles ter serviço pagos, uma ferramenta legal
da plataforma é proporcionar escrever textos e gravar áudios que serão
revisados pela comunidade, a qual corrige e retorna um feedback.
5. Escreva pequenos textos e crônicas

O importante é sair da zona de conforto, tente se expressar, escreva o máximo


que você puder e depois compartilhe sem medo e sempre peça feedback, a
comunidade de autodidatas em inglês é muito engajada e a grande maioria
sempre está muito disposta a trocar experiências e a se ajudar.
6. Jogos online te fazem escrever

Existem diversos jogos online que são muito favoráveis a conversa entre os
jogadores. A escolha precisa ser obviamente por servidores americanos ou
internacionais, para permitir sempre a troca de experiências com pessoas que
já dominam o inglês.
7. Fuja dos chats de encontros aleatórios

Apesar de algumas pessoas relatarem algum encontro produtivo para o


aprendizado de uma língua, os chats aleatórios normalmente trazem pessoas
com más intenções, então acabam por ser improdutivos para pessoas que
desejam estudar.

10. Converse o máximo que você puder


Esta é sem dúvida a cereja em cima do bolo para alcançar a fluência,
conversação é o principal e o último passo para se atingir o completo domínio
do inglês. Porém a pergunta que todos se fazem é: “Como vou praticar o meu
inglês sem sair do país?”, a resposta, entretanto não é complexa, confira
abaixo as diversas dicas para praticar a conversação, a maioria delas sem
precisar gastar absolutamente nada.
1. Verbling

www.verbling.com
Esta é uma plataforma excepcional para estudantes, ela tem uma modalidade
paga, onde o aluno pode contratar um professor particular ou assistir aulas em
uma sala com outros estudantes, existem milhares de opções de todos os
preços. A plataforma oferece também serviços gratuitos, onde alunos podem
entrar em salas, as quais são divididas por níveis de habilidades, onde
poderão conversar livremente com pessoas de todos os lugares do mundo. É
uma oportunidade muito rica não apenas de aprender inglês, como também
de obter contato com outras culturas.
2. My Language Exchange

www.mylanguageexchange.com
Esta plataforma também é fantástica e tem por objetivo a troca de
conhecimentos em idiomas, desta maneira duas pessoas que tem interesse em
aprender o idioma uma da outra, são colocadas em contato para poderem
conversar e desta forma trocar experiências e conhecimentos acerca da língua
que desejam aprender. Por exemplo: você que é fluente em português e
deseja falar inglês, poderá trocar experiências com um australiano que deseja
aprender português.
3. Conversation Exchange

www.conversationexchange.com
Plataforma extremamente semelhante a anterior, onde o objetivo também é
encontrar um parceiro para prática do inglês, onde esta pessoa terá o interesse
em aprender o português. Desta forma o aprendizado se torna uma troca de
informações e culturas, sem dúvida uma oportunidade muito produtiva de
expandir o horizonte de conhecimentos.
4. Expanda o seu horizonte de amizades

Sempre considere também a possibilidade de conhecer pessoas de outros


lugares, com culturas diferentes e idiomas diferentes, situações com as quais
provavelmente será necessário a utilização do inglês para realizar a
comunicação. Além do fator networking, amizade e descontração, é possível
ter contato com outras culturas e compartilhar também a própria.
5. Aulas particulares pela internet

Outra modalidade, porém paga, são as aulas de conversação, contratar um


nativo da língua inglesa para praticar diariamente ou semanalmente é uma
solução extremamente simples e eficaz para evoluir rapidamente na fluência
da língua inglesa. Através da internet, utilizar este recurso pode ser muito
mais acessível, visto as diversas ferramentas disponíveis para comparar
preços e encontrar o professor adequado para cada objetivo. Alguns são
especializados em exames como: TOEFL e IELTS, outros são especializados
em conversação, para ênfase em fluência, busque sempre estes, os quais são
professores que tem como características principais o dinamismo, a facilidade
de interação e comunicação. É sempre válido também, alternar de professor
após um período, para que desta forma se treine a compreensão com novos
sotaques, com novas expressões e etc.

6. Fuja novamente das plataformas de encontros aleatórios

Assim como na seção anterior em relação a prática da escrita, para prática da


conversação a mesma regra se aplica, evite constantemente a utilização de
plataformas de encontros aleatórios, onde normalmente existem pessoas mal
intencionadas sem o mínimo interesse em troca de informações e culturas.