Você está na página 1de 2
P ROJECTO DE R EGULAMENTO "R EGULAMENTO DO A NIMAL D OMÉSTICO " Ao abrigo

PROJECTO DE REGULAMENTO

"REGULAMENTO DO ANIMAL DOMÉSTICO"

Ao abrigo do disposto do Art. 112º nº6 e 199º alínea c) CRP, manda o Governo pelo Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, o seguinte:

Artigo 1.º

1 - Este Regulamento aplica-se aos cidadãos em território nacional, residentes em fração autónoma de prédio urbano, que alberguem animais de qualquer espécie.

2 - Os conceitos enunciados no número anterior devem ser interpretados à luz da legislação vigente nosso ordenamento.

Artigo 2.º

1 - Nos prédios urbanos podem ser alojados até três cães ou quatro gatos adultos por cada fogo, não podendo no total ser excedido o número de quatro animais, excepto se, a pedido do detentor, e mediante parecer vinculativo do médico veterinário municipal e do delegado de saúde, for autorizado alojamento até ao máximo de seis animais adultos.

2 - Em relação a outros animais, considerados potencial ou efectivamente perigosos, que residam com pessoas em fracções autónomas de prédios urbanos, o seu limite deverá ser aprovado pelo órgão de fiscalização competente para aferir da conformidade com as regras de higiene, saúde e segurança a fixar.

Artigo 3.º

1 - A possibilidade de transporte dos animais referidos no artigo anterior em

transportes públicos é permitida, mediante a verificação de requisitos que garantam o respeito pelo normal funcionamento do serviço.

Ambiente e Ordenamento do Território em conjunto com o Ministério da Economia e

do Emprego.

Artigo 4.º

1 - Os detentores de animais em fração autónoma de prédio urbano devem respeitar

regras de higiene reforçadas, nomeadamente desinfecção periódica do espaço onde habitam os animais.

2 - Os processos referidos no número anterior, bem como outros necessários à

garantia de condições suficientes de higiene, devem ser realizados por profissional

qualificado.

3 - O cumprimento das exigências de higiene deve ser assegurada pelo dono do animal e submetida a fiscalização pela autoridade competente.

Artigo 5.º

1 - Os detentores de animais em fração autónoma de prédio urbano devem passear os mesmos em espaço amplo pelo menos duas vezes por dia.

2 -

normalidade social, sejam susceptíveis de serem passeados.

O

número

anterior

aplica-se

apenas

a

animais

que,

segundo

critérios

de

Artigo 6.º

A concretização e densificação dos conceitos referidos no presente Regulamento, bem

como a criação das necessárias medidas secundárias, será feita pela Comissão Nacional

de

Regulação do Estatuto e Posse do Animal Doméstico.

Artigo 7.º

O

iniciadas anteriormente à entrada em vigor do diploma, cujos efeitos se repercutem no presente.

presente Regulamento tem aplicação para o futuro, sem prejuízo de situações

A Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território,

Maria de Assunção Oliveira Cristas.