Informativo CETJ

Nascer, Morrer, Renascer Ainda, Progredir Sempre, Tal é a Lei
Janeiro de 2014 - Ano X - nº 125

www.cetj.org.br

O

Personalidade: Léon Denis, O Apóstolo do Espiritismo

destemido mensageiro da Boa Nova nasceu em 01 de janeiro de 1846, na França. Destacou-se como orador e escritor de reconhecida atuação, tornando-se uma liderança espírita que muito auxiliou na divulgação e compreensão dos princípios doutrinários do Espiritismo em sua fase inicial. Filho de operários e artesãos, muitas vezes teve que mudar de cidade seguindo seus familiares à procura de emprego, fato que lhe causou seguidas interrupções dos estudos para ajudar o pai, mas sua inteligência precoce facilmente recuperava o tempo perdido e sempre que podia dedicava-se ao que mais gostava de fazer: estudar, completando com esforço próprio sua instrução. Desde jovem o enigma da vida era para ele um ponto de forte observação, a inquietude jovial não aceitava os dogmas impostos. Buscava na filosofia as respostas aos seus questionamentos: Que é a sabedoria? É aprender a morrer, disse Platão. Que é a vida? É uma meditação da morte, afirmou Sêneca. Passando da crença católica ao cepticismo materialista não encontrava solução para o mistério da vida. Aos 18 anos, conhecesse o Livro dos Espíritos: “ Adquiri logo o livro e lhe assimilei o conteúdo. Encontrei nele uma solução clara, completa, lógica do problema universal. Minha convicção se firmou. A teoria espírita dissipou minha indiferença e minhas dúvidas.” No ano de 1867 conhece Allan Kardec quando o mestre lionês esteve na cidade onde morava o jovem Leon, em uma recepção com cerca de 300 espíritas

daquela cidade que haviam sido convidados para ouvir Kardec no tema da obsessão. No período da guerra, aos 24 anos, tornou-se sargento do Exército chegando a ocupar o lugar de tenente, mas tão logo o término desta, seguindo um dom natural, Léon Denis se dedica à oratória na Casa Maçônica, tornando-se um bem sucedido orador. Sua participação em um grupo de estudos espíritas leva-o a desenvolver primeiro a mediunidade psicográfica e depois a vidência, quando descreve cenas da história medieval e da história antiga, fruto de suas vivências anteriores. Passa a ser assistido pelo espírito Sorella, um bom gênio companheiro de outra existência, que o aconselha e o instrui a divulgar a Doutrina dos espíritos, a consolar os que sofrem e alimentar os que tem fome. Ao expor suas ideias sofre incompreensões, hostilidades e sarcasmos inclusive no seio familiar, entretanto o apoio de Sorella e de Jerônimo de Praga, seu guia espiritual, que lhe fortalecem a coragem, se mantém firme no propósito de prosseguir nos esclarecimentos para os quais havia sido destinado. “Só se chega a uma fé plena e completa, por meio de uma lenta e dolorosa iniciação.” Dizia isto por experiência própria. Léon Denis prepara-se com afinco para ser um orador ainda mais eficiente e um escritor consistente em suas abordagens, chegando mesmo, em fevereiro de 1873, a passar por uma banca examinadora formada por cinco mestres espirituais que concluem “...Os progressos conseguidos são sensíveis e justificam as esperanças que pusemos em ti.” Morre em 1927 deixando um consistente trabalho um grande vazio nas fileiras espíritas.

DESTAQUES D E S T A E D I Ç Ã O

Reforma Íntima - uma boa proposta para qualquer novo ano Assistência Social - Cartão de Natal Que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Ano Novo, Vida Nova Balanço Cristão / Evangelização e Mocidade / Testamento Moral / Programação da Casa

2 3 4 5 6/8

2

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

Reforma Íntima - Uma boa proposta para qualquer novo ano...
4) Onde fazer a Reforma Íntima? Primeiramente dentro de nós mesmos, cujas transformações se refletirão depois em todos os campos de nossa existência, no nosso relacionamento com familiares, colegas de trabalho, amigos e inimigos e, ainda, nos meios em que colaborarmos desinteressadamente com serviços ao próximo. 5) Quando fazer a Reforma Íntima? O momento é agora e já; não há mais o que esperar. O tempo passa e todos os minutos são preciosos para as 1) O que é a Reforma Íntima? A Reforma Íntima é um processo contínuo de autoconhecimento, de conhecimento de nossa intimidade espiritual, modelando-nos progressivamente na vivência evangélica, em todos os sentidos da nossa existência. É a transformação do homem velho, carregado de tendências e erros seculares, no homem novo, atuante na implantação dos ensinamentos do Divino Mestre, dentro e fora de si. 2) Por que a Reforma Íntima? Porque é o meio de nos libertarmos das imperfeições e de fazermos objetivamente o trabalho de burilamento dentro de nós, conduzindo-nos compativelmente com as aspirações que nos levam ao aprimoramento do nosso espírito. 3) Para que a Reforma Íntima? Para transformar o homem e a partir dele, toda a humanidade, ainda tão distante das vivências evangélicas. Urge enfileirarmo-nos ao lado dos batalhadores das últimas horas, pelos nossos testemunhos, respondendo aos apelos do Plano Espiritual e integrando-nos na preparação cíclica do Terceiro milênio. Daí em diante o trabalho continua de modo progressivo, porém com mais entusiasmo e maior disposição. Mas, também, até sozinhos podemos fazer nossa Reforma Íntima, desde que nos empenhemos com afinco e denodo, vivendo coerentemente com os ensinamentos de Jesus.
Fonte: http://www.redeamigoespirita.com.br/group/ reformantima

conquistas que precisamos fazer no nosso íntimo. 6) Como fazer a Reforma Íntima? Ao decidirmos iniciar o trabalho de melhorar a nós mesmos, um dos meios mais efetivos é o ingresso numa escola de Aprendizes do Evangelho, cujo objetivo central é exatamente esse. Com a orientação dos dirigentes, num regime disciplinar, apoiados pelo próprio grupo e pela cobertura do Plano Espiritual, conseguimos vencer as naturais dificuldades de tão nobre empreendimento, e transpormos as nossas barreiras.

Boletim Informativo do Centro Espírita Trabalhadores de Jesus - CETJ CNPJ: 27.792.118/0001-76 Utilidade Pública Lei Municipal No 1640 de 5/11/2002 Avenida Teixeira e Souza, 448 - Centro Cabo Frio - RJ CEP: 28907-410 Telefone: 2645.4468 www.cetj.org.br

3

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

Assistência Social: “Projeto Cuidar Cuidando” O Serviço de Assistência Social do CETJ agradece a todas e todos pelo apoio, solidariedade, coragem e determinação, na busca de dias melhores aos irmãos que aqui vêm à procura de cuidado. Que o Natal esteja sempre vivo em cada dia do ano que inicia e que juntos possamos vivenciar os ensinamentos do Mestre Jesus ao longo do próximo ano e nos demais dias da nossa caminhada.
Maria Lúcia Candeia - Assistente Social

Sorri de novo para os que te ofenderam; abençoa os que feriram; divide o farnel com os irmãos em necessidade; entrega um minuto de reconforto ao doente; oferece uma fatia de bolo aos que oram, sozinhos, sob ruínas e pontes abandonadas; estende um lençol macio aos que esperam a morte, sem aconchego do lar; cede pequenina parte de tua bolsa no auxílio às mães fatigadas, que se afligem ao pé dos filhinhos que enlanguescem de fome, ou improvisa a felicidade de uma criança esquecida. Não importa se diga que cultivas a bondade somente hoje quando o Natal te deslumbra!... Comecemos a viver com Jesus, ainda que seja por algumas horas, de quando em quando, e aprenderemos, pouco a pouco, a estar com ele, com todos os instantes, tanto quanto ele permanece conosco, tornando diariamente ao nosso convívio e sustentando-nos para sempre. LIVRO ANTOLOGIA MEDIÚNICA DO NATAL Psicografia: Francisco Cândido Xavier. Espírito: MEIMEI

CARTÃO DE NATAL.
Ao clarão do Natal, que em ti acorda a música da esperança, escuta a voz de alguém que te busca o ninho da própria alma!... Alguém que te acende a estrela da generosidade nos olhos e te adoça o sentimento, quais se trouxessem uma harpa de ternura escondida no peito. Sim, é Jesus, o amigo fiel, que volta. Ainda que não quisesse, lembrar-lhe-ia hoje os dons inefáveis, ao recordares as canções maternas que te embalaram o berço, o carinho de teu pai, ao recolher-te nos braços enternecidos, a paciência dos mestres que te guiaram na escola e o amor puro de velhas afeições que te parecem distantes. Contemplas a rua, onde luminárias e cânticos lhe reverenciam a glória; entretanto, vergas-te ao peso das lágrimas que te desafogam o coração... É que ele te fala no íntimo, rogando perdão para os que erram, socorro aos que sofrem, agasalho aos que tremem na vastidão da noite, consolação aos que gemem desanimados e luz para os que jazem nas trevas. Não hesites! Ouve-lhe a petição e faze algo!...

4

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

Que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?

sta pergunta se encontra no Evangelho segundo Mateus (19: 16 a 30): um jovem rico se aproxima de Jesus e diz: Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Jesus lhe recorda ser preciso apenas guardar os dez mandamentos, ao que o jovem responde já observar um comportamento fiel à lei, entretanto sentia que algo mais estaria lhe faltando. “Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois vem e me segue.”, responde o Mestre. Conta-nos Amélia Rodrigues (*) que o jovem mancebo sentia-se arrebatado pelo meigo Nazareno. O rapaz tudo possuía, mas tinha sede de paz, no entanto, ao receber o convite de Jesus para ser um de seus seguidores teve como reação a recusa, pois intencionava primeiro competir em Cesaréa disputando para Israel os triunfos dos jogos. Após o evento poderia segui-lo. Jesus argumenta que não podia esperar: “O reino de Deus começa hoje e agora para o teu espírito. Não há tempo a perder”, entretanto o rapaz que há muito aguardava por aquela competição resistia apesar de não recear dar tudo que possuía. Uma vez mais Jesus lhe chama: “Dá-me a ti próprio e eu te oferecerei a ventura sem limites”. Mas era justamente a juventude, a vaidade, os caprichos e as honras que o jovem não conseguia doar. Ao se dar conta desta dificuldade decidiu que não O seguiria. Uma semana depois durante a competição aguardada, em uma manobra infeliz, o jovem teve sua biga virada e seu corpo pisoteado pelas patas dos animais. A autora espiritual relata que ao silenciar os gritos em sua concha acústica no desencarne, o jovem ainda tem a impressão de escutar: Renuncia a ti mesmo, vem, e me segue.

E

Nesta passagem temos o exemplo de um homem que não consegue se despir dos conceitos de valor impostos pela sociedade, onde a honra, a vitória, o título de destacado guerreiro, tinham para aquele rapaz maior importância que os bens materiais que possuía. Apesar da grande fortuna, era capaz de despojar-se da herança material paterna, mas não renunciava a si mesmo. Não esquecia o tesouro escondido em seu coração, preenchido com a vaidade, o orgulho indispensável a um homem de seu tempo. Não havia reservado espaço em seus sentimentos para conter o devotamento e a abnegação à mensagem cristã. Não era ainda capaz de sofrer pelo outro, assim como nós muitas vezes encontramos dificuldades pessoais em nos doar apesar de ser fácil abrir a carteira em benefício de alguém; era um rapaz que igual a nós ainda resistia à reforma íntima deixando de retirar dos escaninhos dos sentimentos equivocados os velhos tesouros reunidos pelo ego, para então abrir espaço e acomodar as virtudes da Vida Eterna. Deste encontro ainda se registra outra sentença de Jesus: “Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas”. Com esta afirmativa, Jesus não nos impõe desfazer dos bens materiais. Observem antes que, ao jovem rico que buscava a perfeição (“Se queres ser perfeito... dá aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois vem e me segue”) ele pro-

mete o tesouro mesmo antes de ser seguido, desde que aquele rapaz colocasse os necessitados à frente dos interesses pessoais, pois muitos são os caminhos do amor incondicional que orientam a humanidade. A doutrina consoladora da fé espírita é um deles. O Espiritismo nos traz luz às mensagens de Jesus; esclarece que nossa efetiva perfeição só ocorrerá com a superação de todos os nossos equívocos materiais, morais e intelectuais; chama-nos atenção que em uma só existência não conseguiremos vencer a nós mesmos apesar de sermos capazes de vencer muitas batalhas externas. Na Doutrina Espírita aprendemos que somos fruto de um processo evolutivo interminável, que nosso estágio atual é de iniciante na caminhada e que teremos tantas oportunidades quantas forem necessárias para nosso aprendizado, pois o Pai jamais desistirá de nós. Assim agradecemos o Consolador Prometido, a graça de hoje podermos entender um pouco mais do Evangelho de Jesus e assim aliviar, na medida de nossas grandes limitações, o fardo pesado do tesouro equivocado que ainda carregamos em nossos corações. Obrigada Kardec, Obrigada Jesus. Um feliz ano de renovação para todos nós! Maryane Medeiros/CETJ
(*) “O Mancebo rico” in Primícias do Reino da psicografia de Divaldo Pereira Franco

5

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

Ano Novo, Vida Nova
Como se bastasse falar para acontecer... E logo vem à nossa mente os novos planos sem prazo e novos prazos para antigos planos. O que não foi realizado passa para a agenda nova com grandes probabilidades de permanecer apenas no desejo. Dalai Lama, o líder espiritual, diz que "é muito importante que o homem tenha ideais. Sem eles, não se vai a parte alguma. No entanto, é irrelevante alcançálos ou não. É apenas necessário mantê-los vivos e procurar atingilos." Bem de acordo com a nossa doutrina que não reconhece valor apenas nos atos praticados, mas nos esforços empreendidos pelas conquistas, especialmente as interiores. Mas é preciso progredir e o empenho deve chegar ao limite de nossas forças e conhecimento. E, para transformar planos em realidade é preciso priorizar, mas já repararam que os planos mais adiados são aqueles que dizem respeito às transformações pessoais? Recém saídos do Natal ainda na vibração da solidariedade, dos bons propósitos e dispostos às mudanças, nos deparamos de repente com o célebre “muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender...”, que parece ocupar rapidamente o universo de nossos interesses mudando o rumo das nossas aspirações. E o Dia da Fraternidade, data dedicada às vibrações pela Paz e divulgação do Amor vira uma só preocupação: a festa, os convites, a roupa nova, a cor da sorte... É claro que podemos e devemos comemorar em família, entre amigos, mas que tal refletir um pouco sobre que sentimentos

movimentam nosso coração nesse momento? Que ideias impulsionam nossos pensamentos? Alcançamos o grande objetivo desse dia que ao ser escolhido para representar o Dia Mundial da Paz, deixou de ser um simples marco temporal para unir todos os povos, congregando pensamentos, sentimentos e vibrações pela Paz? O Ano Novo não é apenas uma página que vira no calendário do tempo, mas uma oportunidade nova de reflexão e de recomeço para que novas e mais sábias decisões possam realmente promover Vida Nova. Mesa farta ou simples, roupa nova ou velha, branca, azul, amarela, tudo perde o sentido quando lembramos que outros seres humanos como nós aguardam apenas um momento de paz entre as diversas guerras do mundo, sejam elas explícitas ou frias, políticas ou religiosas, para abraçar um irmão, para acalentar um filho e desejar a ele que no próximo ano não precisem ferir ou matar. Nesse momento, as superficiais programações de Ano Novo, os rituais e atavismos da sorte, as alegrias breves perdem o significado porque passamos a dar sentido à vida, dignidade aos sentimentos. E o Ano Novo se mistura à Era Nova quando elevamos os sentimentos em relação ao outro à altura daquilo que desejamos para

nós. Nessa hora, nos damos conta do que estamos fazendo nesse planeta tão querido. Espíritos amigos aproveitam esses momentos de sensibilidade e nos recordam de antigos planos traçados quando esta encarnação era apenas um projeto. E para entender seus conselhos sem palavras é preciso silenciar e ouvir a própria consciência que parece querer nos despertar para as responsabilidades de ser cristãos. Quantas vezes fomos cristãos ao longo dos tempos e não prestamos atenção ao chamado de Jesus. E Ele que já nos ensinou tanto, que nos segue de perto aguardando os breves momentos em que nos fazemos mais próximos, repete o convite nos estimulando à mudança de atitudes diante da vida. Se formos capazes de ouvir o apelo mudo do mundo espiritual, que lamenta quando nos fazemos surdos, mas que vibra feliz quando damos um passo na direção do progresso, se formos capazes de manter vivos dentro de nós os ideais superiores e a esperança saberemos o que fazer para que este Ano Novo tenha um significado muito especial e que a nossa vida seja melhor, mais útil e proveitosa. A decisão é nossa... Carlos H. Salgado – CETJ

6

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

Balanço Cristão
Que tal realizarmos um balanço em nossa vida? Pensemos há quanto tempo aderimos ao chamado do Cristo, isto é, há quanto tempo nos afirmamos cristãos. Observemos à nossa volta, em nossa própria casa. O que vemos? As estantes estão abarrotadas de vozes caladas, livros que a traça devora. Estão ali, parados. Os armários estão entupidos de roupas fora da moda e que acreditamos que, um dia, voltarão a ser usadas. As caixas se empilham, guardando botas, sapatos, sandálias que não servem mais em nossos pés. Em baús ou armários bem altos estão os agasalhos de inverno abandonados, entregues ao apodrecimento. As farmácias improvisadas estão repletas de medicamentos que aguardam as nossas enfermidades, enquanto o prazo de validade expira. Estantes, armários, baús, caixas, pacotes cobertos de pó, mofo, bolor. Comida de traça, esconderijo para pequenos animaizinhos. Tanta coisa parada, sem uso. E tantos a padecer carências. Por isso, realizemos uma mexida nas estantes. Passemos adiante os livros que não vamos ler. Examinemos o conteúdo e tornemo-los mensagens de vida. Distribuamos as roupas, enquanto ainda estão boas, para os que se encontram desnudos, na miséria. Selecionemos os calçados, botas e sandálias. Retifiquemos as solas gastas, providenciemos uma cola aqui, uma costura ali e ofertemos a quem anda descalço. Imaginemos quantas crianças terão protegidos os seus pezinhos dos cacos de vidro, das pedras pontiagudas. Quantos pés cansados, idosos não mais terão que suportar o calor das pedras ou o frio da terra úmida. Desapeguemo-nos das velhas lãs e capotes, doando-os aos sofredores. Propiciemos calor abençoado a corpos quase sem roupa. Conduzamos os remédios, que estão nas prateleiras, para postos de saúde, hospitais, clínicas comunitárias. Conservemos o que tenhamos em movimento. Tudo o mais, distribuamos, demonstrando que somos senhores e não escravos de coisa alguma. Não esperemos que a dor se adorne de trapos e se apresente ao abandono para que surja o nosso momento de ajudar. Não esperemos que a miséria desnude corpos sofredores a fim de que ofereçamos a contribuição do nosso socorro. Não aguardemos que as pessoas pereçam à falta de medicamentos. Vamos ao encontro da dor, da necessidade e ajudemos com o que tivermos. Atendamos às ordens do nosso coração de seguidor de Jesus, nosso Mestre e Senhor. Redação do Momento Espírita, com base nos caps. 44 e 45, do livro Legado Kardequiano, p/ Espírito Marco Prisco, psicografia de Divaldo P.Franco, ed. Leal.

Evangelização & Mocidade Parabéns aos Evangelizadores, Pais e Responsáveis Queremos agradecer a todos os evangelizadores da nossa Casa, pela dedicação e entusiasmo com que conduziram a nossa evangelização neste ano de 2013, mantendo a ótima média de participação de 60 jovens e 30 crianças. Com a colaboração de todos, conseguimos chegar com muita alegria até o dia do encerramento. Agradecemos também aos pais, o incentivo dado aos seus filhos para participarem da evangelização. Desejamos a todos, um Novo Ano com grandes realizações e muito Amor em seus corações. Comunicamos que retornaremos à evangelização no dia 08/02/14 ( sábado) no mesmo horário, às 16h . Deus os abençoe e muita Luz em suas vidas. Carinhosamente, Dejanira e Augusta

Atenção!
Informamos a todos que estudam em nossa Casa, as datas do retorno das atividades do ESDE : Segunda-feira 18:15 retorno: 10/02/14. Quarta-feira 15H , retorno: 12/02/13 . Quinta-feira 18:15 e 20h 13/02/14. O Introdutório começará no dia 13/03/14 às 20h ( quinta - feira). Desejo a todos um Novo Ano com muito sucesso e Amor em suas vidas. Dejanira Martins

Em 2/01/2013.

7

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

Testamento moral
“No final de minha vida, nesta hora crepuscular em que uma nova etapa termina, em que as sombras crescem sem cessar e cobrem todas as coisas com seu manto melancólico, recordo o caminho percorrido desde minha infância; depois, dirijo meu olhar para adiante, para essa porta que brevemente se abrirá para mim, para o Além e suas eternas claridades. “Nessa hora, minha alma se recolhe e se desprende, antecipadamente, dos liames terrenos; ela vê e compreende o objetivo da vida. “Consciente de seu papel neste mundo, reconhecida pelos benefícios divinos, sabendo por que veio e por que atuou, bendiz a vida por todas as alegrias, todas as dores, todas as provas salutares que experimentou e agradece os instrumentos de sua educação e de seu progresso. “Bendiz a vida terrena, convencida, quando a deixar, de que retornará mais tarde, numa nova existência, para ainda trabalhar, sofrer, aperfeiçoar-se e contribuir, por seus esforços, para o progresso deste mundo e da humanidade. “Consagrei esta existência ao serviço de uma grande causa: O Espiritismo ou Espiritualismo Moderno, que será, certamente, a crença universal, a religião do futuro. “Consagrei à sua divulgação todas as minhas forças, toda a minha capacidade e todos os recursos de meu espírito e meu coração. “Tenho sido sempre, e poderosamente, sustentado por meus amigos invisíveis, por aqueles a quem irei juntar-me, brevemente. “Pela causa do Espiritismo, renunciei a todas as satisfações materiais, mesmo as da vida familiar e da vida pública, aos títulos, às honrarias e funções, vagando pelo mundo, muitas vezes só e triste, porém, no fundo, feliz de assim pagar minha dívida do passado e de me aproximar dos que me aguardam, no Além, na Luz Divina. “Abandonando a Terra, quero que os recursos por mim deixados sejam consagrados ao serviço dessa mesma causa. É com este pensamento e com esta firme vontade que organizei a lista de meus herdeiros. “Inicialmente, com o objetivo de propaganda doutrinária, deixo ao Sr. Jean Meyer, residente na Vila Montmorency, Avenida des Tilleuls, 11, Paris, 16º, a propriedade de minhas obras que figuram na Biblioteca de Filosofia Espiritualista Moderna e das Ciências Psíquicas, que ele fundou. Além disso, deixo ao dito Jean Meyer, todos os volumes e brochuras em depósito na tipografia Arrault, em Tours, assim como os clichês, impressões e anexos referentes a essas obras. “Se, por morte do Sr. Jean Meyer, o funcionamento de sua biblioteca, acima designada, se achar comprometido, minhas obras cairão no domínio público e todos os interessados poderão reproduzi-las, com a condição de seguirem escrupulosamente o texto de cada última edição, sob o controle e vigilância de meus executores testamentários.”

Léon Denis

8

Informativo CETJ

Janeiro de 2014

PROGRAMAÇÃO DA CASA
Dia 05 12 19 26 Palestrante André Cantarelli Roracy Corrêa Daniel Pavam Wendel Bráulio

Domingo 18h

Origem U. Espírita Chico Xavier Centro Espírita Trabalhadores de Jesus Cabo Frio - RJ Centro Espírita Trabalhadores de Jesus Cabo Frio - RJ Centro Espírita Regeneração São Gonçalo - RJ
Quarta-feira - 20h

Tema Diversidade e Sociedade Doutrina Espírita ou Espiritismo. O que é? Trigo de Deus A arte no Espiritismo

01

Daniel Pavam O Livro dos Espíritos Paulo Jorge Gozos dos bens terrenos Marcelo Turra Necessário e supérfluo Flávio Scali Privações voluntárias. Mortificações José Martins Pintor Destruição necessária e destruição abusiva Itens 711 a 714 715 a 717 718 a 726 728 a 736

Os primeiros cristãos O Evangelho Segundo o Espiritismo Roracy Corrêa Aliança da Ciência e da Religião Cláudia Pavam A Era Nova Beth Sanches A Era Nova Ciro Meliande A vida futura Cap./ Itens I 8 I 9 I 10 e 11 II 1a3

08

15

22

29

Livraria : Segunda a Sexta-feira: 14h30 às 17h Quarta-feira: 19h30 às 21h; Sábados:15h30 às 18h; Domingos:17h30 às 20h Biblioteca: quarta-feira 19h30 às 21h30; quinta-feira: 14h30 às 17h; domingo: 17h30 às 19h30. Domingos 18h às 19h30: Reunião pública; Grupo de Recreação Infantil Tudo é Amor (GRITA). Segundas-feiras 14h às 17h: Tarefas de corte e costura e bazar; 14h30 às 17h: Pechincha; 15h às 16h30 e 20h às 21h30: Reuniões de Desenvolvimento. Mediúnico e Socorro Espiritual; 18h15 às 19h45: Estudo Sist. da Doutrina Espírita; Estudo Livro do Espíritos 20h: Reunião de estudo da mediunidade. Terças-feiras 14h às 16h: GEMA - Atendimento às gestantes; 19h45 às 21h30: Reunião de tratamento Espiritual.

Quartas-feiras 15h às 16h30: Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita 15h às 17h: Grupo de Visitas a Enfermos Milota Cabral; 20h às 21h30: Bazar; 20h às 21h30: Reunião pública; Grupo de Recreação Infantil Tudo é Amor (GRITA). Quintas-feiras 14h30 às 17h: Bazar; Pechincha;Tarefas corte e costura 15h às 17h: Plantão de passes; 18h15 às 7:30h: Estudo Livro dos Espíritos 18h30 às 20h: Estudo das obras de André Luis; 19h: Montagem bolsas de alimentos; 1ª e 3ª de cada mês 20h às 21h30: Estudo Sist. da Doutrina Espírita Sextas –feiras 13h30: preparação da sopa. (1a. e 3a. de cada mês) 20h às 21h30: Reunião mediúnica; Sábados 10h às 11h30: 1o e 3o do mês, atendimento aos irmãos cadastrados; distribuição de sopa e bolsa com alimentos. 15h às 16h - Oficina de Música 16h às 18h: Evangelização infantil; reunião da Mocidade Espírita; Reunião do Grupo de Pais;

O CETJ fica aberto diariamente de segunda a sexta-feira, de 14h às 17h, para as atividades administrativas e informações

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful