Você está na página 1de 4
Sustentabilidade Dimensionamento Ambiental de Condutores Elétricos
Sustentabilidade Dimensionamento Ambiental de Condutores Elétricos

Sustentabilidade Dimensionamento Ambiental de Condutores Elétricos

Dimensionamento Ambiental de Condutores Elétricos 1- INTRODUÇÃO Quando em operação, devido à sua resistência
Dimensionamento Ambiental de Condutores Elétricos 1- INTRODUÇÃO Quando em operação, devido à sua resistência

Dimensionamento Ambiental de Condutores Elétricos

1- INTRODUÇÃO Quando em operação, devido à sua resistência ôhmica, os condutores elétricos aquecem (efeito joule) e dissipam uma parte da energia transportada, de modo que essa perda resulta na geração de uma energia adicional que contribuirá para o acréscimo da emissão de gases de efeito estufa na atmosfera, notadamente o dióxido de carbono (CO 2 ).

Como resultado, é possível então reduzir as perdas nos cabos elétricos e as suas emissões de CO 2 através do aumento da seção nominal dos condutores elétricos.

2 - ASPECTOS ECONÔMICOS

Quanto menor a seção nominal de um condutor elétrico, menor é o seu custo inicial de aquisição e instalação (CI)

e maior é o seu custo operacional (perda joule) durante a sua vida útil (CJ), conforme indicado no Gráfico 1.

$

VALOR MÍNIMO S T S E
VALOR MÍNIMO
S T
S E

mm 2

S E > S T corresponde ao custo total mínimo

CUSTO TOTAL

CUSTO INICIAL

CUSTO DE OPERAÇÃO (PERDAS)

Gráfico 1: Custo inicial e custo operacional dos cabos em função da seção nominal.

A seção econômica (S E ) de um circuito é aquela que resulta no menor custo total de instalação e operação de

um condutor elétrico durante sua vida útil.

Para a determinação da seção econômica de um condutor para um dado circuito, seja ele em baixa ou média tensão, deve-se utilizar a norma ABNT NBR 15920:2010 [3] .

3 - ASPECTOS TÉCNICOS

O dimensionamento técnico de um condutor elétrico é realizado conforme as prescrições das normas ABNT NBR 5410 [1] e ABNT NBR 14039 [2] que consideram os seguintes critérios:

seção nominal mínima do condutor;

capacidade de condução de corrente do condutor em regime permanente;

queda de tensão no condutor;

proteção do condutor contra sobrecarga;

proteção do condutor contra curto-circuito;

Independentemente de qual critério prevalece no dimensionamento técnico, o objetivo é sempre buscar a menor seção nominal possível que garanta a segurança da instalação elétrica. No entanto, quanto menor a seção do

condutor, maior a sua resistência elétrica e, consequentemente, maiores a perda de energia (joule) no circuito

e

a emissão de CO 2 .

4

- ASPECTOS AMBIENTAIS

Estudos [6] mostram que as mais significativas emissões de CO 2 são produzidas quando os condutores estão em operação, sendo relativamente menores na fase de fabricação e descarte desses produtos. Essas emissões de CO 2 são consequência da geração extra de energia que compensa as perdas joule nos condutores. Como visto, é possível reduzir a perda de energia (joule) e, consequentemente, a emissão de CO 2 através do aumento da seção do condutor elétrico.

A seção nominal de condutor que resulta no melhor compromisso entre custo inicial, custo operacional e emissão

de CO 2 é a Seção Econômica (S E ). Neste caso, cálculos mostram que é possível evitar a emissão na atmosfera de

toneladas de CO 2 ao longo da vida útil de um único circuito.

SEGURANÇA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS: CABOS ELÉTRICOS COM BAIXA EMISSÃO DE FUMAÇA E LIVRES DE HALOGÊNIOS
SEGURANÇA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS: CABOS ELÉTRICOS COM BAIXA EMISSÃO DE FUMAÇA E LIVRES DE HALOGÊNIOS

SEGURANÇA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS: CABOS ELÉTRICOS COM BAIXA EMISSÃO DE FUMAÇA E LIVRES DE HALOGÊNIOS (AFITOX)

A ABNT NBR 5410 [1] e a ABNT NBR 13570 [4] contêm prescrições que influenciam diretamente a seleção das linhas

elétricas em alguns tipos de locais, particularmente em relação à proteção contra incêndio.

Conforme ambas as normas, são exemplos de locais de afluência de público hotéis, teatros, cinemas, shopping centers, hospitais, auditórios, lojas de departamentos, restaurantes, supermercados, escolas, locais de feiras e exposições, estações rodoviárias, ferroviárias, portos, aeroportos, estádios e ginásios esportivos, dentre outros.

É importante lembrar que uma linha elétrica é constituída pelos condutores elétricos e seus elementos de fixação ou

suporte, tais como eletrodutos, eletrocalhas, perfilados, canaletas, etc. Alguns condutos são abertos, nos quais existe

o acesso direto aos cabos mesmo depois de sua instalação (por exemplo, eletrocalhas e perfilados sem tampa, leitos, etc.) e outros condutos são fechados, tais como eletrodutos e eletrocalhas com tampa.

De forma resumida, os itens 5.2.2.2.3 da NBR 5410 e 4.2.4 da NBR 13570 prescrevem que, no caso de linhas elétricas situadas em locais de afluência de público constituídas por cabos fixados em paredes ou tetos ou instalados em condutos abertos, os cabos devem ser resistentes à chama sob condições simuladas de incêndio,

livres de halogênio e com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos e corrosivos. Tais cabos elétricos devem atender a ABNT NBR 13248 [5] e, na linha da Nexans Ficap, são os Cabos Afitox, disponíveis nas versões 450/750

V e 0,6/1 kV.

Acima da exigência das normas técnicas relativas ao uso dos cabos Afitox, destacam-se algumas características destes tipos de cabos, conforme a seguir:

- é comprovado pelas estatísticas do corpo de bombeiros que a maioria das mortes em incêndios é devida às

conseqüências da presença de grande quantidade de fumaça densa, que prejudica a fuga dos locais na medida em que impede a adequada visualização da rota de fuga. Além disso, a falta de visibilidade gera a sensação de pânico nas pessoas, o que agrava a situação, levando a tumultos e perdas de muitas vidas. No caso dos Cabos Afitox, a pouca fumaça gerada durante a queima do material é opaca, de baixíssima densidade, o que contribui para a fácil, rápida e tranqüila fuga dos locais.

para a fácil, rápida e tranqüila fuga dos locais. Visibilidade com a emissão de fumaça durante

Visibilidade com a emissão de fumaça durante o incêndio

100 90 80 70 60 50 40 30 Limite de Evacuação 20 10 0 0
100
90
80
70
60
50
40
30
Limite
de Evacuação
20
10
0
0 2
4
6
8
10
12
14
16
18
20
22
24
26
28
30
32
34
36
38
40
tempo (minutos)
Cabo LSOH
Cabo Padrão
Visibilidade(%)

- além da densidade, um elevado índice de toxicidade da fumaça leva ao perigo de morte por asfixia. No caso dos

Cabos Afitox, o índice de toxicidade dos materiais é muito pequeno, reduzindo assim os riscos de morte por asfixia.

- um terceiro aspecto dos Cabos Afitox é a baixa corrosividade dos gases emitidos durante a queima dos seus

materiais. Em várias situações, os gases altamente corrosivos emitidos por alguns tipos de cabos podem danificar temporária ou permanentemente os equipamentos, aparelhos e dispositivos de uma instalação elétrica. Tais danos podem significar a interrupção ou perda permanente de processos, sejam industriais, de serviços, etc. Essas interrupções podem, em vários casos, significar danos financeiros e econômicos de elevado valor ou podem até mesmo colocar pessoas em risco devido à parada de sistemas de segurança pessoal. No caso dos Cabos Afitox, a pouca fumaça gerada durante a queima do material é de baixa corrosividade, contribuindo assim para a eliminação

ou minimização dos danos decorrentes da perda dos equipamentos por efeitos da corrosão.

REFERÊNCIAS

[1] ABNT NBR 5410: Instalações elétricas de baixa tensão; ABNT, 2004.

[2]ABNT NBR 14039: Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV; ABNT, 2003.

[3] ABNT NBR15920: Cabos elétricos – Cálculo da corrente nominal – Condições de operação – Otimização econômica das seções dos cabos de potência; ABNT, 2010.

[4] ABNT NBR 13570 – Instalações elétricas em locais de afluência de público; ABNT, 1997.

[5]ABNT NBR 13248 - Cabos de potência e controle e condutores isolados sem cobertura, com isolação extrudada e com baixa emissão de fumaça para tensões até 1 kV - Requisitos de desempenho; ABNT, 2000.

[6]Estimation of CO 2 Emissions Reduction Resulting From Conductor Size Increase for Electric Wires and Cables, Kazuhiko Masuo, Nobukazu Kume, Takehisa Hara; IEEE Japan, 2007.

Maio 2013 / design, produção digital e impressão: www.wteixeiracomunicacoes.com.br

Com a energia como base do seu desenvolvimento, a Nexans, especialista mundial na indústria de cabos, oferece uma extensa gama de cabos e sistemas de cabeamento. O Grupo é um player global nas áreas transmissão e distribuição de energia, indústria e construção. A Nexans aborda uma série de segmentos de mercado: desde redes de energia e Telecom e recursos energéticos (eólico, fotovoltaico, óleo e gás e mineração) até transporte (naval, aeroespacial, automotivo, automação e ferroviário).

Nexans é uma empresa responsável que se refere ao desenvolvimento sustentável como parte integrante de sua estratégia global e operacional. Inovação contínua em produtos, soluções e serviços, desenvolvimento e comprometimento de nossos funcionários, foco no cliente e introdução de processos industriais seguros com reduzido impacto ambiental estão entre as principais iniciativas que a Nexans esperade um futuro sustentável.

Com presença em mais de 40 países e atividades comerciais em todo o mundo, a Nexans emprega 25.000 profissionais e teve vendas em 2012 de mais de 7,2 bilhões de euros. A Nexans está listada na NYSE Euronext Paris, no compartimento A. Para mais informações, consulte www.nexans.com

Paris, no compartimento A. Para mais informações, consulte www.nexans.com www.nexans.com.br nexans.brazil@nexans.com

www.nexans.com.br

nexans.brazil@nexans.com

Paris, no compartimento A. Para mais informações, consulte www.nexans.com www.nexans.com.br nexans.brazil@nexans.com