Você está na página 1de 16

OBSERVATÓRIO DO TURISMO

DA CIDADE DE SÃO PAULO

BOLETIM SEMESTRAL 2009

ANO 1 NÚMERO 1
OBSERVATÓRIO DO TURISMO DA CIDADE DE SÃO PAULO
BOLETIM SEMESTRAL / 2009 - PRIMEIRO SEMESTRE
ÍNDICE

INTRODUÇÃO

P.3
AEROPORTOS

P.4
PERFIL DOS HÓSPEDES EM
HOTÉIS PAULISTANOS

P.5
PESQUISAS POR
SEGMENTO

P.12
PESQUISAS PONTUAIS

P.13
CITs

P.14

CRÉDITOS
Prefeito da Cidade de São Paulo: Gilberto Kassab
Presidente da São Paulo Turismo (SPTuris): Caio Luiz de Carvalho
Diretora de Turismo e Entretenimento (SPTuris): Luciane Leite
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo (SPTuris)
Coordenação técnica: Beatriz Lage
Projeto gráfico: René Perol
Design gráfico e diagramação: Fábio Montanheiro e Rene Perol
Equipe técnica: Fábio Montanheiro, Juliana Carrasco, Marília Uint, Mário La Torre Filho, Sérgio Porto
Estagiários: Igor Geiger Santanna e Jéssica Landim Ribeiro Mendes
Introdução
O Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo, como núcleo de acompanhamento de informações, estudos e pesquisas do
turismo da São Paulo Turismo (SP Turis) inicia sua primeira edição semestral do Boletim Informativo para 2009. Objetivando
uma análise do comportamento do turismo paulistano, destacamos resultados obtidos na hotelaria da cidade, nos seus
aeroportos, com o ISS do Grupo 13, bem como em pesquisas específicas sobre o turismo com grandes parceiros, em especial
o Fórum de Hoteleiros do Brasil (FOBH) e algumas das principais Universidades da cidade de São Paulo.
Pretende-se que esta publicação seja periódica, composta por um número de indicadores valiosos para todos os agentes que
trabalham com o turismo, e que sempre possa agregar maior conhecimento sobre a atividade, com o trabalho desenvolvido
pela empresa oficial de promoção de turismo e eventos na cidade - a São Paulo Turismo (SPturis).

DESEMPENHO DA HOTELARIA PAULISTANA


COMPARATIVO MENSAL - TAXA DE OCUPAÇÃO (TO), DIÁRIA MÉDIA (DM) E REVENUE PER APARTMENT (REVPAR)
Ano Dado Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Média semestral
TO (%) 53,83 59,30 69,10 70,31 70,02 74,75 64,5
2008

DM (R$) 169,89 170,93 178,06 166,99 175,60 178,17 173,27


REVPAR (R$) 92,50 102,08 121,51 114,70 122,56 133,53 114,18
TO (%) 51,56 48,95 66,41 54,87 62,39 65,95 58,4 (-6,01%)
2009

DM (R$) 181,15 190,94 205,39 194,61 199,76 210,71 197,09 (13,74%)


REVPAR (R$) 93,51 96,01 136,88 108,74 123,05 142,40 116,76 (2,25%)
Fonte: São Paulo Turismo, 2009

Pesquisa realizada pela São Paulo Turismo (SP Turis) junto a uma amostragem de 100 hotéis de todas as categorias (luxo,
midscale e econômico) visando avaliar o desempenho mensal da hotelaria na cidade de São Paulo. No primeiro semestre de
2009 verificou-se uma ocupação média de 58,4% e uma diária média de R$ 197,09, além de um REVPAR de R$ 116,76. Os
meses de melhor desempenho foram março e junho, alta temporada para realização de negócios e eventos na cidade.
A crise econômica atingiu a todos os setores e também reduziu as taxas de ocupação hoteleira no primeiro semestre de
2009 em 6,01%, enquanto que as diárias aumentaram em 13,74%, incluindo o REVPAR em 2,25%. Entretanto, considerando
que 61,6% dos hóspedes dos hotéis FOHB da cidade de São Paulo são turistas de negócios, que é um produto inelástico - a
redução no volume das viagens tende a ter um efeito menor que as motivadas por finalidade de lazer. Essa relativa vantagem
leva-nos a supor que as viagens para a cidade retomarão seu crescimento, com uma otimização das permanências em um
grau de pernoites acima do que foi registrado nos anos anteriores.

ARRECADAÇÃO DE IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS


ARRECADAÇÃO DE ISS GRUPO 13* - TURISMO (EM MILHÕES DE R$)
Ano Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Média semestral
2008 9,3 8,4 8,2 10,1 10,4 9,9 56,3
2009 10,0 (7,39%) 8,7 (4,03%) 8,3 (0,63%) 11,1 (10,90) 10,1 (-2,59%) 10,9 (9,37%) 59,1 (5,04%)
Fonte: Secretaria Municipal de Finanças, 2009

Informações mensais obtidas na Secretaria de Finanças do Município de São Paulo pela São Paulo Turismo (SP Turis),
objetivando identificar o desempenho do ISS, em específico do Grupo 13, onde se insere os serviços relativos à hospedagem,
turismo, viagens e congêneres. De forma positiva, o volume observado no primeiro semestre é de R$ 59,1 milhões, 5,0%
acima do valor de 2008, com destaque para o mês de junho, com um aumento de aproximadamente 10%comparado com o
mesmo período do ano anterior.

3
www.cidadedesaopaulo.com
AEROPORTOS
Movimentação total de aeronaves em Congonhas para o primeiro semestre de 2009: 89.742 (-0,82%)
2008 15.505 14.207 15.079 15.018 15.293 15.380
CONGONHAS*

2009 15.355 (-0,98%) 13.905 (-2,17%) 16.151 (+6,64%) 15.708 (+4,39%) 16.231 (+5,78%) 12.392 (-24,1%)
JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO
2008 950.954 914.707 1.111.665 1.251.689 1.327.771 1.248.205

2009 1.043.994 (+8,91%) 889.178 (-2,87%) 1.110.797 (-0,08%) 1.063.785 (-17,66%) 1.096.624 (-21,08%) 809.967 (-54,1%)

Movimentação total de passageiros em Congonhas para o primeiro semestre de 2009: 6.014.345 (-13,5%)
Fonte: INFRAERO, 2009
Movimentação total de aeronaves em Guarulhos para o primeiro semestre de 2009: 96.314 (-0,9%)
10.748 (D) 9.640 (D) 10.188 (D) 10.000 (D) 10.191 (D) 9.304 (D)
2008 6.611 (I) 6.033 (I) 6.257 (I) 6.083 (I) 6.181 (I) 5.919 (I)
17.359 (T) 15.673 (T) 16.445 (T) 16.083 (T) 16.370 (T) 15.223 (T)
10.784 (D) 9.300 (D) 10.320 (D) 10.064 (D) 10.384 (D) 8.880 (D)

(+1,5%)

(-17,6%)
GUARULHOS*

(-0,3%)

(-0,1%)

(-3,5%)
(-3,9%)

2009 6.558 (I) 5.738 (I) 6.384 (I) 6.013 (I) 6.065 (I) 5.824 (I)
17.306 (T) 15.074 (T) 16.074 (T) 16.077 (T) 16.449 (T) 14.704 (T)
JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO
1.119.490 (D) 936.110 (D) 965.587 (D) 949.731 (D) 992.521 (D) 887.209 (D)
2008 838.652 (I) 715.887 (I) 743.904 (I) 689.433 (I) 701.147 (I) 694.365 (I)
1.958.142 (T) 1.659.185 (T) 1.709.187 (T) 1.639.468 (T) 1.693.668 (T) 1.581.574 (T)
1.180.179 (D) 879.062 (D) 940.658 (D) 951.360 (D) 964.221 (D) 844.894 (D)
(-12,5%)

(-12,5%)
(-0,1%)

(-2,7%)

(-7,0%)
(-7,1%)

2009 776.281 (I) 595.776 (I) 654.716 (I) 644.689 (I) 618.834 (I) 560.884 (I)
1.956.460 (T) 1.474.838 (T) 1.595.374 (T) 1.596.049 (T) 1.583.055 (T) 1.405.778 (T)

Movimentação total de passageiros em Guarulhos para o primeiro semestre de 2009: 9.611.554 (-6,5%)
(D) = Doméstico / (I) = Internacional / (T) Total Fonte: INFRAERO, 2009

Movimentação total de aeronaves em Viracopos para o primeiro semestre de 2009: 19.673 (+19,5%)
2008 2.486 2.375 2.658 2.628 2.786 2.896
VIRACOPOS*

2009 3.025 (-0,98%) 3.137 (-2,17%) 3.229 (+6,64%) 3.476 (+4,39%) 3.343 (+5,78%) 3.463 (+16,4%)
JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO
2008 77.307 83.612 95.855 100.944 100.687 98.640

2009 118.706 (+53,6%) 134.788 (+61,2%) 188.865 (+97,0%) 250.400 (+148,1%) 277.275 (+175,4%) 244.742 (+60,0%)

Movimentação total de passageiros em Viracopos para o primeiro semestre de 2009: 1.214.776 (+54,1%)
Fonte: INFRAERO, 2009

Informações mensais são obtidas junto à INFRAERO pela São Paulo Turismo (SP Turis), objetivando conhecer o fluxo de vôos
e de passageiros nos dois principais Aeroportos de São Paulo: Congonhas e Guarulhos. Em termos absolutos o volume total
de vôos domésticos, no primeiro semestre de 2009 foi de 149.474, e internacionais de 36.582. Considerando o fluxo de
passageiros domésticos, da ordem de 11.774.719, e internacionais de 3.851.180.
É interessante salientar a inclusão do Aeroporto Internacional de Viracopos que, embora não faça parte da região metropolitana
de São Paulo, deve ser ressaltado neste Boletim. O aumento do número de vôos e de passageiros no primeiro semestre
de 2009, em relação ao mesmo período do ano passado, foi de 54,1%, em grande parte devido ao início das operações da
companhia aérea Azul, que opera exclusivamente pelo Aeroporto de Viracopos.

* Considerando a totalidade de pousos e decolagens, embarques e desembarques


4
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo
PERFIL DOS HÓSPEDES EM HOTÉIS PAULISTANOS - FOHB
Uma parceria entre a São Paulo Turismo (SP Turis) e o Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) possibilitou conhecer
o perfil dos hóspedes nos hotéis de seus associados, nas distintas categorias (luxo, midscale, econômico). No primeiro
semestre de 2009 foi realizada uma pesquisa objetivando avaliar o perfil dos turistas, identificando sua procedência, destino
final, motivações de viagens, permanência, gastos médios, entre outros. Os 4211 questionários válidos foram aplicados em
dias alternados, no período de abril e maio, junto aos hóspedes em seu check out.
Os dados obtidos revelaram números inéditos sobre o turismo da cidade de São Paulo. Os números e mapas apresentados
possibilitam um diagnóstico deste grande mercado e um planejamento de ações da cadeia produtiva.

Perfil geral
CATEGORIA DE HOTEL ORIGEM DOS TURISTAS
Origem v%
7,0% Brasileiros 91,5
Luxo
Estrangeiros 8,1
Não Resposta 0,4
37,6% Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009
Midscale
Pernoites Gasto médio diário:
R$ 315,82
16,4%
Econômico 3,8 Gasto total na permanência:
R$ 1.200,15
MAIOR PARTE DO GASTO DESTINADA A
39,0% Tipo de gasto %
Não Resposta
Hospedagem 65,5
Alimentação 9,2
Compras 12,9
HOTEL Lazer 4,8
Transporte/ Taxi 4,8
Outros 2,8
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009 Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

MOTIVAÇÃO DE VISITA A SÃO PAULO


Visita a parentes e amigos
3,2%
Negócios Estudos
61,6% 5,5%
Eventos Lazer Saúde
18,1% 9,0% 2,1%

0,7% Não respostas


Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009
5
www.cidadedesaopaulo.com
No geral, a categoria de hotel mais buscada pelos turistas que se hospedam em São Paulo é a midscale. A motivação de viagem
predominante é Negócios e, em sua maioria, esses turistas são brasileiros. Ficam em média 3,8 dias na cidade com um gasto
no período de permanência em torno de R$ 1.200,15, sendo a maior parte destinada à hospedagem. Quando subdivididos
segundo sua origem (turistas do Estado de São Paulo, brasileiros e estrangeiros) verificamos que a motivação predominante
continua sendo Negócios, contudo, isso se mostra mais evidente entre os turistas estrangeiros, dos quais 69,9% vêm a São
Paulo por esse motivo. O Lazer é procurado em todos os segmentos, predominando entre os turistas do Estado de São Paulo,
com 10,0% vindo à cidade pelos seus atrativos. A demanda de turistas que são motivados por Eventos também aparece em
maior número entre os turistas do próprio Estado, com 21,0% do total desse extrato.

Perfil dos turistas brasileiros


CATEGORIA DE HOTEL ORIGEM DOS TURISTAS
Origem %
5,4% Estado de São Paulo 25,2
Luxo
Outros Estados Brasileiros 74,5
Não Resposta 0,3
38,7 % Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009
Midscale
Pernoites Gasto médio diário:
R$ 305,21
16,3%
Econômico 3,6 Gasto total na permanência:
R$ 1.098,79
MAIOR PARTE DO GASTO DESTINADA A
39,6% Tipo de gasto %
Não Resposta
Hospedagem 62,5
Alimentação 9,4
Compras 14,1
HOTEL Lazer 5,4
Transporte/ Taxi 5,5
Outros 3,1
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009 Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

MOTIVAÇÃO DE VISITA A SÃO PAULO Visita a parentes e amigos


2,6%
Negócios Estudos
62,9% 5,2%
Eventos Lazer Saúde
18,6% 8,0% 2,0%

0,7% Não respostas


Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009
6
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo
ORIGEM DOS TURISTAS BRASILEIROS

PB 1,0%
0,1% AC AP PI RN 0,7%
CE 1,9%
0,2% RO AL 0,6%
NORTE
1,1% 0,5% AM BA 4,2% NORDESTE
13,3% MA 0,6%
0,3% RR
SE 0,3%
PE 3,7% PI 0,2%

0,2% TO
1,2% MS
1,8% MT
CENTRO OESTE
10,3%
2,5% GO 5,5% DF
RJ 16,2%

5,6% SC
SUDESTE
23,0%
SUL
SP 25,2%
52,4%
7,4% RS 9,9% PR MG 8,3%
ES 2,7%

Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

Os turistas que mais gastam são os estrangeiros, com valor médio na viagem de R$ 2.165,34, enquanto os brasileiros
correspondem a R$ 1.098,79 e os do Estado de São Paulo, R$ 705,08. A maior parte dos gastos é destinada à hospedagem,
seguida por compras.
A média de pernoites é maior também entre os estrangeiros, 5,5, sendo 2,9 correspondente aos turistas do Estado e 3,6 aos
os turistas brasileiros. Quanto aos turistas estrangeiros, os procedentes da Europa ficam em média mais tempo na cidade,
5,6 dias. Os vindos da América do Norte, de forma geral gastam mais enquanto estão na cidade, com valor médio diário
de R$ 415,78. Quando especificamente analisamos os turistas estrangeiros motivados por Negócios, porém, notamos uma
inversão nesse comportamento: os procedentes da América do Norte permanecem mais, em torno de 4,1 dias, e os vindos
da Europa gastam mais, com uma média diária de R$ 591,79.
7
www.cidadedesaopaulo.com
Perfil dos turistas do Estado de São Paulo
CATEGORIA DE HOTEL ORIGEM DOS TURISTAS
Origem %
4,7% Campinas e região 46,9
Luxo
Outras regiões 51,8
Não Resposta 1,3
33,4 % Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009
Midscale
Pernoites Gasto médio diário:
R$ 243,16
20,6%
Econômico 2,9 Gasto total na permanência:
R$ 705,08
MAIOR PARTE DO GASTO DESTINADA A
41,4% Tipo de gasto %
Não Resposta
Hospedagem 65,3
Alimentação 9,4
Compras 9,9
HOTEL Lazer 3,8
Transporte/ Taxi 2,8
Outros 2,3
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009 Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

MOTIVAÇÃO DE VISITA A SÃO PAULO


Visita a parentes e amigos
3,5%
Negócios Estudos
54,3% 8,2%
Eventos Lazer Saúde
21,0% 17,6% 2,3%

0,7% Não respostas

Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

Importa ressaltar o número de pernoites obtido na pesquisa, da ordem de 3,8 dias. Comparado com os dados que apontavam
uma predominância entre 2 a 3 dias de permanência, segundo pesquisa (FIPE, 2008), percebe-se uma ampliação da
permanência dos turistas de Negócios em hotéis FOHB. Especialmente por tratar de época atípica, como a verificada no
primeiro semestre de 2009, tal fato leva-nos a supor: 1ª) que os turistas de Negócios e Eventos estejam condensando suas
atividades em menor número de freqüências, com um aumento no período de permanência na cidade; 2º) que os turistas
estejam, mesmo com a crise financeira, “ficando um ou mais dias adicionais na cidade” usufruindo das alternativas de
compras pessoais (24,6%), de lazer (24,8%) e mesmo para visitar amigos e parentes (8,9%), como motivações secundárias
nessa decisão das viagens.
8
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo
ORIGEM DOS TURISTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

6,3% 3,5% 13,2%


Barretos

Araçatuba Sãp José do Rio Preto

3,9%
Ribeirão Preto

Mococa
5,3%
Presidente Epitácio Lins
Araraquara

46,9%
Presidente Prudente Bauru
Jaú
Mogi Mirim
Marília São Carlos

Rio Claro Araras


Botucatu Limeira

1,9%
Ourinhos Americana
Piracicaba
Campinas Taubaté
Jundiaí
São José dos Campos

Itapetininga
Itu
Sorocaba
Jacareí
4,6%
São Paulo
6,8% Santos

2,3% 4,3%
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

Em se tratando dos roteiros de viagens internacionais é


relevante destacar que nem sempre os turistas estrangeiros
têm a cidade de São Paulo como primeiro destino. Dentre os
europeus, 23,1% vêm direto, 3,1% do NE, e 2,8% de países
da América do Sul, totalizando 30% do fluxo. Quanto aos
turistas da América do Norte, 23,7% vêm direto, 5,8% de
países da América do Sul, totalizando 29,5% do fluxo. Quanto
aos turistas do Estado de São Paulo, a região emissora
predominante é Campinas (46,9%), seguida de Ribeirão
Preto (13,2%), Bauru (6,8%), São José do Rio Preto (6,3%).
Em relação aos emissores brasileiros, o próprio Estado de
São Paulo é o primeiro emissor da cidade (25,2%), seguido do
Rio de Janeiro (16,2%), Paraná (9%), Minas Gerais (8,3%) e
Rio Grande do Sul (7,4%). Existe um fluxo grande do Mercosul
(22,1%), predominantemente de argentinos, que vem direto
para São Paulo, e de outras cidades brasileiras (2,5%).

9
www.cidadedesaopaulo.com
Perfil dos turistas estrangeiros
CATEGORIA DE HOTEL ORIGEM DOS TURISTAS
Regiões %
América do Norte e Europa 46,7
26,2% América do Sul 24,6
Luxo Outras regiões 28,7
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

Pernoites Gasto médio diário:


40,5 % R$ 393,69
5,5
Midscale
Gasto total na permanência:

5,4%
R$ 2.165,34
Econômico
MAIOR PARTE DO GASTO DESTINADA A
Tipo de gasto %
28,0%
Não Resposta Hospedagem 65,5
Alimentação 9,2
Compras 12,9
HOTEL Lazer 4,8
Transporte/ Taxi 4,8
Outros 2,8
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009 Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

MOTIVAÇÃO DE VISITA A SÃO PAULO


Visita a parentes e amigos
3,6%
Negócios Estudos
69,9% 3,3%
Eventos Lazer Saúde
11,9% 8,0% 2,7%

0,7% Não respostas

Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009

ORIGEM DOS TURISTAS - NEGÓCIOS ORIGEM DOS TURISTAS - MÉDIA GERAL


Origem Permanência Gasto diário Origem Permanência Gasto diário
América do Norte 4,1 dias R$ 559,05 América do Norte 4,6 dias R$ 415,78
Europa 3,9 dias R$ 591,79 Europa 5,6 dias R$ 402,19
América do Sul 3,9 dias R$ 498,43 América do Sul 4,6 dias R$ 326,22
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009 Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009
10
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo
ORIGEM DOS TURISTAS ESTRANGEIROS POR NACIONALIDADE E DESTINO ANTERIOR A SÃO PAULO

JAPÃO E CORÉIA EUROPEUS


VIA EUROPA

www.cidadedesaopaulo.com
VIA JAPÃO E CORÉIA
2,6% 23,1%

EUROPA
VIA AMÉRICA DO NORTE
4,2%
CHINA
VIA CHINA
2,6% AMÉRICA DO NORTE ORIENTE-MÉDIO
VIA AMÉRICA DO NORTE EUROPA VIA ORIENTE MÉDIO
VIA BRASIL
23,7% 3,1% 2,1%

AMÉRICA DO NORTE
VIA AMÉRICA DO SUL
5,8% ÁFRICA
VIA ÁFRICA

EUROPA
1,9%
VIA AMÉRICA DO SUL
2,8%
AMÉRICA DO SUL
VIA BRASIL
AMÉRICA DO NORTE E CENTRAL
OCEANIA
2,5%
VIA OCEANIA EUROPA
0,9% AMÉRICA DO SUL
VIA AMÉRICA DO SUL AMÉRICA DO SUL
22,1%
ÁFRICA
ORIENTE MÉDIO
Fonte:São Paulo Turismo/ FOHB, 2009 ÁSIA E OCEANIA

11
PESQUISAS POR SEGMENTOS
DEMANDA POR SEGMENTOS

DA CIDADE AIS VISITADOS


COMPR NÚCLEOS DE
MÉDICO CONGRESSOS

EM VISIT AIS CITAODS


DE GRA REALIZAÇÃO

IDADE
AIS TEA S E

GRAU DE E COM ALTO


IÃO CEN ARES
EIRE E

TURISTA ÃO PELOS
TRAL

TROS
HOW

RESTAU AÇÃO DE
PRAÇA NTES NA

DAVA
MOEMA A BOIM,
UL

RUA AV IXIGA E

ATRATIV
NDES S
CAR FR

AS POP

ANHAN

SM
AIS


NTR

SM
DA

DE

RA
VIL
,B
S

S
S

S
GRANDE

PARQUE
PRINCIP

PRINCIP
REGIÃO

JARDIN

DA REG

MUSEU
RUA OS

LOCAIS

CONCE
Segmentos Eventos Compras de Compras Shows/ Gastronomia Museus Parques e
Científicos Luxo Populares Teatros Áreas Verdes
Masculino Feminino Feminino Feminino Feminino Feminino Feminino
Gênero
71,1% 54,1% 64,0% 55,0% 59,1% 58,8% 51,0%
Superior Superior Médio Superior Superior Superior Médio
Instrução
84,3% 65,9% 39,0% 62,0% 62,7% 53,9% 44,7%
Ocupação Assalariado Assalariado Autônomo Assalariado Assalariado Assalariado Assalariado
Profissional 31,4% 41,2% 41,8% 42,9% 31,6% 47,4% 43,0%
Faixa Etária 30 a 49 25 a 39 30 a 49 30 a 39 30 a 39 18 a 29 18 a 29
(anos) 67,7% 54,2% 45,6% 25,6% 25,6% 46,2% 33,9%
Renda Acima de 10 Acima de 10 1a3 Acima de 10 Acima de 10 3 a 10 3 a 10
(Salários Mínimos) 63,8% 16,5% 43,6% 38,8% 61,3% 46,3% 47,4%
Hotel/ Flat 86,0% 46,9% 24,0% 29,9% 42,6% 37,9% 12,3%
Casa de Amigos e
14,0% 44,3% 32,4% 33,3% 40,3% 32,8% 27,1%
Parentes
Mensal Semestral Mensal Semestral Mensal Anual Semanal
Freqüência
58,0% 38,2% 40,2% 26,9% 34,9% 32,8% 38,8%
Gasto Médio
1.712,50 2.560,13 2.629,19 1.360,20 1.434,09 888,41 615,00
Viagem (R$)
Pernoites 3,6 4,8 1,6 2,8 3,3 4,2 3,1
Visitantes 27,1% 40,0% 64,6% 26,8% 46,4% 25,5% 22,1%
Obs.: Assinalados somente os resultados predomintantes Fonte:São Paulo Turismo, 2009

Uma parceria entre a São Paulo Turismo (SP Turis) e algumas das principais Universidades da cidade de São Paulo possibilitou
a realização de pesquisas da demanda por segmentos, visando identificar o perfil básico dos visitantes de equipamentos
e serviços de apoio ao turismo da cidade de São Paulo. Entre os segmentos selecionados destacam-se a cultura (Museus,
Teatros, Casas de Shows e Espetáculos), o meio ambiente (Parques e Áreas Verdes), as compras (de luxo e popular), a
gastronomia em ruas especializadas, os eventos científicos, selecionando em especial o que é promovido anualmente pela
Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo – SOCESP.
Os equipamentos selecionados em cada uma das categorias incluem alguns dos mais representativos para o turismo na
capital paulista, entre eles: Parque do Ibirapuera, Teatro Municipal, Teatro Abril, Credicard Hall e Arena Anhembi (Universidade
Anhembi Morumbi); Museu da Língua Portuguesa, Museu de Futebol e MASP (Metodista); Rua 25 de Março e Rua Oscar Freire
(UNIP); Parque da Água Branca, Parque da Juventude e Parque Villa Lobos (USP Leste); Praça Vilaboim, Rua Avanhandava,
Bixiga e Moema (SENAC-SP) e Expo Center Norte (FMU). No total, participaram das pesquisas 6 Universidades e foram
aplicados 500 questionários válidos para cada equipamento.

12
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo
PESQUISAS PONTUAIS
EVENTOS DE GRANDE PORTE

BT

K
16 A 21 FASHION WEE
14 DE J ORGULHO LG
SAMBÓD FEVEREIRO

PAULO

NORTE

IENAL
ANHEM JANEIRO

MBA
12 A 15 ROMODA

2 A 5 DE PITALAR

PAVILH JUNHO
TA
2 A 3 DE LTURAL

EXPO C UNHO

PAULIS
S DE SA

DE SÃO

ÃO DA B
ROMO

ENTER
CIDADE AIO

UNHO
ESCOLA S
E DA

DO

ULO
DE
DE

DE
OS
CU
OU

J
BI

AVENIDA
PARADA
FEIRA H
FEIRA C

20 A 21

VIRADA
DESFIL

SÃO PA
Megaeventos Couromoda Carnaval Virada Hospitalar Parada LGBT SPFW
Cultural
Gênero Masculino Feminino Feminino Masculino Feminino
Masculino 53,7%
55,9% 62,5% 61,3% 56,3% 69,6%
Instrução Superior Superior Superior Superior Médio Superior
50,6% 43,3% 32,5% 42,8% 50,5% 39,4%
Ocupação Empresário Assalariado Assalariado Assalariado Assalariado Assalariado
Profissional 49,9% 36,0% 39,9% 25,2% 38,5% 36,3%
Faixa Etária 40 a 49 40 a 49 18 a 24 30 a 39 18 a 24 18 a 24
(anos) 29,3% 23,2% 29,0% 30,8% 37,3% 38,9%
Renda 6 a 10 6 a 10 3a5 11 a 15 1a5 6 a 10
(Salários Mínimos) 26,9% 29,3% 31,7% 29,9% 55,5% 23,7%
Hotel/ Flat 76,2% 37,1% 32,8% 75,2% 42,4% 39,1%
Casa de Amigos e
16,7% 42,3% 51,6% 8,8% 47,4% 28,2%
Parentes
Freqüência Semestral Mensal Mensal Anual Mensal
-
39,2% 22,3% 28,1% 44,0% 33,7%
Gasto Médio na
1.832,00 1.584,54 349,29 2.105,44 827,61 873,00
Viagem (R$)
Pernoites 4,0 5,8 1,9 2,3 4,0 2,9
Visitantes 66,0% 29,2% 25,0% 54,6% 44,3% 16,0%
Estrangeiros 4,1% 19,7% 2,1% 3,8% 5,1% 4,8%
Obs.: Assinalados somente os resultados predomintantes Fonte:São Paulo Turismo, 2009

Dando continuidade às pesquisas de demanda nos megaeventos que acontecem anualmente na cidade de São Paulo, cuja
série histórica (2005-2008) foi apresentada na publicação dos Indicadores e Pesquisas do Turismo da Cidade de São Paulo
(SPTuris, 2008), são destacadas algumas das principais variáveis quanto ao gênero, instrução, ocupação, faixa etária, renda,
hospedagem, freqüência, gasto médio, permanência dos visitantes.
Foram objeto de análise e avaliação da demanda turística: Couromoda, Carnaval, Virada Cultural, Hospitalar, Parada LGBT
e SPFW. Em especial, esta última contou com o apoio e colaboração de alunos da Universidade Anhembi Morumbi para a
aplicação da pesquisa durante o evento fashion da cidade, com 960 questionários válidos.

13
www.cidadedesaopaulo.com
CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS Fonte:São Paulo Turismo, 2009

12 ATRATIVOS MAIS VISITADOS ORIGEM DOS TURISTAS


Atrativos Origem %
Parque do Ibirapuera Brasil 30,1
Museu de Arte de São Paulo - MASP Estados Unidos 6,7
Avenida Paulista Argentina 6,1
Mercado Municipal Inglaterra 4,9
Pinacoteca do Estado Alemanha 4,5
Catedral da Sé Peru 4,2
Centro Histórico Colômbia 3,5
Bairro da Liberdade Espanha 3,1
Museu da Língua Portuguesa Chile 3,1
Edifício Altino Arantes Canadá 2,9
Praça da Sé Outros Países 30,4
Rua 25 de Março Não Resposta 0,6

MEIOS DE HOSPEDAGEM UTILIZADOS O Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo realiza


mensalmente pesquisas exploratórias de demanda com
Categoria % os turistas que buscam informações nas Centrais de
Albergue/ Hostel 21,4 Informação Turística de São Paulo. No primeiro semestre de
Hotel 49,0 2009 foram realizadas 1.722 pesquisas.
Pensão 0,9 Os turistas que procuram as CITs, ao contrário do que
Casa própria/ Alugada 2,3 verificamos na pesquisa junto aos hotéis da cidade, vêm a
São Paulo por motivação de Lazer (55,2%), sendo Negócios a
Casa de amigos ou parentes 12,5 segunda motivação mais citada.
Sem hospedagem 10,9 Cerca de 30,0% desses turistas é do próprio Brasil, seguidos
Não Resposta 3,1 por aqueles dos Estados Unidos, Argentina, Inglaterra
e Alemanha. Ficam em média 5,4 dias na cidade e têm
MOTIVO DE VISITA A SÃO PAULO gasto médio de R$ 1.133,77 no período de permanência.
Quase 50,0% se hospedam em hotel, seguido por 21,4% em
Motivação % albergue/hostel e 12,5% em casa de amigos ou parentes.
Eventos 14,4 Os cinco pontos turísticos conhecidos da cidade, citados
Negócios 15,7 pelos entrevistados como os mais visitados, são, na ordem:
Parque do Ibirapuera, MASP, Avenida Paulista, Mercado
Lazer 55,2 Municipal e Pinacoteca do Estado.
Saúde 0,9
Comprovando a pesquisa FOBH (negócios), e das CIT (lazer),
Visita a parentes ou amigos 7,3 os principais fluxos emissores de turistas são procedentes
Outros 4,5 dos Estados Unidos e da Argentina.
Não Resposta 2,0

Pernoites Gasto médio diário: Gasto total na permanência:

5,4 R$ 209,95 R$ 1.133,77


14
Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo
OBSERVAÇÕES SOBRE A METODOLOGIA
• As investigações tiveram propósito de caráter exploratório, visando contribuir com ações de promoção e políticas
públicas do turismo na Cidade de São Paulo;
• Os dados apurados referentes a taxa de ocupação, diária média e REVPAR foram obtidos por meio de pesquisa mensal
realizada pela SPTuris junto a 410 hotéis de todas as categorias da cidade, sendo avaliadas 100 respostas proporcionais
ao número de hotéis de cada categoria da cidade;
• Os valores apresentados de cada pesquisa registram uma tendência, mas não necessariamente refletem o
comportamento geral da demanda do turismo na Cidade de São Paulo;
• Não foram objeto das investigações a realização de entrevistas com os expositores dos eventos pesquisados, nacionais
ou internacionais;
• O sistema de análise de dados utilizado na tabulação e construção das pesquisas foi o SPHINX Léxica (V5);
• Dados em constante revisão pela SPTuris.

Agradecimentos especiais (SPTuris)


Pela colaboração e apoio, expressamos nossos agradecimentos às equipes de Promoção Turística e Entretenimento, e
de Planejamento e Estruturação do Turismo da SPTuris, em especial, à equipe das Centrais de Informação Turística pela
aplicação da pesquisa CIT.
Agradecimentos pelo trabalho parceiro de importantes Universidades que, com seus valiosos professores e alunos, em
muito contribuíram para a realização das pesquisas de segmentos da demanda turística da cidade de São Paulo.
Anhembi Morumbi – Universidade Anhembi Morumbi
FMU – Faculdades Metropolitanas Unidas
Metodista – Universidade Metodista de São Paulo
SENAC – Centro Universitário SENAC - SP
UNIP – Universidade Paulista
USP/EACH – Universidade de São Paulo/Escola de Artes, Ciências e Humanidades
Assinalamos a relação das entidades envolvidas na análise deste periódico, ressaltando a importância do trabalho de todos
para o desenvolvimento do turismo na capital do Estado de São Paulo.
COMTUR – Conselho Municipal de Turismo da Cidade de São Paulo
FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil
INFRAERO – Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária
SMF – Secretaria Municipal de Finanças

FICHA TÉCNICA
Elaborado pela Equipe Técnica da Diretoria de Turismo da São Paulo Turismo – São Paulo Turismo S/A
Empresa Oficial de Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo.
Observatório de Turismo da Cidade de São Paulo

Av. Olavo Fontoura, 1209 – Portão 35 – Parque Anhembi – Santana - São Paulo – SP – 02012-021.
Tel.: (11) 2226-0612 – pesquisa@spturis.com.br
www.spturis.com
www.cidadedesaopaulo.com