Você está na página 1de 22

Americana, 04 de Novembro de 2014.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Nitchely. Mendes. Andrietta

432658

Elaine Cristina R. Balbino

416968

Dulcinéa Assis D. Lima

441437

Pricila Neves

408857

Giovanna Yuri Hirooka

421045

Tutor: Marinalva Lima Tutor Distância: Kate Oliveira Kumada

Caro Leitor,

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Nesse trabalho acadêmico será apresentado com objetivos diretos e indiretos sobre a alfabetização e sua importância, para melhor compreensão de sua leitura, estarão descritas

sendo explicadas também, palavras que as quais serão a chave para sua leitura se tornar mais clara e objetiva aqui neste presente trabalho. As palavras são: alfabetização, leitura, gêneros, textos, brincar, crianças e aprendizado.

Sumário

Introdução..............................................................................................................5

Processo de alfabetização......................................................................................6 Estar alfabetizado é:...............................................................................................6 Página 3 de 22

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

O que significa estar alfabetizado..........................................................................6 Referencial teórico..................................................................................................6 Conceitos dos termos.............................................................................................7

Definições: ........................................................................................................................................7

Análise e Interpretação de textos...........................................................................7

Gêneros Textuais................................................................................................................................7 Tipos Textuais.....................................................................................................................................8

Linguagem e Desenvolvimento..............................................................................8

Linguagem oral: formas e usos ...........................................................................................................9 Linguagem escrita: formas e usos .......................................................................................................9

Conto..................................................................................................................................................9

Fábula...............................................................................................................................................10

História em Quadrinho (HQ) ...........................................................................................................10 Lenda ...............................................................................................................................................10

Poesia...............................................................................................................................................10

Atividade: Leitura.............................................................................................................................10 O que o aluno aprende nas situações em que o professor lê para ele?...............................................11

A importância do trabalho com textos na sala de aula para a alfabetização ........11 A importância da leitura no processo de produção de textos ...............................11 Parâmetro curriculares Nacional...........................................................................12

Concepção de criança e da Educação Infantil de

pedagogia.

...........................................................12

Considerações Finais............................................................................................14

Referências Bibliográficas.....................................................................................14

Livros:..............................................................................................................................................14

Internet:............................................................................................................................................15

Introdução

Este trabalho tem por objetivo, apresentar o que significa a alfabetização no mundo em que estamos, além de explicar as diferentes maneiras de alfabetização, usando a linguagem oral e a linguagem da escrita.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Serão apresentadas atividades realizadas com crianças da Educação Infantil da Casa da Criança “Pitanga”, sendo atividades realizadas com leituras de literaturas infantis as quais as crianças participarão de discussões onde aqui apresentaremos os relatórios conclusivos de nossas observações.

Inclui logicamente um pouco da didática da língua portuguesa, descrevendo aqui as diferenças existentes na língua, além de explicar o que é decodificar, ler, escrever, etc. O discernimento de cada uma e também o que é mais utilizado no cotidiano do aprendizado da alfabetização de nossas crianças ...

Boa Leitura ...

Processo de alfabetização

Refletindo sobre o que é estar alfabetizado o grupo relembrou com muito carinho dos

tempos de alfabetização que aconteceu aos 7 anos de idade na 1ª série sendo a maioria com o uso das cartilhas, relembramos que havia mais dedicação e respeito tanto dos alunos como dos

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

professores, onde era utilizado outros métodos pedagógicos sendo mais rigorosos mais com muito carinho, não deixando de chegar aos seus objetivos.

Estar alfabetizado é:

Estar alfabetizado é

Um privilegio grandioso e com isso podemos entender um

.... mundo de símbolo e usá-los para se comunicar e desencantar as palavras adormecidas em livros ou em qualquer outro lugar que possa ter sido escrito, assim mergulharmos em um universo de utopia e ultrapassarmos os simples conhecimentos de aprender e ler e ser capaz de interpretar, compreender, criticar, resignar e produzir conhecimentos.

O que significa estar alfabetizado

O que significa estar alfabetizado vem ao longo da história mudando o conceito e suas concepções aos olhos da sociedade que já enfrentou diversos problemas com a alfabetização o que antes era saber assinar o nome para fins de votar ou saber ler uma simples instrução foi se modificando para saber ler e escrever e hoje temos uma complexidade cada vez maior, e as mudanças tecnológicas e sociais trouxeram maiores exigências ao trabalho de alfabetização e sobre o que significa estar alfabetizado. Hoje e pensado em algumas colocações sobre este tema é preciso que na atual circunstância os nossos alfabetizados sejam capaz de fazer uso da leitura e da escrita no cotidiano e poder no mundo da cultura da tela, imagens e sons por meios eletrônicos, conseguir acessar informações e delas se utilizar com senso crítico e não apenas “copiar” e “colar”.

Estar

alfabetizado significa ser

capaz

de

ir

além de saber decifrar códigos de

alfabetização e interagir por meio de textos escritos em diferentes situações; significa ler e

produzir textos para atender a diferentes propósitos.

Referencial teórico

Muitos teóricos já deram sua opinião sobre o que seria estar alfabetizado, como o ilustre Paulo Freire que a seu ver o conceito de alfabetização tem um significado abrangente, pois vai além do domínio do código escrito, pois, enquanto prática discursiva possibilita uma

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

leitura crítica da realidade, constituindo-se como um importante instrumento de resgate da cidadania e engajamento do cidadão nos movimentos sociais que lutam pela melhoria de qualidade de vida e pela transformação do social. (Paulo Freire, Educação na cidade, 1991, p. 68). Ele defendia a ideia de que a leitura do mundo precede a leitura da palavra, fundamentando-se na antropologia: o ser humano, muito antes de inventar códigos linguísticos, já lia o seu mundo.

Segundo Magda Soares estar alfabetizado vai além do ler e escrever, codificar e decodificar o código da escrita é reunir um conjunto de habilidades e conhecimentos linguísticos e psicológicos, estendendo-se desde a habilidade de decodificar palavras escritas, (tradução dos sinais gráficos em palavras), até a capacidade de compreender textos escritos.

Falando o que seria estar alfabetizado com a realidade atual com as exigências sociais em um mundo tecnológicos onde nossas crianças sofrem com tantas informações citamos a opinião da Emília Ferreiro: É poder transitar com eficiência e sem temor numa intrincada trama de práticas sociais ligadas à escrita. Ou seja, trata-se de produzir textos nos suportes que a cultura define como adequados para as diferentes práticas, interpretar textos de variados graus de dificuldade em virtude de propósitos igualmente variados, buscar e obter diversos tipos de dados em papel ou tela e também, não se pode esquecer, apreciar a beleza e a inteligência de um certo modo de composição, de um certo ordenamento peculiar das palavras que encerra a beleza da obra literária. Se algo parecido com isso é estar alfabetizado hoje em dia, fica claro por que tem sido tão difícil. Não é uma tarefa para se cumprir em um ano, mas ao longo da escolaridade; e quanto mais cedo começar melhor é.

É claro que fornecer esse nível de alfabetização é um processo trabalhoso que depende de profissionais preparados e de investimento aonde o nosso pais vem caminhando a passos lentos, mais não podemos deixar de acreditar que chegaremos ao um nível de educação admirável.

Conceitos dos termos

Embasadas na leitura de Faraco, podemos relacionar diversas etapas da alfabetização

que

resultam

neste

completo

desenvolvimento

linguístico.

O desenvolvimento da capacidade de reconhecer os símbolos, e reproduzir seus sons

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

adequadamente são o ato de decodificar. Aprender a ler também é decodificar, O conceito de ler e compreender e descobrir o que na leitura não este claramente dito. Devemos ler para aprimorar o conhecimento assimilando assim à escrita. É um procedimento utilizado pelo leitor para identificação das relações grafemas (letras) e fonemas (sons). Mas mesmo assim, o que parece ser tão fácil Faraco nos mostra primeiramente que a aquisição da leitura e escrita, portanto alfabetização é um processo complexo e cheio de nuances.

Aprender a ler como se a leitura fosse um ato mecânico, separado da compreensão, é um desastre que acontece todos os dias. Estudar palavras soltas, silabas isoladas, ler textos idiotas e repetir sem fim exercícios de cópia, resulta em desinteresse e rejeição em relação a escrita." (Carvalho 2002).

Definições:

Decodificar: decifrar, entender, interpretar, ler. Decodificar = Identificação e interpretação dos sinais linguísticos por um receptor, sendo que na teoria da informação seria um processo em que o indivíduo que recebe uma mensagem traduz os sinais, em dados significativos, claros e elucidatórios.

Ler: decodificar. Ler: Distinguir e saber reunir as letras, reconhecer símbolos gráficos, tomar ou dar conhecimento do conteúdo de um escrito.

Escrever: anotar, notar, historiar, minutar. Escrever: utilização e representação por meio de símbolos e escrita para exprimir ideias. A escrita é uma codificação sistemática de sinais gráficos que permite registrar com grande precisão a linguagem falada por meio de sinais visuais regularmente dispostos.

Autonomamente: Fazer sozinho, por si só. Autonomamente: Derivado da palavra autônomo, que significa “que não depende de outro”. Aprendizagem: Aviso, ciência, informação, noção. Aprendizagem: Ato, ou processo ou efeito de aprender.

Conhecimento: Ato ou efeito de conhecer. Informação ou noção adquirida pelo estudo ou pela experiência.

Todos esses conceitos culminam na definição de alfabetização e letramento. Mais precisamente a letramento, pois alfabetizado indivíduo até pode ser, mas para ele dominar a

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

escrita e ser capaz de produzir textos qualitativos, ele precisa ter conhecimento do que fala, do que produz e do que escreve.

Análise e Interpretação de textos

Na língua portuguesa existem várias diferenças que podem facilmente nos confundir como por exemplo: tipos de textuais e gêneros discursivo.

Gêneros Textuais

Gêneros

discursivos

ou

gêneros

textuais

são

“ações

sócio-

discursivas”, textos

encontrados no dia a dia, definidos conforme sua composição usual, estilo, funções comunicativas, etc, enfim, são modelos de como esse texto será apresentado ao leitor isso inclui: layout e organização podendo ser oral ou escrito. Quando falamos sobre gêneros discursivos falaremos, por exemplo:

Gêneros publicitários (imagem e mensagem para chamar atenção)

Literário (narrativo, épico, lírico e dramático)

Jurídico (relacionado a leis)

Jornalístico (informar com linguagem simples e objetiva)

Interpessoal (quando se faz o uso de caracteres e abreviação, principalmente em redes sociais), etc ....

Tipos Textuais

Tipos textuais são maneiras especificadas, ou seja, características linguísticas, determinadas por aspectos sintáticos, relações lógicas, etc. que o texto, onde o qual apresentará seus próprios pontos que no qual serão diversos de outros textos, podendo ser literários ou não. Os tipos de textos são: narrativos, descritivos, argumentativos, expositivos e instrucionais (injuntivos).

Narrativo: conto maravilhoso, conto de fadas, fábula, lenda, narrativa de ficção científica, romance, conto, piada, etc.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Descritivo: relato de viagem, diário, autobiografia, curriculum vitae, notícia, biografia, relato histórico, etc.

Argumentativo: texto de opinião, carta de leitor, carta de solicitação, editorial, ensaio, resenhas críticas, etc.

Expositivo: texto expositivo, seminário, conferência, palestra, entrevista de especialista, texto explicativo, relatório científico, etc.

Instrucional ou Injuntivo: receita, instruções de uso, regulamento, textos prescritivos, etc.

Linguagem e Desenvolvimento

Existem vários gêneros adequados para o trabalho com crianças, mas o que mais está presente é o gênero literário tanto na linguagem oral como na escrita:

Para desenvolvimento da linguagem oral e escrita todos os adequados desde de narrativo (que é o mais presente) até o injuntivo.

tipos de textos

são

Os tipos de textos mais trabalhados para o desenvolvimento da linguagem oral são:

contos (de fadas, de assombração, etc.), mitos e lendas populares, poemas, canções, quadrinhos, parlendas, adivinhas, trava-línguas, piadas, provérbios, saudações, instruções, relatos, entrevistas, debates, notícias, anúncios (via rádio e televisão), seminários, palestras, etc.

Os tipos de textos mais trabalhados para o desenvolvimento da linguagem escrita são:

cartas (formais e informais), bilhetes, postais, cartões (de aniversário, de Natal, etc.), convites, diários (pessoais, da classe, de viagem, etc.), quadrinhos, textos de jornais, revistas e suplementos infantis: títulos, lides, notícias, resenhas, classificados, etc; anúncios, slogans, cartazes, folhetos, parlendas, canções, poemas, quadrinhas, adivinhas, trava-línguas, piadas, contos (de fadas, de assombração, etc.), mitos e lendas populares, folhetos de cordel, fábulas, textos teatrais, relatos históricos, textos de enciclopédia, verbetes de dicionário, textos expositivos de diferentes fontes (fascículos, revistas, livros de consulta, didáticos, etc.), textos expositivos de outras áreas e textos normativos, tais como estatutos, declarações de direitos, etc.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Linguagem oral: formas e usos.

Escuta ativa dos diferentes textos ouvidos em situações de comunicação direta ou mediada por telefone, rádio ou televisão: inferência sobre alguns elementos de intencionalidade implícita (sentido figurado, humor, etc.), reconhecimento do significado contextual e do papel complementar de alguns elementos não-linguísticos para conferir significação aos textos (gesto, postura corporal, expressão facial, tom de voz, entonação).

Utilização da linguagem oral em situações como as do primeiro ciclo, ampliando-as para outras que requeiram:

Maior nível de formalidade no uso da linguagem;

Preparação prévia;

Manutenção de um ponto de vista ao longo da fala;

Uso de procedimentos de negociação de acordos;

Réplicas e tréplicas.

Utilização de recursos eletrônicos (gravador e vídeo) para registrar situações de comunicação oral tanto para documentação como para análise.

Linguagem escrita: formas e usos.

Prática de leitura

Atribuição de sentido, coordenando texto e contexto.

Utilização de indicadores para fazer antecipações e inferências em relação ao conteúdo (tipo de portador, características gráficas, conhecimento do gênero ou do estilo do autor, etc.) e à intencionalidade.

Emprego dos dados obtidos por intermédio da leitura para confirmação ou retificação das suposições de sentido feitas anteriormente.

Uso de recursos variados para resolver dúvidas na leitura: seguir lendo em busca de informação esclarecedora, deduzir do contexto, consultar dicionário, etc.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos: ler para revisar, para obter informação rápida, etc.

Uso de acervos e bibliotecas: busca de informações e consulta a fontes de diferentes tipos (jornais, revistas, enciclopédias, etc.), com orientação do professor; leitura de livros na classe, na biblioteca e empréstimo de livros para leitura em casa; socialização das experiências de leitura; rastreamento da obra de escritores preferidos; formação de critérios para selecionar leituras e desenvolvimento de padrões de gosto pessoal.

Conto

O conto nasceu com a civilização humana, as pessoas sempre contaram historias oralmente e na escrita, historias fabulosas e reais, as quais mudavam de pouco em pouco de acordo com sua contagem. O conto é gênero que utiliza uma linguagem simples, acessível, direta, dinâmica é uma narração de um fato inusitado, porém possível, embora não sendo algo tão comum, pode ocorrer na vida das pessoas

Fábula

A fábula é uma narrativa que contém figuras que geralmente os personagens são animais com características humanas. A fábula pode ser escrita em prosa ou verso, mas sempre contendo uma lição de moral na conclusão da história. Muitos provérbios populares nasceram por causa das morais de fábulas, por exemplo, da fábula “A lebre e a Tartaruga”, nasceu o provérbio “A pressa é inimiga da perfeição”.

História em Quadrinho (HQ)

As histórias em quadrinhos, também conhecidas como HQ, são compostos em quadros narrativos cuja a semelhança é como a narração, porém essa compões personagens, espaços, tempo, e é claro, enredo caracterizados por uma sequência. A diferença é que o diálogo é retratado de forma direta, sendo representado através de balões, composição gráfica junto com a consonância de uma linguagem não verbal, nela as imagens são o papel destaque da história, de maneira que promovem interação entre interlocutores através de uma relação e causa e efeito.

Lenda

As lendas são narrativas antigas que possuem certas características iguais as das fábulas, pois estão ligadas a tradição oral, podendo ser escritas em versos ou prosas e geralmente são breves. As lendas podem relatar acontecimentos históricos e verdadeiros, pois estão relacionadas a tradições de lugares em uma determinada época, mas o que há mais de

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

maravilhoso é quando há uma mistura do imaginário. A cultura Brasileira é muito rica em lendas, pois há narrativas com contatos da cultura indígena, africana e europeia.

Poesia

A poesia é uma tradução em formas de palavras do universo desconhecido das emoções, sendo assim, é algo de difícil compreendimento, pois a mesma busca transmitir significados nas entrelinhas dos versos, pois são palavras revestidas de sonoridade, estruturas visuais e rítmicas, que obtém significados ocultos, desvelando a alma humana, dando espaço para que assim o ser possa expressar ali todas as suas inquietações, sentimentos, acontecimentos e anseios encontrados em seu interior.

A curiosidade e a necessidade de saber e compreender o mundo são visíveis, ainda que as associações e as relações sejam regidas por critérios subjetivos. Essa forma de pensar, confere originalidade e poesia ao pensamento infantil, como podemos analisar no exemplo abaixo:

Uma menina já próxima aos seis anos respondeu, assim, a seguinte pergunta:

- Porque a lua não cai em cima da terra?

- A lua…. Né

Ela já foi impedida várias vezes

é

com o sol. Aí a lua fica mais A lua já tinha nascido antes do

....

....

....

alta que o sol para poder os dois não brigar. Porque

sol ....

... Aí começou uma briga de quem era mais velho

é

......

........... daí por isso que a lua foi para cima

  • - E como é que ela foi impedida?

  • - Impedida por mãe do sol

...........

falou que ele era mais velho e ai a mãe do sol arrastou

.......

Aí ela ficou lá

......... Aí a lua se machucou e não pode mais andar

muitas vezes a lua, né

no mesmo lugar. Reflexão:

A consideração

desse

modo

peculiar

de

pensar no mundo, quando

incorporada pelos educadores, possibilita conhecer a criança, planejar atividades significativas, propiciar uma produção infantil rice e original e ampliar seus conhecimentos.

Atividade: Leitura

O

que

os

alunos

aprendem

nas

aulas

de

leitura

por

si

mesmos,

antes

que

leiam

convencionalmente.

Um exemplo que nos ajudará a compreender melhor o que se aprende numa situação como se foi descrita acima.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Vamos acompanhar Maria lendo o título de sua história predileta.

Maria uma menina de cinco anos, não sabe ler, no entanto, ela adora ouvir histórias, Seus professor costuma ler muitos livros, mas Maria tem um que é seu preferido: “A bela Adormecida”.

De tanto observar as pessoas lendo e manuseando o livro, a menina já sabe várias informações sobre o texto, por exemplo, sabe o que está escrito na capa, ela diz:” Eu sei onde está escrito Bela Adormecida”.

Maria sabe exatamente o que está escrito no título, mas não conseguiria chegar sozinha a essa conclusão, precisou contar com a ajuda de leitores que todas ás vezes que ela perguntou “O que está escrito aqui?” informaram-lhe sempre da mesma forma: “A Bela Adormecida”.

O que o aluno aprende nas situações em que o professor lê para ele?

Ao ler um texto para as crianças, você torna concreto o que significa ler em toda a sua complexidade. Ler envolve uma determinada atitude, uma forma de lidar com as páginas, lê- se

Em determinado sentido (da esquerda para direita, de cima para baixo) as palavras são ditas a partir de determinados jogos de olhar, pensamento e voz, sempre as mesmas, porque as letras “instruem” a voz para que se lhes diga exatamente na mesma ordem. As crianças aprendem sobre a leitura, em todas as suas sutilezas, por participarem de momentos em que você desvenda o mistério para elas.

A importância do trabalho com textos na sala de alfabetização.

aula para

a

Alfabetização e letramento estão intrinsicamente ligados, já que de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacional, destacam que o ensino da linguagem deve ser direcionado a três fundamentos básicos: a leitura, a compreensão e a produção.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Para que esses fundamentos obtenham êxito, uma atividade muito relevante é a leitura e escrita de textos via memória, onde são apresentados para a criança, textos que elas já conhecem, como por exemplo, cantigas, parlendas, trava línguas, onde mesmo não sabendo ler, ele consegue realizar as atividades propostas.

Escreve-se o texto em letra de forma maiúscula. Exemplo:

PIRULITO QUE BATE BATE, PIRULITO QUE JÁ BATEU QUEM GOSTA DE MIM É ELA, QUEM GOSTA DELA SOU EU.

Fragmenta-se o texto em frases, e em seguida pede para que a criança organize na ordem correta. Para finalizar a atividade, peça para que faça a leitura acompanhando com o dedo.

Mesmo sem estar na hipótese alfabética de escrita, ela consegue realizar a atividade, pois sabe a cantiga via memória.

A importância da leitura no processo de produção de textos.

A leitura diária deve estar presente todos os dias em sala de aula, diversificando os gêneros textuais.

O hábito de leitura deve ser cultivado desde o nascimento, e aprimorado na escola.

Desde o início do ingresso da criança na escola, a leitura ocupa uma importante parte do processo da alfabetização e letramento.

É importante que o educando estimule essa prática, valorizando a leitura, não como uma obrigação ou algo ruim, mas algo prazeroso, para que o processo de letramento e alfabetização tenha um bom desenvolvimento.

São objetivos da escola e da família em geral proporcionar às crianças o acesso ao conhecimento e a formação de indivíduos críticos. O estímulo a leitura propicia o sucesso na criação de crianças críticas e que consiga produzir textos com coerência e coesão.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

O letramento não se restringe ao aprendizado automático e repetitivo de códigos convencionais da leitura e da escrita lecionada na forma tradicional. Ela acontece em todo lugar e é contínua.

Parâmetro curriculares Nacional

A educação infantil é considerada a primeira etapa da educação básica, tendo como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade. Considerando-se as especificidades afetivas, emocionais, sociais e cognitivas das crianças de zero a seis anos, a qualidade das experiências oferecidas que podem contribuir para o exercício da cidadania devem estar embasadas nos seguintes princípios:

O respeito à dignidade e aos direitos das crianças, consideradas nas suas diferenças individuais, sociais, econômicas, culturais, étnicas, religiosas etc.

O direito das crianças a brincar, como forma particular de expressão, pensamento, interação e comunicação infantil.

Na instituição de educação infantil, pode-se oferecer às crianças condições para as aprendizagens que ocorrem nas brincadeiras e aquelas advindas de situações pedagógicas intencionais ou aprendizagens orientadas pelos adultos. É importante ressaltar, porém, que essas aprendizagens, de natureza diversa, ocorrem de maneira integrada no processo de desenvolvimento infantil.

Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural. Neste processo, a educação poderá auxiliar o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais, afetivas, emocionais, estéticas e éticas, na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e saudáveis.

São adotadas no cotidiano das constituições, parâmetros de qualidade que garantam o direito das crianças de 0 a 6 anos à educação infantil de qualidade.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Concepção de criança e da Educação Infantil de pedagogia.

A intenção de aliviar uma concepção uma criança à qualidade dos serviços educacionais a eles oferecidas implica atribuir um papel espécifico à pedágogia desenvolvidas nas instituições pelos profissionais de educação infantil. Captar necessidade que bebês evideciam antes que consigam falar, observar suas reações e iniciativas, interpretar desejos e motivações são habilidades que profissionais de Educação Infantil precisam desenvolver, ao lado do estudo das diferentes áreas de conhecimento que incidem sobre essa faixa etária, a fim de subsidiar de modo consistente as decisões sobre as atividades desenvolvidas, o formato de organização do espaço, do tempo, dos materiais e dos agrupamentos de crianças.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO Concepção de criança e da Educação Infantil de pedagogia. A intenção de aliviar

Todas crianças podem aprender, mais não sob qualquer condições, antes mesmo de se expressarem por meio da linguagem verbal, bebês e crianças são capazes de interagirem apartir de outras linguagem (corporal, gestual, músical,plástica , faz de conta e entre outras).

Incentivar a brincadeira, oferecer diferentes tipos de materias em funções dos objetivos, organizar o tempo e o espaço modo flexivel são algumas formas de aprendizagem das crianças.

Enquanto a escola tem como objetivo com o aluno o objeto fundamental o ensino em diferentes áreas através da aula, a creche e a pré escola tem como objeto as relações educativas num espaço de convivio coletivo que tem como sujeito a criança de 0 até 6 anos de idade. Atentamos para a necessidade de adoção de estratégias educacionais que permitem ás crianças, desde bebês, usufruírem da natureza,observarem e sentirem o vento, o ar livre, brincarem com água e areia, atividades que tornam especialmente relevantes a se consideramos que as crianças ficam em um espaço internos ás construçoes na maior parte do tempoem que se encontram eminstituições de Educação infantil que as crianças desfrutem da vida em ar livre.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

São parâmetros de qualidade para a Educação Infantil, é imprescindível levar em conta que as crianças desde que nascem são: cidadãos de direitos

indivíduos únicos, singulares; seres sociais e históricos; seres competentes, produtores de cultura;

indivíduos humanos, parte da natureza animal, vegetal e mineral.

As crianças encontram-se em uma fase de vida em que dependem intensamente do adulto para sua sobrevivência.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO São parâmetros de qualidade para a Educação Infantil, é imprescindível levar em conta

Os Parâmetros Curriculares Nacionais, mais conhecidos como PCN, é uma coleção de documentos que compõem a grade curricular de uma instituição educativa. Os parâmetros curriculares nacionais definem que os currículos e conteúdos não podem ser trabalhados apenas como transmissão de conhecimentos, mas que as práticas docentes devem encaminhar os alunos rumo à aprendizagem. Esse material foi elaborado a fim de servir como ponto de partida para o trabalho docente, norteando as atividades realizadas na sala de aula.

O documento é uma orientação quanto ao cotidiano escolar, os principais conteúdos que devem ser trabalhados, a fim de dar subsídios aos educadores, para que suas práticas pedagógicas sejam da melhor qualidade.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Os PCN estão divididos a fim de facilitar o trabalho da instituição, principalmente na elaboração do seu Projeto Político Pedagógico. São seis volumes que apresentam as áreas do conhecimento, como: língua portuguesa, matemática, ciências naturais, história, geografia, arte e educação física.

Considerações Finais

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Concluímos que para haver o desenvolvimento da alfabetização, é necessário não apenas que haja o envolvimento com a leitura apenas do aluno e o livro, mas também entre:

aluno, livro e professor, onde ambos fazem descobertas discutíveis, além é claro de saber que

o PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) está ligado na preparação do PPP (Projeto Politico Pedagógico) existem em cada instituição de ensino.

Com as atividades vivenciadas na sala de aula, podemos mergulhar um pouquinho dentro das reações existentes das crianças, no momento em que estão prestando atenção na história contada pelo professor da sala de aula, tanto sendo histórias orais ou escritas, cada um esboça um comportamento diferente, como citamos o da aluna Maria, onde ela expressa o que há de existente em sua mente sobre o porquê a Lua não cai do céu.

Foram trocadas informações sobre a alfabetização de cada acadêmica do grupo, onde lembramos a maneira de como foi feita nossa alfabetização, o material utilizado e os costumes de cada criança relacionados à época.

Realizamos estudos aprofundados sobre a língua portuguesa que por si é complexa, e notamos que pequeninas coisas fazem grandes diferenças, como por exemplo, a diferença em se dizer: “gêneros textuais e tipos textuais”, onde gêneros textuais são modelos dos quais os textos e sua organização é apresentada ao leitor, assim incluem-se, gêneros literários, por exemplo. Já no tipo textual são características linguísticas e os aspectos do texto, podendo ser narrativo, por exemplo, além de apresentarmos as diferentes maneiras para o desenvolvimento da linguagem oral, sendo para o desenvolvimento da mesma a escuta dos textos onde os leitores expressam gestos, posturas e caricaturas diversas. No desenvolvimento da linguagem escrita é necessário haver principalmente a prática da leitura, para que através das observações dos textos as crianças memorizem normas e regras de escritas da língua.

LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Referências Bibliográficas

Livros:

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 5.ed. 2ª reimpressão. – São Paulo:

Contexto, 2008.

CAVAZOTTI, Maria Auxiliadora. Fundamentos teóricos e metodológicos da

alfabetização. (Pag. 11, 12, 13, 30 e 39). FARACO & MOURA. Gramática Nova. São Paulo: Ática, 1996.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário de Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1972.

FARACO, Carlos Alberto. Escrita e alfabetização. 7. ed. São Paulo: Ed. Contexto,

2006.

FARACO, 2006, p. 54

BRASIL, SEF, 1997, p. 56

BRASIL, SEF,1998, p. 57 Teberoski e Cardoso: 1993, p. 17

COELHO, N. N. Literatura infantil: teoria – análise – didática. São Paulo:

Moderna, 2000.

Amaral, Emília; Severino, Antônio; Patrocínio, Mauro Ferreira do. Novo Manual Nova Cultural. Nova Cultural e Círculo do Livro, São Paulo, 1996. Ler e escrever: guia de planejamento e orientações didáticas

Internet:

letramento.asp acesso em: 29 de outubro de 2014 as 23:11 (imagem de folha de rosto)