Você está na página 1de 4

ESUD2010

Artigos Resumidos

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA UMA ESCOLA INTEGRAL E INTEGRADA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO.

Ana Maria Petraitis Liblik, Marta Pinheiro

Setor de Educação – Universidade Federal do Paraná (UFPR) Rua General Carneiro, 460, 5º. Andar, sala # 511

80.060-150

ampliblik@ufpr.br mapi@ufpr.br

ABSTRACT

The Secretary for Continuous Education, Literacy and Diversity (SECAD/MEC) having in view the implementation of the

Network of Education for Diversity at the extent of the System Open University of Brazil convened, through a public call, institutions of higher education to present, among others, proposals for extension courses at a distance of Comprehensive and Integrated Education aiming the continued education of teachers of Basic Education. The article aims to discuss possible changes in the academic formalism of Work of Course Completion (TCC) ensuring the

of

integration

teaching/research/university extension, in

order to allow the adequacy of these courses to the full universe of the integral school.

RESUMO

A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD/MEC) com vistas à implementação da Rede de Educação para a Diversidade no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil convocou, por meio de uma chamada pública, as

ESUD2010-VII Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância. Novembro, 3-5, 2010, Cuiabá-MT, Brasil. Copyright 2010 UNIREDE

instituições de ensino superior a apresentar, entre outros, propostas de cursos de extensão a distância de Educação Integral e Integrada visando a formação continuada de professores da Educação Básica. O artigo tem por objetivo discutir possíveis alterações no formalismo acadêmico do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que assegurem a integração ensino/pesquisa/extensão universitária e permitam a adequação dos referidos cursos ao universo da escola integral.

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA UMA ESCOLA INTEGRAL E INTEGRADA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO.

1. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) no âmbito da extensão universitária

Pautado apenas em documentos oficiais,

chama-nos a

atenção a evidente

existência de contradições conceituais, nos que se denomina Extensão Universitária. Assim é que, ora a extensão é associada à idéia de prestação de serviços (oriunda do espírito pragmático americano) ou apresentada

818

ESUD2010

como a função que pode melhorar o padrão das massas (GURGEL, 1986, p.65); ora como uma forma de estender as funções de ensino e pesquisa para fora dos muros da universidade (conotação ativista e assistencialista); ora como encarregada da difusão do conhecimento (a criação do mesmo seria realizada em outro momento). Ainda, a extensão é percebida como função inerente à universidade, ocupando um terceiro posto dentro da estrutura universitária enquanto elemento do seu tão divulgado tripé.

Dentro deste contexto, reforçado pela crença de que as atividades de ação não existem, nas relações sociais concretas, sem as entendidas como de reflexão (caso contrário, correriam o risco de ser apenas prestação de serviços), defende- se a exigência de um Trabalho de Conclusão de Curso no âmbito da extensão universitária e, por conseguinte, no curso de extensão em Educação Integral e Integrada oferecido pela UFPR na modalidade a distância.

2.1 Linguagem visual gráfica e TCC

Pouco comum é a solicitação aos alunos de cursos de extensão de um Trabalho de Conclusão de Curso que, para além do texto acadêmico escrito, inclua um texto visual, valorizando a imagem, a expressão gráfica pela qual estes alunos expressam suas idéias.

Machado (1995, p.52) afirma que “é

como se o estágio (

[da

escolaridade] estivesse destinado exclusivamente a atividades infantis”; perceber, representar estas percepções por meio da imagem, não parece então ser adequado para alunos maiores. O autor acrescenta

“poucos são os professores que buscam de modo consciente o desenvolvimento

nos alunos da capacidade de representar.

A capacidade de transitar do objeto

) (

para a representação plana e vice-versa,

)

inicial

Artigos Resumidos

sem

desenvolvida, competindo à escola a realização de tal tarefa”. (MACHADO,

ser

dúvida

é

passível

de

1995, p. 55).

Pode-se afirmar que há o momento em que a imagem é muito importante e há o momento em que ela deixa de fazer parte

constitutiva e essencial dos processos de ensinar e aprender. Imagem, do latim imago, - ginis, é, segundo Cunha (1997,

p. 425), a “representação de um objeto

pelo desenho, pintura, escultura, etc.

Reprodução mental de uma sensação na ausência da causa que a produziu. Reflexo de um objeto no espelho ou na água. Figura, comparação, semelhança”.

Qual é a importância da linguagem visual gráfica em um TCC? Sabe-se que imagens podem fazer parte de um texto de maneira ilustrativa, mas não apenas com esta característica. Sandroni (1987,

p. 38), ao escrever sobre a importância

das imagens nas páginas de um livro, nos diz: “Entende-se ilustração como a representação gráfica de uma idéia. É comum pensar-se que a imagem está apenas ligada ao texto. Ela pode ser um elemento decorativo no livro, pode ser fiel ao texto, mas pode ir além do texto”. (SANDRONI, 1987, p.38) (grifos nossos).

Este ir além é o que se propõe para estes Trabalhos de Conclusão de Curso: o ir além de meros traços, de desenhos, de conceitos que são memorizados sem o devido entendimento e concepção. Ir além dos limites da palavra escrita, ir além pelas imagens, indo além nos devaneios que certamente ajudarão a configurar estruturas mentais densas, ricas, múltiplas, para o eficaz aprendizado de conceitos específicos do campo da Educação.

Da imagem mental construída pelos alunos passa-se a uma representação imagética, representação visual de idéias

819

ESUD2010

que foram sendo construídas durante o percurso dos estudos e das reflexões. Esta representação do imaginário torna-se representação gráfica, o grafismo, desenhos, linhas que se movem no plano/espaço. No plano, no papel, tornam-se desenho, escrita, letras. Letras são desenhos. No espaço, elas são construções arquitetônicas, linhas que se movem formando caminhos, outras escritas. Segundo Derdyk (2007, p.7), “o desenho, sem deixar de ser uma linguagem soberana, comparece como ferramenta de formulação e de representação das idéias em contextos variados – na ciência, nas artes, na mídia, nos mais elementares rabiscos infantis”.

2.2 A Educação Integral e Integrada e a extensão universitária na UFPR

O objetivo principal do curso é qualificar professores atuantes em escolas da rede pública (municipais e estaduais) do Ensino Básico (Educação Infantil ao Médio), para o desenvolvimento e implantação de programas de Educação Integral e Integrada nas instituições. Tal qualificação profissional pressupõe, entre outros, a integração entre ensino, pesquisa e extensão na produção de conhecimentos na área da Educação Integral e Integrada.

O Setor de Educação e a Coordenação de Integração de Políticas de Educação a Distância (CIPEAD), órgão vinculado a Pró-reitoria de Graduação da UFPR, disponibilizam os recursos e meios necessários para o acompanhamento e a avaliação do curso, que tem como portais de referência para o desenvolvimento das atividades, o portal da Rede de Educação para a Diversidade e o Portal do Professor, e está comprometido com o Projeto Político Pedagógico da escola, na perspectiva de gerar possibilidades de intervenção e transformação.

Artigos Resumidos

3. Considerações finais

A formação (continuada) do professor

para a Educação Integral e Integrada constitui enorme desafio para a Educação

no Brasil. A concepção de Educação Integral associada à Educação escolar aliada as novas concepções sobre o processo de formação a distância, exigirão revisões e atualizações das teorias de desenvolvimento e aprendizagem, e avaliações sobre o impacto da tecnologia da informação e da comunicação sobre os processos de ensino, metodologias, técnicas e materiais de apoio.

O curso de extensão/qualificação

profissional a distância de Educação Integral e Integrada, oferecido pela UFPR em parceria com a SECAD/MEC, diferencia-se de seus congêneres nacionais em dois fatores: a oferta de 5 práticas pedagógicas (Ciências da Natureza, Letramento, Matemática,

Artes, História e Geografia) intercaladas aos módulos teóricos, e a obrigatoriedade

do

Trabalho de Conclusão de Curso.

As

práticas pedagógicas, ministradas

presencialmente por professores formadores, são percebidas como

fundamentais para minimizar os impactos com a excessiva fragmentação a que estão submetidos os diversos saberes e práticas escolares, bem como para maximizar a percepção de pertencimento

do

aluno à UFPR.

O

Trabalho de Conclusão de Curso é

compreendido como um instrumento pedagógico indispensável para, por um lado, oportunizar o desenvolvimento de um fazer acadêmico e, de outro, realizar um trabalho cooperativo que atenda a compreensão global, interdisciplinar e complexa da realidade, bem como as necessidades gerais da comunidade escolar.

820

ESUD2010

A elaboração do TCC perpassa pelo

universo imagético e seu acesso via links nacionais não apenas amplia o conjunto

de materiais sobre Educação Integral e

Integrada, como contribui para diminuir os equívocos e imprecisões sobre a função da extensão universitária.

REFERÊNCIAS

1. Cunha,

Antonio

Geraldo

da.

Dicionário etimológico

da

língua

portuguesa.

Rio

de

Janeiro:

Nova

Fronteira, 1997.

2. Derdyk, Edith. (org.). Disegno. Desenho. Desígnio. São Paulo: editora SENAC, 2007.

3. Gurgel, Roberto Mauro. Extensão universitária: comunicação ou domesticação? São Paulo: Cortez,

1986.

4. LIBLIK, Ana Maria: Pinheiro, Marta

(orgs.). Educação Integral e Integrada:

no contexto da educação a distância. Curitiba: UFPR/Setor de Educação,

2009.

5. Machado, Nilson José. Epistemologia e didática. São Paulo: Cortez, 1995.

6. Sandroni, Laura. A criança e o livro. São Paulo: Ática, 1987

7. Teixeira, Anísio S. Educação para a democracia. Rio de Janeiro: editora da UFRJ, 1997.

821

Artigos Resumidos