Você está na página 1de 8

Comunicação Técnico-Profissional

Comunicação Técnico-Profissional Ciência e Engenharia Março 2006 Judite Mandlate e Pablo Tavares
Comunicação Técnico-Profissional Ciência e Engenharia Março 2006 Judite Mandlate e Pablo Tavares
Comunicação Técnico-Profissional Ciência e Engenharia Março 2006 Judite Mandlate e Pablo Tavares
Comunicação Técnico-Profissional Ciência e Engenharia Março 2006 Judite Mandlate e Pablo Tavares

Ciência e Engenharia

Março 2006

Judite Mandlate e Pablo Tavares

Agenda

Agenda Definição de ciência Classificação das ciências Engenharia Engenharia Informática
Agenda Definição de ciência Classificação das ciências Engenharia Engenharia Informática
Agenda Definição de ciência Classificação das ciências Engenharia Engenharia Informática
Agenda Definição de ciência Classificação das ciências Engenharia Engenharia Informática

Definição de ciência Classificação das ciências Engenharia Engenharia Informática Características de um Engenheiro Informático Perfis em Engenharia Informática Outros Perfis em Engenharia Informática

Março 2006

2

Definição de ciência

Definição de ciência Definir Ciência é uma tarefa bastante difícil, entretanto, podemos dizer que é uma
Definição de ciência Definir Ciência é uma tarefa bastante difícil, entretanto, podemos dizer que é uma
Definição de ciência Definir Ciência é uma tarefa bastante difícil, entretanto, podemos dizer que é uma
Definição de ciência Definir Ciência é uma tarefa bastante difícil, entretanto, podemos dizer que é uma

Definir Ciência é uma tarefa bastante difícil, entretanto, podemos dizer que é uma das formas de conhecimento produzida pelo Homem, no decorrer da história, como tentativa de entender e explicar racionalmente a natureza e os fenómenos que nela acontecem.

Nesta tentativa, o Homem formula leis e teorias que possam explicar o universo que o cerca.

A Ciência, enquanto tentativa de explicar a realidade, se caracteriza por ser uma actividade metódica.

Podemos definir como conhecimento criticamente fundamentado, metódico e sistemático, da realidade ou de qualquer das suas áreas.

Março 2006

3

Classificação das ciências

Classificação das ciências A ambição de saber própria do ser humano fez aumentar de tal forma
Classificação das ciências A ambição de saber própria do ser humano fez aumentar de tal forma
Classificação das ciências A ambição de saber própria do ser humano fez aumentar de tal forma
Classificação das ciências A ambição de saber própria do ser humano fez aumentar de tal forma

A ambição de saber própria do ser humano fez aumentar de tal forma o volume do conhecimento acumulado que este supera em muito o saber particular de cada indivíduo, tornando necessária a criação de sistemas de ordenação e classificação.

O próprio conceito de ciência e sua evolução histórica trazem a necessidade de estipular a área de conhecimento que compete a cada disciplina científica.

Criou-se assim a taxonomia, ou teoria da classificação, disciplina independente que determina o objecto de cada área do conhecimento científico.

Março 2006

4

Classificação das ciências

Classificação das ciências Classifica Platão as ciências em dois gêneros, - te ó ricas e pr
Classificação das ciências Classifica Platão as ciências em dois gêneros, - te ó ricas e pr
Classificação das ciências Classifica Platão as ciências em dois gêneros, - te ó ricas e pr
Classificação das ciências Classifica Platão as ciências em dois gêneros, - te ó ricas e pr

Classifica Platão as ciências em dois gêneros, - teóricas

e práticas, - que ainda se usa.

Aristóteles formulou uma primeira classificação que distinguia três grupos: o das ciências teóricas (física,

matemática e metafísica), o das ciências práticas (lógica

e moral) e o das ciências produtivas (arte e técnica).

A ciência moderna difunde a ideia da ciência como um todo. Pressupõe que existe apenas um único método e modelo cientifico, o da física moderna criada por Galileu Galilei. A matemática era o fundamento da unidade das ciências.

Março 2006

5

Classificação das ciências

Classificação das ciências A prolifera ç ão das ciências, sobretudo a partir do s é culo
Classificação das ciências A prolifera ç ão das ciências, sobretudo a partir do s é culo
Classificação das ciências A prolifera ç ão das ciências, sobretudo a partir do s é culo
Classificação das ciências A prolifera ç ão das ciências, sobretudo a partir do s é culo

A proliferação das ciências, sobretudo a partir do século XIX levanta problemas novos para a ciência. A maioria das novas ciências adoptaram métodos de investigação muito diferentes dos empregues pela física. Um mesmo objecto, de acordo com cada ciência particular, pode ser analisado segundo métodos, procedimentos e linguagens muito diversas. Qual o valor de cada uma destas ciências?

Março 2006

6

Classificação das ciências

Classificação das ciências Augusto Comte (1798-1857), o criador do positivismo, classifica de forma hierarquizada as
Classificação das ciências Augusto Comte (1798-1857), o criador do positivismo, classifica de forma hierarquizada as
Classificação das ciências Augusto Comte (1798-1857), o criador do positivismo, classifica de forma hierarquizada as
Classificação das ciências Augusto Comte (1798-1857), o criador do positivismo, classifica de forma hierarquizada as

Augusto Comte (1798-1857), o criador do positivismo, classifica de forma hierarquizada as diferentes ciências, adoptando o critério da sua complexidade crescente e generalidade decrescente (das mais abstractas para as mais concretas). Neste sentido, temos em primeiro lugar a matemática, seguindo-se a mecânica, a física, a química, a biologia e a sociologia. Estas seriam as seis ciências fundamentais, todas aplicando uma metodologia de pesquisa similar.

Março 2006

7

Classificação das ciências

Classificação das ciências No s é culo XIX assiste-se à cria ç ão e desenvolvimento dos
Classificação das ciências No s é culo XIX assiste-se à cria ç ão e desenvolvimento dos
Classificação das ciências No s é culo XIX assiste-se à cria ç ão e desenvolvimento dos
Classificação das ciências No s é culo XIX assiste-se à cria ç ão e desenvolvimento dos

No século XIX assiste-se à criação e desenvolvimento dos estudos sobre o homem, da sua história, da sua linguagem e dos seus costumes. As ideias positivistas, então dominantes defendiam a aplicação nestes estudos dos métodos empregues nas ciências da natureza, para que os mesmos pudessem ser considerados científicos. W. Dilthey (1883-1911) , procurou então estabelecer para estas novas ciências um estatuto próprio.

Dividiu as ciências em dois grandes grupos: as chamadas ciências da natureza ("exactas" ou "naturais"), que tem por objectivo explicar o real, e as ciências do espírito ("humanas" ou "sociais") que tem por objectivo compreender o homem.

Março 2006

8

Classificação das ciências

Classificação das ciências Nas ciências da natureza explicam-se objectivamente as leis que determinam as rela ç
Classificação das ciências Nas ciências da natureza explicam-se objectivamente as leis que determinam as rela ç
Classificação das ciências Nas ciências da natureza explicam-se objectivamente as leis que determinam as rela ç
Classificação das ciências Nas ciências da natureza explicam-se objectivamente as leis que determinam as rela ç

Nas ciências da natureza explicam-se objectivamente as leis que determinam as relações entre os fenómenos naturais. Estas leis podem ser comprovadas pela experiência e descritas de forma matemática. Nas ciências do espírito interpretam-se ou compreendem-se os fenómenos humanos, caracterizados por serem subjectivos e particulares, sendo por isso, dificilmente quantificáveis

Março 2006

9

Engenharia

Engenharia Engenharia – Profissão orientada para uma aplicação qualificada de um corpo distinto de conhecimentos,
Engenharia Engenharia – Profissão orientada para uma aplicação qualificada de um corpo distinto de conhecimentos,
Engenharia Engenharia – Profissão orientada para uma aplicação qualificada de um corpo distinto de conhecimentos,
Engenharia Engenharia – Profissão orientada para uma aplicação qualificada de um corpo distinto de conhecimentos,

Engenharia – Profissão orientada para uma aplicação qualificada de um corpo distinto de conhecimentos, baseado na matemática, ciência e tecnologia, integrado com economia e gestão, adquiridos através do sistema de educação e da formação profissional numa área de especialização. Orienta-se para o desenvolvimento, projecto e manutenção de infra-estruturas, bens e serviços para a indústria e para a comunidade.

Março 2006

10

Engenharia Informática

Engenharia Informática Engenharia Informática tem como profissão de engenharia engloba 3 áreas do saber: Engenharia de
Engenharia Informática Engenharia Informática tem como profissão de engenharia engloba 3 áreas do saber: Engenharia de
Engenharia Informática Engenharia Informática tem como profissão de engenharia engloba 3 áreas do saber: Engenharia de
Engenharia Informática Engenharia Informática tem como profissão de engenharia engloba 3 áreas do saber: Engenharia de

Engenharia Informática tem como profissão de engenharia engloba 3 áreas do saber:

Engenharia de computadores Engenharia de software Ciência de computação

Pode-se dizer:

Disciplina que incorpora ciência e tecnologia do desenho, construção, implementação e manutenção de componentes de software e hardware para sistemas computorizados modernos e para equipamentos controlados por computador”

Março 2006

11

Características de um Engenheiro Informático

Características de um Engenheiro Informático Demonstra habilidade para o ‘engineering design’- capacidade criativa e
Características de um Engenheiro Informático Demonstra habilidade para o ‘engineering design’- capacidade criativa e
Características de um Engenheiro Informático Demonstra habilidade para o ‘engineering design’- capacidade criativa e
Características de um Engenheiro Informático Demonstra habilidade para o ‘engineering design’- capacidade criativa e

Demonstra habilidade para o ‘engineering design’- capacidade criativa e sistemática para aplicar os princípios científicos para fins práticos de desenho de software, hardware, redes, processos e de resolução de problemas técnicos; Possui conhecimentos aprofundados de matemática, física e outras ciências associadas ao largo espectro da actividade de engenharia; Aborda problemas de uma forma sistémica; Escolhe e usa ferramentas de software e de hardware apropriadas

Março 2006

12

Características de um Engenheiro Informático

Características de um Engenheiro Informático Procura a realização física das suas soluções; Reconcilia os
Características de um Engenheiro Informático Procura a realização física das suas soluções; Reconcilia os
Características de um Engenheiro Informático Procura a realização física das suas soluções; Reconcilia os
Características de um Engenheiro Informático Procura a realização física das suas soluções; Reconcilia os

Procura a realização física das suas soluções; Reconcilia os objectivos de um projecto, tendo em conta a viabilidade económica, técnica, operacional, temporal, legal, organizacional e política das suas alternativas de desenho, construção e manutenção; Mostra profissionalismo; É capaz de apresentar os resultados em forma oral, escrita e gráfica e de avaliar os outros.

Março 2006

13

Perfis em Engenharia Informática

Perfis em Engenharia Informática Software and Application Development Data Comunication Engineering Comunications
Perfis em Engenharia Informática Software and Application Development Data Comunication Engineering Comunications
Perfis em Engenharia Informática Software and Application Development Data Comunication Engineering Comunications
Perfis em Engenharia Informática Software and Application Development Data Comunication Engineering Comunications

Software and Application Development Data Comunication Engineering Comunications Network Design Software Arquitecture and Design

Março 2006

14

Outros Perfis em Engenharia Informática

Março 2006 15
Março 2006
15