Desenvolver as competências dos

alunos através do eTwinning
2 0 1 4

Edição
Serviços Centrais de Apoio eTwinning
www.etwinning.net
European Schoolnet (EUN Partnership AISBL)
Rue de Trèves 61 – 1040 Bruxelas – Bélgica
www.europeanschoolnet.org
Coordenação de edição
Claire Morvan
Auteures
Anne Gilleran
Caroline Kearney
Coordenação da conceção gráfica
Claire Morvan
Coordenação linguística
Danosh Nasrollahi
Conceção gráfica original
Digital Ink
Impressão
HOFI
ISBN

Publicado em Dezembro de 2014. As opiniões expressas nesta publicação são as dos seus autores e não necessariamente as da
European Schoolnet ou do Serviço Central de Apoio eTwinning. Este livro é publicado ao abrigo dos termos e condições da licença
Creative Commons Unported 3.0, Atribuição – Uso Não-Comercial – Partilha nos Termos da Mesma Licença (CC BY-NC-SA 3.0) (http://
creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/). Esta publicação foi criada com o apoio financeiro do programa Erasmus+ da União
Europeia. Esta publicação reflete exclusivamente as opiniões dos seus autores e a Comissão Europeia não poderá ser responsabilizada
por qualquer utilização que possa vir a ser feita da informação nela contida.

Índice

05

Introdução

08
Comunicação na língua materna
Friends Fur-ever
Twinnies around the world
Bookraft
12
Comunicação em línguas estrangeiras
Euroguide
Moi, toi, lettres à nous
16
Competência matemática e competências básicas em ciências e tecnologia
SOHO: Sunspots Online Helios Observatory
ATOM: A Taste of Maths

20
Competência digital
Talking pictures
Stories in History
24
Aprender a aprender

Reporting without borders
LYPS: Let Your Passion Shine
28
Competências sociais e cívicas

Getting closer
Rainbow village
Health4life
34
Espírito de iniciativa e empreendedorismo

Photography as a pedagogical tool
BELL, Business Economic, Language Learning
38
Sensibilidade e expressão culturais
Tandem
PEK
42

Conclusão

.

Espírito de iniciativa e empreendedorismo 8. bem como a riqueza de cada quadro nacional. para referir aquilo de que os trabalhadores necessitam. Aprender a aprender 6. De então para cá. o quadro de competências das Parcerias 217. existem vários quadros de competências internacionais.2 Na década de 80. consideradas essenciais para a realização e o desenvolvimento pessoais. como se explica mais adiante.8 Embora reconheça a existência e a disponibilidade de vários quadros internacionais. as abordagens baseadas em competências começaram a ser desenvolvidas em vários países. Comunicação na língua materna 2.1 Ser competente significa. incluindo a Recomendação da União Europeia sobre as Competências-chave para a Aprendizagem ao Longo da Vida. O Quadro Europeu das 8 Competências-chave O Quadro Europeu9 inclui as 8 competências-chave que a seguir se apresentam. O termo “competência” foi originalmente usado no contexto profissional em França. de acordo com cada contexto nacional. e o quadro de competências ATC21S. 1. Para além de definições e quadros nacionais. o conceito de educação baseada em competências foi alargado ao ensino geral. para a inclusão social e para o emprego de todos os indivíduos. significativamente ligada ao contexto e à cultura de um país. num determinado domínio”. Competências sociais e cívicas 7. compreensão. atitudes e desejo que conduza a uma efetiva e integrada ação humana sobre o mundo. As competências-chave podem ser expressas e entendidas de maneiras diferentes.4 o quadro de competências da UNESCO.3 As competências podem ser baseadas num dado assunto ou assumir natureza transversal. Comunicação em línguas estrangeiras 3. para agir de forma eficaz numa variedade de situações de trabalho. valores. para o ensino vocacional e para a formação profissional. aptidões e atitudes para reagir com sucesso a uma situação ou resolver um problema do mundo real. Competência digital 5. Competência matemática e competências básicas em ciências e tecnologia 4. na década de 70 do século passado. Sensibilidade e expressão culturais 5 . o eTwinning recorre à conceção de Competências-chave da União Europeia.5 o quadro de competências DESECO da OCDE6. para além das qualificações. ser capaz de aplicar eficazmente uma combinação de conhecimentos. capacidades.Introdução O que são competências? Competência pode ser definida como “uma combinação complexa de conhecimentos. para a cidadania ativa. portanto. como ponto de referência para os projetos em destaque neste livro.

como também o desenvolvimento de estruturas e métodos de ensino adequados. como tal. Dada a sua natureza transversal. A necessidade de melhorar a qualidade e a relevância das competências que os alunos adquirem antes de abandonarem a educação formal tem sido amplamente reconhecida. iniciativa. em particular à luz do elevado desemprego jovem na Europa. são atualmente bastante raras. . graças a motivações sociais e económicas. bem como à evolução na investigação educacional. fazê-lo requer um ensino interdisciplinar e transcurricular. Finlândia. envolve o planeamento de toda a escola. Em países. no seu projeto eTwinning. enfatiza também a importância do desenvolvimento de competências num contexto de aprendizagem social. a maioria dos países da União Europeia introduziu o conceito de competências-chave e de resultados de aprendizagem nos seus currículos nacionais ou documentos oficiais de orientação para o ensino obrigatório. sendo a ênfase colocada no raciocínio crítico. cada uma delas. Portugal e Malta. nas quais a formação de professores. Num mundo cada vez mais digital. tomada de decisões e gestão construtiva dos sentimentos. A implementação de competências-chave nas escolas envolve não apenas a sua especificação nos programas curriculares. Conhecimentos e capacidades básicas são necessários. mas já não suficientes. recentemente. em situações da vida real. a educação orientada para a competência tem uma relevância particular.D E S E N V O LV E R A S C O M P E T Ê N C I A S D O S A LU N O S AT R AV É S D O   eTw i n n i n g Estas competências-chave são todas interdependentes. as recentes ou atuais reformas da educação enfatizam a centralidade das competências-chave no novo currículo. onde uma abordagem baseada em competências está de facto em curso desde meados da década de 90 do século passado. como é o caso da perspetiva social de John Dewey sobre a aprendizagem e as teorias da aprendizagem construtivista. tiveram lugar reformas com impacto no desenvolvimento de competênciaschave a nível nacional na Bélgica. Não obstante. 6 . para mostrar a forma como professores e alunos têm trabalhado no desenvolvimento de uma competência específica. para satisfazer os complexos requisitos das exigências sociais de hoje. devendo ser introduzidas num futuro próximo. ilustrada. Como estão os sistemas de ensino a responder a esta necessidade? Ao longo da última década. resolução de problemas. Recentemente. criatividade. os recursos de aprendizagem e a organização da escola são alvo de reforma integrada. com dois ou três projetos eTwinning. tornou-se proeminente nos sistemas de educação em todo o mundo. A investigação educacional. no qual as profissões baseadas em capacidades funcionais estão em declínio. Por que é necessária a educação baseada em competências? A necessidade de os alunos desenvolverem competências na escola tem vindo a ganhar cada vez mais importância e. a avaliação dos alunos. que. A definição precisa de cada competência é apresentada nas secções seguintes deste livro sendo. A necessidade de uma tal abordagem holística e inter-relacionada para a implementação eficaz de uma educação baseada em competências é clara. França. como a Finlândia e a Suécia. Suécia. por exemplo. no qual os aprendentes estão envolvidos em aprendizagem ativa. as abordagens interligadas. através de vídeos e outros meios. avaliação de riscos. numa cada vez mais competitiva economia global.

uma vez que várias competências-chave podem ser abordadas simultaneamente. inspirem muitos mais professores para colaborarem em projetos. 4 Disponível aqui: http://eur-lex. B & Deakin Crick R. 7 .org 8 Disponível aqui: http://www.Como podem os professores desenvolver as competências-chave dos alunos? A principal abordagem recomendada para o ensino de competências-chave é através da disponibilização de ambientes de aprendizagem interativos. disponível em: http://keyconet. da KeyCoNet e as respetivas súmulas por país. 45.unesco. As escolas devem ter em consideração o bem-estar social e emocional dos aprendentes e permitir que a aprendizagem seja mais auto-dirigida. Number 1. É por esta razão que os projetos eTwinning podem ser um canal bem-sucedido para o desenvolvimento das competências dos alunos. Esperamos que os exemplos que se seguem.org/project-results. 1  oskins. nos quais os aprendentes se podem envolver no desempenho de tarefas práticas.. sempre que relevante. e que ilustram a forma como projetos eTwinning têm sido eficazes no desenvolvimento de competências dos alunos.europa.eun.europa. Em particular.org 9 Recomendação do Parlamento Europeu e do Conselho. baseadas em investigação. A aprendizagem baseada em projeto é um método particularmente adequado para o desenvolvimento das competências dos alunos. consulte o relatório Eurydice Developing Key Competences at School in Europe e o conjunto de relatórios nacionais e estudos de caso KeyCoNet (Rede de Políticas Europeias sobre Competências-chave na Educação Escolar). (2010) Competences for Aprender a aprender and Active Citizenship: different H currencies or two sides of the same coin? European Journal of Education. Vol.eu/legalcontent/pt/TXT/PDF/?uri=CELEX:32006H0962&from=pt 10 Para uma lista completa das reformas educativas ver o Relatório de Mapeamento da UE. são cada vez mais apoiados tecnologicamente.org/education/pdf/15_62. Estes ambientes de aprendizagem. as atividades necessitam de ser apoiadas por estruturas de suporte e por instruções explícitas por parte do professor.htm 7 Disponível aqui: www. March.org/education/skills-beyond-school/ DEFINIÇÃOandselectionofcompetenciesdeseco. Disponível aqui: http://eur-lex. de forma transcurricular. que promovem a aprendizagem colaborativa e multidisciplinar. « La notion de compétence au coeur des réformes curriculaires : Effet de mode ou moteur de changements en profondeur ? » 3 Para uma descrição detalhada de como os países em toda a União Europeia definem e implementam as competências-chave nos seus sistemas de ensino.p21.eu/legal-content/pt/TXT/PDF/?uri=CELEX:32006H0962&from=pt 5 Disponível aqui: http://www.pdf 6 Disponível aqui: http://www. 2 Legendre Marie-Françoise (2008). com vista a melhorar a aprendizagem dos seus alunos. de 18 de dezembro de 2006 sobre CompetênciasChave para a Aprendizagem ao Longo da Vida (2006/962/CE).oecd. como ilustrado neste livro.atc21s. Embora a aprendizagem baseada em projeto incentive os alunos a serem ativos e responsáveis pela sua própria aprendizagem. os aprendentes necessitam de apoio para desenvolverem a sua capacidade de aprender de forma independente: a chamada competência de ‘aprender a aprender’.

comunicação na língua materna 8 .

aptidões e atitudes essenciais. cfm?id=921&klang=pt&lang=pt TwinSpace: www. coligir e processar informação. em casa e nos tempos livres. factos e opiniões. de Howard Gardner.be/LlVnLinmwk8 | http://youtu. da gramática funcional e das funções da linguagem. da Roménia “Os alunos não se aperceberam de que estavam a aprender em todas as disciplinas. pensamentos. ler e escrever) e de interagir linguisticamente de forma apropriada e criativa num largo espectro de contextos sociais e culturais: na educação e formação profissional.etwinning. tanto oralmente como por escrito (ouvir. porque gostei de todas. de forma lúdica e interessante.net/pt/pub/profile. relacionados com esta competência: A competência de comunicação decorre da aquisição da língua materna.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. de diferentes tipos de textos literários e não literários. Link para o projeto: www.net/twinspace/friends_fur_ever “Julgo que não consigo dizer qual a atividade de que mais gostei. tendo presente a Teoria das Inteligências Múltiplas. sentimentos. Isto implica uma tomada de consciência do impacte da língua sobre os outros e a necessidade de compreender e utilizar o sistema linguístico de forma positiva e socialmente responsável. de forma convincente e adequada ao contexto. Esta competência inclui também as capacidades de distinguir e de utilizar diferentes tipos de textos. falar. de fazer uso das ferramentas auxiliares e de formular e expressar os seus próprios argumentos. professora do ensino primário no Reino Unido 9 . que está intrinsecamente ligada ao desenvolvimento da capacidade cognitiva do indivíduo para interpretar o mundo e se relacionar com os outros.etwinning. das principais características dos diferentes estilos e registos de língua e da diversidade das formas de língua e de comunicação em função do contexto. Pressupõe também a consciência dos principais tipos de interação verbal. Conhecimentos. oralmente e por escrito. no trabalho. bem como o interesse pela interação com os outros.” Andrei Ungureanu. Uma atitude positiva em relação à comunicação na língua materna implica uma disposição para o diálogo crítico e construtivo. A comunicação na língua materna exige que o indivíduo tenha conhecimentos ao nível do vocabulário.etwinning. Os indivíduos devem possuir as aptidões para comunicar de forma oral e escrita num vasto leque de situações de comunicação e para controlar e adaptar a sua própria comunicação às exigências da situação.DEFINIÇÃO A comunicação na língua materna é a capacidade de expressar e interpretar conceitos.” Maureen. de procurar. o gosto pelas qualidades estéticas e a vontade de as alcançar. P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Friends Fur-ever O objetivo do projeto é aprender mais sobre os cães enquanto amigos das pessoas.be/YFZMiEJqgtk Kit de Projeto: www. cfm?f=2&l=pt&n=68520 Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu.

participando em jogos tradicionais e assim por diante.” Aluna da Polónia 10 “A parceria e a comunicação com os nossos amigos polacos foi excelente . cfm?f=2&l=pt&n=28256 Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu. Chipre e Grécia para reforçar a fruição do livro. desenvolvida no seu próprio país.net/twinspace/bookraft “Passámos ótimos momentos na biblioteca da escola e aprendemos coisas modernas e artesanais. através de trabalhos manuais e de atividades criativas.etwinning..etwinning.etwinning. em determinadas cidades.net/pt/pub/connect/browse_people_ schools_and_pro/profile.blogspot. cfm?id=801&klang=pt&lang=pt Bookraft “Bibliotecários escolares cooperam com professores na Polónia.be/ TwinSpace: www.” Cornelia Melcu. Cada escola tem de escrever uma parte da história. mostrando as personagens principais.” Link para o projeto: www.net/pt/pub/collaborate/kits/detail.be/b61fi7UkLWc Blog: http://twinnies2010. comendo pratos tradicionais. cfm?id=661&klang=pt&lang=pt TwinSpace: www.” Link para o projeto: www.net/twinspace/twinnies_around_the_world Kit de Projeto: www.etwinning.. perto de monumentos e lugares famosos.cfm?f=2&l=pt&n=33902 Entrevista à professora: http://youtu.net/pt/pub/profile.be/2z_CdUjOfBQ Kit de Projeto: www.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. entendíamo-nos muito bem.etwinning. professora da Roménia .P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Twinnies around the world “O projeto visa a criação de uma história escrita pelos alunos de todas as escolas parceiras. A história tem de ser escrita em inglês.etwinning.

das canções e das artes. É por isso que esta é uma competência tão importante de desenvolver. quanto melhor conhecermos o nosso vocabulário. tais como um luto de família. O projeto Twinnies around the world funcionou com alunos muito jovens e ampliou as suas capacidades de aquisição da língua materna através da narração de histórias. desde uma idade muito precoce. Este projeto pô-los em contacto direto com as palavras. poderemos moldar e controlar melhor o nosso mundo. envolvendo alunos do ensino primário. mas também na sua interpretação. o que seria pouco provável de ocorrer.Bookraft . através do teatro. num mundo de comunicação rápida. Para além da forma como esta competência se relaciona com estes projetos. Os três projetos destacados a propósito desta competência são excelentes exemplos de como o desenvolvimento da capacidade de expressão pode ser abordado. É justo que esta competência seja colocada em primeiro lugar na lista.Opinião do perito ANNE GILLERAN . do “sound bite” informativo de três minutos. explicar e descrever o mundo à nossa volta começa no dia em que nascemos. as crianças podiam exprimir ideias acerca dos seus sentimentos em determinadas situações. Wittgenstein. de análise superficial. Esta comunicação inicia-se com o conhecimento e a compreensão da nossa língua materna. pelo que estes estavam próximos das preferências dos alunos. o grande filósofo linguístico escreveu “os limites da minha linguagem são os limites do meu mundo” (Tractatus Logico-Philosophicus). quer de capacidades auxiliares. uma vez que está subjacente a todas as outras formas de aquisição de aprendizagem e de conhecimento. proporcionando um meio emocionante e relevante para o desenvolvimento da aprendizagem da língua materna.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR Comunicação: a capacidade de interagir. adotam temas muito diferentes. então estarei limitado na forma como compreendo o meu mundo. e que deverá continuar ao longo de todo o período da educação formal e para além dele. não deixa de ser também significativa a forma como ela reforça outras aptidões dos alunos. ambos escolheram os temas através de debate e do envolvimento da turma. Os exercícios escritos e orais na língua materna foram muito importantes. Um projeto eTwinning pode proporcionar um meio para o desenvolvimento. Isto assume agora uma importância ainda maior. no seu sentido mais amplo. relacionar. tais como o sentido de criatividade. mas têm vários pontos em comum. que envolveu os alunos não só na leitura de textos clássicos. por palavras. com o texto e com a expressão e aprofundou a sua compreensão da palavra escrita e do poder da palavra falada. À medida que crescemos e adquirimos a linguagem. ambas relevantes e significativas para o aluno. melhor conseguiremos expressar. Os dois projetos. estando natural e intimamente ligada ao conceito de literacia. com uma dimensão comparável. a análise crítica e o trabalho de equipa. 11 . os professores descobriram que. a nossa capacidade de compreender o nosso mundo aumenta. Em particular no Friends Fur-ever. O projeto final desta secção . pensamentos e sentimentos muito complexos e abstratos. quer de competências. Se me faltam as palavras para expressar pensamentos e sentimentos.tratou de um tema inspirador. ao escreverem sobre os seus animais de estimação. se o tema fosse abordado de forma direta.

comunicação em línguas estrangeiras .

O nosso principal objetivo consiste em conhecer melhor cada cultura e sociedade .etwinning. através da cooperação e do intercâmbio de ideias.etwinning. É importante ter conhecimento das convenções sociais. As aptidões essenciais para a comunicação em línguas estrangeiras consistem na capacidade de compreender as mensagens faladas. aptidões e atitudes essenciais relacionados com esta competência: A competência em línguas estrangeiras requer o conhecimento do vocabulário e da gramática funcional e a consciência dos principais tipos de interação verbal e dos registos de língua. tanto oralmente como por escrito (ouvir. do ambiente. pensamentos.etwinning. sentimentos. Com a previsão de uma parceria a dois anos. Assenta na capacidade de compreender. factos e opiniões. ler e escrever) em diversas situações da vida social e cultural (na educação e formação. ler e escrever) e variará também em função das diferentes línguas e do contexto social e cultural. das necessidades e/ou dos interesses de cada um. Conhecimentos. no contexto da aprendizagem ao longo da vida. no trabalho. O grau de proficiência de cada pessoa será distinto nas quatro dimensões (ouvir. A comunicação em línguas estrangeiras requer também aptidões como a mediação e a compreensão intercultural. as principais dimensões da capacidade da comunicação na língua materna. em casa e nos tempos livres).net/pt/pub/collaborate/kits/detail. consoante as necessidades ou os interesses de cada um.” Link para o projeto: www.net/pt/pub/profile. P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Euroguide “Euroguide é um Projeto Multilateral Comenius que visa a consolidação e o desenvolvimento das capacidades comunicativas e sociais de todos os que nele participam.e oferecer aos jovens diversas atividades que possam executar. em grande medida. de Itália 13 . manter e concluir conversas e de ler. de iniciar. É também importante a capacidade de utilizar convenientemente as ajudas e de aprender línguas informalmente.cfm?f=2&l=pt&n=62028 Kit de Projeto: www. gostaríamos de dar aos nossos alunos a oportunidade de se envolverem num projeto internacional. em que podem descobrir a variedade e o caráter distintivo de regiões ou cidades europeias.” Serena. falar. Uma atitude positiva implica uma apreciação da diversidade cultural e um interesse e curiosidade pelas línguas e pela comunicação intercultural.partindo de uma abordagem respeitosa e estimulante . expressar e interpretar conceitos. cfm?id=1101&klang=pt&lang=pt TwinSpace: www. compreender e produzir textos adequados às necessidades do indivíduo. falar.net/twinspace/euroguide “Eu melhorei verdadeiramente o meu domínio da língua inglesa.DEFINIÇÃO A comunicação em línguas estrangeiras partilha. dos fatores culturais e da diversidade linguística.

cfm?f=2&l=pt&n=86896 Kit de Projeto: www. Link para o projeto: www.etwinning.net/pt/pub/profile.” Xavier. foram ilustrados através de vídeos e de fotos. em que os alunos escreviam as suas cartas e as respostas às cartas dos seus colegas europeus... Penso que é muito bonito conhecer novas culturas e novas pessoas.net/twinspace/moi_toi_lettres_a_nous “O eTwinning é uma oportunidade para conhecer novas pessoas e melhorar o nosso inglês (. lettres à nous Este projeto centrou-se na criação de um romance epistolar digital. toi. de Espanha 14 .) e obriga-nos a falar em inglês.etwinning.P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Moi.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. cfm?id=1106&klang=pt&lang=pt TwinSpace: www.etwinning. por sua vez. Os conteúdos escritos. As cartas produzidas eram baseadas em temas escolhidos de entre o leque de assuntos que os alunos têm em comum.

escritas na língua estrangeira escolhida.Moi. é sermos mais humanos.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR Tal como afirmado na introdução a esta secção. existe toda a dimensão cultural de nos tentarmos colocar na pele de outra pessoa. lettres à nous . literatura e teatro. neste caso. Para mim. Euroguide proporciona um veículo perfeito para fazer exatamente isso. tolerantes e generosos. Porque haveríamos de nos preocupar com isso? Porque compreender a língua e a cultura de outra pessoa é vê-la como ela é. muitas vezes. hábitos. Para além deste facto. 15 . modos de comportamento e sentido de humor. muitos dos aspetos relacionados com o desenvolvimento da competência na língua materna são igualmente aplicáveis à aquisição de competências numa língua estrangeira.teve início a partir de uma base muito mais intimista: os alunos constituíram pares com os seus parceiros de projeto de outro país e iniciaram a troca entre si de uma série de cartas. o que ambos os projetos põem em destaque. foi o francês. A atitude dos alunos para com a aprendizagem de línguas estrangeiras sofre uma mudança real. é o facto de existir uma real autenticidade na aprendizagem. que. sobre os temas de vida que lhes dizem respeito. abundam em determinadas circunstâncias. que dá a conhecer os aspetos culturais e sociais do seu país. O outro projeto . exprimindo as esperanças e as aspirações dos jovens em causa. toi. À medida que a correspondência se ia desenvolvendo. uma vez que os alunos trabalharam em conjunto para disponibilizarem um guia diferente. um guia escrito por jovens adolescentes para jovens adolescentes. A língua torna-se em algo real.Opinião do perito ANNE GILLERAN . um meio para a comunicação real. e não apenas um conjunto de exercícios ocos num livro. Os alunos envolvidos neste projeto tiveram a sorte de visitar as escolas de cada um e de se conhecerem. a partir do momento em que têm êxito ao comunicar verdadeiramente com outros jovens. eliminando os pontos de vista estereotipados e os preconceitos nacionais que. para não falar da sua arte. o tema das cartas ia-se tornando mais pessoal. o que acrescentou uma dimensão especial ao seu trabalho. para compreender os seus costumes. no que respeita ao desenvolvimento de competências de língua estrangeira. que têm eco junto dessa faixa etária.

competência matemática e competências básicas em ciências e tecnologia .

DEFINIÇÃO

A. A competência matemática é a capacidade de desenvolver e aplicar um raciocínio
matemático para resolver problemas diversos da vida quotidiana. Partindo de um sólido
domínio da numeracia, a ênfase é colocada no processo e na atividade, bem como no
conhecimento. A competência matemática envolve, em graus diferentes, a capacidade e
a vontade de aplicar os modos matemáticos de pensamento (raciocínio lógico e espacial)
e de representação (fórmulas, modelos, construções, gráficos, diagramas).
B. A competência em ciências refere-se à capacidade e à vontade de recorrer ao acervo
de conhecimentos e metodologias utilizados para explicar o mundo natural, com o fim
de identificar questões e de retirar conclusões baseadas em evidências.
A competência em tecnologia é entendida como a aplicação desses conhecimentos e
metodologias para dar resposta a desejos e necessidades humanas antes identificados.
A competência em ciências e tecnologia implica a compreensão das alterações causadas
pela atividade humana e a assunção da responsabilidade enquanto cidadão individual.
A. O conhecimento necessário em matemática pressupõe um bom domínio dos
números, das medidas e das estruturas, das operações fundamentais e das representações
matemáticas básicas, bem como a compreensão dos termos e conceitos matemáticos
e das questões às quais a matemática pode dar respostas. Qualquer pessoa deverá ter
a capacidade para aplicar os princípios e processos matemáticos básicos em situações
da vida quotidiana, tanto em casa como no trabalho, e para seguir e avaliar cadeias de
raciocínio. Qualquer pessoa deverá ser capaz de efetuar um raciocínio matemático, de
compreender uma demonstração matemática, de comunicar em linguagem matemática
e de empregar as ferramentas auxiliares adequadas.
B. Para a ciência e tecnologia, o conhecimento essencial compreende os princípios
básicos do mundo natural, os conceitos, princípios e métodos científicos fundamentais,
a tecnologia e os produtos e processos tecnológicos, bem como a compreensão das
repercussões da ciência e da tecnologia na natureza. Estas competências deverão
possibilitar às pessoas uma melhor compreensão dos avanços, das limitações e dos riscos
das teorias, aplicações e tecnologia científicas nas sociedades em geral (no contexto da
tomada de decisões e face aos valores, às questões morais, à cultura, etc.). As aptidões
incluem a capacidade de utilizar e manusear ferramentas tecnológicas e máquinas,
bem como dados científicos, para atingir um objetivo ou para se ser conduzido a uma
decisão ou conclusão fundamentada. Os indivíduos deverão ser capazes de reconhecer
as características essenciais da investigação científica e de ter a capacidade de comunicar
as conclusões e o raciocínio que lhes estão subjacentes.

17

P R O J E T O S E M D E S TA Q U E

SOHO: Sunspots Online
Helios Observatory
Projeto de Astronomia sobre a observação de manchas solares em vários locais na Europa
para sabermos como evitar o mau tempo e podermos tirar fotografias com a maior
frequência possível. Os alunos irão obter conhecimentos sobre o Sol enquanto estrela e
centro do nosso Sistema Solar.
Link para o projeto: www.etwinning.net/pt/pub/profile.cfm?f=2&l=pt&n=32737
Vídeo sobre o projeto: http://youtu.be/zdsW_pk_uCQ
TwinSpace: www.etwinning.net/twinspace/soho
“O projeto está bem estruturado e mostra claramente o processo de planeamento comum
levado a efeito pelos parceiros. Poderiam ser acrescentados muitos outros pontos positivos:
possibilidade de auto-reflexão para os alunos, integração curricular e promoção do projeto
através de um blog de projeto.” O Júri Europeu

ATOM: A Taste of Maths
O projeto tem como público alvo alunos com idades entre os 12 e os 16 anos. A língua de
trabalho é o inglês. A duração do projeto é de seis meses. O objetivo do projeto consiste
em aumentar a motivação e o interesse dos alunos pela matemática, para estimular
o seu espírito de investigação e a sua curiosidade, através da combinação de conteúdos
matemáticos comuns do currículo com aspetos da vida do dia a dia, em diferentes partes da
Europa, utilizando objetos concretos bem como representações de conceitos matemáticos.
Pretende-se também facilitar a compreensão mútua, através da obtenção de conhecimentos
sobre os contextos históricos e culturais em que os parceiros vivem.
Link para o projeto: www.etwinning.net/pt/pub/profile.cfm?f=2&l=pt&n=38463
Vídeo: http://youtu.be/a0irY9WP5ME
Kit de Projeto: www.etwinning.net/pt/pub/collaborate/kits/detail.
cfm?id=741&klang=pt&lang=pt
Blog: http://atasteofmaths.blogspot.be/
“A prioridade (do projeto) era mostrar-lhes que
“Também aprendemos a reconhecer
a matemática é algo mais do que um manual
a matemática numa árvore, numa igreja.”
aborrecido e que pode ser um mundo de criatividade.”
Professor de matemática, de Itália
Aluna italiana
“Eu gostava de ter tido aulas de matemática divertidas como estas, quando andava na escola!
Uma forma muito criativa de olhar para aspetos matemáticos, relacionando-os com temas
da vida real, que à primeira vista poderiam parecer tão distantes da matemática, quanto
a culinária ou a poesia lírica.” O Júri Europeu

18

Opinião do perito
ANNE GILLERAN - ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR

Estas duas competências são frequentemente as que mais resistência provocam nos
alunos em contextos educativos formais, em especial em jovens do sexo feminino; no
entanto, constituem a base de todos os nossos desenvolvimentos nos domínios da
engenharia, medicina, tecnologia, comercial e de produção. Em termos mais práticos,
a incapacidade de executar cálculos com números é uma restrição severa para lidar
com compras, com o planeamento de um orçamento simples, com a gestão monetária
básica. A incapacidade de compreender os conceitos científicos básicos coloca-nos
também numa posição mais fraca quando se trata de compreender, por exemplo,
como funciona o sistema elétrico lá em casa, porque é a água um recurso tão precioso
etc. O desenvolvimento destas duas competências ajuda os alunos a compreenderem
de forma mais aprofundada o ambiente natural em que vivem e as formas como as
operações de cálculo podem ter impacto sobre suas vidas diárias.
Mais uma vez gostaria de salientar o facto de os exemplos de projetos desta secção
alicerçarem a aprendizagem dos alunos neles envolvidos em situações em que
a aprendizagem se torna real e concreta. Tomemos o projeto ATOM, A Taste of Maths,
por exemplo, que explora a matemática numa miríade de formas que vão desde olhar
para os números de Fibonacci para criar poemas baseados na sequência, a uma caça às
frações por toda a Web. Os alunos analisaram também a forma como a matemática pode
ser vista e compreendida nos objetos e edifícios à nossa volta, nas árvores, nas igrejas, nas
janelas, nos padrões que existem por toda a parte.
De igual modo, no projeto SOHO, Sunspots Online - Helios Observatory, os alunos foram
envolvidos em atividades reais, medindo as manchas solares e tentando rastrear o efeito
que a sua ocorrência tinha sobre o ambiente local, etc. Para além dessas atividades,
o projeto trouxe o mundo dos cientistas para a sala de aula, através da organização
de videoconferências com especialistas neste domínio, o que constituiu uma rara
oportunidade para os alunos se envolverem direta e informalmente com cientistas
verdadeiros.
O que eu mais gosto nestes dois projetos é que eles desmistificam duas áreas face
às quais os alunos frequentemente desenvolvem um bloqueio mental ou de atitude.
A forma como estes projetos abordam os temas permite que os alunos compreendam
a realidade do assunto tratado e que entendam e apreciem o aprofundamento, quer dos
seus conhecimentos e capacidades de observação e análise, quer das suas competências.

19

competência digital .

bem como no trabalho. Entre as aptidões necessárias contam-se: a capacidade de investigar.net/pt/pub/profile. do papel e das oportunidades criadas pelas TSI. nos tempos livres e na comunicação. apresentar e compreender informações complexas e para aceder. O interesse em participar em comunidades e redes para fins culturais. e a consciência das questões ligadas à validade e à fiabilidade da informação disponível e aos princípios jurídicos e éticos ligados ao uso interativo das TSI.etwinning. ferramentas de rede) para o trabalho. pesquisar e usar serviços baseados na Internet.DEFINIÇÃO A competência digital envolve a utilização segura e crítica das tecnologias da sociedade da informação (TSI) no trabalho. Os indivíduos devem ser capazes de utilizar as ferramentas para produzir. armazenar. É sustentada por capacidades básicas em TIC: o uso do computador para obter.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. a aprendizagem e a investigação. P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Talking pictures Os nossos alunos descobrem as semelhanças e as diferenças entre as nossas culturas. sociais e/ou profissionais contribui também para o reforço desta competência. embora reconhecendo as ligações entre ambos. utilização das TIC) foram extremamente bem organizadas e planeadas. de acordo com a idade dos alunos.” O Júri Europeu 21 . avaliar. os tempos livres. Deverão também ser capazes de usar as TSI para apoiar o raciocínio crítico. coligir e processar informação e de a utilizar de forma crítica e sistemática. armazenamento e gestão de informação. Link para o projeto: www. A competência digital implica também uma compreensão do potencial das TSI para apoiar a criatividade e a inovação. ainda. produzir. e para comunicar e participar em redes colaborativas através da Internet. capacidades e atitudes essenciais relacionadas com esta competência: A competência digital exige uma boa compreensão e conhecimento da natureza. a criatividade e a inovação. Nesses conhecimentos incluem-se as principais aplicações informáticas como processadores de texto. Conhecimentos. cfm?id=1110&klang=pt&lang=pt “Os temas escolhidos. apresentar e trocar informação. utilizando fotografias e criando um diálogo entre os países participantes. avaliando a sua pertinência e distinguindo o real do virtual. a partilha de informação e a colaboração em rede.etwinning. Esses conhecimentos englobam. em situações do quotidiano: na vida pessoal e social. O uso das TSI exige uma atitude crítica e de reflexão face à informação disponível e uma utilização responsável dos meios interativos. bem como as muitas atividades colaborativas e criativas (por exemplo. folhas de cálculo. bases de dados. uma história colaborativa utilizando sinais de trânsito de diferentes países.cfm?f=2&l=pt&n=90487 Kit de Projeto: www. a compreensão das oportunidades e dos riscos potenciais da Internet e da comunicação por meios eletrónicos (correio eletrónico.

net/pt/pub/profile.) além disso. Link para o projeto: www..net/twinspace/stories_in_history “O projeto ‘Stories in History’ é um exemplo muito bom de como implementar o trabalho de projeto internacional para dar nova vida a um assunto aparentemente esgotado!” O Júri Europeu “Melhorei as minhas competências informáticas” Serena. O nosso trabalho centra-se nas experiências das crianças durante a Segunda Guerra Mundial.etwinning. emails .etwinning. cfm?id=1109&klang=pt&lang=pt TwinSpace: www. irão refletir sobre formas criativas de trabalharem em conjunto.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. da Itália 22 .cfm?f=2&l=pt&n=86101 Kit de Projeto: www.P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Stories in History O nosso projeto baseia-se principalmente na disciplina de História.. Os nossos alunos utilizam o inglês para comunicar e as ferramentas TIC para trocar e partilhar documentos. para escrever e falar uns com os outros (chats.etwinning.

Num mundo assim. que depende do ponto de vista ou da intenção da pessoa que a produz. No entanto. os jovens precisam certamente de desenvolver competências.Opinião do perito ANNE GILLERAN . Este processo deve começar o mais cedo possível na vida de uma criança e o projeto Talking pictures possibilitou exatamente isso.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR É. que está sempre ligado. para refletirem criticamente sobre a sua aplicação. O projeto trabalhou com alunos dos primeiros anos do ensino primário. procurar um restaurante nas proximidades ou. ainda. Aprenderam a interpretar os sinais e os símbolos e produziram um dicionário vídeo de palavras e expressões populares no respetivo idioma. e para o controlar. contendo apenas a quantidade de cafeína adequada ao estado de saúde da pessoa. uma evidência dizer que vivemos num mundo verdadeiramente digital. para diversas finalidades. não apenas para conseguirem interpretar a informação digital ao seu redor. quão responsáveis deveríamos ser quando publicamos comentários ou fotografias relacionados com a vida social do um nosso amigo? A visão de futuro é a Internet das Coisas. quão fiável é a informação que nos transmitem. Os jovens alunos aprenderam que as coisas não são sempre como parecem e que as fotos podem ser manipuladas para mostrar diferentes pontos de vista. Ficamos ansiosos se não conseguimos ligar-nos para verificar uma notícia. Chefe do Laboratório de Pesquisa em Tecnologias Pró-ativas. debruçou-se sobre a vida durante a 2. quanto tempo despendemos a refletir ativamente sobre a forma como o fazemos. a partir da opinião expressa nos relatos de várias testemunhas. a modelagem. Jürgo-Sören Preden. para serem capazes de analisar a sua fiabilidade. deu o exemplo da máquina de café de cozinha. da Universidade Tecnológica de Talin.ª Guerra Mundial. Numa recente apresentação na Estónia. em vez de serem controlados por ele. que utilizaram a fotografia como a linguagem para comunicar e interpretar as histórias que queriam contar. verificar as nossas contas do Facebook. simplesmente. mas também para tratarem e manipularem o material digital. Isto permite verdadeiramente que os alunos percebam que a informação é variável. processa toda a informação e produz uma chávena de café. utilizaram. de certa forma. verifica a informação na base de dados médicos. em que todos os sistemas que atualmente controlam o nosso mundo se interligarão para que a informação de um controle as reações de outro. que a informação pode ser utilizada de várias formas. a animação stop motion e o vídeo. O outro projeto. 23 . que capta os sinais sensoriais de quem a está a utilizar. e apesar de estarmos permanentemente a utilizar todos estes recursos. Stories in History.

aprender a aprender .

a aquisição das competências básicas fundamentais. tanto individualmente como em grupo. processar e assimilar novos conhecimentos e aptidões. e a partilhar os conhecimentos adquiridos. o indivíduo deve conhecer as competências. no trabalho. mas também a capacidade do indivíduo para lidar com obstáculos e mudanças. em primeiro lugar. A motivação e a confiança são elementos cruciais para a competência individual. mas também a trabalhar colaborativamente. a numeracia e as TIC. tirando partido das vantagens de um grupo heterogéneo. Aprender a aprender obriga os aprendentes a apoiarem-se nas experiências de vida e de aprendizagem anteriores. de organizar a nossa própria aprendizagem. 25 . Conhecimentos. as aptidões e as qualificações exigidos. em particular. tais como a literacia. aprender a aprender exige que o indivíduo conheça e compreenda as suas estratégias de aprendizagem preferidas. identificando as oportunidades disponíveis e a capacidade de ultrapassar os obstáculos para uma aprendizagem bem sucedida. a orientação e/ou apoio disponíveis. Fatores essenciais de uma atitude positiva são: a vontade de aplicar experiências de vida e de aprendizagem anteriores e a curiosidade em procurar oportunidades de aprender e aplicar os novos conhecimentos em contextos de vida variados. como parte do processo de aprendizagem. bem como procurar e utilizar aconselhamento. Esta competência significa adquirir. inclusive através de uma gestão eficaz do tempo e da informação. a capacidade de prosseguir na aprendizagem. Uma atitude positiva pressupõe motivação e confiança para prosseguir e ter sucesso na aprendizagem ao longo da vida. Apoiando-se nestas competências. a fim de utilizarem e de aplicarem os novos conhecimentos e aptidões em contextos variados: em casa. aptidões e atitudes essenciais relacionados com esta competência: Sempre que a aprendizagem se orientar para um determinado trabalho ou para objetivos de carreira. informação e apoio. necessárias para continuar a aprender. os pontos fortes e fracos das suas aptidões e qualificações. e que seja capaz de procurar as oportunidades de educação e de formação. adquirir. O indivíduo deverá ser capaz de dedicar tempo a aprender de maneira autónoma e com autodisciplina. Em qualquer dos casos. Tal exige uma gestão eficaz da sua própria aprendizagem. processar e assimilar novos conhecimentos e aptidões. os conhecimentos. sempre que necessário.DEFINIÇÃO “Aprender a aprender” é a capacidade de iniciar e prosseguir uma aprendizagem. o indivíduo deve ser capaz de encontrar. Deve ser capaz de organizar a sua própria aprendizagem. de se concentrar durante períodos prolongados e de refletir criticamente no propósito e nos objetivos da aprendizagem. da sua carreira e da sua atividade profissional. Uma atitude aberta à resolução de problemas favorece não só a aprendizagem. e. na educação e na formação. Aprender a aprender exige. Esta competência implica também a consciência do nosso próprio processo de aprendizagem e das nossas necessidades. de avaliar o seu próprio trabalho e de pedir conselhos.

” O Júri Europeu LYPS “O principal objetivo deste projeto consiste em explorar o potencial dos alunos e descobrir os seus talentos. e todas as subtarefas se relacionaram entre si com o objetivo final de escrita de uma e-magazine.net/pt/pub/collaborate/kits/detail.” Link para o projeto: www. organizámos um concurso.ly/1sNSm9U TwinSpace: www. a e-Magazine. celebrando o sucesso uns dos outros e aprendendo a trabalhar em conjunto. desempenham tarefas. As equipas jogam. É parecido com o Facebook.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. partilham as suas descobertas e advogam-se mutuamente.etwinning. cfm?id=1105&klang=pt&lang=pt Vídeo sobre o projeto: http://youtu. entrevistam os seus parceiros europeus para conhecerem as suas opiniões sobre o tema e.” Link para o projeto: www. organizam as informações recolhidas e escrevem os seus artigos.etwinning. Os alunos executaram uma tarefa claramente abrangente.etwinning.etwinning. Depois de uma breve fase introdutória.” Professora da Grécia . Ajudar as crianças a descobrir aquilo em que são boas promove uma autoestima saudável e é essencial para o seu sucesso futuro. Os grupos foram formados por equipas internacionais de alunos. A Web 2.” Aluno polaco 26 “O projeto revelou a paixão e o talento de todos os alunos. de Malta “é mais dinâmico e queremos trabalhar mais” Delphine.net/pt/pub/profile.net/pt/pub/profile.cfm?f=2&l=pt&n=82576 Kit de Projeto: www. mas descreve a vida de pessoas famosas.P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Reporting without borders “Os alunos cooperam para escrever uma e-magazine: selecionam alguns temas que gostariam de investigar. em seguida. atividades e pessoas.. é de alta qualidade. da Bélgica “O produto final. As crianças precisam de experimentar muitas coisas antes de se fixarem num conjunto de aptidões que envolvem as suas próprias capacidades.)” Rebecca. Por essa razão. criámos oportunidades para que as crianças possam explorar diferentes objetos.cfm?f=2&l=pt&n=41236 Kit de Projeto: www. Os nossos alunos constituem-se em equipas internacionais com membros de todos os parceiros. bem como na dos outros. o que resultou numa verdadeira colaboração entre alunos de diferentes países. A e-Magazine é um produto final bem elaborado e que se encontra disponível para outras escolas poderem usar como material. trabalhando em cooperação e com um manifesto interesse na sua própria aprendizagem..be/o673QpF38rE “O Fakebook é uma das atividades em que trabalhámos. independentemente das suas origens étnicas.net/twinspace/reporting_without_borders “aquilo de que mais gostei foi de trabalhar numa equipa(.0 está no centro da nossa comunicação e cooperação.etwinning. cfm?id=781&klang=pt&lang=pt Vídeo sobre o projeto: http://bit.

Opinião do perito ANNE GILLERAN . Tal como sugerido pelo título. este projeto demonstra a aquisição de competências sociais por parte destes jovens alunos. que demonstra claramente o empenho dos alunos envolvidos. permitiu-lhes sentirem-se profundamente envolvidos no projeto. tendo como pano de fundo o conceito de inteligências múltiplas. ciências e matemática. e não por causa de um exame que têm de fazer? Muitos dos projetos no eTwinning lidam com este desafio.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR Na minha opinião. os alunos aprenderam a desenvolver as suas próprias ideias e a trabalhar tirando partido dos seus próprios pontos fortes. como envolver os alunos. para definir desafios para todo o grupo. som. decidir qual a área de que mais gostavam e. objetos para manipular. Reporting without Borders. Os alunos são muitas vezes afastados da aprendizagem. Durante este processo. em vez de um texto denso numa página. etc. encontraremos uma gama de tópicos que vai das artes e música à história. Envolveu alunos bastante jovens. permitiu também aos alunos a escolha de temas que lhes fossem próximos. muitos deles a ponto de abandonarem a educação formal por completo. a informação contém imagens. Mais uma vez. Penso que o projeto. como conseguir que adquiram a paixão pela descoberta e pela aprendizagem. Então. o trabalho do projeto permitiu-lhes explorar os assuntos que lhes interessavam e desenvolver as suas aptidões e. o que resultou numa revista online animada e envolvente. onde o tempo dos alunos é dominado por exames e por todas as restrições curriculares. e pela pressão que tudo isto exerce sobre alunos e professores. criativa e inovadora. Let Your Passion Shine (LYPS) tem a resposta ideal para o desenvolvimento desta competência. a escolha editorial. ao mesmo tempo. 27 . a capacidade para trabalhar em equipa. Os estudantes tiveram que explorar cada assunto. a expressão e organização criativa do espaço gráfico e. cor. desenvolvido por Howard Gardner. O outro projeto. em seguida. a verdadeira pedra angular desta competência. particularmente no ensino secundário. frequentemente sem a aquisição de literacia básica. trabalhar integrados numa equipa internacional. Se olharmos para o espaço de trabalho deste projeto. Havia uma grande variedade de temas e de tarefas. Os professores trabalharam com base no princípio de que o alunos trabalham melhor e aprendem de forma mais eficaz quando estão a seguir algo que lhes interessa e que lhes é apresentado de uma maneira que é coerente com o seu estilo de aprendizagem. apresentados de maneira divertida. Por essa razão. esta pode ser uma das competências mais difíceis de se desenvolver de forma duradoura no nosso atual sistema de educação formal. com idades entre 9 e os 11 anos. ainda.

competências sociais e cívicas .

As aptidões essenciais desta competência incluem a capacidade de comunicar de maneira construtiva em diferentes meios. de negociar. que valorize a diversidade dos valores e respeite os outros. Os indivíduos deverão saber lidar com o stresse e com a frustração. organizações de trabalho. bem como dos principais eventos e tendências da história nacional. dos valores e das políticas dos movimentos sociais e políticos. não só para si próprio. e ser capazes de distinguir entre a esfera privada e a esfera profissional. As competências cívicas permitem ao indivíduo participar plenamente na vida cívica. de expressar e entender pontos de vista diferentes. As competências cívicas implicam uma reflexão crítica e criativa e uma participação construtiva em atividades da comunidade ou de proximidade. É igualmente importante conhecer os conceitos básicos relacionados com o indivíduo. As competências sociais estão ligadas ao bem-estar pessoal e coletivo. As aptidões próprias da competência cívica estão relacionadas com a capacidade de o indivíduo se relacionar efetivamente com os outros. e abrangem todas as formas de comportamento que permitem ao indivíduo participar de forma eficaz e construtiva na vida social e laboral. e resolver conflitos quando necessário. Além disso. inspirando confiança. saber exprimir estes sentimentos de forma construtiva. europeia e universal. com base no conhecimento dos conceitos e das estruturas sociais e políticas e numa participação cívica ativa e democrática. e de suscitar empatia. e da forma como um estilo de vida são pode contribuir para esse fim. em particular em sociedades cada vez mais heterogéneas. como para a sua família e para o seu ambiente social imediato. e de demonstrar solidariedade e interesse em resolver problemas que afetam a comunidade local ou alargada. geralmente aceites em diferentes sociedades e meios (no trabalho. regional. nacional. igualdade. 29 . e como são aplicadas pelas diferentes instituições a nível local. B. É essencial entender as dimensões multicultural e sócio-económica das sociedades europeias e o modo como a identidade cultural nacional interage com a identidade europeia. justiça. grupos. e a consciência da diversidade e das identidades culturais na Europa. europeu e internacional. nomeadamente através da participação em eleições. que exige a compreensão da forma como o indivíduo pode assegurar um estado ideal de saúde física e mental. Para uma participação interpessoal e social bem sucedida. Pressupõem o conhecimento de acontecimentos contemporâneos. de demonstrar tolerância. por exemplo). no domínio público. de assertividade e de integridade. Conhecimentos. cidadania e direitos cívicos. sociedade e cultura. As competências cívicas baseiam-se no conhecimento das noções de democracia. incluindo a forma como estas estão enunciadas na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia e nas declarações internacionais. São igualmente essenciais o conhecimento da integração europeia e das estruturas da UE. igualdade de género e não discriminação.DEFINIÇÃO Estas competências incluem as competências pessoais. É importante que o indivíduo se interesse pela evolução sócio-económica e pela comunicação intercultural. aptidões e atitudes essenciais relacionadas com esta competência: A. deve igualmente ser desenvolvida a consciência dos objetivos. desde o nível local e nacional até ao nível europeu. A competência baseia-se numa atitude de colaboração. é indispensável entender os códigos de conduta e de boas maneiras. dos seus principais objetivos e valores. e que esteja preparado para vencer preconceitos e aceitar compromissos. interpessoais e interculturais. assim como a tomada de decisão a todos os níveis.

que competem em jogos diferentes. das suas vidas diárias. nomeadamente o do princípio da igualdade. Uma participação construtiva pressupõe. apresentações em PowerPoint e álbuns de fotografias. à União Europeia ou à Europa em geral e ao mundo.” Link para o projeto: www.cfm?f=2&l=pt&n=17998 Kit de Projeto: www.net/pt/pub/profile. base da democracia. o apoio à diversidade e à coesão sociais e ao desenvolvimento sustentável.net/twinspace/getting_closer “A maior conquista foi o facto de se ter tornado natural para os alunos estar em contacto com os parceiros.etwinning. cfm?id=581&klang=pt&lang=pt Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu. da Bélgica “Aprendemos muito ao nos apercebermos das diferenças. P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Getting closer “Um projeto de troca de correspondência postal. Significa isto manifestar um sentimento de pertença a uma localidade. e a metade finlandesa a partir da Finlândia. Quanto mais pontos obtiverem. e a apreciação e compreensão das diferenças entre os sistemas de valores dos diferentes grupos religiosos ou étnicos. tal como o respeito pelos princípios democráticos. e o desejo de participar na tomada de decisões democráticas a todos os níveis.be/o0CmeNBRmuA TwinSpace: www. Bob Fryer 30 .net/pt/pub/collaborate/kits/detail. até que se encontrem em algum lugar na Europa.” http://youtu.” Delphine.DEFINIÇÃO O pleno respeito pelos direitos humanos. Cada equipa é um meio de transporte que viaja ao encontro da outra: a metade espanhola da equipa a partir de La Palma. dos seus países e culturas. As crianças são divididas em 5 grupos de nacionalidades mistas. constituem elementos base para uma atitude positiva. a um país. Pressupõe ainda que se demonstre sentido de responsabilidade e que se manifeste compreensão e respeito pelos valores comuns necessários para assegurar a coesão da comunidade. A equipa que se reunir em primeiro lugar é a vencedora.etwinning. usando o email. e a total disponibilidade para respeitar os valores e a vida privada dos outros. ao longo de todo o ano letivo. que aproxima as crianças umas das outras. ainda. o empenho em atividades cívicas. o chat. mais longe viajam. gravações de áudio e vídeo.be/BppZe5OTBow Prof.etwinning.” Professora finlandesa “Os meus pais acharam o eTwinning muito interessante e perceberam que oferece muitas oportunidades.

Deu-lhes uma visão positiva sobre eles próprios e sobre a sua escola” Professora francesa 31 .etwinning.net/pt/pub/profile.. um hino nacional e leis comuns. interagindo entre si.). Recorrendo à plataforma eTwinning. Por último.P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Rainbow village “Uma nação arco-íris. Link para o projeto: www. onde alunos da Eslováquia. Reino Unido.net/pt/pub/collaborate/kits/detail. cfm?id=961&klang=pt&lang=pt Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu.cfm?f=2&l=pt&n=58043e Kit de Projeto: www. França. caráter. Grécia.etwinning. Nelson Mandela. professores e alunos partilham as suas opiniões sobre o projeto. Polónia. aprendi a trabalhar em grupo com os meus colegas” Aluno francês “O projeto mostrou-lhes que. discutem temas da vida quotidiana e comparam os seus costumes com os dos seus pares europeus. Os alunos podem comunicar através de emails ou de videoconferência. se podem alcançar grandes coisas. com pequenas coisas. Em paralelo. será disponibilizado aos alunos material de ensino (com um foco especial sobre o ensino de estratégias cognitivas e meta-cognitivas) numa plataforma de aprendizagem da Universidade de Nancy ou no espaço virtual do eTwinning. onde os alunos 1) assumem novas identidades (descrição física. Estes dados serão então usados para criar uma aldeia virtual que é uma “mistura” de culturas. Itália. os alunos começam por se conhecer uns aos outros. em paz consigo mesma e com o mundo”. 3) decidem sobre um emblema. 2) descrevem a sua aldeia ideal.net/twinspace/rainbow_village “Aprendi a apresentar-me às eleições para presidente da autarquia.etwinning. A sua criação é recolhida num blog especialmente concebido para o projeto. Os participantes reagem em relação a eventos que possam ocorrer nesta aldeia. Roménia e Turquia vão aprender a viver juntos e a partilhar as suas experiências? As línguas utilizadas são o inglês e o francês.be/h5u8AYQlFiQ TwinSpace: www. Que tal fazer parte da nossa “aldeia arco-íris”.. o que gostam e o que não gostam .

quando o interesse que dedicavam aos estudos.cfm?fuseaction=app. professora de biologia. muito bem implementadas. da Roménia “Gostei também muito das experiências que fizemos.etwinning. consumir drogas e em prazeres sexuais.” O Júri Europeu 32 . porque tivemos de as traduzir para inglês.” “Gosto de ciências porque aprendemos muitas coisas novas acerca da natureza e divertimo-nos imenso.net/kit/health4life Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu. do corpo e do espírito de uma pessoa. a atividades desportivas e a outras atividades quotidianas e de lazer era bastante superior. O estilo de vida dos adolescentes de hoje mudou muito comparado com o de há 50 anos atrás.” Aluno da Holanda Aluna da Holanda Maria.etwinning. de diferentes professores. participei na videoconferência.net/pt/pub/profile. A saúde não só se mantém e se melhora através dos avanços e da aplicação das ciências da saúde. como também através do esforço e da opção por estilos de vida inteligentes. estar livre de qualquer doença. fumar.be/GS-ZasD9zEw TwinSpace: www.” Paulien.etwinning. utilizando termos técnicos que eram mais científicos e não tanto do tipo de linguagem que utilizamos no dia a dia.net/twinspace/health4life “Agora recebo informação e materiais de aprendizagem de toda a Europa. ou seja. Holanda “Sempre que algo correu mal.Health4life “Nos seres humanos.” Aluno da Itália “Temos aqui exemplos de atividades eTwinning para preparação de exames e de integração no currículo. project&pid=79799&lang=pt Kit de Projeto: www. ainda assim. rimo-nos disso em conjunto e não houve problema. Hoje vive-se uma nova fase em que os adolescentes parecem só pensar em festas. tornando tudo divertido sem se dar por isso. em beber. por parte do indivíduo e da sociedade. mas.” “Uma vez eu estava doente e fiquei em casa.” Link para o projeto: www. saúde significa uma boa condição da mente. lesão ou dor.

até à elaboração das regras que regiam a sua sociedade e à realização de eleições em tempo real. No mundo atual. o outro projeto nesta secção The Rainbow village representa um exemplo perfeito de como abordar a tarefa de desenvolver nos jovens a compreensão da natureza complexa desta competência social e cívica. Coloca em destaque a interligação da reação humana em cadeia. em que tudo o que tinham conhecido tinha sido destruído. em termos de causa e efeito. no exercício de tais direitos. como as competências em matemática e em ciências podem ser abordadas pelos alunos de forma concreta e não teórica. Tudo isto está intimamente relacionado com a noção de direitos e responsabilidades. que abrange uma miríade de diferentes aspetos. na forma como desafia os alunos a pensar por si próprios e a fazer os seus próprios julgamentos.Opinião do perito ANNE GILLERAN . é colocada muita ênfase nos direitos das pessoas: direito de voto. direito ao usufruto de bons serviços. 33 . Tiveram de se concentrar em reconstruir as suas vidas e a sociedade na sua recém-criada Vila do Arco-íris. caminha a responsabilidade pela utilização correta dos mesmos. sem maltratar ou tirar proveito dos outros. direito a um padrão de vida decente. por exemplo. os alunos foram incentivados a considerar o comportamento quotidiano dos jovens em relação a questões como o tabagismo. Por sua vez.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR Esta é uma competência-chave muito complexa. Na verdade. Penso que este é também um bom exemplo de como um projeto pode incorporar várias competências ao mesmo tempo. Foram incentivados a pensarem profundamente sobre questões sociais e de justiça e a refletirem sobre os direitos e responsabilidades dos cidadãos e dos seus governantes. quer maltratados e oprimidos. No projeto. Health4life foi um projeto que se focou no desenvolvimento de uma compreensão da saúde e do bem-estar e dos fatores que promovem uma vida saudável. sejam elas grandes ou pequenas. somos dependentes uns dos outros. análise e apreciação. Este projeto mostra. estamos a construir uma sociedade em conjunto. o projeto promoveu também o espírito de iniciativa e a competência de empreendedorismo. Para mim. desde decidirem a melhor localização para a sua aldeia. que vão desde o desenvolvimento da compreensão da saúde e bem-estar e dos fatores que promovem uma vida saudável. O TwinSpace para este projeto põe em destaque as inúmeras tarefas que os alunos realizaram. tornando possível que as decisões que tomamos como indivíduos e grupos resultem em benefício de todos. quer nos sintamos valorizados e reconhecidos. de mãos dadas com todos os direitos. Este trabalho está muito bem documentado no TwinSpace do projeto e ficamos com uma noção muito real do quanto eles aprenderam sobre como é importante tratar o nosso corpo com cuidado. o consumo de drogas. etc. à capacidade de entender os códigos de conduta que nos permitem viver na nossa sociedade de forma produtiva e construtiva. Com este fim. O projeto envolveu alunos do ensino básico. que tiveram de imaginar que viviam num mundo apocalíptico. dentro dessa sociedade. as práticas sexuais e o consumo de álcool. este facto está ligado à forma como encaramos o nosso lugar na sociedade. No entanto. realizaram inquéritos entre os seus pares e fizeram experiências laboratoriais sobre os efeitos de várias substâncias no corpo. somos todos responsáveis pelas nossas ações. com idades entre os 12 e os 15 anos. bem como a aprender a apresentarem-se numa situação pública. Deram liberdade total a todos os seus poderes de criatividade.

espírito de iniciativa e empreendedorismo .

à representação e negociação eficazes e à capacidade de trabalhar tanto individualmente como em colaboração no seio de uma equipa. porque os torna conscientes do contexto do seu trabalho e capazes de aproveitar as oportunidades. através do comércio justo ou através da responsabilidade social empresarial. As aptidões dizem respeito à gestão dinâmica de projetos (que envolvem. Inclui também motivação e determinação para cumprir objetivos. que determinam o contexto em que as pessoas vivem e trabalham. profissionais e/ou empresariais. balanço. a inovação e a assunção de riscos. mas também no local de trabalho. Os indivíduos devem também estar conscientes da posição ética das empresas e de como estas podem constituir uma força positiva. por exemplo. 35 . em casa e na sociedade. como sejam uma compreensão alargada do funcionamento da economia e as oportunidades e os desafios com que se deparam um empregador ou uma organização. como no trabalho. incluindo questões de âmbito mais global.DEFINIÇÃO O espírito de iniciativa e o empreendedorismo referem-se à capacidade de os indivíduos transformarem ideias em atos. sejam eles metas pessoais ou objetivos partilhados com outros. Compreendem a criatividade. por exemplo. dinamismo. aptidões e atitudes essenciais relacionados com esta competência: Nos conhecimentos necessários incluem-se a capacidade de reconhecer as oportunidades existentes para o lançamento de atividades pessoais. tanto na vida privada e social. independência e inovação. bem como a capacidade de planear e gerir projetos para alcançar objetivos. análise. capacidades de planeamento. organização. Esta competência é útil aos indivíduos. É essencial ter o discernimento para identificar os nossos próprios pontos fortes e pontos fracos e para avaliar e assumir riscos. Conhecimentos. Uma atitude de espírito empreendedor caracteriza-se pela capacidade de iniciativa. gestão. avaliação e registo). não só na vida de todos os dias. Deveria incluir a sensibilização para os valores éticos e o fomento da boa governação. comunicação. Serve de base à aquisição de outras aptidões e conhecimentos mais específicos de que necessitam os que estabelecem uma atividade social ou comercial ou para ela contribuem. liderança e delegação. inclusive no trabalho. quando tal se justifique.

um manual e um sítio web que apresenta sugestões pedagógicas com exemplos práticos e exemplos de resultados. como também envolvente para os seus alunos. envolvente e criativa.net/pt/pub/profile. porque me possibilita que comunique com pessoas de outros países.etwinning.P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Photography as a pedagogical tool Este é um projeto Comenius/eTwinning com dois anos de duração. mais especificamente vocabulário do mundo dos negócios e da economia.be/WMnhQMeh_cM TwinSpace: www. shotball.net/pt/pub/profile. Luxemburgo e República Checa. Pede-se aos alunos que peguem nas suas máquinas fotográficas e saiam para observar o mundo que os rodeia. O projeto permitiu que os alunos aprendessem de uma forma mais motivadora. andebol.” Link para o projeto: www.etwinning. Link para o projeto: www. Language Learning “Este projeto tem como ponto focal o ensino e aprendizagem de línguas. Espanha.net/twinspace/bell 36 .net/pt/pub/collaborate/kits/detail. para que outros parceiros as traduzam por palavras. Durante as deslocações dos alunos realiza-se um torneio desportivo complementar (Basquetebol.etwinning. Corfebol.net/twinspace/photography_pedagogical_tool “O eTwinning ajuda-me a ter um melhor desempenho no meu dia a dia. Os alunos transformam conceitos e ideias em fotografias e criam slideshows que são partilhados através da plataforma eTwinning do projeto. Islândia.” Aluno da Lituânia “É um ótimo exemplo de trabalho de equipa entre os professores para a produção de um projeto que é não só pedagogicamente relevante. futebol) que envolve os parceiros.etwinning. A máquina fotográfica e a fotografia tornam-se elementos de apoio do processo de aprendizagem. Servirá de plataforma para um projeto Comenius.cfm?fuseaction=app. As regras dos jogos podem variar de acordo com a decisão dos parceiros. Com esta atividade promove-se um jogo sem vencedores nem vencidos. Publicam uma revista. Business Economic. à procura de ligações entre os conteúdos de aprendizagem abordados nas suas aulas e a realidade circundante.etwinning. project&pid=36261&lang=pt TwinSpace: www. produzindo ao mesmo tempo muitos recursos úteis. Áustria. cfm?f=2&l=pt&n=54616 Kit de Projeto: www.” O Júri Europeu BELL. com uma abordagem à aprendizagem orientada para a ação. abrangendo escolas da Alemanha. divididos em equipas formadas aleatoriamente por alunos dos países participantes. cfm?id=1107&klang=pt&lang=pt Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu.

há sempre exceções! No projeto BELL. quando montaram uma empresa e negociaram uns com os outros em bens reais. por exemplo. Tomemos formas populares de entretenimento que abundam.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR Para mim. como ver televisão ou jogar jogos de computador. para que se ergam e assumam a responsabilidade pelas suas vidas e ações e para que façam as coisas acontecer e não fiquem à espera que elas aconteçam.Opinião do perito ANNE GILLERAN . como também investigar o conceito de Comércio Justo no mundo dos negócios e no trabalho. como realizar estudos sobre modelos de negócio e colocá-los em prática. os alunos investigaram aspetos como a forma como funciona globalmente e localmente o comércio justo. A aprendizagem tornou-se para eles real. Todo o projeto é um excelente exemplo de como os alunos desenvolvem uma perceção de como funciona. que nos dá um relato superficial da situação sem incentivar uma reflexão mais profunda ou uma análise.youtube. este conjunto de competências implica pro-atividade por parte das pessoas e não passividade.blogspot. compreenderão quão longe chegou este projeto na promoção do princípio deste Conceito-Chave. como produzir bens e serviços em pequenas empresas. um negócio e de como podem desenvolver uma ideia com a sua própria iniciativa. entrevistaram proprietários de empresas de pizzas e desenvolveram as suas próprias receitas com base em pesquisa de mercado feita com os seus pares. Felizmente.org/ 37 .altervista.pizzabusiness.etwinning. inquiridores. mas procurar os parâmetros de criação de uma empresa para a produção de pizzas. longe da experiência de um aluno no ambiente escolar tradicional. Durante o projeto. os alunos não só procuraram melhorar o seu inglês empresarial.com/watch?v=z_NiYi3U9HM http://pizzacrosseuropetorneo. que não refletem a realidade nem promovem a reflexão. Os alunos desenvolveram modelos de negócios. Language Learning. O mundo real do local de trabalho e dos negócios está. vemo-la no projeto the Pizza business across Europe. o que nem sempre promove uma abordagem pró-ativa na sua vida de estudante. Estas tendem a ser em grande medida atividades totalmente passivas. como o dinheiro ganha o seu valor. Aqui a tarefa foi não só investigar as origens de um prato que se tornou um alimento básico em todo o mundo. A segunda exceção. Entrevista à professora: https://www. muitas vezes. Já me referi ao “sound bite” de três minutos de informação. curiosos. Se visitarem o TwinSpace (http://newtwinspace. O mundo em que vivemos tende a promover a passividade e a superficialidade mais que a pro-atividade.ie/ http://www. Business Economic. para incentivar a pro-atividade temos que capacitar os nossos jovens para que sejam analíticos. na prática.net/web/p36261/welcome).

sensibilidade e expressão culturais .

Conhecimentos. utilizando as nossas próprias capacidades inatas. incluindo a cultura popular contemporânea. a necessidade de a preservar e a importância dos fatores estéticos na vida quotidiana. na Europa e nas outras regiões do mundo. através de uma prática pessoal da expressão artística e da participação na vida cultural. Uma atitude positiva inclui ainda a criatividade e a vontade de desenvolver o sentido estético. A expressão cultural é essencial para o desenvolvimento das aptidões criativas. nacional e europeu e para o lugar que estes ocupam no mundo. incluindo a música. experiências e emoções num vasto leque de suportes de comunicação. aptidões e atitudes essenciais relacionadas com esta competência: O conhecimento cultural inclui a sensibilização para o património cultural local. as quais são suscetíveis de ser transferidas para múltiplos contextos de índole profissional. a literatura e as artes visuais. com os dos outros e de identificar e aproveitar oportunidades sociais e económicas na atividade cultural. As aptidões incluem também a capacidade de confrontar os pontos de vista próprios. as artes de palco.DEFINIÇÃO Apreciação da importância da expressão criativa de ideias. 39 . Uma sólida compreensão da nossa própria cultura e um sentimento de identidade podem constituir a base para uma atitude aberta e de respeito em relação à diversidade das formas de expressão cultural. É fundamental compreender a diversidade cultural e linguística. sobre a criação e a expressão artística. As aptidões dizem respeito tanto à apreciação quanto à expressão: a apreciação e fruição de obras de arte e de performances. Pressupõe um conhecimento básico das grandes obras da cultura. bem como a auto-expressão através de uma variedade de meios.

cfm?id=941&klang=pt&lang=pt TwinSpace: www. da Roménia “Graças aos seus projetos.cfm?f=2&l=pt&n=16915 Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: https://www.net/twinspace/tandem “As experiências que viveram.” Aluno espanhol “Utilizámos um cenário real e criámos contraste entre aquela época e a atualidade. estes foram os aspetos mais significativos. porque eu gosto muito de cantar. Cada história é inventada por alunos de diferentes países. temos uma grande quantidade de objetos reais e um livro em várias línguas. a nossa pequena pulga.be/vDCPJDRDDt8 Kit de Projeto: www. Mais locais para explorar e partilhar.” Link para o projeto: www. vestirmo-nos à época e falarmos em latim.” Maria.etwinning.” Professora francesa “Foi muito divertido organizar tudo. terem tentado compreendê-los.etwinning.net/pt/pub/profile. terem conseguido falar com os seus parceiros. Como resultado.etwinning. para compreenderem.” Aluno francês “A atividade mais bonita foi quando cantei.cfm?f=2&l=pt&n=58602 Vídeo sobre o projeto com entrevista de professores e alunos: http://youtu. Gostei muito.youtube.net/twinspace/pek “Participei na elaboração do guião da história da Pek.net/pt/pub/collaborate/kits/detail.” Aluna francesa PEK “Novas aventuras emocionantes para a Pek.net/pt/pub/profile.com/watch?v=INSldTSQUD4 TwinSpace: www. analisarem e experimentarem o sentimento de posse da “civilização clássica”. Uma nova geração de alunos está pronta para colaborar e criar situações engraçadas e originais. Link para o projeto: www.P R O J E T O S E M D E S TA Q U E Tandem Que recursos poderão ser encontrados na Antiguidade? Os alunos comparam o sucedido em França e em Espanha. os alunos podem criar algo real e ficar a conhecer o mercado de trabalho europeu. terem procurado recursos.” Professora espanhola 40 .etwinning.etwinning. questionarem.

enquanto viajava por toda a Europa: o que viu.ASSESSORA PEDAGÓGICA SÉNIOR Já falámos em consciência cultural. o quão interligadas estão todas as competências-chave. mas também um aprofundamento da compreensão das nossas próprias raízes e património culturais. Os alunos do setor do ensino profissional em França. por vezes. literatura. para citar apenas alguns. o que também desenvolveu as competências digital e de língua estrangeira dos alunos envolvidos. 41 . Além disso. Falámos sobre como é necessário aprofundar a compreensão de uma outra cultura.Opinião do perito ANNE GILLERAN . Espanha. Itália. Vale a pena também afirmar que o trabalho de projeto eTwinning é particularmente eficaz no que respeita ao fomento do desenvolvimento dessas competências transversais. O foco centrou-se em compreender como o latim funcionava enquanto língua para ver que palavras e expressões latinas ainda são utilizadas e integradas na linguagem corrente. comeu e aprendeu sobre as pessoas e países que visitou. O primeiro projeto Tandem centrava-se nesta última parte da competência de Consciência Cultural. então. que os professores. arte. A história assumiu a forma de uma banda desenhada digital. o que torna evidente. Analisaram também o lado estético da cultura de Roma. através do regresso às raízes latinas das duas línguas do projeto: o francês e o espanhol. ao fim dos nossos exemplos de projetos que mostram como as competências-chave de estudantes de diferentes países.. música. do nosso folclore e tradições. a Consciência Cultural abrange não só a consciencialização e a apreciação das culturas de outras pessoas. instituições e gestão urbana. dança. claro está. arquitetura. através da abordagem baseada em projetos eTwinning. trabalhando em conjunto. República Checa e Turquia trabalharam em conjunto para contar a história da sua pequena personagem Pek. tendo também expandido o seu sentido de criatividade e de planeamento.. o património constituído por monumentos e edifícios. para mim. Chegámos. podem ser desenvolvidas. ouviu. No entanto. acham difícil desenvolver ao lecionarem a sua disciplina. Compararam também os costumes da Roma antiga com os costumes de hoje em termos de vida familiar. para podermos ver o mundo através dos olhos dessa cultura. abrange também uma apreciação da expressão estética de uma cultura. Pek the traveller flea seguiu uma abordagem diferente. a arte e. Portugal. teatro. em relação a algumas das outras competências anteriormente discutidas.

Como vimos. através das várias oportunidades de desenvolvimento profissional que oferece aos professores. como através da aprendizagem contínua e do apoio interpares.seja dentro de um país ou em vários países . incluindo os Eventos de Aprendizagem e os Grupos. já que ela consegue lidar com uma ampla gama de competências e. mais importante. A importância da comunicação e da colaboração entre todos os implicados num projeto . Estas oportunidades de desenvolvimento profissional proporcionam aos professores o tempo 42 . um excelente veículo para desenvolver um amplo leque de competências dos alunos. relacionados com questões do mundo real. A colaboração. os alunos são capazes de assumir o controle ativo da sua aprendizagem e de refletir sobre a forma como aprendem melhor. tanto através da reorientação dos quadros de formação inicial de professores. é fulcral a todos os projetos eTwinning. muitas vezes em resultado das questões profundas e exploratórias utilizadas para conduzir o projeto.D E S E N V O LV E R A S C O M P E T Ê N C I A S D O S A LU N O S AT R AV É S D O   eTw i n n i n g Conclusão O que ilustram os exemplos de projetos citados neste livro? Os exemplos apresentados neste livro demonstram claramente que a aprendizagem baseada em projetos é. bem como através da utilização inovadora da tecnologia para melhorar a aprendizagem. comunidade em geral . é também verdade que a maioria dos projetos desenvolve uma ou mais das outras competênciaschave. De que forma é que o eTwinning ajuda os professores a desenvolverem as suas competências? Os exemplos apresentados neste livro centraram-se na forma como os projetos eTwinning desenvolveram com sucesso as competências dos alunos. Desta forma. Embora os exemplos aqui referidos tenham sido associados ao desenvolvimento de uma competência-chave específica. Isto é conseguido através da garantia de que os alunos têm uma palavra a dizer sobre os temas em que se focam e os papéis que irão assumir no âmbito da implementação do projeto.alunos. criatividade. ligá-las todas em contextos significativos. os professores necessitam de ser apoiados para desenvolverem uma aprendizagem baseada em projetos e noutros métodos. resolução de problemas. e. A aprendizagem interdisciplinar e autêntica apresentada em alguns destes projetos também é reforçada. avaliação de riscos. mas não se encontra isenta de desafios. O eTwinning está empenhado em fazer exatamente isso. a realização de projetos é extremamente gratificante.não pode nunca ser suficientemente sublinhado. Os exemplos ilustrados neste livro têm também sido bem sucedidos no que respeita a serem tributários da motivação dos alunos. como tal. sempre que profissionais externos à escola são convidados a colaborar com alunos e professores nos seus projetos. Isto é o que torna a aprendizagem baseada em projetos tão rica. sem dúvida. que conduzam a uma abordagem por competências. Esperamos sinceramente que se inspire nos projetos referidos neste livro e que comece a desenvolver mais atividades colaborativas nos seus projetos. bem como as competências transversais comuns a todos eles. Um outro aspeto fundamental que emerge destes exemplos de projetos é a importância que conferem ao princípio de permitir que os alunos assumam a responsabilidade pela sua própria aprendizagem. bem como a interação informal entre os professores. Estas incluem: raciocínio crítico. iniciativa. profissionais externos. tomada de decisões e gestão construtiva de sentimentos. conjuntamente com os outros aspetos mencionados acima. pais. professores.

Além disso. O eTwinning está empenhado em desenvolver as competências dos professores para garantir que estes podem. necessários para uma vida profissional e pessoal gratificante. CLIL. a fim de fomentar o desenvolvimento de projetos que envolvam o ensino colaborativo e uma abordagem transdisciplinar. para desenvolverem competências pedagógicas numa variedade de áreas e contextos. A tutoria online tem sido uma das muitas atividades bem-sucedidas de formação. 43 . bem como para partilharem e colaborarem entre si. a colaboração internacional e a aprendizagem baseada em projeto. desenvolver os conhecimentos.e o espaço necessários para beneficiarem do contributo de especialistas. incluindo o ensino apoiado tecnologicamente. os Embaixadores e os professores eTwinning facilitam e envolvem-se regularmente em ações de aprendizagem interpares online. por sua vez. O eTwinning continuará a promover o desenvolvimento de competências dos professores para que estes estejam preparados para enfrentar os desafios pedagógicos futuros. O eTwinning incentiva a formação de equipas escolares. aptidões e atitudes dos jovens. que continua a ser atualmente muito apreciada.

pontos de contacto nacionais e europeu 44 .

ALEMANHA Pädagogischer Austauschdienst des Sekretariats der Kultusministerkonferenz Contacto: Ellen Kammertöns Sítio Web eTwinning nacional: www. Os professores poderão contactar diretamente os seus Serviços Nacionais de Apoio para todo o tipo de esclarecimento.Sc.. com que as escolas se confrontem: helpdesk@etwinning.etwinning.mk 45 .net.net O Serviço Central de Apoio disponibiliza um helpdesk para dar resposta a qualquer pergunta ou dificuldade relacionada com o eTwinning. SERVIÇOS NACIONAIS DE APOIO Obtenha ajuda na sua língua Os Serviços Nacionais de Apoio representam o eTwinning no seu país.D E S E N V O LV E R A S C O M P E T Ê N C I A S D O S A LU N O S AT R AV É S D O   eTw i n n i n g SERVIÇO CENTRAL DE APOIO ETWINNING European Schoolnet www. pode contactá-los diretamente através dos seguintes contactos: ALBÂNIA Departamento de Tecnologias Educacionais e Estatísticas Ministério da Educação e do Desporto da Albânia Contacto: Ornela Koleka.etwinning.net info@etwinning.3 89 46 64 64 ANTIGA REPÚBLICA JUGOSLAVA DA MACEDÓNIA Национална агенција за европски образовни програми и мобилност (Agência Nacional para os Programas Educacionais e a Mobilidade Europeia) Contacto: Dejan Zlatkovski Sítio Web eTwinning nacional: http://www. Para obter apoio ou formação. M.etwinning.de Hotline: 0800.

jugendbuero.at BÉLGICA (COMUNIDADE FRANCÓFONA) Ministère de la Communauté française (Ministério da Comunidade Francófona) Contacto: Cécile Gouzee Sítio Web eTwinning nacional: www. primária e secundária Contacto: Zaneta Dzumhur 46 .be/unsere-programme/ erasmusplus/etwinning/ BÓSNIA E HERZEGOVINA Agência para a educação pré-escolar. Marcela Alzin Sítio Web eTwinning nacional: www.etwinning.enseignement.be BÉLGICA (COMUNIDADE DE LÍNGUA ALEMÃ)
 eTwinning Koordinierungsstelle in der DG Jugendbüro der DG Contacto: Michèle Pommé Sítio Web eTwinning nacional: http://www.D E S E N V O LV E R A S C O M P E T Ê N C I A S D O S A LU N O S AT R AV É S D O   eTw i n n i n g ÁUSTRIA Österreichische Nationalagentur Lebenslanges Lernen (Agência Nacional Austríaca para a Aprendizagem ao Longo da Vida) Contacto: Ursula Panuschka.etwinning. Martin Gradl.be/etwinning BÉLGICA (COMUNIDADE DE LÍNGUA FLAMENGA) EPOS vzw Contacto: Sara Gilissen Sítio Web eTwinning nacional: www.

etwinning.hrdc.bg CHIPRE
 Πρόγραμμα Δια Βίου Μάθησης (Fundação para o Programa Europeu da Aprendizagem ao Longo da Vida) Contacto: Thekla Christodoulidou.llp. Gabriela Podolanovaa Sítio Web eTwinning nacional: www.etwinning.sk 47 .dk ESLOVÁQUIA Universidade de Zilina Contacto: Lubica Sokolikova.cy/etwinning CROÁCIA Agecija za mobilnost i programe Europske unije (Agência para a mobilidade e programas da UE) Contacto: Tea Režek Sítio Web eTwinning nacional: http://www. Ebbe Schultze Sítio Web eTwinning nacional: http://etwinning.hr/ DINAMARCA UNI-C (Centro das TIC dinamarquês para a Educação e Investigação) Contacto: Claus Berg.org.emu.BULGÁRIA
 Център за развитие на човешките ресурси (Centro de Desenvolvimento de Recursos Humanos) Contacto: Milena Karaangova 
 Sítio Web eTwinning nacional: http://etwinning. Sylvia Solomonidou Sítio Web eTwinning nacional: www.

cmepius.aspx ESPANHA 
 Instituto Nacional de Tecnologías Educativas y de Formación del Profesorado Ministerio de Educación.fr 48 .CMEPIUS (Centro da República da Eslovénia para os Programas da Mobilidade e da Formação Profissional na Educação) Contacto: etwinning@cmepius.edu.es ESTÓNIA Hariduse Infotehnoloogia Sihtasutus (Fundação da Tecnologia de Informação para a Educação) Contacto: Elo Alleman Sítio Web eTwinning nacional: www. Medina Sítio Web eTwinning nacional: www.ee FINLÂNDIA Conselho Nacional da Educação Contacto: Yrjö Hyötyniemi Sítio Web eTwinning nacional: www.etwinning. Cultura y Deporte (Ministério da Educação.tiigrihype. Cultura e Desporto) Contacto: Carlos J.etwinning.si/etwinning.D E S E N V O LV E R A S C O M P E T Ê N C I A S D O S A LU N O S AT R AV É S D O   eTw i n n i n g ESLOVÉNIA Center RS za mobilnost in evropske programe izobraževanja in usposabljanja .fi/etwinning FRANÇA Scérén-Cndp Bureau d’assistance national français (BAN) Contacto: Marie-Christine Clément-Bonhomme Sítio Web eTwinning nacional: www.si Sítio Web eTwinning nacional: www.

The Exchange Bureau (Léargas.is ITÁLIA INDIRE .etwinning.Departamento de Educação Digital) Contacto: etwinning@educatio.it Helpdesk: etwinning.Istituto Nazionale di Documentazione. Innovazione e Ricerca Educativa (Instituto Nacional de Documentação.etwinning.etwinning.etwinning.Organismo público sem fins lucrativos . Gabinete de Intercâmbio) Contacto: Marie Heraughty Sítio Web eTwinning nacional: www.it Sítio Web eTwinning nacional: www.it 49 .GRÉCIA Instituto de Investigação Académica de Tecnologia e Computadores (Ερευνητικό Ακαδημαϊκό Ινστιτούτο Τεχνολογίας Υπολογιστών) Contacto: equipa eTwinning 
 Sítio Web eTwinning nacional: www.gr Telefone (apenas para a Grécia): 801 11 38946 HUNGRIA Educatio Társadalmi Szolgáltató Nonprofit Kft. Inovação e Investigação Educativa) Contacto: etwinning@indire.etwinning.hu Sítio Web eTwinning nacional: www.helpdesk@indire. Digitális Pedagógiai Osztály (Educatio .Centro Islandês de Investigação Contacto: Guðmundur Ingi Markússon Sítio Web eTwinning nacional: www.hu IRLANDA Léargas.ie ISLÂNDIA Rannis ..

info@etwinning.lv Sítio Web eTwinning nacional: www. Jacqueline Frendo Sítio Web eTwinning nacional: http://etwinning.etwinning.mt 50 .lu MALTA Directorate for Quality and Standards in Education (Direção para a Qualidade e Padrões na Educação) Curriculum Management and eLearning Department (Departamento de Gestão do Curriculum e do eLearning) Contacto: Amanda Debattista.edu.lv LIECHTENSTEIN Agentur für Internationale Bildungsangelegenheiten (Agência Nacional para os Assuntos Internacionais da Educação) Contacto: Stefan Sohler LITUÂNIA Švietimo mainų paramos fondas / Nacionalinė agentūra.D E S E N V O LV E R A S C O M P E T Ê N C I A S D O S A LU N O S AT R AV É S D O   eTw i n n i n g LETÓNIA Valsts aģentūra “Jaunatnes starptautisko programmu aģentūra” (Agência para os Programas Internacionais de Juventude) Contacto: Santa Prancane.etwinning. atsakinga už Erasmus+ (Education Exchanges Support Foundation / National agency for Erasmus+) Contacto: Violeta Čiuplytė Sítio Web eTwinning nacional: http://www.lt LUXEMBURGO
 ANEFORE asbl Agence nationale pour le programme européen pour l’éducation et la formation tout au long de la vie (Agência nacional para o programa Europeu para a aprendizagem ao longo da vida) Contacto: Sacha Dublin Sítio Web eTwinning nacional: www.skola.eTwinning.

britishcouncil. etwinning@epuffic.mec.org/etwinning 51 .no/etwinning PAÍSES BAIXOS EP-Nuffic Contacto: Marjolein Mennes.pl PORTUGAL Direção-Geral da Educação – Ministério da Educação e Ciência Equipa de Recursos e Tecnologias (ERTE) Contacto: eTwinning@dge.nl Sítio Web eTwinning nacional: www.dge.nl +31 70 4260 260 POLÓNIA Fundação para o Desenvolvimento do Sistema Educativo Contacto: Barbara Milewska. etwinning@frse.mec.no/prosjekter/etwinning & https://iktipraksis.etwinning.org.pt Sítio Web eTwinning nacional: http://etwinning.iktsenteret.pt/ REINO UNIDO
 British Council Contacto: equipa eTwinning Sítio Web eTwinning nacional: www.etwinning.pl Sítio Web eTwinning nacional: www.NORUEGA Centro Norueguês para as TIC na Educação Contacto: Lisbeth Knutsdatter Gregersen
 Sítio Web eTwinning nacional: http://iktsenteret.

National Support Service for eTwinning.gov.ac.cz ROMÉNIA
 Institutul de Stiinte ale Educatiei (Instituto de Ciências da Educação) Contacto: Simona Velea Sítio Web eTwinning nacional: www.etwinning. Národní agentura programu Erasmus+ (Centre for International Cooperation in Education .tr 52 .REPÚBLICA CHECA Dům zahraniční spolupráce – Národní podpůrné středisko pro eTwinning.etwinning.se TURQUIA MEB Yenilik ve Eğitim Teknolojileri Genel Müdürlüğü (Ministério da Educação Nacional: Direção-Geral de Inovação e Tecnologias de Educação) Contacto: Murat YATAĞAN Sítio Web eTwinning nacional: http://etwinning.utbyten.meb.ro SÉRVIA Fundação Tempus Contacto: etwinning@tempus.och högskolerådet. Pavla Sabatkova Sítio Web eTwinning nacional: www. Jenny Nordqvist Sítio Web eTwinning nacional: www. National agency for Erasmus+) Contacto: Barbora Grecnerova. (Conselho Sueco para a Educação Superior) Contacto: Anders Brännstedt.rs SUÉCIA Universitets.

fornecer apoio e formação aos professores sobre como usar o Desktop do eTwinning Plus e ajudar os professores a encontrar escolas parceiras compatíveis. a Tunísia e a Ucrânia.az/etwinningplus/ Contacto: etw@madad.am/?lang=en Contacto: etwinning@ktak.net GEÓRGIA Centro Nacional para o Desenvolvimento Profissional dos Professores: (TPDC) Contacto: etwinningplus@tpdc. nos países eTwinning. a Geórgia.madad.armedu. ARMÉNIA Centro Nacional de Tecnologias Educativas (NCET) http://etwinningplus.net) proporciona uma plataforma para que as escolas dos países vizinhos da Europa se liguem a escolas participantes no eTwinning.am AZERBAIJÃO Madad Azerbaijan www.ge MOLDÁVIA Fundação Leste Europeia Moldova (EEF) www. Os países que participam no eTwinning Plus incluem o Azerbaijão. Cada um dos países que participa no eTwinning Plus nomeou uma Agência de Apoio Parceira (Partner Support Agency .md/ Contacto: info@etwinning.Agências de apoio parceiras para o eTwinning Plus O eTwinning Plus (plus. a Arménia.md 53 .PSA).eef. a Moldávia. O papel da Agência de Apoio Parceira consiste em inscrever professores no eTwinning Plus.etwinning.

ua 54 .etwinning.TUNÍSIA Centro Nacional para as Tecnologias na Educação (CNTE) www.com.tn UCRÂNIA NSBC « Ukrainskiy proriv » www.tn Contacto: etwinning@cnte.com.cnte.ua Contacto: helpdesk@etwinning.

55 .

Notas: 56 .

57 .

58 .

59 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful