Você está na página 1de 6

}ìtrI'ÚBT,ICADA G I.

lINII-I}ISSÂL
N'IINISTERIO DA D]]FÌ)SANACJONAI'
ESTADO-h,ÍAIOITGENEIÌÁLDASF}RÇASÁltrlÁü',ts

COMISSÃODE INQUERIro

1 .l n t n r d u ç i t t i

lìsÍttlc ,\'l:iiul t itttt|rrl tllt'slitit'ç:rs


N u m a o c o r r ê . c i a v e r b a l t ei t a p el o C h eÍ ' s r l o
S t t i r r t i i c t ' t t it lrts
Annadas(CIiMGFT\),Illrptist:r'['ugrrN r c: r W i l c ^' - ! ;r' .l ' r ; t ì rl r] rl r i r i l l . r ; i i s
l ' r i r t l t i l t ; s - { t i r i : ' I r l t ' \ i \ ' ' l : i l ' i t sr i : t r r t r
M a r i ' h a d e G u e r r a N a c i o n a l , n , , , r ' , c i l c i a l l ü not cr i
a u n i . l i t , - i i st t i t i i t r i i ' u s . . ivcl i t t ' i s o i t '
F a m b é e A ü { ó n i o A l b i n o c l l r c t i s t * t e r i a l Ì ic ì c s l o c . r c l O
^p;;.{";rrJos
0oi)r o propositoclt rrruiriiìT-irI lrlqtttrstriiiitares,
elBr-igaclaÌ\,[ecartizacla
sLrPrarelcricias pat'a levarsnl a
rnuito parlicularmente*os Comanclantescias unidacles
cabo um golPe de Estado.

uma griÌve 'ioiação cla conclutarnilitar.


os factosatrásdescritos,susceptíveisde indiciar
na cluebrada disciplina
a propósito do qual se apontarão as iurpressivasconseqttências
vir a repercutir-senas.ForçasArniadas
na cadeiade comando e com a possibiiidaciede
crirninal qlle consiìbidanrentc lhe são
em g.ral e aincla.o* u possibiiidaciede ptrnição
cle clirigir as Ì:ot'ças,'\rtnrclas'
inerentes,levaram as Autoridades do EstirJo encarregues
li.st*clo Maior Gencrul tlils l:ur'çils ,\rlÌl:rdlls
às quais anclaassociadao chcfe do para
um& tsMIS$ÃO DE. INQUEIìl'l'ü }ttl-ll'Âlì
{cEh{CFA}, a instituÍrçrn corrente arìo'
no dia 5 deAgostodo
;;trr o relevojurídicodosfactosr:cort"idas
clc
eÍ'citi-rslqrglris'ir 1l;-r|ticiPlrç'iro
Todavia, posteriormentealargacln.pala as ilcviclos
clo N'linistcriol)úri'ilico'
elementosdo Ministério do Inierior e n 'nltgisL'"ar'io

Em síntcse:

aitrciiii-roc\)l'rôÌlcinVerbll do
Na 'oite do dia 5 cie Agosto cio corrcnrclro. sertr:t''io
peiils crecÌaraçÕes rte: ()iipitão-clc-
cEì\4CFA, Baptista Taf,na Na Wiie, c0nlirniaclc
N-avais,
ciosFuzireiLos Dourirrqos
crol"'i'crrcrrrc
FragataFasse.NaLambf comancrante
Gilberto
Militar,cloi':*ziïeiro
MonteiroM,banaNa Lem,dosserviçosde rnformação N4'bu'
com o qlìe disseo Brigacleiro-ceneralN4',bali
MomnaNhunca,corroborado
chefe da segurançaPessoal da República,por volta das 20H00'o
I'resiáente
_do_ 'fchuto' maudoltarmaros
CEMA, Contra-AimiranteJosé Américo Ilubo Na da
pretrdero Presidente
fuzileirosnavaise horas depoiscleÍìniucomo missão'
Repirblica
2 . Da Audição

No dia 8 de Agosto de ano ern curso,deu-seinício aos trabalhosda Cornissãode


cloilcpréritoc reduzicl<ls
tendosidoouvidosruoclecurso
Inquerito, as cliligencias
a i.ÌLltoS
de provareaÌizadas.

N e s t a ó p t i c a , e r e l a r c i o n a c cï ao n ' ì o r ì L r cl r t m s s e c x p f r s . a s p r i t t i c i t ' i t sc l r l i g e n c i i l cs ì r i
c o m i s s ã ol b r a n t n o s r ; n t i c i oc l ca l r l n r a l a r r e c c s s i c l l ccl lco e u t t t P t ' i t t t u t ìtL; \ i)l L l l i c Jtçl a; t l t t c Ì l t
que cleveser colsicleraclaa essôrrciacio irrclLrérito. O qlrc rlos sì.rgc|c^ recollterprovas e
íealzar as diligências necessáriasà descoberlade um çrime e a resÌlonsabilizaçãodos
.Seusautores;como o próprio legislador esclareceuno art. 193.odo Decreto-Lei n.o5i91,
de 13 de Outubro.

Destemoclo,na rnedidaeln o EstacloMaior Genernlclts lìorç:ts r\rttr:tdrrsjil havia


procedidoa detençãodos Primeiros-tenentes Mário Siano Farnbé e António Albino
ãa Co-st4,tornq perceptível que as primeiras diligências de prova iniciaram com €ì
'audiçãõ"dos detidos supra referidos de forma a, como tal, ver se a conduta militar
pigipi4+*qorrespopdea uma coàduta penalmenteproibida e, desde logo, também se
conespondea uma sançãocriminal.

Assim, dentro desta perspectiva,e de referir-sede lbnna breve que, apesarde os


primeiros-tenenteslVlirio Siano Fambé e António Albino da Costa adnritiremterem
èstâdcinas unicladesrnilitar de Mansoa,Para-Comandos e Brigada Mecanizada(ac1ui,
como sepodever dos autos,vale por dizercluantoa estairltima tiuiclarJe, que apenasse
con$tatoua presençado Prirneiro-tcnenteAntónio Atbino da C0st:r),sltcecle. porenl
nas uniclacies
estaclias supra se
citacltls
quò,u*Uos neg'ariidue a intençãodasrespectivas
lbt'çat'a ttruclattça ou a
Ènha a ver com a rnobilizaçãoclernïlitarespara,por via arnretda,
Áltgryçaodo Estadode ciireito(euruncia-se a rlobiiizaçãoclc rnilitiit'crs a
llitritIcvitt'cttt
cabo"um golpede Estado).

Todavia,ilo que respeitaà forma como deve ser interpretadoas respectivaspl'eserìças


nâs,unidades:militaressupra referidas ou a aproximaçãoconceitual ao universo das
ôónveiÉiiíÍidás'com alguni Oficiais e Comandantesdasunidadesmilitaresatráscitadas
á:vòtta de tudo-'aquiloque se quer, de forma transparentee límpida, objectivameÌlte
desvendái"ios Primeiroi-tcnentesN{ário Siano Fanrbri e Arrtónio Albirro d:t Costa
teremfalado corn algunsOfìciaise Comandantes já referidas,
das r-rrridades
cünnrïo-ani
maslapenas no sentidode estarematentosa especuÌações que estãoa ser propaladasnos
duas aeronaves
#Ëffi'4. comunicaçãosocial àrvolta,das ForçasArmadas sobre as
no-aeroporto, supostamenteenvolvidasernnarcotráficoou em transporte cle
flpïóenOidos
fr.ãir**enior. E, mais do que isso, na situaçãopolítica do país, devido ao desenho
pg]íticoque estáa ser tbito.

porém,decorreem primeiralinìra,revelaclo c algr:ttsOtìciais


por toclosos Comanclutrtes
pliureiranrentenos orgãocleccittrurticaçãosciciale
dasu'idadesrnilitaiesatráscitaclos,
nos prcscrntcs
posteriolnentc m[Ìsenl cclmpleta
íÌrÌtosrlc avcriguitçito, cofitradiçirocolÏì
dos primeiros-tenentes Mário SianoFambée António Albino da Costa.
às declarações
Prirneiros-tenentes
que,adeslocação.cios Mário SianoFarnbee AntÓnioAlbino claCosta
uprclades
asrespeotlvas militarese as conversações visaratu'a todasas luzes,a
manticlas
como
mobilizaçãodos militares para,levarema cabo um golpe de estado' Aqui,
Governaclores
.onr.quêncialógica,a clestituiçãoclo Presidcnteda República,dos
coltl iÌs
dasRegiõese dos Presitlentestle sectores.o quc, tudo sotttltlo,ptrl dizO-lo
puf*aiS ,Oor declarantes,levaria a estrbeleccr-se'desta ftlrt*it, utll Govcrno
tr
irlititn"'por unr períodode clcz(10) anos,que teria iìpeniìsno llrinrciro-Ministro
único elementocivil.
declarações:
NeSteprecisosentido,comosepocìevel llosaulos,as tãoexpressiv;ts

i. Do CoronelAntónio Ndjai, Conrandante da Zonalu{ilitarNortc,


ii. Do Tenente-CoronclAntónio f,{'darni,acljuntoComanciartte cia Zona Militar
Norte;
iii. Do Tenente-CoronelCurnaráNa NI'ba, InspectordaZonaMilitar Norte;
Do Capitão paulo SumsaeNaugtrrnele, Iì.esponsável clo r'\rnreinretrto da Z.ona
iv.
Militar Norte;
v. Do Capitão Nanri Demba N'tljai, Chefedas Operações cla.Artiihariada Zona
Militar Norte;
vi. Do AlÍefes Albino Nhagn.C<tntanclante do lo PelotãocleÌr4ortciro120mm cia
ZonaMilitar Norte;
vii. Do Coronel I'orrrasDjassiConranclante clol{eginrento cicl'urir-Colììttlìclt)s;
viii. Do ÌVI:rjorllautó llrmt:r Na il'Iaril.ChefeclasOperaçõcs clePitrii-C ottt;"tLrtios.
ix, D o C o ro n e lN h a ssol ,l :rS u n hr ,f) onr tutciitttte Nlcclr r li;' .:itLi;
cltrIlr "igadil
'fetre'te-Cttrottül
x. Do : \ d e l i l r o h ' l ' I t i L ] o t t t i i t t r i l r l t u: \ i j . l t i r t l t ; i i l t l ] r i g a i t i i
ìv{ecanizacÌa:
th lJ.
xi. D o C l p i t i r o i ì . u i l o r r t l a . C l r s l c c ì u si ) p c r a ç õ c st i t i i i r \ ( . r t l c l r t l ì t t i l l r i l r
Mecanizada;

l. Da Acarcitçtio

entreas declaraçõesprestadas, o que ocorre


Se bernSeVêemas coisas,as contradições
apenas,enrreas dos Prirneiros-tenentes Mário Siano Farnbé e António Albino da
iosta e dos Comandantes e algunsOficiaisdas UnidadesMilitaresjá suficientemente
acareações'
de algr"rrnas
a Conrissãode Incluéritoprocecleua reahzaçïto
referenCiadas,

cle Outubro),os
Como resultada lei (cfr. art. 127.' do Decreto-l-ein.o 5/93, de 13
acareadosforamprimeiramenteesclarecicios dos aspectos erÌ-Ìcontradição.da relevância
se poclerlalar de itcarcação.
e, por so a partirciaclr.ri claabsoltrtn
do valorda acareação
rra c'lescoberta soilrctttdo.a
cÌa vcrciltci.'"
coerênciacom o que há de compreeusivo
de caclaunr ciosacareaclos
possibilidade crlnfìr'n'iar, otl oolltçstirta posic;ilti
rtrocliÍ'tcitr
coutrária.

cìueclasacareações, por partede


resultoua confìtrtlação,
A isto devemosacrescenfaf
Para-Comanclos c
todos os Comandantese os Otrciais clas Unidaclescle lvlansoa,
autos, reafirtnando
.BrieadaMecanizada;das declaraçõesanteriormenteprestadasnos
AntónioAlbinoda
pelosPrimeiros-tenentes
J* queforamconiactados
,;#*";iüil"
delevarem
,,'Ldiit;ütïo'Sian;Fambe,comobjectivo acaboum golpedeestado'
' u*À.;.". ..,.,'";

porém,refbrça-se, aosPrimeiros-tenentes
destejeito, qurerelativamefìte AntónioAlbino
Unidades
;;'ô;;" . i,aa.io Sianá Fanúe, emboraadmitam terem-sedeslocadoàs
Militaresatrásreferidase aindade terem,ressalva-se' nllm ou noutro caso,faladocoln
toda a convicção,a
os respectivosColrandantese alguns Oticiais, continuam'conl
,,,*49
{
foi outroquenãoo de falarde um qualquergolpe
afirrnarqggo propósitoda deslocação
deestâdo.1'

- 1 .C t t t t c l t t s i t o

, ì i Í r s ,u t Ì ü i . ) l r l ì ' l ' t ' e s 1 l l t l . i . . r


A c o ' c l u s ã o a q r . r ei r C o n r i s s i r r .dre l n t i u ú r i t o c h e g o u ,c 1 u c a
parit. llut' t'ilt
sigpiÍìcativo llos aLltose a cie qLrc hour,e utl1amobilização cle militares
zuiiada, forçar a mudança ou a Alteração do Estadode direito (entencia-sea rnobilização
''demilitaresparalevarema caboum golpede Estaclo).
t,6çli-"'

De sorteque não houve confrontorTrilitarl1anoite do dia 05 (cinco) clo rnêsclcr\gosto


do ano em curso,pois, apesarde teremsido armadosos FuzileirosNavaise alguntas
pessoas estraúos ã esteiu*o militar e atribuídosa missãocleprendero Presideute cla
iìepublica,a Força dos FuzileìrosNavais não chegoua ntovimentiÌr-separa fora das
InstalaçõesMilitdres da Marinha,Casoo tivessemfeito, em sunlprinreutoda ordemdo
CEMA, Contra-AlmiranteBubo Na Tchuto,julga-senão haverdirvidasde se poder
considerarque o país estevea beira de um confrontomilitar, já que havia unl elÌol'lÌÌe
dispositivomilitar instaladonas imediaçõesda Marinhapara entrarem acçãoem caso
denecessidade.

O queequivaledizerc1ue, o levantauleuto militarsupostanlente orgltnizado llelr.iCEMA,


'l-churto, o Presiclente
Contra-Almirante .losèA,nericolJLrboNa tinlraent vistlt ltrcttclcr
tunçÕcs.
lo sLr as
d a R e p u b l i cea, p o r eo u seg u i n tetl. e stitr - r í-cias

5 . D : i s u b s u n ç i r ot l o s l ' : t c t t l si t o d i r c i l o

i
O Chefedo EstadoMaior GenelalclasFor'ças r\nlìadas(CLiVl(ìlì:\)ot'dcrtuLt cottrbiisc
no estabelecido no art. 84.u e segurintes clo EstntutoDisciplinarclos Serviçosda
Adnrinistração publica, aprovadopela Lei no.()lt)1,de 2 de Dezembloe pulrlicaclono
Suplernento ao B.O. no. 48, as averiguações dos thc,tostendentesa responsabilização
passado
disciplinarou criminal contraos implicadosna tentativade gotpe de estadodo
mêsde Agostode 2008.
II
com o princípioda legalidade (cfr.,art. 2.o,n'ul cP), proceder a
urge, de conformidade
unãi* jurídica closfactos que ressaÌtamdas declarações dos implicaciose que Í'azeLn
parteintegrantes do presenteprocessode averigr-rações'

III
Nestaperspectiva, cxtrai-seqLÌÈa proctlradri acorclodas UNIDr\DI]S DA ZONA
.,DOVITNGOSIìAN{ OS' 'C dII
M I L I T A R N OIìT T ì, d A I}R IGA D A MTICANÍZADA
pOl
corrstitLri'
UNIDADE DOS COMAIT{DOSpiÌfa a |ealizaçiodo golltc dc |i.s',rutlo
cleconropel'.ipÇctiVlrl'r) tlttettt'rs
lìl'(')blettta
formamaiscloqgeobvia.a baseI'uncilrrncrrtal
ocu'a'
lr
primeirasc clr.re
inclisiLrrÍr,cìs da
tto âtttbii^o
tcrú cleíttLÌl.t(ÍuÌ'-se
Assim,uma clascluesrões
captação do senticloe alcancc.coÌlo rlc uctrrs.lecollfbrttriiçiiclclei;ulpetla I:sludo,c;i
colCIcação previii clo NrÍilittir,.iri unirriacio pcltls plopirsitosclt:sitiiistirrlos iios .litarncs
l e g a i se , a í e d a ttrcsn rilib t-tn l r. sa ber tdo-c.1r ir .tcr cr r ti( )llr
- ( ).ulr
, irsitLr ir çl'tic
r ..rir tr stl l ute
indiÍ'erença queo golpe du Ë.çtotltt se tÌrçl llor rÌieiotle an.:eaç:lì; c r,ioiôrrcili.
rti'írvcs üolì1
o Í ì m d e a l t e raor E sta d oc'l ccl i rci toü onstir Lr cionalr r esLabclucitil
r cr r te

Termos errl qLle, a cleslocaçãcldos ,fì.iiï, subalternosa clil'eruntcstlNlDADI,lS


MILITAIìES e o contactocom as respectivas CHEFIAS MII.I'f,.\lìtìS. zr'proposiro
do qualse apontarãoas impressivasconsequências rìo caiÌ1poorganizzrcionalc clealgurn
modo relacionados com a clesvirtuada ideia de obediênciahieri'irquica a cadeiacle
comandoe, além do mais, no qLÌeconcernepelo menosao l{amo da Arrnada,niersaqui
mais acentuadamente a autorizaçïrodo CEMA para que os íìrzileirosnaverisfbssem
afectadosmeios de combatepara que Dossílmir prendero Plesidentecla Iìepirblica
pÍovocaram,in casu, repercussões púbieascoul efeitos devastaclores rÌa ruptura da
situaçãode paz e acalmiaclavivênciaquotidianados guineenses, e dü ffÌesrnatbrnra.na
da rituaçãopolítico militar do país.
estabilidade
:V

fo r n a , p o r d cttra ìscvi ci e n tr:.cÌL lca.pr obler náticada cictelr r r inr .lçir o.jLu' íc dai i c :u
r e s p o n s a b i l i ci cri
ade n ri n aal ca b ai )o rtr azera dcbiite. cr ìÌtonlìostlos ir r ncípiosqcr ur .s cic
direitocrimiual,a questãodu puttibilitludeilo ugettteqrta ttãu íu!rc I)(rcot'rertoilo u
iler crininis.
VI
N o q u ea i s sore sp e i taco , n roco i ìi i l r cl:r ' ìr ler i' a
cleclitr ação tio Cor r r lur r Ìlirrtc
lr s i:ur ' çus
r ic
F u z i l e i r o sN ava i s,C a p i tã i o -c1 e -ììr agata
lì;\SSE NA LAI\4lJr \r cÌativi.ir Ììc:ìtc r .rltlcsr i tl r i
distribuição de armasocorridasna \,1arinha dc CuelraNaciorraic.ji"ir 1;i.i:ì::itius r.iiguirxrs
horas,forammandadasrecoilìer pclo CEÌvlA.

VII
Por outras palavras,a ordenr de procedera distribuiçãocle arrnaspelo CìËlvlAe,
também, por conseguinte,a ordern posterior clo mesmo, consubstanciadano
desarmamento e recolhadas armas,desvendando-se com isso a ilegítintriintençãocie,
por via armada,forçar a mudançaou a Alteraçãodo EstadocieclireitocorlstitLri ou nã0,
por crivosherrnenêutico, uma coÍnÌlreensão normativade que o agentedo crime tenha
limitado a praticar actos preparatórios,actos de execuçãoou tenira abandonado
voluntáriaou involuntariarnente
a execução do crinreprevistoe pllllido no art. 221."CP,
pois,não se verificaramocorrências nasruasou situações de ocuÌlaçãooLrtentativacie
ocupação de Instituições
de Republica ou lugares
olltl'os sstrategicos. e rnuitomenoscla
residênciaprivativado Presiciente
de l{eliublica.

Yllt
A luz de um tal entendimenlo, o clLI(ì e cjecisivo,e cìLtc.iìtelìtiislì lìrctUiriiclaclc qr-rc
d e s t a c a m osta tráas, p ro p o si toci uci cscliçâo tir utica.
cì:rr nater ia sÈticvr :cor tr :luir tlucitiì ti
ci eq u e . i n e xi s tir r cjo
r e s t aa m e n o rd frvi cl a a coincidOnciii cll o
er ìtr üo ctr r tr udt- r .jLr r iclic
normaincrirrrinadorúì e o conlporti.ìn'ìcr"lto que viole un1certo bern.juríclico 1-lr:ttalrttente
protegido, a dita problernática so pocle serconcebida essencialnlcntc cortt olltos posto.s.
por razõesobvias,no enquadramento juríclico-penal da oondutaclosagerttes, entreí/T
octls preparstóríos e os octas de um crinrc tlesligududn existência úc utrt tluulquu
resultado.
,f
fictos prepilratórils e gs ucltt.ç rla trtrt Ct.inte dcslì11ndu rltt r.rr.i'/iirtt'iit iit itttt rlttriltltt(Ì'
resullado.

X
p o l o c * r c e s t l c o p s i c l c r n ç ã oc r i s r a l i z a .e n ' ì l e r r l r o s . i u r í c Ì i c o - p c r t al l ,l ì j c l c t c r n r i t t ; t n t c
cÌesisivor-rapunibilicltrclc ott trão tlos itÇtosatrásrcferi<los.

XI
Dir-se-áque, assinr,clcstepouto cle vista,cste nódulo problemáticoeru análiscfìca
rccluzidaa possibilicladede puniçãroclosactospreparatorios (r'., tt't't27." CP) otr clos
rcsLrltnclo
crn cltrcincxistiurrtl qualclucr
cnr situnçõc.s
actclsproclgi.icir-,s (rr..art.2fÌ.('(lÌ)).

xu
Assiçr,não clesconhecernos, llorénl,quc enl relaçãoa algtilìscritlres,o CI'}CLtittecnsc
p r e r , ôa p L r n i tri l i cl addeea cto sp re p a ratolios.

iÌs
F ei t o e s t e r e l a t o r i o , c l l r e c s b O ç ao s i Ì s l ) c c t o sn o s c l u a i . sc r ) t c t ì ( i u l Ì ì o ls) t ì l s i ) t u l l v i t l '
V. l:xcrlr'
a v e r i g t r a ç õ eas q u c r r o s i u c u u r b i r l n rr c u l i z a r c; : i . cs l t t cc t c l ì ì l ) oi l c t ' c t l l c l t ' Ì - l Ì
C h c f c c l o E s t a c l oN I : r i o r G c n e r a l d a s F o r ç n s A r n r : r c ì t r s( C I ì i \ ' l G l ì A ) , i l r r P t i s t : t ' l ' : t 1 3 t t t c
Nn Wac, o presentepara os cleviclose ìcglis clcitos.

Feito ern Bissau,aos 1 I (onze) cliasdo nrôsde Agosto clo ano 2008'

 cotttissi-ttl

Arsin

Au g u stoIJi co d a

ontelro

Al b i n oc l aS i l va

D r , J u l i ã oV i e i r: Irrsurnbo
zlc.o1.Abtà

Interesses relacionados