Você está na página 1de 13

SIMULADO

SIMULADO

SIMULADO LÍNGUA PORTUGUESA (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) Texto 2 “Num posto de atendimento público, alguém

LÍNGUA PORTUGUESA

(FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) Texto 2 “Num posto de atendimento público, alguém espera na fila. Antes do horário regulamentar para o término do

expediente, verifica-se que o guichê está sendo fechado e

o atendimento do público, suspenso. Correndo para o res-

ponsável, essa pessoa ouve uma resposta insatisfatória,

e fica sabendo que o expediente terminaria mais cedo por

ordem do chefe. Manda chamar o chefe e, identificando-se como presidente do órgão em pauta, despede todo o grupo”. (DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)

1. identificando-se

como presidente do órgão em pau-

ta

”;

a expressão “em pauta” significa:

a.

que está sendo investigado;

b.

que possui má fama;

c.

que foi notificado judicialmente;

d.

onde se processou a investigação.

e.

de que se está falando;

2. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) Entre os segmentos retirados do texto 2, aquele em

que a troca de posição dos termos modifica o sentido original é:

a. Num posto de atendimento público, alguém espera

na fila / Alguém espera na fila, num posto de aten- dimento público;

b. E o atendimento do público, suspenso / e suspenso

o atendimento do público;

c. Verifica-se que o guichê está sendo fechado / veri- fica-se que está sendo fechado o guichê;

d. Antes do horário regulamentar para o término do expediente / antes do regulamentar horário para o término do expediente;

e. Correndo para o responsável, essa pessoa ouve uma resposta insatisfatória / essa pessoa ouve uma resposta insatisfatória, correndo para o res- ponsável.

3. (FGV/ASSISTENTE

OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

Os termos de um texto podem manter entre si relações de concordância nominal ou verbal; os termos abai-

xo que NÃO estabelecem entre si qualquer relação de

concordância são:

a. resposta insatisfatória;

b. atendimento público;

c. horário regulamentar;

d. mais cedo.

e. alguém espera;

4. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

O personagem é identificado inicialmente no texto 2

como “alguém” e “essa pessoa”; esse procedimento se

justifica porque:

a. não há necessidade de identificação;

b. se trata de uma pessoa desconhecida;

c. só deve ocorrer a identificação ao final do texto;

d. narrador do texto não conhece a pessoa;

e. pessoa não se identificou no guichê.

o

a

(FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) Texto 4

“Já pensou? Já imaginou? 6 bilhões. Quem é você? Quem sou eu? Quem sou eu pra achar que o único modo de fazer as coisas é como eu faço? Quem sou eu pra achar que

a única cor de pele adequada é a que eu tenho? Quem sou

eu pra achar que o único lugar bom pra nascer foi onde eu

nasci? Quem sou eu pra achar que o único sotaque correto

é o que eu uso? Quem sou eu pra achar que a única religião certa é a que eu pratico? Quem sou eu? Quem és tu? Tu és

o

vice-treco, do sub-troço” (Mario Sergio Cortella).

5.

O texto 4 defende:

a. a cultura contra a ignorância;

b. o direito contra o privilégio.

c. o conhecimento contra o desconhecimento;

d. a humildade contra o orgulho;

e. a justiça contra a injustiça;

6.

(FGV/ASSISTENTE

OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

“Tu és o vice-treco, do sub-troço”; nesse segmento do texto 4 a desvalorização do ser humano é obtida prin- cipalmente por meio do emprego de:

a. palavras compostas de forma equivocada;

b. prefixos que indicam substituição;

c. gírias retiradas do vocabulário popular;

d. tratamento “tu” dado ao leitor.

e. substantivos que se referem a coisas;

7.

(FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) “Quem sou eu pra achar que o único modo de fazer as coisas é como eu faço? Quem sou eu pra achar que a única cor de pele adequada é a que eu tenho? Quem

sou eu pra achar que o único lugar bom pra nascer foi onde eu nasci? Quem sou eu pra achar que o único so- taque correto é o que eu uso? Quem sou eu pra achar que a única religião certa é a que eu pratico?” Nesse segmento do texto 4, o aspecto que NÃO se encontra entre os criticados é:

a. as convicções de crença.

b. a discriminação racial;

c. o partidarismo político;

d. a pureza de linguagem;

e. o nacionalismo exagerado;

(FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) Texto 1 “Numa esquina perigosa, conhecida por sua má sina- lização e pelas batidas que lá ocorrem, há um acidente de automóvel. Como o motorista de um dos carros está visivelmente errado, o guarda a ele se dirige propondo abertamente esquecer o caso por uma boa propina. O homem fica indig- nado e, usando o “Você sabe com quem está falando?”, identifica-se como promotor público, prendendo o guarda”. (DaMatta, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990)

3
3

BRUNO PILASTRESIMULADO

BRUNO PILASTRESIMULADO 8. “Numa esquina perigosa, conhecida por sua má sina - lização e pelas batidas

8. “Numa esquina perigosa, conhecida por sua má sina- lização e pelas batidas que lá ocorrem, há um aciden-

te de automóvel. Como o motorista de um dos car- ros está visivelmente errado, o guarda a ele se dirige propondo abertamente esquecer o caso por uma boa propina.” Nesse segmento do texto 1 os termos sublinhados NÃO podem ser considerados antônimos; o mesmo ocorre na frase abaixo:

a. Uma má sinalização não indica uma boa adminis- tração.

b. Uma boa fiscalização reprime a má conduta de motoristas.

c. Uma má conduta é sempre seguida de uma boa repreensão.

d. Um bom motorista não dá maus exemplos.

e. Um bom automóvel não pode ter maus freios.

9. (FGV/ASSISTENTE

OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

No texto 1 há duas ocorrências do vocábulo “como”:

“Como o motorista de um dos carros está visivelmente ”

errado

A afirmação correta sobre essas ocorrências é:

a. as duas mostram valor de “modo”;

b. a primeira mostra valor de “causa”;

c. a segunda mostra valor de “tempo”;

d. a primeira mostra valor de “modo”.

e. as duas mostram valor de “causa”;

e “identifica-se como promotor público”.

10. (FGV/ASSISTENTE

OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

A frase “Você sabe com quem está falando?” funcio-

na, nesse caso do texto 1, como:

a. demonstração de orgulho desmedido;

b. repreensão de uma má conduta;

c. destaque de um detalhe despercebido.

d. intimidação do interlocutor;

e. chamada de atenção para um fato;

11. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

identifica-se como promotor público, prendendo

o

guarda”; a oração reduzida “prendendo o guarda”

pode ser reescrita, em forma desenvolvida adequada,

do seguinte modo:

a. por isso prende o guarda;

b. porém prendeu o guarda;

c. portanto prendeu o guarda;

d. quando prende o guarda;

e. e prende o guarda.

12. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

Segundo o texto 1, a esquina é perigosa, entre outros motivos, por:

a. ter provocado o acidente narrado;

b. contar com fiscalização corrupta;

c. ocorrerem lá numerosas batidas;

d. dispor de má sinalização;

e. fazer parte de percurso de maus motoristas.

(FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) Texto 3 Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada e arcaica, majoritariamente conservadora (que aqui se manifesta em regra de forma extremamente nefasta, posto que dominada por crenças e valores equivocados), que se julga (em geral) no direito de desfrutar de alguns privilé- gios, incluindo-se o de não ser igual perante as leis (nessa suposta “superioridade” racial ou socioeconômica também vem incluída a impunidade, que sempre levou um forte setor das elites à construção de uma organização criminosa for- mada por uma troika maligna composta de políticos e outros agentes públicos + agentes econômicos + agentes finan- ceiros, unidos em parceria público-privada para a pilhagem do patrimônio do Estado). Continuamos (em pleno século XXI) a ser o país atrasado do “Você sabe com quem está falando?” (como bem explica DaMatta, em várias de suas obras). Os da camada “de cima” (na nossa organização social) se julgam no direito (privilégio) de humilhar e descon- siderar as leis assim como os “de baixo”. Se alguém ques- tiona essa estrutura, vem o corporativismo e retroalimenta a chaga arcaica. De onde vem essa canhestra forma de orga- nização social? Por que somos o que somos?” (Luiz Flávio Gomes, JusBrasil)

13. “Construímos no Brasil uma sociedade hierarquizada

e

plural (construímos) e, nesse caso, o sujeito “nós” se refere a:

a. políticos de nossa história;

b. todos os brasileiros em geral.

c. historiadores de nossa pátria;

d. classe dominante em geral;

o texto 3 é escrito na primeira pessoa do

arcaica

”;

e. organizadores de nossa estrutura política;

14. (FGV/ASSISTENTE

OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

Nesse segmento (texto 3) há uma referência aos tex-

tos anteriores desta prova, que constitui uma das mar- cas de caracterização dos textos em geral; essa marca é denominada:

a. coerência.

b. intertextualidade;

c. polissemia;

d. ambiguidade;

e. coesão;

15. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

O autor do texto 3 considera um atraso a utilização do

“Você sabe com quem está falando?” porque a expres- são representa:

a. um atestado de corporativismo;

b. um hábito antigo de nossas elites;

c. uma prova de corrupção;

d. uma volta à monarquia.

e. um desrespeito à igualdade das leis;

16. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) No texto 3 há uma série de substantivos derivados; en- tre os que estão abaixo, aquele que se forma a partir de uma palavra de classe diferente das demais é:

4
4

SIMULADO

SIMULADO a. organização. b. crença; c. construção; d. superioridade; e. pilhagem; (FGV/ASSISTENTE

a. organização.

b. crença;

c. construção;

d. superioridade;

e. pilhagem;

(FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

17. “Os da camada “de cima” (na nossa organização so-

cial) se julgam no direito (privilégio) de humilhar e des- considerar as leis assim como os “de baixo”. Segundo esse segmento do texto 3:

a. os “de cima” e os “de baixo” se igualam no desres- peito às leis;

b. os “de cima” possuem privilégios estabelecidos pela lei.

c. os “de cima” possuem direitos desconhecidos pe- los “de baixo”;

d. os “de baixo” humilham e desconsideram as leis;

e. os “de baixo” são desconsiderados pelos “de cima”;

18. (FGV/ASSISTENTE

OPERACIONAL/SSP-AM/2015)

No primeiro parágrafo do texto 3 há um conjunto de termos colocados entre parênteses; a função predomi- nante desse sinal gráfico, nesse texto, é a de:

a. repetir enfaticamente algumas observações;

b. definir termos presentes no texto;

c. corrigir alguns erros anteriores;

d. destacar pontos importantes do texto.

e. ampliar as informações dadas;

19. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) O primeiro parágrafo do texto 3 mostra uma marca de construção desaconselhável, que é:

a. a mistura de linguagem culta e popular;

b. uma repetição desnecessária de palavras;

c. a ocorrência de várias ambiguidades.

d. uma grande extensão sem o emprego de ponto;

e. o emprego de palavras difíceis e raras;

20. (FGV/ASSISTENTE OPERACIONAL/SSP-AM/2015) No segmento “parceria público-privada” (texto 3) há uma correta informação sobre a concordância dos ad- jetivos compostos por dois adjetivos e, por isso mes- mo, devemos considerar errada a seguinte construção:

a. tratado luso-brasileiro;

b. agentes públicos-financeiros.

c. injustiças arcaico-tradicionais;

d. relações econômico-sociais;

e. comunidades afro-asiáticas;

GEOGRAFIA

21. (TÉCNICO JUDICIÁRIO AUXILIAR/TJSC) As paisa- gens naturais de uma região resultam das interações entre os seus elementos como relevo, geologia, clima, hidrografia e vegetação. Com relação ao quadro climato-botânico brasileiro e sua área de ocorrência, identifique a única associação FALSA:

a. Clima: semi-árido => vegetação: caatinga => área de ocorrência: ao sul do Trópico de Capricórnio.

b. Clima: tropical úmido => vegetação: mata Atlântica => área: costa oriental do país.

c. Clima: tropical sub-úmido => vegetação: cerrados => área:centro do país.

d. Clima: subtropical => vegetação: campos => área:

sudoeste do Rio Grande do Sul.

e. Clima: equatorial => Vegetação: floresta amazôni- ca => área: parte setentrional do país.

22. (SARGENTO / EXÉRCITO BRASILEIRO) As cidades

de Brasília – DF e Manaus – AM têm, respectivamente, os seguintes climas:

a. Tropical e Equatorial.

b. Subtropical e Equatorial de Altitude.

c. Tropical Semi-árido e Tropical Continental.

d. Tropical e Litorâneo Úmido.

e. Equatorial e Subtropical.

23. (PROFESSOR DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADUL- TOS / SED-SC) O aluno precisa saber ler e interpretar ma-pas e para tal vai precisar de algumas noções.

Sobre a leitura de mapas, assinale a alternativa correta.

a.

O

“endereço” de lugares e fenômenos geográficos

é

representado no mapa pela relação significante

X

significado.

b.

A

legenda é composta de elementos não conven-

cionados que expressam tão somente a localiza- ção de fatos da superfície do planeta.

c.

A

proporcionalidade refere-se à escala que é uma

relação de razão e proporção entre o real e a re- presentação.

d.

Os limites e fronteiras são os únicos pontos de re- ferência capazes de localizar acertadamente os fenômenos representados num mapa.

e.

A

projeção escolhida transferirá o real bidimensio-

nal com a forma de geóide para o plano unidimen- sional do mapa.

24. (PROFESSOR DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADUL- TOS/SED-SC) “O estudo Mudanças Recentes na Po- breza Brasileira, divulgado nesta quinta-feira 15 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), aponta que entre 2004 e 2009 a desigualdade no Bra- sil caiu 5,6% e a renda aumentou 28%. Uma melhora atribuída entre outros fatores ao crescimento econô- mico, geração de empregos, aumento da escolaridade de adultos e aos programas de transferência de renda. “No período avaliado, passou de 51,3 milhões para 77,9 milhões o número de brasileiros vivendo em famí- lias com renda igual ou maior a um salário mínino (545 reais em 2011) por pessoa, um aumento de 26,6 mi- lhões. No entanto, em 2009, 107 milhões de indivíduos tinham renda inferior a 465 reais per capita por mês.” Fonte: http://www.cartacapital.com.br/economia/ desigualdade-caie-renda-sobe-no-brasil. Acesso em

17/09/2011.

5
5

BRUNO PILASTRESIMULADO

BRUNO PILASTRESIMULADO Analise as afirmações a seguir. I – A queda na desigualdade social citada no

Analise as afirmações a seguir. I – A queda na desigualdade social citada no texto se apresenta de várias formas como o aumento da renda e a melhoria na educação. II – Os 26,6 milhões que ascendem a uma “nova clas- se C” aumentam o consumo o que proporcionará, ao país, necessidade de aumentar a produção, o que conduz a geração de novos empregos. III – A mudança social demonstrada no texto mantém, ainda, a grande desigualdade social que existe en- tre as diferentes regiões brasileiras. IV – A melhoria nas condições sociais, com o aumento da renda média, afeta o padrão do comportamento reprodutivo da população, fazendo com que dimi- nua o crescimento natural ou vegetativo.

Todas as afirmações corretas estão em:

a. I -II

b. II -III

c. I -II -IV

d. III -IV

e. I -II -III

25. (SARGENTO/EXÉRCITO BRASILEIRO) O clima que abrange as terras altas do sudeste, caracterizado por invernos mais rigorosos sob influência da massa de ar Polar Atlântica, trata-se do clima

a. tropical semiárido.

b. subtropical úmido.

c. tropical de altitude.

d. equatorial úmido.

e. litorâneo úmido.

26. (SOLDADO/PMAM) Nas matas de terra-firme, em que

a competição pela luz é intensa, as árvores do estrato superior podem alcançar 50 e 60 metros de altura. A copa das árvores forma um dossel contínuo que retém

os raios solares, tornando o interior da floresta escuro

e úmido. Nos estratos inferiores, sombreados, árvores

de menor porte se interpenetram e se emaranham com cipós e lianas, caracterizando uma formação densa e compacta.

Essa formação resulta das seguintes condições climá- ticas dominantes na região, EXCETO:

a. índice de precipitação acima de 1.800/2.000 mm anuais;

b. menor incidência de energia, devido à posição em latitude.

c. temperaturas médias uniformes e elevadas ( 26/28º C_);

d. pequena variação anual de temperatura (< 3º C_);

27. (ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO - GEOGRA-

FIA/TCE-AC) Os ecossistemas ocorrentes no domínio morfoclimático e fitogeográfico da Amazônia brasileira guardam interesses científicos e didáticos. O fato de

a região ter sido apresentada sempre como o império

das florestas equatoriais, de disposição zonal, acarre-

tou distorções sérias nos estudos dos ecossistemas regionais. É certo que, em termos do espaço total

amazônico, predominam esmagadoramente os ecos- sistemas de florestas dotadas de alta biodiversidade. Entretanto, se levarmos em conta o conceito original de ecossistema, independentemente das disparidades espaciais de sua ocorrência, chegaremos a um núme- ro bem maior de padrões ecológicos locais ou subre- gionais. Ab’Sáber (2002)

Tendo como referência inicial o texto acima e antevis- tos pelo critério de sua especificidade — suporte eco- lógico e padrão de biodiversidade — pode-se agrupar os ecossistemas ocorrentes em

a. ecossistemas transacionais ecótonos, ecossiste- mas florestais e ecossistemas úmidos.

b. ecossistemas contrastados de terras firmes, dife- renciações intraflorestais e ecossistemas extre- mantes localizados.

c. ecossistemas florestais, ecossistemas de terra fir- me e diferenciações extraflorestais.

d. ecossistemas úmidos, diferenciações intraflores- tais e ecótonos de interface limnológicas.

e. ecossistemas contrastados de terras firmes, ecos- sistemas úmidos e diferenciações extraflorestais.

28. (AGENTE DE POLÍCIA/SAESP) Sobre os sistemas biogeográficos brasileiros (Cerrado, Caatinga, Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Araucária e os complexos do Pantanal), considere as proposições abaixo:

I – As políticas desenvolvimentistas implantadas no Brasil impulsionaram a ocupação das áreas do Cerrado e da Floresta Amazônica. Esses biomas sofreram as conseqüências da degradação am- biental, exemplificada por desmatamentos, quei- madas, destruição da fauna e flora.

II – A Caatinga, mesmo considerada um ecossistema pobre, vem-se mantendo preservada dos grandes impactos ambientais e do processo de desertifica- ção, pelo fato de encontrar-se mais afastada de grandes centros urbanos.

III – A ocupação das áreas litorâneas, principalmente para a construção de complexos hoteleiros ligados à atividade turística, vem contribuindo para a pre- servação e a conservação da rica flora e fauna dos manguezais.

IV – A Mata Atlântica, que abrange um dos ecossiste- mas de maior biodiversidade do mundo, foi inten- samente devastada pelas formas de ocupação. A extração madeireira e o crescimento urbano-indus- trial desordenado só vieram agravar a degradação desses ecossistemas.

V – Nos últimos anos, vem ocorrendo uma ocupação irracional do Pantanal mato-grossense, marcada por desmatamentos, aumento da pecuária exten- siva e do extrativismo mineral, bem como desen- volvimento do ecoturismo, que vem provocando grandes impactos nesse ecossistema.

Marque a alternativa CORRETA:

a. Apenas as proposições I e II são verdadeiras.

b. Apenas as proposições I, IV e V são verdadeiras.

6
6

SIMULADO

SIMULADO c. Apenas as proposições II, III e V são verdadeiras. d. Apenas as proposições I,

c. Apenas as proposições II, III e V são verdadeiras.

d. Apenas as proposições I, II e V são verdadeiras.

29. (ASSISTENTE SOCIAL) “Um Mundo Urbano. Sinal de alerta: mais da metade da população mundial já vive nas cidades, o que aumenta os desafios sociais e ambientais a enfrentar, como a pobreza, a fome e o aquecimento global.” Sobre o fenômeno da urbanização do espaço brasi-

leiro e mundial, todas as alternativas estão corretas, EXCETO:

a. Apesar do seu grande crescimento populacional

a cidade de São Paulo, um dos maiores aglome-

rados urbanos mundiais, não é classificada como

metrópole global pois, seus indicadores sociais es-

tão entre os piores do mundo.

b. As cidades denominadas de metrópoles mundiais

ou cidades globais são aquelas que concentram

poder econômico e desenvolvimento, polarizan- do espaços que ultrapassam os limites nacionais como, por exemplo, Londres e Berlim.

c. Na primeira metade do século XX as maiores aglo-

merações urbanas do mundo estavam concen- tradas nos países desenvolvidos e no continente europeu. Hoje, elas estão nos países subdesen- volvidos ou em desenvolvimento da América Lati- na e da Ásia.

d. O processo de urbanização do Brasil se intensifi-

cou

e acelerou após a segunda metade do século

XX

e está diretamente relacionado com a indus-

trialização e p êxodo rural.

e. Com o crescimento acelerado das cidades brasi-

leiras e o baixo poder aquisitivo de sua população

o resultado é a favelização acentuada da popula- ção urbana do país e os problemas decorrentes disso.

30. (PROFESSOR DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADUL- TOS/SED-SC) Observe o mapa a seguir e assinale a alternativa correta.

Observe o mapa a seguir e assinale a alternativa correta. a. O número I, domínio menos

a. O número I, domínio menos preservado, é fonte de interesse internacional, devido à variada biodiver- sidade existente.

b. O domínio de número V, que caracteriza o sul do Brasil, foi fonte de fornecimento de madeira, mas atualmente passa por um processo de refloresta- mento das espécies nativas.

c. Os número I a VI identificam os grandes biomas do Brasil, com características morfoclimáticas di- versas, o que condiciona as diferentes paisagens naturais do país.

d. O número III identifica um Domínio Morfoclimáti- co de pluviosidade regular, vegetação de grande porte e grande aproveitamento hídrico das bacias hidrográficas.

e. O Domínio Morfoclimático IV possui grande pre- servação, é onde está o menor adensamento ur- bano, principalmente no sudeste e sul do país.

31. (SOLDADO/CBM-MA) Segundo o IBGE -Instituto Bra- sileiro de Geografia e Estatística, em 1960, apenas

duas cidades brasileiras apresentavam população su- perior a 1 milhão de habitantes enquanto que em 2000 eram 12 cidades. Sobre essas cidades milionárias é correto afirmar que

a. estão distribuídas eqüitativamente por todas as regiões brasileiras, sendo que o Sudeste abriga 3 dessas cidades.

b. o rápido crescimento provocou uma série de pro- blemas sociais e ambientais, até a presente data, difíceis de solucionar.

c. tiveram pequena influência na transformação do espaço nacional, pois têm poucas relações entre si.

d. seu crescimento, nessas duas últimas décadas, foi promovido por políticas públicas de planejamento urbano.

e. estão concentradas nas regiões Sudeste e Centro- -Oeste e formam regiões metropolitanas.

32. (PROFESSOR DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADUL- TOS/SED-SC) É recorrente nas últimas décadas, inclusive no Brasil, a discussão sobre a questão am- biental, seja pelas mudanças climáticas ou pelo desen- volvimento econômico. Nesse sentido, analise as afirmações abaixo. I – A construção de usinas hidroelétricas, como a de Belo Monte, altera não somente o ambiente natu- ral, mas também modifica o ambiente das culturas locais. II – As últimas enchentes em Santa Catarina são a pro- va cabal da alteração climática que está conduzin- do ao Aquecimento Global. III – A questão energética atual tem relação profunda com o desenvolvimento econômico nacional, ao mesmo tempo em que possui relação com a des- truição do patrimônio natural.

7
7

BRUNO PILASTRESIMULADO

BRUNO PILASTRESIMULADO IV – A questão ecológica está resolvida pelo desenvol - vimento tecnológico, isto é,

IV – A questão ecológica está resolvida pelo desenvol- vimento tecnológico, isto é, a tecnologia será ca- paz de assegurar o equilíbrio do ambiente natural.

Todas as afirmações corretas estão em:

a. III -IV

b. I -II

c. I -III

d. II -III -IV

e. I -II -III

(AGENTE DE PESQUISAS E MAPEAMENTO/IBGE)

33. Sobre os fatores que proporcionam a ocorrência de cli- mas quentes e úmidos no Brasil, marque a alternativa INCORRETA:

a.

O Brasil apresenta grandes extensões de terras no sentido norte-sul.

b.

O

Brasil possui 92% do território brasileiro na zona

intertropical do planeta.

c.

Em apenas 8% do território brasileiro, ao sul do

Trópico de Capricórnio, ocorre o clima subtropical, que apresenta maior variação térmica.

d.

O

litoral brasileiro sofre forte influência das massas

de ar oceânicas.

e.

As massas de ar equatoriais e tropicais no Brasil têm sua ação acentuada no inverno, pelo avanço das massas polares.

34. (ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO - GEOGRA- FIA /TCE-AC) Entre as diversas riquezas naturais do Brasil, uma das mais importantes diz respeito aos re- cursos hídricos e, também, aos ecossistemas aquáti- cos. Algumas ameaças a esses ecossitemas já estão presentes como, por exemplo, I – tratamento inadequado da água, desmatamento, pesca predatória. II – grandes áreas urbanas, agricultura, tratamento inadequado de esgotos. III – irrigação, recuperação de mata ciliar, controle de efluentes.

Assinale a opção correta.

a. Apenas os itens I e II estão certos.

b. Apenas o item I está certo.

c. Apenas os itens I e III estão certos.

d. Todos os itens estão certos.

e. Apenas o item II está certo.

35. (SARGENTO/CBM-DF) No DF, são muito comuns os incêndios que devastam a sua vegetação. Julgue os itens abaixo, referentes às implicações ambientais do fogo no ecossistema dessa região.

I – O clima da região favorece a grande ocorrência de incêndios durante o período seco, isto é, durante o inverno, quando a vegetação está mais suscetível

a esse perigo.

II – A perda da vegetação natural por incêndios provo- cados representa uma forma de destruição da rica biodiversidade do cerrado.

III – Durante as queimadas, grandes quantidades de cinzas são depositadas sobre o solo. Com a che- gada das chuvas, esse material pode ser levado para os córregos, aumentando a turbidez da água e, dessa forma, prejudicando a sua qualidade. IV – Sem a proteção natural da vegetação, o solo torna- -se mais sujeito à erosão, tendo como conseqüên- cia o assoreamento de rios. V – A fumaça provocada pela queima da vegetação também é uma fonte de poluição atmosférica.

A quantidade de itens certos é igual a

a. 5.

b. 3.

c. 1.

d. 4.

e. 2.

MATEMÁTICA

36. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) João comprou pão na pada-

ria e pagou a quantia exata de R$ 3,45 usando apenas moedas. O menor número total de moedas que João pode ter utilizado é

a. 9.

b. 5.

c. 6.

d. 7.

e. 8.

37. (FGV/AGENTE

EDUCACIONAL I/PREFEITURA

DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Do valor recebido

pelo término de uma pintura, Francisco utilizou dois quintos para pagar as tintas que utilizou e colocou a quarta parte do restante na caderneta de poupança. Do valor recebido por Francisco, a parte que colocou na poupança corresponde a

a. 10%.

b. 15%.

c. 20%.

d. 25%.

e. 30%.

38. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) No número 35D8 o algaris- mo das dezenas (D) foi apagado. Entretanto sabe-se

que esse número tem todos os algarismos diferentes

e

é divisível por 6.

O

resto da divisão desse número por 7 é

a.

1.

b.

2.

c.

4.

d.

0.

e.

3.

39. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) O gráfico a seguir mostra a quantidade de sanduíches vendidos na cantina de um colégio nos 5 dias de certa se mana.

8
8
O número médio de sanduíches vendidos por dia foi a. 102. b. 106. c. 110.
O número médio de sanduíches vendidos por dia foi a. 102. b. 106. c. 110.

O número médio de sanduíches vendidos por dia foi

a. 102.

b. 106.

c. 110.

d. 104.

e. 108.

40. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) A figura a seguir mos- tra um bairro de certa cidade. Nesse bairro, todas as ruas são retas e cada quarteirão quadrado tem 180m de lado.

são retas e cada quarteirão quadrado tem 180m de lado. Uma pessoa deve sair do ponto

Uma pessoa deve sair do ponto A e chegar ao ponto

B obedecendo à seguinte regra: só é permitido andar

para frente e virar à direita.

Seguindo essa regra, o comprimento do menor percur- so de A até B é de

a. 2520m.

b. 2340m.

c. 1980m.

d. 2880m.

e. 2700m.

41. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Rodrigo foi de carro de João Pessoa ao Rio de Janeiro em quatro dias, diri- gindo com calma, e anotou os tempos em que passou dirigindo em cada dia.

e anotou os tempos em que passou dirigindo em cada dia. O tempo total que Rodrigo

O tempo total que Rodrigo passou dirigindo nessa via-

gem foi de

a. 35h 10min.

b. 34h 40min.

c. 35h 20min.

d. 35h.

e. 34h 50min.

42. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Na construção de uma casa trabalham 3 serventes, 6 operários profissionais e 1 contramestre de obras. O valor pago por hora de tra- balho a cada trabalhador é

SIMULADO
SIMULADO

Nessa obra, o valor médio por hora pago aos trabalha- dores é de

a. 6,18.

b. 5,90.

c. 6,70.

d. 6,04.

e. 6,56.

43. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Um terreno retangular de 30 m de frente por 48 m nas laterais é limitado no fun- do pelo muro do terreno vizinho.

é limitado no fun - do pelo muro do terreno vizinho. O dono do terreno deseja

O dono do terreno deseja cercar as laterais e a frente

com uma cerca formada por 5 fios de arame dispostos horizontalmente. Na loja de materiais de construção,

o

arame adequado à cerca é vendido em rolos de 100

m

cada.

9
9
O número mínimo de rolos que o dono do terreno de - verá comprar para

O número mínimo de rolos que o dono do terreno de-

verá comprar para cercar seu terreno é

a. 9.

b. 7.

c. 6.

d. 5.

e. 8.

44. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Certa rua da cidade de João Pessoa tem 450 m de comprimento e aparece em um mapa com comprimento de 3 cm.

BRUNO PILASTRESIMULADO
BRUNO PILASTRESIMULADO

A escala desse mapa é

a. 1: 15000.

b. 1: 150000.

c. 1: 150.

d. 1: 1500.

e. 1: 15.

45. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) No sítio de João há uma pequena caixa d’água retangular de 1,20m de compri- mento, 1,0m de largura e 80cm de altura. A caixa está vazia, mas o poço tem água. Com um balde de capa-

cidade de 15 litros, João pretende retirar baldes cheios de água do poço e despejar a água na caixa, sucessi- vas vezes, até que a caixa fique completamente cheia.

O número de vezes que João deve repetir essa ope-

ração é:

a. 48.

b. 68.

c. 72.

d. 64.

e. 56.

46. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Um professor levou três

dias para corrigir as provas de seus alunos. No pri- meiro dia, corrigiu a quarta parte do total de provas, no segundo dia corrigiu 40% do total de provas e, no terceiro dia, corrigiu as 42 provas restantes.

O número total de provas era de

a. 132.

b. 140

c. 160.

d. 120.

e. 144

47. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Em uma papelaria, uma cai-

xa com 5 lápis iguais custa R$6,00. Mantendo o preço unitário, outra caixa com três dúzias desses lápis de- verá custar

a. R$44,60.

b. R$45,40.

c. R$43,20.

d. R$42,80.

e. R$44,00.

48. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) No dia em que Carlos fez 24 anos, seu filho nasceu. Anos depois, Carlos orga- nizou uma festa de aniversário e o seguinte cartaz foi colocado na sala:

de aniversário e o seguinte cartaz foi colocado na sala: Nesse dia, o filho de Carlos

Nesse dia, o filho de Carlos estava fazendo

a. 15 anos

b. 13 anos.

c. 11 anos.

d. 14 anos.

e. 12 anos.

49. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE JOÃO PESSOA-PB/2014) Três retângulos iguais me- dindo 30 cm por 10 cm foram arrumados como na fi- gura a seguir, formando um polígono de 12 vértices.

como na fi - gura a seguir, formando um polígono de 12 vértices. O perímetro desse

O perímetro desse polígono é igual a

a. 210 cm.

10
10

SIMULADO

SIMULADO b. 200 cm. c. 230 cm. d. 220 cm. e. 240 cm. 50. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL

b. 200 cm.

c. 230 cm.

d. 220 cm.

e. 240 cm.

50. (FGV/AGENTE EDUCACIONAL I/PREFEITURA DE

JOÃO PESSOA-PB/2014) Na operação de adição re- presentada abaixo, cada letra representa um algarismo

e

letras diferentes representam algarismos diferentes.

e letras diferentes representam algarismos diferentes. O valor de A + B + C é a.

O

valor de A + B + C é

a.

14.

b.

12.

c.

13.

d.

16.

e.

15.

CONHECIMENTOS SOBRE O IBGE

51. Antes de 1875 já haviam surgido iniciativas de implan- tação do registro de civil de nascimentos, casamentos

e óbitos. Porém, somente a partir da implantação da

República em 07 de março de 1888 que foi instituída

a obrigatoriedade do registro de nascimentos, casa-

mentos e óbitos em ofícios do Estado criados e dele-

gados a privados. No início da República o responsável pelos registros públicos era do (a):

a. Diretoria Executiva

b. Diretoria de Pesquisas

c. Diretoria Geral de Estatística.

d. Diretoria de Registros Públicos

e. e) Diretoria de Nascimentos, Óbitos e Casamen- tos.

52. (CESGRANRIO / 2013) Criada em 1871 e abolida em consequência da revolução de 1930, a Diretoria Geral de Estatística (DGE) é considerada a precursora do IBGE, do ponto de vista da produção de estatísticas em nível nacional. Dentre as realizações principais da DGE encontra-se

a

a.

coordenação do sistema estatístico nacional (INE-

1936)

b.

inauguração da regularidade censitária no Brasil, que seria continuada pelo IBGE, como indicam a realização de recenseamentos em 1872, 1880, 1890, 1900, 1910 e 1920

c.

implantação do registro civil de nascimentos, ca- samentos e óbitos.

d.

organização do sistema de contas nacionais

e.

determinação das chamadas macrorregiões ho- mogêneas do Brasil, assim como as conhecemos hoje: norte, nordeste, centro-oeste, sul e sudeste

53. (CESGRANRIO / 2013) O IBGE é um órgão federal responsável pela produção de informações estatísti- cas e geocientíficas e cuja estrutura

a.

é

vinculada diretamente à Presidência da Repúbli-

 

ca

b.

integra a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

c.

integra o Ministério do Planejamento, Orçamento

e

Gestão.

d.

tem como principal atribuição oferecer suporte téc- nico às ações do governo para a formulação de políticas públicas e programas de desenvolvimen- to

54. Acerca do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísti- ca (IBGE) julgue as alternativas abaixo:

a.

O IBGE é uma empresa pública da administração federal brasileira

b.

O IBGE foi criado em 1938 pelo fundador e grande incentivador Mário Augusto Teixeira de Freitas

c.

A

sede do IBGE está localizada na cidade de São

 

Paulo

d.

O IBGE, nome pelo qual foi somente instituído em

1938 é responsável por realizar censos e organizar as informações obtidas nesses censos, para suprir somente os órgãos das esferas governamentais federal e estadual

e.

A

missão do IBGE é retratar o Brasil com informa-

ções necessárias ao conhecimento da ‘sua realida- de e ao exercício da cidadania.

55. (CESGRANRIO / 2013 - Adaptada) “Retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento da sua realidade e ao exercício da cidadania através das es-

tatísticas oficiais e das bases de dados geocientíficos.” A frase acima expressa a missão do IBGE. A respeito das informações produzidas pelo IBGE, tem-se que

a. essas estatísticas são ditas oficiais porque são pro- duzidas por um órgão de Estado, o que coloca em risco sua credibilidade, dado o interesse do gover- no em seus resultados

b. não existe cidadania em um país que não conta com informações estatísticas e geocientíficas de boa qualidade

c. conhecimentos e interpretações sobre a realidade brasileira não podem ser verdadeiros ou pertinen- tes se não forem baseados nessas informações estatísticas e geocientíficas

d. essas informações devem orientar-se pelas neces- sidades do planejamento nacional e pela preocu- pação social com o fortalecimento da cidadania.

56. Qual a assertiva não contempla um dos valores do IBGE?

a. Transparência

b. Responsabilidade

c. Excelência

d. Proporcionalidade

e. imparcialidade

11
11

BRUNO PILASTRESIMULADO

BRUNO PILASTRESIMULADO 57. Como representante do IBGE, a DGC exerce a vice- -presidência e atua como

57. Como representante do IBGE, a DGC exerce a vice- -presidência e atua como Secretaria-Executiva da CONCAR, e responde pela gestão do Diretório Brasi- leiro de Dados Geoespaciais (DBDG) da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE).

58. Qual das assertivas não contempla uma coordenação da Diretoria de Geociências?

a. Coordenação de Geodésia

b. Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Am- bientais

c. Coordenação de Geografia

d. Coordenação de Mapeamento.

e. Coordenação de Estruturas Territoriais

59. Marque a alternativa errada sobre as pesquisas agro- pecuárias conjunturais .

a. A Pesquisa de Estoques tem por objetivo fornecer informações estatísticas conjunturais sobre o vo- lume e distribuição espacial dos estoques de pro- dutos agropecuários básicos e sobre as unidades onde é feita a sua guarda, e acompanhar as modi- ficações das características estruturais do sistema de armazenagem a seco

b. A Pesquisa sobre a Produção de Ovos de Galinha objetiva fornecer indicadores da variação da pro- dução física de ovos de galinha, de forma a incor- porar, no cálculo do Produto Interno Bruto, o valor dessa produção

c. A Pesquisa Trimestral do Couro objetiva levantar informações sobre a quantidade, adquirida e curti- da, de couro cru de bovino

d. A Pesquisa Trimestral do Leite objetiva levantar in- formações sobre todos os derivados do leite.

60. O acesso especial a a microdados não desidentifica-

dos, para permitir a realização de estudos específicos, pode ocorrer em algumas hipóteses. Marque a alterna- tiva que as contempla

a. Por servidores do IBGE e servidores de outros ór- gãos públicos federais

b. Por juízes e membros do Ministério Público

c. Por servidores do IBGE para uso em programas de pós-graduação; e o acesso por parte de pesquisa- dores externos.

d. Por pesquisadores externos, apenas

GABARITO 1. E
GABARITO
1. E

2. E

3. D

4. C

5. D

6. E

7. C

8. C

9. B

10. D 12
10.
D
12

11. E

12. D

13. B

14. B

15. E

16. D

17. A

18. E

19. D

20. B

21. A

22. A

23. C

24. C

25. C

26. B

27. B

28. B

29. A

30. C

31. B

32. C

33. E

34. A

35. A

36. C

37. B

38. D

39. E

40. E

41. C

42. A

43. B

44. A

45. D

46. D

47. C

48. B

49. B

50. D

51. C

52. C

53. C

54. E

55. D

56. D

57. VERDADEIRA

58. D

59. D

60. C