Você está na página 1de 33

Organização e Preparo Físico do Acervo

:
passo a passo
São Paulo
2011

__________________________________________________________________

Introdução... começando a conversa
A localização física em um acervo com poucos documentos é uma tarefa fácil. Agora, imagine
quando esse mesmo acervo cresce em proporção geométrica e atinge um patamar de
centenas de livros. Seria como procurar agulha em palheiro.
Imagine ainda, armazenar centenas de livros sem etiqueta de lombada que indica onde
guardar. E aí, onde vamos guardar? Em qualquer lugar? E depois, como encontrá-los de novo?
A organização do acervo passa por muitas etapas. Vamos começar do princípio.

Para que organizar e preparar fisicamente o acervo?
 para encontrar rapidamente um documento
 para manter a organização depois das consultas
 para viabilizar o livre acesso ao ambiente

Localizando, reunindo e conhecendo o Acervo

Reunir livros, revistas, DVDs, CDs e outros tipos de documento que irão constituir o
acervo da Sala de Leitura.
É preciso que todo o acervo esteja reunido em um único espaço físico para o trabalho
de organização.
Localizar esse material na Diretoria, Sala dos Professores, Secretaria e outros locais de
trabalho da escola.
Esses livros foram enviados para as escolas através de programas governamentais
como o Plano Nacional do Livro Didático (PNLD), Leia Mais, Biblioteca do Professor e
Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), além de aquisições e doações feitas
por professores, diretoria, comunidade escolar etc.
Solicitar a devolução de material emprestado à Diretoria, professores, supervisores,
coordenadores etc.
LEMBRETE 1: Para essa tarefa talvez seja necessária uma campanha junto à Diretoria e Corpo Docente
para a conscientização da importância da devolução dos documentos para a organização do acervo da
Sala de Leitura.

Verificar também nessa etapa se há alguma listagem de controle patrimonial de livros
e outros tipos de documento, para identificação e avaliação de perdas ou extravios,
criando um relatório com esses dados levantados ao final da organização.

1

Conhecendo os tipos de Materiais
Os materiais, uma vez reunidos, deverão ser separados pela sua tipologia. Para conhecê-los
melhor, ver Glossário de Termos. Aqui detalharemos dois dos principais tipos de documento
com os quais iremos trabalhar: Livros e Revistas.

Livros
Livro: publicação de textos escritos em fichas ou folhas, não periódica, grampeada, colada ou
costurada, em volume cartonado, encadernado ou em brochura

O livro é composto por elementos materiais e textuais.
Elementos Materiais são a parte física do livro e através do qual ele é visto como
objeto cultural.
Elementos Textuais são os que compõem a parte intelectual ou o conteúdo do livro.
São basicamente elementos materiais:
 capa
 página de rosto ou folha de rosto
 sobrecapa ou capa protetora
 aba ou orelha
São basicamente elementos textuais:
 introdução
 sumário
 miolo
 índice

 ISBN

2

3 .reler.gif>.br/Images/PartesDoLivro.Exemplos: Fonte: Acervo CRE Mario Covas Fonte: <http://www. Acesso em: 08 jun.com. 2010.

Capa Página de Rosto Fonte: Acervo CRE Mario Covas Verso da Página de Rosto Sumário Fonte: Acervo CRE Mario Covas 4 .

sobre vários temas.Revistas ou Periódicos Revistas: publicações periódicas com artigos originais. mensal. com periodicidades variáveis: diários (ex. Os elementos e informações que compõem e caracterizam uma revista são:  Capa . volume  Sumário  Periodicidade  ISSN  Frequência com que o periódico é publicado. Pode ser semanal. reportagens.: jornais). anuais e bianuais (anais. jornais (publicações em que se relatam os acontecimentos do dia ou de curto intervalo de tempo).. etc.. mensais. Capa 5 . Os jornais que circulam todos os dias são chamados de diários. quinzenais. semanais. ano.nº do fascículo. semestrais (ex. Incluem-se na categoria: histórias em quadrinhos. quinzenal. trimestrais. etc.: revistas). quadrimestrais. etc). bimensais. publicadas em série. mês.

Ano. Volume. Mês.Nº do fascículo. ISSN Sumário 6 .

Periodicidade Fazendo a Triagem. Triagem é o ato ou efeito de triar. seleção. a Seleção e o Descarte Agora que já conhecemos os tipos de materiais que irão constituir os acervos das Salas de Leitura. Mais detalhamento. a seleção e o descarte. Fazer um primeiro agrupamento do acervo por sua tipologia. separação. 7 . especialmente nos casos de doações. de separar. consulte o Glossário de Termos:  Livros  HQs e Mangás (histórias em quadrinhos e histórias em quadrinhos japoneses)  Revistas  DVDs  CDs  Videocassetes  Mapas  Outros • • Estabelecer focos temáticos nucleares e complementares que orientem a seleção. escolha. é preciso fazer a triagem. de selecionar.

poderão ser descartados ou compor acervos em outros espaços da escola: a. considerando:  a pertinência frente aos objetivos pedagógicos de pesquisa e apoio ao Programa Curricular da escola  a disponibilidade de espaço físico para o armazenamento do acervo Os títulos relevantes com exemplares excedentes ao número máximo estabelecido.LEMBRETE 2:Cuidado com a tentação de guardar determinados títulos “porque pode vir alguém procurar algum dia”. encadernação precária. LEMBRETE 3: O acervo da Reserva Técnica é composto fundamentalmente por livros de Literatura. Acervo Intermediário: exemplares organizados e que a qualquer momento. rasuradas. • Estabelecer uma quantidade máxima de exemplares por título. na necessidade de reposição de exemplares danificados ou na utilização em eventos especiais como datas comemorativas do autor ou do tema abordado. Dia da Árvore. para fins de doação ou eliminação. Seleção é o processo de escolha dos documentos mais adequados ao acervo. embolorado). por exemplo. Descarte é o processo de retirada de títulos ou partes da coleção. desgastados pelo uso. Critérios para Descarte: Danificados:  Aparência e condição física: obras rasgadas. para:  substituição de exemplares danificados. impróprios para manuseio (contaminado com traças e fungos. Os exemplares dos livros que excedem à demanda de consulta poderão ser encaixotados e devidamente sinalizados para posterior incorporação ao acervo como. poderão ser consultados. de acordo com seu tipo e objetivos. • Fazer uma verificação inicial de quantidade de exemplares de um mesmo título. não recuperáveis através de reencadernação ou outras técnicas. Ex: Centenário de Monteiro Lobato. faltando páginas. 8 . Reserva Técnica: exemplares organizados que oportunamente poderão ser integrados ao acervo da Sala de Leitura.  ampliação de acervo e espaço. b.

 Linguagem e terminologia ultrapassadas. através da visão global da distribuição e quantificação dos documentos nas áreas e assuntos do acervo. vale destacar que: 9 . para avaliação final.  Temporalidade:  enciclopédias com mais de 10 anos. a quantidade de exemplares estabelecida também poderá ser reavaliada para mais ou para menos. Excedentes:  títulos com número de exemplares que excedem ao necessário para o uso em Sala de leitura Os documentos considerados danificados. após análise.  Obras que apresentam barreira lingüística (livros em alemão. consolidado pelos professores de Sala de Leitura. não pertinentes.  Não se enquadram nos focos temáticos definidos. O processo de desfazimento deverá ser conduzido sob orientação dos gestores da escola que poderão – a seu critério – criar comissão específica para esse fim. nos moldes de outros materiais da escola.)  Obras desatualizadas (textos obsoletos). japonês. Na medida em que o acervo for organizado.  material sobre ciência e tecnologia contendo informações obsoletas e com mais de 10 anos. conforme uma melhor análise da pertinência desses documentos e um melhor dimensionamento do espaço disponível. Por se tratar de material com características diferenciadas de outros materiais da escola. devidamente sinalizados com: • Descarte de documentos danificados • Descarte de documentos não pertinentes/sem interesse • Descarte de exemplares excedentes Observação: O processo de descarte acontecerá ao longo de todo o trabalho de organização do acervo.Não pertinentes:  Reprografias (obras copiadas). Nesse processo. árabe etc.  obras sobre geografia e viagens com mais de 15 anos. sem interesse e exemplares em excesso deverão ser acondicionados em caixas de papelão. Descarte definitivo de Materiais Após a decisão do descarte dos materiais. coreano. deverá ser iniciado o processo de descarte definitivo dentro da escola. ficará mais fácil a verificação de quantidade excedente de exemplares e a pertinência dos documentos encontrados.

LEMBRETE 4: Observe que o Comunicado Conjunto CENP/COGSP/CEI de 2/10/2008. selos. fichas de empréstimo e outros elementos que identificam a escola e a origem dos materiais devem ser eliminados. elaboradas em linguagem voltada aos diferentes segmentos estudantis)  Técnicos • Colocar os documentos nas estantes. conforme sua tipologia. para:  melhor visualização  o planejamento do espaço disponível  facilitar as próximas etapas de organização O acondicionamento do acervo deve seguir conforme desenho abaixo. são normalmente subdivididos por:  Obras de Referência (Dicionários e Enciclopédias)  Literatura  Paradidáticos (publicações que contemplam temas sociais. políticos. Definindo Critérios de Organização • Retomar o acervo agrupado de acordo com a sua tipologia: livros. • Estabelecer critérios de organização para cada um dos tipos de documento. científicos. de cima para baixo. da esquerda para a direita: 10 . No caso de Livros. torna o livro material de consumo e não mais permanente. 10753 de 30/10/2003. O processo de descarte deve contemplar as possibilidades de:  Eliminação total – transformação em aparas ou descarte por peso. em conformidade com o disposto no artigo 18 da Lei Federal n. por se tratar de materiais que envolvem recursos públicos. Carimbos. Revistas etc. HQs e Mangás.  Doação na escola ou fora dela. dentre outros.

Sugestões de Agrupamento • Obras de Referência Obras de referência: livros que reúnem conteúdos de caráter geral ou especializado.) Dicionários Almanaques Guias Catálogos Livros de Arte 2º Agrupamento Gerais Temáticas Línguas (Português-Inglês. 1º Agrupamento Enciclopédias (Barsa. fornecem informações condensadas ou panorâmicas. oferecendo elementos para a busca aprofundada de assuntos. Mirador etc.) Temáticos Gerais Temáticos Temáticos Temáticos Nacionais 11 . para consulta rápida. Espanhol-Português etc. PortuguêsEspanhol. Inglês-Português.

Estrangeiros Mundiais Regionais Temáticos Atlas • Livros de Literatura Por Nacionalidades e Gêneros 1º Agrupamento Literatura Brasileira Literatura Estrangeira 2º Agrupamento Coleções Conto Crônica Ensaio Humor Romance Teatro Literatura Francesa Literatura Inglesa Literatura Norte-Americana Coleção Literatura Infantil Narrativa Poesia Coleção Literatura Juvenil Ficção Poesia Literatura Informativa Arte Biologia Ciências Ciências Sociais Educação Física Filosofia Física Geografia História Língua Estrangeira Língua Portuguesa Literatura Matemática 12 .

verifique se são revistas.Psicologia Química Mangás e HQs LEMBRETE 5: No caso de Mangás e HQs. • Livros Paradidáticos Por disciplina 1º Agrupamento Arte Biologia Ciências Ciências Sociais Educação Física Filosofia Física Geografia História Língua Estrangeira Língua Portuguesa Literatura Matemática Psicologia Química • Livros Técnicos Por Área do Conhecimento 1º Agrupamento Arte Biologia Ciências 2º Agrupamento Artes Plásticas Dança Cinema Música Teatro Biologia Geral Botânica Zoologia Drogas Meio Ambiente 13 .

Arte Códigos e suas Educação Física Tecnologias Gramática Língua Estrangeira Língua Portuguesa Teoria Literária 14 .Ciências Sociais Educação Educação Física Filosofia Física Geografia História Língua Estrangeira Saúde Sexualidade Cultura Ética e Cidadania Sociologia Geografia Geral Geografia do Brasil História Geral História do Brasil Espanhol Inglês Língua Portuguesa Literatura Matemática Psicologia Química Por Áreas do Currículo 1º Agrupamento Área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias 2º Agrupamento Ciências Biologia Física Química Área de Ciências Filosofia Humanas e suas Geografia Tecnologias História Psicologia Sociologia Área de Linguagens.

desconsiderando os artigos definidos e indefinidos. Imagine um autor que escreveu vários livros. será necessário organizar cada um dos agrupamentos. como Machado de Assis e Jorge Amado. considerando a quantidade de livros existentes.  na ausência de autor/organizador/coordenador. Organizando os Agrupamentos Os agrupamentos também devem ser organizados.Área de Matemática Matemática Temas Transversais Drogas Ética e Cidadania Meio Ambiente Pluralidade Cultural (Folclore. os livros deverão ser organizados em ordem alfabética de título. Exemplo de Organização de Livros Os livros abaixo pertencem ao Agrupamento “Literatura Juvenil” e ficam assim organizados nas estantes: 15 . Observar a ordenação alfabética dos agrupamentos. considerar o sobrenome do primeiro autor citado. desconsiderando artigos definidos e indefinidos. principalmente aqueles que reúnem muitos títulos. Na ocorrência de:  mais de um autor/organizador/coordenador. Essa será a sua ordenação nas estantes. Mitologia e Religião) Sexualidade Atenção: A quantidade de agrupamentos deverá ser estabelecida. Como reunir todos os livros pelo seu autor? Como organizar vários livros de um mesmo autor? Agora. • Ordenar cada um dos agrupamentos Primeiro: reunir por autor e ordenar alfabeticamente Arranjar os livros nas prateleiras em ordem alfabética de sobrenome de autor/organizador/coordenador. Segundo: ordenar por título Uma vez agrupados pelo autor. considerar a primeira letra do título.

Nye Ribeiro. Miguel Scliar. Vinicius de Muylaert. Rogério Andrade Barbosa. Júlio Emílio Freire. Norma Glitz.Autor Aguiar. Dorothy Kauffman. seduções e outros quebrantos A máquina de brincar Lendas da África A casa da Joaninha O gato Lili. Luís Ribeiro. Paulo Braz. Angelika e Swoboda. Luiz Antonio Albagli. Rogério Andrade Bentancur. Fernando Andersen. Dorothy Kauffman. Mark Título Aquário colorido O cavalo do mocinho O rouxinol e o imperador da China Baleiazinha e outras histórias de ecologia (A) + CD O Boi-de-Mamão Contos de encantos. viajantes e vampiros Cantigas de ninar homem O Aniversário da Lua Roda de Letrinhas Estatutos de um novo mundo para as crianças Gota d' água Quanta casa! O Violinista O príncipe e o pobre 16 . Nye Sanches Neto. Anna Neiva. Dorothy Kauffman. Leo Moraes. Norma Freire. Colin Twain. Dorothy Kauffman. Dorothy Kauffman. Annette James Rumford Kauffman. Rosa Amanda Thompson. Pedro Barbosa. Pedro e o Peixe Caçador de Tesouros O Presente de Aniversário do Marajá How the earth gets its shape Letters from Canada and Mexico Math everyday Science lab Use your senses The Weather Pequeno Azul e Pequeno Amarelo A arca de Noé Gato e sapato Reis. Dorothy Lionni. Hans Christian Bandeira. Lia Pimentel. Moacyr Strausz.

N. 17 . 1 n. 4 n. 37 out. 2 ago. 9 n. 32 jul. 2004 v. 2005 v. 42 jan. 3 jul. 2003 v. 4 n. 5 mar. 2005 v. 5 n. 9 n. 3 n. 2003 v. 2 jul. 34 jan. 43 abr. 4 nov. 1 n. 17 mar. 1 mar. N. 1 jul. 11 n. 1 n. 3 nov. 2004 v. 2004 v. por sua vez. 2003 v. 4 abr. 2 n. 9 n. N. 1 dez. 2 n. 2004 v. 2007 v. 1 n. 41 out. Mês Ano v. 4 fev. 2002 v. 1 nov. 2 mar. 8 jun. 2003 v. 2000 v. 1 n. 2001 v.Revistas Revistas são normalmente organizadas por ordem alfabética de título que. 28 jul. 2006 v. 2005 v. 2003 v. 1 n. 2 n. 4 nov. 8 n. 2 n. 4 n. 10 n. 11 n. 9 jul. 1 n. 2 n. 11 n. desde que ela seja pertinente às atividades do ambiente. do volume e/ou número mais antigo para o mais recente. 7 maio 2004 v. 30 jan. 2004 v. 1 abr. 33 out. 11 n. 12 out. 9 n. 3 dez. 2004 v. 2006 v. 2001 v. 2006 v. 1 n. 1 n. 12 n. 2004 v. 2002 v. 2005 v. Mês Ano V. 2004 v. 2004 v. 1 n. 2007 v. 31 abr. 2 n. 8 n. 2003 v. 29 out. 2008 LEMBRETE 6: Ao organizar as revistas. 1 n. 15 nov. 2003 v. 2002 v. 3 n. 2008 v. 36 jul. 2005 v. 3 dez. 3 n. 13 jan. 2002 v. 2003 v. 1 mar. 1 n. 2 n. 2004 v. 1 n. Mês Ano V. 2004 v. 2 n. 3 n. 4 n. 3 jul. 2004 v. 39 abr. 10 n. 10 n. são organizados em ordem numérica cronológica. 12 n. 45 ago. 2003 v. 6 abr. 12 n. 1 n. 2007 v. 4 mar. Exemplo de Organização de Revistas Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação História Viva Pátio Educação Infantil V. 1 n. 11 set. 2004 v. 2 n. 10 ago. 1 n. 14 nov. 16 fev. 2001 v. será possível a verificação de falhas na coleção. 2004 v. 10 n. 2005 v. 40 jul. 2 jan. 2004 v. 35 abr. 2000 v. 2004 v. 2004 v. Saiba que não há problemas em manter coleções incompletas de revista. 2 ago. 38 jan. 2001 v.

Cinema. Roda Viva: Manuel Castellis Bendito fruto. A cor do paraíso. A causa secreta. considerando sempre a facilitação da pesquisa e as áreas de maior interesse dos alunos e professores. DVDs e Videocassetes são normalmente organizados pela ordem de chegada. Diários de motocicleta. se um usuário retira um livro de seu local de guarda. aspirinas e urubus. Vida de menina. Exemplo de Organização de DVDs Título Bendito fruto. Crianças invisíveis. Narradores de Javé. Terra de ninguém. ética Billy Elliot. Crash: no limite.Material Multimídia CDs. Neste contexto. Definindo Etiqueta Os documentos já estão devidamente organizados nas estantes. Ética 1 O fim e o princípio. desatando os nós com afeto Ética e cidadania no convívio da escola: uma proposta de trabalho. é muito pouco provável que ele o 18 . Ética e cidadania no convívio da escola: uma proposta de trabalho. a função social da escola Ética e cidadania no convívio da escola: uma proposta de trabalho. Frankenstein. Atenção: o professor da Sala de Leitura tem plena autonomia na difinição da Organização do acervo. Putz! a coisa tá feia.

de autoria de Milton Santos => SANTOS-p  Tabelas próprias para organização de acervos (Cutter e PHA): Exemplo: O Banquete. de autoria de Platão => P716b Dados de edição e exemplar podem ser representados dessa forma: Exemplos: 3. para identificarão da sua localização na estante.recoloque no seu lugar correto. Livros • Definir as informações que devem constar na etiqueta de lombada do documento. A etiqueta de Lombada poderá ter informações referentes aos:  agrupamento definido  autoria  título  edição  exemplares As divisões e subdivisões dos agrupamentos definidos poderão ser representados na etiqueta por:  Cores Exemplo: Geografia do Brasil =>  Palavras Exemplo: GEOGRAFIA DO BRASIL  Cores e Palavras Exemplo: Geografia do Brasil  Números (tabela própria a ser estruturada) Exemplo: Ciências – Sexualidade => 35  Classificações próprias para organização de acervos (CDU. ed.43 A autoria poderá ser representada na etiqueta por:  Sobrenome do Autor seguido da primeira letra do título: Exemplo: Por uma nova globalização. ed. Por isso. e. CDD) Exemplo: Cinema => 791. é preciso criar em cada um dos documentos um “endereço” que permita identificar sua posição correta no conjunto do acervo. 3. 2 19 .

e. ed. Muitas variações de cor não são recomendáveis. 2 FILOSOFIA P716b 3. pois é possível manter a sua organização. orientando-se pelo seu título e dados de número. e. 2003 20 .Exemplos de Etiquetas de Localização de Livros: C932g FILOSOFIA P716b 3. presentes normalmente na capa e editorial. A etiqueta para revistas é opcional. Exemplo de Etiqueta de Localização de Revistas: HISTÓRIA VIVA v. Revistas • Considerar os dados de título. 1 n. pois dificultam a sua memorização e a sua visualização nas lombadas dos livros. 2 791. é preciso avaliar a quantidade de agrupamentos. 1 nov.43 B517o Atenção: Para a opção por cores. numeração e data para a definição dos dados da Etiqueta. volume e data. ed.

Exemplos de Etiqueta de Localização: CD 1 CD 2 CD 3 DVD 1 DVD 2 DVD 3 VHS 1 VHS 2 VHS 3 Definindo os Carimbos Boa parte dos documentos sairão de seu espaço físico e poderão ser emprestados. através do uso de carimbos que tornam o documento patrimônio da escola. criar um controle paralelo dos números já utilizados. correndo o risco de se perderem com documentos pessoais. será necessário uma identificação em todos os documentos do acervo. É nesta fase que se efetiva a incorporação dos documentos no acervo da Sala de Leitura. DVDs etc.CDs. • Definir Sigla para o Tipo de Documento seguido de um número Para evitar a repetição de números. Exemplos: Carimbo de Identificação Medida: 7cm x 1cm CRE – Centro de Referência em Educação Mario Covas 21 . Dessa forma.

para uma melhor racionalização do trabalho. Sistema: Nº Registro: Carimbando. nos locais indicados abaixo. Carimbando • Carimbar os documentos. Rio Branco 1260 – Campos Elíseos São Paulo – SP 01206-001 – Fone: (11) 3225-5101 Carimbo de Tombo Medida: 6 cm x 2cm CRE Mario Covas Cód. Tomando como exemplo o tipo de documento livro. preservando a ordem. (Preparo Físico) Os documentos agora precisam ser preparados para finalmente chegar às mãos do usuário. etiquetando etc. • Retirar uma pilha de livros da estante. As etiquetas e os carimbos já estão prontos para identificar o endereço do documento no acervo e fazer seu registro patrimonial. sugerimos abaixo uma sequência de passos. 22 . conforme modelos apresentados.Carimbo de Endereço Medida: 7cm x 2cm CRE – Centro de Referência em Educação Mario Covas Biblioteca Av.

Carimbo de Identificação Local: Dorso do Livro Carimbo de Endereço: Local: Contra Capa 23 .

Carimbo de Tombo Local: Página de Rosto 24 .

25 .). • Anotar no verso da página de rosto do livro o seu “endereço” no acervo A anotação do “endereço” do livro no verso da página de rosto auxilia na conferência da etiquetagem e na substituição ou eventual correção das etiquetas. Nesse caso. Os documentos. no entanto. edição etc. após a inserção dos dados que descrevem o livro (título. autoria. editora. poderão ser solicitados durante esse processo. sugere-se que as etiquetas sejam digitadas e impressas em um sistema próprio paralelo (Ver anexo ----). a aprovação pela Coordenação Central e por fim o registro de exemplares.) e é ela a principal fonte de informações para a sua descrição e registro.Observação: Vale lembrar que a página de rosto é aquela que contém o maior número de informações sobre o livro (título. Etiquetando As etiquetas de Lombada estão previstas como produto do Sistema Informatizado – InfoPrisma. data de publicação etc. O Código do Sistema e o Número do Registro são dados referentes ao Registro do Documento no Sistema InfoPrisma. que são apresentados em “Processamento Técnico”.

conforme opções acima. 26 .• Imprimir as Etiquetas de “Lombada”. • Definir a altura em que a etiqueta será fixada na lombada do documento A definição de uma altura padrão em que a etiqueta será fixada na lombada do documento estabelecerá um padrão estético e facilidade da leitura no conjunto dos livros.

Exemplo: Iniciar a colagem da etiqueta da esquerda para a direita na altura definida. Exemplo: • Retornar a pilha de livros já devidamente preparados para a estante. se estendendo. caso necessário. 27 . para a parte frontal do documento.

tombar o livro vizinho daquele que está sendo consultado ou utilizar tabuletas coloridas que marcam de onde o documento foi retirado. será possível perceber que ficou muito mais fácil para o usuário realizar suas pesquisas. É necessário agora manter a ordem das estantes. A tarefa de guardar os documentos e manter a ordem é permanente e deve ser realizada cuidadosamente. 28 . Ele. por exemplo.Mantendo a ordem das estantes Com todos os documentos do acervo etiquetados. Estratégias e objetos para auxiliar nessa tarefa são bem vindos. lembrando que trata-se de um espaço de livre acesso. pois um documento guardado em local errado dificilmente será achado novamente. irá ganhando autonomia em suas buscas. Podemos. na medida em que compreender melhor esses códigos.

para jogos e diversos tipos de software. em geral por ator. com repertórios de música popular. em geral com índice de nomes no final da publicação. São eles: Audiolivros (ou livro gravado): livro de ficção lido em voz alta e gravado em fita cassete. história. literária e informativa. de determinado gênero ou período específico. textos em prosa e poesia. Um disco é suficiente para gravar um filme inteiro. artes. Além dos gerais.GLOSSÁRIO Almanaque: publicações periódicas contendo assuntos gerais e conteúdos de natureza recreativa. editados sob um mesmo título e formato físico. pessoa ou período. local de publicação. Bibliografias: lista de obras (autoria. literatura. música erudita. CD: Abreviatura de Compact Disc. científica. Podem ser constituídas de títulos de ficção e não-ficção. sobre determinado tema ou assunto (geografia. anatomia. Documento: Entidade física que contém informação registrada. do verbete) da publicação e especializados (música. ciências. um compêndio anual de datas. Anuário: publicação que documenta de forma resumida os principais fatos. discos sonoros. dos trabalhos de determinado compositor ou intérprete. periódicos. como livros. biográficos): lista de termos/expressões sobre determinado tema ou assunto. organizado. organizados em geral. disco digital por leitura de raio laser. Atlas: coleção de mapas (ou lâminas). humorística. estatísticas correntes e/ou retrospectivas. Vídeos: documentários e ficcionais editados em VHS. estatísticas de um país. para qualquer nível de leitura e leitor. DVD: Abreviatura de Digital Video Disc. em alguns casos. tratando de temas específicos. que combinam as duas linguagens. Os verbetes do dicionário costumam ser mais curtos que os de enciclopédia sobre o mesmo assunto. Anais: Documento com apresentação cronológica extensa dos fatos e notícias relativas a uma organização ou evento. disciplina ou assunto do ano. imagens. os almanaques podem ser especializados. Multimídia. ou de autores diferentes. Dicionários: obra em um ou mais volumes com entradas por termos ou tópicos relativos a campos ou assuntos específicos. CD-ROM: sistema de leitura de CD em computadores. em geral. mas que permite maior armazenagem de dados. alfabeticamente. Coleções: conjunto de títulos de um mesmo autor. Discografias: lista ou catálogo de discos/CD-ROMs. Audiovisuais: incluem-se na categoria Audiovisuais (som e imagem) os documentos exclusivamente sonoros ou audiovisuais. pelo autor. leitor amador/profissional ou. mapas e outros materiais de determinada coleção. Catálogos: lista de livros. etc). gráficos. organizada de forma sistemática (em geral alfabética). em forma de tabela para facilitar a leitura comparativa dos dados. fatos. casa publicadora. instituição. título. organizados em ordem alfabética. seu 29 . data e outros elementos) sobre determinado tema. AudioCDs: mídia digital de som. formato de disco do mesmo tamanho do CD.

espaço. Sistema internacional padronizado.. anuários. tornando-o único e definitivo. outras fontes informacionais. Os verbetes podem ser ou não assinados. online.. publicações anuais (relatórios. tempo. • • Individualiza o título de uma publicação seriada. memórias e monografias seriadas. em volume cartonado. acontecimentos etc. argumento. As enciclopédias podem ser gerais ou especializadas por assuntos ou áreas do conhecimento. Filmografias/videografias: lista de filmes/vídeos. futura ou encerrada. em qualquer formato e acabamento” e aqueles documentos equiparados a Livros: fascículos. HQ: Abreviatura de história em quadrinhos. converte seu sistema numérico em código de barras. cor da película. em qualquer idioma ou suporte físico (impresso. local. etc). O mestre quadrinhista Will Eisner a denominou “arte seqüencial”. jornais. Numa enciclopédia de muitos volumes o índice é publicado no último volume. em geral. clips. Glossários: lista em ordem alfabética de termos especializados relacionados a um assunto específico ou campo de estudo. etc…). sob a forma de ensaios curtos. por título ou cronologia. com a indicação de sua localização no texto.making-of. conter ou não ilustrações. diretor. colada ou costurada. cd-rom. distribuidor. em geral sobre um determinado diretor ou ator. suspense. Enciclopédias gerais e especializadas: publicação em um ou mais volumes com informações relevantes e sobre vários tópicos de um determinado assunto. em capas avulsas. grampeada. Guias: fonte de orientação com informações correntes para uso de determinado serviço. ou sobre um determinado tema. eliminando barreiras lingüísticas e facilitando a circulação e comercialização. É uma forma de contar uma história por meio de desenhos dispostos dentro de quadrinhos. Índice: enumeração detalhada dos assuntos em ordem alfabética (nomes de pessoas. idioma. com breves definições. comentários. um gênero particular (drama. 30 . um período ou país específicos. organizado em ordem alfabética. Livro: publicação de textos escritos em fichas ou folhas.). encadernado ou em brochura. ou referência de leituras complementares. nomes geográficos. pelos vários desenhos elaborados em seqüência”. organizadas em ordem alfabética ou por cabeçalhos específicos ou termos mais gerais. ISSN: Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas* (International Standard Serial Number). em geral no final da publicação ou no começo de um verbete muito extenso em uma obra técnica. ISBN: INTERNATIONAL STANDARD BOOK NUMBER. A filmografia inclui produtor. com qualidade de som e imagem melhores que as do videolaser. etc. revistas. Identifica o título de uma publicação seriada em circulação. etc). * periódico. narrativas de histórias com figuras surgida em 1895 nos Estados Unidos em uma cadeia de jornais de propriedade de Joseph Pulitzer e William Randolph Hearst. elenco. legendas e dublagens. não periódica. Glossários muito extensos podem ser publicados separadamente.

anatômicos. política. enfocando-os de forma mais específica e aprofundada. Livros de Ficção: livros não-didáticos e comumente denominados livros de literatura. Permite leitura linear ou não. Boa parte dos paradidáticos trata dos chamados temas transversais. pronúncia. políticos. imagem. Sua enorme capacidade de armazenamento de informações permite registrar referências e textos integrais num mesmo suporte (quase 250. pertencente a geração de artistas pós abertura dos portos do Japão em 1853. Isso. científicos. doações e outros). Multimídia é uma publicação que reúne som. com a utilização de qualquer suporte. termo adotado e consagrado por meio do desenhista Rakuten Kitazawa. todo e qualquer livro recebido pelas Diretorias de Ensino e Unidades Escolares. textos derivados de livro ou originais. oferecendo elementos para a busca aprofundada de 31 . dentre outros. mapas e cartogramas. texto em interação e movimento. definição. de tamanho compacto. é um disco ótico. esse tipo de uso não altera a característica original da obra que nunca deixará de pertencer à categoria de obras de ficção. Manuais: manual em um único volume. recortar ou armar. atlas geográficos. roteiros de leitura para controle e estudo de literatura ou de obras didáticas. mas não é incomum encontrar o título “dicionário” em obras com características de enciclopédia. sexo. contendo informações concisas sobre determinado assunto. provenientes de Programas Federais e Estaduais. antônimos. livros em meio digital. meio ambiente e ecologia. volume de texto e tipo de ilustração em infantis. DSTs. dentre outros.publicações de qualquer natureza que representem parte de livro. elaboradas em linguagem voltada aos diferentes segmentos estudantis. históricos. similar ao CD (compact disc) e pode ser lido na tela do computador ou na tela da TV. organizado sistematicamente para rápido e fácil acesso. juvenis. Embora seja Mangás: quadrinhos japoneses. magnético e ótico. pintar. podendo-se saltar de um texto ou imagem para outra por meio de links (ligações) automáticos na obra. diferentemente do livro de ficção. Há dicionários gerais de língua (portuguesa e estrangeira): lista de palavras. para uso exclusivo de pessoas com deficiência visual. tradução. As obras de referência fornecem informações condensadas ou panorâmicas. Informações estatísticas são freqüentemente publicadas em formato de manual.000 páginas de texto. porém não altera sua natureza de material de apoio ao processo de ensino-aprendizagem. álbuns para colorir. É importante não confundir o livro paradidático com o uso paradidático do livro. o equivalente a aproximadamente 1000 livros de 250 a 300 páginas). livros de imagem. a partir da complexidade da linguagem. contendo ortografia. Eles podem ser subdivididos em categorias.000 a 300. para consulta rápida. produzidos por editores. temática. mediante contrato de edição celebrado com o autor. Obra de Referência: são livros que reúnem conteúdos de caráter geral ou especializado. aquisições. em ordem alfabética. infantojuvenis. Há um repertório temático significativo dentro desta categoria: drogas. reunindo ficção e não-ficção. livros impressos no Sistema Braille” (inclui-se na conceituação de livro de que trata esse item. Do ponto de vista do suporte físico. O livro paradidático muitas vezes mescla tipos de linguagens. Os dicionários abreviados são edições reduzidas (quantidade de termos e extensão muito comum o educador valer-se de uma obra literária como base para o estudo de determinada temática. impressos em papel ou em material similar. sinônimos. Livros Paradidáticos: publicações que contemplam temas sociais. materiais avulsos relacionados com o livro. para adultos. etimologia. com ou sem autoria específica.

National Geographic). 118. MOIZAZINE. São Paulo: JBC. SÃO BERNARDO DO CAMPO. v. quinzenais. ainda. 20 GOIDA. As indicações de formato. segundo um plano definido. seções e outras partes do documento. n. VILLAR. editados a intervalos préfixados. Disponível em: < http://www. As revistas podem ser: • Correntes .com. Incluem-se na categoria: histórias em quadrinhos.assuntos.com/doc/6667561/Glossario-de-Biblioteconomia> Acesso em: 28 abr. Disponível em: <http://www. São Bernardo do Campo. As obras de referência podem ser organizadas em ordem alfabética geral de verbetes. Acesso em: 30 maio 2011. etc.br/glossario. Rede Escolar de Bibliotecas Interativas: Sistema Documentário da Biblioteca Escolar Interativa – BEI. 2004. Comunicado Conjunto CENP/COGSP/CEI. escolha. Glossário de Biblioteconomia e Documentação. de selecionar. extinto. seleção.termos-tecnicos>. muitas obras de referência editadas em CD-ROMs. Além das obras em livro. cronológicas por datas ou períodos. por tempo indeterminado. quadrimestrais. jornais (publicações em que se relatam os acontecimentos do dia ou de curto intervalo de tempo). Disponível em: <http://www. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. São constituídas por fascículos. Acesso em: 26 maio 2011. Rio de Janeiro: Objetiva. PROCIMAR. GUIA DA CULTURA JAPONESA. encerrado. São Paulo. semestrais (ex. sobre vários temas.procimar.: jornais). As revistas podem ser gerais (Veja. 1990. reportagens. de separar. 187. sem interrupção de periodicidade. Antonio. Triagem: ato ou efeito de triar. 2006. a seguir. semanais. referem-se às obras de referência impressas. Ministério da Ciência e Tecnologia.br/search/label/Artigos>. na mesma ordem em que a matéria nele se sucede. trimestrais. em conjunto ou sucessivamente. 30-31. etc).publicado. 32 . de 3 outubro de 2008. HOUAISS.php?letra=C&keyword=glossario. Fontes BRASIL. mensais. números ou partes. 2001.: revistas). tratando de assuntos diversos. classificadas por assuntos ou. Mauro de Salles. Podem ser diários (ex. Porto Alegre: L&PM. p. Revistas: publicações periódicas com artigos originais. Enciclopédia dos quadrinhos.moizazine. sob a direção de uma ou de várias. (Cadernos REBI) SÃO PAULO (Estado).não é mais publicado. há. publicadas em série. separação..com.scribd. Glossário termos técnicos. Isto é) ou especializadas (Super Interessante. bimensais.. com a colaboração de diversas pessoas. 2008. na BEI. Secretaria Especial de Ações Voltadas à Comunidade. anuais e bianuais (anais. Sumário: enumeração das principais divisões. • Não Correntes . Fundação Japão.