Você está na página 1de 21

SUMÁRIO

1. OBJETIVO

02

2. PREPARATIVOS INICIAIS Cercar o tema Reunir informações Organização, leitura e entendimento

02

02

02

03

3 . APRESENTAÇÃO DO TRABALHO Como configurar e formatar as páginas do trabalho

03

4.

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa Folha de rosto Sumário

05

05

06

07

5.

ELEMENTOS TEXTUAIS Introdução Desenvolvimento Citação bibliográfica Citação direta, literal ou textual Citação indireta ou livre Citação de citação Citação de informação verbal

08

08

08

10

10

13

13

Conclusão

14

5.

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Referências Livros Artigos de periódicos Materiais de informação em meio eletrônico Anexos

15

15

15

17

18

19

REFERÊNCIAS

20

1. OBJETIVO Seguindo as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT, este manual estabelece os elementos que constituem a estrutura de um trabalho escolar: as regras de apresentação, a citação no texto e as referências elementos pré-textuais e pós-textuais. As orientações contidas neste manual não têm, contudo, a pretensão de substituir os livros de Metodologia do Trabalho Científico, mas servir como um orientador, tirando as dúvidas dos alunos na elaboração dos seus trabalhos escolares. Além disso, sabendo que a escola, no nível fundamental e médio, é um caminho para a universidade, os conhecimentos aqui presentes serão amplamente empregados na vida acadêmica.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT é uma entidade privada e sem fins
A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT é uma entidade privada e
sem fins lucrativos, responsável pela normalização técnica no país e representa no Brasil as
entidades internacionais de normalização: Organização Internacional para Padronização
(ISO), Comissão Pan-americana de Normas Técnicas (COPANT) e Associação MERCOSUL
de Normalização (AMN). Disponibiliza a pesquisa e aquisição de normas através de seu site
(http://www.abnt.org.br).
Nesse sentido, a aplicação de normas técnicas na área de documentação para a
normalização de referências, trabalhos escolares, dissertações, teses, artigos de periódicos e
outros, devem estar em conformidade com a Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT) e outras instituições de normalização pertinentes com a nossa realidade educacional.

2. PREPARATIVOS INICIAIS Cercar o tema: é preciso elaborar um pré-roteiro na hora de dar inicio a pesquisa, com o intuito de delimitar o tema, listando no papel todos os pontos possíveis de abordagens. Depois escolha aqueles que realmente devem ser desenvolvidos. Reunir informações: como o caminho a ser percorrido já foi traçado, o próximo passo será recolher informações em livros e artigos acessíveis e fáceis de consultar, como manuais didáticos, enciclopédias gerais ou especializadas, revistas, jornais e também na internet.

Organização, leitura e entendimento: essa etapa é extremamente

importante, pois será ela que proporcionará o entendimento acerca do

assunto e, consequentemente, servirá, mais tarde, como base para a

elaboração do texto final. Se preferir grifar, tire cópia do material selecionado

para não danificar livros, revistas que foram tomados de empréstimos.

Dica importante!

Se você estiver sublinhando um texto, faça breves anotações ao lado (com uma ou duas palavras, no máximo). No final da leitura, isso o ajudará a localizar as ideias que melhor se

encaixam em seu tema de trabalho. Dessa maneira, você não corre o risco de se perder em meio a uma quantidade muito grande de textos sublinhados.

Caso você conclua que o trabalho está incompleto, volte às fontes de pesquisa e procure mais material para completá-lo. Se estiver satisfeito, não considere o trabalho encerrado antes de uma última leitura. Assim você poderá identificar as frases mal escritas que precisam ser refeitas e substituir palavras que se repetem muitas vezes e que deixam o texto feio ou que estejam erradas.

3. APRESENTAÇÃO DO TRABALHO

Existem algumas exigências mínimas quanto ao formato do trabalho. Uma

boa apresentação deve conter:

Tipo de papel deve ser utilizado o papel branco, preferencialmente

nas dimensões 297x210 mm (A4);

Escrita digitado com tinta preta e somente um lado da folha;

Destacar os títulos utilizando itálico , negrito ou sublinhado;

As páginas devem ser numeradas sequencialmente a partir da Introdução, em algarismos arábicos, no canto superior direito, sem traços, pontos ou parênteses. A numeração das páginas preliminares (a partir da página de rosto até a última folha antes do texto) é opcional. Caso sejam numeradas, utilizar algarismos romanos representados por letras minúsculas (i, ii, iii, iv, etc.). Em se fazendo tal opção, a página de rosto (página i), não deve ser numerada, iniciando- se a numeração na página seguinte (página ii).

Havendo anexos, suas páginas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento a do texto principal.

O espaçamento entre as linhas deve ser de 1,5;

Formatar o texto com as fontes Arial ou times new Roman no tamanho

12 e para citação direta usar fonte tamanho 10;

Conter os seguintes elementos, nesta ordem: capa, folha de rosto,

sumário, introdução, desenvolvimento, conclusão e referências;

Parágrafo: iniciar a 2 cm da margem esquerda;

Destacam-se gradativamente os títulos das seções, utilizando-se os

recursos de caixa alta, negrito ou, itálico.

Os títulos - Sumário; Referências; Anexos - não são numerados e

devem aparecer na página de forma centralizada.

Como configurar e formatar as páginas do trabalho

Margens

Superior: 3 cm

Inferior: 2 cm

Direita: 2 cm

Esquerda: 3 cm

Exemplo

as páginas do trabalho Margens Superior: 3 cm Inferior: 2 cm Direita: 2 cm Esquerda: 3
as páginas do trabalho Margens Superior: 3 cm Inferior: 2 cm Direita: 2 cm Esquerda: 3
as páginas do trabalho Margens Superior: 3 cm Inferior: 2 cm Direita: 2 cm Esquerda: 3
as páginas do trabalho Margens Superior: 3 cm Inferior: 2 cm Direita: 2 cm Esquerda: 3
3 cm
3 cm
2 cm
2 cm
3 cm
3 cm
2 cm
2 cm

4.

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

É o primeiro elemento que deverá ser elaborado na apresentação formal de uma atividade escolar. Deverá conter obrigatoriamente o título do trabalho e a autoria. Os elementos poderão ser dispostos de qualquer modo, podendo ainda ser acrescentadas outras informações como, por exemplo: desenhos, imagens, entre outros.

Exemplos:

COLÉGIO SANTA DOROTÉIA DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSOR: AUGUSTO SILVA

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

João Fernandes da Silva 2ª série A

Manaus (AM), janeiro de 2011.

COLÉGIO SANTA DOROTÉIA

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

João Fernandes da Silva 2ª série A

Manaus (AM), janeiro de 2011.

Dica:

Não utilize como título "Trabalho de central abordado no trabalho.

".

O nome (ou o título) deverá fazer referência ao tema

EXEMPLO 1: Revolução Francesa, ao invés de Trabalho de História.

EXEMPLO 2: A qualidade de vida no centro de Manaus, ao invés de Trabalho de Geografia

EXEMPLO 3: Eletrodinâmica: Resistência Elétrica, ao invés de Trabalho de Física.

Mais dicas:

Deve ser de papel consistente ou simples, sem ilustração ou "embelezamento",

composta de:

a) Cabeçalho: nome da Instituição responsável, com subordinação até o nível do professor. Deve ser centralizado à margem superior, com letras maiúsculas, tamanho 12, espaçamento entre linhas simples;

Observação: nunca identificar o professor apenas pelo nome, mas também com o sobrenome; assim como o aluno.

b) Título do trabalho: no centro da folha, centralizado, tamanho 14 ou16;

c) Nome do aluno/série: abaixo do título 5 centímetros centralizado, letras maiúsculas, tamanho12;

d) Local, mês e ano: centralizado, a 3 centímetros borda inferior e as primeiras letras maiúsculas, tamanho 12.

Folha de Rosto A folha de rosto deverá conter todos os elementos necessários para a identificação do trabalho, por essa razão são itens obrigatórios: nome da escola,

título do trabalho, nome do professor, disciplina, nome do(s) aluno(s). A disposição dos elementos, ao contrário do que ocorre com a capa, exigirá um padrão fixo, conforme segue:

Nome da Escola: fonte tamanho 14, centralizado, maiúsculo em negrito.

Título do trabalho: fonte tamanho 16, centralizado em negrito.

Nome do professor e disciplina: fonte tamanho 12 e alinhamento à direita.

Nome do grupo: fonte tamanho12 e alinhamento à direita.

As informações essenciais da origem do trabalho:

Exemplos:

Relatório apresentado para avaliação do rendimento escolar na disciplina História, do 8º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Santa Dorotéia.

Pesquisa apresentada junto ao curso de 3ª série, do Ensino Médio do Colégio

Santa Dorotéia, para obtenção de conceito parcial na disciplina História.

Exemplos:

COLÉGIO SANTA DOROTÉIA DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSOR: AUGUSTO SILVA

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Jarlison dos Santos 8º ano A

Relatório apresentado para avaliação do rendimento escolar na disciplina História, do 8º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Santa Dorotéia.

Professor: Augusto Silva

Manaus (AM), janeiro de 2009.

COLÉGIO SANTA DOROTÉIA

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Jarlison dos Santos 3ª série A

Pesquisa apresentada junto ao curso de 3ª série, do Ensino Médio do Colégio Santa Dorotéia, para obtenção de conceito parcial na disciplina História.

Professor: Augusto Silva

Manaus (AM), janeiro de 2009.

Sumário O sumário é uma lista na qual constam as divisões do trabalho. Nele deverão ser identificadas de maneira geral as seções, capítulos e itens que compõem o conjunto do trabalho, facilitando a localização de um determinado tópico uma vez que utiliza o número de paginação como referência. É muito comum confundir sumário com o índice, este último apresenta como particularidade o detalhamento minucioso de todos os itens que fazem parte de um trabalho.

Dicas:

O título, SUMÁRIO, em letras maiúsculas em negrito, deve estar centralizado na primeira linha de texto.

O título SUMÁRIO é separado dos títulos das partes do trabalho por uma linha em branco.

Deve conter a enumeração das partes do trabalho, na ordem em que aparecem.

Cada parte do trabalho deve apresentar o número da página inicial ligado ao título por uma linha pontilhada.

Os títulos gerais de capítulos são escritos com todas as letras maiúsculas. Nos subtítulos, apenas a primeira letra é maiúscula.

5. ELEMENTOS TEXTUAIS

Introdução A introdução apresenta o tema que será abordado. Sua ideia principal é tratar de maneira geral o assunto da pesquisa, por esse motivo deverá conter informações que facilitem o entendimento do assunto. É importante que durante a elaboração da introdução possam ser respondidas as seguintes questões: Qual é o assunto tratado no trabalho? Qual é seu objetivo ao abordar esse assunto?

A introdução serve para preparar o leitor para o tema tratado no trabalho,

cabendo aqui alguma informação de contexto teórico mais geral. Nesta secção do

trabalho devem mencionar-se os seguintes aspectos:

Interesse do tema em estudo [no caso de temas escolhidos pelos alunos];

Objetivo geral do trabalho;

Indicação da estrutura trabalho, mencionando as várias secções, capítulos do

mesmo;

Descrição do plano geral dos conteúdos das diversas partes do trabalho;

Descrição da metodologia seguida no trabalho; Entende-se por metodologia a sequência de procedimentos (regras, passos ou etapas) verificados durante a construção de todo o trabalho.

Caso o autor tenha sido beneficiado de qualquer tipo de colaboração deverá fazer o respectivo agradecimento.

Desenvolvimento

O desenvolvimento é a parte mais extensa e detalhada do trabalho. Nele as

ideias deverão ser expostas e desenvolvidas com objetividade e clareza, podendo ser dividido em capítulos, títulos e subtítulos. Esta parte do trabalho poderá ser enriquecida com imagens, tabelas e gráficos, mas é importante que exista ligação destes elementos com o texto. Por essa razão é importante identificar através de legendas cada um dos elementos gráficos utilizados no trabalho. Podemos considerar como ilustrações: gravuras, fotografias, mapas, desenhos, tabelas, quadros entre outros. Essas imagens obedecem a numeração sequencial própria, em algarismos arábicos, que independe da paginação. Contudo,

para que a pesquisa tenha uma boa apresentação insira as imagens ao invés de colá-las. Não esqueça que confrontar informações e selecionar textos são itens importantíssimos para um bom desenvolvimento, porém deve-se indicar entre aspas quando forem utilizados trechos integrais da fonte consultada. O desenvolvimento, diferente do que ocorre com a introdução, sumário, conclusão, não deve ser citado no inicio do texto como título. Como segue o exemplo:

Revolução Industrial A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e
Revolução Industrial A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e

Revolução Industrial

A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial; revolução, em função do enorme impacto sobre a estrutura da sociedade, num processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica.

A Revolução Industrial aconteceu na Inglaterra na segunda metade do século XVIII e encerrou a transição entre feudalismo e capitalismo, a fase de acumulação primitiva de capitais e de preponderância do capital mercantil sobre a produção. Completou ainda o movimento da revolução burguesa iniciada na Inglaterra no século XVII.

Desenvolvimento A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do
Desenvolvimento A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do

Desenvolvimento

A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial; revolução, em função do enorme impacto sobre a estrutura da sociedade, num processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica.

A Revolução Industrial aconteceu na Inglaterra na segunda metade do século XVIII e encerrou a transição entre feudalismo e capitalismo, a fase de acumulação primitiva de capitais e de preponderância do capital mercantil sobre a produção. Completou ainda o movimento da revolução burguesa iniciada na Inglaterra no século XVII.

DICAS PARA PESQUISA

Não utilize conceitos sem defini-los;

Procure utilizar frases afirmativas;

Construa frases curtas;

Selecione cuidadosamente todo material que pretende utilizar;

Esteja sempre atento quanto à digitação do trabalho;

Registre os dados título, autor, entre outros - de todos os materiais consultados. Isto facilitará a localização da informação caso seja necessário e construção da lista de referências;

Tenha sempre uma cópia de segurança de seu trabalho, preferencialmente salva na memória do seu computador, pois os disquetes costumam apresentar problemas;

Preocupe-se sempre com a seriedade dos dados encontrados na internet, eles nem sempre são atualizados ou confiáveis o suficiente para embasar uma afirmação;

Nem sempre o assunto de um trabalho é explicitado por um título de capítulo;

Dicionários e enciclopédias são extremamente úteis para ajudar a compreender conceitos e ideias.

Citação Bibliográfica Citação é a menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte. A NBR-10520, de acordo com a ABNT, foi criada especificamente para elaboração de citações bibliográfica e a última revisão ocorreu em agosto de 2002. A Associação reformulou a NBR-10520, e ela é a norma regida atualmente para padronização dos trabalhos acadêmicos e técnico-científicos. Desde então, diversas publicações que tratam de metodologia do trabalho científico foram revisadas e algumas ainda permanecem com a normalizada antiga da ABNT.

Dica Importante:

Para formalizar uma boa citação, sugerimos algumas formas para iniciar um parágrafo.

Veja:

Vale ressaltar que

/ Em função disso

/ A partir dessa reflexão, podemos dizer que

/

É importante ressaltar que

/ Com

base em (autor) queremos buscar caminhos

/

É

necessário, pois, analisar

/ Nesse sentido, ressaltamos que

/ Coaduna-se com essas

reflexões (autor) quando ressalta que

significados], consideramos que

/

Posto

que

/ Daí a necessidade de

[a

sempre

/ Podemos inferir, com (autor) que

leitura

é

produção

de

/ Assim, entendemos que

/ Dessa perspectiva

/ Dessas acepções, podemos ressaltar que

/

Disso decorre

/ Assim sendo, salientamos que

/ A partir desses levantamentos, cabe-nos

/

Contudo, ressalta (autor) que

afirmações vêm de encontro ao que queremos

autores vêm o encontro de nossos anseios, no sentido de mostrar que

/ Podemos compreender, com base em (autor) que

(para

/ Tais

(no sentido de choque) / Os estudos desses

somar) (ECKERT-

HOFF , 2001 apud FACULDADES NETWORK, 2002).

Tipos de citação

De acordo com a ABNT, as formas de citações mais conhecidas são: direta, indireta e citação de citação.

Citação direta, literal ou textual

Citações diretas, literais ou textuais: transcrição do trecho do texto de parte da obra do autor consultado. Por outro lado, na lista de referências bibliográficas, ou seja, no final da monografia, deverá constar a referência completa da seguinte forma: MACHADO, Hugo de Brito. Curso de direito tributário. 19. ed. São Paulo.

Dica: Se no texto original tiver erros, você deve transcrevê-los exatamente como estão, mas deve

colocar após o erro a expressão "sic", entre parênteses.

Exemplo 1: para citações diretas com mais de três linhas, deve-se observar apenas

o recuo de 4 cm da margem esquerda. A citação ficaria da seguinte

forma:

 Espaçamento entre linhas: 1,5 cm  Tamanho da fonte: 12 A respeito da resistência
 Espaçamento entre linhas: 1,5 cm
 Tamanho da fonte: 12
A respeito da resistência dos povos indígenas na Amazônia contra o
colonizador pode ser identificada no seguinte trecho:
A melhor representação da resistência indígena e de demonstração de
serem os indígenas agentes de sua própria história foram as situações
criadas pelos índios na nação Manaus na região do baixo e médio rio
Negro, resultado da famosa guerra entre esses índios e os portugueses
na década de 1720. (SANTOS, 2007, p.130).
 Espaçamento entre linhas: 1,0cm
 Tamanho da fonte: 10 cm
 Recuo: 4,0cm
Autor em CAIXA ALTA, data e página.

Exemplo 2: citação com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas”

Bobbio (1995, p. 30) com muita propriedade nos lembra, ao comentar

esta situação, que os “juristas medievais justificaram formalmente a vaidade

do direito romano ponderando que este era o direito do Império Romano

que tinha sido reconstituído por Carlos Magno com o nome de Sacro

Império Romano”.

Segundo Pfeffer, (2003, p.63): "O nome Sefardim deriva do termo bíblico

Sefarad, nome de um país não identificado, onde os judeus se instalaram depois

de exilados de Jerusalém."

Citação indireta ou livre

Citações indiretas (ou livres) são as reproduções de algumas ideias, sem que haja transcrição literal das palavras do autor consultado. Apesar de ser livre, deve ser fiel ao sentido do texto original. Não necessita de aspas. A seguir, alguns exemplos de citações indiretas:

Exemplo 1:

Segundo De Sordi (1995) devemos considerar o conceito de qualidade de ensino como algo impregnado
Segundo
De
Sordi
(1995)
devemos
considerar
o
conceito
de
qualidade de ensino como algo impregnado de conteúdo ideológico. Sendo
que a escola deve explicitar de que qualidade está falando no planejamento
de seus métodos de ensino.
Ponce (1994), nos leva a compreender o exato alcance das ideias
pedagógicas de Lutero, ressaltando que não devemos perder de vista dados
anteriores.
Indicação do Autor no começo do texto, citar em Caixa Baixa seguida da data.

Exemplo 2:

Essa ideia de vulnerabilidade traz em si o próprio sentido da questão social para Castel
Essa ideia de vulnerabilidade traz em si o próprio sentido da questão
social para Castel (BELFIORE; BÓGUS; YAZBEK, 1997), que a entende como a
dificuldade que faz com que uma sociedade se interrogue sobre a possibilidade
de manter a coesão e evitar o risco de sua fratura.
Indicação do Autor no meio do texto entre (parênteses), colocar em CAIXA ALTA, separando-se por ponto e vírgula.

Citação de citação

Citação de citação é aquela em que o autor do texto não tem acesso direto à

obra citada, valendo-se de citação constante em outra obra.

Exemplo 1: indicação dos autores separados pela expressão “apud” ou “citado por”.

separados pela expressão “apud” ou “citado por”. Ponce (1982), citado por Silva (1994), declara que
Ponce (1982), citado por Silva (1994), declara que instrução, no sentido moderno do termo, quase
Ponce (1982), citado por Silva (1994), declara que instrução, no sentido moderno
do termo, quase não existia entre os espartanos.

Exemplo 2: apud usa-se quando o leitor não tem em mãos a obra original, e na obra consultada encontra-se esta referência que é citada primeiramente, seguida do autor, data e página da obra consultada.

A organização documental é importante, sem ela, todo o resto seria invalidado, porém o fazer
A organização documental é importante, sem ela, todo o resto seria
invalidado, porém o fazer biblioteconômico é muito mais do que apenas isso
dentro da biblioteca universitária. Ela deve estar a serviço, ser uma atividade meio
e não um fim em si mesma. O humano e a técnica devem caminhar juntos, de
forma equilibrada, para que a organização possa cumprir seu papel social maior.
A indústria de informação, isoladamente, não produz conhecimento.
Produz estoques de informação organizada para uso imediato ou futuro,
ou, o que é pior, a criação voluntária no Brasil de uma base
importante para sustentar a indústria transnacional de indústria da
informação em ciência e tecnologia, na qual o profissional é formado
no país para funcionar como um mero executor de normas e
regulamentos, sem, no entanto, tê-los criado (BARRETO, 1990 apud
SOUZA, 1991, p. 183).
Usar a citação: AUTOR, data, apud, AUTOR, data, página.

Citação de informação verbal

Os dados obtidos por informação oral (comunicação pessoal, palestras, apontamentos em aula, etc.) podem ser citados e suas referências aparecerão apenas em nota de rodapé.

Exemplo:

No texto (comunicação pessoal):

VALE constatou que há indícios de cones de rejeição².

No texto (apontamentos em aula):

A Internet é globalização³.

vista como um

grande meio de difusão dos aspectos da

3 Inglês não é um idioma bom para usar ao programar. Isto foi percebido muito tempo por outros que exigem comunicar instruções. (TEDD, 1977, p. 29).

De acordo com a NBR 10520, deve-se utilizar o sistema autor-data para as citações do texto e o numérico para notas explicativas. As notas de rodapé podem ser conforme as notas de referência e devem ser alinhadas, a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas e com fonte menor.

Exemplos:

1. SALGUEIRO, Heliana Angotti. Engenheiro Aarão Reis: o progresso como missão. Belo Horizonte: Fundação João

Pinheiro, 1997. p. 19.

2. SMITH, Edmund Arthur. Teoria del bienestar social. Buenos Aires: Humanitas, 1971. p. 213.

3. SALGUEIRO, op. cit., p.40-43.

4. SMITH, op. cit., p. 376.

Conclusão É, obviamente, com a conclusão que se encerra o trabalho. Nela deverá ser

feita uma exposição resumida dos dados trabalhados e do diagnóstico final do problema colocado. Não esqueça que as conclusões devem ser baseadas naquilo que foi proposto. Esta secção constitui uma reflexão sobre os pontos mais importantes do trabalho e poderão ser abordados os seguintes aspectos:

Reflexões sobre as dificuldades encontradas durante a execução do trabalho sugerindo formas de superá-las em trabalhos futuros;

Conclusões gerais do trabalho, através de uma pequena síntese ilustrativa das informações mais significativas de cada secção ou de cada capítulo. Incluir nesta conclusão uma reflexão sobre eventuais contradições encontradas, sobre eventuais dificuldades ocorridas durante a pesquisa e durante o desenvolvimento do tema do trabalho.

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

Referências É o conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual” (Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT). Através das referências são relacionados quais foram os materiais utilizados na estruturação da pesquisa. Podem fazer parte de uma lista de referências: livros, revistas, jornais, CD-ROM, filmes, páginas de Internet, objetos tridimensionais entre tantos outros.

DICAS

Havendo mais de um autor coloca-se o primeiro e em seguida escreve-se a expressão et al, que significa “e outros”;

Quando não é possível identificar a cidade de origem do material utiliza-se a expressão [S.l.], que significa “sem local”;

Naquele material que não possui dados sobre a editora utiliza-se a expressão [s.n.], que indica que não foi possível identificar quem é o responsável pela edição da obra;

Não é necessário escrever a palavra "editora";

O ano é sempre representado em algarismos arábicos;

É muito comum o volume aparecer em revistas como "ano";

Os meses são sempre abreviados, segundo o idioma da revista, utilizando-se somente as três primeiras letras seguidas por um ponto final;

Exemplos: junho - jun. enero - ene. (fr.) - maio - maio (exceção)

Quando utilizar na pesquisa uma página da Internet não esqueça de anotar o dia, mês e o ano em que foi consultada a informação;

A lista de referências obedece ordem alfabética e elas deverão ser colocadas na última página do trabalho.

Livros (um autor):

SOBRENOME, Nome. Título do livro: subtítulo. Cidade: Editora, ano. página inicial página final. (Série)

Exemplos:

PESSOA, Fernando. Obra Poética. Rio de Janeiro: Aguilar, 1983. p. 35-67. (Série Portuguesa)

TRINDADE, Diamantino et al. Química básica experimental. São Paulo: Ícone, 1993. p. 172.

Livros (até três autores):

COSTA, Maria Aída B., JACCOUD, Vera, COSTA, Beatriz. MEB: uma história de muitos. Petrópolis: Vozes, 1986. 125 p. (Cadernos de Educação Popular, 10).

LAKATOS, Eva Maria, MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. 2 ed, São Paulo: Atlas, 1991. 231 p.

Na ausência de autores:

TÍTULO do livro: subtítulo. Cidade: Editora, ano. página inicial página final.

Exemplos:

ENCICLOPÉDIA Barsa. São Paulo: Encyclopaedia Britannica, 1968. v.10. p. 37-38.

ALMANAQUE ABRIL 2001: Brasil. São Paulo: Abril, 2001. p.203.

Quando a autoria for institucional:

NOME DA INSTITUIÇÃO. Título do livro. Cidade: Editora, ano. página inicial página final.

Exemplos:

INSTITUTO CULTURAL ITAÚ. Estádios. São Paulo: Instituto Cultural Itaú, 1994. 40

p.

FUNDAÇÃO ARMANDO ÁLVARES PENTEADO. A arte egípcia no tempo dos faraós. São Paulo: Museu de Arte Brasileira, 2001. 100 p.

Artigos de periódicos: Revistas e Jornais

Revistas SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Nome da Revista, Cidade, v., n., página inicial página final, mês. ano.

Exemplos:

PAZ, Otávio. Ironia e compaixão. Correio da UNESCO, Rio de Janeiro, v.18, n.8, p. 26-29, ago. 1989.

BRANDÃO, Vladimir. Com endereço certo. Época, São Paulo, v.4, n.170, p.50, 20 ago. 2001.

Revistas: na ausência de autores:

TÍTULO do artigo. Nome da Revista, Cidade, v., n., página inicial página final, mês. ano.

Exemplos:

PROFESSOR Milton Santos. Caros Amigos, v.5, n.52, p.6, jul. 2001.

DOENÇA de Chagas. Ciência Hoje, v.13, n.73, p. 27, jun. 1991.

Jornais SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Nome do Jornal, cidade, página. dia mês ano.

Exemplos:

OLIVEIRA, Gessner. O falso dilema entre Mercosul e Alca. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. B2. 16 jun. 2001.

MERCADANTE, Aloizio. O túnel no fim da luz. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. A3. 26 maio 2001.

Materiais de informação em meio eletrônico:

Artigo de revista (internet):

SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Nome da Revista, cidade, v., n., mês. ano.

Disponível em: <http://www

>.

Acesso em: dia mês ano.

Exemplo:

GUIMARÃES, Maria Lúcia. Informação e transferência de tecnologia. Informação e

em:

Sociedade,

http://www.informacaoesociedade.ufpb.br>. Acesso em: 22 ago. 2000.

v.10,

n.2,

2000.

Disponível

Artigo de jornal (internet) SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Nome do Jornal, cidade, dia mês. ano.

Disponível em: <http://www

>. Acesso em: dia mês ano.

Exemplos:

LAMUCCI, Sergio; PALHANO, André. Acordo não convence analistas brasileiros. O Estado de São Paulo, São Paulo, 23 ago. 2001. Disponível em:

<http://www.estado.estadao.com.br/editorias/2001/08/23/eco035.html>. Acesso em:

23 ago. 2001.

CD-ROM SOBRENOME, Nome. Título do CD-ROM: subtítulo. Cidade: Editora, ano. 1 CD- ROM.

Exemplos:

CIPRO NETO, Pasquale. Nossa língua portuguesa. São Paulo: PubliFolha, 1997. 1 CD-ROM.

Na ausência de autores:

TÍTULO do CD-ROM: subtítulo. Cidade: Editora, ano. 1 CD-ROM. Exemplos:

Por Dentro do município de São Paulo. São Paulo: Emplasa; Agência Estado, 2000. 1 CD-ROM

Sites e Banco de dados TÍTULO da página. Disponível em: <http://www Acesso em: dia mês ano.

 

>.

Exemplos:

VIAGEM ao

mundo

do

Candinho.

Disponível

em:

http://www.portinari.org.br/viagem/br. Acesso em: 24 ago. 2001.

Anexo opcional É formado por materiais não elaborados pelo autor da pesquisa, mas que comprova os fundamentos da investigação, confirmando, validando ou ilustrando tópicos específicos do mesmo. Quanto à grafia, segue as mesmas regras do apêndice. ANEXO A – Pesquisa de opinião do Jornal “XX” ANEXO B – Índices estatísticos fornecidos pelo supermercado “Z”ANEXO C – Indicadores sobre consumo do IBGE.

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências Bibliográficas.

NBR 6023. Rio de Janeiro: ago, 2002

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências Bibliográficas.

NBR 14724. Rio de Janeiro: ago, 2002

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências Bibliográficas.

NBR 10520. Rio de Janeiro: ago, 2002

BEAU, Michel. Arte da tese. Como redigir uma tese de mestrado ou de doutorado,

uma monografia ou qualquer outro trabalho universitário. 2. ed. Rio de Janeiro:

Bertrand Brasil, 1997

CASTRO, Cláudio de Moura Castro. A Prática da pesquisa. São Paulo: McgrawHill,

1971

COMO

FAZER

UM

TRABALHO

ESCOLAR.

Disponível

em

www.klickeducacao.com.br . Acesso em 30 de dezembro de 2008.

ECO,

Perspectiva, 1983

Humberto.

Como

se

faz uma

tese

em

ciências

humanas. São Paulo:

ECKERTT-HOFF, Beatriz; CECILIO, Tânia Cristina Bassani. Regulamento de

estágio supervisionado e de trabalho de conclusão de curso (TCC). Nova Odessa:

Fac. Network, 2004.

FGV/EAESP. Normas para apresentação de monografias. São Paulo: Biblioteca

Karl A. Boedecker, 1995

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas,

1996

KOCHE, José Carlos. Fundamentos da metodologia científica. 12. ed. ampliada. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 1988

MARCONI, Marina de Andrade & LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas, 1983

MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de monografias e dissertações. São Paulo: Atlas, 2000

MOURA, Gervilácio Aguiar Coelho de. Citações e referências a documentos eletrônicos. Recife: 1996. Brochura

RICHARDSON, Roberto Jarry et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. Revista e ampliada. São Paulo: Atlas, 1999

RUDIO Franz Vitor. Vozes, 1980

Introdução ao projeto de pesquisa científica. 3. ed. Petrópolis:

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1979.

SANTOS, Gildenir Carolino. Citação Bibliográfica. Campinas: UNICAMP , 2005.