Você está na página 1de 26
Sumário e Objectivos

Sumário e Objectivos

Sumário: Flexão de Vigas Curvas

Objectivos da Aula: Ser capaz de Determinar Tensões em Vigas curvas e de dimensionar vigas curvas.

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

1

Viga Carregada

Viga Carregada

Viga Carregada 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 2

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

2

Vigas Curvas

Vigas Curvas

Exemplos de Vigas curvas: Ganchos de aparelhagem de elevação, olhais, discos, grampos, molas curvas, elos de correntes, arcos, etc. Nos casos em que o raio de curvatura inicial é muito maior do que a altura da secção recta, as equações deduzidas para vigas rectilíneas podem ser utilizadas para obter uma solução aproximada do problema. Nos outros casos devem utilizar-se as equações exactas da elasticidade ou a fórmula de Winkler, a qual está deduzida no problema 5.2.12.a dos conteúdos.

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

3

Viga Curva

Viga Curva

Viga Curva 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 4

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

4

Fórmula de Winkler

Fórmula de Winkler

Onde M é o momento Flector, A é a área da Secção Transversal, R n

Onde M é o momento Flector, A é a área da Secção Transversal, R n é o raio de curvatura da linha neutra, y é a distância dum fibra genérica à linha neutra e e é a distância do eixo neutro à linha média (baricêntrica) da Secção, como se representa na figura anterior.

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

5

Vigas Curvas

Vigas Curvas

O eixo neutro situa-se entre o baricentro da Secção e o centro de curvatura da viga, sendo definido pela expressão seguinte:

neutro situa-se entre o baricentro da Secção e o centro de curvatura da viga, sendo definido

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

6

Vigas Curvas

Vigas Curvas

A distribuição de Tensões não é linear mas parabólica como se representa na figura de acordo com a fórmula

A distribuição de Tensões não é linear mas parabólica como se representa na figura de acordo

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

7

Vigas Curvas

Vigas Curvas

Vigas Curvas 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 8
Vigas Curvas 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 8

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

8

Vigas Curvas

Vigas Curvas

Quando existe esforço Normal P deve adicionar-se à fórmula de Winkler a Parcela correspondente P/A.

Quando existe esforço Normal P deve adicionar-se à fórmula de Winkler a Parcela correspondente P/A.

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

9

Vigas curvas

Vigas curvas

Vigas curvas 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 10
Vigas curvas 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 10

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

10

Exemplo 16.1

Exemplo 16.1

Exemplo 16.1 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 11

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

11

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 12

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

12

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 13

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

13

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 14
Exemplo 16.1- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 14

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

14

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução

Exemplo 16.1- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 15

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

15

Exemplo 16.2

Exemplo 16.2

Exemplo 16.2 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 16

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

16

Exemplo 16.2- Resolução

Exemplo 16.2- Resolução

Exemplo 16.2- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 17

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

17

Exemplo 16.2- Resolução

Exemplo 16.2- Resolução

Exemplo 16.2- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 18

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

18

Exemplo 16.2- Resolução

Exemplo 16.2- Resolução

Exemplo 16.2- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 19

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

19

Exemplo 16.2- Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 19
Exemplo 16.3

Exemplo 16.3

Exemplo 16.3 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 20

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

20

Exemplo 16.3

Exemplo 16.3

Exemplo 16.3 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 21

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

21

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 22

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

22

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 23

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

23

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 24

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

24

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 25

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

25

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução

Exemplo 16.3-Resolução 2007/2008 Lúcia M.J.S. Dinis Mecânica dos Sólidos 16ªAula 26

2007/2008

Lúcia M.J.S. Dinis

Mecânica dos Sólidos

16ªAula

26