Você está na página 1de 4

Agrofloresta Pecuária

Projeto com animais em mente

Os pesquisadores de agroflorestagem trabalham arduamente na geração,


controle e repetição de observações "científicas". A operação diária dos
sistemas agroflorestais utilizados na pesquisa também produz experiências
práticas que, embora não tenham controle sobre as experiências planejadas,
fornecem informações úteis.

Gostaria de compartilhar algumas das experiências e os "cientistas"


profissionais que adquiri durante 16 anos de criação de ovelhas em
agrofloresta de coníferas / capim.

Os processos do sistema agrofloresta são geridos principalmente pela


manipulação da composição e estrutura da vegetação. O padrão espacial das
árvores é um elemento estrutural importante em silvipasturas.

As árvores são muitas vezes ajuntadas em linhas, a fim de facilitar as


operações agrícolas, tais como pulverização, corte, aplicação de fertilizantes e
também como cercas. Embora poucos estudos replicados tenham sido
publicados, informações suficientes estão disponíveis para fornecer alguns
princípios para o projeto de sistemas silvopastorais: a produção de pastagem é
maior quando as árvores são agregadas juntas, deixando os espaços
intermediários de gramíneas livres de árvores, do que quando as árvores estão
igualmente espaçadas nas redes. A influência do padrão da árvore em
aumentos na produção de pastagem como o número de árvores por acre e
aumenta o tamanho das árvores individuais. O crescimento da árvore é pouco
afetado pelo padrão, desde que cada árvore tenha pelo menos uma face
exposta ao pleno sol. Isso significa que uma única linha de árvores e duas
linhas de árvores devem crescer a taxas semelhantes, enquanto a linha interna
de plantações de linha tripla acabará por sofrer uma redução no crescimento
da concorrência.

Surpreendentemente, pouco foi escrito sobre a influência do padrão de árvore


silvopastoral em componentes de gado e animais nativos de silvopastores.
Temos todos os animais vistos à procura de sombra sob as árvores quando é
quente e se abrigam debaixo das árvores durante o clima frio e chuvoso. Um
bosque ou fileira de árvores proporciona uma melhor proteção para os
elementos do que as árvores individuais. No entanto, os animais também
reagem ao padrão da árvore de maneiras mais sutis. Muitos animais selvagens
preferem um habitat que contenha vegetação protetora, onde podem se abrigar
do clima e podem se esconder dos predadores, juntamente com áreas de
alimentação mais abertas onde o alimento preferido pode ser encontrado.
Essas condições são mais comumente encontradas na borda onde duas
comunidades de plantas se encontram. Cluster ou row silvopastures têm muita
floresta / pastagem. Isso é muito atraente para cervos, coelhos e pássaros que
se refugiam dentro / debaixo das árvores e se alimentam da grama. Em um de
nossos sistemas agroflorestais, o veado começou a mudar de florestas de
carvalho adjacentes para alimentar nosso silvopastoralismo pouco depois da
sua criação. O uso de cervos aumentou à medida que as árvores cresceram
até viverem completamente dentro do silvopastoralismo. O dano dos veados a
árvores jovens passou de ser principalmente a navegar o dano de árvores
recém-plantadas a ser danificado mecanicamente esfregando o veludo de seus
chifres no outono. Como o veado parece selecionar árvores entre 3 e 6 pés de
altura para esconder as mensagens, esperamos que esse dano termine
quando as árvores crescem. O uso de cervos aumentou à medida que as
árvores cresceram até viverem completamente dentro do silvopastoralismo. O
dano dos veados a árvores jovens passou de ser principalmente a navegar o
dano de árvores recém-plantadas a ser danificado mecanicamente esfregando
o veludo de seus chifres no outono. Como o veado parece selecionar árvores
entre 3 e 6 pés de altura para esconder as mensagens, esperamos que esse
dano termine quando as árvores crescem. O uso de cervos aumentou à medida
que as árvores cresceram até viverem completamente dentro do
silvopastoralismo. O dano dos veados a árvores jovens passou de ser
principalmente a navegar o dano de árvores recém-plantadas a ser danificado
mecanicamente esfregando o veludo de seus chifres no outono. Como o veado
parece selecionar árvores entre 3 e 6 pés de altura para esconder as
mensagens, esperamos que esse dano termine quando as árvores crescem.

Plantar árvores em filas e tiras de pulverização para reduzir a concorrência de


gramíneas pode expor árvores para navegar o dano causado por cervos e
coelhos. Os animais que navegam às vezes seguem as fileiras, comem as
árvores à medida que vão. Um ano, eu discuti para pulverizar a grama longe
dos abetos Douglas de um ano de idade. Ele estava preocupado com o fato de
a grama, apesar do crescimento reduzido das árvores, estar escondendo as
fileiras de cervos. Com certeza, uma vez que esparguei a grama, os veados
facilmente encontram as árvores e levantam cada uma delas. Teria sido melhor
aceitar a competição de grama.

Pássaros como piscadelas, piscos de pegaça, tordo e usam nossas coníferas


como poleiros. Do topo das fileiras de árvores, eles podem facilmente examinar
pastagens de capim para insetos, worms e outros géneros alimentícios.
Infelizmente, os pássaros de corpo pesado muitas vezes quebram os líderes
terminais das árvores quando se trata de perching em líderes que ainda não se
voltaram para a madeira. As fezes de aves depositadas perto das árvores
podem conter sementes de ervas daninhas. O carvalho venenoso
recentemente estabelecido sob várias árvores silvopastorais provavelmente
chegou por este mecanismo.

O gado geralmente é mais fácil de rebanho na fila silvopastoral do que na


grade ou em plantações de cluster. Sua tendência natural é drift paralelo a
barreiras, como linhas de árvores. Dada a opção, os animais geralmente
seguem a favor do vento. Isso faz com que o pastejo de gado entre as fileiras
seja relativamente fácil. No entanto, eles podem estar relutantes em cruzar as
linhas. Isto é especialmente verdadeiro para animais que são usados para
cercas elétricas. Os carregadores modernos de vedação de alta tensão
fornecem 5000-7000 volts de carga de alta amperagem por uma duração muito
curta. Uma vez que os animais têm experiência com cercas elétricas, eles não
estão ansiosos para repeti-lo. Em caso de dúvida, qualquer limite difícil é
muitas vezes percebido como uma linha de cerca potencial. Os produtores de
ovelhas da Nova Zelândia, por exemplo, conseguiram conter o gado cortando a
borda ao longo das tiras de grama alta para produzir uma "cerca de grama". Eu
costumava manter o nosso cão fora do jardim, colocando uma única peça de
corda, que ele reconheceu como um fio de vedação elétrica. A baixa elevação
de sensoriamento remoto de nossas amostras de silvopasturas reduz
ligeiramente a produção de pastagens no meio das ruas entre fileiras de
árvores. Acreditamos que isso é o resultado de pisar o gado que está tentando
ficar longe do que eles percebem como uma "cerca da árvore". Tentamos
reduzir esse efeito incentivando as ovelhas a navegar nos ramos das árvores
inferiores para que possam ver facilmente sob elas. Um foco relacionado a este
princípio é que você não quer as árvores plantadas perto das portas. Passei
muito tempo frustrante tentando fazer com que as ovelhas passassem por uma
porta aberta. Eles vêem a grama alta e as árvores como uma linha de cerca e
não passarão.

O gado pode ser extremamente difícil de rebanho na rede ou em silvopastores


de cluster. Os animais tentam manter um espaço pessoal entre eles e um
potencial predador, como um pastor. À medida que você se aproxima deles,
eles se afastarão da preservação desse espaço. Uma vez que este espaço
seja restaurado, eles vão parar e olhar para ver o que está acontecendo. Uma
vez que o gado passa atrás de uma árvore, eles perdem de vista. Supõe-se
que você não pode ver, então você perde todo o interesse em ser conduzido.
Quando eles aparecem de repente ao redor da árvore, eles ficam assustados e
tentam fugir. Esta situação torna-se muito interessante quando você está
tentando controlar um grande grupo de animais de fazenda, alguns dos quais
podem vê-lo, e alguns que não podem.

As fileiras de árvores em declives íngremes são muitas vezes plantadas em


contornos topográficos. Embora isso seja ideal para a conservação do solo,
isso pode impedir o movimento da gado. Gado e ungulados nativos, assim
como as pessoas sabem que não devem caminhar para cima ou para baixo.
Eles caminham com um ligeiro ângulo para o contorno da colina. Esses
padrões de uso geralmente são facilmente vistos em grandes trilhas de gado
ou gado. O plantio de árvores ao longo desses contornos de viagem deve
capturar a maioria dos benefícios de conservação do solo sem impedir o
movimento dos animais.

Em resumo, minha experiência é que as silvopasturas plantadas em linhas são


muito superiores para a produção de gado que são plantações de grão ou
cluster. As árvores plantadas em fileiras com amplos espaços abertos para a
produção de capim entre eles, apoiam a produção de forragem alta e facilitam
as operações agrícolas e a criação de animais. A grande quantidade de borda
criada e mantida por muito tempo na rotação da madeira tende a manter uma
alta biodiversidade. Deer, coelhos e percas para encontrar a estrutura do
cluster e atrativa agrobosques linha. Portanto, é preciso estar preparado para
os potenciais impactos nas árvores e pastagens que podem acompanhar o uso
maior da vida selvagem. As linhas duplas devem permitir um número menor,
mas tiras mais largas de grama entre as linhas sem reduzir a produção de
árvores. Se plantar um novo silvopastoral hoje,
Figura 1. Projeto de um sistema silvopastoral Abeto de Douglas / trevo de
terras ocidentais de Oregon hill. Será classificado como uma floresta totalmente
abastecida com a finalidade de participar em custos regulatórios e florestal.

O Dr. Sharrow é professor ou Agroforestal de Pasto, Department of Grassland


Resources, Oregon State University, Corvallis, Oregon. 97331

* Este artigo foi originalmente publicado na edição de julho de 1998 da


Agroforesteria Temperada.

Escrito por SH Sharrow, Oregon State University

Top Categoria: 1998 vol. 6

Categoria: vol. 6 nº 3 julho 1,998 mil

Postado: 12 de março de 2014