Você está na página 1de 344

CENSOS

2011
XV recenseamento geral da população
V recenseamento geral da habitação

RESULTADOS
DEFINITIVOS
ALENTEJO

Instituto Nacional de Estatística


Statistics Portugal
FICHA TÉCNICA

Título
Censos 2011 Resultados Definitivos - Região Alentejo

Editor
Instituto Nacional de Estatística, I.P.
Av. António José de Almeida
1000-043 Lisboa
Portugal
Telefone: 21 842 61 00
Fax: 21 844 04 01

Presidente do Conselho Diretivo


Alda de Caetano Carvalho

Design, Composição e Impressão


Instituto Nacional de Estatística, I.P.

Tiragem
400 exemplares

ISSN 0872-6493
ISBN 978-989-25-0182-6
Depósito Legal nº 349724/12

Periodicidade decenal

Preço: € 20,00 (IVA incluído)

O INE na Internet www.ine.pt

© INE, I.P., Lisboa • Portugal, 2012


A reprodução de quaisquer páginas desta obra é autorizada, exceto para fins comerciais, desde que
mencionando o INE, I.P., como autor, o título da obra, o ano de edição, e a referência Lisboa-Portugal

As páginas 120, 121, 122, 123 e 124 foram atualizadas a 18.04.2013. Pages 120, 121, 122, 123 and 124 were updated on 18.04.2013.
unidades
territoriais

nota de apresentação

Os Censos 2011 XV Recenseamento Geral da População e V Recenseamento Geral da Habitação - foram


realizados pelo Instituto Nacional de Estatística em estreita colaboração com as Autarquias, Municípios e
Juntas de freguesia.

A organização e execução da operação foram reguladas, a nível nacional, pelo Decreto-Lei nº 226/2009 de
14 de Setembro, e a nível da União Europeia pelo Regulamento quadro (CE) nº 763/2008 do Parlamento
Europeu e do Conselho.

Com a divulgação dos resultados definitivos dos Censos 2011 (os quais têm por referência o momento
censitário, ou seja 21 de Março de 2011) o INE disponibiliza à sociedade um vastíssimo conjunto de
informação estatística oficial, que permitirá melhorar o conhecimento do país e constituirá um instrumento
essencial para a tomada de decisão e para a definição de políticas.

Aqueles resultados constam de 8 publicações uma para o conjunto do país e uma por cada região NUTS
II (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo, Algarve, Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores). O conteúdo
e apresentação das publicações obedecem a um formato comum. Nas publicações de âmbito regional
grande parte da informação é divulgada a nível do município enquanto que na publicação de âmbito nacional
a informação é divulgada a nível de NUTS II e NUTS III.

As publicações dos Censos 2011 encontram-se organizadas em quatro partes:

1. Apresentação e análise de indicadores de caracterização da população, da família e do parque


habitacional.
A escolha dos indicadores teve por base a sua relevância enquanto suporte ao esclarecimento
das questões que centram o debate atual na sociedade; assegura-se, sempre que possível,
a leitura das principais mudanças ocorridas na última década. A análise dos resultados é
acompanhada por gráficos e cartogramas;

2. Resultados do Inquérito de Qualidade aos Censos 2011;

3. Quadros de apuramentos;

4. Metodologia e conceitos associados à operação e aos seus resultados.

O INE agradece a todas as entidades, públicas e privadas que se associaram à campanha de divulgação
dos Censos 2011, cujo contributo foi inestimável, desinteressado e determinante para a elevada adesão da
população, revelando assim uma elevada consciência de responsabilidade social.

INE, NOVEMBRO 2012


abstract

The final results for the 2011 Census, with reference to 21 March 2011, show that the resident
population in the Alentejo region is 757 302, of which are men 366 739 and 390 563 are women. The
share of youth decreased from 13, 7 % in 2001 to 13, 6% in 2011, and the elderly increased from
22, 3% in 2001 to 24, 2% in 2011. As a direct consequence of the country’s demographic structure,
the ageing index rose from 163 in 2001 to 178 in 2011. The number of private households has
increased to 302 975, although the average number of people per household has declined to
2,45.

Alentejo region has gone a long way at the educational level in the last few decades. The percentage
of population with tertiary education is 10,9%, and 44,3% of the population has at least nine years
of educational attainment.

In the labour market the tertiary sector concentrates 68,6% of employed population, while
industry, civil construction and agriculture account for 14,7%, 7,3% and 9,4% respectively.

Foreign resident population in the Alentejo region amounts to 23 577 citizens. The largest foreign
community is Brazilian, at around 26,3%.

The housing stock continued to grow in the last decade, and the number of housing dwellings is
470 284. Around 76,4% of dwellings are owner-occupied and 14,9% are rented.

A quality survey on Census 2011 has been conducted by an external independent organization.
The results follow those observed in other countries.
Resumo

Os resultados definitivos dos Censos 2011, referenciados ao dia 21 de Março de 2011, indicam
que a população residente na região do Alentejo é de 757 302 indivíduos, dos quais 366 739 são
homens e 390 563 são mulheres. A percentagem de jovens diminuiu de 13,7% em 2001 para
13,6% em 2011, e a de idosos aumentou de 22,3% para 24,2%. Consequência direta da estrutura
demográfica do país, o índice de envelhecimento subiu de 163, em 2001, para 178 em 2011. O
número de famílias clássicas aumentou para 302 975, mas diminui o número médio de pessoas
por família para 2,45.

Na educação, a região do Alentejo progrediu muito nas últimas décadas. A proporção da população
com ensino superior é de 10,9% e a população com pelo menos o 9º ano de escolaridade é de
44,3%.

No mercado de trabalho, as atividades dos serviços, concentram 68,6% da população empregada,


a indústria 14,7%, a construção civil 7,3% e a agricultura 9,4%.

A população estrangeira residente na região do Alentejo é de 23 577 cidadãos. A maior comunidade


estrangeira é a de nacionalidade brasileira, cerca de 26,3%.

O parque habitacional continuou a crescer na última década e o número de alojamentos para


habitação é de 470 284. Cerca de 76,4% dos alojamentos estão ocupados pelo proprietário e 14,9%
são arrendados.

Os resultados do Inquérito de Qualidade dos Censos 2011, realizado de forma autónoma e


independente, estão em linha com os padrões de qualidade internacionais observados noutros
países.
ÍNDICE
ALENTEJO

NOTA DE APRESENTAÇÃO 3

RESUMO / ABSTRACT 4

ÍNDICE DA ANÁLISE DOS RESULTADOS 8

ÍNDICE DOS QUADROS De RESULTADOS 10

ANÁLISE DE RESULTADOS 17

INQUÉRITO DE QUALIDADE 81

QUADROS DE RESULTADOS 95

METODOLOGIA E CONCEITOS 317

Resultados Definitivos 7
ANÁLISE DOS RESULTADOS
ALENTEJO

DIVISÃO ADMINISTRATIVA.........................................................................................................................................................................................17

EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO 2001 - 2011.................................................................................................................................................................18

POPULAÇÃO E TERRITÓRIO......................................................................................................................................................................................19

ESTRUTURA ETÁRIA..................................................................................................................................................................................................20

JOVENS E IDOSOS......................................................................................................................................................................................................21

ÍNDICE DE ENVELHECIMENTO.................................................................................................................................................................................22

ÍNDICE DE LONGEVIDADE.........................................................................................................................................................................................23

ÍNDICE DE REJUVENESCIMENTO DA POPULAÇÃO ATIVA......................................................................................................................................24

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE POTENCIAL..........................................................................................................................................................25

ESTADO CIVIL E CONJUGALIDADE...........................................................................................................................................................................26

GRAU E TIPO DE DIFICULDADE NA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DIÁRIAS.......................................................................................................27

POPULAÇÃO DE NACIONALIDADE ESTRANGEIRA EM PORTUGAL.......................................................................................................................28

LOCALIZAÇÃO TERRITORIAL E ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL..............................................................29

EMIGRANTES PORTUGUESES...................................................................................................................................................................................30

MOBILIDADE TERRITORIAL.......................................................................................................................................................................................31

MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS NO TERRITÓRIO........................................................................................................................................................32

MOVIMENTOS PENDULARES....................................................................................................................................................................................34

MEIO DE TRANSPORTE UTILIZADO NOS MOVIMENTOS PENDULARES................................................................................................................36

TEMPO MÉDIO POR DESLOCAÇÃO PENDULAR......................................................................................................................................................37

TAXA DE ANALFABETISMO.......................................................................................................................................................................................38

FREQUÊNCIA DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR...............................................................................................................................................................39

PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO COM 15 OU MAIS ANOS SEM QUALQUER NÍVEL DE ESCOLARIDADE COMPLETO............................................40

PROPORÇÃO DE JOVENS COM IDADE 18-24 ANOS QUE COMPLETOU NO MÁXIMO O 3º CICLO E QUE NÃO ESTÁ A ESTUDAR......................41

PROPORÇÃO DE JOVENS COM IDADE 20-24 ANOS QUE COMPLETOU PELO MENOS O ENSINO SECUNDÁRIO ..............................................42

PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO COM IDADE 30-34 ANOS QUE COMPLETOU O ENSINO SUPERIOR ...................................................................43

PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO QUE COMPLETOU PELO MENOS O 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO.....................................................................44

PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO QUE COMPLETOU PELO MENOS O ENSINO SECUNDÁRIO ................................................................................45

PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO QUE COMPLETOU O ENSINO SUPERIOR ............................................................................................................46

POPULAÇÃO COM ENSINO SUPERIOR POR ÁREAS DE ESTUDO...........................................................................................................................47

POPULAÇÃO ATIVA....................................................................................................................................................................................................48

TAXA DE ATIVIDADE...................................................................................................................................................................................................49

TAXA DE EMPREGO DA POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA...........................................................................................................................................50

POPULAÇÃO DESEMPREGADA.................................................................................................................................................................................51

EMPREGO E DESEMPREGO POR RAMO DE ATIVIDADE E SEXO.............................................................................................................................52

DESEMPREGO E DESEMPREGO JOVEM...................................................................................................................................................................53

8 Resultados Definitivos
ANÁLISE DOS RESULTADOS
ALENTEJO

POPULAÇÃO DESEMPREGADA POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE...........................................................................................................................54

EMPREGO POR RAMO DE ATIVIDADE.......................................................................................................................................................................55

DURAÇÃO DO HORÁRIO DE TRABALHO SEMANAL . ..............................................................................................................................................56

ÍNDICE DE POLARIZAÇÃO DE EMPREGO ................................................................................................................................................................57

EVOLUÇÃO DAS FAMÍLIAS CLÁSSICAS ...................................................................................................................................................................58

FAMÍLIAS CLÁSSICAS UNIPESSOAIS ......................................................................................................................................................................59

NÚCLEOS FAMILIARES DE CASAIS COM FILHOS . .................................................................................................................................................60

NÚCLEOS FAMILIARES MONOPARENTAIS..............................................................................................................................................................61

NÚCLEOS FAMILIARES RECONSTITUÍDOS..............................................................................................................................................................62

FAMÍLIAS INSTITUCIONAIS A VIVER EM ESTABELECIMENTOS DE APOIO SOCIAL..............................................................................................63

EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS E ALOJAMENTOS.....................................................................................................................................64

DENSIDADE DE ALOJAMENTOS...............................................................................................................................................................................65

DIMENSÃO DOS EDIFÍCIOS.......................................................................................................................................................................................66

ÍNDICE DE ENVELHECIMENTO DOS EDIFÍCIOS.......................................................................................................................................................67

ESTADO DE CONSERVAÇÃO DOS EDIFÍCIOS...........................................................................................................................................................68

ACESSIBILIDADE AOS EDIFÍCIOS ............................................................................................................................................................................69

ALOJAMENTOS DE RESIDÊNCIA SECUNDÁRIA......................................................................................................................................................70

ALOJAMENTOS VAGOS..............................................................................................................................................................................................71

DIMENSÃO DOS ALOJAMENTOS FAMILIARES CLÁSSICOS OCUPADOS................................................................................................................72

INFRA-ESTRUTURAS DOS ALOJAMENTOS FAMILIARES CLÁSSICOS OCUPADOS...............................................................................................73

REGIME DE PROPRIEDADE DOS ALOJAMENTOS FAMILIARES CLÁSSICOS.........................................................................................................74

MÉDIA DE ENCARGOS COM O ALOJAMENTO OCUPADO PELO PROPRIETÁRIO...................................................................................................75

MÉDIA DE ENCARGOS COM O ALOJAMENTO OCUPADO PELO ARRENDATÁRIO.................................................................................................76

ESTRUTURA ETÁRIA DOS PROPRIETÁRIOS E ARRENDATÁRIOS...........................................................................................................................77

Resultados Definitivos 9
Quadros de resultados
ALENTEJO

1.01 POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMILIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS.........................95

1.02 POPULAÇÃO RESIDENTE EM 2001 E 2011, SEGUNDO OS GRUPOS ETÁRIOS E SUA EVOLUÇÃO ENTRE 2001 E 2011...........................104

1.03 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO E SEXO E TAXA DE ANALFABETISMO...........................106

1.04 POPULAÇÃO RESIDENTE ECONOMICAMENTE ATIVA (SENTIDO RESTRITO) E EMPREGADA,


SEGUNDO O SEXO E O RAMO DE ATIVIDADE E TAXAS DE ATIVIDADE.......................................................................................................108

1.05 POPULAÇÃO RESIDENTE E DESEMPREGADA (SENTIDO RESTRITO),


SEGUNDO A CONDIÇÃO DE PROCURA DE EMPREGO E SEXO, TAXAS DE DESEMPREGO (SENTIDO RESTRITO)...................................109

2.01 EDIFÍCIOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR PRINCIPAIS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO.......................................111

2.02 EDIFÍCIOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR TIPO DE EDIFÍCIO E NÚMERO DE ALOJAMENTOS...................................................112

2.03 EDIFÍCIOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR PRINCIPAIS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO...............................113

2.04 EDIFÍCIOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO..........................................................................................113

2.05 EDIFÍCIOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR NECESSIDADES DE REPARAÇÃO....................................................................114

2.06 EDIFÍCIOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR ESTADO DE CONSERVAÇÃO............................................................................114

2.07 EDIFÍCIOS CONSTRUIDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIR 3 OU MAIS ALOJAMENTOS,


SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR CONFIGURAÇÃO DO R/C...............................................................................................................115

2.08 EDIFÍCIOS CONSTRUIDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIR 3 OU MAIS ALOJAMENTOS,


SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR POSICIONAMENTO E ALTURA RELATIVA FACE AOS EDÍFICIOS ADJACENTES...............115

2.09 EDIFÍCIOS CONSTRUIDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIR 3 OU MAIS ALOJAMENTOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS,
POR ACESSIBILIDADE A PESSOAS COM MOBILIDADE CONDICIONADA E EXISTÊNCIA DE ELEVADOR..................................................116

2.10 EDIFÍCIOS SEGUNDO O NÚMERO DE ALOJAMENTOS,


POR EXISTENCIA DE SISTEMA DE RECOLHA DE RESÍDUOS URBANOS (RU)............................................................................................116

2.11 EDIFÍCIOS SEGUNDO O TIPO DE EDIFÍCIO POR EXISTÊNCIA DE SISTEMA DE RECOLHA DE RESÍDUOS URBANOS (RU).....................117

3.01 ALOJAMENTOS, FAMÍLIAS, PESSOAS RESIDENTES E PESSOAS PRESENTES, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO,
A FORMA DE OCUPAÇÃO DOS ALOJAMENTOS FAMILIARES CLÁSSICOS, O TIPO DE EDIFÍCIO ONDE SE SITUAM
ESTES ÚLTIMOS, QUANDO RESIDÊNCIA HABITUAL E A POPULAÇÃO SEM ABRIGO................................................................................119

3.02 ALOJAMENTOS, FAMÍLIAS, PESSOAS RESIDENTES E PESSOAS PRESENTES, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO...........................119

3.03 ALOJAMENTOS FAMILIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS..........................................................................................120

3.04 ALOJAMENTOS FAMILIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES( ÁGUA CANALIZADA,
BANHO/DUCHE, AR CONDICIONADO E SISTEMA DE AQUECIMENTO) EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS.............................................125

3.05 ALOJAMENTOS FAMILIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES EXISTENTES
(RETRETE, ÁGUA E SISTEMA AQUECIMENTO) NOS ALOJAMENTOS..........................................................................................................130

3.06 ALOJAMENTOS FAMILIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O AQUECIMENTO DISPONÍVEL
NO ALOJAMENTO E A PRINCIPAL FONTE DE ENERGIA UTILIZADA PARA AQUECIMENTO.....................................................................135

3.07 ALOJAMENTOS FAMILIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO FAMILIAR,
FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES, POR INSTALAÇÕES EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS.............................................135

3.08 ALOJAMENTOS FAMILIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O TIPO DE EDIFÍCIO
POR UTILIZAÇÃO DA PRINCIPAL FONTE DE ENERGIA PARA AQUECIMENTO..........................................................................................136

3.09 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, SEGUNDO A FORMA DE OCUPAÇÃO,


FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES, POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO ............................................................136

10 Resultados Definitivos
Quadros de resultados
ALENTEJO

3.10 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, SEGUNDO A FORMA DE OCUPAÇÃO,


FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES, POR TIPO DE EDIFÍCIO E NÚMERO DE ALOJAMENTOS...........................................137

3.11 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES, FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES, POR NÚMERO DE PESSOAS E FAMÍLIAS......138

3.12 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES POR ÁREA ÚTIL.......139

3.13 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DOS EDIFÍCIOS POR INSTALAÇÕES EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS...................................139

3.14 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DOS EDIFÍCIOS POR EXISTÊNCIA DE LUGAR DE ESTACIONAMENTO......................................140

3.15 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO A ENTIDADE PROPRIETÁRIA,
EXISTÊNCIA DE ENCARGOS POR COMPRA E PESSOAS RESIDENTES POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO............................140

3.16 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, DIVISÕES, FAMÍLIAS CLÁSSICAS,
PESSOAS RESIDENTES E INDICADORES DE OCUPAÇÃO...........................................................................................................................141

3.17 ÍNDICE DE LOTAÇÃO DOS ALOJAMENTOS FAMILIARES CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL . ............................142

3.18 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES
E A ÁREA ÚTIL POR OCUPANTE....................................................................................................................................................................143

3.19 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS PROPRIEDADE DOS OCUPANTES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,
SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES, POR GRUPO SOCIOECONÓMICO DO TITULAR DO ALOJAMENTO,
EXISTÊNCIA DE ENCARGOS POR COMPRA E RESPETIVOS ESCALÕES.....................................................................................................144

3.20 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS PROPRIEDADE DOS OCUPANTES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,
SEGUNDO A ÁREA ÚTIL DO ALOJAMENTO, POR GRUPO SOCIOECONÓMICO DO TITULAR DO ALOJAMENTO
EXISTÊNCIA DE ENCARGOS POR COMPRA E RESPETIVOS ESCALÕES.....................................................................................................151

3.21 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS PROPRIEDADE DOS OCUPANTES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,
SEGUNDO O ESCALÃO DE ENCARGOS, POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO....................................................................................................158

3.22 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS ARRENDADOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO O ESCALÃO DE RENDA POR ÉPOCA DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO............................................................................159

3.23 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS ARRENDADOS E SUBARRENDADOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES, FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES,
POR GRUPO SOCIOECONÓMICO DO TITULAR DO ALOJAMENTO E ESCALÕES DE RENDA.....................................................................168

3.24 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS ARRENDADOS E SUBARRENDADOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO O ESCALÃO DE RENDA, POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO ..........................................................................................................175

3.25 ALOJAMENTOS CLÁSSICOS DE RESIDÊNCIA HABITUAL SEGUNDO O REGIME DE PROPRIEDADE


E FORMA DE ARRENDAMENTO.....................................................................................................................................................................176

4.01 FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES NESTAS, SEGUNDO O ESCALÃO ETÁRIO


E A SITUAÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA, POR TIPO DE FAMÍLIA NA BASE DA ESTRUTURA ETÁRIA
DOS SEUS MEMBROS E NÚMERO DE CRIANÇAS........................................................................................................................................177

4.02 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A SUA DIMENSÃO E PESSOAS NAS FAMÍLIAS, POR TIPO DE FAMÍLIA.............................................178

4.03 FAMÍLIAS CLÁSSICAS SEGUNDO O ESTADO CIVIL LEGAL E O SEXO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA,
PELA CLASSE ETÁRIA DESTE........................................................................................................................................................................179

4.04 PESSOAS A VIVER EM FAMÍLIA CLÁSSICA, SEGUNDO O ESTADO CIVIL LEGAL E O SEXO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA,
PELA CLASSE ETÁRIA DESTE........................................................................................................................................................................179

4.05 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A SUA DIMENSÃO E PESSOAS NAS FAMÍLIAS,


POR NACIONALIDADE E SEXO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA............................................................................................................180

4.06 PESSOAS RESIDENTES EM ALOJAMENTOS FAMILIARES, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO


E O NÚMERO DE FAMÍLIAS CLÁSSICAS RESIDENTES, POR GRUPO SOCIOECONÓMICO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA..............184

Resultados Definitivos 11
Quadros de resultados
ALENTEJO

4.07 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A CLASSE ETÁRIA DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA, POR TIPO DE FAMÍLIA ...............................185

4.08 FAMÍLIAS CLÁSSICAS SEGUNDO O NÚMERO DE PESSOAS COM MENOS DE 15 ANOS,


ENTRE OS 15 E 64 ANOS E COM 65 OU MAIS ANOS, POR DIMENSÃO DA FAMÍLIA...................................................................................187

4.09 FAMILIAS CLÁSSICAS SEGUNDO A SUA DIMENSÃO E O NÚMERO DE PESSOAS COM 5 OU MAIS ANOS COM DIFICULDADES...........188

4.10 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO O NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO E O SEXO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA,
POR TIPO DE FAMÍLIA ...................................................................................................................................................................................189

4.11 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA


E O SEXO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA, POR TIPO DE FAMÍLIA........................................................................................................191

4.12 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO O GRUPO SOCIOECONÓMICO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA, POR TIPO DE FAMÍLIA..............193

4.13 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A SUA DIMENSÃO E PESSOAS NAS FAMÍLIAS POR GRUPO SOCIOECONÓMICO
E SEXO DO REPRESENTANTE DA FAMÍLIA .................................................................................................................................................197

4.14 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A SUA DIMENSÃO E PESSOAS NAS FAMÍLIAS PELO NÚMERO DE PESSOAS
COM ATIVIDADE ECONÓMICA E PESSOAS A CARGO ..................................................................................................................................198

4.15 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO OCUPADO COMO RESIDÊNCIA HABITUAL
E O REGIME DE PROPRIEDADE DOS ALOJAMENTOS CLÁSSICOS POR DIMENSÃO DAS FAMÍLIAS........................................................199

4.16 FAMÍLIAS CLÁSSICAS EM ALOJAMENTOS FAMILIARES, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO FAMILIAR OCUPADO,
O REGIME DE PROPRIEDADE E O TIPO DE OCUPAÇÃO DOS ALOJAMENTOS CLÁSSICOS E CONDIÇÕES DE HABITABILIDADE,
POR TIPO DE FAMÍLIA NA BASE DA ESTRUTURA ETÁRIA E NÚMERO DE CRIANÇAS..............................................................................200

4.17 FAMÍLIAS CLÁSSICAS, SEGUNDO A SUA DIMENSÃO E PESSOAS NAS FAMÍLIAS


POR NÚMERO DE PESSOAS COM ATIVIDADE ECONÓMICA E NÚMERO DE DESEMPREGADOS
(SENTIDO RESTRITO) NA FAMÍLIA................................................................................................................................................................201

4.18 FAMÍLIAS CLÁSSICAS SEGUNDO O NÚMERO DE DESEMPREGADOS (SENTIDO RESTRITO)


E A SITUAÇÃO PERANTE O DESEMPREGO, POR DIMENSÃO DO TIPO DE FAMÍLIA NA BASE DA ESTRUTURA ETÁRIA
DOS SEUS MEMBROS E NÚMERO DE CRIANÇAS........................................................................................................................................202

4.19 FAMÍLIAS INSTITUCIONAIS, SEGUNDO A CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA (SENTIDO RESTRITO)
DOS SEUS MEMBROS A DIMENSÃO DA FAMÍLIA INSTITUCIONAL E PESSOAS RESIDENTES,
POR TIPO DE ALOJAMENTO COLETIVO........................................................................................................................................................204

4.20 PESSOAS A VIVER EM FAMÍLIAS INSTITUCIONAIS, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO COLETIVO,


POR GRUPO ETÁRIO E SEXO . .......................................................................................................................................................................205

4.21 PESSOAS RESIDENTES SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR ESTATUTO DA PESSOA NA FAMÍLIA ..........................................................206

5.01 NÚCLEOS FAMILIARES, SEGUNDO O NÚMERO DE PESSOAS DO NÚCLEO, POR TIPO DE FAMÍLIA CLÁSSICA E DE NÚCLEO............207

5.02 NÚCLEOS FAMILIARES, SEGUNDO O NÚMERO DE FILHOS E TOTAL DE FILHOS, POR TIPO DE NÚCLEO E IDADE DOS FILHOS ......208

5.03 NÚCLEOS FAMILIARES, SEGUNDO O NÚMERO DE CRIANÇAS, TOTAIS DE FILHOS E DE CRIANÇAS NOS NÚCLEOS,
POR TIPO DE NÚCLEO E CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA (SENTIDO RESTRITO) DOS MEMBROS DO NÚCLEO.........209

5.04 NÚCLEOS FAMILIARES COM FILHOS, SEGUNDO O ESCALÃO ETÁRIO DO FILHO MAIS NOVO E TOTAL DE FILHOS,
POR TIPO DE NÚCLEO E CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA (SENTIDO RESTRITO) DOS MEMBROS DO NÚCLEO.........210

5.05 NÚCLEOS FAMILIARES COM FILHOS COM MENOS DE 6 ANOS, SEGUNDO O NÚMERO TOTAL DE FILHOS
NOS NÚCLEOS POR TIPO DE NÚCLEO.........................................................................................................................................................210

5.06 NÚCLEOS FAMILIARES MONOPARENTAIS, SEGUNDO O NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO DO PAI OU MÃE,
POR TIPO DE NÚCLEO E ESCALÃO ETÁRIO DO PAI OU MÃE......................................................................................................................211

5.07 NÚCLEOS FAMILIARES RECONSTITUÍDOS, SEGUNDO O ESCALÃO ETÁRIO DO FILHO MAIS NOVO,
TOTAL DE FILHOS NOS NÚCLEOS, POR TIPO DE NÚCLEO E CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA
(SENTIDO RESTRITO) DOS MEMBROS DO NÚCLEO....................................................................................................................................212

12 Resultados Definitivos
Quadros de resultados
ALENTEJO

5.08 NÚCLEOS FAMILIARES RECONSTITUÍDOS, SEGUNDO O NÚMERO DE FILHOS COMUNS E NÃO COMUNS,
POR TIPO DE RELAÇÃO CONJUGAL..............................................................................................................................................................212

5.09 PESSOAS RESIDENTES SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR ESTATUTO DA PESSOA NO NÚCLEO FAMILIAR . ......................................213

6.01 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO A DIMENSÃO DOS LUGARES, POPULAÇÃO ISOLADA, EMBARCADA,
CORPO DIPLOMÁTICO E SEXO, POR IDADE (ANO A ANO)..........................................................................................................................215

6.02 POPULAÇÃO RESIDENTE SEGUNDO A DIMENSÃO DOS LUGARES, POPULAÇÃO ISOLADA, EMBARCADA,
CORPO DIPLOMÁTICO E SEXO POR GRUPO ETÁRIO...................................................................................................................................219

6.03 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO E SEXO........................................220

6.04 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE COMPLETO E SEXO.....................................224

6.06 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR NATURALIDADE E SEXO..........................................................................228

6.07 POPULAÇÃO PORTUGUESA RESIDENTE, NASCIDA NO ESTRANGEIRO, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO,


POR PAÍSES DE NATURALIDADE E SEXO.....................................................................................................................................................234

6.08 POPULAÇÃO QUE JÁ RESIDIU NO ESTRANGEIRO, POR ANO DE CHEGADA A PORTUGAL


SEGUNDO O PAÍS DE PROVENIÊNCIA E SEXO.............................................................................................................................................238

6.13 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO OS PAÍSES DE PROVENIÊNCIA (RELATIVAMENTE A 31/12/2009),


POR PAÍSES DE NATURALIDADE..................................................................................................................................................................240

6.14 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO OS PAÍSES DE PROVENIÊNCIA (RELATIVAMENTE A 31/12/2005),


POR PAÍSES DE NATURALIDADE..................................................................................................................................................................244

6.16 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO A DIMENSÃO DOS LUGARES, POPULAÇÃO ISOLADA,


EMBARCADA E CORPO DIPLOMÁTICO , POR CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA, SEXO, E GRUPOS ETÁRIOS...............248

6.17 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O ESTADO CIVIL LEGAL E SEXO, POR GRUPO SOCIOECONÓMICO..............................................249

6.18 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O ESTADO CIVIL LEGAL E SEXO, POR VIVÊNCIA EM UNIÃO DE FACTO E GRUPO ETÁRIO.........250

6.19 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR GRUPO SOCIOECONÓMICO E SEXO........................................................251

6.20 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO A DIMENSÃO DOS LUGARES, POPULAÇÃO ISOLADA,


EMBARCADA E CORPO DIPLOMÁTICO POR GRUPO SOCIOECONÓMICO...................................................................................................253

6.21 POPULAÇÃO RESIDENTE COM 5 OU MAIS ANOS SEGUNDO O TIPO DE DIFICULDADE E SEXO,
POR GRAU DE DIFICULDADE SENTIDO........................................................................................................................................................255

6.22 POPULAÇÃO RESIDENTE COM PELO MENOS UMA DIFICULDADE COM 5 OU MAIS ANOS
SEGUNDO O TIPO E GRAU DE DIFICULDADE SENTIDO, POR NÚMERO DE DIFICULDADES POR PESSOA E SEXO...............................256

6.23 POPULAÇÃO RESIDENTE COM PELO MENOS UMA DIFICULDADE COM 5 OU MAIS ANOS
SEGUNDO O TIPO E GRAU DE DIFICULDADE SENTIDO POR GRUPO ETÁRIO E SEXO..............................................................................257

6.24 POPULAÇÃO RESIDENTE COM PELO MENOS UMA DIFICULDADE COM 15 OU MAIS ANOS,
SEGUNDO O TIPO E GRAU DE DIFICULDADE SENTIDO POR CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA E SEXO.......................259

6.25 POPULAÇÃO RESIDENTE COM PELO MENOS UMA DIFICULDADE COM 15 OU MAIS ANOS,
SEGUNDO O TIPO E GRAU DE DIFICULDADE SENTIDO POR PRINCIPAL MEIO DE VIDA E SEXO............................................................260

6.26 POPULAÇÃO RESIDENTE COM PELO MENOS UMA DIFICULDADE COM 15 OU MAIS ANOS
A VIVER EM EDIFÍCIOS CONSTRUÍDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIREM 3 OU MAIS ALOJAMENTOS
SEGUNDO O TIPO DE DIFICULDADE E SEXO, POR ACESSIBILIDADE A EDIFÍCIOS E EXISTÊNCIA DE ELEVADOR.................................261

6.27 POPULAÇÃO RESIDENTE, COM 15 OU MAIS ANOS, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO,


POR CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA (SENTIDO RESTRITO) NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO E SEXO................262

6.28 POPULAÇÃO RESIDENTE, COM 15 OU MAIS ANOS, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO,


POR CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA (SENTIDO RESTRITO) E SEXO..............................................................................264

Resultados Definitivos 13
Quadros de resultados
ALENTEJO

6.29 POPULAÇÃO RESIDENTE, COM 15 OU MAIS ANOS, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR PRINCIPAL MEIO DE VIDA E SEXO.................265

6.30 POPULAÇÃO RESIDENTE, COM 15 OU MAIS ANOS, SEGUNDO A CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA
(SENTIDO RESTRITO), POR PRINCIPAL MEIO DE VIDA E SEXO...................................................................................................................266

6.31 POPULAÇÃO RESIDENTE, COM ATIVIDADE ECONÓMICA, EMPREGADA SEGUNDO A SITUAÇÃO NA PROFISSÃO
E DESEMPREGADA (EM SENTIDO RESTRITO), POR GRUPO ETÁRIO E SEXO............................................................................................267

6.32 POPULAÇÃO RESIDENTE ATIVA, SEGUNDO O ESTADO CIVIL LEGAL E SEXO, POR GRUPO ETÁRIO E IDADE ANO A ANO....................268

6.33 POPULAÇÃO RESIDENTE EMPREGADA, SEGUNDO A SITUAÇÃO NA PROFISSÃO E SEXO, POR PROFISSÕES......................................270

6.34 POPULAÇÃO RESIDENTE EMPREGADA, SEGUNDO A SITUAÇÃO NA PROFISSÃO E SEXO,


POR RAMOS DE ATIVIDADE ECONÓMICA.....................................................................................................................................................274

6.35 POPULAÇÃO RESIDENTE EMPREGADA, SEGUNDO A SITUAÇÃO NA PROFISSÃO E SEXO,


POR RAMOS DE ATIVIDADE ECONÓMICA E HORAS DE TRABALHO NA SEMANA DE REFERÊNCIA........................................................283

6.36 POPULAÇÃO RESIDENTE EMPREGADA SEGUNDO GRUPOS DE PROFISSÕES.........................................................................................296

6.38 POPULAÇÃO RESIDENTE, EMPREGADA, SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO, POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE E SEXO.................................297

6.39 POPULAÇÃO RESIDENTE EMPREGADA, SEGUNDO O SETOR DE ATIVIDADE ECONÓMICA E SEXO,


POR SITUAÇÃO NA PROFISSÃO.....................................................................................................................................................................299

6.44 POPULAÇÃO RESIDENTE, EMPREGADA, E QUE EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 RESIDIA NO ESTRANGEIRO,


SEGUNDO A SITUAÇÃO NA PROFISSÃO E SEXO, POR GRUPO ETÁRIO......................................................................................................299

6.45 POPULAÇÃO RESIDENTE, DESEMPREGADA (EM SENTIDO RESTRITO), SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO,
POR PRINCIPAL MEIO DE VIDA E SEXO........................................................................................................................................................300

6.46 POPULAÇÃO RESIDENTE, DESEMPREGADA (EM SENTIDO RESTRITO), SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO,
POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE E SEXO........................................................................................................................................................301

6.47 POPULAÇÃO RESIDENTE, DESEMPREGADA (EM SENTIDO RESTRITO) E À PROCURA DE NOVO EMPREGO,
SEGUNDO A SITUAÇÃO NA ÚLTIMA PROFISSÃO E SEXO, POR RAMOS DE ATIVIDADE ECONÓMICA......................................................303

6.48 MULHERES RESIDENTES COM FILHOS SEM ATIVIDADE ECONÓMICA,


SEGUNDO O GRUPO ETÁRIO POR CONDIÇÃO PERANTE A ATIVIDADE ECONÓMICA E ESTADO CIVIL....................................................312

6.49 POPULAÇÃO RESIDENTE COM 15 OU MAIS ANOS, SEGUNDO A RESPOSTA À PERGUNTA SOBRE RELIGIÃO.......................................314

14 Resultados Definitivos
capítulo 1

Análise dos Resultados


unidades
territoriais
DIVISÃO ADMINISTRATIVA
Unidades
2001 2011
territoriais

Subsecções 32 057 28 904

Secções 3 937 1 473

Freguesias 390 392

Municípios 58 58

NUTS III 5 5

Nisa
Castelo de
Gavião Vide
Marvão
Golegã
Rio Maior Santarém Crato
Chamusca Portalegre
Alpiarça Alter do
Azambuja Chão
Ponte de Sor
Cartaxo Almeirim
Arronches
Salvaterra de Avis Fronteira
Magos Monforte Campo Maior
Coruche Sousel
Mora Elvas
Benavente
Estremoz
Arraiolos Vila
Viçosa Borba
Vendas Novas
Redondo
Montemor-o-Novo Alandroal
Évora

Viana do Reguengos de
Alcácer do Sal Alentejo Monsaraz
Mourão
Portel

Alvito
Grândola Cuba Vidigueira
Moura Barrancos
Ferreira do
Alentejo

Sines Santiago do Beja


Cacém Serpa
Aljustrel

Castro
Ourique Verde Mértola
Odemira

Almodôvar

Freguesias
0 30 Km Municípios
NUTS III

A região do Alentejo é constituída por 5 NUTS III, 58 municípios e 392 freguesias. Durante o período intercensitário
(2001-2011) foram criadas 2 novas freguesias: Boavista dos Pinheiros e Longueira/Almograve.

No âmbito das operações censitárias, há ainda necessidade de subdividir o País em unidades geográficas de menor
dimensão, as secções e subsecções estatísticas. A organização desta malha dá lugar à Base Geográfica de Referência
da Informação que corresponde à infra-estrutura fundamental de suporte à realização e divulgação dos Censos.

Em 2011 o número de subsecções é de 28 904 e o número de secções é de 1 473. Face a 2001, verificou-se um
decréscimo de 9,8% no número de subsecções e de 62,6% no número de secções.

Resultados Definitivos 17
evolução da população POPULAÇÃO
2001 - 2011

pOPULAÇÃO 2001 2011


rESIDENTE
Total H M Total H M

Alentejo 776 585 379 310 397 275 757 302 366 739 390 563

Portugal 10 356 117 5 000 141 5 355 976 10 562 178 5 046 600 5 515 578

Taxa de variação da população, 2001 - 2011 População residente


nos 10 municípios com mais população, 2011

População residente 2011 - População residente 2001 70 000


x 100
População residente 2001

60 000 2001

2011
50 000

40 000

Frequências 30 000
Municípios

20 000
2 11 18 14 11 2

10 000
Beja
Évora

Cartaxo

Almeirim

Elvas
Santarém

Portalegre
Benavente

Odemira
Santiago do Cacém

Percentagem
[10 ; 25]
[0 ; 10[
[-6 ; 0[
[-11 ; -6[
[-15 ; -11[
0 30 Km [-18 ; -15[
NUTS III

De acordo com os Censos 2011, a população residente na região do Alentejo é de 757 302 o que representa 7,2% da
população do país. Na sua maioria são mulheres, 390 563 sendo a população masculina de 366 739 pessoas.

Na última década a população da região do Alentejo diminuiu 2,5%, em 2001 era de 776 585 pessoas.

Dos 58 municípios que compõem a região, apenas treze não perderam população na última década.

Por sub-regiões, apenas a Lezíria do Tejo (+2,7%) ganhou população, resultante principalmente do aumento verificado
nos municípios de Benavente (24,8%), Salvaterra de Magos (9,9%), Almeirim (6,5%), Azambuja (4,7%), Cartaxo (4,6%)
e Rio Maior (0,4%).

A maioria do território da região do Alentejo perdeu população, muito embora as sub-regiões Alto Alentejo (-6,8%) e
o Baixo Alentejo (-6,2%) apresentem as maiores diminuições. Os municípios de Gavião (-15,4%), Mértola (-16,5%) e
Mourão (-17,6%) são os municípios da região que mais população perderam na última década.

18 Alentejo
POPULAÇÃO
POPULAÇÃO E TERRITÓRIO

População RESIDENTE em Lugares


2001 2011
com 2 000 ou mais Habitantes

Alentejo 398 116 408 587

Portugal 5 679 872 6 437 871

Densidade Populacional, 2011 População RESIDENTE em lugares


com 2 000 ou mais habitantes, 2011

População residente 2011

Área Km2

Frequências
Municípios

4 7 6 14 27

Habitantes
2 40000
Habitantes por Km
20000
[91 ; 155] 10000
[56 ; 91[
[34 ; 56[
[16 ; 34[
0 30 Km [6 ; 16[ 0 30 Km Municípios
NUTS III NUTS III

A região do Alentejo apresenta, em 2011, uma densidade populacional de cerca de 24,0 habitantes por Km2, muito
inferior à densidade média do país, 114,5 habitantes/km2. A maioria do território é pouco povoada, com exceção de
alguns municípios localizados na Lezíria do Tejo, cujo povoamento, mais densificado, contrasta com a região.

Cartaxo (154,7hab/km2), Santarém (111,0 hab/km2) e Almeirim (105,2 hab/km2) são os municípios da região com
maior densidade populacional. Estes indicadores contrastam com Mértola, cuja densidade populacional é a menor
do Alentejo, com 5,6 hab/km2.

O número de lugares com 2000 ou mais habitantes, na região do Alentejo, reduziu de 65 em 2001 para 61 em 2011.
Estes aglomerados concentram 54,0% da população residente, bastante abaixo do que se verifica a nível nacional,
com 61,0%.

Resultados Definitivos 19
POPULAÇÃO
ESTRUTURA ETÁRIA

Estrutura etária da população RESIDENTE por sexo, 2001 e 2011

(classes de idade)
100 ou +
95 ‐99 Homens Mulheres
90‐94
85‐89
80‐84
75‐79 2011
70‐74 2001
65‐69
60‐64
55‐59
50‐54
45‐49
40‐44
35‐39
30‐34
25‐29
20‐24
15 ‐19
10 ‐14
5 ‐9
0 ‐4

4 3 2 1 0 1 2 3 4 (%)

Na última década a região do Alentejo, à semelhança do país, não conseguiu inverter o desequilíbrio demográfico que
caracteriza a estrutura etária da população, caraterizada pela diminuição da população mais jovem e do aumento da
população com idade mais elevada.

Em 2011, a população entre 0-14 anos representa 13,6% enquanto em 2001 era de 13,7%. A região do Alentejo perde
população, essencialmente entre os 15 e os 29 anos. Em 2001 este grupo etário representava 19,6% e em 2011, 15,3%.
A população com 65 e mais anos regista na região o movimento contrário. Em 2001 era de 22,3% e em 2011 atinge os
24,2%.De sublinhar o acréscimo verificado na população com 70 e mais anos que em 2001 era de 15,5% da população,
enquanto em 2011 atinge os 18,5%.

20 Alentejo
POPULAÇÃO
JOVENS E IDOSOS

Estrutura etária da 2001 2011


população RESIDENTE
por sexo (%) Total H M Total H M
Jovens
Alentejo 13,73 14,41 13,09 13,57 14,39 12,80

Portugal 16,00 16,95 15,11 14,89 15,93 13,93

Idosos
Alentejo 22,34 20,16 24,43 24,16 21,31 26,84

Portugal 16,35 14,16 18,40 19,03 16,69 21,17

Percentagem de jovens, 2011 Percentagem de idosos, 2011

População
População 0 - 14 anos com 65 ou mais anos
x 100 x 100
População residente População residente

Frequências Frequências
Municípios Municípios

7 15 17 11 8 11 12 20 14 1

Percentagem Percentagem
[15.1 ; 17.7] [31.2 ; 40.8]
[13.4 ; 15.1[ [26.8 ; 31.2[
[12.1 ; 13.4[ [23.7 ; 26.8[
[10.5 ; 12.1[ [17.6 ; 23.7[
0 30 Km [8.7 , 10.5[ 0 30 Km [16.0 ; 17.6[
NUTS III NUTS III

A percentagem de jovens na região do Alentejo praticamente não sofreu alteração na última década. Em 2011 atinge
os 13,6%, abaixo da média nacional, 14,9%. Na região, à semelhança do país, a percentagem de jovens do sexo
masculino é superior à do sexo feminino, respetivamente, 14,4% e 12,8%.

É na Lezíria do Tejo (14,7%) que se localiza o maior número de municípios com maior percentagem de jovens.
Benavente, com 17,7% é o município com maior proporção de jovens da região do Alentejo. Em contrapartida é no Alto
Alentejo e no Baixo Alentejo que se situam os municípios com menor percentagem de jovens. Gavião, Mértola, Nisa,
Crato e Marvão, apresentam uma estrutura da população com poucos jovens, com valores entre os 8,7% e 9,5%.

A população idosa aumentou na última década e representa, em 2011, 24,2% da população do Alentejo, acima da
média nacional que é de 19,0%. Os municípios do Gavião (40,8%), Nisa (37,9%) e Crato (35,1%), todos localizados no
Alto Alentejo, têm a maior percentagem de idosos na população.

Resultados Definitivos 21
POPULAÇÃO
índice de envelhecimento

Índice de 2001 2011


População envelhecimento
com 65 ou mais anos Total H M Total H M
x 100
População 0 - 14 anos Alentejo 162,69 139,91 186,63 178,05 148,11 209,66

Portugal 102,23 83,56 121,78 127,84 104,77 151,98

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

11 7 12 13 14 1 3 9 13 13 17 3

Índice Índice
[271 ; 471] [56 ; 101]
[231 ; 271[ [43 ; 56[
[201 ; 231[ [27 ; 43[
[170 ; 201[ [14 ; 27[
[100 ; 170[ [0 ; 14[
0 30 Km [90 ; 100[ 0 30 Km [-23 ; 0[
NUTS III NUTS III

O envelhecimento da população verificado na última década, ocorreu de forma generalizada em todo o país. Na região
do Alentejo o índice passou de 163 para 178 idosos por cada 100 jovens.

Em Portugal este indicador passou de 102, em 2001 para 128 em 2011.

Em 2011, na região, com exceção de Benavente com cerca de 90, todos os municípios apresentam índices de
envelhecimento superiores a 100, o que significa que têm mais população idosa do que jovem.

É no Alto Alentejo que se localizam os municípios com índices mais elevados, Gavião e Nisa com cerca de 471 e 401,
respetivamente.

Na última década, todos os municípios do Alentejo, com exceção de Beja, Barrancos, Alpiarça e Monforte, agravaram o
respetivo índice de envelhecimento.

22 Alentejo
POPULAÇÃO
índice de LONGEVIDADE

Índice de 2001 2011


LONGEVIDADE População
Total H M Total H M com 75 ou mais anos
x 100
População
Alentejo 42,74 40,11 44,81 51,92 49,46 53,75
com 65 ou mais anos

Portugal 41,42 37,75 44,05 47,86 43,79 50,79

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

11 18 11 13 5 4 18 17 10 9

Índice Índice
[56.4 ; 63.8] [13.6 ; 17.3]
[53.9 ; 56.4[ [10.6 ; 13.6[
[51.4 ; 53.9[ [8.6 ; 10.6[
[47.8 ; 51.4[ [6.7 ; 8.6[
0 30 Km [42.7 ; 47.8[ 0 30 Km [3.2 ; 6.7[
NUTS III NUTS III

O índice de longevidade relaciona a população com 75 ou mais anos com o total da população idosa. Na região do
Alentejo, o índice de longevidade aumentou na última década, passando de 42,7 em 2001 para 51,9 em 2011. As
mulheres apresentam, em 2011, um índice de longevidade superior ao dos homens, 53,8 e 49,5 respetivamente.

Comparativamente com o país, o índice de longevidade da população na região do Alentejo é superior ao verificado
em termos nacionais, o qual para 2011 é de 47,9.

Alter do Chão, com 63,8 e Gavião, com 60,5 têm os índices de longevidade mais elevados da região, enquanto Cartaxo
(45,3) e Benavente (42,7) apresentam os valores mais baixos.

Na última década o índice de longevidade da população aumentou em todos os municípios da região. Alter do Chão e
Borba apresentaram os acréscimos mais acentuados na década, 17,3 e 15,6.

Resultados Definitivos 23
índice de REJUVENESCIMENTO POPULAÇÃO
DA POPULAÇÃO ATIVA

ÍNDICE DE REJUVENESCIMENTO
2001 2011
DA POPULAÇÃO ATIVA
População 20 - 29 anos
x 100
População 55 - 64 anos Alentejo 112,43 84,38

Portugal 143,05 94,34

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

7 15 8 8 13 7 2 12 14 15 12 3

Índice Índice
[100.0 ; 115.9] [0.0 ; 11.6]
[87.5 ; 100.0[ [-17.1 ; 0.0[
[83.1 ; 87.5[ [-24.6 ; -17.1[
[76.8 ; 83.1[ [-32.1 ; -24.6[
[66.4 ; 76.8[ [-45.5 ; -32.1[
0 30 Km [53.7 ; 66.4[ 0 30 Km [-52.8 ; -45.5[
NUTS III NUTS III

A região do Alentejo, de acordo com os resultados dos Censos 2011, apresenta um índice de rejuvenescimento da
população ativa de 84,4, inferior, ao observado para o país, 94,3.

Nos últimos 10 anos e à semelhança do país, o índice de rejuvenescimento na região, registou um quebra acentuada
de 28,0 pontos no índice que, em 2001 era de 112,4.

A diminuição do índice de rejuvenescimento da população ativa é também reflexo do desequilíbrio demográfico que tem
vindo a verificar-se. Na região do Alentejo, em 2011, apenas 7 municípios apresentam um índice de rejuvenescimento
igual ou superior a 100. O que significa que potencialmente há mais pessoas a entrar no mercado de trabalho do que
a sair. Nos restantes municípios o índice de rejuvenescimento é sempre inferior a 100. Crato com 54,6 e Nisa com
53,7 registam os valores mais baixos.

24 Alentejo
POPULAÇÃO índice de SUSTENTABILIDADDE
POTENCIAL

Índice de
2001 2011
sustentabilidade potencial População 15 - 64 anos

População
Alentejo 2,86 2,58
com 65 ou mais anos

Portugal 4,14 3,47

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

3 15 20 11 9 8 8 24 5 10 3

Índice
Índice [0.0 ; 0.2]
[3.3 ; 4.1] [-0.1 ; 0.0[
[2.6 ; 3.3[ [-0.3 ; -0.1[
[2.2 ; 2.6[ [-0.4 ; -0.3[
[1.8 ; 2.2[ [-0.6 ; -0.4[
0 30 Km [1.2 ; 1.8[ 0 30 Km [-0.9 ; -0.6[
NUTS III NUTS III

O índice de sustentabilidade potencial fornece uma medida do número de indivíduos em idade ativa por cada indivíduo
idoso. Na região do Alentejo este indicador diminuiu ligeiramente na última década, passando de 2,9 em 2001 para
2,6 em 2011.

O índice de sustentabilidade na região é bastante inferior ao verificado a nível nacional, 3,5 e reflete a importância da
população idosa, na estrutura etária da população da região do Alentejo.

É no Alto Alentejo e no Baixo Alentejo que se localizam os municípios com valores mais baixos do índice de
sustentabilidade. Mértola (1,6), Crato (1,6), Nisa (1,4) e Gavião (1,2) surgem com os menores índices.

Na situação oposta, encontram-se os municípios de Benavente (4,1), Sines (3,9) e Évora (3,3) com os valores mais
elevados.

O comportamento deste índice na última década revela que na maioria dos municípios se verificou uma diminuição.

Resultados Definitivos 25
ESTADO CIVIL E POPULAÇÃO
CONJUGALIDADE

2011

Total H M
Proporção da população casada
Alentejo 85,67 85,61 85,73

Portugal 87,09 87,01 87,17

Proporção da população em união de facto


Alentejo 14,33 14,39 14,27

Portugal 12,91 12,99 12,83

população RESIDENTE formas de conjugalidade


segundo o estado civil legal, 2011 da população, 2011

Viúvos
9% União de facto
Divorciados
6% 14%

Solteiros
38%

Casados
47%
Casada
86%

De acordo com os Censos 2011, 47,2% da população da região do Alentejo é casada, 38,1% solteira, 9,3% viúva e 5,3%
divorciada.

A distribuição da população de acordo com o estado civil legal nesta região é semelhante ao padrão nacional.

As uniões conjugais continuam a ser maioritariamente formalizadas através do casamento, 85,7%. Todavia as uniões
de facto representam, na região, 14,3% das uniões conjugais e ficam acima da média nacional (cerca de 13%).

É nos municípios do Alentejo litoral que as uniões de facto se encontram mais representadas. Grândola, Sines e
Odemira são os municípios da região com os valores mais elevados (acima de 20%). Nisa, Gavião e Crato encontram-se
na situação oposta, em que as uniões de facto são inferiores a 7%.

26 Alentejo
POPULAÇÃO GRAU E TIPO DE DIFICULDADE NA
REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DIÁRIAS

Taxa de prevalência 2011


na população RESIDENTE
COM 5 OU MAIS ANOS Total H M
População com 5 ou mais anos
Alentejo 20,85 16,97 24,48

Portugal 17,79 14,67 20,62

População com 65 ou mais anos


Alentejo 52,55 44,90 58,26

Portugal 49,51 41,71 55,14

tipo de dificuldade tipo de dificuldade na realização das atividades


na realização das atividades, 2011 da população com 65 ou mais anos, 2011

Compreender/fazer‐se  Compreender/fazer‐se 
entender
entender Ver
10%
10% Ver 20%
24%
Tomar banho/vestir‐se Tomar banho/vestir‐se
12% 14%

Ouvir
15%
Ouvir
Memória/concentração 14%
15% Memória/concentração
15%

Andar Andar
25% 26%

Cerca de 20,9% da população residente com 5 ou mais anos de idade na região do Alentejo, declarou ter muita
dificuldade, ou não conseguir realizar, pelo menos, uma das 6 atividades diárias (ver, ouvir, andar, memória/
concentração, tomar banho/vestir-se, compreender/fazer-se entender). A percentagem de mulheres nesta situação
é superior à dos homens, respetivamente 24,5% e 17,0%.

A região do Alentejo tem uma maior percentagem de população que revela dificuldades na realização das atividades
diárias, quando comparada com a média nacional, que é de 17,8%.

Na população idosa, a percentagem de pessoas com dificuldade na realização de pelo menos uma das atividades
diárias sobe para os 52,6%, também acima da média nacional, 49,5%.

A dificuldade em andar é a principal limitação manifestada pela população.

Resultados Definitivos 27
POPULAÇÃO DE NACIONALIDADE POPULAÇÃO
ESTRANGEIRA

População RESIDENTE
População residente
2001 2011
de nacionalidade estrangeira (%)
de nacionalidade estrangeira
x 100
População residente Alentejo 1,19 3,12

Portugal 2,19 3,74

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

4 16 15 17 6 3 7 13 33 2

Percentagem Pontos percentuais


[5.4 ; 9.2] [3.5 ; 6.4]
[3.0 ; 5.4[ [2.5 ; 3.5[
[2.0 ; 3.0[ [1.6 ; 2.5[
[1.3 ; 2.0[ [0.0 ; 1.6[
0 30 Km [0.6 ; 1.3[ 0 30 Km [-5.2 ; 0.0[
NUTS III NUTS III

À data da realização dos Censos 2011, a população estrangeira residente na região do Alentejo representa 3,1%,
ligeiramente abaixo da média do país, 3,7%.

A população estrangeira residente localiza-se predominantemente em alguns municípios da Lezíria do Tejo, no


Alentejo Litoral e em alguns municípios dispersos do Alto Alentejo e do Baixo Alentejo. Odemira, com 9,2% de
estrangeiros é o município da região do Alentejo com maior percentagem, seguido de Benavente com 7,1%.

Na última década a população estrangeira manteve-se sensivelmente a mesma, na maioria dos municípios. No
entanto, assinala-se a redução verificada em Moura (-1,2pp) e Mourão (-5,2pp) e o reforço a que se assistiu em
Odemira (6,4 pp) e Benavente (5,2 pp).

28 Alentejo
POPULAÇÃO ESTRUTURA ETÁRIA
DA POPULAÇÃO ESTRANGEIRA

Estrutura etária da população estrangeira residente na região de Alentejo, 2011


(classes de idade)

100 ou + Homens Mulheres


95 ‐99
90‐94
85‐89
80‐84
75‐79
70‐74
65‐69
60‐64
55‐59
50‐54
45‐49
40‐44
35‐39
30‐34
25‐29
20‐24
15 ‐19
10 ‐14
5 ‐9
0 ‐4
(%)
8 6 4 2 0 2 4 6 8

Pop estrangeira no Alentejo Pop portuguesa no Alentejo

A estrutura etária da população estrangeira residente no Alentejo é bastante diferente da estrutura etária da população
de nacionalidade portuguesa residente naquela região. A população portuguesa está mais representada nos grupos
etários mais jovens até aos 9 anos de idade.

A população estrangeira em idade ativa (15-64 anos) residente na região do Alentejo, representa 82,2% do total
de estrangeiros residentes na região, enquanto a população portuguesa, para o mesmo escalão etário, representa
apenas 61,6% do total da população portuguesa que reside na região do Alentejo. A população idosa de nacionalidade
estrangeira, tem uma expressão muito reduzida face à população de nacionalidade portuguesa, respetivamente, 4,4%
e 24,8%.

As principais comunidades estrangeiras a residir no Alentejo são: a brasileira (26,3%), a romena (14,5%), a ucraniana
(12,3%), a chinesa (4,9%) e a moldava (4,4%).

Resultados Definitivos 29
POPULAÇÃO
EMIGRANTES PORTUGUESES

População RESIDENTE de nacionalidade População RESIDENTE de nacionalidade


portuguesa que já residiu no estrangeiro portuguesa que já residiu no estrangeiro
( Último país onde residiu ) ( Ano de regresso a Portugal )
(ano de
entrada)

LUXEMBURGO 1,8 De 2006 a 2011 13,0

BELGICA 2,4
De 2001 a 2005 9,6
BRASIL 2,6

REINO UNIDO 4,2 De 1991 a 2000 21,7

ESPANHA 4,9
De 1981 a 1990 17,9
MOÇAMBIQUE 8,8

ALEMANHA 11,8 De 1971 a 1980 33,2

SUIÇA 13,2
De 1961 a 1970 3,8
ANGOLA 14,9

FRANÇA 20,5 Antes de 1961 0,8

0 5 10 15 20 25 (%)
0 10 20 30 40 (%)

% Em relação
ç ao total da p
população
p ç do Alentejo
j qque residiu no
estrangeiro % Em relação ao total da população do Alentejo que residiu no
estrangeiro

De acordo com os resultados dos Censos 2011, 9,2% da população portuguesa que vive na região do Alentejo já residiu
no estrangeiro, por um período contínuo de pelo menos 1 ano. Este indicador é bastante inferior à média nacional,
14,6%. Os principais países de destino da população emigrante que reside no Alentejo, tendo como referência o
último país de residência, são França (20,5%), Angola (14,9%), Suíça (13,2%) e Alemanha (11,8%).

É no período entre 1971-1980 que uma parte significativa, 33,2%, dos portugueses emigrantes atualmente residentes
na região do Alentejo, regressa a Portugal. Este facto está relacionado com o regresso de cidadãos portugueses das
designadas ex-colónias.

30 Alentejo
POPULAÇÃO
MOBILIDADE TERRITORIAL

Mobilidade territorial - percentagem da população RESIDENTE que mudou de residência

1,64
Mudou de país
0,61

5,97
Mudou de município
2,58 Há 5 anos

4,41 Há 1 ano
Mudou no mesmo município
2,04

10,37
Mudou na mesma freguesia
6,49

73,26
Não mudou de residência
87,28

4,36
Ainda não tinha nascido
1,00

0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
(%)

À data dos Censos 2011, 22,4% da população residente na região do Alentejo, indicou que tinha mudado de residência
nos últimos 5 anos e cerca de 11,7% referiu que tinha mudado de residência no último ano.

Da população que mudou de residência no último ano, 6,5% manteve-se na mesma freguesia, 2,6% mudou de
município de residência e 2,0% mudou de freguesia dentro do mesmo município.

Nos últimos 5 anos, as alterações de residência mais significativas continuam a ser dentro da mesma freguesia,
10,4% da população, enquanto a mudança de freguesia dentro do mesmo município representa 4,4%. As mudanças
de município de residência representam 6,0% e as de país 1,6%.

Resultados Definitivos 31
MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS POPULAÇÃO
NO TERRITÓRIO

População residente que 5 anos antes residia


noutra unidade territorial ou noutro país *
x 100
População residente na unidade territorial

* refere-se a 31 de Dezembro de 1995 e de 2005, respectivamente para os Censos 2001 e 2011

Taxa de atração total, 2001 Taxa de atração total, 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

3 7 17 17 14 4 16 10 16 12

Percentagem Percentagem
[10.7 ; 14.4] [10.7 ; 13.9]
[8.2 ; 10.7[ [8.2 ; 10.7[
[6.7 ; 8.2[ [6.7 ; 8.2[
[5.5 ; 6.7[ [5.5 ; 6.7[
0 30 Km [3.5 ; 5.5[ 0 30 Km [4.5 ; 5.5[
NUTS III NUTS III

Em 2011, 5,1% da população residente na região do Alentejo, não residia naquela região cinco anos antes, o que
traduz o efeito de atração da região, o qual se situa acima do país, que é de 2,0%.

Em 2011, as sub-regiões do Alentejo Litoral (7,3%) e da Lezíria do Tejo (7,0%) apresentam as taxas de atração mais
elevadas. Benavente (13,9%), Azambuja (13,5%), Alvito (12,7%) e Odemira (10,7%), representam os municípios com
maiores taxas de atração da região. O Alandroal é o município com menor taxa de atração, 4,5%.

Face a 2001, a taxa de atração da região do Alentejo aumentou sensivelmente, uma vez que era de 4,7%. No Alentejo
Litoral esse aumento é bem evidente, sobretudo em Odemira (3,4%).

32 Alentejo
POPULAÇÃO MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS
NO TERRITÓRIO

População residente que 5 anos antes residia


na unidade ou país e já não reside
x 100
População residente na unidade territorial

Taxa de repulsão interna, 2001 Taxa de repulsão interna, 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

1 9 14 22 12 3 12 23 15 5

Percentagem Percentagem
[7.5 ; 8.3] [7.5 ; 8.7]
[6.2 ; 7.5[ [6.2 ; 7.5[
[5.5 ; 6.2[ [5.5 ; 6.2[
[4.5 ; 5.5[ [4.5 ; 5.5[
0 30 Km [3.2 ; 4.5[ 0 30 Km [3.7 ; 4.5[
NUTS III NUTS III

Em 2011 a região do Alentejo, apresenta uma taxa de repulsão interna de 3,4%. Em 2001 a taxa de repulsão apresentada
pela região era de 3,0%.

Fronteira (8,7%), Mora (8,2%) e Beja (7,5%) fazem parte dos municípios que observam, em 2011, uma maior taxa de
repulsão. Serpa (3,9%), Arronches (3,9%) e Campo Maior (3,7%) surgem como aqueles que apresentam uma menor
taxa de repulsão.

A comparação entre 2001 e 2011, indica um aumento da taxa de repulsão na grande parte dos municípios e em
particular nas sub-regiões do Alentejo Central, Lezíria do Tejo e Alto Alentejo.

Resultados Definitivos 33
POPULAÇÃO
MOVIMENTOS PENDULARES

Percentagem da população Percentagem da população


que ENTRA na região, 2011 que SAI da região, 2011

População que trabalha ou estuda População que trabalha ou estuda noutra


numa unidade territorial e reside noutra unidade territorial e reside na unidade territorial
x 100 x 100
População residente População residente
na unidade territorial na unidade territorial

Frequências Frequências
Municípios Municípios

2 4 11 19 22 4 15 17 14 8

Percentagem Percentagem
[26.6 ; 46.9] [19.9 ; 23.3]
[15.5 ; 26.6[ [14.4 ; 19.9[
[9.0 ; 15.5[ [11.0 ; 14.4[
[6.0 ; 9.0[ [8.6 ; 11.0[
0 30 Km [3.2 ; 6.0[ 0 30 Km [6.0 ; 8.6[
NUTS III NUTS III

De acordo com os resultados dos Censos 2011, os fluxos de entrada nos municípios da região do Alentejo, por razões
de trabalho ou estudo, correspondem a 28 481 pessoas, o que equivale a 3,8% da população residente na região. O
número de pessoas que saem dos municípios da região para estudar ou trabalhar é superior, 41 301 pessoas, o que
representa cerca de 5,5% dos residentes da região do Alentejo.

Os grandes fluxos de saída de população da região concentram-se em municípios localizados na Lezíria do Tejo,
como Alpiarça (23,3%) e Golegã (23,2%). Nos fluxos de entrada de população destaca-se o município de Sines, que
regista um fluxo de entrada equivalente a 46,9% da sua população residente.

34 Alentejo
POPULAÇÃO
MOVIMENTOS PENDULARES

Movimentos pendulares (interações regionais), 2011

#
#

# #
#

# #
#

#
#
#
#
#

#
# #
#

#
#
#

#
#
#

# #
#

#
#

# #
#

#
#
# #

# Interações:
# Évora outras
#

762 - 3576
# 500 - 762
326 - 500
202 - 326
# Municípios com interações
0 20 Km Municípios
NUTS III

Em 2011 as interações municipais mais importantes da região, colocam em evidência a articulação entre as sub-
regiões do Alentejo Central e do Baixo Alentejo através dos polos de interação Évora-Beja. As restantes interações
encontram-se confinadas aos respetivos territórios de âmbito sub-regional como é o caso da articulação a partir de
Portalegre, Santarém ou Sines.

Resultados Definitivos 35
meio de transporte utilizado POPULAÇÃO
nos movimentos pendulares

meio de transporte utilizado transporte automóvel


nos movimentos pendulares, 2001 e 2011 variação 2001 - 2011

(meio de
transporte)
0,27
Outro
1,13

1,74
Motociclo ou
bicicleta 3,71

Comboio ou 1,09
metropolitano 0,90

Transporte coletivo 4,05


empresa/escola
7,04
Frequências
7,23 Municípios
Autocarro
9,02

Automóvel ligeiro 17,99


12 13 13 12 8
como passageiro
11,09

Automóvel ligeiro 45,51


como condutor
36,13

22,12
A pé
30,98
Pontos percentuais
[19.4 ; 22.7]
0 10 20 30 40 50 (%) [17.6 ; 19.4[
[15.6 ; 17.6[
[13.2 ; 15.6[
2011 2001 0 30 Km [10.6 ; 13.2[
NUTS III

De acordo com os Censos 2011, o automóvel é o meio de transporte utilizado por 63,5% da população da região do
Alentejo nas deslocações de casa para o trabalho ou de casa para o local de estudo. Na região do Alentejo a taxa de
utilização do automóvel fica ligeiramente acima da média do país, 61,6%.

Na última década, reforçou-se a utilização do automóvel como meio de transporte, em detrimento dos transportes
coletivos, designadamente do autocarro. Na região do Alentejo verificou-se um crescimento de 16,3 pp na utilização
do automóvel.

O recurso a transportes coletivos, designadamente o autocarro, perdeu importância nos últimos dez anos. Em 2001
o autocarro era utilizado por 9,0% da população nas deslocações casa/trabalho ou local de estudo e em 2011 passou
para 7,2%. A deslocação a pé, caiu igualmente na última década na região. Em 2001, as deslocações a pé para o local
de trabalho ou estudo abrangiam 31,0% da população. Em 2011, abrangem apenas 22,1%.

36 Alentejo
POPULAÇÃO Tempo médio
por deslocação pendular

Tempo médio por


2001 2011
deslocação pendular (min)

Alentejo 16,69 17,19

Portugal 21,40 20,02

tempo médio por deslocação, 2011 População por escalão de tempo


de deslocação, 2001 e 2011

(escalões de tempo de deslocação em minutos)

1,27
Mais de 90
1,47

2,24
De 61 a 90
2,31

8,26
De 31 a 60
Frequências 7,69
Municípios

7 12 14 14 11 23,61
De 16 a 30
24,01

64,62
Até 15
64,52

Minutos
[19.8 ; 23.1]
[17.6 ; 19.8[ 0 20 40 60 80 %
[16.1 ; 17.6[
[14.6 ; 16.1[
0 30 Km [11.8 ; 14.6[ 2011 2001
NUTS III

Em 2011, o tempo médio por deslocação pendular na região do Alentejo é de 17,2 minutos. Face à última década,
verificou-se uma ligeira redução, inferior a 1 minuto, em cada deslocação. Comparando com o tempo médio por
deslocação a nível nacional, cerca de 20 minutos, verifica-se que, em média a população residente na região do
Alentejo demora cerca de menos 2,8 minutos para chegar ao seu local de trabalho/estudo.

Em termos da região, a população que reside nos municípios da Lezíria do Tejo, demora mais tempo a chegar ao local
de trabalho ou estudo. Na Azambuja, o tempo médio por deslocação é de 23,1 minutos, em Salvaterra de Magos é de
22,7 minutos, e no Cartaxo é de 21,0 minutos. Na situação oposta encontram-se os residentes nos municípios de Sines
e Campo Maior que são aqueles que menos tempo demoram a chegar ao local de trabalho/estudo, respetivamente,
12,8 minutos e 11,8 minutos.

Por escalões de tempo de deslocação, verifica-se que 64,6% da população da região do Alentejo demora até 15
minutos e cerca de 23,6%, demora entre 16 e 30 minutos.

Resultados Definitivos 37
POPULAÇÃO
Taxa de analfabetismo

Taxa de 2001 2011


População com 10 ou mais anos analfabetismo
que não sabe ler e escrever Total H M Total H M
x 100
População com 10 ou mais anos Alentejo 15,86 12,48 19,06 9,57 7,16 11,80

Portugal 9,03 6,34 11,52 5,23 3,52 6,77

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

10 14 10 18 6 9 15 17 15 2

Percentagem Pontos percentuais


[14.0 ; 17.3] [-5.3 ; -4.0]
[12.5 ; 14.0[ [-6.4 ; -5.3[
[10.4 ; 12.5[ [-7.5 ; -6.4[
[6.5 ; 10.4[ [-9.7 ; -7.5[
0 30 Km [5.0 ; 6.5[ 0 30 Km [-10.2 ; -9.7[
NUTS III NUTS III

De acordo com os Censos 2011, a taxa de analfabetismo na região do Alentejo é de 9,6%, situando-se bastante acima
da verificada em termos nacionais, 5,2%.

Embora na última década se tenha assistido ao recuo da taxa de analfabetismo no país (-3,8 pp) e na região, em que
diminuiu 6,3 pp, o Alentejo continua a ser a região com uma das taxas de analfabetismo mais elevadas.

Entre a população feminina o analfabetismo é superior ao verificado entre a população masculina, 11,8% e 7,2%.

Nas NUTS III do Alentejo Litoral (11,6%), Baixo Alentejo (11,1%) e Alto Alentejo (11,0%) as taxas de analfabetismo são
mais elevadas e superiores à média da região do Alentejo.

Dos 58 municípios que integram a região do Alentejo, 38, apresentam taxas de analfabetismo superiores ou iguais a
10%. Monforte (17,3%), Arronches (16,5%) e Ourique (15,9%) apresentam as taxas de analfabetismo mais elevadas.
Benavente (5,3%) e Cartaxo (5,0%) surgem como os municípios com menores taxas de analfabetismo.

38 Alentejo
POPULAÇÃO Frequência do ensino
pré-escolar

Proporção de crianças 3-5 anos


2001 2011
a frequentar o ensino pré-escolar População 3-5 anos,
a frequentar o ensino pré-escolar
x 100
Alentejo 58,48 76,44
População 3-5 anos

Portugal 52,28 73,49

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

10 12 12 15 9 8 15 12 10 11 2

Pontos percentuais
Percentagem [24.9 ; 34.7]
[83.6 ; 87.2] [17.8 ; 24.9[
[80.0 ; 83.6[ [13.5 ; 17.8[
[76.5 ; 80.0[ [9.4 ; 13.5[
[71.3 ; 76.5[ [0.0 ; 9.4[
0 30 Km [66.7 ; 71.3[ 0 30 Km [-2.1 ; 0.0[
NUTS III NUTS III

De acordo com os resultados dos Censos 2011, 76,4% das crianças da região do Alentejo com idade entre os 3-5
anos, encontra-se a frequentar o ensino pré-escolar. Face a 2001 verificou-se um crescimento de 17,5pp .

A taxa de frequência do ensino pré-escolar na região é superior à média nacional que em 2011 é de 73,5%.

Os municípios em que se verificam as maiores taxas de frequência de ensino pré-escolar são Golegã, Mértola, Ourique
e Nisa, com valores iguais ou superiores a 87%.

Resultados Definitivos 39
Proporção dA População com 15 ou mais anos POPULAÇÃO
sem qualquer nível de escolaridade completo

Proporção da população com 15 ou mais anos


População com 15 ou mais anos
2001 2011
sem qualquer nível de escolaridade completo
sem qualquer nível de escolaridade completo
x 100
População com 15 ou mais anos Alentejo 25,97 15,48

Portugal 18,03 10,39

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

7 12 20 10 9 12 13 17 7 9

Percentagem Pontos percentuais


[21.6 ; 24.4] [-9.4 ; -7.4]
[19.4 ; 21.6[ [-10.7 ; -9.4[
[16.2 ; 19.4[ [-11.8 ; -10.7[
[13.0 ; 16.2[ [-13.5 ; -11.8[
0 30 Km [9.7 ; 13.0[ 0 30 Km [-16.4 ; -13.5[
NUTS III NUTS III

Em 2011, a proporção da população com 15 ou mais anos sem qualquer nível de escolaridade completo atinge na
região do Alentejo 15,5%, situando-se acima do verificado a nível nacional, 10,4%.

Embora na última década se tenha assistido a uma significativa diminuição da proporção de população sem qualquer
nível de ensino, em 2001 este indicador era 26,0%, continuam a verificar-se diferenças nítidas entre os municípios.
Os municípios localizados na Lezíria do Tejo, no Alentejo Litoral, e no Alentejo Central, apresentam menor proporção
da população com 15 ou mais anos, sem qualquer nível de escolaridade. Pelo contrário, é no Alto Alentejo e no
Baixo Alentejo que se localizam os municípios com elevadas taxas de população sem qualquer nível de escolaridade.
Exceção para os municípios que representam as capitais de distrito, Portalegre e Beja. Almodôvar com 24,4% e
Monforte com 23,9% têm as taxas mais elevadas da população sem qualquer nível de escolaridade. Benavente (9,8%)
e Évora (9,7%) apresentam as mais baixas.

40 Alentejo
POPULAÇÃO Proporção de jovens com idade 18-24 anos que completou
no máximo o 3º ciclo e que não está a estudar

Proporção de jovens 18-24 anos


que completou no máximo o 3º ciclo 2001 2011 População 18-24 anos que completou no
e que não estão a estudar máximo o 3º ciclo e que não está a estudar
x 100
Alentejo 32,81 23,12 População 18-24 anos

Portugal 33,37 22,08

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

9 11 22 11 5 5 14 16 12 11

Percentagem Pontos percentuais


[28.8 ; 35.8] [-4.8 ; -0.2]
[24.9 ; 28.8[ [-9.1 ; -4.8[
[21.9 ; 24.9[ [-11.9 ; -9.1[
[18.7 ; 21.9[ [-17.6 ; -11.9[
0 30 Km [14.3 ; 18.7[ 0 30 Km [-25.7 ; -17.6[
NUTS III NUTS III

De acordo com os resultados dos Censos 2011, a proporção da população da região do Alentejo com 18-24 anos que
já abandonou o sistema de ensino e que completou no máximo o 3º ciclo do ensino básico é de 23,1%.

Face à média nacional, 22,1%, a região do Alentejo aparece um pouco acima, muito embora este indicador tenha
recuado na última década, 9,7 pp a nível regional.

Entre 2001 e 2011 a percentagem da população que apenas completou no máximo o 3º ciclo e já abandonou o
sistema de ensino, diminuiu em todos os municípios da região do Alentejo destacando-se Barrancos (-25,7pp), com
o decréscimo mais expressivo.

Resultados Definitivos 41
Proporção de jovens com idade 20-24 anos POPULAÇÃO
que completou pelo menos o ensino secundário

Proporção de jovens 20-24 anos


População 20-24 anos
2001 2011
que completou pelo menos o ensino secundário
com pelo menos o ensino secundário completo
x 100
População 20-24 anos Alentejo 41,78 59,64

Portugal 44,04 60,80

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

7 14 20 12 5 4 14 12 22 6

Percentagem Pontos percentuais


[63.6 ; 76.4] [27.8 ; 40.4]
[59.9 ; 63.6[ [21.8 ; 27.8[
[55.8 ; 59.9[ [17.5 ; 21.8[
[49.4 ; 55.8[ [12.0 ; 17.5[
0 30 Km [43.3 ; 49.4[ 0 30 Km [5.1 ; 12.0[
NUTS III NUTS III

Em 2011 a proporção de jovens na Região do Alentejo, com idade entre os 20 a 24 anos, que completou pelo menos
o ensino secundário, é de 59,6%, abaixo da média nacional, 60,8%. Em 2001 o ensino secundário completo abrangia
apenas 41,8% dos jovens na região.

Barrancos (76,4%), Cuba (68,9%), Santarém (67,1%), Portalegre (67,1%), Castelo de Vide (65,6%) e Évora (65,4%) são
os municípios com maior proporção de jovens (20-24 anos) que completaram pelo menos o ensino secundário. Em
contrapartida Redondo (46,3%) e Mourão (43,3%) apresentam as proporções mais baixas.

Entre 2001 e 2011 este indicador aumentou em todos os municípios da região. Barrancos foi o município que registou
o aumento mais expressivo, 40,4 pp.

42 Alentejo
POPULAÇÃO Proporção da população com idade 30-34 anos que
completou o ensino superior

Proporção da população 30-34 anos


2001 2011
que completou o ensino superior População 30-34 com ensino superior
x 100
Alentejo 11,65 22,28 População 30-34 anos

Portugal 14,22 28,62

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

5 14 13 21 5 5 15 17 18 3

Percentagem Pontos percentuais


[24.7 ; 35.0] [15.2 ; 22.9]
[20.5 ; 24.7[ [10.8 ; 15.2[
[17.3 ; 20.5[ [8.7 ; 10.8[
[13.2 ; 17.3[ [5.2 ; 8.7[
0 30 Km [8.4 ; 13.2[ 0 30 Km [2.4 ; 5.2[
NUTS III NUTS III

De acordo com os Censos 2011, 22,3% da população da região do Alentejo com 30-34 anos, possui o ensino superior.
Em termos nacionais este indicador representa 28,6%, o que coloca a região abaixo da média do país.

Na última década, a população com ensino superior na região aumentou 10,6 pp. Em 2001, apenas 11,7% da população
da região nesta faixa etária, possuía um curso superior.

Portalegre (35,0%), Évora (32,3%), Beja (30,5%) e Santarém (30,0%) surgem com as percentagens mais elevadas
enquanto Gavião, com apenas 8,4%, regista o valor mais baixo.

Entre 2001 e 2011 aumentou, em todos os municípios, a proporção de licenciados com idade entre os 30-34.
Destacam-se os municípios de Santarém (+ 22,9pp) e Portalegre (+ 19,3pp) que observaram os maiores aumentos.

Resultados Definitivos 43
Proporção da população que completou POPULAÇÃO
pelo menos o 3º ciclo do ensino básico

Proporção da população que completou


População com 15 ou mais anos com pelo
2001 2011
pelo menos o 3º ciclo do ensino básico
menos o 3º ciclo do ensino básico
x 100
População com 15 ou mais anos Alentejo 31,17 44,28

Portugal 37,95 49,60

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

9 14 16 14 5 10 11 15 15 7

Percentagem Pontos percentuais


[47.3 ; 57.0] [15.0 ; 18.1]
[41.4 ; 47.3[ [13.4 ; 15.0[
[37.4 ; 41.4[ [12.2 ; 13.4[
[33.1 ; 37.4[ [10.9 ; 12.2[
0 30 Km [28.5 ; 33.1[ 0 30 Km [9.0 ; 10.9[
NUTS III NUTS III

Em 2011, 44,3% da população da região do Alentejo, com 15 ou mais anos completou pelo menos o 3º ciclo do ensino
básico. Este valor é inferior à média do país, 49,6%.

Na última década, verificou-se uma melhoria assinalável na percentagem da população que passou a ter pelo menos
o 3º ciclo do ensino básico. Em termos nacionais este crescimento foi de 11,7 pp e a nível da região foi de 13,1 pp.

Em termos regionais, apenas em 6 municípios a percentagem da população com pelo menos o 3º ciclo é igual ou
superior a 50%: Évora, com o valor mais elevado, 57,0%, Beja, Portalegre, Sines, Santarém e Benavente. Muito abaixo
deste indicador, surge o município do Gavião com apenas 28,5% da população com pelo menos o 3º ciclo completo.

44 Alentejo
POPULAÇÃO Proporção da população que completou
pelo menos o ensino secundário

Proporção da população que completou


2001 2011 População com 18 ou mais anos com pelo
pelo menos o ensino secundário
menos o ensino secundário
x 100
Alentejo 17,27 26,61 População com 18 ou mais anos

Portugal 22,67 31,69

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

9 13 15 16 5 8 13 19 12 6

Percentagem Pontos percentuais


[27.9 ; 39.6] [10.5 ; 13.1]
[23.9 ; 27.9[ [9.2 ; 10.5[
[20.8 ; 23.9[ [8.1 ; 9.2[
[17.6 ; 20.8[ [6.8 ; 8.1[
0 30 Km [12.7 ; 17.6[ 0 30 Km [4.2 ; 6.8[
NUTS III NUTS III

Em 2011, 26,6% da população da região do Alentejo com 15 ou mais anos completou pelo menos o ensino secundário.
Em termos nacionais este indicador é de 31,7%, o que coloca a região abaixo da média nacional.

Na última década a região do Alentejo, registou um aumento de 9,3pp na proporção da população com pelo menos o
ensino secundário completo. Em termos nacionais o crescimento foi muito semelhante, 9,0pp.

Évora (39,6%), Beja (34,7%), Portalegre (33,4%) e Santarém (33,4%) surgem como os municípios com maior
percentagem de população com pelo menos o ensino secundário completo. Abaixo da média da região, surgem 49
municípios, destacando-se o Gavião, com a menor percentagem da população com pelo menos o ensino secundário
completo, 12,7%.

Resultados Definitivos 45
Proporção da população POPULAÇÃO
que completou o ensino superior

Proporção da população
População com 23 ou mais anos
2001 2011
que completou o ensino superior
com ensino superior
x 100
População com 23 ou mais anos Alentejo 5,78 10,94

Portugal 8,81 15,11

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

5 17 16 15 5 5 10 18 19 6

Percentagem Pontos percentuais


[12.0 ; 20.1] [6.1 ; 8.7]
[9.1 ; 12.0[ [4.9 ; 6.1[
[7.5 , 9.1[ [4.0 ; 4.9[
[5.9 ; 7.5[ [3.0 ; 4.0[
0 30 Km [4.0 ; 5.9[ 0 30 Km [2.1 ; 3.0[
NUTS III NUTS III

Na última década, praticamente duplicou a população com ensino superior no país e também na região do Alentejo. De
acordo com os Censos 2011, 10,9% da população da região possui ensino superior completo, em 2001 este indicador
era de 5,8%.

Em termos nacionais, a percentagem de licenciados com mais de 23 anos é 15,1%, o que coloca a região do Alentejo
abaixo da média nacional.

Évora (20,1%), Portalegre (17,6%), Beja (17,5%) e Santarém (16,3%) surgem como os municípios com maior
percentagem de licenciados da região, e acima da média nacional. Na situação oposta, encontra-se o município do
Gavião, com apenas 4,0% de licenciados com mais de 23 anos.

Salienta-se ainda que, na década 2001-2011, todos os municípios da região aumentaram a percentagem de licenciados.
O crescimento verificado foi maior nos municípios com maior percentagem de licenciados, que viram reforçada a sua
posição.

46 Alentejo
POPULAÇÃO População com ensino superior
por áreas de estudo

População por área de estudo


x 100
População com ensino superior

População RESIDENTE com ensino superior por área de estudo e sexo, 2011

(áreas de estudo)
Serviços de segurança
Protecção do ambiente
Serviços de transporte
Serviços aos particulares
Serviços sociais
Saúde
Ciências veterinárias
Agricultura, silvicultura e pescas
Arquitectura e engenharia da construção
Indústria de transformação e de tratamento
Engenharia e técnicas afins
Ciências informáticas
Matemática e estatística
Ciências físicas
Ciências da Vida
Direito
Comércio e administração
Jornalismo e informação
Ciências socias e do comportamento
Letras e ciências religiosas
Artes
Formação de professores e ciências da educação

0 5 10 15 20 25 30
(%)

Mulheres Homens

De acordo com os resultados dos Censos 2011, as áreas de formação superior da população da região do Alentejo
são a formação de professores, com 18,3% , o comércio e administração, com 12,5% e a saúde, também com 12,5%
dos diplomados.

A formação de professores é a área de formação superior mais representada nas mulheres, com 24,9%, seguindo-se
a área da saúde com 14,5% e o comércio e administração com 11,9%. Nos homens, o principal domínio de formação
é o comércio e administração, com 13,6%, a segunda área de formação é no domínio da engenharia e técnicas afins,
a par da agricultura e pescas com 10,4% cada.

Resultados Definitivos 47
POPULAÇÃO
População ativa

Estrutura etária da População ativa, 2011

(classes de idade)

100 e +

95 - 99 Homens Mulheres

90 - 94 Pop empregada
85 - 89 Pop ativa
80 - 84 Pop residente
75 - 79

70 - 74

65 - 69

60 - 64

55 - 59

50 - 54

45 - 49

40 - 44

35 - 39

30 - 34

25 - 29

20 - 24

15 - 19

6 4 2 0 2 4 6 (%)
% Em relação à população residente  no Alentejo com 15 ou mais anos

Na região do Alentejo a população ativa é de 342 654 indivíduos, dos quais 53,0% são homens e 47,0% mulheres. A
população ativa nesta região corresponde a apenas 6,8% do total da população ativa do país.

A população ativa representa cerca de 52,4 % da população residente na região com 15 ou mais anos, sendo a
proporção de população inativa para este grupo etário de 47,6%.

A população empregada na região do Alentejo ascende a 298 691 e é constituída maioritariamente por homens,
53,6%, representando as mulheres 46,4%.

48 Alentejo
POPULAÇÃO
Taxa de atividade

2001 2011
Taxa de atividade
Total H M Total H M População ativa
x 100
Alentejo 42,98 50,70 35,60 45,25 49,52 41,24 População residente

Portugal 45,94 52,93 39,42 47,56 51,59 43,87

maiores e menores taxas de atividade por município, 2011

60
50,90 50,86
48,89 47,77 47,58
50 45,25
38,58 38,19 37,67
Alentejo
40 35,36
33,13

30

20

10

0
Sines Benavente Évora Santiago  Cartaxo Marvão Crato Mértola Nisa Gavião
do Cacém

Em 2011, no Alentejo a taxa de atividade em sentido restrito é 45,2%, valor inferior ao registado em termos nacionais
(47,6%). A repartição por sexo, evidencia uma taxa de atividade mais elevada para os homens com 49,5%, face aos
41,2% para as mulheres.

As taxas de atividade mais elevadas registam-se nas sub-regiões do litoral, nomeadamente Lezíria do Tejo e Alentejo
Litoral com 46,6% e 46,2%, respetivamente. Destaque para os municípios de Sines, Benavente, Évora e Santiago do
Cacém que registam as taxas mais elevadas, com valores entre os 47,8 e os 50,9%.

Em contrapartida, as taxas de atividade mais baixas localizam-se predominantemente no interior. Alto Alentejo com
42,6% é a sub-região que observa o valor mais baixo. Nisa (35,4%) e Gavião (33,1%) são os municípios com as taxas
de atividade mais baixas.

Resultados Definitivos 49
Taxa de emprego da POPULAÇÃO
população em idade ativa

2001 2011
Taxa de emprego
População empregada Total H M Total H M
x 100
População com 15 ou mais anos Alentejo 48,24 58,00 39,06 45,63 50,95 40,74

Portugal 53,46 62,59 45,13 48,51 53,65 43,92

2011 VARIAÇÃO 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

10 14 17 16 1 11 12 13 14 6 2

Pontos percentuais
Percentagem [0.0 ; 2.6]
[48.0 ; 53.8] [-1.9 ; 0.0[
[44.2 ; 48.0[ [-3.3 ; -1.9[
[40.6 ; 44.2[ [-4.9 ; -3.3[
[34.2 ; 40.6[ [-8.1 ; -4.9[
0 30 Km [29.6 ; 34.2[ 0 30 Km [-12.3 ; -8.1[
NUTS III NUTS III

Em 2011, a taxa de emprego da população em idade ativa, na região do Alentejo, é de 45,6%, valor inferior ao verificado
no país (48,5%). À semelhança da estrutura nacional, também na região a taxa de emprego nos homens é superior à
das mulheres, 50,9% contra 40,7%.

Lezíria do Tejo e Alentejo Litoral são as sub-regiões que apresentam as taxas de emprego mais elevadas, com valores
de 47,7% e 47,1%, respetivamente. Destaque para Sines, Benavente e Évora, que registam os valores mais elevados,
sendo os únicos municípios da região com taxas de emprego superiores a 50%. Os valores mais baixos pertencem à
sub-região do Alto Alentejo, com o município do Gavião a registar o valor mínimo (29,6%).

Na última década, a taxa de emprego na região do Alentejo recuou 2,6 pp. Na generalidade dos municípios da região,
a taxa de emprego decresceu, tendo os municípios de Borba e Mourão registado os maiores decréscimos (-8,7pp e
-12,3pp, respetivamente). Apenas 11 dos 58 municípios da região assistiram a um reforço da taxa de emprego na
última década, registando Barrancos (2,6 pp) e Aljustrel (2,1 pp) os maiores acréscimos.

50 Alentejo
POPULAÇÃO
População desempregada

Taxa de desemprego (sentido restrito) por idade e sexo, 2011

(classes de idade)

60 e + 9,11 10,22

55 - 59 12,45 12,20

50 - 54 10,89 11,51

45 - 49 9,77 11,26

40 - 44 9,80 12,00

Mulheres
35 - 39 9,16 11,94
Homens
30 - 34 10,27 13,12

25 - 29 13,76 16,06

20 - 24 23,00 28,61

15 - 19 45,69 52,84

(%)
70 60 50 40 30 20 10 0 10 20 30 40 50 60 70

Em 2011, a taxa de desemprego em sentido restrito na região do Alentejo é de 12,8%, valor inferior ao verificado para
o conjunto do país (13,2%). À semelhança do verificado em termos nacionais, também na região o desemprego atinge
mais as mulheres 13,9%; nos homens o valor da taxa de desemprego é de 11,9%.

A taxa de desemprego tem maior incidência na população mais jovem. Entre os 15 e os 19 anos a taxa de desemprego
é de 48,6% e entre os 20 e os 24 é de 25,5%. Em todas as idades a taxa de desemprego das mulheres é superior à dos
homens, com exceção do grupo etário 55-59 anos.

Os municípios do interior apresentam, de um modo geral, taxas de desemprego mais elevadas. Mourão, Ponte de Sor
e Serpa são os municípios onde o desemprego tem maior expressão, com valores acima dos 20%. Por outro lado, os
valores mais baixos observam-se em Santiago do Cacém (9,1%), Vendas Novas (8,5%) e Montemor-o-Novo (8,3%).

Resultados Definitivos 51
Emprego e desemprego POPULAÇÃO
por ramo de atividade e sexo

Taxa de emprego Taxa dE desemprego (sentido restrito)


por ramo de atividade e sexo, 2011 por ramo de atividade e sexo, 2011

(Ramos de atividade)
(Ramos de atividade)

46,29 29,72
Outras de serviços Outras de serviços
20,42 9,45

9,96 11,79
Ativ.Financ.Imobilia… Ativ.Financ.Imobilia…
6,93 5,10

27,66 33,10
Comercio …. Comercio ….
28,07 25,71

0,89 1,28
Construção Construção
12,83 28,16

9,37 11,61
Indústria Indústria
19,28 19,59

5,84 12,52
Agricultura… Agricultura…
12,48 12,00

(%) (%)
0 10 20 30 40 50 0 10 20 30 40

Mulheres Homens Mulheres Homens

Em 2011, os sectores de atividade que empregam mais população na região do Alentejo são as “Outras atividades de
Serviços” com 32,4%, seguido do “Comércio, alojamento, transportes e comunicações” com 27,9% e da “Indústria”
com 14,7%. Face à estrutura nacional, a região destaca-se por uma maior representatividade das atividades ligadas
à agricultura.

Face a 2001, e acompanhando a tendência verificada a nível nacional, assistiu-se a uma terciarização da economia
regional, a par de uma perda da importância da agricultura.

Na região do Alentejo, os ramos de atividade económica mais afetados pelo desemprego são o “Comércio, alojamento,
transportes e comunicações” com 29,4%, seguido das “Outras atividades de Serviços” com 19,6% e da “Indústria”
com 15,6%. A taxa de desemprego na agricultura é de 12,3% situando-se 10 pp acima do valor registado em termos
nacionais.

52 Alentejo
POPULAÇÃO desemprego e
Desemprego jovem

2011

Total H M
Taxa de desemprego da população
Alentejo 12,83 11,92 13,86

Portugal 13,18 12,58 13,83

Taxa de desemprego da população jovem (15-24 anos)


Alentejo 28,98 26,60 31,93

Portugal 27,93 26,76 29,24

Taxa de desemprego (sentido restrito) da população jovem, 2011

Frequências
Municípios

14 9 12 14 9

Percentagem
[36.0 ; 47.4]
[31.4 ; 36.0[
[27.3 ; 31.4[
[23.9 ; 27.3[
0 30 Km [19.5 ; 23.9[
NUTS III

Na região do Alentejo a taxa de desemprego jovem (15-24 anos) é, em 2011, de 29,0%, valor superior ao observado
em termos nacionais, 27,9%. O desemprego para este grupo populacional é bastante mais elevado do que o registado
para o total da população.

À semelhança da taxa de desemprego total, também a taxa de desemprego jovem, afeta mais mulheres que homens,
31,9% contra 26,6%.

As taxas de desemprego jovem mais elevadas registam-se predominantemente nas sub-regiões do Alto Alentejo e
Baixo Alentejo. Mourão, Barrancos, Portalegre e Elvas são os municípios que registam os valores mais elevados,
entre os 47,4% e os 41,3%.

Em oposição, Ourique (20,9%) e Chamusca (19,5%) distinguem-se como os municípios com as taxas de desemprego
jovem mais baixas.

Resultados Definitivos 53
População desempregada POPULAÇÃO
por nível de escolaridade

Taxa de desemprego (sentido restrito) segundo o nível de escolaridade completo e sexo, 2011

(Nível de ensino 
completo)

0,04
Doutoramento
0,04

0,75
Mestrado
0,49

10,76
Licenciatura/Bacharelato
5,06

24,90
Secundário/Pós-secundário
17,08

26,26
3º ciclo
25,06

15,47
2º ciclo
21,15

17,43
1º ciclo
25,41

4,39
Sem nível de ensino
5,71

(%)
0 5 10 15 20 25 30

Mulheres Homens

Na região do Alentejo, a taxa de desemprego por nível de escolaridade mostra que o desemprego está mais
representado na população com o 3º ciclo do ensino básico (25,7%), seguido daquela que concluiu apenas o 1º ciclo
do ensino básico (21,4%). Dos desempregados da região 19,5% possui o ensino secundário e 8,6% completou um
curso superior.

Face aos valores registados para o total nacional, a região do Alentejo distingue-se essencialmente por apresentar
taxas de desemprego mais elevadas para a população com níveis de escolaridade mais baixos.

A estrutura por sexo evidencia algumas diferenças entre homens e mulheres. Os homens têm taxas de desemprego
mais elevadas que as mulheres para os níveis de escolaridade mais baixos. Pelo contrário, as mulheres registam
taxas de desemprego mais altas para os níveis de ensino a partir do 3º ciclo do ensino básico, inclusive. De referir,
que a taxa desemprego para as mulheres que possuem uma licenciatura (10,8%) é mais do dobro da registada nos
homens (5,1%).

54 Alentejo
POPULAÇÃO emprego por
Ramo de atividade

Ramo de atividade económica de especialização regional , 2011

Frequências
Municípios

55 1 0 0 0 2

Ramos de atividade
Agricultura e pescas
Industria
Construção
Comercio, alojamento, transportes e comunicações
Atividades financeiras, imobiliárias, e serviços às empresas
0 30 Km Outras atividades e serviços
NUTS III

A análise do ramo de atividade de especialização regional mostra que a “Agricultura, Silvicultura, Caça e Pesca”
aparece como o setor de especialização da generalidade da região do Alentejo, abrangendo 55 dos 58 municípios
existentes na região.

Os municípios de Portalegre e Évora distinguem-se por apresentarem as “Outras atividades de serviços” como área
de especialização económica.

Sines, é o único município da região do Alentejo, a evidenciar como ramo de especialização as atividades económicas
ligadas à Indústria.

Resultados Definitivos 55
duração do horário de POPULAÇÃO
trabalho semanal

2001 2011
Duração do horário de trabalho semanal
Total H M Total H M
45 ou mais horas
Alentejo 17,17 22,95 9,64 17,07 22,95 10,78

Portugal 18,72 24,97 11,31 18,39 23,96 12,76

Menos de 30 horas
Alentejo 6,91 3,68 11,12 7,34 5,18 9,65

Portugal 7,89 4,50 11,91 8,17 5,66 10,71

Percentagem do tempo de trabalho semanal Percentagem do tempo de trabalho semanal


de 45 ou mais horas, 2011 de menos de 30 horas, 2011

População empregada por conta de outrém População empregada por conta de outrém
que trabalhou 45 ou mais horas que trabalhou menos de 30 horas
x 100 x 100
População empregada por conta de outrém População empregada por conta de outrém

Frequências Frequências
Municípios Municípios

6 16 18 13 5 5 22 19 10 2

Percentagem Percentagem
[18.8 ; 22.9] [8.6 ; 11.1]
[17.1 ; 18.8[ [7.2 ; 8.6[
[15.3 ; 17.1[ [6.3 ; 7.2[
[12.8 ; 15.3[ [4.5 ; 6.3[
0 30 Km [10.1 ; 12.8[ 0 30 Km [4.1 ; 4.5[
NUTS III NUTS III

Em 2011, a proporção de trabalhadores por conta de outrem com horário semanal de 45 ou mais horas é de 17,1%,
proporção inferior à registada em termos nacionais (18,4%). A duração média semanal de trabalho é superior no caso
dos homens com 23,0% a trabalhar 45 ou mais horas, nas mulheres esse valor é de 10,8%.

As maiores proporções de indivíduos que trabalham 45 ou mais horas encontram-se, predominantemente nos
municípios do litoral. Sines (22,9%) e Grândola (21,2%), no Alentejo Litoral, e Benavente (21,2%) e Rio Maior (20,0%)
na Lezíria do Tejo, registam os valores mais elevados.

Dos trabalhadores por contra de outrem, 7,3% trabalham semanalmente menos de 30 horas, valor inferior ao
verificado para o total do país (8,2%). As mulheres são o grupo mais representado com 9,6%, sendo a proporção de
homens com este tipo de horário apenas 5,2%.

Os horários mais reduzidos, menos de 30 horas de trabalho semanal, têm maior expressão nos municípios da
Azambuja (11,1%), Viana do Alentejo (9,7%) e Alvito (9,6%).

56 Alentejo
POPULAÇÃO Índice de
polarização de emprego

Índice de
2001 2011
polarização de emprego População empregada na unidade territorial
x 100
População residente e empregada
Alentejo 0,98 0,98
na unidade territorial

2001 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

1 9 6 24 15 3 2 5 7 24 16 4

Postos de trabalho Postos de trabalho


por empregado por empregado
[1.31 ; 1.51] [1.31 ; 1.89]
[1.07 ; 1.31[ [1.07 ; 1.31[
[1.00 ; 1.07[ [1.00 ; 1.07[
[0.88 ; 1.00[ [0.88 ; 1.00[
[0.78 ; 0.88[ [0.78 ; 0.88[
0 30 Km [0.74 ; 0.78[ 0 30 Km [0.69 ; 0.78[
NUTS III NUTS III

A região do Alentejo apresenta, em 2011, um índice de polarização de emprego de 0,98, o que revela um certo equilíbrio
entre a entrada de população para trabalhar na região e a saída de residentes para trabalhar fora da mesma. Na
última década, este indicador não sofreu alteração.

Em 2011, são 11 os municípios da região do Alentejo com potencial para atrair mão-de-obra. Sines, Castro Verde,
numa primeira linha e Azambuja, Évora, Beja, Santarém e Portalegre, numa segunda, são os municípios que registam
o índice de polarização de emprego mais elevado.

Por outro lado, Cartaxo, Alpiarça, Salvaterra de Magos e Cuba registam as maiores proporções de saída de população
para trabalhar noutros municípios.

Face a 2001, não se evidenciam alterações significativas no padrão de atração de emprego na região.

Resultados Definitivos 57
Evolução FAMÍLIA
das famílias clássicas

2001 2011

Famílias clássicas (número)


Alentejo 292 487 302 975

Portugal 3 650 757 4 043 726

Dimensão média
Alentejo 2,61 2,45

Portugal 2,81 2,58

Taxa de variação Dimensão média das famílias clássicas,


do número de famílias clássicas, 2001 - 2011 1991, 2001, 2011

Nº de famílias classicas 2011 - Nº de famílias clássicas 2001


x 100
Nº de famílias clássicas 2001

1 pessoa
35
% 30
25
20
15
5 ou mais
10 2 pessoas
pessoas
5
Frequências
Municípios 0

3 10 18 9 13 5

4 pessoas 3 pessoas

1991 2001 2011


Percentagem
[14.8 ; 29.2]
[6.0 ; 14.8[
[0.0 ; 6.0[
[-4.3 ; 0.0[
[-9.8 ; -4.3[
0 30 Km [-13.8 ; -9.8[
NUTS III

Entre 2001 e 2011 o número de famílias clássicas residentes na região do Alentejo aumentou 3,6 %, valor claramente
inferior ao registado a nível nacional (10,8%).

Os maiores crescimentos no número de famílias registam-se nos municípios do litoral, particularmente nas regiões
da Lezíria do Tejo e Alentejo Litoral.

Benavente (29,2%), Salvaterra de Magos (18,5%) e Sines (14,8%) registam os maiores acréscimos no número de
famílias clássicas. Em contrapartida, registou-se uma diminuição do número de famílias em alguns municípios do
interior, com maior incidência na sub-região do Alto Alentejo. Crato (-13,5%) e Gavião (-13,8%) foram os municípios
que registaram os decréscimos mais significativos.

A região do Alentejo tem, em média, famílias mais pequenas quando comparadas com o total nacional. A dimensão
média da família na região é de 2,4 pessoas, enquanto no país esse valor é de 2,6. Na última década, a região do
Alentejo, à semelhança do país, assistiu a uma diminuição na dimensão média da família.

58 Alentejo
FAMÍLIA Famílias clássicas
unipessoais

(%) 2001 2011


Famílias clássicas unipessoais
Alentejo 20,02 23,66

Portugal 17,30 21,44

Famílias clássicas com uma pessoa idosa


(65 ou mais anos) a viver sozinha
Alentejo 12,52 13,46

Portugal 8,79 10,06

Percentagem Percentagem de famílias clássicas


de famílias clássicas unipessoais, 2011 com uma pessoa idosa a viver sozinha , 2011

Nº de famílias clássicas
Nº de famílias clássicas com 1 pessoa com pessoa idosa sozinha
x 100 x 100
Nº de famílias Nº de famílias

Frequências Frequências
Municípios Municípios

7 9 17 16 9 5 11 24 12 6

Percentagem Percentagem
[27.2 ; 30.2] [18.4 ; 21.3]
[25.3 ; 27.2[ [15.9 ; 18.4[
[23.4 ; 25.3[ [13.6 ; 15.9[
[21.4 ; 23.4[ [11.5 ; 13.6[
0 30 Km [19.2 ; 21.4[ 0 30 Km [8.2 ; 11.5[
NUTS III NUTS III

Na região Alentejo a proporção de famílias unipessoais é de 23,7%, valor superior ao verificado em termos
nacionais (21,4%).
As proporções mais elevadas de famílias unipessoais registam-se nas sub-regiões Alentejo Litoral, Baixo Alentejo
e Alto Alentejo, distinguindo-se os municípios de Odemira e Mértola com os valores mais elevados, cerca de 30%.
Em oposição, é na Lezíria do Tejo que se situam a maior parte dos municípios com os menores valores para este
indicador. Salvaterra de Magos, Benavente e Campo Maior, com valores na ordem dos 19%, são os municípios que
observam as menores proporções de famílias unipessoais.
A proporção de famílias unipessoais constituídas por pessoas com 65 ou mais anos aumentou na última década na
região do Alentejo, situando-se em 2011 nos 13,5%. Este valor é superior ao registado a nível nacional (10,1%). As
famílias unipessoais constituídas por idosos estavam mais representadas nos municípios do interior, nomeadamente
nas sub-regiões Alto Alentejo e Baixo Alentejo. Destacam-se os municípios do Gavião, Mértola e Nisa com proporções
acima dos 20%.

Resultados Definitivos 59
Núcleos familiares FAMÍLIA
de casais com filhos

Núcleos familiares
2001 2011
de casais com filhos (%)
Núcleos de casais com filhos
x 100
Alentejo 60,50 53,94
Núcleos de casais

Portugal 64,76 58,79

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

4 14 17 13 10 3 23 6 9 13 4

Pontos percentuais
Percentagem [0.0 ; 0.7]
[57.7 ; 62.8] [-3.9 ; 0.0[
[55.2 ; 57.7[ [-4.6 ; -3.9[
[52.6 ; 55.2[ [-5.4 ; -4.6[
[48.4 ; 52.6[ [-7.1 ; -5.4[
0 30 Km [42.0 ; 48.4[ 0 30 Km [-8.7 ; -7.1[
NUTS III NUTS III

Em 2011, na região do Alentejo a proporção de núcleos familiares de casais com filhos é de 53,9%, enquanto no país
esta proporção se situa nos 58,8%.

Alentejo Central, Baixo Alentejo e Lezíria do Tejo são as sub-regiões que registam as maiores proporções de núcleos
familiares de casais com filhos. Barrancos, Campo Maior e Benavente são os municípios que apresentam os valores
mais elevados, entre os 62,8% e os 58,8%. Por outro lado, estes núcleos familiares assumem menor importância nos
municípios do Alto Alentejo, nomeadamente Alter do Chão (45,9%) e Gavião (42,0%).

Na última década e à semelhança do verificado em termos nacionais, também na região do Alentejo, este tipo de
estrutura familiar viu a sua importância reduzida. Entre 2001 e 2011 a proporção de casais com filhos recuou 6,6 pp
na região. Esta tendência foi verificada em praticamente todos os municípios da região, com exceção de Viana do
Alentejo, Monforte e Nisa.

60 Alentejo
FAMÍLIA Núcleos familiares
monoparentais

Núcleos familiares
2001 2011
monoparentais (%)
Núcleos monoparentais
x 100
Núcleos familiares Alentejo 9,70 13,22

Portugal 11,50 14,89

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

8 14 18 9 9 8 15 11 13 11

Percentagem Pontos percentuais


[14.2 ; 15.8] [4.8 ; 6.4]
[13.2 ; 14.2[ [3.8 ; 4.8[
[11.7 ; 13.2[ [3.2 ; 3.8[
[10.7 ; 11.7[ [2.1 ; 3.2[
0 30 Km [9.6 ; 10.7[ 0 30 Km [0.5 ; 2.1[
NUTS III NUTS III

Em 2011, na região do Alentejo os núcleos familiares monoparentais representam 13,2% do total de núcleos, enquanto
a nível nacional esse valor é de 14,9%. Face a 2001, esta proporção aumentou 3,5 pp na região, traduzindo-se num
aumento semelhante ao verificado no país.

As maiores proporções de núcleos familiares monoparentais registam-se no Baixo Alentejo e Alentejo Litoral,
destacando-se os municípios Barrancos, Beja e Ourique com proporções superiores a 15%. Em contrapartida, os
valores mais baixos observam-se em alguns municípios do Alto Alentejo e Alentejo Central, com o município de
Sousel (9,6%) a registar o valor mais baixo.

Na última década, a proporção de núcleos familiares monoparentais aumentou em todos os municípios da região.
Alter do Chão, Mourão, Ourique, Arronches e Alvito registaram os acréscimos mais expressivos, acima de 5 pp.

Resultados Definitivos 61
Núcleos familiares FAMÍLIA
reconstituídos

Núcleos familiares
2001 2011 Núcleos familiares
reconstituídos (%)
reconstituídos
x 100
Núcleos familiares
Alentejo 3,51 7,73
de casais com filhos

Portugal 2,69 6,55

2001 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

1 3 54 4 13 18 15 8

Percentagem
[9.6 ; 12.5]
Percentagem [8.0 ; 9.6[
[6.6 ; 7.2] [6.6 ; 8.0[
[5.2 ; 6.6[ [5.2 ; 6.6[
0 30 Km [1.5 ; 5.2[ 0 30 Km [2.8 ; 5.2[
NUTS III NUTS III

Em 2011, na região do Alentejo os núcleos familiares reconstituídos representam 7,7% do total de núcleos de casais
com filhos, valor superior ao verificado para o conjunto do país. Acompanhando a tendência verificada na última
década a nível nacional, no Alentejo os núcleos reconstituídos viram a sua importância reforçada em 4,2 pp.

Alentejo Litoral e Lezíria do Tejo são as sub-regiões que registam as maiores proporções de núcleos reconstituídos,
destacando-se os municípios de Grândola, Sines e Benavente, com valores entre os 12,5% e os 10,7%. Em contrapartida,
as menores proporções registam-se nas sub-regiões Alto Alentejo, Alentejo Central e Baixo Alentejo, com o valor
mais baixo a pertencer ao município de Barrancos (2,8%).

Face a 2001, assistiu-se a um reforço da importância dos núcleos reconstituídos em todos os municípios da região,
com Golegã (6,9 pp) e Grândola (6,0 pp) a registarem os acréscimos mais significativos.

62 Alentejo
FAMÍLIA famílias institucionais a viver em
estabelecimentos de apoio social

2001 2011

Famílias institucionais de apoio social


Alentejo 256 376

Portugal 2 162 3 219

População que vive em estabelecimentos de apoio social


Alentejo 9 382 11 719

Portugal 65 852 90 637

evolução do número de famílias número de pessoas a residir


INSTITUCIONAIS, 2001 - 2011 por sexo e idade, 2011
(classes de idade)

100 e +
95 - 99
Homens Mulheres

90 - 94
85 - 89
80 - 84
75 - 79
70 - 74
65 - 69
60 - 64
55 - 59
50 - 54 2011
Frequências
Municípios 45 - 49 2001
40 - 44
35 - 39
10 15 7 18 5 3 30 - 34
25 - 29
20 - 24
15 - 19
10 - 14
Percentagem 5-9
[133.3 ; 250.0]
[75.0 ; 133.3[
[40.0 ; 75.0[ 0-4
[0.0 ; 40.0[ (%)
[-33.3 ; 0.0[ 20 10 0 10 20
0 30 Km [-66.7 ; -33.3[
NUTS III
% Em relação à população residente em instituições sociais no Alentejo

Na região do Alentejo, o número pessoas a residir em estabelecimentos de apoio social, em 2011, é de 11 719, dos
quais 3 923 são homens e 7 796 mulheres.

A população a residir nestes estabelecimentos era essencialmente idosa, representando a população com 65 ou mais
anos 85,5%.

Face a 2001, o número de pessoas a residir em estabelecimentos de apoio social cresceu na região do Alentejo,
embora a um ritmo inferior ao verificado em termos nacionais.

Também o número de famílias institucionais a residir em estabelecimentos de apoio social cresceu na última década.
Em 2011, existem na região do Alentejo 376 famílias institucionais, quando em 2001 esse valor era de 256.

Resultados Definitivos 63
Evolução do número HABITAÇÃO
de edifícios e alojamentos

Número 2001 2011

Edifícios
Alentejo 349 946 383 866

Portugal 3 160 043 3 544 389

Alojamentos
Alentejo 423 641 471 739

Portugal 5 054 922 5 878 756

Taxa de variação dos edifícios 2001-2011 Taxa de variação dos alojamentos 2001-2011

Edifícios 2011 - Edifícios 2001 Alojamentos 2011 - Alojamentos 2001


x 100 x 100
Edifícios 2001 Alojamentos 2001

Frequências Frequências
Municípios Municípios

5 7 15 27 3 1 8 10 11 27 1 1

Percentagem Percentagem
[17.8 ; 32.1] [18.2 ; 31.2]
[14.3 ; 17.8[ [12.2 ; 18.2[
[9.0 ; 14.3[ [9.1 ; 12.2[
[0.0 ; 9.0[ [0.0 ; 9.1[
[-9.0 ; 0.0[ [-8.2 ; 0.0[
0 30 Km [-10.4 ; -9.0[ 0 30 Km [-9.0 ; -8.2[
NUTS III NUTS III

Na última década, assistiu-se a um crescimento do parque habitacional na região do Alentejo, a um ritmo inferior
ao verificado para o total nacional. Em 2011, foram recenseados na região do Alentejo 383 866 edifícios destinados à
habitação, o que representa um crescimento de 9,7% face a 2001. Em termos nacionais o número de edifícios cresceu
12,2%. Ao nível dos alojamentos a região do Alentejo registou um crescimento de 11,4%, inferior à variação nacional
que, na última década, foi de 16,3%.
Entre 2001 e 2011 verificou-se um crescimento no número de edifícios em todos os municípios da região, com exceção
de 4 municípios em que se assistiu a decréscimos: Estremoz (-0,2%), Montemor-o-Novo (-0,4%), Mértola (-9,0%) e
Barrancos (-10,4%). Os maiores crescimentos verificaram-se em Grândola (32,1%), Benavente (23,8%), Campo Maior
(22,8%) e Salvaterra de Magos (22,8%).
A variação no número de alojamentos tem um padrão algo semelhante à dos edifícios. Os municípios de Grândola
(31,2%), Benavente (28,2%) e Salvaterra de Magos (23,4%) destacam-se pelos maiores crescimentos no número de
alojamentos. Registam-se decréscimos no número de edifícios em Mértola (-9,0%) e Barrancos (-8,2%).

64 Alentejo
HABITAÇÃO Densidade
de alojamentos

Alojamentos clássicos/Km2 2001 2011


Alojamentos clássicos 2011

Km2 Alentejo 13,32 14,85

Portugal 54,47 63,54

Densidade de alojamentos clássicos, 2011

Frequências
Municípios

10 7 16 15 10

2
Alojamentos por Km
[33.0 ; 84.2]
[19.2 ; 33.0[
[11.3 ; 19.2[
[7.6 ; 11.3[
0 30 Km [5.6 ; 7.6[
NUTS III

Em 2011, existem na região do Alentejo 14,8 alojamentos por km2 o que representa uma densidade de alojamentos
clássicos cerca de 4 vezes inferior à verificada para o total do país (63,5). Face a 2001, a densidade de alojamentos na
região do Alentejo aumentou 1,5 alojamentos por Km2, enquanto no país esse valor foi de 9,1 alojamentos por Km2.

Regionalmente há diferenças bastante significativas entre os municípios, com a densidade de alojamentos a aumentar
na sub-região de Lezíria do Tejo. Cartaxo (84,2), Santarém (62,5) e Almeirim (54,9) são os municípios com os valores
mais elevados. Em contrapartida Monforte (5,6), Alcácer (5,9) e Avis (6,0) apresentam as densidades de alojamentos
mais baixas da região.

Resultados Definitivos 65
HABITAÇÃO
Dimensão dos edifícios

2001 2011

Alojamentos clássicos/edifício
Alentejo 1,20 1,23

Portugal 1,59 1,66

Pisos/edifício
Alentejo 1,34 1,36

Portugal 1,85 1,89

Alojamentos por edifício, 2011 Número médio de pisos por edifício,


em 1991, 2001 e 2011

1 piso
(%) 90
80
70
60
6 pisos ou mais 50 2 pisos
40
30
20
10
Frequências 0
Municípios

8 14 23 13 5 pisos 3 pisos

4 pisos
1991 2001 2011
Alojamentos por edifício
[1.4 ; 1.7]
[1.2 ; 1.4[
[1.1 ; 1.2[
0 30 Km [1.0 - 1.1[
NUTS III

Em 2011, na região do Alentejo existem, em média, 1,23 alojamentos por edifício. Este valor é inferior ao verificado
para o total nacional (1,66). Na última década, registou-se um ligeiro aumento no número médio de alojamentos por
edifício quer na região, quer no país.

Os municípios de Sines (1,74) e Portalegre (1,61) são os que apresentam a dimensão média do edifício mais elevada.
Em contrapartida, os valores mais baixos situam-se em Monforte e Mora, na sub-região do Alto Alentejo, em que os
edifícios têm, em termos médios, 1,01 alojamentos.

Relativamente ao número de pisos, os edifícios da região do Alentejo, têm em média, 1,36 pisos, valor inferior ao
verificado para o total do país (1,89).

Castelo de Vide (2,06), Portalegre (1,77) e Sines (1,75) são os municípios que registam o maior número de pisos
por edifício. Em contrapartida, Mértola (1,06), Vidigueira (1,11), Portel e Moura (ambos com 1,12) distinguem-se por
possuírem, em média, edifícios mais baixos.

66 Alentejo
HABITAÇÃO Índice de envelhecimento
dos edifícios

Índice de Envelhecimento
2001 2011
dos edifícios

Alentejo 155,50 291,24

Portugal 98,71 176,35

Índice de envelhecimento dos edifícios, 2011

Edifícios construídos até 1960


x 100
Edifícios construídos após 2001

Frequências
Municípios

4 9 12 13 19 1

Índice
[593.1 ; 886.2]
[452.0 ; 593.1[
[351.7 ; 452.0[
[267.1 ; 351.7[
[100.0 ; 267.1[
0 30 Km [68.3 ; 100.0[
NUTS III

O envelhecimento do parque habitacional da região do Alentejo é muito superior ao observado para o conjunto do
país. O índice de envelhecimento dos edifícios da região do Alentejo é de 291, enquanto no país esse valor é de 176.

Castelo de Vide, com um índice de envelhecimento de edifícios de 886, é o município com o parque habitacional mais
antigo da região. Serpa (783), Redondo (666) e Estremoz (593) integram também o conjunto dos municípios com o
parque habitacional mais envelhecido.

Neste indicador, destaca-se o município de Benavente (68) que apresenta o parque habitacional mais jovem da região,
sendo o único com um índice de envelhecimento dos edifícios inferior a 100.

Resultados Definitivos 67
Estado de conservação HABITAÇÃO
dos edifícios

2001 2011

Edifícios muito degradados


Alentejo 2,70 2,07

Portugal 2,92 1,67

Edifícios com necessidades de reparação


Alentejo 35,19 24,51

Portugal 37,95 27,25

Percentagem de edifícios Percentagem de edifícios


muito degradados, 2011 com necessidades de reparação, 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

9 10 18 14 7 8 19 17 12 2

Percentagem Percentagem
[3.3 ; 4.8] [28.0 ; 31.1]
[2.3 ; 3.3[ [24.3 ; 28.0[
[1.6 ; 2.3[ [20.8 ; 24.3[
[1.0 ; 1.6[ [15.1 ; 20.8[
0 30 Km [0.3 ; 1.0[ 0 30 Km [9.5 ; 15.1[
NUTS III NUTS III

Em 2011, dos edifícios recenseados na região do Alentejo, 24,5% têm necessidades de reparações e 2,1% encontram-se
muito degradados. Na região, a proporção de edifícios a necessitar de reparações é inferior à média nacional (27,2%),
no entanto, para os edifícios muito degradados o valor é superior.

Sousel (4,8%), Rio Maior (4,3%) e Marvão (4,2%) são os municípios com a maior proporção de edifícios muito
degradados; por outro lado, Barrancos (0,3%) e Campo Maior (0,5%) registam os valores mais baixos.

No que se refere aos edifícios a necessitar de reparações, Elvas, Marvão, Gavião e Cartaxo são, neste indicador, os
municípios com as proporções mais elevadas, com valores acima dos 30%. Barrancos, com 9,5% dos edifícios a
necessitar de reparações, regista o valor mais baixo da região.

68 Alentejo
HABITAÇÃO Acessibilidade
aos edifícios

(%) 2011
Edificios clássicos com acesso através de cadeira de rodas
Alentejo 40,48

Portugal 40,85

Edifícios clássicos com acesso através de cadeira de rodas


até ao alojamento
Alentejo 21,90

Portugal 29,76

Percentagem de edifícios clássicos com acesso Percentagem de edifícios clássicos que permitem
através de cadeira de rodas, 2011 a circulação de cadeiras de rodas até ao
alojamento, 2011
Edifícios clássicos com acesso Edifícios clássicos/acesso
x 100 x 100
Total edifícios construídos
Total edifícios clássicos
p/possuir 3 ou mais alojamentos

Frequências Frequências
Municípios Municípios

4 14 22 12 6 10 6 17 14 11

Percentagem Percentagem
[55.9 ; 76.7] [45.5 ; 76.5]
[43.5 ; 55.9[ [32.5 ; 45.5[
[31.0 ; 43.5[ [20.0 ; 32.5[
[23.5 ; 31.0[ [9.3 ; 20.0[
0 30 Km [15.5 ; 23.5[ 0 30 Km [0.0 ; 9.3[
NUTS III NUTS III

Em 2011, do total de edifícios recenseados na região do Alentejo, 40,5% têm entrada acessível a pessoas com
mobilidade através de cadeira de rodas, valor próximo ao obtido para o total nacional (40,8%).

Redondo (76,7%) e Alpiarça (66,7%) destacam-se como os municípios com os edifícios mais acessíveis. Em
contrapartida, Cuba, Fronteira e Barrancos, com valores inferiores a 20%, são os municípios onde a proporção de
edifícios acessíveis é mais baixa.

Relativamente à acessibilidade dentro do edifício, a proporção de edifícios que permite a circulação em cadeira de
rodas até ao alojamento é de 21,9% na região do Alentejo.

Neste indicador, Avis e Arronches destacam-se como os municípios com os alojamentos mais acessíveis, 76,5%
e 70,7%, respetivamente. Em sentido oposto, Almodôvar, Alandroal e Ourique, com proporções inferiores a 5,0%
registam os valores mais baixos. Viana do Alentejo e Monforte registam valores nulos, resultado do número residual
de edifícios construídos para possuírem 3 ou mais alojamentos familiares existentes nesses municípios.

Resultados Definitivos 69
Alojamentos de HABITAÇÃO
residência secundária

Alojamentos de
2001 2011 Alojamentos
residência secundária (%)
residência secundária
x 100
Alentejo 19,66 21,45 Alojamentos familiares clássicos

Portugal 18,42 19,34

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

13 9 15 13 8 6 10 16 11 14 1

Pontos percentuais
Percentagem [7.7 ; 10.8]
[34.2 ; 44.7] [4.9 ; 7.7[
[26.7 ; 34.2[ [2.1 ; 4.9[
[20.1 ; 26.7[ [0.0 ; 2.1[
[14.1 ; 20.1[ [-5.5 ; 0.0[
0 30 Km [7.3 ; 14.1[ 0 30 Km [-7.7 ; -5.5[
NUTS III NUTS III

Em 2011, foram recenseados na região do Alentejo 100 684 alojamentos de residência secundária, o que corresponde
a 21,5% do total de alojamentos familiares clássicos da região. Esta proporção é superior à observada para o total
do país (19,3%). Face a 2001, os alojamentos de residência secundária viram a sua importância relativa acrescida
em 1,8 pp na região, enquanto no país o reforço foi de 0,9 pp.

As maiores proporções de alojamentos de residência secundária registam-se nos municípios de Mértola, Crato,
Nisa e Monforte, em que as residências secundárias correspondem a mais de 40% do total de alojamentos. Os
valores mais baixos observam-se em Almeirim e Alpiarça, onde o peso das residências secundárias é inferior a
10%.

Na última década, a maioria dos municípios assistiu a um aumento da importância dos alojamentos de residência
secundária, destacando-se o Alandroal e Alcácer do Sal com crescimentos superiores a 10pp. Em contrapartida,
os decréscimos mais expressivos, foram observados em Campo Maior (-7,7pp) e Mértola (-5,5pp).

70 Alentejo
HABITAÇÃO
Alojamentos vagos

Alojamentos vagos (%) 2001 2011


Alojamentos vagos
x 100
Alojamentos familiares clássicos Alentejo 12,42 14,88

Portugal 10,83 12,55

2011 variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

5 9 20 19 5 4 11 16 7 15 5

Pontos percentuais
Percentagem [7.2 ; 13.6]
[19.5 ; 23.9] [4.6 ; 7.2[
[16.9 ; 19.5[ [2.3 ; 4.6[
[14.1 ; 16.9[ [0.0 ; 2.3[
[10.3 ; 14.1[ [-2.6 ; 0.0[
0 30 Km [6.8 ; 10.3[ 0 30 Km [-5.0 ; -2.6[
NUTS III NUTS III

Em 2011, foram recenseados na região do Alentejo 69 836 alojamentos vagos, representando 14,9% do parque
habitacional da região. Esta proporção é superior à observada a nível nacional (12,5%). Na última década, os
alojamentos vagos ganharam importância na região do Alentejo em 2,5 pp, a um ritmo superior ao registado
em termos nacionais (1,7pp).

Mora (23,9%) e Coruche (23,3%) são os municípios onde os alojamentos vagos estão mais representados. Em
contrapartida, Reguengos de Monsaraz, Monforte, Serpa e Barrancos registam as menores proporções de
alojamentos vagos, com valores inferiores a 10%.

Na última década, 37 dos 58 municípios da região observaram um reforço da importância dos alojamentos
vagos, destacando-se Mora (13,6 pp) e Coruche (10,1pp) com os acréscimos mais expressivos. Em oposição,
Monforte (-5,0pp) e Alter do Chão (-4,3pp) apresentaram a diminuição mais significativa na proporção de
alojamentos vagos.

Resultados Definitivos 71
Dimensão dos alojamentos HABITAÇÃO
familiares clássicos ocupados

Alojamentos familiares
2001 2011
clássicos

Número médio de divisões


Alentejo 4,53 5,03

Portugal 4,62 4,98

Área média útil (m ) 2

Alentejo 109,91

Portugal 109,09

Número médio de divisões, 2011 Área média útil dos alojamentos, 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

6 17 20 7 8 4 9 25 17 3

2
Divisões por alojamento m
[5.5 ; 5.8] [124.7 ; 134.0]
[5.2 ; 5.5[ [115.7 ; 124.7[
[5.0 ; 5.2[ [107.1 ; 115.7[
[4.9 ; 5.0[ [97.1 ; 107.1[
0 30 Km [4.7 ; 4.9[ 0 30 Km [91.6 ; 97.1[
NUTS III NUTS III

Em 2011, o número médio de divisões dos alojamentos da região do Alentejo é de 5,03, enquanto a média nacional
se situa nos 4,98. Na última década, assistiu-se a um aumento no número médio de divisões, quer na região quer no
total do país.

Os municípios de Nisa, Marvão e Crato registam o maior número de divisões por alojamento, com valores acima das
5,50 divisões por alojamento. Por outro lado, com uma média de 4,71 divisões por alojamento, Odemira regista o valor
mais baixo.

A dimensão dos alojamentos na região do Alentejo é semelhante à média nacional. Na região, a área média por
alojamento é de 110m2 enquanto o valor nacional se situa nos 109m2.

Vidigueira, Cuba e Mourão registam os valores mais elevados, tendo os alojamentos nestes municípios, em média,
uma área útil superior a 133 m2. Barrancos e Mértola, com áreas úteis do alojamento inferiores a 95 m2, são os
municípios onde os alojamentos têm menor dimensão.

72 Alentejo
HABITAÇÃO Infra-estruturas dos alojamentos
familiares clássicos ocupados

Alojamentos familiares clássicos


2001 2011
(%)

Sem pelo menos uma infra-estrutura básica


Alentejo 12,19 2,71

Portugal 8,79 1,92

Que dispõem de lugar de garagem


Alentejo 45,48

Portugal 53,96

alojamentos familiares clássicos sem possuirem alojamentos familiares clássicos que dispõem
pelo menos uma infra-estrutura básica: água de lugar de estacionamento, 2011
canalizada, sistema de esgotos, instalação de
banho ou duche, 2011 Alojamentos familiares clássicos
c/lugar de estacionamento
Alojamentos familiares clássicos ocupados x 100
s/pelo menos um tipo de infra-estrutura Alojamentos familiares clássicos
x 100
Alojamentos familiares clássicos

Frequências Frequências
Municípios Municípios

4 7 20 18 9 6 15 21 15 1

Percentagem Percentagem
[6.3 ; 9.5] [52.8 ; 65.7]
[3.9 ; 6.3[ [46.6 ; 52.8[
[2.5 ; 3.9[ [39.7 ; 46.6[
[1.5 ; 2.5[ [23.6 ; 39.7[
0 30 Km [0.6 ; 1.5[ 0 30 Km [17.7 ; 23.6[
NUTS III NUTS III

Em 2011, os alojamentos na região do Alentejo tinham uma cobertura de infraestruturas básicas (água canalizada,
sistema de esgotos e instalação de banho ou duche) inferior à média do país. No Alentejo, os alojamentos clássicos
que não têm pelo menos uma infraestrutura representam 2,7%, enquanto o valor para o país é de 1,9%.

Na última década, assistiu-se a uma melhoria muito significativa nas condições de habitabilidade. Em 2001, a
proporção de alojamentos sem pelo menos uma infraestrutura básica na região era ainda de 12,2%.

Mértola e Marvão, com 9,5% e 8,4%, respetivamente, são os municípios onde os alojamentos sem pelo menos uma
infraestrutura estão mais representados. Em oposição, Benavente com 0,6%, apresenta o valor mais baixo.

Na região do Alentejo 45,5% dos alojamentos possui lugar de estacionamento, valor inferior quando comparado à
média nacional (54,0%). Alpiarça, com 65,7%, regista a proporção de alojamentos com estacionamento mais elevada
e Barrancos com 17,7% observa o valor mais baixo.

Resultados Definitivos 73
Regime de propriedade dos HABITAÇÃO
alojamentos familiares clássicos

Alojamentos Familiares
2001 2011
clássicos (%)

Ocupados pelo proprietário


Alentejo 78,58 76,41

Portugal 75,71 73,24

Arrendados
Alentejo 15,28 14,86

Portugal 20,85 19,91

alojamentos familiares clássicos alojamentos familiares clássicos


ocupados pelo proprietário, 2011 arrendados, 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

7 17 17 12 5 8 11 15 17 7

Percentagem Percentagem
[84.2 ; 89.2] [20.5 ; 26.1]
[79.6 ; 84.2[ [14.7 , 20.5[
[75.1 ; 79.6[ [11.2 ; 14.7[
[69.3 ; 75.1[ [8.0 ; 11.2[
0 30 Km [66.3 ; 69.3[ 0 30 Km [4.8 ; 8.0[
NUTS III NUTS III

Na região do Alentejo, os alojamentos ocupados pelo proprietário representam 76,4%, valor superior ao verificado
para o total do país (73,2%). Na última década, assistiu-se a um ligeiro decréscimo neste indicador, quer na região
quer a nível nacional.

Os alojamentos ocupados pelo proprietário estão mais representados nos municípios de Nisa (89,2%), Gavião (89,1%)
e Crato (87,3%). Por outro lado, Évora (66,4%) e Montemor-o-Novo (66,3%) são os que apresentam os valores mais
baixos.

Os alojamentos arrendados na região do Alentejo representam 14,9% do total de alojamentos ocupados. A importância
relativa dos alojamentos arrendados é inferior na região quando comparada com o total do país (19,9%).

O município de Évora destaca-se pela maior proporção de alojamentos arrendados (26,1%), seguindo-se Elvas (24,9%)
e Portalegre (23,8%). Em oposição, o valor mais baixo regista-se em Gavião, onde apenas 4,8% dos alojamentos são
arrendados.

74 Alentejo
HABITAÇÃO Média de encargos com o alojamento
ocupado pelo proprietário

Encargos mensais por compra


2001 2011
do alojamento (euros)

Alentejo 233,46 352,34

Portugal 290,73 395,25

2011 Variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

6 13 14 21 4 5 10 24 12 7

Euros Euros
[391 ; 454] [168 ; 248]
[349 ; 391[ [131 ; 168[
[314 ; 349[ [107 ; 131[
[270 ; 314[ [85 ; 107[
0 30 Km [209 ; 270[ 0 30 Km [39 ; 85[
NUTS III NUTS III

Em 2011, o encargo médio mensal por compra do alojamento é de 352 euros na região do Alentejo, enquanto em
termos nacionais este valor se situa nos 395 euros. Face a 2001, a média de encargos aumentou 119 euros na
região, enquanto no país esse acréscimo foi de 105 euros.

É nos municípios de Chamusca (454 euros) e Salvaterra de Magos (442 euros) que se registam os valores mais
elevados dos encargos por compra. Em contrapartida, Barrancos, com 209 euros, é o município onde o encargo por
compra de habitação é mais baixo.

Na última década, Chamusca e Alter do Chão, com acréscimos superiores a 200 euros, foram os municípios onde
se registaram os maiores aumentos dos encargos por compra do alojamento. Por outro lado, Barrancos e Mourão
observaram os aumentos menos significativos; face a 2001, os encargos médios nestes municípios subiram 39 e
63 euros, respetivamente.

Resultados Definitivos 75
Média de encargos com o alojamento HABITAÇÃO
ocupado pelo arrendatário

Renda média mensal (euros) 2001 2011

Alentejo 97,02 201,06

Portugal 122,72 234,99

2011 Variação 2001 - 2011

Frequências Frequências
Municípios Municípios

14 12 9 14 9 13 14 14 8 9

Euros Euros
[215 ; 265] [114 ; 137]
[187 ; 215[ [94 ; 114[
[163 ; 187[ [74 ; 94[
[140 ; 163[ [61 ; 74[
0 30 Km [98 ; 140[ 0 30 Km [44 ; 61[
NUTS III NUTS III

Na região do Alentejo, o valor médio mensal da renda é, em 2011, de 201 euros, valor inferior ao observado para o
total do país (235 euros). Na última década, também o aumento do valor mensal da renda na região foi inferior ao
verificado no país, 104 euros contra 112 euros.

As rendas médias mais elevadas situam-se em Rio Maior e Benavente, 265 euros e 249 euros, respetivamente. Por
outro lado, Monforte com uma média de 98 euros e Marvão com 119 euros detêm os valores de renda mais baixos.

Redondo, Évora e Rio Maior, foram os municípios que, face a 2001, registaram os maiores acréscimos no valor
médio das rendas, com aumentos superiores a 130 euros. Por sua vez, Marvão e Monforte, com 44 euros e 50 euros
respetivamente, foram os municípios onde o valor da renda teve os aumentos menos significativos.

76 Alentejo
HABITAÇÃO Estrutura etária dos
proprietários e arrendatários

Estrutura etária dos proprietários, 2011 Estrutura etária dos arrendatários, 2011

(classes de  (classes de 
idade) idade)
90 ou + 90 ou +

85 ‐ 89 85 ‐ 89

80 ‐ 84 80 ‐ 84

75 ‐ 79 75 ‐ 79

70 ‐ 74 70 ‐ 74

65 ‐ 69 65 ‐ 69

60 ‐ 64 60 ‐ 64
Mulheres
55 ‐ 59 Mulheres 55 ‐ 59
Homens
50 ‐ 54 Homens 50 ‐ 54

45 ‐ 49 45 ‐ 49

40 ‐ 44 40 ‐ 44

35 ‐ 39 35 ‐ 39

30 ‐ 34 30 ‐ 34

25 ‐ 29 25 ‐ 29

20 ‐ 24 20 ‐
20 24

15 ‐ 19 15 ‐ 19
(%) (%)
10 5 0 5 10 10 5 0 5 10

Em 2011, na região do Alentejo, 58,9% dos proprietários de casa própria têm idade compreendida entre os 30 e os 64
anos. Os proprietários com 65 ou mais anos representam 38,2%, e os com idade inferior a 30 anos apenas 2,9%.

A estrutura etária dos arrendatários distingue-se por uma maior representação da população mais jovem. Os
arrendatários com idade inferior a 30 anos representam 11,3%, entre os 30 e os 64 anos estão 58,3% e os com 65 ou
mais anos 30,4%.

Resultados Definitivos 77
capítulo 2

Inquérito de qualidade
iNQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

2. INQUÉRITO DE QUALIDADE

2.1. NOTA INTRODUTÓRIA

O Inquérito de Qualidade dos Censos 2011 (IQ Censos 2011) pretendeu avaliar a qualidade da informação
produzida pelos Censos 2011, tanto no que se refere ao rigor da contagem das unidades estatísticas
inquiridas, como no que diz respeito à precisão da caracterização das populações em análise. Os resultados
do Inquérito de Qualidade não originam alterações nas bases de dados dos Censos 2011, mas permitem
medir a qualidade da operação censitária através da quantificação de duas categorias de erros: os erros de
cobertura e os erros de conteúdo. Neste sentido, pode considerar-se que os resultados do IQ Censos 2011
são o “certificado de qualidade” dos Censos 2011.
Uma vez que o Inquérito de Qualidade pode ser entendido como o melhor instrumento de medida final
da qualidade dos Censos 2011, o Conselho Diretivo do INE decidiu que a responsabilidade técnica e
metodológica desta importante operação estatística fosse atribuída a uma entidade independente e externa
ao INE, selecionada através de concurso público. Em concurso público realizado em 2009, foi selecionado
o consórcio formado pelo Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de
Lisboa (ISEGI-NOVA) e pela Qmetrics, SA para a execução deste projeto.
Assim, o IQ Censos 2011 tem como objetivos fundamentais a avaliação dos erros de cobertura das populações
em análise, designadamente Edifícios, Alojamentos Familiares, Famílias Clássicas e Indivíduos Residentes, e
a avaliação dos erros de conteúdo de um conjunto de variáveis incluídas nos questionários.
Neste capítulo, depois de uma síntese metodológica, apresentam-se os principais indicadores definitivos
relativos à avaliação dos erros de cobertura e dos erros de conteúdo ocorridos nos Censos 2011. Em publicação
posterior e autónoma serão apresentados, de forma detalhada, a metodologia e todos os resultados definitivos
do IQ Censos 2011.

2.2. SÍNTESE METODOLÓGICA

2.2.1. Introdução
O IQ Censos 2011 foi realizado, de forma independente, após o final da recolha de dados dos Censos 2011,
recorrendo a amostras probabilísticas de freguesias, de secções estatísticas e de alojamentos familiares.
Neste inquérito, que foi considerado como uma operação estatística autónoma, procedeu-se à reinquirição
de parte das unidades estatísticas observadas na operação censitária.
O IQ Censos 2011 foi um inquérito por amostragem que abrangeu todo o território nacional, sendo
representativo ao nível II da Nomenclatura das Unidades Territoriais para fins Estatísticos (NUTSII),
para o seguinte conjunto de variáveis: alojamento, família clássica, indivíduo residente, população ativa,
população empregada, população residente com 20 ou mais anos de idade, população residente por grupo
etário decenal entre os 20 e os 70 anos, nível de instrução (1.º, 2.º e 3.º Ciclos) e setores de atividade
(Secundário e Terciário).

Resultados Definitivos 81
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

Na avaliação dos erros de cobertura dos Edifícios e Alojamentos Familiares foi utilizada uma amostra de
secções estatísticas, enquanto na avaliação dos erros de cobertura das Famílias Clássicas e dos Indivíduos
Residentes, bem como na avaliação dos erros de conteúdo das variáveis incluídas nos questionários, foi
utilizada uma amostra de alojamentos. A amostra foi primeiramente estratificada por NUTSII, o que
permite garantir a obtenção de resultados fiáveis, pelo menos para o nível nacional e para as regiões
NUTSII. O processo contemplou, em cada estrato, uma amostra multi-etápica, com seleção sistemática,
com probabilidades desiguais proporcionais a determinadas variáveis auxiliares. Na primeira etapa foram
selecionadas freguesias, na segunda etapa foram selecionadas secções estatísticas e na terceira etapa
foram selecionados alojamentos familiares.
Para avaliar os erros de cobertura das unidades estatísticas Edifício e Alojamento Familiar foram selecionadas
290 secções estatísticas de um total de mais de 18.000 secções existentes no território nacional, as quais
representam cerca de 1,8% do total de alojamentos familiares recenseados nos Censos 2011. Para esse
efeito, cada secção estatística selecionada para a amostra foi percorrida exaustivamente de forma a se obter
o verdadeiro total de edifícios e de unidades de alojamento. Foram exaustivamente verificados quanto à
correta inclusão ou incorrecta omissão no recenseamento cerca de 63.000 edifícios e 104.000 alojamentos,
repartidos pelas 290 secções estatísticas. Para além disso, todos os edifícios da amostra de secções
corretamente recenseados foram observados relativamente às suas características, o que permitiu avaliar
os erros de conteúdo dessa unidade estatística com base numa amostra de grande dimensão. A distribuição
da amostra de secções estatísticas e de alojamentos por estrato está apresentada no quadro 1.

Dimensões populacionais e amostrais de secções estatísticas


Quadro 1
e de alojamentos, por NUTSII

Secções estatísticas Alojamentos familiares


Estrato (NUTSII)
Universo Amostra Recenseados Amostra
Norte 5 992 42 1 847 784 1 427
Centro 4 335 33 1 445 343 1 417
Lisboa 4 521 40 1 485 795 2 049
Alentejo 1 473 32 470 284 747
Algarve 1 016 84 378 349 2 727
R.A. Açores 342 36 109 439 1 333
R.A. Madeira 395 23 129 158 900
Total 18 074 290 5 866 152 10 600

Por questões de operacionalidade, foi decidido restringir as unidades estatísticas a considerar no IQ Censos
2011 às que se especificam de seguida:

- Edifício ocupado com pelo menos um alojamento familiar clássico ou alojamento familiar não clássico1;
- Alojamento familiar, clássico e não clássico;
- Família clássica, residente em alojamento familiar clássico e não clássico;
- Indivíduo, residente em alojamento familiar clássico e não clássico.

1
Alojamento familiar não clássico refere-se às modalidades barraca e casa rudimentar de madeira.

82 Resultados Definitivos
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

Portanto, na ínfima parte de unidades estatísticas excluídas do IQ Censos 2011 encontram-se:

- Edifícios ocupados unicamente com alojamentos coletivos2;


- Alojamentos coletivos;
- Alojamentos em “outro local habitado”;
- Famílias institucionais;
- Famílias clássicas residentes em alojamentos em “outro local habitado”;
- Indivíduos sem-abrigo;
- Indivíduos membros do corpo diplomático e suas famílias residentes no estrangeiro;
- Indivíduos embarcados;
- Indivíduos residentes em alojamentos coletivos;
- Indivíduos residentes em alojamentos em “outro local habitado”;
- Indivíduos presentes.

No quadro 2 apresenta-se a proporção de unidades estatísticas abrangidas pelo Inquérito de Qualidade


relativamente ao total de unidades estatísticas recenseadas.

Quadro 2 Percentagem de Unidades Estatísticas abrangidas pelo Inquérito de Qualidade

Total de unidades Unidades abrangidas Percentagem de


Unidade Estatística
estatísticas recenseadas pelo Inquérito de Qualidade unidades abrangidas

Edifício 3 544 389 3 538 656 99,8


Alojamento 5 878 756 5 866 002 99,8
Família 4 074 696 4 069 710 99,9
Indivíduo 10 562 178 10 430 253 98,8

Para avaliar os erros de cobertura relativamente às unidades estatísticas Família Clássica e Indivíduo
Residente, bem como para a avaliação dos erros de conteúdo das unidades estatísticas Alojamento Familiar,
Família Clássica e Indivíduo Residente, foram selecionados, na terceira etapa de seleção da amostra, cerca
de 10% dos alojamentos das 290 secções estatísticas, num total de 10.600 alojamentos. Nestes alojamentos,
procedeu-se a uma reobservação de todas as unidades estatísticas a eles afetas (reobservação de
características do Alojamento e de todas as Famílias e Indivíduos nele residentes), por referência ao momento
censitário (0 horas de 21 de Março de 2011), e posterior comparação com a informação do recenseamento
recolhida para o mesmo alojamento. A distribuição da amostra de alojamentos é igualmente apresentada no
quadro 1. Nesta etapa foram observadas cerca de 10.700 famílias e 28.250 indivíduos.
As secções estatísticas da amostra do Inquérito de Qualidade e as freguesias onde as mesmas se incluem,
apenas foram conhecidas pelas equipas de recolha, geridas pelo Departamento de Recolha de Informação do
INE, depois de em cada uma delas estar concluída a recolha de dados da operação principal (Censos 2011),
isto é, depois dos recenseamentos nessas áreas geográficas estarem concluídos.
No IQ Censos 2011 foram utilizados os mesmos questionários e os mesmos conceitos dos Censos 2011,
embora com restrição no número de questões às obrigatórias em termos comunitários (cerca de 50% do total
das questões colocadas nos Censos 2011). A recolha de dados no IQ Censos 2011 foi feita exclusivamente
através de entrevista pessoal, por equipas distintas das utilizadas nos Censos 2011.

2
Nos alojamentos coletivos encontram-se os hotéis, prisões, lares, hospitais, entre outros.

Resultados Definitivos 83
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

2.2.2. Erros de cobertura


Os erros de cobertura resultam de unidades estatísticas erradamente omitidas ou erradamente incluídas no
recenseamento. Assim, a avaliação dos erros de cobertura diz respeito a falhas do recenseamento devidas
a três tipos de situações:

- Existência de unidades estatísticas que não foram recenseadas mas que deveriam ter sido;
- Existência de unidades estatísticas que foram recenseadas mas que não deveriam ter sido;
- Existência de unidades estatísticas que foram duplamente recenseadas.

A quantificação dos erros de cobertura fez-se comparando os dados inicialmente recolhidos nos Censos
com os dados posteriormente recolhidos no Inquérito de Qualidade, sobre a mesma unidade estatística e
nas mesmas circunstâncias. O momento censitário foi a referência para ambas as observações, de modo a
que a informação fosse comparável. A deteção dos erros de cobertura relativos a Edifícios e a Alojamentos
Familiares foi alcançada através de novo recenseamento (recontagem exaustiva) destas unidades estatísticas,
nas áreas (secções estatísticas) pertencentes à amostra.
Por sua vez, a deteção dos erros de cobertura relativos a Famílias Clássicas e a Indivíduos Residentes
foi efetuada com base na reobservação de uma amostra de alojamentos, nas áreas (secções estatísticas)
pertencentes à amostra. Nesta amostra de alojamentos foram recontadas todas as unidades estatísticas
dessas duas populações. As diferenças encontradas na comparação das contagens resultantes dos Censos
com as estimativas produzidas através dos dados recolhidos pelo IQ Censos 2011, foram consideradas erros
cometidos no recenseamento nas respetivas unidades estatísticas.
As medidas de cobertura resultam da contagem de unidades estatísticas corretamente recenseadas,
erradamente omitidas ou erradamente incluídas. As unidades estatísticas erradamente omitidas referem-se
à existência de unidades estatísticas que não foram recenseadas mas que deveriam ter sido. Por sua vez,
as unidades estatísticas erradamente incluídas referem-se à existência de unidades estatísticas que foram
recenseadas mas que não deveriam ter sido ou que foram duplamente recenseadas.
O principal indicador de avaliação dos erros de cobertura é a Taxa de Cobertura Líquida, a qual é definida
como o índice obtido com base na Diferença Líquida. A diferença líquida corresponde à diferença entre o
número de unidades recenseadas (unidades corretamente recenseadas + unidades erradamente incluídas)
e o número de unidades que deveriam ter sido recenseadas (unidades corretamente recenseadas + unidades
erradamente omitidas), isto é, à diferença entre o que foi recenseado e o que deveria ter sido:

Taxa de Cobertura Líquida (%) = 100 + Diferença Líquida

Diferença Líquida (%) = [(n.º de unidades estatísticas erradamente incluídas – n.º de unidades estatísticas
erradamente omitidas) / n.º de unidades estatísticas recenseadas] x 100

2.2.3. Erros de conteúdo


Os erros de conteúdo resultam de falhas no preenchimento dos questionários, referentes às diferentes
unidades estatísticas no recenseamento, as quais podem afetar a qualidade da caracterização das populações
em estudo.

84 Resultados Definitivos
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

A quantificação dos erros de conteúdo, à semelhança dos erros de cobertura, fez-se pela comparação dos
dados recolhidos nos Censos com os dados recolhidos no Inquérito de Qualidade, sobre a mesma unidade
estatística e sobre as mesmas circunstâncias. O momento censitário foi também a referência para ambas
as observações, de modo a que a informação fosse comparável. As diferenças encontradas na comparação
das respostas dadas à mesma questão nos dois questionários “gémeos”, referentes a uma determinada
unidade estatística corretamente recenseada, foram consideradas erros de conteúdo no recenseamento
relativamente a essa variável caracterizadora da referida unidade estatística.
Para tornar mais clara a identificação dos erros de conteúdo, pode considerar-se a apresentação dos
resultados produzidos com base na comparação dos dados dos Censos com os do IQ Censos 2011 numa
tabela de dupla entrada, cujo esquema se apresenta no quadro 3. Para tal, considere-se as unidades
estatísticas corretamente incluídas nos Censos e observadas no IQ Censos 2011, bem como uma variável X
com k modalidades: M1, …, Mk. Para além disso, represente-se por nij a estimativa do número de unidades
estatísticas classificadas na modalidade Mi no Inquérito de Qualidade e recenseadas na modalidade Mj nos
Censos.

Quadro 3 Identificação de erros de conteúdo numa determinada variável

Inquérito de Censos
Qualidade
M1 M2 … Mj … Mk Total
M1 n11 n12 … n1j … n1k n1•
M2 n21 n22 … n2j … n2k n2•
… … … … … …
Mi ni1 ni2 … nij … nik ni•


Mk nk1 nk2 … nkj … nkk nk•


Total n•1 n•2 … n•j … n•k n

Como cada unidade estatística tem que ser classificada numa e numa só modalidade da variável em análise,
então se não existirem erros de conteúdo nas n unidades estatísticas corretamente recenseadas, a tabela
de dupla entrada terá valores nulos em todas as células fora da diagonal principal. Contudo, é importante
notar que numa situação em que nem todas as unidades estatísticas se classifiquem de igual modo nas
modalidades de uma variável nos Censos e no Inquérito de Qualidade, é possível que os erros de classificação
se compensem (no limite, na totalidade) entre modalidades. Na verdade, apesar de poderem existir unidades
estatísticas que não estão classificadas na mesma modalidade de uma particular variável nas duas operações
estatísticas, tal facto pode não afetar a qualidade da caracterização de uma população relativamente a essa
variável. Tendo em conta este princípio, pode definir-se o principal indicador de avaliação dos erros de
conteúdo, denominado por Índice de Consistência Líquida (ICL):

Resultados Definitivos 85
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

Este indicador de avaliação dos erros de conteúdo é definido em função do desvio líquido da resposta obtida
no recenseamento face à medida no Inquérito de Qualidade. Na verdade, o Índice de Consistência Líquida
corresponde ao complemento para 100 da percentagem de unidades estatísticas que não estão classificadas
nas mesmas modalidades das distribuições marginais de uma variável nos Censos e no IQ Censos. Este
índice só assume o valor 100 se as distribuições marginais forem iguais nas duas operações, isto é, se em
termos líquidos não se verificarem erros de conteúdo. Considere-se a título de exemplo a variável género.
Se os Censos produzirem um perfil nacional de 55% de mulheres e 45% de homens e se o IQ Censos estimar
a mesma distribuição, então o ICL será igual a 100, independentemente de poderem ter existido a nível
individual algumas classificações erradas que se compensaram. No entanto, se a estimativa do IQ Censos
apontar para 50% de mulheres e 50% de homens, então o ICL será igual a 90, evidenciando que a distribuição
marginal da variável nas duas operações não é a mesma.
Uma vez que a produção de indicadores de avaliação dos erros de conteúdo é baseada em tabelas de dupla
entrada, as quais podem ter um grande número de células resultantes da natureza das variáveis, então
decidiu-se proceder à agregação de modalidades ou à criação de classes em algumas variáveis selecionadas,
à semelhança do que foi feito em 2001. Esta decisão permite produzir estimativas (nij) com melhores níveis
de precisão (porque baseadas em amostras de maiores dimensões), mas também facilitar a posterior
apresentação de resultados.

2.3. PRINCIPAIS RESULTADOS

2.3.1 Introdução
Os resultados definitivos do Inquérito de Qualidade no que diz respeito aos erros de cobertura são apresentados
na Secção 2.3.2. Nesta secção são apresentadas estimativas relativas às Taxas de Cobertura Líquidas
verificadas nos Censos 2011, e respetivos erros padrão relativos3, para as principais unidades estatísticas
recenseadas, designadamente: Edifício, Alojamento Familiar, Família Clássica e Indivíduo Residente. Estes
resultados são apresentados em quadros até ao nível de NUTSII. A Taxa de Cobertura Líquida avalia a
percentagem de unidades estatísticas que se estima que existam a mais ou a menos do que o valor obtido
pelos Censos, isto é, a taxa de sobrecobertura ou de subcobertura de cada unidade estatística.
Na Secção 2.3.3 é apresentada uma síntese dos principais resultados definitivos relativos aos erros de
conteúdo, através do Índice de Consistência Líquida, para o conjunto do país, e para um conjunto alargado de
variáveis referentes a essas quatro unidades estatísticas. O Índice de Consistência Líquida avalia a qualidade
da caracterização de uma população relativamente a uma particular variável, independentemente de nessa
variável todas as unidades estatísticas se terem ou não classificado de igual modo nas duas operações
estatísticas.
A quantificação dos erros de cobertura e de conteúdo coloca à disposição dos utilizadores de informação
censitária, um conjunto de indicadores sobre o grau de fiabilidade relativamente à cobertura das populações
em estudo e à qualidade da caraterização dessas populações.

3
Erro Padrão Relativo = erro-padrão do estimador do quociente entre a diferença (líquida ou bruta) e o total de unidades recenseadas
multiplicado por 100.

86 Resultados Definitivos
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

2.3.2 Erros de cobertura

2.3.2.1 Edifício
Com base nos resultados do Inquérito de Qualidade dos Censos 2011, apresentados no quadro 4, estima-se
que foram recenseados 101,3% dos edifícios existentes em Portugal, isto é, estima-se que tenham sido
recenseados mais 1,3% do total de edifícios. Tendo em conta o valor do erro padrão dessa estimativa,
tem-se que o intervalo de confiança a 95% para o verdadeiro valor da taxa de cobertura líquida se situa entre
100,3% e 102,3%. Pode então afirmar-se, com um elevado grau de confiança, que se estima que exista uma
sobrecobertura dos edifícios recenseados em Portugal.
Numa análise por NUTSII, verifica-se que o Alentejo é a região onde o erro de cobertura líquido é menor
(estima-se que tenham sido recenseados mais 0,6% dos edifícios), enquanto o Algarve é a região que
apresenta o maior erro de cobertura (estima-se que a sobrecobertura seja de 2,1%). As restantes cinco
regiões apresentam taxas de cobertura líquida estimadas entre os 101,1% e os 101,8%, o que leva a concluir
que a sobrecobertura líquida dos edifícios recenseados se tenha observado em todas as regiões.

Taxas de Cobertura Líquidas e erros padrão


Quadro 4
relativos para a unidade estatística Edifício, por NUTSII

Taxa de Cobertura Líquida


Edifícios
Unidade (a)
% Erro padrão
NUTSII
Portugal 3 538 656 101,3 0,5
Norte 1 208 433 101,5 0,7
Centro 1 110 504 101,1 1,4
Lisboa 448 180 101,3 0,9
Alentejo 383 246 100,6 1,3
Algarve 198 007 102,1 1,1
R.A. Açores 98 597 101,2 0,4
R.A. Madeira 91 689 101,8 0,8

(a) Estes valores referem-se às unidades estatísticas efetivamente abrangidas pelo Inquérito de Qualidade.

2.3.2.2 Alojamento Familiar


Com base nos resultados apresentados no quadro 5, relativos aos erros de cobertura dos Alojamentos
Familiares, estima-se que foram recenseados 101,4% dos alojamentos existentes em Portugal, isto é,
estima-se que tenham sido recenseados mais 1,4% do total de alojamentos. Os resultados indicam, com
um elevado grau de confiança, que existe uma sobrecobertura líquida dos alojamentos recenseados em
Portugal, pois o intervalo de confiança a 95% para o verdadeiro valor da taxa de cobertura líquida situa-se
entre 100,6% e 102,2%.

Resultados Definitivos 87
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

O quadro 5 também mostra que todas as estimativas das taxas de cobertura líquidas ao nível das NUTSII são
superiores a 100%, o que denota também uma tendência para a sobrecobertura dos alojamentos recenseados
e que será naturalmente tributária da sobrecobertura observada ao nível dos edifícios. A NUTSII onde se
estima que a taxa de cobertura líquida dos alojamentos esteja mais próximo dos 100% é o Alentejo (100,2%).
A Região Autónoma dos Açores é, pelo contrário, a que apresenta a estimativa para a taxa de cobertura
líquida mais elevada (102,7%). As restantes cinco NUTSII apresentam estimativas de taxas de cobertura
líquidas entre os 100,9% (Região Autónoma da Madeira) e os 101,8% (Centro).

Taxas de Cobertura Líquidas e erros padrão


Quadro 5
relativos para a unidade estatística Alojamento Familiar, por NUTSII

Alojamentos Taxa de Cobertura Líquida


Familiares Unidade (a)
% Erro padrão
NUTSII
Portugal 5 866 002 101,4 0,4
Norte 1 847 766 101,5 0,5
Centro 1 445 306 101,8 1,2
Lisboa 1 485 775 101,2 0,8
Alentejo 470 257 100,2 1,1
Algarve 378 305 101,3 0,7
R.A. Açores 109 436 102,7 0,6
R.A. Madeira 129 157 100,9 0,5

(a) Estes valores referem-se às unidades estatísticas efetivamente abrangidas pelo Inquérito de Qualidade.

A sobrecobertura de edifícios e de alojamentos, verificada nos Censos 2011, é justificada por vários fatores.
Destaca-se a deficiente aplicação, por alguns recenseadores, dos conceitos definidos relativamente a
estas unidades estatísticas. Alguns edifícios, considerados como tal nos Censos, foram classificados no IQ
Censos como partes de edifícios, isto é, alojamentos. Por outro lado, alguns anexos de alojamentos foram
erradamente considerados nos Censos como alojamentos autónomos.

2.3.2.3 Família Clássica


Os resultados do Inquérito de Qualidade apresentados no quadro 6, relativos aos erros de cobertura das
Famílias Clássicas, indicam que foram recenseadas cerca de 96,4% das famílias existentes em Portugal, isto
é, estima-se que tenham sido recenseadas menos 3,6% das famílias. A análise estatística dos resultados
evidencia, com um nível de confiança elevado, que existe uma subcobertura líquida das famílias recenseadas
em Portugal, uma vez que o intervalo de confiança a 95% para o verdadeiro valor da taxa de cobertura líquida
tem limites de 95,0% e 97,8%.

88 Resultados Definitivos
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

O quadro 6 mostra igualmente que todas as estimativas da taxa de cobertura líquida são inferiores a 100%,
o que revela um padrão consistente de subestimação líquida das famílias recenseadas em todas as NUTSII.
Contudo, esse padrão não é uniforme, pois existem regiões onde a subcobertura é inferior a 2% (Região
Autónoma da Madeira e Centro) e outras onde a subcobertura atinge valores superiores a 6% (Algarve e
Lisboa).

Taxas de Cobertura Líquidas e erros padrão


Quadro 6
relativos para a unidade estatística Família Clássica, por NUTSII

Taxa de Cobertura Líquida


Famílias Clássicas
Unidade (a)
% Erro padrão
NUTSII
Portugal 4 069 710 96,4 0,7
Norte 1 339 988 97,6 0,8
Centro 913 668 98,2 0,7
Lisboa 1 150 152 93,6 1,7
Alentejo 304 522 97,7 0,9
Algarve 186 125 93,2 1,1
R.A. Açores 82 220 96,8 0,8
R.A. Madeira 93 035 98,6 0,7

(a) Estes valores referem-se às unidades estatísticas efetivamente abrangidas pelo Inquérito de Qualidade.

2.3.2.4 Indivíduo Residente


De acordo com o quadro 7, estima-se que foram recenseados cerca de 97,5% dos indivíduos residentes em
Portugal. Na realidade, pode afirmar-se com uma confiança elevada que existe uma subcobertura líquida dos
indivíduos recenseados em Portugal, pois o limite superior do intervalo de confiança a 95% para o verdadeiro
valor da taxa de cobertura líquida situa-se abaixo dos 100% (96,1% ; 98,9%).
À semelhança do observado para a unidade estatística Família, os resultados apresentados no quadro 7
evidenciam que existe um padrão consistente, mas não uniforme, de subestimação líquida dos indivíduos
recenseados em todas as NUTSII. Apesar de existirem cinco NUTSII com estimativas da taxa de cobertura
líquida superiores ou iguais a 98%, verifica-se que as regiões de Lisboa e Algarve apresentam estimativas
na ordem dos 94%. A região onde a cobertura líquida de indivíduos está mais próxima dos 100% é a Região
Autónoma da Madeira, seguindo-se a região do Centro, respetivamente com 99,6% e 99,5%, distinguindo-se
também estas duas regiões pelo menor erro padrão.
É também de salientar que na maioria das NUTSII os intervalos de confiança a 95%, para o verdadeiro valor da
taxa de cobertura líquida, contêm o valor 100%, não existindo assim suficiente evidência acerca da existência
quer de subcobertura quer de sobrecobertura no recenseamento dos indivíduos. As únicas exceções são,
naturalmente, as regiões de Lisboa e Algarve.

Resultados Definitivos 89
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

Taxas de Cobertura Líquidas e erros padrão


Quadro 7
relativos para a unidade estatística Indivíduo Residente, por NUTSII

Taxa de Cobertura Líquida


Indivíduos Residentes
Unidade (a)
% Erro padrão
NUTSII
Portugal 10 430 253 97,5 0,7
Norte 3 655 071 98,8 0,8
Centro 2 288 914 99,5 0,6
Lisboa 2 791 071 93,8 2,0
Alentejo 741 116 98,9 1,0
Algarve 446 061 94,4 1,1
R.A. Açores 243 533 98,0 1,1
R.A. Madeira 264 487 99,6 0,7

(a) Estes valores referem-se às unidades estatísticas efetivamente abrangidas pelo Inquérito de Qualidade.

A subcobertura de famílias e de indivíduos, verificada nos Censos 2011, é justificada por vários fatores.
Destaca-se a dificuldade de contato direto com os residentes nalguns locais, dadas as reticências na abertura
da porta do domicílio por algumas franjas da população. A crescente concentração da população em meio
urbano tende a aumentar este problema (condomínios, sentimento de insegurança, horários diferenciados,
etc.). A campanha publicitária promovida pelo INE relativamente aos Censos 2011, assim com a possibilidade
de resposta pela Internet, foram certamente fatores positivos que evitaram o agudizar desta situação.
A subcobertura de famílias e de indivíduos foi mais saliente nas regiões de Lisboa e do Algarve; nesta última
registou-se naturalmente o efeito da grande proporção de residências secundárias que a caracteriza.
Apesar da subcobertura da população verificada através do IQ Censos, pode afirmar-se que o nível de
qualidade dos resultados censitários em Portugal está em linha com o registado noutros países com sistemas
estatísticos desenvolvidos, como são o Canadá, o Reino Unido, etc.

2.3.3 Erros de conteúdo

2.3.3.1 Edifício
Os resultados apresentados no gráfico 1 indicam que a caracterização da população de Edifícios é globalmente
muito consistente nas duas operações, com exceção no que se refere à variável “tipo de edifício” (ICL=78,7).
Na verdade, estima-se que no máximo 4% dos edifícios não estejam classificados nas mesmas modalidades
das distribuições marginais das variáveis “número de alojamentos do edifício” e “época de construção ou
reconstrução do edifício” nos Censos e no IQ Censos. Em termos globais, verifica-se que a questão que
gerou, em termos líquidos, menos erros de conteúdo foi o “número de alojamentos do edifício” (ICL=98,4),
pois é a que apresenta a estimativa mais elevada no Índice de Consistência Líquida.

90 Resultados Definitivos
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

Gráfico 1 Índice de Consistência Líquida da unidade estatística Edifício

0 20 40 60 80 100

Tipo de edifício 78,7

Número de alojamentos do edifício 98,4

Época de construção ou reconstrução do edifício 96,0

2.3.3.2 Alojamento Familiar


As estimativas do Índice de Consistência Líquida, apresentadas no gráfico 2, indicam que a percentagem de
Alojamentos Familiares que não estão classificados nas mesmas modalidades das distribuições marginais
das duas operações não é elevada. De facto todos os índices apresentam valores iguais ou superiores a 87,7,
e em geral superior a 90. Estes resultados revelam uma boa qualidade na caracterização da população de
Alojamentos Familiares relativamente a todas as variáveis. As questões que suscitaram, em termos líquidos,
menores erros de conteúdo são o “tipo de alojamento” (ICL=99,9), “possui retrete” (ICL=99,1) e “possui
instalações de banho ou duche” (ICL=99,0), enquanto as questões que causaram maiores erros líquidos são o
“tipo de aquecimento disponível no alojamento” (ICL=87,7), o “número de divisões do alojamento” (ICL=87,9)
e a “área útil do alojamento” (ICL=90,3).

Gráfico 2 Índice de Consistência Líquida da unidade estatística Alojamento Familiar

0 20 40 60 80 100

Tipo de alojamento 99,9

Forma de ocupação do alojamento 92,5

Possui água canalizada 98,6

Possui retrete 99,1

Possui instalações de banho ou duche 99,0

Tipo de aquecimento disponível no alojamento 87,7

Área útil do alojamento 90,3

Número de divisões  do alojamento 87,9

Condição em que ocupa o alojamento 96,0

2.3.3.3 Família Clássica


A partir do questionário de família estimaram-se apenas indicadores de avaliação de erros de conteúdo
relativos à variável “dimensão da família”. Esta variável apresenta um Índice de Consistência Líquida elevado
(ICL=96,9), o que revela poucas diferenças entre as distribuições marginais da referida variável nas duas
operações estatísticas. Portanto, a estimativa disponível indica que existem erros de conteúdo relativos à
questão “dimensão da família”, embora de pequena magnitude.

Resultados Definitivos 91
INQUÉRITO DE QUALIDADE
ALENTEJO

2.3.3.4 Indivíduo Residente


O questionário individual foi o mais extenso e apresentou erros de conteúdo, em geral, inferiores aos observados
nas variáveis que permitem caracterizar as restantes três populações. Os resultados apresentados no gráfico
3, referentes a 22 variáveis, mostram que a grande maioria das estimativas para o Índice de Consistência
Líquida são superiores a 90, o que revela uma elevada consistência na caracterização da população de
Indivíduos Residentes para a generalidade das variáveis nas duas operações realizadas.
As questões que suscitaram, em termos líquidos, menores erros de conteúdo são o “sexo” (ICL=99,9), a “data
de nascimento” (a partir da qual foram derivadas as variáveis “grupo etário”) e “nacionalidade” (ICL=99,4),
enquanto as questões que causaram maiores erros líquidos são o “modo como exerce a profissão” (ICL=82,9),
o “nível de ensino mais elevado completo” (ICL=85,4) e “procura ou tem procurado emprego” (ICL=86,1). É
de salientar que, apesar da percentagem não negligenciável de respostas erradamente classificadas nestas
três últimas questões, grande parte dos erros ocorridos anulou-se, o que permite que a caracterização da
população de indivíduos sobre cada um desses atributos seja fortemente consistente, de acordo com os
resultados do Inquérito de Qualidade.

Gráfico 3 Índice de Consistência Líquida da unidade estatística Indivíduo Residente

0 20 40 60 80 100

Sexo 99,9
Residência habitual 98,1
Presença no alojamento no momento censitário 92,9
Estado civil legal 98,8
Vive com um companheiro(a) em união de facto 98,4
Relação de parentesco com o representante da família 97,7
Grupo etário quinquenal 99,3
Grupo etário decenal 99,7
Grupo etário decenal por sexo 99,4
Naturalidade 94,4
Nacionalidade 99,4
Residência fora de Portugal por um período contínuo … 98,3
Local de residência em 31 de Dezembro de 2009 92,4
Nível de ensino mais elevado completo 85,4
Local de trabalho ou estudo 95,2
Trabalhou na semana de 14 a 20 de março 95,0
Situação das pessoas que não trabalharam na semana … 93,9
Alguma vez trabalhou 97,2
Procura ou tem procurado emprego 86,1
Disponibilidade para começar a trabalhar na semana … 91,5
Modo como exerce a profissão 82,9
Número de pessoas que trabalha habitualmente na … 91,4

92 Resultados Definitivos
capítulo 3

Quadros de resultados
Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS 1.01

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Alentejo 757 302 366 739 390 563 733 327 352 913 380 414 302 975 543 233 364 470 284 469 287 997 1 455 383 866
Alentejo Litoral 97 925 48 624 49 301 95 376 47 467 47 909 40 533 48 30 280 68 532 68 352 180 266 53 482
Odemira 26 066 13 171 12 895 25 716 12 955 12 761 11 362 10 7 927 20 924 20 851 73 108 18 449
Colos 1 005 497 508 977 481 496 417 2 298 750 750 - 2 745
Relíquias 931 462 469 1 065 516 549 413 1 278 772 771 1 2 763
Sabóia 1 152 603 549 1 153 604 549 540 1 317 918 917 1 2 878
Santa Clara-a-Velha 602 310 292 599 311 288 271 - 174 553 552 1 2 550
Odemira (Santa Maria) 1 301 609 692 1 318 607 711 533 4 362 822 822 - 7 714
São Luís 1 989 995 994 1 936 969 967 881 - 643 1 759 1 756 3 9 1 701
São Martinho das Amoreiras 1 006 515 491 989 505 484 442 1 302 1 024 1 024 - 2 958
Odemira (São Salvador) 1 818 884 934 1 735 856 879 796 - 578 1 204 1 200 4 5 1 038
São Teotónio 5 527 2 911 2 616 5 449 2 852 2 597 2 593 1 1 620 3 745 3 725 20 21 3 342
Vale de Santiago 554 278 276 525 262 263 248 - 175 467 464 3 - 466
Vila Nova de Milfontes 5 031 2 480 2 551 4 947 2 429 2 518 2 062 - 1 559 4 635 4 618 17 28 3 556
Pereiras-Gare 271 143 128 266 140 126 126 - 84 334 334 - 1 329
Bicos 549 287 262 529 276 253 227 - 178 407 406 1 - 380
Zambujeira do Mar 912 452 460 907 455 452 432 - 288 1 064 1 051 13 14 748
Luzianes-Gare 429 242 187 408 231 177 206 - 127 435 435 - 1 409
Boavista dos Pinheiros 1 633 822 811 1 592 799 793 617 - 518 823 821 2 3 745
Longueira/Almograve 1 356 681 675 1 321 662 659 558 - 426 1 212 1 205 7 9 1 127
Alcácer do Sal 13 046 6 332 6 714 12 582 6 089 6 493 5 236 8 4 114 8 818 8 798 20 30 7 535
Alcácer do Sal (S. M. do Castelo) 4 048 1 972 2 076 3 947 1 925 2 022 1 617 2 1 266 2 416 2 406 10 5 1 894
Santa Susana 353 180 173 339 172 167 168 - 128 420 420 - 1 420
Alcácer do Sal (Santiago) 4 632 2 206 2 426 4 477 2 115 2 362 1 806 4 1 429 2 714 2 711 3 13 2 220
Torrão 2 295 1 093 1 202 2 172 1 032 1 140 935 2 733 1 805 1 804 1 6 1 611
São Martinho 450 229 221 432 224 208 196 - 161 370 370 - - 369
Comporta 1 268 652 616 1 215 621 594 514 - 397 1 093 1 087 6 5 1 021
Grândola 14 826 7 506 7 320 14 475 7 294 7 181 5 974 14 4 497 12 041 12 025 16 35 9 337
Azinheira Barros e S. M. do Sádão 704 364 340 685 350 335 320 - 216 614 614 - 3 614
Grândola 10 657 5 163 5 494 10 245 4 922 5 323 4 395 5 3 324 6 701 6 689 12 16 5 458
Melides 1 658 825 833 1 702 846 856 729 - 555 1 747 1 744 3 3 1 623
Santa Margarida da Serra 177 94 83 177 94 83 87 - 58 262 262 - - 222
Carvalhal 1 630 1 060 570 1 666 1 082 584 443 9 344 2 717 2 716 1 13 1 420
Santiago do Cacém 29 749 14 586 15 163 28 323 13 852 14 471 12 345 11 9 364 18 431 18 387 44 46 13 370
Abela 890 442 448 898 445 453 382 - 285 603 600 3 1 592
Alvalade 2 098 1 024 1 074 2 021 987 1 034 894 - 665 1 175 1 173 2 2 1 123
Cercal 3 362 1 650 1 712 3 131 1 517 1 614 1 460 - 1 074 2 686 2 680 6 8 2 431
Ermidas-Sado 2 020 979 1 041 1 936 929 1 007 870 2 642 1 391 1 386 5 4 1 278
Santa Cruz 461 237 224 449 232 217 206 - 148 363 362 1 - 348
Santiago do Cacém 7 603 3 676 3 927 7 315 3 564 3 751 3 126 6 2 300 4 369 4 358 11 20 2 831
Santo André 10 647 5 247 5 400 9 995 4 896 5 099 4 265 3 3 416 5 881 5 869 12 9 2 870
São Bartolomeu da Serra 390 209 181 376 203 173 171 - 122 289 288 1 - 265
São Domingos 854 408 446 830 393 437 363 - 265 597 596 1 - 588
São Francisco da Serra 809 411 398 778 397 381 345 - 245 595 594 1 1 567
Vale de Água 615 303 312 594 289 305 263 - 202 482 481 1 1 477
Sines 14 238 7 029 7 209 14 280 7 277 7 003 5 616 5 4 378 8 318 8 291 27 47 4 791
Sines 13 200 6 513 6 687 13 203 6 729 6 474 5 194 5 4 045 7 170 7 144 26 40 3 866
Porto Covo 1 038 516 522 1 077 548 529 422 - 333 1 148 1 147 1 7 925
Alto Alentejo 118 410 56 796 61 614 114 613 54 702 59 911 47 524 118 36 291 81 351 81 147 204 296 68 275
Mora 4 978 2 415 2 563 4 823 2 311 2 512 2 063 6 1 523 3 880 3 877 3 19 3 867
Brotas 451 219 232 436 209 227 208 1 147 386 386 - 1 387
Cabeção 1 073 489 584 1 060 482 578 432 3 317 1 051 1 051 - 5 1 052
Mora 2 522 1 231 1 291 2 403 1 152 1 251 996 2 773 1 496 1 496 - 7 1 483
Pavia 932 476 456 924 468 456 427 - 286 947 944 3 6 945

(continua)

Resultados Definitivos 95
quadros de resultados
ALENTEJO

1.01 POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Alter do Chão 3 562 1 680 1 882 3 275 1 533 1 742 1 464 7 1 102 3 052 3 042 10 18 2 886
Alter do Chão 2 373 1 120 1 253 2 100 982 1 118 936 4 722 1 739 1 729 10 10 1 591
Chancelaria 448 202 246 453 203 250 198 1 137 559 559 - 2 560
Seda 352 176 176 335 168 167 162 1 121 400 400 - 4 392
Cunheira 389 182 207 387 180 207 168 1 122 354 354 - 2 343
Arronches 3 165 1 535 1 630 3 107 1 484 1 623 1 246 6 931 2 540 2 539 1 9 2 209
Assunção 1 970 926 1 044 1 941 896 1 045 759 4 576 1 414 1 413 1 7 1 151
Esperança 739 369 370 728 361 367 322 1 219 841 841 - 1 778
Mosteiros 456 240 216 438 227 211 165 1 136 285 285 - 1 280
Avis 4 571 2 178 2 393 4 420 2 088 2 332 1 867 5 1 376 3 679 3 646 33 15 3 527
Alcôrrego 401 205 196 388 194 194 163 - 131 393 392 1 - 354
Aldeia Velha 280 134 146 272 128 144 133 - 89 327 327 - 2 324
Avis 1 840 861 979 1 787 831 956 727 2 549 1 168 1 151 17 7 1 086
Benavila 861 396 465 832 380 452 338 2 243 645 632 13 4 628
Ervedal 560 272 288 532 259 273 243 - 174 437 436 1 - 429
Figueira e Barros 309 147 162 297 139 158 130 - 98 291 291 - 1 288
Maranhão 63 30 33 56 25 31 24 - 19 139 138 1 - 138
Valongo 257 133 124 256 132 124 109 1 73 279 279 - 1 280
Campo Maior 8 456 4 098 4 358 8 158 3 912 4 246 3 174 3 2 605 4 767 4 719 48 11 4 122
Nossa Senhora da Expectação 3 974 1 898 2 076 3 802 1 798 2 004 1 468 2 1 214 2 094 2 047 47 7 1 761
N. Sra. da Graça dos Degolados 587 296 291 593 288 305 230 1 186 426 426 - 1 415
São João Baptista 3 895 1 904 1 991 3 763 1 826 1 937 1 476 - 1 205 2 247 2 246 1 3 1 946
Castelo de Vide 3 407 1 629 1 778 3 365 1 598 1 767 1 416 5 1 060 2 887 2 884 3 22 2 646
N. Sra. da Graça de P. e Meadas 606 294 312 583 280 303 246 2 186 654 653 1 4 654
Santa Maria da Devesa 1 578 742 836 1 534 711 823 669 1 506 1 340 1 339 1 6 1 241
Santiago Maior 358 180 178 354 180 174 163 1 114 319 318 1 6 301
São João Baptista 865 413 452 894 427 467 338 1 254 574 574 - 6 450
Crato 3 708 1 725 1 983 3 669 1 690 1 979 1 550 6 1 133 3 261 3 252 9 10 3 191
Aldeia da Mata 374 159 215 367 155 212 155 1 101 450 449 1 1 451
Crato e Mártires 1 674 773 901 1 670 761 909 655 3 504 1 241 1 233 8 4 1 193
Flor da Rosa 263 129 134 260 127 133 115 - 80 245 245 - 3 240
Gáfete 856 407 449 843 397 446 376 1 279 688 688 - 1 689
Monte da Pedra 280 137 143 282 138 144 139 - 96 293 293 - - 293
Vale do Peso 261 120 141 247 112 135 110 1 73 344 344 - 1 325
Elvas 23 078 11 092 11 986 22 138 10 589 11 549 8 909 22 6 936 13 375 13 348 27 43 9 192
Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso 986 398 588 945 376 569 381 3 268 794 793 1 4 459
Alcáçova 2 147 1 048 1 099 2 081 998 1 083 854 3 618 1 258 1 255 3 6 941
Assunção 8 702 4 175 4 527 8 289 3 973 4 316 3 305 5 2 628 4 355 4 352 3 15 1 671
Barbacena 663 318 345 646 309 337 280 2 199 587 587 - 2 586
Caia e São Pedro 4 106 2 002 2 104 3 940 1 908 2 032 1 573 1 1 239 2 188 2 174 14 4 1 498
Santa Eulália 1 198 586 612 1 143 562 581 498 1 375 840 839 1 1 833
São Brás e São Lourenço 1 684 827 857 1 610 790 820 645 - 533 903 902 1 3 785
São Vicente e Ventosa 801 398 403 796 383 413 293 3 238 497 496 1 4 494
Terrugem 1 251 602 649 1 197 575 622 467 1 383 732 729 3 1 717
Vila Boim 1 224 594 630 1 180 577 603 502 1 369 946 946 - 1 934
Vila Fernando 316 144 172 311 138 173 111 2 86 275 275 - 2 274
Fronteira 3 410 1 627 1 783 3 245 1 532 1 713 1 350 5 1 042 2 593 2 593 - 16 2 519
Cabeço de Vide 1 063 492 571 993 455 538 418 4 311 1 021 1 021 - 11 979
Fronteira 2 069 993 1 076 1 984 944 1 040 815 1 636 1 354 1 354 - 5 1 326
São Saturnino 278 142 136 268 133 135 117 - 95 218 218 - - 214
Gavião 4 132 1 951 2 181 3 982 1 865 2 117 1 743 5 1 279 3 599 3 595 4 14 3 431
Atalaia 138 61 77 128 57 71 65 - 45 168 168 - - 168
Belver 684 302 382 657 288 369 336 1 226 867 867 - 5 861
Comenda 890 418 472 848 393 455 369 1 282 750 749 1 1 746
(continua)

96 Resultados Definitivos
Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS 1.01

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Gavião 1 609 770 839 1 561 743 818 618 3 457 1 200 1 197 3 8 1 044
Margem 811 400 411 788 384 404 355 - 269 614 614 - - 612
Marvão 3 512 1 720 1 792 3 558 1 724 1 834 1 474 2 1 090 2 981 2 980 1 25 2 799
Beirã 498 245 253 500 246 254 220 - 154 507 507 - 1 494
Santa Maria de Marvão 486 225 261 655 298 357 176 1 126 519 519 - 6 492
Santo António das Areias 1 102 546 556 1 075 531 544 474 - 363 827 826 1 4 748
São Salvador da Aramenha 1 426 704 722 1 328 649 679 604 1 447 1 128 1 128 - 14 1 065
Monforte 3 329 1 553 1 776 3 234 1 514 1 720 1 219 6 972 2 356 2 333 23 10 2 322
Assumar 651 247 404 639 241 398 197 3 155 431 425 6 3 422
Monforte 1 384 677 707 1 334 656 678 497 2 407 816 808 8 5 795
Santo Aleixo 638 319 319 623 313 310 271 - 206 533 533 - - 528
Vaiamonte 656 310 346 638 304 334 254 1 204 576 567 9 2 577
Nisa 7 450 3 537 3 913 7 183 3 401 3 782 3 218 8 2 310 7 322 7 320 2 15 7 166
Alpalhão 1 238 605 633 1 205 588 617 531 1 392 1 065 1 064 1 5 1 026
Amieira do Tejo 241 113 128 231 107 124 110 1 72 468 468 - 2 467
Arez 256 131 125 255 131 124 126 - 79 337 337 - - 334
Espírito Santo 1 861 880 981 1 792 847 945 820 1 585 1 500 1 500 - 3 1 408
Montalvão 442 199 243 441 198 243 231 1 134 878 878 - 1 879
Nossa Senhora da Graça 1 590 761 829 1 535 734 801 592 2 465 1 076 1 075 1 2 1 059
Santana 404 185 219 364 160 204 193 1 124 445 445 - 1 444
São Matias 289 129 160 288 129 159 146 - 103 534 534 - - 534
São Simão 118 57 61 115 56 59 67 - 39 280 280 - - 280
Tolosa 1 011 477 534 957 451 506 402 1 317 739 739 - 1 735
Ponte de Sor 16 722 8 085 8 637 15 929 7 641 8 288 6 671 11 5 153 10 316 10 281 35 23 9 194
Galveias 1 061 510 551 1 048 508 540 417 3 306 989 989 - 4 976
Montargil 2 316 1 125 1 191 2 215 1 064 1 151 953 2 726 1 807 1 807 - 2 1 761
Ponte de Sor 8 958 4 285 4 673 8 470 4 018 4 452 3 476 5 2 729 4 674 4 648 26 13 3 719
Foros de Arrão 919 438 481 869 413 456 407 1 303 627 621 6 1 616
Longomel 1 228 603 625 1 181 573 608 522 - 386 845 845 - 3 830
Vale de Açor 698 346 352 661 328 333 299 - 216 548 548 - - 501
Tramaga 1 542 778 764 1 485 737 748 597 - 487 826 823 3 - 791
Portalegre 24 930 11 971 12 959 24 527 11 820 12 707 10 160 21 7 779 14 743 14 738 5 46 9 204
Alagoa 669 317 352 644 297 347 276 1 205 377 377 - 2 349
Alegrete 1 746 862 884 1 690 826 864 723 1 567 1 063 1 063 - 4 997
Carreiras 583 298 285 570 290 280 241 - 183 415 415 - 2 380
Fortios 2 018 965 1 053 1 951 927 1 024 755 1 610 1 089 1 089 - 3 1 021
Reguengo 630 311 319 620 308 312 260 - 206 477 477 - 1 455
Ribeira de Nisa 1 366 681 685 1 284 632 652 539 1 427 752 751 1 3 710
São Julião 342 173 169 331 168 163 170 1 103 465 464 1 3 420
São Lourenço 4 987 2 334 2 653 5 254 2 631 2 623 2 092 12 1 492 3 238 3 236 2 19 1 500
Sé 10 655 5 074 5 581 10 318 4 833 5 485 4 339 3 3 366 5 700 5 700 - 7 2 245
Urra 1 934 956 978 1 865 908 957 765 1 620 1 167 1 166 1 2 1 127
Alentejo Central 166 822 80 222 86 600 162 336 77 620 84 716 66 947 137 51 488 98 068 97 907 161 369 80 100
Alandroal 5 843 2 833 3 010 5 616 2 699 2 917 2 381 3 1 819 4 497 4 496 1 18 4 377
Alandroal (N. S. da Conceição) 1 873 897 976 1 829 867 962 741 2 558 1 259 1 259 - 7 1 222
Juromenha (N. S. do Loreto) 107 60 47 101 58 43 46 - 32 132 131 1 2 133
Santiago Maior 2 205 1 071 1 134 2 083 997 1 086 879 1 700 1 455 1 455 - 6 1 411
Capelins (Santo António) 527 246 281 511 239 272 244 - 169 614 614 - 1 613
Terena (São Pedro) 767 379 388 746 367 379 326 - 246 738 738 - 1 735
São Brás dos Matos (M. Bugalho) 364 180 184 346 171 175 145 - 114 299 299 - 1 263
Arraiolos 7 363 3 576 3 787 7 121 3 439 3 682 3 000 4 2 268 4 738 4 732 6 17 4 409
Arraiolos 3 386 1 632 1 754 3 268 1 557 1 711 1 329 1 1 034 1 910 1 906 4 7 1 741
Igrejinha 932 458 474 911 450 461 372 1 287 577 575 2 2 572
Santa Justa 225 118 107 218 114 104 94 - 70 177 177 - 1 178

(continua)

Resultados Definitivos 97
quadros de resultados
ALENTEJO

1.01 POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

São Gregório 341 167 174 334 164 170 170 - 105 312 312 - - 299
Gafanhoeira (São Pedro) 494 234 260 472 222 250 216 - 162 327 327 - - 299
Vimieiro 1 589 769 820 1 544 746 798 656 2 479 1 155 1 155 - 7 1 047
Sabugueiro 396 198 198 374 186 188 163 - 131 280 280 - - 273
Borba 7 333 3 615 3 718 7 004 3 432 3 572 2 929 5 2 330 4 165 4 162 3 14 3 284
Borba (Matriz) 3 779 1 878 1 901 3 605 1 782 1 823 1 451 4 1 190 1 942 1 939 3 8 1 446
Orada 740 361 379 716 346 370 308 - 236 508 508 - - 378
Rio de Moinhos 2 056 1 019 1 037 1 971 972 999 798 - 664 1 163 1 163 - 2 1 091
Borba (São Bartolomeu) 758 357 401 712 332 380 372 1 240 552 552 - 4 369
Estremoz 14 318 6 813 7 505 13 753 6 497 7 256 5 901 12 4 466 9 494 9 453 41 34 7 388
Arcos 1 152 557 595 1 146 542 604 503 1 370 724 721 3 4 698
Glória 532 261 271 509 249 260 205 - 171 451 451 - 1 400
Estremoz (Santa Maria) 6 284 3 042 3 242 6 014 2 889 3 125 2 489 4 1 961 3 331 3 295 36 9 2 053
Évora Monte (Santa Maria) 569 261 308 560 257 303 241 1 162 608 608 - 4 488
Santa Vitória do Ameixial 362 180 182 333 166 167 157 - 114 314 314 - - 314
Estremoz (Santo André) 2 378 1 066 1 312 2 267 1 008 1 259 1 064 2 714 1 861 1 860 1 11 1 362
Santo Estêvão 74 34 40 73 34 39 34 - 26 138 138 - - 138
São Bento do Ameixial 335 168 167 328 165 163 147 - 106 312 312 - - 243
São Bento de Ana Loura 32 17 15 25 14 11 13 - 11 62 62 - - 53
São Bento do Cortiço 699 322 377 681 314 367 269 1 224 368 368 - 2 369
São Domingos de Ana Loura 341 164 177 330 159 171 138 - 111 258 258 - - 253
São Lourenço de Mamporcão 524 252 272 490 234 256 217 1 177 357 357 - 1 355
Veiros 1 036 489 547 997 466 531 424 2 319 710 709 1 2 662
Évora 56 596 26 831 29 765 55 811 26 190 29 621 22 774 51 17 250 29 204 29 171 33 107 20 676
Nossa Senhora da Boa Fé 322 156 166 324 153 171 126 1 89 200 200 - 1 178
Nossa Senhora da Graça do Divor 486 228 258 480 222 258 185 1 145 296 296 - 1 292
Nossa Senhora de Machede 1 123 556 567 1 115 549 566 434 1 354 653 652 1 2 651
Nossa Senhora da Tourega 686 342 344 680 336 344 283 1 209 409 409 - 2 339
Évora (Santo Antão) 1 323 585 738 1 558 694 864 717 2 366 1 313 1 312 1 8 1 098
São Bento do Mato 1 151 564 587 1 106 538 568 496 - 361 785 785 - 1 707
Évora (São Mamede) 1 724 695 1 029 1 765 714 1 051 919 4 474 1 502 1 501 1 6 984
São Manços 938 462 476 904 445 459 357 1 308 527 527 - 1 515
São Miguel de Machede 794 394 400 826 401 425 317 2 237 509 508 1 2 454
São Vicente do Pigeiro 364 181 183 351 175 176 142 - 113 294 294 - - 280
Torre de Coelheiros 715 353 362 657 323 334 269 1 224 469 469 - 1 405
São Sebastião da Giesteira 760 381 379 720 359 361 295 1 236 356 356 - 1 327
Canaviais 3 442 1 692 1 750 3 352 1 650 1 702 1 241 4 1 062 1 497 1 497 - 7 1 160
Nossa Senhora de Guadalupe 465 219 246 458 213 245 181 - 148 230 230 - - 205
Bacelo 9 309 4 536 4 773 8 896 4 272 4 624 3 475 4 2 902 4 043 4 040 3 6 2 702
Horta das Figueiras 10 006 4 799 5 207 9 854 4 679 5 175 3 837 8 2 971 4 453 4 448 5 17 2 669
Malagueira 12 373 5 833 6 540 11 845 5 537 6 308 4 781 8 3 834 5 444 5 431 13 14 3 535
Sé e São Pedro 1 691 710 981 2 095 858 1 237 852 5 447 1 511 1 511 - 24 1 056
Senhora da Saúde 8 924 4 145 4 779 8 825 4 072 4 753 3 867 7 2 770 4 713 4 705 8 13 3 119
Montemor-o-Novo 17 437 8 461 8 976 16 895 8 175 8 720 7 055 17 5 443 10 323 10 304 19 43 7 980
Cabrela 649 316 333 665 313 352 274 1 205 427 427 - 2 385
Lavre 740 360 380 708 343 365 301 1 231 521 521 - 5 478
Nossa Senhora do Bispo 4 931 2 340 2 591 4 743 2 240 2 503 1 994 5 1 556 2 740 2 739 1 9 2 004
Nossa Senhora da Vila 6 070 2 978 3 092 5 874 2 872 3 002 2 335 5 1 848 3 010 2 995 15 13 1 932
Santiago do Escoural 1 335 641 694 1 261 606 655 594 1 410 940 940 - 2 747
São Cristóvão 540 258 282 570 295 275 247 1 163 493 493 - 7 476
Ciborro 714 354 360 702 347 355 299 1 224 481 481 - 1 427
Cortiçadas 821 402 419 791 380 411 361 - 276 614 613 1 1 564
Silveiras 567 287 280 539 272 267 244 - 186 421 420 1 - 315
Foros de Vale de Figueira 1 070 525 545 1 042 507 535 406 2 344 676 675 1 3 652

(continua)

98 Resultados Definitivos
Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS 1.01

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Mourão 2 663 1 315 1 348 2 617 1 288 1 329 1 003 2 792 1 946 1 929 17 11 1 875
Granja 605 304 301 607 304 303 267 - 194 580 577 3 1 568
Luz 290 153 137 289 152 137 109 1 85 230 230 - 3 232
Mourão 1 768 858 910 1 721 832 889 627 1 513 1 136 1 122 14 7 1 075
Portel 6 428 3 152 3 276 6 662 3 392 3 270 2 589 4 1 949 4 262 4 257 5 16 4 173
Alqueva 329 161 168 694 499 195 159 - 96 388 387 1 1 384
Amieira 362 186 176 359 186 173 160 - 123 315 315 - - 308
Monte do Trigo 1 240 626 614 1 211 602 609 454 - 384 627 627 - - 609
Oriola 400 183 217 384 175 209 186 - 123 295 295 - - 294
Portel 2 661 1 298 1 363 2 623 1 255 1 368 1 031 4 774 1 535 1 531 4 15 1 491
Santana 542 259 283 510 246 264 231 - 176 380 380 - - 369
São Bartolomeu do Outeiro 436 209 227 431 207 224 190 - 140 378 378 - - 377
Vera Cruz 458 230 228 450 222 228 178 - 133 344 344 - - 341
Redondo 7 031 3 434 3 597 6 810 3 317 3 493 2 809 3 2 177 4 549 4 546 3 12 3 882
Montoito 1 298 636 662 1 275 624 651 540 1 402 1 008 1 007 1 1 980
Redondo 5 733 2 798 2 935 5 535 2 693 2 842 2 269 2 1 775 3 541 3 539 2 11 2 902
Reguengos de Monsaraz 10 828 5 274 5 554 10 338 5 011 5 327 4 172 9 3 337 6 393 6 383 10 36 5 989
Campo 688 328 360 671 319 352 284 1 216 502 501 1 1 500
Corval 1 389 668 721 1 352 654 698 575 2 441 1 023 1 023 - 3 1 001
Monsaraz 782 384 398 759 374 385 347 - 237 783 783 - 15 797
Reguengos de Monsaraz 7 261 3 543 3 718 6 868 3 326 3 542 2 686 6 2 211 3 614 3 606 8 17 3 225
Campinho 708 351 357 688 338 350 280 - 232 471 470 1 - 466
Vendas Novas 11 846 5 705 6 141 11 337 5 418 5 919 4 715 11 3 801 6 416 6 402 14 18 5 238
Vendas Novas 11 123 5 351 5 772 10 637 5 078 5 559 4 425 11 3 558 6 063 6 050 13 18 4 893
Landeira 723 354 369 700 340 360 290 - 243 353 352 1 - 345
Viana do Alentejo 5 743 2 780 2 963 5 530 2 643 2 887 2 214 6 1 735 3 570 3 568 2 15 3 446
Alcáçovas 2 111 1 040 1 071 2 058 1 003 1 055 833 2 622 1 520 1 519 1 6 1 463
Viana do Alentejo 2 742 1 299 1 443 2 626 1 226 1 400 1 061 3 839 1 626 1 625 1 8 1 560
Aguiar 890 441 449 846 414 432 320 1 274 424 424 - 1 423
Vila Viçosa 8 319 4 057 4 262 8 025 3 871 4 154 3 333 6 2 594 4 764 4 760 4 18 3 874
Bencatel 1 679 858 821 1 694 859 835 669 - 543 979 979 - - 950
Ciladas 1 071 525 546 1 041 502 539 444 1 343 685 685 - 1 647
Vila Viçosa (Conceição) 4 165 2 008 2 157 3 925 1 870 2 055 1 624 3 1 280 2 127 2 123 4 11 1 526
Pardais 546 281 265 539 276 263 213 - 181 381 381 - - 355
Vila Viçosa (São Bartolomeu) 858 385 473 826 364 462 383 2 247 592 592 - 6 396
Sousel 5 074 2 376 2 698 4 817 2 248 2 569 2 072 4 1 527 3 747 3 744 3 10 3 509
Cano 1 266 602 664 1 213 576 637 546 1 384 931 931 - 2 890
Casa Branca 1 232 574 658 1 185 552 633 506 1 369 1 090 1 089 1 2 983
Santo Amaro 644 301 343 618 292 326 255 1 195 406 406 - 1 394
Sousel 1 932 899 1 033 1 801 828 973 765 1 579 1 320 1 318 2 5 1 242
Baixo Alentejo 126 692 61 949 64 743 122 524 59 659 62 865 50 566 81 38 270 84 892 84 677 215 249 74 901
Aljustrel 9 257 4 579 4 678 8 892 4 375 4 517 3 754 5 2 874 5 807 5 801 6 11 5 526
Aljustrel 5 137 2 540 2 597 4 944 2 435 2 509 2 044 2 1 613 2 975 2 974 1 7 2 722
Ervidel 1 005 494 511 971 474 497 416 1 307 774 774 - 1 773
Messejana 892 431 461 876 422 454 371 1 261 676 671 5 2 657
São João de Negrilhos 1 482 736 746 1 414 698 716 611 1 466 935 935 - 1 932
Rio de Moinhos 741 378 363 687 346 341 312 - 227 447 447 - - 442
Almodôvar 7 449 3 677 3 772 7 262 3 598 3 664 3 074 7 2 271 5 428 5 424 4 19 5 033
Almodôvar 3 788 1 857 1 931 3 647 1 805 1 842 1 512 2 1 147 2 387 2 387 - 9 2 020
Gomes Aires 355 196 159 359 202 157 159 - 113 352 352 - 1 353
Rosário 608 298 310 607 296 311 237 1 185 415 415 - 1 409
Santa Clara-a-Nova 600 305 295 588 296 292 261 - 178 444 444 - 1 441
Santa Cruz 651 327 324 640 319 321 294 1 199 718 714 4 4 711
São Barnabé 531 257 274 515 250 265 235 1 157 452 452 - 1 453

(continua)

Resultados Definitivos 99
quadros de resultados
ALENTEJO

1.01 POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Senhora da Graça de Padrões 380 180 200 381 180 201 147 1 113 238 238 - 1 237
Aldeia dos Fernandes 536 257 279 525 250 275 229 1 179 422 422 - 1 409
Alvito 2 504 1 199 1 305 2 402 1 138 1 264 1 025 2 723 1 724 1 717 7 12 1 630
Alvito 1 259 610 649 1 234 593 641 541 1 350 904 897 7 9 844
Vila Nova da Baronia 1 245 589 656 1 168 545 623 484 1 373 820 820 - 3 786
Barrancos 1 834 890 944 1 792 868 924 721 1 537 1 287 1 287 - 10 1 227
Barrancos 1 834 890 944 1 792 868 924 721 1 537 1 287 1 287 - 10 1 227
Beja 35 854 17 387 18 467 34 769 16 777 17 992 14 142 27 10 741 20 101 20 060 41 54 13 530
Albernoa 758 366 392 725 346 379 294 1 220 509 508 1 3 508
Baleizão 902 432 470 896 430 466 389 - 270 710 710 - - 710
Beringel 1 301 622 679 1 276 612 664 544 - 419 868 868 - 1 856
Cabeça Gorda 1 386 691 695 1 330 659 671 559 - 427 810 809 1 - 808
Mombeja 386 195 191 381 194 187 160 - 112 285 283 2 - 276
Nossa Senhora das Neves 1 747 899 848 1 681 870 811 686 1 557 989 989 - 1 974
Quintos 255 126 129 252 124 128 115 - 84 244 244 - - 243
Salvada 1 097 540 557 1 058 510 548 437 1 331 694 688 6 1 688
Beja (Salvador) 6 590 3 159 3 431 6 284 2 990 3 294 2 555 4 1 952 3 293 3 293 - 6 1 885
Santa Clara de Louredo 864 399 465 867 387 480 286 2 232 345 340 5 2 327
Beja (Santa Maria da Feira) 4 543 2 195 2 348 4 438 2 124 2 314 1 579 7 1 269 2 153 2 135 18 12 1 549
Santa Vitória 595 302 293 588 299 289 259 - 191 487 487 - 1 485
Beja (Santiago Maior) 7 620 3 737 3 883 7 546 3 722 3 824 3 024 7 2 306 4 129 4 123 6 11 1 883
São Brissos 108 51 57 136 74 62 47 - 31 65 65 - 1 66
Beja (São João Baptista) 6 395 3 037 3 358 6 059 2 833 3 226 2 669 4 1 937 3 524 3 522 2 15 1 291
São Matias 569 270 299 547 262 285 230 - 177 384 384 - - 380
Trindade 274 134 140 259 125 134 112 - 84 242 242 - - 233
Trigaches 464 232 232 446 216 230 197 - 142 370 370 - - 368
Castro Verde 7 276 3 567 3 709 6 932 3 352 3 580 2 917 3 2 208 4 822 4 820 2 9 4 670
Casével 448 222 226 430 213 217 210 - 139 398 398 - 1 399
Castro Verde 4 898 2 402 2 496 4 653 2 247 2 406 1 872 3 1 476 2 809 2 809 - 8 2 664
Entradas 649 310 339 612 290 322 280 - 200 479 478 1 - 478
Santa Bárbara de Padrões 943 469 474 909 443 466 409 - 290 773 772 1 - 768
São Marcos da Ataboeira 338 164 174 328 159 169 146 - 103 363 363 - - 361
Cuba 4 878 2 384 2 494 4 792 2 342 2 450 1 853 5 1 455 3 032 3 012 20 14 2 956
Cuba 3 306 1 616 1 690 3 250 1 587 1 663 1 253 3 978 1 863 1 854 9 10 1 808
Faro do Alentejo 591 308 283 576 299 277 212 - 189 285 282 3 - 273
Vila Alva 514 231 283 508 230 278 182 2 143 422 418 4 3 419
Vila Ruiva 467 229 238 458 226 232 206 - 145 462 458 4 1 456
Ferreira do Alentejo 8 255 4 021 4 234 7 987 3 863 4 124 3 334 5 2 523 5 185 5 157 28 13 4 873
Alfundão 863 449 414 844 439 405 374 - 265 570 569 1 - 552
Ferreira do Alentejo 4 696 2 222 2 474 4 555 2 133 2 422 1 822 5 1 396 2 788 2 765 23 10 2 519
Figueira dos Cavaleiros 1 346 675 671 1 289 638 651 558 - 434 786 785 1 - 765
Odivelas 542 270 272 519 263 256 235 - 173 427 426 1 1 426
Peroguarda 364 184 180 349 175 174 142 - 110 288 287 1 2 286
Canhestros 444 221 223 431 215 216 203 - 145 326 325 1 - 325
Mértola 7 274 3 593 3 681 7 051 3 463 3 588 3 137 4 2 205 8 469 8 467 2 26 8 354
Alcaria Ruiva 849 417 432 820 400 420 363 - 257 881 881 - 1 881
Corte do Pinto 857 430 427 843 427 416 387 - 267 1 571 1 571 - 5 1 573
Espírito Santo 335 169 166 354 181 173 161 - 107 1 122 1 122 - - 1 120
Mértola 2 824 1 392 1 432 2 728 1 332 1 396 1 163 2 841 2 189 2 188 1 13 2 074
Santana de Cambas 797 391 406 729 351 378 325 2 223 1 062 1 062 - 5 1 065
São João dos Caldeireiros 567 275 292 559 267 292 242 - 176 489 489 - 2 489
São Miguel do Pinheiro 596 298 298 579 287 292 291 - 183 696 696 - - 693
São Pedro de Solis 229 109 120 225 109 116 103 - 80 198 198 - - 198
São Sebastião dos Carros 220 112 108 214 109 105 102 - 71 261 260 1 - 261

(continua)

100 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS 1.01

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Moura 15 167 7 447 7 720 14 687 7 183 7 504 5 833 9 4 516 10 626 10 585 41 22 9 705
Amareleja 2 564 1 261 1 303 2 452 1 192 1 260 945 2 751 1 742 1 729 13 3 1 704
Póvoa de São Miguel 888 456 432 858 440 418 346 - 280 874 873 1 - 861
Safara 1 078 524 554 1 074 514 560 415 1 318 764 763 1 2 762
Moura (Santo Agostinho) 4 344 2 145 2 199 4 176 2 075 2 101 1 633 - 1 312 2 481 2 470 11 3 1 988
Santo Aleixo da Restauração 793 389 404 780 381 399 334 - 240 856 856 - 1 826
Santo Amador 412 190 222 418 192 226 180 - 140 386 386 - - 363
Moura (São João Baptista) 4 075 1 967 2 108 3 924 1 881 2 043 1 583 5 1 178 2 558 2 557 1 11 2 251
Sobral da Adiça 1 013 515 498 1 005 508 497 397 1 297 965 951 14 2 950
Ourique 5 389 2 656 2 733 5 223 2 573 2 650 2 308 4 1 660 4 175 4 170 5 12 3 967
Conceição 86 44 42 85 44 41 48 - 26 186 186 - 1 186
Garvão 731 352 379 691 331 360 331 - 234 574 574 - - 568
Ourique 2 874 1 431 1 443 2 789 1 388 1 401 1 183 1 885 1 956 1 954 2 8 1 798
Panóias 496 248 248 487 245 242 208 1 148 396 396 - 1 390
Santa Luzia 352 165 187 347 162 185 147 1 105 299 299 - 1 288
Santana da Serra 850 416 434 824 403 421 391 1 262 764 761 3 1 737
Serpa 15 623 7 632 7 991 14 969 7 294 7 675 6 122 7 4 754 10 356 10 319 37 31 9 751
Aldeia Nova de São Bento 3 072 1 499 1 573 2 911 1 415 1 496 1 168 1 920 2 080 2 076 4 2 2 025
Brinches 1 039 500 539 1 012 488 524 439 1 316 870 869 1 1 840
Pias 2 852 1 399 1 453 2 773 1 349 1 424 1 120 2 846 2 029 2 012 17 4 1 934
Serpa (Salvador) 4 365 2 117 2 248 4 166 2 018 2 148 1 655 3 1 318 2 549 2 539 10 15 2 200
Serpa (Santa Maria) 1 868 902 966 1 790 871 919 757 - 564 1 245 1 241 4 5 1 215
Vale de Vargo 968 477 491 931 460 471 403 - 308 636 635 1 - 633
Vila Verde de Ficalho 1 459 738 721 1 386 693 693 580 - 482 947 947 - 4 904
Vidigueira 5 932 2 917 3 015 5 766 2 833 2 933 2 346 2 1 803 3 880 3 858 22 16 3 679
Pedrógão 1 151 586 565 1 128 576 552 507 - 363 939 938 1 4 936
Selmes 894 444 450 878 435 443 365 - 274 681 681 - 1 674
Vidigueira 2 959 1 439 1 520 2 850 1 380 1 470 1 110 2 882 1 699 1 682 17 9 1 511
Vila de Frades 928 448 480 910 442 468 364 - 284 561 557 4 2 558
Lezíria do Tejo 247 453 119 148 128 305 238 478 113 465 125 013 97 405 159 77 035 137 441 137 204 237 275 107 108
Azambuja 21 814 11 031 10 783 21 097 10 587 10 510 8 197 19 6 550 11 918 11 913 5 19 9 489
Alcoentre 3 448 2 172 1 276 3 347 2 105 1 242 1 003 12 786 1 740 1 739 1 5 1 579
Aveiras de Baixo 1 317 632 685 1 287 615 672 524 1 410 750 749 1 1 646
Aveiras de Cima 4 762 2 282 2 480 4 612 2 190 2 422 1 794 2 1 482 2 453 2 451 2 5 2 189
Azambuja 8 190 3 954 4 236 7 879 3 756 4 123 3 117 4 2 542 4 192 4 192 - 8 2 427
Manique do Intendente 1 216 592 624 1 157 563 594 532 - 402 888 888 - - 869
Vale do Paraíso 880 420 460 852 406 446 367 - 286 512 512 - - 487
Vila Nova da Rainha 926 456 470 911 444 467 372 - 298 474 473 1 - 397
Vila Nova de São Pedro 687 345 342 676 336 340 304 - 220 586 586 - - 574
Maçussa 388 178 210 376 172 204 184 - 124 323 323 - - 321
Almeirim 23 376 11 100 12 276 22 253 10 453 11 800 9 345 11 7 437 12 216 12 196 20 16 9 358
Almeirim 12 812 6 022 6 790 12 091 5 625 6 466 5 191 6 3 998 6 894 6 888 6 10 4 355
Benfica do Ribatejo 3 067 1 490 1 577 2 954 1 421 1 533 1 189 1 989 1 637 1 635 2 2 1 544
Fazendas de Almeirim 6 949 3 328 3 621 6 675 3 154 3 521 2 738 4 2 270 3 326 3 314 12 4 3 102
Raposa 548 260 288 533 253 280 227 - 180 359 359 - - 357
Alpiarça 7 702 3 699 4 003 7 389 3 497 3 892 3 003 3 2 438 4 049 4 048 1 7 3 473
Alpiarça 7 702 3 699 4 003 7 389 3 497 3 892 3 003 3 2 438 4 049 4 048 1 7 3 473
Benavente 29 019 14 166 14 853 27 830 13 375 14 455 10 963 9 8 993 14 728 14 707 21 20 9 547
Benavente 9 174 4 443 4 731 8 820 4 218 4 602 3 553 4 2 854 4 814 4 804 10 9 3 092
Samora Correia 17 123 8 360 8 763 16 369 7 854 8 515 6 366 5 5 320 8 240 8 231 9 10 4 833
Santo Estêvão 1 997 992 1 005 1 934 944 990 767 - 595 1 298 1 297 1 1 1 268
Barrosa 725 371 354 707 359 348 277 - 224 376 375 1 - 354
(continua)

Resultados Definitivos 101


quadros de resultados
ALENTEJO

1.01 POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Cartaxo 24 462 11 844 12 618 23 447 11 217 12 230 9 574 16 7 647 13 331 13 313 18 21 10 007
Cartaxo 11 370 5 422 5 948 10 821 5 087 5 734 4 560 7 3 520 6 070 6 066 4 9 3 230
Ereira 636 310 326 630 305 325 254 1 200 436 436 - 1 437
Lapa 1 200 576 624 1 158 550 608 465 1 370 616 615 1 2 567
Pontével 4 614 2 249 2 365 4 452 2 158 2 294 1 724 5 1 470 2 492 2 489 3 6 2 331
Valada 821 417 404 829 420 409 340 - 260 647 647 - - 634
Vale da Pinta 1 295 660 635 1 227 610 617 508 - 418 765 764 1 1 734
Vila Chã de Ourique 2 771 1 353 1 418 2 643 1 266 1 377 1 060 - 870 1 394 1 390 4 - 1 293
Vale da Pedra 1 755 857 898 1 687 821 866 663 2 539 911 906 5 2 781
Chamusca 10 120 4 878 5 242 9 762 4 664 5 098 4 167 5 3 222 6 222 6 217 5 13 5 804
Chamusca 3 360 1 603 1 757 3 248 1 538 1 710 1 372 3 1 050 1 926 1 925 1 8 1 603
Chouto 577 288 289 556 275 281 261 - 190 544 543 1 - 542
Pinheiro Grande 939 460 479 895 432 463 379 - 290 538 537 1 2 527
Ulme 1 277 621 656 1 250 599 651 518 - 418 757 757 - - 729
Vale de Cavalos 1 032 485 547 984 459 525 435 - 345 724 722 2 - 704
Parreira 915 448 467 902 441 461 377 1 296 502 502 - 1 500
Carregueira 2 020 973 1 047 1 927 920 1 007 825 1 633 1 231 1 231 - 2 1 199
Coruche 19 944 9 523 10 421 19 048 8 972 10 076 8 329 9 6 493 12 631 12 575 56 18 11 790
Coruche 8 913 4 165 4 748 8 468 3 893 4 575 3 685 4 2 817 5 305 5 269 36 7 4 555
Couço 2 765 1 323 1 442 2 661 1 268 1 393 1 200 4 910 2 163 2 160 3 8 2 128
São José da Lamarosa 1 727 833 894 1 663 793 870 738 - 588 996 996 - 1 992
Fajarda 1 839 888 951 1 727 819 908 736 1 590 1 117 1 109 8 2 1 097
Branca 1 474 729 745 1 402 687 715 611 - 501 941 937 4 - 941
Erra 1 004 491 513 956 457 499 425 - 325 611 611 - - 600
Biscainho 1 074 519 555 1 030 490 540 433 - 360 773 772 1 - 764
Santana do Mato 1 148 575 573 1 141 565 576 501 - 402 725 721 4 - 713
Golegã 5 465 2 560 2 905 5 261 2 444 2 817 2 135 6 1 689 3 115 3 114 1 13 2 773
Azinhaga 1 620 790 830 1 593 776 817 620 1 509 837 837 - 2 812
Golegã 3 845 1 770 2 075 3 668 1 668 2 000 1 515 5 1 180 2 278 2 277 1 11 1 961
Rio Maior 21 192 10 255 10 937 20 511 9 875 10 636 8 304 14 6 500 12 435 12 428 7 45 9 829
Alcobertas 1 923 974 949 1 858 940 918 703 1 555 1 016 1 015 1 5 1 014
Arrouquelas 591 285 306 566 272 294 245 1 176 396 396 - 1 389
Arruda dos Pisões 405 186 219 392 180 212 163 - 129 274 274 - - 270
Azambujeira 458 230 228 457 232 225 194 - 141 290 289 1 - 289
Fráguas 905 429 476 865 407 458 351 2 279 489 489 - 2 488
Marmeleira 437 210 227 433 205 228 168 1 128 368 367 1 1 359
Outeiro da Cortiçada 674 327 347 631 304 327 268 - 216 449 449 - 1 441
Rio Maior 12 005 5 779 6 226 11 671 5 595 6 076 4 683 7 3 678 6 839 6 837 2 31 4 289
São João da Ribeira 892 439 453 849 409 440 344 1 288 530 529 1 1 526
Asseiceira 1 017 497 520 987 472 515 405 - 320 629 629 - 1 614
São Sebastião 523 244 279 500 232 268 223 - 160 300 299 1 - 296
Ribeira de São João 496 241 255 472 229 243 196 - 158 311 311 - 1 311
Malaqueijo 438 209 229 427 203 224 194 1 135 297 297 - 1 297
Assentiz 428 205 223 403 195 208 167 - 137 247 247 - - 246
Salvaterra de Magos 22 159 10 645 11 514 21 160 10 020 11 140 8 447 28 6 943 11 698 11 667 31 38 10 713
Glória do Ribatejo 3 224 1 586 1 638 3 134 1 524 1 610 1 266 - 1 089 1 546 1 546 - - 1 531
Marinhais 6 336 3 072 3 264 6 071 2 890 3 181 2 441 6 2 015 3 487 3 467 20 7 3 253
Muge 1 270 598 672 1 250 587 663 518 1 402 778 777 1 3 753
Salvaterra de Magos 5 526 2 604 2 922 5 143 2 412 2 731 2 115 9 1 638 2 977 2 971 6 16 2 337
Foros de Salvaterra 4 920 2 350 2 570 4 714 2 197 2 517 1 767 12 1 507 2 435 2 431 4 12 2 365
Granho 883 435 448 848 410 438 340 - 292 475 475 - - 474
(continua)

102 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE, POPULAÇÃO PRESENTE, FAMÍLIAS, NÚCLEOS FAMÍLIARES, ALOJAMENTOS E EDIFÍCIOS 1.01

(continuação)

População residente População presente Famílias Alojamentos famíliares


Núcleos Alojamentos Edifícios
ZONA GEOGRÁFICA
famíliares coletivos clássicos
Institu- Não
HM H M HM H M Clássicas Total Clássicos
cionais clássicos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Santarém 62 200 29 447 32 753 60 720 28 361 32 359 24 941 39 19 123 35 098 35 026 72 65 24 325
Abitureiras 972 455 517 932 435 497 385 2 301 585 585 - 2 581
Abrã 1 122 550 572 1 074 516 558 447 - 355 686 686 - - 664
Achete 1 918 938 980 1 875 905 970 759 2 604 1 210 1 209 1 2 1 202
Alcanede 4 547 2 247 2 300 4 430 2 170 2 260 1 775 - 1 449 2 456 2 456 - - 2 388
Alcanhões 1 469 704 765 1 421 679 742 558 2 452 794 794 - 2 781
Almoster 1 818 852 966 1 738 783 955 706 2 541 1 265 1 261 4 2 1 257
Amiais de Baixo 1 851 908 943 1 789 867 922 740 1 569 1 042 1 041 1 1 959
Arneiro das Milhariças 835 399 436 798 374 424 363 - 262 575 574 1 1 569
Azoia de Baixo 297 124 173 295 120 175 97 1 70 146 146 - 1 139
Azoia de Cima 496 239 257 486 228 258 206 - 159 331 330 1 2 322
Casével 864 424 440 831 404 427 370 - 267 615 612 3 1 600
Santarém (Marvila) 9 044 4 016 5 028 9 046 3 951 5 095 3 862 13 2 647 5 327 5 306 21 17 1 632
Moçarria 1 136 549 587 1 105 527 578 441 - 355 661 660 1 - 653
Pernes 1 446 688 758 1 392 661 731 565 2 422 769 767 2 3 632
Pombalinho 448 213 235 439 209 230 204 - 135 304 304 - - 303
Póvoa da Isenta 1 127 553 574 1 115 539 576 424 2 336 661 659 2 2 655
Póvoa de Santarém 708 342 366 689 330 359 246 1 212 353 352 1 1 348
Romeira 783 388 395 741 365 376 289 1 246 432 431 1 2 423
Santa Iria da Ribeira de Santarém 745 329 416 721 314 407 323 - 230 481 470 11 - 339
Santarém (São Nicolau) 9 627 4 501 5 126 9 546 4 413 5 133 3 922 5 2 925 5 201 5 197 4 9 1 727
Santarém (São Salvador) 10 513 4 993 5 520 10 169 4 758 5 411 4 161 3 3 251 5 304 5 300 4 9 2 580
São Vicente do Paul 1 835 880 955 1 764 834 930 717 - 593 1 168 1 165 3 - 1 155
Tremês 1 981 931 1 050 1 915 891 1 024 808 1 631 1 156 1 155 1 1 1 128
Vale de Figueira 1 082 540 542 1 045 512 533 417 - 353 585 585 - - 551
Vale de Santarém 2 920 1 403 1 517 2 838 1 348 1 490 1 164 1 925 1 597 1 587 10 3 1 393
Vaqueiros 285 137 148 270 130 140 105 - 91 174 174 - - 166
Várzea 1 817 897 920 1 758 859 899 695 - 582 942 942 - 4 905
Gançaria 514 247 267 498 239 259 192 - 160 278 278 - - 273

(fim)

Resultados Definitivos 103


quadros de resultados
ALENTEJO

1.02 POPULAÇÃO RESIDENTE EM 2001 E 2011, SEGUNDO OS GRUPOS ETÁRIOS E SUA EVOLUÇÃO ENTRE 2001 E 2011

População residente

Em 2001 Em 2011
ZONA GEOGRÁFICA
Total Grupos etários Total Grupos etários

HM H 0 - 14 15 - 24 25 - 64 65 ou mais HM H 0 - 14 15 - 24 25 - 64 65 ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Alentejo 776 585 379 310 106 645 100 507 395 932 173 501 757 302 366 739 102 774 73 753 397 787 182 988
Alentejo Litoral 99 976 50 037 13 102 13 320 51 933 21 621 97 925 48 624 12 413 9 231 52 838 23 443
Odemira 26 106 13 299 3 370 3 109 13 131 6 496 26 066 13 171 3 162 2 427 13 642 6 835
Alcácer do Sal 14 287 7 013 1 841 1 946 7 365 3 135 13 046 6 332 1 685 1 226 6 855 3 280
Grândola 14 901 7 502 1 810 1 808 7 669 3 614 14 826 7 506 1 837 1 304 7 897 3 788
Santiago do Cacém 31 105 15 389 3 973 4 467 16 386 6 279 29 749 14 586 3 661 2 687 16 365 7 036
Sines 13 577 6 834 2 108 1 990 7 382 2 097 14 238 7 029 2 068 1 587 8 079 2 504
Alto Alentejo 127 026 61 462 16 852 15 585 61 594 32 995 118 410 56 796 15 007 11 456 59 615 32 332
Mora 5 788 2 807 637 722 2 691 1 738 4 978 2 415 504 394 2 424 1 656
Alter do Chão 3 938 1 867 475 418 1 744 1 301 3 562 1 680 384 317 1 672 1 189
Arronches 3 389 1 686 392 372 1 577 1 048 3 165 1 535 332 286 1 478 1 069
Avis 5 197 2 513 654 568 2 484 1 491 4 571 2 178 519 481 2 165 1 406
Campo Maior 8 387 4 099 1 289 1 178 4 187 1 733 8 456 4 098 1 316 927 4 381 1 832
Castelo de Vide 3 872 1 876 511 410 1 792 1 159 3 407 1 629 344 309 1 625 1 129
Crato 4 348 2 077 436 440 2 016 1 456 3 708 1 725 351 266 1 788 1 303
Elvas 23 361 11 398 3 754 3 147 11 533 4 927 23 078 11 092 3 571 2 622 11 782 5 103
Fronteira 3 732 1 790 481 454 1 755 1 042 3 410 1 627 438 323 1 689 960
Gavião 4 887 2 339 445 443 2 087 1 912 4 132 1 951 358 304 1 785 1 685
Marvão 4 029 1 954 441 417 1 869 1 302 3 512 1 720 333 294 1 725 1 160
Monforte 3 393 1 559 434 436 1 575 948 3 329 1 553 489 325 1 560 955
Nisa 8 585 4 104 837 824 3 835 3 089 7 450 3 537 705 529 3 390 2 826
Ponte de Sor 18 140 8 789 2 570 2 241 9 022 4 307 16 722 8 085 2 113 1 713 8 650 4 246
Portalegre 25 980 12 604 3 496 3 515 13 427 5 542 24 930 11 971 3 250 2 366 13 501 5 813
Alentejo Central 173 646 84 246 24 220 22 686 87 858 38 882 166 822 80 222 22 189 16 562 87 304 40 767
Alandroal 6 585 3 207 814 800 3 131 1 840 5 843 2 833 665 549 2 852 1 777
Arraiolos 7 616 3 679 998 936 3 711 1 971 7 363 3 576 912 694 3 825 1 932
Borba 7 782 3 869 1 011 975 3 998 1 798 7 333 3 615 850 715 3 817 1 951
Estremoz 15 672 7 535 2 099 1 870 7 670 4 033 14 318 6 813 1 666 1 426 7 144 4 082
Évora 56 519 27 012 8 422 7 958 29 726 10 413 56 596 26 831 8 148 5 895 31 386 11 167
Montemor-o-Novo 18 578 9 115 2 334 2 370 9 119 4 755 17 437 8 461 2 095 1 571 8 768 5 003
Mourão 3 230 1 724 527 393 1 552 758 2 663 1 315 412 320 1 248 683
Portel 7 109 3 475 1 024 897 3 487 1 701 6 428 3 152 801 636 3 218 1 773
Redondo 7 288 3 581 987 998 3 530 1 773 7 031 3 434 901 716 3 603 1 811
Reguengos de Monsaraz 11 382 5 537 1 630 1 431 5 600 2 721 10 828 5 274 1 542 1 109 5 563 2 614
Vendas Novas 11 619 5 712 1 531 1 430 6 329 2 329 11 846 5 705 1 671 1 060 6 141 2 974
Viana do Alentejo 5 615 2 727 831 728 2 655 1 401 5 743 2 780 823 582 2 871 1 467
Vila Viçosa 8 871 4 359 1 276 1 220 4 661 1 714 8 319 4 057 1 061 829 4 478 1 951
Sousel 5 780 2 714 736 680 2 689 1 675 5 074 2 376 642 460 2 390 1 582
Baixo Alentejo 135 105 66 651 18 404 17 380 66 945 32 376 126 692 61 949 16 884 12 659 65 264 31 885
Aljustrel 10 567 5 277 1 370 1 378 5 374 2 445 9 257 4 579 1 063 898 4 938 2 358
Almodôvar 8 145 4 160 936 1 014 4 071 2 124 7 449 3 677 883 641 3 684 2 241
Alvito 2 688 1 321 350 355 1 249 734 2 504 1 199 325 261 1 212 706
Barrancos 1 924 942 255 228 951 490 1 834 890 246 164 968 456
Beja 35 762 17 194 5 161 4 931 18 395 7 275 35 854 17 387 5 374 3 571 19 347 7 562
Castro Verde 7 603 3 813 1 045 1 003 3 865 1 690 7 276 3 567 956 752 3 800 1 768
Cuba 4 994 2 425 700 636 2 384 1 274 4 878 2 384 637 530 2 467 1 244
Ferreira do Alentejo 9 010 4 403 1 156 1 179 4 430 2 245 8 255 4 021 1 012 777 4 256 2 210
Mértola 8 712 4 334 1 005 949 3 938 2 820 7 274 3 593 665 647 3 449 2 513
Moura 16 590 8 345 2 546 2 206 8 128 3 710 15 167 7 447 2 402 1 640 7 549 3 576
Ourique 6 199 3 133 656 679 2 978 1 886 5 389 2 656 550 435 2 645 1 759
Serpa 16 723 8 272 2 316 2 073 8 263 4 071 15 623 7 632 1 953 1 647 7 986 4 037
Vidigueira 6 188 3 032 908 749 2 919 1 612 5 932 2 917 818 696 2 963 1 455
Lezíria do Tejo 240 832 116 914 34 067 31 536 127 602 47 627 247 453 119 148 36 281 23 845 132 766 54 561
Azambuja 20 837 10 535 2 929 2 749 11 303 3 856 21 814 11 031 3 206 1 956 12 257 4 395
Almeirim 21 957 10 490 3 060 2 841 11 796 4 260 23 376 11 100 3 539 2 134 12 566 5 137
Alpiarça 8 024 3 873 1 029 994 4 147 1 854 7 702 3 699 1 144 670 4 003 1 885
Benavente 23 257 11 497 3 931 3 122 12 776 3 428 29 019 14 166 5 146 3 130 16 091 4 652
Cartaxo 23 389 11 414 3 306 3 111 12 702 4 270 24 462 11 844 3 597 2 394 13 378 5 093
Chamusca 11 492 5 558 1 436 1 483 5 935 2 638 10 120 4 878 1 177 942 5 287 2 714
Coruche 21 332 10 329 2 499 2 536 10 974 5 323 19 944 9 523 2 388 1 684 10 007 5 865
Golegã 5 710 2 694 815 720 2 896 1 279 5 465 2 560 735 546 2 805 1 379
Rio Maior 21 110 10 364 3 258 2 856 11 132 3 864 21 192 10 255 3 199 2 223 11 385 4 385
Salvaterra de Magos 20 161 9 761 2 866 2 677 10 812 3 806 22 159 10 645 3 259 2 120 11 886 4 894
Santarém 63 563 30 399 8 938 8 447 33 129 13 049 62 200 29 447 8 891 6 046 33 101 14 162
(continua)

104 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE EM 2001 E 2011, SEGUNDO OS GRUPOS ETÁRIOS E SUA EVOLUÇÃO ENTRE 2001 E 2011 1.02

(continuação)

População residente-Variação entre 2001 e 2011 (%)

ZONA GEOGRÁFICA
Grupos etários
Variação
Total
0 - 14 15 - 24 25 - 64 65 ou mais

1 14 15 16 17 18

Alentejo -2,48 -3,63 -26,62 0,47 5,47


Alentejo Litoral -2,05 -5,26 -30,70 1,74 8,43
Odemira -0,15 -6,17 -21,94 3,89 5,22
Alcácer do Sal -8,69 -8,47 -37,00 -6,92 4,63
Grândola -0,50 1,49 -27,88 2,97 4,81
Santiago do Cacém -4,36 -7,85 -39,85 -0,13 12,06
Sines 4,87 -1,90 -20,25 9,44 19,41
Alto Alentejo -6,78 -10,95 -26,49 -3,21 -2,01
Mora -13,99 -20,88 -45,43 -9,92 -4,72
Alter do Chão -9,55 -19,16 -24,16 -4,13 -8,61
Arronches -6,61 -15,31 -23,12 -6,28 2
Avis -12,05 -20,64 -15,32 -12,84 -5,70
Campo Maior 0,82 2,09 -21,31 4,63 5,71
Castelo de Vide -12,01 -32,68 -24,63 -9,32 -2,59
Crato -14,72 -19,50 -39,55 -11,31 -10,51
Elvas -1,21 -4,87 -16,68 2,16 3,57
Fronteira -8,63 -8,94 -28,85 -3,76 -7,87
Gavião -15,45 -19,55 -31,38 -14,47 -11,87
Marvão -12,83 -24,49 -29,50 -7,70 -10,91
Monforte -1,89 12,67 -25,46 -0,95 0,74
Nisa -13,22 -15,77 -35,80 -11,60 -8,51
Ponte de Sor -7,82 -17,78 -23,56 -4,12 -1,42
Portalegre -4,04 -7,04 -32,69 0,55 4,89
Alentejo Central -3,93 -8,39 -26,99 -0,63 4,85
Alandroal -11,27 -18,30 -31,38 -8,91 -3,42
Arraiolos -3,32 -8,62 -25,85 3,07 -1,98
Borba -5,77 -15,92 -26,67 -4,53 8,51
Estremoz -8,64 -20,63 -23,74 -6,86 1,21
Évora 0,14 -3,25 -25,92 5,58 7,24
Montemor-o-Novo -6,14 -10,24 -33,71 -3,85 5,22
Mourão -17,55 -21,82 -18,58 -19,59 -9,89
Portel -9,58 -21,78 -29,10 -7,71 4,23
Redondo -3,53 -8,71 -28,26 2,07 2,14
Reguengos de Monsaraz -4,87 -5,40 -22,50 -0,66 -3,93
Vendas Novas 1,95 9,14 -25,87 -2,97 27,69
Viana do Alentejo 2,28 -0,96 -20,05 8,14 4,71
Vila Viçosa -6,22 -16,85 -32,05 -3,93 13,83
Sousel -12,21 -12,77 -32,35 -11,12 -5,55
Baixo Alentejo -6,23 -8,26 -27,16 -2,51 -1,52
Aljustrel -12,40 -22,41 -34,83 -8,11 -3,56
Almodôvar -8,55 -5,66 -36,79 -9,51 5,51
Alvito -6,85 -7,14 -26,48 -2,96 -3,81
Barrancos -4,68 -3,53 -28,07 1,79 -6,94
Beja 0,26 4,13 -27,58 5,18 3,95
Castro Verde -4,30 -8,52 -25,02 -1,68 4,62
Cuba -2,32 - 9 -16,67 3,48 -2,35
Ferreira do Alentejo -8,38 -12,46 -34,10 -3,93 -1,56
Mértola -16,51 -33,83 -31,82 -12,42 -10,89
Moura -8,58 -5,66 -25,66 -7,12 -3,61
Ourique -13,07 -16,16 -35,94 -11,18 -6,73
Serpa -6,58 -15,67 -20,55 -3,35 -0,84
Vidigueira -4,14 -9,91 -7,08 1,51 -9,74
Lezíria do Tejo 2,75 6,50 -24,39 4,05 14,56
Azambuja 4,69 9,46 -28,85 8,44 13,98
Almeirim 6,46 15,65 -24,89 6,53 20,59
Alpiarça -4,01 11,18 -32,60 -3,47 1,67
Benavente 24,78 30,91 0,26 25,95 35,71
Cartaxo 4,59 8,80 -23,05 5,32 19,27
Chamusca -11,94 -18,04 -36,48 -10,92 2,88
Coruche -6,51 -4,44 -33,60 -8,81 10,18
Golegã -4,29 -9,82 -24,17 -3,14 7,82
Rio Maior 0,39 -1,81 -22,16 2,27 13,48
Salvaterra de Magos 9,91 13,71 -20,81 9,93 28,59
Santarém -2,14 -0,53 -28,42 -0,08 8,53
(fim)

Resultados Definitivos 105


quadros de resultados
ALENTEJO

1.03 POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO E SEXO E TAXA DE ANALFABETISMO

População residente segundo o nível de escolaridade atingido

População Residente Ensino básico


Nenhum nível
ZONA GEOGRÁFICA Ensino pré-escolar
de escolaridade
1º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo

HM H HM H HM H HM H HM H HM H

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Alentejo 757 302 366 739 92 570 37 114 17 954 9 202 237 339 114 945 73 207 41 532 117 275 63 728
Alentejo Litoral 97 925 48 624 14 325 5 910 2 196 1 120 29 186 15 311 9 154 5 144 15 456 8 373
Odemira 26 066 13 171 4 730 2 102 549 270 7 911 4 331 2 293 1 319 4 148 2 192
Alcácer do Sal 13 046 6 332 2 029 724 355 187 4 450 2 313 1 345 763 1 868 1 035
Grândola 14 826 7 506 2 280 896 317 162 4 631 2 486 1 574 927 2 212 1 242
Santiago do Cacém 29 749 14 586 3 814 1 546 642 333 8 278 4 258 2 551 1 381 4 781 2 578
Sines 14 238 7 029 1 472 642 333 168 3 916 1 923 1 391 754 2 447 1 326
Alto Alentejo 118 410 56 796 15 816 6 254 2 553 1 283 38 764 18 307 11 565 6 423 17 533 9 687
Mora 4 978 2 415 773 299 73 45 1 949 935 476 276 680 378
Alter do Chão 3 562 1 680 511 192 70 29 1 314 589 342 190 462 257
Arronches 3 165 1 535 590 226 55 30 1 068 532 328 176 410 235
Avis 4 571 2 178 668 260 83 33 1 709 837 460 248 560 282
Campo Maior 8 456 4 098 1 129 479 221 110 2 552 1 220 832 468 1 385 764
Castelo de Vide 3 407 1 629 458 180 57 31 1 155 552 284 162 563 310
Crato 3 708 1 725 544 186 56 34 1 487 706 377 207 515 261
Elvas 23 078 11 092 2 799 1 154 570 282 6 598 3 099 2 443 1 328 3 707 1 999
Fronteira 3 410 1 627 494 196 84 50 1 121 532 394 204 482 258
Gavião 4 132 1 951 687 232 56 34 1 703 812 407 234 580 319
Marvão 3 512 1 720 547 232 52 24 1 271 602 378 226 486 277
Monforte 3 329 1 553 650 283 75 28 1 160 543 312 158 435 229
Nisa 7 450 3 537 1 005 375 125 62 3 025 1 370 640 359 1 017 601
Ponte de Sor 16 722 8 085 2 377 892 350 180 5 664 2 755 1 777 1 028 2 362 1 297
Portalegre 24 930 11 971 2 584 1 068 626 311 6 988 3 223 2 115 1 159 3 889 2 220
Alentejo Central 166 822 80 222 19 597 8 086 3 776 2 010 51 365 24 304 16 072 9 104 25 098 13 605
Alandroal 5 843 2 833 897 380 115 64 2 230 1 026 644 374 859 479
Arraiolos 7 363 3 576 886 396 159 80 2 460 1 173 755 429 1 102 577
Borba 7 333 3 615 1 046 413 134 66 2 429 1 210 715 405 1 132 623
Estremoz 14 318 6 813 1 939 750 278 156 4 508 2 098 1 251 714 2 183 1 200
Évora 56 596 26 831 5 079 2 151 1 346 707 13 994 6 413 5 064 2 760 8 649 4 682
Montemor-o-Novo 17 437 8 461 2 333 946 389 199 6 087 2 936 1 593 912 2 412 1 309
Mourão 2 663 1 315 358 142 67 35 948 473 314 186 416 210
Portel 6 428 3 152 922 402 113 66 2 421 1 157 781 475 860 479
Redondo 7 031 3 434 848 381 139 71 2 531 1 211 765 453 1 130 618
Reguengos de Monsaraz 10 828 5 274 1 323 531 267 155 3 676 1 763 1 112 659 1 578 838
Vendas Novas 11 846 5 705 1 365 532 305 176 3 883 1 826 1 113 619 1 796 973
Viana do Alentejo 5 743 2 780 841 347 160 83 1 812 870 614 378 846 461
Vila Viçosa 8 319 4 057 939 382 194 103 2 658 1 305 917 507 1 271 715
Sousel 5 074 2 376 821 333 110 49 1 728 843 434 233 864 441
Baixo Alentejo 126 692 61 949 17 110 7 077 3 025 1 494 39 498 20 035 12 238 7 130 20 215 10 794
Aljustrel 9 257 4 579 1 116 431 194 93 3 174 1 667 916 522 1 586 860
Almodôvar 7 449 3 677 1 272 587 170 72 2 487 1 327 577 296 1 284 690
Alvito 2 504 1 199 391 162 57 22 750 383 244 133 401 212
Barrancos 1 834 890 258 104 52 22 523 266 240 155 291 154
Beja 35 854 17 387 3 754 1 498 1 064 528 9 216 4 495 3 048 1 780 5 937 3 221
Castro Verde 7 276 3 567 812 348 190 95 2 399 1 208 673 402 1 198 645
Cuba 4 878 2 384 619 304 118 60 1 559 760 458 261 746 381
Ferreira do Alentejo 8 255 4 021 1 322 541 163 73 2 727 1 402 839 478 1 324 717
Mértola 7 274 3 593 1 142 483 117 61 2 831 1 400 752 461 959 534
Moura 15 167 7 447 2 426 963 352 189 4 858 2 464 1 707 1 016 2 356 1 253
Ourique 5 389 2 656 984 437 95 49 1 794 969 504 283 804 393
Serpa 15 623 7 632 2 245 882 316 161 5 174 2 670 1 696 996 2 455 1 288
Vidigueira 5 932 2 917 769 337 137 69 2 006 1 024 584 347 874 446
Lezíria do Tejo 247 453 119 148 25 722 9 787 6 404 3 295 78 526 36 988 24 178 13 731 38 973 21 269
Azambuja 21 814 11 031 2 112 867 549 291 7 024 3 473 2 211 1 270 3 611 2 131
Almeirim 23 376 11 100 2 804 1 039 632 304 7 520 3 556 2 358 1 334 3 366 1 849
Alpiarça 7 702 3 699 908 336 222 119 2 788 1 312 643 372 1 128 610
Benavente 29 019 14 166 2 685 1 133 944 490 7 935 3 780 2 978 1 723 5 222 2 802
Cartaxo 24 462 11 844 1 976 769 609 320 7 473 3 498 2 427 1 352 4 196 2 307
Chamusca 10 120 4 878 1 069 374 227 116 4 086 1 936 1 111 631 1 496 847
Coruche 19 944 9 523 3 330 1 195 395 201 7 263 3 627 1 828 1 049 2 693 1 416
Golegã 5 465 2 560 502 154 142 77 1 812 806 572 290 850 475
Rio Maior 21 192 10 255 1 845 727 586 286 7 039 3 353 2 226 1 250 3 453 1 861
Salvaterra de Magos 22 159 10 645 3 196 1 187 504 256 6 802 3 286 2 398 1 340 3 475 1 892
Santarém 62 200 29 447 5 295 2 006 1 594 835 18 784 8 361 5 426 3 120 9 483 5 079
(continua)

106 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE, SEGUNDO O NÍVEL DE ESCOLARIDADE ATINGIDO E SEXO E TAXA DE ANALFABETISMO 1.03

(continuação)

População residente segundo o nível de escolaridade atingido


Analfabetos
Taxa de
com 10 ou mais anos
ZONA GEOGRÁFICA Ensino secundário Ensino pós-secundário Ensino superior analfabetismo
(%)

HM H HM H HM H HM H

1 14 15 16 17 18 19 20 21 22

Alentejo 123 105 60 777 5 781 3 149 90 071 36 292 66 103 23 822 9,57
Alentejo Litoral 16 729 8 274 813 438 10 066 4 054 10 414 4 038 11,60
Odemira 4 055 1 963 170 90 2 210 904 3 771 1 642 15,68
Alcácer do Sal 1 858 874 80 42 1 061 394 1 570 505 13,17
Grândola 2 423 1 257 105 50 1 284 486 1 702 617 12,50
Santiago do Cacém 5 569 2 785 289 155 3 825 1 550 2 616 972 9,57
Sines 2 824 1 395 169 101 1 686 720 755 302 5,87
Alto Alentejo 18 193 9 033 742 396 13 244 5 413 11 938 4 278 10,96
Mora 617 304 24 11 386 167 653 250 13,99
Alter do Chão 529 263 14 9 320 151 414 152 12,47
Arronches 436 222 18 13 260 101 491 177 16,54
Avis 701 340 24 20 366 158 564 203 13,28
Campo Maior 1 416 672 69 29 852 356 736 281 9,70
Castelo de Vide 499 228 16 6 375 160 421 154 13,13
Crato 440 225 14 8 275 98 464 148 13,27
Elvas 4 192 2 064 185 102 2 584 1 064 1 711 597 8,24
Fronteira 495 229 18 11 322 147 398 151 12,70
Gavião 466 226 19 10 214 84 600 183 15,36
Marvão 456 218 17 9 305 132 438 176 13,24
Monforte 426 198 25 13 246 101 519 204 17,29
Nisa 946 481 47 29 645 260 902 313 12,86
Ponte de Sor 2 524 1 281 89 46 1 579 606 1 875 622 12,17
Portalegre 4 050 2 082 163 80 4 515 1 828 1 752 667 7,67
Alentejo Central 27 719 13 545 1 231 669 21 964 8 899 14 126 5 333 9,26
Alandroal 707 349 25 16 366 145 753 316 13,88
Arraiolos 1 254 633 45 23 702 265 680 282 10,03
Borba 1 191 606 71 35 615 257 846 302 12,44
Estremoz 2 508 1 206 101 57 1 550 632 1 584 580 11,93
Évora 10 318 5 018 473 257 11 673 4 843 2 844 1 024 5,54
Montemor-o-Novo 2 664 1 356 110 56 1 849 747 1 827 693 11,37
Mourão 390 194 9 5 161 70 284 110 11,79
Portel 869 395 42 25 420 153 721 299 12,16
Redondo 1 001 465 54 28 563 207 669 294 10,35
Reguengos de Monsaraz 1 661 839 76 45 1 135 444 1 025 376 10,41
Vendas Novas 2 084 1 054 97 56 1 203 469 882 292 8,21
Viana do Alentejo 946 439 41 21 483 181 645 251 12,39
Vila Viçosa 1 452 677 61 30 827 338 711 265 9,28
Sousel 674 314 26 15 417 148 655 249 14,02
Baixo Alentejo 19 270 9 277 832 439 14 504 5 703 12 889 4 927 11,14
Aljustrel 1 314 623 48 26 909 357 883 324 10,28
Almodôvar 1 080 476 38 17 541 212 1 035 453 15,06
Alvito 398 183 21 11 242 93 321 118 13,93
Barrancos 329 133 11 6 130 50 151 52 9,04
Beja 6 128 3 115 285 167 6 422 2 583 2 430 848 7,54
Castro Verde 1 095 510 54 23 855 336 590 237 8,84
Cuba 800 390 44 24 534 204 445 205 10,00
Ferreira do Alentejo 1 119 520 45 19 716 271 985 364 12,97
Mértola 976 457 29 15 468 182 1 025 418 14,92
Moura 2 114 1 024 84 41 1 270 497 1 732 613 12,72
Ourique 815 374 18 10 375 141 804 354 15,92
Serpa 2 184 1 031 100 56 1 453 548 1 885 681 13,09
Vidigueira 918 441 55 24 589 229 603 260 11,16
Lezíria do Tejo 41 194 20 648 2 163 1 207 30 293 12 223 16 736 5 246 7,48
Azambuja 3 975 2 039 192 98 2 140 862 1 283 476 6,50
Almeirim 3 706 1 829 200 116 2 790 1 073 1 892 568 9,00
Alpiarça 1 089 563 69 38 855 349 641 187 9,23
Benavente 5 567 2 661 314 160 3 374 1 417 1 364 456 5,32
Cartaxo 4 372 2 190 246 136 3 163 1 272 1 117 333 5,05
Chamusca 1 307 657 50 27 774 290 886 290 9,49
Coruche 2 579 1 299 136 71 1 720 665 2 689 843 14,59
Golegã 939 494 36 18 612 246 398 121 7,94
Rio Maior 3 513 1 738 218 120 2 312 920 1 110 367 5,80
Salvaterra de Magos 3 634 1 791 183 110 1 967 783 2 218 683 11,04
Santarém 10 513 5 387 519 313 10 586 4 346 3 138 922 5,56
(fim)

Resultados Definitivos 107


quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE ECONOMICAMENTE ACTIVA (SENTIDO RESTRITO) E EMPREGADA, SEGUNDO O SEXO


1.04 E O RAMO DE ACTIVIDADE E TAXAS DE ACTIVIDADE

População economicamente activa

Empregada Taxa de actividade (%)


Total
ZONA GEOGRÁFICA Total Terciário
Relacionados
Primário Secundário De
com a
HM H HM H Total natureza HM H M
actividade
social
económica
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Alentejo 342 654 181 596 298 691 159 956 28 062 65 576 205 053 96 445 108 608 45,25 49,52 41,24
Alentejo Litoral 45 214 24 834 40 287 22 534 4 702 10 005 25 580 11 213 14 367 46,17 51,07 41,34
Odemira 11 501 6 508 9 927 5 732 2 271 1 865 5 791 2 446 3 345 44,12 49,41 38,72
Alcácer do Sal 5 951 3 241 5 291 2 917 928 1 014 3 349 1 487 1 862 45,62 51,18 40,36
Grândola 6 305 3 375 5 608 3 051 458 1 136 4 014 1 820 2 194 42,53 44,96 40,03
Santiago do Cacém 14 210 7 734 12 914 7 179 812 3 931 8 171 3 829 4 342 47,77 53,02 42,71
Sines 7 247 3 976 6 547 3 655 233 2 059 4 255 1 631 2 624 50,90 56,57 45,37
Alto Alentejo 50 474 26 458 42 554 22 543 3 809 7 883 30 862 16 863 13 999 42,63 46,58 38,98
Mora 2 094 1 129 1 811 1 010 217 380 1 214 661 553 42,07 46,75 37,65
Alter do Chão 1 410 735 1 220 642 220 175 825 546 279 39,58 43,75 35,87
Arronches 1 292 713 1 106 602 135 167 804 537 267 40,82 46,45 35,52
Avis 1 842 977 1 546 848 300 250 996 622 374 40,30 44,86 36,15
Campo Maior 3 859 2 037 3 277 1 754 214 1 050 2 013 941 1 072 45,64 49,71 41,81
Castelo de Vide 1 332 670 1 199 604 68 211 920 561 359 39,10 41,13 37,23
Crato 1 416 731 1 244 641 92 262 890 554 336 38,19 42,38 34,54
Elvas 10 180 5 293 8 303 4 370 680 1 193 6 430 3 086 3 344 44,11 47,72 40,77
Fronteira 1 493 793 1 268 694 202 216 850 508 342 43,78 48,74 39,26
Gavião 1 369 748 1 118 621 83 240 795 475 320 33,13 38,34 28,47
Marvão 1 355 738 1 219 658 94 230 895 461 434 38,58 42,91 34,43
Monforte 1 309 689 1 111 586 188 129 794 539 255 39,32 44,37 34,91
Nisa 2 634 1 430 2 307 1 252 135 497 1 675 996 679 35,36 40,43 30,77
Ponte de Sor 7 409 3 992 5 859 3 220 773 1 221 3 865 1 781 2 084 44,31 49,38 39,56
Portalegre 11 480 5 783 9 966 5 041 408 1 662 7 896 4 595 3 301 46,05 48,31 43,96
Alentejo Central 76 567 39 975 67 996 35 813 6 451 14 441 47 104 24 023 23 081 45,90 49,83 42,25
Alandroal 2 439 1 359 2 058 1 178 354 624 1 080 599 481 41,74 47,97 35,88
Arraiolos 3 484 1 869 3 136 1 721 366 795 1 975 986 989 47,32 52,27 42,65
Borba 3 252 1 777 2 797 1 552 327 777 1 693 754 939 44,35 49,16 39,67
Estremoz 6 349 3 285 5 656 2 964 567 1 105 3 984 1 918 2 066 44,34 48,22 40,83
Évora 27 668 13 756 24 742 12 287 1 039 4 350 19 353 10 252 9 101 48,89 51,27 46,74
Montemor-o-Novo 7 884 4 230 7 231 3 918 1 010 1 481 4 740 2 213 2 527 45,21 49,99 40,71
Mourão 1 094 595 844 481 104 143 597 397 200 41,08 45,25 37,02
Portel 2 789 1 556 2 361 1 326 455 528 1 378 770 608 43,39 49,37 37,64
Redondo 3 213 1 757 2 804 1 558 553 572 1 679 876 803 45,70 51,16 40,48
Reguengos de Monsaraz 4 716 2 565 4 087 2 250 571 809 2 707 1 374 1 333 43,55 48,63 38,73
Vendas Novas 5 216 2 728 4 773 2 514 312 1 319 3 142 1 426 1 716 44,03 47,82 40,51
Viana do Alentejo 2 614 1 388 2 362 1 271 290 522 1 550 807 743 45,52 49,93 41,38
Vila Viçosa 3 752 2 006 3 316 1 807 179 1 056 2 081 1 067 1 014 45,10 49,45 40,97
Sousel 2 097 1 104 1 829 986 324 360 1 145 584 561 41,33 46,46 36,81
Baixo Alentejo 55 191 30 084 47 217 26 205 5 799 8 886 32 532 17 505 15 027 43,56 48,56 38,78
Aljustrel 3 982 2 236 3 409 1 971 288 1 054 2 067 1 016 1 051 43,02 48,83 37,32
Almodôvar 3 061 1 708 2 668 1 557 193 847 1 628 847 781 41,09 46,45 35,87
Alvito 1 061 558 954 504 135 169 650 398 252 42,37 46,54 38,54
Barrancos 784 447 655 396 67 141 447 295 152 42,75 50,22 35,70
Beja 16 685 8 590 14 770 7 613 1 034 1 840 11 896 6 508 5 388 46,54 49,40 43,83
Castro Verde 3 286 1 822 2 948 1 680 217 869 1 862 1 010 852 45,16 51,08 39,47
Cuba 2 131 1 171 1 817 1 013 206 325 1 286 724 562 43,69 49,12 38,49
Ferreira do Alentejo 3 700 2 068 3 096 1 761 769 558 1 769 937 832 44,82 51,43 38,55
Mértola 2 740 1 616 2 411 1 455 369 505 1 537 870 667 37,67 44,98 30,54
Moura 6 287 3 528 5 034 2 916 880 950 3 204 1 691 1 513 41,45 47,37 35,74
Ourique 2 212 1 226 1 934 1 111 224 410 1 300 690 610 41,05 46,16 36,08
Serpa 6 725 3 721 5 348 3 052 1 002 885 3 461 1 781 1 680 43,05 48,76 37,59
Vidigueira 2 537 1 393 2 173 1 176 415 333 1 425 738 687 42,77 47,75 37,94
Lezíria do Tejo 115 208 60 245 100 637 52 861 7 301 24 361 68 975 26 841 42 134 46,56 50,56 42,84
Azambuja 10 209 5 508 9 026 4 881 361 2 014 6 651 2 312 4 339 46,80 49,93 43,60
Almeirim 10 949 5 679 9 402 4 877 1 094 2 066 6 242 2 462 3 780 46,84 51,16 42,93
Alpiarça 3 444 1 766 2 962 1 492 401 607 1 954 945 1 009 44,72 47,74 41,92
Benavente 14 758 7 675 12 746 6 699 612 3 101 9 033 3 095 5 938 50,86 54,18 47,69
Cartaxo 11 638 6 093 10 238 5 354 440 2 383 7 415 2 591 4 824 47,58 51,44 43,95
Chamusca 4 474 2 434 3 954 2 160 671 1 058 2 225 1 004 1 221 44,21 49,90 38,92
Coruche 8 593 4 584 7 486 4 101 1 281 1 943 4 262 1 707 2 555 43,09 48,14 38,47
Golegã 2 414 1 265 2 146 1 134 179 425 1 542 701 841 44,17 49,41 39,55
Rio Maior 9 988 5 318 8 863 4 765 523 2 851 5 489 2 020 3 469 47,13 51,86 42,70
Salvaterra de Magos 10 095 5 338 8 331 4 501 625 2 294 5 412 1 906 3 506 45,56 50,15 41,31
Santarém 28 646 14 585 25 483 12 897 1 114 5 619 18 750 8 098 10 652 46,05 49,53 42,93
(fim)

108 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

POPULAÇÃO RESIDENTE E DESEMPREGADA (SENTIDO RESTRITO), SEGUNDO A CONDIÇÃO DE PROCURA DE EMPREGO E SEXO,
TAXAS DE DESEMPREGO (SENTIDO RESTRITO)
1.05

População desempregada
Taxa de Desemprego (%)
ZONA GEOGRÁFICA Total Procura do 1º emprego Procura de novo emprego

HM H M HM H M HM H M HM H M

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Alentejo 43 963 21 640 22 323 7 204 3 282 3 922 36 759 18 358 18 401 12,83 11,92 13,86
Alentejo Litoral 4 927 2 300 2 627 677 265 412 4 250 2 035 2 215 10,90 9,26 12,89
Odemira 1 574 776 798 125 51 74 1 449 725 724 13,69 11,92 15,98
Alcácer do Sal 660 324 336 110 52 58 550 272 278 11,09 10,00 12,40
Grândola 697 324 373 98 41 57 599 283 316 11,05 9,60 12,73
Santiago do Cacém 1 296 555 741 216 72 144 1 080 483 597 9,12 7,18 11,44
Sines 700 321 379 128 49 79 572 272 300 9,66 8,07 11,59
Alto Alentejo 7 920 3 915 4 005 1 564 696 868 6 356 3 219 3 137 15,69 14,80 16,68
Mora 283 119 164 24 10 14 259 109 150 13,51 10,54 16,99
Alter do Chão 190 93 97 43 18 25 147 75 72 13,48 12,65 14,37
Arronches 186 111 75 31 19 12 155 92 63 14,40 15,57 12,95
Avis 296 129 167 39 13 26 257 116 141 16,07 13,20 19,31
Campo Maior 582 283 299 155 82 73 427 201 226 15,08 13,89 16,41
Castelo de Vide 133 66 67 25 7 18 108 59 49 9,98 9,85 10,12
Crato 172 90 82 27 10 17 145 80 65 12,15 12,31 11,97
Elvas 1 877 923 954 446 184 262 1 431 739 692 18,44 17,44 19,52
Fronteira 225 99 126 38 15 23 187 84 103 15,07 12,48 18,00
Gavião 251 127 124 42 13 29 209 114 95 18,33 16,98 19,97
Marvão 136 80 56 35 14 21 101 66 35 10,04 10,84 9,08
Monforte 198 103 95 64 35 29 134 68 66 15,13 14,95 15,32
Nisa 327 178 149 65 28 37 262 150 112 12,41 12,45 12,38
Ponte de Sor 1 550 772 778 182 70 112 1 368 702 666 20,92 19,34 22,77
Portalegre 1 514 742 772 348 178 170 1 166 564 602 13,19 12,83 13,55
Alentejo Central 8 571 4 162 4 409 1 516 700 816 7 055 3 462 3 593 11,19 10,41 12,05
Alandroal 381 181 200 46 20 26 335 161 174 15,62 13,32 18,52
Arraiolos 348 148 200 51 21 30 297 127 170 9,99 7,92 12,38
Borba 455 225 230 70 34 36 385 191 194 13,99 12,66 15,59
Estremoz 693 321 372 139 61 78 554 260 294 10,92 9,77 12,14
Évora 2 926 1 469 1 457 577 285 292 2 349 1 184 1 165 10,58 10,68 10,47
Montemor-o-Novo 653 312 341 145 66 79 508 246 262 8,28 7,38 9,33
Mourão 250 114 136 51 24 27 199 90 109 22,85 19,16 27,25
Portel 428 230 198 45 21 24 383 209 174 15,35 14,78 16,06
Redondo 409 199 210 57 16 41 352 183 169 12,73 11,33 14,42
Reguengos de Monsaraz 629 315 314 96 48 48 533 267 266 13,34 12,28 14,60
Vendas Novas 443 214 229 71 36 35 372 178 194 8,49 7,84 9,20
Viana do Alentejo 252 117 135 51 22 29 201 95 106 9,64 8,43 11,01
Vila Viçosa 436 199 237 77 28 49 359 171 188 11,62 9,92 13,57
Sousel 268 118 150 40 18 22 228 100 128 12,78 10,69 15,11
Baixo Alentejo 7 974 3 879 4 095 1 376 610 766 6 598 3 269 3 329 14,45 12,89 16,31
Aljustrel 573 265 308 76 29 47 497 236 261 14,39 11,85 17,64
Almodôvar 393 151 242 67 19 48 326 132 194 12,84 8,84 17,89
Alvito 107 54 53 18 9 9 89 45 44 10,08 9,68 10,54
Barrancos 129 51 78 17 4 13 112 47 65 16,45 11,41 23,15
Beja 1 915 977 938 421 213 208 1 494 764 730 11,48 11,37 11,59
Castro Verde 338 142 196 72 27 45 266 115 151 10,29 7,79 13,39
Cuba 314 158 156 74 31 43 240 127 113 14,73 13,49 16,25
Ferreira do Alentejo 604 307 297 74 35 39 530 272 258 16,32 14,85 18,20
Mértola 329 161 168 75 38 37 254 123 131 12,01 9,96 14,95
Moura 1 253 612 641 207 92 115 1 046 520 526 19,93 17,35 23,23
Ourique 278 115 163 41 11 30 237 104 133 12,57 9,38 16,53
Serpa 1 377 669 708 174 67 107 1 203 602 601 20,48 17,98 23,57
Vidigueira 364 217 147 60 35 25 304 182 122 14,35 15,58 12,85
Lezíria do Tejo 14 571 7 384 7 187 2 071 1 011 1 060 12 500 6 373 6 127 12,65 12,26 13,08
Azambuja 1 183 627 556 176 94 82 1 007 533 474 11,59 11,38 11,83
Almeirim 1 547 802 745 214 118 96 1 333 684 649 14,13 14,12 14,14
Alpiarça 482 274 208 39 25 14 443 249 194 14,00 15,52 12,40
Benavente 2 012 976 1 036 281 127 154 1 731 849 882 13,63 12,72 14,63
Cartaxo 1 400 739 661 209 95 114 1 191 644 547 12,03 12,13 11,92
Chamusca 520 274 246 61 30 31 459 244 215 11,62 11,26 12,06
Coruche 1 107 483 624 130 44 86 977 439 538 12,88 10,54 15,56
Golegã 268 131 137 36 17 19 232 114 118 11,10 10,36 11,92
Rio Maior 1 125 553 572 192 95 97 933 458 475 11,26 10,40 12,25
Salvaterra de Magos 1 764 837 927 176 87 89 1 588 750 838 17,47 15,68 19,49
Santarém 3 163 1 688 1 475 557 279 278 2 606 1 409 1 197 11,04 11,57 10,49
(fim)

Resultados Definitivos 109


Quadros de resultados
ALENTEJO

EDIFÍCIOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR PRINCIPAIS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO 2.01

Edifícios segundo o número de pisos


ZONA GEOGRÁFICA
Principais materiais utilizados na construção 7 ou mais
Total 1 piso 2 pisos 3 pisos 4 pisos 5 pisos 6 pisos
pisos

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo
Tipo de estrutura da construção 383 866 273 573 92 982 11 637 3 262 1 391 495 526
Betão armado 122 506 72 186 39 603 6 386 2 350 1 072 424 485
Paredes de alvenaria com placa 153 407 107 853 40 528 3 803 805 308 71 39
Paredes de alvenaria, sem placa 64 832 54 519 8 988 1 212 102 11 - -
Paredes de alvenaria de pedra solta ou de adobe 40 792 36 948 3 620 224 - - - -
Outros 2 329 2 067 243 12 5 - - 2
Revestimento exterior 383 866 273 573 92 982 11 637 3 262 1 391 495 526
Reboco tradicional ou marmorite 362 782 257 032 89 348 11 074 3 129 1 314 453 432
Pedra 11 834 9 608 1 834 327 30 23 10 2
Ladrilho cerâmico ou mosaico 6 926 4 791 1 640 219 101 51 32 92
Outros 2 324 2 142 160 17 2 3 - -
Cobertura 383 866 273 573 92 982 11 637 3 262 1 391 495 526
Em terraço 4 315 1 348 1 877 546 252 137 73 82
Inclinada 372 638 269 216 88 262 10 449 2 793 1 161 396 361
Revestida a telhas cerâmicas ou de betão 366 814 264 209 87 657 10 348 2 729 1 151 378 342
Revestida a outros materiais 5 824 5 007 605 101 64 10 18 19
Mista (inclinada e terraço) 6 913 3 009 2 843 642 217 93 26 83
(fim)

Resultados Definitivos 111


quadros de resultados
ALENTEJO

2.02 EDIFÍCIOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR TIPO DE EDIFÍCIO E NÚMERO DE ALOJAMENTOS

Edifícios segundo o número de pisos


ZONA GEOGRÁFICA
Tipo de edificios e número de alojamentos 7 ou mais
Total 1 piso 2 pisos 3 pisos 4 pisos 5 pisos 6 pisos
pisos

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 383 866 273 573 92 982 11 637 3 262 1 391 495 526
Total de edifícios principalmente residenciais 380 023 271 242 91 822 11 373 3 200 1 377 488 521
1 alojamento 349 552 264 960 78 142 6 129 271 35 3 12
2 alojamentos 17 323 5 097 10 621 1 465 119 14 3 4
3 alojamentos 2 990 711 1 230 894 129 19 7 -
4 alojamentos 2 609 278 1 363 624 303 36 4 1
5 - 9 alojamentos 5 896 175 401 2 114 2 043 845 236 82
10 - 15 alojamentos 1 290 15 45 132 266 376 209 247
16 ou mais alojamentos 363 6 20 15 69 52 26 175
Edifícios exclusivamente residenciais (100%) 364 801 265 455 85 814 9 550 2 403 994 339 246
1 alojamento 338 382 259 467 73 189 5 465 230 27 - 4
2 alojamentos 15 895 4 874 9 867 1 060 75 12 3 4
3 alojamentos 2 568 666 1 081 746 59 13 3 -
4 alojamentos 2 047 265 1 258 328 182 10 3 1
5 - 9 alojamentos 4 785 164 365 1 834 1 606 597 169 50
10 - 15 alojamentos 882 13 36 105 202 292 141 93
16 ou mais alojamentos 242 6 18 12 49 43 20 94
Edifícios principalmente residenciais (de 50% a 99%) 15 222 5 787 6 008 1 823 797 383 149 275
1 alojamento 11 170 5 493 4 953 664 41 8 3 8
2 alojamentos 1 428 223 754 405 44 2 - -
3 alojamentos 422 45 149 148 70 6 4 -
4 alojamentos 562 13 105 296 121 26 1 -
5 - 9 alojamentos 1 111 11 36 280 437 248 67 32
10 - 15 alojamentos 408 2 9 27 64 84 68 154
16 ou mais alojamentos 121 - 2 3 20 9 6 81
Edifícios principalmente não residenciais (até 49%) 3 843 2 331 1 160 264 62 14 7 5
1 alojamento 3 446 2 229 998 173 35 6 5 -
2 alojamentos 279 86 130 47 14 - - 2
3 alojamentos 47 10 19 16 1 1 - -
4 alojamentos 28 3 7 9 6 2 1 -
5 - 9 alojamentos 36 3 4 18 3 4 1 3
10 - 15 alojamentos 6 - 2 1 2 1 - -
16 ou mais alojamentos 1 - - - 1 - - -

(fim)

112 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

EDIFÍCIOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR PRINCIPAIS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO 2.03

Época de construção
ZONA GEOGRÁFICA
Principais materiais utilizados na construção antes de
Total 1919-1945 1946-1960 1961-1970 1971-1980 1981-1990 1991-1995 1996-2000 2001-2005 2006-2011
1919

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo
Tipo de estrutura da construção 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Betão armado 122 506 - 6 822 11 221 13 799 21 213 21 930 10 658 12 876 14 121 9 866
Paredes de alvenaria com placa 153 407 - 17 861 21 803 21 986 25 464 22 368 10 991 12 657 12 539 7 738
Paredes de alvenaria, sem placa 64 832 20 073 15 796 11 885 6 509 3 845 2 393 1 180 1 232 1 050 869
Paredes de alvenaria de pedra solta ou de adobe 40 792 12 173 13 485 7 041 2 777 1 628 1 205 637 785 608 453
Outros 2 329 292 409 275 142 293 159 105 125 283 246
Revestimento exterior 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Reboco tradicional ou marmorite 362 782 28 814 49 660 48 855 42 676 49 627 46 728 22 977 27 001 27 873 18 571
Pedra 11 834 3 196 3 709 2 136 1 072 565 427 199 181 159 190
Ladrilho cerâmico ou mosaico 6 926 305 680 1 013 1 287 1 876 706 296 346 268 149
Outros 2 324 223 324 221 178 375 194 99 147 301 262
Cobertura 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Em terraço 4 315 59 264 282 218 729 1 073 321 378 478 513
Inclinada 372 638 32 256 53 292 51 220 44 389 50 767 45 917 22 692 26 654 27 352 18 099
Revestida a telhas cerâmicas ou de betão 366 814 31 759 52 037 50 324 43 766 49 866 45 374 22 469 26 390 27 028 17 801
Revestida a outros materiais 5 824 497 1 255 896 623 901 543 223 264 324 298
Mista (inclinada e terraço) 6 913 223 817 723 606 947 1 065 558 643 771 560

(fim)

EDIFÍCIOS, SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO 2.04

Edifícios segundo o número de pisos


ZONA GEOGRÁFICA
Época de construção 7 ou mais
Total 1 piso 2 pisos 3 pisos 4 pisos 5 pisos 6 pisos
pisos

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 383 866 273 573 92 982 11 637 3 262 1 391 495 526
Até 1919 32 538 25 786 5 892 816 41 3 - -
1919 - 1945 54 373 44 339 8 679 1 250 95 7 2 1
1946 - 1960 52 225 43 037 8 116 834 190 35 9 4
1961 - 1970 45 213 36 026 7 968 791 262 106 32 28
1971 - 1980 52 443 37 979 12 100 1 423 546 240 53 102
1981 - 1990 48 055 29 189 16 181 1 607 602 263 105 108
1991 - 1995 23 571 14 282 7 801 971 282 126 45 64
1996 - 2000 27 675 16 200 9 361 1 334 429 186 76 89
2001 - 2005 28 601 15 928 10 105 1 618 483 283 96 88
2006 - 2011 19 172 10 807 6 779 993 332 142 77 42
(fim)

Resultados Definitivos 113


quadros de resultados
ALENTEJO

2.05 EDIFÍCIOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR NECESSIDADES DE REPARAÇÃO

Época de construção
ZONA GEOGRÁFICA
Necessidades de reparação antes de
Total 1919-1945 1946-1960 1961-1970 1971-1980 1981-1990 1991-1995 1996-2000 2001-2005 2006-2011
1919

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Na cobertura 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Nenhumas 267 657 14 208 26 059 28 749 28 888 38 861 39 890 20 437 25 298 27 015 18 252
Pequenas 64 438 6 340 13 229 12 836 10 209 9 491 6 210 2 508 1 883 1 156 576
Médias 29 670 4 728 8 056 6 681 4 296 3 043 1 511 476 384 275 220
Grandes 12 958 3 448 4 096 2 648 1 309 785 307 115 66 107 77
Muito grandes 9 143 3 814 2 933 1 311 511 263 137 35 44 48 47
Na estrutura 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Nenhumas 277 352 15 062 27 764 30 487 30 429 40 495 41 008 20 901 25 647 27 224 18 335
Pequenas 60 419 6 352 12 872 12 315 9 537 8 601 5 442 2 135 1 609 1 015 541
Médias 26 032 4 371 7 247 5 889 3 679 2 495 1 221 388 333 227 182
Grandes 11 634 3 180 3 785 2 350 1 103 641 251 106 56 93 69
Muito grandes 8 429 3 573 2 705 1 184 465 211 133 41 30 42 45
Nas paredes e caixilharia exteriores 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Nenhumas 263 570 13 973 25 828 28 392 28 465 38 203 39 042 20 194 24 883 26 637 17 953
Pequenas 67 982 6 577 13 585 13 148 10 599 10 052 6 801 2 664 2 228 1 511 817
Médias 30 063 4 812 7 930 6 643 4 320 3 125 1 706 540 433 297 257
Grandes 12 990 3 354 4 069 2 686 1 310 819 347 113 87 112 93
Muito grandes 9 261 3 822 2 961 1 356 519 244 159 60 44 44 52
(fim)

2.06 EDIFÍCIOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO, POR ESTADO DE CONSERVAÇÃO

Época de construção
ZONA GEOGRÁFICA
Estado de conservação antes de
Total 1919-1945 1946-1960 1961-1970 1971-1980 1981-1990 1991-1995 1996-2000 2001-2005 2006-2011
1919

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 383 866 32 538 54 373 52 225 45 213 52 443 48 055 23 571 27 675 28 601 19 172
Sem necessidade de reparação 281 834 15 347 28 589 31 307 31 237 41 139 41 513 21 149 25 862 27 346 18 345
Com necessidade de reparação 94 096 13 770 23 262 19 799 13 556 11 107 6 423 2 391 1 784 1 220 784
Pequenas reparações 59 804 6 620 13 037 12 331 9 286 8 408 5 181 1 980 1 469 932 560
Reparações médias 23 900 4 166 6 785 5 445 3 308 2 176 1 054 322 266 213 165
Grandes reparações 10 392 2 984 3 440 2 023 962 523 188 89 49 75 59
Muito degradado 7 936 3 421 2 522 1 119 420 197 119 31 29 35 43

(fim)

114 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

EDIFÍCIOS CONSTRUIDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIR 3 OU MAIS ALOJAMENTOS,


SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR CONFIGURAÇÃO DO R/C
2.07

Edifícios segundo o número de pisos


ZONA GEOGRÁFICA
Configuração do r/c Com 7
Total Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8

Alentejo 12 265 3 185 3 890 2 853 1 339 487 511


Com compartimentação semelhante à dos andares superiores 9 418 2 663 3 083 2 107 969 340 256
Com espaço interior amplo na sua maior parte 2 508 449 671 658 345 140 245
Com colunas isoladas na sua maior parte 339 73 136 88 25 7 10
(fim)

EDIFÍCIOS CONSTRUIDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIR 3 OU MAIS ALOJAMENTOS, SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO,
POR POSICIONAMENTO E ALTURA RELATIVA FACE AOS EDÍFICIOS ADJACENTES
2.08

Época de construção
ZONA GEOGRÁFICA
Antes
Posicionamento e altura relativa face aos edificios adjacentes
Total de 1919-1945 1946-1960 1961-1970 1971-1980 1981-1990 1991-1995 1996 - 2000 2001-2005 2006-2011
1919

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 13 554 634 856 1 068 1 249 2 193 2 032 1 085 1 546 1 814 1 077
Edifícios isolados 4 611 399 494 554 534 701 573 271 366 398 321
Edifícios não isolados 8 943 235 362 514 715 1 492 1 459 814 1 180 1 416 756
Edifícios de gaveto, geminados ou extremo de banda 5 256 95 166 262 406 816 909 509 692 895 506
Outros 3 687 140 196 252 309 676 550 305 488 521 250
Edificios não isolados mais altos do que qualquer dos adjacentes 289 2 4 9 17 65 41 28 44 43 36

(fim)

Resultados Definitivos 115


quadros de resultados
ALENTEJO

EDIFÍCIOS CONSTRUIDOS ESTRUTURALMENTE PARA POSSUIR 3 OU MAIS ALOJAMENTOS,


2.09 SEGUNDO O NÚMERO DE PISOS, POR ACESSIBILIDADE A PESSOAS COM MOBILIDADE CONDICIONADA E EXISTÊNCIA DE ELEVADOR

Edifícios segundo o número de pisos


ZONA GEOGRÁFICA
Acessibilidade e existência de elevador Com 7
Total Com 1 Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 13 554 1 289 3 185 3 890 2 853 1 339 487 511


Entrada acessível à circulação em cadeira de rodas 4 257 577 995 1 060 813 421 169 222
Com elevador 1 101 - 19 124 330 238 168 222
Sem elevador 3 156 577 976 936 483 183 1 -
Entrada não acessível à circulação em cadeira de rodas 9 297 712 2 190 2 830 2 040 918 318 289
Com elevador 1 105 - 4 87 185 227 313 289
Sem elevador 8 192 712 2 186 2 743 1 855 691 5 -

(fim)

2.10 EDIFICIOS SEGUNDO O NÚMERO DE ALOJAMENTOS, POR EXISTENCIA DE SISTEMA DE RECOLHA DE RESÍDUOS URBANOS (RU)

Edíficios segundo o número de alojamentos


ZONA GEOGRÁFICA
Recolha de RU Com 7
Total Com 1 Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 383 866 352 998 17 602 3 037 2 637 658 2 721 4 213
Com recolha de resíduos urbanos 339 642 311 602 15 992 2 704 2 424 600 2 445 3 875
Sem recolha de resíduos urbanos 44 224 41 396 1 610 333 213 58 276 338
Alentejo Litoral 53 482 48 540 2 828 513 408 113 328 752
Com recolha de resíduos urbanos 42 443 38 015 2 438 460 383 104 319 724
Sem recolha de resíduos urbanos 11 039 10 525 390 53 25 9 9 28
Alto Alentejo 68 275 63 024 3 269 609 412 88 266 607
Com recolha de resíduos urbanos 57 985 53 380 2 918 516 351 80 237 503
Sem recolha de resíduos urbanos 10 290 9 644 351 93 61 8 29 104
Alentejo Central 80 100 70 789 6 226 1 025 805 178 640 437
Com recolha de resíduos urbanos 72 800 64 361 5 664 898 740 161 574 402
Sem recolha de resíduos urbanos 7 300 6 428 562 127 65 17 66 35
Baixo Alentejo 74 901 71 593 1 643 276 294 94 521 480
Com recolha de resíduos urbanos 67 805 64 878 1 520 239 274 83 408 403
Sem recolha de resíduos urbanos 7 096 6 715 123 37 20 11 113 77
Lezíria do Tejo 107 108 99 052 3 636 614 718 185 966 1 937
Com recolha de resíduos urbanos 98 609 90 968 3 452 591 676 172 907 1 843
Sem recolha de resíduos urbanos 8 499 8 084 184 23 42 13 59 94

(fim)

116 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

EDIFÍCIOS SEGUNDO O TIPO DE EDIFICIO POR EXISTENCIA DE SISTEMA DE RECOLHA DE RESÍDUOS URBANOS (RU) 2.11

Edifícios clássicos

ZONA GEOGRÁFICA Com 1 ou 2 alojamentos famíliares Com 3 ou mais


Recolha de RU
Total alojamentos Outro tipo
Isolado Geminado Em banda famíliares

1 2 3 4 5 6 7

Alentejo 383 866 133 821 59 928 172 624 13 554 3 939
Com recolha de resíduos urbanos 339 642 106 560 54 619 162 839 12 320 3 304
Sem recolha de resíduos urbanos 44 224 27 261 5 309 9 785 1 234 635
(fim)

Resultados Definitivos 117


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS, FAMÍLIAS, PESSOAS RESIDENTES E PESSOAS PRESENTES, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO,


A FORMA DE OCUPAÇÃO DOS ALOJAMENTOS FAMÍLIARES CLÁSSICOS, O TIPO DE EDIFÍCIO ONDE SE SITUAM ESTES ÚLTIMOS, 3.01
QUANDO RESIDÊNCIA HABITUAL E A POPULAÇÃO SEM ABRIGO

Alojamentos famíliares segundo o tipo de alojamento Aloj. colectivos


Alojamentos clássicos segundo a forma de ocupação Não clássicos
Residência habitual
Estabele- Popula-
Em edifícios principalmente residenciais Barracas Aloja-
ZONA GEOGRÁFICA Total cimentos
Em e casas mentos ção sem
Total Com 1 alojamento hoteleiros
Total Com 3 edifícios, Residência Vagos rudimen- Outros de con- abrigo
Com 2 ou
ou mais principal- secundária tares de vivência
Exclusiva- Parcial- aloja- similares
aloja- mente não madeira
mente mente mentos
residencial residencial mentos residenciais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Alentejo
Alojamentos 471 739 470 284 469 287 206 144 6 643 24 748 59 472 1 760 100 684 69 836 493 504 787 668
Famílias Clássicas 302 975 302 829 301 790 207 889 6 743 25 065 60 295 1 798 - - 502 537 115 31
Famílias Institucionais 543 31 512
Pessoas Residentes 757 302 741 177 738 193 510 988 16 833 59 673 146 473 4 226 - - 1 779 1 205 908 15 192 25
Pessoas Presentes 733 327 710 974 708 062 489 829 16 077 56 849 137 744 4 049 3 307 207 1 751 1 161 3 062 19 266 25

(fim)

ALOJAMENTOS, FAMÍLIAS, PESSOAS RESIDENTES E PESSOAS PRESENTES, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO 3.02

Alojamentos famíliares

Total Alojamentos não clássicos


ZONA GEOGRÁFICA de Barracas
Alojamentos
alojamentos Total de
clássicos e casas
alojamentos Móveis Improvisados Outros
rudimentares
não clássicos
de madeira
1 2 3 4 5 6 7 8

Alentejo
Alojamentos 471 739 469 287 997 493 113 364 27
Famílias Clássicas 302 975 301 790 1 039 502 124 385 28
Famílias Institucionais 543
Pessoas Residentes 757 277 738 193 2 984 1 779 307 837 61
Pessoas Presentes 733 302 708 062 2 912 1 751 296 803 62

(continua)

(continuação)
Alojamentos colectivos

Alojamentos de convivência
Estabele-
ZONA GEOGRÁFICA
cimentos
Total de alo-
hoteleiros
jamentos de Apoio social Educação Saúde Religiosa Militar Prisional Trabalho Outras
e similares
convivencia

1 9 10 11 12 13 14 14 16 17 18

Alentejo
Alojamentos 787 668 392 35 36 61 48 12 50 34
Famílias Clássicas 115 31 15 4 2 5 - - 3 2
Famílias Institucionais 31 512 376 16 21 55 - 26 4 14
Pessoas Residentes 908 15 192 11 764 391 427 477 - 1 755 74 304
Pessoas Presentes 3 062 19 266 12 781 934 1 304 577 768 1 949 602 351

(fim)

Resultados Definitivos 119


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS


3.03 EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS*

Instalações sanitárias (retrete/esgotos)


Com retrete no alojamento
Com dispositivo de descarga Sem dispositivo de descarga Retrete fora
ZONA GEOGRÁFICA do alojamento Sem
Ligado à redepública Ligado a sistema par- Ligado à rede pública Ligado a sistema par- mas disponível retrete
Outros Outros
de drenagem de ticular de drenagem de drenagem de ticular de drenagem no edifício
casos casos
águas residuais de águas residuais águas residuais de águas residuais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo
Alojamentos 240 689 48 725 2 768 1 199 900 406 325 4 752
Famílias Clássicas 242 968 49 403 2 807 1 206 904 411 327 4 803
Pessoas Residentes 595 339 123 717 6 887 2 149 1 946 881 652 9 606
Alentejo Litoral
Alojamentos 30 990 6 659 534 127 193 110 72 1 079
Famílias Clássicas 31 415 6 930 542 128 193 115 72 1 090
Pessoas Residentes 75 714 16 072 1 298 220 453 233 143 1 868
Odemira
Alojamentos 6 994 2 813 176 42 102 65 35 651
Famílias Clássicas 7 182 3 067 182 42 102 70 35 657
Pessoas Residentes 16 802 6 873 458 59 226 133 60 1 103
Alcácer do Sal
Alojamentos 4 523 527 27 13 16 3 4 58
Famílias Clássicas 4 581 532 27 13 16 3 4 58
Pessoas Residentes 11 291 1 284 79 23 37 9 10 98
Grândola
Alojamentos 4 597 1 029 89 20 32 12 11 112
Famílias Clássicas 4 660 1 034 89 21 32 12 11 112
Pessoas Residentes 11 079 2 468 211 44 76 22 24 183
Santiago do Cacém
Alojamentos 9 821 1 924 186 41 36 23 19 206
Famílias Clássicas 9 885 1 930 188 41 36 23 19 210
Pessoas Residentes 23 784 4 524 418 73 99 55 40 364
Sines
Alojamentos 5 055 366 56 11 7 7 3 52
Famílias Clássicas 5 107 367 56 11 7 7 3 53
Pessoas Residentes 12 758 923 132 21 15 14 9 120
Alto Alentejo
Alojamentos 41 700 4 089 285 257 116 46 63 736
Famílias Clássicas 41 876 4 121 289 257 116 46 63 741
Pessoas Residentes 101 459 10 110 689 475 217 106 115 1 582
Mora
Alojamentos 1 853 155 9 8 4 - 3 19
Famílias Clássicas 1 859 158 10 8 4 - 3 19
Pessoas Residentes 4 267 375 32 23 8 - 4 32
Alter do Chão
Alojamentos 1 377 36 - 10 - 2 2 24
Famílias Clássicas 1 383 38 - 10 - 2 2 24
Pessoas Residentes 3 202 84 - 18 - 10 2 58
Arronches
Alojamentos 1 000 165 12 18 5 1 5 39
Famílias Clássicas 1 000 166 12 18 5 1 5 39
Pessoas Residentes 2 422 405 26 33 8 1 9 66
Avis
Alojamentos 1 674 110 7 9 2 1 3 54
Famílias Clássicas 1 679 110 7 9 2 1 3 56
Pessoas Residentes 3 885 281 17 18 4 3 6 137
Campo Maior
Alojamentos 2 957 98 6 25 3 - - 78
Famílias Clássicas 2 964 98 6 25 3 - - 78
Pessoas Residentes 7 743 289 15 49 6 - - 263

* Dados atualizados em 18.04.2013 Data updated on 18.04.2013 (continua)

120 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS


EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS*
3.03

(continuação)
Instalações sanitárias (retrete/esgotos)
Com retrete no alojamento
Com dispositivo de descarga Sem dispositivo de descarga Retrete fora
ZONA GEOGRÁFICA do alojamento Sem
Ligado à redepública Ligado a sistema par- Ligado à rede pública Ligado a sistema par- mas disponível retrete
Outros Outros
de drenagem de ticular de drenagem de drenagem de ticular de drenagem no edifício
casos casos
águas residuais de águas residuais águas residuais de águas residuais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Castelo de Vide
Alojamentos 1 224 106 40 14 1 3 - 19
Famílias Clássicas 1 233 106 40 14 1 3 - 19
Pessoas Residentes 2 794 275 91 20 4 13 - 36
Crato
Alojamentos 1 489 22 1 9 - 1 - 22
Famílias Clássicas 1 494 22 1 9 - 1 - 22
Pessoas Residentes 3 367 48 1 17 - 3 - 45
Elvas
Alojamentos 8 244 436 20 45 9 7 10 103
Famílias Clássicas 8 278 437 20 45 9 7 10 103
Pessoas Residentes 21 000 1 170 38 83 19 16 19 196
Fronteira
Alojamentos 1 284 55 5 - 1 - - 4
Famílias Clássicas 1 285 55 5 - 1 - - 4
Pessoas Residentes 3 116 162 16 - 2 - - 10
Gavião
Alojamentos 1 409 263 19 11 6 - 1 27
Famílias Clássicas 1 413 263 19 11 6 - 1 27
Pessoas Residentes 3 220 549 47 26 10 - 1 58
Marvão
Alojamentos 1 076 263 31 12 12 16 8 55
Famílias Clássicas 1 076 264 31 12 12 16 8 55
Pessoas Residentes 2 519 612 72 20 23 35 12 93
Monforte
Alojamentos 1 143 24 2 2 - - - 48
Famílias Clássicas 1 143 24 2 2 - - - 48
Pessoas Residentes 2 858 70 5 3 - - - 166
Nisa
Alojamentos 3 037 95 3 36 7 1 1 31
Famílias Clássicas 3 044 95 3 36 7 1 1 31
Pessoas Residentes 6 797 230 6 61 10 1 1 47
Ponte de Sor
Alojamentos 5 486 924 71 15 9 1 23 60
Famílias Clássicas 5 551 937 74 15 9 1 23 61
Pessoas Residentes 13 761 2 216 178 27 16 2 52 104
Portalegre
Alojamentos 8 447 1 337 59 43 57 13 7 153
Famílias Clássicas 8 474 1 348 59 43 57 13 7 155
Pessoas Residentes 20 508 3 344 145 77 107 22 9 271
Alentejo Central
Alojamentos 58 705 5 592 516 306 113 50 72 970
Famílias Clássicas 59 238 5 639 519 307 114 50 72 977
Pessoas Residentes 144 833 14 460 1 327 515 265 99 154 1 858
Alandroal
Alojamentos 1 929 325 25 11 8 2 5 74
Famílias Clássicas 1 930 325 25 11 8 2 5 74
Pessoas Residentes 4 698 803 56 20 15 3 14 134
Arraiolos
Alojamentos 2 646 242 34 17 7 - 3 32
Famílias Clássicas 2 661 243 34 17 7 - 3 34
Pessoas Residentes 6 423 622 83 30 18 - 6 48

* Dados atualizados em 18.04.2013 Data updated on 18.04.2013 (continua)

Resultados Definitivos 121


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS


3.03 EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS*

(continuação)
Instalações sanitárias (retrete/esgotos)
Com retrete no alojamento
Com dispositivo de descarga Sem dispositivo de descarga Retrete fora
ZONA GEOGRÁFICA do alojamento Sem
Ligado à redepública Ligado a sistema par- Ligado à rede pública Ligado a sistema par- mas disponível retrete
Outros Outros
de drenagem de ticular de drenagem de drenagem de ticular de drenagem no edifício
casos casos
águas residuais de águas residuais águas residuais de águas residuais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Borba
Alojamentos 2 553 222 59 13 3 2 6 54
Famílias Clássicas 2 564 223 60 13 3 2 6 54
Pessoas Residentes 6 341 579 152 24 5 4 8 97
Estremoz
Alojamentos 4 523 985 72 41 11 4 15 176
Famílias Clássicas 4 573 1 003 72 42 12 4 15 177
Pessoas Residentes 10 825 2 502 184 62 24 12 36 366
Évora
Alojamentos 20 389 1 607 134 87 35 19 14 172
Famílias Clássicas 20 684 1 622 135 87 35 19 14 174
Pessoas Residentes 50 407 4 329 366 146 89 41 33 286
Montemor-o-Novo
Alojamentos 5 526 1 223 55 32 19 5 9 144
Famílias Clássicas 5 550 1 233 55 32 19 5 9 144
Pessoas Residentes 13 395 3 043 123 48 48 7 14 273
Mourão
Alojamentos 937 25 1 5 - - - 32
Famílias Clássicas 939 25 1 5 - - - 32
Pessoas Residentes 2 384 73 4 14 - - - 115
Portel
Alojamentos 2 409 85 6 15 1 1 4 35
Famílias Clássicas 2 442 85 6 15 1 1 4 35
Pessoas Residentes 5 982 215 16 20 7 1 9 65
Redondo
Alojamentos 2 367 290 35 22 11 3 3 70
Famílias Clássicas 2 374 290 35 22 11 3 3 70
Pessoas Residentes 5 849 793 99 41 24 5 6 127
Reguengos de Monsaraz
Alojamentos 3 901 129 21 22 4 3 8 55
Famílias Clássicas 3 923 129 22 22 4 3 8 56
Pessoas Residentes 10 012 362 58 31 7 4 19 107
Vendas Novas
Alojamentos 4 425 168 31 12 4 3 4 31
Famílias Clássicas 4 460 169 31 12 4 3 4 32
Pessoas Residentes 10 985 395 75 25 6 8 7 68
Viana do Alentejo
Alojamentos 2 063 103 5 11 - - - 11
Famílias Clássicas 2 082 103 5 11 - - - 11
Pessoas Residentes 5 195 261 15 18 - - - 23
Vila Viçosa
Alojamentos 3 133 88 21 10 5 6 - 56
Famílias Clássicas 3 146 88 21 10 5 6 - 56
Pessoas Residentes 7 771 228 52 18 15 11 - 102
Sousel
Alojamentos 1 904 100 17 8 5 2 1 28
Famílias Clássicas 1 910 101 17 8 5 2 1 28
Pessoas Residentes 4 566 255 44 18 7 3 2 47
Baixo Alentejo
Alojamentos 44 755 3 472 218 267 97 45 40 1 110
Famílias Clássicas 45 238 3 495 219 271 100 45 42 1 127
Pessoas Residentes 110 848 8 629 511 503 239 115 92 2 654

* Dados atualizados em 18.04.2013 Data updated on 18.04.2013 (continua)

122 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS


EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS*
3.03

(continuação)
Instalações sanitárias (retrete/esgotos)
Com retrete no alojamento
Com dispositivo de descarga Sem dispositivo de descarga Retrete fora
ZONA GEOGRÁFICA do alojamento Sem
Ligado à redepública Ligado a sistema par- Ligado à rede pública Ligado a sistema par- mas disponível retrete
Outros Outros
de drenagem de ticular de drenagem de drenagem de ticular de drenagem no edifício
casos casos
águas residuais de águas residuais águas residuais de águas residuais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Aljustrel
Alojamentos 3 618 66 9 14 2 1 1 33
Famílias Clássicas 3 625 68 9 14 2 1 1 33
Pessoas Residentes 8 789 166 14 22 6 3 1 76
Almodôvar
Alojamentos 2 345 507 16 16 15 6 2 150
Famílias Clássicas 2 357 508 16 16 15 6 2 151
Pessoas Residentes 5 672 1 235 36 25 29 12 6 237
Alvito
Alojamentos 867 84 4 3 2 - 1 10
Famílias Clássicas 916 84 4 7 3 - 1 10
Pessoas Residentes 2 097 206 7 8 4 - 7 29
Barrancos
Alojamentos 687 6 - 4 - 1 - 4
Famílias Clássicas 706 6 - 4 - 1 - 4
Pessoas Residentes 1 769 13 - 5 - 1 - 15
Beja
Alojamentos 13 301 448 17 63 26 9 8 110
Famílias Clássicas 13 445 455 17 63 27 9 8 111
Pessoas Residentes 33 043 1 181 44 123 71 23 19 286
Castro Verde
Alojamentos 2 768 68 4 6 1 2 - 44
Famílias Clássicas 2 791 68 4 6 1 2 - 45
Pessoas Residentes 6 804 189 11 13 3 4 - 106
Cuba
Alojamentos 1 746 35 4 8 1 - - 23
Famílias Clássicas 1 781 35 4 8 1 - - 23
Pessoas Residentes 4 481 94 8 18 3 - - 102
Ferreira do Alentejo
Alojamentos 3 000 188 16 13 4 2 2 32
Famílias Clássicas 3 060 195 17 13 4 2 2 33
Pessoas Residentes 7 384 500 32 29 12 4 11 61
Mértola
Alojamentos 1 758 1 008 54 12 15 4 5 258
Famílias Clássicas 1 770 1 012 54 12 15 4 5 259
Pessoas Residentes 4 144 2 354 114 23 39 12 5 433
Moura
Alojamentos 5 396 127 39 51 5 7 9 169
Famílias Clássicas 5 422 127 39 51 5 7 9 173
Pessoas Residentes 13 677 328 98 102 20 22 18 622
Ourique
Alojamentos 1 703 451 19 12 7 5 2 101
Famílias Clássicas 1 710 451 19 12 7 5 2 101
Pessoas Residentes 3 929 1 055 39 24 15 9 3 160
Serpa
Alojamentos 5 400 392 33 58 18 8 10 138
Famílias Clássicas 5 452 393 33 58 19 8 12 145
Pessoas Residentes 13 599 1 067 99 99 35 25 22 381
Vidigueira
Alojamentos 2 166 92 3 7 1 - - 38
Famílias Clássicas 2 203 93 3 7 1 - - 39
Pessoas Residentes 5 460 241 9 12 2 - - 146

* Dados atualizados em 18.04.2013 Data updated on 18.04.2013 (continua)

Resultados Definitivos 123


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS


3.03 EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS*

(continuação)
Instalações sanitárias (retrete/esgotos)
Com retrete no alojamento
Com dispositivo de descarga Sem dispositivo de descarga Retrete fora
ZONA GEOGRÁFICA do alojamento Sem
Ligado à redepública Ligado a sistema par- Ligado à rede pública Ligado a sistema par- mas disponível retrete
Outros Outros
de drenagem de ticular de drenagem de drenagem de ticular de drenagem no edifício
casos casos
águas residuais de águas residuais águas residuais de águas residuais

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Lezíria do Tejo
Alojamentos 64 539 28 913 1 215 242 381 155 78 857
Famílias Clássicas 65 201 29 218 1 238 243 381 155 78 868
Pessoas Residentes 162 485 74 446 3 062 436 772 328 148 1 644
Azambuja
Alojamentos 5 291 2 533 137 31 29 15 10 60
Famílias Clássicas 5 348 2 565 138 31 29 15 10 60
Pessoas Residentes 13 389 6 556 353 60 67 21 26 104
Almeirim
Alojamentos 7 444 1 569 77 32 21 16 10 91
Famílias Clássicas 7 512 1 577 81 32 21 16 10 96
Pessoas Residentes 18 650 3 932 191 58 42 34 21 213
Alpiarça
Alojamentos 2 659 289 14 9 6 6 2 10
Famílias Clássicas 2 665 290 14 9 6 6 2 10
Pessoas Residentes 6 829 673 32 11 11 16 2 13
Benavente
Alojamentos 9 665 1 083 72 9 11 9 5 22
Famílias Clássicas 9 741 1 090 75 9 11 9 5 22
Pessoas Residentes 25 497 2 977 197 17 30 26 7 54
Cartaxo
Alojamentos 7 091 2 145 105 38 35 20 7 43
Famílias Clássicas 7 148 2 173 107 38 35 20 7 43
Pessoas Residentes 17 905 5 732 290 63 62 50 10 70
Chamusca
Alojamentos 2 037 1 960 59 6 44 8 5 33
Famílias Clássicas 2 043 1 967 59 6 44 8 5 35
Pessoas Residentes 5 004 4 692 138 8 84 19 8 67
Coruche
Alojamentos 3 964 3 806 156 30 44 16 13 246
Famílias Clássicas 3 979 3 841 157 30 44 16 13 247
Pessoas Residentes 9 341 9 324 396 51 94 36 18 490
Golegã
Alojamentos 2 020 88 3 6 3 2 - 4
Famílias Clássicas 2 028 88 3 6 3 2 - 4
Pessoas Residentes 5 098 214 7 10 4 2 - 5
Rio Maior
Alojamentos 5 031 2 774 162 18 29 10 5 82
Famílias Clássicas 5 166 2 818 167 18 29 10 5 83
Pessoas Residentes 12 964 7 270 390 32 65 28 11 118
Salvaterra de Magos
Alojamentos 4 447 3 608 123 13 33 18 7 68
Famílias Clássicas 4 512 3 667 127 13 33 18 7 68
Pessoas Residentes 11 381 9 723 323 28 79 40 17 121
Santarém
Alojamentos 14 890 9 058 307 50 126 35 14 198
Famílias Clássicas 15 059 9 142 310 51 126 35 14 200
Pessoas Residentes 36 427 23 353 745 98 234 56 28 389

* Dados atualizados em 18.04.2013 Data updated on 18.04.2013 (fim)

124 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES


(ÁGUA CANALIZADA, BANHO/DUCHE, AR CONDICIONADO E SISTEMA DE AQUECIMENTO) EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS
3.04

Com água canalizada no Instalação


Com água Ar condicionado Sistema de aquecimento disponível
alojamento de banho ou duche
canalizada Sem água
fora do canalizada Aquecimento não central
ZONA GEOGRÁFICA Prove- Prove- alojamento no aloja- Com Sem Aparelhos
Com ar Sem ar Aqueci- Aparelhos Sem
niente da niente mas dis- mento ou instalação instalação condicio- condicio- Recupe- fixos (na
mento Lareira móveis aqueci-
rede de rede ponível no edifício de banho de banho rador parede,
nado nado Central aberta (eléctricos, mento
pública particular edifício ou duche ou duche de calor fogões,
a gás, etc)
etc.)
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Alentejo
Alojamentos 279 032 17 484 403 2 845 291 034 8 730 66 794 232 970 9 618 73 546 28 172 141 299 30 226 16 903
Famílias Clássicas 281 648 17 898 406 2 877 294 022 8 807 67 197 235 632 9 699 74 220 28 317 142 649 30 448 17 496
Pessoas Residentes 689 476 44 639 817 6 245 724 481 16 696 185 367 555 810 27 284 185 929 82 327 330 173 79 624 35 840
Alentejo Litoral
Alojamentos 34 551 4 293 114 806 38 155 1 609 3 607 36 157 798 11 422 3 982 15 248 3 671 4 643
Famílias Clássicas 34 980 4 576 114 815 38 860 1 625 3 628 36 857 805 11 516 3 998 15 450 3 703 5 013
Pessoas Residentes 83 845 10 539 214 1 403 93 191 2 810 9 615 86 386 2 162 27 901 11 320 35 579 9 263 9 776
Odemira
Alojamentos 7 836 2 449 64 529 10 009 869 355 10 523 234 4 503 1 098 2 558 1 042 1 443
Famílias Clássicas 8 020 2 719 64 534 10 457 880 357 10 980 237 4 539 1 103 2 637 1 051 1 770
Pessoas Residentes 18 664 6 043 113 894 24 238 1 476 949 24 765 643 10 673 3 213 5 711 2 530 2 944
Alcácer do Sal
Alojamentos 4 688 446 10 27 5 054 117 560 4 611 82 1 163 431 2 399 609 487
Famílias Clássicas 4 741 456 10 27 5 117 117 563 4 671 82 1 180 436 2 424 616 496
Pessoas Residentes 11 658 1 100 22 51 12 624 207 1 544 11 287 236 3 150 1 318 5 559 1 608 960
Grândola
Alojamentos 5 165 629 10 98 5 730 172 799 5 103 93 1 787 611 2 154 793 464
Famílias Clássicas 5 231 632 10 98 5 799 172 806 5 165 95 1 806 613 2 178 808 471
Pessoas Residentes 12 436 1 498 19 154 13 822 285 2 113 11 994 250 4 315 1 645 4 967 2 013 917
Santiago do Cacém
Alojamentos 11 487 634 28 107 11 903 353 1 478 10 778 287 3 225 1 202 5 485 981 1 076
Famílias Clássicas 11 560 634 28 110 11 975 357 1 485 10 847 288 3 244 1 204 5 534 982 1 080
Pessoas Residentes 27 563 1 549 52 193 28 733 624 3 969 25 388 769 7 814 3 357 12 725 2 464 2 228
Sines
Alojamentos 5 375 135 2 45 5 459 98 415 5 142 102 744 640 2 652 246 1 173
Famílias Clássicas 5 428 135 2 46 5 512 99 417 5 194 103 747 642 2 677 246 1 196
Pessoas Residentes 13 524 349 8 111 13 774 218 1 040 12 952 264 1 949 1 787 6 617 648 2 727
Alto Alentejo
Alojamentos 45 101 1 781 66 344 45 647 1 645 13 209 34 083 1 304 9 490 4 394 26 021 4 529 1 554
Famílias Clássicas 45 298 1 799 66 346 45 858 1 651 13 266 34 243 1 310 9 561 4 407 26 120 4 548 1 563
Pessoas Residentes 109 157 4 589 136 871 111 634 3 119 36 185 78 568 3 626 22 958 12 820 60 283 11 792 3 274
Mora
Alojamentos 1 980 62 2 7 2 006 45 420 1 631 68 625 131 933 237 57
Famílias Clássicas 1 987 65 2 7 2 016 45 420 1 641 68 631 131 936 237 58
Pessoas Residentes 4 565 157 5 14 4 659 82 1 154 3 587 183 1 455 372 2 013 603 115
Alter do Chão
Alojamentos 1 408 30 1 12 1 400 51 342 1 109 25 286 129 832 114 65
Famílias Clássicas 1 414 32 1 12 1 408 51 347 1 112 25 289 129 834 115 67
Pessoas Residentes 3 257 74 1 42 3 261 113 903 2 471 77 658 378 1 818 290 153
Arronches
Alojamentos 1 166 66 3 10 1 176 69 211 1 034 22 248 109 751 92 23
Famílias Clássicas 1 167 66 3 10 1 177 69 211 1 035 22 249 109 751 92 23
Pessoas Residentes 2 793 156 3 18 2 855 115 547 2 423 67 580 294 1 734 239 56
Avis
Alojamentos 1 747 80 1 32 1 771 89 414 1 446 27 519 147 865 232 70
Famílias Clássicas 1 754 80 1 32 1 776 91 414 1 453 27 522 148 866 232 72
Pessoas Residentes 4 059 192 2 98 4 153 198 1 074 3 277 65 1 254 388 1 932 579 133
Campo Maior
Alojamentos 2 950 168 - 49 3 033 134 1 390 1 777 64 175 174 2 486 179 89
Famílias Clássicas 2 956 169 - 49 3 040 134 1 392 1 782 65 175 174 2 491 179 90
Pessoas Residentes 7 647 507 - 211 7 997 368 4 004 4 361 182 534 545 6 336 564 204
(continua)

Resultados Definitivos 125


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES


3.04 (ÁGUA CANALIZADA, BANHO/DUCHE, AR CONDICIONADO E SISTEMA DE AQUECIMENTO) EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS

(continuação)
Com água canalizada no Instalação
Com água Ar condicionado Sistema de aquecimento disponível
alojamento de banho ou duche
canalizada Sem água
fora do canalizada Aquecimento não central
ZONA GEOGRÁFICA Prove- Prove- alojamento no aloja- Com Sem Aparelhos
Com ar Sem ar Aqueci- Aparelhos Sem
niente da niente mas dis- mento ou instalação instalação condicio- condicio- Recupe- fixos (na
mento Lareira móveis aqueci-
rede de rede ponível no edifício de banho de banho rador parede,
nado nado Central aberta (eléctricos, mento
pública particular edifício ou duche ou duche de calor fogões,
a gás, etc)
etc.)
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Castelo de Vide
Alojamentos 1 349 43 4 11 1 359 48 230 1 177 51 211 150 791 160 44
Famílias Clássicas 1 358 43 4 11 1 368 48 230 1 186 51 212 151 797 161 44
Pessoas Residentes 3 091 109 6 27 3 146 87 575 2 658 134 553 431 1 636 402 77
Crato
Alojamentos 1 518 14 1 11 1 502 42 456 1 088 45 570 132 632 115 50
Famílias Clássicas 1 523 14 1 11 1 507 42 459 1 090 45 573 132 633 116 50
Pessoas Residentes 3 417 39 1 24 3 402 79 1 213 2 268 128 1 296 354 1 335 279 89
Elvas
Alojamentos 8 368 457 8 41 8 590 284 3 626 5 248 267 683 518 6 345 729 332
Famílias Clássicas 8 401 459 8 41 8 625 284 3 644 5 265 267 686 520 6 373 731 332
Pessoas Residentes 21 199 1 224 14 104 22 052 489 9 999 12 542 698 2 002 1 591 15 521 1 997 732
Fronteira
Alojamentos 1 312 37 - - 1 335 14 436 913 24 214 135 758 161 57
Famílias Clássicas 1 313 37 - - 1 336 14 436 914 24 214 135 759 161 57
Pessoas Residentes 3 190 116 - - 3 278 28 1 218 2 088 72 553 389 1 730 445 117
Gavião
Alojamentos 1 711 15 - 10 1 681 55 244 1 492 33 907 145 407 187 57
Famílias Clássicas 1 715 15 - 10 1 685 55 245 1 495 34 907 145 410 187 57
Pessoas Residentes 3 851 34 - 26 3 810 101 667 3 244 83 2 005 383 869 461 110
Marvão
Alojamentos 1 294 132 13 34 1 349 124 205 1 268 56 370 185 631 191 40
Famílias Clássicas 1 294 133 13 34 1 350 124 205 1 269 56 371 185 631 191 40
Pessoas Residentes 2 997 298 25 66 3 163 223 559 2 827 147 820 522 1 323 492 82
Monforte
Alojamentos 1 183 20 5 11 1 159 60 233 986 20 208 104 731 95 61
Famílias Clássicas 1 183 20 5 11 1 159 60 233 986 20 208 104 731 95 61
Pessoas Residentes 2 985 65 18 34 2 913 189 658 2 444 65 531 327 1 731 278 170
Nisa
Alojamentos 3 157 43 4 7 3 101 110 680 2 531 106 906 317 1 293 518 71
Famílias Clássicas 3 164 43 4 7 3 107 111 682 2 536 107 908 317 1 295 520 71
Pessoas Residentes 7 039 96 7 11 6 988 165 1 762 5 391 303 2 067 902 2 560 1 205 116
Ponte de Sor
Alojamentos 6 407 144 14 24 6 428 161 1 399 5 190 132 2 323 914 2 110 854 256
Famílias Clássicas 6 484 148 14 25 6 509 162 1 421 5 250 135 2 359 922 2 134 864 257
Pessoas Residentes 15 912 366 38 40 16 064 292 3 962 12 394 350 5 595 2 721 4 978 2 208 504
Portalegre
Alojamentos 9 551 470 10 85 9 757 359 2 923 7 193 364 1 245 1 104 6 456 665 282
Famílias Clássicas 9 585 475 10 86 9 795 361 2 927 7 229 364 1 257 1 105 6 479 667 284
Pessoas Residentes 23 155 1 156 16 156 23 893 590 7 890 16 593 1 072 3 055 3 223 14 767 1 750 616
Alentejo Central
Alojamentos 61 562 4 274 76 412 64 476 1 848 19 796 46 528 1 518 8 812 6 905 39 143 7 551 2 395
Famílias Clássicas 62 114 4 313 76 413 65 059 1 857 19 939 46 977 1 543 8 883 6 949 39 486 7 617 2 438
Pessoas Residentes 151 309 11 143 133 926 160 102 3 409 55 168 108 343 4 234 22 619 20 538 90 601 20 280 5 239
Alandroal
Alojamentos 2 260 105 2 12 2 261 118 539 1 840 24 806 124 1 118 225 82
Famílias Clássicas 2 261 105 2 12 2 262 118 539 1 841 24 807 124 1 118 225 82
Pessoas Residentes 5 464 257 3 19 5 527 216 1 507 4 236 57 1 853 357 2 679 599 198
Arraiolos
Alojamentos 2 777 197 3 4 2 907 74 757 2 224 66 494 273 1 687 378 83
Famílias Clássicas 2 794 198 3 4 2 923 76 760 2 239 66 496 275 1 697 382 83
Pessoas Residentes 6 718 500 5 7 7 110 120 2 054 5 176 179 1 253 800 3 866 950 182
(continua)

126 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES


(ÁGUA CANALIZADA, BANHO/DUCHE, AR CONDICIONADO E SISTEMA DE AQUECIMENTO) EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS
3.04

(continuação)
Com água canalizada no Instalação
Com água Ar condicionado Sistema de aquecimento disponível
alojamento de banho ou duche
canalizada Sem água
fora do canalizada Aquecimento não central
ZONA GEOGRÁFICA Prove- Prove- alojamento no aloja- Com Sem Aparelhos
Com ar Sem ar Aqueci- Aparelhos Sem
niente da niente mas dis- mento ou instalação instalação condicio- condicio- Recupe- fixos (na
mento Lareira móveis aqueci-
rede de rede ponível no edifício de banho de banho rador parede,
nado nado Central aberta (eléctricos, mento
pública particular edifício ou duche ou duche de calor fogões,
a gás, etc)
etc.)
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Borba
Alojamentos 2 804 87 5 16 2 811 101 953 1 959 22 328 369 1 702 408 83
Famílias Clássicas 2 816 88 5 16 2 824 101 958 1 967 22 329 370 1 709 409 86
Pessoas Residentes 6 949 223 11 27 7 039 171 2 660 4 550 59 838 1 096 3 933 1 112 172
Estremoz
Alojamentos 5 202 516 18 91 5 532 295 1 595 4 232 111 613 524 3 781 525 273
Famílias Clássicas 5 264 525 18 91 5 601 297 1 615 4 283 114 624 529 3 820 530 281
Pessoas Residentes 12 432 1 315 35 229 13 439 572 4 427 9 584 290 1 583 1 601 8 455 1 406 676
Évora
Alojamentos 20 764 1 590 20 83 22 034 423 8 186 14 271 716 1 576 2 640 14 524 2 243 758
Famílias Clássicas 21 058 1 608 20 84 22 344 426 8 262 14 508 734 1 587 2 665 14 725 2 276 783
Pessoas Residentes 51 224 4 284 38 151 54 962 735 22 629 33 068 2 005 4 279 7 819 33 762 6 192 1 640
Montemor-o-Novo
Alojamentos 5 795 1 132 8 78 6 774 239 1 742 5 271 183 1 111 663 3 782 986 288
Famílias Clássicas 5 821 1 140 8 78 6 808 239 1 748 5 299 185 1 121 666 3 794 990 291
Pessoas Residentes 13 964 2 825 10 152 16 521 430 4 778 12 173 534 2 888 1 912 8 542 2 480 595
Mourão
Alojamentos 950 26 - 24 959 41 380 620 12 272 83 502 95 36
Famílias Clássicas 952 26 - 24 961 41 381 621 12 273 83 503 95 36
Pessoas Residentes 2 426 74 - 90 2 450 140 1 047 1 543 29 723 246 1 233 261 98
Portel
Alojamentos 2 454 81 2 19 2 481 75 461 2 095 27 684 299 1 063 415 68
Famílias Clássicas 2 487 81 2 19 2 514 75 470 2 119 27 696 299 1 077 422 68
Pessoas Residentes 6 061 208 2 44 6 180 135 1 351 4 964 72 1 640 880 2 465 1 099 159
Redondo
Alojamentos 2 615 158 3 25 2 681 120 630 2 171 28 435 206 1 693 333 106
Famílias Clássicas 2 622 158 3 25 2 688 120 631 2 177 28 437 208 1 695 334 106
Pessoas Residentes 6 439 440 4 61 6 723 221 1 751 5 193 71 1 128 636 3 974 931 204
Reguengos de Monsaraz
Alojamentos 4 011 106 7 19 4 034 109 1 485 2 658 85 699 320 2 436 471 132
Famílias Clássicas 4 035 106 7 19 4 057 110 1 496 2 671 86 703 320 2 449 474 135
Pessoas Residentes 10 259 287 9 45 10 400 200 4 261 6 339 248 1 775 988 5 940 1 327 322
Vendas Novas
Alojamentos 4 627 31 4 16 4 614 64 870 3 808 106 814 661 2 253 611 233
Famílias Clássicas 4 664 31 4 16 4 650 65 874 3 841 106 824 663 2 271 617 234
Pessoas Residentes 11 435 82 10 42 11 441 128 2 386 9 183 317 2 156 1 902 5 117 1 586 491
Viana do Alentejo
Alojamentos 2 086 101 2 4 2 166 27 396 1 797 42 295 256 1 165 345 90
Famílias Clássicas 2 104 102 2 4 2 185 27 399 1 813 42 297 259 1 177 347 90
Pessoas Residentes 5 228 268 3 13 5 453 59 1 224 4 288 122 759 817 2 717 917 180
Vila Viçosa
Alojamentos 3 251 58 - 10 3 209 110 1 223 2 096 59 255 311 2 350 240 104
Famílias Clássicas 3 264 58 - 10 3 222 110 1 225 2 107 59 256 311 2 362 240 104
Pessoas Residentes 8 021 154 - 22 8 003 194 3 459 4 738 150 699 940 5 549 659 200
Sousel
Alojamentos 1 966 86 2 11 2 013 52 579 1 486 37 430 176 1 087 276 59
Famílias Clássicas 1 972 87 2 11 2 020 52 581 1 491 38 433 177 1 089 276 59
Pessoas Residentes 4 689 226 3 24 4 854 88 1 634 3 308 101 1 045 544 2 369 761 122
Baixo Alentejo
Alojamentos 46 808 2 456 40 700 48 285 1 719 13 142 36 862 860 15 876 3 788 22 471 4 555 2 454
Famílias Clássicas 47 297 2 485 42 713 48 792 1 745 13 207 37 330 865 16 018 3 798 22 741 4 589 2 526
Pessoas Residentes 115 353 6 229 96 1 913 119 776 3 815 36 797 86 794 2 371 40 173 11 251 52 593 12 225 4 978
(continua)

Resultados Definitivos 127


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES


3.04 (ÁGUA CANALIZADA, BANHO/DUCHE, AR CONDICIONADO E SISTEMA DE AQUECIMENTO) EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS

(continuação)
Com água canalizada no Instalação
Com água Ar condicionado Sistema de aquecimento disponível
alojamento de banho ou duche
canalizada Sem água
fora do canalizada Aquecimento não central
ZONA GEOGRÁFICA Prove- Prove- alojamento no aloja- Com Sem Aparelhos
Com ar Sem ar Aqueci- Aparelhos Sem
niente da niente mas dis- mento ou instalação instalação condicio- condicio- Recupe- fixos (na
mento Lareira móveis aqueci-
rede de rede ponível no edifício de banho de banho rador parede,
nado nado Central aberta (eléctricos, mento
pública particular edifício ou duche ou duche de calor fogões,
a gás, etc)
etc.)
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Aljustrel
Alojamentos 3 657 65 1 21 3 667 77 959 2 785 75 1 347 256 1 407 392 267
Famílias Clássicas 3 666 65 1 21 3 676 77 961 2 792 75 1 350 257 1 410 394 267
Pessoas Residentes 8 883 158 1 35 8 927 150 2 677 6 400 206 3 474 747 3 130 1 035 485
Almodôvar
Alojamentos 2 479 466 3 109 2 862 195 633 2 424 100 1 544 249 729 307 128
Famílias Clássicas 2 490 468 3 110 2 875 196 634 2 437 100 1 548 249 737 308 129
Pessoas Residentes 5 930 1 138 11 173 6 945 307 1 769 5 483 295 3 544 728 1 642 821 222
Alvito
Alojamentos 887 74 1 9 952 19 159 812 12 234 104 449 122 50
Famílias Clássicas 936 79 1 9 1 005 20 162 863 12 242 106 474 128 63
Pessoas Residentes 2 144 179 7 28 2 303 55 445 1 913 25 618 292 987 336 100
Barrancos
Alojamentos 695 5 - 2 689 13 147 555 7 59 16 564 22 34
Famílias Clássicas 714 5 - 2 708 13 150 571 8 61 16 578 23 35
Pessoas Residentes 1 787 9 - 7 1 771 32 457 1 346 19 176 50 1 425 64 69
Beja
Alojamentos 13 473 413 10 86 13 752 230 4 389 9 593 281 2 640 1 277 8 074 1 045 665
Famílias Clássicas 13 615 423 10 87 13 903 232 4 414 9 721 282 2 676 1 282 8 161 1 053 681
Pessoas Residentes 33 421 1 101 21 247 34 248 542 12 093 22 697 758 7 103 3 769 18 953 2 809 1 398
Castro Verde
Alojamentos 2 788 71 - 34 2 837 56 669 2 224 46 1 275 261 964 181 166
Famílias Clássicas 2 811 71 - 35 2 860 57 673 2 244 48 1 284 261 967 183 174
Pessoas Residentes 6 851 189 - 90 6 995 135 2 016 5 114 135 3 155 820 2 188 527 305
Cuba
Alojamentos 1 758 38 - 21 1 782 35 363 1 454 15 413 153 949 193 94
Famílias Clássicas 1 793 38 - 21 1 817 35 364 1 488 15 416 154 976 194 97
Pessoas Residentes 4 511 99 - 96 4 576 130 1 119 3 587 45 1 093 468 2 372 500 228
Ferreira do Alentejo
Alojamentos 3 089 144 - 24 3 174 83 860 2 397 45 983 235 1 359 461 174
Famílias Clássicas 3 149 152 - 25 3 242 84 871 2 455 45 1 006 235 1 393 467 180
Pessoas Residentes 7 594 376 - 63 7 872 161 2 431 5 602 123 2 486 689 3 132 1 243 360
Mértola
Alojamentos 2 909 124 3 78 2 817 297 605 2 509 26 1 757 148 790 168 225
Famílias Clássicas 2 925 124 3 79 2 833 298 606 2 525 26 1 762 148 800 168 227
Pessoas Residentes 6 684 308 6 126 6 612 512 1 601 5 523 58 4 059 441 1 773 433 360
Moura
Alojamentos 5 494 176 10 123 5 537 266 2 020 3 783 75 1 261 289 3 512 485 181
Famílias Clássicas 5 523 176 10 124 5 563 270 2 029 3 804 76 1 266 290 3 533 486 182
Pessoas Residentes 13 910 455 25 497 14 087 800 5 627 9 260 211 3 533 840 8 558 1 314 431
Ourique
Alojamentos 1 866 388 3 43 2 167 133 319 1 981 31 1 329 115 528 193 104
Famílias Clássicas 1 873 388 3 43 2 174 133 319 1 988 31 1 330 115 533 193 105
Pessoas Residentes 4 261 899 5 69 5 026 208 860 4 374 72 2 961 338 1 159 522 182
Serpa
Alojamentos 5 515 416 9 117 5 809 248 1 450 4 607 123 2 384 466 2 223 603 258
Famílias Clássicas 5 567 419 11 123 5 862 258 1 452 4 668 123 2 409 466 2 243 605 274
Pessoas Residentes 13 832 1 126 20 349 14 751 576 4 104 11 223 362 6 233 1 405 5 173 1 580 574
Vidigueira
Alojamentos 2 198 76 - 33 2 240 67 569 1 738 24 650 219 923 383 108
Famílias Clássicas 2 235 77 - 34 2 274 72 572 1 774 24 668 219 936 387 112
Pessoas Residentes 5 545 192 - 133 5 663 207 1 598 4 272 62 1 738 664 2 101 1 041 264
(continua)

128 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES


(ÁGUA CANALIZADA, BANHO/DUCHE, AR CONDICIONADO E SISTEMA DE AQUECIMENTO) EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS
3.04

(continuação)
Com água canalizada no Instalação
Com água Ar condicionado Sistema de aquecimento disponível
alojamento de banho ou duche
canalizada Sem água
fora do canalizada Aquecimento não central
ZONA GEOGRÁFICA Prove- Prove- alojamento no aloja- Com Sem Aparelhos
Com ar Sem ar Aqueci- Aparelhos Sem
niente da niente mas dis- mento ou instalação instalação condicio- condicio- Recupe- fixos (na
mento Lareira móveis aqueci-
rede de rede ponível no edifício de banho de banho rador parede,
nado nado Central aberta (eléctricos, mento
pública particular edifício ou duche ou duche de calor fogões,
a gás, etc)
etc.)
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Lezíria do Tejo
Alojamentos 91 010 4 680 107 583 94 471 1 909 17 040 79 340 5 138 27 946 9 103 38 416 9 920 5 857
Famílias Clássicas 91 959 4 725 108 590 95 453 1 929 17 157 80 225 5 176 28 242 9 165 38 852 9 991 5 956
Pessoas Residentes 229 812 12 139 238 1 132 239 778 3 543 47 602 195 719 14 891 72 278 26 398 91 117 26 064 12 573
Azambuja
Alojamentos 7 520 515 13 58 7 946 160 1 118 6 988 566 1 816 735 3 337 903 749
Famílias Clássicas 7 603 522 13 58 8 032 164 1 135 7 061 574 1 842 738 3 375 908 759
Pessoas Residentes 19 077 1 360 30 109 20 273 303 3 116 17 460 1 611 4 787 2 098 8 011 2 376 1 693
Almeirim
Alojamentos 9 008 168 8 76 9 066 194 2 179 7 081 366 3 320 904 3 226 958 486
Famílias Clássicas 9 085 171 8 81 9 146 199 2 185 7 160 368 3 338 910 3 267 963 499
Pessoas Residentes 22 502 429 21 189 22 731 410 5 974 17 167 1 067 8 353 2 643 7 524 2 478 1 076
Alpiarça
Alojamentos 2 862 118 2 13 2 951 44 634 2 361 138 979 298 1 114 286 180
Famílias Clássicas 2 869 118 2 13 2 958 44 634 2 368 138 982 298 1 116 287 181
Pessoas Residentes 7 271 289 3 24 7 515 72 1 760 5 827 409 2 492 883 2 661 768 374
Benavente
Alojamentos 10 370 491 1 14 10 801 75 2 469 8 407 748 2 077 1 133 5 235 874 809
Famílias Clássicas 10 451 496 1 14 10 887 75 2 476 8 486 749 2 088 1 138 5 288 876 823
Pessoas Residentes 27 365 1 407 4 29 28 629 176 6 938 21 867 2 191 5 763 3 266 13 218 2 411 1 956
Cartaxo
Alojamentos 8 889 546 8 41 9 316 168 1 531 7 953 518 1 930 811 4 626 876 723
Famílias Clássicas 8 970 552 8 41 9 403 168 1 538 8 033 519 1 946 820 4 668 880 738
Pessoas Residentes 22 665 1 425 18 74 23 901 281 4 328 19 854 1 470 5 352 2 326 11 224 2 292 1 518
Chamusca
Alojamentos 3 948 180 7 17 4 041 111 572 3 580 87 1 533 262 1 455 536 279
Famílias Clássicas 3 959 182 7 19 4 054 113 576 3 591 87 1 538 263 1 461 537 281
Pessoas Residentes 9 529 445 9 37 9 823 197 1 572 8 448 219 3 812 764 3 279 1 380 566
Coruche
Alojamentos 7 572 531 25 147 7 898 377 1 508 6 767 201 3 265 556 2 623 1 330 300
Famílias Clássicas 7 621 533 26 147 7 947 380 1 519 6 808 203 3 288 558 2 636 1 339 303
Pessoas Residentes 18 164 1 252 51 283 19 035 715 4 089 15 661 574 7 761 1 587 5 932 3 289 607
Golegã
Alojamentos 2 102 22 1 1 2 098 28 354 1 772 101 384 150 1 186 196 109
Famílias Clássicas 2 110 22 1 1 2 106 28 357 1 777 101 386 150 1 191 197 109
Pessoas Residentes 5 291 47 1 1 5 298 42 1 006 4 334 286 1 087 409 2 775 561 222
Rio Maior
Alojamentos 7 689 381 7 34 7 963 148 599 7 512 641 3 118 1 052 2 081 756 463
Famílias Clássicas 7 866 389 7 34 8 147 149 612 7 684 653 3 178 1 070 2 148 770 477
Pessoas Residentes 19 826 994 14 44 20 639 239 1 717 19 161 1 879 8 162 3 051 4 886 1 991 909
Salvaterra de Magos
Alojamentos 7 299 960 9 49 8 173 144 1 811 6 506 331 3 259 935 2 456 919 417
Famílias Clássicas 7 418 969 9 49 8 301 144 1 829 6 616 331 3 329 942 2 486 931 426
Pessoas Residentes 19 056 2 556 16 84 21 447 265 5 142 16 570 981 8 516 2 818 6 046 2 503 848
Santarém
Alojamentos 23 751 768 26 133 24 218 460 4 265 20 413 1 441 6 265 2 267 11 077 2 286 1 342
Famílias Clássicas 24 007 771 26 133 24 472 465 4 296 20 641 1 453 6 327 2 278 11 216 2 303 1 360
Pessoas Residentes 59 066 1 935 71 258 60 487 843 11 960 49 370 4 204 16 193 6 553 25 561 6 015 2 804

(fim)

Resultados Definitivos 129


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES EXISTENTES


3.05 (RETRETE, ÁGUA E SISTEMA AQUECIMENTO) NOS ALOJAMENTOS

Retrete, água e sistema de Apenas


Apenas retrete e água Apenas água Apenas
aquecimento retrete e Apenas Apenas Sem
ZONA GEOGRÁFICA e sistema de sistema de
sistema de retrete água instalações
aquecimento aquecimento
aquecimento
Com banho Sem banho Com banho Sem banho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Alentejo
Alojamentos 276 031 2 667 15 003 535 1 887 354 97 393 1 922 875
Famílias Clássicas 278 463 2 683 15 559 543 1 900 354 97 398 1 933 899
Pessoas Residentes 692 264 4 741 32 217 790 3 462 738 169 641 4 132 2 023
Alentejo Litoral
Alojamentos 33 965 259 4 190 88 263 84 27 79 550 259
Famílias Clássicas 34 307 264 4 553 88 264 84 27 80 553 265
Pessoas Residentes 84 100 459 9 091 120 495 176 44 119 995 402
Odemira
Alojamentos 8 817 88 1 192 29 124 48 18 35 358 169
Famílias Clássicas 8 944 93 1 513 29 124 48 18 36 358 174
Pessoas Residentes 21 653 153 2 585 33 232 95 32 51 637 243
Alcácer do Sal
Alojamentos 4 609 35 445 14 21 6 - 10 13 18
Famílias Clássicas 4 663 35 454 14 21 6 - 10 13 18
Pessoas Residentes 11 729 62 895 20 37 17 - 15 26 30
Grândola
Alojamentos 5 298 29 432 10 23 9 1 2 79 19
Famílias Clássicas 5 360 29 439 10 23 9 1 2 79 19
Pessoas Residentes 12 949 46 873 16 47 15 1 3 133 24
Santiago do Cacém
Alojamentos 10 908 85 995 21 90 16 6 22 81 32
Famílias Clássicas 10 976 85 999 21 91 16 6 22 84 32
Pessoas Residentes 26 623 144 2 110 30 170 37 9 35 155 44
Sines
Alojamentos 4 333 22 1 126 14 5 5 2 10 19 21
Famílias Clássicas 4 364 22 1 148 14 5 5 2 10 19 22
Pessoas Residentes 11 146 54 2 628 21 9 12 2 15 44 61
Alto Alentejo
Alojamentos 44 330 701 1 317 87 392 48 10 55 267 85
Famílias Clássicas 44 535 702 1 323 87 392 48 10 58 269 85
Pessoas Residentes 108 844 1 176 2 790 126 698 93 27 112 668 219
Mora
Alojamentos 1 954 19 52 3 13 1 - 1 7 1
Famílias Clássicas 1 963 19 53 3 13 1 - 1 7 1
Pessoas Residentes 4 556 35 103 8 19 3 - 1 13 3
Alter do Chão
Alojamentos 1 350 19 50 3 13 1 2 3 3 7
Famílias Clássicas 1 356 19 52 3 13 1 2 3 3 7
Pessoas Residentes 3 156 35 105 7 20 1 10 8 9 23
Arronches
Alojamentos 1 156 22 20 1 32 2 - 1 10 1
Famílias Clássicas 1 157 22 20 1 32 2 - 1 10 1
Pessoas Residentes 2 802 37 53 1 55 2 - 1 18 1
Avis
Alojamentos 1 723 26 48 6 18 - - 6 23 10
Famílias Clássicas 1 728 26 48 6 18 - - 8 23 10
Pessoas Residentes 4 063 48 90 7 26 - - 17 81 19
Campo Maior
Alojamentos 2 959 45 74 10 25 1 - 5 48 -
Famílias Clássicas 2 965 45 75 10 25 1 - 5 48 -
Pessoas Residentes 7 815 92 182 12 43 1 - 10 210 -
(continua)

130 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES EXISTENTES


(RETRETE, ÁGUA E SISTEMA AQUECIMENTO) NOS ALOJAMENTOS
3.05

(continuação)

Retrete, água e sistema de Apenas


Apenas retrete e água Apenas água Apenas
aquecimento retrete e Apenas Apenas Sem
ZONA GEOGRÁFICA e sistema de sistema de
sistema de retrete água instalações
aquecimento aquecimento
aquecimento
Com banho Sem banho Com banho Sem banho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Castelo de Vide
Alojamentos 1 320 25 39 1 5 3 - 2 10 2
Famílias Clássicas 1 329 25 39 1 5 3 - 2 10 2
Pessoas Residentes 3 076 37 70 1 14 13 - 2 16 4
Crato
Alojamentos 1 458 19 44 1 6 - - 4 11 1
Famílias Clássicas 1 463 19 44 1 6 - - 4 11 1
Pessoas Residentes 3 323 33 79 1 12 - - 8 24 1
Elvas
Alojamentos 8 317 149 273 16 58 4 2 12 14 29
Famílias Clássicas 8 352 149 273 16 58 4 2 12 14 29
Pessoas Residentes 21 452 239 600 25 88 7 3 19 23 85
Fronteira
Alojamentos 1 281 7 54 3 4 - - - - -
Famílias Clássicas 1 282 7 54 3 4 - - - - -
Pessoas Residentes 3 165 14 113 4 10 - - - - -
Gavião
Alojamentos 1 632 24 49 3 16 - - 2 7 3
Famílias Clássicas 1 636 24 49 3 16 - - 2 7 3
Pessoas Residentes 3 716 38 94 4 29 - - 4 18 8
Marvão
Alojamentos 1 320 40 29 5 31 15 1 1 27 4
Famílias Clássicas 1 321 40 29 5 31 15 1 1 27 4
Pessoas Residentes 3 106 73 57 11 47 33 1 1 45 12
Monforte
Alojamentos 1 110 8 49 3 28 1 - 5 11 4
Famílias Clássicas 1 110 8 49 3 28 1 - 5 11 4
Pessoas Residentes 2 775 19 138 3 97 1 - 18 40 11
Nisa
Alojamentos 3 041 67 60 9 22 2 - 1 8 1
Famílias Clássicas 3 047 68 60 9 22 2 - 1 8 1
Pessoas Residentes 6 883 106 105 9 31 2 - 1 15 1
Ponte de Sor
Alojamentos 6 204 69 224 9 39 - - 6 21 17
Famílias Clássicas 6 284 69 225 9 39 - - 6 22 17
Pessoas Residentes 15 625 125 439 11 69 - - 9 33 45
Portalegre
Alojamentos 9 505 162 252 14 82 18 5 6 67 5
Famílias Clássicas 9 542 162 253 14 82 18 5 7 68 5
Pessoas Residentes 23 331 245 562 22 138 30 13 13 123 6
Alentejo Central
Alojamentos 62 371 670 2 105 76 535 50 10 79 303 125
Famílias Clássicas 62 913 672 2 146 76 540 50 10 80 303 126
Pessoas Residentes 155 450 1 160 4 652 117 950 102 18 123 610 329
Alandroal
Alojamentos 2 190 35 71 2 58 2 - 9 12 -
Famílias Clássicas 2 191 35 71 2 58 2 - 9 12 -
Pessoas Residentes 5 347 62 180 3 114 3 - 15 19 -
Arraiolos
Alojamentos 2 836 33 71 6 22 - - 6 7 -
Famílias Clássicas 2 852 33 71 6 24 - - 6 7 -
Pessoas Residentes 6 945 58 165 8 33 - - 9 12 -
(continua)

Resultados Definitivos 131


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES EXISTENTES


3.05 (RETRETE, ÁGUA E SISTEMA AQUECIMENTO) NOS ALOJAMENTOS

(continuação)

Retrete, água e sistema de Apenas


Apenas retrete e água Apenas água Apenas
aquecimento retrete e Apenas Apenas Sem
ZONA GEOGRÁFICA e sistema de sistema de
sistema de retrete água instalações
aquecimento aquecimento
aquecimento
Com banho Sem banho Com banho Sem banho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Borba
Alojamentos 2 742 31 69 7 38 3 - 4 15 3
Famílias Clássicas 2 752 31 72 7 38 3 - 4 15 3
Pessoas Residentes 6 883 53 156 8 67 5 - 5 30 3
Estremoz
Alojamentos 5 324 88 208 8 83 5 3 7 54 47
Famílias Clássicas 5 385 89 216 8 84 5 3 7 54 47
Pessoas Residentes 12 949 142 490 13 142 11 4 11 91 158
Évora
Alojamentos 21 333 194 701 21 93 17 5 12 62 19
Famílias Clássicas 21 620 195 724 21 93 17 5 13 62 20
Pessoas Residentes 53 410 335 1 552 34 162 38 9 15 112 30
Montemor-o-Novo
Alojamentos 6 525 75 249 4 61 6 1 13 58 21
Famílias Clássicas 6 556 75 252 4 61 6 1 13 58 21
Pessoas Residentes 16 001 129 520 5 114 8 1 20 104 49
Mourão
Alojamentos 928 5 31 4 7 - - 1 24 -
Famílias Clássicas 930 5 31 4 7 - - 1 24 -
Pessoas Residentes 2 367 15 83 10 20 - - 5 90 -
Portel
Alojamentos 2 423 31 58 2 20 3 - 1 11 7
Famílias Clássicas 2 456 31 58 2 20 3 - 1 11 7
Pessoas Residentes 6 044 50 136 2 36 9 - 1 17 20
Redondo
Alojamentos 2 589 34 92 7 47 6 - 4 19 3
Famílias Clássicas 2 596 34 92 7 47 6 - 4 19 3
Pessoas Residentes 6 537 62 186 11 79 15 - 4 47 3
Reguengos de Monsaraz
Alojamentos 3 913 39 121 4 37 3 - 3 19 4
Famílias Clássicas 3 933 39 124 4 38 3 - 3 19 4
Pessoas Residentes 10 095 65 305 5 70 4 - 6 44 6
Vendas Novas
Alojamentos 4 408 20 206 6 11 2 1 7 4 13
Famílias Clássicas 4 443 20 207 6 12 2 1 7 4 13
Pessoas Residentes 11 010 33 431 11 23 5 4 9 7 36
Viana do Alentejo
Alojamentos 2 080 15 86 1 4 - - 1 4 2
Famílias Clássicas 2 099 15 86 1 4 - - 1 4 2
Pessoas Residentes 5 285 35 168 1 5 - - 2 7 9
Vila Viçosa
Alojamentos 3 123 51 86 3 35 - - 11 6 4
Famílias Clássicas 3 136 51 86 3 35 - - 11 6 4
Pessoas Residentes 7 839 89 164 3 59 - - 21 10 12
Sousel
Alojamentos 1 957 19 56 1 19 3 - - 8 2
Famílias Clássicas 1 964 19 56 1 19 3 - - 8 2
Pessoas Residentes 4 738 32 116 3 26 4 - - 20 3
Baixo Alentejo
Alojamentos 46 210 417 2 075 93 396 52 7 73 475 206
Famílias Clássicas 46 659 420 2 133 97 400 52 7 73 480 216
Pessoas Residentes 115 700 786 4 076 141 757 128 14 122 1 242 625
(continua)

132 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES EXISTENTES


(RETRETE, ÁGUA E SISTEMA AQUECIMENTO) NOS ALOJAMENTOS
3.05

(continuação)

Retrete, água e sistema de Apenas


Apenas retrete e água Apenas água Apenas
aquecimento retrete e Apenas Apenas Sem
ZONA GEOGRÁFICA e sistema de sistema de
sistema de retrete água instalações
aquecimento aquecimento
aquecimento
Com banho Sem banho Com banho Sem banho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Aljustrel
Alojamentos 3 428 31 239 11 9 - 1 4 9 12
Famílias Clássicas 3 437 31 239 11 9 - 1 4 9 12
Pessoas Residentes 8 489 58 438 13 32 - 2 11 13 21
Almodôvar
Alojamentos 2 756 29 106 4 43 10 - 7 91 11
Famílias Clássicas 2 769 29 106 4 43 10 - 7 91 12
Pessoas Residentes 6 753 41 192 5 69 18 - 8 149 17
Alvito
Alojamentos 906 5 46 3 1 - - - 9 1
Famílias Clássicas 946 6 59 3 1 - - - 9 1
Pessoas Residentes 2 210 16 93 3 1 - - - 31 4
Barrancos
Alojamentos 656 8 33 - 3 1 - - - 1
Famílias Clássicas 674 8 34 - 3 1 - - - 1
Pessoas Residentes 1 708 16 63 - 9 1 - - - 6
Beja
Alojamentos 13 157 82 595 17 26 12 1 9 40 43
Famílias Clássicas 13 292 83 611 17 26 12 1 9 41 43
Pessoas Residentes 33 006 178 1 242 28 53 26 5 15 129 108
Castro Verde
Alojamentos 2 680 9 157 1 11 1 1 1 26 6
Famílias Clássicas 2 695 9 165 1 11 1 1 1 27 6
Pessoas Residentes 6 706 21 289 4 19 3 1 1 76 10
Cuba
Alojamentos 1 710 10 72 2 - - - 2 3 18
Famílias Clássicas 1 742 10 75 2 - - - 2 3 18
Pessoas Residentes 4 434 26 142 2 - - - 6 18 78
Ferreira do Alentejo
Alojamentos 3 029 33 145 12 9 3 1 5 9 11
Famílias Clássicas 3 092 33 150 12 9 3 1 5 9 12
Pessoas Residentes 7 578 54 294 22 15 12 1 7 14 36
Mértola
Alojamentos 2 653 25 164 5 158 3 1 28 50 27
Famílias Clássicas 2 667 25 166 5 158 3 1 28 51 27
Pessoas Residentes 6 332 56 280 6 282 10 2 36 84 36
Moura
Alojamentos 5 399 66 138 16 44 6 - 7 107 20
Famílias Clássicas 5 424 66 139 16 47 6 - 7 108 20
Pessoas Residentes 13 778 118 309 23 116 19 - 21 425 78
Ourique
Alojamentos 2 079 22 88 4 57 4 - 4 34 8
Famílias Clássicas 2 085 22 89 4 57 4 - 4 34 8
Pessoas Residentes 4 862 31 164 5 93 9 - 5 57 8
Serpa
Alojamentos 5 606 74 203 13 30 12 1 5 77 36
Famílias Clássicas 5 651 75 211 13 31 12 1 5 77 44
Pessoas Residentes 14 364 127 387 15 55 30 1 10 177 161
Vidigueira
Alojamentos 2 151 23 89 5 5 - 1 1 20 12
Famílias Clássicas 2 185 23 89 9 5 - 1 1 21 12
Pessoas Residentes 5 480 44 183 15 13 - 2 2 69 62
(continua)

Resultados Definitivos 133


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO AS INSTALAÇÕES EXISTENTES


3.05 (RETRETE, ÁGUA E SISTEMA AQUECIMENTO) NOS ALOJAMENTOS

(continuação)

Retrete, água e sistema de Apenas


Apenas retrete e água Apenas água Apenas
aquecimento retrete e Apenas Apenas Sem
ZONA GEOGRÁFICA e sistema de sistema de
sistema de retrete água instalações
aquecimento aquecimento
aquecimento
Com banho Sem banho Com banho Sem banho

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Lezíria do Tejo
Alojamentos 89 155 620 5 316 191 301 120 43 107 327 200
Famílias Clássicas 90 049 625 5 404 195 304 120 43 107 328 207
Pessoas Residentes 228 170 1 160 11 608 286 562 239 66 165 617 448
Azambuja
Alojamentos 7 273 40 673 24 12 12 14 13 20 25
Famílias Clássicas 7 352 41 680 27 12 12 14 13 20 25
Pessoas Residentes 18 731 76 1 542 47 21 24 26 20 31 58
Almeirim
Alojamentos 8 630 65 436 14 24 12 2 7 43 27
Famílias Clássicas 8 702 65 444 14 24 12 2 7 43 32
Pessoas Residentes 21 774 130 957 19 38 22 5 13 101 82
Alpiarça
Alojamentos 2 784 16 167 8 5 7 1 - 3 4
Famílias Clássicas 2 790 16 168 8 5 7 1 - 3 4
Pessoas Residentes 7 157 28 358 10 7 17 2 - 4 4
Benavente
Alojamentos 10 010 36 791 8 10 4 - 6 7 4
Famílias Clássicas 10 082 36 805 8 10 4 - 6 7 4
Pessoas Residentes 26 719 84 1 910 19 25 12 - 15 9 12
Cartaxo
Alojamentos 8 660 66 656 31 7 17 4 15 11 17
Famílias Clássicas 8 732 66 671 31 7 17 4 15 11 17
Pessoas Residentes 22 483 115 1 418 40 10 41 5 24 15 31
Chamusca
Alojamentos 3 792 48 249 18 17 7 - 4 9 8
Famílias Clássicas 3 805 48 249 18 17 7 - 4 9 10
Pessoas Residentes 9 301 89 522 23 34 10 - 5 20 16
Coruche
Alojamentos 7 640 99 258 3 93 15 1 10 128 28
Famílias Clássicas 7 686 101 261 3 93 15 1 10 129 28
Pessoas Residentes 18 507 173 528 4 186 29 1 18 248 56
Golegã
Alojamentos 1 997 17 101 5 2 1 1 2 - -
Famílias Clássicas 2 005 17 101 5 2 1 1 2 - -
Pessoas Residentes 5 085 29 213 6 3 1 1 2 - -
Rio Maior
Alojamentos 7 547 36 416 19 40 3 3 12 22 13
Famílias Clássicas 7 717 36 430 19 41 3 3 12 22 13
Pessoas Residentes 19 787 73 852 25 70 9 3 13 30 16
Salvaterra de Magos
Alojamentos 7 801 44 372 10 20 12 3 12 23 20
Famílias Clássicas 7 920 44 381 10 20 12 3 12 23 20
Pessoas Residentes 20 668 80 779 15 49 28 4 21 39 29
Santarém
Alojamentos 23 021 153 1 197 51 71 30 14 26 61 54
Famílias Clássicas 23 258 155 1 214 52 73 30 14 26 61 54
Pessoas Residentes 57 958 283 2 529 78 119 46 19 34 120 144

(fim)

134 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDENCIA HABITUAL, SEGUNDO O AQUECIMENTO DISPONÍVEL


NO ALOJAMENTO E A PRINCIPAL FONTE DE ENERGIA UTILIZADA PARA AQUECIMENTO
3.06

Aquecimento não central


Total de
Sem
alojamentos Aquecimento
ZONA GEOGRÁFICA Total aquecimento
famíliares com central
Recuperador Aparelhos disponível
aquecimento Lareira aberta Aparelhos fixos
de calor móveis

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 299 764 282 861 9 618 73 546 28 172 141 299 30 226 16 903
Electricidade 158 295 158 295 4 176 - 7 132 135 161 11 826 -
Madeira, carvão ou outros combustíveis sólidos 113 232 113 232 699 73 546 20 743 226 18 018 -
Petróleo, gasóleo ou outros combustíveis líquidos 2 807 2 807 2 365 - 54 289 99 -
Gás natural, propano, butano ou outros combustíveis gasosos 8 133 8 133 2 205 - 139 5 558 231 -
Outra (energia solar, geotérmica, ...) 394 394 173 - 104 65 52 -

(fim)

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O TIPO DE ALOJAMENTO FAMÍLIAR,
FAMÍLIAS CLASSICAS E PESSOAS RESIDENTES, POR INSTALAÇÕES EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS
3.07

Alojamentos famíliares ocupados Famílias clássicas


Alojamentos clássicos Não Clássicos
Em edifícios principalmente residenciais
Pessoas
ZONA GEOGRÁFICA Com 1 alojamento Barracas e Ocupação residentes
Total Com 3 Em edifícios Total
Com 2 casas rudi- partilhada
Total ou mais parcialmente Total Outros
Exclusiva- Parcial- aloja- mentares
aloja- residenciais
mente mente mentos de madeira
residencial residencial mentos

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

Alentejo 299 764 298 767 206 144 6 643 24 748 59 472 1 760 997 493 504 302 829 5 397 741 177

Com água, retrete, sistema de aquecimento 276 031 275 748 190 207 6 184 22 740 55 045 1 572 283 37 246 278 463 4 464 692 264
e instalação de banho

Com água, retrete, sistema de aquecimento 2 667 2 656 2 105 41 262 233 15 11 3 8 2 683 27 4 741
e sem instalação de banho

Com água, retrete e instalação de banho 15 003 14 930 9 112 314 1 362 4 006 136 73 10 63 15 559 802 32 217

Com água, retrete e sem instalação de 535 518 433 5 40 35 5 17 6 11 543 12 790
banho

Só água e sistema de aquecimento 1 887 1 857 1 616 18 154 61 8 30 19 11 1 900 23 3 462

Só retrete e sistema de aquecimento 354 348 305 10 23 8 2 6 3 3 354 - 738

Só retrete 97 91 73 5 8 4 1 6 4 2 97 - 169

Só água 393 362 316 3 28 13 2 31 12 19 398 9 641

Só sistema de aquecimento 1 922 1 705 1 516 42 93 45 9 217 190 27 1 933 22 4 132

Sem instalalações 875 552 461 21 38 22 10 323 209 114 899 38 2 023

(fim)

Resultados Definitivos 135


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS FAMÍLIARES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O TIPO DE EDIFÍCIO


3.08 POR UTILIZAÇÃO DA PRINCIPAL FONTE DE ENERGIA PARA AQUECIMENTO

Alojamentos famíliares clássicos

Com 1 ou 2 alojamentos famíliares Alojamentos


ZONA GEOGRÁFICA Com 3
famíliares
Principal fonte de energia utilizada para aquecimento ou mais
Total Outro tipo não clássicos
alojamentos
Isolado Geminado Em banda
famíliares

1 2 3 4 5 6 7 8

Alentejo 282 314 80 208 39 437 105 023 55 600 2 046 547
Electricidade 158 079 28 285 21 029 62 377 45 182 1 206 216
Madeira, carvão ou outros combustíveis sólidos 112 921 48 015 16 950 39 552 7 649 755 311
Petróleo, gasóleo ou outros combustíveis líquidos 2 806 1 850 332 497 109 18 1
Gás natural, propano, butano ou outros combustíveis gasosos 8 115 1 844 1 076 2 502 2 628 65 18
Outra (energia solar, geotérmica, ...) 393 214 50 95 32 2 1

(fim)

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, SEGUNDO A FORMA DE OCUPAÇÃO, FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES,


3.09 POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO

Alojamentos clássicos, segundo a forma de ocupação

Ocupados Vagos
ZONA GEOGRÁFICA Famílias Pessoas
Época de construção clássicas residentes
Total
Residência Residência Para Para Para
Total Total Outros
habitual secundária venda arrendamento demolição

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 469 287 399 451 298 767 100 684 69 836 12 674 7 556 4 355 45 251 301 790 738 193
Até 1919 35 508 24 298 15 900 8 398 11 210 1 200 674 1 656 7 680 16 075 33 335
1919 - 1945 58 912 43 250 28 171 15 079 15 662 1 916 1 220 1 422 11 104 28 405 60 398
1946 - 1960 57 728 46 071 32 939 13 132 11 657 1 521 1 199 669 8 268 33 252 71 633
1961 - 1970 52 837 44 901 34 030 10 871 7 936 1 173 945 285 5 533 34 378 76 822
1971 - 1980 67 878 61 055 48 600 12 455 6 823 1 009 1 040 136 4 638 49 337 116 941
1981 - 1990 62 787 58 210 46 700 11 510 4 577 782 856 75 2 864 47 204 121 531
1991 - 1995 30 438 28 297 21 465 6 832 2 141 477 460 33 1 171 21 659 59 047
1996 - 2000 37 661 35 024 26 505 8 519 2 637 751 467 19 1 400 26 730 74 807
2001 - 2005 39 618 36 682 28 355 8 327 2 936 1 287 403 46 1 200 28 562 79 927
2006 - 2011 25 920 21 663 16 102 5 561 4 257 2 558 292 14 1 393 16 188 43 752
(fim)

136 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, SEGUNDO A FORMA DE OCUPAÇÃO, FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES,


POR TIPO DE EDIFÍCIO E NÚMERO DE ALOJAMENTOS
3.10

Alojamentos clássicos, segundo a forma de ocupação

ZONA GEOGRÁFICA Ocupados Vagos


Famílias Pessoas
Tipo de edificio
clássicas residentes
e número de alojamentos Total
Residência Residência Para Para Para
Total Total Outros
habitual secundária venda arrendamento demolição

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 469 287 399 451 298 767 100 684 69 836 12 674 7 556 4 355 45 251 301 790 738 193

Total de edifícios principalmente residenciais 465 183 396 898 297 007 99 891 68 285 12 560 7 396 4 294 44 035 299 992 733 967

1 alojamento 348 581 295 951 212 787 83 164 52 630 8 256 3 748 3 964 36 662 214 632 527 821

2 alojamentos 34 419 29 639 24 748 4 891 4 780 668 1 194 152 2 766 25 065 59 673

3 alojamentos 8 930 7 203 5 814 1 389 1 727 201 511 65 950 5 928 13 370

4 alojamentos 10 412 8 681 7 175 1 506 1 731 356 523 56 796 7 245 17 250

5 - 9 alojamentos 39 742 35 090 29 989 5 101 4 652 1 850 973 56 1 773 30 236 74 901

10 - 15 alojamentos 14 828 13 092 10 843 2 249 1 736 763 294 - 679 10 955 26 778

16 ou mais alojamentos 8 271 7 242 5 651 1 591 1 029 466 153 1 409 5 931 14 174

Edifícios exclusivamente residenciais (100%) 432 746 369 550 275 278 94 272 63 196 11 114 6 478 4 120 41 484 277 721 679 728

1 alojamento 337 579 286 954 206 144 80 810 50 625 7 967 3 523 3 831 35 304 207 889 510 988

2 alojamentos 31 614 27 372 22 895 4 477 4 242 600 1 037 131 2 474 23 178 55 219

3 alojamentos 7 674 6 200 4 969 1 231 1 474 168 420 54 832 5 057 11 409

4 alojamentos 8 171 6 744 5 511 1 233 1 427 241 448 56 682 5 569 13 026

5 - 9 alojamentos 32 352 28 669 24 590 4 079 3 683 1 423 776 47 1 437 24 760 61 452

10 - 15 alojamentos 10 059 8 907 7 401 1 506 1 152 472 184 - 496 7 475 18 233

16 ou mais alojamentos 5 297 4 704 3 768 936 593 243 90 1 259 3 793 9 401

Edifícios principalmente residenciais (de 50% a 99%) 32 437 27 348 21 729 5 619 5 089 1 446 918 174 2 551 22 271 54 239

1 alojamento 11 002 8 997 6 643 2 354 2 005 289 225 133 1 358 6 743 16 833

2 alojamentos 2 805 2 267 1 853 414 538 68 157 21 292 1 887 4 454

3 alojamentos 1 256 1 003 845 158 253 33 91 11 118 871 1 961

4 alojamentos 2 241 1 937 1 664 273 304 115 75 - 114 1 676 4 224

5 - 9 alojamentos 7 390 6 421 5 399 1 022 969 427 197 9 336 5 476 13 449

10 - 15 alojamentos 4 769 4 185 3 442 743 584 291 110 - 183 3 480 8 545

16 ou mais alojamentos 2 974 2 538 1 883 655 436 223 63 - 150 2 138 4 773

Edifícios principalmente não residenciais (até 49%) 4 104 2 553 1 760 793 1 551 114 160 61 1 216 1 798 4 226

1 alojamento 3 060 1 758 1 123 635 1 302 61 83 54 1 104 1 154 2 755

2 alojamentos 477 375 300 75 102 10 25 - 67 305 681

3 alojamentos 137 107 83 24 30 3 4 3 20 84 201

4 alojamentos 110 89 70 19 21 5 8 - 8 70 173

5 - 9 alojamentos 215 160 125 35 55 4 32 4 15 125 277

10 - 15 alojamentos 70 59 54 5 11 1 8 - 2 55 128

16 ou mais alojamentos 35 5 5 - 30 30 - - - 5 11
(fim)

Resultados Definitivos 137


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES,


3.11 FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES, POR NÚMERO DE PESSOAS E FAMÍLIAS

Alojamentos clássicos, segundo o número de divisões


ZONA GEOGRÁFICA
Número de pessoas Total de Famílias Pessoas
e número de famílias Com 10 divisões clássicas residentes
nos alojamentos Total Com 1 Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6 Com 7 Com 8 Com 9
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Alentejo

Alojamentos 298 767 1 592 5 582 25 183 85 120 97 827 42 722 20 504 9 589 5 221 5 427 1 502 147 301 790 738 193

Com 1 pessoa 68 569 1 044 3 053 11 124 23 221 17 909 6 583 2 906 1 253 700 776 307 963 68 569 68 569

Com 2 pessoas 102 553 311 1 648 8 811 32 565 33 410 13 736 6 197 2 758 1 511 1 606 506 731 102 995 205 106

Com 3 pessoas 67 985 92 530 3 419 18 250 24 694 10 893 5 107 2 432 1 262 1 306 354 263 68 491 203 955

Com 4 pessoas 44 272 59 227 1 315 8 503 16 728 8 450 4 511 2 182 1 157 1 140 244 893 44 781 177 088

Com 5 pessoas 11 014 24 64 349 1 876 3 751 2 211 1 247 684 403 405 63 143 11 518 55 070

Com 6 pessoas 3 058 38 31 110 493 945 605 373 201 140 122 17 595 3 528 18 348

Com 7 pessoas 832 19 17 32 134 248 149 101 59 31 42 4 772 1 131 5 824

Com 8 pessoas 301 3 7 10 51 91 63 37 14 8 17 1 711 434 2 408

Com 9 ou mais pessoas 183 2 5 13 27 51 32 25 6 9 13 1 076 343 1 825

Alojamentos com 1 família 296 460 1 544 5 558 25 041 84 524 97 086 42 384 20 301 9 501 5 163 5 358 1 490 087 296 460 728 198

Com 1 pessoa 68 565 1 044 3 053 11 123 23 221 17 907 6 582 2 906 1 253 700 776 307 944 68 565 68 565

Com 2 pessoas 102 110 305 1 636 8 756 32 404 33 288 13 688 6 179 2 752 1 506 1 596 504 656 102 110 204 220

Com 3 pessoas 67 552 92 525 3 387 18 114 24 550 10 839 5 074 2 423 1 255 1 293 352 059 67 552 202 656

Com 4 pessoas 43 851 58 224 1 295 8 394 16 568 8 395 4 473 2 167 1 149 1 128 242 666 43 851 175 404

Com 5 pessoas 10 581 23 63 340 1 790 3 600 2 128 1 200 655 391 391 60 700 10 581 52 905

Com 6 pessoas 2 762 16 31 98 441 857 552 341 185 126 115 16 013 2 762 16 572

Com 7 pessoas 680 4 16 28 113 204 123 83 53 22 34 3 938 680 4 760

Com 8 pessoas 230 1 7 7 31 73 54 26 10 5 16 1 329 230 1 840

Com 9 ou mais pessoas 129 1 3 7 16 39 23 19 3 9 9 782 129 1 276

Alojamentos com 2 famílias 1 960 9 21 127 519 638 292 173 76 51 54 10 339 3 915 8 031

Com 1 pessoa 4 - - 1 - 2 1 - - - - 19 4 4

Com 2 pessoas 443 6 12 55 161 122 48 18 6 5 10 2 075 885 886

Com 3 pessoas 360 - 4 28 106 116 51 30 9 6 10 1 850 720 1 080

Com 4 pessoas 366 - 3 19 96 138 47 33 12 7 11 1 935 732 1 464

Com 5 pessoas 393 1 1 8 77 137 77 42 27 11 12 2 218 786 1 965

Com 6 pessoas 228 1 - 7 45 71 45 26 14 14 5 1 305 456 1 368

Com 7 pessoas 101 - 1 3 16 32 15 16 5 7 6 609 202 707

Com 8 pessoas 40 - - 3 12 12 5 5 2 1 - 207 80 320

Com 9 ou mais pessoas 25 1 - 3 6 8 3 3 1 - - 121 50 237

Alojamentos com 3 ou mais famílias 347 39 3 15 77 103 46 30 12 7 15 1 721 1 415 1 964

Com 1 pessoa - - - - - - - - - - - - - -

Com 2 pessoas - - - - - - - - - - - - - -

Com 3 pessoas 73 - 1 4 30 28 3 3 - 1 3 354 219 219

Com 4 pessoas 55 1 - 1 13 22 8 5 3 1 1 292 198 220

Com 5 pessoas 40 - - 1 9 14 6 5 2 1 2 225 151 200

Com 6 pessoas 68 21 - 5 7 17 8 6 2 - 2 277 310 408

Com 7 pessoas 51 15 - 1 5 12 11 2 1 2 2 225 249 357

Com 8 pessoas 31 2 - - 8 6 4 6 2 2 1 175 124 248

Com 9 ou mais pessoas 29 - 2 3 5 4 6 3 2 - 4 173 164 312


(fim)

138 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES POR ÁREA ÚTIL 3.12

Alojamentos clássicos, segundo o número de divisões


ZONA GEOGRÁFICA
Área útil Com 10
Total Com 1 Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6 Com 7 Com 8 Com 9
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 298 767 1 592 5 582 25 183 85 120 97 827 42 722 20 504 9 589 5 221 5 427
Menos de 30 m² 5 771 1 592 2 303 1 876 - - - - - - -
30 m² - 39 m² 8 650 - 983 3 466 4 201 - - - - - -
40 m² - 49 m² 15 652 - 644 3 831 5 952 3 671 949 340 144 63 58
50 m² - 59 m² 19 679 - 501 3 767 7 772 5 681 1 130 412 173 136 107
60 m² - 79 m² 43 257 - 549 6 288 19 860 11 274 3 321 1 189 427 187 162
80 m² - 99 m² 58 313 - 296 3 417 23 493 21 217 6 105 2 227 871 395 292
100 m² - 119 m² 51 445 - 133 1 344 12 485 23 162 8 512 3 397 1 304 656 452
120 m² - 149 m² 42 751 - 94 716 6 816 18 598 9 383 3 969 1 687 854 634
150 m² - 199 m² 29 629 - 52 312 3 009 9 784 8 153 4 393 2 038 1 109 779
200 m² ou mais 23 620 - 27 166 1 532 4 440 5 169 4 577 2 945 1 821 2 943
(fim)

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DOS EDIFÍCIOS POR INSTALAÇÕES EXISTENTES NOS ALOJAMENTOS
3.13

Alojamentos clássicos, segundo a época de construção dos edifícios


ZONA GEOGRÁFICA
Total
Instalações existentes Antes de De 1919 De 1946 De 1961 De 1971 De 1981 De 1991 De 1996 De 2001 De 2006
1919 a 1945 a 1960 a 1970 a 1980 a 1990 a 1995 a 2000 a 2005 a 2011

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 298 767 15 900 28 171 32 939 34 030 48 600 46 700 21 465 26 505 28 355 16 102
Com água, retrete, sistema de aquecimento e instalação de banho 275 748 13 325 24 556 29 547 31 114 45 009 43 890 20 456 25 391 27 175 15 285
Com água, retrete, sistema de aquecimento e sem instalação de banho 2 656 461 652 518 323 272 184 71 68 56 51
Com água, retrete e instalação de banho 14 930 861 1 572 1 903 1 993 2 907 2 294 807 932 1 003 658
Com água, retrete e sem instalação de banho 518 88 116 104 86 57 30 10 13 10 4
Só água e sistema de aquecimento 1 857 459 521 340 194 113 86 50 33 25 36
Só retrete e sistema de aquecimento 348 67 70 72 47 31 26 10 5 11 9
Só retrete 91 8 16 24 9 8 8 4 1 7 6
Só água 362 82 88 68 46 24 24 8 5 10 7
Só sistema de aquecimento 1 705 435 458 259 159 124 125 34 48 33 30
Sem instalalações 552 114 122 104 59 55 33 15 9 25 16
(fim)

Resultados Definitivos 139


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL,


3.14 SEGUNDO A ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DOS EDIFÍCIOS POR EXISTÊNCIA DE LUGAR DE ESTACIONAMENTO

Alojamentos clássicos, segundo a época de construção dos edifícios

ZONA GEOGRÁFICA Total


Antes de De 1919 De 1946 De 1961 De 1971 De 1981 De 1991 De 1996 De 2001 De 2006
1919 a 1945 a 1960 a 1970 a 1980 a 1990 a 1995 a 2000 a 2005 a 2011

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Alentejo 298 767 15 900 28 171 32 939 34 030 48 600 46 700 21 465 26 505 28 355 16 102
Tem estacionamento ou garagem 135 865 4 191 7 576 10 536 12 388 20 940 22 758 11 847 15 830 18 710 11 089
Para 1 veículo 85 936 2 279 4 493 6 887 8 191 13 714 14 892 7 535 9 988 11 674 6 283
Para 2 veículos 30 717 867 1 563 2 011 2 468 4 435 4 819 2 725 3 807 4 678 3 344
Para 3 ou mais veículos 19 212 1 045 1 520 1 638 1 729 2 791 3 047 1 587 2 035 2 358 1 462
Não tem estacionamento ou garagem 162 902 11 709 20 595 22 403 21 642 27 660 23 942 9 618 10 675 9 645 5 013

(fim)

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO A ENTIDADE PROPRIETÁRIA,


3.15 EXISTÊNCIA DE ENCARGOS POR COMPRA E PESSOAS RESIDENTES POR ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO

Alojamentos clássicos ocupados como residência habitual Pessoas residentes


Ocupante proprietário Outra entidade proprietária
Estado, Em
ZONA GEOGRÁFICA alojamentos
Com Sem Ascendentes, institutos Coopera-
Época de construção do edifício Total Particulares Total ocupados
encargos encargos descendentes Empresa públicos Autarquias tivas
Total Total ou empresas pelo
por por de 1º ou 2º pública autónomos, locais de
privadas proprietário
compra compra grau instituições sem habitação
fins lucrativos
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

Alentejo 298 767 228 274 86 173 142 101 70 493 17 145 45 536 446 2 885 4 166 315 738 193 570 602
Até 1919 15 900 10 257 1 518 8 739 5 643 1 175 4 110 13 205 126 14 33 335 21 333
1919 - 1945 28 171 18 378 3 239 15 139 9 793 2 008 7 203 42 325 191 24 60 398 38 997
1946 - 1960 32 939 22 092 3 975 18 117 10 847 2 297 7 788 43 438 238 43 71 633 47 505
1961 - 1970 34 030 24 455 4 627 19 828 9 575 2 233 6 522 56 463 260 41 76 822 54 548
1971 - 1980 48 600 37 164 8 867 28 297 11 436 3 011 6 485 185 804 885 66 116 941 88 523
1981 - 1990 46 700 37 707 13 486 24 221 8 993 2 606 4 966 60 417 887 57 121 531 98 618
1991 - 1995 21 465 17 880 8 484 9 396 3 585 1 030 2 168 8 63 302 14 59 047 49 809
1996 - 2000 26 505 22 223 13 760 8 463 4 282 1 179 2 519 8 67 500 9 74 807 63 742
2001 - 2005 28 355 24 194 17 777 6 417 4 161 1 017 2 487 24 70 527 36 79 927 69 159
2006 - 2011 16 102 13 924 10 440 3 484 2 178 589 1 288 7 33 250 11 43 752 38 368
(fim)

140 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, DIVISÕES, FAMÍLIAS CLÁSSICAS,


PESSOAS RESIDENTES E INDICADORES DE OCUPAÇÃO
3.16

Indicadores de Ocupação

Alojamentos Famílias Pessoas


ZONA GEOGRÁFICA Divisões Média de Média de Média de Média de
clássicos clássicas residentes
divisões por famílias por pesssoas por pessoas
alojamento alojamento alojamento por divisão

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 298 767 1 502 147 301 790 738 193 5,0 1,0 2,5 0,5
Alentejo Litoral 39 584 189 060 40 292 95 636 4,8 1,0 2,4 0,5
Alto Alentejo 47 088 246 609 47 302 114 050 5,2 1,0 2,4 0,5
Alentejo Central 66 163 335 981 66 749 163 024 5,1 1,0 2,5 0,5
Baixo Alentejo 49 789 251 252 50 311 122 794 5,0 1,0 2,5 0,5
Lezíria do Tejo 96 143 479 245 97 136 242 689 5,0 1,0 2,5 0,5

(fim)

Resultados Definitivos 141


quadros de resultados
ALENTEJO

3.17 ÍNDICE DE LOTAÇÃO DOS ALOJAMENTOS FAMÍLIARES CLÁSSICOS, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL

Índice de lotação

Alojamentos sublotados Alojamentos sobrelotados


Nº de divisões excedentes Nº de divisões em falta
ZONA GEOGRÁFICA
Total Normal
3 ou mais 3 ou mais
2 divisões 1 divisão 1 divisão 2 divisões
divisões divisões

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo 298 767 52 251 64 568 91 426 63 292 21 753 4 242 1 235
Alentejo Litoral 39 584 5 353 7 945 12 809 9 193 3 393 675 216
Odemira 10 805 1 412 2 197 3 481 2 503 953 166 93
Alcácer do Sal 5 151 689 992 1 762 1 182 425 84 17
Grândola 5 886 800 1 152 1 886 1 406 506 105 31
Santiago do Cacém 12 212 1 754 2 598 3 948 2 748 937 183 44
Sines 5 530 698 1 006 1 732 1 354 572 137 31
Alto Alentejo 47 088 10 721 10 684 13 207 8 740 3 030 535 171
Mora 2 048 403 516 641 354 109 20 5
Alter do Chão 1 441 425 326 384 225 61 17 3
Arronches 1 244 281 245 340 267 87 17 7
Avis 1 827 385 389 517 368 131 30 7
Campo Maior 3 119 780 644 841 580 216 42 16
Castelo de Vide 1 404 406 335 351 233 71 7 1
Crato 1 535 477 405 377 204 61 11 -
Elvas 8 847 1 424 1 715 2 551 2 117 826 162 52
Fronteira 1 349 360 288 382 232 71 11 5
Gavião 1 732 452 466 438 276 78 17 5
Marvão 1 472 514 323 362 195 60 14 4
Monforte 1 196 282 275 339 190 81 17 12
Nisa 3 209 1 246 763 710 347 121 16 6
Ponte de Sor 6 554 1 185 1 560 2 078 1 226 416 63 26
Portalegre 10 111 2 101 2 434 2 896 1 926 641 91 22
Alentejo Central 66 163 12 381 14 088 19 839 14 184 4 604 850 217
Alandroal 2 378 572 468 655 456 188 32 7
Arraiolos 2 975 728 677 829 526 174 31 10
Borba 2 909 569 571 879 637 217 26 10
Estremoz 5 786 1 095 1 124 1 772 1 334 380 64 17
Évora 22 424 3 549 4 938 6 781 5 135 1 605 333 83
Montemor-o-Novo 6 994 1 150 1 447 2 282 1 533 477 84 21
Mourão 983 261 238 255 156 56 11 6
Portel 2 551 450 517 716 603 230 33 2
Redondo 2 798 699 571 752 542 187 36 11
Reguengos de Monsaraz 4 133 1 009 964 1 110 721 260 54 15
Vendas Novas 4 664 667 998 1 564 1 057 312 54 12
Viana do Alentejo 2 191 535 473 635 354 156 35 3
Vila Viçosa 3 315 676 671 936 734 249 36 13
Sousel 2 062 421 431 673 396 113 21 7
Baixo Alentejo 49 789 9 124 10 852 14 473 10 414 3 813 852 261
Aljustrel 3 738 651 803 1 091 869 271 39 14
Almodôvar 3 053 494 692 889 640 275 52 11
Alvito 964 227 199 286 167 66 12 7
Barrancos 702 141 131 200 161 54 11 4
Beja 13 941 2 222 3 089 4 245 3 082 1 010 230 63
Castro Verde 2 891 562 679 846 546 204 42 12
Cuba 1 797 409 418 525 291 120 26 8
Ferreira do Alentejo 3 229 553 678 986 714 232 56 10
Mértola 3 112 516 639 849 737 296 53 22
Moura 5 762 1 205 1 134 1 552 1 178 485 148 60
Ourique 2 295 419 511 703 464 162 30 6
Serpa 6 020 1 319 1 372 1 616 1 134 450 101 28
Vidigueira 2 285 406 507 685 431 188 52 16
Lezíria do Tejo 96 143 14 672 20 999 31 098 20 761 6 913 1 330 370
Azambuja 8 101 930 1 496 2 711 2 043 741 149 31
Almeirim 9 240 1 408 2 009 2 866 2 091 692 133 41
Alpiarça 2 994 585 682 946 547 197 28 9
Benavente 10 855 1 300 2 213 3 606 2 586 930 167 53
Cartaxo 9 466 1 222 1 841 3 052 2 383 790 140 38
Chamusca 4 147 689 913 1 394 823 266 42 20
Coruche 8 219 1 255 1 834 2 761 1 707 528 98 36
Golegã 2 125 389 512 663 418 114 23 6
Rio Maior 8 104 1 298 1 764 2 666 1 671 547 122 36
Salvaterra de Magos 8 286 1 178 1 772 2 686 1 879 608 131 32
Santarém 24 606 4 418 5 963 7 747 4 613 1 500 297 68
(fim)

142 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS, FAMÍLIAS CLÁSSICAS E PESSOAS RESIDENTES SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES


E A ÁREA ÚTIL POR OCUPANTE
3.18

Número de divisões por ocupante

ZONA GEOGRÁFICA De 0.5 De 1 De 1.25 De 1.5 De 2 De 2.5


Menos de 3 ou mais
a menos de a menos de a menos de a menos de a menos de a menos de
0.5 divisão divisões
1divisão 1.25 divisões 1.5 divisões 2 divisões 2.5 divisões 3 divisões

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Alentejo

Alojamentos 452 7 045 21 747 36 516 47 815 55 362 36 982 92 848

Famílias Clássicas 750 7 738 22 348 36 975 48 231 55 662 37 127 92 959

Pessoas Residentes 2 602 35 567 85 687 129 750 150 555 131 564 78 676 123 792
(continua)

(continuação)
Área útil por ocupante

ZONA GEOGRÁFICA De 10m2 De 15m2 De 20m2 De 30m2 De 40m2 De 60m2


Menos de 80m2
a menos de a menos de a menos de a menos de a menos de a menos de
10m2 ou mais
15m2 20m 2
30m 2
40m 2
60m 2
80m 2

1 10 11 12 13 14 15 16 17

Alentejo

Alojamentos 4 570 6 691 19 271 41 221 56 051 85 353 33 227 52 383

Famílias Clássicas 4 975 7 054 19 777 41 942 56 526 85 781 33 310 52 425

Pessoas Residentes 16 882 29 392 61 729 137 555 157 109 207 901 59 566 68 059
(fim)

Resultados Definitivos 143


quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS PROPRIEDADE DOS OCUPANTES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES,
3.19 POR GRUPO SOCIOECONÓMICO DO TITULAR DO ALOJAMENTO, EXISTÊNCIA DE ENCARGOS POR COMPRA E RESPETIVOS ESCALÕES

Alojamentos clássicos, segundo o número de divisões


ZONA GEOGRÁFICA
Famílias Pessoas
Grupo socioeconómico
Com 10 clássicas residentes
do titular do alojamento e escalão de encargos Total Com 1 Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6 Com 7 Com 8 Com 9
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

Alentejo 228 274 587 2 430 13 759 60 279 79 468 36 143 17 798 8 393 4 622 4 795 229 976 570 602
Empresários com profissões intelectuais, científicas e técnicas 660 - 1 19 93 191 144 82 66 21 43 660 1 858
Sem encargos 190 - - 7 17 46 45 28 22 9 16 190 499
Com encargos 470 - 1 12 76 145 99 54 44 12 27 470 1 359
Menos de 75 euros 9 - - - 2 2 2 1 2 - - 9 25
75 - 99,99 euros 5 - - - 1 4 - - - - - 5 11
100 - 149,99 euros 16 - - - 3 5 4 3 - - 1 16 50
150 - 199.99 euros 25 - - 1 3 14 3 2 1 - 1 25 66
200 - 249,99 euros 41 - - 5 8 13 10 3 1 1 - 41 103
250 - 299,99 euros 35 - - 1 11 9 6 3 4 - 1 35 95
300 - 349,99 euros 48 - - 1 14 15 6 7 1 1 3 48 134
350 - 399,99 euros 49 - 1 - 9 22 12 2 2 - 1 49 131
400 - 499,99 euros 75 - - 1 14 30 17 4 6 1 2 75 214
500 - 649,99 euros 72 - - 2 6 19 13 13 10 5 4 72 212
650 - 799,99 euros 38 - - - 3 7 8 9 5 2 4 38 120
800 euros ou mais 57 - - 1 2 5 18 7 12 2 10 57 198
Empresários da indústria comércio e serviços 1 775 2 11 39 265 535 361 247 127 77 111 1 787 5 459
Sem encargos 764 2 6 16 95 212 152 116 67 35 63 775 2 242
Com encargos 1 011 - 5 23 170 323 209 131 60 42 48 1 012 3 217
Menos de 75 euros 28 - - 1 5 11 4 3 1 2 1 28 91
75 - 99,99 euros 17 - - - 4 5 4 1 1 - 2 17 51
100 - 149,99 euros 52 - - - 11 20 10 6 3 - 2 53 153
150 - 199.99 euros 59 - 1 4 14 18 11 3 3 3 2 59 172
200 - 249,99 euros 60 - 1 2 19 26 6 2 - 4 - 60 197
250 - 299,99 euros 97 - 2 6 33 24 14 10 2 4 2 97 286
300 - 349,99 euros 97 - - 4 20 40 15 10 4 3 1 97 308
350 - 399,99 euros 90 - 1 3 17 37 20 6 3 - 3 90 281
400 - 499,99 euros 144 - - 1 21 56 32 14 11 6 3 144 462
500 - 649,99 euros 153 - - - 16 48 38 26 9 4 12 153 512
650 - 799,99 euros 80 - - - 6 20 21 20 3 3 7 80 265
800 euros ou mais 134 - - 2 4 18 34 30 20 13 13 134 439
Empresários do setor primário 162 1 1 3 22 45 26 22 10 13 19 162 511
Sem encargos 103 - 1 1 12 27 18 16 6 7 15 103 310
Com encargos 59 1 - 2 10 18 8 6 4 6 4 59 201
Menos de 75 euros 1 - - - - 1 - - - - - 1 3
75 - 99,99 euros 2 1 - - - - 1 - - - - 2 4
100 - 149,99 euros - - - - - - - - - - - - -
150 - 199.99 euros 6 - - - 3 1 - 1 1 - - 6 19
200 - 249,99 euros 6 - - - 1 3 1 - 1 - - 6 23
250 - 299,99 euros 7 - - - 2 4 1 - - - - 7 22
300 - 349,99 euros 5 - - 1 - 2 - - - 1 1 5 16
350 - 399,99 euros 3 - - 1 - - 1 1 - - - 3 12
400 - 499,99 euros 9 - - - 1 4 2 1 1 - - 9 29
500 - 649,99 euros 7 - - - 1 2 - 1 - 2 1 7 29
650 - 799,99 euros 3 - - - 1 1 - - - 1 - 3 10
800 euros ou mais 10 - - - 1 - 2 2 1 2 2 10 34
Pequenos patrões com profissões intelectuais e científicas 730 - 4 13 77 200 159 131 65 37 44 730 2 133
Sem encargos 243 - 3 3 18 54 44 53 31 23 14 243 686
Com encargos 487 - 1 10 59 146 115 78 34 14 30 487 1 447
Menos de 75 euros 2 - - - 2 - - - - - - 2 2
75 - 99,99 euros 5 - - - 1 1 1 - 1 - 1 5 13
100 - 149,99 euros 13 - - - 3 3 3 4 - - - 13 29
150 - 199.99 euros 21 - 1 - 3 7 4 3 2 - 1 21 64
200 - 249,99 euros 18 - - 2 6 5 3 2 - - - 18 42
250 - 299,99 euros 31 - - 2 8 8 6 5 2 - - 31 82
300 - 349,99 euros 45 - - 2 7 23 5 3 3 2 - 45 119
350 - 399,99 euros 49 - - 2 9 15 13 7 1 1 1 49 130
400 - 499,99 euros 84 - - 1 13 33 22 7 2 4 2 84 259
500 - 649,99 euros 88 - - 1 5 22 24 18 8 3 7 88 259
650 - 799,99 euros 49 - - - 1 15 15 9 4 1 4 49 153
800 euros ou mais 82 - - - 1 14 19 20 11 3 14 82 295
(continua)

144 Resultados Definitivos


Quadros de resultados
ALENTEJO

ALOJAMENTOS CLÁSSICOS PROPRIEDADE DOS OCUPANTES, OCUPADOS COMO RESIDÊNCIA HABITUAL, SEGUNDO O NÚMERO DE DIVISÕES,
POR GRUPO SOCIOECONÓMICO DO TITULAR DO ALOJAMENTO, EXISTÊNCIA DE ENCARGOS POR COMPRA E RESPETIVOS ESCALÕES
3.19

(continuação)

Alojamentos clássicos, segundo o número de divisões


ZONA GEOGRÁFICA
Famílias Pessoas
Grupo socioeconómico
Com 10 clássicas residentes
do titular do alojamento e escalão de encargos Total Com 1 Com 2 Com 3 Com 4 Com 5 Com 6 Com 7 Com 8 Com 9
ou mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

Pequenos patrões com profissões técnicas intermédias 933 - 1 19 139 320 179 141 57 40 37 938 2 762
Sem encargos 309 - 1 7 48 97 55 43 25 15 18 313 887
Com encargos 624 - - 12 91 223 124 98 32 25 19 625 1 875
Menos de 75 euros 17 - - - 2 13 1 1 - - - 17 49
75 - 99,99 euros 9 - - 1 1 1 1 4 - - 1 9 21
100 - 149,99 euros 31 - - 2 5 12 4 3 2 2 1 31 90
150 - 199.99 euros 34 - - 1 6 12 8 4 1 1 1 34 101
200 - 249,99 euros 50 - - 1 15 20 9 2 2 1 - 50 137
250 - 299,99 euros 54 - - - 13 21 8 10 - 2 - 54 166
300 - 349,99 euros 66 - - 2 16 30 7 6 2 2 1 66 182
350 - 399,99 euros 62 - - 1 8 25 14 6 4 2 2 62 192
400 - 499,99 euros 109 - - 1 12 40 28 12 7 6 3 109 320
500 - 649,99 euros 100 - - 3