Você está na página 1de 83

1

UNIVERDADE FEDERAL DO CARIRI  UFCA


CENRO DE CINCIA E ECNOLOIA CC
CURO DE ENENHARIA CIVIL
DICIPLINA DE OPORAFIA
P Msc. hays Ngueia

Noções de Cartografia e Geodésia: Classificação dos mapas, sistemas


de projeção e coordenadas; Forma, raio e circunferência da terra,
superfície da terra, geóide, esfera celeste. Coordenadas astronômicas,
esfera local; coordenadas terrestres: coordenadas geodésicas e
geográficas e UTM;
2

iu
o Desde que o homem começou a se locomover sobre a superfície
terrestre, surgiu a necessidade imperiosa de se posicionar e de se
orientar em seus deslocamentos;

ORIENTAÇÃO
PONTOS DE
REFERÊNCIA

POSICIONAMENTO
REGISTRO DE
INTINERÁRIO
3

iu
o Desenvolvimento de diversos instrumentos de orientação ao longo
do tempo;
o O ato de registrar seus deslocamento fez surgir a CARTOGRAFIA.
4

eiies
o CARTOGRAFIA
“Conjunto de estudos e operações científicas, técnicas e artísticas
que, tendo por base o resultado de observações diretas ou da
análise da documentação, se voltam para a elaboração de mapas,
cartas e outras formas de expressão e representação de objetos,
fenômenos e ambientes físicos e socioeconômicos, bem como sua
utilização.” (Associação Cartográfica Internacional – ACI (1966)).
5

eiies
A Cartografia trata da
o CARTOGRAFIA s normas para
representação dos ele
mentos da superfície
terrestre.

O PROBLEMA DA
REPRESENTAÇÃO
6

IEMA DE PROEE CARORFICA


o O estabelecimento de um sistema de projeção será feito de maneira
que a carta venha a possuir propriedades que satisfaçam às
finalidades impostas pela sua utilização.

É IMPOSSÍVEL REPRESENTAR UMA SUPERFÍCIE CURVA E IRREGULAR


EM UMA SUPERFÍCIE PLANA SEM QUE HAJA DEFORMAÇÕES.

POR ISSO OS MAPAS PRESERVAM CERTAS CARACTERÍSTICAS AO


MESMO TEMPO EM QUE ALTERAM OUTRAS.
7

IEMA DE PROEE CARORFICA


A elaboração de uma mapa consiste em um método segundo o qual se
faz corresponder a cada ponto da terra, em coordenadas geográficas, um
ponto no mapa, em coordenadas planas.
8

IEMA DE PROEE CARORFICA

Todos os
mapas são
representações
aproximadas
da superfície
terrestre

A teoria das projeções compreende o estudo dos diferentes sistemas,


incluindo a exposição das leis segundo as quais se obtém as
interligações dos pontos localizados na superfície terrestre com os da
superfície de projeção (carta ou mapa)
9

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
10

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
PROJEÇÃO CILÍNDRICA
11

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
PROJEÇÃO CILÍNDRICA
12

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
PROJEÇÃO CÔNICA
13

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
PROJEÇÃO CÔNICA
14

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
PROJEÇÃO AZIMUTAL
15

IEMA DE PROEE CARORFICA

Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Classificadas quanto ao tipo de superfície adotada:
PROJEÇÃO AZIMUTAL
16

IEMA DE PROEE CARORFICA


17

IEMA DE PROEE CARORFICA

ELEGIBILIDADE DO SISTEMA
18

IEMA DE PROEE CARORFICA

 Analisam-se os sistemas de projeções cartográficas pelo tipo de


superfície adotada e pelo grau de deformação.
 Quanto ao grau de deformação das superfícies representadas, são
classificadas em:
19

IEMA DE PROEE CARORFICA

PROJEÇÃO CONFORMES
20

IEMA DE PROEE CARORFICA

PROJEÇÃO EQUIVALENTES
21

IEMA DE PROEE CARORFICA

PROJEÇÃO EQUIDISTANTES
22

IEMA DE PROEE CARORFICA

PROJEÇÃO AFILÁTICAS
Pa gic
Projeção ortogonal do terreno sobre um
plano horizontal imaginário (Plano topográfico).
Liia a gaia

Porção limitada:

• Até no máximo 30 km de extensão máxima;


• Alguns autores consideram um raio de 50 km;
• A NBR 13133/94 considera um plano de projeção
limitado a 80 km de raio do campo topográfico,
plano ou superfície topográfica.
Liia a gaia
• Para levantamentos de grande precisão, deve-se
dividir a área em triângulos com área menor que 40
km2 e os seus lados não devem exceder 10 km;
Liia a gaia
• Para serviços de normal precisão, pode-se
limitar a área a um círculo de
aproximadamente 50 km de raio;

50 Km
Liia a gaia
• Para uma estreita faixa da superfície
terrestre, as operações topográficas não estão
sujeitas a limites, e podem estender-se
indefinidamente.
Pa gic
30

Maas/caas/aas
o Como surgiram os mapas?
 início da civilização → necessidade do homem em ocupar o
ambiente;
 necessidade de organizar a sociedade → irregularidades
topográficas;
 definição do melhor local para sua habitação (acidentes naturais,
água);
 iniciaram rabiscos em cavernas, no chão, em pedras, etc.

o Mapa mais antigo


 Mapa mesopotâmico de Ga-Sur;
 Produzido pelos Babilônios –
2.500 a.C;
 Vale de um rio, provavelmente
o Eufrates.
31

Maas/caas/aas
o MAPAS, CARTAS E PLANTAS
 Histórico: Segundo pesquisadores a origem da palavra Mapa é
provavelmente cartaginesa, que significa “toalha de mesa”.
Essa conotação teria derivado das conversas de comerciantes,
que desenhavam sobre as toalhas das mesas os mapas que identificavam
rotas, caminhos, localidades e outros pontos que auxiliavam seus
negócios (MARQUES, 2014).

Exemplo de mapa (Fonte:


GOOGLE, 2014)
32

Maas/caas/aas
Com o passar dos tempos diversas terminologias foram
agregadas para definir as representações dos lugares, entre elas cartas
e plantas, além da própria terminologia mapa.
OBS: Os termos mapas, cartas e plantas são utilizadas muitas vezes
como sinônimos, mas deve ser encarado com certo cuidado.

a) b) c)
11 – Exemplo de: a) Planta; b) Carta e c) Mapa (Fonte: GOOGLE, 2014)
33

Maas/caas/aas
o MAPA
É definido como sendo uma representação dos aspectos-
naturais ou artificiais da Terra destinada a fins culturais, ilustrativos ou
científicos.
Segundo Oliveira (1980) define-se Mapa como sendo a
representação de acidentes físicos e culturais da superfície da terra, ou
de um planeta ou satélite. As posições dos acidentes devem ser precisas,
de acordo, geralmente, com um sistema de coordenadas. Serve
igualmente para determinar parte ou toda a superfície da esfera celeste.
34

Maas/caas/aas
o Informações importantes:
 São imagens bidimensionais;
 Estas imagens são resultados da aplicação de símbolos gráficos
para representar as feições;
 As feições são informações cujas localizações em relação à
superfície terrestre são conhecidas;
 A representação das feições é realizada em uma determinada
escala.

Exemplo de Mapa: Mapa do estado do Paraná (Fonte: GOOGLE, 2014)


35

Maas/caas/aas
OBS: O mapa, portanto, pode ou não ter caráter científico especializado
e é frequentemente, construído em escala pequena, cobrindo um
território mais ou menos extenso.

Exemplo de Mapa: Mapa Mundial (Fonte: GOOGLE, 2014)


36

Maas/caas/aas
o TIPOS DE MAPAS:
 Mapa político: É o Mapa que representa a divisão territorial de
um País, Estado ou Município.

Exemplo de Mapa político do Brasil(Fonte: GOOGLE, 2014)


37

Maas/caas/aas
o TIPOS DE MAPAS:
 Mapa físico: É o Mapa que representa elementos da natureza
como clima, vegetação, altitude, etc.

a) b) c)
Exemplo de Mapas: a) Clima; b) Vegetação e c) Relevo (Fonte: GOOGLE, 2014)
 Mapa demográfico: É o Mapa que representa a população
estimada em cada região do país.

Exemplo de Mapa Demográfico (Fonte: GOOGLE, 2014)


38

Maas/caas/aas
o CARTA
É definido como sendo uma representação precisa da Terra,
permitindo a medição de distâncias, direções e a localização de pontos.
Segundo Oliveira (1980) define-se Carta como sendo a
representação dos aspectos naturais e artificiais da Terra, destinada a
fins práticos da atividade humana, principalmente a avaliação precisa
das distâncias, direções e a localização geográfica de pontos, áreas e
detalhes; representações plana, geralmente em média ou grande
escala de uma superfície da Terra, subdividida em folhas, de forma
sistemática, obedecendo um plano nacional ou internacional.
39

Maas/caas/aas
o TIPOS DE CARTAS:
 Carta geológica: É a carta que representa a geologia de uma
determinada área de uma região.

Exemplo de Carta Geológica do Campo do Goytacazes/RJ (Fonte: GOOGLE, 2014)


40

Maas/caas/aas
 Cartas Geográficas/Topográficas (Permite a medição de
distâncias, ângulos com precisão);
 Cartas cadastrais (mostra limites verdadeiros e usos das
prorpiedades);
 Cartas aeronáuticas;
 Carta Geotécnica;
 Carta de Risco;
 Carta de Movimentos de Massa;
 Carta de Movimentos Inundação;
 Carta de Tipo de Alvenaria Estrutural, etc.
41

Maas/caas/aas
OBS: A Carta, é comumente considerada como uma representação
similar ao mapa, mas de caráter especializado construído com uma
finalidade e geralmente em escala média ou grande; de 1:1.000.000.

Exemplo de Carta: Carta de unidades geoambientais de susceptibilidade ambiental (Fonte:


GOOGLE, 2014)
42

Maas/caas/aas
o Classificação (IBGE, 1998):

o MAPA
 Representação plana;
 Diferentes escalas;
 Delimitação de acidentes naturais: bacias,
chapadas, planaltos, etc;
 Fins temáticos, culturais ou ilustrativos;
o CARTA
 Representação plana;
 Escalas médias ou grandes;
 Avaliação precisa de direções, distâncias e
localização de pontos, áreas e detalhes;
 Considera curvatura terrestre.
43

Maas/caas/aas
o PLANTA
Segundo Oliveira (1980) define-se planta como
sendo a representação cartográfica, geralmente
escala grande, destinada a fornecer informações
muito detalhadas, visando, por exemplo, ao cadastro
urbano, a certos fins econômicos sociais, militares,
etc.
A Planta é uma carta regular representando
uma superfície de extensão suficientemente restrita Exemplo de Planta

para que sua curvatura possa ser desprezada. planimétrica (Fonte:


GOOGLE, 2014)
44

Maas/caas/aas
o PLANTA
 Planta topográficas;
 Área limitada → desconsidera a curvatura terrestre;
 Escala grande (1:500, 1:2000);
 Grande número de detalhes.
45

Maas/caas/aas
o Escalas frequentemente utilizadas
a) Escalas Usuais para Mapas:
→ 1:100.000 em diante.
OBS: No Brasil também utiliza-se as seguintes escalas: 1:1.000.000, 1:5.000.000 e
1:10.000.000.
b) Escalas Usuais para Cartas:
→ 1: 10.000 até 1:100.000
OBS: O IBGE também utiliza as escalas: 1:50.000, 1:100.000 e 1:250.000.
c) Escalas Usuais para Plantas:
→ até 1:10.000
→ Construção Civil: 1:20, 1:50, 1:100 e 1:200;
→ Obras de Grande Porte: 1:500, 1:1.000, 1:2.000 e 1:10.000.
46

Fa a ea
Quando o homem começou a imaginar a forma da Terra, pensou-se
que a mesma correspondia a uma superfície plana. Tempos depois,
foi admitida a ideia da Terra como uma superfície com a forma de
uma esfera.

a) b) c)
Formas da Terra: a) Achatada; b) Plana e c) Circular (Fonte: GOOGLE, 2014)
47

Fa a ea
48

Fa a ea
A Geodésia é uma ciência que se dedica ao estudo das formas e das
dimensões da Terra. Para tanto, divide a Terra em três superfícies: a
superfície física terrestre, o geóide e o elipsóide.

Relação entre as superfícies de referência: física, geóide e elipsóide


49

Fa a ea
Segundo o conceito introduzido pelo matemático alemão Carl Friedrich
Gauss (1777-1855), a forma do planeta é o geóide, que corresponde à
superfície do nível médio do mar homogêneo na ausência de
correntezas, ventos, variação de densidade da água etc., supostamente
prolongado sob os continentes (CARVALHO & ARAUJO, 2008).

Exemplo de Geóide (Fonte: GOOGLE, 2014)


50

Fa a ea
ELIPSÓIDE DE REVOLUÇÃO: é a superfície mais utilizada pela ciência
geodésica para a realização dos levantamentos.

Para que qualquer ponto localizado na superfície terrestre possa ter sua
posição identificada com rigor matemático e representado
cartograficamente com elevado grau de acurácia.
51

Fa a ea
53

Fa a ea
NOTA-1: Em diversas medições em diferentes locais do planeta, o
geóide confunde-se com o elipsóide, sendo as diferenças tão pequenas
que qualquer uma das duas superfícies pode ser utilizada.

NOTA-2: Geóide e elipsóide são apenas superfícies teóricas utilizadas


para fins científicos de mapeamento. (CARVALHO & ARAUJO, 2008).

Forma da Terra (Fonte: CARVALHO & ARAUJO, 2008)


54

Fa a ea
NOTA: Muitos foram os intentos realizados para calcular as dimensões
do elipsóide de revolução, figura que mais se aproxima da forma real da
Terra, e muitos foram os resultados obtidos.

Em geral, cada país ou grupo de países adotou como referência


para os trabalhos geodésicos e topográficos um elipsóide que mais se
aproximasse do geóide na região considerada (CARVALHO & ARAUJO,
2008).
55

Fa a ea
o DIMENSÕES DA TERRA
Muitos cientistas desenvolveram estudos para definir
precisamente o tamanho dos eixos do elipsóide de revolução, e os
satélites artificiais.
56

Fa a ea
Quadro 1 - Medidas utilizadas por alguns dos elipsóides mais usados
(Fonte: CARVALHO & ARAUJO, 2008)

Fonte: Ano: Sémi-Eixo Maior (m) Sémi-Eixo Menor (m)


Everest 1830 6.377.276,30 6.356.075,30
Bessel 1841 6.377.397,16 6.356.078,96
Clarke 1880 6.378.249,17 6.356.514,99
Helmet 1907 6.378.200,00 6.536.818,17
Krasovsky - 6.378.245,00 6.356.863,10
Hayford - 6.378.388,00 6.356.912,20
Satélites Artificiais - 6.378.140,00 6.356.755,30

Considerando as vantagens que advém para a conexão dos vários


trabalhos geodésicos a adoção de um só elipsoide terrestre, foi
recomendado o uso do elipsoide de Hayford como elipsoide internacional
de referencia, por indicação da União Geodésica e Geofísica Internacional.
57

Fa a ea
o SISTEMA GEODÉSICO
A forma e o tamanho de um elipsóide, bem como sua posição
relativa ao geóide, definem um sistema geodésico, também designado
por datum geodésico.

Para o Brasil, nos mapas mais antigos, adota-se o Datum de Córrego


Alegre – MG e, mais recentemente, o Datum SAD 69 (Datum Sul
Americano de 1969) e o SIRGAS 2000.
58

Fa a ea
o SISTEMA GEODÉSICO
59

IEMA DE COORDENADA
o Os sistemas de coordenadas são indispensáveis na representação da
posição de pontos sobre uma superfície

o Um dos princípios fundamentais da cartografia compreende o


estabelecimento de um sistema de coordenadas sobre a terra, de
maneira que cada ponto de sua superfície possa ser relacionado a
esse sistema.

NECESSÁRIOS PARA EXPRESSAR A POSIÇÃO DOS PONTOS


SOBRE A SUPERFÍCIE TERRESTRE
60

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS

 Sistema de referências que


utiliza uma superfície
esférica tridimensional
para determinar
localizações na terra
(GEOIDE);
 Sistema de linhas
imaginárias (meridianos e
paralelos);
61

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS

 Latitude: posição angular tomada no sentido norte-sul em relação a


linha do equador.
Varia de -90º (S) a +90º (N)
62

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS
 Longitude: é a posição angular tomada no sentido Leste-Oeste em
relação ao meridiano de Greenwich
Varia de 0º a -180º (W)
ou 0º a +180º (E)
63

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS
o
 Os meridianos definem as
longitudes.
 Os paralelos definem as
latitudes.

CADA PONTO DA SUPERFÍCIE


TERRESTRE ESTÁ SITUADO NO
PONTO DE INTERCESSÃO
ENTRE UM MERIDIANO E UM
PARALELO
64

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS
65

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS
66

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU
ASTRONÔMICAS
67

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEODÉSICAS OU ELIPSOIDAIS

 Sistema de referências que


utiliza um modelo
Elipsoide de Revolução
para determinar
localizações na terra
(ELIPSOIDE);
68

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEODÉSICAS OU ELIPSOIDAIS

Latitude Geodésica (f): ângulo


que a normal forma com sua
projeção no plano do equador,
sendo positiva para o Norte e
negativa para o Sul.

Longitude Geodésica (l):


ângulo diedro formado pelo
meridiano geodésico de
Greenwich (origem) e do ponto
P, sendo positivo para Leste e
negativo para Oeste.
69

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS GEODÉSICAS OU ELIPSOIDAIS

A latitude varia
de 0º a ± 90º;

A longitude varia
de 0º a ± 180º.
70

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)

 Sistema de coordenadas que


projeta a Terra numa
superfície plana;
 Conserva a forma e os
ângulo, e as deformações
lineares são pequenas;
 Projeção tipo cilíndrica BASEIA-SE NO CILINDRO
conforme. TRANSVERSO SECANTE AO
ELIPSÓIDE TERRESTRE. OS
PARALELOS E MERIDIANOS SÃO
REPRESENTADOS
ORTOGONALMENTE SEGUNDO
LINHAS RETAS.
71

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)

Cada uma das zonas UTM de 6 graus (semelhantes a gomos de laranja) é


numerada sequencialmente a partir do antimeridiano de Greenwitch, ou
seja de 180º para E, tendo um meridiano central que se projeta no mapa em
UTM como uma linha reta N-S enquanto que os meridianos extremos da
zona(múltiplos de 6º) mostram a curvatura desses meridianos que acabam
se encontrando nos polos N e S geográficos.
72

IEMA DE COORDENADA
73

IEMA DE COORDENADA
74

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)
75

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)
76

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)
77

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)

o EXEMPLO DE COORDENADA UTM:

X 271960,000
Y 7382350,200
Fuso 23 (Zona)
Hemisfério Sul
Elipsoide WGS84 (datum)
78

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)

o EXEMPLO DE COORDENADA UTM:

Zona 23, N 8.569.300, E 645.750


79

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)

O Brasil está contido em 8 fusos UTM cuja numeração é 25, 24, 23, 22,
21, 20, 19 e 18.
82

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)
83

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)
84

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)
85

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (UNIVERSAL
TRANSVERSO MERCATOR – UTM)

Exemplo de coordenadas UTM:


Zona 23S, S 7.394.470 E 824.360
86

IEMA DE COORDENADA
o SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS (CATERSIANAS)
87

Muito Obrigada!!!
Email: thays.rodrigues@ufca.edu.br