Você está na página 1de 2

1) ANO 2) SEM.

EMENTA DA DISCIPLINA

3) UNIDADE 4) DEPARTAMENTO
Faculdade de Formação de Professores Educação

5) CÓDIGO 6) NOME DA DISCIPLINA ( ) obrigatória 7) CH 8) CRÉD


Antropologia Social e Educação eletiva ( ) universal
( ) definida 45 horas 03
( ) restrita

9) CURSOS 10) DISTRIBUIÇÃO DE CARGA HORÁRIA


Pedagogia TIPO DE AULA SEMANAL SEMESTRAL
TEÓRICA 03 45
PRÁTICA
LABORATÓRIO
ESTÁGIO
TOTAL 03 45
11) PRÉ-REQUISITO (A): 12) CÓDIGO

11) PRÉ-REQUISITO (B): 12) CÓDIGO

11) CO-REQUISITO: 12) CÓDIGO

13) OBJETIVOS

1 - A Antropologia no quadro das Ciências

Ciências Naturais e Ciências Sociais e/ou Humanas;


Natureza e Cultura – o biológico, o social e o cultural;
O etnocentrismo e suas implicações;
O trabalho de campo e a etnografia.

2 - A Antropologia Social na Educação

2.1 A educação como prática simbólica;


2.2 O professor, o antropólogo e o relativismo;
2.3 Imagem e realidade – a invenção do Outro;
2.4 Ritos e mitos docentes.
14) EMENTA
Trabalhar por uma antropologia educacional no sentido da construção de uma prática
pedagógica comprometida com a heterogeneidade e a diversidade sóciocultural é o objetivo
deste curso. Nesse sentido, torna-se necessário investir na apropriação de um paradigma
interpretativo das diferenças como base de uma outra forma de compreensão da prática
docente à luz de um olhar antropológico.
15) BIBLIOGRAFIA

DA MATTA, Roberto. Relativizando – uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro:


Rocco, 1987.
DA MATTA, Roberto. A casa & a rua – espaço cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de
Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A., 1991.
DA MATTA, Roberto. O ofício de etnólogo, ou como Ter Anthropological Blues. In: NUNES,
Edson de Oliveira (Org.), A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, p. 23-35,
1978.
DAUSTER, Tania. Navegando contra a corrente? O educador, o antropólogo e o relativismo. In:
BRANDÃO, Zaia (Org.), A crise dos paradigmas e a educação. São Paulo: Cortez, p. 75-87,
1999.
DAUSTER, Tania. Um saber de fronteira – entre a antropologia e a educação. Associação
Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação. 26.ª Reunião Anual. Poços de Caldas,
outubro, 2003. (mimeo)
DAYRELL, Juarez (Org.). Múltiplos olhares – sobre educação e cultura. Belo Horizonte:
Editora UFMG, 1996.
DUARTE, Rosália. Cinema e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.
LIMA, Magali Alonso de. O corpo no espaço e no tempo – a educação física no Estado Novo
(1937-1945). 1980. 156f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Instituto de Estudos
Avançada em Educação, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.
OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O trabalho do antropólogo – o olhar, o ouvir e o escrever. In:
OLIVEIRA, Roberto Cardoso de, O trabalho do antropólogo. Brasília: Paralelo 15; São Paulo:
Editora Unesp, 1998, p. 17-36.
PINTO, Paulo Gabriel Hilu da Rocha. Práticas acadêmicas e o ensino universitário – uma
etnografia das formas de consagração e transmissão do saber na universidade. Niterói:
EdUFF, 1999.
TIBAU, Anderson. A prática de ensino numa perspectiva da imagem. Natal: TechnoMEDIA
– Tecnologia Multimídia, [2001]. 1 CD-ROM. Windows 98 (ou superior).
VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: NUNES, Edson de Oliveira (Org.), A aventura
sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, p. 36-46, 1978.

16) PROFESSOR PROPONENTE 17) CHEFE DO DEPARTAMENTO 18) DIRETOR


DATA ASSINATURA/MAT. DATA RUBRICA DATA RUBRICA