Você está na página 1de 1

Processo de ensino-aprendizagem da Natação: breve percurso histórico

Irineu Ramos Moreno Junior (1); Thiago de Oliveira Souza (1); Rômulo Venoso (1); Ana Martha de
Almeida Limongelli (1)

(1) Universidade São Judas Tadeu-Grupo de Estudos em Natação e Atividades Aquáticas, São Paulo

1. Objetivo onde o professor trabalha as sensibilidades


A presente pesquisa teve o objetivo de levantar corporais do aluno para aquisição de confiança,
o percurso histórico dos processos de ensino- segurança e prazer no ato do nadar. No ano
aprendizagem da natação até os dias atuais, 2000, a maioria das propostas centrava-se no
sendo parte de um projeto maior do Grupo de trabalho de jogos e brincadeiras orientadas
Estudos em Natação e Atividades Aquáticas da pelo professor, respeitando o aluno,
USJT. considerando a segurança e a participação
ativa na construção do seu nadar [1, 2, 3].
2. Material e/ou método
Para tanto foi realizada uma pesquisa 4. Conclusões
bibliográfica [4].
Concluímos que os processos de ensino-
aprendizagem da natação não estiveram
3. Resultados e discussão desarticulados dos conceitos e princípios
O primeiro manual de ensino da natação data norteadores da Educação Física. Encontrou-se
de 1513, cuja preocupação era o deslocamento que há dois grandes momentos didático-
em meio aquático sem risco de o indivíduo pedagógicos da natação. Do século XVI até o
afundar, para tanto, utilizava-se material para século XIX o ensino estava fundamentado no
flutuar. Em 1797, surge um novo conceito, que método de ensino parcial, sendo a técnica dos
não utilizava material auxiliar, trabalhando a nados o elemento central da aula. O professor
flutuação por meio de movimentos isolados. comandava a repetição dos movimentos
Esse conceito não encontra adeptos e perde técnicos, primeiro em terra e depois dentro da
força por um longo período da história da água a fim de manter a reprodução do gestual
natação. Em 1798, Gutz Muthz defende o uso aprendido fora. O outro momento, do século XX
de material para o ensino, onde os movimentos até os dias atuais, o ensino da natação está
deveriam ser, primeiramente, ensinados fora da fundamentado na combinação dos métodos
água para então repeti-los dentro da água. Tal global e parcial, originando derivações
método funda-se em três fases: adaptação ao variadas, sendo o aluno o centro da aula. O
meio líquido (molhar o corpo), exercícios em professor é o orientador que acompanha seu
terra e exercícios dentro da água com uso de aluno em suas descobertas, respeitando as
material auxiliar. Esse método ganha grande características de cada aluno e do meio líquido.
divulgação, perpetuando seus princípios por As atividades acontecem dentro da água, por
várias épocas da história. Somente em 1914, meio de jogos e brincadeiras, respeitando e
aparece um método de ensino que preconizava explorando o potencial de cada aluno, sem
o aprendizado dentro da água e o não uso de desconsiderar a segurança e participação ativa
material. Em 1925 é publicada a obra do aluno na construção do seu próprio nadar.
“Instrução Natural da Natação”, que usava a
parte rasa da piscina para ensinar a nadar, 5. Referências Bibliográficas
estimulando a confiança do aluno por meio de
jogos e brincadeiras sem se fixar no uso de [1] DURAN,M. Aprendendo a nadar em
material e, posterior a essa confiança é que se ludicidade. São Paulo: Phorte, 2005.
iniciava o ensino técnico dos nados [2]. O [2] MURCIA,J.A.M. Hacia donde vamos em la
século XX é marcado por estudos envolvendo metodologia de las actividades acuaticas?
metodologias de ensino da natação com Revista Digital Educacion Física y Deportes,
métodos de ensino global e parcial com n. 11, 1998 ,< www.efdeportes.com >
algumas variações. No final do século XX [3] SANTOS,C.A. Natação: ensino e
surgem propostas de ensino da natação aprendizagem. Rio de Janeiro: Sprint, 1996.
utilitária ou educativa, sendo o aluno, o foco [4] SEVERINO,A.J. Metodologia do trabalho
central do processo de ensino-aprendizagem, científico. 22 ed., São Paulo: Cortez, 20002.