Você está na página 1de 1

R$

COLÉGIO ESTADUAL DA POLÍCIA MILITAR DE GOIÁS – HUGO DE CARVALHO RAMOS


ATIVIDADE COMPLEMENTAR
ANO LETIVO 2018 1º BIMESTRE
Série Turma (s) Turno
3º ANO A ao N MAT. / NOT.
Professor: ADRIANE SOARES Disciplina: REDAÇÃO
Aluno (a): Nº da chamada:
Visto do Professor Nota da Atividade
Data: / / 2018

Escola de Civismo e Cidadania

PRODUÇÃO DE TEXTO – PROPOSTA 1 – COMENTÁRIO CRÍTICO

TEMA: A relação do homem com a tecnologia em discussão no século XXI

TEXTO 1. Trecho da entrevista com a antropóloga francesa Françoise Héritier, à revista IstoÉ em 15/01/2014
IstoÉ: A tecnologia mudou os problemas e a maneira de enxergar o mundo?
Françoise Héritier: Os problemas fundamentais que se apresentam para os seres humanos são os mesmos. Creio no
universal. A maneira de responder a esses problemas é que muda, e a maneira atual é com o uso intensivo da tecnologia.
Acho que isso gera uma bestialização e uma alienação voluntárias, sem promover o fundamental, que é a busca pela
emancipação do espírito.
IstoÉ: Onde a internet entra nesse contexto?
Françoise Héritier: Para uma pequena parte da humanidade, a mais jovem evidentemente, a internet diminui certos
momentos dedicados ao pensamento e a outras atividades. Os mais velhos, como eu, não se sentem à vontade com essas
tecnologias e as usam menos. Mas seria isso o que nos impede de conhecer as coisas insignificantes da vida para extrair
prazer? Não, porque essa comunicação imediata e sobre o nada se tornou ela mesma um prazer. A crença de que
dividimos tudo com todos o tempo todo se transformou em um grande prazer coletivo.
IstoÉ: Qual é o símbolo mais forte da sociedade moderna?
Françoise Héritier: O símbolo mais forte é certamente o uso do Facebook e sua rede de falsos amigos, que amam todas
as mesmas coisas ao mesmo tempo. Esse grande sentimento falso de pertencimento cria um mundo desmaterializado.
Não ver mais as pessoas em carne e osso talvez não impeça o surgimento de laços mais fortes, mas fundir-se aos outros
não significa encontrar-se. Isso constitui uma grande armadilha: a despersonalização em vez da afirmação de si.
https://istoe.com.br/342666_A+TECNOLOGIA+GERA+ALIENACAO/

TEXTO 2. Com o rápido avanço da tecnologia, os seres humanos perdem, pouco a pouco, uma parte de sua liberdade, sem
sequer se preocuparem com isso, lamenta o filósofo francês Jean-Michel Besnier. Para esse professor de Filosofia da
Sorbonne, que se define como um humanista, as pessoas deveriam se questionar sobre o tema para tentar pôr limites.
Estamos entrando em uma nova era de aceleração do progresso técnico e científico. A informática, matriz de todas essas
mudanças, aplica-se a todos os âmbitos. Um avanço maior foi a descoberta, na década de 1960, da estrutura do DNA, que
contém o patrimônio genético. Desde então, percebe-se o ser humano como um suporte de informação. As nanotecnologias,
a biotecnologia, a informática e as ciências cognitivas estão convergindo para tornar realidade objetos cada vez menores,
sempre mais eficientes e inteligentes. Mas as pessoas podem se sentir cada vez mais privadas de iniciativa. Já não estamos
encarregados de grande coisa e, no fim, já não somos responsáveis. Nós nos tornamos cada vez menos livres - portanto,
menos morais - e nos comportamos mais como máquinas. Isso abre as portas para uma desumanização. Ser livre é aceitar
a sorte, tomar riscos. https://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/cuidado-uso-excessivo-de-internet-celular-pode-
viciar-8636717#ixzz55zBmw9Ru

TEXTO 3. A tecnologia está definitivamente presente na vida cotidiana. Seja para consultar informações, conversar com
amigos e familiares ou apenas entreter, a internet e os celulares não saem das mãos e mentes das pessoas. Por esse motivo,
especialistas alertam: o uso excessivo dessas ferramentas pode viciar. Apesar de o distúrbio ainda não constar no Manual
Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, estudos recentes apontam que as mudanças causadas no cérebro pelo
abuso na utilização da web são similares aos efeitos de drogas químicas, como o álcool e a cocaína. — A dependência pela
tecnologia é comportamental, as outras são químicas, mas ela causa o mesmo desgaste na ponta do neurônio que as drogas
— explica Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador do Grupo de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria do
Hospital das Clínicas de São Paulo. https://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/cuidado-uso-excessivo-de-internet-
celular-pode-viciar-8636717#ixzz55zBmw9Ru

OBS.: Para produção do seu texto considere: use caneta preta, não use corretivos, não se esqueça do título, mínimo 20,
máximo 30 linhas.

zagoarte design Página 1 de 1