Você está na página 1de 5

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES

Curso de Direito

AÇÃO POPULAR COM PEDIDO LIMINAR

MARCUS HENRIQUE PINTO

BELO HORIZONTE
2018
EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA XX VARA DA FAZENDA PÚBLICA
DA COMARCA DE ALFA/XX

Jadir Fernandes de Souza, brasileiro naturalizado, solteiro, profissão xx, portador da CI


xxx, inscrito no cadastro de pessoa física sob o n° xxxxxxxxxxx, título eleitoral de n°
xxxxxxxxx, seção xx, zona xx, cidadão em pleno gozo dos direitos políticos, residente e
domiciliado na rua xxxxx, n° xx, bairro xxxxx, município Beta, Estado xx, endereço
eletrônico xxxxxxx, representado por seu advogado, conforme art. 103, do CPC/15,
(procuração em anexo),vem respeitosamente a presença de Vossa Excelência com
fundamentos no art. 5.º, inciso LXXIII, da CF/88, e na Lei n.º 4.717/65,e art. 319 e
seguintes do CPC/15, propor a presente:

AÇÃO POPULAR COM PEDIDO LIMINAR

Em face do município Alfa, pessoa jurídica de direito público interno inscrito no CNPJ sob
o n° xxxxx, com sede na rua xxxx, n° x, bairro xxx, município Alfa, estado xxx, pelo ato
praticado pelo senhor Amauri Vitor, estado civil xxxx, vereador do município Alfa, inscrito
no CPF sob o n° xxxxx, que exerce função na rua xxx, n° xx, bairro xxx, município Alfa,
Estado xxx, e contra o prefeito do município Alfa, que exerce função na rua xxx, n°xx,
bairro xxxx, município Alfa, estado xxx, na qualidade de beneficiário do ato lesivo, pelos
fundamentos de fato e de direito que se passa a expor.

1 DOS FATOS

O impetrante, brasileiro naturalizado, cidadão em pleno gozo dos direitos políticos,


inconformado com a lei do município alfa n.941/03, que estabelece o reajuste salarial de
31% dos subsídios do prefeito e seu vice, que fora aprovada pelo vereador Amauri Vitor
em julho de 2003, sem conhecimento de todos os vereadores. Busca a proteção do
patrimônio público em questão, considerando que a referida lei municipal lesa tal bem
protegido constitucionalmente.

2 TUTELA DE URGÊNCIA

A relevância do fundamento invocado reside nos argumentos fáticos e jurídicos expostos


na exordial, pela qual demonstra-se um vício de formalidade na aprovação da lei 941/03,
que concede reajuste salarial de 31% dos subsídios do prefeito e de seu vice, que vai na
contramão da dicção do artigo 29, inciso v da constituição federal de 1988 (CF/88). O que,
por sua vez, afigura-se patente que a demora do processo causará lesão à
municipalidade, Portanto para evitar prejuízo aos cofres do município a necessidade de
imediata suspensão dos efeitos da lei 941/03, conforme artigo 5°, § 4º, da Lei n. 4.717/65.
3 LEGITIMIDADES

Sobre a legitima da parte impetrante se infere a sua capacidade por ser cidadão,
brasileiro naturalizado em pleno gozo de seus direitos políticos, quite com suas
obrigações eleitorais, conforme documentos(anexos), consoante o que prevê o art. 5º,
LXXIII da CF/88, combinado com o art. 1°, § 3° da lei 4717/65.
O polo passivo da ação se enquadra perfeitamente ao art. 6° da lei 4717/65, ao se tratar
de agente que praticou o ato, a entidade lesada e os beneficiários do ato lesivo ao
patrimônio público.

4 DOS FUNDAMENTOS JURÍDICOS

A competência para julgar a ação popular é determinada pela origem do ato impugnado,
conforme analise do artigo 5° caput da lei 4717/65. Neste caso o ato é proveniente do
município Alfa a origem do ato, será o juiz da comarca do próprio município havendo
plausibilidade para esta ação na comarca do município Alfa.

Já percorrido as tratativas sobre competência e legitimidade para impetrar a ação, resta


adentrar ao mérito que é a ilegalidade e lesividade pelo ato praticado pelo impetrado, que
eivado pela sua formalidade na inobservância de requisitos para aprovação de lei perante
a câmara municipal de Alfa, vem trazer grande prejuízo ao erário publico.
Conforme o artigo 29, inciso V, da CF/88 que remete sobre o subsídio do Prefeito, Vice
prefeito e dos Secretários Municipais, deixa evidente que deverá ser fixado por lei de
iniciativa da Câmara Municipal, tal proposta, o que não é o caso devido o vereador ter
aprovado sem o conhecimento de todos os outros vereadores, sendo portanto conforme
entendimento do disposto no art. 2º, alínea “a” e parágrafo único, alínea “b” da Lei
4.717/65, a nulidade do ato.

A Lei da Ação Popular (Lei nº 4.717/65), em seu art. 4º, apesar de definir
exemplificativamente os atos com presunção legal de ilegitimidade e lesividade,
passíveis, portanto, de ação popular, não excluiu dessa possibilidade todos os
atos que contenham vício de forma, ilegalidade do objeto, inexistência dos
motivos, desvio de finalidade ou tenham sido praticados por autoridade
incompetente.(MORAES, P. 145, 2016)

Portanto se tem verificado que o ato de aprovação da Lei Municipal 941/03 se apresentou
lesivo ao patrimônio público, além de estar contaminado por vício formal.

5 DOS PEDIDOS

Diante de todo o exposto requer-se:

a) Concessão da tutela de urgência;


b) Procedência do pedido;
c) Citação do vereador Amauri Vitor; Prefeito e seu vice. Prefeitura Municipal de Alfa;
d) Intimação do Ministério Público, para atuar como custos legis;
e) Condenação da parte ré em custas e honorários advocatícios;
f) Juntada de documentos;
6 DO VALOR DA CAUSA

Para fins de recolhimento de custas e emolumentos judiciais atribui-se a causa


o valor de R$ 1.000,00 (mil reais)

Nestes termos,

Pede-se deferimento.

Belo Horizonte, 12 de abril de 2018.

Advogado
OAB

QUESTÃO 2. Prática profissional


Determinado cidadão (jurisdicionado) apresentou reclamação, perante o Conselho
Nacional de Justiça (CNJ), em face de juiz do trabalho. Ao apreciar o caso, o CNJ, em
sessão presidida pelo Conselheiro Presidente do Supremo Tribunal Federal, conhece da
reclamação e instaura Processo Administrativo Disciplinar (PAD). Considerando que os
fundamentos da defesa já tinham sido amplamente apresentados pelo juiz do trabalho em
suas manifestações públicas, o CNJ, em prol da celeridade processual, afastou a
necessidade de nova manifestação do referido agente, tendo decidido pela aposentadoria
do magistrado com proventos proporcionais ao tempo de serviço.
Considere a seguinte situação hipotética e responda aos itens a seguir.

A) O cidadão poderia ter se dirigido ao Conselho Nacional de Justiça na forma


descrita?
Sim pois de acordo com o artigo 103-B, § 5°, inciso I da CF/88, o responsável por
receber reclamação e deúncia dentro do CNJ, deverá receber de qualquer interessado,
além do direito de petição, previsto no Artigo 5º, inciso XXXIV, alínea a, da CF/88.

B) O procedimento do Conselho Nacional de Justiça foi correto?


Não, Além do artigo 103-B, inciso III, da CF/88, na sua parte final deixar claro que todo
procedimento, descrito no artigo, será assegurado a ampla defesa, o Art. 5º, inciso LV,
da CF/88, garante aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos
acusados em geral o contraditório e a ampla defesa, com os meios e recursos
inerentes a defesa.