Você está na página 1de 4

Ciências da Natureza e suas tecnologias-Biologia

Ciências da Natureza e suas tecnologias-Biologia Prof. Lacerda AULA 06 Frente 3 - Identidade dos seres

Prof. Lacerda AULA 06

Frente 3 - Identidade dos seres vivos

Competência de área 4 Compreender interações entre organismos e ambiente, em particular aquelas relacionadas à saúde humana, relacionando conhecimentos científicos, aspectos culturais e características individuais. H14 - Identificar padrões em fenômenos e processos vitais dos organismos, como manutenção do equilíbrio interno, defesa, relações com o ambiente, sexualidade, entre outros. H15 - Interpretar modelos e experimentos para explicar fenômenos ou processos biológicos em qualquer nível de organização dos sistemas biológicos. Competência de área 5 - Entender métodos e procedimentos próprios das ciências naturais e aplicá-los em diferentes contextos. H17 - Relacionar informações apresentadas em diferentes formas de linguagem e representação usadas nas ciências físicas, químicas ou biológicas, como texto discursivo, gráficos, tabelas, relações matemáticas ou linguagem simbólica.

SISTEMA RESPIRATÓRIO

I)

II)

Conceito: É o conjunto de órgãos destinados à obtenção de O 2 e à eliminação de gás carbônico (CO 2 ), permitindo aos seres vivos extrair a energia química armazenada nos alimentos. Podemos subdividir a respiração em função da utilização do Oxigênio (O 2 ). Caso o organismo utilize-o a respiração é dita Aeróbia, caso contrário a respiração é dita Anaeróbia.

Ocorrência: Moluscos, Anelídeos marinhos (poliquetos), Crustáceos, Peixes em geral, Equinodermos, Protocordados e Anfíbios na fase larval.

Obs.: Brânquias são órgãos constituídos por um conjunto de delicados filamentos que contém em seu epitélio inúmeras redes de capilares sanguíneos.

4. A Respiração Traqueal: Ocorre quando as trocas gasosas

são efetuadas no interior dos tecidos, sendo os gases transportados por estruturas denominadas traquéias, que são pequenos tubos que partem de orifícios (espiráculos ou estigmas) presentes na superfície do corpo do animal e que

vão até a intimidade dos tecidos.

Ocorrência: Insetos, Quilópodes, Diplópodes.

Obs 1 .: Na respiração traqueal não há participação de sangue;

Tipos de Respiração Aeróbica: Podemos estabelecer cinco tipos básicos: Obs 2 .: O vôo dos
Tipos de Respiração Aeróbica: Podemos estabelecer
cinco tipos básicos:
Obs 2 .: O vôo dos insetos requer um alto consumo de
oxigênio, em consequência da elevada atividade muscular
durante o movimento das asas. O fato de o sangue circular
de forma relativamente lenta nesses animais, não afeta a
qualidade do vôo, já que neles o sangue não participa do
transporte de oxigênio, que é conduzido até os tecidos do
corpo por um sistema de tubos: as traquéias.
1. A Respiração por Difusão: Ocorre quando o
intercâmbio de gases se faz diretamente, tanto pelas
células da camada externa quanto pelas células da
camada interna do corpo do animal.
Ocorrência: Protozoários, Poríferos e Celenterados.
Obs 3 .: Existe uma variante desse tipo de respiração
denominada pulmotraqueal ou filotraqueal , na qual as
traquéias coletam o oxigênio e o transportam até um
pulmão primitivo (pulmão em livro), havendo participação
do sangue no transporte de oxigênio até as células.
Ocorrência: Aracnídeos (aranhas e escorpiões).
2. A Respiração Tegumentar ou Cutânea: É realizada
através da pele do animal. Em virtude da ausência ou
da participação do sistema circulatório, podemos
dividi-la em:
5. A Respiração Pulmonar: Ocorre quando as trocas gasosas
entre o animal
e o meio ambiente ocorrem através de
pulmões.
Ocorrência: Peixes dipnóicos, Anfíbios adultos, Répteis, Aves
e Mamíferos.

Cutânea Direta: Ocorre quando as trocas gasosas são feitas diretamente do meio ambiente para o interior dos tecidos, sem a participação do sistema circulatório, ocorrendo por um mecanismo de difusão. Ocorrência: Platelmintos e Asquelmintos.

Obs 1 .: Assim como a traqueal a respiração pulmonar é fundamental para os animais de vida terrestre, uma vez que os órgãos respiratórios acham-se no interior do organismo, diminuindo a possibilidade de desidratação.

Cutânea Indireta: Ocorre quando as trocas gasosas

são realizadas inicialmente da pele para os vasos sangüíneos (há a participação do sistema circulatório), que transportam os gases para o interior dos tecidos e vice-versa. Ocorrência: Anelídeos (exceto os Poliquetos), certos Moluscos (gastrópodes) e Anfíbios adultos.

Obs 2 .:

pulmão rudimentar.

Nos

Caracóis

a

respiração

ocorre

através

de

um

Obs 3 .: Nos Anfíbios, o pulmão é do tipo saculiforme, com baixa superfície respiração, por isso, esses animais apresentam também respiração cutânea, fato que compensa

o baixo grau de aquisição de O 2 através dos pulmões.

Obs 4 .: Nos homeotermos (Aves e Mamíferos), a superfície pulmonar é várias vezes superior a superfície corpórea;

Obs 5 .: As Aves apresentam uma rede de prolongamentos denominados sacos aéreos que permitem um arejamento interno, e ossos pneumáticos, que constituem uma

arejamento interno, e ossos pneumáticos, que constituem uma 3. A Respiração Brânquial : Ocorre quando as

3. A Respiração Brânquial: Ocorre quando as trocas gasosas ocorrem entre a água e as ramificações dos filamentos das brânquias.

adaptação ao vôo, por diminuírem a densidade do corpo desses animais. Nota: Pigmentos Respiratórios: São cromop roteínas associadas a um metal, responsáveis pelo transporte dos gases respiratórios.

Pigmento

Cor

Metal

Localização

Ocorrência

     

Hemácias

Vertebrados

Hemoglobina

Vermelho

Fe

Plasma

Anelídeos e

Moluscos

Hemoeritrina

Marron

Fe

Plasma

Anelídeos

       

Crustáceos,

Hemocianina

Azul

Cu

Plasma

Aracnídeos e

Moluscos

Clorocruorina

Verde

Fe

Plasma

Anelídeos

III) A Respiração Humana: Na espécie humana as trocas gasosas percorrem uma série de órgãos que constituem o tubo respiratório.

1. Os Órgãos do Tubo Respiratório:

 

a) Cavidades Nasais: São dois condutos paralelos separados pelo septo nasal. Apresentam: duas aberturas anteriores (Narinas) que se comunicam com o meio externo e, dois outros orifícios posteriores (Coanas) que se comunicam com a Faringe. A mucosa de revestimento das cavidades nasais tem o nome de pituitária, apresentando uma pituitária respiratória (vermelha e inferior, ricamente vascularizada, fato que permite um aquecimento prévio do ar, facilitando, consequentemente, a difusão de O2 para o sangue, nos alvéolos) e uma olfativa (amarela e superior).

Obs.: As cavidades nasais apresentam pêlos curtos denominados Vibrissas e muco que retém microorganismos e partículas sólidas suspensas no ar.

b) Faringe: Está presente tanto no aparelho digestivo quanto no respiratório, pois comunica-se por cima com as fossas nasais, pela frente com a boca e por baixo com a laringe e o esôfago. Entretanto os atos digestivo e respiratório não ocorrem simultaneamente já que o ato da deglutição inibe automaticamente a atividade respiratória.

c) Laringe: é um conduto cartilaginoso situado na parte anterior do pescoço que apresenta um orifício (glote), pelo qual se comunica com a faringe. nela encontram-se também as cordas vocais, que tem participação na fonação (quando o ar é expelido, passa pelas cordas vocais, onde causa uma vibração, produzindo o som). Obs.: Durante a deglutição, esse orifício é fechado por uma válvula em forma de raquete chamada epiglote.

d) Traquéia: é composta por uma armadura cartilaginosa em forma de anel, de maneira a manter o tubo traqueal aberto. Forma ramificações denominadas brônquios.

e) Brônquios: São dutos que penetram nos pulmões sofrendo ramificações, formando túbulos de dimensões microscópicas denominadas bronquíolos;

NOTA: Quando um corpo estranho penetra na laringe, na traquéia ou nos brônquios, desencadeia-se o reflexo da tosse: há uma rápida inspiração de ar seguida do fechamento da epiglote e das cordas vocais. Então os músculos das costelas e do abdome se contraem fortemente e subitamente as cordas vocais e a epiglote se abrem. Desse modo, o ar é expelido para fora com alta pressão e grande velocidade, eliminando assim um corpo estranho que poderia provocar até mesmo asfixia e morte.

f) Bronquíolos: são as menores ramificações dos brônquios, e esses por sua vez terminam em sacos microscópicos chamados alvéolos;

g) Alvéolos: são cavidades microscópicas em forma de saco,

presente nos pulmões dos mamíferos; através dessas cavidades o oxigênio molecular tem acesso aos capilares sanguíneos, caracterizando a hematose. Obs.: Os alvéolos comunicam-se do lado externo com capilares sanguíneos (de diâmetro tão reduzido que praticamente permitem o fluxo de hemácias “em fila”); do lado interno os alvéolos comunicam-se com o ar atmosférico inspirado.

h) Pulmões: são órgãos de forma cônica que contém os brônquios, os bronquíolos e os alvéolos, apresentam-se revestidos pela pleura. o pulmão direito possui três lobos e o esquerdo dois.

Resumo:

Cavidades Nasais - Faringe - Laringe - Traquéia - Brônquios - Bronquíolos - Alvéolos - Pulmões.

Vias aéreas: Cavidades Nasais, Faringe, Laringe, Traquéia e Brônquios.

Pulmões: Bronquíolos e Alvéolos.

Nota: A Boca atua como via respiratória apenas acessoriamente, quando as cavidades nasais não satisfazem as necessidades ventilatórias dos pulmões.

apenas acessoriamente, quando as cavidades nasais não satisfazem as necessidades ventilatórias dos pulmões.

2. Movimentos Respiratórios:

Estão na dependência do:

Diafragma: É um músculo achatado que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal, sendo inervado pelo nervo frênico.

Músculos Intercostais Externos e Internos:

Localizados entre as costelas, sendo inervados pelos nervos intercostais.

3. Atividades dos Músculos Respiratórios:

O diafragma e os músculos intercostais têm a sua atividade regulada pelo centro respiratório situado no bulbo.

Devido as contrações dos músculos respiratórios, há uma diferença entre a pressão atmosférica e a pressão existente no interior da cavidade torácica, fato fundamental para a penetração de ar nos

pulmões.

fato fundamental para a penetração de ar nos pulmões. 4. Fisiologia Respiratória: a) Aquisição de Oxigênio:
fato fundamental para a penetração de ar nos pulmões. 4. Fisiologia Respiratória: a) Aquisição de Oxigênio:
fato fundamental para a penetração de ar nos pulmões. 4. Fisiologia Respiratória: a) Aquisição de Oxigênio:
fato fundamental para a penetração de ar nos pulmões. 4. Fisiologia Respiratória: a) Aquisição de Oxigênio:

4. Fisiologia Respiratória:

a) Aquisição de Oxigênio: Compreende as seguintes etapas:

Inspiração: Compreende o fluxo de oxigênio desde as vias respiratórias superiores até os alvéolos pulmonares; ocorre a contração dos músculos diafragma e intercostais, aumentando o volume da caixa torácica, diminuindo a pressão interna. A pressão atmosférica torna-se então relativamente maior que a pressão intrapulmonar, promovendo a entrada do ar;

Expiração: Ocorre o relaxamento dos músculos

diafragma e intercostais, diminuindo o volume da caixa torácica, aumentando a pressão interna. Dessa maneira a pressão intrapulmonar torna-se maior do que a pressão atmosférica, e o ar é expelido dos pulmões. Nota: No repouso normal a cada inspiração, penetram nos pulmões cerca de 0,5 litro de ar; e uma quantidade de ar semelhante a essa é expulsa. Essa quantidade de ar circulante nos pulmões durante a respiração normal chama-se ar corrente. Hematose: É a oxigenação do sangue, uma vez que o

oxigênio atravessa a membrana aveolar por difusão e penetra no interior dos capilares sanguíneos transformando o sangue venoso (pobre em oxigênio) em sangue arterial (rico em oxigênio). Formação da Oxiemoglobina: O oxigênio penetra no interior das hemácias, combinando-se com inúmeras moléculas de hemoglobina (através de ligações suficientemente fracas - instáveis - para permitir a

difusão do O 2 para os tecidos vivos), formando a oxiemoglobina.

Hb + 4O 2

para os tecidos vivos), formando a oxiemoglobina. Hb + 4O 2 Hb(O 2 ) 4 Obs.:

Hb(O 2 ) 4

Obs.: A hemoglobina (Hb) é uma proteína formada por globina com o pigmento heme que contém Fe ++ em sua estrutura. Logo é o pigmento heme que constitui o verdadeiro transportador de O 2 .

Difusão de O 2 para os Tecidos: Nos tecidos o sangue arterial perde o O 2 por difusão que passa para o interior das células vivas, ao mesmo tempo que o CO 2 passa do interior da célula para o sangue. Esse fenômeno denomina-se Efeito Bohr. Obs 1 .: O ritmo respiratório é especialmente pela variação da concentração de CO 2 no sangue. Quando, por exemplo, a atividade muscular é relativamente intensa, ocorre um considerável aumento da taxa de CO 2 no sangue, fato que provoca uma redução do pH sanguíneo. O centro respiratório, então, é estimulado e descarrega numerosos impulsos nervosos no diafragma e nos músculos intercostais. Assim, o ritmo respiratório intensifica-se, promovendo uma eliminação mais rápidas de CO 2 e uma maior captação de O 2 pelo organismo. O ritmo respiratório pode ser acelerado também, em resposta a uma baixa de concentração de O 2 no sangue. Mais, ao contrário do CO 2 , o O 2 não atua diretamente sobre o centro respiratório, e sim sobre quimiorreceptores localizados nas paredes das artérias aorta e carótida. Esses receptores são estimulados quando o nível de O 2 se reduz, enviando impulsos para o centro respiratório, que, por sua vez, desencadeia o aumento do ritmo respiratório. Obs2.: Uma pessoa jamais conseguiria suicidar-se apenas prendendo a respiração. Enquanto a respiração encontra-se presa, não ocorre eliminação de CO2 do organismo. Logo, a concentração do gás no sangue aumenta rapidamente, sensibilizando de forma cada vez mais intensa o centro respiratório. Em consequência, a respiração é estimulada de tal maneira que, a partir de determinado instante, o indivíduo não consegue mais segurar o fôlego, passando, inevitavelmente, a respirar. Obs3.: O Bulbo Raquidiano é um dos importantes componentes do sistema nervoso central. Considerado o centro cardiorrespiratório do organismo humano, é ele que regula o ritmo respiratório e as pulsações cardíacas.

Nota: Conceitos Importantes:

 

Apnéia: Parada respiratória;

Taquipnéia: Aumento da frequência respiratória;

Bradipnéia: Diminuição da frequência respiratória;

Incursão Respiratória: É o conjunto de uma inspiração e uma expiração completa. No indivíduo adulto normal em repouso, podemos contar de 14 a 18 incursões por minuto;

Hipóxia: Deficiência de oxigênio nos tecidos;

Anóxia: Falta de oxigênio no organismo;

Hipercapnia: Aumento da concentração de CO 2 no organismo.

Gás

Inspiração

Expiração

N

2

78%

78%

O

2

20,97%

16%

CO 2

0,03%

5%

Outros gases e vapor d’água

1%

1%