Você está na página 1de 271

Noções de Direito

Sumário
CAPÍTULO III .................................................................................................................. 125
DOS CRIMES E DAS PENAS ...................................................................................... 125
TÍTULO IV ........................................................................................................................ 125
DA REPRESSÃO À PRODUÇÃO NÃO AUTORIZADA ........................................... 125
E AO TRÁFICO ILÍCITO DE DROGAS....................................................................... 125
CAPÍTULO I..................................................................................................................... 125
DISPOSIÇÕES GERAIS ............................................................................................... 125
CAPÍTULO II ................................................................................................................... 126
DOS CRIMES ................................................................................................................. 126
LEI COMPLEMENTAR Nº 922, DE 02 DE JULHO DE 2002 .......................................... 152
LEI COMPLEMENTAR Nº 1.151, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 ................................ 163
DISPOSIÇÕES GERAIS ............................................................................................... 171
Resolução Nº 213 de 15/12/2015 .................................................................................... 250
Constituição Federal:
Art. 1º A República Federativa do V - igualdade entre os Estados;
Brasil, formada pela união indissolúvel dos
Estados e Municípios e do Distrito Federal, VI - defesa da paz;
constitui-se em Estado Democrático de
Direito e tem como fundamentos: VII - solução pacífica dos conflitos;

I - a soberania;
VIII - repúdio ao terrorismo e ao
racismo;
II - a cidadania;
IX - cooperação entre os povos para o
III - a dignidade da pessoa humana; progresso da humanidade;

IV - os valores sociais do trabalho e da X - concessão de asilo político.


livre iniciativa;
Parágrafo único. A República
V - o pluralismo político. Federativa do Brasil buscará a integração
econômica, política, social e cultural dos
Parágrafo único. Todo o poder emana povos da América Latina, visando à
do povo, que o exerce por meio de formação de uma comunidade latino-
representantes eleitos ou diretamente, nos americana de nações.
termos desta Constituição.
TÍTULO II
Art. 2º São Poderes da União, DOS DIREITOS E GARANTIAS
independentes e harmônicos entre si, o FUNDAMENTAIS
Legislativo, o Executivo e o Judiciário. CAPÍTULO I
DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS
Art. 3º Constituem objetivos E COLETIVOS
fundamentais da República Federativa do
Brasil: Art. 5º Todos são iguais perante a lei,
sem distinção de qualquer natureza,
I - construir uma sociedade livre, justa garantindo-se aos brasileiros e aos
e solidária; estrangeiros residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade,
à igualdade, à segurança e à propriedade,
II - garantir o desenvolvimento
nos termos seguintes:
nacional;

III - erradicar a pobreza e a I - homens e mulheres são iguais em


marginalização e reduzir as desigualdades direitos e obrigações, nos termos desta
Constituição;
sociais e regionais;

II - ninguém será obrigado a fazer ou


IV - promover o bem de todos, sem
preconceitos de origem, raça, sexo, cor, deixar de fazer alguma coisa senão em
virtude de lei;
idade e quaisquer outras formas de
discriminação.
III - ninguém será submetido a tortura
Art. 4º A República Federativa do nem a tratamento desumano ou
Brasil rege-se nas suas relações degradante;
internacionais pelos seguintes princípios:
IV - é livre a manifestação do
pensamento, sendo vedado o anonimato;
I - independência nacional;

V - é assegurado o direito de resposta,


II - prevalência dos direitos humanos;
proporcional ao agravo, além da
indenização por dano material, moral ou à
III - autodeterminação dos povos; imagem;

IV - não-intervenção;
VI - é inviolável a liberdade de qualquer pessoa, nos termos da lei, nele
consciência e de crença, sendo entrar, permanecer ou dele sair com seus
assegurado o livre exercício dos cultos bens;
religiosos e garantida, na forma da lei, a
proteção aos locais de culto e a suas XVI - todos podem reunir-se
liturgias; pacificamente, sem armas, em locais
abertos ao público, independentemente de
VII - é assegurada, nos termos da lei, autorização, desde que não frustrem outra
a prestação de assistência religiosa nas reunião anteriormente convocada para o
entidades civis e militares de internação mesmo local, sendo apenas exigido prévio
coletiva; aviso à autoridade competente;

VIII - ninguém será privado de direitos XVII - é plena a liberdade de


por motivo de crença religiosa ou de associação para fins lícitos, vedada a de
convicção filosófica ou política, salvo se as caráter paramilitar;
invocar para eximir-se de obrigação legal a
todos imposta e recusar-se a cumprir XVIII - a criação de associações e, na
prestação alternativa, fixada em lei; forma da lei, a de cooperativas independem
de autorização, sendo vedada a
IX - é livre a expressão da atividade interferência estatal em seu funcionamento;
intelectual, artística, científica e de
comunicação, independentemente de XIX - as associações só poderão ser
censura ou licença; compulsoriamente dissolvidas ou ter suas
atividades suspensas por decisão judicial,
X - são invioláveis a intimidade, a vida exigindo-se, no primeiro caso, o trânsito em
privada, a honra e a imagem das pessoas, julgado;
assegurado o direito a indenização pelo
dano material ou moral decorrente de sua XX - ninguém poderá ser compelido a
violação; associar-se ou a permanecer associado;

XI - a casa é asilo inviolável do XXI - as entidades associativas,


indivíduo, ninguém nela podendo penetrar quando expressamente autorizadas, têm
sem consentimento do morador, salvo em legitimidade para representar seus filiados
caso de flagrante delito ou desastre, ou judicial ou extrajudicialmente;
para prestar socorro, ou, durante o dia, por
determinação judicial; XXII - é garantido o direito de
propriedade;
XII - é inviolável o sigilo da
correspondência e das comunicações
XXIII - a propriedade atenderá a sua
telegráficas, de dados e das comunicações função social;
telefônicas, salvo, no último caso, por
ordem judicial, nas hipóteses e na forma
que a lei estabelecer para fins de XXIV - a lei estabelecerá o
investigação criminal ou instrução procedimento para desapropriação por
processual penal necessidade ou utilidade pública, ou por
interesse social, mediante justa e prévia
indenização em dinheiro, ressalvados os
XIII - é livre o exercício de qualquer
casos previstos nesta Constituição;
trabalho, ofício ou profissão, atendidas as
qualificações profissionais que a lei
estabelecer; XXV - no caso de iminente perigo
público, a autoridade competente poderá
usar de propriedade particular, assegurada
XIV - é assegurado a todos o acesso à
ao proprietário indenização ulterior, se
informação e resguardado o sigilo da fonte,
houver dano;
quando necessário ao exercício
profissional;
XXVI - a pequena propriedade rural,
assim definida em lei, desde que
XV - é livre a locomoção no território
trabalhada pela família, não será objeto de
nacional em tempo de paz, podendo
penhora para pagamento de débitos
decorrentes de sua atividade produtiva, a) o direito de petição aos Poderes
dispondo a lei sobre os meios de financiar Públicos em defesa de direitos ou contra
o seu desenvolvimento; ilegalidade ou abuso de poder;

XXVII - aos autores pertence o direito b) a obtenção de certidões em


exclusivo de utilização, publicação ou repartições públicas, para defesa de
reprodução de suas obras, transmissível direitos e esclarecimento de situações de
aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar; interesse pessoal;

XXVIII - são assegurados, nos termos XXXV - a lei não excluirá da apreciação
da lei: do Poder Judiciário lesão ou ameaça a
direito;
a) a proteção às participações
individuais em obras coletivas e à XXXVI - a lei não prejudicará o direito
reprodução da imagem e voz humanas, adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa
inclusive nas atividades desportivas; julgada;

b) o direito de fiscalização do XXXVII - não haverá juízo ou tribunal


aproveitamento econômico das obras que de exceção;
criarem ou de que participarem aos
criadores, aos intérpretes e às respectivas XXXVIII - é reconhecida a instituição
representações sindicais e associativas; do júri, com a organização que lhe der a lei,
assegurados:
XXIX - a lei assegurará aos autores de
inventos industriais privilégio temporário a) a plenitude de defesa;
para sua utilização, bem como proteção às
criações industriais, à propriedade das
b) o sigilo das votações;
marcas, aos nomes de empresas e a
outros signos distintivos, tendo em vista o
interesse social e o desenvolvimento c) a soberania dos veredictos;
tecnológico e econômico do País;
d) a competência para o julgamento
XXX - é garantido o direito de herança; dos crimes dolosos contra a vida;

XXXI - a sucessão de bens de XXXIX - não há crime sem lei anterior


estrangeiros situados no País será que o defina, nem pena sem prévia
regulada pela lei brasileira em benefício do cominação legal;
cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre
que não lhes seja mais favorável a lei XL - a lei penal não retroagirá, salvo
pessoal do "de cujus"; para beneficiar o réu;

XXXII - o Estado promoverá, na forma XLI - a lei punirá qualquer


da lei, a defesa do consumidor; discriminação atentatória dos direitos e
liberdades fundamentais;
XXXIII - todos têm direito a receber dos
órgãos públicos informações de seu XLII - a prática do racismo constitui
interesse particular, ou de interesse crime inafiançável e imprescritível, sujeito à
coletivo ou geral, que serão prestadas no pena de reclusão, nos termos da lei;
prazo da lei, sob pena de responsabilidade,
ressalvadas aquelas cujo sigilo seja XLIII - a lei considerará crimes
imprescindível à segurança da sociedade e inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou
do Estado; anistia a prática da tortura , o tráfico ilícito
de entorpecentes e drogas afins, o
XXXIV - são a todos assegurados, terrorismo e os definidos como crimes
independentemente do pagamento de hediondos, por eles respondendo os
taxas: mandantes, os executores e os que,
podendo evitá-los, se omitirem;
XLIV - constitui crime inafiançável e ilícito de entorpecentes e drogas afins, na
imprescritível a ação de grupos armados, forma da lei;
civis ou militares, contra a ordem
constitucional e o Estado Democrático; LII - não será concedida extradição de
estrangeiro por crime político ou de opinião;
XLV - nenhuma pena passará da
pessoa do condenado, podendo a LIII - ninguém será processado nem
obrigação de reparar o dano e a sentenciado senão pela autoridade
decretação do perdimento de bens ser, nos competente;
termos da lei, estendidas aos sucessores e
contra eles executadas, até o limite do LIV - ninguém será privado da
valor do patrimônio transferido;
liberdade ou de seus bens sem o devido
processo legal;
XLVI - a lei regulará a individualização
da pena e adotará, entre outras, as LV - aos litigantes, em processo
seguintes:
judicial ou administrativo, e aos acusados
em geral são assegurados o contraditório e
a) privação ou restrição da liberdade; ampla defesa, com os meios e recursos a
ela inerentes;
b) perda de bens;
LVI - são inadmissíveis, no processo,
c) multa; as provas obtidas por meios ilícitos;

d) prestação social alternativa; LVII - ninguém será considerado


culpado até o trânsito em julgado de
e) suspensão ou interdição de direitos; sentença penal condenatória;

XLVII - não haverá penas: LVIII - o civilmente identificado não


será submetido a identificação criminal,
salvo nas hipóteses previstas em lei;
a) de morte, salvo em caso de guerra
declarada, nos termos do art. 84, XIX;
LIX - será admitida ação privada nos
b) de caráter perpétuo; crimes de ação pública, se esta não for
intentada no prazo legal;
c) de trabalhos forçados;
LX - a lei só poderá restringir a
publicidade dos atos processuais quando a
d) de banimento; defesa da intimidade ou o interesse social o
exigirem;
e) cruéis;
LXI - ninguém será preso senão em
XLVIII - a pena será cumprida em flagrante delito ou por ordem escrita e
estabelecimentos distintos, de acordo com fundamentada de autoridade judiciária
a natureza do delito, a idade e o sexo do competente, salvo nos casos de
apenado; transgressão militar ou crime propriamente
militar, definidos em lei;
XLIX - é assegurado aos presos o
respeito à integridade física e moral; LXII - a prisão de qualquer pessoa e o
local onde se encontre serão comunicados
L - às presidiárias serão asseguradas imediatamente ao juiz competente e à
condições para que possam permanecer família do preso ou à pessoa por ele
com seus filhos durante o período de indicada;
amamentação;
LXIII - o preso será informado de seus
LI - nenhum brasileiro será extraditado, direitos, entre os quais o de permanecer
salvo o naturalizado, em caso de crime calado, sendo-lhe assegurada a assistência
comum, praticado antes da naturalização, da família e de advogado;
ou de comprovado envolvimento em tráfico
LXIV - o preso tem direito à bancos de dados de entidades
identificação dos responsáveis por sua governamentais ou de caráter público;
prisão ou por seu interrogatório policial;
b) para a retificação de dados, quando
LXV - a prisão ilegal será não se prefira fazê-lo por processo sigiloso,
imediatamente relaxada pela autoridade judicial ou administrativo;
judiciária;
LXXIII - qualquer cidadão é parte
LXVI - ninguém será levado à prisão legítima para propor ação popular que vise
ou nela mantido, quando a lei admitir a a anular ato lesivo ao patrimônio público ou
liberdade provisória, com ou sem fiança; de entidade de que o Estado participe, à
moralidade administrativa, ao meio
LXVII - não haverá prisão civil por ambiente e ao patrimônio histórico e
dívida, salvo a do responsável pelo cultural, ficando o autor, salvo comprovada
inadimplemento voluntário e inescusável de má-fé, isento de custas judiciais e do ônus
obrigação alimentícia e a do depositário da sucumbência;
infiel;
LXXIV - o Estado prestará assistência
LXVIII - conceder-se-á habeas jurídica integral e gratuita aos que
corpus sempre que alguém sofrer ou se comprovarem insuficiência de recursos;
achar ameaçado de sofrer violência ou
coação em sua liberdade de locomoção, LXXV - o Estado indenizará o
por ilegalidade ou abuso de poder; condenado por erro judiciário, assim como
o que ficar preso além do tempo fixado na
LXIX - conceder-se-á mandado de sentença;
segurança para proteger direito líquido e
certo, não amparado por habeas LXXVI - são gratuitos para os
corpus ou habeas data, quando o reconhecidamente pobres, na forma da
responsável pela ilegalidade ou abuso de lei:
poder for autoridade pública ou agente de
pessoa jurídica no exercício de atribuições a) o registro civil de nascimento;
do Poder Público;
b) a certidão de óbito;
LXX - o mandado de segurança
coletivo pode ser impetrado por: LXXVII - são gratuitas as ações
de habeas corpus e habeas data, e, na
a) partido político com representação forma da lei, os atos necessários ao
no Congresso Nacional; exercício da cidadania.

b) organização sindical, entidade de LXXVIII - a todos, no âmbito judicial e


classe ou associação legalmente administrativo, são assegurados a razoável
constituída e em funcionamento há pelo duração do processo e os meios que
menos um ano, em defesa dos interesses garantam a celeridade de sua
de seus membros ou associados; tramitação.

LXXI - conceder-se-á mandado de § 1º As normas definidoras dos direitos


injunção sempre que a falta de norma e garantias fundamentais têm aplicação
regulamentadora torne inviável o exercício imediata.
dos direitos e liberdades constitucionais e
das prerrogativas inerentes à
§ 2º Os direitos e garantias expressos
nacionalidade, à soberania e à cidadania;
nesta Constituição não excluem outros
decorrentes do regime e dos princípios por
LXXII - conceder-se-á habeas data: ela adotados, ou dos tratados
internacionais em que a República
a) para assegurar o conhecimento de Federativa do Brasil seja parte.
informações relativas à pessoa do
impetrante, constantes de registros ou § 3º Os tratados e convenções
internacionais sobre direitos humanos que
forem aprovados, em cada Casa do VIII - décimo terceiro salário com base
Congresso Nacional, em dois turnos, por na remuneração integral ou no valor da
três quintos dos votos dos respectivos aposentadoria;
membros, serão equivalentes às emendas
constitucionais. IX - remuneração do trabalho noturno
superior à do diurno;
§ 4º O Brasil se submete à jurisdição
de Tribunal Penal Internacional a cuja X - proteção do salário na forma da lei,
criação tenha manifestado constituindo crime sua retenção dolosa;
adesão.
XI - participação nos lucros, ou
CAPÍTULO II resultados, desvinculada da remuneração,
DOS DIREITOS SOCIAIS e, excepcionalmente, participação na
gestão da empresa, conforme definido em
Art. 6º São direitos sociais a educação, lei;
a saúde, a alimentação, o trabalho, a
moradia, o transporte, o lazer, a segurança, XII - salário-família pago em razão do
a previdência social, a proteção à dependente do trabalhador de baixa renda
maternidade e à infância, a assistência aos nos termos da lei;
desamparados, na forma desta
Constituição.
XIII - duração do trabalho normal não
superior a oito horas diárias e quarenta e
Art. 7º São direitos dos trabalhadores quatro semanais, facultada a compensação
urbanos e rurais, além de outros que visem de horários e a redução da jornada,
à melhoria de sua condição social: mediante acordo ou convenção coletiva de
trabalho;
I - relação de emprego protegida
contra despedida arbitrária ou sem justa XIV - jornada de seis horas para o
causa, nos termos de lei complementar, trabalho realizado em turnos ininterruptos
que preverá indenização compensatória, de revezamento, salvo negociação coletiva;
dentre outros direitos;
XV - repouso semanal remunerado,
II - seguro-desemprego, em caso de preferencialmente aos domingos;
desemprego involuntário;
XVI - remuneração do serviço
III - fundo de garantia do tempo de extraordinário superior, no mínimo, em
serviço; cinqüenta por cento à do
normal;
IV - salário mínimo , fixado em lei,
nacionalmente unificado, capaz de atender XVII - gozo de férias anuais
a suas necessidades vitais básicas e às de remuneradas com, pelo menos, um terço a
sua família com moradia, alimentação, mais do que o salário normal;
educação, saúde, lazer, vestuário, higiene,
transporte e previdência social, com XVIII - licença à gestante, sem prejuízo
reajustes periódicos que lhe preservem o
do emprego e do salário, com a duração de
poder aquisitivo, sendo vedada sua
cento e vinte dias;
vinculação para qualquer fim;
XIX - licença-paternidade, nos termos
V - piso salarial proporcional à fixados em lei;
extensão e à complexidade do trabalho;
XX - proteção do mercado de trabalho
VI - irredutibilidade do salário, salvo o
da mulher, mediante incentivos específicos,
disposto em convenção ou acordo coletivo; nos termos da lei;

VII - garantia de salário, nunca inferior


XXI - aviso prévio proporcional ao
ao mínimo, para os que percebem
tempo de serviço, sendo no mínimo de
remuneração variável;
trinta dias, nos termos da lei;
XXII - redução dos riscos inerentes ao e de qualquer trabalho a menores de
trabalho, por meio de normas de saúde, dezesseis anos, salvo na condição de
higiene e segurança; aprendiz, a partir de quatorze
anos;
XXIII - adicional de remuneração para
as atividades penosas, insalubres ou XXXIV - igualdade de direitos entre o
perigosas, na forma da lei; trabalhador com vínculo empregatício
permanente e o trabalhador avulso
XXIV - aposentadoria;
Parágrafo único. São assegurados à
categoria dos trabalhadores domésticos os
direitos previstos nos incisos IV, VI, VII,
VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI,
XXV - assistência gratuita aos filhos e
XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e,
dependentes desde o nascimento até 5
(cinco) anos de idade em creches e pré- atendidas as condições estabelecidas em
lei e observada a simplificação do
escolas
cumprimento das obrigações tributárias,
principais e acessórias, decorrentes da
XXVI - reconhecimento das relação de trabalho e suas peculiaridades,
convenções e acordos coletivos de os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV
trabalho; e XXVIII, bem como a sua integração à
previdência social
XXVII - proteção em face da
automação, na forma da lei; Art. 8º É livre a associação profissional
ou sindical, observado o seguinte:
XXVIII - seguro contra acidentes de
trabalho, a cargo do empregador, sem I - a lei não poderá exigir autorização
excluir a indenização a que este está do Estado para a fundação de sindicato,
obrigado, quando incorrer em dolo ou ressalvado o registro no órgão competente,
culpa; vedadas ao Poder Público a interferência e
a intervenção na organização sindical;
XXIX - ação, quanto aos créditos
resultantes das relações de trabalho, com II - é vedada a criação de mais de uma
prazo prescricional de cinco anos para os organização sindical, em qualquer grau,
trabalhadores urbanos e rurais, até o limite representativa de categoria profissional ou
de dois anos após a extinção do contrato econômica, na mesma base territorial, que
de trabalho; será definida pelos trabalhadores ou
empregadores interessados, não podendo
a) (Revogada). ser inferior à área de um Município;

b) (Revogada). III - ao sindicato cabe a defesa dos


direitos e interesses coletivos ou individuais
XXX - proibição de diferença de da categoria, inclusive em questões
salários, de exercício de funções e de judiciais ou administrativas;
critério de admissão por motivo de sexo,
idade, cor ou estado civil; IV - a assembléia geral fixará a
contribuição que, em se tratando de
XXXI - proibição de qualquer categoria profissional, será descontada em
discriminação no tocante a salário e folha, para custeio do sistema
critérios de admissão do trabalhador confederativo da representação sindical
portador de deficiência; respectiva, independentemente da
contribuição prevista em lei;
XXXII - proibição de distinção entre
trabalho manual, técnico e intelectual ou V - ninguém será obrigado a filiar-se
entre os profissionais respectivos; ou a manter-se filiado a sindicato;

XXXIII - proibição de trabalho noturno,


perigoso ou insalubre a menores de dezoito
VI - é obrigatória a participação dos desde que estes não estejam a serviço de
sindicatos nas negociações coletivas de seu país;
trabalho;
b) os nascidos no estrangeiro, de pai
VII - o aposentado filiado tem direito a brasileiro ou mãe brasileira, desde que
votar e ser votado nas organizações qualquer deles esteja a serviço da
sindicais; República Federativa do Brasil;

VIII - é vedada a dispensa do c) os nascidos no estrangeiro de pai


empregado sindicalizado a partir do registro brasileiro ou de mãe brasileira, desde que
da candidatura a cargo de direção ou sejam registrados em repartição brasileira
representação sindical e, se eleito, ainda competente ou venham a residir na
que suplente, até um ano após o final do República Federativa do Brasil e optem, em
mandato, salvo se cometer falta grave nos qualquer tempo, depois de atingida a
termos da lei. maioridade, pela nacionalidade
brasileira;
Parágrafo único. As disposições deste
artigo aplicam-se à organização de II - naturalizados:
sindicatos rurais e de colônias de
pescadores, atendidas as condições que a a) os que, na forma da lei, adquiram a
lei estabelecer. nacionalidade brasileira, exigidas aos
originários de países de língua portuguesa
Art. 9º É assegurado o direito de apenas residência por um ano ininterrupto
greve, competindo aos trabalhadores e idoneidade moral;
decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e
sobre os interesses que devam por meio b) os estrangeiros de qualquer
dele defender. nacionalidade, residentes na República
Federativa do Brasil há mais de quinze
§ 1º A lei definirá os serviços ou anos ininterruptos e sem condenação
atividades essenciais e disporá sobre o penal, desde que requeiram a
atendimento das necessidades inadiáveis nacionalidade brasileira.
da comunidade.
§ 1º Aos portugueses com residência
§ 2º Os abusos cometidos sujeitam os permanente no País, se houver
responsáveis às penas da lei. reciprocidade em favor de brasileiros, serão
atribuídos os direitos inerentes ao
Art. 10. É assegurada a participação brasileiro, salvo os casos previstos nesta
dos trabalhadores e empregadores nos Constituição.
colegiados dos órgãos públicos em que
seus interesses profissionais ou § 2º A lei não poderá estabelecer
previdenciários sejam objeto de discussão distinção entre brasileiros natos e
e deliberação. naturalizados, salvo nos casos previstos
nesta Constituição.
Art. 11. Nas empresas de mais de
duzentos empregados, é assegurada a § 3º São privativos de brasileiro nato
eleição de um representante destes com a os cargos:
finalidade exclusiva de promover-lhes o
entendimento direto com os empregadores. I - de Presidente e Vice-Presidente da
República;
CAPÍTULO III
DA NACIONALIDADE II - de Presidente da Câmara dos
Deputados;
Art. 12. São brasileiros:
III - de Presidente do Senado Federal;
I - natos:
IV - de Ministro do Supremo Tribunal
a) os nascidos na República Federativa Federal;
do Brasil, ainda que de pais estrangeiros,
V - da carreira diplomática; II - facultativos para:

VI - de oficial das Forças Armadas. a) os analfabetos;

VII - de Ministro de Estado da b) os maiores de setenta anos;


Defesa
c) os maiores de dezesseis e menores
§ 4º - Será declarada a perda da de dezoito anos.
nacionalidade do brasileiro que:
§ 2º Não podem alistar-se como
I - tiver cancelada sua naturalização, eleitores os estrangeiros e, durante o
por sentença judicial, em virtude de período do serviço militar obrigatório, os
atividade nociva ao interesse nacional; conscritos.

II - adquirir outra nacionalidade, salvo § 3º São condições de elegibilidade, na


nos casos: forma da lei:

a) de reconhecimento de I - a nacionalidade brasileira;


nacionalidade originária pela lei
estrangeira; II - o pleno exercício dos direitos
políticos;
b) de imposição de naturalização, pela
norma estrangeira, ao brasileiro residente III - o alistamento eleitoral;
em estado estrangeiro, como condição
para permanência em seu território ou para
IV - o domicílio eleitoral na
o exercício de direitos civis;
circunscrição;

Art. 13. A língua portuguesa é o idioma


V - a filiação
oficial da República Federativa do Brasil.
partidária; Regulamento

§ 1º São símbolos da República VI - a idade mínima de:


Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as
armas e o selo nacionais.
a) trinta e cinco anos para Presidente e
Vice-Presidente da República e Senador;
§ 2º Os Estados, o Distrito Federal e os
Municípios poderão ter símbolos próprios.
b) trinta anos para Governador e Vice-
Governador de Estado e do Distrito
CAPÍTULO IV
Federal;
DOS DIREITOS POLÍTICOS
c) vinte e um anos para Deputado
Art. 14. A soberania popular será Federal, Deputado Estadual ou Distrital,
exercida pelo sufrágio universal e pelo voto
Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de paz;
direto e secreto, com valor igual para todos,
e, nos termos da lei, mediante:
d) dezoito anos para Vereador.
I - plebiscito;
§ 4º São inelegíveis os inalistáveis e os
analfabetos.
II - referendo;
§ 5º O Presidente da República, os
III - iniciativa popular.
Governadores de Estado e do Distrito
Federal, os Prefeitos e quem os houver
§ 1º O alistamento eleitoral e o voto sucedido, ou substituído no curso dos
são: mandatos poderão ser reeleitos para um
único período subseqüente.
I - obrigatórios para os maiores de
dezoito anos;
§ 6º Para concorrerem a outros cargos, Art. 37. A administração pública direta
o Presidente da República, os e indireta de qualquer dos Poderes da
Governadores de Estado e do Distrito União, dos Estados, do Distrito Federal e
Federal e os Prefeitos devem renunciar aos dos Municípios obedecerá aos princípios
respectivos mandatos até seis meses antes de legalidade, impessoalidade, moralidade,
do pleito. publicidade e eficiência e, também, ao
seguinte:
§ 7º São inelegíveis, no território de
jurisdição do titular, o cônjuge e os I - os cargos, empregos e funções
parentes consangüíneos ou afins, até o públicas são acessíveis aos brasileiros que
segundo grau ou por adoção, do preencham os requisitos estabelecidos em
Presidente da República, de Governador lei, assim como aos estrangeiros, na forma
de Estado ou Território, do Distrito Federal, da lei;
de Prefeito ou de quem os haja substituído
dentro dos seis meses anteriores ao pleito, II - a investidura em cargo ou emprego
salvo se já titular de mandato eletivo e público depende de aprovação prévia em
candidato à reeleição. concurso público de provas ou de provas e
títulos, de acordo com a natureza e a
§ 8º O militar alistável é elegível, complexidade do cargo ou emprego, na
atendidas as seguintes condições: forma prevista em lei, ressalvadas as
nomeações para cargo em comissão
I - se contar menos de dez anos de declarado em lei de livre nomeação e
serviço, deverá afastar-se da atividade; exoneração;

II - se contar mais de dez anos de III - o prazo de validade do concurso


serviço, será agregado pela autoridade público será de até dois anos, prorrogável
superior e, se eleito, passará uma vez, por igual período;
automaticamente, no ato da diplomação,
para a inatividade. IV - durante o prazo improrrogável
previsto no edital de convocação, aquele
§ 9º Lei complementar estabelecerá aprovado em concurso público de provas
outros casos de inelegibilidade e os prazos ou de provas e títulos será convocado com
de sua cessação, a fim de proteger a prioridade sobre novos concursados para
probidade administrativa, a moralidade assumir cargo ou emprego, na carreira;
para exercício de mandato considerada
vida pregressa do candidato, e a V - as funções de confiança, exercidas
normalidade e legitimidade das eleições exclusivamente por servidores ocupantes
contra a influência do poder econômico ou de cargo efetivo, e os cargos em comissão,
o abuso do exercício de função, cargo ou a serem preenchidos por servidores de
emprego na administração direta ou carreira nos casos, condições e
indireta. percentuais mínimos previstos em lei,
destinam-se apenas às atribuições de
§ 10 - O mandato eletivo poderá ser direção, chefia e
impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo assessoramento;
de quinze dias contados da diplomação,
instruída a ação com provas de abuso do VI - é garantido ao servidor público civil
poder econômico, corrupção ou fraude. o direito à livre associação sindical;

§ 11 - A ação de impugnação de VII - o direito de greve será exercido


mandato tramitará em segredo de justiça, nos termos e nos limites definidos em lei
respondendo o autor, na forma da lei, se específica;
temerária ou de manifesta má-fé.
VIII - a lei reservará percentual dos
CAPÍTULO VII cargos e empregos públicos para as
DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA pessoas portadoras de deficiência e
SEÇÃO I definirá os critérios de sua admissão;
DISPOSIÇÕES GERAIS
IX - a lei estabelecerá os casos de concessão de acréscimos
contratação por tempo determinado para ulteriores;
atender a necessidade temporária de
excepcional interesse público; XV - o subsídio e os vencimentos dos
ocupantes de cargos e empregos públicos
X - a remuneração dos servidores são irredutíveis, ressalvado o disposto nos
públicos e o subsídio de que trata o § 4º do incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39,
art. 39 somente poderão ser fixados ou § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º,
alterados por lei específica, observada a I; (Redação dada pela
iniciativa privativa em cada caso, Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
assegurada revisão geral anual, sempre na
mesma data e sem distinção de XVI - é vedada a acumulação
índices; remunerada de cargos públicos, exceto,
quando houver compatibilidade de horários,
XI - a remuneração e o subsídio dos observado em qualquer caso o disposto no
ocupantes de cargos, funções e empregos inciso XI:
públicos da administração direta,
autárquica e fundacional, dos membros de a) a de dois cargos de
qualquer dos Poderes da União, dos professor;
Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios, dos detentores de mandato b) a de um cargo de professor com
eletivo e dos demais agentes políticos e os
outro técnico ou científico;
proventos, pensões ou outra espécie
remuneratória, percebidos
cumulativamente ou não, incluídas as c) a de dois cargos ou empregos
vantagens pessoais ou de qualquer outra privativos de profissionais de saúde, com
natureza, não poderão exceder o subsídio profissões regulamentadas;
mensal, em espécie, dos Ministros do
Supremo Tribunal Federal, aplicando-se XVII - a proibição de acumular
como limite, nos Municípios, o subsídio do estende-se a empregos e funções e
Prefeito, e nos Estados e no Distrito abrange autarquias, fundações, empresas
Federal, o subsídio mensal do Governador públicas, sociedades de economia mista,
no âmbito do Poder Executivo, o subsídio suas subsidiárias, e sociedades
dos Deputados Estaduais e Distritais no controladas, direta ou indiretamente, pelo
âmbito do Poder Legislativo e o subsídio poder público;
dos Desembargadores do Tribunal de
Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e XVIII - a administração fazendária e
cinco centésimos por cento do subsídio seus servidores fiscais terão, dentro de
mensal, em espécie, dos Ministros do suas áreas de competência e jurisdição,
Supremo Tribunal Federal, no âmbito do precedência sobre os demais setores
Poder Judiciário, aplicável este limite aos administrativos, na forma da lei;
membros do Ministério Público, aos
Procuradores e aos Defensores XIX - somente por lei específica poderá
Públicos; ser criada autarquia e autorizada a
instituição de empresa pública, de
XII - os vencimentos dos cargos do sociedade de economia mista e de
Poder Legislativo e do Poder Judiciário não fundação, cabendo à lei complementar,
poderão ser superiores aos pagos pelo neste último caso, definir as áreas de sua
Poder Executivo; atuação;

XIII - é vedada a vinculação ou XX - depende de autorização


equiparação de quaisquer espécies legislativa, em cada caso, a criação de
remuneratórias para o efeito de subsidiárias das entidades mencionadas no
remuneração de pessoal do serviço inciso anterior, assim como a participação
público; de qualquer delas em empresa privada;

XIV - os acréscimos pecuniários XXI - ressalvados os casos


percebidos por servidor público não serão especificados na legislação, as obras,
computados nem acumulados para fins de serviços, compras e alienações serão
contratados mediante processo de licitação pública. (Incluído pela
pública que assegure igualdade de Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
condições a todos os concorrentes, com
cláusulas que estabeleçam obrigações de § 4º Os atos de improbidade
pagamento, mantidas as condições efetivas administrativa importarão a suspensão dos
da proposta, nos termos da lei, o qual direitos políticos, a perda da função
somente permitirá as exigências de pública, a indisponibilidade dos bens e o
qualificação técnica e econômica ressarcimento ao erário, na forma e
indispensáveis à garantia do cumprimento gradação previstas em lei, sem prejuízo da
das obrigações. (Regulamento) ação penal cabível.

XXII - as administrações tributárias da § 5º A lei estabelecerá os prazos de


União, dos Estados, do Distrito Federal e prescrição para ilícitos praticados por
dos Municípios, atividades essenciais ao qualquer agente, servidor ou não, que
funcionamento do Estado, exercidas por causem prejuízos ao erário, ressalvadas as
servidores de carreiras específicas, terão respectivas ações de ressarcimento.
recursos prioritários para a realização de
suas atividades e atuarão de forma
§ 6º As pessoas jurídicas de direito
integrada, inclusive com o
público e as de direito privado prestadoras
compartilhamento de cadastros e de
de serviços públicos responderão pelos
informações fiscais, na forma da lei ou danos que seus agentes, nessa qualidade,
convênio. causarem a terceiros, assegurado o direito
de regresso contra o responsável nos
§ 1º A publicidade dos atos, casos de dolo ou culpa.
programas, obras, serviços e campanhas
dos órgãos públicos deverá ter caráter § 7º A lei disporá sobre os requisitos e
educativo, informativo ou de orientação as restrições ao ocupante de cargo ou
social, dela não podendo constar nomes,
emprego da administração direta e indireta
símbolos ou imagens que caracterizem
que possibilite o acesso a informações
promoção pessoal de autoridades ou
privilegiadas.
servidores públicos.
§ 8º A autonomia gerencial,
§ 2º A não observância do disposto nos
orçamentária e financeira dos órgãos e
incisos II e III implicará a nulidade do ato e
entidades da administração direta e indireta
a punição da autoridade responsável, nos
poderá ser ampliada mediante contrato, a
termos da lei.
ser firmado entre seus administradores e o
poder público, que tenha por objeto a
§ 3º A lei disciplinará as formas de fixação de metas de desempenho para o
participação do usuário na administração órgão ou entidade, cabendo à lei dispor
pública direta e indireta, regulando sobre:
especialmente:
I - o prazo de duração do
I - as reclamações relativas à prestação contrato;
dos serviços públicos em geral,
asseguradas a manutenção de serviços de
II - os controles e critérios de avaliação
atendimento ao usuário e a avaliação de desempenho, direitos, obrigações e
periódica, externa e interna, da qualidade responsabilidade dos
dos serviços;
dirigentes;

II - o acesso dos usuários a registros


III - a remuneração do
administrativos e a informações sobre atos pessoal.
de governo, observado o disposto no art.
5º, X e XXXIII;
§ 9º O disposto no inciso XI aplica-se
às empresas públicas e às sociedades de
III - a disciplina da representação
economia mista, e suas subsidiárias, que
contra o exercício negligente ou abusivo de receberem recursos da União, dos
cargo, emprego ou função na Estados, do Distrito Federal ou dos
administração
Municípios para pagamento de despesas
de pessoal ou de custeio em defesa; (Incluído pela
geral. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
III - mediante procedimento de
§ 10. É vedada a percepção simultânea avaliação periódica de desempenho, na
de proventos de aposentadoria decorrentes forma de lei complementar, assegurada
do art. 40 ou dos arts. 42 e 142 com a ampla defesa. (Incluído
remuneração de cargo, emprego ou função pela Emenda Constitucional nº 19, de
pública, ressalvados os cargos 1998)
acumuláveis na forma desta Constituição,
os cargos eletivos e os cargos em § 2º Invalidada por sentença judicial a
comissão declarados em lei de livre demissão do servidor estável, será ele
nomeação e reintegrado, e o eventual ocupante da
exoneração. (Incluído pela vaga, se estável, reconduzido ao cargo de
Emenda Constitucional nº 20, de origem, sem direito a indenização,
1998) (Vide Emenda aproveitado em outro cargo ou posto em
Constitucional nº 20, de 1998) disponibilidade com remuneração
proporcional ao tempo de
§ 11. Não serão computadas, para serviço.
efeito dos limites remuneratórios de que
trata o inciso XI do caput deste artigo, as § 3º Extinto o cargo ou declarada a sua
parcelas de caráter indenizatório previstas desnecessidade, o servidor estável ficará
em lei. em disponibilidade, com remuneração
proporcional ao tempo de serviço, até seu
§ 12. Para os fins do disposto no inciso adequado aproveitamento em outro
XI do caput deste artigo, fica facultado aos cargo.
Estados e ao Distrito Federal fixar, em seu
âmbito, mediante emenda às respectivas § 4º Como condição para a aquisição
Constituições e Lei Orgânica, como limite da estabilidade, é obrigatória a avaliação
único, o subsídio mensal dos especial de desempenho por comissão
Desembargadores do respectivo Tribunal instituída para essa
de Justiça, limitado a noventa inteiros e finalidade.
vinte e cinco centésimos por cento do
subsídio mensal dos Ministros do Supremo
CAPÍTULO III
Tribunal Federal, não se aplicando o
DA SEGURANÇA PÚBLICA
disposto neste parágrafo aos subsídios dos
Deputados Estaduais e Distritais e dos
Vereadores. Art. 144. A segurança pública, dever do
Estado, direito e responsabilidade de todos,
é exercida para a preservação da ordem
SEÇÃO II pública e da incolumidade das pessoas e
do patrimônio, através dos seguintes
DOS SERVIDORES PÚBLICOS órgãos:

Art. 41. São estáveis após três anos de I - polícia federal;


efetivo exercício os servidores nomeados
para cargo de provimento efetivo em II - polícia rodoviária federal;
virtude de concurso
público. III - polícia ferroviária federal;

§ 1º O servidor público estável só IV - polícias civis;


perderá o cargo:
V - polícias militares e corpos de
I - em virtude de sentença judicial bombeiros militares.
transitada em julgado;
§ 1º A polícia federal, instituída por lei
II - mediante processo administrativo como órgão permanente, organizado e
em que lhe seja assegurada ampla mantido pela União e estruturado em
carreira, destina-se a:
I - apurar infrações penais contra a § 7º A lei disciplinará a organização e o
ordem política e social ou em detrimento de funcionamento dos órgãos responsáveis
bens, serviços e interesses da União ou de pela segurança pública, de maneira a
suas entidades autárquicas e empresas garantir a eficiência de suas atividades.
públicas, assim como outras infrações cuja
prática tenha repercussão interestadual ou § 8º Os Municípios poderão constituir
internacional e exija repressão uniforme, guardas municipais destinadas à proteção
segundo se dispuser em lei; de seus bens, serviços e instalações,
conforme dispuser a lei.
II - prevenir e reprimir o tráfico ilícito de
entorpecentes e drogas afins, o § 9º A remuneração dos servidores
contrabando e o descaminho, sem prejuízo policiais integrantes dos órgãos
da ação fazendária e de outros órgãos relacionados neste artigo será fixada na
públicos nas respectivas áreas de forma do § 4º do art. 39.
competência;
§ 10. A segurança viária, exercida para
III - exercer as funções de polícia a preservação da ordem pública e da
marítima, aeroportuária e de incolumidade das pessoas e do seu
fronteiras; patrimônio nas vias
públicas:
IV - exercer, com exclusividade, as
funções de polícia judiciária da União. I - compreende a educação,
engenharia e fiscalização de trânsito, além
§ 2º A polícia rodoviária federal, órgão de outras atividades previstas em lei, que
permanente, organizado e mantido pela assegurem ao cidadão o direito à
União e estruturado em carreira, destina- mobilidade urbana eficiente;
se, na forma da lei, ao patrulhamento e
ostensivo das rodovias
federais. II - compete, no âmbito dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios, aos
§ 3º A polícia ferroviária federal, órgão respectivos órgãos ou entidades executivos
permanente, organizado e mantido pela e seus agentes de trânsito, estruturados
União e estruturado em carreira, destina- em Carreira, na forma da
se, na forma da lei, ao patrulhamento lei.
ostensivo das ferrovias
federais. Art. 16. A lei que alterar o processo
eleitoral entrará em vigor na data de sua
§ 4º Às polícias civis, dirigidas por publicação, não se aplicando à eleição que
delegados de polícia de carreira, ocorra até um ano da data de sua vigência.
incumbem, ressalvada a competência da
União, as funções de polícia judiciária e a CAPÍTULO V
apuração de infrações penais, exceto as
militares. DOS PARTIDOS POLÍTICOS

§ 5º Às polícias militares cabem a Art. 17. É livre a criação, fusão,


polícia ostensiva e a preservação da ordem incorporação e extinção de partidos
pública; aos corpos de bombeiros militares, políticos, resguardados a soberania
além das atribuições definidas em lei, nacional, o regime democrático, o
incumbe a execução de atividades de pluripartidarismo, os direitos fundamentais
defesa civil. da pessoa humana e observados os
seguintes preceitos: Regulamento
§ 6º As polícias militares e corpos de
bombeiros militares, forças auxiliares e I - caráter nacional;
reserva do Exército, subordinam-se,
juntamente com as polícias civis, aos II - proibição de recebimento de
Governadores dos Estados, do Distrito recursos financeiros de entidade ou
Federal e dos Territórios. governo estrangeiros ou de subordinação a
estes;
III - prestação de contas à Justiça I - obtiverem, nas eleições para a
Eleitoral; Câmara dos Deputados, no mínimo, 3%
(três por cento) dos votos válidos,
IV - funcionamento parlamentar de
acordo com a lei.
distribuídos em pelo menos um terço
das unidades da Federação, com um
§ 1º É assegurada aos partidos mínimo de 2% (dois por cento) dos
políticos autonomia para definir sua votos válidos em cada uma delas;
estrutura interna, organização e ou
funcionamento, devendo seus estatutos
estabelecer normas de fidelidade e
disciplina partidárias. II - tiverem elegido pelo menos
§ 1º É assegurada aos partidos quinze Deputados Federais distribuídos
políticos autonomia para definir sua em pelo menos um terço das unidades
estrutura interna, organização e da Federação.
funcionamento e para adotar os critérios de
escolha e o regime de suas coligações
eleitorais, sem obrigatoriedade de § 4º É vedada a utilização pelos
vinculação entre as candidaturas em partidos políticos de organização
âmbito nacional, estadual, distrital ou paramilitar.
municipal, devendo seus estatutos
estabelecer normas de disciplina e § 5º Ao eleito por partido que não
fidelidade partidária. preencher os requisitos previstos no § 3º
deste artigo é assegurado o mandato e
§ 1º É assegurada aos partidos facultada a filiação, sem perda do mandato,
políticos autonomia para definir sua a outro partido que os tenha atingido, não
estrutura interna e estabelecer regras sobre sendo essa filiação considerada para fins
escolha, formação e duração de seus de distribuição dos recursos do fundo
órgãos permanentes e provisórios e sobre partidário e de acesso gratuito ao tempo de
sua organização e funcionamento e para rádio e de televisão.
adotar os critérios de escolha e o regime de
suas coligações nas eleições majoritárias, TÍTULO III
vedada a sua celebração nas eleições DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO
proporcionais, sem obrigatoriedade de CAPÍTULO I
vinculação entre as candidaturas em DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-
âmbito nacional, estadual, distrital ou ADMINISTRATIVA
municipal, devendo seus estatutos
estabelecer normas de disciplina e Art. 18. A organização político-
fidelidade partidária. administrativa da República Federativa do
Brasil compreende a União, os Estados, o
§ 2º Os partidos políticos, após Distrito Federal e os Municípios, todos
adquirirem personalidade jurídica, na forma autônomos, nos termos desta Constituição.
da lei civil, registrarão seus estatutos no
Tribunal Superior Eleitoral. § 1º Brasília é a Capital Federal.

§ 3º Os partidos políticos têm direito a § 2º Os Territórios Federais integram a


recursos do fundo partidário e acesso União, e sua criação, transformação em
gratuito ao rádio e à televisão, na forma da Estado ou reintegração ao Estado de
lei. origem serão reguladas em lei
complementar.
§ 3º Somente terão direito a
recursos do fundo partidário e acesso § 3º Os Estados podem incorporar-se
gratuito ao rádio e à televisão, na forma entre si, subdividir-se ou desmembrar-se
para se anexarem a outros, ou formarem
da lei, os partidos políticos que
novos Estados ou Territórios Federais,
alternativamente: mediante aprovação da população
diretamente interessada, através de
plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei
complementar.
§ 4º A criação, a incorporação, a fusão SEÇÃO I
e o desmembramento de Municípios, far- DO CONGRESSO NACIONAL
se-ão por lei estadual, dentro do período
determinado por Lei Complementar Art. 44. O Poder Legislativo é exercido
Federal, e dependerão de consulta prévia, pelo Congresso Nacional, que se compõe
mediante plebiscito, às populações dos da Câmara dos Deputados e do Senado
Municípios envolvidos, após divulgação dos Federal.
Estudos de Viabilidade Municipal,
apresentados e publicados na forma da
Parágrafo único. Cada legislatura terá a
lei.
duração de quatro anos.

Art. 19. É vedado à União, aos


Art. 45. A Câmara dos Deputados
Estados, ao Distrito Federal e aos
compõe-se de representantes do povo,
Municípios:
eleitos, pelo sistema proporcional, em cada
Estado, em cada Território e no Distrito
I - estabelecer cultos religiosos ou Federal.
igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o
funcionamento ou manter com eles ou seus
§ 1º O número total de Deputados, bem
representantes relações de dependência
como a representação por Estado e pelo
ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a Distrito Federal, será estabelecido por lei
colaboração de interesse público; complementar, proporcionalmente à
população, procedendo-se aos ajustes
II - recusar fé aos documentos necessários, no ano anterior às eleições,
públicos; para que nenhuma daquelas unidades da
Federação tenha menos de oito ou mais de
III - criar distinções entre brasileiros ou setenta Deputados.
preferências entre si.
§ 2º Cada Território elegerá quatro
CASSAÇÃO E PERDA DE Deputados.
MANDATOS Art. 46. O Senado Federal compõe-se
de representantes dos Estados e do Distrito
Art. 15. É vedada a cassação de Federal, eleitos segundo o princípio
direitos políticos, cuja perda ou suspensão majoritário.
só se dará nos casos de:
§ 1º Cada Estado e o Distrito Federal
I - cancelamento da naturalização por elegerão três Senadores, com mandato de
sentença transitada em julgado; oito anos.

II - incapacidade civil absoluta; § 2º A representação de cada Estado e


do Distrito Federal será renovada de quatro
III - condenação criminal transitada em em quatro anos, alternadamente, por um e
julgado, enquanto durarem seus efeitos; dois terços.

IV - recusa de cumprir obrigação a § 3º Cada Senador será eleito com dois


todos imposta ou prestação alternativa, nos suplentes.
termos do art. 5º, VIII;
Art. 47. Salvo disposição constitucional
V - improbidade administrativa, nos em contrário, as deliberações de cada
termos do art. 37, § 4º. Casa e de suas Comissões serão tomadas
por maioria dos votos, presente a maioria
TÍTULO IV absoluta de seus membros.
DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº
80, de 2014)
CAPÍTULO I
DO PODER LEGISLATIVO
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS
DIREITOS HUMANOS
Adotada e proclamada pela nacional ou social, riqueza, nascimento,
resolução 217 A (III) da Assembléia ou qualquer outra condição.
Geral das Nações Unidas em 10 de
dezembro de 1948 2. Não será também feita nenhuma
distinção fundada na condição política,
PREÂMBULO jurídica ou internacional do país ou
território a que pertença uma pessoa,
Considerando que o reconhecimento quer se trate de um território
da dignidade inerente a todos os independente, sob tutela, sem governo
membros da família humana e de seus próprio, quer sujeito a qualquer outra
direitos iguais e inalienáveis é o limitação de soberania.
fundamento da liberdade, da justiça e da
paz no mundo, Considerando que o Artigo 3. Todo ser humano tem
desprezo e o desrespeito pelos direitos direito à vida, à liberdade e à segurança
humanos resultaram em atos bárbaros pessoal. Artigo 4. Ninguém será
que ultrajaram a consciência da mantido em escravidão ou servidão; a
Humanidade e que o advento de um escravidão e o tráfico de escravos serão
mundo em que todos gozem de proibidos em todas as suas formas.
liberdade de palavra, de crença e da
liberdade de viverem a salvo do temor e Artigo 5. Ninguém será submetido
da necessidade foi proclamado como a à tortura nem a tratamento ou castigo
mais alta aspiração do homem comum, cruel, desumano ou degradante.
Considerando ser essencial que os
direitos humanos sejam protegidos pelo Artigo 6. Todo ser humano tem o
império da lei, para que o ser humano direito de ser, em todos os lugares,
não seja compelido, como último reconhecido como pessoa perante a lei.
recurso, à rebelião contra tirania e a
opressão, Considerando ser essencial Artigo 7. Todos são iguais perante a
promover o desenvolvimento de lei e têm direito, sem qualquer
relações amistosas entre as nações, distinção, a igual proteção da lei. Todos
Considerando que os povos das Nações têm direito a igual proteção contra
Unidas reafirmaram, na Carta da ONU, qualquer discriminação que viole a
sua fé nos direitos humanos presente Declaração e contra qualquer
fundamentais, na dignidade e no valor incitamento a tal discriminação.
do ser humano e na igualdade de
direitos entre homens e mulheres, e que Artigo 8. Todo ser humano tem
decidiram promover o progresso social direito a receber dos tribunais nacionais
e melhores condições de vida em uma competentes remédio efetivo para os
liberdade mais ampla, Considerando atos que violem os direitos
que os Estados-Membros se fundamentais que lhe sejam
comprometeram a promover, em reconhecidos pela constituição ou pela
cooperação com as Nações Unidas, o lei.
respeito universal aos direitos humanos
e liberdades fundamentais e a Artigo 9. Ninguém será
observância desses direitos e liberdades, arbitrariamente preso, detido ou exilado.
Considerando que uma compreensão
comum desses direitos e liberdades é da Artigo 10. Todo ser humano tem
cor, sexo, idioma, religião, opinião direito, em plena igualdade, a uma
política ou de outra natureza, origem audiência justa e pública por parte de
um tribunal independente e imparcial,
para decidir sobre seus direitos e Artigo 16. 1. Os homens e mulheres
deveres ou do fundamento de qualquer de maior idade, sem qualquer restrição
acusação criminal contra ele. de raça, nacionalidade ou religião, têm o
direito de contrair matrimônio e fundar
Artigo 11. 1. Todo ser humano uma família. Gozam de iguais direitos
acusado de um ato delituoso tem o em relação ao casamento, sua duração e
direito de ser presumido inocente até sua dissolução. 2. O casamento não será
que a sua culpabilidade tenha sido válido senão com o livre e pleno
provada de acordo com a lei, em consentimento dos nubentes. 3. A
julgamento público no qual lhe tenham família é o núcleo natural e fundamental
sido asseguradas todas as garantias da sociedade e tem direito à proteção da
necessárias à sua defesa. 2. Ninguém sociedade e do Estado.
poderá ser culpado por qualquer ação ou
omissão que, no momento, não Artigo 17. 1. Todo ser humano tem
constituíam delito perante o direito direito à propriedade, só ou em
nacional ou internacional. Também não sociedade com outros. 2. Ninguém será
será imposta pena mais forte do que arbitrariamente privado de sua
aquela que, no momento da prática, era propriedade.
aplicável ao ato delituoso.
Artigo 18. Todo ser humano tem
Artigo 12. Ninguém será sujeito à direito à liberdade de pensamento,
interferências em sua vida privada, em consciência e religião; este direito inclui
sua família, em seu lar ou em sua a liberdade de mudar de religião ou
correspondência, nem a ataques à sua crença e a liberdade de manifestar essa
honra e reputação. Todo ser humano religião ou crença, pelo ensino, pela
tem direito à proteção da lei contra tais prática, pelo culto e pela observância,
interferências ou ataques. isolada ou coletivamente, em público ou
em particular.
Artigo 13. 1. Todo ser humano tem
direito à liberdade de locomoção e Artigo 19. Todo ser humano tem
residência dentro das fronteiras de cada direito à liberdade de opinião e
Estado. 2. Todo ser humano tem o expressão; este direito inclui a liberdade
direito de deixar qualquer país, de, sem interferência, ter opiniões e de
inclusive o próprio, e a este regressar. procurar, receber e transmitir
informações e idéias por quaisquer
Artigo 14. 1. Toda pessoa, vítima de meios e independentemente de
perseguição, tem o direito de procurar e fronteiras.
de gozar asilo em outros países. 2. Este
direito não pode ser invocado em caso Artigo 20. 1. Todo ser humano tem
de perseguição legitimamente motivada direito à liberdade de reunião e
por crimes de direito comum ou por associação pacífica. 2. Ninguém pode
atos contrários aos objetivos e ser obrigado a fazer parte de uma
princípios das Nações Unidas. associação.

Artigo 15. 1. Todo ser humano tem Artigo 21. 1. Todo ser humano tem
direito a uma nacionalidade. 2. o direito de tomar parte no governo de
Ninguém será arbitrariamente privado seu país diretamente ou por intermédio
de sua nacionalidade, nem do direito de de representantes livremente escolhidos.
mudar de nacionalidade.
2. Todo ser humano tem igual direito assegurar a si e a sua família saúde e
de acesso ao serviço público do seu bem estar, inclusive alimentação,
país. vestuário, habitação, cuidados médicos
e os serviços sociais indispensáveis, e
3. A vontade do povo será a base da direito à segurança em caso de
autoridade do governo; esta vontade desemprego, doença, invalidez, viuvez,
será expressa em eleições periódicas e velhice ou outros casos de perda dos
legítimas, por sufrágio universal, por meios de subsistência fora de seu
voto secreto ou processo equivalente controle. 2. A maternidade e a infância
que assegure a liberdade de voto. Artigo têm direito a cuidados e assistência
22. Todo ser humano, como membro da especiais. Todas as crianças nascidas
sociedade, tem direito à segurança dentro ou fora do matrimônio, gozarão
social e à realização, pelo esforço da mesma proteção social.
nacional, pela cooperação internacional
e de acordo com a organização e Artigo 26. 1. Todo ser humano tem
recursos de cada Estado, dos direitos direito à instrução. A instrução será
econômicos, sociais e culturais gratuita, pelo menos nos graus
indispensáveis à sua dignidade e ao elementares e fundamentais. A
livre desenvolvimento da sua instrução elementar será obrigatória. A
personalidade. instrução técnico-profissional será
acessível a todos, bem como a instrução
Artigo 23. 1. Todo ser humano tem superior, esta baseada no mérito.
direito ao trabalho, à livre escolha de
emprego, a condições justas e 2. A instrução será orientada no sentido
favoráveis de trabalho e à proteção do pleno desenvolvimento da
contra o desemprego. personalidade humana e do
fortalecimento do respeito pelos direitos
2. Todo ser humano, sem qualquer humanos e pelas liberdades
distinção, tem direito a igual fundamentais. A instrução promoverá a
remuneração por igual trabalho. compreensão, a tolerância e a amizade
entre todas as nações e grupos raciais ou
3. Todo ser humano que trabalhe tem religiosos, e coadjuvará as atividades
direito a uma remuneração justa e das Nações Unidas em prol da
satisfatória, que lhe assegure, assim manutenção da paz.
como à sua família, uma existência
compatível com a dignidade humana, e 3. Os pais têm prioridade de direito na
a que se acrescentarão, se necessário, escolha do gênero de instrução que será
outros meios de proteção social. ministrada a seus filhos.

4. Todo ser humano tem direito a Artigo 27. 1. Todo ser humano tem o
organizar sindicatos e neles ingressar direito de participar livremente da vida
para proteção de seus interesses. cultural da comunidade, de fruir as artes
e de participar do processo científico e
Artigo 24. Todo ser humano tem direito de seus benefícios.
a repouso e lazer, inclusive à limitação
razoável das horas de trabalho e férias 2. Todo ser humano tem direito à
periódicas remuneradas. proteção dos interesses morais e
materiais decorrentes de qualquer
Artigo 25. 1. Todo ser humano tem produção científica, literária ou artística
direito a um padrão de vida capaz de da qual seja autor. Artigo 28. Todo ser
humano tem direito a uma ordem social justas exigências da moral, da ordem
e internacional em que os direitos e pública e do bem-estar de uma
liberdades estabelecidos na presente sociedade democrática.
Declaração possam ser plenamente
realizados. 3. Esses direitos e liberdades não
podem, em hipótese alguma, ser
Artigo 29. 1. Todo ser humano tem exercidos contrariamente aos propósitos
deveres para com a comunidade, em e princípios das Nações Unidas.
que o livre e pleno desenvolvimento de
sua personalidade é possível. Artigo 30. Nenhuma disposição da
presente Declaração pode ser
2. No exercício de seus direitos e interpretada como o reconhecimento a
liberdades, todo ser humano estará qualquer Estado, grupo ou pessoa, do
sujeito apenas às limitações direito de exercer qualquer atividade ou
determinadas pela lei, exclusivamente praticar qualquer ato destinado à
com o fim de assegurar o devido destruição de quaisquer dos direitos e
reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.
liberdades de outrem e de satisfazer as
DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA
DIREITO A INFÂNCIA Art. 402/433 Os referidos artigos
E ADOLESCÊNCIA PROTEGIDAS são integrantes do Capítulo IV da
I O QUE DIZ ALEI 1.1 CLT, que tem corno título "Da
Constituição federal Art. 7°, XXXIII Proteção do Trabalho do Menor" e
Proíbe o trabalho noturno, perigoso traça as diretrizes e restrições
ou insalubre aos menores de 18 impostas aos
anos, e proíbe qualquer tipo de trab empregadores e aos empregados m
alho aos menores de 14 anos, salvo enores de 18 anos.
na condição de aprendiz.
Art. 403 Proibição de trabalho pa
Art. 203, I Coloca a proteção da ra os menores de 12 anos.
infância e da adolescência como um
dos objetivos da Art. 404 Proibição de trabalho n
"Assistência Social". Art. 204, I oturno
Com base neste inciso, as normas
gerais que dizem respeito à Art. 405 Proibição de
"Assistência Social" ficam a cargo trabalho em locais ou serviços
de Lei Federal, mas a coordenação insalubres, perigosos ou prejudiciais
e a execução dessas normas ficam à moralidade.
a cargo do Estado e Município.
Dessa forma, a Constituição coloca
o Município na ponta dos Arts. 411/414 Diz respeito à duraçã
atendimentos o do trabalho do menor.
sociais, ou seja, mais próximo e mai
s acessível à população. Arts. 415/423 Fala sobre a
admissão do menor no emprego e
Art. 204, II Assegura a sobre a Carteira de
participação da população na Trabalho e Previdência Social.
formulação das políticas uma vez
que concede a eles, com prioridade Arts. 424/433 Referemse aos
absoluta, direitos essenciais, que deveres dos responsáveis de
foram posteriormente discriminados menores e dos empregadores,
e normatizados pela Lei 8069 de 13 em como da aprendizagem. 3)
de julho de 1990 Estatuto da Estatuto da criança e
Criança e do Adolescente. 1.2 do adolescente Lei 8.069 de 13 /
Lei específica 07/90 Esta Lei revogou o antigo
A) Consolidação das leis de trabalh "Código de Menores" e é a NORMA
o CLT Art. 80 A Lei conceitua DE DIREITOS HUMANOS DA
corno aprendiz o menor de 12 a 18 CRIANÇA E DO ADOLESCENTE.
anos sujeito à formação profissional Traz os casos específicos de
metódica do ofício em que exerça desrespeito .os direitos da criança e
seu trabalho, e fixa o salário mínimo do adolescente e também os
que deve ser pago a ele. mecanismos e penalidades que
podem ser aplicadas aos infratores.
Art. 134, §2 Este artigo garante Cria os Conselhos Municipais dos
aos menores de 18 anos a Direitos das Crianças e dos
concessão de férias contínuas, Adolescentes e os Conselhos Tutela
ou seja, as férias serão gozadas de res com a participação da sociedad
urna só vez, sem interrupção. e. É de grande importância que os
CDHs adquiram um exemplar do
Estatuto da Criança e do contribuir, da melhor maneira, para
Adolescente, uma vez que, além de a correção dos numerosos
nele estarem elencadas as formas problemas por que passa
de agressão aos direitos das a infância no Brasil."
crianças e dos adolescentes, estão
também descritas as atribuições dos III O QUE FAZER
Conselhos, formas dl~
fiscalização, como se ter o acesso à 3.1. Medidas administrativas
justiça etc. Os arts. 28 a 52 dizem Movimentar entidades locais,
respeito à guarda, tutela e adoção. através de Fóruns de discussões, e
Os arts. 53 a 59 dizem respeito à pressionar a autoridade
educação. competente, a Prefeitura, a criar o C
Os arts. 225 e seguintes definem os onselho Municipal dos Direitos da C
crimes praticados contra crianças o riança e do Adolescente. Após a
u adolescentes. criação do Conselho Municipal,
exigir a instalação de, no mínimo,
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DO um Conselho
S DIREITOS DO HOMEM Tutelar para a sua cidade, nos term
os do Art. 132 do Estatuto da Crianç
Quase todos os artigos da a e do Adolescente.
Declaração Universal dos Direitos 3.2. Medidas legislativas Apresentar
do Homem são aplicáveis às projeto de lei de iniciativa popular,
crianças e aos adolescentes. ou mesmo projetos de lei através de
Podemos, porém, salientar o Art. vereadores ou deputados que
26, que diz que "Todo homem tem contemplem direitos contidos na
direito à instrução. A instrução ser Constituição Federal e Estadual, ou
gratuita, pelo menos nos graus ainda, na Lei Orgânica do seu
elementares e fundamentais. A Município, tais como: criação de
instrução elementar será obrigatória creches, abrigos, programas de
..." assistência socioeducativa, jurídica,
Conselhos Tutelares etc.
3.3. Medidas jurídicas -
TRATADOS E CONVENÇÕES INT Registrar ocorrência de ato contra
ERNACIONA menor junto
à delegacia mais próxima. -
IS O Brasil assinou a Convenção Apresentar Representação ao Pro
sobre os Direitos da Criança em motor de Justiça de sua Comarca.
21/11/1990 (D.99710), pela qual Procurar um advogado nos casos
determina que se cumpra em todo o em que o interesse for inteiramente
território nacional o que ela contém, da criança ou
no sentido de preparar a infância adolescente lesado. Ex.: Pensão Ali
para viver na sociedade e ser mentícia. – Fazer contato com o
educada de acordo com os ideais Juizado da Infância e da
dos direitos humanos com , espírito Adolescência, encaminhar questões
de paz, dignidade, tolerância, relativas a guarda e adoção.
liberdade, igualdade e 3.4. Medidas políticas Divulgar o
solidariedade, nos termos dos Estatuto da Criança e do
princípios internacionais aceitos Adolescente, bem como exigir seu
pelas Nações Unidas. "Toda a cumprimento no
sociedade deve se organizar e que diz respeito à criação do CMDC
A e Conselhos Tutelares através da área urbana como na rural.
mobilização popular. Denunciar 1.2. Lei específica
junto à imprensa os casos A) Consolidação das Leis de Trabal
ocorridos, fazendo campanha para ho CLT Arts. 372/378 Nestes
convencer a opinião pública. – artigos, a Lei cuida da duração e da
Criação ou apoio a grupos ou condição do Trabalho da
entidades que trabalham com a Mulher, diferenciadas do homem, ap
questão dos Direitos da enas em alguns aspectos.
Infância e da Juventude. – Arts. 379/381 -
Conhecer o trabalho desenvolvido e Cuidam estes artigos do Trabalho
os agentes de movimentos, Noturno exercido pela mulher. Arts.
entidades e 382/390 Os períodos de descanso,
organizações, buscando informaçõe os métodos e locais de trabalho da
s, troca de experiências e apoio mút mulher são tratados nestes artigos.
uo. Arts. 391/401 -
Estes onze artigos tratam da proteç
DIREITOS DA MULHER I - ão à maternidade. B) Código Civil
O QUE DIZ A LEI B.1. Legislação complementar Lei
1.1. Constituição federal 6.515 de 26/12/ 1977 Lei do
O Art. 5° da atual Constituição Fede Divórcio Com nova
ral diz que todos são iguais perante redação em, virtude da CF / 88 Arts.
a lei, sem distinção de qualquer 32 e 82 Cuidam estes artigos dos
natureza. Garante aos brasileiros a casos e efeitos da Separação
inviolabilidade do direito à vida, à Judicial, De acordo com o Art. 213
liberdade, à igualdade, à segurança deste Código, constituise estupro o
e à propriedade. Inciso I: ato de o homem forçar a mulher à
"Homens e mulheres são iguais em manter relações sexuais vaginais,
direitos e obrigações..." O Art. 7° mediante violência física ou
(Parágrafo Único) desta psicológica ou grave ameaça.
Constituição diz respeito aos Pena: reclusão de 6 a 10 anos.
direitos das trabalhadoras A pena
domésticas: salário mínimo; é aumentada em um terço, caso a
proibição da redução do salário; mulher seja menor de 14 anos.
13Q salário; folga semanal; férias OBS.: A mulher ESTUPRADA não
anuais remuneradas; licença à deve lavarse até ser examinada no
gestante; licença paternidade; IML; deve guardar a roupa com que
aposentadoria e integração à estava vestida, sem laváIa; levar a
previdência social. O Art. 226 diz roupa suja para também ser
que toda família tem direito a urna examinada no IML; ir imediatamente
especial proteção do Estado, e os à Delegacia de Mulheres ou à
direitos e deveres referentes à Delegacia de Polícia mais próxima,
sociedade conjugal devem ser para prestar queixa, solicitando a
exercidos igualmente pelo homem e GUIA para ser examinada no IML e
pela mulher (Parágrafo 52). O Art. pedir a cópia do Boletim de
183 (Parágrafo 12) e Art. 189 Ocorrência. Estas providências são
(Parágrafo Único) dizem que a importantes, pois, se a mulher
mulher passa a ter direito ao título engravidar, terá prova
de domínio e a concessão de uso documental de que foi violentada e
da terra, independente do seu pode solicitar ao médico que lhe faç
estado civil, tanto na a aborto, caso queira. •
Atentado Violento ao Pudor - sentação (conf. Art. 88 e 91). •
Crime de Ação Pública De acordo Constrangimento Ilegal -
com o Art. 214, constituise atentado Crime de Ação Pública De acordo
violento ao pudor o ato de com o Art. 146, constrangimento
constranger alguém, mediante ilegal consiste no ato de
violência ou grave ameaça, a constranger alguém mediante
praticar ou permitir que ela se violência ou grave ameaça, ou
pratique ato libidinoso diverso da depois de diminuir sua resistência
relação sexual (toques, carícias (por meio de bebida,
etc.). O atentado violento ao pudor é remédios etc.) a não fazer o que a l
também ei permite, ou a fazer o que ela não
chamado de ATO LIBIDINOSO DIF manda.
ERENTE DA CONJUNÇÃO CARNA Pena: reclusão de 3 meses a 1 311
L. Pena: reclusão de 2 a 7 anos. 0, ou multa. OBS.: A mulher
A pena CONSTRANGIDA deve denunciar o
é aumentada da metade quando: - fato à Delegacia de Mulheres ou à
o crime Delegacia de Polícia mais próxima,
é praticado contra menores de 14 a e pedir uma cópia do Boletim de
nos; - Ocorrência. Deve também contar a
se da violência resultar violência co pessoas amigas e familiares para
rporal de natureza grave ou morte. que mais tarde, se necessário,
OBS.: Em caso de ATENTADO possam servir de testemunhas. •
VIOLENTO AO PUDOR a pessoa Difamação Crime de Ação Privada
não deve lavarse até ser examinada De acordo com o Art. 139,
no IML; deve guardar a roupa com difamação consiste no ato de
que estava vestida, sem laváIa; afirmar falsamente que alguém
levar a roupa suja para ser também fez algo indigno, ofendendo-
examinada no IML; ir imediatamente lhe a reputação e a honra.
à Delegacia de Mulheres ou à Pena: 3 meses a 1 ano e multa.
Delegacia de Polícia mais próxima, OBS.: Tanto a mulher como o
para prestar queixa, solicitando a homem DIFAMADOS podem
GUIA para ser examinada no IML e prestar queixa na Delegacia de
pedir cópia do Boletim de Mulheres ou na Delegacia de
Ocorrência. Caso a mulher Polícia mais próxima, indicando o
engravide e tenha prova documental nome completo, profissão e
de que endereço do "difamador" e de
foi violentada, pode solicitar ao médi testemunhas, se houver. Pedir uma
co que lhe faça o aborto. • cópia do Boletim de Ocorrência e,
Lesões Corporais - se quiser, pode mover uma ação de
Crime de Ação Pública De acordo indenização por perdas e danos. •
com o Art. 129, lesão corporal Ameaça Crime de Ação Pública. De
consiste no ato de ofender a acordo com o Art. 147, ameaça
integridade corporal consiste no ato de prometer por
ou a saúde do próximo. palavras, cartas ou gestos, ou por
Pena: reclusão de 3 meses a 1 ano. qualquer meio simbólico, causar mal
Atenção: A ação penal relativa aos injusto (, grave, como a morte. Pode
crimes de lesões corporais leves e também
lesões culposas, com ser feita com objetos que servem co
a Lei 9.099/95 (dos Juizados Especi mo armas (tesouras, facas, machad
ais), passaram a depender de repre os, martelos, revólveres etc.).
Pena: reclusão de 1 a 6 meses. O Art. 82 (Parágrafo 19) trata dos es
OBS.: Em caso de AMEAÇA; tabelecimentos penais.
recomenda-se que a pessoa saia O Art. 89 trata do alojamento das m
imediatamente de junto do ulheres em penitenciárias.
ameaçador e procure ajuda com
vizinhos, amigos, familiares ou II – OUTROS TEXTOS
mesmo desconhecidos; vá à Declaração Universal dos Direitos d
delegacia de Mulheres ou à o Homem Art. VII Todos são iguais
Delegacia de Polícia mais próxima e perante a lei e têm direito, sem
faça a representação; indique qualquer distinção, a igual proteção
testemunhas, se houver; peça cópia da lei. Todos têm direito a igual
do Boletim de Ocorrência; se a proteção contra qualquer
ameaça vier de estranhos, a queixa discriminação que viole a
deve ser feita, dandose os maiores presente Declaração e contra qualq
detalhes possíveis sobre quem está uer incitação a tal discriminação.
ameaçando: altura,
cor, tipo de cabelo, olhos, roupa, tat III O QUE FAZER
uagem, cicatriz etc. • MausTratos - 3.1. Medidas administrativas
Crime de Ação Pública De acordo Pressionar para que seja efetivado
com o Art. 136, maustratos consiste o direito a creche para os filhos,
em deixar que uma pessoa corra previstos no Art. 72,
perigo de vida ou de saúde, quando inciso 25, da CF, ou apresentar proj
ela está sob a sua autoridade, eto de lei de iniciativa popular. – No
guarda ou vigilância, para fins de caso de crimes contra a mulher,
educação, imediatamente após a ocorrência do
ensino, tratamento ou custódia. fato, apresentar uma
Penas: detenção de 2 meses a 1 an REPRESENTAÇÃO (consiste numa
o, ou multa; - carta, cujo conteúdo deve conter
reclusão, de 1 a 4 anos se a pesso toda a história do fato ocorrido.
a sofrer alguma lesão grave; - Deve, também, autorizar a
reclusão de 4 a 12 anos, se resultar promoção da investigação e da
em morte; reclusão de 1 a 5 anos Ação Penal, pela vítima).
quando a vítima é criança ou 3.2. Medidas jurídicas Em casos de
adolescente, pois o crime pode ser violência contra a mulher, registrar a
configurado como "tortura". OBS.: A ocorrência na Delegacia de
pessoa MALTRATADA (ou quem Mulheres
tem conhecimento dos maustratos ou na Delegacia de Polícia mais pró
de outra pessoa) deve procurar a xima. OBS.: Para que seja
Delegacia de Mulheres ou a comprovada a agressão física
Delegacia de Polícia mais próxima ou sexual, após o registro da
para prestar queixa levando ocorrência, devese, imediatamente,
testemunhas, se houver. Em caso fazer o EXAME DE CORPO DE
de maustratos físicos, fazer DELITO, no Instituto Médico Legal.
imediatamente o Quando o IML enviar o resultado do
exame de corpo de delito. exame, ou LAUDO PERICIAL para
D) Lei de Execução Penal a Delegacia (o que
Direitos da Mulher Presidiária O Art. demora cerca de 15 dias) a pessoa
59 (CF) Inciso L, assegura às agredida será novamente chamada
mulheres presidiárias o direito de para completar as informações
amamentação a seus filhos. sobre o caso. –
Em outros casos, procurar, imediata casos de abuso de autoridade. Diz a
mente, um advogado. lei que constitui abuso de
3.3. Medidas políticas - autoridade qualquer atentado:
Exigir o cumprimento dessas leis at
ravés de mobilização popular; a) à liberdade de locomoção;
Denunciar os casos ocorridos aos
órgãos competentes e à imprensa, b) à inviolabilidade do domicílio;
fazendo campanha
para conquistar a opinião pública; c) ao sigilo de correspondência;
Promover encontros e debates
sobre a violência, convidando d)
profissionais (advogados, à liberdade de consciência e de cre
delegadas, delegados, Promotores nça;
de Justiça) e agentes de entidades
de defesa da mulher para falar, e) ao livre exercício do culto relig
deixando um bom espaço para perg ioso;
untas, atividades em grupo e debate
; Procurar formas de enfrentar f)à liberdade de associação;
questões estruturais que atingem a
mulher e a família: a falta de g) aos direitos e garantias asseg
creches, a falta de empregos, a falta urados ao exercício do voto;
de moradia digna etc., criando ou
fortalecendo h) ao direito de reunião;
movimentos de luta para pressionar
por mudanças na economia e na pol i)à incolumidade (integridade) físi
ítica; - ca do indivíduo.
Exigir a apuração de crimes pratica
dos contra a mulher e a punição dos Constitui também abuso de autor
responsáveis; Exigir políticas idade:
públicas que atendam as mulheres
vítimas de violência: casas abrigo, a) ordenar ou executar medida
serviços policiais, jurídicos, psicológi privativa de liberdade individual sem
cos e de saúde. as formalidades legais
ou com abuso de poder;
Este artigo trata dos Direitos e
Deveres Individuais e Coletivos, e b) submeter pessoa sob sua guarda
está no Capítulo dos Direitos e ou custódia a vexame ou a
Garantias Fundamentais da CF. constrangimento não
Como se vê, nele estão previstos autorizado em lei;
direitos do cidadão em face do
Estado e seus agentes. Isto porque c) deixar de comunicar,
o poder do Estado tem limites, e imediatamente, ao juiz competente
não pode atingir ou a prisão ou detenção de
agredir os direitos do cidadão, senã qualquer pessoa;
o quando a lei assim dispuser. 1.2
Lei n° 4.898, de 09/12/1965 d) deixar o Juiz de ordenar o
Lei de abuso de autoridade Esta lei relaxamento de prisão ou detenção
regula o direito de representação e ilegal que lhe tenha sido
o processo de responsabilidade comunicada;
administrativa, civil e penal, nos
e) levar prisão e nela deter quem se c) se for Juiz de Direito, ao
proponha a prestar fiança, permitid CorregedorGeral de Justiça. Deve o
a em lei; ofendido ou seu representante
relatar os fatos, indicar os meios de
f) cobrar o carcereiro ou agente de prova (detalhes do fato, nomes de
autoridade policial carceragem, testemunhas
custas, emolumentos ou etc.) e pedir apuração e punição dos
qualquer outra despesa, desde que responsáveis.
a cobrança não tenha apoio em lei;
d) se for funcionário público em gera
g) recusar o carcereiro ou agente de l, ao órgão a que pertence o agente,
autoridade recibo de importância re ou à Corregedoria deste
cebida; órgão, se houver.

h) o ato lesivo da honra ou do 3.2 Medidas jurídicas Apresentar


patrimônio de pessoa natural ou ao Promotor de Justiça cópia da
jurídica, quando praticado Representação feita à autoridade
com abuso ou desvio de poder ou s acima citada, ou um pedido escrito,
em competência legal. bem claro, relatando os fatos, os
meios de prova, e pedir que
II OUTROS TEXTOS - INSTAURE A AÇÃO PENAL contra
Declaração Universal dos Direitos o responsável pelo crime de abuso
Humanos Art. 5°: "Ninguém será de autoridade. O Promotor
submetido a tortura nem a promoverá a
tratamento ou castigo Ação Penal por meio de uma petiçã
cruel, desumano ou degradante". o, denominada DENÚNCIA. Caso
ele não ofereça a denúncia nem
Art. 7°: "Todos são iguais perante a peça arquivamento no prazo de 15
lei e têm direito, sem qualquer dias, poderá o próprio ofendido, no
distinção, a igual proteção da lei". prazo de seis meses após, propor
Ação Penal Privada, em
III O QUE FAZER substituição à denúncia. Além disso,
pode o ofendido ou representante,
3.1 Medidas administrativas através de advogado, propor Ação
Primeiramente, é necessário reunir de Indenização Civil contra o Estado
dados suficientes para informar à e contra a autoridade ou seu agente
autoridade competente os fatos. (o causador do fato), visando a
Para identificar a quem deve ser obter a reparação por danos
dirigida a reclamação, deve- materiais e morais (comprovados ou
se considerar sua vinculação ou sub estimados) que sofreu em
ordinação: conseqüência do abuso de autorida
de.
a) se for Delegado de Polícia,
policial civil ou carcereiro, ao 3.3 Medidas legislativas A
Secretário de Segurança Pública; legislação que trata do assunto é,
até certo ponto, avançada, mas é
pouco efetiva, pois as vítimas têm
b) se for agente da Polícia Militar, a receio de denunciar e sofrer
o Comandante Geral da PM; represálias. Assim, a impunidade
ainda é muito comum, o
que alimenta novos abusos. membros do grupo, para renovar se
Para mudar este quadro: mpre e atualizar os conhecimentos
de todos.
a) Os grupos organizados da
sociedade deveriam pedir aos c) Desenvolver, na comunidade, um
legisladores para elaborarem a nova cultura, do cidadão que busc
projetos de lei que criassem a informação e
mecanismos de punição automática exige solução para os problemas.
para os autores do crime de abuso
de autoridade, tão logo fosse d) Promover um debate para
oferecida a denúncia, ou informar à população o quanto é
imediatamente após a primeira gasto com segurança pública, qual
condenação. é a remuneração dos agentes e
Exemplos: suspensão do pagament suas condições de trabalho, qual é
o, afastamento temporário do cargo o tipo de formação que
até julgamento final etc. recebem. Ao final, indagar a quem
interessa a permanência dessa
b) Debater a questão da extinção da situação, e por que não mudá la
Justiça Militar, que foi proposta em para transformar as autoridades em
projeto de lei verdadeiros servidores do povo (e
levado ao Congresso e até hoje não este, em seu aliado, e não
aprovado, além de movimentos pel sua vítima) que, afinal, é quem paga
a desmilitarização da polícia; pelos seus salários.

c) Cabe, também, aos cidadãos em e) Fazer contatos com as autoridad


geral, o poder de elaborar projetos es policiais buscando a construção
de lei de iniciativa de uma nova cultura.
popular, nos termos do Art. 61, § 2Q
, da CF. 3.4 Medidas políticas Uma DIREITOS DO PRESO I O
comunidade organizada e unida se QUE DIZ A LEI 1.1
faz respeitar; nela, os agentes Constituição federal A Constituição
públicos agem com mais cautela, e Federal assegura aos cidadãos em
seus superiores exigem mais rigor, geral (nestes incluídos, obviamente,
como fazem nos bairros "nobres", os presos), nos incisos do seu artigo
onde mora a 52, os seguintes direitos:
população que tem dinheiro, poder
e influência. III) ninguém será submetido a
tortura nem a tratamento desumano
a) A primeira medida é criar e ou degradante;
consolidar essa união, que é a única
força capaz de enfrentar XLIX) é assegurado aos presos o
aquela do dinheiro. respeito à integridade física e moral;
LIV) ninguém será privado da
b) As lideranças locais devem ser liberdade ou de seus bens sem o
treinadas, mediante cursos, devido processo legal;
participação em seminários,
debates etc., Para orientar os LV) aos litigantes e acusados em
moradores, e esse aprendizado geral são assegurados a ampla
precisa ser compartilhado com defesa e o contraditório (poder de
outros
responder às acusações e pelo Brasil, e devem ser aplicadas
afirmações da outra parte); sem distinção de natureza racial,
social, religiosa,
LVII) ninguém será considerado política, sexual, idiomátiica ou qualq
culpado antes da condenação final; uer outra (Art. 1°). -
Serão respeitadas as crenças religi
LXI) ninguém será preso senão em osas, os cultos e preceitos morais d
flagrante delito ou por ordem de juiz; o preso (Art. 22). É ASSEGURADO
AO PRESO O RESPEITO DE SUA
LXII) a prisão de qualquer pessoa e INVIDUALIDADE,
o local onde se encontre serão INTEGRIDADE FÍSICA E DIGNIDA
comunicados imediatamente ao juiz DE PESSOAL (Art. 3°). -
e à família; O preso terá o' direito de ser chama
do pelo nome (Art. 42).
LXIII) o preso poderá permanecer Além desses direitos, prevê a Resol
calado e ser assistido pela família e ução os seguintes direitos: Sobre o
por advogado; registro: ninguém poderá ser
admitido em estabelecimento
LXV) a prisão ilegal será prisional sem ordem legal de prisão.
imediatamente relaxada pelo juiz; No local da prisão deverá existir
registro com dados do preso, que
LXVI) ninguém será levado à prisão devem ser fornecidos ao Programa
ou nela mantido quando a lei de Informatização do Sistema
permitir liberdade provisória ou Penitenciário Nacional,
fiança para o caso; assegurando-se

LXVIII) será concedido Habeas AO


Corpus sempre que alguém sofrer PRESO E SUA FAMÍLIA o acesso a
ou estiver ameaçado essas informações. Sobre a
de sofrer violência ou coação em su seleção e separação dos presos:
a liberdade de locomoção, por ilegal presos de categorias diferentes
idade ou abuso de poder. devem ser alojados em
estabelecimentos ou seções
1.2 Leis específicas A Lei de diferentes (Art. 72) sobre os locais
Execuções Penais (Lei n° 7.210, de destinados aos presos:
11 de julho de 1984), que, por sua salvo razões especiais, os presos d
vez, serviu de fundamento para a everão ser alojados INIVIDUALMEN
Resolução n° 08, de 12 de julho de TE (arts. 82 a 12). – Sobre a
1994, do Conselho Nacional de alimentação: será fornecida água
Política Criminal e Penitenciária, edi potável e alimentação preparada de
tada com o título "Regras Mínimas p acordo com as normas de higiene,
ara o Tratamento do Preso controlada por nutricionista,
no Brasil", aplicável tanto aos preso devendo apresentar valor
s condenados como aos provisórios, nutritivo para manter a saúde do pre
assim dispõe: As suas normas so (Art. 13) – sobre exercícios
obedecem aos princípios constantes físicos: o preso que não tiver tarefa
da Declaração Universal dos ao ar livre deverá dispor de uma
Direitos do Homem e daqueles hora ao dia para exercícios ou banh
inseridos nos Tratados, Convenções o de sol (Art. 14). Sobre serviços de
e regras internacionais assinados saúde e assistência sanitária:
atendimento médico, psicológico, privada e da imagem: o preso não
farmacêutico e odontológico (arts. será obrigado a participar e ser
15/20) sobre ordem e disciplina: exposto a fotografia ou imagem em
não se imporão restrições além das divulgação aos meios de
necessárias para a segurança e comunicação (Art. 47/48) sobre
organização; nenhum preso deverá seleção e preparação do pessoal pe
desempenhar função disciplinar; nitenciário (Art.49/52). Sobre regras
NÃO HAVERÁ SANÇÃO SEM aplicáveis segundo categorias;
PREVISÃO LEGAL OU classificação por grupos; sistema de
REGULAMENTAR PRÉVIAS; as recompensas (arts. 53/55). Sobre o
punições NÃO PODERÃO trabalho, remuneração, condições,
COLOCAR EM PERIGO A jornada (Art. 56) sobre as relações
INTEGRIDADE FÍSICA E A sociais e ajuda pós-
DIGNIDADE PESSOAL DO penitenciária (arts. 57/58). – Sobre o
PRESO; são proibidos os castigos doente mental: estabelecimento
corporais, clausura em cela apropriado, permanecendo apenas
escura, punição coletiva, e qualquer até transferência; deve continuar o
punição cruel, desumana, degradan tratamento, após sua liberação
te (arts. 21/28). Sobre os meios de (arts. 59/60) sobre o preso
coerção (arts. 29/30) sobre provisório: deverá ser separado dos
informação e direito de queixa dos condenados, de preferência em cela
presos: o preso receberá individual, poderá alimentarse por
informações escritas sobre normas; sua conta, utilizar seus objetos
terá direito de apresentar pedidos pessoais, usar sua própria roupa ou
ou outra diferente da dos condenados,
formular queixas ao diretor, ao Juiz poderá receber oportunidade de
ou qualquer autoridade (Art. 31/32). trabalho e receber visita de
Sobre contato com o mundo seu médico ou dentista (Art. 61). –
exterior: o preso tem direito de Sobre o preso por prisão civil (Art. 6
comunicarse com sua família, 2); sobre os direitos políticos (Art. 6
parentes, amigos ou instituições 3). II OUTROS TEXTOS 2.1.
idôneas, sob vigilância, por carta ou Resolução da Assembléia Geral das
visitas (arts. 33/37) sobre instrução Nações Unidas n°
e assistência educacional a 2.858, de 20/12/71, reiterada
instrução primária será pela Resolução n°
OBRIGATORIAMENTE ofertada 3.218, de 06/ 11/ 74. 2.2.
aos presos que não a possuam, Declaração Universal dos Direitos H
bem como cursos de alfabetização umanos: -
para os analfabetos (Art. 38/42). Art. 62: "Todo homem tem o direito
Sobre assistência religiosa e moral de ser, em todos
(Art. 43) sobre assistência jurídica: os lugares, reconhecido como pess
todo preso tem oa humana, perante a lei". -
direito a ser assistido por advogado Art. 92: "Ninguém será arbitrariame
(Art. 44). Sobre depósito de objetos nte preso, detido ou exilado". Art.
pessoais (Art. 45) sobre as 10: ''Todo homem tem direito, em
notificações: as transferências, plena igualdade, a uma justa e
doença, acidentes, falecimento serã pública audiência por parte de um
o informados ao cônjuge, parente o tribunal independente e imparcial,
u pessoa designada (Art. 46). para decidir de seus direitos e
Sobre a preservação da vida deveres ou do
fundamento de qualquer acusação c suas famílias, plano de carreira e de
riminal contra ele". – Art. 11: "Todo apoio aposentadoria, melhor
homem acusado de um ato preparação, reciclagem, seguro
delituoso tem o direito de ser especial para familiares dos agentes
presumido inocente, até que sua ; cursos sobre Direitos e Garantias
culpabilidade tenha sido provada de Fundamentais; proibição de
acordo com a lei, em julgamento premiação a policiais
público, no qual lhe tenham sido acusados pelo uso ilegal de violênci
asseguradas todas as garantias a; orientação de evitar ferimentos fat
necessárias à sua defesa". 2.3. ais em suspeitos. controle da
Evangelho: "Lembraivos dos sociedade sobre os atos dos
presos, como se estivésseis presos policiais, mediante a criação ou
com eles, e dos ativação do
maltratados, como sendo- Conselho Estadual dos Direitos Hu
o vós mesmos também no corpo" (H manos; autonomia dos
b 13,3). III O QUE FAZER? 3.1 órgãos periciais; desvinculação dos
Medidas administrativas Avaliar a órgãos policiais; parceria entre a
conveniência de solicitar audiência Polícia Civil e o Ministério Público
com o Diretor do estabelecimento, na condução de inquéritos (Agenda
relatando os incidentes ou excessos Nacional de Direitos Humanos);
praticados por seus agentes, com desmilitarização da polícia, criação
cautela para não expor o preso a de polícia única; fim da competência
represálias internas. Conforme o da Justiça
caso, fazer visita ao Juiz da Militar para julgar crimes contra a vi
execução, expondolhe os fatos e da praticados por policiais militares.
pedindo orientação. Procurar conhe polícia comunitária nas ruas;
cer os membros e o funcionamento fortalecimento das Comissões
do Conselho da Comunidade Técnicas de Classificação,
e Conselho Penitenciário, apresenta elaboração de programas
ndo- individualizados de tratamento penit
lhes dados e sugestões. Exemplos: enciário, com vistas
convênios com órgãos do governo à reeducação e reinserção do preso
para fornecer assistência médica e ; -
judiciária, e construção de novas penitenciárias
para oferta de trabalhos públicos. de regime semi-
exame prévio e visita diária dos aberto, e de Casas de Albergue. –
médicos aos presos mandados às incentivar o Judiciário a aplicar pena
celas de s alternativas nos crimes leves. 3.2
castigo/disciplina; exigir que se gara Medidas judiciais
nta, nas cadeias novas, área de sol Formular representação dirigida ao
e exercício. criação de escola de Ministério Público ou ao Juiz da
formação de Diretores e Agentes execução, expondo os fatos e
Penitenciários, com matérias pedindo a punição dos
obrigatórias de Direitos Humanos e responsáveis, e sugerindo que seja
Normas da ONU e OEA; ouvido o Conselho Penitenciário (a
estabelecer convênio com quem compete propor o início do
associações procedimento judicial), o Conselho
de Agentes Penitenciários; salários da Comunidade, e se dê ciência ao
dignos para os policiais, seguro de Conselho Nacional de
vida ou previdência especial para Política Criminal e Penitenciária, de
acordo com a gravidade do fato. Vid realizando aos presídios (LEP, Art.
e arts. 185/186 e 66, 68, 70). Obter dados que
194/197 LEP. Pedir reformas e infor comprovem as desvantagens
matização do Judiciário, para adquir econômicas e sociais do mau
ir agilidade. 3.3 funcionamento do sistema
Medidas legislativas As leis relativas penitenciário; promover campanha
aos direitos do preso não são de esclarecimento e sensibilização
cumpridas porque a sociedade não da comunidade (na missa, nas
os vê como cidadãos, e tolera os reuniões). Promover encontros com
abusos, desvios, corrupção, que a participação de familiares de
levam à degeneração e impedem a pessoas presas, para reflexão sobre
ressocialização da pessoa. Para se o tema, buscando mudanças na
tornarem efetivas tais leis, será situação e a superação do preconce
preciso estabeleceremse sanções ito.
severas para o seu
descumprimento. Conhecer as leis DIREITOS
de países mais avançados neste DOS POVOS INDÍGENAS ... . I -
aspecto poderia ser útil para O QUE DIZ ALEI 1.1
elaborar projeto de lei nesse Constituição federal Art. 20, XI -
sentido, mas sua aprovação são bens da União as terras tradici
dependerá de uma onalmente ocupadas pelos índios; -
campanha de conscientização de to Art. 22, XIV -
da a população. Edição de lei competência privativa da União par
definindo e estabelecendo pena a legislar sobre populações indígen
para a prática de tortura. Apoio a as; Art. 10, XI a disputa sobre
projetos de lei que visam à direitos indígenas será processada
desmilitarização do policiamento e julgada por Juízes federais; Art.
ostensivo e propõem a unificação 232 os índios, suas comunidades e
das polícias militar e civil. Elaborar organizações são partes legítimas
ou apoiar projeto de lei que para moverem ação em defesa de
estabeleça revisão das concessões seus direitos e interesses, com
das empresas interveniência do Promotor de
de comunicação e radiodifusão, co Justiça(MP) em
mo medida de punição para aquelas todos os atos do processo; Art.
que promoverem apologia da 210, §2° assegura às comunidades
pena de morte e outros crimes contr indígenas também a utilização de
a o ser humano. 3.4 suas línguas
Medidas políticas Levantar dados, maternas e processos próprios de a
preparar textos, estudos conjuntos prendizagem; Art. 176, § 1 °
sobre as leis citadas, procurando atividades mineradoras (pesquisa e
envolver as autoridades lavra), a lei disporá sobre condições
responsáveis (Juízes de Direito, em terra indígena; Art. 49, XVI
Promotores de Justiça, membros competência exclusiva do
dos Conselhos, Diretores de Congresso Nacional para autorizar
estabelecimento prisional), a exploração e no aproveitamento
propondo mudanças. Conversar em terras indígenas (ouvidas as
com Juízes Corregedores, comunidades afetadas e
Ministério Público e Conselho assegurada a
Penitenciário sobre as visitas participação destas nos resultados d
mensais que deveriam estar a lavra); Art. 231/232 direito a
organização social, costumes, à saúde das populações indígenas
línguas, crenças, tradições, direitos 1.2.7 Dec. 24/91-
originários sobre as terras que proteção ao meio ambiente em terr
tradicionalmente ocupam, as indígenas 1.2.8 Dec. 25/91
competindo à União demarcálas, institui projetos e programas de
proteger autosustentação das populações
e fazer respeitar todos os seus bens indígenas 1.2.9 Dec. 26/91 -
; – § 1 °- dispõe sobre a educação das popul
terras tradicionalmente ocupadas: c ações indígenas 1.2.10 -
onceito. – §2° posse permanente e Dec. 27/91 -
usufruto exclusivo das riquezas do revoga o Estatuto do Índio e cria
solo, rios e lagos das terras Comissão de Estudos para proceder
tradicionalmente ocupadas. §3° à revisão daquele Estatuto. 1.2.11
aproveitamento de recursos Dec. 1.775/96 dispõe sobre o
hídricos, energéticos, pesquisa e procedimento administrativo de
lavra de riquezas demarcação das terras indígenas
minerais em terras indígenas. §4°- 1.2.12 em tramitação -
terras inalienáveis e indisponíveis ( Estatuto das Sociedades Indígenas
não podem ser vendidas, doadas ou 1.2.13 em tramitação Convenção
renunciadas), 169 OIT Organização Internacional
com direitos perenes (não prescreve do Trabalho,
m). §5° vedada remoção dos regulamentações de governo para a
grupos indígenas de suas terras, s populações indígenas na América
salvo catástrofe, ou epidemia ou III O QUE FAZER? 3.1
interesse da soberania do país, por Medidas administrativas Fazer
deliberação do Congresso Nacional, levantamento das condições de vida
garantido o retorno da comunidade, para identificação
imediato logo que cesse o risco. dos principais problemas.
§6° nulidade dos atos de ocupação, Apresentar, em face deste, relatório
domínio e posse. Art. 174, §§3° e aos órgãos do governo
4° não se aplicam responsáveis, exigindo solução. -
às terras indígenas (organização de Fazer levantamento das organizaçõ
atividade garimpeira). Art. 67, DT - es indígenas no Estado e outras qu
conclusão da demarcação das terra e vierem a surgir. – Fazer
s em 1993. – Lei n° 2.889/56 - levantamento do estágio de
Define e pune o crime de genocídio demarcação em que se encontram
. 1.2 Legislação específica 1.2.1 - as terras indígenas
Lei 5.371/67 - na região, bem como viabilizar junto
autoriza a instituição da Fundação aos
Nacional do Índio 1.2.2 - órgãos públicos a legalização das te
Lei 6.001/73 Estatuto do Índio rras. 3.2 Medidas jurídicas – Em
1.2.3 Lei 6.634/79 - caso de nãocumprimento de direitos
dispõe sobre ocupação de faixa de previstos na Constituição Federal,
fronteira 1.2.4 Dec. 98.478/89 - por ausência de lei, pedir ao
aprova o Plano Emergencial de Ate Promotor de Justiça e ao advogado
nção à Saúde Yanomami 1.2.5 - que examinem a possibilidade de se
Lei 7.805/89 - impetrar Mandado de
disciplina a lavra de garimpo em Injunção, ou ação de
área indígena 1.2.6 Dec. 23/91- inconstitucionalidade por omissão
assistência (para tornar efetiva norma
constitucional), que pode ser existentes, nos termos do V Congre
movida por entidade de classe de sso Indígena, março/95). Propor ao
âmbito nacional, por partido político, Secretário da Saúde a criação de
Governador do Estado, Postos de Atendimento
ProcuradorGeral da República. – especializados, com
Prestar apoio jurídico profissionais treinados (se possível i
às entidades pastorais, comunidade ndígenas) e com domínio da cultura
s indígenas e organizações. II - medicinal FUNAI Brasília outras
OUTROS TEXTOS prioridades, a destinação de verba
Declaração Universal dos Direitos H para construção de moradias e
umanos 3.3 Medidas legislativas melhoramentos das existentes. -
Art. II: "Todo homem tem Estabelecer parcerias com ONGs e
capacidade para gozar os direitos e sociedade civil. Trabalhar pela
as liberdades estabelecidos nesta criação de Fundos Municipais,
Declaração, sem distinção de Estaduais e Nacional de Habitação
qualquer espécie, seja de raça, cor, Popular, com gestão de Conselhos
sexo, língua, religião, opinião Deliberativos nos quais a sociedade
política ou de outra natureza, civil participe em paridade
origem nacional ou social, riqueza, com o Poder Público. –
nascimento ou qualquer Pressionar pela elaboração e aprov
outra condição" . Sugerir ação de Plano Diretor em cada muni
dispositivos para o Código Penal cípio, com ampla
configurando como crimes e discussão pela comunidade.
propondo penas
para cada ato de violação dos direit CONSELHO NACIONAL DE
os. Elaborar projeto de lei de SERVIÇO SOCIAL MINUTA DE
iniciativa popular dispondo ou ESTATUTO CAPÍTULO I
regulamentando sobre os DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS
direitos previstos na Constituição, e Art. 1. A (O)........, também
outros que existem apenas como pri designada(o) pela sigla .......... (se
ncípios. 3.4 Medidas políticas - usar),constituída(o)
Participar da Campanha Internacio em........de........19..., é uma
nal de Solidariedade aos Maxakali. entidade civil, sem fins lucrativos,
Combater a discriminação e o que terá duração por tempo
racismo, por meio de campanhas de indeterminado, sede no município d
informação e sensibilização da e.........................., Estado de
população em geral. Preparar e foro em ..................... Art. 2. A (O).
material pedagógico, junto com o .tem por finalidade(s)........................
CIMI, para ser usado nas escolas ..
públicas e particulares e à opinião Art. 3. No desenvolvimento de suas
pública, sobre questão histórica e atividades, a(o)..........não fará qualq
cultural dos uer discriminação.
índios e seus direitos na Constituiçã Art. 4. A (O)...terá um Regimento
o Federal. Propor ao Secretário de Interno que, aprovado pela
Educação a criação de Escolas Assembléia Geral,
Indígenas em suas respectivas disciplinará o seu funcionamento.
áreas, com professores indígenas Art. 5. A fim de cumprir
treinados; consultar as sua(s) finalidade(s), a instituição se
organizações indígenas sobre organizará em tantas unidades de
propostas prestação de serviços quantas se
fizerem necessárias, as quais se a vez.
regerão pelo Regimento Interno § 3° OS imóveis públicos não serão
aludido no artigo 4°. DIREITO adquiridos por usucapião. Art. 191:
A MORADIA E DE ACESSO À USUCAPIÃO, que é forma de
TERRA I O QUE DIZ A LEI 1.1 aquisição da propriedade de área
Constituição federal ACF, no seu de terra, em zona rural, não superior
Art. 52, determina que é garantido o a 50 hectares, após comprovação
direito de propriedade (inciso XXII) e de posse, sem interrupção, por
que a propriedade ATENDERA A S cinco
UA FUNÇAO SOCIAL (inciso XXIII). anos, sem oposição, tornando-
Na prática, entretanto, vemos que a produtiva e tendo nela sua moradi
prevalece o primeiro direito, como a. –
absoluto, em detrimento do Art. 182, § 4Q, CF: má utilização do
segundo, que é um limite àquele: a solo urbano – Art. 182: Política
exigência da função social para urbana, Plano Diretor, função social
legitimar a propriedade. A própria da propriedade urbana,
Constituição criou poucos e tímidos desapropriação de imóveis urbanos;
mecanismos para se efetivar tal Art. 21, inciso XX: MORADIA,
exigência. Por exemplo: compete à União instituir diretrizes
Art. 52, INCISO XXIV: a para o
DESAPROPRIAÇÃO que significa a desenvolvimento urbano, incluindo
expropriação, pelo Poder Público, HABITAÇÃO, saneamento básico e
de um imóvel particular para uso de transportes urbanos. Art. 23, IX:
utilidade pública ou interesse social, CONSTRUÇÃO DE MORADIAS,
mediante melhoria das condições
indenização ao proprietário. habitacionais e de
Arts.184/191: da REFORMA saneamento básico: competência co
AGRÁRIA, tão necessária quanto mum da União, Estados e Município
urgente, trata, nos arts. 184/191, s. 1.2 Legislação específica
que dispõem sobre os requisitos, a) Código Civil (Lei n° 3.071, de 1Q
procedimento, disciplina e política de janeiro de 1916): -
agrícola, a direitos de POSSE nos arts. 485 a
desativação de terras públicas e dev 523; -
olutas, a distribuição de imóveis rura direito de PROPRIEDADE nos arts.
is aos beneficiários. Art. 183: 524 a 648. Todos sabemos que,
Aquele que possuir como sua área segundo a lei, um proprietário de
urbana de até duzentos e cinqüenta um imóvel é aquele que possui a
metros quadrados, por cinco anos, escritura e o registro desse imóvel
ininterruptamente e sem oposição, lavrados por um cartório. A partir
utilizandoa para sua moradia ou de daí, o proprietário poder, alugar e
sua família, adquirirlheá o domínio, usufruir de sua propriedade, pois
desde que não seja proprietário de aqueles documentos lhe garantem o
outro imóvel urbano ou rural. § 1° O exercício desses direitos. São bens
título de domínio e a concessão de imóveis as terras, suas construções
uso serão conferidos ao homem ou e plantações. O proprietário pode,
à mulher, também, retomar o imóvel da mão
ou a ambos, independentemente do de quem o estiver utilizando
estado civil. §- ilegalmente, indevidamente. A lei
2° Esse direito não será reconheci garante ao proprietário as
do ao mesmo possuidor mais de um chamadas ações reivindicatórias,
onde, através de uma ação judicial, prazo para se retirar do terreno,
a pessoa que tem sua propriedade quando desfavorável. Sendo
invadida pode recuperála. precária, isto é, por curto espaço de
ATENÇÃO: nenhum proprietário, tempo, não gera outros direitos, a
nem mesmo a Prefeitura podem não ser contra quem não possua tít
mandar a polícia efetuar um ulo de propriedade ou detenha poss
despejo. SOMENTE o Juiz pode e inferior à sua. USUCAPIÃO (arts.
mandar uma ordem 550/553 CC) é o direito daquele que
de despejo, por intermédio de um Of possui, como seu, pacificamente,
icial de Justiça. A POSSE, que é a um terreno, durante 20 anos sem
utilização de um bem, também é um interrupção, ou por 10 anos entre
direito; as pessoas não precisam moradores do mesmo município ou
ser proprietárias de um imóvel para 15 anos entre moradores de
se utilizar dele. Por vezes, esta municípios diferentes,
utilização se dá por empréstimo, continuamente e sem contestação,
aluguel, ou ocupação. com justo título e boa fé. A ação de
Normalmente, o dono é proprietário usucapião está descrita nos arts.
e possuidor, mas pode acontecer de 941 a 945 do
um deter a propriedade, e o outro a CPC, e nela deverá intervir o Minist
posse. Isto porque PROPRIEDADE ério Público (Promotor de Justiça).
e POSSE são coisas diferentes: b) Lei do Usucapião Especial -
propriedade Lei n° 6.969/81.
é o direito de dispor da coisa (vende c) Lei de Desapropriações Decreto-
r, alugar, doar etc.), e posse Lei n° 3365/41 vide Art. 5°, p.
é o direito de usáIa. A posse d) Lei nQ 4.132/62 vide Art. 2Q,I.
também gera direitos. Chamase e) Lei de Desapropriação de Imóvel
turbação o ato de ameaçar, e Rural para fins de Reforma Agrária -
esbulho o ato de atentar contra a Lei Complementar n° 76/93.
posse. O possuidor pode defender- f) Loteamentos Lei n° 6.766/69 -
se, por seus próprios meios, contra vide Art. 6°, X, CDC.
terceiro que tente molestálo (até o g) Leis de Uso e Ocupação do Solo
proprietário, enquanto não houver a municipais e Plano Diretor municipal
decisão judicial e desde que o faça . h) Lei nQ 8.629/93 Lei Agrária. II -
logo e moderadamente). Pode OUTROS TEXTOS –
também pedir ao Juiz que o segure Declaração Universal dos Direitos H
de violência iminente, e aplique umanos Art. XXV: – "Todo homem
pena a quem transgredir. As ações tem direito a um padrão de vida
próprias do possuidor são: a capaz de assegurar a si e à sua
Manutenção de Posse, em caso de família saúde e bem estar,
ameaça, e a Reintegração de incluindo alimentação, vestuário,
Posse, em caso de retirada habitação, cuidados médicos e os
arbitrária. Se a posse não for serviços sociais indispensáveis e
violenta, nem clandestina ou com direito à segurança em caso de
abuso de confiança do proprietário, desemprego, doença,
será considerada posse justa, o que invalidez, viuvez, velhice ou outros c
dá direito a indenização por asos de perda dos meios de subsist
benfeitorias. A posse de mais de um ência" .
ano e dia dá direito a obter do Juiz
uma ordem de manutenção ou
reintegração, até decisão final, e um
III O QUE FAZER vor dos ocupantes, conforme o caso
. Dar resposta às demandas
3.1 Medidas administrativas Colher técnicas do processo
dados na comunidade sobre a judicial,juntando informações para
situação de cada ocupante demonstrar ao Juiz a gravidade do f
/morador, com uma ficha contendo ato e suas implicações sociais.
perguntas sobre os principais Recebida alguma notificação
problemas, número de pessoas, judicial, orientar para procurarem
profissão/ ocupação, renda, advogado imediatamente. Os
idade, origem etc. Fazer petição prazos na Justiça são fatais, e se
(vide modelo) dirigida ao Prefeito, perder o prazo de defesa ficará
ao Governador, ao Presidente da impossibilitado de apresentar
República, e ao Promotor de suas razões em defesa dos direitos.
Justiça, com base no direito de Solicitar ou elaborar estudos sobre
petição (Art. 5Q, XXXIV, "a", CF), a função social da propriedade, na
expondo a situação local e pedindo legislação
providências quanto à construção brasileira, em comparação com as e
de moradias populares strangeiras. 3.3
(sugerir, se possível, imóvel a ser d Medidas legislativas Requerer o
esapropriado). Informarse sobre a cumprimento das leis existentes
utilização dos recursos do FGTS, sobre reforma agrária e urbana;
conhecer as políticas de cobrar projetos de interesse das
financiamento de imóveis pelo Siste comunidades; acompanhar a
ma Financeiro de Habitação. votação dos projetos de Plano
Requerer a melhoria das condições Diretor e de Uso e Ocupação do
de moradia e saneamento, Solo, pressionando pela aprovação
regularização de loteamentos daqueles dispositivos de interesse
irregulares com instalação de para a
equipamentos e serviços públicos comunidade e a cidade como um to
(transporte, água, luz, do. Elaborar ou apoiar projetos de
esgoto, escolas, posto de saúde). iniciativa popular que contenham
Acompanhar a elaboração dos garantias de
projetos de Plano Diretor e Lei de mecanismos de acesso à terra e mo
Uso e Ocupação do Solo, radia. 3.4 Medidas políticas -
oferecendo sugestões e Realizar assembléias para organiza
pressionando pela inclusão de r a comunidade, esclarecendo sobre
medidas como: oferta de habitações os direitos de cada grupo, e
e de lotes urbanizados, definição de propondo tarefas diferenciadas, tais
áreas especiais, implantação de como: elaboração de ficha de dados
programas para redução do custo dos moradores, realização de visitas
de material de construção, incentivo a cada morador, convocação de
a cooperativas habitacionais, reuniões e assembléias, divulgação
regularização fundiária e nas missas e cultos das atividades.
urbanização de loteamentos e favel Promover caravanas à Prefeitura,
as, dentre outras. 3.2 ao Governo do Estado, aos órgãos
Medidas jurídicas Procurar encarregados das
advogado (Defensor Público ou questões fundiárias, agrárias e de h
particular, em entidade) para propor abitação. Conhecer as experiências
Ação e pressionar pela implantação do
Possessória ou de usucapião em fa Orçamento Participativo, para se
propor, dentre outras prioridades, a indeterminado, sede no município d
destinação de verba para e..................., Estado de
construção de moradias e e foro em .....................
melhoramentos das existentes. - Art. 2. A (O).tem por finalidade(s).....
Estabelecer parcerias com ONGs e .....................
sociedade civil. Trabalhar pela Art. 3. No desenvolvimento de suas
criação de Fundos Municipais, atividades, a(o)........
Estaduais e Nacional de Habitação não fará qualquer discriminação.
Popular, com gestão de Conselhos Art. 4. A (O).terá um Regimento
Deliberativos nos quais a sociedade Interno que, aprovado pela
civil participe em paridade Assembléia Geral,
com o Poder Público. Pressionar disciplinará o seu funcionamento.
pela elaboração e aprovação de Art. 5. A fim de cumprir sua(s) finalid
Plano Diretor em cada município, ade(s), a instituição se organizará e
com ampla m tantas unidades de prestação de
discussão pela comunidade. IV - serviços quantas se fizerem
ONDE PROCURAR 4.1 necessárias, as quais se regerão
No âmbito nacional - pelo Regimento Interno
Movimento Nacional dos SemTerra aludido no artigo 4°./ CAPÍTULO II
CONTAG - DOS SÓCIOS Art. 6. A
Confederação dos Trabalhadores n ..............(O)é constituída(o) por um
a Agricultura CPT - número ilimitado de sócios,
Comissão Pastoral da Terra CUT - distribuídos nas
Central Única dos Trabalhadores - seguintes categorias: (fundador, ben
ANSUR - feitor, honorário, contribuinte e outro
Associação Nacional do Solo Urban s).
o 4.2 No âmbito estadual/municipal .Art. 7. São direitos dos sócios quite
Movimentos de Moradia (informe- s com suas obrigações sociais: I-
se na Câmara de Vereadores) - votar e ser votado para os cargos el
Fórum de Reforma Urbana (fone: (0 etivos; II -
11)8202945) - tomar parte nas Assembléias Gerai
Associação de Moradores - se III -
CPT/ Comissão Pastoral da Terra/ (outros que julgar necessários).
MG Fone: (031) 4614799 - Art. 8°. São deveres dos sócios: I -
FETAEMG - cumprir as disposições estatutárias
Federação dos Trabalhadores na A e regimentais; II -
gricultura no EstadoMG - acatar as determinações da Diretori
Sindicato dos Trabalhadores - ae III -
Ação Social Arquidiocesana - (outros que julgar necessários). Art.
Grupo Casa Fone: (031) 2249031. 9. Os sócios não respondem, nem
CONSELHO NACIONAL DE mesmo subsidiariamente, pelos
SERVIÇO SOCIAL MINUTA DE encargos da instituição.
ESTATUTO CAPÍTULO I
DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS
Art. 1. A (O)........, também designad
a(o) pela sigla ....(se usar),
constituída(o) em
de....................de19..., é uma
entidade civil) sem fins lucrativos,
que terá duração por tempo
Pacto Internacional dos Direitos
Civis e Políticos (1966)
Os Estados-partes no Presente obrigações decorrentes da
Pacto, Considerando que, em cooperação econômica
conformidade com os princípios internacional, baseada no princípio
proclamados na Carta das Nações do proveito mútuo e do Direito
Unidas, o reconhecimento da Internacional. Em caso algum
dignidade inerente a todos os poderá um povo ser privado de seus
membros da família humana e dos próprios meios de subsistência.. §3.
seus direitos iguais e inalienáveis Os Estados-partes no presente
constitui o fundamento da liberdade, Pacto, inclusive aqueles que
da justiça e da paz no mundo, tenham a responsabilidade de
Reconhecendo que esses direitos administrar territórios não
decorrem da dignidade inerente à autônomos e territórios sob tutela,
pessoa humana, Reconhecendo deverão promover o exercício do
que, em conformidade com a direito à autodeterminação e
Declaração Universal dos Direitos respeitar esse direito, em
Humanos, o ideal do ser humano conformidade com as disposições
livre, no gozo das liberdades civis e da Carta das Nações Unidas.
políticas e liberto do temor e da
miséria, não pode ser realizado, a PARTE II Artigo 2º §1. Os Estados-
menos que se criem as condições partes no presente Pacto
que permitam a cada um gozar de comprometem-se a garantir a todos
seus direitos civis e políticas, assim os indivíduos que se encontrem em
como de seus direitos econômicos, seu território e que estejam sujeitos
sociais e culturais, Considerando à sua jurisdição os direitos
que a Carta das Nações Unidas reconhecidos no presente Pacto,
impõe aos Estados a obrigação de sem discriminação alguma por
promover o respeito universal e motivo de raça, cor, sexo, língua,
efetivo dos direitos e das liberdades religião, opinião política ou de
da pessoa humana, qualquer outra natureza, origem
Compreendendo que o indivíduo, nacional ou social, situação. §2. Na
por ter deveres para com seus ausência de medidas legislativas ou
semelhantes e para com a de outra natureza destinadas a
coletividade a que pertence, tem a tornar efetivos os direitos
obrigação de lutar pela promoção e reconhecidos no presente Pacto, os
observância dos direitos Estados-partes comprometem-se a
reconhecidos no presente Pacto, tomar as providências necessárias,
Acordam o seguinte: com sitas a adotá-las, levando em
consideração seus respectivos
PARTE I Artigo 1º §1. Todos os procedimentos constitucionais e as
povos têm direito à disposições do presente Pacto. §3.
autodeterminação. Em virtude Os Estados-partes comprometem-
desse direito, determinam se a:
livremente seu estatuto político e
asseguram livremente seu 1. garantir que toda pessoa, cujos
desenvolvimento econômico, social direitos e liberdades reconhecidos
e cultural. §2. Para a consecução de no presente Pacto hajam sido
seus objetivos, todos os povos violados, possa dispor de um
podem dispor livremente de suas recurso efetivo, mesmo que a
riquezas e de seus recursos violência tenha sido perpetrada por
naturais, sem prejuízo das
pessoas que agiam no exercício de disposições que tenham derrogado,
funções oficiais; bem como os motivos de tal
derrogação. Os Estados-partes
2. garantir que toda pessoa que deverão fazer uma nova
interpuser tal recurso terá seu comunicação igualmente por
direito determinado pela competente intermédio do Secretário Geral das
autoridade judicial, administrativa ou Nações Unidas, na data em que
legislativa ou por qualquer outra terminar tal suspensão.
autoridade competente prevista no
ordenamento jurídico do Estado em Artigo 5º §1 – Nenhuma disposição
questão e a desenvolver as do presente Pacto poderá ser
possibilidades de recurso judicial; interpretada no sentido de
reconhecer a um Estado, grupo ou
3. garantir o cumprimento, pelas indivíduo qualquer direito de deixar-
autoridades competentes, de se a quaisquer atividades ou de
qualquer decisão que julgar praticar quaisquer atos que tenham
procedente tal recurso. Artigo 3º Os por objetivo destruir os direitos ou
Estados-partes no presente Pacto liberdades reconhecidos no
comprometem-se a assegurar a presente Pacto por ou impor-lhes
homens e mulheres igualdade no limitações mais amplas do que
gozo de todos os direitos civis e aquelas nele previstas. §2. Não se
políticos enunciados no presente admitirá qualquer restrição ou
Pacto. suspensão dos direitos humanos
fundamentais reconhecidos ou
Artigo 4º §1. Quando situações vigentes em qualquer Estado-parte
excepcionais ameacem a existência no presente Pacto em virtude de
da nação e sejam proclamadas leis, convenções, regulamentos ou
oficialmente, os Estados-partes no costumes, sob pretexto de que o
presente Pacto podem adotar, na presente Pacto não os reconheça
estrita medida em que a situação o ou nos reconheça em menos grau.
exigir medidas que decorrem as
obrigações decorrente do presente PARTE III Artigo 6º § 1. O direito à
Pacto, desde que tais medias não vida é inerente à pessoal humana.
sejam incompatíveis com as demais Este direito deverá ser protegido
obrigações que lhes sejam impostas pela Leis. Ninguém poderá ser
pelo Direito Internacional e não arbitrariamente privado de sua vida.
acarretem discriminação alguma §2.Nos países em que a pena de
apenas por motivo de raça, cor, morte não tenha sido abolida, esta
sexo, língua, religião ou origem poderá ser imposta apenas nos
social. §2. A disposição precedente casos de crimes mais graves, em
não autoriza qualquer derrogação conformidade coma legislação
dos artigos 6º. 7º, 8º (parágrafos 1º vigente na época em que o crime foi
e 2º), 11, 15, 16 e 18. §3. Os cometido e que não esteja em
Estados-partes no presente Pacto conflito com as disposições do
que fizerem uso do direito de presente Pacto, nem com a
derrogação devem comunicar Convenção sobre a Prevenção e a
imediatamente aos outros Estados- Repressão do Crime de Genocídio.
partes no presente Pacto, por Poder-se-á aplicar essa pena em
intermédio do Secretário Geral da decorrência de uma sentença
organização das Nações Unidas, as transitada em julgado e proferida
por tribunal competente. §3. sejam punidos com prisão e
Quando a privação da vida constituir trabalhos forçados, o cumprimento
crime de genocídio, entende-se que de uma pena de trabalhos forçados,
nenhuma disposição do presente imposta por um tribunal competente;
artigo autorizará qualquer Estado-
parte no presente Pacto s eximir-se, c) para os efeitos do presente
de modo algum, do cumprimento de parágrafo, não serão considerados
qualquer das obrigações que "trabalhos forçados ou obrigatórios":
tenham assumido, em virtude das 1. qualquer trabalho ou serviço, não
disposições da Convenção sobre a previsto na alínea "b", normalmente
Prevenção e Repressão do Crime exigido de um indivíduo que tenha
de Genocídio. §4.Qualquer sido encarcerado em cumprimento
condenado à morte terá o direito de de decisão judicial ou que, tendo
pedir indulto ou comutação da pena. sido objeto de tal decisão, ache-se
A anistia, o indulto ou a comutação em liberdade condicional; 2.
da pena poderão ser concedidos em qualquer serviço de caráter militar e,
todos os casos. §5. Uma pena de nos países em que se admite a
morte não poderá ser imposta em ...menção por motivo de
casos de crimes por pessoas consciência, qualquer serviço
menores de 18 anos, nem aplicada nacional que a lei venha a exigir
a mulheres em caso de gravidez, daqueles que se oponham ao
§6. Não se poderá invocar serviço militar por motivo de
disposição alguma de presente consciência; 3. qualquer serviço
artigo para retardar ou impedir a exigido em casos de emergência ou
abolição da pena de morte por um de calamidade que ameacem o
Estado-parte no presente Pacto. bem-estar da comunidade: 4.
qualquer trabalho ou serviço que
Artigo 7º Ninguém poderá ser faça parte das obrigações cívicas
submetido a tortura, nem a penas normais.
ou tratamentos cruéis, desumanos
ou degradantes. Será proibido, Artigo 9º §1. Toda pessoa tem
sobretudo, submeter uma pessoa, direito à liberdade e à segurança
sem seu livre consentimento, a pessoais. Ninguém poderá ser
experiências médicas ou científicas. preso ou encarcerado
arbitrariamente. Ninguém poderá
Artigo 8º §1. Ninguém poderá ser ser privado de sua liberdade, salvo
submetido à escravidão; a pelos motivos previstos em lei e em
escravidão e o tráfico de escravos, conformidade com os
em todas as suas formas, ficam procedimentos nela estabelecidos.
proibidos. §2. Ninguém poderá ser §2. Qualquer pessoa, ao ser presa,
submetido à servidão. deverá ser informada das razões da
prisão e notificada, sem demora,
a) ninguém poderá ser obrigado a das acusações formuladas contra
executar trabalhos forçados ou ela. §3. Qualquer pessoa presa ou
obrigatórios; encarcerada em virtude de infração
penal deverá ser conduzida, sem
b) a alínea "a" do presente demora, à presença do juiz ou de
parágrafo não poderá ser outra autoridade habilitada por lei a
interpretada no sentido de proibir, exercer funções judiciais e terá o
nos países em que certos crimes direito de ser julgada em prazo
razoável ou de ser posta em Artigo 12 §1. Toda pessoa que se
liberdade. A prisão preventiva de encontre legalmente no território de
pessoas que aguardam julgamento um Estado terá o direito de nele
não deverá constituir a regra geral, livremente circular e escolher sua
mas a soltura poderá estar residência. §2. Toda pessoa terá o
condicionada a garantias que direito de sair livremente de
assegurem o comparecimento da qualquer país, inclusive de seu
pessoa em questão à audiência e a próprio país. §3. Os direitos
todos os atos do processo, se supracitados não poderão constituir
necessário for, para a execução da objeto de restrições, a menos que
sentença. §4. Qualquer pessoa que estejam previstas em lei e no intuito
seja privada de sua liberdade, por de proteger a segurança nacional e
prisão ou encarceramento, terá o a ordem, saúde ou moral públicas,
direito de recorrer a um tribunal para bem como os direitos e liberdades
que este decida sobre a legalidade das demais pessoas, e que sejam
de seu encarceramento e ordene a compatíveis com os outros direitos
soltura, caso a prisão tenha sido reconhecidos no presente Pacto.
ilegal. §5. Qualquer pessoa vítima §4. Ninguém poderá ser privado
de prisão ou encarceramento ilegal arbitrariamente do direito de entrar
terá direito à reparação. em seu próprio país.

Artigo 10 §1. Toda pessoa privada Artigo 13 Um estrangeiro que se


de sua liberdade deverá ser tratada encontre legalmente no território de
com humanidade e respeito à um Estado-parte no presente Pacto
dignidade inerente à pessoa só poderá dele ser expulso em
humana. decorrência de decisão adotada em
conformidade com a lei e, a menos
a) As pessoas processadas deverão que razões imperativas de
ser separadas, salvo em segurança nacional a isso se
circunstâncias excepcionais, das oponham, terá a possibilidade de
pessoas condenadas e receber expor as razões que militem contra
tratamento distinto, condizente com a sua expulsão e de ter seu caso
sua condição de pessoas não reexaminado pelas autoridades
condenadas. competentes, ou por uma ou várias
pessoas especialmente designadas
b) As pessoas jovens processadas pelas referidas autoridades, e de
deverão ser separadas das adultas fazerse representar com este
e julgadas o mais rápido possível. objetivo.
§2. O regime penitenciário consistirá
em um tratamento cujo objetivo Artigo 14 §1. Todas as pessoas são
principal seja a reforma e iguais perante os Tribunais e as
reabilitação moral dos prisioneiros. Cortes de Justiça. Toda pessoa terá
Os delinqüentes juvenis deverão ser o direito de ser ouvida publicamente
separados dos adultos e receber e com as devidas garantias por um
tratamento condizente com sua Tribunal competente, independente
idade e condição jurídica. e imparcial, estabelecido por lei, na
apuração de qualquer acusação de
Artigo 11 Ninguém poderá ser preso caráter penal formulada contra ela
apenas por não poder cumprir com ou na determinação de seus direitos
uma obrigação contratual. e obrigações de caráter civil. A
imprensa e o público poderão ser Ter um defensor designado ex
excluídos de parte ou da totalidade officio gratuitamente, se não tiver
de um julgamento, quer por motivo meios para remunerá-lo;
de moral pública, ordem pública ou
de segurança nacional em uma 5. a interrogar ou fazer interrogar as
sociedade democrática, quer testemunhas de acusação e a obter
quando o interesse da vida privada comparecimento e o interrogatório
das partes o exija, quer na medida das testemunhas de defesa nas
em que isto seja estritamente mesmas condições de que dispõem
necessário na opinião da justiça, em as de acusação;
circunstâncias específicas, nas
quais a publicidade venha a 6. a ser assistida gratuitamente por
prejudicar os interesses da justiça; um intérprete, caso não
entretanto, qualquer sentença compreenda ou não fale a língua
proferida em matéria penal ou civil empregada durante o julgamento;
deverá tornar-se pública, a menos
que o interesse de menores exija 7. a não ser obrigada a depor contra
procedimento oposto, ou o processo si mesma, nem a confessar-se
diga respeito a controvérsias culpada. §4. O processo aplicável
matrimoniais ou à tutela de aos jovens que não sejam maiores
menores. §2. Toda pessoa acusada nos termos da legislação penal
de um delito terá direito a que se levará em conta a idade dos
presuma sua inocência enquanto mesmos e a importância de
não for legalmente comprovada sua promover sua reintegração social.
culpa. §3. Toda pessoa acusada de §5. Toda pessoa declarada culpada
um delito terá direito, em plena por um delito terá o direito de
igualdade, às seguintes garantias recorrer da sentença condenatória e
mínimas: da pena a uma instância superior,
em conformidade com a lei. §6. Se
1. a ser informada, sem demora, em uma sentença condenatória
uma língua que compreenda e de passada em julgado for
forma minuciosa, da natureza e dos posteriormente anulada ou quando
motivos da acusação contra ela um indulto for concedido, pela
formulada; ocorrência ou descoberta de fatos
novos que provem cabalmente a
2. a dispor do tempo e dos meios existência de erro judicial, a pessoa
necessários à preparação de sua que sofreu a pena decorrente dessa
defesa e a comunicar-se com condenação deverá ser indenizada,
defensor de sua escolha; de acordo com a lei, a menos que
fique provado que se lhe pode
3. a ser julgada sem dilações imputar, total ou parcialmente, e
indevidas; não-revelação do fato desconhecido
em tempo útil. §7. Ninguém poderá
4. a estar presente no julgamento e ser processado ou punido por um
a defender-se pessoalmente ou por delito pelo qual já foi absolvido ou
intermédio de defensor de sua condenado por sentença passada
escolha; a ser informada, caso não em julgado, em conformidade com a
tenha defensor, do direito que lhe lei e com os procedimentos penais
assiste de tê-lo, e sempre que o de cada país.
interesse da justiça assim exija, a
Artigo 15 §1. Ninguém poderá ser medidas coercitivas que possam
condenado por atos ou omissões restringir sua liberdade de Ter ou de
que não constituam delito de acordo adotar uma religião ou crença de
com o direito nacional ou sua escolha. §3. A liberdade de
internacional, no momento em que manifestar a própria religião ou
foram cometidos. Tampouco poder- crença estará sujeita a penas às
se-á impor pena mais grave do que limitações previstas em lei e que se
a aplicável no momento da façam necessárias para proteger a
ocorrência do delito. Se, depois de segurança, a ordem, a saúde ou a
perpetrado o delito, a lei estipular a moral públicas ou os direitos e as
imposição de pena mais leve, o liberdades das demais pessoas. §4.
delinqüente deverá dela beneficiar- Os Estados-partes no presente
se. §2. Nenhuma disposição do Pacto comprometem-se a respeitar
presente Pacto impedirá o a liberdade dos pais - e, quando for
julgamento ou a condenação de o caso, dos tutores legais – de
qualquer indivíduo por atos ou assegurar aos filhos a educação
omissões que, no momento em que religiosa e moral que esteja de
foram cometidos, eram acordo com suas próprias
considerados delituosos de acordo convicções.
com os princípios gerais de direito
reconhecidos pela comunidade das Artigo 19 §1. Ninguém poderá ser
nações. molestado por suas opiniões. §2.
Toda pessoa terá o direito à
Artigo 16 Toda pessoa terá o direito, liberdade de expressão; esses
em qualquer lugar, ao direito incluirá a liberdade de
reconhecimento de sua procurar, receber e difundir
personalidade jurídica. informações e idéias de qualquer
natureza, independentemente de
Artigo 17 §1. Ninguém poderá ser considerações de fronteiras,
objeto de ingerências arbitrárias ou verbalmente ou por escrito, de
ilegais em sua vida privada, em sua forma impressa ou artística, ou por
família, em seu domicílio ou em sua qualquer meio de sua escolha. §3.
correspondência, nem de ofensas O exercício de direito previsto no §
ilegais à sua honra e reputação. §2. 2 do presente artigo implicará
Toda pessoa terá direito à proteção deveres e responsabilidades
da lei contra essas ingerências ou especiais. Consequentemente,
ofensas. poderá estar sujeito a certas
restrições, que devem, entretanto,
Artigo 18 §1. Toda pessoa terá ser expressamente previstas em lei
direito à liberdade de pensamento, e que se façam necessárias para: 1.
de consciência e de religião. Esses assegurar o respeito dos direitos e
direito implicará a liberdade de Ter da reputação das demais pessoas;
ou adotar uma religião ou crença de 2. proteger a segurança nacional, a
sua escolha e a liberdade de ordem, a saúde ou a moral públicas.
professar sua religião ou crença,
individual ou coletivamente, tanto Artigo 20 §1. Será proibida por lei
pública como privadamente, por qualquer propaganda em favor da
meio do culto, da celebração de guerra. §2. Será proibida por lei
ritos, de práticas e do ensino. §2. qualquer apologia ao ódio nacional,
Ninguém poderá ser submetido a racial ou religioso, que constitua
incitamento à discriminação, à sociedade e pelo Estado. §2. Será
hostilidade ou à violência. reconhecido o direito do homem e
da mulher de, em idade núbil,
Artigo 21 O direito de reunião contrair casamento e constituir
pacífica será reconhecido. O família. §3. Casamento algum será
exercício desse direito estará sujeito celebrado sem o consentimento
apenas às restrições previstas em livre e pleno dos futuros esposos.
lei e que se façam necessárias, em §4. Os Estados-partes no presente
uma sociedade democrática, ao Pacto deverão adotar as medidas
interesse da segurança nacional, da apropriadas para assegurar a
segurança ou ordem públicas, ou igualdade de direitos e
para proteger a saúde ou a moral responsabilidades dos esposos
públicas ou os direitos e as quanto ao casamento, durante o
liberdades das demais pessoas. mesmo e por ocasião de sua
dissolução. Em caso de dissolução,
Artigo 22 §1. Toda pessoa terá o deverão adotar-se as disposições
direito de associar-se livremente a que assegurem a proteção
outras, inclusive o direito de necessárias para os filhos.
constituir sindicatos e de a eles
filiar-se, para proteção de seus Artigo 24 §1. Toda criança terá
interesses. §2. O exercício desse direito, sem discriminação alguma
direito estará sujeito apenas às por motivo de cor, sexo, língua,
restrições previstas em lei e que se religião, origem nacional ou social,
façam necessárias, em uma situação econômica ou nascimento,
sociedade democrática, ao às medidas de proteção que a sua
interesse da segurança nacional, da condição de menor requer por parte
segurança e da ordem públicas, ou de sua família, da sociedade e do
para proteger a saúde ou a moral Estado. §2. Toda criança deverá ser
públicas ou os direitos e as registrada imediatamente após seu
liberdades das demais pessoas. O nascimento e deverá receber um
presente artigo não impedirá que se nome. §3. Toda criança terá o
submeta a restrições legais o direito de adquirir uma
exercício desses direitos por nacionalidade.
membros das forças armadas e da
polícia. §3. Nenhuma das Artigo 25 Todo cidadão terá o direito
disposições do presente artigo e a possibilidade, sem qualquer das
permitirá que os Estados-partes na formas de discriminação
Convenção de 1948 da mencionadas no artigo 2º e sem
Organização Internacional do restrições infundadas: 1. de
trabalho, relativa à liberdade sindical participar da condução dos
e à proteção do direito sindical, assuntos públicos, diretamente ou
venham a adotar medidas por meio de representantes
legislativas que restrinjam – ou a livremente escolhidos; 2. de votar e
aplicar a lei de maneira a restringir – ser eleito em eleições periódicas,
as garantias previstas na referida autênticas, realizadas por sufrágio
Convenção. universal e igualitário e por voto
secreto, que garantam a
Artigo 23 §1. A família é o núcleo manifestação da vontade dos
natural e fundamental da sociedade eleitores; 3. de Ter acesso, em
e terá o direito de ser protegida pela
condições gerais de igualdade, às Artigo 29 §1. Os membros do
funções públicas de seu país. Comitê serão eleitos em votação
secreta dentre uma lista de pessoas
Artigo 26 Todas as pessoas são que preencham os requisitos
iguais perante a lei e têm direito, previstos no artigo 28 e indicadas,
sem discriminação alguma, a igual com esse objetivo, pelos Estados-
proteção da lei. A este respeito, a lei partes no presente Pacto. §2. Cada
deverá proibir qualquer forma de Estado-parte no presente Pacto
discriminação e garantir a todas as poderá indicar duas pessoas. Essas
pessoas proteção igual e eficaz pessoas deverão ser nacionais do
contra qualquer discriminação por Estado que as indicou. §3. A
motivo de raça, cor, sexo, língua, mesma pessoa poderá ser indicada
religião, opinião política ou de outra mais de uma vez.
natureza, origem nacional ou social,
situação econômica, nascimento ou Artigo 30 §1. A primeira eleição
qualquer outra situação. realizar-se-á no máximo seis meses
após a data da entrada em vigor do
Artigo 27 Nos Estados em que haja presente Pacto. §2. Ao menos
minorias étnicas, religiosas ou quatro meses antes da data de cada
linguísticas, as pessoas eleição do Comitê, e desde que não
pertencentes a essas minorias não seja uma eleição para preencher
poderão ser privadas do direito de uma vaga declarada nos termos do
ter, conjuntamente com outros artigo 34, o Secretário Geral da
membros de seu grupo, sua própria Organização das Nações Unidas
vida cultural, de professar e praticar convidará, por escrito, os Estados-
sua própria religião e usar sua partes no presente Pacto a indicar,
própria língua. no prazo de três meses, os
candidatos a membro do Comitê.
PARTE IV §3. O Secretário Geral da
Organização das Nações Unidas
Artigo 28 §1. Constituir-se-á um organizará uma lista por ordem
Comitê de Direitos Humanos alfabética de todos os candidatos
(doravante denominado "Comitê" no assim designados, mencionando os
presente Pacto). O Comitê será Estados-partes que os tiverem
composto de dezoito membros e indicado, e a comunicará aos
desempenhará as funções descritas Estados-partes no presente Pacto,
adiante. §2. O Comitê será no máximo um mês antes da data
integrado por nacionais dos de cada eleição. §4. Os membros
Estados-partes no presente Pacto, do Comitê serão eleitos em
os quais deverão ser pessoas de reuniões dos Estados-partes
elevada reputação moral e convocadas pelo Secretário Geral
reconhecida competência em da Organização das Nações Unidas
matéria de direitos humanos, na sede da Organização. Nessas
levando-se em consideração a reuniões, em que o quorum será
utilidade da participação de algumas estabelecido por dois terços dos
pessoas com experiência jurídica. Estados partes no presente Pacto,
§3. Os membros do Comitê serão serão eleitos membros do Comitê
eleitos e exercerão suas funções a os candidatos que obtiverem o
título pessoal. maior número de votos e a maioria
absoluta dos votos dos
representantes dos Estados-partes em que a renúncia passe a produzir
presentes e votantes. efeitos.

Artigo 31 §1. O Comitê não poderá Artigo 34 §1. Quando um cargo for
Ter mais de um nacional de um declarado vago nos termos do artigo
mesmo Estado. §2. Nas eleições do 33 e o mandato do membro a ser
Comitê, levar-se-ão em substituído não expirar no prazo de
consideração uma distribuição seis meses a contar da data em que
geográfica eqüitativa e uma tenha sido declarada a vaga, o
representação das diversas formas Secretário Geral das Nações Unidas
da civilização, bem como dos comunicará tal fato aos Estados-
principais sistemas jurídicos. partes no presente Pacto, que
poderão, no prazo de dois meses,
Artigo 32 §1. Os membros do indicar candidatos, em
Comitê serão eleitos para um conformidade com o artigo 29, para
mandato de quatro anos. Poderão, preencher a vaga. §2. O Secretário
caso suas candidaturas sejam Geral da Organização das Nações
apresentadas novamente, ser Unidas organizará uma lista por
reeleitos. Entretanto, o mandato de ordem alfabética dos candidatos
nove dos membros eleitos na assim designados e a comunicará
primeira eleição expirará ao final de aos Estados partes no presente
dois anos; imediatamente após a Pacto. A eleição destinada a
primeira eleição, o presidente da preencher tal vaga será realizada
reunião a que se refere o parágrafo nos termos das disposições
4º do artigo 30 indicará, por sorteio, pertinentes desta parte do presente
os nomes desses nove membros. Pacto. §3. Qualquer membro do
§2. Ao expirar o mandato dos Comitê eleito para preencher a vaga
membros, as eleições se realizarão em conformidade com o artigo 33
de acordo com o disposto nos fará parte do Comitê durante o
artigos precedentes desta parte do restante do mandato do membro
presente Pacto. que deixar vago o lugar do Comitê,
nos termos do referido artigo.
Artigo 33 §1. Se, na opinião
unânime dos demais membros, um Artigo 35 Os membros do Comitê
membro do Comitê deixar de receberão, com a aprovação da
desempenhar suas funções por Assembleia Geral das Nações
motivos distintos de uma ausência Unidas, honorários provenientes de
temporária, o Presidente recur4sos da Organização das
comunicará tal fato ao Secretário Nações Unidas, nas condições
Geral da Organização das Nações fixadas, considerando-se a
Unidas, que declarará vago o lugar importância das funções do Comitê,
que ocupava o referido membro. §2. pela Assembleia Geral.
Em caso de morte ou renúncia de
um membro do Comitê, o Artigo 36 O Secretário Geral da
Presidente comunicará Organização das Nações Unidas
imediatamente tal fato ao Secretário colocará à disposição do Comitê o
Geral da Organização das Nações pessoal e os serviços necessários
Unidas, que declarará vago o lugar ao desempenho eficaz das funções
desde a data da morte ou daquela que lhe são atribuídas em virtude do
presente Pacto.
Artigo 37 § 1. O Secretário Geral da encaminhará, para exame, ao
Organização das Nações Unidas Comitê. Os relatórios deverão
convocará os Membros do Comitê sublinhar, caso existam, os fatores e
para a primeira reunião, a realizar- as dificuldades que prejudiquem a
se na sede da Organização. §2. implementação do presente Pacto.
Após a primeira reunião, o Comitê §3. O Secretário Geral da
deverá reunir-se em todas as Organização das Nações Unidas
ocasiões previstas em suas regras poderá, após consulta ao Comitê,
de procedimento. §3. As reuniões encaminhar às agências
do Comitê serão realizadas especializadas cópias das partes
normalmente na sede da dos relatórios que digam respeito à
Organização das Nações Unidas ou sua esfera de competência. §4. O
no Escritório das Nações Unidas em Comitê estudará os relatórios
Genebra. apresentados pelos Estados-partes
no presente Pacto e transmitirá aos
Artigo 38 Todo membro do Comitê Estados-partes seu próprio relatório,
deverá, antes de iniciar suas bem como os comentários geris que
funções, assumir, em sessão julgar oportunos. O Comitê poderá
pública, o compromisso solene de igualmente transmitir ao Conselho
que desempenhará suas funções Econômico e Social os referidos
imparcial e conscientemente. Artigo comentários, bem como cópias dos
39 §1. O Comitê elegerá sua Mesa relatórios que houver recebido dos
para um período de dois anos. Os Estados-partes no presente Pacto.
membros da Mesa poderão ser §5. Os Estados-partes no presente
reeleitos. §2. O próprio Comitê Pacto poderão submeter ao Comitê
estabelecerá suas regras de as observações que desejarem
procedimento; estas, contudo, formular relativamente aos
deverão conter, entre outras, as comentários feitos nos termos do
seguintes disposições: 1. o quorum parágrafo 4º do presente artigo.
será de doze membros; 2. as
decisões do Comitê serão tomadas Artigo 41 §1. Com base no presente
por maioria dos votos dos membros artigo, todo Estado-parte no
presentes. presente Pacto poderá declarar, a
qualquer momento, que reconhece
Artigo 40 §1. Os Estados-partes no a competência do Comitê para
presente Pacto comprometem-se a receber e examinar as
submeter relatórios sobre as comunicações em que um Estado-
medidas por eles adotadas para parte alegue que outro Estado-parte
tornar efetivos os direitos não vem cumprindo as obrigações
reconhecidos no presente Pacto e que lhe impõe o presente Pacto. As
sobre o progresso alcançado no referidas comunicações só serão
gozo desses direitos: 1. dentro do recebidas e examinadas nos termos
prazo de um ano, a contar do início do presente artigo no caso de
da vigência do presente Pacto nos serem apresentadas por um Estado-
Estados-partes interessados; 2. a parte que houver feito uma
partir de então, sempre que o declaração em que reconheça, com
Comitê vier a solicitar. §2. Todos os relação a si próprio, a competência
relatórios serão submetidos ao do Comitê. O Comitê não receberá
Secretário Geral da Organização comunicação alguma relativa a um
das Nações Unidas, que os Estado-parte que não houver feito
uma declaração dessa natureza. As artigo; 5. Sem prejuízo das
comunicações recebidas em virtude disposições da alínea "c", o Comitê
do presente artigo estarão sujeitas colocará seus bons ofícios à
ao procedimento que segue: 1. Se disposição dos Estados-partes
um Estado-parte no presente Pacto interessados, no intuito de alcançar
considerar que outro Estado-parte uma solução amistosa para a
não vem cumprindo as disposições questão, baseada no respeito aos
do presente Pacto poderá, mediante direitos humanos e liberdades
comunicação escrita, levar a fundamentais reconhecidos no
questão ao conhecimento desse presente Pacto; 6. Em todas as
Estado parte. Dentro do prazo de questões que se lhe submetam em
três meses, a contar da data do virtude do presente artigo, o Comitê
recebimento da comunicação, o poderá solicitar aos Estados-partes
Estado destinatário fornecerá ao interessados, a que se faz
Estado que enviou a comunicação referência na alínea "b", que lhe
explicações e quaisquer outras forneçam quaisquer informações
declarações por escrito que pertinentes; 7. os Estados-partes
esclareçam a questão, as quais interessados, a que se faz
deverão fazer referência, até onde referência na alínea "b", terão o
seja possível e pertinente, aos direito de fazer-se representar,
procedimentos nacionais e aos quando as questões forem
recursos jurídicos adotados, em examinadas no Comitê, e de
trâmite ou disponíveis sobre a apresentar suas observações
questão; 2. Se dentro do prazo de verbalmente e/ou por escrito; 8. O
seis meses, a contar da data do Comitê, dentro dos doze meses
recebimento da comunicação seguintes à data do recebimento da
original pelo Estado destinatário, a notificação mencionada na alínea
questão não estiver dirimida "b", apresentará relatório em que: 9.
satisfatoriamente para ambos os se houver sido alcançada uma
Estados-partes interessados, tanto solução nos termos da alínea "e", p
um como o outro terão o direito de Comitê restringir-se-á, em seu
submetê-la ao Comitê, mediante relatório, a uma breve exposição
notificação endereçada ao Comitê dos fatos e da solução alcançada;
ou ao outro Estado interessado; 3. 10. se não houver sido alcançada
O Comitê tratará de todas as solução alguma nos termos da
questões que se lhe submetam em alínea "e", o Comitê restringir-se-á,
virtude do presente artigo, somente em seu relatório, a uma breve
após ter-se assegurado de que exposição dos fatos; serão
todos os recursos internos anexados ao relatório o texto das
disponíveis tenham sido utilizados e observações escritas e das atas das
esgotados, em conformidade com observações orais apresentadas
os princípios do Direito Internacional pelos Estados-partes interessados.
geralmente reconhecidos. Não se Para cada questão, o relatório será
aplicará essa regra quando a encaminhado aos Estados-partes
aplicação dos mencionados interessados. §2. As disposições do
recursos prolongar-se presente artigo entrarão em vigor a
injustificadamente; 4. O Comitê partir do momento em eu dez
realizará reuniões confidenciais Estados-partes no presente Pacto
quando estiver examinando as houverem feito as declarações
comunicações previstas no presente mencionadas no parágrafo 1º deste
artigo. As referidas declarações entre os seus próprios membros,
serão depositadas pelos Estados em votação secreta e por maioria de
partes junto ao Secretário Geral da dois terços dos membros do
Organização da Nações Unidas, Comitê. §2. Os membros da
que enviará cópia das mesmas aos Comissão exercerão suas funções a
demais Estados-partes. Toda título pessoal. Não poderão ser
declaração poderá ser retirada, a nacionais dos Estados interessados,
qualquer momento, mediante nem do Estado que não seja Parte
notificação endereçada ao no presente Pacto, nem de um
Secretário Geral. Far-se-á essa Estado-parte que não tenha feito a
retirada sem prejuízo do exame de declaração prevista pelo artigo 41.
quaisquer questões que constituam §3. A própria Comissão elegerá seu
objeto de uma comunicação já Presidente e estabelecerá suas
transmitida nos termos deste artigo; regras de procedimento. §4. As
em virtude do presente artigo, não reuniões da Comissão serão
se receberá qualquer nova realizadas normalmente na sede da
comunicação de um Estado-parte, Organização das Nações Unidas ou
quando o Secretário Geral houver no Escritório das Nações Unidas em
recebido a notificação sobre a Genebra. Entretanto, poderão
retirada da declaração, a menos realizar-se em qualquer outro lugar
que o Estado-parte interessado haja apropriado que a Comissão
feito uma nova declaração. determinar, após a consulta ao
Secretário Geral da Organização
Artigo 42 §1: a) Se uma questão das Nações Unidas e aos Estados-
submetida ao Comitê, nos termos partes interessados. §5. O
do artigo 41, não estiver dirimida Secretariado referido no artigo 36
satisfatoriamente para os Estados- também prestará serviços às
partes interessados, o Comitê comissões designadas em virtude
poderá, com o consentimento prévio do presente artigo. §6. As
dos Estados-partes interessados, informações obtidas pelo Comitê
constituir uma Comissão de serão colocadas à disposição da
Conciliação ad hoc (doravante Comissão, a qual poderá solicitar
denominada "a Comissão"). A aos Estados-partes interessados
Comissão colocará seus bons que lhe forneçam qualquer outra
ofícios à disposição dos Estados- informação pertinente. §7. Após
partes interessados, no intuito de se haver estudado a questão sob todos
alcançar uma solução amistosa os seus aspectos, mas, em
para a questão baseada no respeito qualquer caso, no prazo de não
aos presente Pacto. b) A Comissão mais que doze meses após dela ter
será composta por cinco membros tomado conhecimento, a Comissão
designados com o consentimento apresentará um relatório ao
dos Estados-partes interessados. Presidente do Comitê, que o
Se os Estados-partes interessados encaminhará aos Estados-partes
não chegarem a um acordo a interessados: 1. se a Comissão não
respeito da totalidade ou de parte puder terminar o exame da questão,
da composição da Comissão dentro restringir-se-á, em seu relatório, a
do prazo de três meses, os uma breve exposição sobre o
membros da Comissão em relação estágio em que se encontra o
aos quais não se chegou a um exame da questão; 2. se houver
acordo serão eleitos pelo Comitê, sido alcançada uma solução
amistosa para a questão, baseada privilégios e imunidades que se
no respeito dos direitos humanos concedem aos peritos em
reconhecidos no presente Pacto, a desempenho de missões para a
Comissão restringir-se-á, em seu Organização das Nações Unidas,
relatório, a uma breve exposição em conformidade com as seções
dos fatos e da solução alcançada; 3. pertinentes da Convenção sobre
se não houver sido alcançada Privilégios e imunidades das
solução nos termos da alínea "b", a Nações Unidas.
Comissão incluirá no relatório suas
conclusões sobre os fatos relativos Artigo 44 As disposições relativas à
à questão debatida entre os implementação do presente Pacto
Estados-partes interessados, assim aplicar-se-ão sem prejuízo dos
como sua opinião sobre a procedimentos instituídos em
possibilidade de solução amistosa matéria de direitos humanos pelos –
para a questão; o relatório incluirá ou em virtude dos mesmos –
as observações escritas e as atas instrumentos constitutivos e pelas
das observações orais feitas pelos Convenções da Organização das
Estados-partes interessados; 4. se o Nações Unidas e das agências
relatório da Comissão for especializadas, e não impedirão que
apresentado nos termos da alínea os Estadospartes venham a recorrer
"c", os Estados-partes interessados a outros procedimentos para a
comunicarão, no prazo de três solução das controvérsias, em
meses a contar da data do conformidade com os acordos
recebimento do relatório, ao internacionais gerais ou especiais
Presidente do Comitê, se aceitam vigentes entre eles.
ou não os termos do relatório da
Comissão. §8. As disposições do Artigo 45 O Comitê submeterá à
presente artigo não prejudicarão as Assembléia Geral, por intermédio do
atribuições do Comitê previstas no Conselho Econômico e Social, um
artigo 41. §9. Todas as despesas relatório sobre suas atividades.
dos membros da Comissão serão
repartida eqüitativamente entre os PARTE V
Estados-partes interessados, com
base em estimativas a serem Artigo 46 Nenhuma disposição do
estabelecidas pelo Secretário Geral presente Pacto poderá ser
da Organização das Nações interpretada em detrimento das
Unidas. §10. O Secretário Geral da disposições da Carta das Nações
Organização das Nações Unidas Unidas ou das constituições das
poderá, caso seja necessário, pagar agências especializadas, as quais
as despesas dos membros da definem as responsabilidade
Comissão antes que sejam respectivas dos diversos órgãos da
reembolsadas pelos Estados-partes Organização das Nações Unidas e
interessados, em conformidade com das agências especializadas
o parágrafo 9 do presente artigo. relativamente às matérias tratadas
no presente Pacto.
Artigo 43 Os membros do Comitê e
os membros da Comissão de Artigo 47 Nenhuma disposição do
reconciliação ad hoc que forem presente Pacto poderá ser
designados nos termos do artigo 42, interpretada em detrimento do
terão direito às facilidades, direito inerente a todos os povos de
desfrutar e utilizara ....dos e Estado em questão, de seu
livremente suas riquezas e seus instrumento de ratificação ou
recursos naturais. adesão.

PARTE VI Artigo 50 Aplicar-se-ão as


disposições do presente Pacto, sem
Artigo 48 §1. O presente Pacto está qualquer limitação ou exceção, a
aberto à assinatura de todos os todas as unidades constitutivas dos
...dos membros da Organização das Estados federativos.
Nações Unidas ou membros de
qualquer de suas agências Artigo 51 §1.Qualquer Estado-parte
especializadas, de todos Estado- no presente Pacto poderá propor
parte no Estatuto da Corte emendas e depositá-las junto ao
Internacional de Justiça, bem como Secretário Geral da Organização
de qualquer outro Estado convidado das Nações Unidas. O Secretário
pela Assembléia Geral das Nações Geral comunicará todas as
Unidas a tornar-se Parte no propostas de emendas aos
presente Pacto. §2. O presente Estados-partes no presente Pacto,
Pacto está sujeito à ratificação. Os pedindo-lhes que o notifiquem se
instrumentos de ratificação serão desejam que se convoque uma
depositados junto ao Secretário conferência dos Estados-partes
Geral da Organização das Nações destinada a examinar as propostas
Unidas. §3. O presente Pacto está e submetê-las a votação. Se pelo
aberto à adesão de qualquer dos menos um terço dos Estados-partes
Estados mencionados no parágrafo se manifestar a favor da referida
1º do presente artigo. §4. Far-se-á a convocação, o Secretário Geral
adesão mediante depósito do convocará a conferência sob os
instrumento de adesão junto ao auspícios da Organização das
Secretário Geral das Nações Nações Unidas. Qualquer emenda
Unidas. §5. O Secretário Geral da adotada pela maioria dos Estados-
Organização das Nações Unidas partes presentes e votantes na
informará todos os Estados que conferência será submetida à
hajam assinado o presente Pacto, aprovação da Assembléia Geral das
ou a ele aderido, do depósito de Nações Unidas. §2. Tais emendas
cada instrumento de ratificação ou entrarão em vigor quando
adesão. aprovadas pela Assembléia Geral
das Nações Unidas e aceitas, em
Artigo 49 §1. O presente Pacto conformidade com seus respectivos
entrará em vigor três meses após a procedimentos constitucionais, por
data do depósito, junto ao uma maioria de dois terços dos
Secretário Geral da Organização Estados-partes no pressente Pacto.
das Nações Unidas do trigésimo §3. Ao entrarem em vigor, tais
quinto instrumento de ratificação ou emendas serão obrigatórias para os
adesão. §2. Para os Estados que Estados-partes que as aceitaram,
vierem a ratificar o presente Pacto ao passo que os demais Estados-
ou a ele aderir após o depósito do partes permanecem obrigados pelas
trigésimo quinto instrumento de disposições do presente Pacto e
ratificação ou adesão, o presente pelas emendas anteriores por eles
Pacto entrará em vigor três meses aceitas.
após a data do depósito, pelo
Artigo 52 Independentemente das
notificações previstas nos parágrafo
5º do artigo 48, Secretário Geral da
Organização das Nações Unidas
comunicará a todos os Estados
mencionados no parágrafo 1º do
referido artigo: 1. As assinaturas,
ratificações e adesões recebidas em
conformidade com o artigo 48; 2. A
data da entrada em vigor do Pacto,
nos termos do artigo 49, e a data de
entrada em vigor de quaisquer
emendas, nos termos do artigo 51.

Artigo 53 §1. O presente Pacto,


cujos textos em chinês, espanhol,
francês, inglês e russo são
igualmente autênticos, será
depositado nos arquivos da
Organização das Nações Unidas.
§2. O Secretário Geral da
Organização das Nações Unidas
encaminhará cópias autenticadas
do presente Pacto a todos os
Estados mencionados no artigo 48.
Adotado pela Resolução n. 2.200 A
(XXI) da Assembléia Geral das
Nações Unidas, em 16 de dezembro
de 1966 e ratificado pelo Brasil em
24 de janeiro de 1992. Biblioteca
Virtual de Direitos Humanos da
Universidade de São Paulo
Comissão de Direitos Humanos
Comentários a
direitoshumanos@usp.br Atualizado
em 27/04/03.
CONVENÇÃO AMERICANA DE
DIREITOS HUMANOS (1969)*
(PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA
RICA)
Os Estados Americanos signatários Humanos determinasse a estrutura,
da presente Convenção, competência e processo dos órgãos
Reafirmando seu propósito de encarregados dessa matéria;
consolidar neste Continente, dentro Convieram no seguinte:
do quadro das instituições
democráticas, um regime de PARTE I - DEVERES DOS
liberdade pessoal e de justiça ESTADOS E DIREITOS
social, fundado no respeito dos PROTEGIDOS
direitos humanos essenciais;
Reconhecendo que os direitos Capítulo I - ENUMERAÇÃO DOS
essenciais da pessoa humana não DEVERES
derivam do fato de ser ela nacional
de determinado Estado, mas sim do Artigo 1º - Obrigação de respeitar
fato de ter como fundamento os os direitos 1. Os Estados-partes
atributos da pessoa humana, razão nesta Convenção comprometem-se
por que justificam uma proteção a respeitar os direitos e liberdades
internacional, de natureza nela reconhecidos e a garantir seu
convencional, coadjuvante ou livre e pleno exercício a toda pessoa
complementar da que oferece o que esteja sujeita à sua jurisdição,
direito interno dos Estados sem discriminação alguma, por
americanos; Considerando que motivo de raça, cor, sexo, idioma,
esses princípios foram consagrados religião, opiniões políticas ou de
na Carta da Organização dos qualquer outra natureza, origem
Estados Americanos, na Declaração nacional ou social, posição
Americana dos Direitos e Deveres econômica, nascimento ou qualquer
do Homem e na Declaração outra condição social. 2. Para
Universal dos Direitos do Homem, e efeitos desta Convenção, pessoa é
que foram reafirmados e todo ser humano.
desenvolvidos em outros
instrumentos internacionais, tanto Artigo 2º - Dever de adotar
de âmbito mundial como regional; disposições de direito interno Se o
Reiterando que, de acordo com a exercício dos direitos e liberdades
Declaração Universal dos Direitos mencionados no artigo 1 ainda não
Humanos, só pode ser realizado o estiver garantido por disposições
ideal do ser humano livre, isento do legislativas ou de outra natureza, os
temor e da miséria, se forem criadas Estados-partes comprometem-se a
condições que permitam a cada adotar, de acordo com as suas
pessoa gozar dos seus direitos normas constitucionais e com as
econômicos, sociais e culturais, disposições desta Convenção, as
bem como dos seus direitos civis e medidas legislativas ou de outra
políticos; e Considerando que a natureza que forem necessárias
Terceira Conferência para tornar efetivos tais direitos e
Interamericana Extraordinária liberdades.
(Buenos Aires, 1967) aprovou a
incorporação à própria Carta da Capítulo II - DIREITOS CIVIS E
Organização de normas mais POLÍTICOS
amplas sobre os direitos
econômicos, sociais e educacionais Artigo 3º - Direito ao
e resolveu que uma Convenção reconhecimento da personalidade
Interamericana sobre Direitos jurídica Toda pessoa tem direito ao
reconhecimento de sua ser tratada com o respeito devido à
personalidade jurídica. dignidade inerente ao ser humano.
3. A pena não pode passar da
Artigo 4º - Direito à vida 1. Toda pessoa do delinquente. 4. Os
pessoa tem o direito de que se processados devem ficar separados
respeite sua vida. Esse direito deve dos condenados, salvo em
ser protegido pela lei e, em geral, circunstâncias excepcionais, e
desde o momento da concepção. devem ser submetidos a tratamento
Ninguém pode ser privado da vida adequado à sua condição de
arbitrariamente. 2. Nos países que pessoas não condenadas. 5. Os
não houverem abolido a pena de menores, quando puderem ser
morte, esta só poderá ser imposta processados, devem ser separados
pelos delitos mais graves, em dos adultos e conduzidos a tribunal
cumprimento de sentença final de especializado, com a maior rapidez
tribunal competente e em possível, para seu tratamento. 6. As
conformidade com a lei que penas privativas de liberdade
estabeleça tal pena, promulgada devem ter por finalidade essencial a
antes de haver o delito sido reforma e a readaptação social dos
cometido. Tampouco se estenderá condenados.
sua aplicação a delitos aos quais
não se aplique atualmente. 3. Não Artigo 6º - Proibição da escravidão e
se pode restabelecer a pena de da servidão 1. Ninguém poderá ser
morte nos Estados que a hajam submetido a escravidão ou servidão
abolido. 4. Em nenhum caso pode a e tanto estas como o tráfico de
pena de morte ser aplicada a delitos escravos e o tráfico de mulheres
políticos, nem a delitos comuns são proibidos em todas as suas
conexos com delitos políticos. 5. formas. 2. Ninguém deve ser
Não se deve impor a pena de morte constrangido a executar trabalho
a pessoa que, no momento da forçado ou obrigatório. Nos países
perpetração do delito, for menor de em que se prescreve, para certos
dezoito anos, ou maior de setenta, delitos, pena privativa de liberdade
nem aplicá-la a mulher em estado acompanhada de trabalhos
de gravidez. 6. Toda pessoa forçados, esta disposição não pode
condenada à morte tem direito a ser interpretada no sentido de
solicitar anistia, indulto ou proibir o cumprimento da dita pena,
comutação da pena, os quais imposta por um juiz ou tribunal
podem ser concedidos em todos os competente. O trabalho forçado não
casos. Não se pode executar a deve afetar a dignidade, nem a
pena de morte enquanto o pedido capacidade física e intelectual do
estiver pendente de decisão ante a recluso. 3. Não constituem trabalhos
autoridade competente. forçados ou obrigatórios para os
efeitos deste artigo: a) os trabalhos
Artigo 5º - Direito à integridade ou serviços normalmente exigidos
pessoal 1. Toda pessoa tem direito de pessoa reclusa em cumprimento
a que se respeite sua integridade de sentença ou resolução formal
física, psíquica e moral. 2. Ninguém expedida pela autoridade judiciária
deve ser submetido a torturas, nem competente. Tais trabalhos ou
a penas ou tratos cruéis, serviços devem ser executados sob
desumanos ou degradantes. Toda a vigilância e controle das
pessoa privada de liberdade deve autoridades públicas, e os
indivíduos que os executarem não prisão ou a detenção forem ilegais.
devem ser postos à disposição de Nos Estadospartes cujas leis
particulares, companhias ou prevêem que toda pessoa que se vir
pessoas jurídicas de caráter ameaçada de ser privada de sua
privado; b) serviço militar e, nos liberdade tem direito a recorrer a um
países em que se admite a isenção juiz ou tribunal competente, a fim de
por motivo de consciência, qualquer que este decida sobre a legalidade
serviço nacional que a lei de tal ameaça, tal recurso não pode
estabelecer em lugar daquele; c) o ser restringido nem abolido. O
serviço exigido em casos de perigo recurso pode ser interposto pela
ou de calamidade que ameacem a própria pessoa ou por outra pessoa.
existência ou o bem-estar da 7. Ninguém deve ser detido por
comunidade; d) o trabalho ou dívidas. Este princípio não limita os
serviço que faça parte das mandados de autoridade judiciária
obrigações cívicas normais. competente expedidos em virtude
de inadimplemento de obrigação
Artigo 7º - Direito à liberdade alimentar.
pessoal 1. Toda pessoa tem direito
à liberdade e à segurança pessoais. Artigo 8º - Garantias judiciais 1.
2. Ninguém pode ser privado de sua Toda pessoa terá o direito de ser
liberdade física, salvo pelas causas ouvida, com as devidas garantias e
e nas condições previamente dentro de um prazo razoável, por
fixadas pelas Constituições políticas um juiz ou Tribunal competente,
dos Estados-partes ou pelas leis de independente e imparcial,
acordo com elas promulgadas. 3. estabelecido anteriormente por lei,
Ninguém pode ser submetido a na apuração de qualquer acusação
detenção ou encarceramento penal formulada contra ela, ou na
arbitrários. 4. Toda pessoa detida determinação de seus direitos e
ou retida deve ser informada das obrigações de caráter civil,
razões da detenção e notificada, trabalhista, fiscal ou de qualquer
sem demora, da acusação ou das outra natureza. 2. Toda pessoa
acusações formuladas contra ela. 5. acusada de um delito tem direito a
Toda pessoa presa, detida ou retida que se presuma sua inocência,
deve ser conduzida, sem demora, à enquanto não for legalmente
presença de um juiz ou outra comprovada sua culpa. Durante o
autoridade autorizada por lei a processo, toda pessoa tem direito,
exercer funções judiciais e tem o em plena igualdade, às seguintes
direito de ser julgada em prazo garantias mínimas: a) direito do
razoável ou de ser posta em acusado de ser assistido
liberdade, sem prejuízo de que gratuitamente por um tradutor ou
prossiga o processo. Sua liberdade intérprete, caso não compreenda ou
pode ser condicionada a garantias não fale a língua do juízo ou
que assegurem o seu tribunal; b) comunicação prévia e
comparecimento em juízo. 6. Toda pormenorizada ao acusado da
pessoa privada da liberdade tem acusação formulada; c) concessão
direito a recorrer a um juiz ou ao acusado do tempo e dos meios
tribunal competente, a fim de que necessários à preparação de sua
este decida, sem demora, sobre a defesa; d) direito do acusado de
legalidade de sua prisão ou defender-se pessoalmente ou de
detenção e ordene sua soltura, se a ser assistido por um defensor de
sua escolha e de comunicar-se, Artigo 11 - Proteção da honra e da
livremente e em particular, com seu dignidade 1. Toda pessoa tem
defensor; e) direito irrenunciável de direito ao respeito da sua honra e
ser assistido por um defensor ao reconhecimento de sua
proporcionado pelo Estado, dignidade. 2. Ninguém pode ser
remunerado ou não, segundo a objeto de ingerências arbitrárias ou
legislação interna, se o acusado não abusivas em sua vida privada, em
se defender ele próprio, nem sua família, em seu domicílio ou em
nomear defensor dentro do prazo sua correspondência, nem de
estabelecido pela lei; f) direito da ofensas ilegais à sua honra ou
defesa de inquirir as testemunhas reputação. 3. Toda pessoa tem
presentes no Tribunal e de obter o direito à proteção da lei contra tais
comparecimento, como ingerências ou tais ofensas.
testemunhas ou peritos, de outras
pessoas que possam lançar luz Artigo 12 - Liberdade de consciência
sobre os fatos; g) direito de não ser e de religião 1. Toda pessoa tem
obrigada a depor contra si mesma, direito à liberdade de consciência e
nem a confessar-se culpada; e h) de religião. Esse direito implica a
direito de recorrer da sentença a juiz liberdade de conservar sua religião
ou tribunal superior. 3. A confissão ou suas crenças, ou de mudar de
do acusado só é válida se feita sem religião ou de crenças, bem como a
coação de nenhuma natureza. 4. O liberdade de professar e divulgar
acusado absolvido por sentença sua religião ou suas crenças,
transitada em julgado não poderá individual ou coletivamente, tanto
ser submetido a novo processo em público como em privado. 2.
pelos mesmos fatos. 5. O processo Ninguém pode ser submetido a
penal deve ser público, salvo no que medidas restritivas que possam
for necessário para preservar os limitar sua liberdade de conservar
interesses da justiça. sua religião ou suas crenças, ou de
mudar de religião ou de crenças. 3.
Artigo 9º - Princípio da legalidade e A liberdade de manifestar a própria
da retroatividade Ninguém poderá religião e as próprias crenças está
ser condenado por atos ou sujeita apenas às limitações
omissões que, no momento em que previstas em lei e que se façam
foram cometidos, não constituam necessárias para proteger a
delito, de acordo com o direito segurança, a ordem, a saúde ou a
aplicável. Tampouco poderse-á moral públicas ou os direitos e as
impor pena mais grave do que a liberdades das demais pessoas. 4.
aplicável no momento da ocorrência Os pais e, quando for o caso, os
do delito. Se, depois de perpetrado tutores, têm direito a que seus filhos
o delito, a lei estipular a imposição e pupilos recebam a educação
de pena mais leve, o deliquente religiosa e moral que esteja de
deverá dela beneficiar-se. acordo com suas próprias
convicções.
Artigo 10 - Direito à indenização
Toda pessoa tem direito de ser Artigo 13 - Liberdade de
indenizada conforme a lei, no caso pensamento e de expressão 1.
de haver sido condenada em Toda pessoa tem o direito à
sentença transitada em julgado, por liberdade de pensamento e de
erro judiciário. expressão. Esse direito inclui a
liberdade de procurar, receber e retificação ou resposta, nas
difundir informações e idéias de condições que estabeleça a lei. 2.
qualquer natureza, sem Em nenhum caso a retificação ou a
considerações de fronteiras, resposta eximirão das outras
verbalmente ou por escrito, ou em responsabilidades legais em que se
forma impressa ou artística, ou por houver incorrido. 3. Para a efetiva
qualquer meio de sua escolha. 2. O proteção da honra e da reputação,
exercício do direito previsto no toda publicação ou empresa
inciso precedente não pode estar jornalística, cinematográfica, de
sujeito à censura prévia, mas a rádio ou televisão, deve ter uma
responsabilidades ulteriores, que pessoa responsável, que não seja
devem ser expressamente previstas protegida por imunidades, nem goze
em lei e que se façam necessárias de foro especial.
para assegurar: a) o respeito dos
direitos e da reputação das demais Artigo 15 - Direito de reunião É
pessoas; b) a proteção da reconhecido o direito de reunião
segurança nacional, da ordem pacífica e sem armas. O exercício
pública, ou da saúde ou da moral desse direito só pode estar sujeito
públicas. 3. Não se pode restringir o às restrições previstas em lei e que
direito de expressão por vias e se façam necessárias, em uma
meios indiretos, tais como o abuso sociedade democrática, ao
de controles oficiais ou particulares interesse da segurança nacional, da
de papel de imprensa, de segurança ou ordem públicas, ou
frequências radioelétricas ou de para proteger a saúde ou a moral
equipamentos e aparelhos usados públicas ou os direitos e as
na difusão de informação, nem por liberdades das demais pessoas.
quaisquer outros meios destinados
a obstar a comunicação e a Artigo 16 - Liberdade de associação
circulação de idéias e opiniões. 4. A 1. Todas as pessoas têm o direito
lei pode submeter os espetáculos de associar-se livremente com fins
públicos a censura prévia, com o ideológicos, religiosos, políticos,
objetivo exclusivo de regular o econômicos, trabalhistas, sociais,
acesso a eles, para proteção moral culturais, desportivos ou de
da infância e da adolescência, sem qualquer outra natureza. 2. O
prejuízo do disposto no inciso 2. 5. exercício desse direito só pode
A lei deve proibir toda propaganda a estar sujeito às restrições previstas
favor da guerra, bem como toda em lei e que se façam necessárias,
apologia ao ódio nacional, racial ou em uma sociedade democrática, ao
religioso que constitua incitamento à interesse da segurança nacional, da
discriminação, à hostilidade, ao segurança e da ordem públicas, ou
crime ou à violência. para proteger a saúde ou a moral
públicas ou os direitos e as
Artigo 14 - Direito de retificação ou liberdades das demais pessoas. 3.
resposta 1. Toda pessoa, atingida O presente artigo não impede a
por informações inexatas ou imposição de restrições legais, e
ofensivas emitidas em seu prejuízo mesmo a privação do exercício do
por meios de difusão legalmente direito de associação, aos membros
regulamentados e que se dirijam ao das forças armadas e da polícia.
público em geral, tem direito a fazer,
pelo mesmo órgão de difusão, sua
Artigo 17 - Proteção da família 1. A em cujo território houver nascido, se
família é o núcleo natural e não tiver direito a outra. 3. A
fundamental da sociedade e deve ninguém se deve privar
ser protegida pela sociedade e pelo arbitrariamente de sua
Estado. 2. É reconhecido o direito nacionalidade, nem do direito de
do homem e da mulher de mudá-la.
contraírem casamento e de
constituírem uma família, se tiverem Artigo 21 - Direito à propriedade
a idade e as condições para isso privada 1. Toda pessoa tem direito
exigidas pelas leis internas, na ao uso e gozo de seus bens. A lei
medida em que não afetem estas o pode subordinar esse uso e gozo ao
princípio da não-discriminação interesse social. 2. Nenhuma
estabelecido nesta Convenção. 3. O pessoa pode ser privada de seus
casamento não pode ser celebrado bens, salvo mediante o pagamento
sem o consentimento livre e pleno de indenização justa, por motivo de
dos contraentes. 4. Os Estados- utilidade pública ou de interesse
partes devem adotar as medidas social e nos casos e na forma
apropriadas para assegurar a estabelecidos pela lei. 3. Tanto a
igualdade de direitos e a adequada usura, como qualquer outra forma
equivalência de responsabilidades de exploração do homem pelo
dos cônjuges quanto ao casamento, homem, devem ser reprimidas pela
durante o mesmo e por ocasião de lei.
sua dissolução. Em caso de
dissolução, serão adotadas as Artigo 22 - Direito de circulação e de
disposições que assegurem a residência 1. Toda pessoa que se
proteção necessária aos filhos, com encontre legalmente no território de
base unicamente no interesse e um Estado tem o direito de nele
conveniência dos mesmos. 5. A lei livremente circular e de nele residir,
deve reconhecer iguais direitos em conformidade com as
tanto aos filhos nascidos fora do disposições legais. 2. Toda pessoa
casamento, como aos nascidos terá o direito de sair livremente de
dentro do casamento. qualquer país, inclusive de seu
próprio país. 3. O exercício dos
Artigo 18 - Direito ao nome Toda direitos supracitados não pode ser
pessoa tem direito a um prenome e restringido, senão em virtude de lei,
aos nomes de seus pais ou ao de na medida indispensável, em uma
um destes. A lei deve regular a sociedade democrática, para
forma de assegurar a todos esse prevenir infrações penais ou para
direito, mediante nomes fictícios, se proteger a segurança nacional, a
for necessário. Artigo 19 - Direitos segurança ou a ordem públicas, a
da criança Toda criança terá direito moral ou a saúde públicas, ou os
às medidas de proteção que a sua direitos e liberdades das demais
condição de menor requer, por parte pessoas. 4. O exercício dos direitos
da sua família, da sociedade e do reconhecidos no inciso 1 pode
Estado. também ser restringido pela lei, em
zonas determinadas, por motivo de
Artigo 20 - Direito à nacionalidade 1. interesse público. 5. Ninguém pode
Toda pessoa tem direito a uma ser expulso do território do Estado
nacionalidade. 2. Toda pessoa tem do qual for nacional e nem ser
direito à nacionalidade do Estado privado do direito de nele entrar. 6.
O estrangeiro que se encontre Artigo 24 - Igualdade perante a lei
legalmente no território de um Todas as pessoas são iguais
Estado-parte na presente perante a lei. Por conseguinte, têm
Convenção só poderá dele ser direito, sem discriminação alguma, à
expulso em decorrência de decisão igual proteção da lei.
adotada em conformidade com a lei.
7. Toda pessoa tem o direito de Artigo 25 - Proteção judicial 1. Toda
buscar e receber asilo em território pessoa tem direito a um recurso
estrangeiro, em caso de simples e rápido ou a qualquer outro
perseguição por delitos políticos ou recurso efetivo, perante os juízes ou
comuns conexos com delitos tribunais competentes, que a proteja
políticos, de acordo com a contra atos que violem seus direitos
legislação de cada Estado e com as fundamentais reconhecidos pela
Convenções internacionais. 8. Em Constituição, pela lei ou pela
nenhum caso o estrangeiro pode presente Convenção, mesmo
ser expulso ou entregue a outro quando tal violação seja cometida
país, seja ou não de origem, onde por pessoas que estejam atuando
seu direito à vida ou à liberdade no exercício de suas funções
pessoal esteja em risco de violação oficiais. 2. Os Estados-partes
em virtude de sua raça, comprometem-se: a) a assegurar
nacionalidade, religião, condição que a autoridade competente
social ou de suas opiniões políticas. prevista pelo sistema legal do
9. É proibida a expulsão coletiva de Estado decida sobre os direitos de
estrangeiros. toda pessoa que interpuser tal
recurso; b) a desenvolver as
Artigo 23 - Direitos políticos 1. possibilidades de recurso judicial; e
Todos os cidadãos devem gozar c) a assegurar o cumprimento, pelas
dos seguintes direitos e autoridades competentes, de toda
oportunidades: a) de participar da decisão em que se tenha
condução dos assuntos públicos, considerado procedente o recurso.
diretamente ou por meio de
representantes livremente eleitos; b) Capítulo III –
de votar e ser eleito em eleições
periódicas, autênticas, realizadas DIREITOS ECONÔMICOS,
por sufrágio universal e igualitário e SOCIAIS E CULTURAIS
por voto secreto, que garantam a
livre expressão da vontade dos Artigo 26 - Desenvolvimento
eleitores; e c) de ter acesso, em progressivo Os Estados-partes
condições gerais de igualdade, às comprometem-se a adotar as
funções públicas de seu país. 2. A providências, tanto no âmbito
lei pode regular o exercício dos interno, como mediante cooperação
direitos e oportunidades, a que se internacional, especialmente
refere o inciso anterior, econômica e técnica, a fim de
exclusivamente por motivo de idade, conseguir progressivamente a plena
nacionalidade, residência, idioma, efetividade dos direitos que
instrução, capacidade civil ou decorrem das normas econômicas,
mental, ou condenação, por juiz sociais e sobre educação, ciência e
competente, em processo penal. cultura, constantes da Carta da
Organização dos Estados
Americanos, reformada pelo
Protocolo de Buenos Aires, na dos Estados Americanos, as
medida dos recursos disponíveis, disposições cuja aplicação haja
por via legislativa ou por outros suspendido, os motivos
meios apropriados. determinantes da suspensão e a
data em que haja dado por
Capítulo IV – terminada tal suspensão.

SUSPENSÃO DE GARANTIAS, Artigo 28 - Cláusula federal 1.


INTERPRETAÇÃO E APLICAÇÃO Quando se tratar de um Estado-
parte constituído como Estado
Artigo 27 - Suspensão de garantias federal, o governo nacional do
1. Em caso de guerra, de perigo aludido Estado-parte cumprirá todas
público, ou de outra emergência que as disposições da presente
ameace a independência ou Convenção, relacionadas com as
segurança do Estado-parte, este matérias sobre as quais exerce
poderá adotar as disposições que, competência legislativa e judicial. 2.
na medida e pelo tempo No tocante às disposições relativas
estritamente limitados às exigências às matérias que correspondem à
da situação, suspendam as competência das entidades
obrigações contraídas em virtude componentes da federação, o
desta Convenção, desde que tais governo nacional deve tomar
disposições não sejam imediatamente as medidas
incompatíveis com as demais pertinentes, em conformidade com
obrigações que lhe impõe o Direito sua Constituição e com suas leis, a
Internacional e não encerrem fim de que as autoridades
discriminação alguma fundada em competentes das referidas
motivos de raça, cor, sexo, idioma, entidades possam adotar as
religião ou origem social. 2. A disposições cabíveis para o
disposição precedente não autoriza cumprimento desta Convenção. 3.
a suspensão dos direitos Quando dois ou mais Estados-
determinados nos seguintes artigos: partes decidirem constituir entre
3 (direito ao reconhecimento da eles uma federação ou outro tipo de
personalidade jurídica), 4 (direito à associação, diligenciarão no sentido
vida), 5 (direito à integridade de que o pacto comunitário
pessoal), 6 (proibição da escravidão respectivo contenha as disposições
e da servidão), 9 (princípio da necessárias para que continuem
legalidade e da retroatividade), 12 sendo efetivas no novo Estado,
(liberdade de consciência e assim organizado, as normas da
religião), 17 (proteção da família), presente Convenção. Artigo 29 -
18 (direito ao nome), 19 (direitos da Normas de interpretação Nenhuma
criança), 20 (direito à nacionalidade) disposição da presente Convenção
e 23 (direitos políticos), nem das pode ser interpretada no sentido de:
garantias indispensáveis para a a) permitir a qualquer dos Estados-
proteção de tais direitos. 3. Todo partes, grupo ou indivíduo, suprimir
Estado-parte no presente Pacto que o gozo e o exercício dos direitos e
fizer uso do direito de suspensão liberdades reconhecidos na
deverá comunicar imediatamente Convenção ou limitá-los em maior
aos outros Estados-partes na medida do que a nela prevista; b)
presente Convenção, por intermédio limitar o gozo e exercício de
do Secretário Geral da Organização qualquer direito ou liberdade que
possam ser reconhecidos em ÓRGÃOS COMPETENTES
virtude de leis de qualquer dos
Estados-partes ou em virtude de Artigo 33 - São competentes para
Convenções em que seja parte um conhecer de assuntos relacionados
dos referidos Estados; c) excluir com o cumprimento dos
outros direitos e garantias que são compromissos assumidos pelos
inerentes ao ser humano ou que Estados-partes nesta Convenção: a)
decorrem da forma democrática a Comissão Interamericana de
representativa de governo; d) excluir Direitos Humanos, doravante
ou limitar o efeito que possam denominada a Comissão; e b) a
produzir a Declaração Americana Corte Interamericana de Direitos
dos Direitos e Deveres do Homem e Humanos, doravante denominada a
outros atos internacionais da Corte.
mesma natureza.
Capítulo VII
Artigo 30 - Alcance das restrições
As restrições permitidas, de acordo - COMISSÃO INTERAMERICANA
com esta Convenção, ao gozo e DE DIREITOS HUMANOS
exercício dos direitos e liberdades
nela reconhecidos, não podem ser Seção 1 - Organização
aplicadas senão de acordo com leis
que forem promulgadas por motivo Artigo 34 - A Comissão
de interesse geral e com o propósito Interamericana de Direitos
para o qual houverem sido Humanos compor-se-á de sete
estabelecidas. membros, que deverão ser pessoas
de alta autoridade moral e de
Artigo 31 - Reconhecimento de reconhecido saber em matéria de
outros direitos Poderão ser direitos humanos.
incluídos, no regime de proteção
desta Convenção, outros direitos e Artigo 35 - A Comissão representa
liberdades que forem reconhecidos todos os Membros da Organização
de acordo com os processos dos Estados Americanos.
estabelecidos nos artigo 69 e 70.
Artigo 36 - 1. Os membros da
Capítulo V Comissão serão eleitos a título
pessoal, pela Assembléia Geral da
DEVERES DAS PESSOAS Organização, a partir de uma lista
de candidatos propostos pelos
Artigo 32 - Correlação entre governos dos Estados-membros. 2.
deveres e direitos 1. Toda pessoa Cada um dos referidos governos
tem deveres para com a família, a pode propor até três candidatos,
comunidade e a humanidade. 2. Os nacionais do Estado que os
direitos de cada pessoa são propuser ou de qualquer outro
limitados pelos direitos dos demais, Estado-membro da Organização
pela segurança de todos e pelas dos Estados Americanos. Quando
justas exigências do bem comum, for proposta uma lista de três
em uma sociedade democrática. candidatos, pelo menos um deles
deverá ser nacional de Estado
PARTE II MEIOS DE PROTEÇÃO diferente do proponente.
Capítulo VI
Artigo 37 - 1. Os membros da humanos no âmbito de suas leis
Comissão serão eleitos por quatro internas e seus preceitos
anos e só poderão ser reeleitos um constitucionais, bem como
vez, porém o mandato de três dos disposições apropriadas para
membros designados na primeira promover o devido respeito a esses
eleição expirará ao cabo de dois direitos; c) preparar estudos ou
anos. Logo depois da referida relatórios que considerar
eleição, serão determinados por convenientes para o desempenho
sorteio, na Assembléia Geral, os de suas funções; d) solicitar aos
nomes desses três membros. 2. governos dos Estados-membros
Não pode fazer parte da Comissão que lhe proporcionem informações
mais de um nacional de um mesmo sobre as medidas que adotarem em
país. matéria de direitos humanos; e)
atender às consultas que, por meio
Artigo 38 - As vagas que ocorrerem da Secretaria Geral da Organização
na Comissão, que não se devam à dos Estados Americanos, lhe
expiração normal do mandato, formularem os Estados-membros
serão preenchidas pelo Conselho sobre questões relacionadas com
Permanente da Organização, de os direitos humanos e, dentro de
acordo com o que dispuser o suas possibilidades, prestar-lhes o
Estatuto da Comissão. assessoramento que lhes
solicitarem; f) atuar com respeito às
Artigo 39 - A Comissão elaborará petições e outras comunicações, no
seu estatuto e submetê-lo-á à exercício de sua autoridade, de
aprovação da Assembléia Geral e conformidade com o disposto nos
expedirá seu próprio Regulamento. artigos 44 a 51 desta Convenção; e
g) apresentar um relatório anual à
Artigo 40 - Os serviços da Assembléia Geral da Organização
Secretaria da Comissão devem ser dos Estados Americanos.
desempenhados pela unidade
funcional especializada que faz Artigo 42 - Os Estados-partes
parte da Secretaria Geral da devem submeter à Comissão cópia
Organização e deve dispor dos dos relatórios e estudos que, em
recursos necessários para cumprir seus respectivos campos,
as tarefas que lhe forem confiadas submetem anualmente às
pela Comissão. Seção 2 – Funções Comissões Executivas do Conselho
Interamericano Econômico e Social
Artigo 41 - A Comissão tem a e do Conselho Interamericano de
função principal de promover a Educação, Ciência e Cultura, a fim
observância e a defesa dos direitos de que aquela zele para que se
humanos e, no exercício de seu promovam os direitos decorrentes
mandato, tem as seguintes funções das normas econômicas, sociais e
e atribuições: a) estimular a sobre educação, ciência e cultura,
consciência dos direitos humanos constantes da Carta da
nos povos da América; b) formular Organização dos Estados
recomendações aos governos dos Americanos, reformada pelo
Estados-membros, quando Protocolo de Buenos Aires.
considerar conveniente, no sentido
de que adotem medidas Artigo 43 - Os Estados-partes
progressivas em prol dos direitos obrigam-se a proporcionar à
Comissão as informações que esta cópia das mesmas aos Estados-
lhes solicitar sobre a maneira pela membros da referida Organização.
qual seu direito interno assegura a
aplicação efetiva de quaisquer Artigo 46 - Para que uma petição ou
disposições desta Convenção. comunicação apresentada de
Seção 3 - Competência acordo com os artigos 44 ou 45 seja
admitida pela Comissão, será
Artigo 44 - Qualquer pessoa ou necessário: a) que hajam sido
grupo de pessoas, ou entidade não- interpostos e esgotados os recursos
governamental legalmente da jurisdição interna, de acordo com
reconhecida em um ou mais os princípios de Direito Internacional
Estados-membros da Organização, geralmente reconhecidos; b) que
pode apresentar à Comissão seja apresentada dentro do prazo
petições que contenham denúncias de seis meses, a partir da data em
ou queixas de violação desta que o presumido prejudicado em
Convenção por um Estado-parte. seus direitos tenha sido notificado
da decisão definitiva; c) que a
Artigo 45 - 1. Todo Estado-parte matéria da petição ou comunicação
pode, no momento do depósito do não esteja pendente de outro
seu instrumento de ratificação desta processo de solução internacional; e
Convenção, ou de adesão a ela, ou d) que, no caso do artigo 44, a
em qualquer momento posterior, petição contenha o nome, a
declarar que reconhece a nacionalidade, a profissão, o
competência da Comissão para domicílio e a assinatura da pessoa
receber e examinar as ou pessoas ou do representante
comunicações em que um Estado- legal da entidade que submeter a
parte alegue haver outro Estado- petição. 2. As disposições das
parte incorrido em violações dos alíneas "a" e "b" do inciso 1 deste
direitos humanos estabelecidos artigo não se aplicarão quando: a)
nesta Convenção. 2. As não existir, na legislação interna do
comunicações feitas em virtude Estado de que se tratar, o devido
deste artigo só podem ser admitidas processo legal para a proteção do
e examinadas se forem direito ou direitos que se alegue
apresentadas por um Estado-parte tenham sido violados; b) não se
que haja feito uma declaração pela houver permitido ao presumido
qual reconheça a referida prejudicado em seus direitos o
competência da Comissão. A acesso aos recursos da jurisdição
Comissão não admitirá nenhuma interna, ou houver sido ele impedido
comunicação contra um Estado- de esgotá-los; e c) houver demora
parte que não haja feito tal injustificada na decisão sobre os
declaração. 3. As declarações sobre mencionados recursos.
reconhecimento de competência
podem ser feitas para que esta Artigo 47 - A Comissão declarará
vigore por tempo indefinido, por inadmissível toda petição ou
período determinado ou para casos comunicação apresentada de
específicos. 4. As declarações acordo com os artigos 44 ou 45
serão depositadas na Secretaria quando: a) não preencher algum
Geral da Organização dos Estados dos requisitos estabelecidos no
Americanos, a qual encaminhará artigo 46; b) não expuser fatos que
caracterizem violação dos direitos
garantidos por esta Convenção; c) necessário e conveniente, a
pela exposição do próprio Comissão procederá a uma
peticionário ou do Estado, for investigação para cuja eficaz
manifestamente infundada a petição realização solicitará, e os Estados
ou comunicação ou for evidente sua interessados lhe proporcionarão,
total improcedência; ou d) for todas as facilidades necessárias; e)
substancialmente reprodução de poderá pedir aos Estados
petição ou comunicação anterior, já interessados qualquer informação
examinada pela Comissão ou por pertinente e receberá, se isso for
outro organismo internacional. solicitado, as exposições verbais ou
escritas que apresentarem os
Seção 4 - Processo interessados; e f) pôr-se-á à
disposição das partes interessadas,
Artigo 48 - 1. A Comissão, ao a fim de chegar a uma solução
receber uma petição ou amistosa do assunto, fundada no
comunicação na qual se alegue a respeito aos direitos reconhecidos
violação de qualquer dos direitos nesta Convenção. 2. Entretanto, em
consagrados nesta Convenção, casos graves e urgentes, pode ser
procederá da seguinte maneira: a) realizada uma investigação,
se reconhecer a admissibilidade da mediante prévio consentimento do
petição ou comunicação, solicitará Estado em cujo território se alegue
informações ao Governo do Estado houver sido cometida a violação, tão
ao qual pertença a autoridade somente com a apresentação de
apontada como responsável pela uma petição ou comunicação que
violação alegada e transcreverá as reúna todos os requisitos formais de
partes pertinentes da petição ou admissibilidade.
comunicação. As referidas
informações devem ser enviadas Artigo 49 - Se se houver chegado a
dentro de um prazo razoável, fixado uma solução amistosa de acordo
pela Comissão ao considerar as com as disposições do inciso 1, "f",
circunstâncias de cada caso; b) do artigo 48, a Comissão redigirá
recebidas as informações, ou um relatório que será encaminhado
transcorrido o prazo fixado sem que ao peticionário e aos Estados-partes
sejam elas recebidas, verificará se nesta Convenção e posteriormente
existem ou subsistem os motivos da transmitido, para sua publicação, ao
petição ou comunicação. No caso Secretário Geral da Organização
de não existirem ou não dos Estados Americanos. O referido
subsistirem, mandará arquivar o relatório conterá uma breve
expediente; c) poderá também exposição dos fatos e da solução
declarar a inadmissibilidade ou a alcançada. Se qualquer das partes
improcedência da petição ou no caso o solicitar, ser-lhe-á
comunicação, com base em proporcionada a mais ampla
informação ou prova informação possível.
supervenientes; d) se o expediente
não houver sido arquivado, e com o Artigo 50 - 1. Se não se chegar a
fim de comprovar os fatos, a uma solução, e dentro do prazo que
Comissão procederá, com for fixado pelo Estatuto da
conhecimento das partes, a um Comissão, esta redigirá um relatório
exame do assunto exposto na no qual exporá os fatos e suas
petição ou comunicação. Se for conclusões. Se o relatório não
representar, no todo ou em parte, o juristas da mais alta autoridade
acordo unânime dos membros da moral, de reconhecida competência
Comissão, qualquer deles poderá em matéria de direitos humanos,
agregar ao referido relatório seu que reúnam as condições
voto em separado. Também se requeridas para o exercício das
agregarão ao relatório as mais elevadas funções judiciais, de
exposições verbais ou escritas que acordo com a lei do Estado do qual
houverem sido feitas pelos sejam nacionais, ou do Estado que
interessados em virtude do inciso 1, os propuser como candidatos. 2.
"e", do artigo 48. 2. O relatório será Não deve haver dois juízes da
encaminhado aos Estados mesma nacionalidade.
interessados, aos quais não será
facultado publicá-lo. 3. Ao Artigo 53 - 1. Os juízes da Corte
encaminhar o relatório, a Comissão serão eleitos, em votação secreta e
pode formular as proposições e pelo voto da maioria absoluta dos
recomendações que julgar Estados-partes na Convenção, na
adequadas. Assembléia Geral da Organização,
a partir de uma lista de candidatos
Artigo 51 - 1. Se no prazo de três propostos pelos mesmos Estados.
meses, a partir da remessa aos 2. Cada um dos Estados-partes
Estados interessados do relatório da pode propor até três candidatos,
Comissão, o assunto não houver nacionais do Estado que os
sido solucionado ou submetido à propuser ou de qualquer outro
decisão da Corte pela Comissão ou Estado-membro da Organização
pelo Estado interessado, aceitando dos Estados Americanos. Quando
sua competência, a Comissão se propuser um lista de três
poderá emitir, pelo voto da maioria candidatos, pelo menos um deles
absoluta dos seus membros, sua deverá ser nacional do Estado
opinião e conclusões sobre a diferente do proponente.
questão submetida à sua
consideração. 2. A Comissão fará Artigo 54 - 1. Os juízes da Corte
as recomendações pertinentes e serão eleitos por um período de seis
fixará um prazo dentro do qual o anos e só poderão ser reeleitos uma
Estado deve tomar as medidas que vez. O mandato de três dos juízes
lhe competir para remediar a designados na primeira eleição
situação examinada. 3. Transcorrido expirará ao cabo de três anos.
o prazo fixado, a Comissão decidirá, Imediatamente depois da referida
pelo voto da maioria absoluta dos eleição, determinar-se- ão por
seus membros, se o Estado tomou sorteio, na Assembléia Geral, os
ou não as medidas adequadas e se nomes desse três juízes. 2. O juiz
publica ou não seu relatório. eleito para substituir outro, cujo
mandato não haja expirado,
Capítulo VIII - CORTE completará o período deste. 3. Os
INTERAMERICANA DE DIREITOS juízes permanecerão em suas
HUMANOS Seção 1 – Organização funções até o término dos seus
mandatos. Entretanto, continuarão
Artigo 52 - 1. A Corte compor-se-á funcionando nos casos de que já
de sete juízes, nacionais dos houverem tomado conhecimento e
Estados-membros da Organização, que se encontrem em fase de
eleitos a título pessoal dentre sentença e, para tais efeitos, não
serão substituídos pelos novos sede da Corte. 2. A Corte designará
juízes eleitos. seu Secretário. 3. O Secretário
residirá na sede da Corte e deverá
Artigo 55 - 1. O juiz, que for nacional assistir às reuniões que ela realizar
de algum dos Estados-partes em fora da mesma.
caso submetido à Corte, conservará
o seu direito de conhecer do Artigo 59 - A Secretaria da Corte
mesmo. 2. Se um dos juízes será por esta estabelecida e
chamados a conhecer do caso for funcionará sob a direção do
de nacionalidade de um dos Secretário Geral da Organização
Estados-partes, outro Estado-parte em tudo o que não for incompatível
no caso poderá designar uma com a independência da Corte.
pessoa de sua escolha para integrar Seus funcionários serão nomeados
a Corte, na qualidade de juiz ad pelo Secretário Geral da
hoc. 3. Se, dentre os juízes Organização, em consulta com o
chamados a conhecer do caso, Secretário da Corte.
nenhum for da nacionalidade dos
Estados-partes, cada um destes Artigo 60 - A Corte elaborará seu
poderá designar um juiz ad hoc. 4. Estatuto e submetê-lo-á à
O juiz ad hoc deve reunir os aprovação da Assembléia Geral e
requisitos indicados no artigo 52. 5. expedirá seu Regimento. Seção 2 -
Se vários Estados-partes na Competência e funções
Convenção tiverem o mesmo
interesse no caso, serão Artigo 61 - 1. Somente os Estados-
considerados como uma só parte, partes e a Comissão têm direito de
para os fins das disposições submeter um caso à decisão da
anteriores. Em caso de dúvida, a Corte. 2. Para que a Corte possa
Corte decidirá. conhecer de qualquer caso, é
necessário que sejam esgotados os
Artigo 56 - O quorum para as processos previstos nos artigos 48 a
deliberações da Corte é constituído 50.
por cinco juízes.
Artigo 62 - 1. Todo Estado-parte
Artigo 57 - A Comissão pode, no momento do depósito do
comparecerá em todos os casos seu instrumento de ratificação desta
perante a Corte. Artigo 58 - 1. A Convenção ou de adesão a ela, ou
Corte terá sua sede no lugar que for em qualquer momento posterior,
determinado, na Assembléia Geral declarar que reconhece como
da Organização, pelos Estados- obrigatória, de pleno direito e sem
partes na Convenção, mas poderá convenção especial, a competência
realizar reuniões no território de da Corte em todos os casos
qualquer Estado-membro da relativos à interpretação ou
Organização dos Estados aplicação desta Convenção. 2. A
Americanos em que considerar declaração pode ser feita
conveniente, pela maioria dos seus incondicionalmente, ou sob
membros e mediante prévia condição de reciprocidade, por
aquiescência do Estado respectivo. prazo determinado ou para casos
Os Estados-partes na Convenção específicos. Deverá ser
podem, na Assembléia Geral, por apresentada ao Secretário Geral da
dois terços dos seus votos, mudar a Organização, que encaminhará
cópias da mesma a outros Estados- Estados Americanos, reformada
membros da Organização e ao pelo Protocolo de Buenos Aires. 2.
Secretário da Corte. 3. A Corte tem A Corte, a pedido de um Estado-
competência para conhecer de membro da Organização, poderá
qualquer caso, relativo à emitir pareceres sobre a
interpretação e aplicação das compatibilidade entre qualquer de
disposições desta Convenção, que suas leis internas e os mencionados
lhe seja submetido, desde que os instrumentos internacionais.
Estados-partes no caso tenham
reconhecido ou reconheçam a Artigo 65 - A Corte submeterá à
referida competência, seja por consideração da Assembléia Geral
declaração especial, como prevêem da Organização, em cada período
os incisos anteriores, seja por ordinário de sessões, um relatório
convenção especial. sobre as suas atividades no ano
anterior. De maneira especial, e
Artigo 63 - 1. Quando decidir que com as recomendações pertinentes,
houve violação de um direito ou indicará os casos em que um
liberdade protegidos nesta Estado não tenha dado
Convenção, a Corte determinará cumprimento a suas sentenças.
que se assegure ao prejudicado o Seção 3 - Processo
gozo do seu direito ou liberdade
violados. Determinará também, se Artigo 66 - 1. A sentença da Corte
isso for procedente, que sejam deve ser fundamentada. 2. Se a
reparadas as consequências da sentença não expressar no todo ou
medida ou situação que haja em parte a opinião unânime dos
configurado a violação desses juízes, qualquer deles terá direito a
direitos, bem como o pagamento de que se agregue à sentença o seu
indenização justa à parte lesada. 2. voto dissidente ou individual.
Em casos de extrema gravidade e
urgência, e quando se fizer Artigo 67 - A sentença da Corte será
necessário evitar danos irreparáveis definitiva e inapelável. Em caso de
às pessoas, a Corte, nos assuntos divergência sobre o sentido ou
de que estiver conhecendo, poderá alcance da sentença, a Corte
tomar as medidas provisórias que interpretá-la-á, a pedido de qualquer
considerar pertinentes. Se se tratar das partes, desde que o pedido seja
de assuntos que ainda não apresentado dentro de noventa dias
estiverem submetidos ao seu a partir da data da notificação da
conhecimento, poderá atuar a sentença.
pedido da Comissão.
Artigo 68 - 1. Os Estados-partes na
Artigo 64 - 1. Os Estados-membros Convenção comprometem-se a
da Organização poderão consultar a cumprir a decisão da Corte em todo
Corte sobre a interpretação desta caso em que forem partes. 2. A
Convenção ou de outros tratados parte da sentença que determinar
concernentes à proteção dos indenização compensatória poderá
direitos humanos nos Estados ser executada no país respectivo
americanos. Também poderão pelo processo interno vigente para a
consultá-la, no que lhes compete, execução de sentenças contra o
os órgãos enumerados no capítulo Estado.
X da Carta da Organização dos
Artigo 69 - A sentença da Corte intermédio da Secretaria Geral. Esta
deve ser notificada às partes no última não poderá nele introduzir
caso e transmitida aos Estados- modificações.
partes na Convenção.
Artigo 73 - Somente por solicitação
Capítulo IX - DISPOSIÇÕES da Comissão ou da Corte, conforme
COMUNS o caso, cabe à Assembléia Geral da
Organização resolver sobre as
Artigo 70 - 1. Os juízes da Corte e sanções aplicáveis aos membros da
os membros da Comissão gozam, Comissão ou aos juízes da Corte
desde o momento da eleição e que incorrerem nos casos previstos
enquanto durar o seu mandato, das nos respectivos Estatutos. Para
imunidades reconhecidas aos expedir uma resolução, será
agentes diplomáticos pelo Direito necessária maioria de dois terços
Internacional. Durante o exercício dos votos dos Estados-membros da
dos seus cargos gozam, além disso, Organização, no caso dos membros
dos privilégios diplomáticos da Comissão; e, além disso, de dois
necessários para o desempenho de terços dos votos dos Estados-partes
suas funções. 2. Não se poderá na Convenção, se se tratar dos
exigir responsabilidade em tempo juízes da Corte.
algum dos juízes da Corte, nem dos
membros da Comissão, por votos e PARTE III - DISPOSIÇÕES
opiniões emitidos no exercício de GERAIS E TRANSITÓRIAS
suas funções. Capítulo X - ASSINATURA,
RATIFICAÇÃO, RESERVA,
Artigo 71 - Os cargos de juiz da EMENDA, PROTOCOLO E
Corte ou de membro da Comissão DENÚNCIA
são incompatíveis com outras
atividades que possam afetar sua Artigo 74 - 1. Esta Convenção está
independência ou imparcialidade, aberta à assinatura e à ratificação
conforme o que for determinado nos de todos os Estados-membros da
respectivos Estatutos. Organização dos Estados
Americanos. 2. A ratificação desta
Artigo 72 - Os juízes da Corte e os Convenção ou a adesão a ela
membros da Comissão perceberão efetuar-se-á mediante depósito de
honorários e despesas de viagem um instrumento de ratificação ou
na forma e nas condições que adesão na Secretaria Geral da
determinarem os seus Estatutos, Organização dos Estados
levando em conta a importância e Americanos. Esta Convenção
independência de suas funções. entrará em vigor logo que onze
Tais honorários e despesas de Estados houverem depositado os
viagem serão fixados no orçamento- seus respectivos instrumentos de
programa da Organização dos ratificação ou de adesão. Com
Estados Americanos, no qual referência a qualquer outro Estado
devem ser incluídas, além disso, as que a ratificar ou que a ela aderir
despesas da Corte e da sua ulteriormente, a Convenção entrará
Secretaria. Para tais efeitos, a Corte em vigor na data do depósito do seu
elaborará o seu próprio projeto de instrumento de ratificação ou
orçamento e submetê-lo-á à adesão. 3. O Secretário Geral
aprovação da Assembléia Geral, por comunicará todos os Estados-
membros da Organização sobre a um ano, notificando o Secretário
entrada em vigor da Convenção. Geral da Organização, o qual deve
informar as outras partes. 2. Tal
Artigo 75 - Esta Convenção só denúncia não terá o efeito de
pode ser objeto de reservas em desligar o Estado-parte interessado
conformidade com as disposições das obrigações contidas nesta
da Convenção de Viena sobre o Convenção, no que diz respeito a
Direito dos Tratados, assinada em qualquer ato que, podendo constituir
23 de maio de 1969. violação dessas obrigações, houver
sido cometido por ele anteriormente
Artigo 76 - 1. Qualquer Estado- à data na qual a denúncia produzir
parte, diretamente, e a Comissão e efeito.
a Corte, por intermédio do
Secretário Geral, podem submeter à Capítulo XI - DISPOSIÇÕES
Assembléia Geral, para o que TRANSITÓRIAS Seção 1 -
julgarem conveniente, proposta de Comissão Interamericana de
emendas a esta Convenção. 2. Tais Direitos Humanos
emendas entrarão em vigor para os
Estados que as ratificarem, na data Artigo 79 - Ao entrar em vigor esta
em que houver sido depositado o Convenção, o Secretário Geral
respectivo instrumento de pedirá por escrito a cada Estado-
ratificação, por dois terços dos membro da Organização que
Estados-partes nesta Convenção. apresente, dentro de um prazo de
Quanto aos outros Estados-partes, noventa dias, seus candidatos a
entrarão em vigor na data em que membro da Comissão
eles depositarem os seus Interamericana de Direitos
respectivos instrumentos de Humanos. O Secretário Geral
ratificação. preparará uma lista por ordem
alfabética dos candidatos
Artigo 77 - 1. De acordo com a apresentados e a encaminhará aos
faculdade estabelecida no artigo 31, Estados-membros da Organização,
qualquer Estadoparte e a Comissão pelo menos trinta dias antes da
podem submeter à consideração Assembléia Geral seguinte.
dos Estados-partes reunidos por
ocasião da Assembléia Geral Artigo 80 - A eleição dos membros
projetos de Protocolos adicionais a da Comissão far-se-á dentre os
esta Convenção, com a finalidade candidatos que figurem na lista a
de incluir progressivamente, no que se refere o artigo 79, por
regime de proteção da mesma, votação secreta da Assembléia
outros direitos e liberdades. 2. Cada Geral, e serão declarados eleitos os
Protocolo deve estabelecer as candidatos que obtiverem maior
modalidades de sua entrada em número de votos e a maioria
vigor e será aplicado somente entre absoluta dos votos dos
os Estados-partes no mesmo. representantes dos Estados-
membros. Se, para eleger todos os
Artigo 78 - 1. Os Estados-partes membros da Comissão, for
poderão denunciar esta Convenção necessário realizar várias votações,
depois de expirado o prazo de cinco serão eliminados sucessivamente,
anos, a partir da data em vigor da na forma que for determinada pela
mesma e mediante aviso prévio de Assembléia Geral, os candidatos
que receberem maior número de
votos. Seção 2 - Corte
Interamericana de Direitos
Humanos

Artigo 81 - Ao entrar em vigor esta


Convenção, o Secretário Geral
pedirá a cada Estado-parte que
apresente, dentro de um prazo de
noventa dias, seus candidatos a juiz
da Corte Interamericana de Direitos
Humanos. O Secretário Geral
preparará uma lista por ordem
alfabética dos candidatos
apresentados e a encaminhará aos
Estados-partes pelo menos trinta
dias antes da Assembléia Geral
seguinte.

Artigo 82 - A eleição dos juízes da


Corte far-se-á dentre os candidatos
que figurem na lista a que se refere
o artigo 81, por votação secreta dos
Estados-partes, na Assembléia
Geral, e serão declarados eleitos os
candidatos que obtiverem o maior
número de votos e a maioria
absoluta dos votos dos
representantes dos Estados-partes.
Se, para eleger todos os juízes da
Corte, for necessário realizar várias
votações, serão eliminados
sucessivamente, na forma que for
determinada pelos Estados-partes,
os candidatos que receberem
menor número de votos.
____________ Adotada e aberta à
assinatura na Conferência
Especializada Interamericana sobre
Direitos Humanos, em San José de
Costa Rica, em 22.11.1969 -
ratificada pelo Brasil em 25.09.1992
INÍCIO INÍCIO.
Código penal
PARTE ESPECIAL Constituição Federal, integrantes do
sistema prisional e da Força Nacional de
TÍTULO I Segurança Pública, no exercício da função
DOS CRIMES CONTRA A PESSOA ou em decorrência dela, ou contra seu
cônjuge, companheiro ou parente
CAPÍTULO I consanguíneo até terceiro grau, em razão
DOS CRIMES CONTRA A VIDA dessa condição: (

Homicídio simples Pena - reclusão, de doze a trinta anos.

Art. 121. Matar alguem: § 2o-A Considera-se que há razões de


condição de sexo feminino quando o crime
envolve:
Pena - reclusão, de seis a vinte anos.

Caso de diminuição de pena I - violência doméstica e familiar;

§ 1º Se o agente comete o crime II - menosprezo ou discriminação à


impelido por motivo de relevante valor condição de mulher.
social ou moral, ou sob o domínio de
violenta emoção, logo em seguida a injusta Homicídio culposo
provocação da vítima, o juiz pode reduzir a
pena de um sexto a um terço.
§ 3º Se o homicídio é culposo:

Homicídio qualificado
Pena - detenção, de um a três anos.
§ 2° Se o homicídio é cometido:
Aumento de pena
I - mediante paga ou promessa de
§ 4o No homicídio culposo, a pena é
recompensa, ou por outro motivo torpe;
aumentada de 1/3 (um terço), se o crime
resulta de inobservância de regra técnica
II - por motivo futil; de profissão, arte ou ofício, ou se o agente
deixa de prestar imediato socorro à vítima,
III - com emprego de veneno, fogo, não procura diminuir as conseqüências do
explosivo, asfixia, tortura ou outro meio seu ato, ou foge para evitar prisão em
insidioso ou cruel, ou de que possa resultar flagrante. Sendo doloso o homicídio, a
perigo comum; pena é aumentada de 1/3 (um terço) se o
crime é praticado contra pessoa menor de
IV - à traição, de emboscada, ou 14 (quatorze) ou maior de 60 (sessenta)
mediante dissimulação ou outro recurso anos.
que dificulte ou torne impossivel a defesa
do ofendido; § 5º - Na hipótese de homicídio
culposo, o juiz poderá deixar de aplicar a
V - para assegurar a execução, a pena, se as conseqüências da infração
ocultação, a impunidade ou vantagem de atingirem o próprio agente de forma tão
outro crime: grave que a sanção penal se torne
desnecessária.
Pena - reclusão, de doze a trinta
anos. § 6o A pena é aumentada de 1/3 (um
terço) até a metade se o crime for praticado
Feminicídio por milícia privada, sob o pretexto de
prestação de serviço de segurança, ou por
grupo de extermínio.
VI - contra a mulher por razões da
condição de sexo feminino:
§ 7o A pena do feminicídio é
aumentada de 1/3 (um terço) até a metade
VII – contra autoridade ou agente se o crime for praticado:
descrito nos arts. 142 e 144 da
I - durante a gestação ou nos 3 (três) Art. 126 - Provocar aborto com o
meses posteriores ao parto; consentimento da gestante:

II - contra pessoa menor de 14 Pena - reclusão, de um a quatro anos.


(catorze) anos, maior de 60 (sessenta)
anos ou com deficiência; Parágrafo único. Aplica-se a pena do
artigo anterior, se a gestante não é maior
III - na presença de descendente ou de quatorze anos, ou é alienada ou debil
de ascendente da vítima. mental, ou se o consentimento é obtido
mediante fraude, grave ameaça ou
violência
Induzimento, instigação ou auxílio
a suicídio
Forma qualificada
Art. 122 - Induzir ou instigar alguém a
Art. 127 - As penas cominadas nos
suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que
dois artigos anteriores são aumentadas de
o faça:
um terço, se, em conseqüência do aborto
ou dos meios empregados para provocá-lo,
Pena - reclusão, de dois a seis anos, a gestante sofre lesão corporal de natureza
se o suicídio se consuma; ou reclusão, de grave; e são duplicadas, se, por qualquer
um a três anos, se da tentativa de suicídio dessas causas, lhe sobrevém a morte.
resulta lesão corporal de natureza grave.
Art. 128 - Não se pune o aborto
Parágrafo único - A pena é duplicada: praticado por médico:

Aumento de pena Aborto necessário

I - se o crime é praticado por motivo I - se não há outro meio de salvar a


egoístico; vida da gestante;

II - se a vítima é menor ou tem Aborto no caso de gravidez


diminuída, por qualquer causa, a resultante de estupro
capacidade de resistência.
II - se a gravidez resulta de estupro e
Infanticídio o aborto é precedido de consentimento da
gestante ou, quando incapaz, de seu
Art. 123 - Matar, sob a influência do representante legal.
estado puerperal, o próprio filho, durante o
parto ou logo após: CAPÍTULO II
DAS LESÕES CORPORAIS
Pena - detenção, de dois a seis anos.
Lesão corporal
Aborto provocado pela gestante ou
com seu consentimento Art. 129. Ofender a integridade
corporal ou a saúde de outrem:
Art. 124 - Provocar aborto em si
mesma ou consentir que outrem lho Pena - detenção, de três meses a um
provoque: ano.

Pena - detenção, de um a três anos. Lesão corporal de natureza grave

Aborto provocado por terceiro § 1º Se resulta:

Art. 125 - Provocar aborto, sem o I - Incapacidade para as ocupações


consentimento da gestante: habituais, por mais de trinta dias;

Pena - reclusão, de três a dez anos. II - perigo de vida;


III - debilidade permanente de § 6° Se a lesão é culposa:
membro, sentido ou função;
Pena - detenção, de dois meses a um
IV - aceleração de parto: ano.

Pena - reclusão, de um a cinco anos. Aumento de pena

§ 2° Se resulta: § 7o Aumenta-se a pena de 1/3 (um


terço) se ocorrer qualquer das hipóteses
I - Incapacidade permanente para o dos §§ 4o e 6o do art. 121 deste
trabalho; Código.

II - enfermidade incuravel; § 8º - Aplica-se à lesão culposa o


disposto no § 5º do art. 121.
III perda ou inutilização do membro,
sentido ou função;
Violência Doméstica
IV - deformidade permanente;
§ 9o Se a lesão for praticada contra
V - aborto: ascendente, descendente, irmão, cônjuge
ou companheiro, ou com quem conviva ou
tenha convivido, ou, ainda, prevalecendo-
Pena - reclusão, de dois a oito anos. se o agente das relações domésticas, de
coabitação ou de hospitalidade:
Lesão corporal seguida de morte
Pena - detenção, de 3 (três) meses a 3
§ 3° Se resulta morte e as (três) anos. (
circunstâncias evidenciam que o agente
não quís o resultado, nem assumiu o risco § 10. Nos casos previstos nos §§ 1o a
de produzí-lo: 3o deste artigo, se as circunstâncias são as
indicadas no § 9o deste artigo, aumenta-se
Pena - reclusão, de quatro a doze a pena em 1/3 (um terço).
anos.
§ 11. Na hipótese do § 9o deste
Diminuição de pena artigo, a pena será aumentada de um terço
se o crime for cometido contra pessoa
§ 4° Se o agente comete o crime portadora de deficiência.
impelido por motivo de relevante valor
social ou moral ou sob o domínio de § 12. Se a lesão for praticada contra
violenta emoção, logo em seguida a injusta autoridade ou agente descrito nos arts.
provocação da vítima, o juiz pode reduzir a 142 e 144 da Constituição
pena de um sexto a um terço. Federal, integrantes do sistema prisional e
da Força Nacional de Segurança Pública,
Substituição da pena no exercício da função ou em decorrência
dela, ou contra seu cônjuge, companheiro
§ 5° O juiz, não sendo graves as ou parente consanguíneo até terceiro grau,
lesões, pode ainda substituir a pena de em razão dessa condição, a pena é
detenção pela de multa, de duzentos mil aumentada de um a dois terços.
réis a dois contos de réis:
TÍTULO II
I - se ocorre qualquer das hipóteses DOS CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO
do parágrafo anterior;
CAPÍTULO I
II - se as lesões são recíprocas. DO FURTO

Lesão corporal culposa Furto


Art. 155 - Subtrair, para si ou para isoladamente, possibilitem sua fabricação,
outrem, coisa alheia móvel: montagem ou emprego.

Pena - reclusão, de um a quatro anos, Furto de coisa comum


e multa.
Art. 156 - Subtrair o condômino, co-
§ 1º - A pena aumenta-se de um terço, herdeiro ou sócio, para si ou para outrem, a
se o crime é praticado durante o repouso quem legitimamente a detém, a coisa
noturno. comum:

§ 2º - Se o criminoso é primário, e é Pena - detenção, de seis meses a dois


de pequeno valor a coisa furtada, o juiz anos, ou multa.
pode substituir a pena de reclusão pela de
detenção, diminuí-la de um a dois terços, § 1º - Somente se procede mediante
ou aplicar somente a pena de multa. representação.

§ 3º - Equipara-se à coisa móvel a § 2º - Não é punível a subtração de


energia elétrica ou qualquer outra que coisa comum fungível, cujo valor não
tenha valor econômico. excede a quota a que tem direito o agente.

Furto qualificado CAPÍTULO II


DO ROUBO E DA EXTORSÃO
§ 4º - A pena é de reclusão de dois a
oito anos, e multa, se o crime é cometido: Roubo

I - com destruição ou rompimento de Art. 157 - Subtrair coisa móvel alheia,


obstáculo à subtração da coisa; para si ou para outrem, mediante grave
ameaça ou violência a pessoa, ou depois
II - com abuso de confiança, ou de havê-la, por qualquer meio, reduzido à
mediante fraude, escalada ou destreza; impossibilidade de resistência:

III - com emprego de chave falsa; Pena - reclusão, de quatro a dez anos,
e multa.
IV - mediante concurso de duas ou
mais pessoas. § 1º - Na mesma pena incorre
quem, logo depois de subtraída a
§ 4º-A A pena é de reclusão de 4 coisa, emprega violência contra
(quatro) a 10 (dez) anos e multa, se houver
emprego de explosivo ou de artefato
pessoa ou grave ameaça, a fim de
análogo que cause perigo assegurar a impunidade do crime ou
comum. a detenção da coisa para si ou para
terceiro.
§ 5º - A pena é de reclusão de três a
oito anos, se a subtração for de veículo § 2º A pena aumenta-se de 1/3 (um
automotor que venha a ser transportado terço) até metade: (
para outro Estado ou para o exterior.
I – (revogado);
§6o A pena é de reclusão de 2 (dois)
a 5 (cinco) anos se a subtração for de II - se há o concurso de duas ou mais
semovente domesticável de produção, pessoas;
ainda que abatido ou dividido em partes no
local da subtração. III - se a vítima está em serviço de
transporte de valores e o agente conhece
§ 7º A pena é de reclusão de 4 tal circunstância.
(quatro) a 10 (dez) anos e multa, se a
subtração for de substâncias explosivas ou
de acessórios que, conjunta ou
IV - se a subtração for de veículo § 2º - Aplica-se à extorsão praticada
automotor que venha a ser transportado mediante violência o disposto no § 3º do
para outro Estado ou para o artigo anterior.
exterior;
§ 3o Se o crime é cometido mediante
V - se o agente mantém a vítima em a restrição da liberdade da vítima, e essa
seu poder, restringindo sua condição é necessária para a obtenção da
liberdade. vantagem econômica, a pena é de
reclusão, de 6 (seis) a 12 (doze) anos,
além da multa; se resulta lesão corporal
VI – se a subtração for de substâncias
grave ou morte, aplicam-se as penas
explosivas ou de acessórios que, conjunta previstas no art. 159, §§ 2o e 3o,
ou isoladamente, possibilitem sua respectivamente.
fabricação, montagem ou
emprego.
Extorsão mediante seqüestro
§ 2º-A A pena aumenta-se de 2/3
(dois terços): Art. 159 - Seqüestrar pessoa com o fim
de obter, para si ou para outrem, qualquer
vantagem, como condição ou preço do
I – se a violência ou ameaça é resgate:
exercida com emprego de arma de
fogo;
Pena - reclusão, de oito a
II – se há destruição ou rompimento quinze anos..
de obstáculo mediante o emprego de
explosivo ou de artefato análogo que cause § 1o Se o seqüestro dura mais de 24
perigo comum. (Incluído pela Lei (vinte e quatro) horas, se o seqüestrado é
nº 13.654, de 2018) menor de 18 (dezoito) ou maior de 60
(sessenta) anos, ou se o crime é cometido
§ 3º Se da violência por bando ou quadrilha.
resulta:
Pena - reclusão, de doze a vinte
I – lesão corporal grave, a pena é de anos.
reclusão de 7 (sete) a 18 (dezoito) anos, e
multa;
§ 2º - Se do fato resulta lesão corporal
de natureza grave.
II – morte, a pena é de reclusão de 20
(vinte) a 30 (trinta) anos, e multa.
Pena - reclusão, de dezesseis a
Extorsão vinte e quatro anos.

Art. 158 - Constranger alguém, § 3º - Se resulta a morte


mediante violência ou grave ameaça, e
com o intuito de obter para si ou para Pena - reclusão, de vinte e
outrem indevida vantagem econômica, a quatro a trinta anos.
fazer, tolerar que se faça ou deixar de fazer
alguma coisa:
§ 4º - Se o crime é cometido em
Pena - reclusão, de quatro a dez anos, concurso, o concorrente que o denunciar à
e multa. autoridade, facilitando a libertação do
seqüestrado, terá sua pena reduzida de um
a dois terços.
§ 1º - Se o crime é cometido por duas
ou mais pessoas, ou com emprego de
arma, aumenta-se a pena de um terço até
metade.
CAPÍTULO IV II - na qualidade de tutor, curador,
DO DANO síndico, liquidatário, inventariante,
testamenteiro ou depositário judicial;
Dano
III - em razão de ofício, emprego ou
Art. 163 - Destruir, inutilizar ou profissão.
deteriorar coisa alheia:
Apropriação indébita
Pena - detenção, de um a seis meses, previdenciária
ou multa.
Art. 168-A. Deixar de repassar à
Dano qualificado previdência social as contribuições
recolhidas dos contribuintes, no prazo e
Parágrafo único - Se o crime é forma legal ou convencional
cometido:
Pena – reclusão, de 2 (dois) a 5
I - com violência à pessoa ou grave (cinco) anos, e multa.
ameaça;
§ 1o Nas mesmas penas incorre quem
II - com emprego de substância deixar de:
inflamável ou explosiva, se o fato não
constitui crime mais grave I – recolher, no prazo legal,
contribuição ou outra importância destinada
III - contra o patrimônio da União, de à previdência social que tenha sido
Estado, do Distrito Federal, de Município ou descontada de pagamento efetuado a
de autarquia, fundação pública, empresa segurados, a terceiros ou arrecadada do
pública, sociedade de economia mista ou público;
empresa concessionária de serviços
públicos; II – recolher contribuições devidas à
previdência social que tenham integrado
IV - por motivo egoístico ou com despesas contábeis ou custos relativos à
prejuízo considerável para a vítima: venda de produtos ou à prestação de
serviços;
Pena - detenção, de seis meses a três
anos, e multa, além da pena III - pagar benefício devido a
correspondente à violência. segurado, quando as respectivas cotas ou
valores já tiverem sido reembolsados à
CAPÍTULO V empresa pela previdência social.
DA APROPRIAÇÃO INDÉBITA
§ 2o É extinta a punibilidade se o
Apropriação indébita agente, espontaneamente, declara,
confessa e efetua o pagamento das
contribuições, importâncias ou valores e
Art. 168 - Apropriar-se de coisa alheia
presta as informações devidas à
móvel, de que tem a posse ou a detenção:
previdência social, na forma definida em lei
ou regulamento, antes do início da ação
Pena - reclusão, de um a quatro anos, fiscal.
e multa.
§ 3o É facultado ao juiz deixar de
Aumento de pena aplicar a pena ou aplicar somente a de
multa se o agente for primário e de bons
§ 1º - A pena é aumentada de um antecedentes, desde que
terço, quando o agente recebeu a coisa:
I – tenha promovido, após o início da
I - em depósito necessário; ação fiscal e antes de oferecida a
denúncia, o pagamento da contribuição
social previdenciária, inclusive acessórios;
II – o valor das contribuições devidas, II - vende, permuta, dá em
inclusive acessórios, seja igual ou inferior pagamento ou em garantia coisa
àquele estabelecido pela previdência
social, administrativamente, como sendo o
própria inalienável, gravada de ônus
mínimo para o ajuizamento de suas ou litigiosa, ou imóvel que prometeu
execuções fiscais. vender a terceiro, mediante
pagamento em prestações,
§ 4o A faculdade prevista no § silenciando sobre qualquer dessas
3o deste artigo não se aplica aos casos de circunstâncias;
parcelamento de contribuições cujo valor,
inclusive dos acessórios, seja superior
àquele estabelecido, administrativamente, Defraudação de penhor
como sendo o mínimo para o ajuizamento
de suas execuções fiscais. III - defrauda, mediante
alienação não consentida pelo
CAPÍTULO VI credor ou por outro modo, a
DO ESTELIONATO E OUTRAS garantia pignoratícia, quando tem a
FRAUDES posse do objeto empenhado;

Estelionato Fraude na entrega de coisa

Art. 171 - Obter, para si ou para IV - defrauda substância,


outrem, vantagem ilícita, em qualidade ou quantidade de coisa
prejuízo alheio, induzindo ou que deve entregar a alguém;
mantendo alguém em erro,
mediante artifício, ardil, ou qualquer Fraude para recebimento de
outro meio fraudulento: indenização ou valor de seguro

Pena - reclusão, de um a cinco V - destrói, total ou


anos, e multa, de quinhentos mil parcialmente, ou oculta coisa
réis a dez contos de réis. própria, ou lesa o próprio corpo ou a
saúde, ou agrava as conseqüências
§ 1º - Se o criminoso é da lesão ou doença, com o intuito
primário, e é de pequeno valor o de haver indenização ou valor de
prejuízo, o juiz pode aplicar a pena seguro;
conforme o disposto no art. 155, §
2º. Fraude no pagamento por
meio de cheque
§ 2º - Nas mesmas penas
incorre quem: VI - emite cheque, sem
suficiente provisão de fundos em
Disposição de coisa alheia poder do sacado, ou lhe frustra o
como própria pagamento.

I - vende, permuta, dá em § 3º - A pena aumenta-se de


pagamento, em locação ou em um terço, se o crime é cometido em
garantia coisa alheia como própria; detrimento de entidade de direito
público ou de instituto de economia
Alienação ou oneração popular, assistência social ou
fraudulenta de coisa própria beneficência.
Estelionato contra idoso consideração as circunstâncias, deixar de
aplicar a pena. Na receptação dolosa
aplica-se o disposto no § 2º do art.
§ 4o Aplica-se a pena em 155.
dobro se o crime for cometido
contra idoso. § 6o Tratando-se de bens do
patrimônio da União, de Estado, do Distrito
CAPÍTULO VII Federal, de Município ou de autarquia,
DA RECEPTAÇÃO fundação pública, empresa pública,
sociedade de economia mista ou empresa
Receptação concessionária de serviços públicos, aplica-
se em dobro a pena prevista
no caput deste artigo.
Art. 180 - Adquirir, receber,
transportar, conduzir ou ocultar, em
proveito próprio ou alheio, coisa que sabe Receptação de animal
ser produto de crime, ou influir para que
terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou Art. 180-A. Adquirir, receber,
oculte: transportar, conduzir, ocultar, ter em
depósito ou vender, com a finalidade de
Pena - reclusão, de um a quatro anos, produção ou de comercialização,
e multa semovente domesticável de produção,
ainda que abatido ou dividido em partes,
que deve saber ser produto de crime
Receptação qualificada

Pena - reclusão, de 2 (dois) a 5


§ 1º - Adquirir, receber, transportar,
(cinco) anos, e multa.
conduzir, ocultar, ter em depósito,
desmontar, montar, remontar, vender,
expor à venda, ou de qualquer forma TÍTULO X
utilizar, em proveito próprio ou alheio, no DOS CRIMES CONTRA A FÉ PÚBLICA
exercício de atividade comercial ou
industrial, coisa que deve saber ser produto CAPÍTULO I
de crime: DA MOEDA FALSA

Pena - reclusão, de três a oito anos, e Moeda Falsa


multa.
Art. 289 - Falsificar, fabricando-a ou
§ 2º - Equipara-se à atividade alterando-a, moeda metálica ou papel-
comercial, para efeito do parágrafo anterior, moeda de curso legal no país ou no
qualquer forma de comércio irregular ou estrangeiro:
clandestino, inclusive o exercício em
residência. Pena - reclusão, de três a doze anos,
e multa.
§ 3º - Adquirir ou receber coisa que,
por sua natureza ou pela desproporção § 1º - Nas mesmas penas incorre
entre o valor e o preço, ou pela condição quem, por conta própria ou alheia, importa
de quem a oferece, deve presumir-se ou exporta, adquire, vende, troca, cede,
obtida por meio criminoso empresta, guarda ou introduz na circulação
moeda falsa.
Pena - detenção, de um mês a um
ano, ou multa, ou ambas as penas. § 2º - Quem, tendo recebido de boa-
fé, como verdadeira, moeda falsa ou
§ 4º - A receptação é punível, ainda alterada, a restitui à circulação, depois de
que desconhecido ou isento de pena o conhecer a falsidade, é punido com
autor do crime de que proveio a detenção, de seis meses a dois anos, e
coisa. multa.

§ 5º - Na hipótese do § 3º, se o § 3º - É punido com reclusão, de três a


criminoso é primário, pode o juiz, tendo em quinze anos, e multa, o funcionário público
ou diretor, gerente, ou fiscal de banco de Pena - detenção, de um a seis meses,
emissão que fabrica, emite ou autoriza a ou multa.
fabricação ou emissão:
Parágrafo único - Quem recebe ou
I - de moeda com título ou peso utiliza como dinheiro qualquer dos
inferior ao determinado em lei; documentos referidos neste artigo incorre
na pena de detenção, de quinze dias a três
II - de papel-moeda em quantidade meses, ou multa.
superior à autorizada.
CAPÍTULO II
§ 4º - Nas mesmas penas incorre DA FALSIDADE DE TÍTULOS E OUTROS
quem desvia e faz circular moeda, cuja PAPÉIS PÚBLICOS
circulação não estava ainda autorizada.
Falsificação de papéis públicos
Crimes assimilados ao de moeda
falsa Art. 293 - Falsificar, fabricando-os ou
alterando-os:
Art. 290 - Formar cédula, nota ou
bilhete representativo de moeda com I – selo destinado a controle tributário,
fragmentos de cédulas, notas ou bilhetes papel selado ou qualquer papel de emissão
verdadeiros; suprimir, em nota, cédula ou legal destinado à arrecadação de tributo;
bilhete recolhidos, para o fim de restituí-los
à circulação, sinal indicativo de sua II - papel de crédito público que não
inutilização; restituir à circulação cédula, seja moeda de curso legal;
nota ou bilhete em tais condições, ou já
recolhidos para o fim de inutilização:
III - vale postal;

Pena - reclusão, de dois a oito anos, e IV - cautela de penhor, caderneta de


multa. depósito de caixa econômica ou de outro
estabelecimento mantido por entidade de
Parágrafo único - O máximo da direito público;
reclusão é elevado a doze anos e multa, se
o crime é cometido por funcionário que V - talão, recibo, guia, alvará ou
trabalha na repartição onde o dinheiro se qualquer outro documento relativo a
achava recolhido, ou nela tem fácil
arrecadação de rendas públicas ou a
ingresso, em razão do cargo.
depósito ou caução por que o poder público
seja responsável;
Petrechos para falsificação de
moeda
VI - bilhete, passe ou conhecimento
de empresa de transporte administrada
Art. 291 - Fabricar, adquirir, fornecer, pela União, por Estado ou por Município:
a título oneroso ou gratuito, possuir ou
guardar maquinismo, aparelho, instrumento Pena - reclusão, de dois a oito anos, e
ou qualquer objeto especialmente
multa.
destinado à falsificação de moeda:
§ 1o Incorre na mesma pena quem:
Pena - reclusão, de dois a seis anos, e
multa.
I – usa, guarda, possui ou detém
qualquer dos papéis falsificados a que se
Emissão de título ao portador sem
refere este artigo;
permissão legal
II – importa, exporta, adquire, vende,
Art. 292 - Emitir, sem permissão legal,
troca, cede, empresta, guarda, fornece ou
nota, bilhete, ficha, vale ou título que
restitui à circulação selo falsificado
contenha promessa de pagamento em
destinado a controle tributário;
dinheiro ao portador ou a que falte
indicação do nome da pessoa a quem deva
ser pago:
III – importa, exporta, adquire, vende, CAPÍTULO III
expõe à venda, mantém em depósito, DA FALSIDADE DOCUMENTAL
guarda, troca, cede, empresta, fornece,
porta ou, de qualquer forma, utiliza em Falsificação do selo ou sinal
proveito próprio ou alheio, no exercício de público
atividade comercial ou industrial, produto
ou mercadoria:
Art. 296 - Falsificar, fabricando-os ou
alterando-os:
a) em que tenha sido aplicado selo
que se destine a controle I - selo público destinado a autenticar
tributário, falsificado; atos oficiais da União, de Estado ou de
b) b) sem selo oficial, nos casos
Município;
em que a legislação tributária
determina a obrigatoriedade de
sua aplicação II - selo ou sinal atribuído por lei a
entidade de direito público, ou a autoridade,
ou sinal público de tabelião:
§ 2º - Suprimir, em qualquer desses
papéis, quando legítimos, com o fim de
torná-los novamente utilizáveis, carimbo ou Pena - reclusão, de dois a seis anos, e
sinal indicativo de sua inutilização: multa.

Pena - reclusão, de um a quatro anos, § 1º - Incorre nas mesmas penas:


e multa.
I - quem faz uso do selo ou sinal
§ 3º - Incorre na mesma pena quem falsificado;
usa, depois de alterado, qualquer dos
papéis a que se refere o parágrafo anterior. II - quem utiliza indevidamente o selo
ou sinal verdadeiro em prejuízo de outrem
§ 4º - Quem usa ou restitui à ou em proveito próprio ou alheio.
circulação, embora recibo de boa-fé,
qualquer dos papéis falsificados ou III - quem altera, falsifica ou faz uso
alterados, a que se referem este artigo e o indevido de marcas, logotipos, siglas ou
seu § 2º, depois de conhecer a falsidade ou quaisquer outros símbolos utilizados ou
alteração, incorre na pena de detenção, de identificadores de órgãos ou entidades da
seis meses a dois anos, ou multa. Administração Pública § 2º - Se o
agente é funcionário público, e comete o
§ 5o Equipara-se a atividade crime prevalecendo-se do cargo, aumenta-
comercial, para os fins do inciso III do § 1o, se a pena de sexta parte.
qualquer forma de comércio irregular ou
clandestino, inclusive o exercido em vias, Falsificação de documento público
praças ou outros logradouros públicos e em
residências. Petrechos de Art. 297 - Falsificar, no todo ou em
falsificação parte, documento público, ou alterar
documento público verdadeiro:
Art. 294 - Fabricar, adquirir, fornecer,
possuir ou guardar objeto especialmente Pena - reclusão, de dois a seis anos, e
destinado à falsificação de qualquer dos multa.
papéis referidos no artigo anterior:
§ 1º - Se o agente é funcionário
Pena - reclusão, de um a três anos, e público, e comete o crime prevalecendo-se
multa. do cargo, aumenta-se a pena de sexta
parte.
Art. 295 - Se o agente é funcionário
público, e comete o crime prevalecendo-se § 2º - Para os efeitos penais,
do cargo, aumenta-se a pena de sexta equiparam-se a documento público o
parte. emanado de entidade paraestatal, o título
ao portador ou transmissível por endosso,
as ações de sociedade comercial, os livros Parágrafo único - Se o agente é
mercantis e o testamento particular. funcionário público, e comete o crime
prevalecendo-se do cargo, ou se a
§ 3o Nas mesmas penas incorre quem falsificação ou alteração é de
insere ou faz inserir: assentamento de registro civil, aumenta-se
a pena de sexta parte.
I – na folha de pagamento ou em
documento de informações que seja Falso reconhecimento de firma ou
destinado a fazer prova perante a letra
previdência social, pessoa que não possua
a qualidade de segurado obrigatório; II Art. 300 - Reconhecer, como
– na Carteira de Trabalho e Previdência verdadeira, no exercício de função pública,
Social do empregado ou em documento firma ou letra que o não seja:
que deva produzir efeito perante a
previdência social, declaração falsa ou Pena - reclusão, de um a cinco anos,
diversa da que deveria ter sido e multa, se o documento é público; e de um
escrita III – em documento contábil ou a três anos, e multa, se o documento é
em qualquer outro documento relacionado particular.
com as obrigações da empresa perante a
previdência social, declaração falsa ou Certidão ou atestado
diversa da que deveria ter constado § ideologicamente falso
4o Nas mesmas penas incorre quem omite,
nos documentos mencionados no § 3o,
nome do segurado e seus dados pessoais, Art. 301 - Atestar ou certificar
a remuneração, a vigência do contrato de falsamente, em razão de função pública,
trabalho ou de prestação de serviços. fato ou circunstância que habilite alguém a
obter cargo público, isenção de ônus ou de
serviço de caráter público, ou qualquer
Falsificação de documento
outra vantagem:
particular
Pena - detenção, de dois meses a um
Art. 298 - Falsificar, no todo ou em ano.
parte, documento particular ou alterar
documento particular verdadeiro:
Falsidade material de atestado ou
certidão
Pena - reclusão, de um a cinco anos,
e multa.
§ 1º - Falsificar, no todo ou em parte,
atestado ou certidão, ou alterar o teor de
Falsificação de cartão
certidão ou de atestado verdadeiro, para
prova de fato ou circunstância que habilite
Parágrafo único. Para fins do alguém a obter cargo público, isenção de
disposto no caput, equipara-se a ônus ou de serviço de caráter público, ou
documento particular o cartão de crédito ou qualquer outra vantagem:
débito.
Pena - detenção, de três meses a dois
Falsidade ideológica anos.

Art. 299 - Omitir, em documento § 2º - Se o crime é praticado com o fim


público ou particular, declaração que dele de lucro, aplica-se, além da pena privativa
devia constar, ou nele inserir ou fazer de liberdade, a de multa.
inserir declaração falsa ou diversa da que
devia ser escrita, com o fim de prejudicar Falsidade de atestado médico
direito, criar obrigação ou alterar a verdade
sobre fato juridicamente relevante:
Art. 302 - Dar o médico, no exercício
da sua profissão, atestado falso:
Pena - reclusão, de um a cinco anos,
e multa, se o documento é público, e
reclusão de um a três anos, e multa, se o Pena - detenção, de um mês a um
documento é particular. ano.
Parágrafo único - Se o crime é tem a posse em razão do cargo, ou desviá-
cometido com o fim de lucro, aplica-se lo, em proveito próprio ou alheio:
também multa.
Pena - reclusão, de dois a doze anos,
Reprodução ou adulteração de selo e multa.
ou peça filatélica
§ 1º - Aplica-se a mesma pena, se o
Art. 303 - Reproduzir ou alterar selo funcionário público, embora não tendo a
ou peça filatélica que tenha valor para posse do dinheiro, valor ou bem, o subtrai,
coleção, salvo quando a reprodução ou a ou concorre para que seja subtraído, em
alteração está visivelmente anotada na proveito próprio ou alheio, valendo-se de
face ou no verso do selo ou peça: facilidade que lhe proporciona a qualidade
de funcionário.
Pena - detenção, de um a três anos, e
multa. Peculato culposo

Parágrafo único - Na mesma pena § 2º - Se o funcionário concorre


incorre quem, para fins de comércio, faz culposamente para o crime de outrem:
uso do selo ou peça filatélica.
Pena - detenção, de três meses a um
Uso de documento falso ano.

Art. 304 - Fazer uso de qualquer dos § 3º - No caso do parágrafo anterior, a


papéis falsificados ou alterados, a que se reparação do dano, se precede à sentença
referem os arts. 297 a 302: irrecorrível, extingue a punibilidade; se lhe
é posterior, reduz de metade a pena
Pena - a cominada à falsificação ou à imposta.
alteração.
Peculato mediante erro de outrem
Supressão de documento
Art. 313 - Apropriar-se de dinheiro ou
Art. 305 - Destruir, suprimir ou ocultar, qualquer utilidade que, no exercício do
em benefício próprio ou de outrem, ou em cargo, recebeu por erro de outrem:
prejuízo alheio, documento público ou
particular verdadeiro, de que não podia Pena - reclusão, de um a quatro anos,
dispor: e multa.

Pena - reclusão, de dois a seis anos, e Inserção de dados falsos em


multa, se o documento é público, e sistema de informações
reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o
documento é particular.
Art. 313-A. Inserir ou facilitar, o
funcionário autorizado, a inserção de dados
TÍTULO XI falsos, alterar ou excluir indevidamente
DOS CRIMES CONTRA A dados corretos nos sistemas
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA informatizados ou bancos de dados da
Administração Pública com o fim de obter
CAPÍTULO I vantagem indevida para si ou para outrem
DOS CRIMES PRATICADOS ou para causar dano:
POR FUNCIONÁRIO PÚBLICO
CONTRA A ADMINISTRAÇÃO EM Pena – reclusão, de 2 (dois) a 12
GERAL (doze) anos, e multa.

Peculato Modificação ou alteração não


autorizada de sistema de informações
Art. 312 - Apropriar-se o funcionário
público de dinheiro, valor ou qualquer outro
bem móvel, público ou particular, de que Art. 313-B. Modificar ou alterar, o
funcionário, sistema de informações ou
programa de informática sem autorização recebeu indevidamente para recolher aos
ou solicitação de autoridade competente: cofres públicos:

Pena – detenção, de 3 (três) meses a Pena - reclusão, de dois a doze anos,


2 (dois) anos, e multa. e multa.

Parágrafo único. As penas são Corrupção passiva


aumentadas de um terço até a metade se
da modificação ou alteração resulta dano Art. 317 - Solicitar ou receber, para si
para a Administração Pública ou para o ou para outrem, direta ou indiretamente,
administrado. ainda que fora da função ou antes de
assumi-la, mas em razão dela, vantagem
Extravio, sonegação ou inutilização indevida, ou aceitar promessa de tal
de livro ou documento vantagem:

Art. 314 - Extraviar livro oficial ou Pena – reclusão, de 2 (dois) a 12


qualquer documento, de que tem a guarda (doze) anos, e multa.
em razão do cargo; sonegá-lo ou inutilizá-
lo, total ou parcialmente: § 1º - A pena é aumentada de um
terço, se, em conseqüência da vantagem
Pena - reclusão, de um a quatro anos, ou promessa, o funcionário retarda ou
se o fato não constitui crime mais grave. deixa de praticar qualquer ato de ofício ou
o pratica infringindo dever funcional.
Emprego irregular de verbas ou
rendas públicas § 2º - Se o funcionário pratica, deixa
de praticar ou retarda ato de ofício, com
Art. 315 - Dar às verbas ou rendas infração de dever funcional, cedendo a
públicas aplicação diversa da estabelecida pedido ou influência de outrem:
em lei:
Pena - detenção, de três meses a um
Pena - detenção, de um a três meses, ano, ou multa.
ou multa.
Facilitação de contrabando ou
Concussão descaminho

Art. 316 - Exigir, para si ou para Art. 318 - Facilitar, com infração de
outrem, direta ou indiretamente, ainda que dever funcional, a prática de contrabando
fora da função ou antes de assumi-la, mas ou descaminho (art. 334):
em razão dela, vantagem indevida:
Pena - reclusão, de 3 (três) a 8 (oito)
Pena - reclusão, de dois a oito anos, e anos, e multa.
multa.
Prevaricação
Excesso de exação
Art. 319 - Retardar ou deixar de
§ 1º - Se o funcionário exige tributo ou praticar, indevidamente, ato de ofício, ou
contribuição social que sabe ou deveria praticá-lo contra disposição expressa de lei,
saber indevido, ou, quando devido, para satisfazer interesse ou sentimento
emprega na cobrança meio vexatório ou pessoal:
gravoso, que a lei não autoriza:
Pena - detenção, de três meses a um
Pena - reclusão, de 3 (três) a 8 (oito) ano, e multa.
anos, e multa.
Art. 319-A. Deixar o Diretor de
§ 2º - Se o funcionário desvia, em Penitenciária e/ou agente público, de
proveito próprio ou de outrem, o que cumprir seu dever de vedar ao preso o
acesso a aparelho telefônico, de rádio ou
similar, que permita a comunicação com § 2º - Se o fato ocorre em lugar
outros presos ou com o ambiente externo: compreendido na faixa de fronteira:

Pena: detenção, de 3 (três) meses a 1 Pena - detenção, de um a três anos, e


(um) ano. multa.

Condescendência criminosa Exercício funcional ilegalmente


antecipado ou prolongado
Art. 320 - Deixar o funcionário, por
indulgência, de responsabilizar Art. 324 - Entrar no exercício de
subordinado que cometeu infração no função pública antes de satisfeitas as
exercício do cargo ou, quando lhe falte exigências legais, ou continuar a exercê-la,
competência, não levar o fato ao sem autorização, depois de saber
conhecimento da autoridade competente: oficialmente que foi exonerado, removido,
substituído ou suspenso:
Pena - detenção, de quinze dias a um
mês, ou multa. Pena - detenção, de quinze dias a um
mês, ou multa.
Advocacia administrativa
Violação de sigilo funcional
Art. 321 - Patrocinar, direta ou
indiretamente, interesse privado perante a Art. 325 - Revelar fato de que tem
administração pública, valendo-se da ciência em razão do cargo e que deva
qualidade de funcionário: permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a
revelação:
Pena - detenção, de um a três meses,
ou multa. Pena - detenção, de seis meses a dois
anos, ou multa, se o fato não constitui
Parágrafo único - Se o interesse é crime mais grave.
ilegítimo:
§ 1o Nas mesmas penas deste artigo
Pena - detenção, de três meses a um incorre quem:
ano, além da multa.
I – permite ou facilita, mediante
Violência arbitrária atribuição, fornecimento e empréstimo de
senha ou qualquer outra forma, o acesso
Art. 322 - Praticar violência, no de pessoas não autorizadas a sistemas de
exercício de função ou a pretexto de informações ou banco de dados da
Administração Pública;
exercê-la:

II – se utiliza, indevidamente, do
Pena - detenção, de seis meses a três
anos, além da pena correspondente à acesso restrito.
violência.
§ 2o Se da ação ou omissão resulta
Abandono de função dano à Administração Pública ou a outrem:

Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis)


Art. 323 - Abandonar cargo público,
anos, e multa.
fora dos casos permitidos em lei:

Violação do sigilo de proposta de


Pena - detenção, de quinze dias a um
concorrência
mês, ou multa.

Art. 326 - Devassar o sigilo de


§ 1º - Se do fato resulta prejuízo
proposta de concorrência pública, ou
público:
proporcionar a terceiro o ensejo de
devassá-lo:
Pena - detenção, de três meses a um
ano, e multa.
Pena - Detenção, de três meses a um § 2º - A pena é diminuída de
ano, e multa. metade, se a imputação é de prática de
contravenção.
Funcionário público
Comunicação falsa de crime ou de
Art. 327 - Considera-se funcionário contravenção
público, para os efeitos penais, quem,
embora transitoriamente ou sem Art. 340 - Provocar a ação de
remuneração, exerce cargo, emprego ou autoridade, comunicando-lhe a ocorrência
função pública. de crime ou de contravenção que sabe não
se ter verificado:
§ 1º - Equipara-se a funcionário
público quem exerce cargo, emprego ou Pena - detenção, de um a seis
função em entidade paraestatal, e quem meses, ou multa.
trabalha para empresa prestadora de
serviço contratada ou conveniada para a Auto-acusação falsa
execução de atividade típica da
Administração Pública.
Art. 341 - Acusar-se, perante a
autoridade, de crime inexistente ou
§ 2º - A pena será aumentada da praticado por outrem:
terça parte quando os autores dos crimes
previstos neste Capítulo forem ocupantes Pena - detenção, de três meses a
de cargos em comissão ou de função de dois anos, ou multa.
direção ou assessoramento de órgão da
administração direta, sociedade de Falso testemunho ou falsa perícia
economia mista, empresa pública ou
fundação instituída pelo poder público.
Art. 342. Fazer afirmação falsa, ou
negar ou calar a verdade como
CAPÍTULO III testemunha, perito, contador, tradutor ou
DOS CRIMES CONTRA A intérprete em processo judicial, ou
ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA administrativo, inquérito policial, ou em
juízo arbitral:
Reingresso de estrangeiro
expulso Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4
(quatro) anos, e multa.
Art. 338 - Reingressar no território
nacional o estrangeiro que dele foi expulso: § 1o As penas aumentam-se de um
sexto a um terço, se o crime é praticado
Pena - reclusão, de um a quatro mediante suborno ou se cometido com o
anos, sem prejuízo de nova expulsão após fim de obter prova destinada a produzir
o cumprimento da pena. efeito em processo penal, ou em processo
civil em que for parte entidade da
Denunciação caluniosa administração pública direta ou indireta.

Art. 339. Dar causa à instauração de § 2o O fato deixa de ser punível se,
investigação policial, de processo judicial, antes da sentença no processo em que
instauração de investigação administrativa, ocorreu o ilícito, o agente se retrata ou
inquérito civil ou ação de improbidade declara a verdade.
administrativa contra alguém, imputando-
lhe crime de que o sabe inocente: Art. 343. Dar, oferecer ou prometer
dinheiro ou qualquer outra vantagem a
Pena - reclusão, de dois a oito anos, testemunha, perito, contador, tradutor ou
e multa. intérprete, para fazer afirmação falsa, negar
ou calar a verdade em depoimento, perícia,
cálculos, tradução ou interpretação:
§ 1º - A pena é aumentada de sexta
parte, se o agente se serve de anonimato
ou de nome suposto. Pena - reclusão, de três a quatro
anos, e multa.
Parágrafo único. As penas Parágrafo único - Se a inovação se
aumentam-se de um sexto a um terço, se o destina a produzir efeito em processo
crime é cometido com o fim de obter prova penal, ainda que não iniciado, as penas
destinada a produzir efeito em processo aplicam-se em dobro.
penal ou em processo civil em que for parte
entidade da administração pública direta ou Favorecimento pessoal
indireta.
Art. 348 - Auxiliar a subtrair-se à
Coação no curso do processo ação de autoridade pública autor de crime
a que é cominada pena de reclusão:
Art. 344 - Usar de violência ou grave
ameaça, com o fim de favorecer interesse Pena - detenção, de um a seis
próprio ou alheio, contra autoridade, parte, meses, e multa.
ou qualquer outra pessoa que funciona ou
é chamada a intervir em processo judicial, § 1º - Se ao crime não é cominada
policial ou administrativo, ou em juízo
pena de reclusão:
arbitral:
Pena - detenção, de quinze dias a
Pena - reclusão, de um a quatro três meses, e multa.
anos, e multa, além da pena
correspondente à violência.
§ 2º - Se quem presta o auxílio é
ascendente, descendente, cônjuge ou
Exercício arbitrário das próprias
irmão do criminoso, fica isento de pena.
razões
Favorecimento real
Art. 345 - Fazer justiça pelas
próprias mãos, para satisfazer pretensão,
embora legítima, salvo quando a lei o Art. 349 - Prestar a criminoso, fora
permite: dos casos de co-autoria ou de receptação,
auxílio destinado a tornar seguro o proveito
do crime:
Pena - detenção, de quinze dias a
um mês, ou multa, além da pena
correspondente à violência. Pena - detenção, de um a seis
meses, e multa.
Parágrafo único - Se não há
emprego de violência, somente se procede Art. 349-A. Ingressar, promover,
mediante queixa. intermediar, auxiliar ou facilitar a entrada de
aparelho telefônico de comunicação móvel,
de rádio ou similar, sem autorização legal,
Art. 346 - Tirar, suprimir, destruir ou em estabelecimento prisional.
danificar coisa própria, que se acha em
poder de terceiro por determinação judicial
ou convenção: Pena: detenção, de 3 (três) meses a
1 (um) ano.
Pena - detenção, de seis meses a
dois anos, e multa. Exercício arbitrário ou abuso de
poder
Fraude processual
Art. 350 - Ordenar ou executar
medida privativa de liberdade individual,
Art. 347 - Inovar artificiosamente, na
sem as formalidades legais ou com abuso
pendência de processo civil ou
de poder:
administrativo, o estado de lugar, de coisa
ou de pessoa, com o fim de induzir a erro o
juiz ou o perito: Pena - detenção, de um mês a um
ano.
Pena - detenção, de três meses a
dois anos, e multa. Parágrafo único - Na mesma pena
incorre o funcionário que:
I - ilegalmente recebe e recolhe Arrebatamento de preso
alguém a prisão, ou a estabelecimento
destinado a execução de pena privativa de Art. 353 - Arrebatar preso, a fim de
liberdade ou de medida de segurança; maltratá-lo, do poder de quem o tenha sob
custódia ou guarda:
II - prolonga a execução de pena ou
de medida de segurança, deixando de Pena - reclusão, de um a quatro
expedir em tempo oportuno ou de executar anos, além da pena correspondente à
imediatamente a ordem de liberdade; violência.

III - submete pessoa que está sob Motim de presos


sua guarda ou custódia a vexame ou a
constrangimento não autorizado em lei;
Art. 354 - Amotinarem-se presos,
perturbando a ordem ou disciplina da
IV - efetua, com abuso de poder, prisão:
qualquer diligência.
Pena - detenção, de seis meses a
Fuga de pessoa presa ou dois anos, além da pena correspondente à
submetida a medida de segurança violência.

Art. 351 - Promover ou facilitar a Patrocínio infiel


fuga de pessoa legalmente presa ou
submetida a medida de segurança Art. 355 - Trair, na qualidade de
detentiva: advogado ou procurador, o dever
profissional, prejudicando interesse, cujo
Pena - detenção, de seis meses a patrocínio, em juízo, lhe é confiado:
dois anos.
Pena - detenção, de seis meses a
§ 1º - Se o crime é praticado a mão três anos, e multa.
armada, ou por mais de uma pessoa, ou
mediante arrombamento, a pena é de Patrocínio simultâneo ou
reclusão, de dois a seis anos. tergiversação

§ 2º - Se há emprego de violência
Parágrafo único - Incorre na pena
contra pessoa, aplica-se também a pena
deste artigo o advogado ou procurador
correspondente à violência.
judicial que defende na mesma causa,
simultânea ou sucessivamente, partes
§ 3º - A pena é de reclusão, de um a contrárias.
quatro anos, se o crime é praticado por
pessoa sob cuja custódia ou guarda está o Sonegação de papel ou objeto de
preso ou o internado. valor probatório

§ 4º - No caso de culpa do
Art. 356 - Inutilizar, total ou
funcionário incumbido da custódia ou
parcialmente, ou deixar de restituir autos,
guarda, aplica-se a pena de detenção, de
documento ou objeto de valor probatório,
três meses a um ano, ou multa.
que recebeu na qualidade de advogado ou
procurador:
Evasão mediante violência contra
a pessoa
Pena - detenção, de seis meses a
três anos, e multa.
Art. 352 - Evadir-se ou tentar evadir-
se o preso ou o indivíduo submetido a Exploração de prestígio
medida de segurança detentiva, usando de
violência contra a pessoa:
Art. 357 - Solicitar ou receber
dinheiro ou qualquer outra utilidade, a
Pena - detenção, de três meses a pretexto de influir em juiz, jurado, órgão do
um ano, além da pena correspondente à
violência.
Ministério Público, funcionário de justiça, por meio de violência, grave ameaça,
perito, tradutor, intérprete ou testemunha: fraude ou oferecimento de vantagem:

Pena - reclusão, de um a cinco anos, Pena - detenção, de dois meses a


e multa. um ano, ou multa, além da pena
correspondente à violência.
Parágrafo único - As penas
aumentam-se de um terço, se o agente Desobediência a decisão judicial
alega ou insinua que o dinheiro ou utilidade sobre perda ou suspensão de direito
também se destina a qualquer das pessoas
referidas neste artigo. Art. 359 - Exercer função, atividade,
direito, autoridade ou múnus, de que foi
Violência ou fraude em suspenso ou privado por decisão judicial:
arrematação judicial
Pena - detenção, de três meses a
Art. 358 - Impedir, perturbar ou dois anos, ou multa.
fraudar arrematação judicial; afastar ou
procurar afastar concorrente ou licitante,
CODIGO PROCESSO PENAL
TÍTULO II de inquérito caberá recurso para o
chefe de Polícia.
DO INQUÉRITO POLICIAL
§ 3o Qualquer pessoa do povo
Art. 4º A polícia judiciária será que tiver conhecimento da
exercida pelas autoridades policiais no existência de infração penal em que
território de suas respectivas circunscrições caiba ação pública poderá,
e terá por fim a apuração das infrações verbalmente ou por escrito,
penais e da sua autoria. comunicá-la à autoridade policial, e
esta, verificada a procedência das
Parágrafo único. A informações, mandará instaurar
competência definida neste artigo inquérito.
não excluirá a de autoridades
administrativas, a quem por lei seja § 4o O inquérito, nos crimes
cometida a mesma função. em que a ação pública depender de
representação, não poderá sem ela
Art. 5o Nos crimes de ação ser iniciado.
pública o inquérito policial será
iniciado: § 5o Nos crimes de ação
privada, a autoridade policial
I - de ofício; somente poderá proceder a
inquérito a requerimento de quem
II - mediante requisição da tenha qualidade para intentá-la.
autoridade judiciária ou do
Ministério Público, ou a Art. 6o Logo que tiver
requerimento do ofendido ou de conhecimento da prática da infração
quem tiver qualidade para penal, a autoridade policial deverá:
representá-lo.
I - dirigir-se ao local, providenciando
§ 1o O requerimento a que se para que não se alterem o estado e
refere o no II conterá sempre que conservação das coisas, até a chegada dos
possível: peritos criminais;

a) a narração do fato, com II - apreender os objetos que tiverem


todas as circunstâncias; relação com o fato, após liberados pelos
peritos criminais;

b) a individualização do
III - colher todas as provas que
indiciado ou seus sinais
servirem para o esclarecimento do
característicos e as razões de
fato e suas circunstâncias;
convicção ou de presunção de ser
ele o autor da infração, ou os
IV - ouvir o ofendido;
motivos de impossibilidade de o
fazer;
V - ouvir o indiciado, com
observância, no que for aplicável,
c) a nomeação das
do disposto no Capítulo III do Título
testemunhas, com indicação de sua
Vll, deste Livro, devendo o
profissão e residência.
respectivo termo ser assinado por
duas testemunhas que Ihe tenham
§ 2o Do despacho que
ouvido a leitura;
indeferir o requerimento de abertura
VI - proceder a reconhecimento TÍTULO VII
de pessoas e coisas e a
acareações; DA PROVA

VII - determinar, se for caso, CAPÍTULO I


que se proceda a exame de corpo
de delito e a quaisquer outras DISPOSIÇÕES GERAIS
perícias;
Art. 155. O juiz formará sua
VIII - ordenar a identificação do convicção pela livre apreciação da prova
indiciado pelo processo produzida em contraditório judicial, não
podendo fundamentar sua decisão
datiloscópico, se possível, e fazer exclusivamente nos elementos informativos
juntar aos autos sua folha de colhidos na investigação, ressalvadas as
antecedentes; provas cautelares, não repetíveis e
antecipadas. (Redação dada
IX - averiguar a vida pregressa pela Lei nº 11.690, de 2008)
do indiciado, sob o ponto de vista
Parágrafo único. Somente quanto ao
individual, familiar e social, sua estado das pessoas serão observadas as
condição econômica, sua atitude e restrições estabelecidas na lei
estado de ânimo antes e depois do civil. (Incluído pela Lei nº 11.690,
crime e durante ele, e quaisquer de 2008)
outros elementos que contribuírem
para a apreciação do seu Art. 156. A prova da alegação
incumbirá a quem a fizer, sendo, porém,
temperamento e caráter. facultado ao juiz de
ofício: (Redação dada pela Lei nº
X - colher informações sobre a 11.690, de 2008)
existência de filhos, respectivas idades e se
possuem alguma deficiência e o nome e o I – ordenar, mesmo antes de iniciada
contato de eventual responsável pelos a ação penal, a produção antecipada de
cuidados dos filhos, indicado pela pessoa provas consideradas urgentes e relevantes,
presa. observando a necessidade, adequação e
proporcionalidade da
CAPÍTULO III medida; (Incluído pela Lei nº
11.690, de 2008)
DAS INCOMPATIBILIDADES E
II – determinar, no curso da instrução,
IMPEDIMENTOS ou antes de proferir sentença, a realização
de diligências para dirimir dúvida sobre
Art. 112. O juiz, o órgão do ponto relevante. (Incluído pela
Ministério Público, os serventuários Lei nº 11.690, de 2008)
ou funcionários de justiça e os
peritos ou intérpretes abster-se-ão Art. 157. São inadmissíveis, devendo
ser desentranhadas do processo, as provas
de servir no processo, quando ilícitas, assim entendidas as obtidas em
houver incompatibilidade ou violação a normas constitucionais ou
impedimento legal, que declararão legais. (Redação dada pela Lei nº
nos autos. Se não se der a 11.690, de 2008)
abstenção, a incompatibilidade ou
impedimento poderá ser argüido § 1o São também inadmissíveis as
provas derivadas das ilícitas, salvo quando
pelas partes, seguindo-se o não evidenciado o nexo de causalidade
processo estabelecido para a entre umas e outras, ou quando as
exceção de suspeição. derivadas puderem ser obtidas por uma
fonte independente das
primeiras. (Incluído pela Lei nº § 3o Serão facultadas ao Ministério
11.690, de 2008) Público, ao assistente de acusação, ao
ofendido, ao querelante e ao acusado a
§ 2o Considera-se fonte independente formulação de quesitos e indicação de
aquela que por si só, seguindo os trâmites assistente técnico. (Incluído
típicos e de praxe, próprios da investigação pela Lei nº 11.690, de 2008)
ou instrução criminal, seria capaz de
conduzir ao fato objeto da § 4o O assistente técnico atuará a
prova. (Incluído pela Lei nº partir de sua admissão pelo juiz e após a
11.690, de 2008) conclusão dos exames e elaboração do
laudo pelos peritos oficiais, sendo as partes
§ 3o Preclusa a decisão de intimadas desta
desentranhamento da prova declarada decisão. (Incluído pela Lei nº
inadmissível, esta será inutilizada por 11.690, de 2008)
decisão judicial, facultado às partes
acompanhar o § 5o Durante o curso do processo
incidente. (Incluído pela Lei nº judicial, é permitido às partes, quanto à
11.690, de 2008) perícia: (Incluído pela Lei nº
11.690, de 2008)
§ 4o (VETADO) (Incluído pela Lei nº
11.690, de 2008) I – requerer a oitiva dos peritos para
esclarecerem a prova ou para responderem
CAPÍTULO II a quesitos, desde que o mandado de
intimação e os quesitos ou questões a
serem esclarecidas sejam encaminhados
DO EXAME DO CORPO DE com antecedência mínima de 10 (dez)
DELITO, E DAS PERÍCIAS EM dias, podendo apresentar as respostas em
GERAL laudo complementar; (Incluído
pela Lei nº 11.690, de 2008)
Art. 158. Quando a infração
II – indicar assistentes técnicos que
deixar vestígios, será indispensável poderão apresentar pareceres em prazo a
o exame de corpo de delito, direto ser fixado pelo juiz ou ser inquiridos em
ou indireto, não podendo supri-lo a audiência. (Incluído pela Lei nº
confissão do acusado. 11.690, de 2008)

§ 6o Havendo requerimento das


Art. 159. O exame de corpo de delito
partes, o material probatório que serviu de
e outras perícias serão realizados por base à perícia será
perito oficial, portador de diploma de curso disponibilizado no ambiente do órgão
superior. (Redação dada pela oficial, que manterá sempre sua guarda, e
Lei nº 11.690, de 2008) na presença de perito oficial, para exame
pelos assistentes, salvo se for impossível a
§ 1o Na falta de perito oficial, o exame sua conservação. (Incluído pela
será realizado por 2 (duas) pessoas Lei nº 11.690, de 2008)
idôneas, portadoras de diploma de curso
superior preferencialmente na área § 7o Tratando-se de perícia complexa
específica, dentre as que tiverem que abranja mais de uma área de
habilitação técnica relacionada com a conhecimento especializado, poder-se-á
natureza do exame. (Redação designar a atuação de mais de um perito
dada pela Lei nº 11.690, de 2008) oficial, e a parte indicar mais de um
assistente técnico. (Incluído pela
§ 2o Os peritos não oficiais prestarão Lei nº 11.690, de 2008)
o compromisso de bem e fielmente
desempenhar o
encargo. (Redação dada pela Lei Art. 160. Os peritos elaborarão o
nº 11.690, de 2008) laudo pericial, onde descreverão
minuciosamente o que examinarem, e
responderão aos quesitos
formulados. (Redação dada às pesquisas necessárias, o que
pela Lei nº 8.862, de 28.3.1994) tudo constará do auto.
Parágrafo único. O laudo pericial será
elaborado no prazo máximo de 10 dias, Art. 164. Os cadáveres serão sempre
podendo este prazo ser prorrogado, em fotografados na posição em que forem
casos excepcionais, a requerimento dos encontrados, bem como, na medida do
peritos. (Redação dada pela Lei possível, todas as lesões externas e
nº 8.862, de 28.3.1994) vestígios deixados no local do
crime. (Redação dada pela Lei
nº 8.862, de 28.3.1994)
Art. 161. O exame de corpo de
delito poderá ser feito em qualquer
Art. 165. Para representar as
dia e a qualquer hora.
lesões encontradas no cadáver, os
peritos, quando possível, juntarão
Art. 162. A autópsia será feita
ao laudo do exame provas
pelo menos seis horas depois do
fotográficas, esquemas ou
óbito, salvo se os peritos, pela
desenhos, devidamente rubricados.
evidência dos sinais de morte,
julgarem que possa ser feita antes
Art. 166. Havendo dúvida
daquele prazo, o que declararão no
sobre a identidade do cadáver
auto.
exumado, proceder-se-á ao
reconhecimento pelo Instituto de
Parágrafo único. Nos casos de
Identificação e Estatística ou
morte violenta, bastará o simples
repartição congênere ou pela
exame externo do cadáver, quando
inquirição de testemunhas,
não houver infração penal que
lavrando-se auto de reconhecimento
apurar, ou quando as lesões
e de identidade, no qual se
externas permitirem precisar a
descreverá o cadáver, com todos os
causa da morte e não houver
sinais e indicações.
necessidade de exame interno para
a verificação de alguma
Parágrafo único. Em qualquer
circunstância relevante.
caso, serão arrecadados e
autenticados todos os objetos
Art. 163. Em caso de
encontrados, que possam ser úteis
exumação para exame cadavérico,
para a identificação do cadáver.
a autoridade providenciará para
que, em dia e hora previamente
Art. 167. Não sendo possível o
marcados, se realize a diligência, da
exame de corpo de delito, por
qual se lavrará auto
haverem desaparecido os vestígios,
circunstanciado.
a prova testemunhal poderá suprir-
lhe a falta.
Parágrafo único. O
administrador de cemitério público
Art. 168. Em caso de lesões
ou particular indicará o lugar da
corporais, se o primeiro exame
sepultura, sob pena de
pericial tiver sido incompleto,
desobediência. No caso de recusa
proceder-se-á a exame
ou de falta de quem indique a
complementar por determinação da
sepultura, ou de encontrar-se o
autoridade policial ou judiciária, de
cadáver em lugar não destinado a
ofício, ou a requerimento do
inumações, a autoridade procederá
Ministério Público, do ofendido ou
do acusado, ou de seu defensor.
§ 1o No exame complementar, meios e em que época presumem
os peritos terão presente o auto de ter sido o fato praticado.
corpo de delito, a fim de suprir-lhe a
deficiência ou retificá-lo. Art. 172. Proceder-se-á,
quando necessário, à avaliação de
§ 2o Se o exame tiver por fim coisas destruídas, deterioradas ou
precisar a classificação do delito no que constituam produto do crime.
art. 129, § 1o, I, do Código Penal,
deverá ser feito logo que decorra o Parágrafo único. Se
prazo de 30 dias, contado da data impossível a avaliação direta, os
do crime. peritos procederão à avaliação por
meio dos elementos existentes nos
§ 3o A falta de exame autos e dos que resultarem de
complementar poderá ser suprida diligências.
pela prova testemunhal.
Art. 173. No caso de incêndio,
Art. 169. Para o efeito de os peritos verificarão a causa e o
exame do local onde houver sido lugar em que houver começado, o
praticada a infração, a autoridade perigo que dele tiver resultado para
providenciará imediatamente para a vida ou para o patrimônio alheio, a
que não se altere o estado das extensão do dano e o seu valor e as
coisas até a chegada dos peritos, demais circunstâncias que
que poderão instruir seus laudos interessarem à elucidação do fato.
com fotografias, desenhos ou
esquemas Art. 174. No exame para o
elucidativos. (Vide Lei nº reconhecimento de escritos, por
5.970, de 1973) comparação de letra, observar-se-á
o seguinte:
Parágrafo único. Os peritos
registrarão, no laudo, as alterações do I - a pessoa a quem se atribua
estado das coisas e discutirão, no relatório, ou se possa atribuir o escrito será
as conseqüências dessas alterações na intimada para o ato, se for
dinâmica dos fatos. (Incluído
encontrada;
pela Lei nº 8.862, de 28.3.1994)

Art. 170. Nas perícias de II - para a comparação,


laboratório, os peritos guardarão poderão servir quaisquer
material suficiente para a documentos que a dita pessoa
eventualidade de nova perícia. reconhecer ou já tiverem sido
Sempre que conveniente, os laudos judicialmente reconhecidos como de
serão ilustrados com provas seu punho, ou sobre cuja
fotográficas, ou microfotográficas, autenticidade não houver dúvida;
desenhos ou esquemas.
III - a autoridade, quando
Art. 171. Nos crimes necessário, requisitará, para o
cometidos com destruição ou exame, os documentos que
rompimento de obstáculo a existirem em arquivos ou
subtração da coisa, ou por meio de estabelecimentos públicos, ou
escalada, os peritos, além de nestes realizará a diligência, se daí
descrever os vestígios, indicarão não puderem ser retirados;
com que instrumentos, por que
IV - quando não houver Art. 180. Se houver
escritos para a comparação ou divergência entre os peritos, serão
forem insuficientes os exibidos, a consignadas no auto do exame as
autoridade mandará que a pessoa declarações e respostas de um e de
escreva o que Ihe for ditado. Se outro, ou cada um redigirá
estiver ausente a pessoa, mas em separadamente o seu laudo, e a
lugar certo, esta última diligência autoridade nomeará um terceiro; se
poderá ser feita por precatória, em este divergir de ambos, a autoridade
que se consignarão as palavras que poderá mandar proceder a novo
a pessoa será intimada a escrever. exame por outros peritos.

Art. 175. Serão sujeitos a Art. 181. No caso de


exame os instrumentos empregados inobservância de formalidades, ou
para a prática da infração, a fim de no caso de omissões, obscuridades
se Ihes verificar a natureza e a ou contradições, a autoridade
eficiência. judiciária mandará suprir a
formalidade, complementar ou
Art. 176. A autoridade e as esclarecer o laudo.
partes poderão formular quesitos
até o ato da diligência. Parágrafo único. A autoridade
poderá também ordenar que se
Art. 177. No exame por proceda a novo exame, por outros
precatória, a nomeação dos peritos peritos, se julgar conveniente.
far-se-á no juízo deprecado.
Havendo, porém, no caso de ação Art. 182. O juiz não ficará
privada, acordo das partes, essa adstrito ao laudo, podendo aceitá-lo
nomeação poderá ser feita pelo juiz ou rejeitá-lo, no todo ou em parte.
deprecante.
Art. 183. Nos crimes em que
Parágrafo único. Os quesitos não couber ação pública, observar-
do juiz e das partes serão se-á o disposto no art. 19.
transcritos na precatória.
Art. 184. Salvo o caso de
Art. 178. No caso do art. 159, exame de corpo de delito, o juiz ou
o exame será requisitado pela a autoridade policial negará a
autoridade ao diretor da repartição, perícia requerida pelas partes,
juntando-se ao processo o laudo quando não for necessária ao
assinado pelos peritos. esclarecimento da verdade.

Art. 179. No caso do § 1o do CAPÍTULO V


art. 159, o escrivão lavrará o auto
respectivo, que será assinado pelos DOS FUNCIONÁRIOS DA JUSTIÇA
peritos e, se presente ao exame,
também pela autoridade. Art. 274. As prescrições sobre
suspeição dos juízes estendem-se
Parágrafo único. No caso do aos serventuários e funcionários da
art. 160, parágrafo único, o laudo, justiça, no que Ihes for aplicável.
que poderá ser datilografado, será
subscrito e rubricado em suas CAPÍTULO VI
folhas por todos os peritos.
DOS PERITOS E INTÉRPRETES Art. 280. É extensivo aos
peritos, no que Ihes for aplicável, o
Art. 275. O perito, ainda disposto sobre suspeição dos
quando não oficial, estará sujeito à juízes.
disciplina judiciária.
Art. 281. Os intérpretes são,
Art. 276. As partes não para todos os efeitos, equiparados
intervirão na nomeação do perito. aos peritos.

Art. 277. O perito nomeado CAPÍTULO II


pela autoridade será obrigado a
aceitar o encargo, sob pena de DA PRISÃO EM FLAGRANTE
multa de cem a quinhentos mil-réis,
salvo escusa atendível. Art. 301. Qualquer do povo
poderá e as autoridades policiais e
Parágrafo único. Incorrerá na seus agentes deverão prender
mesma multa o perito que, sem quem quer que seja encontrado em
justa causa, provada flagrante delito.
imediatamente:
Art. 302. Considera-se em
a) deixar de acudir à intimação flagrante delito quem:
ou ao chamado da autoridade;
I - está cometendo a infração
b) não comparecer no dia e penal;
local designados para o exame;
II - acaba de cometê-la;
c) não der o laudo, ou
concorrer para que a perícia não III - é perseguido, logo após,
seja feita, nos prazos estabelecidos. pela autoridade, pelo ofendido ou
por qualquer pessoa, em situação
Art. 278. No caso de não- que faça presumir ser autor da
comparecimento do perito, sem infração;
justa causa, a autoridade poderá
determinar a sua condução. IV - é encontrado, logo depois,
com instrumentos, armas, objetos
Art. 279. Não poderão ser ou papéis que façam presumir ser
peritos: ele autor da infração.

I - os que estiverem sujeitos à Art. 303. Nas infrações


interdição de direito mencionada permanentes, entende-se o agente
nos ns. I e IV do art. 69 do Código em flagrante delito enquanto não
Penal; cessar a permanência.

II - os que tiverem prestado Art. 304. Apresentado o preso à


depoimento no processo ou opinado autoridade competente, ouvirá esta o
condutor e colherá, desde logo, sua
anteriormente sobre o objeto da assinatura, entregando a este cópia do
perícia; termo e recibo de entrega do preso. Em
seguida, procederá à oitiva das
III - os analfabetos e os testemunhas que o acompanharem e ao
menores de 21 anos. interrogatório do acusado sobre a
imputação que lhe é feita, colhendo, após
cada oitiva suas respectivas assinaturas, informe o nome de seu advogado, cópia
lavrando, a autoridade, afinal, o auto. integral para a Defensoria Pública.

§ 1o Resultando das respostas § 2o No mesmo prazo, será entregue


fundada a suspeita contra o ao preso, mediante recibo, a nota de culpa,
assinada pela autoridade, com o motivo da
conduzido, a autoridade mandará prisão, o nome do condutor e os das
recolhê-lo à prisão, exceto no caso testemunhas.
de livrar-se solto ou de prestar
fiança, e prosseguirá nos atos do Art. 307. Quando o fato for
inquérito ou processo, se para isso praticado em presença da
for competente; se não o for, autoridade, ou contra esta, no
enviará os autos à autoridade que o exercício de suas funções,
seja. constarão do auto a narração deste
fato, a voz de prisão, as
§ 2o A falta de testemunhas da declarações que fizer o preso e os
infração não impedirá o auto de depoimentos das testemunhas,
prisão em flagrante; mas, nesse sendo tudo assinado pela
caso, com o condutor, deverão autoridade, pelo preso e pelas
assiná-lo pelo menos duas pessoas testemunhas e remetido
que hajam testemunhado a imediatamente ao juiz a quem
apresentação do preso à couber tomar conhecimento do fato
autoridade. delituoso, se não o for a autoridade
que houver presidido o auto.
§ 3o Quando o acusado se recusar a
assinar, não souber ou não puder fazê-lo, o Art. 308. Não havendo
auto de prisão em flagrante será assinado
por duas testemunhas, que tenham ouvido
autoridade no lugar em que se tiver
sua leitura na presença deste. efetuado a prisão, o preso será logo
apresentado à do lugar mais
§ 4o Da lavratura do auto de prisão próximo.
em flagrante deverá constar a informação
sobre a existência de filhos, respectivas Art. 309. Se o réu se livrar
idades e se possuem alguma deficiência e
o nome e o contato de eventual
solto, deverá ser posto em
responsável pelos cuidados dos filhos, liberdade, depois de lavrado o auto
indicado pela pessoa presa. de prisão em flagrante.

Art. 305. Na falta ou no Art. 310. Ao receber o auto de prisão


impedimento do escrivão, qualquer em flagrante, o juiz deverá
pessoa designada pela autoridade fundamentadamente:
lavrará o auto, depois de prestado o
I - relaxar a prisão ilegal; ou
compromisso legal.
II - converter a prisão em flagrante em
Art. 306. A prisão de qualquer preventiva, quando presentes os requisitos
pessoa e o local onde se encontre serão constantes do art. 312 deste Código, e se
comunicados imediatamente ao juiz revelarem inadequadas ou insuficientes as
competente, ao Ministério Público e à medidas cautelares diversas da prisão;
família do preso ou à pessoa por ele ou
indicada.
III - conceder liberdade provisória,
§ 1o Em até 24 (vinte e quatro) horas com ou sem fiança.
após a realização da prisão, será
encaminhado ao juiz competente o auto de
prisão em flagrante e, caso o autuado não
Parágrafo único. Se o juiz verificar, fundamentadamente, conceder ao acusado
pelo auto de prisão em flagrante, que o liberdade provisória, mediante termo de
agente praticou o fato nas condições comparecimento a todos os atos
constantes dos incisos I a III do caput do processuais, sob pena de revogação.
art. 23 do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de
dezembro de 1940 - Código Penal, poderá,
Código de Trânsito Brasileiro
Art. 301. Ao condutor de veículo, Art. 303. Praticar lesão
nos casos de acidentes de trânsito corporal culposa na direção de
de que resulte vítima, não se imporá veículo automotor:
a prisão em flagrante, nem se
exigirá fiança, se prestar pronto e Penas - detenção, de seis
integral socorro àquela. meses a dois anos e suspensão ou
proibição de se obter a permissão
Seção II ou a habilitação para dirigir veículo
Dos Crimes em Espécie automotor.

Art. 302. Praticar homicídio Parágrafo único. Aumenta-se a


culposo na direção de veículo pena de um terço à metade, se
automotor: ocorrer qualquer das hipóteses do
parágrafo único do artigo anterior.
Penas - detenção, de dois a
quatro anos, e suspensão ou
proibição de se obter a permissão
ou a habilitação para dirigir veículo § 1o Aumenta-se a pena de 1/3 (um
automotor. terço) à metade, se ocorrer qualquer das
hipóteses do § 1o do art. 302.
§ 1o No homicídio culposo cometido
na direção de veículo automotor, a pena é § 2o A pena privativa de liberdade é
aumentada de 1/3 (um terço) à metade, se de reclusão de dois a cinco anos, sem
o agente: prejuízo das outras penas previstas neste
artigo, se o agente conduz o veículo com
I - não possuir Permissão para Dirigir capacidade psicomotora alterada em razão
ou Carteira de Habilitação; da influência de álcool ou de outra
substância psicoativa que determine
II - praticá-lo em faixa de pedestres dependência, e se do crime resultar lesão
ou na calçada; corporal de natureza grave ou
gravíssima.
III - deixar de prestar socorro,
quando possível fazê-lo sem risco pessoal, Art. 304. Deixar o condutor do
à vítima do acidente; veículo, na ocasião do acidente, de
prestar imediato socorro à vítima,
IV - no exercício de sua profissão ou ou, não podendo fazê-lo
atividade, estiver conduzindo veículo de diretamente, por justa causa, deixar
transporte de passageiros. de solicitar auxílio da autoridade
pública:

Penas - detenção, de seis


§ 3o Se o agente conduz veículo
automotor sob a influência de álcool ou de meses a um ano, ou multa, se o fato
qualquer outra substância psicoativa que não constituir elemento de crime
determine dependência: mais grave.

Penas - reclusão, de cinco a oito Parágrafo único. Incide nas


anos, e suspensão ou proibição do direito penas previstas neste artigo o
de se obter a permissão ou a habilitação
para dirigir veículo automotor.
condutor do veículo, ainda que a
sua omissão seja suprida por
terceiros ou que se trate de vítima
com morte instantânea ou com
ferimentos leves.
Art. 305. Afastar-se o condutor prazo de suspensão ou de
do veículo do local do acidente, proibição.
para fugir à responsabilidade penal
ou civil que lhe possa ser atribuída: Parágrafo único. Nas mesmas
penas incorre o condenado que
Penas - detenção, de seis deixa de entregar, no prazo
meses a um ano, ou multa. estabelecido no § 1º do art. 293, a
Permissão para Dirigir ou a Carteira
Art. 306. Conduzir veículo automotor de Habilitação.
com capacidade psicomotora alterada em
razão da influência de álcool ou de outra
substância psicoativa que determine
dependência:
Art. 308. Participar, na direção de
veículo automotor, em via pública, de
Penas - detenção, de seis corrida, disputa ou competição
meses a três anos, multa e automobilística ou ainda de exibição ou
suspensão ou proibição de se obter demonstração de perícia em manobra de
a permissão ou a habilitação para veículo automotor, não autorizada pela
autoridade competente, gerando situação
dirigir veículo automotor. de risco à incolumidade pública ou
privada:
§ 1o As condutas previstas
no caput serão constatadas por: Penas - detenção, de 6 (seis) meses
a 3 (três) anos, multa e suspensão ou
I - concentração igual ou superior a 6 proibição de se obter a permissão ou a
decigramas de álcool por litro de sangue ou habilitação para
igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool dirigir v eíc u lo automotor.
por litro de ar alveolar; ou
§ 1o Se da prática do crime previsto
II - sinais que indiquem, na forma no caput resultar lesão corporal de
disciplinada pelo Contran, alteração da natureza grave, e as circunstâncias
capacidade psicomotora demonstrarem que o agente não quis o
resultado nem assumiu o risco de produzi-
§ 2o A verificação do disposto neste lo, a pena privativa de liberdade é de
artigo poderá ser obtida mediante teste de reclusão, de 3 (três) a 6 (seis) anos, sem
alcoolemia ou toxicológico, exame clínico, prejuízo das outras penas previstas neste
perícia, vídeo, prova testemunhal ou outros artigo.
meios de prova em direito admitidos,
observado o direito à contraprova § 2o Se da prática do crime previsto
no caput resultar morte, e as circunstâncias
§ 3o O Contran disporá sobre a demonstrarem que o agente não quis o
equivalência entre os distintos testes de resultado nem assumiu o risco de produzi-
alcoolemia ou toxicológicos para efeito de lo, a pena privativa de liberdade é de
caracterização do crime tipificado neste reclusão de 5 (cinco) a 10 (dez) anos, sem
artigo. prejuízo das outras penas previstas neste
artigo.
Art. 307. Violar a suspensão ou
a proibição de se obter a permissão Art. 309. Dirigir veículo
ou a habilitação para dirigir veículo automotor, em via pública, sem a
automotor imposta com fundamento devida Permissão para Dirigir ou
neste Código: Habilitação ou, ainda, se cassado o
direito de dirigir, gerando perigo de
Penas - detenção, de seis dano:
meses a um ano e multa, com nova
imposição adicional de idêntico
Penas - detenção, de seis pessoa, a fim de induzir a erro o
meses a um ano, ou multa. agente policial, o perito, ou juiz:

Art. 310. Permitir, confiar ou Penas - detenção, de seis


entregar a direção de veículo meses a um ano, ou multa.
automotor a pessoa não habilitada,
com habilitação cassada ou com o Parágrafo único. Aplica-se o
direito de dirigir suspenso, ou, disposto neste artigo, ainda que não
ainda, a quem, por seu estado de iniciados, quando da inovação, o
saúde, física ou mental, ou por procedimento preparatório, o
embriaguez, não esteja em inquérito ou o processo aos quais
condições de conduzi-lo com se refere.
segurança:
Art. 312-A. Para os crimes
Penas - detenção, de seis relacionados nos arts. 302 a 312 deste
meses a um ano, ou multa. Código, nas situações em que o juiz aplicar
a substituição de pena privativa de
liberdade por pena restritiva de direitos,
Art. 310-A. (VETADO) esta deverá ser de prestação de serviço à
comunidade ou a entidades públicas, em
Art. 311. Trafegar em uma das seguintes atividades:
velocidade incompatível com a
segurança nas proximidades de I - trabalho, aos fins de semana, em
escolas, hospitais, estações de equipes de resgate dos corpos de
bombeiros e em outras unidades móveis
embarque e desembarque de especializadas no atendimento a vítimas de
passageiros, logradouros estreitos, trânsito;
ou onde haja grande movimentação
ou concentração de pessoas, II - trabalho em unidades de pronto-
gerando perigo de dano: socorro de hospitais da rede pública que
recebem vítimas de acidente de trânsito e
politraumatizados;
Penas - detenção, de seis
meses a um ano, ou multa. III - trabalho em clínicas ou instituições
especializadas na recuperação de
Art. 312. Inovar acidentados de trânsito;
artificiosamente, em caso de
acidente automobilístico com vítima, IV - outras atividades relacionadas ao
na pendência do respectivo resgate, atendimento e recuperação de
vítimas de acidentes de trânsito.
procedimento policial preparatório,
inquérito policial ou processo penal,
o estado de lugar, de coisa ou de
- Lei Federal n.º 9.099/1995 (Lei dos
Juizados Especiais Criminais)
Art. 64. Os atos processuais
serão públicos e poderão realizar-se
Capítulo III em horário noturno e em qualquer
dia da semana, conforme
Dos Juizados Especiais Criminais dispuserem as normas de
organização judiciária.
Disposições Gerais
Art. 65. Os atos processuais
serão válidos sempre que
preencherem as finalidades para as
Art. 60. O Juizado Especial Criminal, quais foram realizados, atendidos
provido por juízes togados ou togados e
leigos, tem competência para a conciliação,
os critérios indicados no art. 62
o julgamento e a execução das infrações desta Lei.
penais de menor potencial ofensivo,
respeitadas as regras de conexão e § 1º Não se pronunciará
continência. qualquer nulidade sem que tenha
havido prejuízo.
Parágrafo único. Na reunião de
processos, perante o juízo comum ou o
tribunal do júri, decorrentes da aplicação § 2º A prática de atos
das regras de conexão e continência, processuais em outras comarcas
observar-se-ão os institutos da transação poderá ser solicitada por qualquer
penal e da composição dos danos meio hábil de comunicação.
civis.

Art. 61. Consideram-se infrações


§ 3º Serão objeto de registro
penais de menor potencial ofensivo, para escrito exclusivamente os atos
os efeitos desta Lei, as contravenções havidos por essenciais. Os atos
penais e os crimes a que a lei comine pena realizados em audiência de
máxima não superior a 2 (dois) anos, instrução e julgamento poderão ser
cumulada ou não com multa.
gravados em fita magnética ou
equivalente.

Art. 66. A citação será pessoal


Art. 62. O processo perante o
e far-se-á no próprio Juizado,
Juizado Especial orientar-se-á pelos
critérios da oralidade, simplicidade, sempre que possível, ou por
informalidade, economia processual e mandado.
celeridade, objetivando, sempre que
possível, a reparação dos danos sofridos Parágrafo único. Não
pela vítima e a aplicação de pena não
privativa de liberdade.
encontrado o acusado para ser
citado, o Juiz encaminhará as peças
Seção I existentes ao Juízo comum para
adoção do procedimento previsto
Da Competência e dos Atos em lei.
Processuais
Art. 67. A intimação far-se-á
Art. 63. A competência do por correspondência, com aviso de
Juizado será determinada pelo lugar recebimento pessoal ou, tratando-se
em que foi praticada a infração de pessoa jurídica ou firma
penal. individual, mediante entrega ao
encarregado da recepção, que será
obrigatoriamente identificado, ou,
sendo necessário, por oficial de Art. 71. Na falta do
justiça, independentemente de comparecimento de qualquer dos
mandado ou carta precatória, ou envolvidos, a Secretaria
ainda por qualquer meio idôneo de providenciará sua intimação e, se
comunicação. for o caso, a do responsável civil, na
forma dos arts. 67 e 68 desta Lei.
Parágrafo único. Dos atos
praticados em audiência considerar- Art. 72. Na audiência
se-ão desde logo cientes as partes, preliminar, presente o representante
os interessados e defensores. do Ministério Público, o autor do fato
e a vítima e, se possível, o
Art. 68. Do ato de intimação do responsável civil, acompanhados
autor do fato e do mandado de por seus advogados, o Juiz
citação do acusado, constará a esclarecerá sobre a possibilidade da
necessidade de seu composição dos danos e da
comparecimento acompanhado de aceitação da proposta de aplicação
advogado, com a advertência de imediata de pena não privativa de
que, na sua falta, ser-lhe-á liberdade.
designado defensor público.
Art. 73. A conciliação será
Seção II conduzida pelo Juiz ou por
conciliador sob sua orientação.
Da Fase Preliminar
Parágrafo único. Os
Art. 69. A autoridade policial conciliadores são auxiliares da
que tomar conhecimento da Justiça, recrutados, na forma da lei
ocorrência lavrará termo local, preferentemente entre
circunstanciado e o encaminhará bacharéis em Direito, excluídos os
imediatamente ao Juizado, com o que exerçam funções na
autor do fato e a vítima, administração da Justiça Criminal.
providenciando-se as requisições
dos exames periciais necessários. Art. 74. A composição dos
danos civis será reduzida a escrito
Parágrafo único. Ao autor do fato e, homologada pelo Juiz mediante
que, após a lavratura do termo, for sentença irrecorrível, terá eficácia
imediatamente encaminhado ao juizado ou de título a ser executado no juízo
assumir o compromisso de a ele civil competente.
comparecer, não se imporá prisão em
flagrante, nem se exigirá fiança. Em caso
de violência doméstica, o juiz poderá Parágrafo único. Tratando-se
determinar, como medida de cautela, seu de ação penal de iniciativa privada
afastamento do lar, domicílio ou local de ou de ação penal pública
convivência com a vítima. condicionada à representação, o
acordo homologado acarreta a
Art. 70. Comparecendo o autor renúncia ao direito de queixa ou
do fato e a vítima, e não sendo representação.
possível a realização imediata da
audiência preliminar, será Art. 75. Não obtida a
designada data próxima, da qual composição dos danos civis, será
ambos sairão cientes. dada imediatamente ao ofendido a
oportunidade de exercer o direito de
representação verbal, que será III - não indicarem os
reduzida a termo. antecedentes, a conduta social e a
personalidade do agente, bem como
Parágrafo único. O não os motivos e as circunstâncias, ser
oferecimento da representação na necessária e suficiente a adoção da
audiência preliminar não implica medida.
decadência do direito, que poderá
ser exercido no prazo previsto em § 3º Aceita a proposta pelo
lei. autor da infração e seu defensor,
será submetida à apreciação do
Art. 76. Havendo Juiz.
representação ou tratando-se de
crime de ação penal pública § 4º Acolhendo a proposta do
incondicionada, não sendo caso de Ministério Público aceita pelo autor
arquivamento, o Ministério Público da infração, o Juiz aplicará a pena
poderá propor a aplicação imediata restritiva de direitos ou multa, que
de pena restritiva de direitos ou não importará em reincidência,
multas, a ser especificada na sendo registrada apenas para
proposta. impedir novamente o mesmo
benefício no prazo de cinco anos.
§ 1º Nas hipóteses de ser a
pena de multa a única aplicável, o § 5º Da sentença prevista no
Juiz poderá reduzi-la até a metade. parágrafo anterior caberá a
apelação referida no art. 82 desta
§ 2º Não se admitirá a Lei.
proposta se ficar comprovado:
§ 6º A imposição da sanção de
I - ter sido o autor da infração que trata o § 4º deste artigo não
condenado, pela prática de crime, à constará de certidão de
pena privativa de liberdade, por antecedentes criminais, salvo para
sentença definitiva; os fins previstos no mesmo
dispositivo, e não terá efeitos civis,
II - ter sido o agente cabendo aos interessados propor
beneficiado anteriormente, no prazo ação cabível no juízo cível.
de cinco anos, pela aplicação de
pena restritiva ou multa, nos termos
deste artigo;
- Lei Federal n.º 11.340/2006 (Lei Maria
da Penha)
TÍTULO I TÍTULO II

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E


FAMILIAR CONTRA A MULHER
Art. 1o Esta Lei cria mecanismos
para coibir e prevenir a violência doméstica CAPÍTULO I
e familiar contra a mulher, nos termos do §
8o do art. 226 da Constituição Federal, da
DISPOSIÇÕES GERAIS
Convenção sobre a Eliminação de Todas
as Formas de Violência contra a Mulher, da
Convenção Interamericana para Prevenir, Art. 5o Para os efeitos desta Lei,
Punir e Erradicar a Violência contra a configura violência doméstica e familiar
Mulher e de outros tratados internacionais contra a mulher qualquer ação ou omissão
ratificados pela República Federativa do baseada no gênero que lhe cause morte,
Brasil; dispõe sobre a criação dos Juizados lesão, sofrimento físico, sexual ou
de Violência Doméstica e Familiar contra a psicológico e dano moral ou
Mulher; e estabelece medidas de patrimonial:
assistência e proteção às mulheres em
situação de violência doméstica e familiar. I - no âmbito da unidade doméstica,
compreendida como o espaço de convívio
Art. 2o Toda mulher, permanente de pessoas, com ou sem
independentemente de classe, raça, etnia, vínculo familiar, inclusive as
orientação sexual, renda, cultura, nível esporadicamente agregadas;
educacional, idade e religião, goza dos
direitos fundamentais inerentes à pessoa II - no âmbito da família,
humana, sendo-lhe asseguradas as compreendida como a comunidade
oportunidades e facilidades para viver sem formada por indivíduos que são ou se
violência, preservar sua saúde física e consideram aparentados, unidos por laços
mental e seu aperfeiçoamento moral, naturais, por afinidade ou por vontade
intelectual e social. expressa;

Art. 3o Serão asseguradas às III - em qualquer relação íntima de


mulheres as condições para o exercício afeto, na qual o agressor conviva ou tenha
efetivo dos direitos à vida, à segurança, à convivido com a ofendida,
saúde, à alimentação, à educação, à independentemente de coabitação.
cultura, à moradia, ao acesso à justiça, ao
esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, Parágrafo único. As relações
à liberdade, à dignidade, ao respeito e à pessoais enunciadas neste artigo
convivência familiar e comunitária. independem de orientação sexual.

§ 1o O poder público desenvolverá Art. 6o A violência doméstica e


políticas que visem garantir os direitos familiar contra a mulher constitui uma das
humanos das mulheres no âmbito das formas de violação dos direitos humanos.
relações domésticas e familiares no sentido
de resguardá-las de toda forma de
negligência, discriminação, exploração, CAPÍTULO II
violência, crueldade e opressão.
DAS FORMAS DE VIOLÊNCIA
§2o Cabe à família, à sociedade e DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A
ao poder público criar as condições MULHER
necessárias para o efetivo exercício dos
direitos enunciados no caput. Art. 7o São formas de violência
doméstica e familiar contra a mulher, entre
Art. 4o Na interpretação desta Lei, outras:
serão considerados os fins sociais a que
ela se destina e, especialmente, as I - a violência física, entendida como
condições peculiares das mulheres em qualquer conduta que ofenda sua
situação de violência doméstica e familiar. integridade ou saúde corporal;
II - a violência psicológica, entendida Estados, do Distrito Federal e dos
como qualquer conduta que lhe cause dano Municípios e de ações não-
emocional e diminuição da auto-estima ou governamentais, tendo por diretrizes:
que lhe prejudique e perturbe o pleno
desenvolvimento ou que vise degradar ou I - a integração operacional do Poder
controlar suas ações, comportamentos, Judiciário, do Ministério Público e da
crenças e decisões, mediante ameaça, Defensoria Pública com as áreas de
constrangimento, humilhação, segurança pública, assistência social,
manipulação, isolamento, vigilância saúde, educação, trabalho e habitação;
constante, perseguição contumaz, insulto,
chantagem, ridicularização, exploração e
limitação do direito de ir e vir ou qualquer II - a promoção de estudos e
outro meio que lhe cause prejuízo à saúde pesquisas, estatísticas e outras
psicológica e à autodeterminação; informações relevantes, com a perspectiva
de gênero e de raça ou etnia, concernentes
às causas, às conseqüências e à
III - a violência sexual, entendida freqüência da violência doméstica e familiar
como qualquer conduta que a constranja a contra a mulher, para a sistematização de
presenciar, a manter ou a participar de dados, a serem unificados nacionalmente,
relação sexual não desejada, mediante e a avaliação periódica dos resultados das
intimidação, ameaça, coação ou uso da medidas adotadas;
força; que a induza a comercializar ou a
utilizar, de qualquer modo, a sua
sexualidade, que a impeça de usar III - o respeito, nos meios de
qualquer método contraceptivo ou que a comunicação social, dos valores éticos e
force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto sociais da pessoa e da família, de forma a
ou à prostituição, mediante coação, coibir os papéis estereotipados que
chantagem, suborno ou manipulação; ou legitimem ou exacerbem a violência
que limite ou anule o exercício de seus doméstica e familiar, de acordo com o
direitos sexuais e reprodutivos; estabelecido no inciso III do art. 1o,
no inciso IV do art. 3o e no inciso IV do art.
221 da Constituição Federal;
IV - a violência patrimonial,
entendida como qualquer conduta que
configure retenção, subtração, destruição IV - a implementação de atendimento
parcial ou total de seus objetos, policial especializado para as mulheres, em
instrumentos de trabalho, documentos particular nas Delegacias de Atendimento à
pessoais, bens, valores e direitos ou Mulher;
recursos econômicos, incluindo os
destinados a satisfazer suas necessidades; V - a promoção e a realização de
campanhas educativas de prevenção da
V - a violência moral, entendida violência doméstica e familiar contra a
como qualquer conduta que configure mulher, voltadas ao público escolar e à
calúnia, difamação ou injúria. sociedade em geral, e a difusão desta Lei e
dos instrumentos de proteção aos direitos
humanos das mulheres;
TÍTULO III
VI - a celebração de convênios,
DA ASSISTÊNCIA À MULHER EM protocolos, ajustes, termos ou outros
SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA instrumentos de promoção de parceria
E FAMILIAR entre órgãos governamentais ou entre
estes e entidades não-governamentais,
CAPÍTULO I tendo por objetivo a implementação de
programas de erradicação da violência
doméstica e familiar contra a mulher;
DAS MEDIDAS INTEGRADAS DE
PREVENÇÃO
VII - a capacitação permanente das
Polícias Civil e Militar, da Guarda
Art. 8o A política pública que visa Municipal, do Corpo de Bombeiros e dos
coibir a violência doméstica e familiar profissionais pertencentes aos órgãos e às
contra a mulher far-se-á por meio de um
conjunto articulado de ações da União, dos
áreas enunciados no inciso I quanto às e tecnológico, incluindo os serviços de
questões de gênero e de raça ou etnia; contracepção de emergência, a profilaxia
das Doenças Sexualmente Transmissíveis
VIII - a promoção de programas (DST) e da Síndrome da Imunodeficiência
educacionais que disseminem valores Adquirida (AIDS) e outros procedimentos
éticos de irrestrito respeito à dignidade da médicos necessários e cabíveis nos casos
pessoa humana com a perspectiva de de violência sexual.
gênero e de raça ou etnia;
CAPÍTULO III
IX - o destaque, nos currículos
escolares de todos os níveis de ensino, DO ATENDIMENTO PELA
para os conteúdos relativos aos direitos AUTORIDADE POLICIAL
humanos, à eqüidade de gênero e de raça
ou etnia e ao problema da violência
Art. 10. Na hipótese da iminência ou
doméstica e familiar contra a mulher.
da prática de violência doméstica e familiar
contra a mulher, a autoridade policial que
CAPÍTULO II tomar conhecimento da ocorrência adotará,
de imediato, as providências legais
DA ASSISTÊNCIA À MULHER EM cabíveis.
SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
E FAMILIAR Parágrafo único. Aplica-se o
disposto no caput deste artigo ao
Art. 9o A assistência à mulher em descumprimento de medida protetiva de
situação de violência doméstica e familiar urgência deferida.
será prestada de forma articulada e
conforme os princípios e as diretrizes Art. 10-A. É direito da mulher em
previstos na Lei Orgânica da Assistência situação de violência doméstica e familiar o
Social, no Sistema Único de Saúde, no atendimento policial e pericial
Sistema Único de Segurança Pública, entre especializado, ininterrupto e prestado por
outras normas e políticas públicas de servidores - preferencialmente do sexo
proteção, e emergencialmente quando for o feminino - previamente
caso. capacitados.

§ 1o O juiz determinará, por prazo § 1o A inquirição de mulher em


certo, a inclusão da mulher em situação de situação de violência doméstica e familiar
violência doméstica e familiar no cadastro ou de testemunha de violência doméstica,
de programas assistenciais do governo quando se tratar de crime contra a mulher,
federal, estadual e municipal. obedecerá às seguintes
diretrizes:
§ 2o O juiz assegurará à mulher em
situação de violência doméstica e familiar, I - salvaguarda da integridade física,
para preservar sua integridade física e psíquica e emocional da depoente,
psicológica: considerada a sua condição peculiar de
pessoa em situação de violência doméstica
I - acesso prioritário à remoção e familiar;
quando servidora pública, integrante da
administração direta ou indireta; II - garantia de que, em nenhuma
hipótese, a mulher em situação de violência
II - manutenção do vínculo doméstica e familiar, familiares e
trabalhista, quando necessário o testemunhas terão contato direto com
afastamento do local de trabalho, por até investigados ou suspeitos e pessoas a eles
seis meses. relacionadas;

§ 3o A assistência à mulher em III - não revitimização da depoente,


situação de violência doméstica e familiar evitando sucessivas inquirições sobre o
compreenderá o acesso aos benefícios mesmo fato nos âmbitos criminal, cível e
decorrentes do desenvolvimento científico administrativo, bem como questionamentos
sobre a vida privada.
§ 2o Na inquirição de mulher em prejuízo daqueles previstos no Código de
situação de violência doméstica e familiar Processo Penal:
ou de testemunha de delitos de que trata
esta Lei, adotar-se-á, preferencialmente, o I - ouvir a ofendida, lavrar o boletim
seguinte procedimento: de ocorrência e tomar a representação a
termo, se apresentada;
I - a inquirição será feita em recinto
especialmente projetado para esse fim, o II - colher todas as provas que
qual conterá os equipamentos próprios e servirem para o esclarecimento do fato e
adequados à idade da mulher em situação de suas circunstâncias;
de violência doméstica e familiar ou
testemunha e ao tipo e à gravidade da
violência sofrida; III - remeter, no prazo de 48
(quarenta e oito) horas, expediente
apartado ao juiz com o pedido da ofendida,
II - quando for o caso, a inquirição para a concessão de medidas protetivas de
será intermediada por profissional urgência;
especializado em violência doméstica e
familiar designado pela autoridade
judiciária ou policial; IV - determinar que se proceda ao
exame de corpo de delito da ofendida e
requisitar outros exames periciais
III - o depoimento será registrado em necessários;
meio eletrônico ou magnético, devendo a
degravação e a mídia integrar o
inquérito. V - ouvir o agressor e as
testemunhas;
Art. 11. No atendimento à mulher
em situação de violência doméstica e VI - ordenar a identificação do
familiar, a autoridade policial deverá, entre agressor e fazer juntar aos autos sua folha
outras providências: de antecedentes criminais, indicando a
existência de mandado de prisão ou
registro de outras ocorrências policiais
I - garantir proteção policial, quando contra ele;
necessário, comunicando de imediato ao
Ministério Público e ao Poder Judiciário;
VII - remeter, no prazo legal, os
autos do inquérito policial ao juiz e ao
II - encaminhar a ofendida ao Ministério Público.
hospital ou posto de saúde e ao Instituto
Médico Legal;
§ 1o O pedido da ofendida será
tomado a termo pela autoridade policial e
III - fornecer transporte para a deverá conter:
ofendida e seus dependentes para abrigo
ou local seguro, quando houver risco de
vida; I - qualificação da ofendida e do
agressor;
IV - se necessário, acompanhar a
ofendida para assegurar a retirada de seus II - nome e idade dos dependentes;
pertences do local da ocorrência ou do
domicílio familiar; III - descrição sucinta do fato e das
medidas protetivas solicitadas pela
V - informar à ofendida os direitos a ofendida.
ela conferidos nesta Lei e os serviços
disponíveis. § 2o A autoridade policial deverá
anexar ao documento referido no § 1o o
Art. 12. Em todos os casos de boletim de ocorrência e cópia de todos os
violência doméstica e familiar contra a documentos disponíveis em posse da
mulher, feito o registro da ocorrência, ofendida.
deverá a autoridade policial adotar, de
imediato, os seguintes procedimentos, sem
§ 3o Serão admitidos como meios de Parágrafo único. Os atos
prova os laudos ou prontuários médicos processuais poderão realizar-se em horário
fornecidos por hospitais e postos de saúde. noturno, conforme dispuserem as normas
de organização judiciária.
Art. 12-A. Os Estados e o Distrito
Federal, na formulação de suas políticas e Art. 15. É competente, por opção da
planos de atendimento à mulher em ofendida, para os processos cíveis regidos
situação de violência doméstica e familiar, por esta Lei, o Juizado:
darão prioridade, no âmbito da Polícia Civil,
à criação de Delegacias Especializadas de I - do seu domicílio ou de sua
Atendimento à Mulher (Deams), de Núcleos residência;
Investigativos de Feminicídio e de equipes
especializadas para o atendimento e a
investigação das violências graves contra a II - do lugar do fato em que se
mulher. baseou a demanda;

Art. 12-B. (VETADO). III - do domicílio do agressor.

§ 1o (VETADO). Art. 16. Nas ações penais públicas


condicionadas à representação da ofendida
de que trata esta Lei, só será admitida a
§ 2o (VETADO. renúncia à representação perante o juiz,
em audiência especialmente designada
§ 3o A autoridade policial poderá com tal finalidade, antes do recebimento da
requisitar os serviços públicos necessários denúncia e ouvido o Ministério Público.
à defesa da mulher em situação de
violência doméstica e familiar e de seus Art. 17. É vedada a aplicação, nos
dependentes. casos de violência doméstica e familiar
contra a mulher, de penas de cesta básica
TÍTULO IV ou outras de prestação pecuniária, bem
como a substituição de pena que implique
DOS PROCEDIMENTOS o pagamento isolado de multa.

CAPÍTULO I CAPÍTULO II

DISPOSIÇÕES GERAIS DAS MEDIDAS PROTETIVAS DE


URGÊNCIA
Art. 13. Ao processo, ao julgamento
e à execução das causas cíveis e criminais Seção I
decorrentes da prática de violência
doméstica e familiar contra a mulher Disposições Gerais
aplicar-se-ão as normas dos Códigos de
Processo Penal e Processo Civil e da Art. 18. Recebido o expediente com
legislação específica relativa à criança, ao o pedido da ofendida, caberá ao juiz, no
adolescente e ao idoso que não conflitarem prazo de 48 (quarenta e oito) horas:
com o estabelecido nesta Lei.
I - conhecer do expediente e do
Art. 14. Os Juizados de Violência pedido e decidir sobre as medidas
Doméstica e Familiar contra a Mulher, protetivas de urgência;
órgãos da Justiça Ordinária com
competência cível e criminal, poderão ser
criados pela União, no Distrito Federal e II - determinar o encaminhamento da
nos Territórios, e pelos Estados, para o ofendida ao órgão de assistência judiciária,
processo, o julgamento e a execução das quando for o caso;
causas decorrentes da prática de violência
doméstica e familiar contra a mulher. III - comunicar ao Ministério Público
para que adote as providências cabíveis.
Art. 19. As medidas protetivas de Das Medidas Protetivas de
urgência poderão ser concedidas pelo juiz, Urgência que Obrigam o Agressor
a requerimento do Ministério Público ou a
pedido da ofendida. Art. 22. Constatada a prática de
violência doméstica e familiar contra a
§ 1o As medidas protetivas de mulher, nos termos desta Lei, o juiz poderá
urgência poderão ser concedidas de aplicar, de imediato, ao agressor, em
imediato, independentemente de audiência conjunto ou separadamente, as seguintes
das partes e de manifestação do Ministério medidas protetivas de urgência, entre
Público, devendo este ser prontamente outras:
comunicado.
I - suspensão da posse ou restrição
§ 2o As medidas protetivas de do porte de armas, com comunicação ao
urgência serão aplicadas isolada ou órgão competente, nos termos da Lei
cumulativamente, e poderão ser no 10.826, de 22 de dezembro de 2003;
substituídas a qualquer tempo por outras
de maior eficácia, sempre que os direitos II - afastamento do lar, domicílio ou
reconhecidos nesta Lei forem ameaçados local de convivência com a ofendida;
ou violados.
III - proibição de determinadas
§ 3o Poderá o juiz, a requerimento condutas, entre as quais:
do Ministério Público ou a pedido da
ofendida, conceder novas medidas
protetivas de urgência ou rever aquelas já a) aproximação da ofendida, de seus
concedidas, se entender necessário à familiares e das testemunhas, fixando o
proteção da ofendida, de seus familiares e limite mínimo de distância entre estes e o
de seu patrimônio, ouvido o Ministério agressor;
Público.
b) contato com a ofendida, seus
Art. 20. Em qualquer fase do familiares e testemunhas por qualquer meio
inquérito policial ou da instrução criminal, de comunicação;
caberá a prisão preventiva do agressor,
decretada pelo juiz, de ofício, a c) freqüentação de determinados
requerimento do Ministério Público ou lugares a fim de preservar a integridade
mediante representação da autoridade física e psicológica da ofendida;
policial.
IV - restrição ou suspensão de visitas
Parágrafo único. O juiz poderá aos dependentes menores, ouvida a equipe
revogar a prisão preventiva se, no curso do de atendimento multidisciplinar ou serviço
processo, verificar a falta de motivo para similar;
que subsista, bem como de novo decretá-
la, se sobrevierem razões que a V - prestação de alimentos
justifiquem. provisionais ou provisórios.

Art. 21. A ofendida deverá ser § 1o As medidas referidas neste


notificada dos atos processuais relativos ao artigo não impedem a aplicação de outras
agressor, especialmente dos pertinentes ao previstas na legislação em vigor, sempre
ingresso e à saída da prisão, sem prejuízo que a segurança da ofendida ou as
da intimação do advogado constituído ou circunstâncias o exigirem, devendo a
do defensor público. providência ser comunicada ao Ministério
Público.
Parágrafo único. A ofendida não
poderá entregar intimação ou notificação § 2o Na hipótese de aplicação do
ao agressor. inciso I, encontrando-se o agressor nas
condições mencionadas no caput e incisos
Seção II do art. 6o da Lei no 10.826, de 22 de
dezembro de 2003, o juiz comunicará ao
respectivo órgão, corporação ou instituição
as medidas protetivas de urgência Art. 24. Para a proteção patrimonial
concedidas e determinará a restrição do dos bens da sociedade conjugal ou
porte de armas, ficando o superior imediato daqueles de propriedade particular da
do agressor responsável pelo cumprimento mulher, o juiz poderá determinar,
da determinação judicial, sob pena de liminarmente, as seguintes medidas, entre
incorrer nos crimes de prevaricação ou de outras:
desobediência, conforme o caso.
I - restituição de bens indevidamente
§ 3o Para garantir a efetividade das subtraídos pelo agressor à ofendida;
medidas protetivas de urgência, poderá o
juiz requisitar, a qualquer momento, auxílio II - proibição temporária para a
da força policial. celebração de atos e contratos de compra,
venda e locação de propriedade em
§ 4o Aplica-se às hipóteses previstas comum, salvo expressa autorização
neste artigo, no que couber, o disposto no judicial;
caput e nos §§ 5o e 6º do art. 461 da Lei no
5.869, de 11 de janeiro de 1973 (Código de III - suspensão das procurações
Processo Civil). conferidas pela ofendida ao agressor;

Seção III IV - prestação de caução provisória,


mediante depósito judicial, por perdas e
Das Medidas Protetivas de danos materiais decorrentes da prática de
Urgência à Ofendida violência doméstica e familiar contra a
ofendida.
Art. 23. Poderá o juiz, quando
necessário, sem prejuízo de outras Parágrafo único. Deverá o juiz
medidas: oficiar ao cartório competente para os fins
previstos nos incisos II e III deste artigo.
I - encaminhar a ofendida e seus
dependentes a programa oficial ou
comunitário de proteção ou de
atendimento;

II - determinar a recondução da
Art. 41. Aos crimes praticados com
ofendida e a de seus dependentes ao violência doméstica e familiar contra
respectivo domicílio, após afastamento do a mulher, independentemente da
agressor;III - determinar o afastamento da pena prevista, não se aplica a Lei
ofendida do lar, sem prejuízo dos direitos no 9.099, de 26 de setembro de
relativos a bens, guarda dos filhos e
alimentos;
1995.

IV - determinar a separação de
corpos.
- Lei Federal n.º 11.343/2006 (Lei de
Drogas)
CAPÍTULO III assistenciais, hospitais, estabelecimentos
DOS CRIMES E DAS PENAS congêneres, públicos ou privados sem fins
lucrativos, que se ocupem,
Art. 27. As penas previstas neste preferencialmente, da prevenção do
Capítulo poderão ser aplicadas isolada ou consumo ou da recuperação de usuários e
cumulativamente, bem como substituídas a dependentes de drogas.
qualquer tempo, ouvidos o Ministério
Público e o defensor. § 6o Para garantia do cumprimento
das medidas educativas a que se refere o
Art. 28. Quem adquirir, guardar, tiver caput, nos incisos I, II e III, a que
em depósito, transportar ou trouxer injustificadamente se recuse o agente,
consigo, para consumo pessoal, drogas poderá o juiz submetê-lo, sucessivamente
sem autorização ou em desacordo com a:
determinação legal ou regulamentar será
submetido às seguintes penas: I - admoestação verbal;

I - advertência sobre os efeitos das II - multa.


drogas;
§ 7o O juiz determinará ao Poder
II - prestação de serviços à Público que coloque à disposição do
comunidade; infrator, gratuitamente, estabelecimento de
saúde, preferencialmente ambulatorial,
III - medida educativa de para tratamento especializado.
comparecimento a programa ou curso
educativo. Art. 29. Na imposição da medida
educativa a que se refere o inciso II do §
§ 1o Às mesmas medidas submete- 6o do art. 28, o juiz, atendendo à
se quem, para seu consumo pessoal, reprovabilidade da conduta, fixará o
semeia, cultiva ou colhe plantas destinadas número de dias-multa, em quantidade
à preparação de pequena quantidade de nunca inferior a 40 (quarenta) nem superior
substância ou produto capaz de causar a 100 (cem), atribuindo depois a cada um,
dependência física ou psíquica. segundo a capacidade econômica do
agente, o valor de um trinta avos até 3
(três) vezes o valor do maior salário
§ 2o Para determinar se a droga
mínimo.
destinava-se a consumo pessoal, o juiz
atenderá à natureza e à quantidade da
substância apreendida, ao local e às Parágrafo único. Os valores
condições em que se desenvolveu a ação, decorrentes da imposição da multa a que
às circunstâncias sociais e pessoais, bem se refere o § 6o do art. 28 serão creditados
como à conduta e aos antecedentes do à conta do Fundo Nacional Antidrogas.
agente.
Art. 30. Prescrevem em 2 (dois)
3o
§ As penas previstas nos incisos anos a imposição e a execução das penas,
II e III do caput deste artigo serão aplicadas observado, no tocante à interrupção do
pelo prazo máximo de 5 (cinco) meses. prazo, o disposto nos arts. 107 e seguintes
do Código Penal.
§ 4o Em caso de reincidência, as
penas previstas nos incisos II e III do caput TÍTULO IV
deste artigo serão aplicadas pelo prazo DA REPRESSÃO À PRODUÇÃO
máximo de 10 (dez) meses. NÃO AUTORIZADA
E AO TRÁFICO ILÍCITO DE
§ 5o A prestação de serviços à DROGAS
comunidade será cumprida em programas CAPÍTULO I
comunitários, entidades educacionais ou DISPOSIÇÕES GERAIS
Art. 31. É indispensável a licença (quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos)
prévia da autoridade competente para dias-multa.
produzir, extrair, fabricar, transformar,
preparar, possuir, manter em depósito, § 1o Nas mesmas penas incorre
importar, exportar, reexportar, remeter, quem:
transportar, expor, oferecer, vender,
comprar, trocar, ceder ou adquirir, para
I - importa, exporta, remete, produz,
qualquer fim, drogas ou matéria-prima
fabrica, adquire, vende, expõe à venda,
destinada à sua preparação, observadas as
oferece, fornece, tem em depósito,
demais exigências legais.
transporta, traz consigo ou guarda, ainda
que gratuitamente, sem autorização ou em
Art. 32. As plantações ilícitas serão desacordo com determinação legal ou
imediatamente destruídas pelo delegado de regulamentar, matéria-prima, insumo ou
polícia na forma do art. 50-A, que recolherá produto químico destinado à preparação de
quantidade suficiente para exame pericial, drogas;
de tudo lavrando auto de levantamento das
condições encontradas, com a delimitação
II - semeia, cultiva ou faz a colheita,
do local, asseguradas as medidas
sem autorização ou em desacordo com
necessárias para a preservação da
determinação legal ou regulamentar, de
prova. (Redação dada pela Lei nº 12.961,
plantas que se constituam em matéria-
de 2014) prima para a preparação de drogas;
§ 1o (Revogado). (Redação dada
pela Lei nº 12.961, de 2014) III - utiliza local ou bem de qualquer
natureza de que tem a propriedade, posse,
§ 2o (Revogado). (Redação dada administração, guarda ou vigilância, ou
pela Lei nº 12.961, de 2014) consente que outrem dele se utilize, ainda
que gratuitamente, sem autorização ou em
§ 3o Em caso de ser utilizada a desacordo com determinação legal ou
queimada para destruir a plantação, regulamentar, para o tráfico ilícito de
observar-se-á, além das cautelas drogas.
necessárias à proteção ao meio ambiente,
o disposto no Decreto no 2.661, de 8 de § 2o Induzir, instigar ou auxiliar
julho de 1998, no que couber, dispensada a alguém ao uso indevido de droga: (Vide
autorização prévia do órgão próprio do ADI nº 4.274)
Sistema Nacional do Meio Ambiente -
Sisnama. Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três)
anos, e multa de 100 (cem) a 300
§ 4o As glebas cultivadas com (trezentos) dias-multa.
plantações ilícitas serão expropriadas,
conforme o disposto no art. 243 da § 3o Oferecer droga, eventualmente
Constituição Federal, de acordo com a e sem objetivo de lucro, a pessoa de seu
legislação em vigor. relacionamento, para juntos a consumirem:

CAPÍTULO II Pena - detenção, de 6 (seis) meses a


DOS CRIMES 1 (um) ano, e pagamento de 700
(setecentos) a 1.500 (mil e quinhentos)
Art. 33. Importar, exportar, remeter, dias-multa, sem prejuízo das penas
preparar, produzir, fabricar, adquirir, previstas no art. 28.
vender, expor à venda, oferecer, ter em
depósito, transportar, trazer consigo, § 4o Nos delitos definidos no caput e
guardar, prescrever, ministrar, entregar a no § 1o deste artigo, as penas poderão ser
consumo ou fornecer drogas, ainda que reduzidas de um sexto a dois terços, desde
gratuitamente, sem autorização ou em que o agente seja primário, de bons
desacordo com determinação legal ou antecedentes, não se dedique às
regulamentar: atividades criminosas nem integre
organização criminosa. (Vide Resolução
Pena - reclusão de 5 (cinco) a 15 nº 5, de 2012)
(quinze) anos e pagamento de 500
Art. 34. Fabricar, adquirir, utilizar, Parágrafo único. O juiz comunicará
transportar, oferecer, vender, distribuir, a condenação ao Conselho Federal da
entregar a qualquer título, possuir, guardar categoria profissional a que pertença o
ou fornecer, ainda que gratuitamente, agente.
maquinário, aparelho, instrumento ou
qualquer objeto destinado à fabricação, Art. 39. Conduzir embarcação ou
preparação, produção ou transformação de aeronave após o consumo de drogas,
drogas, sem autorização ou em desacordo expondo a dano potencial a incolumidade
com determinação legal ou regulamentar: de outrem:

Pena - reclusão, de 3 (três) a 10 Pena - detenção, de 6 (seis) meses a


(dez) anos, e pagamento de 1.200 (mil e 3 (três) anos, além da apreensão do
duzentos) a 2.000 (dois mil) dias-multa. veículo, cassação da habilitação respectiva
ou proibição de obtê-la, pelo mesmo prazo
Art. 35. Associarem-se duas ou mais da pena privativa de liberdade aplicada, e
pessoas para o fim de praticar, pagamento de 200 (duzentos) a 400
reiteradamente ou não, qualquer dos (quatrocentos) dias-multa.
crimes previstos nos arts. 33, caput e § 1o,
e 34 desta Lei: Parágrafo único. As penas de prisão
e multa, aplicadas cumulativamente com as
Pena - reclusão, de 3 (três) a 10 demais, serão de 4 (quatro) a 6 (seis) anos
(dez) anos, e pagamento de 700 e de 400 (quatrocentos) a 600 (seiscentos)
(setecentos) a 1.200 (mil e duzentos) dias- dias-multa, se o veículo referido no caput
multa. deste artigo for de transporte coletivo de
passageiros.
Parágrafo único. Nas mesmas
penas do caput deste artigo incorre quem Art. 40. As penas previstas nos arts.
se associa para a prática reiterada do crime 33 a 37 desta Lei são aumentadas de um
definido no art. 36 desta Lei. sexto a dois terços, se:

Art. 36. Financiar ou custear a I - a natureza, a procedência da


prática de qualquer dos crimes previstos substância ou do produto apreendido e as
nos arts. 33, caput e § 1o, e 34 desta Lei: circunstâncias do fato evidenciarem a
transnacionalidade do delito;
Pena - reclusão, de 8 (oito) a 20
(vinte) anos, e pagamento de 1.500 (mil e II - o agente praticar o crime
quinhentos) a 4.000 (quatro mil) dias-multa. prevalecendo-se de função pública ou no
desempenho de missão de educação,
Art. 37. Colaborar, como informante, poder familiar, guarda ou vigilância;
com grupo, organização ou associação
destinados à prática de qualquer dos III - a infração tiver sido cometida nas
crimes previstos nos arts. 33, caput e § 1 o, dependências ou imediações de
e 34 desta Lei: estabelecimentos prisionais, de ensino ou
hospitalares, de sedes de entidades
Pena - reclusão, de 2 (dois) a 6 estudantis, sociais, culturais, recreativas,
(seis) anos, e pagamento de 300 esportivas, ou beneficentes, de locais de
(trezentos) a 700 (setecentos) dias-multa. trabalho coletivo, de recintos onde se
realizem espetáculos ou diversões de
qualquer natureza, de serviços de
Art. 38. Prescrever ou ministrar,
culposamente, drogas, sem que delas tratamento de dependentes de drogas ou
necessite o paciente, ou fazê-lo em doses de reinserção social, de unidades militares
ou policiais ou em transportes públicos;
excessivas ou em desacordo com
determinação legal ou regulamentar:
IV - o crime tiver sido praticado com
Pena - detenção, de 6 (seis) meses a violência, grave ameaça, emprego de arma
2 (dois) anos, e pagamento de 50 de fogo, ou qualquer processo de
intimidação difusa ou coletiva;
(cinqüenta) a 200 (duzentos) dias-multa.
V - caracterizado o tráfico entre
Estados da Federação ou entre estes e o
Distrito Federal;

VI - sua prática envolver ou visar a


atingir criança ou adolescente ou a quem
tenha, por qualquer motivo, diminuída ou
suprimida a capacidade de entendimento e
determinação;

VII - o agente financiar ou custear a


prática do crime.

Art. 41. O indiciado ou acusado que


colaborar voluntariamente com a
investigação policial e o processo criminal
na identificação dos demais co-autores ou
partícipes do crime e na recuperação total
ou parcial do produto do crime, no caso de
condenação, terá pena reduzida de um
terço a dois terços.
- Lei Orgânica da Polícia do Estado de
São Paulo
TÍTULO I
Da
Polícia do Estado de São Paulo Artigo 4º - Para efeito de
entrosamento dos órgãos policiais
contará a administração superior
com mecanismos de planejamento,
Artigo 1º - A Secretaria de Estado coordenação e controle, pelos quais
dos Negócios da Segurança Pública se assegurem, tanto a eficiência,
responsável pela manutenção, em quanto a complementaridade das
todo o Estado, da ordem e da ações, quando necessárias a
segurança pública internas, consecução dos objetivos policiais.
executará o serviço policial por Artigo 5º - Os direitos, deveres,
intermédio dos órgãos policiais que vantagens e regime de trabalho dos
a integram. policiais civis e militares, bem como
Parágrafo único - Abrange o as condições de ingresso as
serviço policial a prevenção e classes, séries de classes, carreiras
investigação criminais, o ou quadros são estabelecidos em
policiamento ostensivo, o trânsito e estatutos.
a proteção em casos de calamidade Artigo 6º - É vedada, salvo com
pública, incêndio e salvamento. autorização expressa do
Artigo 2º - São órgãos policiais, Governador em cada caso, a
subordinados hierárquica, utilização de integrantes dos órgãos
administrativa e funcionalmente ao policiais em funções estranhas ao
Secretário da Segurança Pública: serviço policial, sob pena de
I - Polícia Civil; responsabilidade da autoridade que
II - Polícia Militar. o permitir.
§ 1º - Integrarão também a Parágrafo único - É considerado
Secretaria da Segurança Pública os serviço policial, para todos os
órgãos de assessoramento do efeitos inclusive arregimentação, o
Secretário da Segurança, que exercido em cargo, ou funções de
constituem a administração superior natureza policial, inclusive os de
da Pasta. ensino a esta legados.
§ 2º - A organização, estrutura, Artigo 7º - As funções
atribuições e competência administrativas e outras de natureza
pormenorizada dos órgãos de que não policial serão exercidas por
trata este artigo serão estabelecidos funcionário ou por servidor, admitido
por decreto, nos termos desta lei e nos termos da legislação vigente
da legislação federal pertinente. não pertencente às classes, séries
Artigo 3º - São atribuições básicas: de classes, carreiras e quadros
I - Da Polícia Civil - o exercício da policiais.
Polícia Judiciária, administrativa e Parágrafo único - Vetado.
preventiva especializada; Artigo 8º - As guardas municipais,
II - Da Polícia Militar - o guardas noturnas e os serviços de
planejamento, a coordenação e a segurança e vigilância, autorizados
execução do policiamento por lei, ficam sujeitos à orientação,
ostensivo, fardado e a prevenção e condução e fiscalização da
extinção de incêndios. Secretaria da Segurança Pública,
na forma de regulamentada Controle Policial;
específica. i) Vetado;
j) Delegado de Polícia Substituto;
l) Escrivão de Polícia Chefe II;
m) Investigador de Polícia Chefe II;
TÍTULO II n) Escrivão de Polícia Chefe I;
Da Polícia Civil o) Investigador de Polícia Chefe I;
CAPÍTULO I II - na Tabela II (SQC-II):
Das Disposições Preliminares a) Chefe de Seção
(Telecomunicação Policial);
b) Encarregado de Setor
(Telecomunicação Policial);
Artigo 9º - Esta lei complementar c) Chefe de Seção (Pesquisador
estabelece as normas, os direitos, Dactiloscópico Policial);
os deveres e as vantagens dos d) Encarregado de Setor
titulares de cargos policiais civis do (Pesquisador Dactiloscópico
Estado. Policial)
Artigo 10. - Consideram-se para os e) Encarregado de Setor
fins desta lei complementar: (Carceragem);
I - classe: conjunto de cargos f) Chefe de Seção (Dactiloscopista
públicos de natureza policial da Policial);
mesma denominação e amplitude g) Encarregado de Setor
de vencimentos; (Dactiloscopista Policial);
II - série de classes: conjunto de III - na Tabela III (SQC-III)
classes da mesma natureza de a) os das séries de classe de:
trabalho policial, hierarquicamente 1. Delegado de Polícia;
escalonadas de acordo com o grau 2. Escrivão de Polícia;
de complexidade das atribuições e 3. Investigador de Polícia;
nível de responsabilidade; b) os das seguintes classes:
III - carreira policial: conjunto de 1. Perito Criminal;
cargos de natureza policial civil, de 2. Técnico em Telecomunicações
provimento efetivo. Policial;
Artigo 11 - São classes policiais 3. Operador de Telecomunicações
civis aquelas constantes do anexo Policial;
que faz parte integrante desta lei 4. Fotógrafo (Técnica Policial);
complementar. 5. Inspetor de Diversões Públicas;
Artigo 12 - As classes e as séries 6. Auxiliar de Necrópsia;
de classes policiais civis integram o 7. Pesquisador Dactiloscópico
Quadro da Secretaria da Segurança Policial;
Pública na seguinte conformidade: 8. Carcereiro;
I - na Tabela I (SQC-I): 9. Dactiloscopista Policial;
a) Delegado Geral de Polícia; 10. Motorista Policial;
b) Diretor Geral de Polícia 11. Atendente de Necrotério Policial.
(Departamento Policial); § 1º - Vetado.
c) Assistente Técnico de Polícia; § 2º - O provimento dos cargos de
d) Delegado Regional de Polícia; que trata o inciso II deste artigo far-
e) Diretor de Divisão Policial; se-á por transposição, na forma
f) Vetado; prevista no artigo 27 da Lei
g) Vetado; Complementar nº 180, de 12 de
h) Assistente de Planejamento e
maio de 1978. de 5.ª Classe; ser portador de
§ 3º - Vetado. Diploma de Bacharel em Direito;
XII - para os de Delegado de Polícia
de Classe Especial e de 2.ª Classe:
ser portador de certificado de curso
CAPÍTULO III específico ministrado pela
Do Provimento de Cargos Academia de Polícia de São Paulo;
SEÇÃO I XIII - para os de Escrivão de Polícia
Das Exigências para Provimento e Investigador dc Policia: ser
portador de certificado de conclusão
de curso de segundo grau.

Artigo 15 - No provimento dos


cargos policiais civis, serão exigidos
os seguintes requisitos: SEÇÃO II
I - Para o de Delegado Geral de Dos Concursos Públicos
Polícia, ser ocupante do cargo de
Delegado de Polícia de Classe
Especial (vetado);
II - Para os de Diretor Geral de Artigo 16 - O provimento mediante
Polícia, Assistente Técnico de nomeação para cargos policiais
Polícia e Delegado Regional de civis, de caráter efetivo, será
Polícia, ser ocupante do cargo de precedido de concurso público, que
Delegado de Polícia de Classe será realizado em 3 (três) fases
Especial; eliminatórias:
III - vetado; I - a de prova ou provas e títulos,
IV - vetado; quando se tratar de provimento de
V - para os de Diretor de Divisão cargos em relação aos quais a lei
Policial: ser ocupante, no mínimo. exija formação de nível universitário;
do cargo de Delegado de Polícia de II -a de frequência e
1.ª Classe; aproveitamento na Academia de
VI - para os de Assistente de Polícia, em curso intensivo de
Planejamento e Controle Policial: formação;
ser ocupante, no mínimo, de cargo III - a de prova oral, que versará
de Delegado de Polícia de 2.ª sobre qualquer parte das matérias
Classe; exigidas nas provas do inciso I e
VII - para os de Escrivão de Polícia das que constarem da programação
Chefe II: ser ocupante do cargo de de que trata o inciso II
Escrivão de Polícia III; Parágrafo único - Vetado.
VIII - para os de Investigador de Artigo 17 - Os concursos públicos
Polícia Chefe II: ser ocupante do terão validade máxima de 2 (dois)
cargo de Investigador de Polícia III; anos e reger-se-ão por instruções
IX - para os de Escrivão de Polícia especiais que estabelecerão, em
Chefe I: ser ocupante do cargo de função da natureza do cargo:
Escrivão de Polícia III ou II; I - tipo e conteúdo das provas e as
X - para os de Investigador de categorias dos títulos;
Polícia Chefe I: ser ocupante do II - a forma de julgamento das
cargo de Investigador de Polícia III provas e dos títulos;
ou II; III - cursos de formação a que ficam
XI - para os de Delegado de Polícia sujeitos os candidatos classificados;
IV - os critérios de habilitação e contando-se-lhe o tempo de serviço
classificação final para fins de para todos os efeitos legais.
nomeação; § 3º - É facultado ao funcionário ou
V - as condições para provimento servidor, afastado nos termos do
do cargo, referentes a: parágrafo anterior, optar pela
a) capacidade, física e mental; retribuição prevista no § 1º.
b) conduta na vida pública e privada Artigo 21 - O candidato terá sua
e a forma de sua apuração; matricula cancelada e será
c) diplomas e certificados. dispensado do curso de formação,
Artigo 18 - São requisitos para a nas hipóteses em que:
inscrição nos concursos: I - não atinja o minimo de frequência
I - ser brasileiro; estabelecida para o curso;
II - ter no mínimo 18 (dezoito) anos, II - não revele aproveitamento no
e no máximo 45 (quarenta e cinco) curso;
anos incompletos, à data do III - não tenha conduta
encerramento das inscrições; irrepreensível na vida pública ou
III - não registrar antecedentes privada.
criminais; Parágrafo único - Os critérios para
IV - estar em gozo dos direitos a apuração das condições
políticos; constantes dos incisos II e III serão
V - estar quite com o serviço militar; fixados em regulamento.
VI - ter altura mínima de 1,60m para Artigo 22 - Homologado o concurso
os candidatos aos cargos de pelo Secretário da Segurança
Delegado de Polícia, Investigador Pública, serão nomeados os
de Polícia, Carcereiro e Motorista candidatos aprovados, expedindo-
Policial. se lhes certificados dos quais
Parágrafo único - Vetado. constará a média final.
Artigo 19 - Observada a ordem de Artigo 23 - A nomeação obedecerá
classificação, os candidatos, em a ordem de classificação no
número equivalente ao de cargos concurso.
vagos, serão matriculados no curso
de formação especifica.
Artigo 20 - Os candidatos a que se
refere o artigo anterior serão SEÇÃO III
admitidos, pelo Secretário da Da Posse
Segurança Pública, em caráter
experimental e transitório para a
formação técnico-profissional.
§ 1º - A admissão de que trata este Artigo 24 - Posse é o ato que
artigo far-se-á com retribuição investe o cidadão em cargo público
equivalente a do vencimento e polícia civil.
demais vantagens do cargo vago a Artigo 25 - São competentes para
que se candidatar o concursando. dar posse:
§ 2º - Sendo funcionário ou servidor, I - O Secretário da Segurança
o candidato matriculado ficara Pública, ao Delegado Geral de
afastado do seu cargo ou função- Polícia;
atividade, até o término do concurso II - O Delegado Geral de Polícia,
junto à Academia de Polícia de São aos Delegados de Polícia;
Paulo, sem prejuízo do vencimento III - O Diretor do Departamento de
ou salário e demais vantagens, Administração da Polícia Civil, nos
demais casos. Artigo 30 - O exercício terá início
Artigo 26 - A autoridade que der dentro de 15 (quinze) dias, contados
posse deverá verificar, sob pena de I - da data da posse,
responsabilidade, se foram II - da data da publicação do ato no
satisfeitas as condições caso de remoção.
estabelecidas em lei ou Parágrafo 1º - Quando o acesso,
regulamento para a investidura no remoção ou transposição não
cargo policial civil. importar mudança de município,
Artigo 27 - A posse verificar-se-á deverá o policial civil entrar em
mediante assinatura de termo em exercício no prazo de 5 (cinco) dias.
livro próprio, assinado pelo Parágrafo 2º - No interesse do
empossado e pela autoridade serviço policial o Delegado Geral de
competente, após o policial civil Polícia poderá determinar que os
prestar solenemente o respectivo policiais civis assumam
compromisso, cujo teor será imediatamente o exercício do cargo.
definido pelo Secretário da Artigo 31 - Nenhum policial civil
Segurança Pública. poderá ter exercício em serviço ou
Artigo 28 - A posse deverá unidade diversa daquela para a qual
verificar-se no prazo de 15 (quinze) foi designado, salvo autorização do
dias, contados da publicação do ato Delegado Geral da Polícia.
de provimento, no órgão oficial. Artigo 32 - O Delegado de Polícia
§ 1º - O prazo fixado neste artigo só poderá chefiar unidade ou
poderá ser prorrogado por mais 15 serviço de categoria correspondente
(quinze) dias, a requerimento do à sua classe, ou, em caso
interessado. excepcional, à classe
§ 2º - Se a posse não se der dentro imediatamente superior.
do prazo será tornado sem efeito o Artigo 33 - Quando em exercício
ato de provimento. em unidade ou serviço de categoria
Artigo 29 - A contagem do prazo a superior, nos termos deste artigo,
que se refere o artigo anterior terá o Delegado de Polícia direito à
poderá ser suspensa até o máximo percepção da diferença entre os
de 120 (cento e vinte) dias, a critério vencimentos do seu cargo e os do
do órgão médico encarregado da cargo de classe imediatamente
inspeção respectiva, sempre que superior.
esta estabelecer exigência para a Parágrafo único - Na hipótese
expedição de certificado de deste artigo aplicam-se as
sanidade. disposições do artigo 195 da Lei
Parágrafo único - O prazo a que se Complementar n. 180, de 12 de
refere este artigo recomeçara a fluir maio de 1978.
sempre que o candidato, sem
motivo justificado, deixar de cumprir
as exigências do órgão médico.
SEÇÃO V
Da reversão "Ex Offício"

SEÇÃO IV
Do Exercício
Artigo 34 - Reversão "ex offício" é o
ato pelo qual o aposentado
reingressa no serviço policial
quando insubsistentes as razões período de 6 (seis meses antes e
que determinaram a aposentadoria até 3 (três) meses após a data das
por invalidez. eleições.
Parágrafo 1º - A reversão só Parágrafo único - Esta proibição
poderá efetivar-se quando, em vigorará no caso de eleições federal
inspeção médica, ficar comprovada estaduais ou municipais, isolada ou
à capacidade para o exercício do simultaneamente realizadas.
cargo. Artigo 40 - É preferencial, na união
Parágrafo 2º - Será tornada sem de cônjuges, a sede de exercício do
efeito a reversão "ex offício" e policial civil, quando este for cabeça
cassada a aposentadoria do policial do casal.
civil que reverter e não tomar posse
ou não entrar em exercício
injustificadamente, dentro do prazo
legal. CAPÍTULO V
Artigo 35 - A reversão far-se-á no Do Vencimento e Outras Vantagens
mesmo cargo. de Ordem Pecuniária
SEÇÃO I
Do Vencimento

CAPÍTULO IV
Da Remoção
Artigo 41 - Aos cargos policiais
civis aplicam-se os valores dos grau
das referências numéricas fixados
Artigo 36 - O Delegado de Polícia na Tabela I da escala de
só poderá ser removido, de um para vencimentos do funcionalismo
o outro município (vetado): público civil do Estado.
I -a pedido; Artigo 42 - O enquadramento das
II - por permuta; classes na escala de vencimentos
III - com seu assentimento, após bem como a amplitude de
consulta. vencimentos, e a velocidade
IV - no interesse do serviço policial, evolutiva correspondente, cada
com a aprovação de dois terça do classe policial, são estabelecidos na
Conselho da Polícia Civil (vetado). conformidade do Anexo que faz
Artigo 37 - A remoção dos parte Integrante desta lei
integrantes das demais séries de complementar.
classe e cargos policiais civis, de
uma para outra unidade policial,
será processada:
I -a pedido; SEÇÃO II
II - por permuta; Das Vantagens de Ordem Pecuniária
III - no interesse do serviço policial. SUBSEÇÃO I
Artigo 38 - A remoção só poderá Das Disposições Gerais
ser feita, respeitada a lotação cada
unidade policial.
Artigo 39 - O policial civil não
poderá, ser removido no interesse Artigo 43 - Além do valor do padrão
serviço, para município diverso do do cargo e sem prejuízo das
de sua sede de exercício, no vantagens previstas na Lei nº
10.261, de 28 de outubro de 1978, e SUBSEÇÃO III
demais legislação pertinente, o Da Ajuda de Custo em Caso de
policial civil fará jus as seguintes Remoção
vantagens pecuniárias.
I - gratificação por regime especial
de trabalho policial;
II - ajuda de custo, em caso de Artigo 46 - Ao policial civil removido
remoção. no interesse do serviço policial de
um para outro município, será
concedida ajuda de custo
correspondente a um mês de
SUBSEÇÃO II vencimento.
Da Gratificação pelo Regime § 1º - A ajuda de custo será paga à
Especial de Trabalho Policial vista da publicação do ato de
remoção no Diário Oficial.
§ 2º - A ajuda de custo de que trata
este decreto não será devida.
Artigo 44 - Os cargos policiais civis quando a remoção se processar a
serão exercidos necessariamente pedido ou por permuta.
em regime especial de trabalho
policial, que se caracteriza:
I - pela prestação de serviço em
jornada de, no minimo, 40 SEÇÃO III
(quarenta) horas semanais de Das Outras Concessões
trabalho, em condições precárias de
segurança;
II - pelo cumprimento de horário
irregular, sujeito a plantões noturnos Artigo 47 - Ao policial civil
e chamados a qualquer hora; licenciado para tratamento de
III - pela proibição do exercício de saúde, em razão de moléstia
outras atividades remuneradas, profissional ou lesão recebida em
exceto as relativas ao ensino e à serviço, será concedido transporte
difusão cultural. por conta do Estado para instituição
Parágrafo único - A gratificação de onde deva ser atendido.
que trata este artigo incorpora-se ao Artigo 48 - A família do policial civil
vencimento para todos os efeitos que falecer fora da sede de
legais. exercício e dentro do território
Artigo 45 - Pela sujeição ao regime nacional no desempenho de
a que se refere o artigo anterior, os serviço, será concedido transporte
titulares de cargos policiais civis para, no máximo, 3 (três) pessoas
fazem jus a uma gratificação de do local de domicílio ao do óbito (ida
30% (trinta por cento) calculada e volta).
sobre o padrão de vencimento em Artigo 49 - O Secretário da
que estiverem enquadrados. Segurança Pública, por proposta do
Delegado Geral de Polícia, ouvido o
Conselho da Polícia Civil, poderá
conceder honrarias ou prêmios aos
policiais autores de trabalhos de
relevante interesse policial ou por
atos de bravura, na forma em que
for regulamentado. regulamento.
Artigo 50 - O policial civil que ficar Artigo 54 - Vetado.
inválido ou vier a falecer em Parágrafo único - Vetado.
consequência de lesões recebidas
ou doenças contraídas em razão do
serviço, terá seu vencimento fixado
na referência final da amplitude de CAPÍTULO VI
vencimentos de sua classe. Do Direito de Petição
§ 1º - A concessão do benefício
será precedida de competente
apuração, retroagindo seus efeitos a
data de invalidez ou morte. Artigo 55 - É permitido ao policial
§ 2º - O policial invalidado nos civil requerer ou representar, pedir
termos deste artigo será reconsideração e recorrer de
aposentado com proventos decisões, desde que o faça dentro
decorrentes do novo das normas de urbanidade e em
enquadramento, observado o termos observadas as seguintes
disposto no parágrafo anterior. regras:
§ 3º - Aos beneficiários do policial I - nenhuma solicitação, qualquer
civil falecido nos termos deste que seja a sua forma, poderá ser:
artigo, será deferida pensão mensal a) dirigida a autoridade
correspondente aos vencimentos incompetente para decidi-la;
integrais, observado o disposto nos b) encaminhada senão por
parágrafos anteriores. intermédio da autoridade a que
Artigo 51 - Ao cônjuge ou, na falta estiver imediatamente subordinado
deste, à pessoa que provar ter feito o policial civil;
despesa em virtude do falecimento II - o pedido de reconsideração só
do policial civil, será concedida, a será cabível quando contiver novos
título de auxílio-funeral, a argumentos ou fatos supervenientes
importância correspondente a 2 e será sempre dirigido a autoridade
(dois) meses de vencimento. que tiver expedido o ato ou
Parágrafo único - O pagamento proferido a decisão;
será efetuado, pela respectiva III - nenhum pedido de
repartição pagadora, no dia em que reconsideração poderá ser
lhe for apresentado o atestado de renovado;
óbito pelo cônjuge ou pessoa a IV - o pedido de reconsideração
cujas expensas houver sido deverá ser decidido no prazo
efetuado o funeral ou procurador máximo de 30 (trinta) dias;
habilitado legalmente, feita a prova V - só caberá recurso quando
de identidade. houver pedido de reconsideração
Artigo 52 - O policial civil que sofrer desatendido ou não decidido no
lesões no exercício de suas funções prazo legal.
deverá ser encaminhado a qualquer VI - o recurso será dirigido a
hospital, público ou particular às autoridade a que estiver
expensas do Estado. imediatamente subordinada a que
Artigo 53 - Ao policial civil tenha expedido o ato ou proferido a
processado por ato praticado no decisão e, sucessivamente, na
desempenho de função policial, escala ascendente, as demais
será prestada assistência judiciária autoridades; e
na forma que dispuser o VII - nenhum recurso poderá ser
dirigido mais de uma vez a mesma no máximo, determinando a
autoridade. contagem de novos prazos a partir
§ 1º - Em hipótese alguma poderá da publicação oficial do despacho
ser recebida petição, pedido de denegatório, parcial ou total, do
reconsideração ou recurso que não pedido.
atendam as prescrições deste Artigo 57 - Os pedidos de
artigo, devendo a autoridade à qual reconsideração e os recursos em
forem encaminhadas tais peças, procedimento disciplinar, interpostos
indeferi-las de plano. ao Delegado Geral de Polícia, serão
§ 2º - A decisão final dos recursos a previamente submetidos à
que se refere este artigo deverá ser apreciação do Conselho da Polícia
dada dentro do prazo de 90 Civil.
(noventa) dias, contado da data do Parágrafo único - Deverão ser
recebimento na repartição, e, uma submetidas, também, à apreciação
vez proferida, será imediatamente do Conselho, se este não se houver
publicada sob pena de manifestado anteriormente, as
responsabilidade do funcionário petições interpostas junto às
infrator. Se a decisão não for autoridades superiores.
proferida dentro do prazo, poderá o
policial civil desde logo interpor
recurso a autoridade superior.
§ 3º - Os pedidos de reconsideração CAPÍTULO VII
e os recursos não tem efeito Do Elogio
suspensivo; os que forem providos,
porém, darão lugar as retificações
necessárias, retroagindo os seus
efeitos à data do ato impugnado, Artigo 58 - Entende-se por elogio,
desde que outra providência não para os fins desta lei, a menção
determine a autoridade quanto aos nominal ou coletiva que deva
efeitos relativos ao passado. constar dos assentamentos
Artigo 56 - O prazo (vetado) para funcionais do policial civil por atos
pleitear na esfera administrativa meritórios que haja praticado.
será: Artigo 59 - O elogio destina-se a
I - de 5 (cinco) anos, quanto aos ressaltar:
atos dos quais decorreram a I - morte, invalidez ou lesão corporal
demissão, aposentadoria ou de natureza grave, no cumprimento
disponibilidade do policial civil; e do dever;
II - de 120 (cento e vinte) dias, nos II - ato que traduza dedicação
demais casos, excepcional no cumprimento do
§ 1º - Os prazos referidos neste dever, transcendendo ao que e
artigo são contados da data da normalmente exigível do policial civil
publicação, no órgão oficial, do ato por disposição legal ou
impugnado, ou, quando este for de regulamentar e que importe ou
natureza reservada, daquela em possa importar risco da própria
que tiver ciência o policial civil. segurança pessoal;
§ 2º - Os recursos ou pedidos de III - execução de serviços que, pela
reconsideração, quando cabíveis e sua relevância e pelo que
apresentados dentro dos prazos de representam para a instituição ou
que trata este artigo, interrompem o para a coletividade, mereçam ser
prazo (vetado) até 2 (duas) vezes enaltecidos como reconhecimento
pela atividade desempenhada. possa prestá-las;
Artigo 60 - Não constitui motivo VIII - comunicar o endereço onde
para elogio o cumprimento dos possa ser encontrado, quando dos
deveres impostos ao policial civil. afastamentos regulamentares;
Artigo 61 - São competentes para IX - proceder na vida pública e
determinar a inscrição de elogios particular de modo a dignificar a
nos assentamentos do policial o função policial;
Secretário da Segurança e o X - residir na sede do município
Delegado Geral de Polícia, ouvido, onde exerça o cargo ou função, ou
no caso deste, o Conselho da onde autorizado;
Polícia Civil. XI - frequentar, com assiduidade,
Parágrafo único - Os elogios nos para fins de aperfeiçoamento e
casos dos incisos II e III do artigo 59 atualização de conhecimentos
serão obrigatoriamente profissionais, cursos instituídos
considerados para efeito de periodicamente pela Academia de
avaliação de desempenho. Polícia;
XII - portar a carteira funcional;
XIII - promover as comemorações
do «Dia da Policia» a 21 de abril, ou
CAPÍTULO VIII delas participar, exaltando o vulto
Dos Deveres, das Transgressões de Joaquim José da Silva Xavier, o
Disciplinares e das Tiradentes, Patrono da Polícia;
Responsabilidades XIV - ser leal para com os
SEÇÃO I companheiros de trabalho e com
Dos Deveres eles cooperar e manter espirito de
solidariedade;
XV - estar em dia com as normas de
interesse policial;
Artigo 62 - São deveres do policial XVI - divulgar para conhecimento
civil: dos subordinados as normas
I - ser assíduo e pontual; referidas no inciso anterior;
II - ser leal as instituições; XVII - manter discrição sobre os
III - cumprir as normas legais e assuntos da repartição e,
regulamentares; especialmente, sobre despachos,
IV - zelar pela economia e decisões e providências.
conservação dos bens do Estado,
especialmente daqueles cuja
guarda ou utilização lhe for
confiada; SEÇÃO II
V - desempenhar com zelo e Das Transgressões Disciplinares
presteza as missões que lhe forem
contidas, usando moderadamente
de força ou outro meio adequado de
que dispõe, para esse fim; Artigo 63 - São transgressões
VI - informar incontinente toda e disciplinares:
qualquer alteração de endereço da I - manter relações de amizade ou
residência e número de telefone, se exibir-se em público com pessoas
houver; de notórios e desabonadores
VII - prestar informações corretas ou antecedentes criminais, salvo por
encaminhar o solicitante a quem motivo de serviço;
II - constituir-se procurador de ser comunicado por escrito no
partes ou servir de intermediário, primeiro dia em que comparecer à
perante qualquer repartição pública, sua sede de exercício, a ato
salvo quando se tratar de interesse processual, judiciário ou
de cônjuge ou parente até segundo administrativo, do qual tenha sido
grau; previamente cientificado;
III - descumprir ordem superior XVI - utilizar, para fins particulares,
salvo quando manifestamente ilegal, qualquer que seja o pretexto,
representando neste caso; material pertencente ao Estado;
IV - não tomar as providências XVII - interferir indevidamente em
necessárias ou deixar de assunto de natureza policial, que
comunicar, imediatamente, à não seja de sua competência;
autoridade competente, faltas ou XVIII - fazer uso indevido de bens
irregularidades de que tenha ou valores que lhe cheguem as
conhecimento; mãos, em decorrência da função, ou
V - deixar de oficiar não entregá-los, com a brevidade
tempestivamente nos expedientes possível, a quem de direito;
que lhe forem encaminhados; XIX - exibir, desnecessariamente,
VI - negligenciar na execução de arma, distintivo ou algema;
ordem legítima; XX - deixar de ostentar distintivo
VII - interceder maliciosamente em quando exigido para o serviço;
favor de parte; XXI - deixar de identificar-se,
VIII - simular doença para esquivar- quando solicitado ou quando as
se ao cumprimento de obrigação; circunstâncias o exigirem;
IX - faltar, chegar atrasado ou XXII - divulgar ou propiciar a
abandonar escala de serviço ou divulgação, sem autorização da
plantões, ou deixar de comunicar, autoridade competente, através da
com antecedência, à autoridade a imprensa escrita, falada ou
que estiver subordinado, a televisada, de fato ocorrido na
impossibilidade de comparecer à repartição.
repartição, salvo por motivo justo; XXIII - promover manifestações
X - permutar horário de serviço ou contra atos da administração ou
execução de tarefa sem expressa movimentos de apreço ou
permissão da autoridade desapreço a qualquer autoridade;
competente; XXIV - referir-se de modo
XI - usar vestuário incompatível com depreciativo às autoridades e a atos
o decoro da função; da administração pública, qualquer
XII - descurar de sua aparência que seja o meio empregado para
física ou do asseio; esse fim;
XIII - apresentar-se ao trabalho XXV - retirar, sem prévia
alcoolizado ou sob efeito de autorização da autoridade
substância que determine competente, qualquer objeto ou
dependência física ou psíquica; documentos da repartição;
XIV - lançar intencionalmente, em XXVI - tecer comentários que
registros oficiais, papeis ou possam gerar descrédito da
quaisquer expedientes, dados instituição policial;
errôneos, incompletos ou que XXVII - valer-se do cargo com o fim,
possam induzir a erro, bem como ostensivo ou velado, de obter
inserir neles anotações indevidas; proveito de qualquer natureza para
XV - faltar, salvo motivo relevante a si ou para terceiros;
XXVIII - deixar de reassumir XLII - expedir identidade funcional
exercício sem motivo justo, ao final ou qualquer tipo de credencial a
dos afastamentos regulares ou, quem não exerça cargo ou função
ainda depois de saber que qualquer policial civil;
deste foi interrompido por ordem XLIII - deixar de encaminhar ao
superior; órgão competente, para tratamento
XXIX - atribuir-se qualidade ou inspeção médica, subordinado
funcional diversa do cargo ou que apresentar sintomas de
função que exerce; intoxicação habitual por álcool,
XXX - fazer uso indevido de entorpecente ou outra substância
documento funcional, arma, algema que determine dependência física
ou bens da repartição ou cedê-los a ou psíquica, ou de comunicar tal
terceiro; fato, se incompetente, à autoridade
XXXI - maltratar ou permitir maltrato que o for;
físico ou moral a preso sob sua XLIV - dirigir viatura policial com
guarda; imprudência, imperícia, negligência
XXXII - negligenciar na revista a ou sem habilitação;
preso; XLV - manter transação ou
XXXIII - desrespeitar ou procrastinar relacionamento indevido com preso,
o cumprimento de decisão ou ordem pessoa em custódia ou respectivos
judicial; familiares;
XXXIV - tratar o superior XLVI - criar animosidade, velada ou
hierárquico, subordinado ou colega ostensivamente, entre subalternos e
sem o devido respeito ou superiores ou entre colegas, ou
deferência; indispô-los de qualquer forma;
XXXV - faltar à verdade no exercício XLVII - atribuir ou permitir que se
de suas funções; atribua a pessoa estranha à
XXXVI - deixar de comunicar repartição, fora dos casos previstos
incontinente à autoridade em lei, o desempenho de encargos
competente informação que tiver policiais;
sobre perturbação da ordem pública XLVIII - praticar a usura em
ou qualquer fato que exija qualquer de suas formas;
intervenção policial; XLIX - praticar ato definido em lei
XXXVII - dificultar ou deixar de como abuso de poder;
encaminhar expediente à autoridade L - aceitar representação de Estado
competente, se não estiver na sua estrangeiro, sem autorização do
alçada resolvê-lo; Presidente da República;
XXXVIII - concorrer para o não LI - tratar de interesses particulares
cumprimento ou retardamento de na repartição;
ordem de autoridade competente; LII - exercer comércio entre
XXXIX - deixar, sem justa causa, de colegas, promover ou subscrever
submeter-se a inspeção médica listas de donativos dentro da
determinada por lei ou pela repartição;
autoridade competente; LIII - exercer comércio ou participar
XL - deixar de concluir nos prazos de sociedade comercial salvo como
legais, sem motivo justo, acionista, cotista ou comanditário;
procedimento de polícia judiciária, LIV - exercer, mesmo nas horas de
administrativos ou disciplinares; folga, qualquer outro emprego ou
XLI - cobrar taxas ou emolumentos função, exceto atividade relativa ao
não previstos em lei; ensino e à difusão cultural, quando
compatível com a atividade policial; IV - suspensão;
LV - exercer pressão ou influir junto V - demissão;
a subordinado para forçar VI - demissão a bem do serviço
determinada solução ou resultado. público;
Artigo 64 - É vedado ao policial civil VII - cassação de aposentadoria ou
trabalhar sob as ordens imediatas disponibilidade.
de parentes, até segundo grau, Artigo 68 - Constitui pena
salvo quando se tratar de função de disciplinar a remoção compulsória,
confiança e livre escolha, não que poderá ser aplicada
podendo exceder de 2 (dois) o cumulativamente com as penas
número de auxiliares nestas previstas nos incisos II, III e IV do
condições. artigo anterior quando em razão da
falta cometida houver conveniência
nesse afastamento para o serviço
policial.
SEÇÃO III Parágrafo único - Quando se tratar
Das responsabilidades de Delegado de Polícia, para a
aplicação da pena prevista neste
artigo deverá ser observado o
disposto no artigo 36, inciso IV.
Artigo 65 - O policial responde civil, Artigo 69 - Na aplicação das penas
penal e administrativamente pelo disciplinares serão considerados a
exercício irregular de suas natureza, a gravidade, os motivos
atribuições, ficando sujeito, determinantes e a repercussão da
cumulativamente, às respectivas infração, os danos causados, a
cominações. personalidade e os antecedentes do
Artigo 66 - A responsabilidade civil agente, a intensidade do dolo ou o
decorre de procedimento doloso ou grau de culpa.
culposo, que importe prejuízo à Artigo 70 - Para a aplicação das
Fazenda Pública ou a terceiros. penas previstas no artigo 67 são
Parágrafo único - A importância da competentes:
indenização será descontada dos I -o Governador;
vencimentos e vantagens e o II - o Secretário da Segurança
desconto não excederá à décima Pública, até a de suspensão;
parte do valor destes. III - o Delegado Geral de Polícia, até
a de suspensão limitada a 60
(sessenta) dias;
IV - Diretores Gerais de Polícia e
CAPÍTULO IX
Assistentes Técnicos de Polícia,
Das Penalidades, da Extinção da
dirigentes da Corregedoria da
Punibilidade e da Suspensão Polícia Civil e Centros de
Preventiva Coordenação e Planejamento, até a
SEÇÃO I de suspensão limitada a 30 (trinta)
dias;
V - Titulares de unidades
diretamente subordinadas as
Artigo 67 - São penas disciplinares Diretorias Gerais de Polícia, até a
principais: de suspensão limitada a 15 (quinze)
I - advertência; dias;
II - repreensão; VI - Delegados de Polícia até a de
III - multa;
suspensão limitada 8 (oito) dias; III - ineficiência intencional e
Parágrafo único - Para a aplicação reiterada no serviço;
da pena prevista no artigo 68 é IV - aplicação indevida de dinheiros
competente o Delegado Geral de públicos;
Polícia. V - insubordinação grave.
Artigo 71 - A pena de advertência Artigo 75 - Será aplicada a pena de
será aplicada verbalmente, no caso demissão a bem do serviço público,
de falta de cumprimento dos nos casos de:
deveres, ao infrator primário. I - conduzir-se com incontinência
Parágrafo único - A pena de pública e escandalosa e praticar
advertência não acarreta perda de Jogos proibidos;
vencimentos ou de qualquer II - praticar ato definido como crime
vantagem de ordem funcional, mas contra a Administração Pública, a
contará pontos negativos na Fé Pública e a Fazenda Pública ou
avaliação de desempenho. previsto na Lei de Segurança
Artigo 72 - A pena de repreensão Nacional;
será aplicada por escrito, no caso III - revelar dolosamente segredos
de transgressão disciplinar, sendo o de que tenha conhecimento em
infrator primário e na reincidência de razão do cargo ou função, com
falta de cumprimento dos deveres. prejuízo para o Estado ou
Parágrafo único - A pena de particulares;
repreensão poderá ser IV - praticar ofensas físicas contra
transformada em advertência, funcionários, servidores ou
aplicada por escrito e sem particulares, salvo em legitíma
publicidade. defesa;
Artigo 73 - A pena de suspensão, V - causar lesão dolosa ao
que não excederá de 90 (noventa) patrimônio ou aos cofres públicos;
dias, será aplicada nos casos de: VI - exigir, receber ou solicitar
I - descumprimento dos deveres e vantagem indevida, diretamente ou
transgressão disciplinar, ocorrendo por intermédio de outrem, ainda que
dolo ou má fé; fora de suas funções, mas em razão
II - reincidência em falta já punida destas;
com repreensão. VII - provocar movimento de
Parágrafo 1º - O policial suspenso paralisação total ou parcial do
perderá, durante o período da serviço policial ou outro qualquer
suspensão, todos os direitos e serviço, ou dele participar;
vantagens decorrentes do exercício VIII - pedir ou aceitar empréstimo de
do cargo. dinheiro ou valor de pessoas que
Parágrafo 2º - A autoridade que tratem de interesses ou os tenham
aplicar a pena de suspensão poderá na repartição, ou estejam sujeitos à
convertê-la em multa, na base de sua fiscalização;
50% (cinquenta por cento), por dia, IX - exercer advocacia
do vencimento e demais vantagens, administrativa.
sendo o policial, neste caso, Artigo 76 - O ato que cominar pena
obrigado a permanecer em serviço. ao policial civil mencionará, sempre,
Artigo 74 - Será aplicada a pena de a disposição legal em que se
demissão nos casos de: fundamenta.
I - abandono de cargo; § 1º - Desse ato será dado
II - procedimento irregular, de conhecimento ao órgão do pessoal,
natureza grave; para registro e publicidade, no prazo
de 8 (oito) dias, desde que não se infração penal, no mesmo prazo em
tenha revestido de reserva. que se extingue a punibilidade
§ 2º - As penas previstas nos desta, pela prescrição.
incisos I a IV do artigo 67, quando Parágrafo único - O prazo da
aplicadas aos integrantes da prescrição inicia-se no dia em que a
carreira de Delegado de Polícia, autoridade tomar conhecimento da
revestir-se-ão sempre de reserva. existência da falta e interrompe-se
Artigo 77 - Será aplicada a pena de pela abertura de sindicância ou,
cassação de aposentadoria ou quando for o caso, pela instauração
disponibilidade, se ficar provado que do processo administrativo.
o inativo: Artigo 81 - Extingue-se, ainda, a
I - praticou, quando em atividade, punibilidade:
falta para a qual é cominada nesta I - Pela morte do agente;
lei a pena de demissão ou de II - Pela anistia administrativa;
demissão a bem do serviço público; III - Pela retroatividade da lei que
II - aceitou ilegalmente cargo ou não considere o fato como falta
função pública; Artigo 82 - O policial civil que, sem
III - aceitou representação de justa causa, deixar de atender a
Estado estrangeiro sem previa qualquer exigência para cujo
autorização do Presidente da cumprimento seja marcado prazo
República. certo, terá suspenso o pagamento
Artigo 78 - Constitui motivo de de seu vencimento ou remuneração
exclusão de falta disciplinar a não até que satisfaça essa exigência.
exigibilidade de outra conduta do Parágrafo único - Aplica-se aos
policial civil. aposentados ou em disponibilidade
Artigo 79 - Independe do resultado o disposto neste artigo.
de eventual ação penal a aplicação Artigo 83 - Deverão constar do
das penas disciplinares previstas assentamento individual do policial
neste Estatuto. civil as penas que lhe forem
impostas.

SEÇÃO II
Da Extinção da Punibilidade SEÇÃO III
Da Suspensão Preventiva

Artigo 80 - Extingue-se a
punibilidade pela prescrição: Artigo 84 - Poderá ser ordenada,
I - da falta sujeita à pena de pelo Delegado Geral de Polícia,
advertência, em 1 (um) ano; mediante representação da
II - da falta sujeita à pena de autoridade que determinou a
repreensão, multa ou suspensão, instauração de processo disciplinar,
em 2 (dois) anos; a suspensão preventiva do policial
III - da falta sujeita à pena de civil até 60 (sessenta) dias, desde
demissão, demissão a bem do que o seu afastamento seja
serviço público e de cassação da necessário para averiguações de
aposentadoria ou disponibilidade, faltas a ele atribuídas, podendo o
em 5 (cinco) anos; Secretário da Segurança Pública,
IV - da falta prevista em lei, com prorrogá-la até 90 (noventa) dias,
findos os quais cessarão os efeitos direto de falta por parte da
da suspensão, ainda que o autoridade competente para aplicar
processo disciplinar não esteja a pena.
concluído. § 2º - A pena será aplicada após
Parágrafo único - Vetado. prévia lavratura de circunstanciado
Artigo 85 - Durante o período de auto de constatação de infração.
suspensão preventiva o policial civil
perderá 1/3 (um terço) do
vencimento.
Artigo 86 - O período de suspensão SEÇÃO II
preventiva será computado no Da Sindicância
cumprimento da pena de
suspensão, assegurado o direito à
restituição nas hipóteses previstas
no Estatuto dos Funcionários Artigo 91 - São competentes para
Públicos. determinar a instauração de
sindicância as autoridades
enumeradas no artigo 70.
Parágrafo único - Compete à
CAPÍTULO X autoridade sindicante comunicar o
Do Processo Disciplinar fato à Corregedoria da Polícia Civil
SEÇÃO I e ao órgão setorial de pessoal.
Das Disposições Gerais Artigo 92 - A sindicância deverá
estar concluída dentro de 30 (trinta)
dias, a contar da data de sua
instauração, prorrogáveis por mais
Artigo 87 - A apuração das 30 (trinta) dias, mediante solicitação
infrações será feita mediante ao superior hierárquico imediato.
sindicância ou processo Artigo 93 - Colhidos os elementos
administrativo, sob a presidência de necessários à comprovação dos
Delegado de Polícia. fatos e da autoria, deverá ser ouvido
Artigo 88 - Instaurar-se-á o sindicado que, pessoalmente, no
sindicância; ato, ou dentro de 3 (três) dias, se o
I - como preliminar de processo solicitar expressamente, oferecerá
administrativo, sempre que a ou indicará as provas de seu
infração não estiver suficientemente interesse, que serão deferidas, se
caracterizada ou definida a autoria; pertinentes.
II - quando não for obrigatório o § 1º - Concluída a produção de
processo administrativo. provas, o sindicado será intimado
Artigo 89 - Será obrigatório o para, dentro de 3 (três) dias,
processo administrativo quando a oferecer defesa escrita,
falta disciplinar, por sua natureza, pessoalmente ou por procurador,
possa determinar a pena de podendo ter vista dos autos, na
demissão ou a cassação de repartição.
aposentadoria ou disponibilidade. § 2º - Decorrido o prazo de que trata
Artigo 90 - A pena disciplinar até a o parágrafo anterior, a autoridade
de suspensão poderá ser aplicada sindicante elaborará o relatório em
pelo critério da verdade sabida. que examinará todos os elementos
§ 1º - Entende-se por verdade da sindicância, opinando pela
sabida o conhecimento pessoal e instauração de processo
administrativo, pela aplicação da administrativo deverá ser iniciado
pena cabível ou pelo arquivamento. dentro do prazo improrrogável de 8
§ 3º - Cabe ao Delegado Geral de (oito) dias, contado da data do ato
Polícia, no âmbito de sua que determinar a instauração, e
competência, a decisão da concluído no de 60 (sessenta) dias,
sindicância, ouvido o Conselho da a contar da citação do acusado
Polícia Civil. prorrogável por mais 30 (trinta) dias
pelo Delegado Geral de Polícia.
Parágrafo único - Somente o
Secretário da Segurança Pública,
SEÇÃO III em casos especiais e mediante
Do Processo Administrativo representação do Delegado Geral
de Polícia poderá autorizar a última
prorrogação de prazo, por mais de
30 (trinta) dias.
Artigo 94 - São competentes para Artigo 98 - Autuada a portaria e
determinar a instauração de demais peças pré-existentes,
processo administrativo as designará o presidente dia e hora
autoridades enumeradas no artigo para audiência inicial, determinando
70, até o inciso III inclusive. a citação do acusado e a notificação
Artigo 95 -O processo do denunciante, se houver, e das
administrativo será realizado pela testemunhas.
Comissão Processante Permanente § 1º - A citação do acusado será
do Serviço Disciplinar da Polícia ou feita pessoalmente, com
Comissão Especial designada pelo antecedência mínima de 24 (vinte e
Delegado Geral de Polícia. quatro) horas, por intermédio do
§ 1º - A Comissão Processante respectivo superior hierárquico e
Permanente ou Comissão Especial será acompanhada de cópia da
será integrada por 3 (três) portaria que lhe permita conhecer o
membros, Delegados de Polícia, um motivo do processo e seu
dos quais será seu presidente. enquadramento legal.
§ 2º - Cabe ao presidente da § 2º - Achando-se o acusado
comissão designar ser secretário, ausente do lugar, será citado por via
que será um Escrivão de Polícia. postal, em carta registrada,
Artigo 96 - Não Poderá ser juntando-se ao processo o
encarregado de proceder à comprovante do registro; não sendo
sindicância nem fazer parte da encontrado o acusado e ignorando-
Comissão Processante, mesmo se o seu paradeiro, a citação se fará
como secretário desta, parente com o prazo de 15 (quinze) dias,
consanguíneo ou afim, em linha reta por edital, inserto por três vezes
ou colateral, até o terceiro grau seguidas no órgão oficial.
inclusive e o cônjuge do § 3º - o prazo a que se refere o
denunciante ou acusado, bem parágrafo anterior "in fine", será
assim o subordinado do último. contado da última publicação,
Parágrafo único - A autoridade ou certificando o secretário, no
ao funcionário designado incumbirá processo, as datas em que as
comunicar, desde logo, à autoridade publicações foram feitas.
competente, o impedimento que Artigo 99 - Havendo denunciante,
houver, de acordo com este artigo. este deverá prestar declarações,
Artigo 97 -O processo salvo se isto importe prejuízo à sua
segurança, no interregno entre a servidores notificados a
data da citação e a fixada para o comparecerem perante a Comissão
interrogatório do acusado, sendo Processante, será dado imediato
notificado para tal fim. conhecimento dos termos da
Parágrafo único - O acusado não notificação.
assistirá à inquisição do § 4º - Tratando-se de militar ou
denunciante; antes porém de ser policial-militar o seu
interrogado, as declarações que comparecimento será requisitado ao
houver aquele prestado lhe serão respectivo comandante com as
lidas pelo secretário. indicações necessárias.
Artigo 100 - Não comparecendo o Artigo 105 - A testemunha não
acusado, será, por despacho, poderá eximir-se de depor, salvo se
decretada sua revelia, for ascendente, descendente,
prosseguindo-se nos demais atos e cônjuge, ainda que legalmente
termos do processo. separado, irmãos, soros e
Artigo 101 - Ao acusado revel será cunhados, pai, mãe ou filho adotivo
nomeado defensor, bacharel em do acusado, exceto quando não for
direito. possível, por outro modo, obter-se
Artigo 102 - O acusado poderá ou integrar-se a prova do fato e de
constituir advogado para todos os suas Circunstâncias.
atos e termos do processo. § 1º - Se o parentesco das pessoas
Parágrafo único - Não tendo o referidas for com o denunciante,
acusado recursos financeiros ou ficam elas proibidas de depor,
negando-se a constituir advogado, o observada a exceção deste artigo.
presidente da comissão nomeará § 2º - Ao servidor policial que se
defensor bacharel em direito. recusar a depor, sem justa causa,
Artigo 103 - Comparecendo o será pela autoridade competente
acusado, será interrogado, abrindo- aplicada a sanção a que se refere o
se-lhe, em seguida, prazo de 8 artigo 82 mediante comunicação da
(oito) dias para requerer a produção Comissão Processante.
de provas ou apresentá-las. § 3º - O servidor policial que tiver de
§ 1º - Ao acusado é facultado depor como testemunha fora da
arrolar até 8 (oito) testemunhas. sede de seu exercício, terá direito a
§ 2º - A prova de antecedentes do transporte e diárias na forma da
acusado será feita legislação em vigor, podendo ainda
documentadamente, até as expedir-se precatória para esse
alegações finais. efeito à autoridade do domicílio ao
Artigo 104 - Findo o prazo referido depoente.
no artigo anterior, os autos irão Artigo 106 - São proibidas de depor
conclusos ao presidente da as pessoas que, em razão de
comissão para designação da função, ministério, oficio ou
audiência de Instrução. profissão, devam guardar segredo,
§ 1º - Serão ouvidas, pela ordem, as a menos que, desobrigadas pela
testemunhas arroladas comissão, parte interessada, queiram dar o
em número não superior a 8 (oito) e seu testemunho.
pelo acusado. Artigo 107 - A testemunha que
§ 2º - As testemunhas poderão ser morar em comarca diversa da em
ouvidas, reinquiridas ou acareadas, que tiver sede a Comissão, será
em mais de uma audiência. inquirida por precatória, pela
§ 3º - Aos chefes diretos dos autoridade do local em que residir,
intimado o acusado com o prazo de probatória, dar-se-á vista dos autos
5 (cinco) dias, antecedente à data ao acusado no prazo de 48
da realização da audiência. (quarenta e oito) horas, a fim de
Parágrafo único - Para efeito do que, dentro de 5 (cinco) dias,
disposto neste artigo serão apresente as alegações finais.
presentes à autoridade policial a Parágrafo único - Durante estes
síntese da imputação, os prazos, se requerer, terá o acusado,
esclarecimentos pretendidos e ou seu advogado, vistas dos autos
pedido de comunicação da data da em presença do secretário ou de
audiência. um dos membros da comissão, na
Artigo 108 - As testemunhas repartição.
arroladas pelo acusado Artigo 113 - Findo o prazo do artigo
comparecerão à audiência anterior e saneado o processo após
designada, sempre que possível, o oferecimento das alegações finais,
independente de notificação. a comissão no prazo de 10 (dez)
Parágrafo único - Deverá ser dias, apresentará seu relatório.
notificada a testemunha cujo § 1º - Na hipótese de não terem
depoimento for relevante e que não sido apresentadas as alegações
comparecer espontaneamente. finais, o presidente da comissão
Artigo 109 - Em qualquer fase do designará defensor, bacharel em
processo poderá o presidente da Direito, para apresentá-las,
comissão ordenar diligências que se assinando-lhe novo prazo.
lhe afigurem convenientes, de ofício § 2º - No relatório, a comissão
ou a requerimento do acusado. apreciará, em relação a cada
Parágrafo único - Sendo acusado, separadamente, as
necessário o concurso de técnicos irregularidades que lhe foram
ou peritos oficiais, o presidente da imputadas, as provas colhidas, as
comissão requisitá-los a quem de razões de defesa, propondo a
direito, observados, também, quanto absolvição ou a punição e
aos técnicos e peritos, os indicando, neste caso, a pena que
impedimentos a que se referem os entender cabível.
artigos 105 e 106. § 3º - Deverá, também, a comissão,
Artigo 110 - O presidente da em seu relatório, sugerir quaisquer
Comissão indeferirá o requerimento outras providências relacionadas ao
manifestamente protelatório ou de processo instaurado que lhe
nenhum interesse para o parecerem de interesse do serviço
esclarecimento do fato, público.
fundamentando sua decisão. Artigo 114 - Relatado, o processo
Artigo 111 - É permitida à comissão será encaminhado ao Delegado
tomar conhecimento de arguições Geral de Polícia, que o submeterá
novas que, no curso do processo, ao Conselho da Polícia Civil, no
surgirem contra o acusado. prazo de 48 (quarenta e oito) horas.
Parágrafo único - Quando as § 1º - O presidente do Conselho da
arguições forem pertinentes ao Polícia Civil, no prazo de 20 (vinte)
processo, o acusado será intimando dias, poderá determinar a realização
das novas imputações, reabrindo- de diligência, sempre que entender
se-lhe prazo para produção de necessário ao esclarecimento dos
provas, oficiando a autoridade, em fatos constantes do processo.
caso contrário, a quem de direito. § 2º - Determinada a diligência será
Artigo 112 - Encerrada a fase concedido à Comissão Processante
o prazo máximo de 15 (quinze) dias, civil de que, por qualquer meio, tiver
para cumpri-la. conhecimento.
§ 3º - Sobre as provas resultantes Artigo 120 - É defeso fornecer à
da diligência, manifestar-se-á o imprensa ou a outros meios de
acusado no prazo de 4 (quatro) divulgação notas sobre os atos
dias. processuais, salvo no interesse da
Artigo 115 - Compete ao Delegado administração, a juízo do Delegado
Geral de Polícia, no prazo de 30 Geral de Polícia.
(trinta) dias, dentro de sua alçada, Artigo 121 - Não será declarada a
aplicar as penas e adotar as nulidade de nenhum ato processual
providências que lhe parecerem que não houver influído na
cabíveis, propondo-as à autoridade apuracão da verdade substancial ou
competente, quando não o for. diretamente na decisão do processo
Artigo 116 - A autoridade julgadora ou sindicância.
determinará a expedição dos atos
decorrentes da decisão e as
providências necessárias à sua
execução. CAPÍTULO XI
Artigo 117 - Terão forma Da Revisão do Processo Disciplinar
processual resumida, quando
possível, todos os termos lavrados
pelo Secretário, quais sejam:
autuação, juntada, conclusão, Artigo 122 - Dar-se-á revisão de
intimação, data de recebimento, processo findo mediante recurso do
bem como certidões e punido, quando:
compromissos. I - a decisão houver sido proferida
Artigo 118 - Toda e qualquer contra expressa disposição legal
juntada aos autos se fará na ordem II - a decisão for contrária à
cronológica da apresentação, evidência da prova colhida nos
rubricando o presidente as folhas autos;
acrescidas. III - a decisão se fundar em
Artigo 119 - Quando na esfera depoimentos, exames, pericias,
administrativa houver notícia de vistorias ou documentos
crime praticado por policial civil, o comprovadamente falsos;
Delegado Geral de Polícia, se não IV - surgirem, após a decisão,
houver sido instaurado ainda o provas da inocência do punido;
inquérito policial, determinará a V - ocorrer circunstância que
medida. autorize o abrandamento da pena
§ 1º - Todo o procedimento de aplicada.
Polícia Judiciária instaurado contra § 1º - Os pedidos que não se
servidor policial, deverá ser fundarem nos casos enumerados no
imediatamente comunicado pela artigo serão indeferidos «in limine».
autoridade que o preside, pela via § 2º - A revisão poderá verificar-se a
hierárquica, ao Delegado Geral de qualquer tempo, exceto nos casos
Polícia. dos incisos I e II, cujo direito decai
§ 2º - A autoridade policial, pelas em 3 (três) anos contados da data
vias hierárquicas, comunicará, de da publicação da decisão no órgão
imediato, ao Delegado Geral de oficial.
Polícia toda irregularidade Artigo 123 - A revisão não autoriza
administrativa praticada por policial a agravação da pena.
Artigo 124 - Em caso de CAPÍTULO XII
falecimento do punido, o pedido de Das Disposições Gerais e Finais
revisão poderá ser formulado pelo
cônjuge, ascendente, descendente
ou irmão, representado, sempre, por
advogado. Artigo 129 - Vetado.
Artigo 125 - Não será admissível a Artigo 130 - Contar-se-ão por dias
reiteração do pedido, salvo se corridos os prazos previstos nesta
fundado em novas provas. lei complementar.
Artigo 126 - O pedido será sempre Parágrafo único - Computam-se os
dirigido a autoridade que aplicou a prazos excluindo o dia do começo e
penalidade, ou que a tiver incluindo o do vencimento,
confirmado em grau de recurso. prorrogando-se este, quando incidir
§ 1º - A revisão será processada por em sábado, domingo, feriado ou
comissão, especialmente designada facultativo, para o primeiro dia útil
pela autoridade que a deferiu, seguinte.
composta de 3 (três) membros, Artigo 131 - Compete ao órgão
Delegados de Polícia, um dos quais Setorial de Recursos Humanos da
Delegado de Polícia de Classe Polícia Civil, o planejamento, a
Especial, que será o presidente. coordenação, a orientação técnica e
§ 2º - Incumbe ao presidente da o controle, sempre em integração
comissão designar seu secretário, com o órgão central, das atividades
que será um Escrivão de Polícia. de administração do pessoal policial
§ 3º - Estará impedido de atuar na civil.
revisão quem tenha funcionado no Artigo 132 - O Estado fornecerá
processo disciplinar de que resultou aos policiais civis, arma, munição,
a punição do requerente. algema e distintivo, quando
Artigo 127 - Recebido o pedido o necessários ao exercício de suas
presidente da Comissão funções.
providenciará o apensamento do Artigo 133 -É proibida a
processo administrativo e notificará acumulação de férias, salvo por
o requerente para, no prazo de 8 absoluta necessidade de serviço e
(oito) dias, juntar as provas que tiver pelo prazo máximo de 3 (três) anos
ou indicar as que pretende produzir, consecutivos.
oferecendo o rol de testemunhas, se Artigo 134 - O disposto nos artigos
for o caso. 41, 42, 44 e 45 desta lei
Parágrafo único - Nas fases de complementar aplica-se aos cargos
instrução e de decisão será e funções-atividades de Guarda de
observado o procedimento previsto Presídio, de Encarregado de
nesta lei complementar, para o Disciplina e de Encarregado de
processo disciplinar. Setor (Presídio).
Artigo 128 - Se a revisão for Artigo 135 - Aplicam-se aos
julgada procedente, será reduzida funcionários policiais civis, no que
ou cancelada a penalidade aplicada não conflitar com esta lei
ao requerente, restabelecendo-se complementar as disposições da Lei
todos os direitos atingidos pela n º 199, de 1º de dezembro de
decisão reformada. 1948, do Decreto-lei nº 141, de 24
de julho de 1969, da Lei nº Lei
Complementar nº 180, de 12 de
maio de 1978, bem como o regime
de mensal, instituído pela Lei nº serão inscritos nos concursos de
4.832, de 4 de setembro de 1958, ingresso na carreira de Delegado de
com alterações posteriores. Polícia.
Artigo 136 - Esta lei complementar
aplica-se, nas mesmas bases,
termos e condições, aos inativos.
Artigo 137 - As despesas
decorrentes da aplicação desta lei
complementar, correrão à conta de
créditos suplementares que o Poder
Executivo fica autorizado a abrir, até
o limite de Cr$ 270.000.000,00
(duzentos e setenta milhões de
cruzeiros).
Parágrafo único - O valor do
crédito autorizado neste artigo será
coberto com recursos de que trata o
artigo 43 da Lei Federal nº 4.320, de
17 de março de 1964.
Artigo 138 - Esta lei complementar
e suas disposições transitórias
entrarão em vigor em 1º de março
de 1979 revogadas as disposições
em contrário, especialmente a Lei nº
7.626, de 6 de dezembro de 1962,
o Decreto-lei nº 156, de 8 de
outubro de 1969, bem como a
alínea "a" do inciso III do artigo 64 e
o artigo 182, ambos da Lei
Complementar nº 180, de 12 de
maio de 1978.
Das Disposições Transitórias
Artigo 1º - Somente se aplicará
esta lei complementar às infrações
disciplinares praticadas na vigência
da lei anterior, quando:
I - o fato não for mais considerado
infração disciplinar;
II - de qualquer forma, for mais
branda a pena cominada.
Artigo 2º - Os processos em curso,
quando da entrada em vigor desta
lei complementar, obedecerão ao
rito processual estabelecido pela
legislação anterior.
Artigo 3º - Os atuais cargos de
Delegado de Polícia Substituto
serão extintos na vacância.
Parágrafo único - Os ocupantes
dos cargos a que alude este artigo,
LEI COMPLEMENTAR Nº 922, DE
02 DE JULHO DE 2002
Artigo 1º - Passam a vigorar com a bem do serviço público e cassação
seguinte redação os dispositivos de aposentadoria ou disponibilidade
adiante enumerados da Lei a Delegado de Polícia. (NR)
Complementar nº 207, de 5 de § 2º - Compete às autoridades
janeiro de 1979: enumeradas neste artigo, até o
I - os artigos 55, 56 e 57: inciso III, inclusive, a aplicação de
“Artigo 55 - É assegurado a pena a Delegado de Polícia. (NR)
qualquer pessoa, física ou jurídica, § 3º - Para o exercício da
independentemente de pagamento, competência prevista nos incisos I e
o direito de petição contra II será ouvido o órgão de consultoria
ilegalidade ou abuso de poder e jurídica. (NR)
para defesa de direitos. (NR) § 4º - Para a aplicação da pena
Parágrafo único - Em nenhuma prevista no artigo 68 é competente o
hipótese, a Administração poderá Delegado Geral de Polícia.” (NR);
recusar-se a protocolar, encaminhar III - o artigo 80:
ou apreciar a petição, sob pena de “Artigo 80 - Extingue-se a
responsabilidade do agente. (NR) punibilidade pela prescrição:
Artigo 56 - Qualquer pessoa poderá I - da falta sujeita à pena de
reclamar sobre abuso, erro, advertência, repreensão, multa ou
omissão ou conduta incompatível no suspensão, em 2 (dois) anos; (NR)
serviço policial. (NR) II - da falta sujeita à pena de
Artigo 57 - Ao policial civil é demissão, demissão a bem do
assegurado o direito de requerer ou serviço público e de cassação da
representar, bem como, nos termos aposentadoria ou disponibilidade,
desta lei complementar, pedir em 5 (cinco) anos; (NR)
reconsideração III - da falta prevista em lei como
e recorrer de decisões.” (NR); infração penal, no prazo de
II - o artigo 70, passando o prescrição em abstrato da pena
CAPÍTULO IX a denominar-se “Das criminal, se for superior a 5 (cinco)
Penalidades, da Extinção da anos. (NR)
Punibilidade das Providências § 1º - A prescrição começa a correr:
Preliminares” (NR): (NR)
“Artigo 70 - Para a aplicação das 1 - do dia em que a falta for
penas previstas no artigo 67 são cometida; (NR)
competentes: 2 - do dia em que tenha cessado a
I- o Governador; (NR) continuação ou a permanência, nas
II - o Secretário da Segurança faltas continuadas ou permanentes.
Pública; (NR) (NR)
III - o Delegado Geral de Polícia, até § 2º - Interrompe a prescrição a
a de suspensão; (NR) portaria que instaura sindicância e a
IV - o Delegado de Polícia Diretor que instaura processo
da Corregedoria, até a de administrativo. (NR)
suspensão limitada a 60 § 3º - O lapso prescricional
(sessenta)dias; (NR) corresponde: (NR) 1 - na hipótese
V - os Delegados de Polícia de desclassificação da infração, ao
Corregedores Auxiliares, até a de da pena efetivamente aplicada;
repreensão. (NR) (NR)
§ 1º - Compete exclusivamente ao 2 - na hipótese de mitigação ou
Governador do Estado, a aplicação atenuação, ao da pena em tese
das penas de demissão, demissão a cabível. (NR)
§ 4º - A prescrição não corre: (NR) apuração, a autoridade deverá
1 - enquanto sobrestado o processo imediatamente encaminhar ao
administrativo para aguardar Delegado de Polícia Diretor da
decisão judicial, na forma do § 3º do Corregedoria relatório das
artigo 65; (NR) diligências realizadas e definir o
2 - enquanto insubsistente o vínculo tempo necessário para o término
funcional que venha a ser dos trabalhos. (NR)
restabelecido. (NR) § 3º - Ao concluir a apuração
§ 5º - A decisão que reconhecer a preliminar, a autoridade deverá
existência de prescrição deverá opinar fundamentadamente pelo
determinar, desde logo, as arquivamento ou pela instauração
providências necessárias à de sindicância ou processo
apuração da responsabilidade pela administrativo. (NR)
sua ocorrência.” (NR); Artigo 86 - Determinada a
IV - os artigos 84 a 128, agrupados instauração de sindicância ou
nas seções e capítulos a seguir processo administrativo, ou no seu
indicados: curso, havendo conveniência para
a
"SEÇÃO III instrução ou para o serviço policial,
poderá o Delegado Geral de Polícia,
Das Providências Preliminares (NR) por despacho fundamentado,
ordenar as seguintes providências:
Artigo 84 - A autoridade policial que, (NR)
por qualquer meio, tiver I - afastamento preventivo do
conhecimento de irregularidade policial civil, quando o recomendar a
praticada por policial civil, moralidade administrativa ou a
comunicará imediatamente o fato ao repercussão do fato, sem prejuízo
órgão corregedor, sem prejuízo das de vencimentos ou vantagens, até
medidas urgentes que o caso exigir. 180 (cento e oitenta) dias,
(NR) prorrogáveis uma única vez por
Parágrafo único - Ao instaurar igual período; (NR)
procedimento administrativo ou de II - designação do policial acusado
polícia judiciária contra policial civil, para o exercício de atividades
a autoridade que o presidir exclusivamente burocráticas até
comunicará o fato ao Delegado de decisão final do procedimento; (NR)
Polícia Diretor da Corregedoria. III - recolhimento de carteira
(NR) funcional, distintivo, armas e
Artigo 85 - A autoridade corregedora algemas; (NR)
realizará apuração preliminar, de IV - proibição do porte de armas;
natureza simplesmente (NR)
investigativa, quando a infração não V - comparecimento obrigatório, em
estiver suficientemente periodicidade a ser estabelecida,
caracterizada ou definida autoria. para tomar ciência dos atos do
(NR) procedimento. (NR)
§ 1º - O início da apuração será § 1º - O Delegado de Polícia Diretor
comunicado ao Delegado de Polícia da Corregedoria, ou qualquer
Diretor da Corregedoria, devendo autoridade que determinar a
ser concluída e a este encaminhada instauração ou presidir sindicância
no prazo de 30 (trinta) dias. (NR) ou processo administrativo, poderá
§ 2º - Não concluída no prazo a representar ao Delegado Geral de
Polícia para propor a aplicação das data
medidas previstas neste artigo, bem designada para o interrogatório, ou
como sua cessação ou alteração. por ocasião deste. (NR)
(NR)
§ 2º - O Delegado Geral de Polícia SEÇÃO II
poderá, a qualquer momento, por
despacho fundamentado, fazer Da Sindicância
cessar ou alterar as medidas
previstas neste artigo. (NR) Artigo 90 - São competentes para
§ 3º - O período de afastamento determinar a instauração de
preventivo computa- se como de sindicância as autoridades
efetivo exercício, não sendo enumeradas no artigo 70. (NR)
descontado da pena de suspensão Parágrafo único - Quando a
eventualmente aplicada. (NR) determinação incluir Delegado de
Polícia, a competência é das
CAPÍTULO X autoridades enumeradas no artigo
70, até o inciso IV, inclusive. (NR)
Do Procedimento Disciplinar (NR) Artigo 91 - Instaurada a sindicância,
a autoridade que a presidir
SEÇÃO I comunicará o fato à Corregedoria
Geral da Polícia Civil e ao órgão
Das Disposições Gerais setorial de pessoal. (NR)
Artigo 92 - Aplicam-se à sindicância
Artigo 87 - A apuração das infrações as regras previstas nesta lei
será feita mediante sindicância ou complementar para o processo
processo administrativo, administrativo, com as seguintes
assegurados o contraditório e a modificações: (NR)
ampla defesa. (NR). I - a autoridade sindicante e cada
Artigo 88 - Será instaurada acusado poderão arrolar até 3 (três)
sindicância quando a falta testemunhas; (NR)
disciplinar, por sua natureza, possa II - a sindicância deverá estar
determinar as penas de advertência, concluída no prazo de 60 (sessenta)
repreensão, multa e suspensão. dias; (NR)
(NR) III - com o relatório, a sindicância
Artigo 89 - Será obrigatório o será enviada à autoridade
processo administrativo quando a competente para a decisão. (NR)
falta disciplinar, por sua natureza, Artigo 93 - O Delegado Geral de
possa determinar a pena de Polícia poderá, quando entender
demissão, demissão a bem do conveniente, solicitar manifestação
serviço público, cassação de do Conselho da Polícia Civil, antes
aposentadoria ou disponibilidade. de opinar ou proferir decisão em
(NR) sindicância. (NR)
§ 1º - Não será instaurado processo
para apurar abandono de cargo, se SEÇÃO III
o servidor tiver pedido exoneração.
(NR) Do Processo Administrativo
§ 2º - Extingue-se o processo
instaurado exclusivamente para Artigo 94 - São competentes para
apurar abandono de cargo, se o determinar a instauração de
indiciado pedir exoneração até a processo administrativo as
autoridades enumeradas no artigo providências faltantes e o tempo
70, até o inciso IV, inclusive. (NR) necessário para término dos
Parágrafo único - Quando a trabalhos. (NR)
determinação incluir Delegado de § 3º - Caso o processo não esteja
Polícia, a competência é das concluído no prazo de 180 (cento e
autoridades enumeradas no artigo oitenta) dias, o Delegado de Polícia
70, até o inciso III, inclusive. (NR) Diretor da Corregedoria deverá
Artigo 95 - O processo justificar o fato
administrativo será presidido por circunstanciadamente ao Delegado
Delegado de Polícia, que designará Geral de Polícia e ao Secretário da
como secretário um Escrivão de Segurança Pública. (NR)
Polícia. (NR) Artigo 98 - Autuada a portaria e
Parágrafo único - Havendo demais peças preexistentes,
imputação contra Delegado de designará o presidente dia e hora
Polícia, a autoridade que presidir a para audiência de interrogatório,
apuração será de classe igual ou determinando a citação do acusado
superior à do acusado. (NR) e a notificação do denunciante, se
Artigo 96 - Não poderá ser houver. (NR)
encarregado da apuração, nem § 1º - O mandado de citação deverá
atuar como secretário, amigo íntimo conter: (NR)
ou inimigo, parente consangüíneo 1 - cópia da portaria; (NR)
ou afim, em linha reta ou colateral, 2 - data, hora e local do
até o terceiro grau inclusive, interrogatório, que poderá ser
cônjuge, companheiro ou qualquer acompanhado pelo advogado do
integrante do núcleo familiar do acusado; (NR)
denunciante ou do acusado, bem 3 - data, hora e local da oitiva do
assim o subordinado deste. (NR) denunciante, se houver, que deverá
Parágrafo único - A autoridade ou o ser acompanhada pelo advogado do
funcionário designado deverão acusado; (NR)
comunicar, desde logo, à autoridade 4 - esclarecimento de que o
competente, o impedimento que acusado será defendido por
houver. (NR) advogado dativo, caso não constitua
Artigo 97 - O processo advogado próprio; (NR)
administrativo deverá ser instaurado 5 - informação de que o acusado
por portaria, no prazo improrrogável poderá arrolar testemunhas e
de 8 (oito) dias do recebimento da requerer provas, no prazo de 3
determinação, e concluído no de 90 (três) dias após a data designada
(noventa) dias da citação do para seu interrogatório; (NR)
acusado. (NR) 6 - advertência de que o processo
§ 1º - Da portaria deverá constar o será extinto se o acusado pedir
nome e a identificação do acusado, exoneração até o interrogatório,
a infração que lhe é atribuída, com quando se tratar exclusivamente de
descrição sucinta dos fatos e abandono de cargo. (NR)
indicação das normas infringidas. § 2º - A citação do acusado será
(NR) feita pessoalmente, no mínimo 2
§ 2º - Vencido o prazo, caso não (dois) dias antes do interrogatório,
concluído o processo, a autoridade por intermédio do respectivo
deverá imediatamente encaminhar superior hierárquico, ou
ao Delegado de Polícia Diretor da diretamente, onde possa ser
Corregedoria relatório indicando as encontrado. (NR)
§ 3º - Não sendo encontrado, prosseguir na sua defesa. (NR)
furtando-se o acusado à citação ou Artigo 103 - Comparecendo ou não
ignorando-se seu paradeiro, a o acusado ao interrogatório, inicia-
citação far-se-á por edital, publicado se o prazo de 3 (três) dias para
uma vez no Diário Oficial do Estado, requerer a produção de provas, ou
no mínimo 10 (dez) dias antes do apresentá-las. (NR)
interrogatório. (NR) § 1º - Ao acusado é facultado
Artigo 99 - Havendo denunciante, arrolar até 5 (cinco) testemunhas.
este deverá prestar declarações, no (NR)
interregno entre a data da citação e § 2º - A prova de antecedentes do
a fixada para o interrogatório do acusado será feita exclusivamente
acusado, sendo notificado para tal por documentos, até as alegações
fim. (NR) finais. (NR)
§ 1º - A oitiva do denunciante § 3º - Até a data do interrogatório,
deverá ser acompanhada pelo será designada a audiência de
advogado do acusado, próprio ou instrução. (NR)
dativo. (NR) Artigo 104 - Na audiência de
§ 2º - O acusado não assistirá à instrução, serão ouvidas, pela
inquirição do denunciante; antes ordem, as testemunhas arroladas
porém de ser interrogado, poderá pelo presidente, em número não
ter ciência das declarações que superior a 5 (cinco), e pelo acusado.
aquele houver prestado. (NR) (NR)
Artigo 100 - Não comparecendo o Parágrafo único - Tratando-se de
acusado, será, por despacho, servidor público, seu
decretada sua revelia, comparecimento poderá ser
prosseguindo-se nos demais atos e solicitado ao respectivo superior
termos do processo. (NR) imediato com as indicações
Artigo 101 - Ao acusado revel será necessárias. (NR)
nomeado advogado dativo. (NR) Artigo 105 - A testemunha não
Artigo 102 - O acusado poderá poderá eximir-se de depor, salvo se
constituir advogado que o for ascendente, descendente,
representará em todos os atos e cônjuge, ainda que legalmente
termos do processo. (NR) separado, companheiro, irmão,
§ 1º - É faculdade do acusado tomar sogro e cunhado, pai, mãe ou filho
ciência ou assistir aos atos e termos adotivo do acusado, exceto quando
do processo, não sendo obrigatória não for possível, por outro modo,
qualquer notificação. (NR) obter-se ou integrar-se a prova do
§ 2º - O advogado será intimado por fato e de suas circunstâncias. (NR)
publicação no Diário Oficial do § 1º - Se o parentesco das pessoas
Estado, de que conste seu nome e referidas for com o denunciante,
número de inscrição na Ordem dos ficam elas proibidas de depor,
Advogados do Brasil, bem como os observada a exceção deste artigo.
dados necessários à identificação (NR)
do procedimento. (NR) § 2º - Ao policial civil que se recusar
§ 3º - Não tendo o acusado a depor, sem justa causa, será pela
recursos financeiros ou negando-se autoridade competente aplicada a
a constituir advogado, o presidente sanção a que se refere o artigo 82,
nomeará advogado dativo. (NR) mediante comunicação do
§ 4º - O acusado poderá, a qualquer presidente. (NR)
tempo, constituir advogado para § 3º - O policial civil que tiver de
depor como testemunha fora da ordenar diligências que entenda
sede de seu exercício, terá direito a convenientes. (NR)
transporte e diárias na forma da § 1º - As informações necessárias à
legislação em vigor, podendo ainda instrução do processo serão
expedir-se precatória para esse solicitadas diretamente, sem
efeito à autoridade do domicílio do observância de vinculação
depoente. (NR) hierárquica, mediante ofício, do qual
§ 4º - São proibidas de depor as cópia será juntada aos autos. (NR)
pessoas que, em razão de função, § 2º - Sendo necessário o concurso
ministério, ofício ou profissão, de técnicos ou peritos oficiais, o
devam guardar segredo, salvo se, presidente os requisitará,
desobrigadas pela parte observados os impedimentos do
interessada, quiserem dar o seu artigo 105. (NR)
testemunho. (NR) Artigo 109 - Durante a instrução, os
Artigo 106 - A testemunha que autos do procedimento
morar em comarca diversa poderá administrativo permanecerão na
ser inquirida pela autoridade do repartição competente. (NR)
lugar de sua residência, expedindo- § 1º - Será concedida vista dos
se, para esse fim, carta precatória, autos ao acusado, mediante simples
com prazo razoável, intimada a solicitação, sempre que não
defesa. (NR) prejudicar o curso do procedimento.
§ 1º - Deverá constar da precatória (NR)
a síntese da imputação e os § 2º - A concessão de vista será
esclarecimentos pretendidos. (NR) obrigatória, no prazo para
§ 2º - A expedição da precatória não manifestação do acusado ou para
suspenderá a instrução do apresentação de recursos, mediante
procedimento. (NR) publicação no Diário Oficial do
§ 3º - Findo o prazo marcado, o Estado. (NR)
procedimento poderá prosseguir até § 3º - Ao advogado é assegurado o
final decisão; a todo tempo, a direito de retirar os autos da
precatória, uma vez devolvida, será repartição, mediante recibo, durante
juntada aos autos. (NR) o prazo para manifestação de seu
Artigo 107 - As testemunhas representado, salvo na hipótese de
arroladas pelo acusado prazo comum, de processo sob
comparecerão à audiência regime de segredo de justiça ou
designada independente de quando existirem nos autos
notificação. (NR) documentos originais de difícil
§ 1º - Deverá ser notificada a restauração ou ocorrer circunstância
testemunha cujo depoimento for relevante que justifique a
relevante e que não comparecer permanência dos autos na
espontaneamente. (NR) repartição, reconhecida pela
§ 2º - Se a testemunha não for autoridade em despacho motivado.
localizada, a defesa poderá (NR)
substituí-la, se quiser, levando na Artigo 110 - Somente poderão ser
mesma data designada para a indeferidos pelo presidente,
audiência outra testemunha, mediante decisão fundamentada, os
independente de notificação. (NR) requerimentos de nenhum interesse
Artigo 108 - Em qualquer fase do para o esclarecimento do fato, bem
processo, poderá o presidente, de como as provas ilícitas,
ofício ou a requerimento da defesa, impertinentes, desnecessárias ou
protelatórias. (NR) de 15 (quinze) dias para seu
Artigo 111 - Quando, no curso do cumprimento, abrindo vista à defesa
procedimento, surgirem fatos novos para manifestar-se em 5 (cinco)
imputáveis ao acusado, poderá ser dias. (NR)
promovida a instauração de novo § 3º - Cumpridas as diligências, o
procedimento para sua apuração, Conselho da Polícia Civil emitirá
ou, caso conveniente, aditada a parecer conclusivo, no prazo de 20
portaria, reabrindo-se oportunidade (vinte) dias, encaminhando os autos
de defesa. (NR) ao Delegado Geral de Polícia. (NR)
Artigo 112 - Encerrada a fase § 4º - O Delegado Geral de Polícia,
probatória, dar-se-á vista dos autos no prazo de 10 (dez) dias, emitirá
à defesa, que poderá apresentar manifestação conclusiva e
alegações finais, no prazo de 7 encaminhará o processo
(sete) dias. (NR) administrativo à autoridade
Parágrafo único - Não apresentadas competente para decisão. (NR)
no prazo as alegações finais, o § 5º - A autoridade que proferir
presidente designará advogado decisão determinará os atos dela
dativo, assinando-lhe novo prazo. decorrentes e as providências
(NR) necessárias a sua execução. (NR)
Artigo 113 - O relatório deverá ser Artigo 115 - Terão forma processual
apresentado no prazo de 10 (dez) resumida, quando possível, todos
dias, contados da apresentação das os termos lavrados pelo secretário,
alegações finais. (NR) quais sejam: autuação, juntada,
§ 1º - O relatório deverá descrever, conclusão, intimação, data de
em relação a cada acusado, recebimento, bem como certidões e
separadamente, as irregularidades compromissos. (NR)
imputadas, as provas colhidas e as Parágrafo único - Toda e qualquer
razões de defesa, propondo a juntada aos autos se fará na ordem
absolvição ou punição e indicando, cronológica da apresentação,
nesse caso, a pena que entender rubricando o presidente as folhas
cabível. (NR) acrescidas. (NR)
§ 2º - O relatório deverá conter, Artigo 116 - Não será declarada a
também, a sugestão de quaisquer nulidade de nenhum ato processual
outras providências de interesse do que não houver influído na
serviço público. (NR) apuração da verdade substancial ou
Artigo 114 - Relatado, o processo diretamente na decisão do processo
será encaminhado ao Delegado ou sindicância. (NR)
Geral de Polícia, que o submeterá Artigo 117 - É defeso fornecer à
ao Conselho da Polícia Civil, no imprensa ou a outros meios de
prazo de 48 (quarenta e oito) horas. divulgação notas sobre os atos
(NR) processuais, salvo no interesse da
§ 1º - O Presidente do Conselho da Administração, a juízo do Delegado
Polícia Civil, no prazo de 20 (vinte) Geral de Polícia. (NR)
dias, poderá determinar a realização Artigo 118 - Decorridos 5 (cinco)
de diligência, sempre que anos de efetivo exercício, contados
necessário ao esclarecimento dos do cumprimento da sanção
fatos. (NR) disciplinar, sem cometimento de
§ 2º - Determinada a diligência, a nova infração, não mais poderá
autoridade encarregada do aquela ser considerada em prejuízo
processo administrativo terá prazo
do infrator, inclusive para efeito de
reincidência. (NR) Da Revisão

SEÇÃO IV Artigo 122 - Admitir-se-á, a qualquer


tempo, a revisão de punição
Dos Recursos disciplinar, se surgirem fatos ou
Artigo 119 - Caberá recurso, por circunstâncias ainda não
uma única vez, da decisão que apreciados, ou vícios insanáveis de
aplicar penalidade. (NR) procedimento, que possam justificar
§ 1º - O prazo para recorrer é de 30 redução ou anulação da pena
(trinta) dias, contados da publicação aplicada. (NR)
da decisão impugnada no Diário § 1º - A simples alegação da
Oficial do Estado. (NR) injustiça da decisão não constitui
§ 2º - Tratando-se de pena de fundamento do pedido. (NR)
advertência, sem publicidade, o § 2º - Não será admitida reiteração
prazo será contado da data em que de pedido pelo mesmo fundamento.
o policial civil for pessoalmente (NR)
intimado da decisão. (NR) § 3º - Os pedidos formulados em
§ 3º - Do recurso deverá constar, desacordo com este artigo serão
além do nome e qualificação do indeferidos. (NR)
recorrente, a exposição das razões § 4º - O ônus da prova cabe ao
de inconformismo. (NR) requerente. (NR)
§ 4º - O recurso será apresentado à Artigo 123 - A pena imposta não
autoridade que aplicou a pena, que poderá ser agravada pela revisão.
terá o prazo de 10 (dez) dias para, (NR)
motivadamente, manter sua decisão Artigo 124 - A instauração de
ou reformá-la. (NR) processo revisional poderá ser
§ 5º - Mantida a decisão, ou requerida fundamentadamente pelo
reformada parcialmente, será interessado ou, se falecido ou
imediatamente encaminhada a incapaz, por seu curador, cônjuge,
reexame pelo superior hierárquico. companheiro, ascendente,
(NR) descendente ou irmão, sempre por
§ 6º - O recurso será apreciado pela intermédio de advogado. (NR)
autoridade competente ainda que Parágrafo único - O pedido será
incorretamente denominado ou instruído com as provas que o
endereçado. (NR) requerente possuir ou com
Artigo 120 - Caberá pedido de indicação daquelas que pretenda
reconsideração, que não poderá ser produzir. (NR)
renovado, de decisão tomada pelo Artigo 125 - O exame da
Governador do Estado em única admissibilidade do pedido de
instância, no prazo de 30 (trinta) revisão será feito pela autoridade
dias. (NR) que aplicou a penalidade, ou que a
Artigo 121 - Os recursos de que tiver confirmado em grau de
trata esta lei complementar não têm recurso. (NR)
efeito suspensivo; os que forem Artigo 126 - Deferido o
providos darão lugar às retificações processamento da revisão, será
necessárias, retroagindo seus este realizado por Delegado de
efeitos à data do ato punitivo. (NR) Polícia de classe igual ou superior à
do acusado, que não tenha
CAPÍTULO XI funcionado no procedimento
disciplinar de que resultou a punição “X - praticar ato definido como crime
do requerente. (NR) hediondo, tortura, tráfico ilícito de
Artigo 127 - Recebido o pedido, o entorpecentes e drogas afins e
presidente providenciará o terrorismo;
apensamento dos autos originais e XI - praticar ato definido como crime
notificará o requerente para, no contra o Sistema Financeiro, ou de
prazo de 8 (oito) dias, oferecer rol lavagem ou ocultação de bens,
de testemunhas, ou requerer outras direitos ou valores;
provas que pretenda produzir. (NR) XII - praticar ato definido em lei
Parágrafo único - No como de improbidade.”
processamento da revisão serão Artigo 3º - Esta lei complementar
observadas as normas previstas entra em vigor na data de sua
nesta lei complementar para o publicação.
processo administrativo. (NR)
Artigo 128 - A decisão que julgar Disposições Transitórias
procedente a revisão poderá alterar
a classificação da infração, absolver Artigo 1º - A nova tipificação
o punido, modificar a pena ou anular acrescentada aos artigos 74 e 75
o processo, restabelecendo os da Lei Complementar nº 207, de 5
direitos atingidos pela decisão de janeiro de 1979, só se aplica aos
reformada. (NR)” atos praticados após a entrada em
Artigo 2º - Ficam acrescentados vigor desta lei complementar.
à Lei Complementar nº 207, de 5 de Artigo 2º - As demais disposições
janeiro de 1979, os seguintes desta lei complementar aplicam-se
dispositivos: imediatamente, sem prejuízo da
I - ao artigo 65, os §§ 1º, 2º e 3º: validade dos atos realizados na
§ 1º - A responsabilidade vigência da legislação anterior.
administrativa é independente da Artigo 3º - Serão adaptados os
civil e da criminal. procedimentos em curso na data da
§ 2º - Será reintegrado ao serviço entrada em vigor desta lei
público, no cargo que ocupava e complementar, cabendo ao
com todos os direitos e vantagens presidente tomar as providências
devidas, o servidor absolvido pela necessárias, ouvido o acusado.
Justiça, mediante simples Parágrafo único - O presidente da
comprovação do trânsito em julgado Comissão Processante assumirá a
de decisão que negue a existência condução do processo
de sua autoria ou do fato que deu administrativo em curso, podendo
origem à sua demissão. propor, motivadamente, ao
§ 3º - O processo administrativo só Delegado de Polícia Diretor da
poderá ser sobrestado para Corregedoria, sua substituição por
aguardar decisão judicial por outro membro.
despacho motivado da autoridade Artigo 4º - Os policiais civis que
competente para aplicar a pena.” tiverem recebido punição da qual
II - ao artigo 74, o inciso VI: ainda caiba recurso ou pedido de
“VI - ausência ao serviço, sem reconsideração, terão prazo
causa justificável, por mais de 45 decadencial de 30 (trinta) dias para
(quarenta e cinco) dias, a respectiva interposição, na forma
interpoladamente, durante um ano.” desta lei complementar.
III - ao artigo 75, os incisos X, XI e Parágrafo único - A Administração
XII: publicará aviso, por 3 (três) vezes,
no Diário Oficial do Estado, quanto
ao disposto no “caput”, contando-se
o prazo do primeiro dia útil após a
terceira publicação.
LEI COMPLEMENTAR Nº 1.151,
DE 25 DE OUTUBRO DE 2011
Artigo 1º - As carreiras policiais I - prova preambular com questões
civis, do Quadro da Secretaria da de múltipla escolha;
Segurança Pública, de que trata II - prova escrita com questões
a Lei Complementar nº 494, de 24 dissertativas, quando for o caso, a
de dezembro de 1986, alterada ser regulada em edital de concurso
pela Lei Complementar nº 1.064, de público;
13 de novembro de 2008, ficam III - prova de aptidão psicológica;
estruturadas, para efeito de IV - prova de aptidão física;
escalonamento e promoção, em V - comprovação de idoneidade e
quatro classes, dispostas conduta escorreita, mediante
hierarquicamente de acordo com o investigação social;
grau de complexidade das VI - prova de títulos, quando for o
atribuições e nível de caso, a ser regulada em edital de
responsabilidade. concurso público.
Artigo 2º - As carreiras policiais Parágrafo único - As fases a que
civis passam a ser compostas pelo se referem os incisos I a V deste
quantitativo de cargos fixados no artigo serão de caráter eliminatório
Anexo I desta lei complementar, e sucessivas, e a constante do
distribuídos hierarquicamente em inciso VI, de caráter classificatório.
ordem crescente na seguinte Artigo 6º -O cargo de
conformidade: Superintendente da Polícia Técnico-
I - 3ª Classe; Científica, de provimento em
II - 2ª Classe; comissão, será ocupado,
III - 1ª Classe; alternadamente, por integrante das
IV - Classe Especial. carreiras de Médico Legista e Perito
Artigo 3º - O ingresso nas carreiras Criminal, nos termos da lei.
policiais civis, precedido de Artigo 7º - Os primeiros 3 (três)
aprovação em concurso público de anos de efetivo exercício nos cargos
provas e títulos, dar-se-á em 3ª das carreiras policiais civis de 3ª
Classe, mediante nomeação em Classe, a que se refere o artigo 3º
caráter de estágio probatório, pelo desta lei complementar, caracteriza-
período de 3 (três) anos de efetivo se como estágio probatório.
exercício, obrigatoriamente em § 1º - Durante o período a que se
unidades territoriais de Polícia refere o “caput” deste artigo, os
Judiciária da Polícia Civil e da integrantes das carreiras policiais
Polícia Técnico-Científica. civis serão observados e avaliados,
Artigo 4º - Constituem exigências semestralmente, no mínimo, quanto
prévias para inscrição no concurso aos seguintes requisitos:
público de ingresso nas carreiras 1 - aprovação no curso de formação
policiais civis ser portador de nível técnico-profissional;
de escolaridade estabelecido para 2 - conduta ilibada, na vida pública e
cada carreira no artigo 5º da Lei na vida privada;
Complementar nº 494, de 24 de 3 - aptidão;
dezembro de 1986, e no artigo 1º da 4 - disciplina;
Lei Complementar nº 1.067, de 1º 5 - assiduidade;
de dezembro de 2008. 6 - dedicação ao serviço;
Artigo 5º - O concurso público a 7 - eficiência;
que se refere o artigo 3º desta lei 8 - responsabilidade.
complementar será realizado em 6 § 2º - O curso de formação técnico-
(seis) fases, a saber: profissional, fase inicial do estágio
probatório, a que se refere o item 1 integrantes das carreiras policiais
do § 1º deste artigo, terá a duração civis dar-se-á por meio de
mínima 3 (três) meses. promoção, que consiste na
§ 3º - O policial civil será elevação à classe imediatamente
considerado aprovado no curso de superior da respectiva carreira.
formação técnico-profissional desde Artigo 10 - A promoção será
que obtenha nota mínima processada pelo Conselho da
correspondente a 50% (cinquenta Polícia Civil, adotados os critérios
por cento) da pontuação máxima, de antiguidade e merecimento,
em cada disciplina. realizando-se, no mínimo, uma
§ 4º - Durante o período de estágio promoção por semestre.
probatório, será exonerado, § 1º - A evolução funcional até a 1ª
mediante procedimento Classe das carreiras de policiais
administrativo, a qualquer tempo, o civis dar-se-á por quaisquer dos
policial civil que não atender aos critérios estabelecidos neste artigo,
requisitos estabelecidos neste e para a Classe Especial, somente
artigo, assegurados o contraditório e por merecimento.
a ampla defesa. § 2º - O processo de promoção a
§ 5º - Os demais critérios e que se refere o “caput” deste artigo
procedimentos para fins do instaura-se mediante Portaria do
cumprimento do estágio probatório Presidente do Conselho da Polícia
serão estabelecidos em decreto, Civil.
mediante proposta do Secretário da Artigo 11 - A promoção de que trata
Segurança Pública, ouvida a o artigo 10 desta lei complementar
Secretaria de Gestão Pública, no será processada na seguinte
prazo máximo de 90 (noventa) dias conformidade:
a contar da data da publicação I - alternadamente, em proporções
desta lei complementar. iguais, por antiguidade e por
§ 6º - Cumpridos os requisitos para merecimento, da 3ª até a 1ª Classe,
fins de estágio probatório, o policial limitado o quantitativo de
civil obterá estabilidade, mantido o promoções ao número
nível de ingresso na respectiva correspondente de vacâncias
carreira. ocorridas em cada uma das classes
Artigo 8º - Os vencimentos dos das respectivas carreiras, no
integrantes das carreiras policiais período que antecede a abertura do
civis, de que trata o artigo 2º da Lei respectivo processo;
Complementar nº 731, de 26 de II - somente por merecimento, para
outubro de 1993, alterado pelo a Classe Especial, limitado o
artigo 2º da Lei Complementar nº quantitativo de promoções a um
1.064, de 13 de novembro de 2008, número que não ultrapasse o
em decorrência de reclassificação, contingente estabelecido no Anexo
passam a ser fixados na seguinte VI desta lei complementar, em
conformidade: atividade, na referida classe das
I - Anexos II e III desta lei respectivas carreiras.
complementar, a partir de 1º de § 1º - O quantitativo de promoções
julho de 2011; a que se refere o inciso I deste
II - Anexos IV e V desta lei artigo poderá ser acrescido em
complementar, a partir de 1º de número correspondente ao de
agosto de 2012. promoções ocorridas dentro do
Artigo 9º - A evolução funcional dos próprio processo, inclusive aquelas
ocorridas nos termos do artigo 22 labore” a que se refere o artigo 7º
desta lei complementar. da Lei Complementar nº 731, de 26
§ 2º - Poderá concorrer à promoção de outubro de 1993, com alterações
o policial civil que, no período que posteriores, e o artigo 5º da Lei
anteceder a abertura do processo Complementar nº 1.064, de 13 de
de promoção: novembro de 2008.
1 - esteja em efetivo exercício na Artigo 14 - Na promoção por
Secretaria da Segurança Pública ou antiguidade, apurada pelo tempo de
regularmente afastado para exercer efetivo exercício na classe,
cargo ou função de interesse computado até a data que antecede
estritamente policial; a abertura do respectivo processo, o
2 - tenha cumprido o interstício a empate na classificação final
que se refere o artigo 12 desta lei resolver-se-á observada a seguinte
complementar. ordem:
§ 3º - A promoção de que trata o I - maior tempo de serviço na
“caput” deste artigo produzirá respectiva carreira;
efeitos a partir da data da II - maior tempo de serviço público
publicação do ato a que se refere o estadual;
artigo 23 desta lei complementar. III - maior idade.
Artigo 12 - Poderá participar do Artigo 15 - A promoção por
processo de promoção, de que trata merecimento depende do
o artigo 10 desta lei complementar, preenchimento dos requisitos e de
o policial civil que tenha cumprido o avaliação do merecimento.
interstício mínimo de: § 1º - Para fins de promoção a que
I - 4 (quatro) anos de efetivo se refere o “caput” deste artigo,
exercício na 3ª Classe; além do interstício de que trata o
II - 4 (quatro) anos de efetivo artigo 12 desta lei complementar, o
exercício na 2ª e na 1ª Classe. policial civil deverá preencher os
Artigo 13 - Interromper-se-á o seguintes requisitos:
interstício a que se refere o artigo 1 - estar na primeira metade da lista
12 desta lei complementar quando o de classificação em sua respectiva
policial civil estiver afastado para ter classe;
exercício em cargo ou função de 2 - estar em efetivo exercício na
natureza diversa da do cargo ou Secretaria da Segurança Pública,
função que exerce, exceto quando: ou regularmente afastado para
I - afastado nos termos dos artigos exercer cargo ou função;
78, 79 e 80 da Lei nº 10.261, de 28 3 - não ter sofrido punição
de outubro de 1968; disciplinar na qual tenha sido
II - afastado, sem prejuízo dos imposta pena de:
vencimentos, para participação em a) advertência ou de repreensão,
cursos, congressos ou demais nos 12 (doze) meses anteriores;
certames afetos à sua área de b) multa ou de suspensão, nos 24
atuação, pelo prazo máximo de 90 (vinte e quatro) meses anteriores.
(noventa) dias; § 2º - O preenchimento dos
III - afastado nos termos do § 1º do requisitos deverá ser apurado pelo
artigo 125 da Constituição do Conselho da Polícia Civil até a data
Estado; que antecede a abertura do
IV - designado para função de processo de promoção.
direção, chefia ou encarregatura § 3º - A avaliação por merecimento
retribuída mediante gratificação “pro será efetuada pelo Conselho da
Polícia Civil e deverá observar, última disposta em ordem
entre outros, os seguintes critérios: alfabética, serão publicadas no
1 - conduta do candidato; Diário Oficial do Estado, no prazo
2 - assiduidade; máximo de 15 (quinze) dias, a partir
3 - eficiência; da data da portaria de instauração
4 - elaboração de trabalho técnico- do respectivo processo.
científico de interesse policial. § 1º - Cabe reclamação, dentro do
Artigo 16 - A promoção do policial prazo de 5 (cinco) dias úteis a partir
civil da 1ª Classe para a Classe da publicação, dirigida ao
Especial, observado o limite fixado Presidente do Conselho, contra a
no inciso II do artigo 11 desta lei classificação na lista de antiguidade
complementar, deverá atender, ou não indicação na lista de
ainda, o requisito de interstício de merecimento.
20 (vinte) anos na respectiva § 2º - Findo o prazo, as
carreira, além daqueles previstos no reclamações serão distribuídas
artigo 15 desta lei complementar. mediante rotatividade entre os
Artigo 17 - Para promoção por membros do Conselho da Polícia
merecimento serão indicados Civil, que deverão emitir parecer no
policiais civis em número prazo improrrogável de 3 (três) dias
equivalente ao quantitativo de úteis.
promoções fixado para cada classe § 3º - Esgotado o prazo a que se
da respectiva carreira, mais dois. refere o § 2º deste artigo, as
§ 1º - A votação será descoberta e reclamações serão submetidas à
única para cada indicação. deliberação do Conselho da Polícia
§ 2º - O policial civil com maior Civil, que as decidirá no prazo
número de votos será considerado improrrogável de 3 (três) dias úteis.
indicado para promoção. § 4º - A decisão e a alteração das
§ 3º - Ao Presidente do Conselho da listas, se houver, serão publicadas
Polícia Civil caberá emitir o voto de no Diário Oficial do Estado.
qualidade, em caso de empate. § 5º - Não caberá qualquer recurso
§ 4º - Quando o quantitativo fixado contra a nova classificação.
para promoção for superior ao Artigo 20 - O Presidente do
número de indicações possíveis, Conselho da Polícia Civil
observar-se-á lista de antiguidade encaminhará as listas de promoção
para a respectiva promoção. ao Secretário da Segurança
Artigo 18 - Ao policial civil indicado Pública, que as transmitirá ao
para promoção pelo Conselho da Governador, para efetivação da
Polícia Civil e não promovido, fica promoção dos classificados por
assegurado o direito de novas antiguidade e por merecimento.
indicações, desde que não Artigo 21 - Os casos omissos serão
sobrevenha punição administrativa. objeto de deliberação do Conselho
Parágrafo único - O policial civil da Polícia Civil.
que figurar em três listas Artigo 22 - Além da promoção
consecutivas de merecimento terá prevista no artigo 10 desta lei
sua promoção assegurada, por esse complementar, o policial civil será
critério, no processo de promoção promovido à classe superior,
subsequente. independente de limite, observados
Artigo 19 - As listas dos policiais os seguintes critérios:
civis indicados à promoção por I - para a 2ª Classe da respectiva
antiguidade e merecimento, esta carreira, contar com 15 (quinze)
anos de efetivo exercício na da Lei Complementar nº 1.114, de
carreira, considerado o tempo de 26 de maio de 2010:
estágio probatório; “Artigo 4º - Quando a retribuição
II - para a 1ª Classe da respectiva total mensal do policial civil for
carreira, contar com 25 (vinte e inferior aos valores fixados neste
cinco) anos na referida carreira. artigo, será concedido abono
§ 1º - A promoção de que trata este complementar para que sua
artigo será realizada retribuição total mensal corresponda
semestralmente, nos meses de a esses valores, na seguinte
março e setembro de cada ano, e conformidade:
produzirá efeitos a partir da data I - R$ 1.350,00 (mil, trezentos e
subsequente ao implemento dos cinquenta reais), para as carreiras
critérios estabelecidos nos incisos I de Investigador de Polícia, Escrivão
e II deste artigo. de Polícia, Agente Policial,
§ 2º - Caberá ao órgão setorial de Carcereiro, Auxiliar de
recursos humanos apresentar a lista Papiloscopista Policial, Atendente
dos policiais civis com direito à de Necrotério Policial,
promoção de que trata este artigo, Papiloscopista Policial, Desenhista
para homologação pelo Conselho Técnico-Pericial, Auxiliar de
da Polícia Civil. Necropsia, Agente de
Artigo 23 - Atendidas as exigências Telecomunicações Policial e
previstas nesta lei complementar, as Fotógrafo Técnico-Pericial, quando
promoções serão efetivadas por ato o policial civil prestar serviços em
do Governador. município com população inferior a
Artigo 24 - Na vacância, os cargos 500.000 (quinhentos mil) habitantes;
das carreiras policiais civis de 2ª II - R$ 1.500,00 (mil e quinhentos
Classe a Classe Especial retornarão reais), para as carreiras de
à 3ª Classe da respectiva carreira. Investigador de Polícia, Escrivão de
Artigo 25 - Os dispositivos adiante Polícia, Agente Policial, Carcereiro,
mencionados passam a vigorar com Auxiliar de Papiloscopista Policial,
a seguinte redação: Atendente de Necrotério Policial,
I - a alínea “a” do inciso II do artigo Papiloscopista Policial, Desenhista
3º da Lei Complementar nº 696, de Técnico-Pericial, Auxiliar de
18 de novembro de 1992, alterado Necropsia, Agente de
pela Lei Complementar nº 1.114, de Telecomunicações Policial e
26 de maio de 2010: Fotógrafo Técnico-Pericial, quando
“Artigo 3º - Os valores do Adicional o policial civil prestar serviços em
de Local de Exercício ficam fixados município com população igual ou
na seguinte conformidade: superior 500.000 (quinhentos mil)
.......................................................... habitantes.” (NR)
.................. Artigo 26 - Fica constituído grupo
II - para o Local II: de trabalho integrado por
a) R$ 1.575,00 (mil, quinhentos e representantes do Poder Executivo
setenta e cinco reais), para o e Legislativo, com a finalidade de
Delegado Geral de Polícia, avaliar as possibilidades de
Superintendente da Polícia Técnico- valorização das carreiras de
Científica e para as carreiras de Investigador de Polícia e Escrivão
Delegado de Polícia, Médico Legista de Polícia, considerando a Lei
e Perito Criminal;” (NR); Complementar nº 1.067, de 1º de
II - os incisos I e II do artigo 4º dezembro de 2008, no prazo de 180
(cento e oitenta) dias. expirado, dar-se-á em conformidade
Artigo 27 - Esta lei complementar e com o disposto no artigo 3º desta lei
suas disposições transitórias complementar.
aplicam-se, no que couber, aos Parágrafo único - Os policiais civis
ocupantes de funçõesatividades, que tenham concluído ou estejam
bem como aos inativos e frequentando o Curso Específico de
pensionistas. Aperfeiçoamento necessário à
Artigo 28 - As despesas promoção de 3ª Classe para 2ª
decorrentes desta lei complementar Classe, e de 1ª Classe para a
correrão à conta das dotações Classe Especial, terão preferência
próprias consignadas no orçamento para concorrer ao primeiro processo
da Secretaria da Segurança de promoção que houver após a
Pública, suplementadas, se aprovação desta lei complementar.
necessário, mediante utilização de Artigo 3º - O primeiro processo de
recursos nos termos do § 1º do promoção a que se refere o artigo
artigo 43 da Lei federal nº 4.320, de 22 desta lei complementar
17 de março de 1964. observará os critérios estabelecidos
Artigo 29 - Esta lei complementar e de tempo de efetivo exercício na
suas disposições transitórias entram classe e na respectiva carreira até a
em vigor na data de sua publicação, data que antecede a publicação
retroagindo seus efeitos a 1º de desta lei complementar.
julho de 2011, exceto o artigo 25, Parágrafo único - As promoções a
que retroage seus efeitos a 1º de que se refere o “caput” deste artigo
março de 2010, ficando revogados produzirão efeitos a partir da
os artigos 5º a 14 da Lei vigência desta lei complementar.
Complementar nº 675, de 5 de Palácio dos Bandeirantes, 25 de
junho de 1992. outubro de 2011
GERALDO ALCKMIN
Disposições Transitórias Antônio Ferreira Pinto
Secretário da Segurança Pública
Artigo 1º - Os atuais policiais civis Andrea Sandro Calabi
de 4ª Classe terão seus cargos Secretário da Fazenda
enquadrados na 3ª Classe da Emanuel Fernandes
respectiva carreira, mantida a Secretário de Planejamento e
ordem de classificação. Desenvolvimento Regional
§ 1º - O tempo de efetivo exercício Júlio Francisco Semeghini Neto
no cargo de 4ª Classe será Secretário de Gestão Pública
computado para efeito de estágio Sidney Estanislau Beraldo
probatório a que se refere o artigo Secretário-Chefe da Casa Civil
3º desta lei complementar.
§ 2º - Os títulos dos servidores
abrangidos por este artigo serão
apostilados pelas autoridades
competentes.
Artigo 2º - O provimento em cargos
das carreiras de policiais civis de
candidatos aprovados em
concursos públicos de ingresso, em
andamento ou encerrado, cujo
prazo de validade não tenha se
- Lei Federal n.º
12.527/2011
CAPÍTULO I III - utilização de meios de
comunicação viabilizados pela tecnologia
DISPOSIÇÕES GERAIS da informação;

Art. 1o Esta Lei dispõe sobre os IV - fomento ao desenvolvimento da


procedimentos a serem observados pela cultura de transparência na administração
União, Estados, Distrito Federal e pública;
Municípios, com o fim de garantir o acesso
a informações previsto no inciso XXXIII do V - desenvolvimento do controle
art. 5o, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § social da administração pública.
2º do art. 216 da Constituição Federal.
Art. 4o Para os efeitos desta Lei,
Parágrafo único. Subordinam-se ao considera-se:
regime desta Lei:
I - informação: dados, processados
I - os órgãos públicos integrantes da ou não, que podem ser utilizados para
administração direta dos Poderes produção e transmissão de conhecimento,
Executivo, Legislativo, incluindo as Cortes contidos em qualquer meio, suporte ou
de Contas, e Judiciário e do Ministério formato;
Público;
II - documento: unidade de registro
II - as autarquias, as fundações de informações, qualquer que seja o
públicas, as empresas públicas, as suporte ou formato;
sociedades de economia mista e demais
entidades controladas direta ou III - informação sigilosa: aquela
indiretamente pela União, Estados, Distrito submetida temporariamente à restrição de
Federal e Municípios. acesso público em razão de sua
imprescindibilidade para a segurança da
Art. 2o Aplicam-se as disposições sociedade e do Estado;
desta Lei, no que couber, às entidades
privadas sem fins lucrativos que recebam, IV - informação pessoal: aquela
para realização de ações de interesse relacionada à pessoa natural identificada
público, recursos públicos diretamente do ou identificável;
orçamento ou mediante subvenções
sociais, contrato de gestão, termo de V - tratamento da informação:
parceria, convênios, acordo, ajustes ou conjunto de ações referentes à produção,
outros instrumentos congêneres. recepção, classificação, utilização, acesso,
reprodução, transporte, transmissão,
Parágrafo único. A publicidade a distribuição, arquivamento,
que estão submetidas as entidades citadas armazenamento, eliminação, avaliação,
no caput refere-se à parcela dos recursos destinação ou controle da informação;
públicos recebidos e à sua destinação, sem
prejuízo das prestações de contas a que VI - disponibilidade: qualidade da
estejam legalmente obrigadas. informação que pode ser conhecida e
utilizada por indivíduos, equipamentos ou
Art. 3o Os procedimentos previstos sistemas autorizados;
nesta Lei destinam-se a assegurar o direito
fundamental de acesso à informação e VII - autenticidade: qualidade da
devem ser executados em conformidade informação que tenha sido produzida,
com os princípios básicos da administração expedida, recebida ou modificada por
pública e com as seguintes diretrizes: determinado indivíduo, equipamento ou
sistema;
I - observância da publicidade como
preceito geral e do sigilo como exceção; VIII - integridade: qualidade da
informação não modificada, inclusive
II - divulgação de informações de quanto à origem, trânsito e destino;
interesse público, independentemente de
solicitações;
IX - primariedade: qualidade da V - informação sobre atividades
informação coletada na fonte, com o exercidas pelos órgãos e entidades,
máximo de detalhamento possível, sem inclusive as relativas à sua política,
modificações. organização e serviços;

Art. 5o É dever do Estado garantir o VI - informação pertinente à


direito de acesso à informação, que será administração do patrimônio público,
franqueada, mediante procedimentos utilização de recursos públicos, licitação,
objetivos e ágeis, de forma transparente, contratos administrativos; e
clara e em linguagem de fácil
compreensão. VII - informação relativa:

CAPÍTULO II a) à implementação,
acompanhamento e resultados dos
DO ACESSO A INFORMAÇÕES E DA programas, projetos e ações dos órgãos e
SUA DIVULGAÇÃO entidades públicas, bem como metas e
indicadores propostos;
Art. 6o Cabe aos órgãos e entidades
do poder público, observadas as normas e b) ao resultado de inspeções,
procedimentos específicos aplicáveis, auditorias, prestações e tomadas de contas
assegurar a: realizadas pelos órgãos de controle interno
e externo, incluindo prestações de contas
I - gestão transparente da relativas a exercícios anteriores.
informação, propiciando amplo acesso a
ela e sua divulgação; § 1o O acesso à informação previsto
no caput não compreende as informações
II - proteção da informação, referentes a projetos de pesquisa e
garantindo-se sua disponibilidade, desenvolvimento científicos ou tecnológicos
autenticidade e integridade; e cujo sigilo seja imprescindível à segurança
da sociedade e do Estado.
III - proteção da informação sigilosa
e da informação pessoal, observada a sua § 2o Quando não for autorizado
disponibilidade, autenticidade, integridade e acesso integral à informação por ser ela
eventual restrição de acesso. parcialmente sigilosa, é assegurado o
acesso à parte não sigilosa por meio de
certidão, extrato ou cópia com ocultação da
Art. 7o O acesso à informação de
parte sob sigilo.
que trata esta Lei compreende, entre
outros, os direitos de obter:
§ 3o O direito de acesso aos
documentos ou às informações neles
I - orientação sobre os
contidas utilizados como fundamento da
procedimentos para a consecução de
tomada de decisão e do ato administrativo
acesso, bem como sobre o local onde
será assegurado com a edição do ato
poderá ser encontrada ou obtida a
informação almejada; decisório respectivo.

§ 4o A negativa de acesso às
II - informação contida em registros
informações objeto de pedido formulado
ou documentos, produzidos ou acumulados
aos órgãos e entidades referidas no art. 1o,
por seus órgãos ou entidades, recolhidos
ou não a arquivos públicos; quando não fundamentada, sujeitará o
responsável a medidas disciplinares, nos
termos do art. 32 desta Lei.
III - informação produzida ou
custodiada por pessoa física ou entidade
§ 5o Informado do extravio da
privada decorrente de qualquer vínculo
com seus órgãos ou entidades, mesmo que informação solicitada, poderá o interessado
esse vínculo já tenha cessado; requerer à autoridade competente a
imediata abertura de sindicância para
apurar o desaparecimento da respectiva
IV - informação primária, íntegra, documentação.
autêntica e atualizada;
§ 6o Verificada a hipótese prevista clara e em linguagem de fácil
no § 5o deste artigo, o responsável pela compreensão;
guarda da informação extraviada deverá,
no prazo de 10 (dez) dias, justificar o fato e II - possibilitar a gravação de
indicar testemunhas que comprovem sua relatórios em diversos formatos eletrônicos,
alegação. inclusive abertos e não proprietários, tais
como planilhas e texto, de modo a facilitar
Art. 8o É dever dos órgãos e a análise das informações;
entidades públicas promover,
independentemente de requerimentos, a III - possibilitar o acesso
divulgação em local de fácil acesso, no automatizado por sistemas externos em
âmbito de suas competências, de formatos abertos, estruturados e legíveis
informações de interesse coletivo ou geral por máquina;
por eles produzidas ou custodiadas.
IV - divulgar em detalhes os formatos
§ 1o Na divulgação das informações utilizados para estruturação da informação;
a que se refere o caput, deverão constar,
no mínimo:
V - garantir a autenticidade e a
integridade das informações disponíveis
I - registro das competências e para acesso;
estrutura organizacional, endereços e
telefones das respectivas unidades e
VI - manter atualizadas as
horários de atendimento ao público;
informações disponíveis para acesso;

II - registros de quaisquer repasses VII - indicar local e instruções que


ou transferências de recursos financeiros;
permitam ao interessado comunicar-se, por
via eletrônica ou telefônica, com o órgão ou
III - registros das despesas; entidade detentora do sítio; e

IV - informações concernentes a VIII - adotar as medidas necessárias


procedimentos licitatórios, inclusive os para garantir a acessibilidade de conteúdo
respectivos editais e resultados, bem como para pessoas com deficiência, nos termos
a todos os contratos celebrados; do art. 17 da Lei no 10.098, de 19 de
dezembro de 2000, e do art. 9o da
V - dados gerais para o Convenção sobre os Direitos das Pessoas
acompanhamento de programas, ações, com Deficiência, aprovada pelo Decreto
projetos e obras de órgãos e entidades; e Legislativo no 186, de 9 de julho de 2008.

VI - respostas a perguntas mais § 4o Os Municípios com população


frequentes da sociedade. de até 10.000 (dez mil) habitantes ficam
dispensados da divulgação obrigatória na
§ 2o Para cumprimento do disposto internet a que se refere o § 2o, mantida a
no caput, os órgãos e entidades públicas obrigatoriedade de divulgação, em tempo
deverão utilizar todos os meios e real, de informações relativas à execução
instrumentos legítimos de que dispuserem, orçamentária e financeira, nos critérios e
sendo obrigatória a divulgação em sítios prazos previstos no art. 73-B da Lei
oficiais da rede mundial de computadores Complementar no 101, de 4 de maio de
(internet). 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal).

§ 3o Os sítios de que trata o § Art. 9o O acesso a informações


o
2 deverão, na forma de regulamento, públicas será assegurado mediante:
atender, entre outros, aos seguintes
requisitos: I - criação de serviço de informações
ao cidadão, nos órgãos e entidades do
I - conter ferramenta de pesquisa de poder público, em local com condições
conteúdo que permita o acesso à apropriadas para:
informação de forma objetiva, transparente,
a) atender e orientar o público I - comunicar a data, local e modo
quanto ao acesso a informações; para se realizar a consulta, efetuar a
reprodução ou obter a certidão;
b) informar sobre a tramitação de
documentos nas suas respectivas II - indicar as razões de fato ou de
unidades; direito da recusa, total ou parcial, do
acesso pretendido; ou
c) protocolizar documentos e
requerimentos de acesso a informações; e III - comunicar que não possui a
informação, indicar, se for do seu
II - realização de audiências ou conhecimento, o órgão ou a entidade que a
consultas públicas, incentivo à participação detém, ou, ainda, remeter o requerimento a
popular ou a outras formas de divulgação. esse órgão ou entidade, cientificando o
interessado da remessa de seu pedido de
CAPÍTULO III informação.

§ 2o O prazo referido no § 1o poderá


DO PROCEDIMENTO DE ACESSO À
ser prorrogado por mais 10 (dez) dias,
INFORMAÇÃO
mediante justificativa expressa, da qual
será cientificado o requerente.
Seção I
§ 3o Sem prejuízo da segurança e
Do Pedido de Acesso da proteção das informações e do
cumprimento da legislação aplicável, o
Art. 10. Qualquer interessado órgão ou entidade poderá oferecer meios
poderá apresentar pedido de acesso a para que o próprio requerente possa
informações aos órgãos e entidades pesquisar a informação de que necessitar.
referidos no art. 1o desta Lei, por qualquer
meio legítimo, devendo o pedido conter a § 4o Quando não for autorizado o
identificação do requerente e a acesso por se tratar de informação total ou
especificação da informação requerida. parcialmente sigilosa, o requerente deverá
ser informado sobre a possibilidade de
§ 1o Para o acesso a informações de recurso, prazos e condições para sua
interesse público, a identificação do interposição, devendo, ainda, ser-lhe
requerente não pode conter exigências que indicada a autoridade competente para sua
inviabilizem a solicitação. apreciação.

§ 2o Os órgãos e entidades do poder § 5o A informação armazenada em


público devem viabilizar alternativa de formato digital será fornecida nesse
encaminhamento de pedidos de acesso por formato, caso haja anuência do
meio de seus sítios oficiais na internet. requerente.

§ 3o São vedadas quaisquer § 6o Caso a informação solicitada


exigências relativas aos motivos esteja disponível ao público em formato
determinantes da solicitação de impresso, eletrônico ou em qualquer outro
informações de interesse público. meio de acesso universal, serão
informados ao requerente, por escrito, o
Art. 11. O órgão ou entidade pública lugar e a forma pela qual se poderá
deverá autorizar ou conceder o acesso consultar, obter ou reproduzir a referida
imediato à informação disponível. informação, procedimento esse que
desonerará o órgão ou entidade pública da
§ 1o Não sendo possível conceder o obrigação de seu fornecimento direto, salvo
acesso imediato, na forma disposta se o requerente declarar não dispor de
no caput, o órgão ou entidade que receber meios para realizar por si mesmo tais
o pedido deverá, em prazo não superior a procedimentos.
20 (vinte) dias:
Art. 12. O serviço de busca e
fornecimento da informação é gratuito,
salvo nas hipóteses de reprodução de
documentos pelo órgão ou entidade pública II - a decisão de negativa de acesso
consultada, situação em que poderá ser à informação total ou parcialmente
cobrado exclusivamente o valor necessário classificada como sigilosa não indicar a
ao ressarcimento do custo dos serviços e autoridade classificadora ou a
dos materiais utilizados. hierarquicamente superior a quem possa
ser dirigido pedido de acesso ou
Parágrafo único. Estará isento de desclassificação;
ressarcir os custos previstos no caput todo
aquele cuja situação econômica não lhe III - os procedimentos de
permita fazê-lo sem prejuízo do sustento classificação de informação sigilosa
próprio ou da família, declarada nos termos estabelecidos nesta Lei não tiverem sido
da Lei no7.115, de 29 de agosto de 1983. observados; e

Art. 13. Quando se tratar de acesso IV - estiverem sendo descumpridos


à informação contida em documento cuja prazos ou outros procedimentos previstos
manipulação possa prejudicar sua nesta Lei.
integridade, deverá ser oferecida a consulta
de cópia, com certificação de que esta § 1o O recurso previsto neste artigo
confere com o original. somente poderá ser dirigido à
Controladoria-Geral da União depois de
Parágrafo único. Na impossibilidade submetido à apreciação de pelo menos
de obtenção de cópias, o interessado uma autoridade hierarquicamente superior
poderá solicitar que, a suas expensas e àquela que exarou a decisão impugnada,
sob supervisão de servidor público, a que deliberará no prazo de 5 (cinco) dias.
reprodução seja feita por outro meio que
não ponha em risco a conservação do § 2o Verificada a procedência das
documento original. razões do recurso, a Controladoria-Geral
da União determinará ao órgão ou entidade
Art. 14. É direito do requerente obter que adote as providências necessárias
o inteiro teor de decisão de negativa de para dar cumprimento ao disposto nesta
acesso, por certidão ou cópia. Lei.

Seção II § 3o Negado o acesso à informação


pela Controladoria-Geral da União, poderá
Dos Recursos ser interposto recurso à Comissão Mista de
Reavaliação de Informações, a que se
refere o art. 35.
Art. 15. No caso de indeferimento de
acesso a informações ou às razões da
negativa do acesso, poderá o interessado Art. 17. No caso de indeferimento de
interpor recurso contra a decisão no prazo pedido de desclassificação de informação
de 10 (dez) dias a contar da sua ciência. protocolado em órgão da administração
pública federal, poderá o requerente
recorrer ao Ministro de Estado da área,
Parágrafo único. O recurso será
sem prejuízo das competências da
dirigido à autoridade hierarquicamente
superior à que exarou a decisão Comissão Mista de Reavaliação de
impugnada, que deverá se manifestar no Informações, previstas no art. 35, e do
disposto no art. 16.
prazo de 5 (cinco) dias.

§ 1o O recurso previsto neste artigo


Art. 16. Negado o acesso a
informação pelos órgãos ou entidades do somente poderá ser dirigido às autoridades
Poder Executivo Federal, o requerente mencionadas depois de submetido à
apreciação de pelo menos uma autoridade
poderá recorrer à Controladoria-Geral da
hierarquicamente superior à autoridade que
União, que deliberará no prazo de 5 (cinco)
exarou a decisão impugnada e, no caso
dias se:
das Forças Armadas, ao respectivo
Comando.
I - o acesso à informação não
classificada como sigilosa for negado;
§ 2o Indeferido o recurso previsto
no caput que tenha como objeto a
desclassificação de informação secreta ou de segredo industrial decorrentes da
ultrassecreta, caberá recurso à Comissão exploração direta de atividade econômica
Mista de Reavaliação de Informações pelo Estado ou por pessoa física ou
prevista no art. 35. entidade privada que tenha qualquer
vínculo com o poder público.
Art. 18. Os procedimentos de
revisão de decisões denegatórias Seção II
proferidas no recurso previsto no art. 15 e
de revisão de classificação de documentos Da Classificação da Informação quanto
sigilosos serão objeto de regulamentação ao Grau e Prazos de Sigilo
própria dos Poderes Legislativo e Judiciário
e do Ministério Público, em seus
Art. 23. São consideradas
respectivos âmbitos, assegurado ao
imprescindíveis à segurança da sociedade
solicitante, em qualquer caso, o direito de
ou do Estado e, portanto, passíveis de
ser informado sobre o andamento de seu classificação as informações cuja
pedido. divulgação ou acesso irrestrito possam:

Art. 19. (VETADO).


I - pôr em risco a defesa e a
soberania nacionais ou a integridade do
§ 1o (VETADO). território nacional;

§ 2o Os órgãos do Poder Judiciário e II - prejudicar ou pôr em risco a


do Ministério Público informarão ao condução de negociações ou as relações
Conselho Nacional de Justiça e ao internacionais do País, ou as que tenham
Conselho Nacional do Ministério Público, sido fornecidas em caráter sigiloso por
respectivamente, as decisões que, em grau outros Estados e organismos
de recurso, negarem acesso a informações internacionais;
de interesse público.
III - pôr em risco a vida, a segurança
Art. 20. Aplica-se subsidiariamente, ou a saúde da população;
no que couber, a Lei no 9.784, de 29 de
janeiro de 1999, ao procedimento de que
IV - oferecer elevado risco à
trata este Capítulo.
estabilidade financeira, econômica ou
monetária do País;
CAPÍTULO IV
V - prejudicar ou causar risco a
DAS RESTRIÇÕES DE ACESSO À planos ou operações estratégicos das
INFORMAÇÃO Forças Armadas;

Seção I VI - prejudicar ou causar risco a


projetos de pesquisa e desenvolvimento
Disposições Gerais científico ou tecnológico, assim como a
sistemas, bens, instalações ou áreas de
Art. 21. Não poderá ser negado interesse estratégico nacional;
acesso à informação necessária à tutela
judicial ou administrativa de direitos VII - pôr em risco a segurança de
fundamentais. instituições ou de altas autoridades
nacionais ou estrangeiras e seus familiares;
Parágrafo único. As informações ou ou
documentos que versem sobre condutas
que impliquem violação dos direitos VIII - comprometer atividades de
humanos praticada por agentes públicos ou inteligência, bem como de investigação ou
a mando de autoridades públicas não fiscalização em andamento, relacionadas
poderão ser objeto de restrição de acesso. com a prevenção ou repressão de
infrações.
Art. 22. O disposto nesta Lei não
exclui as demais hipóteses legais de sigilo Art. 24. A informação em poder dos
e de segredo de justiça nem as hipóteses órgãos e entidades públicas, observado o
seu teor e em razão de sua Art. 25. É dever do Estado controlar
imprescindibilidade à segurança da o acesso e a divulgação de informações
sociedade ou do Estado, poderá ser sigilosas produzidas por seus órgãos e
classificada como ultrassecreta, secreta ou entidades, assegurando a sua
reservada. proteção. (Regulamento)

§ 1o Os prazos máximos de restrição § 1o O acesso, a divulgação e o


de acesso à informação, conforme a tratamento de informação classificada
classificação prevista no caput, vigoram a como sigilosa ficarão restritos a pessoas
partir da data de sua produção e são os que tenham necessidade de conhecê-la e
seguintes: que sejam devidamente credenciadas na
forma do regulamento, sem prejuízo das
I - ultrassecreta: 25 (vinte e cinco) atribuições dos agentes públicos
anos; autorizados por lei.

II - secreta: 15 (quinze) anos; e § 2o O acesso à informação


classificada como sigilosa cria a obrigação
para aquele que a obteve de resguardar o
III - reservada: 5 (cinco) anos.
sigilo.
§ 2o As informações que puderem
§ 3o Regulamento disporá sobre
colocar em risco a segurança do
procedimentos e medidas a serem
Presidente e Vice-Presidente da República
adotados para o tratamento de informação
e respectivos cônjuges e filhos(as) serão
sigilosa, de modo a protegê-la contra
classificadas como reservadas e ficarão
sob sigilo até o término do mandato em perda, alteração indevida, acesso,
exercício ou do último mandato, em caso transmissão e divulgação não autorizados.
de reeleição.
Art. 26. As autoridades públicas
adotarão as providências necessárias para
§ 3oAlternativamente aos prazos
previstos no § 1o, poderá ser estabelecida que o pessoal a elas subordinado
como termo final de restrição de acesso a hierarquicamente conheça as normas e
observe as medidas e procedimentos de
ocorrência de determinado evento, desde
segurança para tratamento de informações
que este ocorra antes do transcurso do
sigilosas.
prazo máximo de classificação.

§ 4o Transcorrido o prazo de Parágrafo único. A pessoa física ou


entidade privada que, em razão de
classificação ou consumado o evento que
qualquer vínculo com o poder público,
defina o seu termo final, a informação
executar atividades de tratamento de
tornar-se-á, automaticamente, de acesso
público. informações sigilosas adotará as
providências necessárias para que seus
empregados, prepostos ou representantes
§ 5o Para a classificação da observem as medidas e procedimentos de
informação em determinado grau de sigilo, segurança das informações resultantes da
deverá ser observado o interesse público aplicação desta Lei.
da informação e utilizado o critério menos
restritivo possível, considerados:
Seção IV
I - a gravidade do risco ou dano à
Dos Procedimentos de Classificação,
segurança da sociedade e do Estado; e
Reclassificação e Desclassificação
II - o prazo máximo de restrição de
Art. 27. A classificação do sigilo de
acesso ou o evento que defina seu termo
informações no âmbito da administração
final.
pública federal é de
competência: (Regulamento)
Seção III
I - no grau de ultrassecreto, das
Da Proteção e do Controle de seguintes autoridades:
Informações Sigilosas
a) Presidente da República; I - assunto sobre o qual versa a
informação;
b) Vice-Presidente da República;
II - fundamento da classificação,
c) Ministros de Estado e autoridades observados os critérios estabelecidos no
com as mesmas prerrogativas; art. 24;

d) Comandantes da Marinha, do III - indicação do prazo de sigilo,


Exército e da Aeronáutica; e contado em anos, meses ou dias, ou do
evento que defina o seu termo final,
conforme limites previstos no art. 24; e
e) Chefes de Missões Diplomáticas e
Consulares permanentes no exterior;
IV - identificação da autoridade que a
II - no grau de secreto, das classificou.
autoridades referidas no inciso I, dos
titulares de autarquias, fundações ou Parágrafo único. A decisão referida
empresas públicas e sociedades de no caput será mantida no mesmo grau de
economia mista; e sigilo da informação classificada.

III - no grau de reservado, das Art. 29. A classificação das


autoridades referidas nos incisos I e II e informações será reavaliada pela
das que exerçam funções de direção, autoridade classificadora ou por autoridade
comando ou chefia, nível DAS 101.5, ou hierarquicamente superior, mediante
superior, do Grupo-Direção e provocação ou de ofício, nos termos e
Assessoramento Superiores, ou de prazos previstos em regulamento, com
hierarquia equivalente, de acordo com vistas à sua desclassificação ou à redução
regulamentação específica de cada órgão do prazo de sigilo, observado o disposto no
ou entidade, observado o disposto nesta art. 24. (Regulamento)
Lei.
§ 1o O regulamento a que se refere
§1o A competência prevista nos o caput deverá considerar as
incisos I e II, no que se refere à peculiaridades das informações produzidas
classificação como ultrassecreta e secreta, no exterior por autoridades ou agentes
poderá ser delegada pela autoridade públicos.
responsável a agente público, inclusive em
missão no exterior, vedada a § 2o Na reavaliação a que se refere
subdelegação. o caput, deverão ser examinadas a
permanência dos motivos do sigilo e a
§ 2o A classificação de informação possibilidade de danos decorrentes do
no grau de sigilo ultrassecreto pelas acesso ou da divulgação da informação.
autoridades previstas nas alíneas “d” e “e”
do inciso I deverá ser ratificada pelos § 3o Na hipótese de redução do
respectivos Ministros de Estado, no prazo prazo de sigilo da informação, o novo prazo
previsto em regulamento. de restrição manterá como termo inicial a
data da sua produção.
§ 3o A autoridade ou outro agente
público que classificar informação como Art. 30. A autoridade máxima de
ultrassecreta deverá encaminhar a decisão cada órgão ou entidade publicará,
de que trata o art. 28 à Comissão Mista de anualmente, em sítio à disposição na
Reavaliação de Informações, a que se internet e destinado à veiculação de dados
refere o art. 35, no prazo previsto em e informações administrativas, nos termos
regulamento. de regulamento:

Art. 28. A classificação de I - rol das informações que tenham


informação em qualquer grau de sigilo sido desclassificadas nos últimos 12 (doze)
deverá ser formalizada em decisão que meses;
conterá, no mínimo, os seguintes
elementos:
II - rol de documentos classificados I - à prevenção e diagnóstico médico,
em cada grau de sigilo, com identificação quando a pessoa estiver física ou
para referência futura; legalmente incapaz, e para utilização única
e exclusivamente para o tratamento
III - relatório estatístico contendo a médico;
quantidade de pedidos de informação
recebidos, atendidos e indeferidos, bem II - à realização de estatísticas e
como informações genéricas sobre os pesquisas científicas de evidente interesse
solicitantes. público ou geral, previstos em lei, sendo
vedada a identificação da pessoa a que as
§ 1o Os órgãos e entidades deverão informações se referirem;
manter exemplar da publicação prevista
no caput para consulta pública em suas III - ao cumprimento de ordem
sedes. judicial;

§ 2o Os órgãos e entidades IV - à defesa de direitos humanos;


manterão extrato com a lista de ou
informações classificadas, acompanhadas
da data, do grau de sigilo e dos V - à proteção do interesse público e
fundamentos da classificação. geral preponderante.

Seção V § 4o A restrição de acesso à


informação relativa à vida privada, honra e
Das Informações Pessoais imagem de pessoa não poderá ser
invocada com o intuito de prejudicar
Art. 31. O tratamento das processo de apuração de irregularidades
informações pessoais deve ser feito de em que o titular das informações estiver
forma transparente e com respeito à envolvido, bem como em ações voltadas
intimidade, vida privada, honra e imagem para a recuperação de fatos históricos de
das pessoas, bem como às liberdades e maior relevância.
garantias individuais.
§ 5o Regulamento disporá sobre os
§ 1o As informações pessoais, a que procedimentos para tratamento de
se refere este artigo, relativas à intimidade, informação pessoal.
vida privada, honra e imagem:
CAPÍTULO V
I - terão seu acesso restrito,
independentemente de classificação de DAS RESPONSABILIDADES
sigilo e pelo prazo máximo de 100 (cem)
anos a contar da sua data de produção, a Art. 32. Constituem condutas ilícitas
agentes públicos legalmente autorizados e que ensejam responsabilidade do agente
à pessoa a que elas se referirem; e público ou militar:

II - poderão ter autorizada sua I - recusar-se a fornecer informação


divulgação ou acesso por terceiros diante requerida nos termos desta Lei, retardar
de previsão legal ou consentimento deliberadamente o seu fornecimento ou
expresso da pessoa a que elas se fornecê-la intencionalmente de forma
referirem. incorreta, incompleta ou imprecisa;

§ 2o Aquele que obtiver acesso às II - utilizar indevidamente, bem como


informações de que trata este artigo será subtrair, destruir, inutilizar, desfigurar,
responsabilizado por seu uso indevido. alterar ou ocultar, total ou parcialmente,
informação que se encontre sob sua
§ 3o O consentimento referido no guarda ou a que tenha acesso ou
inciso II do § 1o não será exigido quando as conhecimento em razão do exercício das
informações forem necessárias: atribuições de cargo, emprego ou função
pública;
III - agir com dolo ou má-fé na II - multa;
análise das solicitações de acesso à
informação; III - rescisão do vínculo com o poder
público;
IV - divulgar ou permitir a divulgação
ou acessar ou permitir acesso indevido à IV - suspensão temporária de
informação sigilosa ou informação pessoal; participar em licitação e impedimento de
contratar com a administração pública por
V - impor sigilo à informação para prazo não superior a 2 (dois) anos; e
obter proveito pessoal ou de terceiro, ou
para fins de ocultação de ato ilegal V - declaração de inidoneidade para
cometido por si ou por outrem; licitar ou contratar com a administração
pública, até que seja promovida a
VI - ocultar da revisão de autoridade reabilitação perante a própria autoridade
superior competente informação sigilosa que aplicou a penalidade.
para beneficiar a si ou a outrem, ou em
prejuízo de terceiros; e § 1o As sanções previstas nos
incisos I, III e IV poderão ser aplicadas
VII - destruir ou subtrair, por qualquer juntamente com a do inciso II, assegurado
meio, documentos concernentes a o direito de defesa do interessado, no
possíveis violações de direitos humanos respectivo processo, no prazo de 10 (dez)
por parte de agentes do Estado. dias.

§ 1o Atendido o princípio do § 2o A reabilitação referida no inciso


contraditório, da ampla defesa e do devido V será autorizada somente quando o
processo legal, as condutas descritas interessado efetivar o ressarcimento ao
no caput serão consideradas: órgão ou entidade dos prejuízos resultantes
e após decorrido o prazo da sanção
I - para fins dos regulamentos aplicada com base no inciso IV.
disciplinares das Forças Armadas,
transgressões militares médias ou graves, § 3o A aplicação da sanção prevista
segundo os critérios neles estabelecidos, no inciso V é de competência exclusiva da
desde que não tipificadas em lei como autoridade máxima do órgão ou entidade
crime ou contravenção penal; ou pública, facultada a defesa do interessado,
no respectivo processo, no prazo de 10
II - para fins do disposto na Lei (dez) dias da abertura de vista.
no 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e
suas alterações, infrações administrativas, Art. 34. Os órgãos e entidades
que deverão ser apenadas, no mínimo, públicas respondem diretamente pelos
com suspensão, segundo os critérios nela danos causados em decorrência da
estabelecidos. divulgação não autorizada ou utilização
indevida de informações sigilosas ou
§ 2o Pelas condutas descritas informações pessoais, cabendo a apuração
no caput, poderá o militar ou agente de responsabilidade funcional nos casos de
público responder, também, por dolo ou culpa, assegurado o respectivo
improbidade administrativa, conforme o direito de regresso.
disposto nas Leis nos 1.079, de 10 de abril
de 1950, e 8.429, de 2 de junho de 1992. Parágrafo único. O disposto neste
artigo aplica-se à pessoa física ou entidade
Art. 33. A pessoa física ou entidade privada que, em virtude de vínculo de
privada que detiver informações em virtude qualquer natureza com órgãos ou
de vínculo de qualquer natureza com o entidades, tenha acesso a informação
poder público e deixar de observar o sigilosa ou pessoal e a submeta a
disposto nesta Lei estará sujeita às tratamento indevido.
seguintes sanções:
CAPÍTULO VI
I - advertência;
DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS
Art. 35. (VETADO). recomendações constantes desses
instrumentos.
§ 1o É instituída a Comissão Mista
de Reavaliação de Informações, que Art. 37. É instituído, no âmbito do
decidirá, no âmbito da administração Gabinete de Segurança Institucional da
pública federal, sobre o tratamento e a Presidência da República, o Núcleo de
classificação de informações sigilosas e Segurança e Credenciamento (NSC), que
terá competência para: tem por objetivos: (Regulamento)

I - requisitar da autoridade que I - promover e propor a


classificar informação como ultrassecreta e regulamentação do credenciamento de
secreta esclarecimento ou conteúdo, segurança de pessoas físicas, empresas,
parcial ou integral da informação; órgãos e entidades para tratamento de
informações sigilosas; e
II - rever a classificação de
informações ultrassecretas ou secretas, de II - garantir a segurança de
ofício ou mediante provocação de pessoa informações sigilosas, inclusive aquelas
interessada, observado o disposto no art. provenientes de países ou organizações
7o e demais dispositivos desta Lei; e internacionais com os quais a República
Federativa do Brasil tenha firmado tratado,
III - prorrogar o prazo de sigilo de acordo, contrato ou qualquer outro ato
informação classificada como ultrassecreta, internacional, sem prejuízo das atribuições
sempre por prazo determinado, enquanto o do Ministério das Relações Exteriores e
seu acesso ou divulgação puder ocasionar dos demais órgãos competentes.
ameaça externa à soberania nacional ou à
integridade do território nacional ou grave Parágrafo único. Regulamento
risco às relações internacionais do País, disporá sobre a composição, organização e
observado o prazo previsto no § 1o do art. funcionamento do NSC.
24.
Art. 38. Aplica-se, no que couber,
§ 2o O prazo referido no inciso III é a Lei no 9.507, de 12 de novembro de 1997,
limitado a uma única renovação. em relação à informação de pessoa, física
ou jurídica, constante de registro ou banco
§ 3o A revisão de ofício a que se de dados de entidades governamentais ou
refere o inciso II do § 1o deverá ocorrer, no de caráter público.
máximo, a cada 4 (quatro) anos, após a
reavaliação prevista no art. 39, quando se Art. 39. Os órgãos e entidades
tratar de documentos ultrassecretos ou públicas deverão proceder à reavaliação
secretos. das informações classificadas como
ultrassecretas e secretas no prazo máximo
§ 4o A não deliberação sobre a de 2 (dois) anos, contado do termo inicial
revisão pela Comissão Mista de de vigência desta Lei.
Reavaliação de Informações nos prazos
previstos no § 3o implicará a § 1o A restrição de acesso a
desclassificação automática das informações, em razão da reavaliação
informações. prevista no caput, deverá observar os
prazos e condições previstos nesta Lei.
§ 5o Regulamento disporá sobre a
composição, organização e funcionamento § 2o No âmbito da administração
da Comissão Mista de Reavaliação de pública federal, a reavaliação prevista
Informações, observado o mandato de 2 no caput poderá ser revista, a qualquer
(dois) anos para seus integrantes e demais tempo, pela Comissão Mista de
disposições desta Lei. (Regulamento) Reavaliação de Informações, observados
os termos desta Lei.
Art. 36. O tratamento de informação
sigilosa resultante de tratados, acordos ou § 3o Enquanto não transcorrido o
atos internacionais atenderá às normas e prazo de reavaliação previsto no caput,
será mantida a classificação da informação IV - pelo encaminhamento ao
nos termos da legislação precedente. Congresso Nacional de relatório anual com
informações atinentes à implementação
§ 4o As informações classificadas desta Lei.
como secretas e ultrassecretas não
reavaliadas no prazo previsto Art. 42. O Poder Executivo
no caput serão consideradas, regulamentará o disposto nesta Lei no
automaticamente, de acesso público. prazo de 180 (cento e oitenta) dias a contar
da data de sua publicação.
Art. 40. No prazo de 60 (sessenta)
dias, a contar da vigência desta Lei, o Art. 43. O inciso VI do art. 116
dirigente máximo de cada órgão ou da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de
entidade da administração pública federal 1990, passa a vigorar com a seguinte
direta e indireta designará autoridade que redação:
lhe seja diretamente subordinada para, no
âmbito do respectivo órgão ou entidade, “Art.
exercer as seguintes atribuições: 116. .............................................................
......
I - assegurar o cumprimento das
normas relativas ao acesso a informação, ......................................................................
de forma eficiente e adequada aos ......................
objetivos desta Lei;
VI - levar as irregularidades de que tiver
II - monitorar a implementação do ciência em razão do cargo ao
disposto nesta Lei e apresentar relatórios conhecimento da autoridade superior ou,
periódicos sobre o seu cumprimento; quando houver suspeita de envolvimento
desta, ao conhecimento de outra
III - recomendar as medidas autoridade competente para apuração;
indispensáveis à implementação e ao
aperfeiçoamento das normas e ......................................................................
procedimentos necessários ao correto ...........” (NR)
cumprimento do disposto nesta Lei; e
Art. 44. O Capítulo IV do Título IV da
IV - orientar as respectivas unidades Lei no 8.112, de 1990, passa a vigorar
no que se refere ao cumprimento do acrescido do seguinte art. 126-A:
disposto nesta Lei e seus regulamentos.
“Art. 126-A. Nenhum servidor poderá ser
Art. 41. O Poder Executivo Federal responsabilizado civil, penal ou
designará órgão da administração pública administrativamente por dar ciência à
federal responsável: autoridade superior ou, quando houver
suspeita de envolvimento desta, a outra
I - pela promoção de campanha de autoridade competente para apuração de
abrangência nacional de fomento à cultura informação concernente à prática de crimes
da transparência na administração pública ou improbidade de que tenha
e conscientização do direito fundamental conhecimento, ainda que em decorrência
de acesso à informação; do exercício de cargo, emprego ou função
pública.”
II - pelo treinamento de agentes
públicos no que se refere ao Art. 45. Cabe aos Estados, ao
desenvolvimento de práticas relacionadas à Distrito Federal e aos Municípios, em
transparência na administração pública; legislação própria, obedecidas as normas
gerais estabelecidas nesta Lei, definir
III - pelo monitoramento da aplicação regras específicas, especialmente quanto
da lei no âmbito da administração pública ao disposto no art. 9o e na Seção II do
federal, concentrando e consolidando a Capítulo III.
publicação de informações estatísticas
relacionadas no art. 30;
Lei Federal n.º
12.830/2013
Art. 1o Esta Lei dispõe sobre a indicar a autoria, materialidade e
investigação criminal conduzida suas circunstâncias.
pelo delegado de polícia.
Art. 3o O cargo de delegado
2o
Art. As funções de polícia de polícia é privativo de bacharel
judiciária e a apuração de infrações em Direito, devendo-lhe ser
penais exercidas pelo delegado de dispensado o mesmo tratamento
polícia são de natureza jurídica, protocolar que recebem os
essenciais e exclusivas de Estado. magistrados, os membros da
Defensoria Pública e do Ministério
§ 1o Ao delegado de polícia, Público e os advogados.
na qualidade de autoridade policial,
cabe a condução da investigação Art. 4o Esta Lei entra em
criminal por meio de inquérito vigor na data de sua publicação.
policial ou outro procedimento
previsto em lei, que tem como
objetivo a apuração das
circunstâncias, da materialidade e
da autoria das infrações penais.

§ 2o Durante a investigação
criminal, cabe ao delegado de
polícia a requisição de perícia,
informações, documentos e dados
que interessem à apuração dos
fatos.

§ 3o (VETADO).

§ 4o O inquérito policial ou
outro procedimento previsto em lei
em curso somente poderá ser
avocado ou redistribuído por
superior hierárquico, mediante
despacho fundamentado, por motivo
de interesse público ou nas
hipóteses de inobservância dos
procedimentos previstos em
regulamento da corporação que
prejudique a eficácia da
investigação.

§ 5o A remoção do delegado
de polícia dar-se-á somente por ato
fundamentado.

§ 6o O indiciamento, privativo
do delegado de polícia, dar-se-á por
ato fundamentado, mediante análise
técnico-jurídica do fato, que deverá
Lei Estadual n.º 10.261/1968
Artigo 1º - Esta lei institui o regime Artigo 9º - Quadro é o conjunto de
jurídico dos funcionários públicos carreiras e de cargos isolados.
civis do Estado. Artigo 10 - É vedado atribuir ao
Parágrafo único - As suas funcionário serviços diversos dos
disposições, exceto no que inerentes ao seu cargo, exceto as
colidirem com a legislação especial, funções de chefia e direção e as
aplicam-se aos funcionários dos 3 comissões legais.
(três) Poderes do Estado e aos do
Tribunal de Contas do Estado.
Artigo 2º - As disposições desta lei
não se aplicam aos empregados
das autarquias, entidades TÍTULO II
paraestatais e serviços públicos de
natureza industrial, ressalvada a DO PROVIMENTO, DO EXERCÍCIO E
situação daqueles que, por lei DA VACÂNCIA DOS CARGOS
anterior, já tenham a qualidade de PÚBLICOS
funcionário público.
Parágrafo único - Os direitos, CAPÍTULO I
vantagens e regalias dos
funcionários públicos só poderão Do Provimento
ser estendidos aos empregados das Artigo 11 - Os cargos públicos
entidades a que se refere este serão providos por:
artigo na forma e condições que a I - nomeação;
lei estabelecer. II - transferência;
Artigo 3º - Funcionário público, III - reintegração;
para os fins deste Estatuto, é a IV - acesso;
pessoa legalmente investida em V - reversão;
cargo público. VI - aproveitamento; e
Artigo 4º - Cargo público é o VII - readmissão.
conjunto de atribuições e Artigo 12 - Não havendo candidato
responsabilidades cometidas a um habilitado em concurso, os cargos
funcionário. vagos, isolados ou de carreira, só
Artigo 5º - Os cargos públicos são poderão ser ocupados no regime da
isolados ou de carreira. legislação trabalhista, até o prazo
Artigo 6º - Aos cargos públicos máximo de 2 (dois) anos,
serão atribuídos valores considerando-se findo o contrato
determinados por referências após esse período, vedada a
numéricas, seguidas de letras em recondução.
ordem alfabética, indicadoras de
graus.
Parágrafo único - O conjunto de
referência e grau constitui o padrão
do cargo.
Artigo 7º - Classe é o conjunto de
cargos da mesma denominação.
Artigo 8º - Carreira é o conjunto de
classes da mesma natureza de
trabalho, escalonadas segundo o
nível de complexidade e o grau de
responsabilidade.
CAPÍTULO II convocação e indicação dos
candidatos para o provimento dos
Das Nomeações cargos serão estabelecidas em
regulamento.
Artigo 17 - Os concursos serão
SEÇÃO I regidos por instruções especiais,
expedidas pelo órgão competente.
Das Formas de Nomeação Artigo 18 - As instruções especiais
determinarão, em função da
natureza do cargo:
I - se o concurso será:
Artigo 13 - As nomeações serão 1 - de provas ou de provas e títulos;
feitas: e
I - em caráter vitalício, nos casos 2 - por especializações ou por
expressamente previstos na modalidades profissionais, quando
Constituição do Brasil; couber;
II - em comissão, quando se tratar II - as condições para provimento do
de cargo que em virtude de lei cargo referentes a:
assim deva ser provido; e 1 - diplomas ou experiência de
III - em caráter efetivo, quando se trabalho;
tratar de cargo de provimento dessa 2 - capacidade física; e
natureza. 3 - conduta;
III - o tipo e conteúdo das provas e
as categorias de títulos;
IV - a forma de julgamento das
provas e dos títulos;
SEÇÃO II V - os critérios de habilitação e de
classificação; e
Da Seleção de Pessoal VI - o prazo de validade do
concurso.
SUBSEÇÃO I Artigo 19 - As instruções especiais
poderão determinar que a execução
Do Concurso
do concurso, bem como a
classificação dos habilitados, seja
feita por regiões.
Artigo 20 - A nomeação obedecerá
Artigo 14 - A nomeação para cargo à ordem de classificação no
público de provimento efetivo será concurso.
precedida de concurso público de
provas ou de provas e títulos.
Parágrafo único - As provas serão
avaliadas na escala de 0 (zero) a
SUBSEÇÃO II
100 (cem) pontos e aos títulos serão
atribuídos, no máximo, 50
Das Provas de Habilitação
(cinqüenta) pontos.
Artigo 15 - A realização dos
concursos será centralizada num só
órgão.
Artigo 21 - As provas de habilitação
Artigo 16 - As normas gerais para a
serão realizadas pelo órgão
realização dos concursos e para a
encarregado dos concursos, para Artigo 25 - Exclusivamente para
fins de transferência e de outras atender à necessidade de serviço,
formas de provimento que não os tesoureiros, caixas e outros
impliquem em critério competitivo. funcionários que tenham valores
Artigo 22 - As normas gerais para sob sua guarda, em caso de
realização das provas de habilitação impedimento, serão substituídos por
serão estabelecidas em funcionários de sua confiança, que
regulamento, obedecendo, no que indicarem, respondendo a sua
couber, ao estabelecido para os fiança pela gestão do substituto.
concursos. Parágrafo único - Feita a
indicação, por escrito, ao chefe da
repartição ou do serviço, este
proporá a expedição do ato de
designação, aplicando-se ao
CAPÍTULO III substituto a partir da data em que
assumir as funções do cargo, o
Das Substituições disposto nos parágrafos 1º e 2º do
art. 24.

Artigo 23 - Haverá substituição no


impedimento legal e temporário do
ocupante de cargo de chefia ou de CAPÍTULO IV
direção.
Parágrafo único - Ocorrendo a Da Transferência
vacância, o substituto passará a
responder pelo expediente da
unidade ou órgão correspondente
até o provimento do cargo. Artigo 26 - O funcionário poderá ser
Artigo 24 - A substituição, que transferido de um para outro cargo
recairá sempre em funcionário de provimento efetivo.
público, quando não for automática, Artigo 27 - As transferências serão
dependerá da expedição de ato de feitas a pedido do funcionário ou
autoridade competente. "ex-officio", atendidos sempre a
§ 1º - O substituto exercerá o cargo conveniência do serviço e os
enquanto durar o impedimento do requisitos necessários ao
respectivo ocupante. provimento do cargo.
§ 2º - O substituto, durante todo o Artigo 28 - A transferência será
tempo em que exercer a feita para cargo do mesmo padrão
substituição terá direito a perceber o de vencimento ou de igual
valor do padrão e as vantagens remuneração, ressalvados os casos
pecuniárias inerentes ao cargo do de transferência a pedido, em que o
substituído e mais as vantagens vencimento ou a remuneração
pessoais a que fizer jus. poderá ser inferior.
§ 3º - O substituto perderá, durante Artigo 29 - A transferência por
o tempo da substituição, o permuta se processará a
vencimento ou a remuneração e requerimento de ambos os
demais vantagens pecuniárias interessados e de acôrdo com o
inerentes ao seu cargo, se pelo prescrito neste capítulo.
mesmo não optar.
obedecido o interstício na classe e
as exigências a serem instituídas
em regulamento.
§ 1º - Serão reservados para
CAPÍTULO V acesso os cargos cujas atribuições
exijam experiência prévia do
Da Reintegração exercício de outro cargo.
§ 2º - O acesso será feito mediante
aferição do mérito dentre titulares
de cargos cujo exercício
Artigo 30 - A reintegração é o proporcione a experiência
reingresso no serviço público, necessária ao desempenho das
decorrente da decisão judicial atribuições dos cargos referidos no
passada em julgado, com parágrafo anterior.
ressarcimento de prejuízos Artigo 34 - Será de 3 (três) anos de
resultantes do afastamento. efetivo exercício o interstício para
Artigo 31 - A reintegração será feita concorrer ao acesso.
no cargo anteriormente ocupado e,
se este houver sido transformado,
no cargo resultante.
§ 1º - Se o cargo estiver preenchido,
o seu ocupante será exonerado, ou, CAPÍTULO VII
se ocupava outro cargo, a este será
reconduzido, sem direito a Da Reversão
indenização.
§ 2º - Se o cargo houver sido
extinto, a reintegração se fará em
cargo equivalente, respeitada a Artigo 35 - Reversão é o ato pelo
habilitação profissional, ou, não qual o aposentado reingressa no
sendo possível, ficará o reintegrado serviço público a pedido ou "ex-
em disponibilidade no cargo que officio".
exercia. § 1º - A reversão ex-officio será feita
Artigo 32 - Transitada em julgado a quando insubsistentes as razões
sentença, será expedido o decreto que determinaram a aposentadoria
de reintegração no prazo máximo por invalidez.
de 30 (trinta) dias. § 2º - Não poderá reverter à
atividade o aposentado que contar
mais de 58 (cinqüenta e oito) anos
de idade.
CAPÍTULO VI § 3º - No caso de reversão "ex-
officio", será permitido o reingresso
Do Acesso além do limite previsto no parágrafo
anterior.
§ 4º - A reversão só poderá efetivar-
se quando, em inspeção médica,
Artigo 33 - Acesso é a elevação do ficar comprovada a capacidade para
funcionário, dentro do respectivo o exercício do cargo.
quadro a cargo da mesma natureza § 5º - Se o laudo médico não for
de trabalho, de maior grau de favorável, poderá ser procedida
responsabilidade e maior nova inspeção de saúde, para o
complexidade de atribuições,
mesmo fim, decorridos pelo menos efetuar-se o aproveitamento sem
90 (noventa) dias. que, mediante inspeção médica,
§ 6º - Será tornada sem efeito a fique provada a capacidade para o
reversão "ex-officio" e cassada a exercício do cargo.
aposentadoria do funcionário que § 4º - Se o laudo médico não fôr
reverter e não tomar posse ou não favorável, poderá ser procedida
entrar em exercício dentro do prazo nova inspeção de saúde, para o
legal. mesmo fim, decorridos no mínimo
Artigo 36 - A reversão far-se-á no 90 (noventa) dias.
mesmo cargo. § 5º - Será tornado sem efeito o
§ 1º - Em casos especiais, a juízo aproveitamento e cassada a
do Governo, poderá o aposentado disponibilidade do funcionário que,
reverter em outro cargo, de igual aproveitado, não tomar posse e não
padrão de vencimentos, respeitada entrar em exercício dentro do prazo
a habilitação profissional. legal.
§ 2º - A reversão a pedido, que será § 6º - Será aposentado no cargo
feita a critério da Administração, anteriormente ocupado, o
dependerá também da existência de funcionário em disponibilidade que
cargo vago, que deva ser provido for julgado incapaz para o serviço
mediante promoção por público, em inspeção médica.
merecimento.

CAPÍTULO IX
CAPÍTULO VIII
Da Readmissão
Do Aproveitamento

Artigo 39 - Readmissão é o ato


Artigo 37 - Aproveitamento é o pelo qual o ex-funcionário, demitido
reingresso no serviço público do ou exonerado, reingressa no serviço
funcionário em disponibilidade. público, sem direito a ressarcimento
Artigo 38 -O obrigatório de prejuízos, assegurada, apenas, a
aproveitamento do funcionário em contagem de tempo de serviço em
disponibilidade ocorrerá em vagas cargos anteriores, para efeito de
existentes ou que se verificarem nos aposentadoria e disponibilidade.
quadros do funcionalismo. § 1º - A readmissão do ex-
§ 1º - O aproveitamento dar-se-á, funcionário demitido será
tanto quanto possível, em cargo de obrigatoriamente procedida de
natureza e padrão de vencimentos reexame do respectivo processo
correspondentes ao que ocupava, administrativo, em que fique
não podendo ser feito em cargo de demonstrado não haver
padrão superior. inconveniente, para o serviço
§ 2º - Se o aproveitamento se der público, na decretação da medida.
em cargo de padrão inferior ao § 2º - Observado o disposto no
provento da disponibilidade, terá o parágrafo anterior, se a demissão
funcionário direito à diferença. tiver sido a bem do serviço público,
§ 3º - Em nenhum caso poderá a readmissão não poderá ser
decretada antes de decorridos 5 de acordo com o prescrito neste
(cinco) anos do ato demissório. Capítulo.
Artigo 40 - A readmissão será feita Artigo 45 - O funcionário não
no cargo anteriormente exercido poderá ser removido ou transferido
pelo ex-funcionário ou, se ex-officio para cargo que deva
transformado, no cargo resultante exercer fora da localidade de sua
da transformação. residência, no período de 6 (seis)
meses antes e até 3 (três) meses
após a data das eleições.
Parágrafo único - Essa proibição
vigorará no caso de eleições
CAPÍTULO X federais, estaduais ou municipais,
isolada ou simultâneamente
Da Readaptação realizadas.

Artigo 41 - Readaptação é a
investidura em cargo mais CAPÍTULO XII
compatível com a capacidade do
funcionário e dependerá sempre de Da Posse
inspeção médica.
Artigo 42 - A readaptação não
acarretará diminuição nem aumento
de vencimento ou remuneração e Artigo 46 - Posse é o ato que
será feita mediante transferência. investe o cidadão em cargo público.
Artigo 47 - São requisitos para a
posse em cargo público:
I - ser brasileiro;
II - ter completado 18 (dezoito) anos
CAPÍTULO XI de idade;
III - estar em dia com as obrigações
Da Remoção militares;
IV - estar no gozo dos direitos
políticos;
V - ter boa conduta;
Artigo 43 - A remoção, que se VI - gozar de boa saúde,
processará a pedido do funcionário comprovada em inspeção realizada
ou "ex-officio", só poderá ser feita: em órgão médico oficial;
I - de uma para outra repartição, da VII - possuir aptidão para o
mesma Secretaria; e exercício do cargo; e
II - de um para outro órgão da VIII - ter atendido às condições
mesma repartição. especiais prescritas para o cargo.
Parágrafo único - A remoção só Parágrafo único - A deficiência da
poderá ser feita respeitada a lotação capacidade física,
de cada repartição. comprovadamente estacionária, não
Artigo 44 - A remoção por permuta será considerada impedimento para
será processada a requerimento de a caracterização da capacidade
ambos os interessados, com psíquica e somática a que se refere
anuência dos respectivos chefes e o item VI deste artigo, desde que tal
deficiência não impeça o ato de provimento.
desempenho normal das funções Artigo 53 - A contagem do prazo a
inerentes ao cargo de cujo que se refere o artigo anterior,
provimento se trata. poderá ser suspensa até o máximo
Artigo 48 - São competentes para de 120 (cento e vinte) dias, a partir
dar posse: da data em que o funcionário
I - Os Secretários de Estado, aos apresentar guia ao órgão médico
diretores gerais, aos diretores ou encarregado da inspeção até a data
chefes das repartições e aos da expedição do certificado de
funcionários que lhes são sanidade e capacidade física,
diretamente subordinados; e sempre que a inspeção médica
II - Os diretores gerais e os diretores exigir essa providência.
ou chefes de repartição ou serviço, Parágrafo único - O prazo a que se
nos demais casos, de acordo com o refere este artigo recomeçará a
que dispuser o regulamento. correr sempre que o candidato, sem
Artigo 49 - A posse verificar-se-á motivo justificado, deixe de
mediante a assinatura de termo em submeter-se aos exames médicos
que o funcionário prometa cumprir julgados necessários.
fielmente os deveres do cargo. Artigo 54 - O prazo a que se refere
Parágrafo único - O termo será o art. 52 para aquele que, antes de
lavrado em livro próprio e assinado tomar posse, for incorporado às
pela autoridade que der posse. Forças Armadas, será contado a
Artigo 50 - A posse poderá ser partir da data da desincorporação.
tomada por procuração quando se Artigo 55 - A posse do funcionário
tratar de funcionário ausente do estável, que for nomeado para outro
Estado, em comissão do Governo cargo, independerá de exame
ou, em casos especiais, a critério da médico, desde que se encontre em
autoridade competente. exercício.
Artigo 51 - A autoridade que der
posse deverá verificar, sob pena de
responsabilidade, se foram
satisfeitas as condições
estabelecidas, em lei ou CAPÍTULO XIII
regulamento, para a investidura no
cargo. Da Fiança
Artigo 52 - A posse deverá
verificar-se no prazo de 30 (trinta)
dias, contados da data da
publicação do ato de provimento do Artigo 56 - Aquele que fôr nomeado
cargo, no órgão oficial. para cargo de provimento
§ 1º - O prazo fixado neste artigo dependente de prestação de fiança,
poderá ser prorrogado por mais 30 não poderá entrar em exercício sem
(trinta) dias, a requerimento do a prévia satisfação dessa exigência.
interessado. § 1º - A fiança poderá ser prestada:
§ 2º - O prazo inicial para a posse I - em dinheiro;
do funcionário em férias ou licença, II - em títulos da Dívida Públca da
será contado da data em que voltar União ou do Estado; e
ao serviço. III - em apólices de seguro de
§ 3º - Se a posse não se der dentro fidelidade funcional, emitidas por
do prazo, será tornado sem efeito o institutos oficiais ou companhias
legalmente autorizadas. I - da data da posse; e
§ 2º - Não poderá ser autorizado o II - da data da publicação oficial do
levantamento da fiança antes de ato, no caso de remoção.
tomadas as contas do funcionário. § 1º - Os prazos previstos neste
§ 3º - O responsável por alcance ou artigo poderão ser prorrogados por
desvio de material não ficará isento 30 (trinta) dias, a requerimento do
da ação administrativa e criminal interessado e a juízo da autoridade
que couber, ainda que o valor da competente.
fiança seja superior ao prejuízo § 2º - No caso de remoção, o prazo
verificado. para exercício de funcionário em
férias ou em licença, será contado
da data em que voltar ao serviço.
§ 3º - No interesse do serviço
público os prazos previstos neste
CAPÍTULO XIV artigo poderão ser reduzidos para
determinados cargos.
Do Exercício § 4º - O funcionário que não entrar
em exercício dentro do prazo será
exonerado.
Artigo 61 - Em caso de mudança
Artigo 57 - O exercício é o ato pelo de sede, será concedido um período
qual o funcionário assume as de trânsito, até 8 (oito) dias, a
atribuições e responsabilidades do contar do desligamento do
cargo. funcionário.
§ 1º - O início, a interrupção e o Artigo 62 - O funcionário deverá
reinicio do exercício serão apresentar ao órgão competente,
registrados no assentamento logo após ter tomado posse e
individual do funcionário. assumido o exercício, os elementos
§ 2º - O início do exercício e as necessários à abertura do
alterações que ocorrerem serão assentamento individual.
comunicados ao órgão competente, Artigo 63 - Salvo os casos previstos
pelo chefe da repartição ou serviço nesta lei, o funcionário que
em que estiver lotado o funcionário. interromper o exercício por mais de
Artigo 58 - Entende-se por lotação, 30 (trinta) dias consecutivos, ficará
o número de funcionários de sujeito à pena de demissão por
carreira e de cargos isolados que abandono de cargo.
devam ter exercício em cada Artigo 64 - O funcionário deverá ter
repartição ou serviço. exercício na repartição em cuja
Artigo 59 - O chefe da repartição ou lotação houver claro.
de serviço em que fôr lotado o Artigo 65 - Nenhum funcionário
funcionário é a autoridade poderá ter exercício em serviço ou
competente para dar-lhe exercício. repartição diferente daquela em que
Parágrafo único - É competente estiver lotado, salvo nos casos
para dar exercício ao funcionário, previstos nesta lei, ou mediante
com sede no Interior do Estado, a autorização do Governador.
autoridade a que o mesmo estiver Artigo 66 - Na hipótese de
diretamente subordinado. autorização do Governador, o
Artigo 60 - O exercício do cargo afastamento só será permitido, com
terá início dentro do prazo de 30 ou sem prejuízo de vencimentos,
(trinta) dias, contados: para fim determinado e prazo certo.
Artigo 67 - O afastamento do no desempenho do mandato eletivo
funcionário para ter exercício em federal ou estadual, ficará afastado
entidades com as quais o Estado de seu cargo, com prejuízo do
mantenha convênios, reger-se-á vencimento ou remuneração.
pelas normas nestes estabelecidas. Artigo 73 - No caso de mandato
Artigo 68 - O funcionário poderá legislativo municipal, o afastamento
ausentar-se do Estado ou deslocar- somente se dará quando o horário
se da respectiva sede de exercício, das sessões das respectivas
para missão ou estudo de interesse Câmaras coincidir com o horário
do serviço público, mediante normal de trabalho a que estiver
autorização expressa do sujeito o funcionário.
Governador. § 1º - Quando a vereança fôr
Artigo 69 - Os afastamentos de remunerada, o funcionário poderá
funcionários para participação em optar pelo subsídio ou pelo
congressos e outros certames vencimento ou remuneração.
culturais, técnicos ou científicos, § 2º - Na hipótese de vereança
poderão ser autorizados pelo gratuita, o afastamento a que alude
Governador, na forma estabelecida êste artigo será sem prejuízo do
em regulamento. vencimento ou remuneração.
Artigo 70 - O funcionário prêso em Artigo 74 - No caso de mandato de
flagrante ou preventivamente, prefeito, o funcionário ficará
pronunciado ou condenado por afastado de seu cargo, podendo
crime inafiançável, será considerado optar pelos vencimento ou
afastado do exercício do cargo até remuneração de um ou de outro.
condenação ou absolvição passada Artigo 75 -O funcionário,
em julgado. devidamente autorizado pelo
§ 1º - Durante o afastamento, o Governador, poderá afastar-se do
funcionário perceberá apenas 2/3 cargo para participar de provas de
(dois terços) do vencimento ou competições desportivas, dentro ou
remuneração, tendo direito à fora do Estado.
diferença, se fôr, a final, absolvido. § 1º - O afastamento de que trata
§ 2º - No caso de condenação, se este artigo, será precedido de
esta não fôr de natureza que requisição justificada do órgão
detemine a demissão do competente.
funcionário, continuará ele afastado § 2º - O funcionário será afastado
até o cumprimento total da pena, por prazo certo, nas seguintes
com direito a 2/3 (dois terços) do condições:
vencimento ou remuneração. I - sem prejuízo do vencimento ou
Artigo 71 - As autoridades remuneração, quando representar o
competentes determinarão o Brasil, ou o Estado, em competições
afastamento imediato do trabalho, desportivas oficiais; e
do funcionário que apresente II - com prejuízo do vencimento ou
indícios de lesões orgânicas ou remuneração, em quaisquer outros
funcionais causadas por raios X ou casos.
substâncias radioativas, podendo
atribuir-lhe conforme o caso,
tarefas sem risco de radiação ou
conceder-lhe licença "ex-officio" na
forma do art. 194 e seguintes.
Artigo 72 - O funcionário, quando
CAPÍTULO XV X - faltas abonadas nos termos do §
1º do art. 110, observados os limites
Da Contagem de Tempo de Serviço ali fixados;
XI - missão ou estudo dentro do
Estado, em outros pontos do
território nacional ou no estrangeiro,
Artigo 76 - O tempo de serviço nos termos do art. 68;
público, assim considerado o XII - nos casos previstos no art. 122;
exclusivamente prestado à União, XIII - afastamento por processo
Estados, Municípios e Autarquias administrativo, se o funcionário for
em geral, será contado declarado inocente ou se a pena
singelamente para todos os fins. imposta fôr de repreensão ou multa;
Artigo 77 - A apuração do tempo de e, ainda, os dias que excederem o
serviço será feita em dias. total da pena de suspensão
§ 1º - Serão computados os dias de efetivamente aplicada;
efetivo exercício, do registro de XIV - trânsito, em decorrência de
freqüência ou da fôlha de mudança de sede de exercício,
pagamento. desde que não exceda o prazo de 8
§ 2º - O número de dias será (oito) dias; e
convertido em anos, considerados XV - provas de competições
sempre estes como de 365 desportivas, nos termos do item I,
(trezentos e sessenta e cinco) dias. do § 2º, do art. 75.
§ 3º - Feita a conversão de que trata Artigo 79 - Os dias em que o
o parágrafo anterior, os dias funcionário deixar de comparecer ao
restantes, até 182 (cento e oitenta e serviço em virtude de mandato
dois), não serão computados, legislativo municipal, nos têrmos do
arredondando-se para 1 (um) ano, art. 73, serão considerados de
na aposentadoria compulsória ou efetivo exercício para todos os
por invalidez, quando excederem efeitos legais.
êsse número. Parágrafo único - No caso de
Artigo 78 - Serão considerados de vereança remunerada, os dias de
efetivo exercício, para todos os afastamento não serão computados
efeitos legais, os dias em que o para fins de vencimento ou
funcionário estiver afastado do remuneração, salvo se por eles tiver
serviço em virtude de: optado o funcionário.
I - férias; Artigo 80 - Será contado para todos
II - casamento, até 8 (oito) dias; os efeitos, salvo para a percepção
III - falecimento do cônjuge, filhos, de vencimento ou remuneração:
pais e irmãos, até 8 (oito) dias; I - o afastamento para provas de
IV - falecimento dos sogros, do competições desportivas, nos
padrasto ou madrasta, até 2 (dois) têrmos do item II do § 2º do art. 75;
dias; e
V - serviços obrigatórios por lei; II - as licenças previstas nos arts.
VI - licença quando acidentado no 200 e 201.
exercício de suas atribuições ou Artigo 81 - Para efeito de
atacado de doença profissional; disponibilidade e aposentadoria
VII - licença à funcionária gestante; será contado o tempo de:
VIII - licenciamento compulsório, I - afastamento junto a entidades
nos termos do art. 206; paraestatais e serviços públicos de
IX - licença-prêmio; natureza industrial; e
II - licença para tratamento de § 2º - A demissão será aplicada
saúde. como penalidade nos casos
Artigo 82 - O tempo de mandato previstos nesta lei.
eletivo federal ou estadual, ou de
mandato de prefeito, será contado
para fins de aposentadoria e de
promoção por antigüidade. TÍTULO III
Artigo 83 - Para efeito de
aposentadoria será contado o DA PROMOÇÃO
tempo em que o funcionário esteve
em disponibilidade.
Artigo 84 - É vedada a acumulação
de tempo de serviço concorrente ou
simultâneamente prestado, em dois CAPÍTULO ÚNICO
ou mais cargos ou funções, à União,
Estados, Municípios ou Autarquias Da Promoção
em geral.
Parágrafo único - Em regime de
acumulação é vedado contar tempo
de um dos cargos para Artigo 87 - Promoção é a
reconhecimento de direito ou passagem do funcionário de um
vantagens no outro. grau a outro da mesma classe e se
Artigo 85 - Não será computado, processará obedecidos,
para nenhum efeito, o tempo de alternadamente, os critérios de
serviço gratuito. merecimento e de antigüidade na
fôrma que dispuser o regulamento.
Artigo 88 - O merecimento do
funcionário será apurado em pontos
positivos e negativos.
CAPÍTULO XVI § 1º - Os pontos positivos se
referem a condições de eficiência
Da Vacância no cargo e ao aperfeiçoamento
funcional resultante do
aprimoramento dos seus
conhecimentos.
Artigo 86 - A vacância do cargo § 2º - Os pontos negativos resultam
decorrerá de: da falta de assiduidade e da
I - exoneração; indisciplina.
II - demissão; Artigo 89 - Da apuração do
III - transferência; merecimento será dada ciência ao
IV - acesso; funcionário.
V - aposentadoria; e Artigo 90 - A antigüidade será
VI - falecimento. determinada pelo tempo de efetivo
§ 1º - Dar-se-á a exoneração: exercício no cargo e no serviço
1 - a pedido do funcionário; público, apurado em dias.
2 - a critério do Governo, quando se Artigo 91 - As promoções serão
tratar de ocupante de cargo em feitas em junho e dezembro de cada
comissão; e ano, dentro de limites percentuais a
3 - quando o funcionário não entrar serem estabelecidos em
em exercício dentro do prazo legal. regulamento e corresponderão às
condições existentes até o último d) os encargos de família; e
dia do semestre imediatamente e) a idade.
anterior. Artigo 96 - O funcionário em
Artigo 92 - Os direitos e vantagens exercício de mandato eletivo federal
que decorrerem da promoção serão ou estadual ou de mandato de
contados a partir da publicação do prefeito, somente poderá ser
ato, salvo quando publicado fora do promovido por antigüidade.
prazo legal, caso em que vigorará a Artigo 97 - Não serão promovidos
contar do último dia do semestre a por merecimento, ainda que
que corresponder. classificados dentro dos limites
Parágrafo único - Ao funcionário estabelecidos no regulamento, os
que não estiver em efetivo funcionários que tiverem sofrido
exercício, só se abonarão as qualquer penalidade nos dois anos
vantagens a partir da data da anteriores à data de vigência da
reassunção. promoção.
Artigo 93 - Será declarada sem Artigo 98 - O funcionário submetido
efeito a promoção indevida, não a processo administrativo poderá
ficando o funcionário, nesse caso, ser promovido, ficando, porém, sem
obrigado a restituições, salvo na efeito a promoção por merecimento
hipótese de declaração falsa ou no caso de o processo resultar em
omissão intencional. penalidade.
Artigo 94 - Só poderão ser Artigo 99 - Para promoção por
promovidos os servidores que merecimento é indispensável que o
tiverem o interstício de efetivo funcionário obtenha número de
exercício no grau. pontos não inferior à metade do
Parágrafo único - O interstício a máximo atribuível.
que se refere este artigo será Artigo 100 - O merecimento do
estabelecido em regulamento. funcionário é adquirido na classe.
Artigo 95 - Dentro de cada quadro, Artigo 101 - Como tempo de
haverá para cada classe, nos serviço público, para efeito de
respectivos graus, uma lista de promoção, será considerado o
classificação, para os critérios de prestado à União, Estados,
merecimento e antigüidade. Municípios e Autarquias em geral.
Parágrafo único - Ocorrendo Artigo 102 - O tempo no cargo será
empate terão preferência, o efetivo exercício, contado na
sucessivamente: seguinte conformidade:
1 - na classificação por I - a partir da data em que o
merecimento: funcionário assumir o exercício do
a) os títulos e os comprovantes de cargo, nos casos de nomeação,
conclusão de cursos, relacionados transferência a pedido, reversão e
com a função exercida; aproveitamento;
b) a assiduidade; II - como se o funcionário estivesse
c) a antigüidade no cargo; em exercício, no caso de
d) os encargos de família; e reintegração;
e) a idade; III - a partir da data em que o
2 - na classificação por antigüidade: funcionário assumir o exercício do
a) o tempo no cargo; cargo do qual foi transferido, no
b) o tempo de serviço prestado ao caso de transferência "ex-officio"; e
Estado; IV - a partir da data em que o
c) o tempo de serviço público; funcionário assumir o exercício do
cargo reclassificado ou Artigo 106 - No processamento das
transformado. promoções cabem as seguintes
Artigo 103 - Será contado como reclamações:
tempo no cargo o efetivo exercício I - da avaliação do mérito; e
que o funcionário houver prestado II - da classificação final.
no mesmo cargo, sem solução de § 1º - Da avaliação do mérito podem
continuidade, desde que por prazo ser interpostos pedido de
superior a 6 (seis) meses: reconsideração e recurso, e, da
I - como substituto; e classificação final, apenas recurso.
II - no desempenho de função § 2º - Terão efeito suspensivo as
gratificada, em período anterior à reclamações relativas à avaliação
criação do respectivo cargo. do mérito.
Artigo 104 - As promoções § 3º - Serão estabelecidos em
obedecerão à ordem de regulamento as normas e os prazos
classificação. para o processamento das
Artigo 105 - Haverá em cada reclamações de que trata êste
Secretaria de Estado uma artigo.
Comissão de Promoção que terá as Artigo 107 - A orientação das
seguintes atribuições: promoções do funcionalismo público
I - eleger o respectivo presidente; civil será centralizada, cabendo ao
II - decidir as reclamações contra a órgão a que fôr deferida tal
avaliação do mérito, podendo competência:
alterar, fundamentalmente, os I - expedir normas relativas ao
pontos atribuídos ao reclamante ou processamento das promoções e
a outros funcionários; elaborar as respectivas escalas de
III - avaliar o mérito do funcionário avaliação, com a aprovação do
quando houver divergência igual ou Governador;
superior a 20 (vinte) pontos entre os II - orientar as autoridades
totais atribuídos pelas autoridades competentes quanto à avaliação
avaliadoras; das condições de promoção;
IV - propor à autoridade competente III - realizar estudos e pesquisas no
a penalidade que couber ao sentido de averiguar a eficiência do
responsável pelo atraso na sistema em vigor, propondo
expedição e remessa do Boletim de medidas tendentes ao seu
Promoção, pela falta de qualquer aperfeiçoamento; e
informação ou de elementos IV - opinar em processos sobre
solicitados, pelos fatos de que assuntos de promoção, sempre que
decorram irregularidade ou solicitado.
parcialidade no processamento das
promoções;
V - Avaliar os títulos e os
certificados de cursos apresentados
pelos funcionários; e
VI - dar conhecimento aos
interessados mediante afixação na
repartição:
1 - das alterações de pontos feitos
nos Boletins de Promoção; e
2 - dos pontos atribuídos pelos
títulos e certificados de cursos.
TÍTULO IV § 2º - No caso de faltas sucessivas,
justificadas ou injustificadas, os dias
DOS DIREITOS E DAS VANTAGENS intercalados — domingos, feriados e
DE ORDEM PECUNIÁRIA aqueles em que não haja
expediente — serão computados
CAPÍTULO I exclusivamente para efeito de
desconto do vencimento ou
Do Vencimento e da Remuneração remuneração.
SEÇÃO I Artigo 111 - As reposições devidas
pelo funcionário e as indenizações
por prejuízos que causar à Fazenda
Disposições Gerais
Pública Estadual, serão
descontadas em parcelas mensais
não excedentes da décima parte do
vencimento ou remuneração,
Artigo 108 - Vencimento é a
ressalvados os casos especiais
retribuição paga ao funcionário pelo
previstos neste Estatuto.
efetivo exercício do cargo,
Artigo 112 - Só será admitida
correspondente ao valor do
procuração para efeito de
respectivo padrão fixado em lei,
recebimento de quaisquer
mais as vantagens a ele
importâncias dos cofres estaduais,
incorporadas para todos os efeitos
decorrentes do exercício do cargo,
legais.
quando o funcionário se encontrar
Artigo 109 - Remuneração é a
fora da sede ou comprovadamente
retribuição paga ao funcionário pelo
impossibilitado de locomover-se.
efetivo exercício do cargo,
Artigo 113 -O vencimento,
correspondente a 2/3 (dois terços)
do respectivo padrão, mais as remuneração ou qualquer vantagem
quotas ou porcentagens que, por lei, pecuniária atribuídos ao funcionário,
lhe tenham sido atribuídas e as não poderão ser objeto de arresto,
vantagens pecuniárias a ela seqüestro ou penhora, salvo:
incorporadas. I - quando se tratar de prestação de
Artigo 110 - O funcionário perderá: alimentos, na fôrma da lei civil; e
I - o vencimento ou remuneração do II - nos casos previstos no Capítulo
dia, quando não comparecer ao II do Título VI deste Estatuto.
serviço, salvo no caso previsto no § Artigo 114 - É proibido, fora dos
1º deste artigo; e casos expressamente consignados
II - 1/3 (um terço) do vencimento ou neste Estatuto, ceder ou gravar
remuneração diária, quando vencimento, remuneração ou
comparecer ao serviço dentro da qualquer vantagem decorrente do
hora seguinte à marcada para o exercício de cargo público.
início do expediente ou quando dele Artigo 115 - O vencimento ou
retirar-se dentro da última hora. remuneração do funcionário não
§ 1º - As faltas ao serviço, até o poderão sofrer outros descontos,
máximo de 6 (seis) por ano, não exceto os obrigatórios e os
excedendo a uma por mês, poderão autorizados por lei.
ser abonadas por motivo de Artigo 116 - As consignações em
moléstia comprovada, mediante folha, para efeito de desconto de
apresentação de atestado médico vencimentos ou remuneração, serão
no primeiro dia em que comparecer disciplinadas em regulamento.
ao serviço.
Artigo 122 - O funcionário que
comprovar sua contribuição para
banco de sangue mantido por órgão
estatal ou paraestatal, ou entidade
SEÇÃO II com a qual o Estado mantenha
convênio, fica dispensado de
Do Horário e do Ponto comparecer ao serviço no dia da
doação.
Artigo 123 - Apurar-se-á a
freqüência do seguinte modo:
Artigo 117 - O horário de trabalho I - pelo ponto; e
nas repartições será fixado pelo II - pela forma determinada, quanto
Govêrno de acordo com a natureza aos funcionários não sujeitos a
e as necessidades do serviço. ponto.
Artigo 118 - O período de trabalho,
nos casos de comprovada
necessidade, poderá ser antecipado
ou prorrogado pelo chefe da
repartição ou serviço. CAPÍTULO II
Parágrafo único - No caso de
antecipação ou prorrogação, será Das Vantagens de Ordem Pecuniária
remunerado o trabalho
extraordinário, na fôrma SEÇÃO I
estabelecida no art. 136.
Artigo 119 - Nos dias úteis, só por Disposições Gerais
determinação do Governador
poderão deixar de funcionar as
repartições públicas ou ser
suspenso o expediente. Artigo 124 - Além do valor do
Artigo 120 - Ponto é o registro pelo padrão do cargo, o funcionário só
qual se verificará, diariamente, a poderá receber as seguintes
entrada e saída do funcionário em vantagens pecuniárias:
serviço. I - adicionais por tempo de serviço;
§ 1º - Para registro do ponto serão II - gratificações;
usados, de preferência, meios III - diárias;
mecânicos. IV - ajudas de custo;
§ 2º - É vedado dispensar o V - salário-família e salário-esposa;
funcionário do registro do ponto, VI - auxílio para diferenças de caixa;
salvo os casos expressamente VII - quota-parte de multas e
previstos em lei. porcentagens fixadas em lei;
§ 3º - A infração do disposto no VIII - honorários, quando fora do
parágrafo anterior determinará a período normal ou extraordinário de
responsabilidade da autoridade que trabalho a que estiver sujeito, fôr
tiver expedido a ordem, sem designado para realizar
prejuízo da ação disciplinar cabível. investigações ou pesquisas
Artigo 121 - Para o funcionário científicas, bem como para exercer
estudante, conforme dispuser o as funções de auxiliar ou membro
regulamento, poderão ser de bancas e comissões de concurso
estabelecidas normas especiais ou prova, ou de professor de cursos
quanto à freqüência ao serviço. de seleção e aperfeiçoamento ou
especialização de servidores, Artigo 126 - O funcionário não fará
legalmente instituídos, observadas jus à percepção de quaisquer
as proibições atinentes a regimes vantagens pecuniárias, nos casos
especiais de trabalho fixados em lei; em que deixar de perceber o
IX - honorários pela prestação de vencimento ou remuneração,
serviço peculiar à profissão que ressalvado o disposto no parágrafo
exercer e, em função dela, à único do art. 160.
Justiça, desde que não a execute
dentro do período normal ou
extraordinário de trabalho a que
estiver sujeito e sejam respeitadas
as restrições estabelecidas em lei SEÇÃO Il
pela subordinação a regimes
especiais de trabalho; e Dos Adicionais por Tempo de
X - outras vantagens ou concessões Serviço
pecuniárias previstas em leis
especiais ou neste Estatuto.
§ 1º - Excetuados os casos
expressamente previstos neste Artigo 127 - O funcionário terá
artigo, o funcionário não poderá direito, após cada período de 5
receber, a qualquer título, seja qual (cinco) anos, contínuos, ou não, à
fôr o motivo ou forma de percepção de adicional por tempo
pagamento, nenhuma outra de serviço, calculado à razão de 5%
vantagem pecuniária dos órgãos do (cinco por cento) sobre o
serviço público, das entidades vencimento ou remuneração, a que
autárquicas ou paraestatais ou se incorpora para todos os efeitos.
outras organizações públicas, em Parágrafo único - O adicional por
razão de seu cargo ou função nos tempo de serviço será concedido
quais tenha sido mandado servir. pela autoridade competente, na
§ 2º - O não cumprimento do que forma que fôr estabelecida em
preceitua este artigo importará na regulamento.
demissão do funcionário, por Artigo 128 - A apuração do
procedimento irregular, e na qüinqüênio será feita em dias e o
imediata reposição, pela autoridade total convertido em anos,
ordenadora do pagamento, da considerados estes sempre como
importância indevidamente paga. de 365 (trezentos e sessenta e
§ 3º - Nenhuma importância relativa cinco) dias.
às vantagens constantes deste Artigo 129 - Vetado.
artigo será paga ou devida ao Artigo 130 - O funcionário que
funcionário, seja qual fôr o seu completar 25 (vinte e cinco) anos de
fundamento, se não houver crédito efetivo exercício perceberá mais a
próprio, orçamentário ou adicional. sexta-parte do vencimento ou
Artigo 125 - As porcentagens ou remuneração, a estes incorporada
quotas-partes, atribuídas em virtude para todos os efeitos.
de multas ou serviços de Artigo 131 - O funcionário que
fiscalização e inspeção, só serão exercer cumulativamente cargos ou
creditadas ao funcionário após a funções, terá direito aos adicionais
entrada da importância respectiva, a de que trata esta Seção,
título definitivo, para os cofres isoladamente, referentes a cada
públicos. cargo ou a função.
Artigo 132 - O ocupante de cargo Parágrafo único - A prestação de
em comissão fará jus aos adicionais serviço extraordinário não poderá
previstos nesta Seção, calculados exceder a duas horas diárias de
sobre o vencimento que perceber trabalho.
no exercício desse cargo, enquanto Artigo 137 - É vedado conceder
nele permanecer. gratificação por serviço
Artigo 133 - Ao funcionário no extraordinário, com o objetivo de
exercício de cargo em substituição remunerar outros serviços ou
aplica-se o disposto no artigo encargos.
anterior. § 1º - O funcionário que receber
Artigo 134 - Para efeito dos importância relativa a serviço
adicionais a que se refere esta extraordinário que não prestou, será
Seção, será computado o tempo de obrigado a restituí-la de uma só vez,
serviço, na forma estabelecida nos ficando ainda sujeito à punição
artigos 76 e 78. disciplinar.
§ 2º - Será responsabilizada a
autoridade que infringir o disposto
no "caput" deste artigo.
Artigo 138 - Será punido com pena
SEÇÃO III de suspensão e, na reincidência,
com a de demissão, a bem do
Das Gratificações serviço público, o funcionário:
I - que atestar falsamente a
prestação de serviço extraordinário;
e
Artigo 135 - Poderá ser concedida II - que se recusar, sem justo
gratificação ao funcionário: motivo, à prestação de serviço
I - pela prestação de serviço extraordinário.
extraordinário; Artigo 139 - O funcionário que
II - pela elaboração ou execução de exercer cargo de direção não
trabalho técnico ou científico ou de poderá perceber gratificação por
utilidade para o serviço público; serviço extraordinário.
III - a título de representação, § 1º - O disposto neste artigo não se
quando em função de gabinete, aplica durante o período em que
missão ou estudo fora do Estado ou subordinado de titular de cargo nele
designação para função de mencionado venha a perceber, em
confiança do Governador; conseqüência do acréscimo da
IV - quando designado para fazer gratificação por serviço
parte de órgão legal de deliberação extraordinário, quantia que iguale ou
coletiva; e ultrapasse o valor do padrão do
V - outras que forem previstas em cargo de direção.
lei. § 2º - Aos titulares de cargos de
Artigo 136 - A gratificação pela direção, para efeito do parágrafo
prestação de serviço extraordinário anterior, apenas será paga
será paga por hora de trabalho gratificação por serviço
prorrogado ou antecipado, na extraordinário correspondente à
mesma razão percebida pelo quantia a esse título percebida pelo
funcionário em cada hora de subordinado de padrão mais
período normal de trabalho a que elevado.
estiver sujeito. Artigo 140 - A gratificação pela
elaboração ou execução de trabalho § 4º - O disposto no "caput" deste
técnico ou científico, ou de utilidade artigo não se aplica aos casos de
para o serviço, será arbitrada pelo missão ou estudo fora do País.
Governador, após sua conclusão. § 5º - As diárias relativas aos
Artigo 141 - A gratificação a título deslocamentos de funcionários para
de representação, quando o outros Estados e Distrito Federal,
funcionário fôr designado para serão fixadas por decreto.
serviço ou estudo fora do Estado, Artigo 145 - O cálculo das diárias
será arbitrada pelo Governador, ou será feito na base do valor do
por autoridade que a lei determinar, padrão do cargo.
podendo ser percebida Parágrafo único - As diárias para
cumulativamente com a diária. os cargos sujeitos ao regime de
Artigo 142 - A gratificação relativa remuneração serão fixadas em
ao exercício em órgão legal de decreto do Poder Executivo,
deliberação coletiva, será fixada obedecidos os limites que forem
pelo Governador. estabelecidos para os demais
Artigo 143 - A gratificação de cargos.
representação de gabinete, fixada Artigo 146 - A tabela de diárias,
em regulamento, não poderá ser bem como as autoridades que as
percebida cumulativamente com a concederem, deverão constar de
referida no inciso I do art. 135. decreto.
Artigo 147 - O funcionário que
indevidamente receber diária, será
obrigado a restituí-la de uma só vez,
SEÇÃO IV ficando ainda sujeito à punição
disciplinar.
Das Diárias Artigo 148 - É vedado conceder
diárias com o objetivo de remunerar
outros encargos ou serviços.
Parágrafo único - Será
Artigo 144 - Ao funcionário que se responsabilizada a autoridade que
deslocar temporariamente da infringir o disposto neste artigo.
respectiva sede, no desempenho de
suas atribuições, ou em missão ou
estudo, desde que relacionados
com o cargo que exerce, poderá ser
concedida, além do transporte, uma SEÇÃO V
diária a título de indenização das
despesas de alimentação e Das Ajudas de Custo
pousada.
§ 1º - Não será concedida diária ao
funcionário removido ou transferido,
durante o período de trânsito. Artigo 149 -A juízo da
§ 2º - Não caberá a concessão de Administração, poderá ser
diária quando o deslocamento de concedida ajuda de custo ao
funcionário constituir exigência funcionário que no interesse do
permanente do cargo ou função. serviço passar a ter exercício em
§ 3º - Entende-se por sede o nova sede.
município onde o funcionário tem § 1º - A ajuda de custo destina-se a
exercício. indenizar o funcionário das
despesas de viagem e de nova fixados, salvo motivo independente
instalação . de sua vontade, devidamente
§ 2º - O transporte do funcionário e comprovado sem prejuízo da pena
de sua família compreende disciplinar cabível;
passagem e bagagem e correrá por II - o funcionário que, antes de
conta do Governo. concluir o serviço que lhe foi
Artigo 150 - A ajuda de custo, cometido, regressar da nova sede,
desde que em território do País, pedir exoneração ou abandonar o
será arbitrada pelos Secretários de cargo.
Estado, não podendo exceder § 1º - A restituição poderá ser feita
importância correspondente a 3 parceladamente, a juízo da
(três) vezes o valor do padrão do autoridade que houver concedido a
cargo. ajuda de custo, salvo no caso de
Parágrafo único - O regulamento recebimento indevido, em que a
fixará o critério para o arbitramento, importância por devolver será
tendo em vista o número de descontada integralmente do
pessoas que acompanham o vencimento ou remuneração, sem
funcionário, as condições de vida na prejuízo da pena disciplinar cabível.
nova sede, a distância a ser § 2º - A responsabilidade pela
percorrida, o tempo de viagem e os restituição de que trata este artigo,
recursos orçamentários disponíveis. atinge exclusivamente a pessoa do
Artigo 151 - Não será concedida funcionário.
ajuda de custo: § 3º - Se o regresso do funcionário
I - ao funcionário que se afastar da fôr determinado pela autoridade
sede ou a ela voltar, em virtude de competente ou por motivo de força
mandato eletivo; e maior devidamente comprovado,
II - ao que fôr afastado junto a não ficará ele obrigado a restituir a
outras Administrações. ajuda de custo.
Parágrafo único - O funcionário Artigo 154 - Caberá também ajuda
que receber ajuda de custo, se fôr de custo ao funcionário designado
obrigado a mudar de sede dentro do para serviço ou estudo no
período de 2 (dois) anos poderá estrangeiro.
receber, apenas, 2/3 (dois terços) Parágrafo único - A ajuda de custo
do benefício que lhe caberia. de que trata este artigo será
Artigo 152 - Quando o funcionário arbitrada pelo Governador.
fôr incumbido de serviço que o
obrigue a permanecer fora da sede
por mais de 30 (trinta) dias, poderá
receber ajuda de custo sem
prejuízos das diárias que lhe SEÇÃO VI
couberem.
Parágrafo único - A importância Do salário-família e do salário-
dessa ajuda de custo será fixada na esposa
forma do art. 150, não podendo
exceder a quantia relativa a 1 (uma)
vez o valor do padrão do cargo.
Artigo 153 - Restituirá a ajuda de Artigo 155 - O salário-família será
custo que tiver recebido: concedido ao funcionário ou ao
I - o funcionário que não seguir para inativo por:
a nova sede dentro dos prazos I - filho menor de 18 (dezoito) anos;
e Artigo 162 - O salário esposa será
II - filho inválido de qualquer idade. concedido ao funcionário que não
Parágrafo único - Consideram-se perceba vencimento ou
dependentes, desde que vivam total remuneração de importância
ou parcialmente às expensas do superior a 2 (duas) vezes o valor do
funcionário, os filhos de qualquer menor vencimento pago pelo
condição, os enteados e os Estado, desde que a mulher não
adotivos, equiparando -se a estes exerça atividade remunerada.
os tutelados sem meios próprios de Parágrafo único - A concessão do
subsistência. benefício a que se refere este artigo
Artigo 156 - A invalidez que será objeto de regulamento.
caracteriza a dependência é a
incapacidade total e permanente
para o trabalho.
Artigo 157 - Quando o pai e a mãe
tiverem ambos a condição de SEÇÃO VII
funcionário público ou de inativo e
viverem em comum, o salário- Outras Concessões Pecuniárias
família será concedido a um deles.
Parágrafo único - Se não viverem
em comum, será concedido ao que
tiver os dependentes sob sua Artigo 163 - O Estado assegurará
guarda, ou a ambos, de acordo com ao funcionário o direito de pleno
a distribuição de dependentes. ressarcimento de danos ou
Artigo 158 - Ao pai e à mãe prejuízos, decorrentes de acidentes
equiparam-se o padrasto e a no trabalho, do exercício em
madrasta e, na falta destes, os determinadas zonas ou locais e da
representantes legais dos execução de trabalho especial, com
incapazes. risco de vida ou saúde.
Artigo 159 - A concessão e a Artigo 164 - Ao funcionário
supressão do salário-família serão licenciado, para tratamento de
processadas na forma estabelecida saúde poderá ser concedido
em lei. transporte, se decorrente do
Artigo 160 - Não será pago o tratamento, inclusive para pessoa
salário-família nos casos em que o de sua família.
funcionário deixar de perceber o Artigo 165 - Poderá ser concedido
respectivo vencimento ou transporte à família do funcionário,
remuneração. quando este falecer fora da sede de
Parágrafo único - O disposto neste exercício, no desempenho de
artigo não se aplica aos casos serviço.
disciplinares e penais, nem aos de § 1º - A mesma concessão poderá
licença por motivo de doença em ser feita à família do funcionário
pessoa da família. falecido fora do Estado.
Artigo 161 - É vedada a percepção § 2º - Só serão atendidos os
de salário-família por dependente pedidos de transporte formulados
em relação ao qual já esteja sendo dentro do prazo de 1 (um) ano, a
pago este benefício por outra partir da data em que houver
entidade pública federal, estadual falecido o funcionário.
ou municipal, ficando o infrator Artigo 166 - Ao funcionário que, no
sujeito às penalidades da lei. desempenho das atribuições
normais de seu cargo, pagar ou CAPÍTULO III
receber em moeda corrente, poderá
ser concedido um auxílio para cobrir Das Acumulações Remuneradas
as diferenças de caixa, na forma
que fôr estabelecida em
regulamento.
Artigo 167 - A concessão de que Artigo 171 -É vedada a
trata o artigo anterior só poderá ser acumulação remunerada, exceto:
deferida ao funcionário que se I - a de um juiz e um cargo de
encontre no exercício do cargo e professor;
mantenha contato com o público, II - a de dois cargos de professor;
pagando ou recebendo em moeda III - a de um cargo de professor e
corrente. outro técnico ou científico; e
Artigo 168 - Ao cônjuge ou na falta IV - a de dois cargos privativos de
deste, à pessoa que provar ter feito médico.
despesas em virtude do falecimento § 1º - Em qualquer dos casos, a
do funcionário ou inativo, será acumulação somente é permitida
concedido, a título de funeral, a quando haja correlação de matérias
importância correspondente a 1 e compatibilidade de horários.
(um) mês de vencimento ou § 2º - A proibição de acumular se
remuneração. estende a cargos, funções ou
Parágrafo único - O pagamento empregos em autarquias, empresas
será efetuado pela respectiva públicas e sociedades de economia
repartição pagadora, no dia em que mista.
lhe fôr apresentado o atestado de § 3º - A proibição de acumular
óbito pelo cônjuge ou pessoa a proventos não se aplica aos
cujas expensas houver sido aposentados, quanto ao exercício
efetuado o funeral, ou procurador de mandato eletivo, cargo em
legalmente habilitado, feita a prova comissão ou ao contrato para
de identidade. prestação de serviços técnicos ou
Artigo 169 - O Govêrno do Estado especializados.
poderá conceder prêmios em Artigo 172 - O funcionário ocupante
dinheiro, dentro das dotações de cargo efetivo, ou em
orçamentárias próprias, aos disponibilidade, poderá ser
funcionários autores dos melhores nomeado para cargo em comissão,
trabalhos, classificados em perdendo, durante o exercício desse
concursos de monografias de cargo, o vencimento ou
interesse para o serviço público. remuneração do cargo efetivo ou o
Artigo 170 - O funcionário que provento, salvo se optar pelo
completar 50 (cinquenta) anos de mesmo.
efetivo exercício receberá um Artigo 173 - Não se compreende na
prêmio em dinheiro igual a 12 proibição de acumular, desde que
(doze) vêzes o vencimento ou a tenha correspondência com a
remuneração que perceber nessa função principal, a percepção das
data. vantagens enumeradas no art. 124.
Artigo 174 - Verificado, mediante
processo administrativo, que o
funcionário está acumulando, fora
das condições previstas neste
Capítulo, será ele demitido de todos
os cargos e funções e obrigado a férias anuais, observada a escala
restituir o que indevidamente houver que fôr aprovada.
recebido. § 1º - É proibido levar à conta de
§ 1º - Provada a boa-fé, o férias qualquer falta ao trabalho.
funcionário será mantido no cargo § 2º - É proibida a acumulação de
ou função que exercer há mais férias, salvo por absoluta
tempo. necessidade de serviço e pelo
§ 2º - Em caso contrário, o máximo de 2 (dois) anos
funcionário demitido ficará ainda consecutivos.
inabilitado pelo prazo de 5 (cinco) § 3º - O período de férias será
anos, para o exercício de função ou reduzido para 20 (vinte) dias, se o
cargo público, inclusive em servidor, no exercício anterior, tiver,
entidades que exerçam função considerados em conjunto, mais de
delegada do poder público ou são 10 (dez) não comparecimentos
por este mantidas ou administradas. correspondentes a faltas abonadas,
Artigo 175 - As autoridades civis e justificadas e injustificadas ou às
os chefes de serviço, bem como os licenças previstas nos itens IV, VI e
diretores ou responsáveis pelas VII do art. 181.
entidades referidas no § 2º do artigo § 4º - Durante as férias, o
anterior e os fiscais ou funcionário terá direito a todas as
representantes dos poderes vantagens, como se estivesse em
públicos junto às mesmas, que exercício.
tiverem conhecimento de que Artigo 177 - Atendido o interesse
qualquer dos seus subordinados ou do serviço, o funcionário poderá
qualquer empregado da empresa gozar férias de uma só vez ou em
sujeita à fiscalização está no dois períodos iguais.
exercício de acumulação proibida, Artigo 178 - Somente depois do
farão a devida comunicação ao primeiro ano de exercício no serviço
órgão competente, para os fins público, adquirirá o funcionário
indicados no artigo anterior. direito a férias.
Parágrafo único - Qualquer Parágrafo único - Será contado
cidadão poderá denunciar a para efeito deste artigo o tempo de
existência de acumulação ilegal. serviço prestado em outro cargo
público, desde que entre a
cessação do anterior e o início do
subsequente exercício não haja
interrupção superior a 10 (dez) dias.
TÍTULO V Artigo 179 - Caberá ao chefe da
repartição ou do serviço, organizar,
DOS DIREITOS E VANTAGENS EM no mês de dezembro, a escala de
GERAL férias para o ano seguinte, que
poderá alterar de acordo com a
CAPÍTULO I conveniência do serviço.
Artigo 180 -O funcionário
Das Férias transferido ou removido, quando em
gozo de férias, não será obrigado a
apresentar-se antes de terminá-las.

Artigo 176 - O funcionário terá


direito ao gozo de 30 (trinta) dias de
CAPÍTULO II IV do art. 181, é obrigado a
reassumir o exercício, se fôr
Das Licenças considerado apto em inspeção
médica realizada "ex-officio" ou se
SEÇÃO I não subsistir a doença na pessoa
de sua família.
Disposições Gerais Parágrafo único - O funcionário
poderá desistir da licença, desde
que em inspeção médica fique
comprovada a cessação dos
Artigo 181 - O funcionário poderá motivos determinantes da licença.
ser licenciado: Artigo 185 - A licença poderá ser
I - para tratamento de saúde; prorrogada ex-officio ou mediante
II - quando acidentado no exercício solicitação do funcionário.
de suas atribuições ou atacado de § 1º - O pedido de prorrogação
doença profissional; deverá ser apresentado pelo menos
III - no caso previsto no art. 198; 8 (oito) dias antes de findo o prazo
IV - por motivo de doença em da licença; se indeferido, contar-se-
pessoa de sua família; á como de licença o período
V - para cumprir obrigações compreendido entre o seu término e
concernentes ao serviço militar; a data do conhecimento oficial do
VI - para tratar de interesses despacho denegatório.
particulares; § 2º - Não se aplica o disposto
VII - no caso previsto no art. 205; neste artigo às licenças previstas
VIII - compulsoriamente, como nos itens VI e IX, do art. 181,
medida profilática; e observando-se no que couber, o
IX - como prêmio de assiduidade. disposto nas Seções VII e X desse
Parágrafo único - Ao funcionário Capítulo.
ocupante de cargo em comissão Artigo 186 - As licenças previstas
serão concedidas as licenças nos itens I e II do art. 181,
previstas neste artigo, salvo a concedidas dentro de 60 (sessenta)
referida no item VI. dias, contados da terminação da
Artigo 182 - A licença dependente anterior, serão consideradas em
de inspeção médica será concedida prorrogação.
pelo prazo indicado no respectivo Artigo 187 -O funcionário
laudo. licenciado nos termos dos itens I e II
Artigo 183 - Finda a licença, o do art. 181 não poderá dedicar-se a
funcionário deverá reassumir, qualquer atividade remunerada, sob
imediatamente, o exercício do pena de ser cassada a licença e de
cargo, salvo prorrogação. ser demitido por abandono do
Parágrafo único - A infração deste cargo, caso não reassuma o seu
artigo importará na perda total do exercício dentro do prazo de 30
vencimento ou remuneração (trinta) dias.
correspondente ao período de Artigo 188 -O funcionário
ausência e, se esta exceder a 30 licenciado nos termos dos itens I e II
(trinta) dias, ficará o funcionário do art. 181 ficará obrigado a seguir
sujeito à pena de demissão por rigorosamente o tratamento médico
abandono de cargo. adequado à doença, sob pena de
Artigo 184 -O funcionário lhe ser suspenso o pagamento do
licenciado nos termos dos itens I a vencimento ou remuneração.
Artigo 189 - O órgão médico oficial concedida:
fiscalizará a observância do I - a pedido do funcionário; e
disposto no artigo anterior. II - "ex-officio"
Artigo 190 - O funcionário que se
recusar a submeter-se à inspeção
médica, quando julgada necessária,
será punido com pena de SEÇÃO III
suspensão.
Parágrafo único - A suspensão Da Licença ao Funcionário
cessará no dia em que se realizar a Acidentado no Exercício de suas
inspeção. Atribuições ou Atacado de Doença
Profissional
Artigo 194 -O funcionário
acidentado no exercício de suas
SEÇÃO II atribuições ou que tenha adquirido
doença profissional, terá direito à
Da Licença para Tratamento de licença com vencimento ou
Saúde remuneração.
Parágrafo único - Considera-se
também acidente a agressão sofrida
e não provocada pelo funcionário,
Artigo 191 - Ao funcionário que, por no exercício de suas funções.
motivo de saúde, estiver Artigo 195 - A licença prevista no
impossibilitado para o exercício do artigo anterior não poderá exceder
cargo, será concedida licença, de 4 (quatro) anos.
mediante inspeção em órgão Parágrafo único - No caso de
médico oficial, até o máximo de 4 acidente, verificada a incapacidade
(quatro) anos, com vencimento ou total para qualquer função pública,
remuneração. será desde logo concedida
§ 1º - Findo o prazo, previsto neste aposentadoria ao funcionário.
artigo, o funcionário será submetido Artigo 196 - A comprovação do
à inspeção médica e aposentado, acidente, indispensável para a
desde que verificada a sua concessão da licença, será feita em
invalidez, permitindo-se o processo, que deverá iniciar-se no
licenciamento além desse prazo, prazo de 8 (oito) dias, contados do
quando não se justificar a evento.
aposentadoria. Artigo 197 - Para a conceituação
§ 2º - Será obrigatória a reversão do do acidente da doença profissional,
aposentado, desde que cessados serão adotados os critérios da
os motivos determinantes da legislação federal de acidentes do
aposentadoria. trabalho.
Artigo 192 - O funcionário ocupante
de cargo em comissão poderá ser
aposentado, nas condições do
artigo anterior, desde que preencha SEÇÃO IV
os requisitos do art. 227.
Artigo 193 - A licença para Da Licença à Funcionária Gestante
tratamento de saúde dependerá de Artigo 198 - À funcionária gestante
inspeção médica, realizada em será concedida, mediante inspeção
órgão oficial e poderá ser médica, licença de 120 (cento e
vinte) dias com vencimento ou outros encargos da segurança
remuneração. nacional, será concedida licença
§ 1º - Salvo prescrição médica em sem vencimento ou remuneração.
contrário, a licença será concedida § 1º - A licença será concedida
a partir do oitavo mês de gestação. mediante comunicação do
§ 2º - Uma vez ocorrido o parto, funcionário ao chefe da repartição
sem que tenha sido requerida a ou do serviço, acompanhada de
licença, esta será concedida pela documentação oficial que prove a
metade, a contar do dia do evento, incorporação.
desde que pleiteada sua concessão § 2º - O funcionário desincorporado
até 15 (quinze) dias após. reassumirá imediatamente o
exercício, sob pena de demissão
por abandono do cargo, se a
ausência exceder a 30 (trinta) dias.
SEÇÃO V § 3º - Quando a desincorporação se
verificar em lugar diverso do da
Da Licença por Motivo de Doença sede, os prazos para apresentação
em Pessoa da Família serão os previstos no art. 60.
Artigo 199 - O funcionário poderá Artigo 201 - Ao funcionário que
obter licença, por motivo de doença houver feito curso para ser admitido
do cônjuge e de parentes até como oficial da reserva das Forças
segundo grau. Armadas, será também concedida
§ 1º - Provar-se-á a doença em licença sem vencimento ou
inspeção médica na forma prevista remuneração, durante os estágios
no artigo 193. prescritos pelos regulamentos
§ 2º - A licença de que trata este militares.
artigo será concedida com
vencimento ou remuneração até 1
(um) mês e com os seguintes
descontos: SEÇÃO VII
I - de 1/3 (um terço), quando
exceder a 1 (um) mês até 3 (três) Da Licença para Tratar de Interesses
II - de 2/3 (dois terços), quando Particulares
exceder a 3 (três) até 6 (seis)
III - sem vencimento ou Artigo 202 - Depois de 5 (cinco)
remuneração do sétimo ao vigésimo anos de exercício, o funcionário
mês. poderá obter licença, sem
vencimento ou remuneração, para
tratar de interesses particulares,
pelo prazo máximo de 2 (dois) anos.
SEÇÃO VI § 1º - Poderá ser negada a licença
quando o afastamento do
Da Licença para Atender a funcionário fôr inconveniente ao
Obrigações Concernentes ao interesse do serviço.
Serviço Militar § 2º - O funcionário deverá aguardar
em exercício a concessão da
licença.
§ 3º - A licença poderá ser gozada
Artigo 200 - Ao funcionário que fôr parceladamente a juízo da
convocado para o serviço militar e Administração, desde que dentro do
período de 3 (três) anos. fonte de infecção de doença
§ 4º - O funcionário poderá desistir transmissível, poderá ser licenciado,
da licença, a qualquer tempo, enquanto durar essa condição, a
reassumindo o exercício em juízo de autoridade sanitária
seguida. competente, e na forma prevista no
Artigo 203 - Não será concedida regulamento.
licença para tratar de interesses Artigo 207 - Verificada a
particulares ao funcionário procedência da suspeita, o
nomeado, removido ou transferido, funcionário será licenciado para
antes de assumir o exercício do tratamento de saúde na forma
cargo. prevista no art. 191, considerando-
Artigo 204 - Só poderá ser se incluídos no período da licença
concedida nova licença depois de os dias de licenciamento
decorridos 5 (cinco) anos do término compulsório.
da anterior. Artigo 208 - Quando não positivada
a moléstia, deverá o funcionário
retornar ao serviço, considerando-
se como de efetivo exercício para
todos os efeitos legais, o período de
SEÇÃO VIII licença compulsória.

Da Licença à Funcionária Casada SEÇÃO X


com Funcionário ou Militar
Da licença-prêmio

Artigo 205 - A funcionária casada


com funcionário estadual ou com Artigo 209 - O funcionário terá
militar terá direito à licença, sem direito, como prêmio de
vencimento ou remuneração, assiduidade, à licença de 90
quando o marido fôr mandado (noventa) dias em cada período de
servir, independentemente de 5 (cinco) anos de exercício
solicitação, em outro ponto do ininterrupto, em que não haja
Estado ou do território nacional ou sofrido qualquer penalidade
no estrangeiro. administrativa.
Parágrafo único - A licença será Parágrafo único - O período da
concedida mediante pedido licença será considerado de efetivo
devidamente instruído e vigorará exercício para todos os efeitos
pelo tempo que durar a comissão ou legais, e não acarretará desconto
a nova função do marido. algum no vencimento ou
remuneração.
Artigo 210 - Para fins da licença
prevista nesta Seção, não se
consideram interrupção de
SEÇÃO IX exercício:
I - os afastamentos enumerados no
Da Licença Compulsória artigo 78, excetuado o previsto no
item X; e
Artigo 206 - O funcionário, ao qual II - as faltas abonadas, as
se possa atribuir a condição de justificadas e os dias de licença a
que se referem os itens I e IV do art. CAPÍTULO III
181 desde que o total de todas
essas ausências não exceda o Da Estabilidade
limite máximo de 30 (trinta) dias, no
período de 5 (cinco) anos.
Artigo 211 - Será contado para
efeito da licença de que trata esta Artigo 217 - É assegurada a
Seção, o tempo de serviço prestado estabilidade somente ao funcionário
à União, Estados e Municípios e que, nomeado por concurso, contar
Autarquias em geral, desde que mais de 2 (dois) anos de efetivo
entre a cessação do anterior e o exercício.
início do subsequente não haja Artigo 218 - O funcionário estável
interrupção superior a 30 (trinta) só poderá ser demitido em virtude
dias. de sentença judicial ou mediante
Artigo 212 - O requerimento da processo administrativo,
licença será instruído com certidão assegurada ampla defesa.
de tempo de serviço. Parágrafo único - A estabilidade
Artigo 213 - A requerimento do diz respeito ao serviço público e não
funcionário, a licença poderá ser ao cargo, ressalvando-se à
gozada em parcelas não inferiores a Administração o direito de
30 (trinta) dias. aproveitar o funcionário em outro
Parágrafo único - Caberá às cargo de igual padrão, de acordo
autoridades competentes para com as suas aptidões.
conceder a licença, tendo em vista o
interesse do serviço, decidir por seu
gôzo por inteiro ou parceladamente.
Artigo 214 - O funcionário deverá
aguardar em exercício a concessão CAPÍTULO IV
da licença.
Parágrafo único — Dependerá de Da Disponibilidade
novo requerimento, o gozo da
licença, quando não iniciada dentro
de 30 (trinta) dias, contados da
publicação do ato que a houver Artigo 219 - O funcionário poderá
concedido. ser posto em disponibilidade
Artigo 215 - O funcionário efetivo, remunerada:
que conte, pelo menos 15 (quinze) I - no caso previsto no § 2º do art.
anos de serviço, poderá optar pelo 31; e
gozo da metade do período de II - quando, tendo adquirido
licença-prêmio a que tiver direito, estabilidade, o cargo fôr extinto por
recebendo, em dinheiro, imprtância lei.
equivalente aos vencimentos Parágrafo único - O funcionário
correspondentes à outra metade. ficará em disponibilidade até o seu
Artigo 216 - O cálculo a que se obrigatório aproveitamento em
refere o artigo anterior será cargo equivalente.
efetuado com base no padrão de Artigo 220 - O provento da
vencimentos à época da opção. disponibilidade não poderá ser
superior ao vencimento ou
remuneração e vantagens
percebidos pelo funcionário.
Artigo 221 - Qualquer alteração do aposentado nos termos do artigo
vencimento ou remuneração e 222.
vantagens percebidas pelo Artigo 226 - O provento da
funcionário em virtude de medida aposentadoria será:
geral, será extensiva ao provento do I - igual ao vencimento ou
disponível, na mesma proporção. remuneração e demais vantagens
pecuniárias incorporadas para esse
efeito:
1 - quando o funcionário, do sexo
masculino, contar 35 (trinta e cinco)
CAPÍTULO V anos de serviço e do sexo feminino,
30 (trinta) anos; e
Da Aposentadoria 2 - quando ocorrer a invalidez.
II - proporcional ao tempo de
serviço, nos demais casos.
Artigo 227 - As disposições dos
Artigo 222 - O funcionário será itens I e II do artigo 222 aplicam-se
aposentado: ao funcionário ocupante de cargo
I - por invalidez; em comissão, que contar mais de
II - compulsoriamente, aos 70 15 (quinze) anos de exercício
(setenta) anos; e ininterrupto nesse cargo, seja ou
III - voluntariamente, após 35 (trinta não ocupante de cargo de
e cinco) anos de serviço. provimento efetivo.
§ 1º - No caso do item III, o prazo é Artigo 228 - A aposentadoria
reduzido a 30 (trinta) anos para as prevista no item III do artigo 222
mulheres. produzirá efeito a partir da
§ 2º - Os limites de idade e de publicação do ato no Diário Oficial.
tempo de serviço para a Artigo 229 - O pagamento dos
aposentadoria poderão ser proventos a que tiver direito o
reduzidos, nos termos do parágrafo aposentado deverá iniciar-se no
único do artigo 94 da Constituição mês seguinte ao em que cessar a
do Estado de São Paulo. percepção do vencimento ou
Artigo 223 - A aposentadoria remuneração.
prevista no item I do artigo anterior, Artigo 230 - O provento do
só será concedida, após a aposentado só poderá sofrer
comprovação da invalidez do descontos autorizados em lei.
funcionário, mediante inspeção de Artigo 231 - O provento da
saúde realizada em órgão médico aposentadoria não poderá ser
oficial. superior ao vencimento ou
Artigo 224 - A aposentadoria remuneração e demais vantagens
compulsória prevista no item II do percebidas pelo funcionário.
artigo 222 é automática. Artigo 232 - Qualquer alteração do
Parágrafo único - O funcionário se vencimento ou remuneração e
afastará no dia imediato àquele em vantagens percebidas pelo
que atingir a idade limite, funcionário em virtude de medida
independentemente da publicação geral, será extensiva ao provento do
do ato declaratório da aposentado, na mesma proporção.
aposentadoria.
Artigo 225 - O funcionário em
disponibilidade poderá ser
CAPÍTULO VI repartição a que esteja subordinado,
de que está freqüentando
Da Assistência ao Funcionário regularmente o curso em que
estiver matriculado.

Artigo 233 - Nos trabalhos


insalubres executados pelos CAPÍTULO VII
funcionários, o Estado é obrigado a
fornecer-lhes gratuitamente Do Direito de Petição
equipamentos de proteção à saúde.
Parágrafo único - Os
equipamentos aprovados por órgão
competente, serão de uso Artigo 239 - É permitido ao
obrigatório dos funcionários, sob funcionário requerer ou representar,
pena de suspensão. pedir reconsideração e recorrer de
Artigo 234 - Ao funcionário é decisões desde que o faça dentro
assegurado o direito de remoção das normas de urbanidade e em
para igual cargo no local de termos, observadas as seguintes
residência do cônjuge, se este regras:
também fôr funcionário e houver I - nenhuma solicitação, qualquer
vaga. que seja a sua forma, poderá ser:
Artigo 235 - Havendo vaga na sede 1. dirigida à autoridade
do exercício de ambos os cônjuges, incompetente para decidi-la; e
a remoção poderá ser feita para o 2. encaminhada, se não, por
local indicado por qualquer deles, intermédio da autoridade a que
desde que não prejudique o serviço. estiver imediatamente subordinado
Artigo 236 - Somente será o funcionário;
concedida nova remoção por união II - o pedido de reconsideração só
de cônjuges ao funcionário que fôr será cabível quando contiver novos
removido a pedido para outro local, argumentos e será sempre dirigido
após transcorridos 5 (cinco) anos. à autoridade que tiver expedido o
Artigo 237 - Considera-se local, ato ou proferido a decisão;
para os fins dos artigos 234 a 236, o III - nenhum pedido de
município onde o cônjuge tem sua reconsideração poderá ser
residência. renovado;
Artigo 238 - O ato que remover ou IV - o pedido de reconsideração
transferir o funcionário estudante de deverá ser decidido no prazo
uma para outra cidade ficará máximo de 30 (trinta) dias;
suspenso se, na nova sede, não V - só caberá recurso quando
existir estabelecimento congênere, houver pedido de reconsideração
oficial, reconhecido ou equiparado desatendido ou não decicido no
àquele em que o interessado esteja prazo legal;
matriculado. VI - o recurso será dirigido à
§ 1º - Efetivar-se-á a transferência, autoridade a que estiver
se o funcionário concluir o curso, imediatamente subordinada a que
deixar de cursá-lo ou fôr reprovado tenha expedido o ato ou proferido a
durante 2 (dois) anos. decisão e, sucessivamente na
§ 2º - Anualmente, o interessado escala ascedente, às demais
deverá fazer prova, perante a autoridades; e
VII - nenhum recurso poderá ser (duas) vezes no máximo,
enviado mais de uma vez à mesma determinando a contagem de novos
autoridade. prazos, a partir da data da
§ 1º - Em hipótese alguma, poderá publicação oficial do despacho
ser recebida petição, pedido de denegatório ou restritivo do pedido.
reconsideração ou recurso que não
atenda às prescrições deste artigo,
devendo a autoridade à qual forem
encaminhadas tais peças, indeferi-
las de plano. TÍTULO VI
§ 2º - A decisão final dos recursos a
que se refere este artigo deverá ser DOS DEVERES, DAS PROIBIÇÕES E
dada dentro do prazo de 90 DAS RESPONSABILIDADES
(noventa) dias, contados da data do
recebimento na repartição, e uma
vez proferida, será imediatamente CAPÍTULO I
publicada, sob pena de
responsabilidade do funcionário Dos Deveres e das Proibições
infrator. Se a decisão não fôr
proferida dentro desse prazo,
poderá o funcionário desde logo SEÇÃO I
interpor recurso à autoridade
superior.
Dos Deveres
§ 3º - Os pedidos de reconsideração
e os recursos não têm efeito
suspensivo, os que forem providos,
porém, darão lugar às retificações
Artigo 241 - São deveres do
necessárias, retroagindo os seus
funcionário:
efeitos à data do ato impugnado,
I - ser assíduo e pontual;
desde que outra providência não
II - cumprir as ordens superiores,
determine a autoridade quanto aos
representando quando forem
efeitos relativos ao passado.
manifestamente ilegais;
Artigo 240 - O direito de pleitear, na
III - desempenhar com zêlo e
esfera administrativa, prescreve a
presteza os trabalhos de que fôr
partir da data da publicação, no
incumbido;
órgão oficial, do ato impugnado, ou,
IV - guardar sigilo sobre os assuntos
quando este fôr de natureza
da repartição e, especialmente,
reservada, da data em que dele
sobre despachos, decisões ou
tiver conhecimento o funcionário:
providências;
I - em 5 (cinco) anos, quanto aos
V - representar aos superiores
atos de que decorreram a
sobre todas as irregularidades de
demissão, aposentadoria ou
que tiver conhecimento no exercício
disponibilidade do funcionário; e
de suas funções;
II - em 120 (cento e vinte) dias, nos
VI - tratar com urbanidade os
demiais casos.
companheiros de serviço e as
Parágrafo único - Os recursos ou
partes;
pedidos de reconsideração, quando
VII - residir no local onde exerce o
cabíveis, e apresentados dentro dos
cargo ou, onde autorizado;
prazos de que trata este artigo,
VIII - providenciar para que esteja
interrompem a prescrição, até 2
sempre em ordem, no
assentamento individual, a sua autoridade competente, qualquer
declaração de família; documento ou objeto existente na
IX - zelar pela economia do material repartição;
do Estado e pela conservação do III - entreter-se, durante as horas de
que fôr confiado à sua guarda ou trabalho, em palestras, leituras ou
utilização; outras atividades estranhas ao
X - apresentar-se convenientemente serviço;
trajado em serviço ou com uniforme IV - deixar de comparecer ao
determinado, quando fôr o caso; serviço sem causa justificada;
XI - atender prontamente, com V - tratar de interesses particulares
preferência sobre qualquer outro na repartição;
serviço, às requisições de papéis, VI - promover manifestações de
documentos, informações ou apreço ou desapreço dentro da
providências que lhe forem feitas repartição, ou tornar-se solidário
pelas autoridades judiciárias ou com elas;
administrativas, para defesa do VII - exercer comércio entre os
Estado, em Juízo; companheiros de serviço, promover
XII - cooperar e manter espírito de ou subscrever listas de donativos
solidariedade com os companheiros dentro da repartição; e
de trabalho; VIII - empregar material do serviço
XIII - estar em dia com as leis, público em serviço particular.
regulamentos, regimentos, Artigo 243 - É proibido ainda, ao
instruções e ordens de serviço que funcionário:
digam respeito às suas funções; e I - fazer contratos de natureza
XIV - proceder na vida pública e comercial e industrial com o
privada na forma que dignifique a Governo, por si, ou como
função pública. representante de outrem;
II - participar da gerência ou
administração de empresas
bancárias ou industriais, ou de
sociedades comerciais, que
SEÇÃO II mantenham relações comerciais ou
administrativas com o Governo do
Das Proibições Estado, sejam por este
subvencionadas ou estejam
diretamente relacionadas com a
finalidade da repartição ou serviço
Artigo 242 - Ao funcionário é em que esteja lotado;
proibido: III - requerer ou promover a
I - referir-se depreciativamente, em concessão de privilégios, garantias
informação, parecer ou despacho de juros ou outros favores
ou pela imprensa, ou qualquer meio semelhantes, federais, estaduais ou
de divugação, às autoridades municipais, exceto privilégio de
constituídas e aos atos da invenção própria;
Administração, podendo, porém, em IV - exercer, mesmo fora das horas
trabalho devidamente assinado, de trabalho, emprego ou função em
apreciá-los sob o aspecto empresas, estabelecimentos ou
doutrinário e da organização e instituições que tenham relações
eficiência do serviço; com o Governo, em matéria que se
II - retirar, sem prévia permissão da relacione com a finalidade da
repartição ou serviço em que esteja número de auxiliares nessas
lotado; condições.
V - aceitar representação de Estado
estrangeiro, sem autorização do
Presidente da República;
VI - comerciar ou ter parte em CAPÍTULO II
sociedades comerciais nas
condições mencionadas no item II Das Responsabilidades
deste artigo, podendo, em qualquer
caso, ser acionista, quotista ou
comanditário;
VII - incitar greves ou a elas aderir, Artigo 245 - O funcionário é
ou praticar atos de sabotagem responsável por todos os prejuízos
contra o serviço público; que, nessa qualidade, causar à
VIII - praticar a usura; Fazenda Estadual, por dolo ou
IX - constituir-se procurador de culpa, devidamente apurados.
partes ou servir de intermediário Parágrafo único - Caracteriza-se
perante qualquer repartição pública, especialmente a responsabilidade:
exceto quando se tratar de interesse I - pela sonegação de valores e
de cônjuge ou parente até segundo objetos confiados à sua guarda ou
grau; responsabilidade, ou por não
X - receber estipêndios de firmas prestar contas, ou por não as tomar,
fornecedoras ou de entidades na forma e no prazo estabelecidos
fiscalizadas, no País, ou no nas leis, regulamentos, regimentos,
estrangeiro, mesmo quando estiver instruções e ordens de serviço;
em missão referente à compra de II - pelas faltas, danos, avarias e
material ou fiscalização de qualquer quaisquer outros prejuízos que
natureza; sofrerem os bens e os materiais sob
XI - valer-se de sua qualidade de sua guarda, ou sujeitos a seu
funcionário para desempenhar exame ou fiscalização;
atividade estranha às funções ou III - pela falta ou inexatidão das
para lograr, direta ou indiretamente, necessárias averbações nas notas
qualquer proveito; e de despacho, guias e outros
XII - fundar sindicato de funcionários documentos da receita, ou que
ou deles fazer parte. tenham com eles relação; e
Parágrafo único - Não está IV - por qualquer erro de cálculo ou
compreendida na proibição dos redução contra a Fazenda Estadual.
itens II e VI deste artigo, a Artigo 246 - O funcionário que
participação do funcionário em adquirir materiais em desacordo
sociedades em que o Estado seja com disposições legais e
acionista, bem assim na direção ou regulamentares será
gerência de cooperativas e responsabilizado pelo respectivo
associações de classe, ou como custo, sem prejuízo das penalidades
seu sócio. disciplinares cabíveis, podendo-se
Artigo 244 - É vedado ao proceder ao desconto no seu
funcionário trabalhar sob as ordens vencimento ou remuneração.
imediatas de parentes, até segundo Artigo 247 - Nos casos de
grau, salvo quando se tratar de indenização à Fazenda Estadual, o
função de confiança e livre escolha, funcionário será obrigado a repor,
não podendo exceder a 2 (dois) o de uma só vez, a importância do
prejuízo causado em virtude de II - suspensão;
alcance, desfalque, remissão ou III - multa;
omissão em efetuar recolhimento ou IV - demissão;
entrada nos prazos legais. V - demissão a bem do serviço
Artigo 248 - Fora dos casos público; e
incluídos no artigo anterior, a VI - cassação de aposentadoria ou
importância da indenização poderá disponibilidade
ser descontada do vencimento ou Artigo 252 - Na aplicação das
remuneração não excedendo o penas disciplinares serão
desconto à 10ª (décima) parte do consideradas a natureza e a
valor destes. gravidade da infração e os danos
Parágrafo único - No caso do item que dela provierem para o serviço
IV do parágrafo único do artigo 245, público.
não tendo havido má-fé, será Artigo 253 - A pena de repreensão
aplicada a pena de repreensão e, será aplicada por escrito, nos casos
na reincidência, a de suspensão. de indisciplina ou falta de
Artigo 249 - Será igualmente cumprimento dos deveres.
responsabilizado o funcionário que, Artigo 254 - A pena de suspensão,
fora dos casos expressamente que não excederá de 90 (noventa)
previstos nas leis, regulamentos ou dias, será aplicada em caso de falta
regimentos, cometer a pessoas grave ou de reincidência.
estranhas às repartições, o § 1º - O funcionário suspenso
desempenho de encargos que lhe perderá todas as vantagens e
competirem ou aos seus direitos decorrentes do exercício do
subordinados. cargo.
Artigo 250 - A responsabilidade § 2º - A autoridade que aplicar a
administrativa não exime o pena de suspensão poderá
funcionário da responsabilidade civil converter essa penalidade em
ou criminal que no caso couber, multa, na base de 50% (cinqüenta
nem o pagamento da indenização a por cento) por dia de vencimento ou
que ficar obrigado, na forma dos remuneração, sendo o funcionário,
artigos 247 e 248, o exame da pena nesse caso, obrigado a permanecer
disciplinar em que incorrer. em serviço.
Artigo 255 - A pena de multa será
aplicada na forma e nos casos
expressamente previstos em lei ou
regulamento.
TÍTULO VII Artigo 256 - Será aplicada a pena
de demissão nos casos de:
DAS PENALIDADES I - abandono de cargo;
II - procedimento irregular, de
CAPÍTULO I natureza grave;
III - ineficiência no serviço;
Das Penalidades e de sua Aplicação IV - aplicação indevida de dinheiros
públicos, e
V - ausência ao serviço, sem causa
justificável, por mais de 45
Artigo 251 - São penas (quarenta e cinco) dias,
disciplinares: interpoladamente, durante 1 (um)
I - repreensão; ano.
§ 1º - Considerar-se-á abandono de funcionário mencionará sempre a
cargo, o não comparecimento do disposição legal em que se
funcionário por mais de (30) dias fundamenta.
consecutivos "ex-vi" do artigo 63. Artigo 259 - Será aplicada a pena
§ 2º - A pena de demissão por de cassação de aposentadoria ou
ineficiência no serviço, só será disponibilidade, se ficar provado que
aplicada quando verificada a o inativo:
impossibilidade de readaptação. I - praticou, quando em atividade,
Artigo 257 - Será aplicada a pena falta grave para a qual é cominada
de demissão a bem do serviço nesta lei a pena de demissão ou de
público ao funcionário que: demissão a bem do serviço público;
I - fôr convencido de incontinência II - aceitou ilegalmente cargo ou
pública e escandalosa e de vício de função pública;
jogos proibidos; III - aceitou representação de
II - praticar crime contra a boa Estado estrangeiro sem prévia
ordem da administração pública, a autorização do Presidente da
fé pública e a Fazenda Estadual, ou República; e
previsto nas leis relativas à IV - praticou a usura em qualquer de
segurança e à defesa nacional. suas formas.
III - revelar segredos de que tenha Artigo 260 - Para aplicação das
conhecimento em razão do cargo, penalidades previstas no artigo 251,
desde que o faça dolosamente e são competentes:
com prejuízo para o Estado ou I -o Governador;
particulares; II - os Secretários de Estado, até a
IV - praticar insubordinação grave; de suspensão;
V - praticar, em serviço, ofensas III - os diretores gerais, até a de
físicas contra funcionários ou suspensão, limitada a 30
particulares, salvo se em legítima (trinta) dias;
defesa; IV - os chefes de diretorias ou
VI - lesar o patrimônio ou os cofres divisões, até a de suspensão
públicos; limitada a 15 (quinze) dias; e
VII - receber ou solicitar propinas, V - os chefes de serviço ou de
comissões, presentes ou vantagens seção, até a de sustensão limitada a
de qualquer espécie, diretamente ou 8 (oito) dias.
por intermédio de outrem, ainda que Artigo 261 - Prescreverá:
fora de suas funções mas em razão I - em 2 (dois) anos, a falta sujeita à
delas; pena de repreensão, multa ou
VIII - pedir, por empréstimo, dinheiro suspensão; e
ou quaisquer valores a pessoas que II - em 5 (cinco) anos, a falta sujeita
tratem de interesses ou o tenham à pena de demissão, de demissão a
na repartição, ou estejam sujeitos à bem do serviço público e de
sua fiscalização; cassação de aposentadoria e
IX - exercer advocacia disponibilidade.
administrativa; e Parágrafo único - A falta também
X - apresentar com dolo declaração prevista em lei penal, como crime,
falsa em matéria de salário-família, prescreverá juntamente com este.
sem prejuízo da responsabilidade Artigo 262 - O funcionário que, sem
civil e de procedimento criminal, que justa causa, deixar de atender a
no caso couber. qualquer exigência para cujo
Artigo 258 - O ato que demitir o cumprimento seja marcado prazo
certo, terá suspenso o pagamento necessário para averiguações de
de seu vencimento ou remuneração faltas cometidas, cabendo aos
até que satisfaça essa exigência. Secretários de Estado, prorrogá-la
Parágrafo único - Aplica-se aos até 90 (noventa) dias, findo os quais
aposentados ou em disponibilidade cessarão os efeitos da suspensão,
o disposto neste artigo. ainda que o processo administrativo
Artigo 263 - Deverão constar do não estaja concluído.
assentamento individual do Artigo 266 - Durante o período da
funcionário todas as penas que lhe prisão ou da suspensão preventiva,
forem impostas. o funcionário poderá 1/3 (um terço)
do vencimento ou remuneração.
Artigo 267 - O funcionário terá
direito:
CAPÍTULO II I - à diferença de vencimento ou
remuneração e à contagem de
Da Prisão Administrativa e da tempo de serviço relativo ao período
Suspensão Preventiva da prisão ou da suspensão
preventiva, quando do processo não
resultar punição, ou esta se limitar
às penas de repreensão ou multa; e
Artigo 264 - Cabe, dentro das II - à diferença de vencimento ou
respectivas competências, aos remuneração e à contagem do
Secretários de Estado, aos tempo de serviço, correspondente
Diretores Gerais e aos Chefes de ao período de afastamento
repartição, ordenar a prisão excedente do prazo da suspensão
administrativa dos responsáveis efetivamente aplicada.
pelos dinheiros e valores
pertencentes à Fazenda Estadual
ou que se acharem sob a guarda
desta nos casos de alcance,
remissão ou omissão em efetuar as TÍTULO VIII
entradas nos devidos prazos.
§ 1º - Ordenada a prisão, será ela Do Processo Administrativo
requisitada à autoridade policial e
comunicada, imediatamente, à CAPÍTULO I
autoridade judiciária competente,
para os devidos efeitos. Da Instauração do Processo
§ 2º - Os Secretários de Estado, os
Diretores Gerais e os Chefes de
repartição, providenciarão no
sentido de ser iniciado com urgência Artigo 268 - A aplicação do
e imediatamente concluído, o disposto neste Título se fará sem
processo de tomada de contas. prejuízo da validade dos atos
§ 3º - A prisão administrativa não realizados sob a vigência de lei
poderá exceder a 90 (noventa) dias. anterior.
Artigo 265 - Poderá ser ordenada, Artigo 269 - Instaura-se processo
pelo chefe de repartição, a administrativo ou sindicância, a fim
suspensão preventiva do de apurar ação ou omissão de
funcionário, até 30 (trinta) dias, funcionário público, puníveis
desde que o seu afastamento seja disciplinarmente.
Artigo 270 - Será obrigatório o I - como preliminar do processo, nos
processo administrativo quando a temos do parágrafo único do artigo
falta disciplinar, por sua natureza, 270; e
possa determinar a pena de II - quando não fôr obrigatória a
demissão. instalação do processo
Parágrafo único - O processo será administrativo.
precedido de sindicância, quando Artigo 275 - A comissão, ou o
não houver elementos suficientes funcionário incumbido da
para se concluir pela existência da sindicância, dando-se início
falta ou de sua autoria. imediato, procederá às seguintes
Artigo 271 - No caso dos artigos diligências:
253 e 254, poder-se-á aplicar a I - ouvirá testemunhas para
pena pela verdade sabida, salvo se, esclarecimento dos fatos referidos
pelas circunstâncias da falta, fôr na portaria de designação e o
conveniente instaurar-se sindicância acusado, se julgar necessário para
ou processo. esclarecimento dos mesmos ou a
Parágrafo único - Entende-se por bem de sua defesa, permitindo-lhe
verdade sabida o conhecimento juntada de documentos e indicação
pessoal e direto de falta por parte de provas; e
da autoridade competente para II - colherá as demais provas que
aplicar a pena. houver, concluindo pela
Artigo 272 - São competentes para procedência, ou não, da argüição
determinar a instauração de feita contra o funcionário.
processo administrativo, as Artigo 276 - A sindicância deverá
autoridades enumeradas no artigo ser ultimada dentro de 30 (trinta)
260 até o número III, inclusive, e, dias, prorrogáveis por igual prazo, a
para determinar a instauração de critério da autoridade que a houver
sindicância, as autoridades mandado instaurar.
enumeradas no mesmo artigo até o Artigo 277 - A critério da autoridade
número IV. que designar, o funcionário
incumbido para proceder à
sindicância poderá dedicar todo o
seu tempo àquele encargo, ficando,
em consequência, automaticamente
CAPÍTULO II dispensado do serviço da
repartição, durante a realização dos
Da Sindicância trabalhos a que se refere o artigo
275.

Artigo 273 - A sindicância, como


meio sumário de verificação, será
cometida a funcionário, comissão de CAPÍTULO III
funcionários, de condição
hierárquica nunca inferior à do Das Comissões Processantes
indiciado, ou a Comissão Artigo 278 - Em cada Secretaria de
Processante Permanente a que se Estado haverá Comissões
refere o art. 278. Processantes Permanentes,
Artigo 274 - Promove-se a destinadas a realizar os processos
sindicância: adminstrativos.
§ 1º - Os membros das Comissões não permanentes, também
Processantes Permanentes serão compostas de 3 (três) membros,
designados pelos Secretários de somente por expressa determinação
Estado, com aprovação do da autoridade que as designar,
Governador. poderão seus integrantes ser
§ 2º - O disposto neste artigo não afastados do exercício dos cargos,
impede a designação de comissões durante a realização do processo.
especiais pelo Governador do Artigo 282 - Fica sujeira à
Estado. aprovação dos Diretores Gerais das
Artigo 279 - As Comissões Secretarias de Estado, a
Processantes Permanentes serão designação de servidor encarregado
constituídas de 3 (três) funcionários, de secretariar os trabalhos das
nomeados pelo prazo de 2 (dois) Comissões Processantes.
anos, facultada a recondução,
cabendo a presidência a Procurador
do Estado.
§ 1º - Haverá tantas Comissões CAPÍTULO IV
quantas forem julgadas
necessárias. Dos Atos e Têrmos Processuais
§ 2º - Os membros da Comissão
poderão ser dispensados a qualquer
tempo, com aprovação do
Governador. Artigo 283 -O processo
Artigo 280 - Não poderá ser administrativo deverá ser iniciado
encarregado de proceder a dentro do prazo improrrogável de 8
sindicância, nem fazer parte da (oito) dias, contados de sua
Comissão Processante, mesmo instauração e concluído no de 60
como secretário desta, parente (sessenta) dias, a contar da citação
consanguíneo ou afim, em linha reta do indiciado.
ou colateral, até o terceiro grau § 1º - Poderá a autoridade que
inclusive do denunciante ou determinou a instauração do
indiciado, bem como o subordinado processo, prorrogar-lhe o prazo até
deste. mais 60 (sessenta) dias, por
Parágrafo único - Ao funcionário despacho, em representação
designado incumbirá comunicar, circunstanciada que lhe fizer o
desde logo, à autoridade Presidente da Comissão.
competente, o impedimento que § 2º - Somente o Governador, em
houver, de acordo com este artigo. casos especiais e mediante
Artigo 281 - Os membros das representação da autoridade que
Comissões Processantes determinou a instauração do
Permanentes, bem como os processo, poderá autorizar nova e
respectivos secretários, dedicarão última prorrogação do prazo, por
todo o seu tempo aos trabalhos tempo não excedente ao do
pertinentes aos processos parágrafo anterior.
administrativos e às sindicâncias de Artigo 284 - Autuadas a portaria e
que foram encarregados, ficando demais peças preexistentes,
dispensados do serviço da designará o Presidente dia e hora
repartição durante todo o prazo da para a audiência inicial, citado o
nomeação de que trata o artigo 279. indiciado e notificado o denunciante,
Parágrafo único - Nas comissões se houver, e as testemunhas.
§ 1º - A citação do indiciado será substituir as testemunhas ou indicar
feita pessoalmente, com prazo outras no lugar das que não
mínimo de 24 (vinte e quatro) horas, compareceram.
e será acompanhada de extrato da Parágrafo único - O indiciado não
portaria que lhe permita conhecer o assistirá à inquirição do
motivo do processo. denunciante. Antes, porém, de
§ 2º - Achando-se o indiciado prestar as próprias declarações,
ausente do lugar, será citado por via ser-lhe-ão lidas, pelo secretário, as
postal, em carta registrada, que houver aquele prestado.
jundando-se ao processo o Artigo 288 - No mesmo dia, se
comprovante do registro; não sendo possível, e nos dias subsequentes,
encontrado o indiciado, ou tomar-se-á o depoimento das
ignorando-se o seu paradeiro, a testemunhas apresentadas pelo
citação se fará com o prazo de 15 denunciate ou arroladas pela
(quinze) dias, por edital inserto por Comissão, e, a seguir, o das
três vezes seguidas no órgão oficial. testemunhas indicadas pelo
§ 3º - O prazo a que se refere o indiciado.
parágrafo anterior, "in fine", será Parágrafo único - É permitido ao
contado da primeira publicação, indiciado reperguntar às
certificando o secretário, no testemunhas, por intermédio do
processo as datas em que as Presidente, que poderá indeferir as
publicações foram feita. reperguntas que não tiverem
§ 4º - Quando fôr desconhecido o conexão com a falta, consignando-
paradeiro de alguma testemunha, o se no termo as reperguntas
Presidente solicitará à Polícia indeferidas.
informações necessárias à Artigo 289 - A testemunha não
notificação. poderá eximir-se da obrigação de
Artigo 285 - Aos chefes diretos dos depor, salvo o caso de proibição
servidores notificados a comparecer legal, nos termos do artigo 207 do
perante a Comissão Processante, Código de Processo Penal ou em se
será dado imediato conhecimento tratando das pessoas mencionadas
dos termos da notificação. no artigo 206 do referido Código.
Parágrafo único - Tratando-se de § 1º - Ao servidor público que se
militar, o seu comparecimento será recusar a depor, sem fundamento,
requisitado ao respectivo Comando, será pela autoridade competente
com as indicações necessárias. aplicada a sanção a que se refere o
Artigo 286 - Feita a citação, sem artigo 262, mediante comunicação
que compareça o indiciado, da Comissão Processante.
prosseguir-se-á no processo à sua § 2º - No caso em que a pessoa
revelia. estranha ao serviços público se
Artigo 287 - No dia aprazado será recuse a depor perante a Comissão,
ouvido o denunciante, se o Presidente solicitará à autoridade
comparecer, e, na mesma policial a providência cabível a fim
audiência, o indiciado que, dentro de ser ouvida na Polícia a
do prazo de cinco dias, depositará testemunha. Nesse caso, o
ou apresentará rol de testemunhas Presidente encaminhará à
até o máximo de dez, as quais autoridade policial, deduzida por
serão notificadas. Respeitado o itens, a matéria de fato sobre a qual
limite acima, poderá o indiciado, deverá ser ouvida a testemunha.
durante a produção da prova, Artigo 290 - O servidor público que
tiver de depor como testemunha Artigo 297 - Encerrados os atos
fora da sede de sua função, terá concernentes à prova, será, dentro
direito a transporte e diárias na de 48 (quarenta e oito) horas, dada
forma da legislação em vigor. vista dos autos ao indiciado, para
Artigo 291 - Como ato preliminar, apresentar defesa, no prazo de dez
ou no decorrer do processo, poderá dias.
o Presidente representar a quem de Parágrafo único - Durante este
direito, nos têrmos do artigo 265, prazo, terá o indiciado vista dos
pedindo a suspensão preventiva do autos em presença do secretário ou
indiciado. de um dos membros da Comissão,
Artigo 292 - Durante o processo, no lugar do processo.
poderá o Presidente ordenar toda e Artigo 298 - No caso de revelia do
qualquer diligência que se afigure indiciado ou esgotado o prazo do
conveniente. artigo anterior, sem que haja sido
Parágrafo único - Caso seja apresentada defesa, o Presidente
necessário o concurso de técnicos designará um funcionário para
ou peritos oficiais, o Presidente os produzi-la, assinando-lhe novo
requisitará à autoridade prazo.
competente, observado, também, § 1º - A designação referida neste
quanto aos técnicos e peritos, o artigo recairá, sempre que possível,
impedimento a que se refere em diplomado em direito.
o artigo 280. § 2º - O funcionário designado não
Artigo 293 - É permitido à se poderá escusar da incumbência,
Comissão tomar conhecimento de sem motivo justo, sob pena de
arguições novas que surgirem repreensão, a ser aplicada pela
contra o indiciado, caso em que autoridade competente.
este terá direito de produzir contra Artigo 299 - Findo o prazo de
elas as provas que tiver. defesa, a Comissão apresentará o
Artigo 294 - Vetado. seu relatório dentro de 10 (dez)
Parágrafo único - O Presidente da dias.
Comissão poderá denegar o § 1º - Neste relatório, a Comissão
requerimento manifestamente apreciará, em relação a cada
protelatório ou de nenhum interêsse indiciado, separadamente, as
para o esclarecimento do fato, irregularidades de que forem
fundamentando a sua decisão. acusados, as provas colhidas, as
Artigo 295 - Para os efeitos do razões de defesa, propondo, então,
artigo anterior, será notificado o a absolvição ou a punição e
indiciado, pessoalmente ou por indicando, neste caso, a pena que
ccarta entregue no endereço que couber.
houver indicado, no lugar do § 2º - Deverá, também, a Comissão,
processo. em seu relatório, sugerir quaisquer
Artigo 296 - O advogado terá outras providências que lhe
intervenção limitada à que é parecerem de interêsse do serviço
permitida nesta lei ao próprio público.
indiciado, podendo representá-lo em Artigo 300 - Recebendo o relatório
qualquer ato processual, salvo da Comissão, acompanhado do
naqueles em que a Comissão processo, a autoridade que houver
Processante julgar conveniente a determinado a sua instauração
presença do indiciado. deverá proferir o julgamento dentro
Parágrafo único - Vetado. do prazo de 30 (trinta) dias,
prorrogável por igual período. que determinou a instauração do
§ 1º - As diligências que se fizerem processo administrativo
necessárias, deverão ser providenciará para que se instaure,
determinadas e realizadas dentro do simultaneamente, o inquérito
prazo máximo mencionado neste policial.
artigo. Parágrafo único - Quando se tratar
§ 2º - Se o processo não fôr julgado de crime praticado fora da esfera
no prazo indicado neste artigo, o administrativa, a autoridade policial
indiciado, caso esteja suspenso, dará ciência dele à autoridade
reassumirá automaticamente o seu administrativa.
cargo ou função, e aguardará em Artigo 305 - As autoridades
exercício o julgamento, salvo o caso referidas no artigo anterior se
de prisão administrativa que ainda auxiliarão para que o processo
perdure. administrativo e o inquérito policial
Artigo 301 - Quando escaparem à se concluam dentro dos prazos
sua alçada as penalidades e respectivos.
providências que lhe parecerem Artigo 306 - Quando o ato atribuído
cabíveis, a autoridade que ao funcionário fôr considerado
determinou a instauração do criminoso, serão remetidas à
processo administrativo deverá autoridade competente, cópias
propô-las, justificadamente, dentro autenticadas das peças essenciais
do prazo marcado para julgamento, do processo.
à autoridade competente. Artigo 307 - É defeso fornecer à
§ 1º - Na hipótese deste artigo, o imprensa ou a outros meios de
prazo para julgamento final será o divulgação, notas sobre os atos
do artigo 300. processuais, salvo no interesse da
§ 2º - A autoridade julgadora Administração, a juízo da autoridade
determinará a expedição dos atos que houver determinado o
decorrentes do julgamento e as processo.
providências necessárias à sua Artigo 308 - Todos os atos ou
execução. decisões, cujo original não conste
§ 3º - As decisões serão sempre do processo, nele deverão figurar
publicadas no órgão oficial, dentro por cópia autenticada.
do prazo de oito dias. Artigo 309 - Constará sempre dos
Artigo 302 - Terão forma autos da sindicância ou do processo
processual resumida, quando a folha de serviço do indiciado,
possível, todos os termos lavrados requisitada para tal fim à repartição
pelo secretário, quais competente.
sejam: autuação, juntada, Artigo 310 - Não será declarada a
conclusão, intimação, data de nulidade de nenhum ato processual
recebimento, bem como certidões e que não houver influído na
compromissos. apuração da verdade substancial,
Artigo 303 - Toda e qualquer ou, diretamente, da decisão do
juntada aos autos se fará na ordem processo ou da sindicância.
cronológica da apresentação,
rubricando o Presidente as folhas
acrescidas.
Artigo 304 - Quando ao funcionário
se imputar crime, praticado na
esfera administrativa, a autoridade
CAPÍTULO V descobrirem novas provas da
inocência do punido ou de
Do Processo por Abandono do circunstância que autorize pena
Cargo ou Função mais branda.
Parágrafo único - Os pedidos que
não se fundarem nos casos
enumerados no artigo serão
Artigo 311 - No caso de abandono indeferidos "in limine".
do cargo ou função, instaurado o Artigo 313 - A revisão, que poderá
processo e feita a citação, na forma verificar-se a qualquer tempo, não
dos artigos 272 e 284, autoriza a agravação da pena.
comparecendo o indiciado e § 1º - O pedido será sempre dirigido
tomadas as suas declarações, terá à autoridade que aplicou a pena, ou
ele o prazo de 5 (cinco) dias para que a tiver confirmado em grau de
oferecer defesa ou requerer a recurso.
produção da prova que tiver, que só § 2º - Não será admissível a
podem versar sobre força maior ou reiteração do pedido, salvo se
coação ilegal. fundado em novas provas.
§ 1º - Observar-se-á, então, no que Artigo 314 - A revisão poderá ser
couber, o disposto nos artigos 288, pedida pelo próprio punido, ou
297, 299 e seguintes. procurador legalmente habilitado,
§ 2º - No caso de revelia, será ou, no caso de morte do punido,
designado pelo Presidente um pelo cônjuge, ascendente,
funcionário para servir de defensor, descendente ou irmão.
observando-se o disposto na parte Artigo 315 - Não constitui
final deste artigo, e no que couber, o fundamento para revisão a simples
disposto nos artigos 288 e alegação de injustiça da penalidade.
seguintes. Artigo 316 - A revisão será
processada por Comissão
Processante Permanente, ou a juizo
do Governador, por comissão
composta de 3 (três) funcionários de
TÍTULO IX condição hierárquica nunca inferior
à do punido, cabendo a presidência
DA REVISÃO DO PROCESSO a bacharel em direito.
ADMINISTRATIVO § 1º - Será impedido de funcionar
na revisão quem houver composto a
comissão de processo
administrativo.
Artigo 312 - Dar-se-á revisão dos § 2º - O Presidente designará um
processos findos, mediante recurso funcionário para secretariar a
do punido: Comissão.
I - quando a decisão fôr contrária a Artigo 317 - Ao processo de revisão
texto expresso de lei ou à evidência será apensado o processo
dos autos; administrativo ou sua cópia,
II - quando a decisão se fundar em marcando o Presidente o prazo de 5
depoimento, exames ou (cinco) dias para que o requerente
documentos comprovadamente junte as provas que tiver, ou indique
falsos ou errados; e as que pretenda produzir.
III - quando, após a decisão, se Artigo 318 - Concluída a instrução
do processo, será aberta vista ao Disposições Transitórias
requerente perante o secretário,
pelo prazo de 10 (dez) dias, para
apresentação de alegações.
Artigo 319 - Decorrido esse prazo,
ainda que sem alegações, será o Artigo 325 - Aplicam-se aos atuais
processo encaminhado, com funcionários interinos as
relatório fundamentado da disposições deste Estatuto, salvo as
Comissão e, dentro de 15 (quinze) que colidirem com a natureza
dias, à autoridade competente para precária de sua investidura e, em
o julgamento. especial, as relativas a acesso,
Artigo 320 - Será de 30 (trinta) dias promoção, afastamentos,
o prazo para esse julgamento, sem aposentadoria voluntária e às
prejuízo das diligências que a licenças previstas nos itens VI, VII e
autoridade entenda necessárias ao IX do artigo 181.
melhor esclarecimento do Artigo 326 - Serão obrigatoriamente
processo. exonerados os ocupantes interinos
Artigo 321 - Julgada procedente a de cargos para cujo provimento fôr
revisão, a Administração realizado concurso.
determinará a redução ou o Parágrafo único - As exonerações
cancelamento da pena. serão efetivadas dentro de 30
(trinta) dias, após a homologação do
concurso.
Artigo 327 - Até a regulamentação
do disposto no art. 163, fica mantido
Disposições Finais o atual sistema das gratificações
pelo exercício em determinadas
zonas ou locais e pela execução de
trabalho especial, com risco de vida
ou saúde.
Artigo 322 - O dia 28 de outubro Artigo 328 - Dentro de 120 (cento e
será consagrado ao "Funcionário vinte) dias proceder-se-á ao
Público Estadual". levantamento geral das atuais
Artigo 323 - Os prazos previstos funções gratificadas, para efeito de
neste Estatuto serão todos contados implantação de novo sistema
por dias corridos. retribuitório dos encargos por elas
Parágrafo único - Não se atendidos.
computará no prazo o dia inicial, Parágrafo único - Até a
prorrogando-se o vencimento, que implantação do sistema de que trata
incidir em sábado, domingo, feriado este artigo, continuarão em vigor as
ou facultativo, para o primeiro dia disposições legais referentes à
útil seguinte. função gratificada.
Artigo 324 - As disposições deste Artigo 329 - Ficam expressamente
Estatuto se aplicam aos revogadas:
extranumerários, exceto no que I - as disposições de leis gerais ou
colidirem com a precariedade de especiais que estabeleçam
sua situação no Serviço Público. contagem de tempo em divergência
com o disposto no Capítulo XV do
Título II, ressalvada, todavia, a
contagem, nos termos da legislação
ora revogada, do tempo de serviço
prestado anteriormente ao presente
Estatuto;
- Lei Federal n.º 8.069/1990
(Estatuto da Criança e do
Adolescente)
Título III § 1º A medida aplicada ao
adolescente levará em conta a sua
capacidade de cumpri-la, as circunstâncias
Da Prática de Ato Infracional e a gravidade da infração.

Capítulo I § 2º Em hipótese alguma e sob


pretexto algum, será admitida a prestação
Disposições Gerais de trabalho forçado.

Art. 103. Considera-se ato infracional § 3º Os adolescentes portadores de


a conduta descrita como crime ou doença ou deficiência mental receberão
contravenção penal. tratamento individual e especializado, em
local adequado às suas condições.
Art. 104. São penalmente
inimputáveis os menores de dezoito anos, Seção VII
sujeitos às medidas previstas nesta Lei.
Da Internação
Parágrafo único. Para os efeitos
desta Lei, deve ser considerada a idade do Art. 121. A internação constitui
adolescente à data do fato. medida privativa da liberdade, sujeita aos
princípios de brevidade, excepcionalidade e
Art. 105. Ao ato infracional praticado respeito à condição peculiar de pessoa em
por criança corresponderão as medidas desenvolvimento.
previstas no art. 101.
§ 1º Será permitida a realização de
Capítulo IV atividades externas, a critério da equipe
técnica da entidade, salvo expressa
Das Medidas Sócio-Educativas determinação judicial em contrário.

§ 2º A medida não comporta prazo


Seção I determinado, devendo sua manutenção ser
reavaliada, mediante decisão
Disposições Gerais fundamentada, no máximo a cada seis
meses.
Art. 112. Verificada a prática de ato
infracional, a autoridade competente § 3º Em nenhuma hipótese o período
poderá aplicar ao adolescente as seguintes máximo de internação excederá a três
medidas: anos.

I - advertência; § 4º Atingido o limite estabelecido no


parágrafo anterior, o adolescente deverá
II - obrigação de reparar o dano; ser liberado, colocado em regime de semi-
liberdade ou de liberdade assistida.
III - prestação de serviços à
comunidade; § 5º A liberação será compulsória aos
vinte e um anos de idade.
IV - liberdade assistida;
§ 6º Em qualquer hipótese a
desinternação será precedida de
V - inserção em regime de semi-
autorização judicial, ouvido o Ministério
liberdade;
Público.
VI - internação em estabelecimento
§ 7o A determinação judicial
educacional;
mencionada no § 1o poderá ser revista a
qualquer tempo pela autoridade judiciária.
VII - qualquer uma das previstas no
art. 101, I a VI.
Seção II
Dos Crimes em Espécie Pena - detenção de seis meses a
dois anos.
Art. 228. Deixar o encarregado de
serviço ou o dirigente de estabelecimento Art. 232. Submeter criança ou
de atenção à saúde de gestante de manter adolescente sob sua autoridade, guarda ou
registro das atividades desenvolvidas, na vigilância a vexame ou a constrangimento:
forma e prazo referidos no art. 10 desta Lei,
bem como de fornecer à parturiente ou a Pena - detenção de seis meses a
seu responsável, por ocasião da alta dois anos.
médica, declaração de nascimento, onde
constem as intercorrências do parto e do Art. 234. Deixar a autoridade
desenvolvimento do neonato: competente, sem justa causa, de ordenar a
imediata liberação de criança ou
Pena - detenção de seis meses a adolescente, tão logo tenha conhecimento
dois anos. da ilegalidade da apreensão:

Parágrafo único. Se o crime é Pena - detenção de seis meses a


culposo: dois anos.

Pena - detenção de dois a seis Art. 235. Descumprir,


meses, ou multa. injustificadamente, prazo fixado nesta Lei
em benefício de adolescente privado de
Art. 229. Deixar o médico, enfermeiro liberdade:
ou dirigente de estabelecimento de atenção
à saúde de gestante de identificar Pena - detenção de seis meses a
corretamente o neonato e a parturiente, por dois anos.
ocasião do parto, bem como deixar de
proceder aos exames referidos no art. 10 Art. 236. Impedir ou embaraçar a
desta Lei: ação de autoridade judiciária, membro do
Conselho Tutelar ou representante do
Pena - detenção de seis meses a Ministério Público no exercício de função
dois anos. prevista nesta Lei:

Parágrafo único. Se o crime é Pena - detenção de seis meses a


culposo: dois anos.

Pena - detenção de dois a seis Art. 237. Subtrair criança ou


meses, ou multa. adolescente ao poder de quem o tem sob
sua guarda em virtude de lei ou ordem
Art. 230. Privar a criança ou o judicial, com o fim de colocação em lar
adolescente de sua liberdade, procedendo substituto:
à sua apreensão sem estar em flagrante de
ato infracional ou inexistindo ordem escrita Pena - reclusão de dois a seis anos,
da autoridade judiciária competente: e multa.

Pena - detenção de seis meses a Art. 238. Prometer ou efetivar a


dois anos. entrega de filho ou pupilo a terceiro,
mediante paga ou recompensa:
Parágrafo único. Incide na mesma
pena aquele que procede à apreensão sem Pena - reclusão de um a quatro anos,
observância das formalidades legais. e multa.

Art. 231. Deixar a autoridade policial Parágrafo único. Incide nas mesmas
responsável pela apreensão de criança ou penas quem oferece ou efetiva a paga ou
adolescente de fazer imediata recompensa.
comunicação à autoridade judiciária
competente e à família do apreendido ou à
pessoa por ele indicada:
Art. 239. Promover ou auxiliar a Art. 241. Vender ou expor à venda
efetivação de ato destinado ao envio de fotografia, vídeo ou outro registro que
criança ou adolescente para o exterior com contenha cena de sexo explícito ou
inobservância das formalidades legais ou pornográfica envolvendo criança ou
com o fito de obter lucro: adolescente:

Pena - reclusão de quatro a seis Pena – reclusão, de 4 (quatro) a 8


anos, e multa. (oito) anos, e multa.

Parágrafo único. Se há emprego de Art. 241-A. Oferecer, trocar,


violência, grave ameaça ou fraude: disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar
ou divulgar por qualquer meio, inclusive por
Pena - reclusão, de 6 (seis) a 8 (oito) meio de sistema de informática ou
anos, além da pena correspondente à telemático, fotografia, vídeo ou outro
violência. registro que contenha cena de sexo
explícito ou pornográfica envolvendo
criança ou adolescente:

Pena – reclusão, de 3 (três) a 6 (seis)


anos, e multa.
Art. 240. Produzir, reproduzir, dirigir,
fotografar, filmar ou registrar, por § 1o Nas mesmas penas incorre
qualquer meio, cena de sexo explícito
quem:
ou pornográfica, envolvendo criança ou
adolescente:
I – assegura os meios ou serviços
para o armazenamento das fotografias,
Pena – reclusão, de 4 (quatro) a 8 cenas ou imagens de que trata
(oito) anos, e multa.
o caput deste artigo;

§ 1o Incorre nas mesmas penas II – assegura, por qualquer meio, o


quem agencia, facilita, recruta, coage, acesso por rede de computadores às
ou de qualquer modo intermedeia a fotografias, cenas ou imagens de que trata
participação de criança ou adolescente
o caput deste artigo.
nas cenas referidas no caput deste
artigo, ou ainda quem com esses
contracena. § 2o As condutas tipificadas nos
incisos I e II do § 1o deste artigo são