Você está na página 1de 12

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

21/04/2015 AEscolaComoOrganizaçãoComplexa
21/04/2015 AEscolaComoOrganizaçãoComplexa Por MAURÍCIO TRAGTENBERG TextosPolítico­ Pedagógicos­In Memoriam

Por

MAURÍCIO

TRAGTENBERG

TextosPolítico­

Pedagógicos­In

Memoriam

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

Aocidentalizaçãodaculturacaminhaaparcomodesenvolvimentourbano,

comercialeanecessidadede“letrados”paradaremandamentoburocráticoàs

estruturasdepoderformadasemtornodaIgrejaedoEstadoModerno.

Deumlado,ointelectualédomesticadonocontextodasuniversidadesligadasà SantaSé,deoutro,comaemergênciadojesuitismo,seuaprendizadopassarápelo processodeorganizaçãoeplanejamentodeestudosnumespíritodeobediência–éo

sentidodaratiostudiorumde1586.

NoséculoXIXaexpansãodatécnicaeaampliaçãodadivisãodotrabalho,como desenvolvimentodocapitalismo,levamànecessidadedauniversalizaçãodosaber ler,escreverecontar.Aeducaçãojánãoconstituiocupaçãoociosaesimfábricade

homensutilizáveiseadaptáveis.[1]

Hojeemdiaapreocupaçãomaiordaeducaçãoconsisteemformarindivíduoscada vezmaisadaptadosaoseulocaldetrabalho,capacitadosporém,amodificarseu comportamentoemfunçãodasmutaçõessociais.Nãointeressa,pelomenosnos paísesindustrialmentedesenvolvidos,operáriosembrutecidos,masseres

conscientesdesuaresponsabilidadenaempresaeperanteasociedadeglobal.[2]

Paratalconstituiumsistemadeensinoqueseapresentacomfinalidadesdefinidase

expressas.

Seesse,porém,éoobjetivodosistemadeensino,insere­senomesmocorpo

professoralencarregadodetransmitirosaberemaispreocupadoaindaeminserir­se

nasociedade,terreconhecimentooficial,êxitonomagistérioenquanto“carreira”,

utilizandoparaissoosdiplomasreconhecidospossíveis,numasociedadeonde,

segundoMaxWeber,odiplomasubstituiodireitodenascença.

Arealizaçãodetaisobjetivospressupõeaexistênciadeuma“burocraciapedagógica”

comobjetivosdefinidosanteasociedadeglobal,porém,nemsempreos

predominantes.

Osistemaburocráticoestrutura­senasformasdaempresacapitalistacomotambém

naáreadaadministraçãopúblicaeseupapelessencialéorganização,planejamento

eestímulo.Osistemaburocráticoestrutura­seemníveldecargos,queporsuavez

articulam­semeformade“carreira”,ondeodiplomareconhecido,tempodeserviço

econformidadeàsregrasconstituempré­condiçõesdeascensão.Seumodode

recrutamentoesistemadepromoçãosãodefinidosporelacomoomecanismode

comunicaçãointraburocrático,diluídonasdiversasáreasdecompetência.

Umdosaspectosestruturaisdosistemadeeducaçãoburocráticoéqueosusuários

nãocontrolamdemodoalgumagestãodosfundosquededicamàcoletividade.A

estruturaburocráticadoensinoemnívelnacionaldesenvolve­seemtrêsníveis:

Organizaçãodopessoal

Programasetrabalho

Inspeçõeseexames

Noqueserefereapessoal,oburocratadaeducaçãoestáseparadodosmeiosde

administraçãocomoooperáriodosmeiosdeprodução,ooficialdosmeiosdeguerra

eocientistadosmeiosdepesquisa.

Opessoaldocentenosistemaburocráticopodeserrecrutadoporconcurso,detítulos

eprovas,contratadoatítuloprecáriocujoníveldevencimentodependerádonúmero

deaulasatribuídasporescolhafundadaempontosobtidos,acritériodasSecretarias

deEducação.Pode­sedarocasododocentecontratadoatítuloprecárioe

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

estabilizadonocargopordecretoemobediênciaaexigênciaconstitucional.A ascensãododocentenacarreiranãodependedaverificaçãodosresultadosobtidosa longoprazosobreseusalunos;portanto,oscritériosdaeficáciaouvalorsão desprezadoseodeconformidade(aprovaçãonosexames,provas)supervalorizados.

[3]

Oexame,maisqueoprograma,defineapedagogiadodocente.Oobjetivoquea

pedagogiaburocráticalhepropõenãoéoenriquecimentointelectualdoaluno,mas

seuêxitonosistemadeexames.

Omelhormeioparapassarnosexamesconsisteentãoemdesenvolvero

conformismo,submeter­se:istoéchamadode“ordem”.Portanto,colocam­setrês

objetivosaodocente:conformidadeaoprograma,obtençãodaobediênciaeoêxito

nosexames.*Aescolaconduzaumcondicionamentomaislongonumquadro

uniformeemáximadivisãodosaberquenãovisaàformaçãodealgo,massim,a

umaacumulaçãomecânicadenoçõesouinformaçõesmaldigeridas.SenaEuropaou

AméricaLatina,oprofessortendecadavezmaisaresponderacontroles

burocráticos,nosEUAasassociaçõesdepais,industriasegruposexercempressões

paraqueseensinemdeterminadascoisascomumtipodeorientaçãodefinida.Essa

interiorizaçãodaburocracia,AlexisdeTocquevillenoséculoXVIIIeRiesmanno

séculoXXconsideramumadascaracterísticasdaculturanorte­americana.

Acomunidadedepaisencontranocontroleburocráticoamelhorgarantiacontra

quaisquertendênciasdesviantesdoprofessoraosaberqueéseveramente

controlado,julgadoeregulamentado.

Énosníveismaisinferioresdeensinoqueacomunidadedepaistemmaiorpeso.

Quantomaispobreéaorigemsocialdosalunos,ocontroledovérticesobreaescola

maisseráligadoaocontrolepelabasenaformadeConselhoouComunidadedePais.

Quantomaisaltaforaorigemsocialdosalunoseprofessores,tambémemnível

universitário,ocontroleburocráticomaissatisfaráàsnecessidadesdecontrole.

Háumaambivalênciaemrelaçãoàfiguradoprofessor:deumladoédesprezado

como“servidordacomunidade”,deoutro,encaradocomoportadordosaber

absoluto.Écriticadopornãofazersentirtodoopesodesuaautoridadesobreo

aluno.Opúblicogostadaburocracia,querverseusalunosenquadrados,

condicionados,comoúnicacondiçãodeatingirafaseadulta.

Umaescolafundadanamemorizaçãodoconhecimento,numsistemadeexamesque

medeaeficáciadapreparaçãoaomesmo,nadaprovandoquantoàformaçãodurável

doindivíduo,desenvolveumapedagogiaparanóica,estranhaaoconcreto,aoseu

fim.Quandofalha,interpretaesteeventocomoresponsabilidadedoeducando.

Umaminoriadejovenspertencentesacamadassuperioresdaclassetrabalhadoraou pequenosfuncionáriosnãofreqüentaosecundárioeserealizaemprofissõesque exigemformaçãoprofissionalespecífica.Assemelha­seàaltaburguesia,quenãose preocupacomapromoçãosocialdeseusfilhos,oferecendo­lhesmaislazerese liberdade,condiçõesdeapreensãodeumautênticoconhecimento.Enquantoisso,a pequenaburguesiaquersubireostrabalhadoresestãodeterminadosasuportaruma escolaquenãotomaemcontasuasaspirações.Essecontingenteàsvezesperfaz

80%dapopulação.

Noâmbitomicroescolarencontramosnaescolaumaburocraciadestaff(diretor,

professores,secretário)edelinha(serventes,escriturários,bedéis).O

relacionamentostaffelinhavariamuitocomograudeescola,semédioousuperior.

Efetuou­seatualmentenoBrasilumaconjunçãodonívelprimárioemédio,tendendo

àescolaunificada,quenãodeixoudecriarproblemasde“áreasdecompetência”

entreostaff:quemdirigeaescolaunificada,odiretordoantigoprimáriooudo

secundário?

Emsuma,naescolacomoorganizaçãocomplexaarticulam­seváriasinstâncias

burocráticasacimaenunciadas,incluindoainevitávelAssociaçãodePaiseMestrese

oaluno,objetosupremodainstituição,conformeotomdosdiscursossolenesem

épocasnãomenossolenes.

Ocorpodeprofessoresprocuramantersualegítimaesferadeautoridadesem

intromissõesestranhas.Éunânimenarecusaàinterferênciadospaisnoseu

trabalho,poisissopodeprejudicarsuaposiçãodeautoridadeesujeitá­loacontrole

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

porelementosestranhos.[4]

Nassuasrelaçõescomodiretoraexpectativadecomportamentodosprofessoresé

querecebamapoiodomesmo,sejaemrelaçãoaalunosoupaisdealunos.Funciona

oprincípiodequenenhumprofessordevecriticarcolegaantesterceiros,

especialmentealunos.

Odiretorporsuavezfuncionacomomediadorentreopoderburocráticodoquadro

administrativoeaescola,comoconjunto,sofrepressãodosprofessoresnosentido

dealinhar­secomeles,dosalunosparasatisfazerreclamosracionaisounão,edos

pais,paramanteraescolaaoníveldesejadopelacomunidade.Temdepossuiras

qualidadesdeumpolítico,algumsensoadministrativoeserespecialistaemrelações

humanaserelatóriosoficiais.

Opessoaldelinhaobedece­odiretamente,podeserutilizadocomomeiodocorpo

professoralpelocontroledasconversasdecorredoredasaladosprofessores.seo

diretorfordotipoausente,podeteremsuasmãosocontroledadocilidadedos

alunospormeiosinformais,assegurandoobomandamentodainstituição.

Opessoaladministrativodelinhaenfatizaalgumassingularidadesdocomportamento

burocrático,evitaadiscussãopúblicadesuastécnicas,osdespachosdeprocesso

sãosonegadosaointeressadoenquantonãosederochamadodespachofinalno

citadoprocesso.burocraciaadministrativaentende­secomoumacertaadesãoa

regras–atividades­meio–tendoemvistafinsdeterminados.Noentanto,a

disciplina,definidacomoadaptaçãoaregulamentos,nãoéencaradacomoadaptação

afinalidadesprecisas,masconstitui­senumvalorbásiconaestruturaburocrática.

Estedeslocamentodasfinalidadesoriginaissedánoprocessoburocráticodeterminar

altonívelderigidezeincapacidadedeajustamentoasituaçõesnovas.Daíaênfase

noformalismoeoexageronoritualismoburocráticonosestabelecimentosdeensino,

noníveladministrativo.

Aestruturade“carreira”levaofuncionárioaadaptarseuspensamentos,

sentimentoseaçõesnestaperspectiva,oqueinduzàtimidez,conservadorismo

rotineiroetecnicismo.Aburocratizaçãodesenvolveadespersonalizaçãoderelações

entreburocraciaepúblico,funcionáriosdesecretariaescolareoestudante.Ela

desenvolveatendênciadoburocrataconcentrar­senessanormadeimpessoalidadee

aformarcategoriasabstratas–issotendeaconflitarsuasrelaçõescomopúblico.

Pois,oscasospeculiaresindividuaissãoignorados,ointeressadoconvictodas

peculiaridadesdeseuproblemaopõe­seaumtratamentoimpessoalecategórico.

Ocomportamentoestereotipadodoburocratanãoseadaptaàsexigênciasdos

problemasindividuais.Otratamentoimpessoalqueeleconfereaassuntosdegrande

significadopessoalparaaparteinteressada(aluno,professor)olevaaservisto

comoarroganteeinsolente.

Tudoissoécobertoporumagrandecapadedramaturgia.Quesignificaisso?A

dramaturgia,ocultodaaparência,dosgestos,temumvalorlegitimadornaestrutura

burocrática.Damesmamaneiraqueabatabrancadomédicooudoprofessor

mostraquealiháalguémdelimpezairrepreensível,aréguadecalculodo

engenheiromostraalguémaltamenteespecializadoepreciso.Otalentodramático

temcadavezmaisimportâncianafunçãohierárquica,qualseja,dodiretorsevero,

porém,benevolente,oinspetorrígidoeaomesmotempoassíduotomadorde

cafezinhosnadiretoria,alemdeassinanteregulardocélebreLivrodeTermode

VisitasdaEscola,comocomprovantequepassouporlá.

Háumconceito,segundooqualosocupantesdeposiçõeshierárquicassãoosmais

capacitados,maistrabalhadores,osmaisindispensáveis,osmaisleais,fidedignose

osmaisautocontrolados,emsuamosmaisjustos,honestoseimparciais.Também

visualiza­sequeumapessoamuitoocupadaédeimportânciaincalculávelparaa

burocraciaeencarasuastarefasdemaneiramassériaqueoutraspessoas.É

aconselhávelparaaquelesquequeremvencernaestruturaburocráticacarregarem

aspastasdebaixodobraço,mesmoquandosaiamànoiteoupensemfolgarnosfins

desemana.

Acrescenasburocraciaseducacionais,escolaresouministrais,queosistemade

statustemseuprópriodispositivodramatúrgicoqueincluiinsígnias,títulose

deferênciasesímbolosdagrandezamaterialcomosalasforradasdetapetesou

mobiliárioluxuoso,aindaditosfilosóficosprofundoscomovêquemadentranasala

deumadministradoruniversitário,porsinaltambémprofessor:“Quemsabefaz,

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

quemnãosabeensina”.

Emsuma,acondutaburocráticaimplicaumaexageradadependênciados

regulamentosepadrõesquantitativos,impessoalidadeexageradanasrelaçõesintra

eextragrupo,resistênciasàmudançaeconfiguraospadrõesdecomportamentona

escolaencaradacomoorganizaçãocomplexa.Emsuma,oadministrativotem

precedênciasobreopedagógico.

Escolacomocentrodereproduçãodasrelaçõesdeprodução

Nãoháescolaúnica.Hágrausdeensinoondealgunstêmacessoemnível

decrescentequantomaisaltoforoescalãoacadêmico.Apartirdoprimárioopera­se

adivisãodeduasredesdeescolarizaçãodeclasses,namedidaemqueoensino

primário:

a) garanteumadistribuiçãomaterial,repartiçãodosindivíduosnosdoispólosda

sociedade

b) garanteumafunçãopolíticaeideológicadeinculcação.

Aseparaçãodosalunosemduasredesnoensinoprimárioéomeioeprincipiodo funcionamento.Estaseparaçãoseefetuanointeriordaescolaprimária,umaem direçãoacadêmica,outraemdireçãoprofissional.Umaredeéprimáriaprofissionale outrasecundáriasuperior.Oprolongamentodaescolaridadeobrigatóriareforçao processo.Ageneralizaçãodaescolaridadeobrigatóriaúnicaéageneralizaçãoda divisão.Ainculcaçãoideológicadá­seatravésdasváriasformasdesaber,verdade,

cultura,gosto.[5]

Naredeescolarocultodaarte,ciênciapura,profundidadefilosófica,sutilezas

psicológicas,sãoformasdeinculcaçãovinculadasaorientaraaçãodoeducando

conformeasnormasdedireito,políticashegemônicas,sendorepresentadas

enquantodeveres.

Ainculcaçãonãosedápelodiscursomasatravésdepráticasdeexercíciosescolares

ondeanotaequivaleaosalário,recompensapelotrabalhorealizado.Damesma

maneiraqueomercadodotrabalhoéreguladopelacompetição,nointeriorda

escolaelaécultuadanossistemasdepromoçãoseletivos.Oalunoéobrigadoaestar

naescolaeélivreparadecidirsequerounão,terêxitoounão,comooindivíduoé

livreanteomercadodetrabalho.

Aspráticasdoritualismoescolar,deveres,disciplinas,puniçõeserecompensas,

constituemouniversopedagógico.Aescolarealizacomêxitooprocessode

recalcamentodepontosdevistaopostosaoshegemônicoseessesujeiçãocondiciona

ainculcação.Otrabalhoévagamentevalorizado,enquantoartesanato,oprocesso

históricoéreduzidoaumconjuntodeguerras,datasenomescujafinalidade

principaléreduziràinsignificânciaosignificativo:dimensõessociaisdohistóricoou

suatemporalidade.Veja­seadificuldadeemconvenceroshistoriadoresdequeo

presentetambéméhistória.

Oaparelhoescolarcontribuiparaareproduçãodaqualidadedaforçadetrabalho,na

medidaemquetransmitesabereregrasdeconduta(ler,escreverecontar),que

têmumdestinoprodutivo.

Osalunosdaredeescolarrecebemtambémconteúdocientífico.Eisqueoprocesso

deescolarizaçãocontribuiparaareproduçãodascondiçõesmateriaisdeproduçãona

medidaemqueaproduçãosocialéumatransformaçãomaterialdanatureza,

supondooconhecimentoobjetivosobasmaisvariadasformas.

Todasaspráticasescolaresestãoaserviçodainculcação,quepressupõetécnicase

métodosapropriados.Atécnicaescolarformalizaosconteúdosdeinculcaçãoeosde

saberpositivo–asdisciplinasescolares–homogeneizando­asnamedidaemquesão

ensinadascomoregrasescolares.

Oconhecimentoescolaréusadonoquadrodeproblemassurgidosdapráticaescolar

comobjetivosdefinidos:darnotas,classificarepuniroupremiarosindivíduos.Isso

porqueháumaseparaçãoentreaspráticasescolareseaspráticasprodutivasem

geral.Aseparaçãoescolaréachavenadeterminaçãodopapelnoconjuntodas

relaçõesdasociedadeatual.Todaescolarizaçãoé,porsuanatureza,conservadora,

poiséquemlegitimaaseparaçãoentreconsciênciaeaprática.

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

Aescolaéregidapeloprincípiodacontradiçãoenãosãocategoriascomopsicologia

doescolar,normal/anormale,sim,categoriascomoinculcação,submissão,

recalcamento,quepodemexplicaralgunsfenômenosqueocorremnasestruturas

escolares.ComoAparelhoIdeológico,aescolaprimáriarefleteumaunidade

contraditóriadeduasredesdeescolarização.Aescolafavoreceosfavorecidose

desfavoreceosdesfavorecidoseoprincípiodissoestánadiferençasocialdafamília.

Trata­sedeperguntaracadaindivíduocomoelepassousuainfânciapré­escolar,

comodeterminantedesuaescolaridadeindividualulterior.Asclassessociaisnão

podemserpensadascomoapartirdosindivíduos.Elasnãosereduzema

propriedadessociaiscaracterísticasdecadaindivíduo.Essavisãoatribuiimportância

àfamília,lugarmaterialdaprimeiraeducação.Aexplicaçãoéregressiva,

cronológica,individual.

Essacronologia–família,escolaprimária,ginásioounão–sóexistedopontode

vistadoindivíduo.Narealidade,família,escolaprimária,ginásioetc.

1)

preexistemaopróprioindivíduo

2)

coexistemsimultaneamente

3)

mantémrelaçõesnecessáriasunscomosoutros.

Oprofessorestáaserviçodoaparelhoescolar,nãodesuaclasse.Àfaltadebase,

umníveldeensinoremeteaoimediatamenteinferioreesteàfamília,esquecendo

queháduasredesdevidoàrelaçãosocialdeprodução.Seháfamíliasprovidase

desprovidaséporqueháduasclasses.Ofuncionamentodoconjuntodoaparelho

escolareolugardaescolaprimárianointeriordoaparelhoescolarsãodefinidosna

suafunçãodereproduçãodasrelaçõesdeprodução.

ParaMarx,asrelaçõesdeproduçãosãoacombinaçãosocialdasforçasprodutivas,a

maneirapelaqualosinstrumentosdeproduçãoeoprópriotrabalhoprodutivose

repartemsocialmenteentreosváriosagentessociaisdaprodução.Oessencialéa

relaçãodepropriedade.Daí,asrelaçõessociaisdaproduçãocapitalistasedefinirem

pelaseparaçãoentreotrabalhoprodutivoeosmeiosdeprodução,exploraçãodo

trabalhopelocapital.

Ooperárioreproduz­seenquantotalnamedidaemquenãotemelementosde

acumularesim,somente,reproduzirsuaforçadetrabalho.Essareproduçãopode

originar­seapartirdaindustrializaçãodaagriculturaeempobrecimentodasclasses

médias.

Oaparelhoescolartemseupapelnareproduçãodasrelaçõessociaisdeprodução

quando:

a) contribuiparaformaraforçadetrabalho

b) contribuiparainculcaraideologiahegemônica,tudoissopelomecanismodas

práticasescolares

c) contribuiparareproduçãomaterialdadivisãodeclasses

d) contribuiparamanterascondiçõesideológicasdasrelaçõesdedominação.

Oaparelhoescolarimpõeainculcaçãoideológicaprimáriaeéseguidopelosdiversos

aparelhos–televisão,publicidade,seitasetc.Aescolainclui,naformade

rudimentos,técnicasindispensáveisàadaptaçãoaomaquinismo,emgeranaforma

preparatória.

Nafamíliacamponesa,fundadanaexploraçãoagrícolaemcomum,aescolaé

consideradatempoperdido,nãoháescoladeagricultura.Oqueaparececomesse

títuloéescolaparaaexploraçãoagrícolacapitalista.Aescolapodeseraparelho

ideológicosegundoestágiosdomododeproduçãocapitalistanasuacombinação

concretainterioracadaformaçãosocialcapitalista.Aescolanãocriaadivisãoem

classes,mascontribuiparaestadivisãoereproduçãoampliada.Areprodução

ampliadadasclassessociaiscomportadoisaspectos:

a) Areproduçãoampliadadoslugaresqueocupamosagentes.Esteslugares

designamadeterminaçãoestruturaldeclasses,i.e.,omododeexistênciada

determinaçãopelaestruturadeprodução,dominação,subordinaçãopolíticae

ideológicanaspráticasdeclasse:éumefeitodaestruturasobreadivisão

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

socialdotrabalho.

b) Areprodução/distribuiçãodosprópriosagentesentreesteslugares.Os

aparelhosideológicosintervêmativamentenareproduçãodoslugaresdas

classessociais.Háumareproduçãoinicialdasclassessociaisepelaoposição

declasses,ondesemoveareproduçãoampliadadaestrutura,inclusivedas

relaçõesdeproduçãoquepresideofuncionamentodosAparelhosideológicos.

OsAparelhosIdeológicosnãocriamaideologia,masinculcamaideologia

dominante.NãoéaIgrejaquecriaaperpetuaçãodareligião,éestaquecriae

perpetuaaIgreja,diferentedoquepensavaMaxWeber.

In:GARCIA,

Walter.(Org.)

Educação

Brasileira

Contemporânea:

organizaçãoe

funcionamento.

SãoPaulo,

McGraw­Hilldo

Brasil,1976,pp.

15­30.

AanálisedofetichismodamercadoriaultrapassaosAparelhosIdeológicos.Uma empresaéumaparelho,nosentidodequepeladivisãosocialdotrabalhoemseu interior,porexemplo,pelaorganizaçãodespóticadotrabalho,sãoelementosque definemasrelaçõespolíticaseideológicasconcernentesaoslugaresdasclasses sociaisnoconjuntodaestrutura.Hámecanismosparareproduçãodelugarese

agentes,daíainanidadeemfalardeascensãosocialoumobilidadesocial.[6]

Dá­seareproduçãodosagentes.Aqualificaçãoéumaqualificação­sujeição,nãoé

somentequalificaçãotécnicadotrabalho.AempresaéumAparelhodistribuindoseus

agentesnoseuinterior.Asclassescapitalistasnãosãocastasescolares.Arelação

escola­aparelhoeconômicocontinuaaexercersuaaçãodurantesuaatividade

econômica:issosechamapudicamenteformaçãopermanente.

Nãoéaescolaquefazcomquesejamprincipalmentecamponesesacoparemos

lugaressuplementaresdeoperários.Éoêxododoscampos,acompanhandoa

reproduçãoampliadadaclasseoperária,quedesempenhaopapeldaescola.

c) Trata­sedeumadistribuiçãoinicialdosagentesligadaàreproduçãoinicial doslugaresdasclassessociais:éelaquedesignaparaesteouaquele aparelho,paraestaouaquelasérieentreeles,esegundoasetapaseas fasesdaformaçãosocial,opapelrespectivoqueelesassumemna

distribuiçãodosagentes.[7]

Asorganizaçõescomplexascontrolamedomesticamasforcassociais.Elas

codificam,centralizam.Essaapropriaçãopelaorganizaçãodaexistência,sobtodas

asformas,érealizadatambémpeladestruiçãoedesintegração,destruindoasforças

queseopõemàsuaexpansão.

Atrásdodiscursodaracionalidade,nessaluta,aorganizaçãoabriga­separa

legitimarsuaempreitadaedesqualificarumarealidadequeelamutila.

Taylor,noquetangeàorganizaçãoindustrial,Lenin,noqueserefereàorganização

políticaeClausewitz,pataaorganizaçãomilitar,sãoosfundadoresdeumateoria

quedominamapartirdostatusdechefes.Aorganizaçãocientíficanecessitadepais

“místicos”paraassegurarsuafundamentação.

Asorganizaçõessão,acimadetudo,produtoshistoricamentedadosenãosistemas

fechadosa­históricos,comopensaCrozier.Pretendendorompercomopassado,

criticandoacerbamenteasinstituiçõestradicionais,ateoriaorganizacionalprocura

umaruptura“epistemológica”.Essarupturatemcomofunçãoproibirquaisquer

comparaçõesentreinstituiçõestradicionaiseinstituiçõesmodernas.Nessaimagem

deorganizaçãoencontram­seestocadosmitos,fábulaselendas,umuniverso

fantasmagóricomaisoumenosdiscretamentecamufladoquesubsistenabasedo

discursoorganizacional.

Asorganizaçõespolíticas,comoasindustriais,reforçarãoaáreadoimaginário.O

tomserámaisoumenossevero,pois,naiminênciadatragédia,atraiçãoameaçao

herói!

Aescolatemumpapelnessamascaradaorganizacional,operandoasvariaçõesmais

amplas,apartirdospapéisdemestre,aluno,burocrata,administrador.

Oqueseescondeatrásdarepresentaçãodaracionalidadeorganizacional?Marxnos

ensinaraaverqueatrásdoespetáculodacirculaçãodemercadoriasescondia­seo

trabalhadormutilado;ofetichismomercantilescondeosentidodaorganização.Elaé

abasemaisapropriadaàimaginaçãomoderna.Issoconstituiumadascondiçõesdo

desenvolvimentodasorganizações.

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

Centrodatensãoéaomesmotempodatransferência:otempopresentetranscorre emfunçãodesatisfaçõesfuturas.Aorganizaçãoburocráticaexerceaditadurado signo,ondeaspalavras­chavequeadesignamsãoContabilidade,Plano,Programa, Controle.Aorganizaçãocomplexaapresenta­secomoformaàqualtudodevese

submeter.[8]

Nossupermercadosnenhumobjetoépercebidonasuaimediatez:tudoé

empacotado,conservado,etiquetado.Doprodutosomentepercebemosa

representaçãofotográfica,legenda,desenho.Oscorposmateriaisdissolvem­seem

corposdesignos,sãoelementosnumúnicotexto.Idênticoprocessodecoisificação

seoperacomoelementohumano.Dirigirhomensécomomercadorias,manipular

signos.

Asorganizaçõescomplexastraduzemorealnumalinguagemsimples,transcrevem

oscorposemsignos.Asorganizaçõescomplexastraduzemocorpoemsignos.

Realizadaaoperação,oquesobroudocorpooriginal?Eledesaparecenanova

representação.Aorganizaçãotomacomointerlocutorocorpoqueelaproduziu,ela

define,paranós,oempregodotempoedonossocorpo.Nofimdoprocesso,ocorpo

nadamaisédoqueumsignonumconjuntodesignosqueformamasmalhas

organizacionais.Aorganizaçãoapropria­sedenossocorpo,detalformaque

qualquerrupturanosaprececomoumaauto­ruptura.Éaíqueaadesãoà

organizaçãoencontraumdeseusfundamentos;ocorpo,queadereàorganização

visualizandoapossibilidadedeumarupturareagecomaltacargadeansiedade.

Controladoresecontrolados,engajadosnomesmoprocesso,participamdeuma

comunidadededestino:aorganizaçãodaracionalidade.Aanálisedaviolênciaedo

sacrifícioéinerenteàestruturaorganizacional.

Aorganizaçãorealizaumprocessoconcomitante:destruiçãoeunificação.Ohomem

divididonaexecuçãodesuastarefasparceladas,isoladonoseiodagrande

metrópole,éreagrupadonointeriordasimagensorganizacionais.

Otaylorismoéafisiologiadocorpodividido.

Aorganizaçãosignificaumcombatecontraaentropia.

Mauss*contaahistóriadomitotsimhiamondeumaprincesadáàluzuma“Petite

Loutre”miraculosamente;dirige­secomacriançaàcidadedeseipai,ochefe.

Apresenta­seatodosepedeparanãomata­lacasoareencontrepescandonasua

formaanimal.Maselaesqueceudeconvidarumchefe.Ochefeeatriboesquecidos

encontramnomar“PetiteLoutre”,quetinhanabocaumagrandefocaematam­na.

OGrandeChefeprocura­aeencontra­anoseiodatriboesquecida.Seuchefe

desculpa­se,poisnãoconhecia“PetiteLoutre”.Suamãe,aprincesa,morrede

melancoliaeochefeculpadoinvoluntariamenteencaminhaaoGrandeChefetodosos

tiposdepresentescomoexpiação.

Osreisseesquecemdeconvidaroutroschefesparaseucasamento,oscriminosos

sempredeixamumapista.Luta­seemtodososníveiscontraaentropia:omito

tsimhiammostraqueumaperturbaçãonosistemaconduzàmorte!Éoque,em

linguagemmoderna,éasabotagem,apane,queasorganizaçõesmodernastentam

conjurar.Oequilíbriocamuflaodesequilíbrio.

Asorganizaçõesmantêm­sepelatransmissão eenergiaesuaconversãoem trabalho:areproduçãoaforçadetrabalhosedáemperíodosdedesequilíbrios sociais,proexemplo,nasmigraçõesrurais­urbanas,ondemultidõessemtrabalho concentram­senaperiferiadasgrandescidades;ouemmigraçõesoperáriasde paísesestagnadosparaáreasdecrescimento,comoportugueses,espanhóis, argentinoseturcosnaEuropa.Comofontedeenergiaotrabalhadorévítimado processodedilapidaçõesedesgasteondeaorganizaçãoquecanalizasuaenergia integra­onomovimentodedeslocamentoedesintegração.Daíverifica­sequea transformaçãodaenergiaemtrabalhosóépossívelatravésdosdesequilíbrios provocadospelasorganizações.

Aeficiênciadoesquemacentralizadorésimbólica.Nessesentidocabeàorganização

aproduçãodoqueadiferenciadomundo.Asociedadeconsumistainsere­seno

campodasimulaçãodiferencial.Aorganizaçãounificaaprodução,representaçãoda

diferença.Adramaturgiaconverte­senafinalidadeprincipaldasorganizações:

congressos,paradas,desfiles,delegaçõesrecebidascomgrandespompas,

banquetes,publicidadeintensiva.AorganizaçãoproduzoEspetáculo.Adistinção

entreproduçãoerepresentaçãodesaparece.Aorganizaçãodeveproduzirdiferenças

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

simbólicasouextinguir­se.Assim,onazismo,pelarepresentaçãodemassas,

desmoralizaosoposicionistasreaisoupotenciais.TantooTenesseeValleyAuthority,

comoasgrandesobrassobreorioDnieper,nãosójustificamumaorganização

centralizadacôotambémcriamcondiçõesparaolirismoorganizacional.Aestrutura

depirâmideimpõeasuaordem,aeficiêncianascedahierarquia,sejaapirâmide

familiar,políticaeducacional.Aorganizaçãoéograndeelementomediadorentre

“eu”eo“outro”.Omedoaoisolamentosedánamedidaemqueaestrutura

piramidaltemosmeiosparaasseguraromonopóliodasrelaçõesentreoshomens.A

organizaçãocentralizadaeunitáriaconstituiogranderefúgio,eladomesticaa

energiasemdireção:nãoéporacasoqueasorganizaçõesmaiseficientessão

aquelasondepredominamumsexosó:porexemploaIgreja.Elagaranteavidade

seusmembros,nadaépossívelemela.Aautonomiainexiste,sóháodilema:

inserir­senaorganizaçãooudesaparecer.Porissoelaacentuaaretóricada

integração.OSindicatoparaTannenbaum,acomunidadedeLloydWarnerea

corporaçãodeDurkheimeEltonMayo,aprecemcomopossíveisintegracionistasnum

universodividido.

Narealidade,aoposiçãosegurança­inseguranca,integração­exclusãoéartificial.

Assim,arevoluçãoindustrialorganizaonovomododeprodução,aomesmotempo

quedivideohomemnumconjuntodetarefasparceladas.

EmboraMarcheSimonargumentemquenobojodateoriaorganizacionalnãohá lugarparaacoordenação,participamdodelírioorganizacional,racionalistasquenão queremenxergarasorganizaçõescomoinstanciasdoimagináriotambém.Adireção exclui,comoosmagossacrificam.Ocentrofuncionacomoumdadoquedeveser

“escotimizado[9]–tambémnateoriadossistemasissosedá.Noentanto,constitui­

semepeçafundamental.

Aorganizaçãoburocráticacomplexanãoexplicitaanecessidadedocentromaso

não­necessáriocomopivôdaorganização.Talestranhezafazpartetambémdecerta

concepçãoburocráticadesocialismo,ondeoEstadodevedesaparecer

progressivamentee,noentanto,eledominaemtodasuaamplitude!Opoderé

apreendidocomoescândalo.Acoordenaçãoseapropriadoespaçoreservadoao

fantasmapiramidal.Asrelaçõesinstituídasapresentamumasucessãodeníveis

hierárquicosemquecabeaosuperirumazonareservadaeondeosubalternonão

podeentrar.

Opaiqueéproprietáriodocorpodamulher,interditoaosfilhos,osenhorfeudalque seapropriadaterra,oprofessorquedispõesoberanamentedeumcampode conhecimentos.Ousufrutodessasituaçãopressupõeaaceitaçãodopapeldepai, proprietário,chefe,professor.Damesmamaneiraqueosenhorexerciapoder absolutosobresuasterras,osdetentoresdainformaçãoinstalamumdomínio confortávelcomo“naRégieRenault,comaintroduçãodeumanovamáquina,sóo

contramestrepodecompreenderofuncionamento”.[10]

Osistemaculturalassisteàrupturaentreapalavrassagradaeprofana.Nãoémais

DeusquedispõedomonopóliodoverbonemaIgrejadesuainterpretação.Aciência

ocupahojeolugardoVerboDivino.Acastadoscientistassubstituiuahierarquia

eclesiásticacomoelementomediadorentreapalavrasuperioreacoletividade

humana.

Oantagonismo“puro”e“impuro”encontra­seentreoschamadostrabalhos“sujos”e “limpos”comonasrelaçõesentreotrabalhomanualeintelectual.Aorganização atravésdosseuspsicólogosindustriais,afirmaapossibilidadedevencer a impureza.Osesgotospodemsertransformadosemmatériasã.Aguerralimpa, tecnologicamentedefinida,coexistecomasuja,rústica.

Aeficiênciadaimpurezaconsistenadelimitaçãodasáreasdoproibido.Osimpuros

sãointocáveis,sópodemserdestruídos.Onazismosignificouadominaçãototalitária

dospurossobreosimpuros.Nasorganizaçõesaltamenteburocratizadas,instituições

totais,oimpuroésegregadoporobstáculoscomomurosaltos,florestas,portasde

ferro.

Oscontatoscomoexteriorsãomonopolizadospeladireção.Osubalternonãotem

contatoscomoscircuitosexternosdaempresa,sóosresponsáveispodemmanter

taisrelacionamentos.Casohajaqualquercasodeespionagemindustrial,os

subalternostêmmenorchancedesair­sebemqueoselementosdestaff

privilegiadosporseuscontatoscomoexterior,queampliamaspossibilidadesde

manobrasdosmesmos.

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

Namedidaemqueaorganizaçãoburocráticadelimitaaszonasdeimpurezainterna

eexterna,elaseasseguraumacertadinâmicaenergética.Ofuncionamentoé

assegurado–comoemalgumasorganizaçõespolíticas–pelalutacontraos

sabotadoresdointerioreosinimigosdoexterior.Aempresasóevoluinalutacontra

asdisfunçõesdomercado.Haverárelaçãoentreodomíniodoimpuropelas

organizaçõeseograudesuaeficiência?Onazismo,quedefiniacomofimexplícito

reduzirasraçasimpuras,constróiorganizaçõesburocraticamenteestruturadaspara

atingirtaisobjetivos:AS,SS,KL.Noentanto,oquotidianomostraumaconstante

preocupaçãoemjugularoimpuro.Aimpurezaconstituiocentrododiscursodas

organizaçõesindustriais.Éumdostemasfavoritosdamanipulaçãopublicitária.Não

hánenhumanunciodedetergentequenãoavalizesuasqualidadesnacruzadacontra

oimpuro.Obomfuncionamentoorganizacionalimplicaadepuraçãoperiódica.

Paralelamenteaesteprocesso,seinstauraoprocessodaconstruçãodeum imaginário,pormediaçãodaorganização,emdireçãoaseusclientes.Ocampo publicitárioorganizacionalapresentaumuniversoemqueaorganizaçãoseconstitui comoprestaçãodeserviçoseparaaqualoclientetemsemprerazãoemanda.A organizaçãoéatenciosaeasséptica,benevolentecomoscaprichosdaclientela.O desejoseconstituiemelementofundantedacondutadocliente.Nadalheé recusado,tudoépermitido;elepodesatisfazer­senasuaimediatezeplenitude.Ela substituioespetáculodolucropelagratuidade.Paratal,constituiumaáreaondeo

dom[11]temcidadania,pequenosbônusanexosàsmercadorias,quepossuemuma

importânciabásicanadefiniçãodamarca.Asadaptaçõesaomercado,inerenteàs

organizaçõeslucrativas,sedãoaoladodeumprocessoderegeneraçãodas

mercadoriaseserviçospropostosàclientela.Quantoàmão­de­obra,otermo

“participação”parecetervirtudessuficientesparaancorá­laàorganizaçãocom

muitomaisfirmezaqueoservoàgleba.

Avidasóépossívelnoprocessoorganizacional.Oimaginárioenquadradopela

organizaçãotransforma­senumrelutanteapeloburocrático,comtodoo“pathos”de

umofícioderepartiçãopública,imaginemSófoclesamanuense!

Ofatoéqueamão­de­obrasaidaempresaparaentrarnosindicatoburocratizado,

oufreqüentaaIgrejaoufreqüentaumpartido,osdoisestruturadosemformade

pirâmide,comníveisdestaffelinha,comdogmáticasrígidasinterpretadas

legitimamenteporoutroselementostreinadosnessemister,dispondodostítulos

reconhecidos.Emsuma,oritmovitaléreguladopelaescola,exército,empresa,

hospital,agênciadeviagense,finalmente,oasilo.

Nasinstituiçõestotaiséomesmogrupodeco­participantesquecontrolatudosoba

mesmaautoridade,conformeumplanoracionalgeral,sejaeleelaboradopelostaff

dopresídio,domanicômio,doconventooudocolégiointerno.

Nessasinstituições,háogrupomaiorcujaatividadeficaconfinadaaoslimitesda

organizaçãototaleopessoalstaffquemantémhoráriode8horasdetrabalhoe

contatoscomoexterior.Écaracterísticaabarreiralinha/staffcomestereótipos

negativosouagressivos.Háumgrandehiatoentreeles,grandedistanciasocial.

Enquantoooperáriorecebeumsalárioetemaliberdadedegastá­loemqualquer

ambiente,omesmonãosedácomointernodasinstituiçõestotaisqueassumema

responsabilidadeporeleeexigemalgumoupoucotrabalho.Geralmenteestá

incorporadoasistemasdepequenospagamentoscerimoniososcomo,porexemplo,a

raçãosemanaldefumooupresentesdeNatalquemotivamosdoentesmentaisa

continuarememsuasocupações.Emalgumasprisões,navios,camposdecortesde

árvoresépossívelalgumapoupançaforcada:oindivíduorecebeoquelheédevido

apóscumprirapena.

Asinstituiçõestotaisdesenvolvemmecanismosdedespojamentoemortificaçãodo

ego:decisõesautônomassãoeliminadasmedianteaprogramaçãocoletivadas

atividadesdiárias.

Aestruturadasociedadeéescalar,elaarticula­secomoaspectoinformaldefinido

comoregrasdolocalquedefinemformalmenteníveisdeproibições.Emtroca,o

staffoferecerecompensaseprivilégios,queseconstituememmodospeculiaresàs

instituiçõestotais.Recebervisitas,fumarumcigarro,odiadafolga,suanegaçãopor

qualquertransgressãocometidaaosregulamentos,assumeumaspectovitalno

quotidianointernodainstituiçãototal.

Noentanto,nasinstituiçõestotaisépossívelquesedêesteprocesso:osguardasnão

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

comunicaminfraçõesaosregulamentos,transmiteminformaçõesproibidasaos

presidiários,negligenciamasexigênciaselementaresdesegurançaealiamaos

presidiáriosemcriticasfrancasaosfuncionáriosdaaltaburocracia.Muitospodemter

emsiumaambivalênciabásicaemrelaçãoaosdetentossobsuaguarda:embora

condenados,muitoscriminososrepresentamsucesso,emtermosdeumsistema

mundanodevalores(altoprestígio,notoriedadeeriqueza)eoguardamal

remuneradopoderásentiremassociar­sealaguemtãofamoso.

Podedar­seacorrupçãopelainstituiçãototalatravésdareciprocidadenocasoem

queocontroledadocilidadedopresidiárioresidamenosnassançõesnegativas–o

querepresentaencargosparaaadministraçãodaprisão–masnaconsecuçãodeum

certoníveldecooperaçãovoluntáriadopresidiário.Emtroca,infraçõessecundárias

aosregulamentossãoignoradas.

Conclusões

Nointeriorosistemasocialasinstituiçõeseducacionaiseseussacerdotes,os professores,desenvolvemumtrabalhocontínuoesutilparaaconservaçãoda estruturadepodere,emgeral,dadesigualdadesocialexistente.Duassãoas principaisfunçõesconservadorasatribuídasàescolaeaosprofessores:aexclusão dosistemadeensinodosalunosdasclassesinferioreseaquedefinimoscomo socializaçãoàsubordinação,istoé,atransmissãoaojovemdevalorescompatíveis

comseufuturopapelsubordinado.[12]

Examinemosaprimeiraconclusão.Umafraserepetidacontinuamentepelos

sociólogosliberaiséqueaescolaconstituiomaisimportantecanaldeascensão

social.talproposiçãoéexatanamedidaemque“aatribuiçãodaposiçãosocialé

hojecadavezmaisligadaaosistemadeescolaridade”.Maséerradaemistificadora,

seseentenderqueaescolafavoreçaoupromovaamobilidadesocial.Eisquehá

fortíssimosobstáculosqueimpedemainteligênciaeacapacidadedemanifestar­se,

privilegiandomaisacumplicidadecomosistema,comocritériodeascensãosocial.

Éimportantelambarmosqueafamíliaconservagrandepartedeusaimportância

comobaseinicialdaseleçãosocialdosindivíduos,elatransmiteaoherdeiro,ao

filho,nãosomenteocapitalfinanceiromastambémocapitalcultural.Essecapital

culturaltemsualegitimidadedefinidaatravésdostítulosescolares.

Oimportanteéquesedesenvolvenumsistemadeensinopré­universitáriounificado, ondeosistemaescolarconvenceoalunodeorigempopulardequeénecessário competirparaatingiraltosescalões,eque“seudestinosocialdependeantesdemais

nadadesuanaturezaindividual[13].Paralelamente,aescoladesenvolveoprocesso

desocialização,ouseja,daaceitaçãodoexistentecomoodesejável.Adificuldade

docorpoprofessoralemadaptar­seàsmudançassócio­culturaispodeimplicarna

suavisualização,nãocomoumcorpoquereproduzvaloresdominantes,massim

defensordeumpatrimôniovalorativosuperado,qualseja,devestaldaclasse

média.

Bibliografia

BENJAMIM,R.L’UniversdesInstituteurs,Paris,Ed.DeMinuit,1964.

BOTAI,Giuseppe.LaCartadelllaScuola,Milão,Ed.Mondadori,1941.

BOURDIEU,P.L’ÉcoleConservatrice,inRevueFrançaisedeSociologie,VII,1966,pp.325­347

DAHRENDORF,R.ArbeiterkinderandeutschenUniversitaten,Tubingen,J.C.B.Mohr,1965.

DEI,Marcello.Levestalidellaclassemedia,Bolonha,SocietáEditrice,1972.

ESTABLET.L’ÉcolecapitalisteenFrance.Paris,Ed.Marpéro,1971.

FERRER,Francisco.LaEscuelaModerna.Montividéu,Ed.Solidaridad,1960.

GOFFMAN,Erwin.Presídios,ManicômioseConventos.SãoPaulo,Ed.Perspectiva,1974.

KEACH,E.T.Educationandsocialcrisis,NovaYork,J.Wiley,1966.

LOBROT,M.APedagogiaInstitucional.Lisboa,Ed.Iniciativaseditoriais,1966.

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

MAUSS,M.Oeuvres,Vol.I,II,III,Ed.PUF,França1969.

SCHEFER,G.DasGesellschaftsbilddesGymnasiallehrers,FrankfurtamMain,SuhrkampVerlag,

1969.

SCHUH,E.DerVolksschulleher.Berlin,H.SchrodelVerlag,1962.

THOMPSON,V.Asmodernasorganizações,SãoPaulo,Ed.F.Bastos

TRAGTENBERG,Maurício.BurocraciaeIdeologia,SãoPaulo,Ed.Ática,1974.

TROPP,A.TheSchoolTeacher,Londres,1957.

[1]Otaylorismotemcomofinalidade:eliminaropoderdedecisãodooperárioetornaro

operárioumamáquina.

Aorganizaçãomodernaéainstituiçãoondeserealizaarelaçãodeproduçãoqueseconstituia

característicadetodosistemasocial,éomecanismodeexploraçãoeseregepelacoerçãoe

manipulação.Asubstânciaaorganizaçãonãoéumconjuntofuncional,massim,aexploração,o

boicoteeacoerção.

[2]ParaSimon,ahierarquiaénecessáriaparaalcançarumfimcomum.Elatendeatornar­se

maisrígidaquantomaiscomplexaéaorganização.Sustentaque,damesmamaneiracomono

mecanismodemercado,ofimdetodoscoincidecomodecadaum.

Acha­secomopressupostoumcertotipoderacionalidadequeosutilitáriosdoséculopassado

sustentavamcomouniversal.Noentanto,osfinssãoformuladospelacúpula,ateoriada

organizaçãopretendenãodiscutiroproblemacentraldopoder,oqueexplicatambémoêxitodo

estudoreferenteaos“pequenosgrupos”,ondeoconformismoconstituifontedefelicidade.

[3]Oprocessoacimadefineahegemoniadoautoritarismonaescola,ondeapalavraautorizada

éadomestre,enunciadapeloprogramaepelasinstruçõessobressalentes.Ocadernofunciona comoregistroepermiteainspeçãoainspeçãoeocontroledaconformidade.Osdispositivos audiovisuaispermitemdifundirprogramaspré­fabricados quecorrespondemaumdiscurso escolarestritamentesubordinadoàorganização!

*M.LobrotC.A.PedagogiaInstitucional,p.161,Lisboa,EditoraIniciativasEditoriais.

[4]Aconvicçãodequeoprestígioprofissionalestáprogressivamentediminuindoéconfirmado

porpesquisasrealizadasnosEUA,Itália,Alemanha,noqueserefereaprofessoresdenível ginasial,conformeG.SCHEFER,DasGeselleschaftsbilddesGymnasiallehrers,FrankfurtamMain,

SuhrkampVerlag,1969,especialmentepp.43­50.

[5]Odiscursosobreaproduçãoéreservadoaostecnocratas,odiscursosobreasrelaçõessociais

éreservadoaospolíticos,odiscursodamudançaéreservadoaosrevolucionáriosprofissionais,o

discursosobreosexoéreservadoparaaEducaçãoSexualeodiscursosobreocorpoédeâmbito

dosmédicos.

[6]Muitaspesquisasdesenvolvidasemdiversospaísesdemonstraramqueoexcessivo

contingentedealunosporclasseeumadasmaioresfontesdeinsatisfaçãodosprofessores, conformeE.SCHUC,DerVolksschullehrerStrofaktoeninBerufslebenundihreRuckwirkungauf

dieEinstellungimBerugf,Berlim,H.SchodelVerlag,1962.Nessapesquisaqueenvolveu508

professoresalemães,asmaioresfontesdeinsatisfaçãoprovinhamdoexcessivonúmerode alunosporclasse,baixoprestígiosocialdoensinoeescassapossibilidadedecarreira.Resultados idênticosnoquerespeitaàFrançaforamcolhidosporR.BENJAMIM,L’UniversdesInstituteurs,

LesEditionsdeMinuit,1964.

[7]AEuropacaracteriza­senaeducaçãoporumsistemademobilidadecooptativa.Osalunosdas

classesinferioressãoeliminadosdediversasformas.Osimplesfatodaescola,cujorecrutamento dealunosestrutura­senaclassemédiaealta,estarpróximaàhabitaçãodoaluno,formar classespequenasepossuirmaterialdidático,colocaosalunosdasclassespobresemsituação desvantajosa,comopontodepartida.Háumaescolamédiaparaaformaçãodaclassedirigente eoutratécnicasempossibilidadedechegaraonívelsuperior,paraaclasseoperária.Issofoi

teorizadoporGiuseppeBOTAI,LaCartadellaScuola,Milão,1941,p.28,ed.reformulada.

[8]Pré­requisitosnecessáriosaoprofessoringlêsdoséculoXVIII:“Eledeveser:1)Membroda

IgrejadaInglaterra,devidaaustera,idadenãoinferiora25anos;2)DedicadoàSanta

Comunhão;3)Capazdeautodomíniodesiedaspaixões;4)Decarátersubmissoeconduta

humilde;5)possuirbomtalentodidático;6)Beminformadodosprincípiosefundamentosda

religiãocristãcomcapacidadeparaenunciá­losanteoministrodaparóquiaouaoBispomediante

exameescrito;7)PossuirboacaligrafiaesólidosfundamentosnasMatemáticas;8)Membrode

umfamíliadeilibadacondutamorale9)Contarcomaaprovaçãodoministrodaparóquia(sendo

umfiel)antesdeprocurarautorizaçãodoBispo.”A.TROPP,TheSchoolTeacher,Londres,

Heinemann,1957.

*MAUSS,M,SociologieetAntropologie,Ed.PUF,França.

[9]SegundoopsicanalistaOtoFenichel–escotomizarsignificanãoquererenxergar,nãoadmitir,

negarmagicamenteoreal.

[10]D.MOTHÉ,MilitantchezRenault,Ed.duSeuil,Paris,p.10.

[11]“Ousocontínuodoconceitododomoudosdotesintelectuaisconstituiumpretextopara

21/04/2015

AEscolaComoOrganizaçãoComplexa

desviarodiscursodascausassociaisdasmenorespossibilidadesdeinstruçãoquetêmna Alemanhaosfilhosdeoperários,remontando­asapretensascausasnaturais.”R.DAHRENDORF,

ArbeitenkinderandeutschenUniversitaten,(J.C.Mohr,Tubingen,1965,p.29)

[12]Ainsensibilidadeanteadesigualdadesocialeseupapelnocomportamentodoaluno

constituitambémcaracterísticadoensinonospaísesdesenvolvidos.Veja­seH.ULIBARRI,

TeacherAwarenessofSocioculturalDifferencesinMulticulturalClassrooms,inE.T.Keach,R.

Fulton,F.E.Gardner(eds.),EducationandSocialCrisis,NovaYork,J.Willley,1967,pp.139­

144.

[13]P.BOURDIEU,L’ÉcoleConservatrice”,p.342,inRevueFrançaisedeSociologie,VII,1966,

pp.325­347.

MAURÍCIOTRAGTENBERG

,VII,1966, pp.325­347. MAURÍCIOTRAGTENBERG http://www.espacoacademico.com.br ­

http://www.espacoacademico.com.br­Copyright©2001­2003­Todososdireitosreservados