Você está na página 1de 15

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO SEM FIO

RF-433,92 MHZ PARA CONTROLE DE


ILUMINAÇÃO E CÂMERA
André Waltrick 1, Ricardo R. Stepanski 2

Faculdade de Engenharia – FDE

Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL

Setembro de 2014

Resumo. Este artigo visa deferir as necessidades básicas e anseios do


residente, deste modo projeta-se um sistema que faça controle eficiente de
iluminação e controle PTZ (Pan, Til e Zoom) de câmera speed dome, através
do sistema sem fio na frequência de 433,92 MHz. Para atender este objetivo,
utiliza-se das tecnologias PWM (Pulse-Width Modulation) e placas relés para o
controle e acionamento da iluminação, a seguir faz-se o uso do protocolo
Pelco-D para a comunicação do receptor com câmera. Assim tal estudo
emprega o uso de um sistema composto de controle remoto, receptor e placas
de automação, cada um desses módulos é composto por microcontrolador
programável e circuitos analógicos. Para tanto este sistema necessita do
dimensionamento de hardware, assim busca-se através do método hipotético
dedutivo, embasar o sistema proposto e posteriormente através do método
experimental, por meio de testes e medições, validar o protótipo do sistema.

Palavras-chave: Microcontrolador PIC. Pelco D. RF- 433,92MHz.

1
Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, email: andrewaltrick@hotmail.com
2
Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, email: ribeirostepanski.ricardo
@gmail.com
Av. Pedra Branca, 25, Cidade Universitária, Palhoça.
WIRELES S COMMUNICATION S YS TEM RF-433.92 MHZ FOR
LIGHTING CONTROL AND CAMERA

ABSTRACT. This article aims to uphold the basic needs and desires of
residents, thereby designing a system that makes efficient lighting control and
PTZ control (Pan, Til and Zoom) camera speed dome, through the wireless
system in the frequency of 433, 92 MHz. to meet this goal, we use the PWM
(Pulse-Width Modulation) boards and relays for lighting control and drive
technologies, then it is using the Pelco-D protocol for communication receiver
with camera . Thus such a study employing the use of a system comprising
remote control receiver and automation boards, each of these modules consists
of the microcontroller and programmable analog circuits. For both this system
requires the design of hardware, thus search through the hypothetical deductive
method, base the proposed system and subsequently through the experimental
method, by testing and measurements, validate the prototype system.

1. INTRODUÇÃO

Nos últimos anos a mobilidade e a praticidade têm sido a palavra chave


para facilitar o controle e a comunicação do ser humano. Para tanto, a
tecnologia sem fio veio para estabelecer esses laços, oferecendo, além dos
inúmeros avanços tecnológicos, a satisfação, o conforto, a segurança e a
resolução de diversos problemas para o consumidor final. Somando a
tecnologia sem fio com a automação, há o ganho de controle, supervisão,
otimização e praticidade na utilização de equipamentos e dispositivos.

Assim, o presente artigo tem como objetivo a implementação de um


sistema sem fio que integra, automatiza e controla o sistema de iluminação e
segurança de um ambiente residencial.

Nos próximos capítulos, serão apresentados os principais conceitos do


trabalho, passos para o desenvolvimento do projeto, posteriormente expondo o
protótipo do projeto e descrito os métodos utilizados para validar o hardware e
firmware desenvolvido.
2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1. Mic ro c o n tro la d o re s

No sistema implementado, um dos componentes com maior importância


é o microcontrolador, que será o elemento central de nosso sistema. Define-se
microcontrolador como um componente eletrônico, composto por uma camada
de firmware, utilizado no controle de processos lógicos. Este componente é
programável, portanto o controle mencionado é feito de forma estruturada em
um programa, e gravado no componente. Posteriormente, quando o mesmo for
ligado, o programa interno é executado (SOUZA, 2005).

2.2. Mo d u la ç ã o

A função de um sistema de comunicação é transmitir informações


através de um meio ou canal, que separa a transmissão da recepção. A
informação é frequentemente representada como um sinal de banda base.
Para se transmitir apropriadamente, se desloca a faixa de frequência da banda
base para outra faixa mais adequada a transmissão, e posteriormente retorna a
faixa de frequência original após a recepção, este processo de alterar a
informação original para transmitir adequadamente denomina-se modulação
(HAYKIN, 2011).

2.2.1. Mo d u la ç ã o AS K-OOK

Para o sistema deste estudo, utiliza-se da modulação ASK/OOK, para


transmistir dados sem fio.

Na modulação ASK/OOK, em que um dos dois níveis é zero, o sinal


corresponde a uma senóide interrompida, e por isso é classificado como OOK,
ou seja, ON-OFF Keying (ver figura 1). No sistema ASK-OOK, o símbolo
binário 1 é representado pela transmissão de uma onda portadora senoidal de
amplitude e frequência fixas para duração de bit de T segundos (HAYKIN,
2011).
Figura 1 – Modulação ASK-OOK - Fonte: ITSRN, 2014

2.2.1. Mo d u la ç ã o p o r la rg u ra d e p u ls o (P WM)

Para o controle de potência da iluminação do projeto, foi utilizada a


modulação PWM. Este consiste em variar a largura do pulso de modo a
controlar o ciclo ativo do sinal aplicado a uma carga e, com isso, a potência
aplicada a ela (ver figura2).

Figura 2 – Controle de potência pelo ciclo - Fonte: Braga, 2013

2.3. An te n a s

No projeto foram utilizadas antenas de transmissão e recepção para o


envio de dados, logo a antena é o dispositivo cuja função é transmitir ou
receber ondas eletromagnéticas, essas ondas são convertidas em sinais
elétricos que são amplificados, codificados ou decodificados.

2.3.1. Ate n a lo o p

Para o circuito de transmissão do conjunto, foi prevista uma antena tipo


loop, elas podem ser implementadas convenientemente direto em uma placa
de circuito impresso. A antena loop é um laço fechado, de formato retangular
ou circular, conforme imagem a seguir:

Figura 3 – Atena tipo loop - Fonte: Balanis, 2005

2.3.1. Ate n a m o n o p o lo ¼ d e o n d a

Para o circuito de recepção do conjunto sem fio estudado, foi prevista


uma antena do tipo monopolo de ¼ de onda, esta antena, na compreensão de
Balanis, quando excitada por uma fonte em sua base e colocada sobre um
plano de terra condutor, conforme indica a figura 4(a), apresenta o mesmo
padrão de radiação, na região acima do plano de terra, que um dipolo de meia
onda no espaço livre. Isso ocorre porque o plano condutor pode ser substituído
pela imagem do monopolo de ¼ de onda, conforme ilustrado figura 4(b) a
seguir:
Figura 4 – Atena monopolo ¼ de onda - Fonte: Balanis, 2005

2.4. Co n tro le P TZ d e c â m e ra s p e d d o m e

Existem diversos tipos de câmeras, e uma das tecnologias mais


utilizadas hoje em dia, são as câmeras que utilizam a tecnologia de controle
PTZ (Pan, Tilt e Zoom), também conhecidas como speed dome.

Segundo Harwood (2008), câmeras com tecnologia PTZ, possuem três


conjuntos de cabos, sendo um de alimentação, um que transmite o sinal de
vídeo e outro de controle.

Os sinais de controle são enviados de um DVR usando a interface serial


RS-485. Há diversos protocolos de controle utilizados para comunicação entre
DVRs ou mesas controladoras e câmeras. (INTERCONTI, 2012).

3. DESENVOLVIMENTO

O propósito deste trabalho é construir um sistema autônomo


microcontrolado, utilizando tecnologia sem fio para a comunicação do controle
e dos sensores até o receptor central, além da utilização da comunicação RS-
485, entre o receptor e as placas automação. Assim foi necessário projetar e
confeccionar placas de circuitos eletrônicos, bem como o desenvolvimento de
firmwares específicos para cada função.
3.1. Vis ã o Ge ra l

Figura 5 – Planta baixa com sistema implantado e diagrama funcional do


sistema - Fonte: Elaborado pelo autor

O sistema proporciona através de controle remoto o acionamento,


controle de potência e temporização das luminárias, além de controle remoto
de uma câmera speed dome. Também conta com o acionamento automático
da câmera através do sensor, sendo a câmera direcionada onde ocorreu a
violação.

Analisando o diagrama do ponto de vista funcional, verifica-se que o


acionamento é feito através de teclas ou sensores, por conseguinte, o controle
remoto ou sensor emitirá os comandos para o receptor pelo sistema sem fio na
frequência de 433,92MHz, cabendo ao receptor reconhecer o padrão de
transmissão e verificar qual função foi acionada, enviando um comando para os
blocos de controle (câmera, PWM, iluminação e timmer).

3.2. Co n tro le tra n s m is s o r

O controle transmissor é o primeiro elemento do projeto quando seguida


a sequência de funcionamento, este é o elemento emissor de informações do
usuário para o receptor.
Figura 6 – Diagrama funcional do controle - Fonte: Elaborado pelo autor

O funcionamento básico do controle se resume no comando dado pelo


usuário, deste modo, o codificador recebe este comando na forma de
mensagem, codifica a mesma e envia ao transmissor, o transmissor modula e
envia a informação ao receptor.

3.2.1. Fu n c io n a m e n to ló g ic o d o tra n s m is s o r

O transmissor trabalha com modo de operação Broadcast, ou seja, este


enviará a mensagem a todo e qualquer receptor que esteja ao seu alcance,
além de operar com mensagens de 28 bits e seguir o padrão de transmissão
abaixo:

Figura 7 – Padrão de transmissão do controle - Fonte: Holtek, 2014

3.3. Re c e p to r

O receptor recebe o sinal sem fio na frequência de 433,92 MHz, além


disso, integra e gerencia todos os módulos de automação. O receptor recebe
os dados enviados pelo transmissor e encaminha para as placas de automação
relé, speed dome, PWM e timmer. O receptor pode ser dividido em três blocos
conforme indicado abaixo:
Figura 8 – Diagrama funcional do receptor - Fonte: Elaborado pelo autor

O receptor recebe o sinal de frequência 433,92MHz, este por sua vez,


demodulará o sinal e enviará ao decodificador de dados que receberá a
mensagem, e fará o tratamento de dados se a informação respeitar o padrão
de transmissão (ver figura 7), sendo assim, ao confirmar o padrão de
transmissão, o decodificador e tratador de dados envia os dados para o
conversor TTL/RS485, convertendo os padrões de sinais TTL do
microcontrolador para RS-485. Por conseguinte, o conversor enviará e
receberá respostas das placas de automação, ligadas em paralelo.

3.4. P la c a s d e a u to m a ç ã o

3.4.1. Câ m e ra

O controle automático da câmera foi feita via protocolo pelco D, sendo


este totalmente programável no receptor, e o circuito analógico e digital
encontra-se no próprio circuito da câmera que contém este protocolo.

3.4.1. P WM

Figura 9 – Diagrama em blocos do PWM - Fonte: Elaborado pelo autor


O funcionamento geral deste módulo baseia-se da informação enviada
do receptor via protocolo RS-485 para a placa PWM, o bloco de conversão de
protocolo converte a informação enviada para níveis TTL e entrega ao
microcontrolador, este por sua vez interpreta as informações que foram
recebidas e manda os comandos para o circuito PWM, o circuito PWM fará
toda a modulação e comando da luminária LED, reduzindo ou aumentando a
intensidade de iluminação da mesma, conforme informações recebidas no
protocolo.

3.4.1. Re lé /Tim m e r

Para o acionamento, desligamento e temporização de quaisquer cargas,


foi utilizada a placa relé/timmer, portanto esta recebe a informação do receptor
e aciona as cargas que estiverem em sua saída. Segue abaixo sua estrutura.

Figura 10 – Diagrama em blocos relé/timmer - Fonte: Elaborado pelo


autor

O funcionamento e a estrutura da placa relé e timmer são semelhantes a


placa PWM, no entanto, a diferença principal está em seu circuito e
acionamento de cargas.

4. RESULTADOS

Neste capítulo será apresentado o protótipo do sistema, exibindo as


placas de transmissão, de recepção e seus módulos de automação, em
seguida, serão feitas as medições no osciloscópio nos principais pontos dos
circuitos, a fim de certificar o funcionamento do produto e validar os resultados
que foram analisados no projeto.
4.1. Tra n s m is s o r

Abaixo é apresentado o protótipo do controle transmissor e o sinal de


saída do mesmo, nele identifica-se o mesmo padrão de transmissão
apresentado na figura 7.

Figura 11 – Protótipo e sinal de saída do controle transmissor - Fonte:


Elaborado pelo autor

4.2. Re c e p to r

Posterior ao teste de funcionamento do módulo transmissor, em que


verifica-se a mensagem codificada a ser enviada, espera-se a mesma
mensagem na chegada do receptor

Abaixo é apresentado o protótipo do controle receptor e o sinal de


entrada do mesmo, nele identifica-se a mesma mensagem enviada pelo
transmissor (ver figura 11).
Figura 12 – Protótipo e sinal de entrada do receptor - Fonte: Elaborado
pelo autor

O teste de funcionamento e medidas no osciloscópio foram feitas a uma


distância de 10 cm do transmissor, para grandes distâncias foram realizados
apenas testes de funcionamento do protótipo, e constatou-se alcance de 50
metros com obstáculo e 100 metros em campo aberto.

4.3. Co m u n ic a ç ã o re c e p to r e p la c a s d e a u to m a ç ã o (RS -485)

Para a comunicação do módulo receptor com as placas de automação, é


necessário verificar a qualidade do sinal no barramento RS-485 que comunica
receptor com as placas (ver figura 13).

Figura 13 – Sinal barramento RS-485 - Fonte: Elaborado pelo autor

Analisando Figura 13, a comunicação do receptor com as placas de


automação é valida, pois que o sinal é Half duplex e funciona em modo
diferencial de acordo com os parâmetros da RS-485.
4.4. P la c a s d e a u to m a ç ã o

Segue abaixo o sistema completo de transmissor, recepção e


automação.

Figura 14 – Protótipo completo sistema sem fio e automação - Fonte:


Elaborado pelo autor

No sistema da Figura 14 são apresentados os módulos de automação


câmera, relé, timmer e PWM, os circuitos encontram-se alojados internamente
dentro das luminárias. Para as placas de automação foi verificada a recepção
de sinal elétrico RS-485, e o resultado é o mesmo apresentado pela Figura 13.
Portanto o único módulo que será apresentado seu resultado é o PWM, para
assim certificar se a sua modulação corresponde com o apresentado na
fundamentação do subcapítulo 2.2.1.

Figura 15 – Protótipo completo sistema sem fio e automação - Fonte:


Elaborado pelo autor

Assim conforme demonstrado na Figura 14, verifica-se que a medição


feita no módulo PWM, atende e valida o funcionamento do mesmo.
5. CONCLUSÃO

Este trabalho traz como objetivo principal o desenvolvimento de um


sistema sem fio que faça o controle da iluminação e câmera, criando assim
facilidades, conforto e segurança na vida doméstica do ser humano.

Partindo desta premissa, buscou especificadamente realizar um estudo


de transmissão e recepção do sinal RF. Após este estudo, foi feita pesquisas
de componentes que pudessem ser utilizado neste projeto. Posteriormente foi
projetado os firmwares que são responsáveis na comunicação de todo o
sistema, finalizando com a montagem do protótipo e testes de funcionamento
através de medições.

Nos teste realizados buscou-se primeiramente verificar o funcionamento


e eficiência do sistema transmissão e recepção, através do osciloscópio e
testes em campos. Desta maneira foram obtidos alcance de 100 metros em
campo aberto, e 50 metros quando há obstrução e obstáculos.

Posteriormente foram feitas as verificações na comunicação da placa de


recepção com as placas de automação, sendo feitas nos dois canais do
barramento RS-485, constatando o funcionamento diferencial da comunicação
com as placas de automação, sendo recebido o mesmo sinal elétrico nos dois
extremos, tanto na placa de automação, quanto no receptor. Por fim, foram
realizadas avaliações no módulo PWM, assim foram feitos comandos com a
luminária ligada com potência entregue nos percentuais de 0%, 25%, 50%,
75% e 100%, portanto através dos resultados no osciloscópio pode-se
comprovar que o funcionamento da modulação foi concretizado
satisfatoriamente.

Assim, conclui-se, que o sistema sem fio de controle de iluminação e


segurança atende o resultado esperado, estando em conformidade com os
objetivos estipulados inicialmente e, que este pode ser implementado de
maneira segura num ambiente residencial.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BALANIS, C.A. Antenna Theory: Analysis and Design, 3rd Edition,


Willey&Sons, 2005.

BRAGA, Newton C. O que é pwm. , 2014. Disponível em:


<http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/robotica/5169-mec071a>. Acesso em:
18 abr. 2014.

HARWOOD, Emily. Digital CCTV: A security Professional's Guide. Oxford USA:


Elsevier Butterworth Heinemann, 2008.

HAYKIN, Simon. Sistemas de comunicação: 5ª edição. São Paulo: Bookman,


2011.

HOLTEK. Learning RF Decoder.2014. Disponível em:


<http://www.holtek.com/english/products/Learning_RF_Encoder.htm>. Acesso em:
30 maio 2014.

INTERCOMTI. Câmeras de monitoramento: como funciona o controle PTZ. ,


2012. Disponível em: <http://www.intercomti.com.br/wordpress/?p=548>. Acesso
em: 23 abr. 2014.

ITISRN. Modulazione. , 2013. Disponível em:


<http://www.itisrn.it/et/Tesi/teoria/modulazione.html>. Acesso em: 29 abr. 2014.

SOUZA, David José de. Desbravando o pic: Ampliado e atualizado


PIC16F628A. São Paulo: Érica, 2005.