Você está na página 1de 5

Venha o Teu Reino

O que significa Reino?


A palavra “reino” vem do grego “basileia”, e o professor W.E.Vine define assim: “É
primeiramente um nome abstrato que denota soberania, poder, domínio etc. (Ap 17.18)”. E está
sempre ligada à presença de um soberano ou rei.

Do latim regnum, reino é aquele território cujos habitantes estão sujeitos a um rei.

REINO
Território politicamente organizado, governado por um rei ou por uma rainha (1Rs 2.12; 10.1;
2Cr 22.12).
I Reis 2:12 - E Salomão se assentou no trono de Davi, seu pai, e o seu reino se fortificou
sobremaneira.
I Reis 10:1 - E OUVINDO a rainha de Sabá a fama de Salomão, acerca do nome do SENHOR,
veio prová-lo com questões difíceis.
II Crônicas 22:12 - E esteve com eles seis anos escondido na casa de Deus; e Atalia reinou
sobre a terra.

REINO DE DEUS, DO CÉU


O domínio de Deus sobre as pessoas e sobre o mundo, tanto no presente como no futuro (Mt
5.3; 12.28; Lc 17.21; Rm 14.17). Às vezes também quer dizer a vida com Deus no céu (2Tm
4.18).
Mateus 5:3 - Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Mateus 12:28 - Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o
reino de Deus.
Lucas 17:21 - Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está entre
vós.
Romanos 14:17 - Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e
alegria no Espírito Santo.
II Timóteo 4:18 - E o SENHOR me livrará de toda a má obra, e guardar-me-á para o seu reino
celestial; a quem seja glória para todo o sempre. Amém.

REINO DE DEUS, DOS CÉUS


Acha-se a frase “reino dos Céus” somente em S. Mateus,
que emprega umas quatro vezes a expressão “o reino de
Deus”. Provavelmente “Reino dos Céus” representa as
próprias palavras de Jesus, porque céu era, para os judeus,
sinônimo de Deus, e tinha preferência por motivos de
respeito. Mas como os outros escritores do N.T. estavam em
maiores relações com cristãos não-judeus, usavam por isso
uma frase mais inteligível - “o reino de Deus”. E é hoje
geralmente admitido que “reino” tem mais a significação de
domínio do que a de lugar ou território dominado.

Para os judeus do tempo de Jesus, aquelas palavras não


eram de natureza a satisfazê-los pela ideia que tinham do
reino do Messias. A sua maneira de ver, baseada em Dn
2.44, e 7.14 (vede também SI 2.6, e 110.2), apresentava ao
seu espírito um reino material de caráter político.
Daniel 2:44 - Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu
levantará um reino que não será jamais destruído; e este
reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá
todos esses reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre,
Daniel 7:14 - E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino,
para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o
seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu
reino tal, que não será destruído.
Salmos 2:6 - Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo
monte de Sião.
Salmos 110:2 - O SENHOR enviará o cetro da tua fortaleza
desde Sião, dizendo: Domina no meio dos teus inimigos.
É certo que homens piedosos, como José de Arimatéia,
tinham realmente mais esperanças de renovação religiosa do
que de reforma política (Mc 15.43); mas na maior parte dos
judeus predominavam mais os aspectos políticos e materiais
deste reino do que os espirituais e morais.
Marcos 15:43 - Chegou José de Arimatéia, senador
honrado, que também esperava o reino de Deus, e
ousadamente foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus.
A existência desta expectativa dá-nos a explicação de
muitos casos: a terceira tentação de Jesus Cristo (Mt 4.8 a
11); a atitude do povo que queria vir “arrebatá-lo para o
proclamarem rei” (Jo 6.15); o pedido da mãe dos filhos de
Zebedeu (Mt 20.20,21); a saudação de “toda multidão dos
discípulos” (Lc 19.37,38); e a pergunta de Pilatos (Mt
27.11).
Mateus 4:8-9 - Novamente o transportou o diabo a um
monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo,
e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado,
me adorares.
João 6:15 - Sabendo, pois, Jesus que haviam de vir arrebatá-
lo, para o fazerem rei, tornou a retirar-se, ele só, para o
monte.
Mateus 20:20-21 - Então se aproximou dele a mãe dos
filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-
lhe um pedido. E ele diz-lhe: Que queres? Ela respondeu:
Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à tua
direita e outro à tua esquerda, no teu reino.
Lucas 19:37-38 - E, quando já chegava perto da descida do
Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos,
regozijando-se, começou a dar louvores a Deus em alta voz,
por todas as maravilhas que tinham visto, dizendo: Bendito
o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu, e glória nas
alturas.
Mateus 27:11 - E foi Jesus apresentado ao presidente, e o
presidente o interrogou, dizendo: És tu o Rei dos Judeus? E
disse-lhe Jesus: Tu o dizes.
Mesmo a familiaridade com os ensinamentos de Jesus não
afasta a antiga convicção. E a prova disto está na
lamentação dos dois discípulos que iam para Emaús (Lc
24.21), e no apelo da Igreja nascente (At 1.6). Todavia, esta
maneira de considerar o reino foi inteiramente repudiada
pelo Salvador (Jo 18.36; vede Lc 12.14).
Lucas 24:21 - E nós esperávamos que fosse ele o que
remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o
terceiro dia desde que essas coisas aconteceram.
Atos 1:6 - Aqueles, pois, que se haviam reunido
perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste
tempo o reino a Israel?
João 18:36 - Respondeu Jesus: O meu reino não é deste
mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os
meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus;
mas agora o meu reino não é daqui.
Lucas 12:14 - Mas ele lhe disse: Homem, quem me pôs a
mim por juiz ou repartidor entre vós?
O reino de Deus, o reino dos Céus, como apresentado nas
palavras de Jesus Cristo, está inseparavelmente ligado à Sua
obra redentora; este reino não é do mundo, na sua origem,
ou na sua conservação. Não é também político, com limites
geográficos ou de raças. É um domínio espiritual e moral,
no qual Deus é supremo. É para todos (Mt 8.11, 12; 25.31,
34); o que caracteriza o cidadão deste reino não é a sua raça,
mas a sua obediência (Mt 7,21; cp. com 5.20). Está em
contraste com possessões materiais, e é colocado acima
delas (Mt 6.33).
Mateus 8:11-12 - Mas eu vos digo que muitos virão do
oriente e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão,
e Isaque, e Jacó, no reino dos céus; E os filhos do reino
serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e
ranger de dentes.
Mateus 25:31-34 - E quando o Filho do homem vier em sua
glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará
no trono da sua glória; Então dirá o Rei aos que estiverem à
sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança
o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Mateus 7:21 - Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor!
entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de
meu Pai, que está nos céus.
Mateus 5:20 - Porque vos digo que, se a vossa justiça não
exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis
no reino dos céus.
Mateus 6:33 - Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua
justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Desde o momento em que o reino é já operativo nas vidas
dos súditos, pode dizer-se que está dentro deles (Lc 17.21),
O seu crescimento, contudo, e especialmente o seu
complemento deviam ser objeto de oração dos discípulos
(Mt 6.10); a sua aproximação era anunciada pelos apóstolos
(Mt 10.7), e à própria mensagem de Jesus se chamava o
“evangelho do reino” (Mt 9.35), Algumas vezes falou Jesus
deste reino, referindo-Se aos seus membros (como na
parábola do joio e na da rede; Mt 13), e também ao lugar ou
estado em que os seus membros serão encontrados na vida
futura (Mt 8.11 e 25.34).
Lucas 17:21 - Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque
eis que o reino de Deus está entre vós.
Mateus 6:10 - Venha o teu reino, seja feita a tua vontade,
assim na terra como no céu;
Mateus 10:7 - E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino
dos céus.
Mateus 9:35 - E percorria Jesus todas as cidades e aldeias,
ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do
reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o
povo.
Mateus 13:24-25 - Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O
reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa
semente no seu campo; Mas, dormindo os homens, veio o
seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.
Mateus 13:47-48 - Igualmente o reino dos céus é
semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanha toda a
qualidade de peixes. E, estando cheia, a puxam para a praia;
e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins,
porém, lançam fora.
Mateus 8:11 - Mas eu vos digo que muitos virão do oriente
e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e
Isaque, e Jacó, no reino dos céus;
Mateus 25:34 - Então dirá o Rei aos que estiverem à sua
direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o
reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Os usos apostólicos das palavras de que se trata,
harmonizam de igual modo os dois pensamentos: a vida
presente do povo de Deus na terra e a sua glória futura. E
deste modo o reino “não é comida nem bebida, mas justiça,
e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm 14.17); é em outro
ponto de vista um reino que a “carne e sangue” não podem
herdar (1 Co 15.50), é uma herança vindoura (Gl 5.21).
Romanos 14:17 - Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no
Espírito Santo.
I Corintios 4:20 - Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.
I Corintios 15:50 - E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de
Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.
Gálatas 5:21 - Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das
quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de
Deus.

Orar o “Pai Nosso”, como Jesus ensinou implica em mudar três coisas: mudança de
mentalidade; mudança no estilo de vida e mudança de conceito teológico.

I. Mudança de mentalidade.
Para se orar dizendo a Deus, “venha o teu reino”, é preciso ter mentalidade de reino.
Portanto, é necessário uma mudança de mentalidade. O reino de Deus deve ocupar o
primeiro lugar em nossas vidas. Temos que ter mentalidade de reino e não de democracia.
No reino de Deus existe ordem e governo. Na democracia deveria existir ordem e governo, e
quando tem governo, as próprias pessoas que o elegem são contra ele.
No reino de Deus o governo emana de Deus e flui para Deus, portanto, tudo é de Deus, nada
é nosso!

II. Mudança no estilo de vida.


Orar, “venha o teu reino” implica numa mudança de estilo de vida: Todas as coisas que
adquiro têm de estar alinhadas com o reino de Deus. O curso universitário e a profissão que
adquiro, a casa em que resido e o carro que uso precisam estar alinhados com o projeto do
reino de Deus na terra. Senão, estarão alinhadas com o meu projeto isoladamente, e não
com o do reino de Deus.
Até mesmo o estilo de vida da igreja, como a construção de casas, abrigos e templos
precisam seguir as diretrizes do reino.

III. Mudança de conceito teológico.


Ao orar “venha o teu reino” entendemos que o reino de Deus será estabelecido na terra,
alinhado com as leis do céu: “assim como no céu”. A mudança de conceito teológico faz que
os teólogos sejam mais sinceros com as verdades bíblicas, mais pragmáticos (prático e
objetivo) no ensino e mais diretos ao explicar o projeto de Deus, ainda que firam os conceitos
da igreja institucionalizada.
Mateus 6:10 - Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no
céu.