Você está na página 1de 54

ORGANIZAÇÃO DO

CORPO VEGETAL
O desenvolvimento da planta
segue um padrão definido
Inicia-se com a
germinação das
sementes, que
contém no seu
interior, o embrião
• Após a • Constituição –
fecundação – célula diplóide –
formação do divide em duas:
zigoto célula basal e
apical

Desenvolvimento
zigoto
embrionário

• Célula basal – se
diferencia no
suspensor
• Célula apical – dá
origem ao pró -
embrião
Pró-
embrião
Segue desenvolvimento
nutrido pelo suspensor –
ligado à planta mãe

Função do suspensor –
em angiospermas :
transferir hormônios da
planta mãe para o
embrião – em
gimnospermas:
metabolicamente inativo
Embrião
Inicialmente =
forma globular

Tecidos
indiferenciados
Eudicotiledôneas
Próximo estágio

Cordiforme

Monocotiledôneas –
aspecto cilíndrico – um
cotilédone apenas Presença de
dois
cotilédones
= forma de
coração
Forma
de
torpedo
Embrião sofre
grande
alongamento –
sentido
longitudinal

Possível diferenciar –
meristemas primários:
protoderme,
procâmbio e
meristema
fundamental
Suspensor
Vida curta –
degenera -
apoptose

Embrião produz
substâncias –
inibem o seu
desenvolvimento
Suspensor
que não
degenera Pode dar
origem a
outro embrião

Poliembrionia
– comum no
ipê (Tabebuia
sp.)
Embrião de
monocotiledôneas
e eudicotiledôneas

1) Existe uma bainha chamada coleóptilo –


reveste a plúmula
2) Existe uma bainha – coleorriza – reveste a
radícula – ausente em eudicotiledôneas
3) O cotilédone das monocotiledôneas
(ecutelo) não tem função de armazenar os
nutrientes do endosperma – o que ocorre em
euditotiledôneas – sua função = ponte que
leva as reservas do endosperma para o
embrião
4) O endosperma das monocotiledôneas
ocupa uma posição bem maior dentro da
semente comparado com as eudicotiledôneas
MONOCOTILEDÔNEA
DICOCOTILEDÔNEA
Embrião
maduro
O embrião maduro consiste de um
eixo axial (eixo hipocótilo-radicular),
bipolar, provido de um ou mais
cotilédones.
A bipolaridade do eixo embrionário -
um pólo caulinar na sua extremidade
superior e um pólo radicular na
extremidade inferior - está relacionada
com uma das expressões da
organização do corpo vegetal.
• Cada um dos pólos
apresenta o respectivo
meristema apical,
radicular ou caulinar.
• Os meristemas são
constituídos de células
que se dividem
repetidamente.
• O meristema caulinar
situado entre os dois
cotilédones (nas
Dicotiledôneas) é
formado por uma
plúmula rudimentar ou
diferenciada.
• O eixo situado abaixo dos cotilédones
denomina-se hipocótilo.
• Na extremidade inferior do hipocótilo
encontra-se a radícula.
• Em muitas plantas, a extremidade
inferior do eixo consiste de um
meristema apical recoberto por uma
coifa.
• Quando a radícula não é distinta do
embrião, o eixo embrionário abaixo dos
cotilédones é denominado hipocótilo-
radicular.
Embrião
maduro
Alguns embriões existe o epicótilo
– eixo acima dos cotilédones – vai
originas as plúmulas (primeiras
folhas)
Abaixo dos cotilédones = eixo
hipocótilo radicular
Após a formação da radícula – há
a distinção entre hipocótilo e
radícula
Embrião maduro
O embrião maduro
+ suas reservas
nutricionais +
revestimento
(tegmento) =
SEMENTE
Recalcitrantes - 20% de água nos
ORTODOXAS - 5 a 10 % de tecidos – sensíveis a injúrias e
dessecação – não sobrevivem em
água nos tecidos – podem ambientes secos – não podem ser
sofrer secagem até atingir armazenadas por longo prazo - Ex:
baixo grau de umidade sem cacau, ingá, seringueira, coco,
ocorrência de danos ao carvalho,
metabolismo Ex: arroz, feijão, guaraná, manga,
milho, soja, trigo abacate, macadâmia, pitanga,
jabuticaba
"Arca de Noé verde"Inaugurada em 2008 na Noruega
no arquipélago de Svalbard, no Ártico,uma reserva de
sementes com capacidade de até 4,5 milhões de
amostras.Pode guardar sementes congeladas por 200
anos, mesmo no pior cenário de alterações climáticas
e se os sistemas mecânicos de refrigeração falharem.
Já atingiu a marca de 500 mil espécies conservadas
• As células meristemáticas não são
especializadas, mas contêm
elementos para a edificação das
células diferenciadas. Os
meristemas originam tecidos
primários, através de divisões
anticlinais e periclinais de células
denominadas iniciais. As novas
células são chamadas de
derivadas.
DIVISÂO

ALONGAMENTO

DIFERENCIAÇÃO

DIFERENCIAÇÃO

ALONGAMENTO

DIVISÂO
A SEMENTE DE MAMONA (Ricinus
comunis)
• Durante a germinação – pólo
radicular – primeiro a ser ativado =
formação da raiz primária;
• O hipocótilo alonga-se – eleva os
cotilédones acima do solo
(germinação epígea);
• Entre os cotilédones encontra-se a plúmula =
origina o hipocótilo;

• A planta continua seu desenvolvimento por meio


– atividade – meristema apical caulinar e
radicular.
O MERISTEMA APICAL DO CAULE

• Apresenta um promeristema (células


meristemáticas iniciais + suas derivadas
imediatas (não se diferenciam) e
• uma porção inferior formada pela atividade
dessas células = tecidos meristemáticos
primários (protoderme, meristema fundamental
e procâmbio);
• Protoderme forma a epiderme;
• Meristema fundamental = tecidos
parenquimáticos, colenquimáticos e
esclerenquimáticos;
• Procâmbio = floema e xilema
primários.
• Estrutura primária do caule =
organização dos tecidos primários =
epiderme, cortex e sistema vascular.
• Os primórdios
foliares – formados
– região periférica
do meristema
apical caulinar –
apresentam
meristemas
primários;
ÁPICE RADICULAR
• Células iniciais estão protegidas
pela coifa;
• Logo após – encontra-se – zona
de alongamento celular
(protoderme, meristema
fundamental e procâmbio) –
originarão – epiderme, córtex e
cilindro central.
ÁPICE RADICULAR

• Células iniciais estão


protegidas pela coifa;
• Logo após – encontra-se
– zona de alongamento
celular (protoderme,
meristema fundamental
e procâmbio) –
originarão – epiderme,
córtex e cilindro central.
• OSMERISTEMAS APICAIS
DAS RAÍZES E CAULES
PRODUZEM CÉLULAS
CUJAS DERIVADAS SE
DIFERENCIAM EM NOVAS
PARTES DESSES ÓRGÃOS =
ESTRUTRA PRIMÁRIA.
MONO E DICOTILEDÔNEAS
• A maioria das monocotiledôneas
e poucas dicotiledôneas
herbáceas – completam seu
ciclo de vida apenas com o
corpo primário.
• A maioria das dicotiledôneas e as
gimnospermas – apresentam
crescimento em espessura;
• Isto é decorrente da atividade do
câmbio vascular e do felogênio =
meristemas laterais (posição
paralela ao caule à superfície do
caule e da raiz)
• Sachs (1875) – estabeleceu três
sistemas de tecidos = dérmico,
fundamental e vascular;
• O sistema vascular é envolvido
pelo sistema fundamental e o
sistema dérmico reveste a planta
Promeristema

Meristema
Meristemas Protoderme Procâmbio
fundamental
primários
ou apicais

Tecido Floema Xilema


Epiderme
fundamental primário primário
Tecidos
primários
Felogênio
Câmbio vascular

Meristemas
Súber Feloderme Floema Xilema
secundários
secundário secundário
ou laterais