Você está na página 1de 7

SÉRIES DE FOURIER

Antonio Pereira de Camargo Junior

Instituto Federal do Paraná - Campus Paranaguá


Rua Antonio Carlos Rodrigues, 61- Porto Seguro
e-mail: Antonio.junior1305@gmail.com

RESUMO

O propósito da Análise de Fourier é relacionar os fenômenos periódicos, que ocorrem com freqüência
principalmente em engenharia, e também com aplicações na física e na matemática. Com isso, pode-se procurar
compreender tais funções periódicas, estas funções podem ser um tanto complicadas, contudo, podem ser
representadas por meio de funções periódicas simples, como senos e cossenos, tais representações serão infinitas,
chamadas de Séries de Fourier, que constituem uma ferramenta muito importante para solucionar problemas
envolvendo EDOs e EDPs. As Séries de Fourier, num certo ponto, são mais universais que as conhecidas séries de
Taylor do cálculo, porem muitas funções periódicas descontinuas podem ser aplicadas em Séries de Fourier, o que
não ocorre com as séries de Taylor.

Palavras-chave: Funções periódicas, Séries de Fourier, aplicações.

1. INTRODUÇÃO

Jean Baptiste Joseph Fourier viveu na época de Napoleão, para quem trabalhou na França e no Egito, Fourier
antecipou a idéia de expandir uma função f em uma série de funções trigonométricas e até hoje deslumbram
matemáticos, físicos, estatísticos e engenheiros. No inicio dos anos de 1800 desenvolveu suas séries ao estudar a
propagação de calor e levando em conta que a forma mais simples de uma onde é uma função senoidal, onde
demonstrou que, qualquer função por mais complicada que seja, pode ser decomposta como uma soma de senos e
cossenos.
As séries de Fourier foram introduzidas precisamente, a propósito da resolução das equações diferenciais
parciais, consideradas para propagação de ondas e difusão do calor, e foi com base na resolução da equação das
ondas que motivou a consideração e o estudo destas séries que são aplicadas para a resolução da equação das ondas
não amortecida e amortecida, da equação do calor e da equação de Laplace. Contudo, temos aplicações que
transcendem muito a simples utilização para resolução de equações diferenciais.
A resolução de problemas de ciência e de engenharia, necessita de formulação matemática, solução e
interpretação física. Esses modelos matemáticos servem para a aproximação dos objetos de estudo. Por exemplo:
para investigar o movimento da terra, ou de outro planeta, em torno do sol, podemos escolher pontos como modelos
matemáticos do sol e da terra . As séries de Fourier são de extrema importância para auxiliar a resolver esses tipos de
problemas, que surgem na engenharia e na física e, a seguir veremos alguns exemplos desses problemas que possam
ser empregadas as Séries de Fourier.

3. ASPECTOS TEÓRICOS PARA DESENVOLVER AS SÉRIES DE FOURIER

3.1 Função periódica, par e impar

Função periódica: as séries de Fourier são a ferramenta básica para se representar as funções periódicas, as quais
desempenham um importante papel nas aplicações. Segundo o artigo (Aplicações às Séries de Fourier); uma função é
periódica quando, f(x) for definida para todo x real, e se existir algum numero p positivo, o período fundamental é o
menor período que a função pode ter, denominado período de f(x), tal que:
f(x) = f(x + p) (1)

O gráfico de uma função periódica é obtido pela repetição de qualquer intervalo de comprimento P (Fig. 1.1)

Figura 1.1 Função periódica

Funções periódicas conhecidas são a seno e cosseno. Se f(x) tem período p, ela também tem o período 2p, pois
Fig. 1.1 implica que f(x +2p) = f([x + p]) + p) = f(x + P) = f(x), portanto para qualquer inteiro n = 1, 2, 3,...,

f(x) = f(x + np) (2)

Vale ressaltar a importância de relembrar alguns conceitos básicos quanto à paridade das funções.
Função par: Para qualquer x do seu domínio: f(x) = f(-x) ˅ x ɛ X.
- O domínio é simétrico a origem e o gráfico é simétrico ao eixo y.

Exemplo: f (x) = x²

Figura 1.2 função par

Função Impar: Para qualquer x do seu domínio: f(x) = -f(-x) ˅x ɛ X


- O seu domínio e seu gráfico são é simétrico em relação à origem

Figura 1.3 função impar


3.2 Séries de Fourier

As séries de Fourier são do tipo trigonométrica, e varias dessas funções f(x) terão período 2π em termos de
funções simples: 1, cos x, sen x, cos 2x, sem 2x ... , cós nx, sem nx,...
Todas essas funções tem período 2π. E representam o chamado sistema trigonométrico.
(Gomes, 2015). Uma forma de representar funções é através de polinômios utilizando a série de Taylor, por
exemplo. Seja uma função f(x) infinitamente diferenciável no ponto x = a, então a serie de Taylor é dada por:


f (n ) (a )
f (x ) = ∑ ( x − a )n (3)
n =0 n!

Podemos descrever uma função em séries trigonométricas e, representar a serie de Fourier da seguinte maneira.


 nπx   nπx 
f ( x) = a o + ∑ (a n cos  + bn sen ) (4)
n =1  l   l 

A série acima é denominada de Serie de Fourier, onde a 0 , a n , bn são coeficientes da série. Nota-se que (4) é
uma função periódica com período fundamental 2 l.
Os coeficientes da série de Fourier de f(x) dados a partir das Fórmulas de Euler.

l
f ( x )dx
1
2l −∫l
a0 = (5)

 nπx 
l
f ( x ) cos
1
an = ∫
l −l  l 
dx ; 1,2,3 ... (6)

 nπx 
l
bn = ∫ f ( x )sen
1
dx ; 1,2,3 ... (7)
l −l  l 

É importante ressaltar que a 0 é o valor médio da função.

3.3 Convergência e Soma de uma série de Fourier

“De acordo com (Kreyszig, 2009)”, a classe das funções que podem ser representadas por séries de Fourier é
surpreendentemente grande e geral. Existem certas condições para uma função ser representada por série de Fourier,
logo mostraremos uma que abrange a maioria dos casos.

Teorema: Teorema da convergência de Fourier


(Gomes, 2015). Seja f com período 2 l, e seja f e f ’ seccional mente continua em [-l, l]. Então a série de Fourier
converge para f(x) quando for continua, e para o valor médio [ f (x )+ f (x )]
+

2
(a média dos limites a esquerda e
a direita) quando em ponto x de f é descontinuo.
“Segundo (Zill et al. 2009)”, ao determinar os coeficientes a 0 , a n e bn , considere-se que f é integrável no
intervalo e que a Eq.(4) , converge de tal modo a permitir a integração de termo a termo.

4. EXEMPLOS DE APLICAÇÃO:

4.1 ONDA QUADRADA: No artigo de (Teixeira et al. 2004). Um exemplo da utilização da série de Fourier de
uma função periódica simples é a onda quadrada como mostra a Fig. 1.4, que é uma forma de onda básica encontrada
freqüentemente nas áreas da eletrônica e do processamento de sinais, ela alterna regularmente e instantaneamente
entre dois níveis.
Figura 1.4 Onda quadrada

Pode-se determinar a série da onda quadrada mostrada na Fig. 1.4 por meio do uso dos calculos dos coeficientes
da série de Fourier, a função apresenta a seguinte forma analitica abaixo:

(8)

4.2 CIRCUITO ELÉTRICO

No trabalho de (Butkov, 2011). O circuito elétrico mostrado na Fig. 1.5 está sujeito a uma força eletromotiva
variável E(t) periódica (não necessariamente senoidal). A resposta do sistema, a corrente I(t), deve ser encontrada.
Sabe-se que a função I(t), deve satisfazer a equação diferencial, (neste artigo não iremos nos aprofundar em equações
diferenciais, pois a intenção maior é apresentar exemplos das Séries de Fourier).

d ²I dI 1 dE
L +R + I = . (9)
dt ² dt C dt
Sob condições de estado constante a função I(t) é também periódica, com o mesmo período T que E(t).
Suponhamos que E(t) e I(t) possuam desenvolvimentos de Fourier (escritos sob forma complexa):

+∞ +∞
E (t ) = ∑E e
n = −∞
n
inwt
, I (t ) = ∑c e
n = −∞
n
inwt
( w = 2π / T ) . (10)

Figura 1.5 Circuito Elétrico

As series podem ser diferenciadas termo a termo o quanto for necessário, após feitas as substituições necessárias,
nos dois lados da equação obtemos:

i (nw / L)
Cn = En , (11)
( w − n ² w²) + 2αnwi
2
0

Em que w02 = 1 / CL é a freqüência natural do circuito, e 2α = R / L é o fator de amortecimento do circuito.


Assim o problema está essencialmente resolvido, pois podemos obter os coeficientes de I(t) a partir dos coeficientes
de Fourier de E(t) que
+T / 2

∫ E (t )e
−inwt
E n = (1 / T ) dt. (12)
−T / 2

Observação: De acordo com (Butkov, 2011), é importante salientar que, para admitir a diferenciação termo a
termo, se as séries de E’ e I’ convergirem uniformemente, a validez de tal procedimento é garantida. Porem, em
particular pode-se mostrar que o resultado é valido desde que a séries de Fourier de E(t) exista, não importando a
convergência uniforme da série da derivada.

5. RECURSO COMPUTACIONAL

Neste recurso mostraremos o gráfico da onda quadrada, fazendo uso do software VCN cálculo numérico,
demonstrando como se comporta a serie de Fourier nessa aplicação, e também os cálculos dos coeficientes da série,
para termos um bom entendimento e a familiarização das Séries de Fourier nos nossos estudos.
A função da Onda Quadrada representada pela Fig. 1.4 é representada pela função da Eq.(8), o período
fundamental é 2l, período é 2π, logo l = π .
Fazendo uso da Eq.(5), obtemos para o valor de a 0 = 0 , Eq.(6) obtém o valor para a n = 0 , e fazendo
π
 nπx   nπx 
0
1 1
utilização da Eq.(7), montando a integral dessa função temos bn =
π −π∫ − 1sen
 π 
dx + ∫ 1sen
π 0  π 
dx , e

obtemos o valor para de bn =


2
[1 − cos(nπ )] , atribuindo valores para os três primeiros termos da serie, e

substituindo na Eq.(4), obtemos a seguinte série de Fourier. Se n for igual a um número par bn = 0 , e se n for igual
4
a um número ímpar bn = .

Logo, pode-se obter a série de Fourier da função f(x) como sendo igual a:

f (x ) sen( x ) + sen(3 x ) + sen(5 x ) + ...


4 4 4
(13)
π 3π 5π
Os gráficos abaixo mostram a função original da onda quadrada Fig. 1.4, e após ser aplicada a série de Fourier
nestes, podemos identificar as oscilações harmônicas aplicadas nessa função se aproximando da função original, à
medida que estes aumentam os gráficos se aproximam cada vez mais, contudo que seja aplicado um numero limitado
de harmônicos.

Gráfico 5.1 Dez harmônicos


Gráfico 5.2 Cinqüenta harmônicos

Gráfico 5.3 Cem harmônicos

Gráfico 5.4 Cento e vinte e cinco harmônicos


6. CONCLUSÃO

Pode-se perceber que os estudos de Jean Baptiste Joseph Fourier, foram determinantes para o avanço da
matemática da época e, ate hoje possibilita vários estudiosos e estudantes, das áreas da física e engenharia a
utilizarem os recursos que as Séries de Fourier proporcionam para pode aplicar e desenvolver suas pesquisas. Ao
adentrar nesse universo fascinante, com um estudo mais aprofundado, fica fácil compreender esses questionamentos
que essas funções aplicadas nas séries de Fourier nos remetem. Então, vale ressaltar que, qualquer função pode ser
decomposta como uma soma de funções seno e cosseno, sendo ferramenta de grande utilidade para representar
funções periódicas.
As séries de Fourier são de grande importância para aplicações praticas na física e engenharia, como por
exemplo: oscilador harmônico forçado, viga infinita num solo elástico entre tantos, portanto é de extrema
importância reconhecer o papel que as Séries de Fourier representam para nós, e poder estudá-las, se torna ainda
mais gratificante.

7. REFERÊNCIAS

Apostila Análise de Fourier.; Série, Integral e Transformada de Fourier - Professor Mateus Gomes (2015)
Butkov, Eugene.; 2011. Física matemática / 1ª edição – Rio de Janeiro: LTC
Kreyszig, Erwin.; 2009. Matemática superior para engenharia, volume 2 / 9ª edição – Rio de Janeiro: LTC.
Zill; G. D. e Cullen; R. M.; 2009. Matemática Avançada para Engenharia; “Equações diferencias parciais,
métodos de Fourier e variáveis complexas. – 3ª edição – Porto Alegre - Editora Bookman.”
Série de Fourier. Teixeira; A. L. M., Souza; M. F. de.; Capacia.; V. N. Capacia – 2011; acesso em 17/03/2015;
disponível em https://metodosmatematicosuff.files.wordpress.com/2011/03/trabalho-sc3a9rie-de-fourier.docx
Introdução às Séries de Fourier.; Santos; F. J. – 2004; acesso em 17/03/2015; disponível em
http://www.matematica.pucminas.br/profs/web_fabiano/calculo4/sf.pdf