Você está na página 1de 15

Crônicas das Colônias

Coletânea I

Divino C. R. Leitão

Dedico este trabalho a


dona Ignez Silveira Leitão,
minha mãe, que dedicou sua vida
a nos tornar pessoas melhores,
sempre dando o bom exemplo.
PARA ENTENDER ESTA OBRA

As Crônicas das Colônias são textos vindos do futuro e que


foram compilados para mostrar como seria um futuro
possível… de acordo com estes textos..

Neste futuro possível muita coisa fora do comum acontece,


como por exemplo a criação de um novo idioma que passou a
ser utilizado como primeira língua de todos os colonitas e este
idioma tem muitas palavras abreviadas, portanto você vai
encontrar estes termos com muita frequência e poderá
entendê-los melhor consultando o glossário ao final deste livro
ou para sua facilidade num endereço da Internet, que poderá
consultar com seu computador ou celular, ele está logo abaixo,
com seu respectivo QrCode.

(colocar a URL)

Algumas ocorrências destroem países inteiros, não entenda


isso como uma implicância com estes países, tudo faz parte da
concepção de um mundo novo, onde a nacionalidade das
pessoas foi para um segundo plano e cada Colônia passou a
ser o habitat destas pessoas.

Quase tudo devaneios e imaginação de um autor ávido por FC,


espero que se divirta e entenda que tudo é um futuro possível

 
O QUE SÃO COLÔNIAS?

Colônia é um termo muito antigo, já foi descrito de várias


formas, mas após a criação da primeira CT (Colônia Terrestre),
bem na área glacial da antiga Amazônia, no continente BrAm
(Brasil-América), os termos antigos foram esquecidos e
Colônia passou a ser sinônimo de vida, pois viver fora de uma
na Terra do S23 (século XXIII) é algo quase impossível,
embora muitos habitantes ainda sobrevivam desta forma,
embora não se saiba mais quantos, pois não se faz mais
recenseamento fora das Colônias.

Uma definição simples para Colônia seria um conjunto de


construções que abrigam quantidades limitadas de pessoas.
São comunidades auto-suficientes em geração de energia,
alimentos e água e conectadas a outras Colônias através das
HoRe (holo-redes), mantidas por satélites e retransmissores de
diversos tipos.

Existem três tipos básicos de Colônias, elas nem sempre são


iguais e foram divididas em: CT (Colônias Terrestres); CA
(Colônias Aquáticas) e CE (Colônias Espaciais).

As CT foram as primeiras a serem criadas, seguidas das CA e


finalmente pelas CE, que só surgiram depois que o homem
passou a dominar novamente o espaço. Algo que lhe foi
proibido por mais de um século.

 
Apesar de serem mais antigas, as CT são as mais instáveis,
por estarem sujeitas as atividades de ajustes de camadas e
placas tectônicas, ou seja, os terremotos, que por pouco não
destruíram nosso planeta.

Por segurança, quase todas as Colônias tem um plano de fuga


em massa para eventualidades e para as mais recentes existe
sempre um projeto de Colônia, pronto a ser iniciado em caso
de problemas.

As CT também tem acordos que permitem o remanejamento


da população em caso de catástrofes.

Por alguns anos as CA foram as piores Colônias para se viver,


pelo menos uma delas chegou a perder todos seus habitantes
mas depois que foi criada uma nova tecnologia de construção
móvel flutuante estas Colônias passaram a ser as mais
seguras. Por outro lado são as que menos mantém ligações
entre si e as outras Colônias, são também auto-suficientes e
possuem toda a tecnologia que a humanidade adquiriu
rapidamente nos últimos 100 anos.

Não se sabe a razão dos habitantes das CA, simplesmente


optarem por se comunicar o mínimo possível com as demais
Colônias. Talvez seja devido ao acidente com a primeira CA.

As CE ainda são novidade, após os repetidos fracassos de


estabelecer Colônias na lua, optou-se por Estações Espaciais,
que demonstraram ser mais seguras, no entanto elas são
muito dependentes das CT e das CA, pois não tem
auto-suficiência em dois artigos importantes, água e alimento,

 
mas isso é compensado pela sua facilidade em executar
mineração em Vênus , manusear e produzir componentes
essenciais a tecnologia de todas as outras Colônias, sem
contar que são responsáveis pela manutenção dos poderosos
satélites de holo redes, que permitem a comunicação.

São estes os três modelos básicos de Colônias. a população


máxima de cada uma raramente ultrapassa 100 mil habitantes
e são raras as Colônias com essa quantidade de pessoas, a
preferência atualmente é construir Colônias para no máximo 20
mil colonitas.

O crescimento populacional é rigidamente observado em todas


as Colônias, uma vez que com a expectativa de vida de até
200 anos por pessoa, o nascimento de uma criança só é
permitido após a morte física de outro colonita. Usa-se o termo
"morte física" porque atualmente é possível armazenar a
consciência e conhecimento das pessoas, principalmente as
que têm características acima do padrão.

O primeiro homem a ter sua preservação virtual garantida foi


justamente o criador da primeira Colônia, Willian Henry Gates
III, (mais conhecido como G3) que conseguiu a proeza de
passar seu cérebro e consciência para um sistema de I2
(Inteligência Simulada 2.0).

Suas idéias são um pouco ultrapassadas para nossos dias,


mas não se pode negar que ele estava bem a frente de sua
época quando era um ser vivo, ou melhor dizendo, ser
operacional, foi também foi o primeiro homem a ultrapassar a

 
idade dos 170 anos e provar que era possível viver mais que
os normais 150 anos do S22 (Século XXII).

As Crônicas das Colônias são textos, escritos por diversos


autores, que contam esta fantástica história e não se sabe de
que forma a fazem chegar a nossos dias, usando a Internet.

 
SEXO NO S22.

Os textos a seguir não são crônicas, são textos apócrifos,


escritos por um - e aqui peço licença para usar um termo de
língua morta - "voyeur" colonita, portanto não se sabe sua
origem, mas é um interessante registro. O texto original estava
escrito em forma de diário e foi respeitado este formato:

____________ Início das transcrições ____________

Julho, 21, 2156 - horário universal @128

Faz alguns dias que não entro nas HoSX (holosalas sexuais).
As pessoas de lá não querem respeitar minha preferência de
só observar e ficam querendo me tocar e parece que quanto
mais reclamo, mais eles querem me provocar.

Nunca gostei de ser tocado, tentei com mulheres, com outros


rapazes, com animais e até com aqueles seres de gosto
duvidoso, que algumas pessoas assumem como HoAv (holo
avatar).

Gostaria que respeitassem minha preferência, entretanto já me


marcaram e basta eu chegar em uma sala pública e logo
alguém vem fazer o que não gosto. Podia desligar algumas
sensações, mas isso não muda o fato de que estarão me
tocando e principalmente que fazem isso só porque não gosto.

 
Estou furioso e não há jogo de guerra que me acalme!

Julho, 22, 2156 - horário universal @137

Que ideia fantástica, porque não pensei nisso antes, hoje criei
um HoAv de um HoPs (holo psicólogo) e entrei na sala.
Ninguém se aproximou, as pessoas tem pavor dos HoPs e os
evitam, todos fingiam que não me viam e finalmente tive uma
noite em que só pude fazer o que gosto: observar.

Adorei este disfarce, espero que ninguém venha questioná-lo,


afinal nas HoSx vale qualquer coisa, não creio que existam leis
relativas a se fazer passar por um HoPs.

Não sei porque tenho essa aversão a ser tocado, não gosto
nem de cumprimentos, então como posso suportar abraços ou
(argh!) beijos?

No entanto gosto de ver as pessoas se tocando, ah sim! Isso


eu gosto muito e como há muitas pessoas que gostam de se
exibir é juntar a fome com a vontade de comer, no sentido de
se alimentar, claro!

Vou aproveitar que estou feliz e escrever um pouco sobre


como é a vida sexual das pessoas desta época.

O sexo deixou de ser tabu faz tanto tempo, que ninguém sabe
precisar quando começou, mas dizem os cientistas que foi
quando erradicaram as doenças das Colônias, principalmente
aquela terrível, que se transmitia pelo contato sexual e que

 
dizimou boa parte da humanidade, matando mais pessoas do
que as grandes tragédias da história.

Sem o medo de ficar doente e com os acréscimos de saúde e


modificações no corpo que a medicina passou a proporcionar
as pessoas começaram a praticar sexo como se fosse a única
coisa realmente prazerosa da vida, todos os tabus caíram e o
sexo tornou-se algo público, era comum ver casais ou mesmo
pessoas do mesmo sexo se exibindo nos locais mais
inusitados, tornou-se tão comum que ninguém ligava mais,
nem as crianças.

Eu era muito novo, mas sempre gostei de ver as pessoas se


amando, não precisava ser sexo explícito, um simples carinho
era motivo de prazer, desde que não fosse em mim. Odiava até
quando me afagavam o cabelo, coisa que faziam muito quando
eu era jovem e eu tinha que ficar quieto, já que somos
educados para não ter reações negativas com as pessoas.

Mas a história conta que por volta de 2120, foi criada a lei que
proibia a reprodução livre nas Colônias. O excesso de crianças
estava causando problemas, pois ninguém cuidava delas
corretamente e como isso coincidiu com as primeiras
experiências de HRG (holoreprogravura) não demorou para as
pessoas trocarem o sexo real por outro ainda mais prazeroso,
o sexo virtual, que permitia prazeres nunca sonhados antes.

Quando nasci já era comum as pessoas não se encontrarem


mais fisicamente, já que o encontro usando um HoAv era muito
mais interessante. A mente de uma pessoa no corpo de quem

 
ela desejasse, inclusive alienígenas ou monstros retirados das
imaginações mais delirantes.

Mas agora estou com sono, vou dormir, continuo a escrever


amanhã, depois que usar novamente minha fantasia de HoPs.

Julho, 23, 2156 - horário universal @98

Estou furioso, descobriram meu disfarce e passei a chamar


ainda mais atenção que antes, malditos hackers que invadem a
privacidade de nossos disfarces, não sei como me livrar deles.

Sai da sala!

Vou escrever mais sobre a história, assim a raiva passa.

Ontem eu dizia que o sexo com HoAv tornou-se uma mania e


foi a partir daí que algumas Colônias iniciaram o processo que
levou as leis de reprodução controlada, as mulheres poderiam
continuar a ter filhos, mas somente quando morresse alguém
na Colônia, assim a população seria melhor controlada. Em
algumas Colônias que não podiam crescer isso era essencial e
com o tempo todas as Colônias passaram a exercer controle
de população.

Quando nasci as pessoas já conseguiam viver até por 200


anos e com perdas mínimas das capacidades físicas, mal se
podia saber a diferença entre uma pessoa de 50 anos e outra
de 150, as diferenças só eram visíveis até os 30 anos, após
essa idade todo mundo começava a usar tratamentos que as
mantinham com aparência jovem, algumas começavam antes,

 
há casos até de pessoas que morrem aos 180, ainda com
aparência de uma criança de 12 anos.

Atualmente ninguém faz mais sexo físico, até porque sabe-se


que quanto menos contato uma pessoa tem com as outras
melhor se mantêm sua saúde e como o contato virtual passou
a ser exatamente igual ao que seria o físico, quem vai querer
fazer algo tão arriscado quanto se encontrar fisicamente com
outra pessoa.

Não gosto de contato físico, mesmo nos ambientes


holográficos e não é só a sensação do toque - que eu poderia
desligar - mas o simples fato de saber que alguém está me
tocando é uma sensação desagradável.

Tentei resolver isso de várias formas, só não apelei para os


HoPs, pois são pessoas estranhas que invadem nossas vidas
e ficam fazendo críticas, quero distância deles.

O que gosto mesmo é de ir a um lugar e observar as pessoas,


poderia ficar invisível mas o que me dá prazer é quando elas
sabem que estou ali olhando e se exibem para mim. Em alguns
casos foi maravilhoso, porque elas ficavam ali, sem querer me
tocar ou que eu tocasse nelas, mas agora estou sendo
perseguido por esses malditos hackers, que ao me ver vem
logo me abraçar, sabendo conscientemente que não suporto
isso.

E não adianta reagir, o que eles querem é exatamente isso,


que eu reaja, gostam de me ver nervoso.

 
Os sistemas que usamos são fantásticos, antes de entrar em
uma sala posso reconfigurar completamente minha aparência e
aparecer no lugar do jeito que eu quiser. Sempre preferi entrar
com a minha aparência normal, gosto de mim como sou e acho
de um tremendo mau gosto aqueles sujeitos que entram nas
salas com as cabeças cortadas ou 8 braços. Fora os que
ostentam órgãos sexuais desproporcionais, uma vez vi um que
era apenas isso, um órgão sexual com pernas e braços, que
coisa horrível, mas fez sucesso e poucos dias depois tinha
montes de pessoas com aquele formato, homens e mulheres,
felizmente cansaram disso pois era bizarro demais.

Mas há pessoas que realmente são originais, uma vez vi uma


mocinha linda, que parecia absolutamente com uma humana
normal mas tinha um belo rabo de macaco que usava com
muita maestria em seus parceiros e estes pareciam gostar
muito da brincadeira. Eu não suportaria mas achei muito
interessante o poder de sedução que ela exercia com aquele
simples rabo.

Algumas pessoas aparecem em forma de robôs, são tão


perfeitos que chego a confundir com os robôs de verdade, que
fazem parte de nosso cotidiano, limpando nossa casa e nos
ajudando nas tarefas desagradáveis, é estranho vê-los ali,
fazendo algo que um robô real jamais faria, pois são
programados para evitar ao máximo a interação com uma
pessoa de carne e osso, na verdade eles se escondem sempre
que um humano entra em um local onde esteja um robô,

 
provavelmente resultado daquela época em que alguns robôs
perderam o controle e quase destruíram uma colônia inteira.

A partir daí deixaram de ser tão visíveis, sei que ainda existem
e que dependemos deles para muita coisa, mas eles também
dependem de nós para existir, foram construídos de forma a só
funcionarem sob comando de nossa mente.

Nossa… já é tarde, chega por hoje…

____________ Fim das transcrições ____________

Infelizmente aqui termina o relato deste desconhecido colonita,


os textos foram recuperados a partir de dados mal apagados
de um HoBkp (holo backup) e provavelmente foram
encontrados pelos citados hackers e colocados na HoRe só
para mostrar ao autor que ele era vulnerável.

Ficou claro que devido ao sexo ter se tornado algo tão banal,
ninguém mais perde tempo escrevendo sobre sensações.

Sabe-se que praticamente todos passaram a praticar apenas


sexo virtual, várias vezes por dia e algumas pessoas só fazem
isso, não se dedicam a mais nada. Já para os estudiosos e
profissionais que preferem usar seu tempo com algum trabalho
o SxV (Sexo Virtual) é considerado um instinto baixo, a ser
ignorado e indigno de comentários, assim como outras
atividades que nosso corpo ainda precisaria fazer mas os
colonitas preferem fingir que não existem. Algumas pessoas
até chegam a retirar do seu corpo alguns órgãos responsáveis
por ingestão e exaustão dos dejetos e os substituem por

 
equipamentos que fornecem ao organismo o necessário, de
forma mais eficiente do que as naturais, são os CyB (cyborgs),
meio-humanos, meio-robôs, muitos acreditam que o G3 ainda
está vivo e que seu HoCl (holo clone) é ele mesmo, que foi
preservado em um organismo Cyb..

 
Os textos de Crônicas das Colônias vão continuar aqui no
SCRIBD quando eu receber pelo menos 50 e-mails (abaixo da
assinatura) de usuários diferentes, fazendo um comentário
cada sobre o que achou do texto.

Divino Leitão, o autor


divino+cronicas@gmail.com