Você está na página 1de 10

A Ciência do Sonho Lúcido: Entrevista com Dr.

Keith Hearne

Por Rebecca Turner. Tradução Tamosauskas

Dr Keith Hearne é um
psicólogo britânico conhecido como a primeira pessoa a conseguir
provar cientificamente a existência de sonhos lúcidos. Nesta
entrevista exclusiva, ele fala sobre como fez para conseguir sua
prova, bem como as descobertas fisiológicas e psicológicas que o
seguiram até a conquista do seu PhD sobre sonhos lúcidos.

Pergunta: Como foi que você conseguiu captar sinais vindos


de uma mente desperta dentro de um corpo que dorme?

Ninguém antes tinha testemunhado o que vi naquele laboratório de


pesquisas do sono da Universidade de Hull, Inglaterra. Era por volta
de 08:00 da manhã do dia 12 de abril de 1975.

Na noite anterior, eu havia conversado o voluntário, um indivíduo


chamado Alan Worsley que relatara ter com muita frequência os
chamados sonhos lúcidos (nos quais o sonhador se torna plenamente
consciente e tem faculdades cognitivas completas). Esse indivíduo foi
instruído para que fizesse sete movimentos com os olhos no sentido
esquerda-direita, no momento em que despertasse dentro do sonho.

Entenda, ao dormir nosso sistema nervoso desliga certas funções


motoras para que não saiamos andando ou nos mexendo demais.
Esse estado é conhecido como atonia do sono, mas não afeta nosso
controle do diafragma nem dos olhos. Além disso, tenha em mente
que o período do sono em que os sonhos ocorrem é conhecido como
REM (Rapid Eye Movement) e se caracteriza justamente pelo
movimento errático dos globos oculares.

Disso eu inventei o método de sinalização em uma tentativa de


contornar a profunda paralisia corporal e assim criar um meio de
comunicação entre o mundo dos sonhos e o mundo real. O indivíduo
foi também equipado com registradores encefálicos gráficos sensíveis
que garantiram que ele estava dormindo e registradores capazes de
captar e registrar o movimentos dos olhos.

Com grande expectativa, eu observei cada um dos vários períodos


REM que ele teve durante a noite. E então pouco antes das 8:00 o
indivíduo já tinha entrado em vários REM 's e sonhado por cerca de
meia hora.

Houve então uma explosão de um longo período de REM, quando, de


repente, fora da aleatoriedade esperada deste estado, houve uma
seqüência deliberada de sete grandes movimentos de zig zag dos
olhos da direita para a esquerda, exatamente como combinado. O
movimento foi registrado graficamente por nossos equipamentos:
A sequencia dos sinais oculares no sentido direita e esquerda está em
exposição na Liverpool University.
EEG - Eletroencefalograma
EOG - Eletroftalmograma (movimento dos olhos)
EMG - Eletromiograma (atividade muscular)

Ao acordar, o indivíduo confirmou o fato e descreveu como ele, de


repente, percebeu que estava sonhando e então conscientemente fez
os sinais esperados. E assim foi que temos hoje a prova, já repetida
em laboratório de que é realmente possível tornar-se plenamente
consciente enquanto se está sonhando.

Para mim foi como receber sinais do SETI de inteligências de outro


sistema solar. Eu estava em êxtase, mas tive que manter a calma
para não acordar o sujeito! Foi uma situação incrível. Eu estava
testemunhando a primeira comunicação de uma pessoa que estava
dormindo em outro quarto, sonhando, em seu próprio mundo mas
perfeitamente consciente e capaz de interagir. Ele estava em sua
realidade e eu estava em minha realidade. Mas fizemos um canal de
comunicação entre estas duas realidades.

O registro gráfico original, assim como minha Máquina dos Sonhos2


estão agora em exposição permanente no Museu de Ciência de
Londres. A propósito , toda a tese de PhD e meu livro The Dream
Machine pode ser baixado gratuitamente no meu
site KeithHearne.com.

Dr Keith e seu protótipo da Máquina do Sonho

A técnica abriu uma porta para toda uma nova área na pesquisa. Um
sonhador foi capaz de enviar informações em tempo real e portanto
podia agora realizar experimentos conduzidos no estranho ambiente
do seu universo particular.

Poucos meses depois, ganhei meu próprio laboratório de pesquisas do


sono na Universidade de Liverpool, com o qual três anos depois
descobrimos vários fenômenos fisiológicos e psicológicos básicos por
trás dos sonhos lúcido que culminou em meu PhD1.

Entre estas descobertas estão:

 Os sonhos lúcidos são reais.

 Os sonhos lúcidos ocorrem durante o a fase REM (até então essa


era apenas uma hipótese).

 Os eventos do sonhos lúcidos acontecem em tempo real


(descobrimos isso comparando o testemunho dos indivíduos
pesquisados com os registros gráficos do maquinário)

 A lucidez nos sonhos é geralmente precedido por uma explosão


REM.

 Experimentos podem ser realizados dentro dos sonhos e os


resultados enviados para fora do sonho. (Inclusive realizei o
primeiro experimento em telepatia no laboratório do sono em
minha pesquisa de doutorado).

 Muitos fenômenos físicos estão correlacionados com o sonho lúcido


e foram revelados a partir dos dados fisiológicos coletados e
questionários.

 A criação da "máquina dos sonhos", capaz de produzir estímulos


artificiais nos sonhos e induzir a lucidez onírica

 A descoberta do 'efeito interruptor de luz "(abordado no filme


seminal de Richard Link, Waking life3).

Enviei o resumo da minha descoberta a dois bem conceituados


pesquisadores do sono: Professor Allan Rechtschaffen da
Universidade de Chicago, e Professor William Dement na
Universidade de Stanford. Rechtschaffen enviou uma resposta
bastante encorajadora. Em 1978 uma outra pesquisa realizada em
Standford confirmou minhas conclusões. Estou muito honrado aquele
12 de abril está agora está sendo reconhecido por algumas pessoas
como o Dia do Sonho Lúcido como uma forma de marcar esta
pesquisa sem precedentes. Curiosamente assim como Alan Worsley
mandou seu sinal em 1975, em outro 12 de abril, em 1961, Yuri
Gagarin foi o primeiro ser humano a se comunicar de fora do nosso
planeta Terra.

P: Você pode nos contar um pouco sobre o seu trabalho


paralelo sobre premonições?

Sou fascinado por premonições. Ao lado de meu trabalho principal


com sonhos lúcidos eu já havia realizado alguns experimentos em
parapsicologia com equipamentos bem avançados aos quais tive
acesso com o laboratório. Estes porém sempre no muito artificial
ambiente do laboratório - e mesmo assim já tinha alguns resultados
interessantes - até que um dia tive uma experiência na "vida real".

Eu estava prestes a fazer uma viagem de rotina bastante familiar


pela Humber quando eu "soube" com toda a certeza que algo
desagradável ia acontecer naquele navio. Eu nunca tinha tido essa
sensação antes. Parei e pensei, mas decidiu ir a bordo. Na viagem
ficou escuro, e depois houve um grito de 'Homem ao mar! " Alguém
tinha realmente caído na água. Depois de um longo tempo de busca,
o passageiro foi arrastado a bordo. Eu assisti reanimação sendo
realizada. O evento me estimulou a investigar premonições da vida
real. Mais tarde, eu escrevi um livro sobre minha pesquisa bastante
extensa chamado Visions of the Future4.

Na análise dos casos identificamos um sub-grupo de premonições que


parecem ser muito preciso, que eu denominei 'Tipo de Anúncio de
Mídia' - ou seja anúncios feitos pela TV, rádio, jornal que são vistos
ou ouvidos antes do evento inesperado. Um desses casos dizia
respeito à Flixborough o desastre fábrica de produtos químicos no
Reino Unido. Estes tipos são bastante interessantes pois por sua
natureza são sempre documentados e registrados.

Essas anomalias devem ser considerados em nossas tentativas de dar


sentido a esse incrível mundo em que nos encontramos. Explicações
simples não são mais suficientes.

P: O que sua investigação lhe disse sobre a interpretação dos


sonhos não-lúcidos?
Eu acho que os sonhos comuns pode ser efetivamente entendidos
como "metáforas em movimento" (5,6,7) uma maneira pela qual
inconsciente fornecer informações úteis para o sonhador.

Eu recomendaria os leitores o livro The Dream Oracle8 que escrevi


com David Melbourne. David veio com essa técnica extraordinária,
que é baseado nas letras do alfabeto, e fornece um método
completamente novo - facilitando em muito a comunicação.

P: Como um compositor prolífico você encontra inspiração


musical em seus sonhos?

Gosto de escrever música - e me diverti muito compondo a música


para um ballet de longa-metragem chamado a Princesa do Povo, em
conjunto com Dame Gillian Lynne (que coreografou fantasma de
Andrew Lloyd Webber de The Opera e Cats). Algumas peças foram
gravadas para um CD pela Orquestra Sinfônica de Moscou.

Outras composições incluem um Requiem completo, um musical, uma


concerto de guitarra, uma peça Memorial do Holocausto, um hino
para a Arménia, e várias músicas (incluindo peças religiosas
separadas do Requiem - Ave Maria, Pie Jesu, Nunc Dimittis,
Magnificat, Nosso Pai), e um concerto para 'Cello'. Atualmente estou
trabalhando em uma ópera bastante emocionante.

Algumas das minhas músicas originam-se da fonte maravilhosamente


criativa que é o mundo dos sonhos. Ao acordar, eu corro para o
sintetizador para gravar o fragmento que me veio!

P: O que fez você se interessar pela imaginação e sonhos?

Eu sei exatamente o gatilho que despertou o meu interesse por isso.


Quando ainda uma criança de cerca de seis anos, minha professora
me disse: "Você sabe quando sonha acordado, Keith e vê imagens
...". Fiquei intrigado com o que ela estava dizendo, porque eu nunca
tinha isso e não tinha nenhuma imagem visual (em vigília) Outras
crianças, porém, diziam "Sim senhorita!". Percebi naquele idade
precoce que existem grandes diferenças individuais nas pessoas.

A ideia ficou na minha mente. Mais tarde, quando uma irmã mais
velha estava na faculdade, ela trouxe livros para casa de Freud, Jung,
etc. Eu os li avidamente, de modo isso também cimentou meu
interesse em sonhos.

Como estudante de graduação na Universidade de Reading, na


Inglaterra, eu desenvolvi uma técnica de "rastreamento" que permita
pessoas em hipnose, externalizar o que viam. Chamei o método de
Hipno-Onirografia"

A pessoa se senta na frente de uma grande mesa de desenho em


hipnose, e é instruída a ter um sonho hipnótico vívido (ou mesmo
para explorar uma 'vida passada'). As imagens dos sonho é
interrompida por um comando e então o sujeito abre seus olhos, a
imagem fica enquadrada-congelada na mesa e o desenho é feito. As
cores são descritas, e depois as pintamos. Sequencias de imagens
congeladas podem revelar cenas de toda uma experiência imagética.

A 'Efeito Mudança de Cena" foi imediatamente descoberto assim.


Parece que os 'pixels' da imagem anterior é quase sempre re-
arranjada na formação de nova cena, como que seguindo uma "lei do
mínimo esforço". Este efeitos ocorrem em sonhos comuns também.
Eu gostaria de ver o meu efeito em um filme de Hollywood!
Exemplo do Efeito Mudança de \cena usando a Hipno-Onirografia

P: Existe alguma coisa que você gostaria de compartilhar com


os interessados em sonhos lúcidos?

Quando alguém é pioneiro em um novo campo, alguns indivíduos


muito entusiasmados vão tentar "pegar o bonde andando', e fazer
reivindicações de associação e até mesmo prioridade. Então, algumas
pessoas (principalmente na América) têm uma ideia completamente
errada sobre o início da pesquisa do sono em laboratório em sonhos
lúcidos, e ignoram meu trabalho pioneiro. Jornalistas preguiçosos têm
perpetuado sem querer esse tipo de desinformação.

As coisas estão mudando agora, tenho o prazer de dizer. A Internet


tem sido boa para isso - toda a informação está lá, para que todos
poderem ver. Esses novos escritores modernos que exigem mais
precisão na história da ciência (como Daniel Amor) estão superando
esse passado.

P: Com o que você está trabalhando agora?

Estou escrevendo um livro importante agora, que introduz novos


conceitos. Ele vai perturbar algumas pessoas. Além disso, estou
compondo uma ópera dramática baseado em uma pessoa real da
história. Eu também estou contribuindo para a tradução em Inglês do
livro marco Hervey St Denys 'no sonho lúcido, um projeto chamado
Traduzindo Sonhos, que está agora em fase de captação de recursos
no Kickstarter. Eu tenho ainda algumas invenções que eu gostaria de
trabalhar, também - mas preciso racionar o meu tempo!

Referências

1. Hearne, KMT (1978) Lucid-sonhos: um estudo eletrofisiológico e


psicológica. Tese de doutorado da Universidade de Liverpool (Reino
Unido). Submetido maio de 1978.
2. Hearne, K. (1990) The Dream Machine. Aquarian Press. Reino
Unido
3. Hearne, KMT (1981) Um fenômeno Light-chave em sonhos lúcidos.
Journal of Mental Imagery, 5 (2): 97-100.
4. Hearne, K. (1989) Visões do futuro. Aquarian Press. Reino Unido
5. Melbourne, D. & Hearne, K. (1997) Interpretação de Sonhos: The
Secret. Blandford Press. Reino Unido
6. Melbourne, D. & Hearne, K. (1999) O significado dos seus sonhos.
Blandford Press.
7. Hearne, K. & Melbourne, D. (2001) entendimento dos sonhos. New
Holland Press.
8. Melbourne, D. & Hearne, K. (2002) The Dream Oracle. Foulsham
Publishers. Reino Unido
9. Hearne, K. (1990) The Dream Machine. Aquarian Press. Reino
Unido. Páginas 69-72.