Você está na página 1de 5

1) Com relação às regras de apuração, processamento e julgamento de ato infracional

atribuído a adolescente previstas no ECA, assinale a opção correta.


a) Em casos excepcionais, em razão de grave abalo da ordem pública ou de
reiteração infracional, é permitido ao juiz manter o adolescente internado
provisoriamente pelo prazo máximo de noventa dias.
b) Compete concorrentemente ao juiz e ao promotor de justiça a aplicação de medidas
socioeducativas ao adolescente representado que tenha praticado ato infracional.
c) Ainda que o adolescente representado confesse a autoria da infração, o
advogado de defesa não pode desistir da produção de outras provas, sob pena
de nulidade desse ato.
d) O juiz pode decretar a regressão da medida socioeducativa sem a oitiva prévia do
adolescente e de seu defensor.
e) O prazo prescricional para aplicação de medidas socioeducativas não corre para os
que são absolutamente incapazes, em conformidade com as regras de prescrição
previstas no Código Civil.

2) É vedado aos órgãos policiais, de proteção e judiciais promover a identificação


compulsória de adolescente que, apreendido, esteja portando apenas carteira de
estudante.
( ) certo ( X ) errado

3) O ECA define o ato infracional, delimita o seu alcance, prevê, para crianças e
adolescentes infratores, direitos individuais, garantias processuais e medidas
socioeducativas em rol taxativo. A respeito desse assunto, assinale a opção correta.
a) A autoridade judiciária competente pode decretar a regressão da medida
socioeducativa sem ouvir o adolescente, desde que os motivos sejam graves.
b) Excepcionalmente, em razão de grave abalo da ordem pública, é permitida a
internação provisória do menor infrator por prazo superior a quarenta e cinco dias,
desde que a instrução do processo de apuração da infração esteja encerrada.
c) Aplicam-se às medidas socioeducativas as normas gerais de prescrição constantes
no Código Civil brasileiro, dada a ausência de previsão expressa no ECA a tal
respeito.
d) No procedimento para a aplicação de medida socioeducativa, é nula a
desistência de outras provas em face da confissão do adolescente.
e) Em procedimento de apuração de ato infracional praticado por adolescente, é
dispensável a presença do defensor na audiência de apresentação.

4) Quanto aos atos infracionais, tem-se que:


I- São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos, só cabendo a aplicação
de medidas protetivas para os adolescentes que pratiquem conduta descrita como
crime ou contravenção penal.
II- A internação, antes da sentença, pode ser determinada pelo prazo máximo de
quarenta e cinco dias.
III-Apenas o membro do Ministério Público pode conceder remissão, em qualquer das
fases processuais.
IV- A medida de internação poderá ser aplicada, entre outras hipóteses, quando se
tratar de ato infracional cometido mediante grave ameaça ou violência à pessoa.
V- O período máximo de internação é de três anos, devendo, porém, haver liberação
compulsória, assim que o internado atingir a maioridade penal.
a) Apenas as assertivas I e V estão corretas.
b) Apenas as assertivas II, III e IV estão corretas
c) Apenas as assertivas II, IV e V estão corretas.
d) Apenas as assertivas II e IV estão corretas
e) Todas as assertivas estão corretas
5) Sobre a prática de ato infracional, assinale a alternativa correta
a) Somente será considerada ato infracional a conduta tipificada como crime.
b) A internação, antes da sentença, pode ser determinada pelo prazo máximo de trinta
dias.
c) Para os efeitos do Estatuto da Criança e do Adolescente, deve ser
considerada a idade do adolescente à data do fato.
d) As condutas das crianças não são consideradas atos infracionais, apenas as dos
adolescentes.

6) ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA:


a) Dentre os princípios que regem a aplicação das medidas de proteção a crianças e
adolescentes está o de intervenção mínima, consistente em ser a intervenção exercida
exclusivamente pelas autoridades e instituições cuja ação seja indispensável à efetiva
promoção dos direitos e à proteção da criança e do adolescente;
b) Constatada pelo programa de acolhimento institucional a impossibilidade de
reintegração da criança à família de origem, e encaminhado relatório fundamentado ao
Ministério Público, subscrito pelos técnicos da entidade, descrevendo
pormenorizadamente as providências tomadas e recomendando expressamente a
destituição do poder familiar, o Promotor de Justiça terá o prazo de 30 (trinta) dias
para ingressar com a respectiva ação, salvo se entender necessária a realização de
estudos complementares ou outras providências que repute indispensáveis ao
ajuizamento da demanda;
c) Somente o adolescente pode ser considerado autor de ato infracional,
dependendo a aplicação de medida sócio-educativa da observância de
garantias, dentre as quais a igualdade na relação processual, o direito de ser
ouvido pessoalmente pela autoridade competente e a defesa técnica por
advogado;
d) A liberdade assistida será adotada sempre que se afigurar a medida mais adequada
para o fim de acompanhar, auxiliar e orientar o adolescente, e será fixada pelo prazo
mínimo de 06 (seis) meses, podendo a qualquer tempo ser prorrogada, revogada ou
substituída por outra medida, ouvido o orientador, o Ministério Público e o Defensor;
e) No regime de semiliberdade, que pode ser aplicado desde o início, ou como forma
de transição para o meio aberto, é obrigatória a escolarização e a profissionalização,
devendo, sempre que possível, ser utilizados os recursos existentes na comunidade.
Tal medida não comporta prazo determinado, aplicando-se, no que couber, as
disposições relativas à internação.

7) Adolescente, dirigindo veículo automotor, provoca acidente que causa danos a


outro veículo. Sobre obrigação pela reparação civil, dispõe a lei que ela recai, sem
prejuízo de outros responsáveis, sobre
a) o adolescente, ficando condicionada a exigibilidade da reparação ao advento da
maioridade civil.
b) o pai ou a mãe do adolescente, desde que ambos tenham o filho sob sua
autoridade e companhia.
c) o adolescente, dependendo eventual responsabilização dos pais de prova suficiente
de que agiram com culpa ou dolo no evento.
d) os detentores do poder familiar se a eles for aplicada, pelo juiz, medida pertinente
aos pais ou responsável na mesma sentença que impuser ao adolescente obrigação
de reparar o dano.
e) o próprio adolescente e, no caso de sua insolvência, sobre o patrimônio de seus
pais no limite dos direitos sucessórios do filho.
8) Assinale a opção correta a respeito dos institutos da guarda, da tutela e da adoção,
de acordo com o entendimento jurisprudencial.
a) A guarda obriga a prestação de assistência material, moral e educacional à criança
ou adolescente, conferindo a seu detentor o direito de opor-se a terceiros, inclusive
aos pais, e confere ao infante a condição de dependente, para todos os fins e efeitos
de direito, incluídos os previdenciários, ainda que norma previdenciária de natureza
específica disponha em sentido contrário.
b) O deferimento judicial da guarda provisória ou definitiva de criança ou adolescente
a terceiros suspende o exercício do poder familiar, do direito de visitas pelos pais,
assim como o dever de prestar alimentos, exceto se houver acordo entre as partes em
sentido contrário, devidamente homologado pelo juiz.
c) O tutor nomeado por testamento ou por qualquer documento autêntico, conforme
previsto no Código Civil, fica automaticamente responsável pelo tutelado após a morte
do seu representante legal.
d) Os divorciados, os judicialmente separados e os ex- companheiros podem adotar
conjuntamente, desde que a ação de adoção tenha sido julgada em primeira instância
ainda no período de convivência do ex-casal.
e) A observância, em processo de adoção, da ordem de preferência do cadastro
de adotantes deve ser excepcionada em prol do casal que, embora habilitado em
data posterior à de outros adotantes, tenha exercido a guarda da criança pela
maior parte da sua existência, ainda que a referida guarda tenha sido
interrompida e posteriormente retomada pelo mesmo casal.

9) A colocação em família substituta estrangeira


a) é admitida em todas as modalidades, desde que autorizadas pelo juiz competente.
b) não encontra qualquer restrição, se houver vínculo de parentesco até o quarto grau
com o menor, independentemente de vínculos de afinidade e afetividade.
c) constitui medida excepcional, somente admissível na modalidade de adoção.
d) é absolutamente vedada.
e) constitui medida excepcional, somente admissível nas modalidades de guarda e de
tutela.

10) Assinale a alternativa incorreta de acordo com o Estatuto da Criança e do


Adolescente.
a) A liberdade assistida será fixada pelo prazo mínimo de seis meses.
b) A família natural é aquela cujo vínculo é biológico.
c) A adoção no ordenamento jurídico brasileiro é irrevogável, rompendo-se
todos os vínculos com a família natural.
d) O Estatuto prevê expressamente que é dever de todos prevenir a ocorrência de
ameaça ou violação dos direitos da criança e do adolescente.
e) O princípio da garantia prioritária assegura a ideia de que a criança e o adolescente
têm prioridade de atendimento em todos os serviços prestados pelo Estado.

11) Com relação às regras gerais relacionadas ao procedimento de colocação de


criança ou adolescente em família substituta, assinale a opção correta de acordo com
o estabelecido no ECA.
a) Se os pais da criança ou do adolescente forem falecidos, tiverem sido destituídos
ou suspensos do poder familiar, ou houverem aderido expressamente ao pedido de
colocação em família substituta, os próprios requerentes desse pedido poderão
formulá-lo diretamente em cartório, em petição devidamente assinada, com a
assistência obrigatória de advogado ou defensor público.
b) O consentimento para a colocação da criança em família substituta, feito, por
escrito, pelos titulares do poder familiar, antes ou depois do nascimento da criança,
terá validade independentemente de audiência perante o juízo da infância e juventude,
mas deve ser precedido de orientações e esclarecimentos prestados por equipe
interprofissional, em especial, no caso de adoção, sobre a irrevogabilidade da medida.
c) A autoridade judiciária, de ofício ou a requerimento das partes ou do MP, deve
determinar a realização de estudo social ou, se possível, perícia por equipe
interprofissional, para decidir sobre a concessão de guarda provisória, bem
como, no caso de adoção, sobre o estágio de convivência. Deferida a concessão
da guarda provisória ou do estágio de convivência, a criança ou o adolescente
será entregue ao interessado, mediante termo de responsabilidade.
d) Nas hipóteses em que a destituição da tutela, a perda ou a suspensão do poder
familiar constituir pressuposto lógico da medida principal de colocação da criança ou
do adolescente em família substituta, o interessado será cientificado do processo, mas
não poderá intervir nos autos como parte, assistente ou interessado, devendo procurar
a via adequada para pleitear sua pretensão.
e) A colocação de criança ou adolescente sob a guarda de pessoa inscrita em
programa de acolhimento familiar será comunicada pela autoridade judiciária ao MP,
ao conselho tutelar e à defensoria pública, no prazo máximo de cinco dias, para que
sejam tomadas as providências cabíveis ao adequado encaminhamento do menor.

12- Um famoso casal de artistas residente e domiciliado nos Estados Unidos, em


viagem ao Brasil para o lançamento do seu mais novo filme, se encantou por Caio, de
4 anos, a quem pretende adotar. Caio teve sua filiação reconhecida exclusivamente
pela mãe Isabel, que, após uma longa conversa com o casal, concluiu que o melhor
para o filho era ser adotado, tendo em vista que o famoso casal possuía condições
infinitamente melhores de bem criar e educar Caio. Além disso, Isabel ficou
convencida do amor espontâneo e sincero que o casal de imediato nutriu pelo menino.
Ante a situação hipotética, é correto afirmar que:
a) a adoção só é concedida quando for impossível manter a criança ou o adolescente
em sua família, razão pela qual o consentimento de Isabel é irrelevante para a
apreciação do pedido do famoso casal, que será deferido caso represente o melhor
interesse de Caio.
b) independentemente da manifestação de vontade de Isabel, o famoso casal terá
prioridade na adoção de Caio, depois de esgotadas todas as possibilidades de
colocação de Caio em uma família brasileira.
c) tendo em vista o consentimento da mãe de Caio, o famoso casal terá prioridade em
sua adoção em face de outros casais já previamente inscritos nos cadastros de
interessados na adoção, mantidos pela Justiça da Infância e da Juventude.
d) a adoção internacional é medida excepcional; entretanto, em virtude do
consentimento de Isabel para a adoção de seu filho pelo famoso casal, este só
não terá prioridade se houver casal de brasileiro, residente no Brasil, habilitado
para a adoção.

13- Fernando e Eulália decidiram adotar uma menina. Iniciaram o processo de adoção
em maio de 2010. Com o estágio de convivência em curso, o casal se divorciou.
Diante do fim do casamento dos pretendentes à adoção, é correto afirmar que:
a) a adoção deverá ser suspensa, e outro casal adotará a menor, segundo o princípio
do melhor interesse do menor, pois a adoção é medida geradora do vínculo familiar.
b) a adoção poderá prosseguir, contanto que o casal opte pela guarda compartilhada
no acordo de divórcio, mesmo que o estágio de convivência não tenha sido iniciado na
constância do período de convivência.
c) a adoção será deferida, contanto que o casal acorde sobre a guarda, regime
de visitas e desde que o estágio de convivência tenha sido iniciado na
constância do período de convivência e que seja comprovada a existência de
vínculo de afinidade e afetividade com aquele que não seja o detentor da guarda
que justifique a excepcionalidade da concessão.
d) a lei não prevê tal hipótese, pois está em desacordo com os ditames constitucionais
da paternidade responsável.

14- José e Maria foram destituídos do poder familiar com relação ao seu filho João, de
13 anos. A adoção de João, por outro casal depende da concordância:
a) de João
b) de José e Maria.
c) de José ou Maria
d) de José,Maria e João
e) apenas do adotante

15) Considerando os princípios norteadores do Estatuto da Criança e do Adolescente,


a prática de atos infracionais fica sujeita a medidas que têm objetivos socioeducativos.
Nesse sentido, é correto afirmar que
a) se Aroldo, que tem 11 anos, subtrair para si coisa alheia pertencente a uma creche,
deverá cumprir medida socioeducativa de prestação de serviços comunitários, por
período não superior a um ano.
b) a obrigação de reparar o dano causado pelo ato infracional não é considerada
medida socioeducativa, tendo em vista que o adolescente não pode ser
responsabilizado civilmente.
c) o acolhimento institucional e a colocação em família substituta podem ser aplicados
como medidas protetivas ou socioeducativas, a depender das características dos atos
infracionais praticados.
d) a internação, como uma das medidas socioeducativas previstas pelo ECA,
não poderá exceder o período máximo de três anos, e a liberação será
compulsória aos 21 anos de idade.