Você está na página 1de 4

COMPRIMENTO DO CABO (LPEN)[m]:. . . . . . . . 9.

81

FREQÊNCIA DE OCILAÇÃO DO PÊNDULO)[rad/s]: . . 1.00

w=1rad/s, q=0.1 rad w=1rad/s, q=0.3rad w=1rad/s, q=0.5 rad


0.005 0.01 0.02
0.01
0 0 0
0 100 200 300 0 100 200 300 -0.01 0 100 200 300
-0.005 -0.01 -0.02

COMPRIMENTO DO CABO (LPEN)[m]:. . . . . . . . 2.45

FREQÊNCIA DE OCILAÇÃO DO PÊNDULO)[rad/s]: . . 2.00

w=2rad/s, q=0.1 rad w=2rad/s, q=0.3rad w=2rad/s, q=0.5 rad


0.005 0.02 0.04
0.02
0 0 0
0 100 200 300 0 100 200 300 -0.02 0 100 200 300

-0.005 -0.02 -0.04

COMPRIMENTO DO CABO (LPEN)[m]:. . . . . . . . 1.09

FREQÊNCIA DE OCILAÇÃO DO PÊNDULO)[rad/s]: . . 3.00

w=3rad/s, q=0.1 rad w=3rad/s, q=0.3rad w=3rad/s, q=0.5 rad


0.04 0.1 0.1

0.02 0.05 0.05

0 0 0
0 100 200 300 0 100 200 300 0 100 200 300
-0.02 -0.05 -0.05
-0.04 -0.1 -0.1
A seguir estão os gráficos de amplitude do movimento do pórtico em função do tempo para alguns casos de
movimento harmônico do pendulo. O intuito aqui é comparar diferentes condições iniciais como ângulo, comprimento
do cabo e frequência de oscilação, e com isso encontrar os piores casos de amplitudes de deslocamentos para a
estrutura do pórtico.

Os gráficos foram plotados em escalas que facilitam a visualização da forma no eixo y, já o eixo x (tempo) está
igual para todos.

Em uma situação de mesmo comprimento de cabo e e com isso mesma frequência de oscilação, quanto maior
o ângulo inicial maior serão as amplitudes do pórtico. O mesmo comportamento é observado com o a variação de
massa do pendulo, quando maior a massa maiores as amplitudes e esse aumento é linear.

Para um pequeno ângulo inicial de 0,1 radianos é observado que quanto menor o comprimento do cabo a
frequência de oscilação se aproxima da frequência de ressonância e com isso ocorre um aumento exagerado das
amplitudes de vibração. Ou seja, para pequenos ângulos iniciais, o comprimento do cabo tem grande influência na
forma de vibração da estrutura.

Vale ressaltar que em casos de comprimentos do cabo práticos (de 0 até 18 metros) o único modo de vibração
que apresentou influencia no movimento é o primeiro modo (curva em azul). O quarto modo (curva em amarelo) em
alguns casos foi detectado, mas em comparação com o primeiro modo pode ser desconsiderado.

Por fim, observa-se que o pior caso, ou seja, maiores amplitudes ocorre em uma situação de menor
comprimento do cabo (o que implica em maiores frequências) e maior ângulo inicial de oscilação, como era o
esperado.

A seguir uma análise da influência da massa carregada pela ponte rolante, com as outras variáveis constantes.

COMPRIMENTO DO CABO (LPEN) [m]:. . . . . . . . 5.00

ÂNGULO INICIAL(TETA0) [rad]: . . . . . . . . . 0.1000

L=5m m=100 kg L=5m m=10000kg

0.000035 0.0035

-0.000015 0 50 100 150 200 250 300 -0.0015 0 50 100 150 200 250 300

-0.000065 -0.0065

O que pode-se apontar é que o aumento de carga é linearmente proporcional a amplitude, uma vez que uma
carga 100 vezes maior apresentou uma resposta de amplitude 100 vezes maior. Então a análise da variação das outras
variáveis foi feita apenas com a carga sugerida de 10 toneladas uma vez que sabe-se como é o comportamento do
aumento da massa.

A seguir é realizada uma mudança no comprimento do cabo em valores práticos com um mesmo ângulo inicial
e observa-se que a forma da resposta pouco se altera.
ÂNGULO INICIAL(TETA0)[rad]: . . . . . . . . . 0.1000

L=2.5m w=1.9806 L=5m, w= 1.4005

0.0035 0.0035

-0.0015 0 50 100 150 200 250 300 -0.0015 0 50 100 150 200 250 300

-0.0065 -0.0065

L=7.5m w=1.1435 L=10m w=0.9903

0.0035 0.0035

-0.0015 0 50 100 150 200 250 300 -0.0015 0 50 100 150 200 250 300

-0.0065 -0.0065

L=12.5m w=0.8857 L=15m w=0.8086

0.0035 0.0035

-0.0015 0 50 100 150 200 250 300 -0.0015


0 50 100 150 200 250 300

-0.0065 -0.0065

A principal conclusão retirada desse caso é que quando pendulo está em uma situação de mesmo ângulo inicial
e variando o comprimento e com isso as frequências, após os primeiros segundos a amplitude do movimento não se
modifica. Ou seja, nesses casos analisados de comprimentos variando entre 2,5m até 15m com um mesmo ângulo
inicial e uma mesma massa a estrutura apresentara a mesma amplitude, então nessa faixa de comprimentos o pendulo
pode se movimentar para baixo e para cima livremente pois a amplitude já é conhecida e constante.

A seguir foi proposta uma análise do comportamento da amplitude em casos com o pendulo deve se
movimentar em uma frequência imposta igual a frequência de ressonância (em cada modo de vibração) já conhecida
do pórtico, e com isso calculados os respectivos comprimentos do pendulo em cada frequência de ressonância do
pórtico. Os resultados estão aqui apresentados para os quatro primeiros modos de vibração do pórtico, todos com as
mesmas condições iniciais.

DADOS MODAIS:
COMP. DE
FREQUENCIA OMEGA OMEGA^2 MASSA RIGIDEZ
MODO RESONÂNCI
[Hz] [rad/s] [rad2/s2] [kg] [N/m]
A PÊNDULO
1 0,5082 3,1933 10,1972 533800,3 5443261 0,9617
2 1,2957 8,1414 66,2821 326069,3 21612556 0,148
3 2,8379 17,8309 317,942 505096,8 1,61E+08 0,0308
4 3,7969 23,8567 569,1411 319557,2 1,82E+08 0,0172
L=0.962m (Resonância 1º Modo) L=0.148m (Resonância 2º Modo)
0.1 0.001

0.05 0.0005

0 0
0 50 100 150 200 0 50 100 150 200
-0.05 -0.0005

-0.1 -0.001

L=0.0308m (Resonância 3º Modo) L=0.0172m (Resonância 4º Modo)


0.006 0.0005
0.004 0.0004
0.002 0.0003
0 0.0002
0 50 100 150 200
-0.002 0.0001
-0.004 0
0 50 100 150 200
-0.006 -0.0001

Legenda:

Esse artificio é uma forma de visualizar os outros modos de vibração além do primeiro, o qual nas outras
analises era o que se sobressaia, mas mesmo assim a amplitude apresentada nos modos subsequentes é muito inferior
quando comparada as amplitudes do primeiro o que nos leva a crer que esse é o principal modo de vibração dessa
estrutura e o modo que precisa ser considerado na análise dinâmica. Além disso, é interessante notar no gráfico de
ressonância do primeiro modo que a tendência de aumento das amplitudes com o tempo corresponde ao esperado
para uma situação do sistema em ressonância.