Você está na página 1de 17

Visão geral RELATÓRIO MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE

O DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS HÍDRICOS 4

das mensagens O manejo dos recursos


hídricos em condições
centrais de incerteza e risco

A proteção dos recursos hídricos, a otimização do


seu uso ao longo dessas atividades e a garantia
Parte 1: de uma distribuição equitativa dos benefícios
de atividades intensivas em água devem estar
Reconhecendo o papel vital da no centro das políticas públicas e regulações.
água e suas dimensões globais Isso é válido para todos os níveis da governança
hídrica: o local, o regional, o das bacias hídricas e
o central. O fracasso em se lidar estrategicamente
O acesso à água é um elemento crucial para o com essas questões de destinação, resultando
bem-estar das pessoas em todos os domínios da em uma abordagem fragmentada para o manejo
vida – pessoal, familiar e social. A água também fornece da água, comprometerá a disponibilidade e a
uma contribuição essencial à produção econômica. sustentabilidade futura dos recursos hídricos e
Ela está na base do funcionamento apropriado dos tenderá a reduzir o bem-estar econômico e social
sistemas ambientais e ecológicos naturais. Muitos para baixo dos níveis alcançáveis.
setores econômicos competem entre si por recursos
hídricos finitos. A água é o único meio pelo qual A tarefa de fornecer quantidades suficientes de
grandes crises globais (de alimentos, de energia, de água para as necessidades sociais, econômicas e
saúde e de mudanças climáticas, bem como as crises ambientais tem sido considerada, tradicionalmente,
econômicas) podem ser conjuntamente abordadas. uma responsabilidade daqueles que estão
Possivelmente, serão necessárias certas concessões, diretamente envolvidos na sua extração, coleta e
de modo a destinar a água para usos que maximizem uso – o “setor hídrico”. Porém, a disponibilidade de
os benefícios alcançáveis por meio de uma série água ao longo do ciclo hidrológico é influenciada
de setores do desenvolvimento. Esse é um desafio por muitos fatores que estão fora do controle
extremamente importante, cujo sucesso é difícil e direto das autoridades hídricas. O manejo efetivo
complexo na prática. e sustentável dos recursos hídricos, bem como
a sua destinação, requerem a cooperação e a
coordenação entre as diversas partes interessadas e
as “jurisdições” setoriais.

No futuro, os recursos hídricos globais tenderão a


sofrer cada vez mais pressão. A demanda pela água
está crescendo, e, ao mesmo tempo, espera-se que

BR/2012/PI/H/10
2 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

© Philippe Bourseiller

a mudança climática ameace a sua disponibilidade. A energia e a água estão intimamente relacionadas.
A água não está confinada às fronteiras políticas. Todas as fontes de energia e de eletricidade
Estima-se que 148 Estados tenham bacias requerem a água nos seus processos produtivos:
internacionais dentro dos seus territórios, e somente a extração de matérias-primas, o arrefecimento
21 bacias estão localizadas dentro de apenas um de processos térmicos, os processos de limpeza,
território nacional. Além disso, cerca de 2 bilhões o cultivo de plantações para os biocombustíveis
de pessoas ao redor do mundo dependem dos e o fornecimento de energia para as turbinas.
suprimentos subterrâneos de água, que incluem 273 A própria energia é necessária para tornar
sistemas de aquíferos transfronteiriços. Os múltiplos disponíveis os recursos hídricos para o uso e para
e crescentes motores do uso da água, bem como as o consumo humanos, por meio do bombeamento,
incertezas associadas a eles, tenderão a pressionar do transporte, do tratamento, da dessalinização e
os atuais acordos transfronteiriços. da irrigação.

Em última análise, essas questões só poderão Mais de 1 bilhão de pessoas já sofrem com a falta
ser abordadas em fóruns internacionais. A de acesso à eletricidade e a outras fontes limpas de
Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre energia. Espera-se que os aumentos na demanda,
a Mudança do Clima (UNFCCC), os Objetivos de em função do aumento populacional e da crescente
Desenvolvimento do Milênio (ODMs) e a Conferência atividade econômica, causem um surto no consumo
da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável de energia, particularmente nos países que não são
(Rio+20) são particularmente importantes. Sob a membros da OCDE.
liderança dos Estados-membros, as suas atividades
devem ser complementadas pelos processos Existe uma relação direta entre a água e a
adequados de consulta, de modo a garantir a produção de alimentos. As lavouras e a pecuária
implementação efetiva das políticas globais no fazem uso intensivo da água, e a agricultura
âmbito dos países. Os membros da comunidade de responde por 70% de toda a água retirada pela
especialistas em recursos hídricos têm o dever de combinação dos setores agrícolas, municipal e
informar e prestar orientações sobre esse processo. industrial (incluindo energia). A forte expansão da
demanda por produtos pecuários, em particular,
está aumentando a demanda por água, e também
A demanda pela água está afetando a qualidade da água, que, à sua vez,
O que move o consumo? diminui a disponibilidade. A gestão responsável
A demanda pela água se origina de quatro fontes do uso da água para a agricultura será uma
principais: a agricultura, a produção de energia, os grande contribuição ao futuro da segurança
usos industriais e o consumo humano. hídrica global.
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 3

Espera-se que a demanda global por alimentos


aumente em 70% até 2050. Porém, as previsões
sobre o futuro da demanda pela água em relação a
seus usos agrícolas estão carregadas de incertezas,
dependendo das metodologias e dos pressupostos
adotados. A demanda é influenciada pelos níveis
populacionais, pelo tipo de alimento demandado
e pelas quantidades consumidas. Os tipos de
plantações, as colheitas e a eficiência da produção
agrícola também afetam as quantidades necessárias
de água, e, ao mesmo tempo, as variações climáticas
fazem aumentar as incertezas.

As melhores estimativas sobre o futuro do consumo


global de água para a agricultura (incluindo a
capacidade pluvial e a agricultura irrigada) são de um
aumento de cerca de 19% até 2050. Muito do aumento
no consumo da água pela irrigação acontecerá em
regiões que já sofrem com a escassez desse recurso.

A água é uma parte integral de muitos processos

© UN Photo/Ky Chung
industriais, e a crescente demanda por esse recurso
para usos industriais resultará no aumento da
atividade econômica.

Em relação ao consumo humano, a principal fonte


da demanda vem das comunidades urbanas, que
necessitam de água para beber, para o saneamento e
para o esgoto. Projeta-se um aumento na população
urbana mundial, de 3,4 bilhões em 2009 para 6,3
bilhões em 2050, representando tanto o crescimento
populacional quanto o ritmo da imigração do para o suprimento doméstico de uma grande parte
interior para as cidades. Já existe um acúmulo de da população em outras partes do mundo.
populações urbanas não servidas, e a estimativa de
pessoas nas cidades sem acesso a um suprimento Durante o século XX, aconteceu uma “revolução
melhorado de água e de saneamento aponta para silenciosa” sem precedentes na extração das águas
um crescimento de cerca de 20%, desde que os subterrâneas ao redor do mundo. A taxa de extração
ODMs foram estabelecidos. de águas subterrâneas pelo menos triplicou ao longo
dos últimos 50 anos, aumentando significativamente
a produção de alimentos e o desenvolvimento rural.
O recurso hídrico: variabilidade, Não importa o quão grandes sejam os volumes de
vulnerabilidade e incerteza água contidos nesses aquíferos, pois muitos deles
Entender a distribuição espacial e temporal, bem não são renováveis, e isso significa que eles podem
como o movimento da água, é crucial para uma eventualmente ser explorados até a exaustão, se
gestão eficiente dos recursos hídricos. Os suprimentos não forem usados de maneira apropriada. Em alguns
de água doce estão distribuídos de maneira irregular, lugares de uso intensivo, a disponibilidade de águas
em termos geográficos e ao longo do tempo. Existe subterrâneas não renováveis tem alcançado limites
uma variabilidade considerável entre os climas críticos.
áridos e úmidos, e entre as estações de chuvas e de
secas. A distribuição de água doce é motivada por A despeito dessas preocupações reais com taxas
alguns fatores climáticos de grande escala como, por não sustentáveis de extração e de poluição, se
exemplo, a oscilação austral do El Niño (em inglês, El os recursos hídricos subterrâneos tiverem um
Niño-Southern Oscilation – ENSO). bom manejo, eles podem se tornar uma grande
contribuição para o atendimento da demanda por
Atualmente, as reservas subterrâneas são uma água no futuro, bem como na adaptação à mudança
grande fonte de água para o consumo humano, climática. Serão necessários investimentos para
provendo quase a metade de toda a água potável aprimorar a mensuração e o controle da água e,
do mundo. A onipresença das águas subterrâneas onde for apropriado, para aumentar as águas de
e a sua capacidade especial de servir como superfície e o armazenamento subterrâneo, tanto em
reservatórios têm permitido que as pessoas se reservatórios construídos quanto no armazenamento
estabeleçam e vivam em áreas secas, onde as chuvas natural, nos pântanos e no solo.
e o escoamento são escassos e imprevisíveis. As
águas subterrâneas são cruciais para a subsistência As geleiras também funcionam como reservatórios.
e a segurança alimentar de mais de 1 bilhão de lares A água é liberada nos anos de fraca precipitação
rurais nas regiões mais pobres da África e da Ásia, e de neve, e é retida como gelo nos anos de nevascas
4 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

significa planejar e preparar-se para eventos


hidrológicos e climáticos extremos, incluindo
enchentes, secas e tempestades. Outras medidas
capazes de afetar o consumo da água em função
do setor energético são o desenvolvimento de
tecnologias mais eficientes no uso da água, tanto
para a energia primária quanto para a eletricidade. As
políticas hídricas e energéticas, que frequentemente
são decididas em diferentes departamentos e
ministérios do governo, devem ser harmonizadas,
e o processo decisório deve transcorrer de maneira
© Shutterstock/Diane Uhley

coordenada.

O principal desafio enfrentado pelo setor agrícola


não é tanto o de crescer 70% na produção de
alimentos ao longo de 40 anos, mas sim fazer com
que 70% a mais de alimentos estejam disponíveis
sobre as mesas das pessoas. A redução de perdas
no armazenamento e ao longo da cadeia de valor
já seria uma contribuição no sentido de compensar
a necessidade de maior produção (e mais água).
Também será necessário contar com tecnologias
pesadas. No curto prazo, o encolhimento das inovadoras para melhorar o rendimento das colheitas
geleiras acrescenta água ao fluxo além e acima da e a tolerância contra as secas, bem como para
precipitação anual, aumentando assim o suprimento proporcionar maneiras mais eficientes no uso de
de água. Porém, no longo prazo, prevê-se que as fertilizantes e de água. Os países industrializados têm
geleiras desapareçam como uma fonte adicional de condição de fazer um bom aproveitamento dessas
água, ainda que isso ocorra bem lentamente. tecnologias, mas eles também devem permitir que os
países menos desenvolvidos tenham acesso a elas,
A quantidade de água disponível também é de maneira equitativa e não discriminatória.
determinada pela sua qualidade. A água poluída
não pode ser utilizada para beber, para o banho, Para a maioria das operações industriais, até o
para usos industriais ou para a agricultura. Quanto momento, a água ainda não havia sido encarada
mais poluída for a água, mais caro é o tratamento como um problema. O manejo aprimorado da água
necessário para retorná-la a um estado utilizável. reflete-se geralmente na diminuição da sua retirada
para fins industriais, ou no aumento do tratamento
A água de má qualidade prejudica a saúde humana das águas residuais, marcando assim a relação entre
e degrada os serviços dos ecossistemas. Os custos produtividade mais alta e menor consumo, menos
econômicos da água de má qualidade em países do descargas de efluentes e redução da poluição.
Oriente Médio e do norte da África variam entre 0,5% Porém, as indústrias não estarão imunes a crescentes
e 2,5% do PIB. pressões pela demanda de água, cujos impactos
se estenderão além dos limites de cada fábrica,
A abordagem preventiva e colaborativa descrita afetando trabalhadores, consumidores, fornecedores
como planejamento de segurança hídrica e membros da sua comunidade hospedeira. A
tem demonstrado economia nos custos e indústria precisará considerar não somente os seus
aprimoramentos na qualidade da água. Ela requer próprios interesses diretos, mas também os das
o engajamento das principais partes interessadas, outras partes interessadas e do ambiente natural.
incluindo fazendeiros ou responsáveis pelo despejo
de resíduos industriais, agrícolas ou domésticos Estima-se que mais de 80% do esgoto do mundo não
em áreas de captação; tomadores de decisões de é coletado ou tratado, e os agrupamentos urbanos são
diversos níveis de governo ao redor do mundo, a principal fonte de poluição pontual. O público precisa
que supervisionam a implementação e garantem receber melhores informações sobre o impacto do seu
o cumprimento das regulamentações ambientais; consumo na quantidade e na qualidade dos recursos
e profissionais que distribuem a água aos hídricos. Estão sendo desenvolvidas ferramentas para
consumidores finais. o manejo da crescente demanda urbana por água;
em particular, o manejo hídrico urbano integrado (em
inglês, integrated urban water management – IUWM),
Reduzindo as pressões que unifica o manejo de águas limpas, residuais e
sobre os recursos hídricos pluviais por meio de uma estrutura comum de gestão
A mudança climática tem uma importância central: de recursos.
ela é afetada pela produção de energia e tem
um impacto direto sobre a água. As medidas de
mitigação enfocam a redução do consumo de
Os impactos sociais e ambientais da água
energia, que aliviaria as pressões de natureza As medidas de aprimoramento do manejo dos
energética sobre a demanda por água. Adaptar recursos hídricos ampliam o acesso à água potável
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 5

de qualidade e ao saneamento básico, além de


promoverem a higiene. Elas têm o potencial de
melhorar a qualidade de vida de muitos bilhões
de indivíduos, reduzindo a mortalidade infantil,
promovendo a saúde materna e reduzindo o ônus
das doenças transmitidas pela água. O apoio

© Philippe Bourseiller
ao acesso e ao controle da água pelas mulheres
aprimorará o seu acesso a fontes seguras de
alimentos e de subsistência, que beneficiarão a sua
própria saúde e a saúde de suas famílias.

Os desastres provocados pela água são um grande


obstáculo à redução da pobreza e ao cumprimento
dos objetivos de desenvolvimento, a exemplo dos
ODMs. Uma questão de especial premência é a da
desertificação, da degradação do solo e da seca com as diversas questões relacionadas aos recursos
(em inglês, desertification, land degradation and e aos usos e serviços, é refletida na complexidade e
drought – DLDD). Estimativas recentes sugerem que na fragmentação das instituições que existem para
aproximadamente 2 bilhões de hectares de terra gerenciá-la. Um problema adicional é que muitas
em todo o mundo – uma área duas vezes maior instituições ligadas à água ainda estão fortemente
do que a China – já estão seriamente degradados, focadas nas soluções tecnológicas e de outros tipos
e de maneira irreversível em alguns trechos. pelo lado da oferta. Para lidar com as mudanças
Globalmente, a DLDD afeta 1,5 bilhão de pessoas que necessárias, essas instituições terão de mudar a sua
vivem em áreas em estado de degradação, e está ênfase em direção às pessoas e ao gerenciamento
estreitamente associada à pobreza. A escassez de dos processos
água em decorrência da DLDD tem como resultados
a insegurança alimentar e a desnutrição nas A água está presente em todas as atividades sociais,
comunidades afetadas, em particular nos países em econômicas e ambientais. O manejo integrado dos
desenvolvimento. recursos hídricos (MIRH, ou, em inglês, integrated
water resources management – IWRM) visa a
Os ecossistemas determinam a disponibilidade alinhar a gestão da água em todos os setores, as
da água, incluindo os seus extremos de secas políticas e as instituições relevantes para alcançar a
e inundações, bem como a sua qualidade. Eles segurança hídrica, alimentar e energética nacional.
proporcionam diversos benefícios (serviços) Esse processo requer a consideração de diferentes
que são essenciais para o desenvolvimento usos da água, de maneira interligada, e fornece
sustentável; muitos deles derivam diretamente uma estrutura para que grupos de interesses
da água, e todos são determinados por ela. As competidores (grupos de serviços hídricos,
tendências dos ecossistemas, incluindo a vida fazendeiros, indústrias e mineração, comunidades,
que eles sustentam, estão nos dizendo que a ambientalistas etc.) possam produzir estratégias
situação está fora de equilíbrio. Os tomadores de coerentes para atender aos desafios e às incertezas
decisões políticas e gestores devem reconhecer futuras. O MIRH envolve um amplo grupo de partes
que os ecossistemas não consomem água – eles interessadas no processo de “estabelecimento de
a proveem e a reciclam – e que a extração não regras” para o manejo dos recursos hídricos, que, no
sustentável de água dos ecossistemas reduz a sua caso dos sistemas hídricos transfronteiriços, também
capacidade de proporcionar os benefícios que inclui a colaboração internacional.
precisamos obter deles.
O processo decisório bem informado
O manejo hídrico, as instituições É cada vez mais importante que os governos
e o desenvolvimento de capacidades nacionais tenham informações confiáveis e objetivas
É essencial entender os múltiplos aspectos e as a respeito da situação dos recursos hídricos, e de
funções da água, para que seja possível ter uma como eles vêm sendo utilizados e geridos. Nesse
governança efetiva sobre ela. A água afeta o contexto, a Organização para a Cooperação e o
bem-estar social e o desenvolvimento econômico Desenvolvimento Econômico (OCDE) determinou
dentro de uma ampla gama de setores. As como meta política a “dissociação das pressões
demandas e os usos da água são frequentemente ambientais do crescimento econômico”. As
geridos de maneira mutuamente isolada (e isso tendências do uso da água são um parâmetro
pode levar a conflitos de setores que competem importante que deve ser monitorado. As informações
entre si), ao invés de integrarem uma estratégia sobre a situação da água são necessárias e devem
abrangente para otimizar a sua utilização na ser fornecidas por todos os segmentos da sociedade,
sociedade e na economia. desde as comunidades locais até as organizações
globais multilaterais, incluindo fazendeiros,
Instituições eficazes podem reduzir as incertezas planejadores urbanos, serviços de água potável
naturais, econômicas, técnicas e sociais. Porém, a e de esgoto, gestores de situações de desastres,
estrutura diversificada da gestão hídrica, ao lidar empresas, indústrias e ambientalistas. Em geral, a
6 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

existe uma grande diversidade de dados disponíveis


sobre as precipitações, que podem ser medidas por
sensoriamento remoto, por outro, as mudanças no
escoamento dos rios ou no ritmo de recarga das
águas subterrâneas têm uma mensuração muito
mais difícil. A enorme base de recursos obtida por
© Shutterstock/sootra

sensoriamento remoto (validada por redes e serviços


hidrometeorológicos, em inglês, hydromet) ainda
não foi traduzida seriamente em termos de fluxos de
informações úteis e processadas acerca de recursos
hídricos e seu uso. Por exemplo, o monitoramento
remoto dos indicadores de qualidade da água
mostrariam tendências de eutrofização ou outros
problemas que afetam o status dos ecossistemas
naturais, como os pântanos.
disponibilidade de dados é particularmente pobre
em relação às águas subterrâneas e à qualidade da Os dados sobre o uso da água frequentemente são
água. Portanto, é essencial estabelecer sistemas de obtenção ainda mais difícil do que as informações
sustentáveis de coleta e de disseminação de dados, sobre a situação do recurso em si. Atualmente,
além de criar fóruns para o compartilhamento o uso direto da água pela agricultura pode ser
dessas informações. Um objetivo central é reduzir a avaliado de maneira confiável pela utilização de
incerteza a respeito dos recursos hídricos e de seu dados obtidos por métodos remotos, mas é mais
uso para melhorar a gestão de seus riscos. difícil determinar a quantidade de água efetivamente
captada dos rios e represas para a irrigação dos
Um amplo leque de indicadores foi desenvolvido campos. De forma surpreendente, sabe-se pouco
para monitorar a situação, o uso e a gestão dos acerca de quanta água é efetivamente extraída e
recursos hídricos. Juntamente com as tendências consumida pela indústria. Como a água é um recurso
do uso da água, a eficiência hídrica de diferentes barato e amplamente distribuído, frequentemente
setores pode ser um indicador útil, sendo medida em seu uso não é medido de maneira direta, mas sim
termos de rendimento por unidade de uso da água. estimado por meio de pressupostos padronizados
Em um nível societário mais extenso, o conceito sobre o consumo da água em indústrias específicas.
amplamente usado de estresse hídrico nacional É possível que haja relutância em compartilhar
mede a quantidade de água disponível por pessoa informações; no entanto, se os dados efetivos
no país. Para alcançar uma destinação balanceada não forem obtidos, não será possível rastrear os
dos recursos hídricos e a sua proteção, devem ser aprimoramentos na produtividade da água, mesmo
escolhidos indicadores para assegurar a regulação se esses aprimoramentos tiverem papel de destaque.
no estabelecimento de cotas (por exemplo, os
padrões técnicos e de desempenho), as regras de Os decisores das políticas econômicas reconhecem que
acesso e procedimentos de destinação, bem como os recursos hídricos desempenham papel importante de
os instrumentos econômicos (especialmente os influência sobre as economias nacionais, mas esse papel
mecanismos de estabelecimento de preços e de não é amplamente contabilizado. O motor mais efetivo
pagamentos por serviços ligados aos ecossistemas). de esforços para aprimorar o fluxo de informações
sobre a água será uma demanda feita aos tomadores
Um grupo de especialistas do Programa Mundial de de decisão nos setores socioeconômicos. Hoje em dia,
Avaliação dos Recursos Hídricos (na sigla em inglês, existem importantes oportunidades para a comunidade
World Water Assessment Programme – WWAP) global de profissionais ligados à água, assim como para
sobre indicadores, monitoramento e relatórios (IMR), os usuários da água e para os membros da comunidade
considerou os dados disponíveis e as possíveis mais ampla que tenham interesses relacionados à água,
ações a serem empreendidas para aprimorar o fluxo para que realizem aprimoramentos substantivos na
de dados. Uma de suas constatações foi que um disponibilidade e na qualidade das informações sobre os
conjunto limitado de “dados-chave” poderia apoiar recursos, seus usos, seus usuários, seus benefícios, sobre
uma ampla gama de diferentes indicadores. como esses benefícios são distribuídos, e sobre quem
arca com os custos e com os impactos negativos.
No entanto, os dados requeridos para o preenchimento
dos indicadores raramente estão disponíveis de maneira Um exemplo disso é o desenvolvimento de técnicas
sistemática ou confiável nos âmbitos global, nacional, que permitem a medição direta da evapotranspiração
regional ou das bacias hídricas. A preocupação com a das lavouras. Pode-se obter estimativas precisas
mudança climática é um dos fatores que tem levado sobre a precipitação com o uso de dados sobre a
ao reconhecimento explícito de que a premissa da atenuação de sinais entre torres de telefonia celular,
“hidrologia estática” já não pode mais ser utilizada como o que significa que os provedores dos serviços
base para a avaliação da disponibilidade hídrica. Por de telecomunicações podem ajudar a preencher
sua vez, isso tem dirigido a atenção para a quantidade lacunas de dados. A família de satélites Grace, que
limitada de dados globais sobre os fluxos hídricos, tem permitido a medição gravimétrica remota para
nos quais devem se basear as estimativas sobre a determinar mudanças no “estoque” total de água em
disponibilidade dos recursos hídricos. Se, por um lado, áreas geográficas específicas, já tem demonstrado
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 7

© Peter Prokosch/UNEP/GRID-Arendal
potencial para monitorar as mudanças nas reservas
de águas subterrâneas em grandes bacias aluviais.
Baseando-se na estimativa da água disponível a partir

(http://www.grida.no/photolib)
de uma combinação de dados hidrometeorológicos
e sobre a elevação na superfície, uma iniciativa piloto
do WWAP está produzindo médias móveis de longo
prazo sobre os recursos hídricos renováveis totais
anuais (na sigla em inglês, total annual renewable
water resources – TARWR).

Perspectivas regionais
África
A contribuição que a água dará ao desenvolvimento
da África é amplamente reconhecida. O continente
enfrenta uma situação de pobreza endêmica, negativo sobre o aumento do PIB em um terço
insegurança alimentar e subdesenvolvimento dos países. As enchentes também têm um efeito
dominante. Em quase todos os países africanos, faltam bastante destrutivo sobre a infraestrutura, sobre os
as capacidades humanas, econômicas e institucionais transportes e sobre os fluxos de bens e serviços.
para desenvolver e gerenciar os recursos hídricos Elas contaminam as fontes de abastecimento de
de maneira sustentável. O acesso ao fornecimento água e aumentam o risco de epidemias de doenças
aperfeiçoado de água, tanto pelas populações urbanas transmitidas pela água como, por exemplo, a cólera.
quanto pelas rurais, ainda é o menor entre as regiões
do mundo. A maioria dos países não consegue
aproveitar as terras aráveis disponíveis para a produção
Europa e América do Norte
agrícola e a expansão da irrigação, e o fornecimento de Os norte-americanos têm o mais alto uso per
energia elétrica é subdesenvolvido. capita de água no mundo, consumindo cerca de
2,5 vezes a mais do que os europeus. Diversas
A cobertura do suprimento de água potável na estimativas indicam que, mantendo-se a realidade
África Subsaariana não alcança 60% do total. A normal, seriam necessários aproximadamente
cobertura nas áreas rurais aumentou para 47% 3,5 planetas Terra para sustentar uma população
em 2008, mas não foi capaz de aumentar além global com o estilo de vida atual de um europeu
de 80% nas áreas urbanas ao longo do período a ou de um norte-americano. Entretanto, existem
partir de 1990. Apenas 31% da população faz uso bolsões de carência hídrica, em particular entre
de instalações sanitárias aprimoradas, e se, por os povos indígenas: em mais de 10.000 lares em
um lado, a proporção da população que pratica a reservas no Canadá, não há qualquer encanamento
defecação em campo aberto está declinando, por doméstico, e os sistemas de abastecimento de
outro lado, ela aumentou em termos absolutos, de água e esgoto estão abaixo dos padrões em uma
188 milhões em 1990 para 224 milhões em 2008. em cada quatro reservas. Na Europa, cerca de 120
De meados da década de 1990 até o ano de 2008, milhões de pessoas não têm acesso a água potável
o número de pessoas com desnutrição na África segura, e um número ainda maior carece de acesso
Subsaariana aumentou de 200 milhões para entre a saneamento básico, o que resulta em incidências
350 e 400 milhões. Desde meados dos anos 1960, mais altas de doenças relacionadas à água.
a produção agrícola aumentou a uma média anual
de menos de 2%, enquanto a população aumentou Um problema importante na Europa e na América do
a uma taxa de 3%. No total, apenas uma em cada Norte é a poluição dos cursos d’água por produtos
quatro pessoas na África tem acesso à energia agroquímicos, em particular o nitrogênio, o fósforo
elétrica. A energia hidrelétrica é responsável por um e os pesticidas. Existem marcos legais para regular
terço de toda a energia consumida na África, mas esse problema, mas a aplicação das leis antipoluição
a região possui um amplo potencial hidrelétrico, apresenta falhas nas bacias de drenagem do Mar
suficiente para atender a todas as necessidades de Mediterrâneo, do Oceano Atlântico Leste e do Mar
eletricidade do continente. Apenas 3% dos seus Negro, e, como resultado, a qualidade da água acaba
recursos hídricos renováveis são explorados para a sendo prejudicada.
hidroeletricidade. Os países africanos começaram a
lidar com as questões transfronteiriças relacionadas O Painel Intergovernamental sobre a Mudança
ao desenvolvimento hídrico, por exemplo, por meio Climática (na sigla em inglês, Intergovernmental Panel
de grupos energéticos como o Grupo de Energia on Climate Change – IPCC) prevê que o estresse
da África Austral (na sigla em inglês, South African hídrico aumentará no centro e no sul da Europa, e
Power Pool – SAPP) e o Grupo de Energia da África que, até a década de 2070, o número de pessoas
Ocidental (West African Power Pool – WAPP). afetadas aumentará entre 16 e 44 milhões. Espera-se
que os fluxos de verão diminuam em até 80% no sul
Na África Subsaariana, as secas constituem da Europa e em algumas partes do centro e do leste
o risco climático dominante. Elas destroem a do continente. Espera-se que o potencial hidrelétrico
subsistência econômica e as fontes de alimentos da Europa tenha uma queda de cerca de 6% ao longo
dos produtores, gerando um efeito altamente desse período. Além disso, o IPCC considera que a
8 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

© UN-HABITAT
and flood-prone
bilhões de pessoasareas
que and the
não Pacific’s
fazem usosmall island
de instalações
© Shutterstock/Markus Gebauer

aprimoradas de saneamento vivem na Ásia.


states are particularly vulnerable to environmental nat-
ural hazards such as tropical cyclones, typhoons and
A Ásia e o Pacífico são as regiões mundiais que estão
earthquakes, and would be highly exposed to rises in
mais vulneráveis aos desastres naturais. Grande
sea levels
parte resulting from
do crescimento global warming.
econômico e populacional
ocorre nas áreas costeiras e propensas a inundações,
e
Inos pequenos
water Estados
resources insularesado
management, Pacífico
number são
of coun-
particularmente vulneráveis a perigos ambientais
tries in the region are shifting from an emphasis on the
naturais, tais como ciclones tropicais, tufões e
short-term development
terremotos, of water infrastructure
e estariam altamente expostos a to a
more strategic
aumentos approach
do nível do marthat recognizes
como the ecological
consequência do
aquecimento global.

mudança climática na América do Norte causará um Em termos de manejo dos recursos hídricos, alguns
aumento na competição entre os usuários em torno países da região estão deixando de dar ênfase
de recursos hídricos sobrealocados. ao desenvolvimento de infraestrutura hídrica de
curto prazo para adotarem uma abordagem mais
Na União Europeia, a Diretiva-Quadro da Água, estratégica, que reconhece o impacto ecológico do
concluída em 2000, bem como diretivas mais recentes desenvolvimento econômico.
sobre padrões hídricos e recursos subterrâneos,
representa a única plataforma de gestão hídrica
supranacional do mundo. Ela tem acelerado um
América Latina e Caribe
processo histórico de manejo hídrico transfronteiriço. Apesar de contar com algumas áreas bastante
áridas, a América Latina e o Caribe (ALC) formam
uma região basicamente úmida. O padrão de
Ásia e Pacífico uso da água na região pode ser descrito como
Essa região está passando por um processo de espacialmente esporádico e altamente concentrado
rápida urbanização, crescimento econômico, em relativamente poucas áreas.
industrialização e desenvolvimento agrícola.
Entretanto, essas tendências são acompanhadas A população da região da ALC aumentou em mais de
pelo uso intensivo dos recursos, e isso pressiona 50% entre 1970 e 2009, ainda que na atualidade as
os ecossistemas aquáticos e afeta a capacidade de taxas de natalidade estejam declinando com rapidez,
a região atender as suas necessidades hídricas. A e que o crescimento populacional esteja diminuindo
segurança alimentar é uma questão urgente, uma proporcionalmente. A região tem experimentado
vez que dois terços das pessoas que passam fome uma grande mudança nos percentuais relativos às
no mundo vivem na Ásia. As migrações internas populações que vivem nas áreas rurais e urbanas, e
e a urbanização são fatores que estão por trás do tem passado por grandes fluxos migratórios entre
aumento no número de megacidades e da crescente cidades, sendo que a sua população urbana triplicou
necessidade de serviços hídricos municipais. ao longo dos últimos 40 anos. O crescimento urbano
tem gerado uma quantidade numerosa de grandes
A proporção da população da região com acesso à cidades (com mais de 1 milhão de habitantes) e, em
água potável de qualidade aumentou de 73% para alguns casos, alta concentração da população em
88%, entre 1990 e 2008, um aumento de 1,2 bilhão de uma ou duas das maiores cidades. Entretanto, uma
pessoas. Juntas, a China e a Índia são responsáveis tendência recente tem sido o rápido crescimento
por uma fatia de 47% do 1,9 bilhão de pessoas das cidades de porte pequeno e médio. Estima-se
que obtiveram acesso ao fornecimento de água que 35% da população, ou cerca de 189 milhões de
potável de qualidade ao redor do mundo. Porém, pessoas, ainda vivem em situação de pobreza, sendo
a situação em relação à cobertura do saneamento que cerca de 14% desse contingente encontra-se na
básico é muito menos encorajadora: 72% dos 2,6 categoria social dos extremamente pobres.
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 9

Muitos países da ALC dependem das exportações Espera-se que a mudança climática produza
de bens e serviços de uso intensivo de água, temperaturas mais alta, juntamente com maior aridez
incluindo minerais, alimentos e outros produtos dos solos e deslocamentos nos padrões sazonais das
agrícolas, madeiras, pescados e turismo. A demanda chuvas (o que já vem acontecendo em algumas áreas
global tem aumentado consideravelmente nos agrícolas que dependem de águas pluviais, como
anos recentes. Essa exportação “virtual” da água na República Árabe da Síria e na Tunísia). Existe
possui implicações importantes para as demandas também a probabilidade de ocorrerem eventos
hídricas que competem entre si na região. Apesar climáticos extremos (enchentes e secas), reduções
de a maioria dos países da ALC ainda usufruir de nas nevadas e derretimento de neve em algumas
altos níveis de cobertura de água de qualidade regiões montanhosas, bem como aumento nos
e de saneamento, a qualidade dos serviços varia níveis do mar e da salinidade da água em aquíferos
muito e existem diferenças importantes entre as costeiros.
áreas rurais e urbanas, assim como entre os países.
Quase 40 milhões de pessoas ainda carecem de Conflitos do passado geraram um grande número de
acesso à água de qualidade, e quase 120 milhões desabrigados internos, e isso aumentou as migrações
não têm instalações sanitárias apropriadas. A maior regionais e a pressão sobre os recursos e serviços
parte desse contingente sem acesso aos serviços é hídricos nas áreas que recebem esses fluxos de
composta por habitantes pobres das zonas rurais. pessoas. Os conflitos violentos também destruíram
a infraestrutura hídrica em diferentes momentos em
Em relação aos recursos hídricos transfronteiriços, Beirute, no Kuwait e no Líbano, absorvendo recursos
existem sérios problemas geopolíticos. A ALC necessários para a reabilitação.
conta com 61 bacias e 64 aquíferos que cruzam
as fronteiras nacionais. Muitos países da região Para desmotivar possíveis conflitos por recursos
já fizeram acordos hídricos transfronteiriços, hídricos, tem-se buscado o compartilhamento dos
relacionados muitas vezes ao manejo da energia escassos recursos disponíveis de modo coordenado
hidrelétrica, mas, frequentemente, obstáculos na região. A Liga dos Estados Árabes criou um
políticos têm gerado conflitos. Existem poucos Conselho Ministerial Árabe da Água e uma Estratégia
exemplos de acordos para a gestão de águas Árabe de Segurança Hídrica. Os ministérios nacionais
subterrâneas compartilhadas. e as autoridades responsáveis pela produção de
água estão frequentemente envolvidos nessas
Com uma capacidade de manejo hídrico tentativas nas questões de energia, agricultura
relativamente frágil, os países mais pobres da região, e irrigação. Em alguns países, adotaram-se leis
na América Central, no Caribe e nos Andes correrão nacionais ligadas à água, muitas das quais também
os maiores riscos com os impactos das mudanças estão implementando o manejo integrado dos
climáticas. Pelo lado positivo, as lições aprendidas a recursos hídricos.
partir das adaptações às consequências dos eventos
ligados ao El Niño levaram a inovações tecnológicas
e melhorias em termos de capacitação humana, que
Elos regionais e globais: impactos e desafios
são replicáveis para o manejo hídrico diante das Os impactos dos desafios regionais são sentidos em
mudanças climáticas. âmbito global. A incidência de desastres naturais
está aumentando na maioria das regiões do mundo,
afetando frequentemente o desenvolvimento
Mundo árabe e Ásia Ocidental socioeconômico. As secas – juntamente com o seu
Cerca de dois terços da água de superfície impacto direto sobre as necessidades humanas – têm
disponível nessa região originam-se de fora, um impacto crucial sobre a produção agrícola e têm
e isso, em alguns momentos, tem levado a contribuído com os aumentos elevados nos preços
conflitos com os países “rio acima”. A escassez dos alimentos e com a escassez. Desde o verão de
de água inevitavelmente gera preocupações com 2010, o custo do trigo quase dobrou em função de
a insegurança alimentar, em função das altas uma diminuição acentuada na produção mundial.
demandas de consumo de água pela agricultura.
Artigos alimentícios importados, em particular Os momentos de escassez de água contribuem para
os grãos, são responsáveis por uma proporção conflitos de intensidade e de escala variadas. Ainda
considerável do consumo hídrico virtual nessa que esses conflitos possam parecer localizados, eles
região. A produção local de cereais tem sido possuem efeitos mais amplos, como o deslocamento
promovida pela crescente exploração das águas de pessoas, as migrações em massa, a interrupção
subterrâneas para a irrigação. Porém, como os da subsistência, o colapso social e os riscos para a
aquíferos são retirados de baixo, o bombeamento saúde. Todas essas situações deixam as suas marcas
de água está se tornando cada vez mais caro e na comunidade global.
insustentável. Contra um contexto de escassez de
água, os principais motivos que afetam os recursos
hídricos da região são o crescimento populacional
e as migrações; o aumento na renda, na riqueza e
no consumo; e os conflitos regionais. A governança
hídrica na região precisa ser urgentemente
fortalecida para que possa lidar com esses desafios.
10 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

© Taco Anema

junto à política de recursos hídricos. Os riscos serão


gerenciados de diferentes maneiras em cada setor ou
Parte 2: domínio. Proporcionar, aos tomadores de decisões,
as ferramentas que mostrem as consequências mais
O manejo hídrico em amplas dos recursos hídricos e os possíveis avanços
situações de incerteza e risco alternativos, contribuirá substancialmente para o
aprimoramento do manejo desses recursos, com a
possibilidade de reduzir os impactos negativos.
Os sistemas políticos e sociais globais estão
se modificando de maneiras imprevisíveis. As
tecnologias estão se desenvolvendo, e os níveis
O manejo dos riscos e das incertezas
de vida, os padrões de consumo e as expectativas Os riscos e as incertezas são inerentes às decisões
de vida estão mudando. As populações humanas que os gerenciadores dos recursos hídricos e os
estão crescendo e deslocando-se para ambientes formadores de políticas públicas devem tomar,
urbanos em expansão. Consequentemente, a e o espectro emergente de motores e impactos
utilização e a ocupação da terra estão mudando, frequentemente está situado fora da área tradicional
assim como o clima. O ritmo na mudança desses dos recursos hídricos. Quanto mais esses riscos
eventos está aumentando, e os seus impactos de forem entendidos, maior será a possibilidade de
longo prazo são incertos. A água é o principal planejar e manejar sistemas hídricos robustos para
meio pelo qual o impacto dessas mudanças na reduzir o impacto da variabilidade futura.
atividade humana e no clima pode ser sentido.
O ciclo do carbono (domínio da mitigação da Historicamente, os planejadores e engenheiros
mudança climática) e o ciclo da água (domínio da hídricos basearam as suas decisões, sobre as
adaptação) estão interligados: os ecossistemas características do ciclo hídrico e da hidráulica,
precisam de água para armazenarem carbono, e, em dados que podiam ser descritos pelos
ao fazê-lo, produzem um impacto sobre a água. parâmetros estatísticos e as distribuições
Sem a adaptação apropriada ou o planejamento estáveis de probabilidades. Porém, nos dias
para a mudança, centenas de milhões de pessoas de hoje, esses profissionais devem lidar com
correm um risco mais alto de enfrentarem a fome, as probabilidades futuras, incluindo condições
doenças, racionamentos energéticos e a pobreza extremas para eventos que ainda não foram
como consequências da escassez da água, da observados, e que estão fora dos parâmetros
poluição e das inundações. de variabilidade definidos pelos eventos do
passado. Essas incertezas se devem às futuras
Na condição de insumo para todas as atividades mudanças no crescimento populacional e na
econômicas, a água será afetada pelas decisões distribuição espacial, que alteram os padrões
tomadas em uma ampla gama de setores e domínios, de consumo da água e do desenvolvimento
que tipicamente não estão diretamente engajados socioeconômico, além de aumentar a variabilidade
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 11

climática. Tais fatores influenciam as precipitações


futuras, a evaporação, a infiltração de água nos
reservatórios subterrâneos, o escoamento na
superfície e a canalização de fluxos, de maneiras
que não encontram parâmetros na experiência do
passado. Além disso, como a água é um insumo

© Philippe Bourseiller
para todas as atividades econômicas e sociais, os
tomadores de decisões precisam de ferramentas
de planejamento que reflitam as consequências
mais amplas das suas decisões. As decisões de
longo prazo tendem a ter altos custos fixos e
são mais dificilmente revertidas. Elas incluem
investimentos infraestruturais, como a construção
de reservatórios e sistemas de água e esgoto.

Na atualidade, duas abordagens para lidar com os As informações climáticas e hidrológicas


extremos da incerteza, no campo dos problemas históricas frequentemente são o ponto de partida
complexos de gerenciamento hídrico, são as para os responsáveis pelo manejo hídrico, e as
estratégias adaptativas e as estratégias robustas. extrapolações com base no passado são realizadas
Uma abordagem de estratégias adaptativas de maneira rotineira para simular condições
seleciona planos que possam ser modificados, a hidrológicas futuras. Porém, o estresse hídrico e a
fim de se alcançar um melhor desempenho à luz sustentabilidade são funções dos recursos hídricos
dos resultados vislumbrados. Essas estratégias disponíveis, da sua retirada e do seu consumo.
podem responder a novas metas ou objetivos de Tanto as pressões projetadas sobre os recursos
desempenho sistêmico, bem com às mudanças nos hídricos, quanto os recursos em si, estão fora do
insumos ao longo do tempo. controle dos responsáveis pela gestão hídrica. O
Projeto Mundial de Cenários Hídricos do WWAP
As estratégias robustas identificam um leque realizou pesquisas com base em levantamentos
de circunstâncias futuras e buscam encontrar sobre dez fatores que provocam as mudanças.
abordagens que trabalhem razoavelmente bem em A relevância precisa de cada um desses fatores
meio a elas. Isso se aplica especialmente a decisões varia em diferentes regiões do mundo. Os
que possam não ser facilmente modificadas no participantes desses levantamentos identificaram
futuro, ou que possam ser modificadas em termos de e quantificaram uma série de motores mais
custo-benefício. prováveis, que estão resumidos abaixo.

A análise de cenários também é uma abordagem O aumento da produtividade hídrica na agricultura


apropriada e testada para lidar com a incerteza. A foi considerado o desenvolvimento mais
análise das questões hídricas em um contexto de importante a afetar a água. Entre 1961 e 2001, a
desenvolvimento sustentável requer uma visão de produtividade hídrica na agricultura aumentou
longo prazo que leve em consideração a evolução em quase 100%. Os participantes estimaram que a
de alguns dos processos hidrológicos e sociais produtividade agrícola poderia aumentar em mais
envolvidos. Os cenários são sequências hipotéticas 100% até 2040.
de eventos, construídos com o propósito de
focalizar a atenção nos processos causais, pontos A mudança climática afetará o ciclo hidrológico, e,
de decisão e no desenvolvimento de alternativas – consequentemente, a disponibilidade da água. Os
chegando aos momentos decisórios cruciais pelos participantes estimaram que o número de pessoas
quais as ações humanas podem afetar o futuro de em situação de risco devido ao estresse hídrico
maneira decisiva. Eles são particularmente úteis em provavelmente alcançará 1,7 bilhão antes de 2030, e
situações nas quais é difícil atribuir probabilidades 2 bilhões no início da década de 2030. Um aumento
a eventos ou resultados possíveis, seja em função de 50% nas áreas de deltas vulneráveis a enchentes
de um entendimento inicial limitado dos processos graves é visto como uma probabilidade no início da
envolvidos, seja em função do indeterminismo década de 2040.
intrínseco aos sistemas dinâmicos complexos.
Atualmente, o WWAP está conduzindo um projeto Os participantes consideraram que, como resultado
para desenvolver cenários potenciais para os do desenvolvimento da infraestrutura, 90% da
recursos hídricos mundiais e o seu uso entre o população global provavelmente terá um acesso
presente e o ano de 2050. razoável a fontes seguras de água potável, e
90% terá acesso a instalações apropriadas de
saneamento básico até o início da década de 2040.
Compreendendo a incerteza e os A adoção generalizada das lavouras mantidas pela
riscos associados às principais causas coleta pluvial (rainwater harvesting), combinada
Tradicionalmente, a análise estatística dos registros com maneiras simples e baratas de purificar a
climáticos do passado tem contado com uma base água coletada, também foi considerada como um
razoavelmente confiável na previsão do ciclo da água desenvolvimento provável entre os anos de 2020
e dos seus extremos hidrológicos. e 2030. Uma melhor utilização de tecnologias com
12 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

© Shutterstock/Lukas Hlavac

preços acessíveis pelos produtores rurais, para de responder a esses fluxos de informações. Existe
revisarem as lavouras e a umidade do solo também uma preocupação a respeito da resistência que
aumentarão a eficiência dos planejamentos de governos e interesses econômicos poderiam exercer
horários de irrigação. para impedir a flexibilidade, a participação e a
transparência necessárias no processo decisório
As estimativas populacionais anteveem uma governamental.
população mundial de quase 8 bilhões de pessoas
em 2034, de 9 bilhões no início da década de Contra esses riscos, o Projeto dos Cenários
2050, e de mais de 10,46 bilhões posteriormente. Hídricos Mundiais tem formulado diversos cenários
O crescimento populacional poderá superar os para explorar a disponibilidade hídrica futura e
ganhos alcançados em termos de acessibilidade à os seus impactos sobre o bem-estar humano e
água e ao saneamento básico, particularmente em sobre a saúde dos ecossistemas que sustentam a
países em desenvolvimento nos quais os avanços continuidade da vida. Tem-se procurado identificar
recentes em termos de acesso ao fornecimento de as principais causas, e é útil examinar como certos
água e saneamento básico poderiam ser mais do que motores poderiam interagir uns com os outros,
insuficientes. bem como as tendências se combinariam para que
seja possível examinar possíveis futuros para os
A demanda por água nos países em desenvolvimento recursos hídricos.
poderá aumentar em 50% acima dos níveis de 2011.
Mais de 40% dos países, principalmente países de Em um futuro possível, vislumbra-se a continuidade
baixa renda ou da África Subsaariana e da Ásia, do status quo, sem intervenções adicionais. O
poderão enfrentar uma severa escassez de água aumento na demanda por alimentos, resultante
potável até 2020. Um risco importante é o de que do crescimento populacional e de mudanças nos
o acesso desigual à água crie novas polaridades hábitos nutricionais, combinados com a crescente
econômicas e resulte em tensões políticas. urbanização, levarão a uma demanda muito maior
por água. A expansão das áreas de ocupação
O desenvolvimento de fóruns on-line sobre questões humana abarcará terras frágeis ou margens de
hídricas, incluindo os governos locais e a sociedade rios, e haverá um aumento no desmatamento e na
civil, poderá auxiliar na redução da assimetria poluição. Espera-se que as mudanças climáticas
de informações entre usuários, fornecedores e resultem em uma diminuição na disponibilidade
decisores políticos. A coordenação em redes hídrica em muitas regiões, exacerbando as
de âmbito nacional, no compartilhamento de polaridades econômicas entre países ricos em água
informações e melhores práticas entre as agências e países pobres nesse recurso, bem como entre
hídricas locais, pode ser realizada em pelo menos setores ou regiões dentro dos países. Grande parte
95% dos países, entre 2020 e 2030. Porém, é do ônus desses impactos provavelmente recairá
importante que os governos estejam em condições sobre a população mais pobre.
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 13

Um segundo futuro possível é aquele no qual os os setores, de um grupo de usuários para outro,
avanços tecnológicos são totalmente explorados, em ou entre setores como a indústria, a mineração, a
particular a tendência em direção aos processos de produção de energia e o turismo. A valoração dos
dessalinização. Os desenvolvimentos tecnológicos diversos benefícios socioeconômicos da água é
na agricultura levarão a uma conservação hídrica essencial para aprimorar as decisões dos governos,
considerável. Outros desenvolvimentos tecnológicos das organizações internacionais, da comunidade
na produção hídrica urbana e no manejo dos de doadores, da sociedade civil e de outras partes
resíduos também contribuirão para uma redução nas interessadas. Uma apreciação do valor econômico da
extrações de água e na produção de resíduos. Uma água, em seus diferentes estados e usos, é uma parte
rápida mobilização para o aproveitamento dessas necessária do manejo hídrico efetivo. Na ausência de
tecnologias poderá ser conjugada com um aumento na uma valoração apropriada, a água tende a sofrer com
conscientização popular acerca da escassez da água. a negligência política e com a má qualidade do seu
manejo. Isso, por sua vez, levaria a níveis subótimos de
Um terceiro futuro possível extrapola as atuais investimento em infraestrutura hídrica, e a uma baixa
tendências demográficas e tecnológicas, e inclui prioridade atribuída à política hídrica nos programas
um conjunto de intervenções de políticas públicas de desenvolvimento dos países, nas estratégias de
que poderia ser adotado ao longo das próximas redução da pobreza e em outras políticas.
duas décadas. Um acordo internacional com poder
vinculante para combater a mudança climática O preço da água é uma transação financeira ou fiscal
poderá estar em vigência até 2040, juntamente entre o provedor e os usuários, que é frequentemente
com um financiamento significativo para o trabalho controlada de perto pelas autoridades públicas, e que
de conscientização e de adaptação em países de frequentemente tem pouca relação com o seu valor
baixa renda. Como a maioria dos impactos das em usos específicos e com o custo do seu suprimento.
mudanças climáticas são sentidos pela água, isso Porém, em mercados hídricos de bom funcionamento,
terá repercussões positivas sobre os níveis gerais de os valores econômicos se estabelecerão por meio dos
financiamento para esse recurso. Isso poderia significar preços comerciais. Nos locais onde esses mercados
altos níveis de investimento em infraestrutura hídrica, têm sido criados, normalmente entre produtores
levando a reduções de resíduos e a um aumento na rurais, os preços refletirão tipicamente o valor
mobilização sustentável, bem como a um aumento na das quantias marginais de água, necessárias para
rede de cobertura do saneamento básico. garantir os usos mais valiosos, ou mais sensíveis, à
presença da água. Uma análise mais completa dos
Consideram-se diversas outras intervenções valores diferenciais da água é desejável para regular
políticas nesse terceiro cenário. Espera-se que os o comércio desse recurso; por exemplo, quando é
investimentos em gestão e conservação hídrica, bem do interesse público permitir o comércio entre os
como em saneamento, tenham benefícios múltiplos detentores de direitos. O uso dos valores da água
em termos de redução da pobreza, com base no para informar as políticas de manejo e de distribuição
desenvolvimento de sólidos regimes de propriedade, não significa que os mercados não devem ser
arranjos bem documentados de propriedade da regulados. As autoridades públicas precisam intervir
terra, e direitos hídricos e sistemas de distribuição para determinar as regras do jogo, garantindo um
claramente estabelecidos. Os atuais subsídios que fornecimento adequado dos serviços de água e
encorajam usos ineficientes da terra, da água e saneamento, de modo a atender as necessidades
de fertilizantes, criando uma brecha em favor de básicas e salvaguardar a saúde pública.
grandes usuários de água, seriam gradualmente
substituídos por arranjos de segurança flexíveis,
relacionados a bons indicadores, que permitam aos
Transformar as instituições relacionadas ao
produtores tomar decisões de plantio de curto prazo manejo hídrico para lidar com a mudança
com base na variabilidade e nos extremos climáticos. O desafio das autoridades hídricas é o de passar de
Com instituições ligadas às bacias hidrográficas e um planejamento realizado a partir de um único futuro
autoridades descentralizadas, seria possível atribuir definido, para o uso de planos capazes de responder a
um poder maior e recursos capazes de realizar o
manejo hídrico efetivamente dentro dos países.
Entre os usuários, isso promoveria a distribuição
local da água em resposta aos fenômenos climáticos,
facilitada por uma política bem regulada de preços,
e valendo-se de mecanismos de direitos hídricos e
comerciais inovadores.
© UN Photo/Kibae Park

O impacto da água não


valorada sobre as incertezas futuras
Como as pressões cada vez maiores sobre os
recursos hídricos estão causando uma escassez de
água para satisfazer todas as necessidades, é preciso
fazer escolhas sobre como compartilhar, distribuir
e redistribuir a água cada vez mais escassa entre
14 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

uma gama de possíveis cenários futuros, todos incertos, das águas superficiais e da contaminação irreversível
porém apresentando graus variados de probabilidade. dos aquíferos. Algumas dessas funções de
Por esse novo paradigma, é necessário existir uma governança podem ser autofinanciadas, às vezes, por
interação dos especialistas técnicos, tomadores de meio de taxas de captação e de poluição.
decisões governamentais e da sociedade em geral.
Existe uma variedade de fundos de desenvolvimento
O Manejo Integrado dos Recursos Hídricos precisa disponíveis para projetos de mitigação e de adaptação
abarcar uma abordagem adaptativa em resposta a à mudança climática, e alguns deles foram criados
mudanças exógenas. Outra abordagem consiste em especificamente com esse propósito. Porém, muito do
perguntar o que pode ser feito hoje para desenhar esforço de adaptação e de mitigação ficará a cargo das
um leque mais desejável de futuros possíveis: empresas privadas, dos fazendeiros e dos lares que não
buscando projetos ou estratégias mais robustas que puderem se ligar a esses fundos de desenvolvimento.
não requeiram uma revisão ampla das atuais regras Nos casos desses atores, os seus próprios recursos ou
econômicas ou de otimização utilizadas no manejo os financiamentos comerciais terão uma importância
dos recursos hídricos. Essas estratégias robustas crucial. As agências públicas têm acesso a fundos
podem ser revisadas à medida que informações especializados para a mudança climática, e alguns
melhores se tornem disponíveis, e valendo-se de deles estão disponíveis para a adaptação hídrica.
análises auxiliadas pela informática para a exploração
interativa de hipóteses, opções e possibilidades. A geração de recursos financeiros para a
infraestrutura e os serviços hídricos requer uma
À medida que o Manejo Integrado dos Recursos abordagem pragmática e eclética. Certos tipos
Hídricos se tornar mais adaptativo, ele envolverá um de projetos, tais como os de tratamento de águas
número mais amplo de colaborações intersetoriais residuais, de dessalinização, e de recuperação
e multidisciplinares. Também será necessário olhar e reutilização de águas residuais, prestam-se a
para além daquilo que tem sido tradicionalmente empreendimentos comerciais individuais financiados
considerado como a gestão hídrica, relacionando-o com ações e outros tipos de finanças comerciais.
a decisões tomadas em outros domínios, tais como Porém, o aumento dos recursos financeiros
manejo da terra, agricultura, mineração e energia. comerciais para a água tem se tornado mais difícil,
em função da situação financeira global desde 2007,
o que desencorajou um novo interesse privado
Investimento e financiamento da em projetos de infraestrutura hídrica e afetou
água, para um futuro mais sustentável negativamente o provimento de capital de risco
O investimento na infraestrutura hídrica é um motor e financiamento de empréstimos. Alguns acordos
para o crescimento e uma chave para a redução da inovadores, desenvolvidos com a assistência técnica
pobreza. Para funcionar de maneira sustentável, o e o compartilhamento de riscos pelas agências
manejo dos recursos hídricos e o fornecimento dos doadoras, estão interrompidos. Ao mesmo tempo,
serviços ligados à água devem ser financiados de ainda que muitos governos nacionais estejam
forma mais apropriada do que ocorre no presente. constrangidos pela sua situação fiscal, outros têm
O financiamento será necessário não apenas para se beneficiado dos altos preços das commodities e
investimentos em infraestrutura, mas para itens estão usando os seus recursos fiscais para investir
essenciais como a coleta, a análise e a disseminação em infraestrutura, incluindo infraestrutura hídrica.
de dados, bem como para o desenvolvimento de
recursos humanos e capacidades técnicas. A geração Como uma boa parte da receita advinda dos serviços
de dados para os decisores e gestores das políticas hídricos ocorre nas moedas locais, o risco cambial
é um elemento necessário para uma boa tomada de se torna uma questão potencialmente delicada para
decisões, assim como para a redução das incertezas; os projetos e para os provedores hídricos, tanto os
na atualidade, essa dimensão tem recebido poucos privados quanto os públicos. A adoção de salvaguardas
recursos e pouca atenção. O suprimento dessa econômicas contra o risco de desvalorizações não é
informação pode ser considerado como um bem uma possibilidade prática. A solução mais sustentável
público para os países, para as regiões e para a de longo prazo é produzir mais receitas internas a
comunidade internacional mais ampla. O investimento partir de tarifas e depender tanto quanto possível dos
no aprimoramento das bases de informações hídricas mercados financeiros e de capitais locais.
nacionais, com vistas ao relato sistemático sobre
alguns dados centrais pode proporcionar bons Diversos doadores e instituições financeiras
retornos, e tornou-se um foco na prestação de apoio internacionais oferecem produtos de comparti-
pelas agências internacionais de desenvolvimento. lhamento de riscos para encorajar o aumento do
financiamento em moeda local para a água e outras
Uma governança hídrica adequadamente financiada questões ligadas à infraestrutura. Como um princípio
também é um elemento essencial para a redução da geral, o risco de uma quebra financeira pode ser
incerteza e dos riscos de gestão. Uma governança administrado pelo redimensionamento sob medida
efetiva em áreas como os controles governamentais, dos termos financeiros para o perfil de risco e para o
o monitoramento das águas subterrâneas e as fluxo de caixa esperado do projeto em consideração.
licenças de captação, e também no monitoramento Para projetos amplos e complexos, está se tornando
e no controle da poluição, pode reduzir o risco da comum uma combinação de diferentes tipos de
sobre-exploração hídrica, da catastrófica poluição finanças (empréstimos comerciais, empréstimos e
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 15

auxílios concessionais, e ações) a fim de se alcançar caminhos e modelos de crescimento econômico


um conjunto geral aceitável. possuem diferentes implicações e riscos. Por outro
lado, a escassez de água poderia funcionar como
um motor para a mudança tecnológica. A água é um
Respostas ao risco e à incerteza, elemento central do “crescimento verde”.
pela perspectiva do manejo hídrico
Uma das maneiras mais efetivas de reduzir a O nexo entre água, alimentos e energia ilustra as
incerteza é gerando novas informações sobre a difíceis escolhas, os riscos e as incertezas enfrentadas
disponibilidade e a qualidade da água, no presente e atualmente pelos decisores políticos. Existem muitos
no futuro, por meio de uma melhor coleta de dados, exemplos de consequências, propositais ou não, em
por sua análise e pela elaboração de prognósticos. se promover uma causa em detrimento de outras (por
Por sua vez, isso melhorará a qualidade das decisões exemplo, a segurança alimentar em vez da segurança
tomadas quanto a questões cruciais. energética ou hídrica). Um desafio central será o
de integrar as complexas conexões em estratégias
A distribuição de riscos é outra medida progressiva. O de resposta que levem em consideração as várias
Instituto Internacional de Manejo Hídrico (em inglês, decisões estratégicas e os interesses das diversas
International Water Management Institute – IWMI) partes interessadas.
tem proposto que toda uma diversidade de arranjos
de armazenamento de água deveriam fazer parte O recurso ao seguro é um dos mecanismos mais
de um portfólio equilibrado de projetos financiados. antigos de mitigação de riscos. O seguro com base
Isso poderia variar desde tanques de coleta pluvial em índices (ou seguro paramétrico) está emergindo
de pequena escala até represas de grande escala, como uma ferramenta potencialmente vigorosa para
sistemas de recarga artificial de aquíferos subterrâneos o manejo de riscos, em todos os setores. Essa forma
e métodos de aprimoramento da capacidade do solo de seguro está relacionada a um índice ou evento, tal
para reter mais água. Assim como os consumidores como o nível pluvial, a temperatura, a umidade ou o
modernos diversificam as suas posses financeiras rendimento das plantações, em vez de estar ligada
para reduzirem o risco, os pequenos produtores rurais à quantidade ou à eventual perda. A abordagem
podem se valer de um amplo leque de “poupanças de resolve alguns dos problemas que limitam a aplicação
água”, como uma maneira de se prevenirem contra de seguros em formas tradicionais em países em
impactos da mudança climática, incluindo a importante desenvolvimento. Uma vantagem central é que os
ameaça à segurança alimentar resultante de períodos custos transacionais são mais baixos. Pelo menos
de seca. Deve-se fazer um melhor uso do ambiente em teoria, isso faz com que os seguros baseados em
natural como um componente da infraestrutura de índices sejam financeiramente viáveis para seguradoras
recursos hídricos; por exemplo, os pântanos podem ser do setor privado, e acessíveis a produtores individuais.
usados para reduzir os fluxos das grandes inundações
e para assimilar muitos resíduos orgânicos da mesma Os tratados ou acordos ligados à água, tais como
maneira como ocorre nas usinas de tratamento de os que se relacionam à distribuição desse recurso
águas residuais. em bacias transfronteiriças compartilhadas, também
podem reduzir os riscos ao aumentarem a confiança
entre as diferentes partes interessadas. Da mesma
Respostas aos riscos e incertezas, forma, os acordos e tratados assinados com outros
pelo lado de fora da “caixa d’água” propósitos podem ajudar a reduzir os riscos e as
Um maior desenvolvimento normalmente implica em incertezas a respeito da água, nos lugares onde
mais uso de água, enquanto que níveis mais altos puderem proporcionar uma garantia mútua em
de crescimento econômico frequentemente levam relação ao comportamento da outra parte envolvida,
a um aumento nos índices de poluição. Diferentes no que diz respeito aos outros recursos naturais.
© Philippe Bourseiller
16 VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4

Conclusões maneira semelhante, olhar para o futuro a partir da


É necessário substituir as antigas maneiras de perspectiva hídrica também propicia o discernimento
se alcançar a tomada de decisões com base nos necessário para a tomada de decisões que
setores individuais, por meio de um quadro de ações maximizem os benefícios para as pessoas, para o
mais amplo que considere as múltiplas facetas do meio ambiente e para a economia global.
desenvolvimento, juntamente com seus múltiplos
riscos e incertezas, e com os custos e benefícios de As crises das finanças, dos alimentos, dos
cada decisão à luz de uma meta de longo prazo. combustíveis e do clima já são problemas
Em relação a isso, os governos nacionais têm uma sérios se considerados individualmente, e uma
imensa contribuição a dar por meio da criação combinação dos seus efeitos poderia produzir
de instituições mais fortes, mais colaborativas e efeitos catastróficos para a sustentabilidade global.
flexíveis, pela adoção de mecanismos financeiros O “Relatório mundial sobre o desenvolvimento dos
apropriados para assegurar a viabilidade de longo recursos hídricos 4” (World Water Development
prazo dos serviços e da infraestrutura hídrica, Report 4 – WWDR4) buscou apresentar um novo
bem como ao garantir que as considerações caminho na maneira como devemos olhar para
hídricas serão incorporadas às decisões centrais a realidade da água, por meio da perspectiva
das políticas públicas do dia a dia e aos processos dos riscos e das incertezas. Ela buscou encorajar
de governança internacional. Os gestores hídricos diferentes maneiras de pensar sobre o futuro
têm a responsabilidade de informar continuamente coletivo do mundo, pela identificação de ferramentas
esses processos e de aumentar a conscientização e abordagens, ao demonstrar que cenários de
sobre a centralidade da água no processo de benefícios de soma positiva múltipla são, de fato,
desenvolvimento. possíveis. Os líderes políticos e de negócios, bem
como os gestores hídricos, os usuários da água
A atual crise econômica pode ser vista como uma e os cidadãos comuns, têm diante de si uma
oportunidade: ela proporciona uma ocasião para oportunidade única de ver os desafios e os riscos
a reflexão sobre um futuro coletivo desejado e imediatos do passado, e de realizar mudanças
propicia uma visão crítica a respeito das relações de longo prazo em direção a um mundo de
entre os países, os setores e as políticas. De prosperidade para todos, por meio da água.

O “Relatório mundial sobre o desenvolvimento dos recursos hídricos 4” (WWDR4)


O Programa Mundial de Avaliação dos Recursos hídrico em condições de incerteza e risco em um
Hídricos das Nações Unidas (WWAP) funciona sob contexto mundial que está se modificando em
os auspícios da UNESCO e reúne o trabalho de 28 mais rapidamente do que nunca, e de maneiras
membros e parceiros da ONU Água na elaboração frequentemente imprevistas, com incertezas e riscos
do “Relatório mundial sobre o desenvolvimento dos cada vez maiores. Ele destaca que a experiência
recursos hídricos” (World Water Development Report histórica já não é mais suficiente para proporcionar
– WWDR), que é produzido a cada três anos. uma estimativa aproximada da relação entre as
quantidades disponíveis de água e as mudanças nas
Este relatório é uma referência e uma revisão demandas futuras.
abrangente que proporciona um panorama geral dos
recursos hídricos mundiais, analisando as pressões O WWDR4 também busca mostrar que a água
das decisões que provocam a demanda pela água e tem um papel central em todos os aspectos do
afetam a sua disponibilidade. Ele oferece ferramentas desenvolvimento econômico e do bem-estar
e opções de respostas para auxiliar os líderes nos social, e que a ação concertada, por meio de uma
governos, no setor privado e na sociedade civil, no abordagem coletiva dos setores de uso intensivo
trabalho de lidar com os desafios presentes e futuros. da água, é necessária para garantir que os muitos
Ele sugere maneiras de como as instituições podem benefícios desse recurso sejam maximizados e
ser reformadas e como os seus comportamentos distribuídos equitativamente, e que os objetivos
podem ser modificados, e explora possíveis fontes de desenvolvimento relacionados à água sejam
de financiamento para os investimentos hídricos alcançados.
necessários de forma urgente.

Este Relatório 4 é um marco na série dos Relatórios


WWDR, relatando diretamente sobre as regiões e
destacando os lugares mais sensíveis, tendo sido
dimensionado para incluir entre suas preocupações
centrais a questão da igualdade de gênero.
Ele introduz a abordagem temática do manejo
VISÃO GERAL DAS MENSAGENS CENTRAIS – WWDR4 17

Publicado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Título original: Overview of key messages: from the United Nations World Water Development Report 4;
managing water under uncertainty and risk. Publicado em 2012 pelo United Nations World Water
Assessment Programme.

© UNESCO-WWAP 2012
Todos os direitos reservados.

BR/2012/PI/H/10

Tradução: Dermeval de Sena Aires Júnior 


Revisão técnica: Setor de Ciências Naturais da Representação da UNESCO no Brasil
Revisão editorial: Unidade de Publicações da Representação da UNESCO no Brasil
Diagramação: Unidade de Comunicação Visual da Representação da UNESCO no Brasil

Esclarecimento: a UNESCO mantém, no cerne de suas prioridades, a promoção da igualdade de gênero, em todas
suas atividades e ações. Devido à especificidade da língua portuguesa, adotam-se, nesta publicação, os termos
no gênero masculino, para facilitar a leitura, considerando as inúmeras menções ao longo do texto. Assim, embora
alguns termos sejam grafados no masculino, eles referem-se igualmente ao gênero feminino.

UNESCO – Representação no Brasil


SAUS, Quadra 5, Bloco H, Lote 6
Ed. CNPq/IBICT/UNESCO, 9º andar
70070-912 – Brasília – DF – Brasil
Tel.: (55 61) 2106-3500
Organização
das Nações Unidas Fax: (55 61) 2106-3697
para a Educação,
a Ciência e a Cultura
Site: www.unesco.org/brasilia
E-mail: grupoeditorial@unesco.org.br