Você está na página 1de 1

Metalismo

Sobre o metalismo, Adam Smith afirma que:

A dupla função que cumpre o Dinheiro, como instrumento de


comércio e como medida dos valores, fez com que se produza de
jeito natural essa ideia popular de que o Dinheiro faz a riqueza,
ou que a riqueza consiste na abundância de ouro e prata [...].
Razoa-se do mesmo jeito com referência a um país. Um país rico
é aquele no que abunda o dinheiro, e o meio mais simples de
enriquecer o seu é amassar o ouro e a prata [...]. Devido ao
crescente sucesso destas ideias, as diferentes nações da Europa
dedicaram-se, embora sem sucesso suficiente, a buscar e
acumular ouro e prata de todas as maneiras possíveis. Espanha e
Portugal, possuidoras das principais minas que provêm a Europa
desses metais, proibiram a sua exportação ameaçando com
graves represálias, ou submeteram-na a enormes taxas. Esta
mesma proibição fez parte da política da maioria das nações da
Europa. É encontrada mesmo onde menos se aguardaria, em
algumas antigas atas do parlamento da Escócia, que proíbem, sob
fortes penas, transportar ouro e prata fora do reino. A mesma
política pôs-se em prática na França e na Inglaterra (SMITH,
Adam. Riqueza das nações. Livro IV, cap. I).