Você está na página 1de 37

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL III

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL NA ENGENHARIA

O Cálculo Diferencial e Integral tem diversas aplicações


nas mais variadas áreas de atuação. No ramo das
Engenharias ele tem um papel de extrema importância,
sendo uma ferramenta para a solução de vários
problemas.
CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL NA ENGENHARIA

Aplicações: cálculo de área cujo formato não é regular.


CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL NA ENGENHARIA

Aplicações: cálculo de área cujo formato não é regular.


CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL NA ENGENHARIA

Aplicações: cálculo de área cujo formato não é regular.


CÁLCULO DIFERENCIAL E
INTEGRAL NA ENGENHARIA

Aplicações: cálculo de
área cujo formato não é
regular.
CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL NA ENGENHARIA

Aplicações: cálculo de área superficial gerada pela rotação de funções sobre o eixo
CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL NA ENGENHARIA

Aplicações: cálculo de volume de sólido de revolução.


AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS

PRODUTOS NOTÁVEIS
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS

EXPONENCIAÇÃO
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS

RADICIAÇÃO
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS

EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU: FÓRMULA DE BHÁSKARA

ax² + bx + c = 0
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS
IDENTIDADES TRIGONOMÉTRICAS
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS
IDENTIDADES TRIGONOMÉTRICAS
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: ARTIFÍCIOS ALGÉBRICOS
IDENTIDADES TRIGONOMÉTRICAS
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: DERIVADAS

FÓRMULAS BÁSICAS
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: DERIVADAS

FUNÇÃO EXPONENCIAL

FUNÇÃO LOGARÍTMICA
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
LEMBRANDO: DERIVADAS

PROPRIEDADES DAS DERIVADAS


AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

INTEGRAL INDEFINIDA: SIGNIFICADO ALÉBRICO

INTEGRAR SIGNIFICA CALCULAR UMA PRIMITIVA OU A


ANTIDERIVADA DE UMA FUNÇÃO

DERIVANDO

INTEGRANDO

f(x) = ?
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

INTEGRAL INDEFINIDA: SIGNIFICADO ALÉBRICO

Sabemos que a derivada é um dos conceitos


mais importantes do Cálculo. Outro conceito
também muito importante é o de Integral.
Existe uma estreita relação entre esses dois
conceitos. Assim, nesta seção, será
introduzida a ideia de integral, mostrando sua
relação com a derivada.
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
INTEGRAL INDEFINIDA: SIGNIFICADO ALÉBRICO

DEFINIÇÃO DA INTEGRAL INDEFINIDA

Sendo F uma primitiva de f no intervalo I, chama-se


integral indefinida de f, no intervalo I, a primitiva
genérica de f em I, F(x) + C, sendo C uma
constante real genérica. Transcrevendo essa
definição para a linguagem matemática, tem-se:
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
INTEGRAL INDEFINIDA: SIGNIFICADO ALÉBRICO

DEFINIÇÃO DA INTEGRAL INDEFINIDA

Uma função F(x) é chamada uma primitiva da


função f(x) em um intervalo I , se para todo x  I,
tem-se:

Em outras palavras, a primitiva é a função que


quando derivada, resulta na função presente no
integrando.
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
INTEGRAL INDEFINIDA: SIGNIFICADO ALÉBRICO
DEFINIÇÃO DA INTEGRAL INDEFINIDA

 O procedimento de calcular a função que gerou a derivada no


integrando é chamado de integração.
 A expressão acima é interpretada da seguinte forma: Integral indefinida
de f(x) em relação à variável x.
 A constante de integração C significa que ao integrar, calcula-se um
conjunto de funções que atendem à relação F’(x) = f(x).
 Quando o intervalo de integração é definido, não adiciona-se C no resultado.
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

FÓRMULAS BÁSICAS DA INTEGRAL INDEFINIDA: FUNÇÕES POLINOMAIS


AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

FÓRMULAS BÁSICAS DA INTEGRAL DEFINIDA: FUNÇÕES LOGARÍTMAS

FÓRMULAS BÁSICAS DA INTEGRAL DEFINIDA: FUNÇÕES EXPONENCIAIS


AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
INTEGRAL INDEFINIDA: SIGNIFICADO ALÉBRICO

FÓRMULAS BÁSICAS DA INTEGRAL DEFINIDA: FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS


AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

PROPRIEDADES DA INTEGRAL INDEFINIDA

(Multiplicação por uma constante: coloca-se a constante fora da integral)

(A integral de uma soma de função pode ser calculada pela soma da integral de cada função)

(A derivada de uma integral resulta na própria função do integrando)


AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

PROPRIEDADES DA INTEGRAL INDEFINIDA

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

VOCÊ DEVE TER ATENTADO PARA O FATO QUE A PRIMITIVA É A FUNÇÃO QUE, AO
SER DERIVADA, FORNECE A FUNÇÃO DO INTEGRANDO.

ASSIM SENDO, UMA FORMA DE VERIFICAR SE O PROCEDIMENTO DE INTEGRAÇÃO


FOI REALIZADO CORRETAMENTE É DERIVAR A PRIMITIVA ENCONTRADA E
VERIFICAR SE ELA É IGUAL À FUNÇÃO NO INTEGRANDO.
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

EXERCÍCIO 1. DADA AS FUNÇÕES ABAIXO, CALCULE SUAS PRIMITIVAS. NÃO


ESQUEÇA DA CONSTANTE DE INTEGRAÇÃO. PARA CONFERIR O RESULTADO,
DERIVE AS PRIMITIVAS E COMPARE COM A FUNÇÃO NO INTEGRANDO.
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

EXERCÍCIO 1. DADA AS FUNÇÕES ABAIXO, CALCULE SUAS PRIMITIVAS. NÃO


ESQUEÇA DA CONSTANTE DE INTEGRAÇÃO. PARA CONFERIR O RESULTADO,
DERIVE AS PRIMITIVAS E COMPARE COM A FUNÇÃO NO INTEGRANDO.

𝑥 3 − 2𝑥 + 7 𝑑𝑥 = 𝑥 3 𝑑𝑥 − 2𝑥𝑑𝑥 + 7𝑑𝑥

= 𝑥 3 𝑑𝑥 − 2 𝑥𝑑𝑥 + 7 𝑑𝑥

𝑥 3+1 𝑥 1+1 PRIMITIVA OU


= − 2. + 7. x + C
3+1 1+1
ANTIDERIVADA

=
𝑥4
− 2.
𝑥2
+ 7. x + C 𝑥4
4 2 = − 𝑥² + 7𝑥 + C
4
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

EXERCÍCIO 1. DADA AS FUNÇÕES ABAIXO, CALCULE SUAS PRIMITIVAS. NÃO


ESQUEÇA DA CONSTANTE DE INTEGRAÇÃO. PARA CONFERIR O RESULTADO,
DERIVE AS PRIMITIVAS E COMPARE COM A FUNÇÃO NO INTEGRANDO.

Ao derivar F(x), deve-se chegar à função presente no integrando

𝑥4
𝐹(𝑥) = 2𝑥² + 7𝑥 + C
4

𝑥4
𝐹′(𝑥) = 2(𝑥 2 )′ + (7𝑥)′ + (C)′ Exatamente a função
4
no integrando
3
4𝑥
𝐹′ 𝑥 = −2 𝑥 +7 1 + 0 = f(x) = x 3 − 2x + 7
4
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
EXEMPLOS RESOLVIDOS

x31 x4
 x³dx  3  1  C  4  C
3 5
1
3 2
x 2
x 2 52
 x ³dx    x  2 dx  C  C  x C
3 2 1 52 5
x3
 ( x²  8)dx   x²dx   8dx   x²dx  8 dx  3  x  C
1 y 31 y 2 y 2 1
 dy   y dy 
3
C  C   C   2 C
y³ 3  1 2 2 2y
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
EXEMPLOS RESOLVIDOS

1 1 1 1
 2x dx  
2 x
dx 
2
ln | x | C

1
 6 x dx  6 x dx  6ln | x | C
1

x  x³ 1 x 1 x3 1 1 1 1 x2
 2 x² dx  2  x² dx  2  x² dx  2  x dx  2  xdx  2 ln | x |  4  C
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
EXEMPLOS RESOLVIDOS

    C
x x x
3e dx 3 e dx 3e
3

  x
x²  4e x dx   x ² dx  4 e x dx   4e x  C
3
 74e x  74e x
 2   2
          2x  C
x x
 2  dx dx 2 dx 37 e dx 2 dx 37 e
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA
EXEMPLOS RESOLVIDOS

3 3 3
5 sen ( x ) dx 
5
sen ( x ) dx  
5
cos( x)  C

 3cos( x)dx  3 cos( x)dx  3sen( x)  C


 5tg ( x)  8sen( x)  tg ( x).cos( x)  dx 
 5 tg ( x)dx  8 sen( x)dx   tg ( x).cos( x)dx
sen( x)
 5 tg ( x)dx  8 sen( x)dx   .cos( x)dx 
cos( x)
 5ln | sec( x) | 8cos( x)  cos( x)  C  5ln | sec( x) | 9cos( x)  C
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

EXERCÍCIO 1. DADA AS FUNÇÕES ABAIXO, CALCULE SUAS PRIMITIVAS.


UTILIZE AS CONDIÇÕES FORNECIDAS PARA CALCULAR O VALOR DE C.
AULA 1 – INTEGRAL INDEFINIDA

EXERCÍCIOS. Calcule as primitivas abaixo. Para confirmar o resultado,


calcule as derivadas.