Você está na página 1de 9

SUPREMACIA EUROPEIA

No início do séc.xx, a Europa dominava o mundo:

Destacavam-se:

 Inglaterra
 França
 Alemanha

Que graças à sua industrialização e posse de importantes domínios coloniais


eram superiores:

 Cerca de metade da população industrial do mundo era europeia


 Os capitais investidos na construção de infraestruturas no mundo
eram, na maioria, europeus (vias férreas, canais, pontes, criação de
empresas agrícolas e expansão mineira)
 Grande parte das trocas comerciais era feita por navios mercantes
europeus, o que demonstrava o grande desenvolvimento da atividade
comercial da Europa (exportava produtos industriais – máquinas e
tecidos e importava – matérias-primas)

Com o aumento da população europeia:

 Consequências da Revolução Industrial (maior quantidade de bens de


consumo)
 Desenvolvimento económico
 Desenvolvimento da medicina

O peso da população europeia aumentou consideravelmente:

 20% da população mundial em 1800


 27,5% da população mundial em 1900

Devido a este aumento bastante significativo, muitos europeus sentiram


necessidade de emigrar:

Cerca de 12,5 milhões de europeus foram para:

EUA/Brasil/Austrália/África do Sul
Em termos sociais e culturais a Europa também dominava:

 Cultura muito sólida e avançada


 Desenvolvimento dos tempos livres e situações de recreio
 Sociedade organizada e definida em termos de trabalho, política e
estatuto

Em termos culturais, a Europa, com a 2ª vaga de colonização, levou grande


parte da sua herança ao mundo:

 Tradições
 Costumes
 Língua
 Mentalidade

Motivos da expansão:

 Factores de ordem económica


 Factores de ordem política e estratégica
 Factores de ordem cultural

Porquê África?

 Matérias-primas
 Interior do continente por explorar
 Presença já de algumas potências europeias
 Fácil de dominar pelos europeus
 Proximidade à Europa

As exigências do crescimento industrial:

O crescimento industrial e financeiro conduziu as potências europeias a uma


corrida pela posse de novos territórios, para obter:

 Matérias-primas mais baratas para alimentar a sua indústria


 Novos mercados para onde pudessem escoar os seus excedentes da
produção industrial
 Novas possibilidades de investir capitais na criação de indústrias e na
construção de infra-estruturas
Foi assim que as grandes potências ocuparam novos territórios, para assim
aumentar o seu espaço colonial e exercer a sua influência sobre outros
países.

Mas também houve outras razões:

 Reforço do poder militar e estratégico de cada país, que fazia


crescer a competição
 O racismo, por parte dos brancos, que justificava a missão
“civilizadora” dos europeus em relação a outros povos que
consideravam inferiores
 Criar melhores condições de vida a uma população europeia em
crescimento que emigrava
O MAPA COR-DE-ROSA

Face às disputas pela posse dos territórios de África, o alemão Bismark


propôs a reunião dos países em interesse lá.

Então, reuniram-se na Conferência de Berlim onde para além da definição


das fronteiras coloniais, estabeleceu também um novo direito colonial --
Só a ocupação efetiva de um território justificava a sua posse.

Era o fim do direito histórico da descoberta. Protegiam-se, desta forma, os


interesses dos países mais poderosos e Portugal saía a perder, pois não
possuía meios para uma ocupação efetiva.

A sociedade de Geografia publicou um mapa, onde se assinalava a cor-de-


rosa o objetivo de Portugal ocupar toda a região que ligava Angola a
Moçambique. Mas Inglaterra pretendia ligar o Sul de África ao Egipto
através de uma linha férrea e enviou então, em 1890 um ultimato a Portugal.

Exigia-se a retirada imediata de Portugal ou


Inglaterra recorria à sua força militar.

Portugal acabou por ceder, agravando assim,


a crise política existente.

Impérios coloniais europeus:

RÚSSIA
INGLATERRA FRANÇA

Dominava territórios em África, Extremo Oriente e Dominava territórios na


todo o mundo América Central e Sul Sibéria e na Ásia Central
I GUERRA MUNDIAL

Rivalidade económica e nacionalismos

Alemanha  disputava a hegemonia da Europa com a Inglaterra e com a


França

Alemanha, Inglaterra e França  disputavam territórios ultramarinos ricos


em matérias-primas

França  recuperar a Alsácia e Lorena que tinham sidos perdidos para a


Alemanha

Império Austro-Húngaro e Rússia  o império Austro-Húngaro queria as


regiões Balcãs, mas estas pertenciam à Sérvia, apoiada pela Rússia pois
ambas eram de origem Balcãs

Itália  queria os territórios do império Austro-Húngaro

A POLÍTICA DAS ALIANÇAS

Tríplice Aliança: Fundada em 1882 e constituída pela Alemanha, Império


Austro-Húngaro e Itália

Tríplice Entente: Fundada em 1907 e constituída pela Inglaterra, França e


Rússia

Esta política de alianças manteve-se estável, na Europa, mas não evitou a


corrida aos armamentos. Itália juntou-se a esta aliança em 1915, com o
objetivo de tentar obter os territórios pertencentes ao Império Austro-
Húngaro.
Vivia-se nesta época um clima de Paz Armada, pois qualquer incidente podia
comprometer o equilíbrio.

Corrida ao armamento por parte da


Europa, no sentido de desmotivar os
ataques inimigos

Mas, no dia 28 de Julho de 1914, o arquiduque Francisco Fernandes, o


único herdeiro ao trono Austro-Húngaro, foi assassinado por um sérvio.

O Império Austro-Húngaro acusou a Sérvia de ter preparado um atentado e


com o apoio da Alemanha declarou guerra à Sérvia.

A Rússia, como aliada da Sérvia e membro da Tríplice Entente envolveu-se


no conflito, desencadeando o funcionamento do Sistema de Alianças.

Era o início da I Guerra Mundial.

A I GUERRA MUNDIAL:

Os países inicialmente envolvidos pensavam que a guerra iria ser curta: os


Aliados (países da Tríplice Entente) contavam com a superioridade numérica
de efetivos; as potências centrais (Tríplice Aliança) confiavam na
superioridade técnica do seu armamento.

1º Confrontavam-se em 3 frentes:

A frente ocidental, do Mar do Norte até à Suíça


A frente balcânica, do Mar Adriático, do Império Otomano (Turquia)
A frente leste, que se estendia do Mar Báltico até ao Mar Negro
Nestas frentes de batalha, as estratégias militares baseavam-se numa
Guerra de Movimentos, caracterizada por rápidos avanços e recuos no
terreno com vista à aniquilação do inimigo

A Alemanha planeara uma rápida vitória nas frentes ocidental e leste, então
ocupou a Bélgica e foi rumo a Paris, mas foi derrotada na Batalha do Marne.
No final de 1914, A Guerra de Movimentos deu lugar à Guerra de
Trincheiras, em que uma das forças em confronto procurava manter as suas
posições no terreno impedindo-se mutuamente de avançar.

Foi nesta altura que começaram a utilizar os meios de combate:

Artilharia pesada
Metralhadoras
Tanques
Submarinos
Aviões de combate
Granadas de mão
Gases tóxicos

A Intervenção Dos Estados Unidos e A vitória dos Aliados:

 Os EUA entraram na guerra, em Abril de 1917, perante os ataques


frequentes dos submarinos alemães aos seus navios (com
mantimentos para os aliados), e pressionados pela opinião pública
americana, os EUA entraram, tornando-se novamente numa guerra de
movimentos.

 Retirada da Rússia da Guerra -- > A Vitória da Revolução Comunista


conduziu a um tratado de rendição e de paz da Rússia com a
Alemanha, o Tratado de Brest – Litovsk

Por este tratado, a Rússia perdia o controlo sobre vários territórios e era
obrigada a pagar indemnizações.

A desistência da Rússia permitiu às potências centrais concentrar as suas


forças a Ocidente. No entanto, a Alemanha, perante a rendição dos seus
aliados, ficou isolada, vendo-se obrigada a capitular.
A 11 de Novembro de 1918, foi assinado o armistício.
O fim da hostilidade, em que a Alemanha, reconheceu a derrota.
O MUNDO PÓS-GUERRA:

Conferência de paz em Paris (Janeiro de 1919)

Objectivos:

Reconhecimento do direito dos povos à autonomia de acordo com o


princípio das nacionalidades
A criação de um organismo para a defesa da paz

Assinado do Tratado de Versalhes:

 A Alemanha perde territórios para a França e Polónia


 Reduzir o número de efectivos do exército
 Destruir vários ramos militares
 Pagamento de pesadas indemnizações de guerra

Após o Conflito armado, existiram duas grandes consequências mundiais:

Alteração da hegemonia económica do Mundo


Alteração do mapa geopolítico do continente europeu

Ainda em 1919 as potências vencedoras decidiram criar a SDN


(Sociedade Das Nações)

Organização destinada a assegurar a paz no mundo. Nela deveriam ter


assento e participação todas as nações do mundo.

Europa no final da I Guerra Mundial

Graves Problemas:

 Demográficos
 Económicos e financeiros
 Sociais

Fim da hegemonia europeia


EUA EM ASCENÇÃO:

 Riqueza do território (abundância de recursos naturais e de capitais)


 Novos métodos de produção e organização de trabalho
 País que não tinha sido destruído pela guerra
 Constituição de grandes unidades empresariais

Taylorismo - análise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos,


objetivada a isenção de movimentos inúteis para que o operário executasse
de forma mais simples e rápida a sua função, estabelecendo um tempo
médio, a fim de que as atividades fossem feitas em tempo menor e com
qualidade, aumentando a produção de forma eficiente.

Fordismo - é um modelo de produção em massa que revolucionou a


indústria automobilística a partir de Janeiro de 1914, quando introduziu a
primeira linha de montagem autorizada