Você está na página 1de 8

ANSIEDADE E GESTAÇÃO: ANÁLISE DOS FATORES SOCIOECONÔMICOS COMO

COEFICIENTE ANSIOGÊNICO NA GRAVIDEZ

1. OBJETIVOS
1.1 OBJETIVOS GERAIS
Os objetivos constituintes deste projeto consistem em verificar a ansiedade pré-parto
de mulheres gestantes usuárias do sistema público de saúde através do levantamento de
informações obtidas por meio de questionários realizados entre as mulheres participantes, além
de encontros semanais com mulheres gestantes usuárias da Unidade Mista de Saúde, localizada
em uma cidade no interior do Estado de Minas Gerais.
O processo gestacional introduz uma série de mudanças psicofisiológicas, somáticas e
sociais que incorpora implicações na dimensão psíquica da mulher, redimensionando sua
estrutura social e psicológica. “Esse período gestacional elicia mudanças psicológicas,
fisiológicas e sociais, principalmente na vida da mulher e de quem encontra-se em sua volta. A
gravidez poderá vir a ser um evento gerador de situações tanto positivas quanto negativas.”
(MALDONADO, 1997 apud GIARETTA & FAGUNDEZ, 2015, p. 1). Dessa forma, o
presente projeto busca avaliar a desigualdade social relacionada ao desenvolvimento da
ansiedade no período gravídico, buscando como fator determinante a discrepância do
atendimento pré-natal realizado no sistema público de saúde. Através do levantamento com
informações de questionários, busca-se obter informações analíticas e estatísticas precisas e
diretas sobre o evento. Com as reuniões semanais, estruturadas em um estudo de campo, o
projeto visa buscar aprofundar a questão ansiogênica e as características envolvidas dentre esta
comunidade, buscando realizar uma escuta terapêutica entre as grávidas participantes.
Além disso, a pesquisa objetiva investigar o acompanhamento psicológico como um
aquisitivo multidisciplinar e avaliar a importância do pré-natal psicológico entre gestantes,
além de utilizar o viés social como método analítico entre a ansiedade de mulheres em período
gravídico. Os encontros semanais visam a observação em torno da realidade de mulheres
grávidas que utilizam os serviços da Unidade Mista de Saúde e avaliar a influência
socioeconômica como fator ansiogênico.

1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS


A. Avaliar a ansiedade gestacional na fase pré-parto e seus desencadeantes;
B. Observar os níveis de ansiedade da mulher em período gravídico no
contexto de saúde pública;
C. Ponderar a interferência da classe social como fator determinante para o
desenvolvimento de ansiedade pré-parto;
D. Realizar encontros semanais como proposta terapêutica com mulheres
grávidas que frequentam a instituição - Unidade Mista de Saúde;
E. Analisar a importância do pré-natal psicológico para uma preparação de
um parto tranquilo e seguro.

2. PÚBLICO-ALVO
O público-alvo deste projeto são mulheres gestantes usuárias da rede pública de saúde
localizada em uma cidade no interior do Estado de Minas Gerais, reconhecida por atender
mulheres em período gravídico.

3. JUSTIFICATIVA E RELEVÂNCIA SOCIAL


O período da gestação é caracterizado por profundas mudanças nos âmbitos biológicos,
sociais, psicológicos e culturais da gestante. Mudanças estas que acabam por impelir a grávida
a se adaptar rapidamente a este novo contexto em sua vida. A gestante terá que lidar com suas
expectativas em relação ao bebê e o temor envolvendo o parto; com a apreensão envolvendo a
chegada de um novo membro a sua família e seu papel como progenitora deste; com as
mudanças corporais que ocorrerão ao longo da gestação e também após ao parto; assim como
a aflição resultante da incerteza emocional, física e financeira em torno da maternidade e de
sua nova estrutura familiar (FIGUEIREDO; 2001).
Desta forma, tais dúvidas e pressões impostas à mulher durante a gestação podem
acabar acarretando quadros de ansiedade que podem variar de leves até quadros mais
agravados, podendo se tornar depressivos (CONDE, FIGUEIREDO; 2005).
Além disso, para Gama et al. (2002), condições de escolaridade, renda e moradia são
fatores que afetam de forma considerável a saúde da população, e no tocante a área pré-natal,
essa situação de desigualdade se torna ainda mais evidente, indo desde o atendimento médico
oferecido à mãe, até o cuidado à saúde e ao bem estar da criança por isso, torna-se necessário
o estudo da gravidez corroborando com a situação socioeconômica e suas implicações no
período gravídico.
O presente projeto visa promover uma análise de como a desigualdade social entre
gestantes pode ser um fator ansiogênico entre essas mulheres. É esperado que, através dessa
pesquisa, tenhamos dados mais precisos em relação ao índice de ansiedade das gestantes
localizadas em uma cidade no interior do Estado de Minas Gerais, atentando-se em usuárias da
rede pública de saúde. E que, por meio desta, possamos fomentar novas pesquisas em torno da
temática tratada.

4. METODOLOGIA
Segundo Gil (2002) o levantamento se caracteriza pela inquisição direta das pessoas
cujo os dados deseja-se analisar; é realizado através da coleta de informações destas acerca do
problema proposto, para que então, através de uma análise quantitativa, seja feita a devida
interpretação dos dados coletados. O então projeto, irá se basear na aplicação de questionários
em mulheres gestantes da rede pública de saúde a fim de observar a possível correlação entre
sintomas ansiogênicos e a condição socioeconômica das mesmas.
Do mesmo modo, a utilização do levantamento, possibilita a coleta de dados e na
abrangência de informações estatísticas sobre o evento estudado. A fim de observar esta
comunidade com mais precisão, o projeto embarca a utilização do estudo de campo. “No
estudo de campo, estuda-se um único grupo ou comunidade em termos de sua estrutura social,
ou seja, ressaltando a interação entre seus componentes. Dessa forma, o estudo de campo tende
a utilizar muito mais técnicas de observação do que de interrogação (Gil, 2002, p. 53).”
Diante do projeto apresentado, o estudo de campo busca enfocar em uma comunidade
de mulheres gestantes que possuem acompanhamento médico na instituição Unidade Mista de
Saúde, através da observação direta e entrevistas realizadas em grupos semanais com mulheres
que disponham a participar do projeto. O levantamento seria um método aquisitivo para buscar
informações estatísticas e precisas diante do fenômeno observado, enquanto que a prática do
estudo de campo estaria voltado para uma escuta terapêutica entre grupos operativos de
mulheres gestantes para buscar os fatores psicológicos envolvidos durante a gravidez e a
análise do fator socioeconômico sobre a gestação.
As estratégias de intervenção serão elaboradas a partir de eixos temáticos, considerando
as demandas da instituição e as queixas das mulheres envolvidas no projeto. Os módulos
temáticos foram elaborados da seguinte maneira:

EIXO TEMÁTICO MÊS

1- Aplicação de questionário + Abordagem Maio


sobre gravidez e puerpério.

2- Aplicação de questionário + A Junho


subjetividade durante a gravidez.
3- Aplicação de questionário + Os aspectos Julho
socioeconômicos envolvidos na gravidez e
puerpério.

4- Aplicação de questionário + Saúde Agosto


mental pré-natal.

5- Aplicação de questionário + A influência Setembro


dos aspectos psicológicos na gravidez.

6- Aplicação de questionário + Outubro


Apresentação da ideia de um parto
humanizado.

7- Aplicação de questionário + A influência Novembro


dos fatores econômicos durante a gravidez e
seguridade do parto.

8- Revisão sobre os questionários e as Dezembro


propostas estabelecidas.

A cada encontro, espera-se discutir os temas abordados e dar voz a quem vivencia tais
experiências. Por meio desta, espera-se obter as informações desta comunidade e a possível
descoberta dos fatores emocionais e econômicos na psique feminina durante a gestação. Os
encontros serão realizados a cada semana na instituição Unidade Mista de Saúde, localizada
em uma cidade no interior do Estado de Minas Gerais. A comunidade envolvida deve compor:
1. Estar gestante (independentemente de idade e/ou relação conjugal);
2. Utilizar o serviço público de saúde (SUS, Unidade Mista de Saúde);
3. Frequentar a instituição envolvida;
4. Participar de forma ativa e direta das reuniões promovidas.

5. RESULTADOS ESPERADOS
Como resultados esperados, o projeto busca compreender o fenômeno da gravidez e o
como a condição socioeconômica pode vir a ser um fator chave para a ascensão de uma
patologia ansiogênica durante a gestação. O presente projeto busca como resultado aprimorar
a prática terapêutica entre estudantes de psicologia e mulheres gestantes, além de contribuir
formalmente na prática de um acompanhamento pré-natal humanizado.
Com a análise quantitativa dos dados obtidas através do levantamento e do uso de
questionários, espera-se compreender se há a possibilidade de a ansiedade durante o período
gravídico estar fatorialmente associada a condição socioeconômica. O estudo de campo
focalizado nesta comunidade, diligentemente através do contato direto com as gestantes busca
depreender os aspectos psicológicos envolvidos durante o período gravídico e a ansiedade
relacionada com o fator socioeconômico em torno da seguridade do parto.

6. IMPACTO NA FORMAÇÃO DO ESTUDANTE


O período da gestação é caracterizado por profundas mudanças nos âmbitos biológicos,
sociais, psicológicos e culturais da gestante. Mudanças estas que acabam por impelir a grávida
a se adaptar rapidamente a este novo contexto em sua vida. A gestante terá que lidar com suas
expectativas em relação ao bebê e o temor envolvendo o parto; com a apreensão envolvendo a
chegada de um novo membro a sua família e seu papel como progenitora deste; com as
mudanças corporais que ocorrerão ao longo da gestação e também após ao parto; assim como
a aflição resultante da incerteza emocional, física e financeira em torno da maternidade e de
sua nova estrutura familiar (FIGUEIREDO; 2001).
Torna-se necessário recorrentemente a discussão desta temática em torno do ambiente
acadêmico, onde tal tema é raramente decorrido. O projeto não implicaria impactos apenas na
formação do estudante, mas também na vida das gestantes envolvidas no projeto. Compreender
fenômenos biológicos associados fatorialmente a aspectos sociológicos faz-se essencial, desta
forma, o projeto busca tal compreensão. Além de aprimorar o atendimento terapêutico e o
conhecimento da vivência das gestantes e os aspectos psicológicos envolvidos na gravidez das
estudantes em formação.
Dessa forma, através das estratégias de intervenção e da análise quantitativa dos dados,
o intuito do projeto pode proporcionar ao pesquisador de Psicologia conhecimento teórico e
prático, a fim de realizar intervenções psicológicas entre mulheres gestantes capacitar para
atuação envolvendo este aspecto e oportuniza ao pesquisador a análise e reflexão do evento a
ser estudado.

7. PLANO DE TRABALHO

PLANO DE TRABALHO DO DISCENTE¹


1 – IDENTIFICAÇÃO
Título do Projeto: ANSIEDADE E GESTAÇÃO: ANÁLISE DOS FATORES
SOCIOECONÔMICOS COMO COEFICIENTE ANSIOGÊNICO NA GRAVIDEZ
Participação: (X) Bolsista ( ) Voluntário ( )Bolsista Externo
Período de Atividade do Discente: 7 meses
Carga horária semanal (mínimo: 12 horas): ( ) Ensino Médio/Técnico (X) Graduação
¹ - Um plano de trabalho para cada discente

2 – PLANEJAMENTO
Objetivos:
Os objetivos constituintes do projeto visam analisar como o fator socioeconômico pode ser um
pressuposto para desencadear aspectos ansiogênicos durante a gestação, contribuindo para que
através de uma intervenção terapêutica entre as mulheres gestantes que utilizam os serviços da
Unidade Mista de Saúde para acompanhamento pré-natal, tais gestantes possam relatar suas
experiências vividas durante este período, contribuindo para a análise de fatores psicológicos
durante este momento.
Metodologia: Através do uso de questionários, busca-se obter informações quantitativas em
torno do evento a ser observado. Através do estudo de campo, a proposta é a realização de
intervenções terapêuticas em grupos operativos entre mulheres gestantes que disponham a
participar do projeto. Mensalmente, durante cada reunião seria retratados eixos temáticos para
inferir sobre o fenômeno estudado.

3 – CRONOGRAMA DO PLANO DE TRABALHO DO DISCENTE


Início das atividades (mês/ano): maio/2019
Término das atividades (mês/ano): dezembro/2019.

Atividades Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

1. Reunião de planejamento (Etapa 1) X X


2. Revisão/atualização da literatura
X X X
(Etapa 2)
3. Preparação do material (Etapa 3) X
4. Instalação do projeto (Etapa 4) X
5. Desenvolvimento do projeto (Etapa
X
5)
Iniciação a coleta de dados (Etapa 6) X X X X X
6. Análise e interpretação dos dados
X X X X
(Etapa 7)
7. Elaboração do relatório a partir da
revisão de literatura e da análise e
X
discussão dos dados coletados
(Etapa 8)
8. Divulgação dos resultados (Etapa 9) X X
9. Produção de relatórios parcial
X X X X X X X
(Etapa 10)
10. Produção de relatórios final (Etapa
X X X X
11)

PLANO DE TRABALHO DO DISCENTE²


1 – IDENTIFICAÇÃO
Título do Projeto: ANSIEDADE E GESTAÇÃO: ANÁLISE DOS FATORES
SOCIOECONÔMICOS COMO COEFICIENTE ANSIOGÊNICO NA GRAVIDEZ
Participação: (X) Bolsista ( ) Voluntário ( )Bolsista Externo
Período de Atividade do Discente:
Carga horária semanal (mínimo: 12 horas): ( ) Ensino Médio/Técnico (X) Graduação
² - Um plano de trabalho para cada discente

2 – PLANEJAMENTO
Objetivos (definir os objetivos específicos do DISCENTE nas atividades de execução do
projeto):

Metodologia (definir as atividades que o DISCENTE desenvolverá durante a execução do


projeto):

3 – CRONOGRAMA³ DO PLANO DE TRABALHO DO DISCENTE


Início das atividades (mês/ano): MAIO/2019 término das atividades (mês/ano):
DEZEMBRO/2019.

Atividades Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

1. Reunião de planejamento (Etapa 1) X X X


2. Revisão/atualização da literatura (Etapa
X X X X
2)
3. Preparação do material (Etapa 3) X

4. Instalação do projeto (Etapa 4) X

5. Desenvolvimento do projeto (Etapa 5) X

6. Iniciação a coleta de dados (Etapa 6) X X X X


7. Análise e interpretação dos dados (Etapa
X X X X
7)
Elaboração do relatório a partir da revisão de
literatura e da análise e discussão dos dados X X
coletados (Etapa 8)
8. Divulgação dos resultados (Etapa 9) X X

9. Produção de relatórios parcial (Etapa 10) X X X X X X X

10. Produção de relatórios final (Etapa 11) X X X X


8. REFERÊNCIAS

CONDE, Ana; FIGUEIREDO, Bárbara. Ansiedade na gravidez: implicações para a saúde e


desenvolvimento do bebê e mecanismos neurofisiológicos envolvidos. Revista portuguesa de
pediatria. 2005.

FIGUEIREDO, Bárbara. Maternidade na adolescência: do risco à prevenção. Revista


portuguesa de psicossomática. v. 3, n. 3. 2001. Disponível em
<https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/4220/1/Maternidade%20na%20adolesc
%C3%AAncia%20%282001%29.pdf>. acessos em 8 fev. 2019.

GAMA, Silvana Granado Nogueira da; SZWARCWALD, Célia Landmann; LEAL, Maria do
Carmo. Experiência de gravidez na adolescência, fatores associados e resultados
perinatais entre puérperas de baixa renda. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro. v. 18, n. 1,
p. 153-161. jan/fev 2002.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa/Antônio Carlos Gil. - 4. ed. São
Paulo: Atlas, 2002.

MALDONADO, Maria Tereza P. Psicologia da gravidez, parto e puerpério. Petrópolis,


Vozes, 1976.