Você está na página 1de 5

1

Itrodução

O trabalho desenvolvido tem como objetivo, esclarecer conhecimentos obtidos

através de pesquisas na Aldeia Karajá Xambioá sobre a cultura alimentar de adolescentes

desta aldeia, onde podemos conhecer e aprofundar os nossos conhecimentos, sobre a

cultura indígena. Trabalho este reali zado a partir das experiências e interatividade com os

indígenas, tendo o intuito de aprofundar nossos conhecimentos sobre os mesmos.

De acordo com Shaughnessy, Zechmeister, ; Zechmeister, (2012), “ Na observação

participante explícita, os indivíduos que estão sendo observados sabem que o observador

está presente com o propósito de coletar informações, sobre o seu comportamento. Esse

método costuma ser usado por antranpólogos que buscam entender, a cultura e o

comportamento de grupos, convivendo e trabalhando com menbros do grupo”.

Desenvolvimento

Escolhemos este tema para a nossa pesquisa, com o intuito de saber como é a

alimentação dos indíos adolescentes da aldeia Karajá Xambioá, se eles ainda seguem toda

aquela cultura alimentar dos seus antepasados ou não, quais são seus alimentos preferidos,

se existem rituais antes ou depois da alimentação e várias outras questões; para que através

da nossa pesquisa pudessemos nos aprofundar mais á fundo nesta cultura.

A entrevista foi preparada e montada com mais ou menos três semanas de

atencendência antes de irmos á campo, então com orientações da professora, fizemos o

termo de consentimento, para específicar claramente aos indígenas que nossa pesquisa não

os causaria nenhum dano e não os prejudicaria em qualquer sentido, em vista de que nossa

pesquisa nos ajudaria a conhecer melhor a cultura indígena e os trariam mais confiança
2

para que realizarcemos melhor nossa pesquisa. O mesmo foi essencial para elaborarmos

nossas perguntas, dessa forma elaboramos quinze perguntas que nos levaram a conhecer

um pouco de sua alimentação sendo este o propósito do nosso tema, na qual essas

perguntas nos orientou, e nos norteou em nossa pesquisa.

A ciência se apresenta como um processo de investigação que procura atingir

conhecimentos sistematizados e seguros. Para que se alcance esse objetivo é necessário

que se planeje o processo de investigação. Planejar sigifica, aqui traçar o curso de ação que

deve ser seguido no processo da investigação científica. Planejar subtende prever as

possíveis alternativas existentes para execultar algo. (Köche,1982, p.121).

O povo Karajá Xambioá possui uma alimentação bastante natural, eles consomem

alimentos da caça, pesca e coleção de frutos. Os alimentos mais consumidos são a caça,

principalmente tartaruga, caça do mato, Porcão e carne de capivara, consomem bastante

frutas como: manga, goiaba dentre outras. Possuem alguns pratos típicos de sua culinária

como: peixe assado com banana, tartaruga assada, e outros. Na culinária indígena há um

costume das mulheres cozinharem, porem atualmente os homens também assumem essa

pratica.

Na aldeia Karajá Xambioá eles quase não possuem temperos, os que possuem são

semelhantes aos tradicionais, o que eles mais usam são: alho, sal e açafrão. Na cultura

indígena eles aprendem muito cedo suas tarefas, boa parte dos adolescentes conseguem

cozinhar sozinhos se houver necessidade, porem o hábito que é mantido são de seu avós e

pais cozinharem. Existem algumas celebrações em que eles costumam dançar para se

alimentar, como na festa do peixe, em que eles dançam antes e depois da alimentação.

Em sua cultura eles têm o costume de usar alguns alimentos e folhas como

medicinais como exemplo a mandioca, usada quando são ferroados por arraia, eles
3

amassam a mandioca e passam sobre o ferimento outro usado também é o limão cozido,

eles também usam chá de capim para febre e folha de mamão para dor de barriga. Na

alimentação indígena Karaja Xambioá eles não estipulam horários de almoço, café e daí

por diante, geralmente eles se alimentam quando sentem fome.

Para o povo Karajá a água é vida, é como o sangue que corre em

suas veias, por isso a forte relação deste com a água. E também, os

relatos mitológicos de que o povo Karajá surgiu das águas. [“...] Nesse

sentido, os Karajá faz suas múltiplas leituras, visto que os mitos não

pertencem a um determinado tempo ou espaço, mas a sua história, e,

também, são heranças e representam à imagem e os pensamentos do

povo” Alves, (2009, p. 25 e 27 citado por Karajá (2016)

Partes das adolescentes da aldeia acreditam que, outras culturas influenciam sua

alimentação, pois existe uma miscigenação de etnias indígenas e também de outras

culturas, que podem até resultar na formação de novos hábitos a partir de duas culturas ou

etnias, isso existe através do casamento ou união de um indígena com outra cultura ou

etnia, trazendo novos hábitos para dentro da aldeia.

Conclusão

Com a realização deste trabalho podemos aprofundar nossos conhecimentos e

compreender um pouco mais sobre a cultura do povo indígena Karaja Xambioá, entender

suas influencias seus costumes e tradições. Aos observá-los podemos perceber que ao

longo do tempo houve grandes transformações na cultura indígena, evidenciando isto, a

nossa cultura tem traços e raízes indígenas, observando isso compreendemos que ambas as

culturas são influenciadas, tanto a nossa pela deles, quanto a deles pela nossa. Desse modo
4

devemos respeitar e valorizar as riquíssimas heranças deixadas por eles, e buscar mais

inclusão social para os indígenas. Podemos concluir com este trabalho que a alimentação

indígena sofreu grandes trasnformações ao longo do tempo, essas transformações

decorrem também da influência de outras culturas.

A visita na aldeia Karajá Xambioá foi de suma importância, já que através desta

visita e entrevista tivemos a honrra de conhecer outra cultura, e foi possível ampliar os

nossos conhecimentos sobre áquela cultura, onde tivemos muito proveito e aprendizado

para nossa vida acadêmica.


5

Referências Bibliográficas

Karajá, A D G. (2016) Aspectos territoriais e culturais do povo karajá-xambioá Disponível

em:

http://www.eng2016.agb.org.br/resources/anais/7/1467315880_ARQUIVO_artigoSAO.L

UIS.pdf Acesso em: 28 nov. 2017

Köche, C. J. (1982) Fundamentos de Metodologia científica. Petrópolis: Editora

Vozes.

Shaughnessy, J. J.: Zechmeister, B. E.; Zechmeister, S. J.; (2012). Metodologia de

pesquisa em psicologia. Porto alegre : AMGH Editora.