Você está na página 1de 20

CONTATOS DE RI

Gilsomar Maia (CFO/DRI)


Tel.: +55 (11) 2099-
7105/7773/7097/7089
ri@totvs.com.br

São Paulo, 08 de maio de 2019 - A TOTVS S.A. (B3: TOTS3), líder no desenvolvimento de soluções de negócio
no Brasil, anuncia hoje seus resultados do primeiro trimestre de 2019 (1T19).
Para fins de comparabilidade, os quadros apresentados neste documento não contemplam os efeitos relativos
à aplicação do IFRS 16. Os efeitos nas Demonstrações de Resultado e de Fluxo de Caixa do 1T19 com a aplicação
do IFRS 16 estão apresentados nos anexos I e II deste documento. Também neste trimestre, as operações de
hardware foram classificadas como mantidas para venda e, consequentemente, seus resultados estão
apresentados separadamente dos resultados das operações de software.

1T19 - DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS


Receita Líquida: R$563,6 milhões no 1T19 (+8,6% vs. 1T18 e +4,6% vs. 4T18)

Receita Recorrente: R$416,1 milhões no 1T19 (+9,9% vs. 1T18 e +5,1% vs. 4T18)

Taxa de Renovação: 98,1% no 1T19 (+80 pb vs. 1T18 e +20 pb vs. 4T18)

EBITDA Ajustado: R$104,5 milhões no 1T19 (+7,3% vs. 1T18 e +33,8% vs. 4T18)

Margem EBITDA Ajustada: 18,5% no 1T19 (-30 pb vs. 1T18 e +400 pb vs. 4T18)

Lucro Líquido: R$45,1 milhões no 1T19 (+26,9% vs. 1T18 e +31,3% vs. 4T18)

TELECONFERÊNCIA - PORTUGUÊS: 09/05/2019, 09h30 (Brasília)


Webcast: clique aqui | Telefone: +55 11 3193-1001ou +55 11 2820-4001 (código de acesso: TOTVS) | Replay: +55 (11)
3193-1012 ou +55 (11) 2820-4012 (código de acesso: 0375065# até 15/05/2019 ou no website ri.totvs.com.br

TELECONFERÊNCIA - INGLÊS: 09/05/2019, 12h00 (Brasília)


Webcast: clique aqui | Telefone: US Toll Free +1-800-492-3904/ Internacional +1-646-828-8246/ Brasil +55 11 3193-
1001 ou +55 11 2820-4001 (código de acesso: TOTVS) | Replay: +55 (11) 3193-1012 ou +55 (11) 2820-4012 (código
de acesso: 2982868#) até 15/05/2019 ou no website ir.totvs.com
EVENTOS RECENTES

POSICIONAMENTO DE TECHFIN
Como parte da estratégia de desenvolver novos mercados, a TOTVS deu início à sua divisão de TECHFIN, que tem como
principal objetivo simplificar, ampliar e baratear o acesso de seus clientes a crédito e outros serviços financeiros. Com
isso, a TOTVS buscará agregar ainda mais valor às cadeias já atendidas pelas suas soluções de gestão empresarial líderes
no Brasil, oferecendo em breve, por exemplo, soluções de crédito a setores tão diversos quanto Educação, Saúde, RH e
Indústria. Preservando nosso DNA de tecnologia, como uma empresa de software, a TOTVS se posiciona como TECHFIN,
ao invés de Fintech. Entendemos que nossos relacionamentos são mais profundos e a base de clientes mais fiel,
exatamente pelos diferenciais que a tecnologia nos permite.

A primeira iniciativa nesse sentido foi celebrar um acordo de parceria com a REDE, empresa de meios de pagamento do
Itaú, para promover junto aos clientes TOTVS de pequenos e médios portes (“SMB”) as soluções de adquirência e de
antecipação de recebíveis providos pela REDE.

Para liderar as iniciativas de Fintech, dentro da divisão de TECHFIN, a TOTVS contratou no 1T19 Eduardo Neubern como
novo diretor-executivo. Com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, Neubern tem passagens por
empresas como MasterCard, Bradesco, American Express e Cielo.

OBTENÇÃO DE RATING
No dia 22 de abril a agência de classificação de risco Fitch Ratings atribui à TOTVS o Rating Inicial de Longo Prazo em
Escala Nacional “AA(bra)” com perspectiva estável. De acordo com a Fitch, a classificação reflete a posição de liderança
da TOTVS no competitivo setor de soluções de software para o gerenciamento de empresas apoiada por seu
conhecimento do mercado local, ampla rede de distribuição e diversificado portfólio de produtos e clientes, bem como a
forte liquidez da companhia.

VENDA DAS OPERAÇÕES DE HARDWARE


No dia 08 de maio, a TOTVS assinou um memorando de entendimentos com a ELGIN S.A. que tem por objeto a venda
das operações de Hardware da Companhia desenvolvidas no território brasileiro, pelo montante de R$25,0 milhões,
sujeito a ajustes, a ser pago no fechamento da operação.

A decisão pela venda das operações de hardware está inserida no plano estratégico da TOTVS de focar a atenção de suas
equipes e os recursos na operação de software. A conclusão desta transação depende da aprovação das autoridades
concorrenciais brasileiras e da verificação de outras condições de praxe para esse tipo de negócio.

2
DESEMPENHO FINANCEIRO E OPERACIONAL
(Sem os efeitos do IFRS 16)
Afim de preservar a comparabilidade, as informações apresentadas nos quadros das seções “Desempenho Financeiro e
Operacional” e “Resultado após EBITDA” não refletem os efeitos da aplicação do IFRS 16. A partir do próximo trimestre,
comentaremos os resultados já com a aplicação do IFRS16. Também neste trimestre, as operações de hardware foram
classificadas como “ativo mantido para venda” e, consequentemente, seus resultados estão apresentados após o lucro
líquido das operações de software.

Receita de Software – a aceleração do crescimento para 8,6% em relação ao 1T18 e 4,6% comparado ao 4T18 se deve
principalmente à Receita Recorrente, que cresceu organicamente praticamente dois dígitos ano contra ano e superou o
patamar de R$400 milhões pela primeira vez em um trimestre,
representando 74% da Receita de Software do período. As Receitas não
Recorrentes também contribuíram para o crescimento da Receita de
Software do trimestre, em especial a receita de Licenças que foi
positivamente impactada pelo incremento do modelo corporativo.
Receita Recorrente – tanto ano contra ano, quanto trimestre contra
trimestre, o crescimento da Receita Recorrente foi motivado pelo maior
volume de vendas, de forma diversificada, seja por segmento, como
também entre clientes novos e clientes da base, combinado a um patamar
menor de churn.
Taxa de Renovação – a Taxa de Renovação de Clientes no 1T19 foi de
98,1%, percentual superior ao registrado no 4T18 e 1T18, evidenciando
o nível de fidelidade da base de clientes e a recuperação gradual no nível
de churn.
Receitas não Recorrentes – avançaram 5,1% em relação ao 1T18, impulsionadas: (i) pelo aumento do volume de venda de
serviços não recorrentes, que cresceram 6,5%, e (ii) pelo crescimento de 3,1% nas vendas de Licenças. Quando comparado
ao 4T18, as Receitas não Recorrentes apresentaram um crescimento de 3,3%, impactado principalmente por: (i)
Incremento do Modelo Corporativo, que totalizou R$ 14,6 milhões no período; e (ii) pela redução de 14,0% na Receita de
Serviços não recorrentes, fruto da sazonalidade de entrega de projetos de serviços no início do ano.

3
Custo de Software – esta linha cresceu 8,2% no 1T19 em relação ao 1T18, em linha com a Receita de Software, e
apresentou uma redução de 5,2% quando comparado ao 4T18, resultando no avanço de 350 pontos base na Margem
Bruta do exercício. Tal desempenho é resultado principalmente: (i) maior eficiência por conta do menor volume de
contratações no período; (ii) do número sazonalmente mais alto de participantes do time de serviços e suporte em férias;
e (iii) da redução dos custos de suporte, motivado pela redução de demandas oriundas de novas regulamentações
Pesquisa e Desenvolvimento - o crescimento de 13,6% em relação ao 1T18 é reflexo: (i) dos investimentos em inovação
no período; (ii) dos esforços de desenvolvimento relacionados a mudanças na legislação fiscal, já mencionadas em
trimestres anteriores; (iii) o provisionamento de bônus em patamar superior ao 1T18, dado o atingimento integral das
metas estabelecidas para o 1T19 e (iv) dos efeitos cambiais na estrutura do TOTVS Labs na Califórnia. Quando
comparadas ao 4T18, as despesas de P&D apresentaram redução de 1,6%, passando de 18,8% da Receita de Software
do 4T18 para 17,7% no 1T19, mesmo com efeitos de provisão para reajustes salariais coletivos no estado de São Paulo.
Essa redução se deu em especial pela sazonalidade de férias dos profissionais neste período do ano, bem como pela busca
por maior eficiência associadas às iniciativas de P&D que se encontram em curso.
Despesas Comerciais e Marketing – como percentual da Receita de Software, esta linha de despesas passou de 18,5% em
no 1T18 e 4T18 para 18,1% no 1T19. Esta redução de 40 pontos base está principalmente relacionada a ganhos de
eficiência e à variação no mix de vendas entre canais próprios e franquias em conjunto com o provisionamento em nível
integral de bônus neste trimestre.
Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa - representou 1,6% da Receita de Software no 1T19 em comparação a 1,3%
no 4T18, refletindo o maior nível de atraso de clientes neste início de ano, devido especialmente pelo encerramento do
trimestre em dia não útil. Com relação ao 1T18, a representatividade desta linha de despesa sobre a receita diminuiu 40
pontos base, dado o cenário menos desafiador do início de 2019. Acreditamos que, caso haja uma recuperação econômica
mais sólida, este percentual poderá seguir em níveis mais baixos.
Despesas Gerais e Administrativas e Provisão para Contingências - representaram 11,5% da Receita de Software no 1T19,
crescimento de 70 pontos base quando comparado ao 1T18. Esse aumento reflete: (i) especialmente o provisionamento
de bônus de toda a diretoria estatutária em patamar superior ao 1T18, dado o atingimento integral das metas
estabelecidas para o 1T19; (ii) provisionamento das ações restritas do plano de Incentivo de Longo Prazo outorgadas no
2T18; (iii) os reajustes salarias coletivos no estado de São Paulo; e (iv) a atualização no montante das provisões para
contingências, fruto do histórico de perdas e andamento das ações em curso.
Outras Receitas (Despesas) Operacionais – em relação ao 4T18, esta linha apresentou uma queda de 65,8%, por conta dos
impactos ocorridos no trimestre anterior da reversão líquida de R$3,9 milhões na Provisão de Obrigações com Aquisições,
em decorrência de revisão para as investidas RJ Participações, Neolog e RMS.
EBITDA Ajustado de Software – mesmo considerando um provisionamento de Bônus/PLR R$13,5 milhões superior ao do
1T18, o EBITDA Ajustado de Software apresentou crescimento de 7,3%. Já em relação ao 4T18, o EBITDA Ajustado de
Software cresceu 33,8%, com aumento de 400 pontos base de Margem EBITDA Ajustada, impulsionado pela aceleração
de crescimento da Receita Recorrente, combinado aos ganhos de eficiência nas linhas de receita e custos.

RESULTADO APÓS O EBITDA


(Sem os efeitos do IFRS 16)

Despesas com Depreciação e Amortização - cresceram 3,2% frente ao 4T18 e 16,7% frente ao 1T18, principalmente: (i)
por conta do início da depreciação de equipamento de processamento eletrônico que foram repostos durante o ano de
2018; e (ii) das benfeitorias realizadas nas unidades de Belo Horizonte e Joinville. Já a redução de 31,6% das Despesas
com Amortização quando comparado ao 1T18 está essencialmente relacionada ao fim da amortização dos ativos
intangíveis oriundos da incorporação da Datasul encerrada no 2T18.

4
Resultado Financeiro - a redução do resultado financeiro negativo na comparação com o 1T18 e com o 4T18 é
consequência principalmente da redução do endividamento líquido da Companhia nos períodos.

Imposto de Renda e Contribuição Social - a taxa efetiva de Imposto de Renda e Contribuição Social apresentou
aumento no comparativo com o 1T18 associado: (i) ao crescimento mais acelerado do lucro tributável frente ao
crescimento do incentivo fiscal à inovação; (ii) redução do benefício fiscal da subvenção econômica da operação de
hardware; e (iii) resultado negativo de controladas no exterior acima do realizado no ano anterior. Quando comparado ao
4T18, o efeito da provisão de impairment no referido período fez com que a taxa efetiva fosse substancialmente menor.

Lucro Líquido de Software - o aumento do Lucro Líquido Ajustado em relação ao 1T18 e 4T18 se deve principalmente
ao crescimento do EBITDA Ajustado, aliado à queda das Despesas com Depreciação e Amortização e Financeiras, mesmo
que parcialmente compensado por uma maior Taxa Efetiva de Imposto de Renda e Contribuição Social no trimestre.

ATIVO MANTIDO PARA VENDA - HARDWARE

Operação de Hardware – visando ampliar o foco da Companhia na operação de software, a Administração decidiu pela
venda das operações de hardware. A Companhia tem como objetivo concluir as tratativas com interessados pela aquisição
das operações de hardware ainda no curto prazo. Mediante esse cenário, os ativos das operações de hardware foram
classificados e mensurados ao seu valor recuperável de venda e, como consequência, foi reconhecida provisão para
impairment no valor de R$48,8 milhões (R$32,2 milhões líquidos de impostos) no trimestre.

5
FLUXO DE CAIXA E ENDIVIDAMENTO

A redução ano contra ano na geração livre de caixa se deu principalmente por: (i) aumento do capital de giro,
majoritariamente pela elevação do Contas a Receber, em virtude do encerramento do trimestre em dia não útil; e (ii)
aumento dos desembolsos com Imposto de Renda e Contribuição Social, dado que a regulamentação tributária não
permite a compensação de créditos com tributos federais antes da entrega de obrigações acessórias que ocorrerão no
próximo mês de Junho.

Trimestre contra trimestre, a redução da geração livre de caixa foi especialmente devido: (i) ao maior volume de
investimento em capital de giro, por conta do pagamento de participação nos resultados ocorrida no 1T19; e (ii) do maior
volume de juros pagos, por conta dos juros semestrais relativos às debentures.

Desconsiderado o efeito do IFRS 16, a dívida líquida da Companhia representou 0,1x EBTIDA Ajustado dos últimos 12
meses, mesmo patamar do 4T18.

CRONOGRAMA DE AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA BRUTA

Por conta do IFRS 16 que estabelece um novo modelo de contabilização para arrendamento mercantil, os contratos de
arrendamento passaram a figurar como dívida, gerando um aumento de R$235,3 milhões na Dívida Bruta. O saldo de
caixa e equivalentes de caixa ao final do 1T19 foi de R$423,7 milhões, correspondente a 1,9x a Dívida Bruta dos próximos
12 meses, sem o efeito do IFRS16.

6
COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA
A TOTVS encerrou o 1T19 com Capital Social de R$1,041 bilhão, composto por 165.637.727 ações ordinárias, tendo
81,2% de seu capital como ações em circulação (free-float). O cálculo das ações em circulação tem como base todas as
ações da Companhia, excluindo-se as participações dos Administradores e pessoas ligadas, assim como as ações em
tesouraria. No trimestre, 98,5% desse free-float era composto por investidores institucionais e 75,1% por investidores
estrangeiros.

SOBRE A TOTVS
Provedora de soluções de negócios para empresas de todos os portes, atua com softwares de gestão, plataformas de
produtividade e colaboração, hardware e consultoria, com liderança absoluta no mercado SMB na América Latina. Com
aproximadamente 50% de marketshare no Brasil, é a única empresa de tecnologia no ranking das marcas mais valiosas
do Brasil da Interbrand. A TOTVS está presente em 41 países com uma receita líquida de mais de R$2 bilhões. No Brasil,
conta com 15 filiais, 52 territórios franqueados, aproximadamente 5 mil canais de distribuição e 10 centros de
desenvolvimento. No exterior, conta com mais 7 filiais e 3 centros de desenvolvimento (Estados Unidos, México, Taiwan).
Para mais informações, acesse www.totvs.com.br

Este relatório contém informações futuras. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem os desejos e as expectativas da direção da TOTVS.
As palavras "antecipa", "deseja", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "prediz", "projeta", "almeja" e similares, pretendem identificar afirmações que,
necessariamente, envolvem riscos conhecidos e desconhecidos. Riscos conhecidos incluem incertezas, que não são limitadas ao impacto da competitividade dos
preços e produtos, aceitação dos produtos no mercado, transições de produto da Companhia e seus competidores, aprovação regulamentar, moeda, flutuação
da moeda, dificuldades de fornecimento e produção e mudanças na venda de produtos, dentre outros riscos. Este relatório também contém algumas informações
proforma, elaboradas pela Companhia a título exclusivo de informação e referência, portanto, são grandezas não auditadas. Este relatório está atualizado até
a presente data e a TOTVS não se obriga a atualizá-lo mediante novas informações e/ou acontecimentos futuros.

7
ANEXO I – DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

Em 1º de janeiro de 2019, entrou em vigor a nova norma contábil emitidas pelo IASB (International Accounting Standards Board) e CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis)
que resultaram nas alterações abaixo elencadas:

IFRS-16 / CPC-06 (R6) - Estabelece um novo modelo de contabilização para arrendamento mercantil, onde na data do início do arrendamento, o arrendatário reconhece um
passivo de arrendamento para efetuar os pagamentos (aumentando a dívida bruta) e um ativo representando o direito de usar o ativo objeto durante o prazo do arrendamento.
Consequentemente, serão reconhecidas no resultado as despesas de juros sobre o passivo de arrendamento e a despesa de depreciação do direito de uso do ativo ao invés
das despesas de aluguel anteriormente reconhecidas no resultado operacional da Companhia.

8
ANEXO II – FLUXO DE CAIXA

9
ANEXO III – BALANÇO PATRIMONIAL

10
IR CONTACT
Gilsomar Maia (CFO/DRI)
Tel.: +55 (11) 2099-
7105/7773/7097/7089
ri@totvs.com.br
São Paulo, May 8, 2019 - TOTVS S.A. (B3: TOTS3), the leading provider of business solutions in Brazil,
announces today its results for the first quarter of 2019 (1Q19).
For comparison purposes, the charts presented herein do not include the effects of the IFRS 16 adoption.
The effects of IFRS 16 on the Income Statement and of Cash Flows for 1Q19 are presented in attachments
I and II of this report. In this quarter, hardware operations were classified as available for sale and,
consequently, their results are presented separately form the results of software operations.

1Q19 - EARNINGS RELEASE


Net Revenue: R$563.6 million in 1Q19 (+8.6% vs. 1Q18 and +4.6% vs. 4Q18)

Recurring Revenue: R$416.1 million in 1Q19 (+9.9% vs. 1Q18 and +5.1% vs. 4Q18)

Renewal Rate: 98.1% in 1Q19 (+80 bps vs. 1Q18 and +20 bps vs. 4Q18)

Adjusted EBITDA: R$104.5 million in 1Q19 (+7.3% vs. 1Q18 and +33.8% vs. 4Q18)

Adjusted EBITDA Margin: 18.5% in 1Q19 (-30 bps vs. 1Q18 and +400 bps vs. 4Q18)

Adjusted Net Income: R$45.1 million in 1Q19 (+26.9% vs. 1Q18 and +31.3% vs. 4Q18)

CONFERENCE CALL – PORTUGUESE: May 9, 2019, 9:30 a.m. (Brasília)


Webcast: click here | Telephone: +55 11 3193-1001 or +55 11 2820-4001 (access code: TOTVS) | Replay: +55 (11)
3193-1012 or +55 (11) 2820-4012 (access code: 0375065# until May 15, 2019 or at ri.totvs.com.br

CONFERENCE CALL – ENGLISH: May 9, 2019, 12:00 p.m. (Brasília)


Webcast: click here | Telephone: US Toll Free +1-800-492-3904/ International +1-646-828-8246/ Brazil +55 11 3193-
1001 or +55 11 2820-4001 (access code: TOTVS) | Replay: +55 (11) 3193-1012 or +55 (11) 2820-4012 (access code:
2982868#) until May 15, 2019 or at ir.totvs.com
RECENT EVENTS
TECHFIN POSITIONING
As part of the strategy to develop new markets, TOTVS started operations at its TECHFIN division, whose core
objective is to simplify, expand and cheapen its clients’ access to credit and other financial services. TOTVS will thus
seek to add more value to chains already served by its leading business management solutions in Brazil, shortly offering,
for instance, credit solutions to diverse segments such as Education, Health Care, HR and Manufacturing. While
preserving our technology DNA, as a software company, TOTVS is positioning itself as a TECHFIN instead of a Fintech.
We believe that our relation are deeper and our client base is more loyal precisely because of the differentials that
technology enables us to offer.

The first initiative in this regard was the signing of a partnership agreement with REDE, the payments company of Itaú,
to market among TOTVS’ small and mid-sized clients (“SMB”) solutions provided by REDE for acquirer processing and
discounting of receivables.

To lead the Fintech’s initiatives within the TECHFIN division, TOTVS hired Eduardo Neubern as the new Executive
Director in 1Q19. Neubern has over 15 years of experience in the financial markets, having worked for companies such
as MasterCard, Bradesco, American Express and Cielo.

RATING
On April 22, the rating agency Fitch Ratings assigned TOTVS the “AA(bra)” initial long-term national scale rating, with
stable outlook. According to Fitch, the rating reflects TOTVS’ leadership in the competitive sector of business
management software solutions, based on its knowledge of the local market, a broad distribution network and a
diversified portfolio of products and clients, as well as strong liquidity.

HARDWARE OPERATION SALE


On May 8th, TOTVS signed a binding Memorandum of Understandings for the sale, to ELGIN S.A., of its hardware
operations in Brazil, for the price of R$25.0 million to be paid on closing of the transaction, subject to adjustments.

The decision for the sale of the hardware operations is in alignment with TOTVS strategic plan to focus the attention of
its teams and resources in the software operations. The conclusion of the transaction depends on its approval by the
Brazilian antitrust authorities, and on the verification of other conditions typical to this type of deal.

2
OPERATING AND FINANCIAL PERFORMANCE
(Excluding the effects of IFRS 16)
To maintain comparability, the information presented in the tables in the “Financial and Operating Performance” and
“Results after EBITDA” sections do not reflect the effects of the adoption of IFRS 16. From the next quarter on, we will
base our comments on the results with the application of IFRS 16. In this quarter, hardware operations were classified
as “assets available for sale” and, consequently, their results are presented after net income from software operations.

Software Revenue – the increase of 8.6% compared to 1Q18 and of 4.6% compared to 4Q18 is mainly due to Recurring
Revenue, which registered double-digit organic growth, surpassing
R$400 million for the first time in a quarter, and accounting for 74% of
Software Revenue in the period. Non-Recurring Revenue also
contributed to the growth in Software Revenue in the quarter,
especially License Revenue, which was positively affected by the
increase in the corporate model.

Recurring Revenue – the year-on-year and quarter-on-quarter growth in


Recurring Revenue was due to the higher volume of sales, and in a
diversified manner – either by segment or between new and existing
clients - combined with the lower churn rate.

Renewal Rate – Client Renewal Rate stood at 98.1% in 1Q19, higher


than in both 4Q18 and 1Q18, showing the loyalty of existing clients and
the gradual recovery of the churn rate.

Non-Recurring Revenue – up 5.1% from 1Q18, driven by: (i) the 6.5% increase in sales of non-recurring services, and (ii)
the 3.1% growth in license sales. Compared to 4Q18, Non-Recurring Revenue grew 3.3%, mainly due to: (i) the
Increment in the Corporate Model, which totaled R$14.6 million in the period; and (ii) the 14.0% reduction in non-
recurring Service Revenue, due to the seasonal nature of the delivery of service projects in the beginning of the year.

Software Cost – this line increased 8.2% in 1Q19 in relation to 1Q18, in line with Software Revenue, but declined 5.2%
from 4Q18, resulting in an increase of 350 basis points in the Gross Margin in the year. This performance is mainly
explained by: (i) the higher efficiency on account of fewer hirings in the period; (ii) the seasonally higher number of

3
service and support employees on vacation; and (iii) the decrease in support costs due to the reduction in the
requirements established by new regulations.

Research and Development – the 13.6% increase in relation to 1Q18 is due to: (i) investments in innovation during the
period; (ii) the development efforts related to changes in tax laws, already mentioned in previous quarters; (iii) the
increase in provision for bonus compared to in 1Q18 due to the achievement of all the targets set for 1Q19; and (iii) the
effects of foreign exchange variation on the TOTVS Labs structure in California. Compared to 4Q18, R&D expenses
decreased 1.6%, from 18.8% of Software Revenue in 4Q18 to 17.7% in 1Q19, despite the effects of the provision for
wage increases in the state of São Paulo. This reduction is due to the seasonal effect of professionals on vacation
during this period of the year, as well as the pursuit of greater efficiency associated with the ongoing R&D initiatives.
Selling and Marketing Expenses – as a percentage of Software Revenue, this expense line fell from 18.5% in 1Q18 and
4Q18 to 18.1% in 1Q19. This 40-basis point reduction is mainly due to efficiency gains and the variation in the sales
mix between own channels and franchises, as well as the full provision made for bonus this quarter.

Allowance for Doubtful Accounts – corresponded to 1.6% of Software Revenue in 1Q19, compared to 1.3% in 4Q18,
reflecting the greater delinquency of clients at the start of the year, specially due to the quarterly closing falling on a
non-working day. Compared to 1Q18, as a percentage of revenue, this expense line decreased 40 basis points due to
the less challenging scenario in early 2019. We believe this percentage may be lower in case of a more solid economic
recovery.

General and Administrative Expenses and Provision for Contingencies – equivalent to 11.5% of Software Revenue in
1Q19, up 70 basis points from 1Q18. This increase reflects: (i) mainly the increase in the provision for bonus for the
statutory board of executive officers in relation to 1Q18, given the achievement of all the targets set for 1Q19; (ii) the
provision for restricted shares of the Long-Term Incentive Plan granted in 2Q18; (iii) the wage increases in the state of
São Paulo; and (iv) the inflation adjustment of provisions for contingencies, given the history of losses and the status of
lawsuits in progress.

Other Operating Revenues (Expenses) – In relation to 4Q18, this line decreased 65.8%, due to the impacts in the
previous quarter from the net reversal of R$3.9 million in the Provision for Obligations Related to Acquisitions, due to
revision for the investees RJ Participações, Neolog and RMS.

Adjusted Software EBITDA – even considering a provision for bonuses R$13.5 million higher than the 1Q18, the
Adjusted EBITDA from Software increased 7.3%. In relation to 4Q18, Adjusted EBITDA from Software grew 33.8%,
with Adjusted EBITDA Margin growing 400 basis points, driven by the growth in Recurring Revenue combined with
efficiency gains in the revenue and cost lines.

RESULTS AFTER EBITDA


(Excluding the effects of IFRS 16)

Depreciation and Amortization Expenses – increased 3.2% from 4Q18 and 16.7% from 1Q18, mainly due to: (i) the start
of depreciation of electronic processing equipment that was replaced during 2018; and (ii) the improvements made at
the Belo Horizonte and Joinville units. The 31.6% decline in Amortization Expenses compared to 1Q18 is essentially
related to the end of amortization of intangible assets in 2Q18 arising from the merger of Datasul.

Financial Result – the reduction in net financial loss in relation to 1Q18 and 4Q18 is mainly due to the reduction in
the Company’s net debt in the periods.

4
Income Tax and Social Contribution – the effective Income Tax and Social Contribution rate increased in relation to
1Q18, due to: (i) the higher increase in taxable income due to the growth in tax incentive for innovation; (ii) the decline
in the tax benefit of economic subsidy on the hardware operation; and (iii) the increase in loss reported by subsidiaries
abroad in relation to the previous year. Compared to 4Q18, the effect of the provision for impairment in the period led
to a significantly lower effective rate.

Net Income from Software – the increase in Adjusted Net Income when compared to 1Q18 and 4Q18 is mainly due
to the growth in Adjusted EBITDA, combined with the lower Depreciation and Amortization, as well as Financial
Expenses, despite the partial offset of a higher effective Income Tax and Social Contribution rate in the quarter.

ASSET AVAILABLE FOR SALE – HARDWARE

Hardware Operation – in order to expand the Company’s focus on the software operation, the Management decided to
divest the hardware operations. The Company aims to conclude negotiations with parties interested in acquiring the
hardware operations within the short term. In light of this scenario, assets of the hardware operations were classified
and measured at their recoverable sale amount and, consequently, a provision for impairment was recognized in the
amount of R$48.8 million (R$32.2 million net of taxes) in the quarter.

5
CASH FLOW AND DEBT

The year-on-year reduction in free cash generation was mainly due to: (i) the increase in working capital, largely due the
increase in Accounts Receivable due to the quarterly closing falling on a non-working day; and (ii) the increase in
Income Tax and Social Contribution payments due to a tax rule that does not allow the offset of federal taxes before
the delivery of ancillary obligations that will occur in June.

In the quarter-on-quarter comparison, the decline in free cash generation was chiefly due to: (i) higher investments in
working capital with the payment of profit sharing in 1Q19; and (ii) the increase in the interest paid, on account of the
half-yearly interest on debentures.

Excluding the effects of the adoption of IFRS 16, the Company’s net debt corresponded to 0.1 times Adjusted EBITDA
in the last 12 months, the same as in 4Q18.

GROSS DEBT AMORTIZATION SCHEDULE

Due to IFRS 16, which establishes a new accounting model for leases, the Company’s lease agreements are now
reported as debt, which increased Gross Debt by R$235.3 million. Cash and cash equivalents at the end of 1Q19 was
R$423.7 million, corresponding to 1.9 times the Company’s short-term Gross Debt of the next 12 months without the
effect of IFRS 16.

6
OWNERSHIP STRUCTURE
TOTVS ended 1Q19 with Capital Stock of R$1.041 billion, consisting of 165,637,727 common shares, with free float of
81.2%. Free float is calculated as the total number of Company shares, excluding shares owned by Management and
related persons, and treasury stock. In 1Q19, 98.5% of the free float was held by institutional investors and 75.1% by
foreign investors.

ABOUT TOTVS
TOTVS, a provider of business solutions for companies of all sizes and which deals with management software,
productivity and collaboration platforms, hardware and consulting, is the absolute leader in Latin America’s SMB
market. With about 50% market share in Brazil, it is the only technology company ranked by Interbrand as one of the
most valuable brands in Brazil. TOTVS is present in 41 countries, with net revenue of more than R$2 billion. In Brazil, it
has 15 branch offices, 52 franchised territories, approximately 5,000 distribution channels and 10 development centers.
Outside Brazil, it has seven branch offices and three development centers in the United States, Mexico and Taiwan. For
further information, visit www.totvs.com.br

This report contains forward-looking statements that are based not just on historical facts but reflect the desires and expectations of TOTVS management.
Words such as "anticipate", "wish", "expect", "foresee", "intend", "plan", "predict", "project", "desire" and similar terms identify statements that necessarily
involve known and unknown risks. Known risks include uncertainties that are not limited to the impact of price and product competitiveness, the acceptance
of products by the market, the transitions of the Company’s products and those of its competitors, regulatory approval, currency fluctuations, supply and
production difficulties and changes in product sales, among other risks. This report also contains certain pro forma statements prepared by the Company
exclusively for informational and reference purposes and are therefore unaudited. This report is updated to the present date and TOTVS is under no obligation
to update it further to include new information and/or future events.

7
ATTACHMENT I – INCOME STATEMENT

On January 1, 2019, the new accounting standards issued by the International Accounting Standards Board (IASB) and the Brazilian Accounting Pronouncements
Committee (CPC) came into force, causing the following changes:

IFRS-16 / CPC-06 (R6) - Establishes a new accounting model for leases, in which the lessee recognizes on the start date of the lease, a lease liability to make the payments
(which increases gross debt) and an asset representing the right to use the asset during the lease period. Consequently, interest expenses on lease liability and depreciation
of the right of use of the asset will be recognized in profit or loss instead of rental expenses previously recognized in the Company’s operating results.

8
ATTACHMENT II – CASH FLOW

9
ATTACHMENT III – BALANCE SHEET

10