Você está na página 1de 23

UNIVERSIDADE

ESTADUAL DO
MARANHÃO
Presidência da República Federativa do Brasil
Ministério da Educação
Secretaria de Educação a Distância

© Universidade Estadual do Maranhão


Este caderno foi elaborado pela Universidade Estadual do Maranhão por meio do Núcleo
de Tecnologias para Educação - UemaNet, para o Sistema Escola Técnica Aberta do Brasil
(Rede e-Tec Brasil).

Reitor da UEMA Coordenadora Pedagógica de Design Educacional


Prof. Gustavo Pereira da Costa Profa. Sannya Fernanda Nunes Rodrigues

Vice-reitor da UEMA Coordenadora Administrativa de Design Educacional


Walter Canales Sant'Ana Cristiane Costa Peixoto

Diretora do Centro de Ciências Agrárias - CCA Professoras-autoras


Profa. Francisca Neide Costa Karina Suzana Feitosa Pinheiro
Leila Maria Feitosa Pinheiro
Coordenadora Geral do UemaNet
Profa. Ilka Márcia Ribeiro de Souza Serra Designer Educacional
Cleidemar Algarves
Coordenadora Adjunta do UemaNet
Profa. Eliza Flora Muniz Araújo Revisora de Linguagem
Layla Magalhães Araújo
Coordenadora do e-Tec/UemaNet Lucirene Ferreira Lopes
Profa. Karina Pinheiro
Designers Gráficos
Coordenador do Curso Técnico em Mineração Annik Pinheiro
Prof. José Fernando Rodrigues Bezerra Rômulo Santos Coelho

Diagramadores
Josimar de Jesus Costa Almeida
Luis Macartney Serejo dos Santos
Tonho Lemos Martins

Ficha catalográfica

Pinheiro, Karina Suzana Feitosa.


Introdução à mineração / Karina Suzana Feitosa Pinheiro, Leila Maria Feitosa Pinheiro.–
São Luis: UemaNet, 2015.
111 p.
Sistema Escola Técnica Aberta do Brasil (Rede e-Tec Brasil).
ISBN:
1. Mineração – Histórico. 2. Mineração – Elementos. Mineração - Etapas. I. Pinheiro, Leila
Maria Feitosa. II. Título
CDU: 622
Indicação de ícones

Os ícones são elementos gráicos utilizados para ampliar as formas de


linguagem e facilitar a organização e a leitura hipertextual.

Atenção: indica pontos de maior relevância no texto.

Saiba mais: oferece novas informações que enriquecem o


assunto ou “curiosidades” e notícias recentes relacionadas ao tema
estudado.

Glossário: indica a deinição de um termo, palavra ou expressão


utilizada no texto.

Mídias integradas: remete o tema para outras fontes: livros, ilmes,


músicas, sites, programas de TV.

Atividades de aprendizagem: apresenta atividades em diferentes


níveis de aprendizagem para que o estudante possa realizá-las e
conferir o seu domínio do tema estudado.

Reletir: momento de uma pausa na leitura para reletir/escrever


sobre pontos importantes e/ou questionamentos.
SUMÁRIO

Palavras das professoras-autoras .................................................................... 11


Apresentação da disciplina ................................................................................ 13

AULA 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUA IMPORTÂNCIA PARA


A SOCIEDADE .................................................................................................... 17

1 O que é Mineração ? ......................................................................................... 17


2 HISTÓRICO DA MINERAÇÃO ......................................................................... 19
2.1 Histórico da Mineração no Mundo .................................................. 19
2.2 Histórico da Mineração no Brasil ...................................................... 24
3 IMPORTÂNCIA DA MINERAÇÃO PARA A SOCIEDADE ...................... 29
Resumo .............................................................................................................. 32
Referências ....................................................................................................... 33
Palavras das professoras-autoras

Caro estudante,

Seja bem-vindo ao Curso Técnico de Mineração a distância, o primeiro


do Nordeste nesta modalidade, oferecido pela Universidade Estadual
do Maranhão (UEMA) por meio do Núcleo de Tecnologia para Educação
(UEMANET).

Parabenizamos você por ter escolhido o Curso Técnico de Mineração, cujo


objetivo é formar proissionais engajados no peril proissional que o mercado
de trabalho exige. Estude e dessa forma, estará apto para aproveitar as
inúmeras oportunidades oferecidas nesta área. Haja vista, que no Nordeste, e
especialmente no Estado do Maranhão, o setor mineral tem despontado com
um crescimento expressivo que necessita de proissional para atuar neste
mercado.

Neste curso será oferecido a você, estudante, material de aprendizagem nos


formatos virtual e impresso, com conteúdo das disciplinas, atividades de
ixação do conhecimento, e práticas proissionais, que proporcionará a você
a formação, para atuar no setor mineral de forma ética, com responsabilidade
socioambiental, e habilidades que possam atender às demandas para as
operações de pesquisa, lavra e tratamento de minérios da região.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 11


Apresentação da disciplina

Caro estudante,

A disciplina Introdução à Mineração possibilitará a você, caro aluno, conhecer


o peril do setor mineral brasileiro e do Estado do Maranhão, os principais
conceitos e termos técnicos, assim como as etapas desenvolvidas na mineração.

O peril mineral do Brasil permitirá conhecer os recursos existentes com


potencial a ser explorado, destacando o Estado do Maranhão, como um
mercado promissor ao proissional com formação na área de mineração. Para
melhor compreensão organizamos o caderno em cinco aulas observe:

Na aula 1 - estudaremos o conceito de mineração e reconheceremos suas


etapas, assim como também o histórico desta atividade no mundo e no Brasil;

Na aula 2 - identiicaremos o peril mineral no Brasil, em destaque o peril


mineral do Estado do Maranhão, e conheceremos o mercado de trabalho, e
atuação do proissional técnico de mineração;

Na aula 3 - estudaremos os elementos ou componentes da mineração,


diferenciando lavra de mina, e conheceremos as máquinas, equipamentos e
explosivos na mineração;

Na aula 4 - identiicaremos as atividades que fazem parte de cada etapa do


setor mineral; e

Na aula 5 - abordaremos os principais impactos ao ambiente causado pela


atividade de mineração e medidas de controle dos mesmos.

Destacamos que este caderno apresenta trechos de compilação de alguns


autores, incluindo, recorte de alguns clássicos, portanto, interagindo com a
ideia dos autores, buscou-se um caráter didático que facilite o seu aprendizado.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 13


Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E
SUA IMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE

Objetivos
• Deinir Mineração e reconhecer suas etapas;

• Explicar a história da mineração no mundo e no Brasil;

• Identiicar a importância da mineração para a sociedade.

1 O qUE é MINERAÇÃO?

Mineração é uma palavra que deriva do latim medieval - mineralis - relativo a


mina e a minerais. Da ação de cavar minas criou-se o verbo "minar" no séc. XVI
e, em consequência da prática de se escavar fossos em torno das fortalezas,
durante as batalhas, com a inalidade de fazê-las ruir, adotou-se a palavra
"mina" para designar explosivos militares. A associação das duas atividades
deu origem ao termo mineração, visto que a escavação das minas se faz
frequentemente com o auxílio de explosivos (DNPM, 2015).

Segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM, 2015), de


um modo genérico, pode-se deinir mineração como a extração de minerais
existentes nas rochas e ou no solo. Trata-se de uma atividade de natureza
fundamentalmente econômica que também é referida, num sentido lato,
como indústria extrativa mineral ou indústria de produtos minerais, ou
indústria de transformação mineral.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 17


De acordo com a classiicação internacional adotada pela ONU, deine-se
mineração como sendo a extração, elaboração e beneiciamento de minerais
que se encontram em estado natural: sólido, como o carvão e outros; líquido,
como o petróleo bruto; e gasoso, como o gás natural (DNPM, 2015).

Bem, desta forma podemos entender que, mineração é uma atividade que
engloba as etapas de pesquisa, extração e beneiciamento ou tratamento
de minérios a partir de depósitos ou massas minerais conforme demonstra a
Figura 1.

Figura 1 - Fluxograma ilustrando a atividade de mineração


Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0370-44672009000400014&script=sci_arttext

E o que são depósitos ou massas minerais? A princípio, podemos entender


que é um conjunto ou agregado de minerais, que formam as rochas. Mais
adiante, neste caderno explicaremos estes conceitos com mais detalhes.

O que precisamos saber é que, historicamente esta atividade teve seu início
desde os tempos pré-históricos, sendo parte integrante e essencial na
existência da humanidade.

Podemos airmar, que desde os primórdios da criação do mundo, a mineração,


assim como a agricultura fazem parte das principais indústrias, geradoras de
riqueza e base de uma atividade econômica mais avançada.

Basta analisarmos que no decorrer da história, a sociedade tem sido


inteiramente dependente dos produtos minerais. De fato, a maioria das idades

18 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


culturais do homem está associada e identiicada pelos minerais. Podemos
entender isto como, por exemplo: o uso de nomes como a Idade da Pedra
(antes de 4.000 a.C.), Idade do Bronze (4.000 a 1.500 a.C.), a Idade do Ferro
(1.500 a.C. a 1.780 d.C.), a Idade do Aço (1.780 a 1.945) e, inalmente a Idade
Nuclear (desde 1945) conirmam este fato. Observemos o Quadro 1 onde
demonstramos (resumidamente) o uso dos minerais nas idades ao longo da
história.

quadro 1 - Uso dos minerais ao longo da história

Fonte: Castro e Junqueira (2005)

2 HISTÓRICO DA MINERAÇÃO

2.1 Histórico da Mineração no Mundo

Conheceremos mais detalhadamente, a história da mineração a partir da


pesquisa realizada pelo Amaral e Filho (In: DNPM, 2015). Destacamos os
seguintes pontos:

- Desde épocas bem remotas o homem vem exercendo atividades de


mineração, retirando de locais apropriados a argila, para os artefatos de
cerâmica, as rochas duras para a preparação de armas e objetos de corte,

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 19


bem como ocres minerais para a confecção de pigmentos para utilização,
sobretudo, em pinturas e inscrições rupestres (Figura 2);

Figura 2 - Pinturas rupestre em argila


Fonte: http://www.fumdham.org.br/pinturas.asp

- A partir da Idade do Bronze (cobre + estanho) desenvolveu-se lentamente a


pesquisa, a mineração e o beneiciamento dos minérios para a metalurgia. Há
milhares de anos teve início a realização de operações de lavra subterrânea
para extração de minerais metálicos;

- Na Antiguidade, os minerais serviam apenas para a fabricação de ferramentas,


armas e utensílios, bem como para a realização de obras arquitetônicas, como
aquedutos, ediicações etc. O conhecimento e a capacidade de trabalhar os
metais permitem distinguir o grau de civilização e o progresso alcançado por
um povo antigo (chineses, babilônios, egípcios, gregos etc.);

- Em 3000 a.C., o Egito tornou-se a mais importante civilização do mundo, ao


mesmo tempo em que passou a dominar a mineração de cobre em Meghara,
na península do Sinai. Durante dois séculos e meio, os Fenícios mantiveram
segredo sobre a descoberta de minas de estanho em seu território. A exploração
dessas minas, seguida de seu monopólio comercial, constituiu fator decisivo
para manter a supremacia de Cartago e lhe propiciou, em parte, o controle
do comércio no reduzido mundo de então. Finalmente, o Império Romano
só dominou o mundo depois de conquistar os amplos recursos minerais da
Espanha;

- Mesmo na idade contemporânea, a história está repleta de exemplos desse


tipo, pois a exploração e o tratamento de minerais, além de servir de base ao

20 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


progresso industrial e ao comércio, em função das tecnologias avançadas, é
uma das bases do poder econômico, militar e político;

- O ilósofo grego Aristóteles (384 - 322 a.C.) apresentou os primeiros escritos na


tentativa de classiicar os corpos inorgânicos. Seu discípulo Teofrasto (371 - 286
a.C.) dedicou um tratado especial ao assunto, no qual descreveu 16 espécies
minerais, principalmente pedras preciosas. Posteriormente, o naturalista
romano Plínio "o Velho", morto em 79 durante a erupção do Vesúvio, escreveu
4 tratados onde reuniu todo o conhecimento sobre minerais daquela época
(Figura 3);

Figura 3 - Erupção do Vesúvio


Fonte: http://www.ciencia-online.net/2013/03/monte-vesuvio-e-pompeia-fatos-e-historia.html

- Na alta Idade Média se registrou uma evidente ascensão no desenvolvimento


cientíico nos países árabes, que haviam assimilado a cultura da antiga Grécia,
Índia e dos povos da Ásia Central. Nesse período, destacou-se o grande
naturalista, matemático e astrônomo Biruni (972 - 1048), natural de Corasmia
(Usbequistão). Em sua obra, dedicada às pedras preciosas, apresenta uma
descrição dos minerais realmente notáveis para sua época, e na deinição das
espécies minerais emprega, pela primeira vez na história, constantes físicas,
como dureza relativa e peso especíico. Enquanto isso, na Europa, os poucos
trabalhos dessa época descreviam apenas as "propriedades mágicas das
pedras";

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 21


- Foi só a partir do século XVI que apareceram na literatura europeia uma série
de importantes trabalhos sobre mineração. O italiano Biringuccio (1480 - 1538)
e principalmente Georgius Agricola (1490 - 1555), médico da Boêmia, são as
melhores fontes de informação sobre antigas técnicas de mineração, algumas
das quais ainda são utilizadas até hoje. Essas técnicas incluem instrumentos
como picaretas e marretas, sistemas de bombeamento e ventilação, além de
carros de mão. Vale destacar que foi Agrícola que descreveu detalhadamente
algumas das características dos minerais (cor, transparência, brilho, gosto,
odor, peso, dureza etc.);

- O uso da pólvora fez progredir a técnica da mineração, e mais ainda


a dinamite, em meados do século XIX, aperfeiçoada com suplementos
produzidos no século XX. A evolução das técnicas de perfuração também
ampliou a capacidade da atividade de mineração (Figura 4). Acredita-se que a
primeira sonda rotativa tenha sido utilizada na Inglaterra, em 1813, e versões
aprimoradas apareceram ao longo do século XIX;

Figura 4 - Uso de explosivos na mineração


Fonte: http://g1.globo.com

- A mineração, especialmente do carvão, foi o eixo central para o progresso da


tecnologia industrial. A aplicação das bombas e máquinas a vapor, num ramo de
vital importância, crescente até meados do século XVIII, foi o primeiro passo para a

22 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


siderurgia, com a substituição da lenha pelo carvão mineral. No caso da máquina
a vapor, a mineração lhe forneceu os elementos essenciais - ferro e carvão - e
dela recebeu mais tarde, contribuições indiretas sob a forma de mecanismos de
extração, equipamentos, transportes, sistemas de ventilação etc (Figura 5).

Figura 5 - Primeira locomotiva a vapor, construída em 1804


Fonte: http://www.klickeducacao.com.br

- O aumento da eiciência do esforço humano, dando margem à acumulação


do capital, facultou a elevação da capacidade aquisitiva e a ampliação dos
mercados. A disponibilidade de energia barata permitiu a produção em grande
escala e os transportes em massa, com todos os benefícios daí resultantes,
entre os quais o aumento da mobilidade;

- Os minerais têm constituído um desaio para o homem em sua busca. A


sedução exercida pelo ouro, a prata e os diamantes, determinou movimentos
migratórios. No mundo ocidental, as minas de carvão da Inglaterra, da
Alemanha e de outros países, representaram as bases nas quais foram
montadas as primeiras estruturas industriais modernas, seguindo-se os EUA,
com o petróleo e o aço. Bens de capital, sob a forma de maquinaria, material
ferroviário etc., eram transferidos para as regiões em que houvesse minerais
em abundância. E, fora da Europa e da América, nos continentes mais distantes
onde fossem descobertos jazimentos economicamente rentáveis, de cobre,
de estanho, de petróleo, ali se aplicavam grandes investimentos para a
exploração dessas riquezas;

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 23


- Modernamente, a mineração é uma atividade cara e complexa. Tem início com
a localização de jazidas minerais, o que se faz por mero acaso ou cientiicamente,
por meio de estudos geológicos regionais, seguidos por mapeamento geológico
de detalhe da área selecionada. Uma vez conirmada a existência de jazimento
mineral, passa-se a realizar a pesquisa mineral. Nesta fase faz-se uso de vários
trabalhos técnicas, quais sejam: sondagens, poços de pesquisa, trincheiras
etc., bem como a eventual aplicação de métodos de prospecção geofísicos e/
ou geoquímicos. Todo esse trabalho visa conirmar, com um nível razoável de
segurança, a existência do jazimento, seu condicionamento geológico (extensão,
comportamento estrutural, teores do minério etc.) e, sobretudo, calcular as
reservas do minério em foco e sua economicidade. Só depois de qualiicado
e quantiicado o minério e determinada a sua exequibilidade econômica, é
que se deve dar início a atividade de mineração propriamente dita: extração e
beneiciamento do minério.

2.2 Histórico da Mineração no Brasil

No Brasil, como a mineração pode


ser historicizada ao longo dos anos?
De acordo com Evangelista (2015),
alguns pontos relevantesda história
da mineração do Brasil devem ser
considerados, tais como:

- Desde o século XVI, partiam da Bahia


para o interior do Brasil expedições
empenhadas em encontrar minas de
prata. No século XVII, Fernão Dias saiu
de São Paulo com seus seguidores
em busca de prata e esmeraldas em
Sabará. Só no im do século XVII,
porém, revelou-se em Minas Gerais
Figura 6 - Mineração de diamantes a ocorrência de ouro. Os diamantes
Fonte: http://pt.wikipedia.org

24 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


foram descobertos na segunda década do século XVIII (Figura 6). Com isso,
a mineração tornou-se a mais importante atividade econômica da colônia
durante toda a primeira metade do século XVIII;

- Nessa época, também já tinham sido localizadas riquezas auríferas em


Mato Grosso e, em 1725, descobriu-se ouro em Goiás. O governo criou duas
casas de fundição e, diante da nova e mais lucrativa atividade que surgia, a
agricultura foi gradativamente relegada ao abandono. Em pouco tempo,
o açúcar, principal produto de exportação de Pernambuco e da Bahia, nem
sequer encontrava colocação no mercado;

- Com o atrativo da mineração, a migração para a colônia tornou-se tão


intensa que a metrópole chegou a proibi-la. Portugal criou então um imposto
que montava à quinta parte da produção. O exagero na cobrança do “quinto”,
nome que se deu ao tributo, conduziu a conspirações e levantes autonomistas.
A partir da segunda metade do século XVIII, porém, com o esgotamento das
minas, começou a decadência da mineração e cogitou-se reativar a agricultura;

- No século XIX, começaram as tentativas de aplicação de técnicas modernas


de mineração, com a vinda de especialistas europeus. A maioria, no entanto,
falhou, com prejuízo para as companhias brasileiras ou inglesas que nelas
investiram. No início do século XIX, tentou-se modernizar a mineração do
ferro, incipiente no período colonial, mas a experiência fracassou por motivos
técnicos e econômicos. Findo o ciclo do ouro, o Brasil enfrentou uma grave
crise econômica só interrompida em meados do século, com a exportação de
café;

Historicamente, a Mineração no Brasil possui marcos importantes, tendo


como referência o estudo realizado pelo Ministério de Minas e Energia (MME,
2014), observe:

A evolução da legislação mineral e das instituições relacionadas ao setor


tiveram eventos a seguir foram marcantes no inal do século XIX, século
XX e início do século XXI:

1891: Promulgada a Constituição republicana, que vinculava a


propriedade do subsolo à do solo.

1907: Criado e instalado o Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 25


1930: Criada a Companhia Petróleos do Brasil – PETROBRAS.

1931: O Presidente Getúlio Vargas defendeu a necessidade de se


nacionalizarem as reservas minerais do Brasil.

Decretos suspenderam a alienação ou oneração de qualquer jazida


mineral. Estabelecida pelo Governo Federal lei de proteção à indústria
carbonífera.

1934: A nova Constituição separa as propriedades do solo e do subsolo.

O Decreto nº 23.979, de 08 de março, cria o Departamento Nacional da


Produção Mineral – DNPM.

1937: Pela Constituição outorgada no Estado Novo, o aproveitamento


de jazidas minerais passou a ser autorizado somente a brasileiros ou
empresas constituídas por brasileiros.

1938: Criado o Conselho Nacional do Petróleo – CNP.

Até então, era livre a iniciativa de pesquisa e exploração de petróleo e


gás natural. Ocorreu a nacionalização do reino de petróleo e a regulação
da importação e do transporte.

1940: A cobrança de um imposto único sobre minerais no Brasil, de


competência da União, teve início com a Lei Constitucional nº 4, de 19
de junho, que instituiu a cobrança desse tributo sobre o carvão nacional,
os combustíveis e os lubriicantes de qualquer origem.

Decreto-lei nº 1.985, de 29 de março, denominado Código de Minas,


deine os direitos sobre as jazidas e minas, estabelece o regime do
seu aproveitamento e regula a intervenção do Estado na indústria de
mineração, bem como a iscalização das empresas que utilizam matéria
prima mineral.

1941: Criada a Companhia Siderúrgica Nacional – CSN.

1942: Criada a Companhia Vale do Rio Doce – CVRD.

1946: A nova ordem constitucional reabriu a mineração à participação


do capital estrangeiro.

26 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


A tributação única foi estendida para todos os minerais do País pela
Constituição de 1946.

1960: Criado o Ministério das Minas e Energia e o DNPM foi incorporado


à estrutura do novo Ministério.

1964: Aprovada a Lei nº 4.425 estabelecendo regime de tributação


única para os minerais – Imposto Único sobre Mineral – IUM.

1967: Descoberto minério de ferro na Serra dos Carajás.

O Decreto-Lei nº 227, de 28 de fevereiro, denominado de Código


da Mineração, regula os direitos sobre as massas individualizadas
de substâncias minerais ou fósseis, encontradas na superfície ou no
interior da terra formando os recursos minerais do País; o regime de
seu aproveitamento; e a iscalização pelo Governo Federal, da pesquisa,
da lavra e de outros aspectos da indústria mineral (Dá nova redação ao
Decreto-lei nº 1.985, de 29 de janeiro de 1940, Código de Minas).

O monopólio sobre a pesquisa e a lavra de petróleo passa a ser exigência


constitucional.

1969: Criada a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais – CPRM.

1970: Iniciada a implantação do Projeto RADAM, um dos mais


importantes projetos de cartograia geológica e de recursos naturais na
região amazônica.

1978: Criado Regime especial para exploração e o aproveitamento das


substâncias minerais – Regime de Licenciamento, pela Lei nº 6.567, de
24 de setembro.

1988: A Constituição, promulgada em 5 de outubro, restabeleceu,


em parte, as restrições à participação estrangeira na exploração e
aproveitamento de recursos minerais.

Até a promulgação da Constituição Federal de 1988, havia a incidência


do Imposto Único sobre Mineral – IUM.

O IUM incidia uma só vez sobre uma das seguintes operações: extração,
tratamento, circulação, distribuição, exportação ou consumo de

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 27


substâncias minerais do País. Seu campo de incidência cessava quando
houvesse modiicação essencial na identidade das substâncias minerais
processadas.

A Constituição de 1988 extinguiu o IUM e instituiu o pagamento de uma


compensação inanceira pela exploração dos recursos minerais.

1989: A Lei nº 7.990, de 28 de dezembro, deiniu que a Compensação


Financeira pela Exploração dos Recursos Minerais – CFEM, para ins de
aproveitamento econômico, seria de até 3% (três por cento) sobre o
valor do faturamento líquido resultante da venda do produto mineral.

Criada o regime de permissão de lavra garimpeira, pela Lei nº 7.805, de


18 de julho de 1989.

1990: Reforma administrativa extingue o Ministério das Minas e


Energia e suas atividades são incluídas no recém-criado Ministério da
Infraestrutura.

A Lei nº 8.001, de 13 de março, deine os percentuais da distribuição da


compensação inanceira de que trata a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro
de 1989.

1992: A Medida Provisória nº 302 extingui o Ministério da Infraestrutura


e recria o Ministério de Minas e Energia – MME.

O DNPM é incorporado à estrutura do MME e instituído como autarquia


por meio do Decreto nº 1.324.

1994: A Lei nº 8.876, de 2 de maio, autoriza o Poder Executivo a instituir


como Autarquia o DNPM.

O Decreto nº 1.324, de 2 de dezembro, institui como autarquia o DNPM


e aprova sua estrutura regimental.

A CPRM é transformada em empresa pública, pela Lei nº 8.970, de 28 de


dezembro.

1995: Emenda constitucional suprime os impedimentos ao capital


externo na pesquisa e lavra de bens minerais.

28 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


Emenda Constitucional permitiu a contratação de empresas públicas ou
privadas na exploração, comércio e transporte de petróleo, gás natural
e outros hidrocarbonetos, o que abrandou o monopólio da União no
setor.

2004: A Lei nº 11.046, de 27 de dezembro, dispõe sobre a criação de


Carreiras e do Plano Especial de Cargos do DNPM.

O Decreto nº 5.267, de 9 de novembro, cria a Secretaria de Geologia,


Mineração e Transformação Mineral no MME.

2008: Aprovado o Estatuto do Garimpeiro, pela Lei nº 11.685, de 02 de


junho.

2009: A Lei nº 12.002, de 29 de julho, dispõe sobre a criação de funções


comissionadas e de cargos em Comissão no DNPM.

2011: Lançado o Plano Nacional de Mineração 2030 – PNM 2030, um


planejamento estratégico de longo prazo para o setor. Portaria MME nº
247, de 8 de abril, aprova o Regimento Interno do DNPM, revogando as
Portarias MME nº 385, de 13 de agosto de 2003 e nº 16 de 5 de setembro
de 2004.

2013: Enviado ao Congresso Nacional Projeto de Lei que dispõe sobre


a atividade de mineração, a participação no resultado da exploração de
recursos minerais assegurada à União, aos Estados, ao Distrito Federal e
aos Municípios, nos termos do art. 20, § 1º, da Constituição Federal, cria
o Conselho Nacional de Política Mineral – CNPM e a Agência Nacional de
Mineração – ANM.

3 IMPORTÂNCIA DA MINERAÇÃO PARA A SOCIEDADE

Quando falamos de mineração, e considerando a história da humanidade


entendemos que o desenvolvimento desta está diretamente relacionado
com: a descoberta de minerais, seus usos e benefícios.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 29


As fases da história da humanidade, como vimos, foram divididas levando em
consideração a descoberta e utilização dos minerais, a exemplo: as idades da
pedra, do bronze, de ferro etc.

Atualmente, a maioria das ferramentas e utensílios utilizados na vida diária


são produtos minerais ou fabricados a partir deles. Consequentemente a
estrutura global da sociedade humana é quase que inteiramente baseada no
luxo livre de minerais e seus produtos.

Os depósitos minerais, na natureza, economicamente viáveis, não são fáceis


de encontrar, além de ser irregularmente distribuídos ao longo da crosta
terrestre. A riqueza mineral pode eventualmente até ser ou ter sido causa de
conlitos internacionais. Por exemplo, na invasão romana a Inglaterra teve
como objetivo assegurar principalmente o fornecimento de estanho e outros
metais; nas expedições espanholas a América do Sul tinha como inalidade
a exploração do ouro. Ainda hoje, disputas sobre a soberania de algumas
regiões envolvem bens minerais.

A Saara Espanhola (fosfato), o mar Cáspio e o canal da Inglaterra (petróleo),


dentre outros. Não existe nação autossuiciente de bens minerais. A Rússia
talvez seja a mais próxima dessa situação. Mesmo nações desenvolvidas
como os USA necessitam importar uma grande variedade de bens minerais:
petróleo, ferro, estanho, cromo, manganês etc. Consequentemente, desde
os primórdios dos tempos, os minerais tem sido um dos principais produtos
comercializados internacionalmente.

Falando em desenvolvimento da sociedade, pensa-se logo em alguns itens


Os minerais são
antioxidantes e funcionam
como defesas naturais do
fundamentais como: qualidade de vida, alimentação, moradia e vestiário.
nosso organismo contra
os efeitos degenerativos Estes são todos atendidos a partir dos minerais.
dos radicais livres.Exemplo:
Cálcio: essencial para a vida
humana, para a liberação
de neurotransmissores Os minerais têm sua importância não apenas para o desenvolvimento da
no cérebro e para auxiliar
o sistema nervoso. Ele sociedade, mas, para a manutenção da sua própria existência.
mantém ossos e dentes
fortes, ajuda a metabolizar
o ferro e é necessário para
o bom funcionamento do Podemos então, fazer um breve exercício, ao veriicar, por exemplo, a nossa
coração.
Fonte: http://www.
moradia (Figura 7). Sua casa vem da mineração.
minhavida.com.
br/alimentacao/
materias/13487-minerais-
sao-essenciais-para-
manter-o-equilibrio-do-
organismo)

30 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


Figura 7 - Casa com elementos construtivos vindo da mineração
Fonte: www.mineropar.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=28

Vamos conhecer os elementos construtivos principais minerais utilizadas na


construção de uma casa:

Tijolo: Argila

Bloco: areia, brita, calcário

Fiação elétrica: cobre, petróleo

Lâmpada: quartzo, tungstênio, alumínio

Fundações de concreto: areia, brita, calcário, ferro

Ferragens: ferro, alumínio, cobre, zinco, níquel

Vidro: areia, calcário, feldspato

Louça sanitária: caulim, calcário, feldspato, talco

Azulejo: caulim, calcário, feldspato, talco

Piso cerâmico: argila, caulim, calcário, feldspato, talco

Isolante - lã de vidro: quartzo e feldspato

Isolante - agregado: mica

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 31


Pintura - tinta: calcário, talco, caulim, titânio, óxidos metálicos

Caixa de água: calcário, argila, gipsita, amianto, petróleo

Impermeabilizante - betume: folhelho pirobetuminoso, petróleo

Pias: mármore, granito, ferro, níquel, cobalto

Encanamento metálico: ferro ou cobre

Encanamento PVC: petróleo, calcita

Forro de gesso: gipsita

Esquadrias: alumínio ou ligas de ferro-manganês

Piso pedra: ardósia, granito, mármore

Calha: ligas de zinco-níquel-cobre ou ibro-amianto

Telha cerâmica: argila

Telhaibro-amianto: calcário, argila, gipsita, amianto

Pregos e parafusos: ferro, níquel

Resumo

Nesta aula, estudamos o conceito de mineração e como esta atividade se


desenvolve em etapas (pesquisa, extração e beneiciamento ou tratamento
de minérios).

Por meio da história da mineração no mundo compreendemos o papel


importante desta atividade para a humanidade e observamos o histórico da
mineração no Brasil, pontos importantes são destacados para a construção do
peril mineral no país.

32 Aula 1 - HISTÓRICO DA MINERAÇÃO E SUAIMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE


Atividade de aprendizagem
1 Deina mineração e descreva as etapas que fazem parte desta atividade.

2 Qual a importância da mineração para a sociedade?

3 Considerando a história da mineração no Brasil, cite três pontos


importantes.

Referências

CASTRO, Ana P. de; JUNQUEIRA, Paula G. Mineração: principais tipos e


impactos ambientais. 6ª Aula. Vale do Rio Doce, Carajás – PA, 2005. Disponível
em: <http://www.apublica.org/amazoniapublica/corrida-do-ferro/dentro-da-
loresta-a-vale-tem-pressa/>.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE PRODUÇÃO MINERAL. DNPM, 2015. In: SILVA,


Cassio Roberto da. Geodiversidade do Brasil: conhecer o passado, para
entender o presente e prever o futuro / editor: Cassio Roberto da Silva. Rio de
Janeiro: CPRM, 2008. 264 p.: il.: 28 cm

EVANGELISTA, Vivian dos Santos. Mineração. Disponível em: <http://www.


coladaweb.com/quimica/quimica-ambiental/mineracao>. Acesso em: 18 mai.
2015.

LIMA, Thiers Muniz; NEVES, Carlos Augusto Ramos. (Coord.). Regulamento


do Código de Mineração – DNPM. Executado pela Companhia de Recursos
Minerais – CPRM – Sumário Mineral. Brasília, DF: 2013.

TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M. C. M. de; FAIRCHILD, T. R.; TAIOLI, F. (Orgs.). Decifrando


a Terra. São Paulo: Oicina de Textos, 2010. 568 p.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA / e-Tec Brasil 33