Você está na página 1de 3

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIA C)

MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIO


PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE DEFESA DO PATRIMÓN10 PÚBLICO

Noticia de Fato
n° 08190.0254164/19-61

DESPACHO

Cuida-se de Noticia de Fato dando cc nta de ci ae o servidor


LAÉRCIO DE CARVALHO ALVES se encontra ocupando inCevidamente caro cm
comissão no drnbito da delegacia de Sobradinho/DF, mesmo depois de condenado cm
segunda instância.

Oficiada para avaliar as circunstâncias, a PCDF respondeu, em ;i.irna.


que o fato deve ser conhecido pelo Governador, que é a autoridade competente piira a
nomeação e designação para o referido cargo em comissão, consoante dispee o art. 1()O,
inciso XXVII, da LODF.

Demais disso, aduziu que a ele case decidir sobre a pennane'mia10


servidor no exercício das funções comissionadas.

Pois bem.

Considerando que o regime dos policiais civis do Distrito Fed..-;ra


disciplinado pela lei federal n° 4.878/65, bem que o Supremo Tribunai Federal já
definiu, seja na Ação Direta de Inconstitucionalidade n° 28 -I, seja r,a Ação nc" 3.666,
que compete 6 União exclusivamente organizar e manter a policia civil do Distrito
Federal. consoante o disposto no artigo 21, inciso XIV, da Constituiçdc de 1988;
MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO
MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS
PROMOTORIA DE .JUSTIÇA DE DEFESA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO E SOCIAL

Considerando que a lei federal n° 13.690/2018 e o decreto federal n°


9.662/2019 conferem ao Ministério da Justiça e Segurança Pública a competência para
organizar e manter a pclícia civil do Distrito Federal, sendo, portanto, indubitável que o
regime jurídico desses policiais fica sempre atrelado A esfera federal;

Considerando que ao policial civil distrital se aplica subsidiariamente


a lei federal n° 8.112/90, e não a lei complementar distrital ri° 843/2011, consoante
dispõe o arti c 62, parágrafo único, da lei federal n° 4.878/65;

Considerando que o decreto distrital n° 33.564/201 ., que regulamenta


o ::lisposto no artigo 50, §.3°, da lei complementar distrital n° 840/2011, guarda
pertinência apenas para o servidor distrital que não seja policial, haja vista que o policial
se submete 6. normatização federal, conforme tratado acima;

Considerando que a lei n° 8.112/90 não trata de causa de


inelegibilidade para rroibição de ocupação de cargo em comissão, mas que tal
preocupação 'veio exteraada, em âmbito federal, pelo decreto federal n° 9.727/2019;

Considerando que o referido decreto se aplica As nomeações e As


de!ignações realizadas antes de sua entrada em vigor, bem que é critério geral para
ocupar DAS e FCPE o não enquadramento nas hipóteses de inelegibilidade previstas no
inciso 1 do caput do artigo 1° da lei complementar n° 64/90;

ConsAerando que o mencionado servidor, ocupar te de DAS ou de


FCPE, deveria infimnrx prontamente a superveniência da restrição de que trata o item
acima à autcridade responsável por sua nomeação ou designação;

Fica forçoso reconhecer que deve a autoridade nomeante, o


Governador do Distrito Federal, tomar conhecimento do presente caso concreto para
owe então ac.o.:e as providências cabíveis no sentido de sanar a irregularidade sobrevinda
corn a condenação ern segunda instância do servidor LAÉRCIO DE CARVALHO
ALVES, ora ocupante de cargo em comissão de chefia na 35' delegacia, de
Sobradinho/DF.
MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO
MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS
PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE DEFESA DO PATRiMÔNIO PÚBLICO E SOCLL

Sendo assim, oficie-se à Casa Civil do Distrito Federal e t! o


Governador para que tomem conhecimento deste despacho e infcnnern a esi a
Promotoria, no prazo de 15 (quinze) dias, as providências adotadas.

Comunique-se à Direção-Geral da Pplicia Civil do Distrito Fed2.ral


para conhecimento, considerando o entendimento externado na Nota 'Nov ca SE I-GDF
n° 65/2019-PCDF DGPCIASS.

Brasilia/Ef, 17 de maio de 2019.

FÁBIO NASCIMENTO
Promotor de Justiça Ajunto