Você está na página 1de 5

SEITAS

INTRODUÇÃO

Toda pessoa tem o direito de professar a religião de sua escolha, isso não quer dizer que todas religiões
sejam boas. Nos tempos de Jesus havia vários grupos religiosos; os saduceus (At. 5.17) e os Fariseus (At.
15.5). Os dois grupos tinham posições religiosas distintas (At. 23.8), mesmo assim Jesus os chamou de
hipócritas, filhos do inferno, serpentes, raça de víboras (Mt 23.13-15,33). A idéia de que todos caminhos
levam a Deus está em desacordo com a palavra de Deus, Jesus nos ensinou que há apenas dois caminhos:
o estreito, que conduz á vida eterna e o espaçoso, que leva a destruição (Mt 7.13-14). O primeiro ataque
doutrinário contra a igreja foi o legalismo (AT. 15.1) Em Atos 15.1-35 temos a narrativa que demonstra a
importância de considerarmos os ensinos que contrariam a fé cristã.
Atualmente existem milhares de seitas e religiões falsas que pensam estar fazendo a vontade de Deus
quando, na verdade, não estão. Há dez grandes religiões principais: Hinduismo, Jainismo, Budismo, e
Siquismo (na Índia); Confucionismo, e Taoísmo (na China); Xintoísmo (no Japão), Judaísmo, (na
Palestina), Zoroastrismo (na Pérsia, atual Irã) e Islamismo (na Arábia). Além disso, existem mais de dez
mil seitas (ou subdivisões dessas religiões) estando seis mil localizados na África, mil de duzentos nos
Estados Unidos e o restante em outros países.

DEFINIÇÃO:

De acordo com a Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã, o termo seita vem do latim, secta,
derivado do particípio passado de secare (cortar, separar) ou de sequi (seguir), e tem sentido de partido,
escola facção. A palavra seita tem sido normalmente usada para referir-se a grupos que se separam de
outros já existentes como foi o caso dos primeiros cristãos que se separaram do judaísmo.

Definição segundo alguns apologistas da fé cristã atual:

Um grupo de indivíduos reunidos em torno de uma interpretação errônea da Bíblia, feita por uma ou mais
pessoas. Dr. Walter Martin.

É uma perversão, uma distorção do Cristianismo bíblico e ou rejeição dos ensinos históricos da Igreja
Cristã. Josh Mc Doweell e Don Steward.

Uma seita é alguma perversão religiosa. É a crença e a pratica, dentro do mundo religioso, que requer a
devoção das pessoas a algum ponto de vista religioso ou para algum líder, estribados em alguma doutrina
falsa. Uma seita é uma heresia organizada. Dave Breese.

Margaret Singer, conhecida autoridade sobre os novos movimentos religiosos na América do Norte,
prefere usar a frase “cultic relationships” (relacionamentos de seita) para explicar mais precisamente os
processos e interações que acontecem dentro do grupo. Para ela isso acontece quando “uma pessoa,
intencionalmente, induz outras tornarem-se totalmente ou quase totalmente dependentes dele ou dela para
quase todas as principais decisões da vida e inculca nesses seguidores a crença de que ele ou ela tem
algum talento, dom ou conhecimento especial.

Para a senhora Singer, o rótulo seita tem a ver com três fatores:
1. A origem do grupo e a figura do líder.
2. A estrutura do poder, ou o relacionamento entre o líder (ou líderes) e os seguidores.
3. O emprego de um programa coordenado de persuasão (chamado de reforma de pensamento,
mais conhecido como lavagem cerebral)

Na conferência da American FAMILY Foundation em 1.985, em Los Angeles, vários eruditos e


representantes da policia americana, adotaram a seguinte definição de seita:

Um grupo ou movimento exibindo grande ou excessiva devoção ou dedicação a alguma pessoa, idéia, ou
coisa, e empregando técnicas manipuladoras antiéticas ou coercitivas de persuasão e controle (ex.:
isolamento de antigos amigos, e da família, debilitação, uso de métodos especiais para elevar a
sugestionabilidade e subserviência, poderosas pressões do grupo, gerenciamento de informações,
suspensão da individualidade ou julgamento critico, promoção de total dependência do grupo e medo de
sair dele), destinadas a alcançar os alvos dos líderes do grupo, num possível detrimento dos membros,
suas famílias ou da comunidade.

Em termos teológicos, podemos dizer que seita refere-se a um grupo de pessoas e que heresia indica as
doutrinas antibíblicas defendidas pelo grupo. Bíblia Apologética.

PORQUE ESTUDAR AS SEITAS (Falsas Doutrinas)?

Os adeptos as seitas são a classe mais marginalizada pela igreja. A cristãos que não vêem necessidade de
estudar e evangelizar esses grupos de pecadores, preferindo como dizem apenas evangelizar os pecadores.
Mas essa classe de pessoas está incluída em Marcos 16.15 (TODA CRIATURA). Essas pessoas são tão
carentes do amor de Deus quanto qualquer outro grupo de pecadores. É verdade que devido ao controle
mental exercido no individuo durante anos pelas seitas há uma maior dificuldade em evangelizar.

ALGUMAS RAZÕES:

a) Defesa Própria

Jesus nos advertiu dizendo:

“Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos
devoradores” Mateus 7.15.

Os apóstolos alertaram dizendo:

“Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a
espíritos enganadores, e a doutrina de demônios.” 1Timóteo 4.1

“Mas houve tb entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão
encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmo
repentina destruição” II Pedro 2.1.

“Amados enquanto eu empregava toda a diligência para escrever-vos acerca da salvação que nos é
comum, senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre
foi entregue aos santos. Porque se introduziram furtivamente certos homens que desde há muito estavam
destinados para este juízo, homens ímpios que convertem em dissolução a graça de nosso Deus, e negam
o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo, Judas 3.4.

QUAL A IMPORTÂNCIA DE SE ESTUDAR SOBRE SEITAS?

a) Nos capacita a combatê-las

Precisamos conhecer não só o que cremos, ou seja, a doutrina cristã, mas como também, da mesma
maneira tentar entender a miscelânea de heresias que são propagadas pelas seitas para estarmos bem
equipados para o combate da fé.

b) Nos auxilia na evangelização.

O povo brasileiro é um povo por natureza tendencioso ao misticismo, á religiosidade e crendices se


tornando presas fáceis das seitas. O Brasil é um campo fértil não só para o evangelho, mas também para
as falsas religiões. É imprescindível que o cristão conheça as doutrinas das seitas para obter sucesso na
evangelização ao abordar algum pecador adepto de alguma seita. O fato de conhecermos o erro em que se
encontram os sectários nos ajuda a apresentar-lhes a verdade de que necessitam. Os adeptos de seitas
também precisam do evangelho, se estivermos preparados para abordá-los e demonstrar a verdade em sua
própria Bíblia, poderemos ganhá-los para Cristo.
c) Aumenta nossa fé

Para combatermos as heresias somos impelidos a estudar mais a teologia e as doutrinas essências da fé
cristã como, salvação, trindade, inferno etc. Tudo isso resulta em mais edificação espiritual.

Ao estudarmos as aberrações doutrinárias das seitas somos capazes de avaliarmos quão alicerçados
estamos no evangelho da graça de Deus e como o evangelho genuíno de Cristo é simples e descomplicado
antes as incoerências heterodoxas das seitas Isso serve como um antídoto contra as seitas.

d) Aumenta nossa responsabilidade

Sabendo da importância de combater o bom combate da fé nossa responsabilidade se torna maior ainda
para com os pecadores ou como diz o profeta. “Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás, se não o
avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, a fim de salvares a sua vida, aquele
ímpio morrerá na sua iniqüidade; mas o seu sangue, da tua mão o requererei” Ezequiel 3.18

e) Missões

Desempenhar o trabalho de missões requer muito mais que deslocar-se de uma região para outra ou de um
país para outro. Precisamos conhecer a cultura onde vamos semear o evangelho. Junto a cultura teremos a
religiosidade nativa.

CARACTERISTICAS DE UMA SEITA

O método mais eficiente para se identificar uma seita é conhecer os quatro caminhos seguidos por elas, ou
seja, o da Adição, Subtração, Multiplicação e Divisão.

ADIÇÃO: O grupo adiciona algo a Bíblia. Sua fonte de autoridade não leva em consideração somente a
Bíblia.

Adventismo – Seus adeptos tem os escritos de Ellen White como inspirados tanto quanto os livros da
Bíblia.
Cremos que Ellen White foi inspirada pelo Espírito Santo, e seus escritos, o produto dessa inspiração têm
aplicação e autoridade especial para os adventistas do sétimo dia. Negamos que a qualidade ou grau de
inspiração dos escritos de Ellen White sejam diferentes dos encontrados nas Escrituras Sagradas
(Revista Adventista Fev/1984,pg37.

Testemunha de Jeová: Crêem que somente com a mediação do corpo governante (diretoria das
Testemunhas de Jeová, formada por um numero variável entre 9 e 14 pessoas, nos EUA) a Bíblia será
entendida
Meramente ter a palavra de Deus e lê-la não basta para adquirir o conhecimento exato que coloca a
pessoa no caminho da vida. A menos que estejamos em contato com este canal de comunicação usado
por Deus, não avançaremos na estrada da vida, não importa quanto leiamos a Bíblia. (Revista a
Sentinela de 1/09/1991, pg.19 e edição de 01/08/1.982, pg 27).

*Resposta Apologética: 2 Tm 3.15; Jô 1.45; 5.39-46; Lc 24.27,44; At.4.12; 10.43;16.30-31; Rm 10.9-10.

SUBTRAÇÃO: O grupo subtrai algo da pessoa da Jesus, seja sua divindade, sua natureza humana ou sua
pessoa, tira Jesus como o único caminho para a salvação.

Maçonaria – Vê Jesus simplesmente como mais um fundador de religião, ao lado de personalidade


mitológicas, ocultistas ou religiosas, tais como: Krishna (o deus do Hinduísmo, Maomé (profeta do
Islamismo) entre outros.

Legião da Boa Vontade (LBV): Subtrai a natureza humana de Jesus, dizendo que Jesus possui apenas um
corpo aparente ou fuídico, além de negar sua divindade, dizendo que ele jamais afirmou ser Deus. (Livro
de Jesus , pg 108 e 112.)

*Resposta Apologética: Jo1.1; 20.28; Tt 2.13; 1Jo 5.20 etc)


MULTIPLICAÇÃO: Pregam a auto salvação. Crer que Jesus é importante, mas não é tudo. A salvação é
pelas obras, negam a eficácia do sacrifício de Jesus para a salvação. As vezes repudiam publicamente o
sangue de Jesus.

Seicho-No-Iê – Nega a eficácia da obra redentora de Jesus e o valor de seu sangue para remissão de
pecados, chegando a dizer que se o pecado existisse realmente, nem os Budas todos do Universo
conseguiriam extingui-lo, nem mesmo a cruz de Jesus Cristo conseguiria extingui-lo. (Kanro no Hoou I-
II-III. Chuvas de Néctares Doutrinas. Igreja Sheicho-No-Iê do Barsil.

Igreja da Unificação do Reverendo Moon – Desdenha os cristãos por acharem que foram salvos pelo
sangue que Jesus verteu na Cruz. (A Teologia da Unificação pg 276)

*Resposta Apologética: Ef 1.7; 1 Jo 1.7-9; Ap. 1.5.

DIVISÃO: Dividem a fidelidade entre Deus e a organização. Desobedecer a organização ou a igreja,


equivale a desobedecer a Deus. Não existe salvação fora do seu sistema religioso.

Quase todas seitas pregam isso principalmente as pseudocristãs (Mormismo, Testemunha de Jeová,
Adventismo do Sétimo Dia e outras), que se apresentam como a restauração do cristianismo primitivo,
que, segundo ensinam sucumbiu a apostasia, afastando-se dos verdadeiros ensinos de Jesus. Acreditam
que, numa determinada data o movimento apareceu por vontade divina para restaurar o que foi perdido
(exclusividade).

*Resposta Apologética: Lc 13.3; At. 16.30-31; 2Co 11.4; Gl 1.8); Jô 14.6; At 4.12; 1Co 3.11.

Outras Características:

Falsas Profecias; As Testemunhas de Jeová, os Adventistas, os Mórmons e outros já proclamaram o fim


do mundo para datas específicas.

*Resposta Apologética: A Bíblia no adverte contra os que marcam datas ou eventos.( Mt 24.23-25; Ez
13.1-8; Jr 14.14; Dt 18.20-22).

Negam a ressurreição de Corporal de Cristo, admitindo que Jesus Cristo tenha ressuscitado apenas em
espírito.

*Resposta Apologética
Processo de sua Morte: Lc 22.44; Mt 27.26; Mc 15.15, Jô 19.1; Mt 27.35; Mc 15.24; Jô 19.33-34; Jô
19.33-34.
Ressuscitou corporalmente: Jô 2.19-22; Lc 24.1-3; Lc 24.36-39; Jô 20.25-28.
Negar a ressurreição de Jesus é ser falsa testemunha contra Deus: 1Co 15.14-17; At 7.55-59; Mt 24.29-31,
Fl 3.20-21.

PORQUE NÃO EVANGELIZAR ADEPTOS DE SEITAS?

OBJEÇÕES

 Não gosto e falar contra outras religiões.


Fomos chamados para pregar o evangelho Rm 1.16
Paulo em sua carta aos Filipenses diz que Cristo o chamou para defender o evangelho Fp 1.16.

 Jesus disse não julguemos par que não sejamos julgados, pois com a mesma medida que
julgamos, também seremos julgados. Quem somos nós para julgar?
Jesus não estava proibindo todo e qualquer julgamento , pois no verso 15, ele alerta acautelai-vos dos
falsos profetas. Como podemos tomar cuidado com os falsos profetas se não pudermos identificá-los?
É preciso usar um padrão correto para julgar, nosso padrão é a Bíblia. O que é espiritual julga bem
todas as coisas 1Co2.15
COMO ABORDAR OS ADEPTOS DAS SEITAS

Os adeptos das seitas são pessoas mais difíceis de evangelizar pelos seguintes razões:

a) O herege deixou a fé tradicional em que foi criado e adotou, segundo pensa , coisa melhor,
chegando até mesmo a hostilizá-la. Ele renunciou o plano de Deus para salvação em troca de
algum sistema de auto salvação.
b) O sectário bem informado é consciente das falhas da religião protestante e evangélica. Ele não
entende a variedade denominacional. Pensa que sabe tudo sobre sua fé e está convencido de que
conhece mais acerca do que cremos do que nós mesmos.
c) Muitos adeptos fizeram sacrifícios, contrariaram os seus familiares, suportaram a zombaria dos
amigos etc. Como reconhecer agora que estão errados e a paz que encontraram não é verdadeira?

PROPOSTA

Preparar os participantes do curso a evangelizar membros de seitas com argumentações feitas pelas seitas
e contra argumentações fundamentadas na Bíblia. Desta maneira também estaremos melhor
fundamentados em nossa fé em Jesus Cristo.

Bilbliografia:

Bíblia Apologética
Ministério Capc – Centro Apologético Cristão, estudo sobre seitas
Estudo Manipulação da Mente – Dr Paulo Romeiro