Você está na página 1de 24

D I S C I P L I N A Astronomia

O Sistema Solar

Autores

Auta Stella Medeiros Germano

Joel Câmara de Carvalho Filho

aula

11
Governo Federal Revisoras de Língua Portuguesa
Presidente da República Janaina Tomaz Capistrano
Luiz Inácio Lula da Silva Sandra Cristinne Xavier da Câmara
Ministro da Educação
Fernando Haddad Revisores Técnicos
Leonardo Chagas da Silva
Secretário de Educação a Distância – SEED
Carlos Eduardo Bielschowsky Revisora Tipográfica
Nouraide Queiroz
Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Ilustradora
Reitor Carolina Costa
José Ivonildo do Rêgo
Editoração de Imagens
Vice-Reitora
Ângela Maria Paiva Cruz Adauto Harley
Carolina Costa
Secretária de Educação a Distância
Vera Lúcia do Amaral Diagramadores
Secretaria de Educação a Distância- SEDIS Bruno de Souza Melo
Dimetrius de Carvalho Ferreira
Coordenadora da Produção dos Materiais Ivana Lima
Marta Maria Castanho Almeida Pernambuco Johann Jean Evangelista de Melo
Coordenador de Edição Adaptação para Módulo Matemático
Ary Sergio Braga Olinisky André Quintiliano Bezerra da Silva
Projeto Gráfico Kalinne Rayana Cavalcanti Pereira
Ivana Lima Thaísa Maria Simplício Lemos
Imagens Utilizadas
Revisores de Estrutura e Linguagem Banco de Imagens Sedis - UFRN
Eugenio Tavares Borges Fotografias - Adauto Harley
Jânio Gustavo Barbosa Stock.XCHG - www.sxc.hu
Thalyta Mabel Nobre Barbosa

Revisora das Normas da ABNT


Verônica Pinheiro da Silva

Divisão de Serviços Técnicos


Catalogação da publicação na Fonte. UFRN/Biblioteca Central “Zila Mamede”

Carvalho Filho, Joel Câmara de.


   Astronomia: Interdisciplinar  /  Joel Câmara de Carvalho Filho, Auta Stella de Medeiros Germano. – Natal,
RN: EDUFRN, 2007.
   300 p. : il.

1. Astronomia.  2. Sistema Solar.  3. Fenômenos astronômicos.  4. Astrofísica.  5. Cosmologia. 


I. Germano, Auta Stella de Medeiros.

ISBN
CDD 520
RN/UF/BCZM 2007/54 CDU 52

Copyright © 2007  Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorização expressa da
UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Apresentação

N
esta aula, estudaremos o nosso sistema planetário. A Terra, os planetas e o Sol
constituem o Sistema Solar. Apresentaremos uma breve descrição de como ele se
formou e em seguida faremos uma apresentação detalhada de cada um dos oito
planetas. Você também aprenderá sobre outros objetos de menor porte que habitam nossas
vizinhanças, tais como satélites naturais dos planetas, cometas e asteróides.

Objetivos
1 Saber fazer uma descrição do nosso Sistema Solar.

Explicar como o Sistema Solar se formou.


2
Identificar e descrever os planetas do Sistema Solar.
3
Compreender as escalas de distância e dimensões do
4 Sistema Solar.

Aula 11  Astronomia 


Nossos vizinhos no céu

S
e você mora numa cidade, grande ou pequena, é quase certo que sua casa não está
isolada, pois na mesma rua existem outras casas vizinhas. Também é muito provável
que elas sejam bem diferentes umas das outras; umas maiores, outras menores, com
quintal ou jardim. E, quem sabe, lá no final da rua exista um centro comercial com lojas e
um mercado que abastece a maioria das casas. Podemos fazer então uma analogia para ver
como não estamos isolados no espaço. O planeta Terra é a nossa casa, onde nascemos e
vivemos, enquanto as casas vizinhas seriam os outros planetas e corpos do Sistema Solar.
Apesar de nenhum ser habitado como a Terra, eles formam, no seu conjunto, um sistema bem
organizado como as casas e outros edifícios na nossa rua. Da mesma forma que podemos
visitar os nossos vizinhos, fazemos o mesmo com os planetas do Sistema Solar: enviamos
naves não tripuladas e sondas espaciais para explorá-los.

Outra analogia interessante que podemos fazer é com o fato de que uma parte importante
da cidade, seu centro comercial, abastece as residências; da mesma forma, o Sol fornece
toda a energia e calor indispensáveis para a nossa sobrevivência. Você terá oportunidade de
aprender mais sobre isso na próxima aula, que vai tratar acerca do Sol.

Veja agora, de uma forma sucinta, uma descrição do Sistema Solar. Ele é formado pela
estrela Sol, pelos planetas que giram em torno dela e por milhares de outros corpos celestes
de pequena dimensão, como luas, asteróides, cometas e meteoróides. Os planetas são oito:
Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Com a nova definição
de planeta, aprovada pela União Astronômica Internacional em 2006, Plutão, até então
considerado um planeta, perdeu esse status, sendo agora classificado como um “planeta
anão” juntamente com alguns outros corpos de dimensões semelhantes.

 Aula 11  Astronomia


A formação do Sistema Solar

V
amos fazer agora uma breve discussão de como se formou o Sistema Solar. A teoria
mais aceita entre os astrônomos é a teoria da condensação. Ele teria se originado
de uma grande nuvem de gás e poeira em rotação (Figura 1). A parte central dessa
nuvem contraiu-se sob a ação da própria gravidade. Não sabemos ao certo o que provocou
o colapso inicial; uma das hipóteses é que uma estrela explodiu nas proximidades da nuvem
e provocou uma onda de choque que teria dado início a esse colapso. Essa nuvem fazia parte
de um grande complexo que deu origem a várias outras estrelas.

FONTE: <http://galileosdream.blogspot.com/ >  Acesso em: 17 maio 2007.


Figura 1 - A formação do Sistema Solar

Com o colapso, a nuvem tornou-se extremamente densa e transformou-se numa estrela,


o Sol, com mais de 99,9% da massa da nuvem primitiva. O restante, 0,1%, permaneceu
numa região em forma de disco constituída de gás e pequenos fragmentos sólidos e que
giravam em torno do Sol. Grande parte desse material movia-se em órbita circular. A parte
que possuía órbita não-circular colidia com o restante e, através da aglutinação e atração
mútua dos fragmentos, surgiram os planetas e outros corpos do Sistema Solar.

Na região próxima ao núcleo do disco onde se formava o Sol, a temperatura era alta o
bastante para fundir as partículas mais pesadas de maneira que os planetas formados ali,
depois que resfriaram, tornaram-se sólidos como a Terra. Já os planetas formados mais
distantes da estrela central permaneceram no estado gasoso. Você verá mais sobre isso
quando discutirmos a classificação dos planetas.

Hoje sabemos que, apesar do planeta mais distante do Sol encontrar-se a 4,5 bilhões de
quilômetros, o restante dos objetos encontra-se distribuído numa extensa região de quase
vinte bilhões de quilômetros.

Entre as órbitas de Marte e Júpiter, encontra-se o cinturão de asteróides, uma região do


Sistema Solar na qual encontramos grande quantidade de asteróides que nunca chegaram a
formar um planeta.

Aula 11  Astronomia 


Atividade 1
Faça uma breve descrição de como se formou o Sistema Solar.

Atividade 2
O que provocou o colapso da nuvem que deu origem ao Sistema Solar e por
que ela tomou a forma de um disco?

Além do Sol e dos planetas, dois outros tipos importantes de objetos existem no
Sistema Solar: os asteróides e os cometas. A seguir, apresentamos algumas das suas
principais características.

 Aula 11  Astronomia


Os asteróides

Q
uando o Sistema Solar se formou, há mais de quatro bilhões de anos, deixou para
trás uma enorme quantidade de detritos que constituem os asteróides e cometas. A
maioria dos asteróides é feita de rocha, mas alguns têm metais na sua composição;
variam em tamanho, de pequenos pedregulhos até objetos com centenas de quilômetros
em diâmetro (Figura 2); e uma pequena fração pode ser restos de cometas cujo gelo
evaporou. Os asteróides são muito pequenos para serem considerados planetas, sendo
também chamados de planetas menores ou planetóides. Existem milhões desses objetos no
cinturão de asteróides.

FONTE: <http://rocksfromspace.open.ac.uk/images/Asteroids_Sullivan.jpg>
 cesso em: 17 maio 2007.
A

Figura 2 - Alguns dos maiores asteróides conhecidos

Os cometas

U
m cometa é um corpo celeste constituído essencialmente de rocha e gelo “sujo” feito
de água, gases e compostos orgânicos, e podem ter vários quilômetros de diâmetro.
Quando se aproximam do Sol, os gases congelados e a poeira começam a aquecer
e formam uma longa calda (coma) de gases vaporizados, pó e detritos, a qual pode ter
milhares de quilômetros e pode ser vista da Terra (Figura 3).

Aula 11  Astronomia 


O núcleo sólido constitui a cabeça do cometa. O nome “cometa” vem de “coma”, que
em grego significa “cabeleira”. Antes da ciência moderna estudar a origem dos cometas e
classificá-los como fenômenos naturais do Sistema Solar, eles eram temidos, pois acreditava-
se que traziam maus presságios.

Antes de se deslocarem em direção ao Sol, tais objetos ficam orbitando a grandes


distâncias do Sol em duas regiões, a primeira, chamada Cinturão de Kuiper, entre as órbitas
de Urano e Netuno, e a segunda, Nuvem de Oort, situada para além de Plutão.

Quando estão longe do Sol, os cometas têm brilho extremamente baixo e dificilmente
são vistos, mesmo pelos telescópios mais potentes. Somente ao se aproximarem do Sol, a
calda começa a ser formada, e eles se tornam brilhantes e vistos a olho nu.

Existem cometas de curto e longo períodos. Acredita-se que os de curto período,


aqueles que retornam periodicamente, se originam no Cinturão de Kuiper, onde, segundo as
observações do Telescópio Espacial Hubble, existem 200 milhões de cometas. Os de longo
período originam-se na Nuvem de Oort, onde perturbações gravitacionais fazem com que
sejam afastados periodicamente dessa região e levados para perto do Sol.

Há bilhões de anos, a Terra foi bombardeada por uma imensa quantidade de asteróides
e cometas que causaram grandes mudanças na atmosfera, nos oceanos e no clima em geral.
Hoje, os cientistas acham que os cometas podem ter trazido as primeiras moléculas orgânicas
para o nosso planeta e contribuído assim para o aparecimento da vida sobre a Terra.

É interessante observar que além do Sol, da Lua e dos planetas visíveis a olho nu, os
cometas eram os únicos objetos do Sistema Solar conhecidos desde a Antiguidade. Por
exemplo, existem registros chineses da passagem do Cometa Halley de antes de 240 a.C.
Após quinhentas ou mais passagens perto do Sol, a maior parte do gelo e gás do cometa é
perdida e o que resta é um objeto rochoso parecido com um asteróide. FONTE: <www.mira.org/fts0/planets/102/images/halebopp.
jpg.>  Acesso em: 17 maio 2007.

Figura 3 - Cometa Halebopp

 Aula 11  Astronomia


Atividade 3
Descreva as principais diferenças entre asteróides e cometas.

A classificação dos planetas

O
s planetas do Sistema Solar são classificados como terrestres, ou telúricos, e
gasosos, como mostrado na Figura 4. Os terrestres são sólidos e encontram-se
na parte mais interna do sistema, sendo também chamados planetas interiores,
são eles: Mercúrio, Vênus, Terra e Marte. Os planetas gasosos, gigantes ou exteriores, são
Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.
FONTE: <http://www.solarviews.com/eng/solarsys.htm>  <http://www.solarviews.
com/raw/misc/jovian.gif>  Acesso em: 08 jul. 2007.

Figura 4 - Os planetas terrestres (sólidos) e gasosos do Sistema Solar

Aula 11  Astronomia 


Os planetas gigantes são formados por atmosferas muito profundas de gás (hidrogênio
e hélio). Essas camadas gasosas chegam a constituir a maior parte da massa em Júpiter e
Saturno e um terço nos planetas Urano e Netuno.

Apenas cinco planetas podem ser vistos a olho nu: Mercúrio, Vênus, Marte,
Júpiter e Saturno. Urano, Netuno, além do planeta anão Plutão, só podem ser vistos
através de telescópios.

Atividade 4

Descreva o que é um planeta telúrico.


1
Quais são os planetas telúricos do Sistema Solar?
2

1.
sua resposta

2.

 Aula 11  Astronomia


Os planetas do Sistema Solar
A seguir, apresentamos uma breve descrição de cada um dos planetas do Sistema
Solar (Figura 5).

FONTE: <www.nmm.ac.uk/upload/img_400/the_solar_system.jpg>  Acesso em: 17 maio 2007.

Figura 5 - Os planetas do Sistema Solar.

Mercúrio
Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol. É tão pequeno, que tem somente uma
atmosfera muito tênue, pois foi soprada para longe pelos ventos solares. Isso significa que
não há quase nenhum ar em Mercúrio.

É extremamente quente durante o dia, no entanto, pelo fato de girar muito lentamente,
torna-se muito frio à noite, a ponto da temperatura atingir quase 200 graus abaixo de zero.
Leva aproximadamente 58 dias para girar em torno de seu eixo, ou seja, um “dia” em
Mercúrio dura 58 dos nossos dias. O seu “ano” é mais curto do que o nosso, por causa do
seu movimento de translação, que é de 88 dias. A ausência de atmosfera faz com que ele
pareça com a nossa Lua, com muitas crateras. Mercúrio não tem nenhuma lua.

Aula 11  Astronomia 


Mercúrio

FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 87,97 dias

Rotação 58,65 dias

Massa 5% da Terra

Volume 5% da Terra

Acesso em: 19 maio 2007.


Distância do Sol 57 milhões de km

Máx. 465°C
Temperatura
Min. -184°C

Diâmetro 4.876 km

Vênus
Vênus possui um ambiente hostil. Existe uma espessa cobertura de nuvem que faz com
que seja impossível ver a sua superfície, e, por causa das nuvens, ele armazena muito do
calor do Sol. Por essa razão, Vênus possui a temperatura mais alta de todos os planetas, em
média 450 graus centígrados.

Mesmo assim, são muitas as semelhanças entre Vênus e a Terra. Por exemplo, eles têm
praticamente o mesmo tamanho, Vênus tem vulcões ativos, abalos sísmicos, montanhas
e vales. Porém, a atmosfera é bastante diferente e faz dele um planeta muito quente para
que haja vida. O ano em Vênus dura 225 dias e o seu “dia” dura 243 dias terrestres. Como
Mercúrio, Vênus não possui nenhuma lua.

Vênus

FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 224,70 dias

Rotação 243,16 dias

Massa 81% da Terra

Volume 86% da Terra


Acesso em: 19 maio 2007.

Distância do Sol 107 milhões de km

Temperatura média 449°C

Diâmetro 12.107 km

10 Aula 11  Astronomia


Terra
A Terra é o maior de todos os planetas terrestres. É um verdadeiro oásis de vida,
possuindo temperatura, atmosfera e outros fatores capazes de nos manter vivos. Seu satélite
natural, a Lua, não possui atmosfera e tem um diâmetro quatro vezes menor que o da Terra.
Na última década, os astrônomos vêm descobrindo dezenas de planetas, além do Sistema
Solar, orbitando em estrelas distantes. A grande maioria é composta por planetas gigantes
gasosos bem diferentes do nosso. Por ser capaz de sustentar a vida, a Terra é tomada como
referência nessa busca, cujo objetivo principal é descobrir um planeta como este.

Terra

FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 365,3 dias

Rotação 23h 56min

6 x 1024 kg ou
Massa
6.000 bilhões de toneladas

Acesso em: 19 maio 2007.


Volume –

Distância do Sol 150 milhões de km

Temperatura média 7,2°C

Diâmetro 12.755 km

Marte
O clima moderado de Marte, em relação aos outros planetas, é mais parecido com o
da Terra. Daí o grande interesse por ele na busca pela existência de vida fora da Terra. Tudo
parece indicar que Marte já teve rios, lagos e até mesmo um oceano. Com o passar do
tempo, a água da superfície evaporou e hoje a única água que pode haver lá está congelada
nas capas polares ou abaixo da superfície.

Marte tem muitas montanhas mais altas que as da Terra e o maior vulcão do Sistema
Solar, chamado Monte Olimpo, com um diâmetro que chega a quase 600 km e uma altura de
cerca de 24 km. É também a maior elevação do Sistema Solar.

Este planeta tem duas luas, Fobos e Deimos, cujos significados são “medo” e “pânico”.
Segundo a mitologia grega, Fobos e Deimos eram os filhos de Ares (Marte) e Afrodite, e
conduziam o carro de Marte.

Aula 11  Astronomia 11


Marte

FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 686,98 dias

Rotação 24h 37min

Massa 10% da Terra

Volume 15% da Terra

Acesso em: 19 maio 2007.


Distância do Sol 229 milhões de km

Máx. 36°C
Temperatura
Min. -123°C

Diâmetro 6.794 km

Júpiter
Júpiter é um planeta gigantesco sem nenhuma superfície sólida. À medida que nos
aprofundamos, sua atmosfera vai se tornando cada vez mais densa até se transformar
num imenso oceano líquido de hidrogênio e água. Em outras palavras, o céu se torna o
oceano. A massa de Júpiter é 318 vezes maior que a da Terra, apesar de ser 1.300 vezes
mais volumoso.

Através de um telescópio, é possível ver uma grande mancha vermelha em Júpiter, que
é na verdade uma tempestade gigantesca, maior que a própria Terra e que tem durado pelo
menos 300 anos.

Apesar de levar quase doze anos para dar uma volta em torno do Sol, esse gigante gira
tão depressa em torno de seu eixo que lá um dia dura apenas 10 horas.

Júpiter tem 62 luas, sendo a maioria delas de pequena dimensão. As quatro maiores
são Io, Europa, Ganimedes e Calisto e foram vistas pela primeira vez por Galileu. É possível
vê-las à noite com um par de binóculos.

Júpiter
FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>

Translação 4332,59 dias

Rotação 9h 55min

Massa 317 vezes a da Terra

Volume 1.318 vezes o da Terra


Acesso em: 19 maio 2007.

Distância do Sol 777 milhões de km

Temperatura média -153°C

Diâmetro 143.983 km

12 Aula 11  Astronomia


Saturno
Saturno é um planeta gigante, um pouco menor que Júpiter, mas com uma massa bem
menor. Ele possui imensos anéis, de pequena espessura e com centenas de milhares de
quilômetros de diâmetro, o que o torna um dos planetas mais belos quando observado por
telescópio. O número de anéis pode chegar a várias centenas.

Como no caso de Júpiter, à medida que nos aprofundamos em sua atmosfera, constituída
de nuvens de metano e hélio, o céu se transforma gradualmente em líquido até que se torna
um oceano gigantesco de substâncias químicas líquidas.

Saturno, como Júpiter, possui um grande número de luas, num total de 56. As maiores
são Titã, Réia, Dione e Tethys. Titã é o maior dos satélites, com aproximadamente 5.150 km de
diâmetro, perdendo apenas para Ganimedes, de Júpiter, que possui 5.262 km de diâmetro.

Saturno

FONTE:  <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 10.759,2 dias

Rotação 10h 13min

Massa 97 vezes a da Terra

Volume 744 vezes o da Terra

Acesso em: 19 maio 2007.


Distância do Sol 1.429 milhões de km

Temperatura média -184°C

Diâmetro 120.536 km

Urano
Urano é um planeta peculiar. Ao contrário de todos os outros planetas e da maioria
das luas em nosso Sistema Solar, ele tem seu eixo de rotação formando um ângulo de 82
graus em relação aos outros. Ou seja, ele gira “deitado”. O choque com um grande objeto no
passado poderia ter provocado a mudança de orientação do seu eixo.

Os astrônomos acreditam que Urano deve ter um grande oceano de água debaixo
de suas densas nuvens. No seu interior, há um núcleo sólido rochoso. Em 1977, foram
descobertos anéis em Urano, os quais, ao contrário dos anéis de Saturno, são bem menores
e de pequeno brilho. Urano possui cinco luas de grande dimensão, com diâmetro maior que
500 km. São elas: Miranda, Ariel, Titânia, Umbriel e Oberon. As outras 22 são bem pequenas,
com um diâmetro menor que 200 km.

Aula 11  Astronomia 13


Urano

FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 30.684 dias

Rotação 17h 12min

Massa 14,6 vezes a da Terra

Volume 67 vezes o da Terra

Acesso em: 19 maio 2007.


Distância do Sol 2.871 milhões de km

Temperatura máx. -184°C

Diâmetro 51.117 km

Netuno
Netuno é um planeta semelhante a Urano. Além disso, possui uma tempestade
gigantesca, como a tempestade observada em Júpiter, chamada de Grande Mancha Negra,
um furacão do tamanho da Terra. Como acontece em Urano, acredita-se que existe um
oceano de água debaixo das nuvens de Netuno.

Este planeta tem seis anéis que o circulam e, como os de Urano, são bastante tênues. Tais
anéis só foram observados pela sonda espacial Voyager II. Netuno tem 13 luas conhecidas,
sendo as três maiores Triton, Proteus e Nereid.

Netuno

FONTE: <http://www.kidsastronomy.com/the_planets.htm>
Translação 60.190 dias

Rotação 16h 17min

Massa 17 vezes a da Terra

Volume 57 vezes o da Terra


Acesso em: 19 maio 2007.

Distância do Sol 4.496 milhões de km

Temperatura máx. -223°C

Diâmetro 49.527 km

14 Aula 11  Astronomia


Alguns fatos
sobre o Sistema Solar
Você sabia?

n  Que as órbitas de todos os planetas se encontram aproximadamente no mesmo plano,


o qual é chamado de Eclíptica e que o equador do Sol também se encontra quase
nesse plano?

n  Que as órbitas dos planetas são ligeiramente elípticas, mas muito próximas de
um círculo?

n  Que os planetas giram em torno do Sol no sentido de oeste para leste, e que o Sol gira
em torno de seu eixo no mesmo sentido?

n  Que a inclinação do eixo de rotação dos planetas em relação a suas órbitas é relativamente

pequena, com exceção de Urano e Vênus? (A Figura 6 mostra bem esse fato: Urano gira
num ângulo de 98° e Vênus tem uma rotação reversa com um ângulo de 177°).

FONTE: <http://www.solarviews.com/browse/misc/obliquity.jpg >


Acesso em: 08 jul. 2007.

Figura 6 - Inclinação do eixo de rotação dos planetas (obliqüidade) em relação a sua órbita em torno do Sol.

n  Que a duração de um “dia”, ou seja, a taxa da rotação dos planetas mais externos
(Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) é similar? Ela varia entre 10 e 25 horas.
Para os planetas mais internos (Mercúrio e Vênus) o efeito de marés retarda a rotação
e ela fica mais lenta.

n  Que os planetas diferem na composição? Sua composição varia aproximadamente

Aula 11  Astronomia 15


com distância do Sol: os planetas mais densos, ricos em metal, estão na parte
interna, enquanto os planetas gigantes, gasosos encontram-se na parte exterior do
Sistema Solar.

n  Que os meteoritos possuem propriedades químicas e geológicas diferentes das


propriedades dos planetas?

n  Que os sistemas formados pelos planetas e seus satélites naturais se assemelham ao


Sistema Solar, sendo como um Sistema Solar em miniatura?

Atividade 5
Quais são os planetas gasosos do Sistema Solar?

A mitologia e os nomes
dos planetas

A
mitologia é o estudo sistemático dos mitos de uma determinada cultura, transmitida
pela tradição oral ou escrita. A maior parte dos mitos refere-se à origem dos deuses
e do mundo. A mitologia grega é uma das mais ricas que conhecemos. Nela, todos
os deuses assumiam formas e atributos humanos; sendo apresentados como seres
semelhantes aos humanos, mas com poderes sobre-humanos. Os romanos apoderaram-se
da mitologia grega para construir a sua própria. Por isso, existe um deus grego equivalente
para a maioria dos deuses romanos. Os nomes dados aos planetas do Sistema Solar têm
origem na mitologia romana.

16 Aula 11  Astronomia


A seguir, apresentamos os significados, e seu equivalente grego, dos nomes dos planetas.

Mercúrio - Seu nome vem do deus Mercúrio, que era a versão romana do deus grego Hermes.
Ele era o mensageiro dos outros deuses e também o protetor de viajantes e comerciantes.
Mercúrio é freqüentemente representado em quadros com sandálias aladas.

Vênus - Vênus era a deusa romana de amor e beleza. Em grego, seu nome era Afrodite.

Terra - Seu nome em grego era Gaia, a mãe das montanhas, vales, rios e de todas as outras
formações de terra. Gaia casou-se com Urano.

Marte - Marte era o deus romano da guerra. Na Grécia, seu nome era Ares, o Senhor
da Guerra.

Júpiter - Júpiter era o rei dos deuses romanos. Conhecido na Grécia como Zeus, destronou
seu pai Saturno e dividiu o Universo com seus irmãos Netuno e Plutão.

Saturno - Saturno era o deus da agricultura. Para os gregos, ele chamava-se Cronus, o filho
de Urano, e pai de Júpiter. Saturno destronou seu pai para se tornar rei dos deuses, mas foi
depois destronado pelo filho Júpiter.

Netuno - Netuno é o deus romano do oceano e é o equivalente do deus grego Poseidon.

Urano - Urano era o senhor dos céus e o esposo de Gaia (Terra). Ele também era o rei dos
deuses, até que seu filho Saturno o destronou.

As dimensões do Sistema Solar

N
o quadro seguinte, apresentamos um “modelo” do Sistema Solar. Na escala real,
o diâmetro da Terra é de 12.740 km e o do Sol é de quase 1 milhão e 400 mil
quilômetros. Todas as distâncias foram recalculadas de maneira que o diâmetro da
Terra seja igual a 1 milímetro e o do Sol 110 milímetros, ou seja, 11 centímetros. Nesta nova
escala, a distância da Terra ao Sol que, na escala real é igual a 149 milhões de quilômetros,
torna-se igual a 11,8 metros. Podemos imaginar então, quão grande é o Sistema Solar. Na
nova escala, também, o planeta mais distante do Sol (Netuno) estará a 355 metros.

Aula 11  Astronomia 17


Diâmetro Distância até o Sol

Sol 110,0 mm

Mercúrio 0,3 mm 4,6 m

Vênus 0,9 mm 8,5 m

Terra 1,0 mm 11,8 m

Marte 0,5 mm 18,0 m

Júpiter 11,0 mm 61,5 m

Saturno 9,2 mm 112,8 m

Urano 3,7 mm 226,8 m

Netuno 3,5 mm 355,6 m

Plutão 0,1 mm 467,3 m

Atividade 6
Na Figura 7, vemos uma representação, fora de escala, do Sistema Solar.
Escreva, nos espaços em branco, os nomes dos planetas desse sistema.

FONTE: <http://www.enchantedlearning.com/subjects/astronomy/activities/label/
labelsolarsystem.shtml>  Acesso em: 17 maio 2007.

Figura 7 - Representação esquemática do Sistema Solar

18 Aula 11  Astronomia


Resumo
Nesta aula, estudamos o nosso sistema planetário. Vimos que o Sistema Solar
é formado pelo Sol; pelos planetas Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter,
Saturno, Urano e Netuno; e por luas e objetos menores, como planetas anões,
asteróides e cometas. Aprendemos que ele se formou a partir de uma grande
nuvem de gás e poeira em rotação que se contraiu, tornando-se muito densa
e transformando-se no Sol. Essa nuvem também deu origem aos planetas e
outros corpos do Sistema Solar. Vimos, por fim, que existem planetas rochosos
e planetas gasosos; que os asteróides são feitos de rocha, alguns tendo na sua
composição metais; e que um cometa é constituído essencialmente de rocha e
gelo feito de água, gases e compostos orgânicos.

Auto-avaliação
Conte a história da formação do Sistema Solar.
1
Qual a principal diferença entre planeta telúrico e planeta gasoso?
2
Que são asteróides e cometas?
3
Onde se encontra a grande maioria dos asteróides do Sistema Solar?
4
Faça uma lista dos planetas do Sistema Solar, em ordem crescente de distância
5 ao Sol.

Faça uma lista dos planetas especificando suas principais características, tais
6 como: distância ao Sol, raio, massa e período orbital.

Aula 11  Astronomia 19


Referências
ANDERSON, C. Sistema solar. Disponível em: <http://www.netguest.com/anderson/
sistemasolar.html>  Acesso em: 25 jun. 2007.

CENTRO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CULTURAL. Setor de Astronomia. Observatório.


Disponível em: <http://www.cdcc.usp.br/cda/index.html>  Acesso em: 02 jun. 2007.

OLIVEIRA FILHO, K. S.; SARAIVA, M. F. O. Astronomia e astrofísica. Porto Alegre: Editora


da UFRGS, 2000.

______. O sistema solar. Disponível em: <http://astro.if.ufrgs.br/ssolar.htm>  Acesso em:


20 maio 2007.

O SISTEMA SOLAR. Astronomia básica. Disponível em: <http://osistemasolar.vilabol.uol.


com.br/sistema_solar.htm>  Acesso em: 25 maio 2007.

WIKIPÉDIA. Sistema solar. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_


Solar>  Acesso em: 20 maio 2007.

20 Aula 11  Astronomia