Você está na página 1de 3

Solução da 2a Avaliação Presencial de Álgebra II

1a Questão

a) Determine as raı́zes em Z5 do polinômio p(x) = x704 + 4x415 + 2x212 +


2x31 + 1 ∈ Z5 [x]. (2,0 ptos.)
Sugestão: aplique o Teorema de Fermat ( Seja p um número primo,
então ap−1 ≡ 1 (mód p) , ∀a ∈ Z, tal que p não divide a ).
Solução
Seja i ∈ Z5 raiz de p(x). Temos 0 = p(i) = (i)704 + 4(i)415 + 2(i)212 +
2(i)31 + 1.
Como p(0) = 1, 0 não é raiz de p(x), logo 5 não divide i e podemos
aplicar o Teorema de Fermat, obtendo:
(i)704 ≡ 1 (mód 5), (i)415 ≡ (i)3 (mód 5), (i)212 ≡ 1 (mód 5), (i)31 ≡
(i)3 (mód 5) ( mais geralmente temos (i)n ≡ (i)r (mód 5), onde r ∈
{0, 1, 2, 3} é o resto da divisão de n por 4 ).
Logo (i)704 = (i)212 = 1 e (i)415 = (i)31 = (i)3 ⇒ 0 = p(i) = 1 + 4(i)3 +
2 · 1 + 2(i)3 + 1 = (i)3 + 4 = (i)3 − 1.
Para i ∈ {1, 2, 3, 4}, vemos que i3 ≡ 1 (mód 5) ⇔ i ≡ 1 (mód 5).
Portanto, 1 é a única raiz de p(x) em Z5 .

b) Seja p(x) = x3 + ax2 + 56x − 64 ∈ R[x]. Determine a, sabendo que p(x)


tem 3 raı́zes reais em progressão geométrica. (1,0 pto)
Solução
Sejam α, β, γ as raı́zes de p(x). Como p(0) = −64, 0 não é raiz de
β
p(x) e podemos escrever α = e γ = βq. Sabemos das relações
q
entre coeficientes e raı́zes que 64 = α.β.γ = β 3 ⇒ β = 4. Logo
0 = p(4) = 64 + 16a + 56.4 − 64 ⇒ a = −14.

2a Questão

a) Prove que o polinômio f (x) = x6 − x5 + x4 − x3 + x2 − x + 1 é irredutı́vel


sobre Q. (1,0 pto.)
x7 + 1
Sugestão: Prove que f (x) = e considere o polinômio g(x) =
x+1
f (x − 1).
Solução
Podemos considerar f (x) uma progressão geométrica de 7 termos com
razão q = −x e 1o termo 1. Aplicando a fórmula da soma dos termos
−x7 − 1 x7 + 1
da progressão geométrica obtemos f (x) = = o que
−x − 1 x+1
(x − 1)7 + 1 (x − 1)7 + 1
implica f (x − 1) = = .
x−1+1 x
X7 µ ¶
i 7
Sabemos da fórmula do Binômio de Newton que (x−1) = 7
(−1) x7−i ,
i
µ ¶ µ ¶ µ ¶ µ ¶i=0 µ ¶
7 7! 7 7 7 7
onde = . Temos = = 1, = =
µ ¶ µ ¶i i!(7 − i)!
µ ¶ µ ¶ 0 7 1 6
7 7 7 7
7, = = 21 e = = 35. Logo f (x − 1) = x6 − 7x5 +
2 5 3 4
21x4 − 35x3 + 35x2 − 21x + 7. Como 7| ± 7, 7| ± 21, 7| ± 35 e f (x − 1)
é mônico, resulta do Critério de Eisenstein que f (x − 1) é irredutı́vel
sobre Q.
Portanto, pelo exercı́cio 2 do EP 10, g(x) = f (x − 1) é também irre-
dutı́vel sobre Q. ¤
­ ®
b) Seja p(x) = x3 + x2 + 1 ∈ Z7 [x]. Prove que Z7 [x]/ x3 + x2 + 1 é um
corpo com 343 elementos. (1,0 pto.)
Solução
Temos p(0) = 1, p(1) = 3, p(2) = 6, p(3) = 2, p(4) = 4, p(5) = 4 e
p(6) = 1. Como p(x) ∈ Z7 [x] é um polinômio de 3o grau que não
possui raı́zes em Z7 [x], p(x) é irredutı́vel sobre Z7 . ­ ®
Logo, resulta do exercı́cio 6 do EP 10 que Z7 [x]/ x3 + x2 + 1 é um
corpo com 343 elementos. ¤

2a Questão
Considere o grupo G = {o, a, b, c, d, e, f, g, h, i} cuja tabela da operação ∗ é
mostrada abaixo
∗ o a b c d e f g h i
o o a b c d e f g h i
a a b c d o f g h i e
b b c d o a g h i e f
c c d o a b h i e f g
d d o a b c i e f g h
e e i h g f o d c b a
f f e i h g a o d c b
g g f e i h b a o d c
h h g f e i c b a o d
i i h g f e d c b a o

a) Resolva em G a equação a ∗ X 3 ∗ i = b ∗ e. (2,0 ptos.)


Solução
Seja g −1 o inverso de g ∈ G. Temos X 3 = a−1 ∗ b ∗ e ∗ i−1 . Observando
a tabela da operação ∗, obtemos a−1 = d e i−1 = i o que implica
X 3 = d ∗ b ∗ e ∗ i = b. Observando novamente a tabela da operação ∗,
concluı́mos que a única solução é X = d.

2
b) Determine todos os subgrupos de G. (1,0 pto.)
Solução
Pelo Teorema de Lagrange as possı́veis ordens dos subgrupos de G são
1,2,5 ou 10. H1 = {o} e G são os subgrupos triviais de ordens 1 e 10,
respectivamente. Observando a tabela da operação ∗, concluı́mos que
e, f, g, h, i são elementos de ordem 2 e que a, b, c, d são elementos de or-
dem 5. Logo H2 = {o, e}, H3 = {o, f }, H4 = {o, g}, H5 = {o, h}, H6 =
{o, i} e H7 = {o, a, b, c, d} são os subgrupos de G.
c) Dado o subgrupo H = {o, i}, determine as classes laterais a ∗ H e H ∗ a.
(1,0 pto.)
Solução
a ∗ H = {a, a ∗ i = e} e H ∗ a = {a, i ∗ a = h}.
d) Determine todos os subgrupos H de G tais que g ∗ H = H ∗ g, ∀g ∈ G.
(1,0 pto.)
Solução
Observando a tabela da operação ∗, podemos escrever:
a ∗ {o, h} = {a, i} 6= {a, g} = {o, h} ∗ a, a ∗ {o, g} = {a, h} 6= {a, f } =
{o, g} ∗ a, a ∗ {o, f } = {a, g} 6= {a, e} = {o, f } ∗ a, a ∗ {o, e} = {a, f } 6=
{a, i} = {o, e} ∗ a, g ∗ {o, a, b, c, d} = {o, a, b, c, d} ∗ g = {o, a, b, c, d}, se
g ∈ {o, a, b, c, d} e g ∗ {o, a, b, c, d} = {o, a, b, c, d} ∗ g = {e, f, g, h, i}, se
g∈/ {o, a, b, c, d}. Obviamente, g ∗ {o} = {o} ∗ g = {g} e g ∗ G = G ∗ g =
G, ∀g ∈ G. Portanto, {o}, {o, a, b, c, d} e G são os únicos subgrupos de
G tais que g ∗ H = H ∗ g, ∀g ∈ G.