Você está na página 1de 4

Laboratório de Cir c u it os c om Res is tor es em

Física Geral III S ér ie e P ar a l e l o Pontifícia Universidade


Profª: Kelly Faêda Católica de Minas Gerais
1 – Introdução

A resistência elétrica (R) de um dispositivo é definida pelo quociente entre a diferença de


potencial (V) aplicada nele e a corrente (i) resultante:
𝑉
𝑅= (1)
𝑖
Os resistores comerciais são identificados pelo valor nominal de sua resistência R que é
fornecido pelo fabricante, pela tolerância (erro) do valor nominal de R e por sua potência elétrica P.
A conversão de energia elétrica em térmica (efeito joule) ocorre como consequência dos
processos de choques dos elétrons de condução que constituem a corrente elétrica com as ondas
da rede cristalina. Essa conversão de energia está presente na maioria dos dispositivos nos quais
circula uma corrente elétrica. Ou seja, é um processo microscópico que não pode ser evitado, mas
não se deve imaginar que os resistores na maioria dos circuitos elétricos têm como função gerar
calor. Esse pode ser o caso com os elementos resistivos de aquecimento de chuveiros, fornos
elétricos, etc. Entretanto, os resistores elétricos desempenham as mais variadas funções em
circuitos elétricos. A função básica desses dispositivos é limitar o valor da corrente elétrica em
algum ramo do circuito elétrico.
A potência elétrica (P) de qualquer dispositivo está relacionada com a sua tensão elétrica (V)
de operação e com a corrente elétrica (i) que circula no dispositivo, através da relação:
𝑃 = 𝑉. 𝑖 (2)

 Circuito com resistores em série


Em um circuito com n resistores ligados em série, a lei de conservação da energia estabelece
que o ganho de energia elétrica da carga numa fonte de tensão se iguala às perdas por efeito Joule
nos vários resistores e a lei de conservação da carga estabelece que a quantidade de carga que
circula através dos resistores é constante. Então, podemos escrever:
𝜀. 𝑖 = 𝑉1 . 𝑖 + 𝑉2 . 𝑖 + ⋯ + 𝑉𝑛 . 𝑖
𝜀 = 𝑉1 + 𝑉2 + ⋯ 𝑉𝑛
𝜀 = 𝑅1 . 𝑖 + 𝑅2 . 𝑖 + ⋯ 𝑅𝑛 . 𝑖
𝜀 = (𝑅1 + 𝑅2 + ⋯ 𝑅𝑛 ). 𝑖
𝜀 = 𝑅𝑒𝑞 . 𝑖 (3)
Na equação (3), 𝑅𝑒𝑞 = 𝑅1 + 𝑅2 + ⋯ 𝑅𝑛 é a resistência equivalente da associação em série de n
resistores e 𝜀 é a força eletromotriz da fonte.
Conclui-se que no circuito em série, a tensão elétrica V em cada resistor é diferente para diferentes valores
das resistências. Entretanto, a corrente elétrica que circula em cada resistor é igual e a resistência equivalente
é a soma das resistências elétricas individuais.

1
Laboratório de Cir c u it os c om Res is tor es em
Física Geral III S ér ie e P ar a l e l o Pontifícia Universidade
Profª: Kelly Faêda Católica de Minas Gerais
 Circuito com resistores em paralelo
Em um circuito com n resistores ligados em paralelo (ligados entre dois nós), a lei de
conservação da carga estabelece que a corrente que entra em um nó deve ser igual à soma das
correntes que saem do outro nó, isto é:
𝐼 = 𝐼1 + 𝐼2 + ⋯ + 𝐼𝑛
A tensão elétrica em cada um dos n resistores é igual, correspondendo ao valor da força
eletromotriz 𝜀 da fonte se estiverem ligados diretamente à fonte. Neste caso, podemos escrever:
𝜀 𝜀 𝜀
𝐼= + + ⋯+
𝑅1 𝑅2 𝑅𝑛
1 1 1
𝐼=( + + ⋯+ )𝜀
𝑅1 𝑅2 𝑅𝑛
1
𝐼 = ( )𝜀 (4)
𝑅𝑒𝑞
Na equação (4),
1 1 1 1
= + + ⋯+ , (5)
𝑅𝑒𝑞 𝑅1 𝑅2 𝑅𝑛
onde 𝑅𝑒𝑞 é a resistência equivalente da associação em paralelo de n resistores.

Conclui-se que no circuito com resistores em paralelo, a tensão elétrica 𝜀 em cada um deles
é igual. Entretanto, a corrente elétrica i que circula em cada um deles é diferente para diferentes
valores das resistências e o inverso da resistência equivalente é igual à soma dos inversos das
resistências individuais.

2 - Parte Experimental

Objetivos:
 Verificar que no circuito em série (i) a tensão elétrica V em cada resistor é diferente para
diferentes valores das resistências, (ii) a corrente elétrica i que circula em cada resistor é
igual e (iii) a resistência equivalente é a soma das resistências elétricas individuais.
 Verificar que no circuito em paralelo (i) a tensão elétrica 𝜀 em cada resistor é de igual valor,
(ii) a corrente elétrica i que circula em cada resistor é diferente para diferentes valores das
resistências e (iii) o inverso da resistência equivalente é igual à soma dos inversos das
resistências individuais.

Material Utilizado: uma fonte de corrente contínua, um voltímetro, um amperímetro, um resistor de


220 Ω, um resistor de 100 Ω, um resistor de 47 Ω e cabos de ligação.

2
Laboratório de Cir c u it os c om Res is tor es em
Física Geral III S ér ie e P ar a l e l o Pontifícia Universidade
Profª: Kelly Faêda Católica de Minas Gerais
Procedimentos:

 Circuito em série
1. Utilize o ôhmimetro para medir a resistência de cada resistor, anote os valores:
𝑅1 ± 𝛥𝑅 = ___________ 𝑅2 ± 𝛥𝑅 = ___________ 𝑅3 ± 𝛥𝑅 = ___________

2. Monte o circuito esquematizado na figura 1.

Figura 1: Circuito elétrico com três resistores ligados em série.

3. Meça a tensão V entre os pontos a e d verificando o valor a força eletromotriz 𝜀 da fonte e meça
a tensão 𝑉1 entre os pontos a e b, 𝑉2 entre os pontos b e c e 𝑉3 entre os pontos c e d.
𝑉 ± 𝛥𝑉 = 𝜀 = ___________ 𝑉1 ± 𝛥𝑉 = _________ 𝑉2 ± 𝛥𝑉 = ___________ 𝑉3 ± 𝛥𝑉 = ___________

4. Coloque um amperímetro nos pontos a, b, c e d, e meça a corrente que circula nos pontos
indicados. Os valores medidos devem ser iguais de acordo com a lei de conservação da carga
elétrica.
𝑖𝑎 ± 𝛥𝑖 = ___________ 𝑖𝑏 ± 𝛥𝑖 = ________ 𝑖𝑐 ± 𝛥𝑖 = ___________ 𝑖𝑑 ± 𝛥𝑖 = ___________

5. Utilizando a equação 2 verifique se a potência elétrica P fornecida pela fonte de tensão é igual à
soma das potências elétricas P1, P2 e P3 dissipada nos resistores R1, R2 e R3, respectivamente.
𝑃 ± 𝛥𝑃 = ___________ 𝑃1 ± 𝛥𝑃 = _________ 𝑃2 ± 𝛥𝑃 = ___________ 𝑃3 ± 𝛥𝑃 = ___________

6. Calcule, utilizando a equação 1, o valor de cada resistência.


𝑉1 𝑉2 𝑉3 𝜀
𝑅1 = = ____________, 𝑅2 = = _____________, 𝑅3 = = __________, 𝑅𝑒𝑞 = = __________,
𝑖 𝑖 𝑖 𝑖

7. Compare o valor da resistência equivalente calculada no item 6 com o valor obtido substituindo
na equação (1) com os valores medidos e anotados no item 1, calcule as incertezas.

3
Laboratório de Cir c u it os c om Res is tor es em
Física Geral III S ér ie e P ar a l e l o Pontifícia Universidade
Profª: Kelly Faêda Católica de Minas Gerais
 Circuito em paralelo

1. Monte o circuito esquematizado na figura 2.

Figura 2: Circuito elétrico com três resistores ligados em paralelo.

2. Meça a tensão V entre os pontos a e b, verificando o valor a força eletromotriz 𝜀, 𝑉1 entre os


pontos a1 e b1, 𝑉2 entre os pontos a2 e b2 e 𝑉3 entre os pontos a3 e b3.
𝑉 ± 𝛥𝑉 = 𝜀 = ___________ 𝑉1 ± 𝛥𝑉 = _________ 𝑉2 ± 𝛥𝑉 = ___________ 𝑉3 ± 𝛥𝑉 = ___________

3. Coloque um amperímetro nos pontos a, a1, a2 e a3, e meça a corrente elétrica que circula nos
pontos indicados.
𝑖𝑎 ± 𝛥𝑖 = ___________ 𝑖𝑎1 ± 𝛥𝑖 = ________ 𝑖𝑎2 ± 𝛥𝑖 = ___________ 𝑖𝑎3 ± 𝛥𝑖 = ___________

A lei de conservação da carga é obedecida?

4. Utilizando a equação 2 verifique se a potência elétrica P fornecida pela fonte de tensão é igual à
soma das potências elétricas P1, P2 e P3 dissipada nos resistores R1, R2 e R3, respectivamente.
𝑃 ± 𝛥𝑃 = ___________ 𝑃1 ± 𝛥𝑃 = _________ 𝑃2 ± 𝛥𝑃 = ___________ 𝑃3 ± 𝛥𝑃 = ___________

5. Calcule, utilizando a equação 1, o valor de cada resistência.


𝑉1 𝑉2 𝑉3 𝜀
𝑅1 = = __________ ; 𝑅2 = = ____________ ; 𝑅3 = = __________ ; 𝑅𝑒𝑞 = = __________
𝐼𝑎1 𝐼𝑎2 𝐼𝑎3 𝐼𝑎

6. Compare o valor da resistência equivalente calculada no item 5 com o valor obtido substituindo
na equação (5) com os valores medidos e notados no item 1, calcule as incertezas.