Você está na página 1de 16

TITULO DO TRABALHO

MANAUS

2016
TITULO DO TRABALHO

Trabalho apresentado pelos alunos Myrna


Silva e Silva e (Seu nome), à
Universidade federal do Amazonas –
UFAM como requisito para obtenção de
nota referente ao primeiro módulo da
disciplina Introdução à Engenharia
Mecânica.
Orientador: Prof. Me. Gustavo Neto.

MANAUS

2016
FOLHA DE APROVAÇÃO
RESUMO

O objetivo do presente trabalho é verificar a integridade física e pedagógica de um


conjunto didático de deformações de treliças em desuso presente na UFAM,
submetendo-o a uma série testes com o intuito de provar se tais treliças, montadas
através do método e Castigliano, eram obsoletas. Este resumo descreve o processo
utilizado resultante na aprovação deste conjunto didático, tal como testes de tração
nos quais a treliça sofre deformações a medida que é submetida por determinada
força. Tais resultados, encontrados através de um transdutor de deslocamento DTH-
A-30 e relógio comparador, foram comparados ao valor do Módulo de Elasticidade e,
por serem valores próximos, o processo foi validado e o equipamento aprovado.

PALAVRAS-CHAVE: Treliças. Castigliano. Testes. Didático. Módulo de Elasticidade.


ABSTRCT

The aim of this study is to assess the physical and pedagogical integrity of a didactic
set of trusses deformations into disuse present in UFAM, subjecting it to a test series
in order to prove whether such trusses, assembled by the method and Castigliano
were obsolete. This summary describes the process used resulting in the adoption of
this didactic set as tensile tests in which the lattice undergoes deformation as they
are submitted by a certain force. These results, found through a transducer DTH-A-
30 offset and dial indicator, were compared to the value of the Modulus of Elasticity,
and are values close, the process has been validated and approved equipment.

KEYWORDS: Trusses. Castigliano. Tests. Didactic. Modulus of elasticity.


SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ............................................................................................................ 6

1 TRELIÇAS ............................................................................................................... 7

2 TEOREMA DE CASTIGLIANO ................................................................................ 9

2.1 Aplicação do Teorema de Castigliano nas treliças ........................................ 11

3 TRANSDUTOR DE DESLOCAMENTO COM SENSOR STRAIN GAUGE ........... 12

4 METODOLOGIA .................................................................................................... 13

4.1 Resultados experimentais ................................................................................ 13

CONCLUSÃO ........................................................................................................... 14

REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 15
6

INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como objetivo compreender o processo utilizado para a


verificação da viabilidade em um dos instrumentos didáticos da Universidade
Federal do Amazonas (UFAM), até então considerado obsoleto. Tendo, assim, como
referência o artigo “Instrumentação de bancada didática para análise estrutural de
treliças planas” realizado por acadêmicos da UFAM.
O artigo ressalta a importância do instrumento didático, no caso, as treliças
planas para a solidificação do conhecimento teórico obtido nas salas de aula durante
a graduação, reafirmando também a influência do estudo e de experimentos para a
formação dos estudantes.
A base teórica da pesquisa forma-se na matéria de Estática que inicia o
estudo que diz respeito ao equilíbrio não só de um único corpo rígido, mas também
de estruturas feitas de várias partes que se interligam(LIVRO BIANCA).
Especificamente, Mecânica dos Sólidos requer a aplicação do instrumento em
questão tendo em vista sua aplicação em análises de deformações, tensão, torção
e, nessa conjuntura, problemas em estruturas planas( LIVRO QUE SO TEM
SUMARIO).
A treliça plana encontra-se no laboratório de Sistemas Mecânicos e Controle,
com sua funcionalidade em questão por conta da grande quantidade de tempo em
desuso. Diante dessas circunstâncias, o artigo busca solucionar esse empecilho por
meio do processo de retroffiting, ou seja, modernização das treliças ultrapassadas,
que, em sua essência, consiste na instalação de um transdutor de deslocamento
com sensor strain guage para, assim, ter os resultados comprovados pelo Módulo de
Elasticidade aplicados no Método Castigliano.
7

1 TRELIÇAS

O conceito de treliças é essencial para o entendimento do processo realizado


pelos acadêmicos em seu artigo. Além de ser uma das principais estruturas
estudadas na engenharia, por ser uma solução prática e mais economicamente
viável, justamente por apresentar uma estrutura muito leve. O que, em
consequência, auxilia nos cálculos, por conta do peso do material utilizado nas
treliças não ser tão relevante, em comparação as forças externas aplicadas nos
seus eixos.(ESTRUTURAS DE AÇO)
Sua constituição resume-se a componentes retos ligados uns aos outros por
meio de nós que podem ser categorizado em isostática e hiperestática, ou seja,
estaticamente determinada e indeterminada, respectivamente. Em suma “cada
treliça é projetada para sustentar cargas que atuam em seu plano, podendo ser
tratada como uma estrutura bidimensional” ( LIVRO DA BIANCA).
A grande vantagem das treliças é que em suas barras há apenas esforços
axiais, que veem a serem classificadas em tração ou compressão, em outras
palavras, o esforço de puxar ou empurrar as extremidades da barra. O bônus
baseia-se justamente no fato de que a capacidade do material, nesse caso, seja
explorada ao máximo. (ARTIGO 687).
Em síntese, a barra em si não é submetida a esforços de flexão, em
consequência disso, todo o esforço é realizado pelos nós, o que faz com que sejam
classificados como “nós ideais”, ou seja, rótulas que apresentam rotação livre e
transmissão de momento nulo. Em suma, rótulas perfeitas. Alguns dos exemplos
dessa estrutura que podemos encontrar no nosso dia a dia são as pontes,
guindastes, passarelas e estruturas de apoio em modo geral.
8

Figura 1-Exemplos de treliças planas (Fonte:MACHADO(1999))

Por possuírem essas características, faz-se necessário um estudo sobre as


deformações que as treliças sofrem quando uma força é aplicada, tendo em vista o
tempo de desuso do equipamento que pode ter alterado seu desempenho quando
uma força é aplicada.
9

2 TEOREMA DE CASTIGLIANO

Proposto por A. Castigliano ,engenheiro e matemático italiano nascido na


cidade de Asti (1847-1884), o teorema possui uma significativa aplicação na análise
dos descolamentos estruturais. No entanto, sua aplicação é restrita, alcançando
apenas componentes que se comportam elasticamente e nos quais o principio de
superposição pode ser aplicado. (MECANICA DOS MATERIAIS).
A fórmula gerada por esse matemático advém da seguinte proposição:
quando se tem uma barra de comprimento J, na qual uma força P é aplicada, a
mesma sofre uma deflexão, ou seja, um desvio de sua posição natural expressa por:

dU=P.dx (1)

Sendo dU a energia de deformação, P a carga axial exercida sobre a barra e


dx a deformação da estrutura, obtendo, assim:

𝑥
𝑈 = ∫ 𝑃. 𝑑𝑥 = 𝑃. 𝑥 (2)
0

Quando o cenário apresenta mais do que uma carga sendo aplicada, faz-se
necessário que cada medida de força seja calculada separadamente, por exemplo:

𝑃1 :
𝑋11 = 𝛼11 . 𝑃1 𝑒 𝑥21 = 𝛼 21 . 𝑃21 (3)

Inferindo x11 e x21 como a deformação sofrida e α como coeficiente de


influência, em outras palavras, as deflexões características do material.

𝑃2 :
𝑋12 = 𝛼12 . 𝑃2 𝑒 𝑥22 = 𝛼 22 . 𝑃2 (4)
10

Aplicando o teorema da superposição, têm-se:

x1 = x11 + x12 = α11.P1 + α12.P2 .


x2 = x21 + x22 = α21.P1 + α22.P2 (5)

Assim, chegamos ao teorema proposto por Carlo Castigliano, no qual ele


estabelece que “a derivada parcial da energia de deformação em relação a uma
carga aplicada é igual ao deslocamento no ponto de aplicação e na direção daquela
carga”.(MECANICA DOS MATERIAIS).

𝜕𝑈
𝑥= (6)
𝜕𝑃
11

2.1 Aplicação do Teorema de Castigliano nas treliças

No caso de uma treliça formada por n elementos com comprimento Lf, rigidez
axial AfEf e força interna Ff, sua energia de deformação é expressada
por(MECANICA DOS MATERIAS):

𝑛
𝐹²𝑓.𝐿𝑓
𝑈=∑ (2𝐴𝑓𝐸𝑓) (7)
𝑓=1

A fim de determinar a derivada parcial é necessário tratar Ff como uma


variável, ao final ira resultar na seguinte equação:

𝐿 𝜕𝑁
𝛥 = ∑ 𝑁 (𝐽𝐻) ( 𝜕𝑃 ) (8)

Nessa expressão admitindo 𝛥 como deslocamento da articulação do


equipamento, N a força axial interna, P a força externa, L comprimento, J área da
seção transversal e H módulo de elasticidade do material.
12

3 TRANSDUTOR DE DESLOCAMENTO COM SENSOR STRAIN GAUGE

Um dos aparelhos utilizados para a verificação das treliças foi um transdutor,


um dispositivo capaz de transformar uma forma de energia em outra, geralmente,
esses equipamentos estão ligados a um sensor que faz a leitura da medida que
precisa ser calculada e transforma em códigos para que, então, o transdutor faça a
leitura desses dados e transmita as informações necessárias.
No caso da atividade realizada foi empregado um sensor strain gauge. Trata-
se de um sensor elétrico que tem seu princípio baseado em captar a variação da
resistência no momento em que a treliça é sujeita a uma deformação. Esse processo
é realizado da seguinte forma um fio sensível ligada a uma base do aparelho é
colada a peça que será monitorada. Quando se percebe uma variação no eixo
analisado, os strain gauges variam de resistência elétrica mostrando essa oscilação.
(EBAH)
Esse equipamento funciona como ramo ativo da ponte Wheatstone. Sendo
essa uma montagem que nos traz com precisão o valor de uma resistência elétrica
desconhecida. Possuindo dois resistores interligados por um instrumento que mede
correntes do circuito elétrico, todo o sistema agrupado por uma fonte de tensão
elétrica. (INFOESCOLA)

Figura 2- Representação do circuito utilizado na ponte de Wheatstone.


(INFOESCOLA)
13

4 METODOLOGIA

No artigo é utilizado uma bancada de treliça de modelo SE 110.44 da


empresa fabricante GUNT Hamburg GmbH, já o dispositivo de transdutor de
deslocamento com sensor strain gaug é DTH-A-30 da KYOWA, que de acordo com
a sua calibração oferece valores mais precisos. O transdutor foi calibrado através de
programas da empresa Lynx Tecnologia.
Foi executado o mesmo procedimento nas outras ferramentas o aplicador de
cargas e o relógio comparador. Após comprovado a viabilidade dos instrumentos
que serão aplicados na testagem das treliças eles são empregados na estrutura,
primeiramente, para verificar os resultados de módulo de elasticidade.
Foram obtidos dados, a partir do fabricante, do Módulo de Elasticidade do
equipamento do que seria a priori, ou seja, no momento de compra do mesmo.
Assim como foi fornecido pelo fabricante também as dimensões da seção
transversal. Provaram a veracidade do que foi afirmado pela empresa por meio de
diversos testes.
Conforme o recomendado pelo fabricante, as treliças foram modeladas
através do programa FTOOL, que mostrou visualização prévia do comportamento
das estruturas. Então, após a coleta desses dados, foram realizados testes
diretamente nas treliças com suas diferentes montagens, depois desses ensaios, os
resultados foram comparados com os valores anteriormente tabelados.

4.1 Resultados experimentais

Vários gráficos são apresentados com o resultado dos vários testes realizado
nas treliças, tais quais os gráficos de deslocamento x força, gráficos de módulo de
elasticidade x força e ensaios experimentais de tração. Uma tabela é montada
comparando os valores obtidos por meio dos testes e os valores esperados pelos
cálculos anteriormente realizados, obtendo como resultado a comprovação da
viabilidade do uso do equipamento para fim didático.
14

CONCLUSÃO

Nota-se, pelos resultados obtidos através dos testes de tração que, tanto as
treliças quanto o relógio comparador e o transdutor de deslocamento DTH-A-30,
todos integrantes da bancada didática do laboratório de Sistemas Mecânicos e
Controle da UFAM, se deram por aptos a auxiliar na aplicação de conhecimentos
teóricos em experimentos práticos dos mesmos. Além disso, por terem os testes
com o relógio e o transdutor apresentado resultados de módulo médio de
elasticidade condizentes com o especificado pelo fabricante, comprova-se a
confiabilidade de seus dados resultantes.
Destaca-se também que o transdutor DTH-A-30 se torna preferível em
relação ao relógio, pois sua sensibilidade nos testes resulta em dados mais precisos.
Tal informação é a base de que a disponibilidade de sensores do tipo strain gauge
deveria ser ampliada aos universitários da UFAM.
A bancada didática instrumentada pode ser utilizada pelos docentes e
discentes de modo que conhecimentos teóricos sejam postos em prática através de
testes com seus instrumentos, para auxiliar no processo de formação de
profissionais com ideias práticas de seus estudos.
Tal processo pode ser refeito por alunos com o intuito de obter conhecimento
prático ou comprovar o processo aqui apresentado.
15

Referências