Você está na página 1de 31

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA


INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA
CAMPUS SANTA ROSA

A PROCURA PELA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA


IDADE NO MUNICÍPIO DE SANTA ROSA

Projeto de Pesquisa

Santa Rosa, RS, Brasil


2019
A PROCURA PELA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA
IDADE NO MUNICÍPIO DE SANTA ROSA

por

1 Andressa Daniela Gertz


2 Leticia Raquel Sechtich
3 Milena Fernandes
4 Pedro Henrique da Silva Konarzewski
5 Tainara Szinwelski da Silva

Projeto de Pesquisa apresentado ao Curso de Bacharelado em


Administração do Instituto Federal Farroupilha, Campus Santa Rosa, como
requisito parcial para aprovação na disciplina de Comportamento
Organizacional, Estatística e Marketing.

Santa Rosa, RS, Brasil


2019
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
1.1 PROBLEMA
1.2 JUSTIFICATIVA
2 OBJETIVOS DA PESQUISA
2.1 OBJETIVO GERAL
2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
3 REFERENCIAL TEÓRICO
3.1 EXPECTATIVA DE VIDA
3.2 LONGEVIDADE
3.3 A TERCEIRA IDADE
3.4 A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS
3.5 BEM ESTAR
4 METODOLOGIA CIENTÍFICA
4.1 TIPOLOGIA DE PESQUISA E PERÍODO
4.2 POPULAÇÃO E AMOSTRA
4.3 INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS
4.4 ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS
5 RESULTADOS
5.1 ANÁLISE DA PESQUISA
5.2 ANÁLISE DOS RESULTADOS
CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
APÊNDICES
RESUMO

O presente trabalho teve como objetivo possibilitar investigar sobre a prática de atividades físicas na
terceira idade no município de Santa Rosa-RS. Motivados pelo melhoramento da expectativa de vida e
mudanças comportamentais da terceira idade, o estudo foi desenvolvido a fim de identificar os motivos
que levam este público a praticar exercícios, os principais benefícios encontrados na prática e as
dificuldades encontradas por quem não pratica. Com embasamento teórico mostrando as mudanças
comportamentais na prática notou-se este mesmo comportamento, onde a terceira idade encontram-se
mais preocupada com saúde e bem estar, buscando a prática regular de atividades e afirmando que
encontram-se cientes da importância deste hábito. A pesquisa foi aplicada a pessoas com mais de 60
anos, por meio de questionário fechado. Diante do exposto o leitor terá uma noção sobre expectativa de
vida, bem estar e terceira idade, bem como a demonstração do interesse deste público em um ambiente
especializado para idosos, e em geral o feedback dos resultados encontrados na pesquisa.
Palavras-chave: atividades físicas; terceira idade; bem estar; Santa Rosa.

INTRODUÇÃO

Sabe-se que o estilo de vida saudável está em alta na atualidade, fato que não irá
regredir tão cedo, a temática de bem estar faz parte da vida das pessoas e abrange cada
vez mais todas as faixas etárias. Neste mesmo sentido o Dr. Varella, 2016 faz a seguinte
afirmação “o principal responsável pela saúde é o dono do corpo, as pessoas têm que
incorporar atividade física e cuidados para ter mais saúde”
Contudo, buscamos saber qual o percentual de pessoas da terceira idade na
cidade de Santa Rosa que praticam atividades físicas. Quais os motivos das pessoas
da terceira idade em seguir com atividades físicas diárias e semanais. Questões como
estas refletem diretamente na qualidade de vida dos idosos de nosso município e da raça
humana em si.
Ao final da pesquisa, ter-se-á a percepção da importância da prática de exercícios
físicos e a relação desta com a qualidade de vida, longevidade e felicidade, somando-se
a estes resultados, seria aceito, pela população em amostra, a possibilidade da
implantação de um espaço adequado, um local especializado em Santa Rosa, com o
foco para os mais velhos.
Importante ressaltar que para o âmbito acadêmico o seguinte trabalho busca
relacionar as disciplinas de Comportamento Organizacional, Estatística e Marketing para
a finalidade de aprendizagem acompanhada.

1.1 PROBLEMA

Quais são os comportamentos da terceira idade referente a prática de exercícios


físicos no município de Santa Rosa-RS?
1.2 JUSTIFICATIVA

Com o avanço da medicina, saúde pública e qualidade de vida o mundo em que


vivemos acaba por nos oferecer cada vez mais alternativas de viver bem e com saúde.
Sabemos também que com o mundo globalizado que vivemos muitas vezes durante a
juventude e a vida adulta aproveitamos freneticamente cada minuto e acabamos por
deixar alguns cuidados pessoais de lado.
Com os passar dos anos o ritmo diminui, e a terceira idade se aproxima, e com
ela também acabam por aparecer dificuldades físicas e mentais, comodidade e doenças.
Driblar esses fatos pode parecer tarefa difícil, porém devido aos grandes exemplo que
temos também acreditamos que seja sim possível, e um grande aliado neste momento
pode ser a atividade física.
Segundo Varella (2019), “Houve época em que praticar esportes era coisa de
crianças e adolescentes. Até bem pouco tempo, homens e mulheres abandonaram as
atividades esportivas quando se casavam. Pessoas mais velhas, então, nem pensar. Os
médicos recomendaram que evitassem esforços físicos e fizessem repouso.”.
Entender estas mudanças e o que elas significam, principalmente para o público
da terceira idade, é de extrema importância e causa interesse de diversos públicos.
Então, o seguinte trabalho tem uma relevante contribuição para o público da
terceira idade e também sociedade em geral, para que os idosos se conscientizem que
é possível iniciar, mesmo que tardiamente, a prática de atividades físicas, bem como
alertá-los de benefícios encontrados entre praticantes. Já na sociedade geral pode
despertar o desejo de iniciar atividades físicas previamente e alertar pessoas de seu
círculo de convivência sobre a prática.
Já no âmbito acadêmico a pesquisa busca somar conhecimentos extracurriculares
nas disciplinas de estatística, comportamento organizacional e marketing, bem como a
aplicabilidade dos conhecimentos obtidos através das disciplinas em ambiente escolar.

2 OBJETIVOS DA PESQUISA

2.1 OBJETIVO GERAL


O presente trabalho tem como objetivo analisar os motivos pelos quais as
pessoas da terceira idade buscam a prática de atividades físicas.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Identificar o perfil dos participantes;


- Verificar qual a assiduidade que a terceira idade pratica atividades físicas
- Analisar as mudanças físicas e psicológicas obtidas a partir da prática de
atividades físicas
- Analisar a satisfação do público da terceira idade quanto aos resultados obtidos
diante da prática de atividades físicas

3 REFERENCIAL TEÓRICO

3.1 EXPECTATIVA DE VIDA

Expectativa de vida, ou então esperança de vida, trata-se do número médio de


anos que a população de um país viverá, sendo que está diretamente relacionada à
qualidade de vida que um país possui.
De acordo com o pesquisador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE), Fernando Albuquerque, a partir de 1940, com a incorporação dos avanços da
medicina às políticas de saúde pública, o país experimentou uma primeira fase de sua
transição demográfica, caracterizada pelo início da queda das taxas de mortalidade. Um
pouco mais a frente, fatores como campanhas de vacinação em massa, atenção ao pré-
natal, incentivo ao aleitamento materno, contratação de agentes comunitários de saúde
e programas de nutrição infantil contribuíram para o aumento da expectativa de vida do
brasileiro ao longo dos anos.
Fato este confirmado quando Bertoldi (2008), afirma que: até os dias de hoje, o
aumento da expectativa de vida tornou-se um fenômeno mundial. As melhorias no
saneamento básico, as condições de vida mais adequadas, os avanços no controle de
doenças e nas tecnologias são fatores responsáveis pelo grande aumento da expectativa
de vida nos últimos anos.
Por meio destes fatos destacamos que a expectativa é puro reflexo da qualidade
de vida, sendo esta oriunda tanto de fatores do ambiente externo quanto a atitudes
pessoais de cada pessoa, dentro destas atitudes podemos destacar uma como fator
extremamente relevante, a atividade física. Segundo a Dra. Amaral (2017), estudos
realizados em diversas universidades, indicam que a prática regular de exercícios físicos
aumentam a expectativa de vida das pessoas.
Assim, verifica-se a importância da prática de atividades físicas para a
manutenção da expectativa de vida, um ponto a se destacar nesta manutenção, é a
prática de exercícios físicos pela população da terceira idade. Sendo que Vicentin (2003),
indica que para os idosos é necessário que eles tenham um estilo de vida saudável,
através de uma alimentação balanceada e a prática de um tipo de atividade física.
Então entende-se que a expectativa de vida vem crescendo cada vez mais, sendo
este resultado de um conjunto de ações e melhorias ocorridas tanto em um país quando
em hábitos de responsabilidade pessoal. Segundo o IBGE, em 2017 a expectativa do
Brasileiro estava em 75,8 anos, visto como um resultado satisfatório quando comparado
ao ano de 1940, quando a expectativa era de apenas 45,5 anos.
No Brasil, o processo de transição demográfica se iniciou a partir da década de
40 nos estados mais desenvolvidos do Brasil. Um aspecto importante que posteriormente
contribuiu imensamente para a melhoria das condições de longevidade brasileira, foi o
movimento da Reforma Sanitária brasileira, que ampliou o conceito de saúde.
Nesse sentido, a saúde passou a ser entendida não somente como ausência de
doença, mas sobretudo como um processo resultante das condições de alimentação,
habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer,
liberdade, acesso a terra e aos serviços de saúde.

3.2 LONGEVIDADE

Longevidade significa longa duração de vida. A longevidade expressa


precisamente a dignidade dos idosos, que com sua pele enruga, são reflexo das marcas
de uma longa vida, carregada de intensas experiências.
O envelhecimento da população é um fenômeno mundial, ou seja, a população
idosa cresce mais que as outras faixas etárias. Segundo o relatório da Organização das
Nações Unidas (ONU), em 2005 o percentual mundial de pessoas acima de 60 anos era
11,7%.
A longevidade é conquistada através de qualidade de vida (alimentação
saudável), junto com atividades físicas que beneficiam a saúde dos idosos.Trabalhar,
desfrutar de um bom descanso e das relações pessoais que estão relacionadas a
natureza social, também são muito importantes para alcançar a longevidade.
A expectativa de vida dos brasileiros, atualmente, é de 72 anos. Segundo dados
do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas acima dos
60 anos de idade no Brasil é de 21 milhões. Acima dos 75 anos, cinco milhões. E o grupo
de indivíduos com 80 ou mais anos já soma três milhões de pessoas. A estimativa do
IBGE é que em 2050, a população poderá ser de 172 idosos para cada 100 crianças.

3.3 A TERCEIRA IDADE

O aumento da população idosa é um assunto de interesse mundial, que demanda


criação e manutenção de alternativas que viabilizem a permanência do idoso na
sociedade, com os avanços científicos e tecnológicos podemos citar as melhorias de
vida, bem como disponibilidade de serviços de saúde, assistência social, segurança,
concretização de políticas públicas na área do trabalho e educação de forma continuada.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) define o idoso como aquele indivíduo
com 60 anos de idade ou mais, limite este válido apenas para os países em
desenvolvimento, como o Brasil, pois nos países desenvolvidos admite-se um ponto de
corte de 65 anos de idade. Definir envelhecimento é muito complexo, levando-se em
conta que biologicamente trata-se de processo que ocorre durante toda a vida.
Ainda para OMS envelhecer é um processo fisiológico e natural pelo qual todos
os seres vivos passam e é, sem dúvida, a maior fase de desenvolvimento humano. Dessa
forma, vê-se a necessidade de um maior investimento na atenção primária, por meio do
desenvolvimento de políticas públicas de saúde que contemplem o planejamento de
ações voltadas à prevenção de agravos voltados a esta população, bem como à
manutenção de sua autonomia e qualidade de vida.
A própria OMS reconhece que, qualquer que seja o limite mínimo adotado, é
importante considerar que a idade cronológica não é um marcador preciso para as
alterações que acompanham o envelhecimento podendo haver grandes variações
quanto a condições de saúde, nível de participação na sociedade e nível de
independência entre as pessoas idosas.

3.4 A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS


Nas últimas três décadas pode-se dizer que o número de praticantes de atividades
físicas aumentou consideravelmente, e isso só se deu através de esforços coletivos para
com a estimulação da população, expondo às consequências causadas pela falta de
atividades físicas, desde então a população vem se conscientizando e compreendendo
a suma importancia da pratica de algum tipo de atividades físicas regularmente, não
somente para a saúde, como para o bem estar e qualidade de vida.
Deve-se levar em consideração que o termo exercício físico não é a mesma
definição de atividade física, conforme Guiselini (2006), exercício físico define-se como
toda aquela atividade planejada, estruturada e repetitiva, de níveis moderados ou
intensos a qual visa melhoria e desenvolvimento das habilidades, aptidão física e alcance
de objetivos específicos.
A atividade física define-se como qualquer movimento corporal produzido por uma
contração muscular e consequentemente resultando em gasto energético. Portanto,
considera-se atividade física qualquer tipo de atividade ocupacional (trabalho), atividades
diárias, de lazer, deslocamento, bem como exercícios físicos, dança, esportes, jogos etc.
Ainda segundo o autor, pode-se classificar as atividades físicas em estruturada e
não estruturada. Atividade física estruturada considera-se os exercícios físicos
planejados, que tem por finalidade o aumento do condicionamento físico. Já a atividade
física não estruturada considera-se atividades físicas comuns do dia a dia, tais como
caminhar, andar de bicicleta, dançar, passear com o cachorro, jogos etc., as quais são
de baixa intensidade, podendo não aumentar o condicionamento físico, porém trazendo
inúmeros benefícios além de servir para proteção contra doenças crônicas, hipocinéticas,
promoção da saúde e mudanças no comportamento das pessoas.
A prática de atividades físicas regularmente e a alimentação adequada são os
principais hábitos responsáveis para as mudanças necessárias quanto a qualidade de
vida.

3.5 BEM ESTAR

O bem estar é resultado de diversos fatores tanto resultantes do ambiente externo


quanto de atitudes pessoais, e pode ser classificado em diversas dimensões, dentre elas
podemos destacar o bem-estar físico, emocional, social, mental e espiritual.
De acordo com Guiselini (2006), o bem estar físico considera-se como o primeiro
objetivo pelo qual a maioria das pessoas buscam pelas atividades físicas, pois cuidar do
corpo físico tem se tornado algo prioritário, seja por questões de estética, estilo de vida,
desenvolvimento da aptidão física, recomendações médicas, emagrecimento entre
outros objetivos.
Ainda segundo o autor, o bem estar emocional relaciona-se à energia pessoal a
qual se manifesta por meio das emoções, sentimentos, imagem e forma de pensar que
faz a respeito de si mesmo e dos outros, aceitação, compreensão e limitações de suas
possibilidades, além de situações estressantes. Situações cotidianas geram uma grande
quantidade de emoções, que podem causar o desequilíbrio da energia emocional. Já o
bem estar social, que inicia-se em nossos primeiros momentos de vida busca estabelecer
relações com pessoas próximas que convivem ao nosso redor, dessa forma amplia-se
os relacionamentos através da energia pessoal. Além das influências emocionais que
ajudarão na formulação de nossa futura personalidade.
O bem estar mental é o objetivo mais valorizado devido que a partir dele
desenvolve-se o avanço tecnológico. Porém devido a todos esses avanços na questão
intelectual, acaba por parecer distanciar o verdadeiro ser humano, além de dificultar as
outras dimensões do bem estar.
O bem estar espiritual consiste em o indivíduo encontrar propósitos e
compreender o significado da vida e de sua existência, desenvolvendo crenças em si
mesmo ou em outra entidade maior para que dessa forma aumente o desenvolvimento
de sua ética e moral. Com a união e integração de todas as demais dimensões de forma
equilibrada irá proporcionar um verdadeiro significado da vida.
4 METODOLOGIA CIENTÍFICA

4.1 TIPOLOGIA DE PESQUISA E PERÍODO

Este projeto científico trata-se de uma pesquisa quantitativa quanto a abordagem


dos dados, onde quem pesquisa é um observador e não deve analisar subjetivamente
os números obtidos, devendo expor os dados obtidos de forma estruturada e uniforme.
O amostra fora realizado no período correspondente ao final de maio e início de junho,
mês o qual tem-se o objetivo de apresentar ao público acadêmico.
Quanto aos procedimentos metodológicos a pesquisa se classifica em
levantamento, pois é uma pesquisa com base nos dados obtidos através de uma
questionário (APÊNDICE 1) realizado com a população da terceira idade do município
de Santa Rosa- RS.
4.2 POPULAÇÃO E AMOSTRA

A população corresponde aos idosos com mais de 60 anos (terceira idade) do


município de Santa Rosa-RS. A população é delimitada aproximadamente por 72.919
pessoas (Figura 1), segundo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Figura 1: População Santa-rosense

Fonte: IBGE - Cidades

A amostra deste estudo será composta de aproximadamente 79 pessoas


entrevistadas, selecionados de forma intencional sendo que o critério é que de que
sejam pessoas da terceira idade, ou seja, pessoas acima de 60 anos, e que residam no
município de Santa Rosa-RS.
4.3 INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS

O instrumento para a coleta de dados usado pela nossa pesquisa foi um


questionário com perguntas fechadas, cujas respostas são definidas em meio a
alternativas previamente estabelecidas. Os sujeitos da pesquisas devem responder
perguntas de cunho pessoal, dentre as quais tratam da prática de atividades físicas,
periodicidade das atividades, benefícios encontrados na prática, dificuldades que
impedem, entre outras.
Este método foi escolhido porque coletar informações pessoas com idade mais
avançada requer perguntas de fácil entendimento, além de possibilitar ao pesquisador
respostas com maior exatidão e informações focadas nos principais objetivos,
gerando assim um resultado com precisão e dentro das expectativas aguardadas.

4.4 ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS


A metodologia adotada para a realização da pesquisa foi de cunho quantitativo
onde, para o alcance dos objetivos, foram utilizados roteiros de questões aplicados
aos idosos do município de Santa Rosa.

5 RESULTADOS

5.1 ANÁLISE DA PESQUISA

Figura 2: Gênero

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

De acordo com a Figura 2, o Gênero dos entrevistados apresentou-se em


46,8% masculino, enquanto 53,2 são do gênero feminino, então percebe-se que a
maioria dos entrevistados é do público feminino.
Figura 3: Estado civil

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

O estado civil dos entrevistados ficou em menor proporção para solteiros e


divorciados, cada um destes representando 7,6% perante os demais, em seguida
vieram os viúvos que representam 17,7% e por fim, em maior proporção os casados
com um total de 67,1%.

Figura 4: Faixa etária

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

A Faixa Etária dos entrevistados (Figura 4) se apresenta da seguinte forma;


sendo 7,6 % dos entrevistados encontram-se entre 81 e 90 anos; já entre 71 e 80 anos
ficam 27,8% dos entrevistados; o restante encontra-se na faixa dos 60 a 70 anos com
um total de 64,6%. Observando assim que a maioria do entrevistados têm de 60 a 70
anos de idade.

Figura 5: Local de residência

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Os entrevistados residentes em Santa Rosa são moradores dos seguinte


bairros (Figura 5); em menor proporção ficaram os bairros Timbaúva, Planalto,
Auxiliadora e São Francisco; já com 8,9% encontram-se os bairros Glória e Sulina,
seguindo por 11,4% do Bairro Cruzeiro, 13,9% moradores do interior e 35,4% são do
Bairro Central.

Figura 6: Saúde
Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Quando perguntados sobre como avaliam sua Saúde (Figura 6), ruim e muito
ruim não tiveram destaque; enquanto muito boa representou 14,1%, regular com
39,7% e boa com 41%. Assim, analisou- se que a maioria dos idosos entrevistados
sente-se bem com sua saúde, sendo este um dado relevante no que se diz respeito a
qualidade de vida já que saúde é um ponto importantíssimo neste quesito.

Figura 7: Problema de saúde dos entrevistados

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.


Ao questionar os entrevistados se possuem algum problema de saúde 20,25%
responderam não ter nenhum problema de saúde, enquanto 79,74% responderam ter.
Entre os que possuem algum problema de saúde, as doenças que mais tiveram
destaque foram; 3,2% depressão; 7,9% osteoporose; 20,6% diabetes; 36,5%
hipertensão; outro dado importante a destacar é de que 38,1% dos entrevistados
citaram outras doenças que previamente não foram estabelecidas como comuns na
terceira idade.

Figura 8: Se os entrevistados praticam atividades físicas ou não

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Quando questionados sobre a prática de atividades regularmente, notou-se que


38,5% dos entrevistados não realizam, já os que realizam formam um total de 61,5%,
sendo estes a maioria.

Figura 9: Frequência na qual os entrevistados praticam atividades físicas


Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Dentre os que praticam atividades físicas, quem pratica apenas uma vez na
semana acabou ficando entre a minoria com 14,6% dos entrevistados, quem pratica
de duas a três vezes na semana somou-se um total de 39,6%, e por fim dentre os
praticantes, 45,8% praticam quatro vezes por semana ou mais.

Figura 10: Quais atividades os entrevistados exercem

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

As atividades físicas que tiveram maior destaque entre os entrevistados foram


o pilates com 6,3%, seguidos da academia com 27,1% e por fim com maior percentual
a caminhada com 70,8% dos entrevistados. Cabe ressaltar que alguns entrevistados
combinam mais de uma prática.

Figura:11: Motivo pelo qual praticam

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Entender o que motiva a prática de atividades físicas na terceira idade é um


ponto importante, então, foi possível que os entrevistados marcassem mais que uma
opção, assim o resultado foi o seguinte; 10,4% tiveram algum incentivo de terceiros
na prática de atividades, 41,7% destacaram que buscaram através de recomendação
médica, 43,6% por hobby/atividade de lazer e por fim 56,3% se motivam pela saúde
e bem estar. Lembrando que os motivos podem ser mais que um então os percentuais
somam-se quando citados mais que uma vez pelo mesmo entrevistado.

Figura 12: Mudanças físicas percebidas desde que os entrevistados começaram a


praticar atividades físicas
Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Novamente optamos por ser possível marcar mais que uma mudança
encontrada, então quando perguntados sobre quais as mudanças físicas encontradas
após o início da prática de atividades físicas obtivemos os seguintes resultados;
coordenação motora 17% o viram como um dos benefícios; 21,3% tiveram melhora
no equilíbrio; 55,3% na resistência e por fim 61,7% destacaram a melhora na
disposição.

Figura 13: Mudanças psicológicas percebidas desde que os entrevistados


começaram a praticar atividades físicas
Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

As mudanças psicológicas encontradas após o início das atividades também


obtiveram múltiplos resultados, então 16,3% dos entrevistados dizem ter melhoras no
raciocínio lógico; 34,9% na memória; 37,2% na motivação e em maior destaque 67,4%
disseram ter melhoras no bem estar.

Figura 14: Satisfação com os resultados obtidos

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.


Dentre os praticantes de atividade físicas o percentual de quem não encontram-
se satisfeito foi insignificante, já que 95,7% responderam que encontram-se satisfeitos
com os resultados.

Figura 15: Desde quando os entrevistados praticam atividades físicas


Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Os praticantes regulares de atividade física também foram perguntados sobre


a quanto tempo tem esse hábito, então 8,5% respondeu que praticam de 6 a 10 anos,
25,5% de 1 a 2 anos, 27,7% 11 anos ou mais e 38,3% de 3 a 5 anos. Sendo assim,
observou-se que a maioria já pratica a um tempo consideravelmente bom.

GRÁFICOS EM RELAÇÃO AOS NÃO PRATICANTES

Figura 16: Localidade e distância dos pontos para a prática de atividades físicas

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.


Dentre os não praticantes de atividades físicas, perguntamos se uma das
causas poderia ser os locais para a prática serem distantes, então 37,9%
responderam que sim e 62,1% responderam que não, que estes lugares não eram
distantes.

Figura 17: Se os entrevistados sentem-se com vergonha ao praticar atividades


físicas

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Outra motivo levantado sobre porque não praticam atividades físicas, seria a
vergonha, notou-se que não, já que quem sente vergonha as vezes foi um índice
insignificante e os que sentem são apenas 10,3%, assim 86,2% afirmaram que a
vergonha não é a causa pela qual não praticam atividades físicas.

Figura 18: Se a prática de atividades físicas é uma tarefa difícil


Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Quando questionados se acreditam que a atividade física é uma tarefa difícil,


apenas 27,6% responderam que sim, já a maioria, 72,4% responderam que não é
uma tarefa difícil.

Figura 19: Existência de lugares para praticar atividades físicos

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.


Os entrevistados quando perguntados na opinião deles existem poucos lugares
para a prática de atividades físicas 34,5% acreditam que sim e 65,5% que não. Então
a maioria do público entrevistado acredita que existam sim lugares para a prática.

GRÁFICOS EM RELAÇÃO À TODOS OS ENTREVISTADOS

Figura 20: Questiona-se a possibilidade da criação de um ambiente especializado à


terceira idade e com disponibilidade diária

Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Outra questão levantada foi a possível existência de um local disponível


diariamente com orientação de um profissional da área que atendesse especialmente
ao público da terceira idade, se o entrevistado teria interesse. Então dentre os
entrevistados 19% disse que não teria interesse, 20,3% respondeu que talvez e com
a maior parte ficou os que teriam interesse, num total de 60,8% que disseram sim.

Figura 21: Frequência a ser frequentado esse ambiente pelos entrevistados


Fonte: Fernandes, Gertz, Konarzewski, Sechtich, Silva, 2019.

Dentre os que responderam que iriam frequentar este local ou que talvez iriam,
foi perguntado sobre quantas vezes na semana seria a obtendo-se o seguinte
resultado; três vezes ou mais 11,5%; e em seguida veio os que iriam uma vez na
semana com 44,3% empatado com o que iriam duas vezes na semana.

5.2 ANÁLISE DOS RESULTADOS

Através da pesquisa bibliográfica realizada, podemos observar a tendência


mundial a respeito da mudança de hábitos que vem se adquirindo com o passar dos
anos, mudanças estas positivas no que se diz respeito à terceira idade, que vem
conquistando com o auxílio da medicina avançada e de recursos como saneamento
básico um índice cada vez maior de expectativa de vida.
Então na aplicação do questionário, estes dados e comportamentos puderam
ser observados e analisados, onde foi possível identificar diversas características
sobre o público da terceira idade perante a prática de atividades físicas na cidade de
Santa Rosa – RS.
Então ao analisar estes dados, pode-se observar que a maioria dos
entrevistados é do público feminino com um total de 53,2%, e que dentre os
entrevistados 67,1% são casados, seguidos de 17,7% viúvos. O índice elevado de
casados se dá devido a idade dos entrevistados ser avançada, visto que nesta idade
a maioria da população já tem família constituída.
A maioria dos entrevistados se encontra na faixa dos 60 a 70 anos de idade e
35,4% dos entrevistados são moradores do bairro central em Santa Rosa, podemos
levar em consideração que pelo local de aplicação dos questionários ser na área
central do município pode existir uma relação desses moradores terem sido
entrevistados, mas que por estes não ser a maioria geral dos entrevistados não venha
a comprometer a qualidade da pesquisa.
Já especificamente sobre a saúde desta população, quando perguntado como
avaliam sua saúde, a maioria classificou como boa ou regular, sendo este um ponto
positivo já que com já que com saúde boa a expectativa de vida elevada se concretiza.
Apesar da classificação da saúde ter se dado como boa e regular um grande
percentual dos entrevistados apontou ter algum tipo de doença diagnosticada pelo
médico, sendo as mais comuns hipertensão e diabetes.
Dentro da expectativa criada após a classificação satisfatória da maioria dos
entrevistados perante a saúde, foram perguntados se praticaram atividade física
regularmente e o resultado mais uma vez se mostrou condizente com as mudanças
de hábitos na terceira idade já que 61,5% dos entrevistados dizem praticar atividades
regularmente e em sua maioria quatro vezes na semana ou mais.
Dentre estes praticantes a maioria, ou seja, 70,8% dos entrevistados disse que
a atividade praticada é a caminhada, seguido de 27,1% da academia. Podemos dizer
que a caminhada é a atividade que mais se encontra disponível para este público,
visto que eles realizam no ritmo que desejam e no horário que acreditam ser
conveniente.
Mas afinal de contas o que vem causando estas mudanças de hábitos na
terceira idade, o que os motiva a praticar atividades físicas? Simples e claro, segundo
eles, o que os motiva com um total de 56% é a saúde e bem estar, em seguida a
recomendação médica, que segundo informações obtidas em conversa informal com
eles, são classificadas como de extrema importância.
Verificar as mudanças encontradas após o início das práticas também se torna
importante, mudanças físicas e mentais foram observadas pelos entrevistados,
destacadas nas mudanças físicas foram a melhora da disposição, resistência e
equilíbrio. Já as mudanças psicológicas percebidas foram bem estar, motivação e
memória.
Quando mudanças positivas são identificadas, perguntamos se os
entrevistados encontram-se satisfeitos com estes resultados, 95,7% respondeu que
sim satisfeitos, assim verifica-se que as atividades físicas trazem resultados e são em
sua maioria positivos.
Já os entrevistados que não praticam atividades físicas responderam perguntas
específicas, que levariam a entender os empecilhos encontrados que acabam por
dificultar a prática. Verificou-se então que os entrevistados não entendem que os
locais de prática são distantes, também a maioria não sente vergonha em praticar,
não acreditam que seja uma tarefa difícil e tão pouco que existam poucos locais para
a prática. Nos levando a entender que os que não praticam é devido a falta de
interesse, já que dificuldades habituais não foram diagnosticadas através do
questionário.
Quando questionados sobre a possibilidade da existência de um ambiente
específico voltado ao público da terceira idade, disponível diariamente e
proporcionando a prática de atividades físicas com orientações profissionais, 60,8%
dos entrevistados disseram que sim, teriam interesse e frequentariam este local de
duas a três vezes por semana, devido que desta forma as atividades seriam instruídas
e realizadas de acordo com a capacidade física de cada indivíduo. Sendo assim,
diante dos resultados obtidos pode-se perceber que esta seria uma ótima
oportunidade de negócio para o município de Santa Rosa - RS.

CONCLUSÃO

O presente artigo teve como finalidade analisar os motivos pelos quais as


pessoas da terceira idade buscam a prática de atividades físicas por meio de um
levantamento com um questionário com perguntas fechadas.
Após a aplicação dos respectivos questionários, obtiveram-se como dados que
a população da terceira idade do município de Santa Rosa-RS a maioria é de gênero
feminino; casado; entre 60 e 70 anos; residem no bairro central e destes, cerca de
61,5% praticam atividades físicas regularmente há cerca de 3 a 5 anos. A maioria
dessa população pratica caminhada e academia cerca de 2 a 3 vezes por semana,
visando sua saúde e bem estar.
Podemos observar também que diante de uma alternativa dada no
questionário, sendo esta uma academia ou local de atividade física focado no público
da terceira idade, foi bem aceita pelos sujeitos questionados, tendo cerca de 60,8%
de aceitação.
Podemos concluir que este estudo teve seu objetivo obtido com êxito. Assim,
chegamos a conclusão que a maioria da população da terceira idade do município de
Santa Rosa-RS pratica atividade física regularmente, por lazer (hobby) buscando
qualidade de vida, saúde, bem estar e longevidade.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AMARAL, Alice. Tribuna de Minas. Exercício físico aumenta a expectativa de vida.


Ano 17, mai. Disponível em;<https://tribunademinas.com.br/blogs/alice-amaral/05-01-
2017/voce-sabia-que-o-exercicio-fisico-pode-aumentar-a-expectativa-de-vida.htm>.
Acesso em: 04 jun.2019.

Agência IBGE notícias. Expectativa de vida do Brasileiro sobe para 75,8 anos. Ano
18, jul. Disponível em;<https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-
agencia-de-noticias/noticias/18469-expectativa-de-vida-do-brasileiro-sobe-para-75-8-
anos>. Acesso em: 04 jun.2019.

Bertoli, Karine. Caracterização de artigos sobre o tema envelhecimento no Brasil


nos últimos 10 anos. Porto Alegre, UFRGS: 2009. Disponível
em;<https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/72625/000705914.pdf?sequence=
1&isAllowed=y>.Acesso em: 03 jun.2019.

Dráuzio, Varella. As pessoas têm que incorporar atividade física e cuidados para
ter mais saúde. Diário Catarinense, 2016. Disponível em;
<http://dc.clicrbs.com.br/sc/colunistas/estela-benetti/noticia/2016/04/drauzio-varella-
as-pessoas-tem-que-incorporar-atividade-fisica-e-cuidados-para-ter-mais-saude-
5786229.html>. Acesso em: 10 jun.2019.

VARANDA, Ivoneden Vicentin dos Santos. Quais os motivos que levam os idosos
a procurar por atividades físicas. Campinas, UNICAMP: 2003. Disponível
em;<www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=000320014>. Acesso em: 03
jun.2019.

GUISELINI, Mauro. Aptidão Física, Saúde, Bem-Estar: Fundamentos Teóricos e


Exercícios Práticos. São Paulo: Phorte, 2006.

GALLAHUE, David L.; OZMUN, John C. Compreendendo o Desenvolvimento


Motor: Bebês, Crianças, Adolescentes e Adultos. São Paulo: Phorte, 2005.

REICHERT, F. F; BARROS, A.J.D; DOMINGUES, M.R; HALLAL, P. The role of


perceived personal barriers to engagement in leisure-time physical activity.
American Journal Public Health, New York, v. 97, p.515-9, 2007.

VARELLA BRUNA, MARIA HELENA. Benefícios dos exercícios|Entrevista.


Drauzio. Dísponivel em;<https://drauziovarella.uol.com.br/entrevistas-2/beneficios-
dos-exercicios-entrevista/>. Acesso em:13 jun.2019.
APÊNDICES

APÊNDICE 1 - Questionário

Olá! Estamos lhe convidando para participar de um estudo sobre o comportamento e


a atividade física. Sua participação consiste em responder o questionário a seguir.
Os dados serão tratados de forma confidencial, permitindo anonimato dos
entrevistados. Muito obrigado por contribuir!
1. Sexo: ( ) Ruim ( ) Muito ruim

( ) Feminino ( ) Masculino 6. O(a) Sr(a) tem algum problema


de saúde? *Diagnosticado pelo
2. Estado Civil: médico.

( ) Solteiro ( ) Casado ( ) Viúvo ( ) Hipertensão ( ) Diabetes


( ) Divorciado ( ) Osteoporose ( ) Depressão.
( ) Outro
3. Faixa etária:
7. Pratica atividade física
( ) 60 a 70 ( ) 71 a 80 ( ) 81 a 90 regularmente?
( ) Acima de 91
( ) Sim ( ) Não
4. Local de sua residência1:
8. Com que frequência praticas
atividades físicas?
( ) Bairro Timbaúva
( ) Bairro Central ( ) Uma vez por semana
( ) Bairro Cruzeiro ( ) Duas a três vezes por semana
( ) Bairro Sulina ( ) Quatro vezes por semana, ou mais
( ) Bairro Glória
( ) Bairro Auxiliadora 9. Que tipo de atividades práticas?
( ) Bairro Planalto
( ) Bairro São Francisco ( ) Caminhada
( ) Academia
5. Em geral, como o(a) sr(a) avalia ( ) Pilates
a sua saúde? ( ) Zumba
( ) Hidroginástica
( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Regular ( ) Câmbio

1 Bairro Cruzeiro: Vila Jardim, Vila Kontarski,


Os bairros e as vilas que os formam são:
Vila Progresso, Vila Pereira, Morada do Sol
Bairro Sulina: Vila Sulina, Vila Nova, Santa (Cohab), Vila Speroni, Vila Júlio de Oliveira,
Inês e Alto Petrópolis. Vila Bomba, Loteamento Cruzeiro do Sul, Vila
Bairro Timbaúva: Vila Timbaúva, Recanto da Ibanês e Vila Nossa Senhora Aparecida.
Timbaúva, Jardim Petrópolis, Vila Prenda e Vila Bairro Auxiliadora: Vila Auxiliadora e
Guarani. Loteamento Bom Sucesso.
Bairro Glória: Vila Glória, Vila Aliança, Alto da Bairro Planalto: Vila Planalto, Pró-Morar da
Glória, Loteamento Residencial do Parque, Planalto, Vila Agrícola, Loteamento Vicente
Vivendas Alto do Parque e Vila Alto do Parque. Cardoso, Loteamento Bela Vista e Vila Piekala.
Bairro Central: Vila Beatriz, Vila Oliveira, Vila Bairro São Francisco: Vila Esperança,
Flores, Vila Balneária, Vila dos Bancários e Vila Loteamento Ouro Verde, Vila São Francisco.
Santos.
( ) Andar de bicicleta 15. Os locais para praticar atividade
( ) Outra física são distantes?

10. Por que praticas atividade ( ) sim ( ) não


física?
16. Sente vergonha em praticar
( ) Recomendação médica atividade física?
( ) Saúde e bem estar
( ) Incentivo de terceiros ( ) sim ( ) não ( ) às vezes
( ) Hobby/Atividade de lazer

11. Sentiu mudanças após o início 17. Atividade física é uma tarefa
da prática de atividades físicas difícil?
(fisicamente):
( ) sim ( ) não
( ) Equilíbrio
( ) Resistência 18. Existe poucos lugares para
( ) Coordenação motora praticar atividade física.
( ) Disposição
( ) Outra ( ) sim ( ) não

12. Mudanças percebidas após o Para todos entrevistados responder:


início da prática de atividades
físicas (psicologicamente/ 19. Caso existisse algum ambiente
mentalmente): disponível diariamente que
proporcionasse a prática de
( ) Motivação exercícios, com orientação por
( ) Bem estar um profissional, voltado ao
( ) Raciocínio lógico público da terceira idade, você
( ) Memória teria interesse?
( ) Outra
( ) Sim ( ) Não ( ) Talvez

13. Você se encontra satisfeito (a) 20. Quantas vezes por semana
com os resultados obtidos? frequentaria esse local?

( ) Sim ( ) Não ( ) Uma vez por semana ( ) Duas


vezes por semana ( ) Três ou mais
14. A quanto tempo você pratica vezes
atividade físicas?

( ) 1 a 2 anos
( ) 3 a 5 anos
( ) 6 a 10 anos
( ) 11 ou mais

Caso você não pratique atividade


física: