Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Cinética

Disciplina: Laboratório de Engenharia Química - Ladeq


Professor: Monica Antunes Pereira da Silva

Grupo 6
Diogo Harduim
Guilherme Rezende
Segun Fashina

Rio de Janeiro, fevereiro de 2013


ÍNDICE

1. Objetivo ...................................................................................................................... 3
2. Introdução................................................................................................................... 3
2.1 Ordem da reação .................................................................................................... 3
2.2 Modelos cinéticos .................................................................................................... 4
3. Materiais e Métodos ................................................................................................... 4
3.1 Materiais ................................................................................................................. 4
3.2 Procedimento Experimental .................................................................................... 4
4. Resultados e Discussão ............................................................................................. 5
4.1 Reação de ordem zero ............................................................................................ 6
4.2 Reação de primeira ordem ...................................................................................... 6
4.2 Reação de segunda ordem ..................................................................................... 7
4.3 Discussão ............................................................................................................... 8
5. Conclusão................................................................................................................... 9
6. Sugestão de prática .................................................................................................... 9
7. Bibliografia .................................................................................................................. 9
1. Objetivo

O objetivo deste trabalho é determinar a ordem da reação entre acetato de etila e hidróxido de
sódio.

C2H3OOC2H5+NaOH→C2H3OONa+C2H5OH

2. Introdução

A cinética química é a ciência que estuda a velocidade das reações químicas. A velocidade
da reação recebe geralmente o nome de taxa de reação. A taxa de reação está relacionada com
as concentrações dos reagentes, a temperatura, a eletricidade, a luz, a pressão, a presença de
catalisadores e dos produtos de reação. A taxa de uma reação pode ser calculada a partir do
gráfico da concentração do reagente (ou produto) contra o tempo. A taxa de reação em qualquer
ponto no tempo é igual ao coeficiente de tangência da curva neste momento.

2.1 Ordem da reação

A ordem de uma reação é obtida através de experimentos. Realizando experimentos que


envolvem uma reação entre dois componentes A e B, nota-se que a taxa de reação é relacionada
às concentrações de A e B, e que essas concentrações de A e B estão elevadas a uma potência,
que mostra o efeito de cada componente nesta taxa de reação.

As potências a e b são chamadas ordens de uma reação. As ordens de reação que


costumam ser encontradas são as ordens 0, 1 ou 2. Porém, valores fracionados também podem
ser encontrados.

Quando uma reação independe da concentração, ela é chamada de reação de ordem zero.
Dessa forma, a taxa de reação é constante. A reação de primeira ordem tem uma taxa proporcional
à primeira potência da concentração de um dos reagentes (kCa). Já reação de segunda {ordem
tem uma taxa que pode ser proporcional tanto à concentração de um reagente ao quadrado (kCa²)
quanto ao produto dos dois reagentes (kCaCb).

2.2 Modelos cinéticos

𝑑𝐶𝑎 𝑑𝑋𝑎
−𝑟𝑎 = − = 𝐶𝑎0
𝑑𝑡 𝑑𝑡

Ordem zero:
𝑋𝑎 𝑡
𝑑𝑋𝑎 𝑘 𝑘 𝑘
𝐶𝑎0 = 𝑘 → 𝑑𝑋𝑎 = 𝑑𝑡 → ∫ 𝑑𝑋𝑎 = ∫ 𝑑𝑡 → 𝑋𝑎 = 𝑡
𝑑𝑡 𝐶𝑎0 0 𝐶𝑎0 0 𝐶𝑎0

1ª ordem:

𝑋𝑎 𝑡
𝑑𝑋𝑎 𝑑𝑋𝑎 𝑑𝑋𝑎
𝐶𝑎0 = 𝑘𝐶𝑎0 (1 − 𝑋𝑎) → = 𝑘 𝑑𝑡 → ∫ = 𝑘 ∫ 𝑑𝑡 → −ln(1 − 𝑋𝑎) = 𝑘𝑡
𝑑𝑡 (1 − 𝑋𝑎) 0 (1 − 𝑋𝑎) 0

2ª Ordem
𝑋𝑎 𝑡
𝑑𝑋𝑎 𝑑𝑋𝑎 𝑑𝑋𝑎
𝐶𝑎0 = 𝑘𝐶𝑎02 (1 − 𝑋𝑎)2 → = 𝑘𝐶𝑎0 𝑑𝑡 → ∫ = 𝑘𝐶𝑎0 ∫ 𝑑𝑡
𝑑𝑡 (1 − 𝑋𝑎)2 0 (1 − 𝑋𝑎)2 0

𝑋𝑎
→ = 𝑘𝐶𝑎0 𝑡
1 − 𝑋𝑎

3. Materiais e Métodos

3.1 Materiais

 Reator
 Banho termostático
 Cronômetro

3.2 Procedimento Experimental

Foram adicionados previamente 2L de solução aquosa de acetato de etila 0,05M e 2mL de


fenolftaleína, para dar coloração à reação, no reator e no recipiente alimentador foram colocados
2L de solução aquosa de NaOH 0,05M. O agitador foi ligado em 300 rpm e o banho termostático
foi ajustado em 40ºC.
O volume de NaOH foi liberado cuidadosamente para o reator e a variação da condutância
elétrica foi acompanhada ao longo do tempo. Tais variações foram anotadas para o cálculo da
ordem de reação. Foram anotadas também a condutância antes da reação para o cálculo da
conversão através da seguinte equação:
(𝜆𝑡 − 𝜆0 )
𝑋𝑡 =
(𝜆∞ − 𝜆0 )
Onde:
Xt=conversão no tempo t
λ0=condutância elétrica no inicio da reação (t=0)
λt=condutância elétrica no tempo t
λ∞=condutância elétrica no fim da reação (t=∞)

4. Resultados e Discussão

Com a condutância elétrica inicial e final medidas (6,54 mS e 3,30 mS, respectivamente), foi
gerada uma tabela relacionando a variação da condutância elétrica em função do tempo

t(s) λ(mS) X T(ºC)


0 6,54 0 34,6
35 6,04 0,154 34,3
95 5,56 0,302 34,2
155 5,22 0,407 34,3
215 4,94 0,494 34,6
275 4,73 0,559 34,9
335 4,56 0,611 35,1
395 4,42 0,654 35,3
455 4,3 0,691 35,5
515 4,2 0,722 35,7
815 3,88 0,821 36,6
1115 3,71 0,873 37,1
1415 3,61 0,904 37,6
1715 3,54 0,926 38,1
2315 3,46 0,951 38,6
2915 3,41 0,966 39,1
3515 3,38 0,975 39,5
4415 3,35 0,985 39,8
5315 3,33 0,991 39,9
6215 3,32 0,994 40
7115 3,31 0,997 40
7715 3,3 1 40,1

A partir desta tabela, foi possível testar as ordens de reação.


4.1 Reação de ordem zero

O primeiro modelo testado foi o modelo de ordem zero:

𝑘
𝑋𝑎 = 𝑡
𝐶𝑎0

Ao plotarmos um gráfico da conversão em função do tempo, podemos testar se a correlação


para ordem zero é satisfatória.

X 0 0,154 0,302 0,407 0,494 0,559 0,611 0,654 0,691 0,722 0,821
t(s) 0 35 95 155 215 275 335 395 455 515 815
X 0,873 0,904 0,926 0,951 0,966 0,975 0,985 0,991 0,994 0,997 1
t(s) 1115 1415 1715 2315 2915 3515 4415 5315 6215 7115 7715

Ordem zero y = 8E-05x + 0.5468


R² = 0.4892
1
0.9
0.8
0.7
Conversão

0.6
0.5
0.4
0.3
0.2
0.1
0
0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 8000
tempo (s)

A constante de velocidade k para ordem zero é:

𝑘
= 8 ∙ 10−5 → 𝑘 = 8 ∙ 10−5 ∙ 0,05 = 4 ∙ 10−6 𝑚𝑜𝑙⁄𝐿 ∙ 𝑠
𝐶𝑎0

4.2 Reação de primeira ordem

O próximo modelo testado foi o modelo de primeira ordem:

ln(1 − 𝑋𝑎) = −𝑘𝑡


O gráfico plotado foi em relação à ln(1-Xa) versus tempo

t(s) 0 35 95 155 215 275 335 395 455 515 815


ln(1-X) 0 -0,167 -0,360 -0,523 -0,681 -0,819 -0,944 -1,061 -1,174 -1,280 -1,720
t(s) 1115 1415 1715 2315 2915 3515 4415 5315 6215 7115
ln(1-X) -2,064 -2,343 -2,604 -3,016 -3,381 -3,689 -4,200 -4,711 -5,116 -5,809

1ª Ordem y = 0.0008x + 0.7321


R² = 0.95
7

4
ln(1-X)

0
0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 8000
tempo (s)

A constante de velocidade da reação k:

𝑘 = −0,0008 𝑠 −1

4.2 Reação de segunda ordem

O último modelo testado foi o modelo de segunda ordem:

𝑋𝑎
= 𝑘𝐶𝑎0 𝑡
1 − 𝑋𝑎

O gráfico plotado foi em relação à Xa/(1-Xa) versus tempo


t(s) 0 35 95 155 215 275 335 395 455 515 815
X/(1-X) 0 0,182 0,433 0,686 0,976 1,268 1,571 1,890 2,236 2,597 4,587
t(s) 1115 1415 1715 2315 2915 3515 4415 5315 6215 7115
X/(1-X) 6,874 9,417 12,514 19,408 28,412 39,000 65,667 110,111 165,667 332,333

2ª Ordem y = 0.0316x - 20.861


R² = 0.769
350

300

250

200
X/(1-X)

150

100

50

0
0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 8000
-50
tempo (s)

A constante k para essa configuração de segunda ordem é de

0,0316
𝑘𝐶𝑎0 = 0,0316 → 𝑘 = = 0,632 𝐿⁄𝑚𝑜𝑙 ∙ 𝑠
0,05

4.3 Discussão

Abaixo, uma tabela com as correlações dos gráficos de primeira e segunda ordem e também
o de ordem zero.
ORDEM CORRELAÇÃO (R²)
Zero 0,4892
Primeira 0,95
Segunda 0,769

A melhor correlação obtida foi para o modelo de reação de segunda ordem.


5. Conclusão

Com os resultados obtidos acima, pode-se concluir que a reação entre acetato de etila
(C2H3OOC2H5) e hidróxido de sódio (NaOH) é aproximadamente uma reação de primeira ordem,
cuja taxa de reação (-ra) é dada por kCa. Alguns erros experimentais estão embutidos, tal como a
diferença de temperatura, já que o reator está na temperatura ajustada pelo banho termostático, e
o reagente que entra está em temperatura ambiente, o que causa uma oscilação da temperatura.
Outra fonte de erro é a conversão calculada através da condutância, já que o reagente não é
colocado todo de uma vez, logo a reação começa mesmo não tendo todo o reagente colocado no
reator, e isso causa uma oscilação na condutância elétrica.

6. Sugestão de prática

Após pesquisa, foi encontrada uma prática de química geral 2 da Universidade Federal de
Goiás em que a cinética é estudada em relação à temperatura e concentração e a reação utilizada
foi entre os íons permanganato e oxalato em meio ácido. Com algumas adaptações, como
temperatura e concentração constante, pode-se realizar uma prática similar à que foi realizada com
acetato de etila e hidróxido de sódio, em que apenas foi estudada a ordem de reação. O roteiro da
prática está em anexo.

7. Bibliografia

APOSTILA PARA AS AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA GERAL 2

(http://www.catalao.ufg.br/siscomp/sis_prof/admin/files/sil-freitas/apostilaGERAL2.pdf)